• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 151
  • 6
  • 5
  • 5
  • 5
  • 5
  • 3
  • 3
  • 2
  • Tagged with
  • 160
  • 86
  • 62
  • 50
  • 41
  • 25
  • 25
  • 23
  • 21
  • 19
  • 19
  • 17
  • 16
  • 16
  • 16
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Heterogeneidade espacial e temporal da comunidade zooplanctônica do sistema Cantareira, São Paulo, Brasil /

De Carli, Bruno Paes. January 2016 (has links)
Orientador: Marcelo Luiz Martins Pompêo / Resumo: O Sistema Cantareira compreende uma série de cinco barragens localizadas em bacias hidrográficas distintas, sendo o principal responsável pelo abastecimento de água na Região Metropolitana de São Paulo. Devido à crise de água na área, é necessário desenvolver estudos que descrevem as condições ambientais e possíveis interferências. Neste sentido, a comunidade de zooplâncton pode ser usada como importante ferramenta de biomonitoramento. Além disso, o zooplâncton é considerado um componente importante do fluxo de energia no ecossistema. Portanto, este estudo teve como objetivo caracterizar a comunidade zooplanctônica em cinco reservatórios do Sistema Cantareira (Jaguari, Jacareí cachoeira Atibainha e Paiva Castro) e relacionou os dados biológicos com as variáveis limnológicas, a fim de diagnosticar as mudanças nas condições ambientais. As amostras foram coletadas durante a estação seca (maio e junho) e chuvosa (novembro e dezembro) de 2013 em 19 pontos de amostragem. A temperatura, condutividade eléctrica, pH e o oxigênio dissolvido foram medidos in situ com sonda multi-parâmetrica. Nutrientes, material em suspensão e os pigmentos foram determinados no laboratório. Amostras do zooplâncton foram coletadas na zona fótica através de arrasto vertical com rede de 68 µm. Os resultados mostraram eutrofização no reservatório Jaguari e algumas variáveis físico-químicas não atenderam o limite estabelecido por lei. Embora o Sistema Cantareira possa ser classificado como multi-sistema, um padrão semelhante à de cascata de reservatórios foi observado. Em relação ao zooplâncton, o grupo dos rotíferos demonstrou maior riqueza de espécies, porém pouco representativo em biomassa. Ciclopóides foram mais abundantes na estação seca, enquanto os Cladocera superaram os outros grupos no período de chuva ... (Resumo completo, clicar acesso eletrônico abaixo) / Abstract: The Cantareira System comprises a series of five dams located in distinct watershed, mainly responsible for water supply in the Metropolitan Region of Sao Paulo state. Due to water crisis in the area, its necessary to develop studies that describe environmental conditions and possible interference. In this sense, the zooplankton community is being used such as biomonitoring tool. However, the zooplankton is considered an important component of the energy flow in ecosystem. Therefore, this study aimed to characterize the zooplankton community in five reservoirs of the Cantareira System (Jaguari, Jacarei waterfall Atibainha and Paiva Castro) and associate biological data with the limnological variables in order to diagnose changes in environmental conditions. Samples were collected during the dry (May and June) and rainy season (November and December) of 2013 in 19 sampling points. Temperature, electrical conductivity, pH and dissolved oxygen were measured in situ with multi-parameter probe. Nutrients, suspended matter and the pigments were determined in the laboratory. Zooplankton samples were collected in the photic zone through vertical hauling with 68 µm net. Results showed eutrophication in Jaguari reservoir and some physico-chemical variables not agreement the limit established by law. Although the Cantareira System classified as multi-system, a pattern similar to the cascade of reservoirs was observed. Regarding the zooplankton, the rotifer group demonstrate higher species richness, however scarcely representative in biomass. Cyclopoids were more abundant in the dry season, while the Cladocera exceeded the other groups during the rainy. An positive trend for Cyclopoida density and trophic status were associated. The occurrence of invasive rotifer Kellicotia Bostoniensis and exotic algae Ceratium furcoides (Levander) Langhans 1925 ... (Complete abstract electronic access below) / Mestre
2

Qualidade ambiental de recursos hídricos associados a pivôs centrais de irrigação no Distrito Federal

