• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 153
  • Tagged with
  • 153
  • 153
  • 134
  • 129
  • 67
  • 58
  • 58
  • 55
  • 47
  • 45
  • 40
  • 38
  • 31
  • 28
  • 25
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Influência do tratamento de superfície do metal na resistência de união entre uma liga de cobalto-cromo e duas cerâmicas

Lombardo, Geraldo Henrique Leão [UNESP] 24 July 2007 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2014-06-11T19:27:46Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2007-07-24Bitstream added on 2014-06-13T18:31:55Z : No. of bitstreams: 1 lombardo_ghl_me_sjc.pdf: 2372333 bytes, checksum: 95102ab2066b717f006018fb102db267 (MD5) / Este trabalho avaliou a influência do tratamento superficial do metal (jateamento com óxido de alumínio e ponta de tungstênio), na resistência ao cisalhamento, entre uma liga de Co-Cr (StarLoy C - DeguDent) e duas cerâmicas (StarLight Ceram - DegunDent e Duceram Kiss - Degudent). Foram confeccionados quarenta e oito padrões metálicos de formato cilíndrico, com altura total de 4,7 mm, tendo diâmetro diferenciado entre as extremidades; a maior com 5 mm e a menor com 3,7 mm (ISO 11405), sendo doze para cada grupo: G1- superfície metálica jateada com óxido de alumínio + StarLight Ceram; G2- superfície metálica tratada com ponta de tungstênio + StarLight Ceram; G3- superfície metálica jateada com óxido de alumínio + Duceram Kiss e G4- superfície metálica tratada com ponta de tungstênio + Duceram Kiss. O ensaio de cisalhamento foi realizado em máquina de ensaio universal (Emic DL 1000, São José dos Pinhais, Brasil), com célula de carga de 100 Kg, à velocidade de 0,5 mm/min, utilizando um dispositivo específico (faca com entalhe). Após o ensaio, foi realizada a análise fractográfia e os dados obtidos analisados estatisticamente pelo teste ANOVA (2 fatores). Foram observados os seguintes valores médios de resistência de união: G1 (57,97l11,34 MPa); G2 (40,62l12,96 MPa); G3 (47,09l13,19 MPa) e G4 (36,80l8,86 MPa). Concluiu-se que o tratamento superficial com óxido de alumínio, aumentou a resistência de união entre metal e cerâmica, independente do tipo de cerâmica utilizada. / The aim of this study was to evaluate the influence of the surface treatment (sandblasting with aluminium oxide and tungsten carbide bur), on the shear bond strength among a Co-Cr alloy (StarLoy C - DeguDent) and two ceramics (StarLight Ceram - DeguDent and Duceram Kiss - Degudent). Forty eigth metal cilindric specimens were made with 4,7 mm high, with two different diameters: one with 5,5 mm and the other with 3,7 mm (ISO 11405), with twelve specimens for each one of the four groups: G1 - sandblasting + StarLigth Ceram; G2 - tungsten carbide burs + StarLigth Ceram; G3 - sandblasting + Duceram Kiss and G4 - tungsten carbide burs + Duceram Kiss. The shear test was made with a universal testing machine (Emic DL 1000, São José dos Pinhais, Brazil), with load of 100 kg, with the crosshead speed of 0,5 mm/min, using a specific device (knife with an indent - Ultradent). The fracture analysis of the surfaces was made and the data were statistically analyzed with the ANOVA (two way). The means and the standard deviations of the shear bond strength were: G1 (57,97l11,34 MPa); G2 (40,62l12,9 MPa); G3 (47,09l13,19 MPa) e G4 (36,80l8,86 MPa). It could be concluded that the surface treatment with the tungsten carbide bur reduced the shear bond strength, independent of the ceramics used.
2

Mapeamento da variação regional da resistência adesiva em superfícies planas de dentina.