Souza, Carla Albuquerque de 26 February 2014 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade UnB Planaltina, 2014. / Submitted by Guimaraes Jacqueline (jacqueline.guimaraes@bce.unb.br) on 2014-08-25T15:20:48Z No. of bitstreams: 1 2014_CarlaAlbuquerquedeSouza.pdf: 4063497 bytes, checksum: b394b0292814ccfc62cee496da03187c (MD5) / Made available in DSpace on 2014-08-25T15:20:48Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2014_CarlaAlbuquerquedeSouza.pdf: 4063497 bytes, checksum: b394b0292814ccfc62cee496da03187c (MD5) / A atividade agrícola provoca diversos impactos ao meio ambiente, incluindo aos corpos hídricos. Portanto, é importante a existência de programas de monitoramento ambiental que acompanhem todas as alterações causadas pela agricultura nestes ecossistemas, utilizando análises tradicionais físico-químicas e análises biológicas. Nesse sentido, os objetivos desse estudo foram: (i) caracterizar as condições físico-químicas, de paisagem, biológicas e tróficas da área de estudo, avaliando seu estado de degradação ambiental, composição de fitoplâncton e zooplâncton no gradiente trófico e os preditores ambientais dessas comunidades; (ii) avaliar e indicar alternativas para a simplificação do monitoramento ambiental na área de estudo utilizando bioindicadores, grupos substitutos, resoluções numéricas e taxonômicas. O estudo foi conduzido em 25 corpos hídricos que abastecem pivôs-centrais de irrigação em área predominantemente agrícola no Distrito Federal (Bacia Hidrográfica do Rio Preto) em outubro de 2012. Foram analisadas variáveis físico-químicas (temperatura, condutividade, pH, turbidez, oxigênio dissolvido, profundidade, clorofila-a, íons dissolvidos na água e fósforo total), de paisagem (área e perímetro de cada corpo hídrico, uso do solo e área com vegetação remanescente na margem), Índice de Estado Trófico e a composição das comunidades fitoplanctônicas e zooplanctônicas. A área de estudo possui boas condições ambientais, apresentando composições das comunidades fitoplanctônicas e zooplanctônicas ricas e abundantes. As composições dessas comunidades não foram influenciadas pelo gradiente trófico. Para o fitoplâncton, todas as variáveis foram importantes para estruturar a comunidade. O zooplâncton apresentou algumas variáveis físico-químicas e de paisagem como preditoras. Para a simplificação do monitoramento ambiental, uma espécie de fitoplâncton foi considerada indicadora de ambiente oligotrófico, enquanto seis espécies de zooplâncton foram consideradas indicadoras de ambiente mesotrófico. Porém, sugere-se fazer mais amostragens em diferentes épocas do ano para verificar a existência de padrão. Todas as análises biológicas com fitoplâncton e zooplâncton na área de estudo podem ser realizadas utilizando dados de presença/ausência de indivíduos sem perda significativa de informação, ou podem ser utilizados dados em nível de gênero ou família para copépodes e tecamebas e apenas dados em nível de gênero para cladóceros e rotíferos. _________________________________________________________________________________ ABSTRACT / Agricultural activity causes many environmental impacts, including the water bodies. Therefore, it is important to have an environmental monitoring program to monitor any changes caused by agriculture in these ecosystems using traditional physical-chemical analysis with biological analyzes. In this sense, the objectives of this study were: (i) characterize the biological, physico-chemical and trophic conditions of the study area, assessing their state of environmental degradation, the composition of phytoplankton and zooplankton in the trophic gradient and environmental predictors of these communities, (ii) to evaluate and indicate alternatives to the simplification of environmental monitoring in the study area using bioindicators, surrogate groups, numerical and taxonomic resolutions. The study was conducted on 25 water bodies that supply central-pivot irrigation in predominantly agricultural area in the Federal District (Rio Preto Watershed) in October 2012. Physicochemical variables (temperature, conductivity, pH, turbidity, dissolved oxygen, depth, chlorophyll-a, dissolved ions in the water and total phosphorus), landscape (area and perimeter of each water body, land use and area with remnant vegetation at the edges were analyzed), the Trophic State Index and composition of phytoplankton and zooplankton communities. The study area has good environmental conditions, presenting compositions of the phytoplankton and zooplankton communities rich and plentiful. The compositions of these communities were not influenced by the trophic gradient. For phytoplankton, all variables were important in structuring the community. Zooplankton showed some physico-chemical and landscape variables as predictors. For the simplification of environmental monitoring, one species of phytoplankton was considered indicative of oligotrophic environment, while six species of zooplankton were considered indicative of mesotrophic environment. However, it is suggested to do more sampling at different times of the year to verify the existence of patern. All biological analyzes of phytoplankton and zooplankton in the study area can be performed using presence/absence of individuals without significant loss of information or data can be used at genus or family to copepods and testate amoebas and just at genus level for cladocerans and rotifers.
3

Mesozooplâncton do Estuário do Rio Formoso, Pernambuco, Brasil, Com Ênfase Em Cnidaria

Lima, Bruno Fernandes Rocha 31 January 2012 (has links)
Submitted by Eduarda Figueiredo (eduarda.ffigueiredo@ufpe.br) on 2015-03-12T13:33:04Z No. of bitstreams: 2 license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) Dissertação Bruno - Final.pdf: 892817 bytes, checksum: 9fe776f70687f829e6179a4833046e88 (MD5) / Made available in DSpace on 2015-03-12T13:33:04Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) Dissertação Bruno - Final.pdf: 892817 bytes, checksum: 9fe776f70687f829e6179a4833046e88 (MD5) Previous issue date: 2012 / CAPES / Este estudo teve como objetivo descrever a comunidade zooplanctônica localizada na região de Rio Formoso, no litoral sul de Pernambuco. Foram avaliadas as variações sazonais, nictemerais e espaciais. As amostras foram coletadas em três estações dispostas ao longo da região. Foram analisados os parâmetros ambientais pluviosidade, temperatura, salinidade, assim como a composição do zooplâncton, sua densidade e freqüência de ocorrência. Foram coletadas 36 amostras com rede de plâncton de 200 μm de abertura de malha por meio de arrastos horizontais superficiais ao longo de um ano. Foram identificados 66 taxa de organismos zooplanctônicos, dentre eles 12 pertencentes ao filo Cnidaria. Houve dominância de Copepoda, sendo as espécies Pseudodiaptomus acutus Dahl,1894, Parvocalanus crassirostris Dahl,1894 e Acartia lilljeborgi Giesbrecht, 1889 as mais freqüentes. Dentre os Cnidaria, a dominância foi de Phialella quadrata Forbes, 1848 e Coryne prolifera. Foram registrados pela primeira vez as espécies Dipurena reesi, Dipurena halterata e Dipurena baukalion para o Nordeste do Brasil e para águas estuarinas. O zooplâncton de uma forma geral apresentou variação nictemeral significativa (p<0,05), assim como variação espacial entre os transectos mais distantes da desembocadura do rio Formoso. Não foi verificada a esma variação temporal para os Cnidaria, embora haja diferença significativa entre os locais de coleta (p=0,039).
4

Chaetognatha do Arquipélago de Fernando de Noronha (NE, Brasil)

MELO, Danielle Caroline da Mota 04 March 2015 (has links)
Submitted by Natalia de Souza Gonçalves (natalia.goncalves@ufpe.br) on 2015-05-04T13:30:51Z No. of bitstreams: 2 MELO, D. C. M. Chaetognatha do Arquipélago de Fernando de Noronha (NE, Brasil) 2015.pdf: 1240375 bytes, checksum: 81c3fff34baa805369d25a026a99fbf9 (MD5) license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) / Made available in DSpace on 2015-05-04T13:30:51Z (GMT). No. of bitstreams: 2 MELO, D. C. M. Chaetognatha do Arquipélago de Fernando de Noronha (NE, Brasil) 2015.pdf: 1240375 bytes, checksum: 81c3fff34baa805369d25a026a99fbf9 (MD5) license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) Previous issue date: 2015-03-04 / Dentre os principais grupos que compõem o zooplâncton, Chaetognatha é um filo cosmopolita dos mares e oceanos do mundo, reunindo organismos de grande importância ecológica, uma vez que atuam na posição de eficientes predadores, indicadores de áreas pesqueiras e de movimentos de massas d’água. Contudo, apesar de sua clara importância no meio marinho, Chaetognatha é pouco estudado no Oceano Tropical, principalmente em áreas oceânicas do nordeste brasileiro. Esta região é caracterizada pela presença de bancos e ilhas oceânicas, ambientes que podem influenciar diretamente na estrutura das comunidades locais, modificando a distribuição diária e espacial dos organismos. Dentro deste contexto, este estudo foi dividido em dois capítulos, com objetivo de avaliar como o fotoperíodo e a proximidade de Fernando de Noronha influenciam a abundância e a diversidade das espécies de Chaetognatha (I Capítulo); E analisar como a densidade, biomassa e fator de condição das duas espécies mais abundantes comportam-se em Fernando de Noronha, considerando-se seus estágios de desenvolvimento. Para isto, foram estabelecidas duas transecções de amostragem em relação ao fluxo principal da Corrente Sul Equatorial: uma anterior (nordeste) e outra posterior ao arquipélago (sudoeste), cada uma formada por três estações (A, C e E) com coletas diurnas e noturnas. As amostras foram obtidas durante a estação chuvosa (julho/2010), através de arrastos oblíquos de 0-150 m, com redes de plâncton do tipo bongô (500 e 300 m). Em paralelo à coleta de material biológico foram coletados dados abióticos para a caracterização hidrológica. Para o cálculo da biomassa, as medidas do comprimento total das espécies foram obtidas por meio do equipamento ZooScan. Os parâmetros que apresentaram maiores variações na coluna d’água foram a temperatura, oxigênio e fluorescência, enquanto que a salinidade e o pH permaneceram constantes. A comunidade de Chaetognatha foi representada por seis espécies: Serratosagitta serratodentata, Flaccisagitta hexaptera, Flaccisagitta enflata, Flaccisagitta spp., Pterosagitta draco e Ferosagitta hispida, dentre as quais S. serratodentata apresentou a densidade mais elevada (460,46 ± 115,39 ind.m-³). A maioria das espécies foi coletada em números superiores durante o período noturno, e a transecção nordeste reuniu a densidade média mais elevada (56,77 ± 114,71 ind.m-³). As populações das duas espécies mais abundantes, S. serratodentata e F. hexaptera, foram formadas em maior número por indivíduos adultos, que apresentaram maior densidade no período noturno e diurno, respectivamente. A transecção nordeste demonstrou densidades superiores para todos os estágios avaliados. A biomassa média de S. serratodentata foi de 126,61 (± 145 μg.m-³), com os indivíduos adultos contribuindo com 205,47 (± 168,96 μg.m-³) e os juvenis com 47,75 (± 43 μg.m-³); F. hexaptera apresentou uma média de 80,69 (± 336,84 μg.m-³), correspondente a 150,32 (± 464,57 μg.m-³) para os adultos e 4,73 (± 6,34 μg.m-³) para os juvenis. Adultos foram coletados em maioria, com ambas as redes utilizadas. As curvas de crescimento geradas para S. Serratodentata e F. hexaptera indicaram que a primeira espécie converte grande parte de sua energia metabólica na produção de biomassa (b > 3), enquanto que a segunda investe mais no crescimento corpóreo (b < 3). Com exceção de Flaccisagitta spp., os testes estatísticos apontaram que a composição das espécies em Fernando de Noronha é homogênea na faixa de 0-150 m, independentemente do fotoperíodo e da distância do arquipélago (p > 0,05). A biomassa foi significativamente diferente quanto aos adultos de S. serratodentata entre as transecções (U= 6, p= 0,03), o que não foi observado na comparação entre as estações de cada transecção.Em conjunto, estes resultados apontaram a ausência do efeito-ilha sobre Chaetognatha em Fernando de Noronha. A continuação de trabalhos na área de estudo torna-se de suma importância, como forma de avaliar por meio de novas metodologias, a interação das espécies de Chaetognatha com a hidrologia da região.
5