Raquel Sano Suga Terada 22 February 2001 (has links)
O presente trabalho avaliou a influência das variações morfológicas do substrato dentinário na resistência de união à microtração de três sistemas adesivos resinosos: Clearfil Liner Bond 2V, One-Step e Single Bond, empregando como substrato superfícies planas de dentina. Para o preparo e exposição da superfície de dentina, o esmalte oclusal foi desgastado com lixas de carbureto de silício de granulação 320 e 600. Doze dentes foram tratados com um dos sistemas adesivos e foi aplicada uma camada de 1 centímetro de altura em resina composta Z100, pela técnica incremental. Após armazenagem em água destilada em estufa a 37ºC por 24 horas, os espécimes foram preparados para serem submetidos ao teste de microtração. Utilizando-se uma máquina de cortes seriados, os dentes foram fatiados em espessuras de aproximadamente 0,8 mm nos sentidos mésiodistal e vestíbulo-lingual, obtendo-se médias de áreas de adesão de 0,7 mm2. Foram obtidos, em média, 23 espécimes por dente. Identificando-se cada espécime através de um código de cores, a superfície de cada dente foi mapeada. Para a leitura da resistência de união, cada espécime em forma de “palito” foi afixado individualmente em um dispositivo de microtração, Bencor Multi-T, de modo a posicionar a área de adesão perpendicularmente ao longo eixo do espécime. Após o teste, o modo de fratura da interface adesiva foi avaliado. Os resultados obtidos permitiram concluir que existe uma variação regional da resistência de união em superfícies planas de dentina. Independentemente do sistema adesivo empregado, a variação da resistência de união encontrada em superfícies planas de dentina foi determinada por variações no substrato dentinário.Comparando-se a resistência de união entre os materiais, os sistemas One-Step (53,97 ± 12,58 MPa) e Single Bond (52,59 ± 17,67 MPa) apresentaram uma resistência semelhante e estatisticamente superior ao sistema Clearfil Liner Bond 2V (32,90 ± 12,43 MPa). Comparando-se a resistência de união à dentina central e à dentina periférica, os três materiais não apresentaram uma diferença estatisticamente significante. / The present work evaluated the influence of morphological variations of the dentinal substrate in the microtensile adhesive strength of three adhesive systems: Clearfil Liner Bond 2V, One-Step and Single Bond, using flat dentin surfaces. For the preparation and exposure of the dentin surface, the occlusal enamel was ground with 320 and 600 – grit SiC paper. The teeth were treated with one of the adhesive systems and a 1cm thick layer of Z100 resin composite was built up on the surface. After storage in distilled water at 37ºC for 24 hours, the specimens were prepared to be subjected to the microtensile test. With the aid of a micrometer the teeth were serially sectioned in both “x” and “y” directions to result in several bonded sticks of approximately 0.7 mm2 of cross-sectional area. Approximately twenty-three specimens per tooth were obtained. Each specimen was identified by a color code and the flat dentin surface was mapped. For the reading of the adhesive strength, each bonded stick was individually gluded to a Bencor Multi-T microtensile device with the adhesive area perpendicularly oriented to the long axis of the device. After testing, the mode of fracture of the adhesive interface was evaluated. The conclusions of this study were: there is a regional variance in the adhesive strenght on a flat dentin surface; regardless of the adhesive system used, the variation of the adhesive strength found on flat dentin surfaces was determined by variations in the dentinal substrate; when comparing the adhesive strength among the materials, One-Step (53,97 MPa ± 12,58) and Single Bond (52,59 MPa ± 17,67) systems presented a adhesive strength similar and statistically higher than the Clearfi Liner Bond 2V (32,90 MPa ± 12,43) system; when comparing the adhesive strength to both central and peripheral dentin, the three materials did not present any statistically significant differences.
3

Influência da fonte de luz fotoativadora na resistência de união e na micromorfologia da interface adesiva de restaurações de resina composta - Um estudo 'in vitro' com microscopia de fluorescência / Influence of light-curing sources on bond strength and on interfacial micromorphology of resin composite restorations – a fluorescence microscopy study