Alimento inerte e vivo no desempenho do mato grosso, (Hyphessobrycon eques) /

Morais, Flávia Almeida Berchielli. January 2013 (has links)
Orientadora: Lúcia Helena Sipaúba Tavares / Banca: Odete Rocha / Banca: João Batista Kochenborger Fernandes / Resumo: Este trabalho foi conduzido no Laboratório de Peixes Ornamentais, do Centro de Aquicultura da UNESP (CAUNESP), Campus de Jaboticabal, SP e avaliaram dois tipos de alimentação para o peixe ornamental mato grosso Hyphessobrycon eques, (Steindachner, 1882). Foram utilizados o alimento inerte (ração) e o alimento vivo (zooplâncton) associados à biomassa de microalgas constituída por Chlorophyceae Ankistrodesmus gracilis (Reisch) Korsikov e Haematococcus pluvialis Flotow na forma liofilizada e cultura viva. Em relação aos resultados do primeiro capítulo referente ao alimento inerte, ocorreram diferenças significativas (p<0,05) na coloração dos peixes, com valores mais elevados para a cor amarela (+b*) e o brilho (Cab*) para as dietas com adição de biomassa de microalgas (AI+H, AI+H+A, AI+A) do que a dieta controle (AI). Apesar da dieta AI+H ter promovido coloração mais intensa para os valores de (b*) e (Cab*) (p<0,05) ao mato grosso H. eques quando comparada à dieta controle, a quantidade de 0,15% de inclusão das microalgas A. gracilis e H. pluvialis ao alimento inerte, ainda não foi suficiente para incrementar a cor do peixe, principalmente a coloração vermelha. Em relação ao segundo capítulo referente ao alimento vivo, indicou nenhuma preferência do mato grosso H. eques para as espécies planctônicas em ambos os tratamentos alimentares (p>0,05) e ocorreram diferenças significativas (p>0,05) para o desempenho zootécnico. Os resultados obtidos permitem concluir que o mato grosso aceita dietas que contenham zooplâncton e microalgas, porém a associação de ambos promoveu maiores resultados de crescimento, sendo esta dieta eficaz como fonte de alimento / Abstract: Current assay, performed in the Ornamental Fish Laboratory of the UNESP Aquiculture Centre (CAUNESP), Jaboticabal SP Brazil, evaluated two types of feed for the ornamental fish Hyphessobrycon eques, Steindachner, 1882 (popularly called mato grosso), with inert (meal) and live food (zooplankton) associated with lyophilized and live microalgae biomass Chlorophyceae Ankistrodesmus gracilis (Reisch) Korsikov and Haematococcus pluvialis Flotow. The first chapter related to inert feed. Significant differences (p<0.05) were reported for pigment analysis with higher rates for yellow (+b*) and brightness (Cab*) for diets with the addition of micro-algae biomass (AI+H, AI+H+A, AI+A) than those in control (AI). Although diet AI+H have promoted more intense pigment for the values of (b*) and (Cab*)(p <0.05) to H. eques when compared to the control diet (AI), the amount of 0.15% inclusion of micro-algae A. gracilis and H. pluvialis to inert feed has not been sufficient to enhance the pigment of fish, especially the red pigment. Compared to the second chapter for the live food showed no preference of the H. eques for the different plankton species in the two treatments (p>0.05) and zootechnical performance results revealed significant differences (p<0.05). The ornamental fish H. eques accepts zooplankton and microalgae diets, but the association of both provided better growth results and shows a more efficient diet as feeding source / Mestre
6

Alimento inerte e vivo no desempenho do mato grosso, (Hyphessobrycon eques)

Morais, Flávia Almeida Berchielli [UNESP] 12 June 2013 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2014-06-11T19:26:48Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2013-06-12Bitstream added on 2014-06-13T20:55:22Z : No. of bitstreams: 1 000742379.pdf: 1406563 bytes, checksum: 20f0322bc4f1a53c2ca2bb4bd750e0ff (MD5) / Este trabalho foi conduzido no Laboratório de Peixes Ornamentais, do Centro de Aquicultura da UNESP (CAUNESP), Campus de Jaboticabal, SP e avaliaram dois tipos de alimentação para o peixe ornamental mato grosso Hyphessobrycon eques, (Steindachner, 1882). Foram utilizados o alimento inerte (ração) e o alimento vivo (zooplâncton) associados à biomassa de microalgas constituída por Chlorophyceae Ankistrodesmus gracilis (Reisch) Korsikov e Haematococcus pluvialis Flotow na forma liofilizada e cultura viva. Em relação aos resultados do primeiro capítulo referente ao alimento inerte, ocorreram diferenças significativas (p<0,05) na coloração dos peixes, com valores mais elevados para a cor amarela (+b*) e o brilho (Cab*) para as dietas com adição de biomassa de microalgas (AI+H, AI+H+A, AI+A) do que a dieta controle (AI). Apesar da dieta AI+H ter promovido coloração mais intensa para os valores de (b*) e (Cab*) (p<0,05) ao mato grosso H. eques quando comparada à dieta controle, a quantidade de 0,15% de inclusão das microalgas A. gracilis e H. pluvialis ao alimento inerte, ainda não foi suficiente para incrementar a cor do peixe, principalmente a coloração vermelha. Em relação ao segundo capítulo referente ao alimento vivo, indicou nenhuma preferência do mato grosso H. eques para as espécies planctônicas em ambos os tratamentos alimentares (p>0,05) e ocorreram diferenças significativas (p>0,05) para o desempenho zootécnico. Os resultados obtidos permitem concluir que o mato grosso aceita dietas que contenham zooplâncton e microalgas, porém a associação de ambos promoveu maiores resultados de crescimento, sendo esta dieta eficaz como fonte de alimento / Current assay, performed in the Ornamental Fish Laboratory of the UNESP Aquiculture Centre (CAUNESP), Jaboticabal SP Brazil, evaluated two types of feed for the ornamental fish Hyphessobrycon eques, Steindachner, 1882 (popularly called mato grosso), with inert (meal) and live food (zooplankton) associated with lyophilized and live microalgae biomass Chlorophyceae Ankistrodesmus gracilis (Reisch) Korsikov and Haematococcus pluvialis Flotow. The first chapter related to inert feed. Significant differences (p<0.05) were reported for pigment analysis with higher rates for yellow (+b*) and brightness (Cab*) for diets with the addition of micro-algae biomass (AI+H, AI+H+A, AI+A) than those in control (AI). Although diet AI+H have promoted more intense pigment for the values of (b*) and (Cab*)(p <0.05) to H. eques when compared to the control diet (AI), the amount of 0.15% inclusion of micro-algae A. gracilis and H. pluvialis to inert feed has not been sufficient to enhance the pigment of fish, especially the red pigment. Compared to the second chapter for the live food showed no preference of the H. eques for the different plankton species in the two treatments (p>0.05) and zootechnical performance results revealed significant differences (p<0.05). The ornamental fish H. eques accepts zooplankton and microalgae diets, but the association of both provided better growth results and shows a more efficient diet as feeding source
7

Padrões espaço-temporais do zooplâncton em um reservatório hidrelétrico tropical

Vieira, Maísa Carvalho 21 July 2017 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Planaltina , Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais, 2017. / Submitted by Raquel Almeida (raquel.df13@gmail.com) on 2017-10-20T19:49:39Z No. of bitstreams: 1 2017_MaísaCarvalhoVieira.pdf: 2875691 bytes, checksum: ff8c117530d00834c830dd06aa641f37 (MD5) / Approved for entry into archive by Raquel Viana (raquelviana@bce.unb.br) on 2017-10-31T11:40:15Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2017_MaísaCarvalhoVieira.pdf: 2875691 bytes, checksum: ff8c117530d00834c830dd06aa641f37 (MD5) / Made available in DSpace on 2017-10-31T11:40:15Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2017_MaísaCarvalhoVieira.pdf: 2875691 bytes, checksum: ff8c117530d00834c830dd06aa641f37 (MD5) Previous issue date: 2017-10-31 / Reservatórios são ecossistemas artificiais que geralmente modificam a estrutura das populações biológicas, dessa forma, é necessário entender as dinâmicas populacionais desse tipo de ambiente, como por exemplo, a flutuação de populações e das variáveis limnológicas ao logo da construção do reservatório hidrelétrico ou até mesmo possíveis implicações para os biomonitoramentos. Assim, o objetivo desse estudo foi compreender as dinâmicas espaçotemporais das comunidades zooplanctônicas em um reservatório hidrelétrico tropical, a fim da melhoria das práticas em monitoramento ambiental. Para isso, analisamos os padrões ecológicos correspondentes à comunidade zooplanctônica ao longo da formação do reservatório hidrelétrico Santo Antônio do Jari, no rio Jari que fica na divisa dos estados do Pará e Amapá, Brasil. A comunidade zooplanctônica (cladócero, copépode, rotífero e tecameba) e as variáveis ambientais limnológicas foram coletadas em 23 meses, sendo nove meses na fase rio, antes do represamento efetivo (fevereiro de 2012 a fevereiro de 2014), três meses na fase de transição rio-reservatório que é no período de enchimento do reservatório (maio a julho de 2014) e onze meses na fase reservatório, no qual a usina já estava em funcionamento (agosto de 2014 a agosto de 2015). Os principais resultados evidenciam que (1) a flutuação populacional do zooplâncton foi baixa e a ambiental foi alta, sendo elas diferentes nas três fases da construção do reservatório; (2) é visível a flutuação das populações e variáveis ambientais limnológicas, entretanto os mecanismos atuantes não são claros; (3) os programas de biomonitoramentos devem ser projetados com cautela em novos ecossistemas (4) mas mesmo assim, pode ser utilizado alguns atalhos da biodiversidade em biomonitoramentos, como o uso de dados de gênero substituindo dados de espécie e o uso de dados de presença/ausência de espécies substituindo os dados de abundância. Sugerimos utilizar dados meteorológicos e de paisagem para modelar os padrões vistos. Além disso, sugerimos que as estratégias de atalhos da biodiversidade devem ser utilizadas como pesquisas-pilotos antes de adotar em outros locais, e assim, os recursos economizados com o uso de estratégias econômicas poderiam então ser direcionados para apoiar o monitoramento de uma série de grupos biológicos. / Reservoirs are artificial ecosystems that generally modify the structure of biological populations, so it is necessary to understand the population dynamics of this type of environment, such as the fluctuation of populations and limnological variables at the time of construction of the hydroelectric reservoir or even possible Implications for biomonitoring. Thus, the objective of this study was to understand the spatio-temporal dynamics of zooplankton communities in a tropical hydroelectric reservoir, in order to improve practices in environmental monitoring. For this, we analyze the ecological patterns corresponding to the zooplankton community along the formation of the Santo Antônio do Jari hydroelectric reservoir, in the Jari river that is on the border of the states of Pará and Amapá, Brazil. The zooplankton community (cladoceran, copepod, rotifer, and testate amoebae) and limnological environmental variables were collected in 23 months. Nine months in the river phase, before effective damming (February 2012 to February 2014), three months in the transition phase (May to July 2014) and eleven months in the reservoir phase, in which the plant was already in operation (August 2014 to August 2015). The main results show that (1) the population fluctuation was low and the environmental one was high, being different in the three phases of the reservoir construction; (2) the population fluctuation and limnological environmental variables are visible, but the mechanisms are not clear; (3) biomonitoring programs for these systems should be designed cautiously; (4) but even then some biodiversity shortcuts can be used in biomonitoring, such as the use of gender data replacing species data and the use of presence data / Absence of species replacing the abundance data. We suggest using weather and landscape data to model the patterns seen. In addition, we also recommend that this strategy be tested first using pilot surveys before it is adopted elsewhere, and thus resources saved with the use of cost-effective strategies could then be directed to support the monitoring of a range of biological groups.
8

Variação espaço-temporal do zooplâncton e utilização em biomonitoramento no Lago Grande do Curuai, Pará, Brasil

Gomes, Leonardo Fernandes 25 March 2015 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade UnB Planaltina, Programa de Pós-Graduação em Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural, 2015. / Submitted by Andrielle Gomes (andriellemacedo@bce.unb.br) on 2015-07-06T19:32:23Z No. of bitstreams: 1 2015_LeonardoFernandesGomes.pdf: 1842457 bytes, checksum: 39299d86d46ba6533c97717e2aeda579 (MD5) / Approved for entry into archive by Raquel Viana(raquelviana@bce.unb.br) on 2015-07-16T13:41:49Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2015_LeonardoFernandesGomes.pdf: 1842457 bytes, checksum: 39299d86d46ba6533c97717e2aeda579 (MD5) / Made available in DSpace on 2015-07-16T13:41:49Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2015_LeonardoFernandesGomes.pdf: 1842457 bytes, checksum: 39299d86d46ba6533c97717e2aeda579 (MD5) / Diversos estudos evidenciam os efeitos do pulso sobre as características físicas, químicas e biológicas da água nas planícies de inundação. Nesse aspecto, não há como negligenciar a importância da Amazônia em termos de disponibilidade de recursos hídricos e biodiversidade. No presente estudo foi dada ênfase aos quatro principais grupos da comunidade zooplanctônica (cladóceros, copépodes, protozoários testáceos e rotíferos), sendo avaliados os efeitos do pulso de inundação sobre as características ambientais e biológicas, além do uso de grupos substitutos e resoluções numéricas e taxonômicas. Portanto, os objetivos do primeiro capítulo foram avaliar: (1.1) o efeito do pulso de inundação sobre as características ambientais e biológicas, (1.2) a variação da similaridade ambiental e biológica no ecossistema lacustre entre os períodos de enchente e vazante, (1.3) como os organismos zooplanctônicos respondem aos gradientes ambientais. Para atingir tais objetivos foram realizadas: (1.1) Análises de Componentes Principais (PCA), Análises de Escalonamento Multidimensional Não-Métrico e Análise de Similaridade (Anosim); (1.2) Betadisper; (1.3) Análise de Correspondência Canônica (CCA). Os objetivos do segundo capítulo deste estudo foram avaliar a correlação entre (2.1) a distribuição espacial nos principais grupos zooplanctônicos (cladóceros, copépodes, protozoários testáceos e rotíferos), (2.2) os diferentes níveis numéricos (dados de densidade e presença/ausência de espécies), e (2.3) os níveis taxonômicos (espécies, gêneros e famílias); Para isso foram realizadas análises de Mantel e Procrustes, permitindo uma comparação entre as diferentes matrizes a partir dos dados coletados no Lago Grande do Curai, Pará, Brasil. Os resultados evidenciaram que os grupos do zooplâncton respondem efetivamente às variações no pulso de inundação, porém apenas copépodes e rotíferos apresentaram maior dispersão durante o período da enchente. Além disso muitos táxons foram capazes de responder efetivamente às variações ambientais. Adicionalmente, os resultados do segundo capítulo, mostraram ser fracas as correlações entre os grupos do zooplâncton quando se objetiva compreender a dinâmica ecológica dos mesmos, porém, os resultados para substituições numéricas e taxonômicas (nível de gênero) mostraram alta correlação. / Several studies show the effects of the pulse on the physical, chemical and biological characteristics of water in the floodplains. In this respect, there is no way neglect the importance of the Amazon in terms of availability of water resources and biodiversity. In this study the emphasis was on four main groups of the zooplankton (cladocerans, copepods, rotifers and testate protozoa), as well as evaluating the effects of the flood pulse on environmental and biological characteristics, and the use of substitute groups and numerical and taxonomic resolutions. Therefore, the objectives of the first chapter were to assess: (1.1) the effects of the flood pulse on environmental and biological characteristics, (1.2) the variation in environmental and biological similarity in the lake ecosystem between periods of flooding and flushing, (1.3) and how the zooplankton organisms respond to environmental gradients. To realize those goals were performed: (1.1) Principal Component Analysis (PCA), Non-Metric Multidimensional Scaling and Similarity Analysis (ANOSIM); (1.2) Betadisper; (1.3) Canonical Correspondence Analysis (CCA). The objectives of the second chapter of this study were to evaluate the correlation between (2.1) the spatial distribution among the major zooplankton groups (cladocerans, copepods, rotifers, and testaceans protozoa), (2.2) the different numerical levels (data of density and presence/absence of species), and (2.3) the taxonomic levels (species, the genera, and families); For this, Mantel and Procrustes analyzes were performed, allowing a comparison between the different matrices from the data collected in the Lago Grande do Curuai, Pará, Brazil. The results showed that the zooplankton groups effectively respond to changes in the flood pulse, but only copepods and rotifers presented higher dispersion during the flushing period. Also many taxa were able to respond effectively to environmental variations. Additionally, the second chapter results, shown to be weak correlations between zooplankton groups when the aim is to understand the ecological dynamics of these, however, the results for numerical and taxonomic substitutions (genus level) showed high correlation.
9

Rotíferos (Rotatoria) como indicadores da qualidade ambiental da Bacia do Pina, Recife (PE/Brasil)

VITORIO, Unilton Saulo Rodrigues January 2006 (has links)
Made available in DSpace on 2014-06-12T23:01:48Z (GMT). No. of bitstreams: 2 arquivo8176_1.pdf: 718188 bytes, checksum: c183c241f5dbf0d1deaf3d2078fac552 (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2006 / A atual pesquisa foi realizada na bacia do Pina, situada na parte interna do porto do Recife - PE, onde foi analisada a comunidade de rotíferos, tendo como objetivo identificar as espécies que ocorrem nesta área, suas variações espaciais e temporais, evidenciando os bioindicadores da qualidade ambiental. Foram identificados 4 famílias e 18 espécies. Destacou-se a família Brachionidae com 12 espécies. A diversidade de espécies foi maior no período chuvoso quando o sistema estuarino chega a apresentar teores salinos muito baixos. De uma forma geral, a diversidade apresentou valores baixos em decorrência da predominância de algumas espécies encontradas ou da ausência de organismos na amostra. Brachionus plicatilis foi a principal espécie, contribuindo com 80,92% de abundância relativa, e índices de freqüência de ocorrência de 98%. Registrou-se um padrão espacial com um gradiente de abundância crescente da estação mais costeira para a mais continental. As espécies Brachionus plicatilis, Brachionus calyciflorus, Rotatoria rotatoria, Filinia longiseta e Filinia opolienses encontradas na região no estuário em questão indicam elevada carga de resíduos orgânicos, evidenciando área bastante degradada
10

Biodiversidade e Biomassa do Macrozooplâncton, com ênfase nos Copepoda (Crustacea), na Plataforma Continental Norte Brasileira

MELO, Nuno Filipe Alves Correia de January 2004 (has links)
Made available in DSpace on 2014-06-12T23:02:09Z (GMT). No. of bitstreams: 2 arquivo8412_1.pdf: 3242929 bytes, checksum: e6c6c25ee171e4400c3703da38f5eb28 (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2004 / Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico / Estudos sobre a influência da pluma estuarina do rio Amazonas na comunidade macrozooplanctônica foram desenvolvidos visando conhecer a biodiversidade e o gradiente de densidade. A área estudada está inserida na Zona Econômica Exclusiva (ZEE) brasileira e mais especificamente na Plataforma Continental Norte Brasileira (PCNB), tendo sido subdividida em três setores: Litoral Guianense, Golfão Marajoára e Litoral Amazônico Oriental. Amostragens foram feitas em 23 estações oceanográficas durante a Operação Norte IV, realizada pelo navio Oceanográfico Antares , de 28 de julho a 14 de agosto de 2001, em sete perfis perpendiculares à costa dos Estados do Pará e Amapá, abrangendo as províncias nerítica e oceânica. Foram, também, feitas amostragens em 28 estações oceanográficas, realizadas durante as operações de prospecção pesqueira do Programa REVIZEE, em duas campanhas, a Prospec XIX (26/02 a 12/03 de 2001) e Prospec XX (27/03 a 04/04 de 2001), a bordo do navio de pesquisa Almirante Paulo Moreira . As coletas foram realizadas com rede tipo Bongo, com malha de 300 &#956;m, através de arrastos duplos oblíquos. Após as coletas o material era preservado com formol neutro a 4%. Dados hidrológicos foram coletados simultaneamente para fins comparativos. A temperatura máxima foi registrada na estação 79, do perfil 13 (28,81ºC), enquanto que a mais baixa foi na estação 94, perfil 15, com 26,71ºC. A salinidade variou de 26,98 PSU a 36,42 PSU. A biomassa planctônica na operação Norte IV apresentou um mínimo de 11 mg.m-3 (estação 61) e máximo de 388,6 mg.m-3 (estação 79). Na Prospec XIX, o valor mais elevado foi registrado na estação 1, com 108,7 mg.m-3 e mínimo de 14,49 mg.m-3 na estação 6. Durante a Prospec XX, o valor mais elevado foi de 56 mg.m-3 (estação 8) e mínimo de 11,91 mg.m-3 (estação 10). O zooplâncton esteve representado pelos Filos Sarcomastigophora, Cnidaria, Mollusca, Annelida, Crustacea, Bryozoa, Chaetognatha, Echinodermata, Hemichordata e Chordata. Foram totalizados 164 taxa, considerando a menor unidade taxonômica possível de identificar para cada filo, dos quais cento e nove (109) foram de Copepoda. Dentre os Copepoda, destacaramse na província oceânica, Undinula vulgaris, Euchaeta marina, Nannocalanus minor, Clausocalanus furcatus, Scolecitrix danae, Calocalanus pavo, Corycaeus (O.) speciosus, Farranulla gracilis e Oithona plumifera e na província nerítica Subeucalanus pileatus, Temora stylifera e Rhincalanus cornutus. Chaetognatha destacou-se em toda área, principalmente Sagitta tenuis e Sagitta enflata. Dentre os Larvacea foram muito freqüentes Oikopleura spp. e Fitillaria spp., as quais contribuíram com boa parcela da neve marinha , onde se aderiam inúmeros organismos. A espécie Doliolum sp. predominou pontualmente na província nerítica, alcançando 59% da comunidade do macrozooplâncton na estação 79. A média global da diversidade específica das estações neríticas foi 2,29 bits.ind-1 e das oceânicas 2,23 bits.ind-1, sendo que a maior média de diversidade foi na quebra da plataforma. A densidade zooplanctônica na operação Norte IV, variou de um mínimo de 41,2 org.m-3 (estação 94) a um máximo de 3.754,5 org.m-3 (estação 79). Para a campanha Prospec XIX, a densidade zooplanctônica variou de 4,3 org.m-3 (estação 6) a um máximo de 128 org.m-3 (estação 1). Na Prospec XX, a densidade zooplanctônica variou de 25,8 org.m-3 (estação 4) a 86 org.m-3 (estação 15). A pluma do Amazonas causa uma variabilidade extrema na condição hidrográfica da plataforma continental e área adjacente, criando um mosaico complexo de habitats para o desenvolvimento do zooplâncton

Page generated in 0.0595 seconds