Paulo Henrique Perlatti D'Alpino 07 April 2005 (has links)
Propôs-se avaliar a influência de diferentes fontes de luz fotoativadoras na micromorfologia e na resistência de união adesiva de restaurações de resina composta. Selecionaram-se terceiros molares hígidos que receberam preparos cavitários classe I (6,0 mm x 4,5 mm; 2,5 mm profundidade). A resina composta (Filtek Z250 - RC) foi inserida em incremento único após a aplicação e polimerização do sistema adesivo (Adper Single Bond - SB). Os materiais restauradores foram fotoativados com os seguintes aparelhos: XL 3000 (QTH: 540 mW/cm2); Elipar FreeLight 2 (LED: 750 mW/cm2) e Arc Light IIM (PAC: 2.130 mW/cm2). Nove grupos experimentais foram avaliados de acordo com as combinações de fonte de luz para fotoativar SB/RC: QTH/QTH; QTH/LED; QTH/PAC; LED/LED; LED/QTH; LED/PAC; PAC/PAC; PAC/QTH; PAC/LED. Para a análise da micromorfologia foi utilizada microscopia de fluorescência (Laser de Fóton Duplo), sendo que um corante fluorescente vermelho (Rodamina B) foi adicionado ao sistema adesivo. Além disso, utilizou-se uma solução de corante fluorescente verde (Dextran- Fluoresceína), que foi aplicada na câmara pulpar durante 4 horas, para que se difundisse em direção à interface. Os dentes foram então lavados, incluídos, seccionados e analisados microscopicamente. Os parâmetros analisados foram: espessura da camada de adesivo, espessura e qualidade da camada híbrida, micropermeabilidade, qualidade e habilidade de selamento dos tags de resina e, ainda, localização e extensão de fendas. Para o teste de resistência adesiva, os dentes foram restaurados, de acordo com as combinações de fonte de luz, e armazenados por 24 horas a 37 °C. Em seguida os dentes foram seccionados e submetidos ao teste de microtração. Realizou-se ainda a análise dos parâmetros de cinética de conversão de monômeros (conversão total, taxa máxima de conversão, conversão na máxima taxa, tempo em que ocorreu a máxima taxa e relação conversão na máxima taxa/conversão total) em um espectrofotômetro de raios infravermelho, ao qual foram aplicados os mesmos materiais restauradores que foram polimerizados com as diferentes fontes de luz. Para as avaliações qualitativas foi realizado o teste estatístico Kruskal-Wallis e o teste de Dunnet para comparações múltiplas (&#945; = 0,05). Para as avaliações quantitativas foi realizada análise de variância e teste de Tukey para comparações múltiplas (&#945; = 0,05). Da análise dos resultados, observou-se que as fontes de luz utilizadas influenciaram nos parâmetros de cinética de conversão de monômeros. De forma geral, ocorreu uma relação inversa entre a conversão total e a densidade de potência quando se polimerizou o sistema adesivo. Na resina composta base, houve uma relação direta. Para ambos os materiais houve uma maior taxa máxima de conversão, em um menor tempo, proporcional à densidade de potência dos aparelhos. Quanto aos parâmetros de micromorfologia, não se observou diferença siginificante entre os grupos experimentais em relação à espessura e qualidade de camada híbrida. Em relação à espessura da camada de adesivo, observaram-se maiores espessuras quando o sistema adesivo foi polimerizado com o PAC. Para a micropermeabilidade, também não se observou diferença entre os grupos. Também, não se observou diferença siginificante em relação à qualidade e habilidade de selamento dos tags de resina. Em relação à presença de fendas, quando o PAC polimerizou o sistema adesivo, menores porcentagens de piores escores e menores extensões de fendas foram observadas. A combinação PAC/QTH apresentou valores significantemente maiores de resistência adesiva e LED/QTH, as menores. A espessura da camada de adesivo, localização de fendas e resistência adesiva foram significantemente influenciados pela fonte de luz que polimerizou o sistema adesivo, sendo que, quando o PAC foi utilizado, melhores resultados foram observados. As combinações de mesma fonte de luz apresentaram, de forma geral, resultados similares. As diferentes fontes de luz fotoativadoras influenciam na resistência de união adesiva e em alguns parâmetros da micromorfologia da interface de restaurações de resina composta. / The purpose of the present in vitro study was to evaluate the effect of different light-curing sources on interfacial micromorphology and on bond strength of resin composite restorations. Class I preparations (6.0 mm long, 4.5 mm wide, 2.5 mm deep) were made in extracted human third molars, after abrading cusps, following university approved HAC guidelines. Restorations were placed in bulk, using a dentin bonding agent (DBA) / resin composite (RC): Adper Single Bond / Filtek Z250. Restoratives were light-cured as follows: XL 3000 (QTH: 540 mW/cm2); Elipar FreeLight2 (LED: 750 mW/cm2); Arc Light II (PAC: 2,130 mW/cm2). Nine experimental groups were developed from the different light combinations with respect to curing the DBA/COMP: QTH/QTH; QTH/LED; QTH/PAC; LED/LED; LED/QTH; LED/PAC; PAC/PAC; PAC/QTH; PAC/LED. Fluorescing agent (Rhodamine B) was added to the DBA, highlighting the bonded interface and surrounding structures. A different colored dye (FTIC-Dextran) was placed in the pulp chamber for 3 hours, allowing time to diffuse toward the different-colored interface. The teeth were then embedded, sectioned, and microscopically analyzed using fluorescence microscopy (Two-Photon Laser) at 40x magnification. Micromorphology quantitative and qualitative evaluations were: quality and thickness of hybrid layer; micropermeability test, adhesive layer thickness; quality and sealing ability of resin tags; location and extension of gaps. For bond strength test, the same experimental groups were obtained. After restorative procedures, the teeth were stored in distilled water for 24 h at 37 °C. After this time period, resin layers were added to the restoration surface (providing same dentin/resin length), and then sectioned and subjected to microtensile test in a universal testing machine. Kinetics conversion parameters were also evaluated in an FT-IR spectrophotometer (total conversion, maximum rate of cure, time when maximum rate occurred, conversion at maximum rate, conversion at maximum rate/ total conversion ratio). The same restorative materials were applied to the ATR device, attached to the spectrophotometer, and then polymerized according to manufacturer’s instructions. Data was statistically analyzed as mentioned below. Statistical analyses revealed that different light sources influenced the kinetics conversion (one-way ANOVA, p< 0,05). It was found an inverse relation between power density and monomer conversion when polymerizing DBA. For resin composite (bottom), there was a positive relation between power density and total conversion. High intensity, broad banded PAC light produced higher maximum rate of cure (in %/s), in shorter times. In terms of micromorphology, no significant difference was found in terms of quality and thickness of hybrid layer (two-way ANOVA, p> 0.05). No significant difference was noted for in quality and in sealing ability of tags (Kruskal Wallis, p> 0.05). QTH/QTH presented higher percentages of best scores for both parameters. Adhesive layers were found to be significantly thicker when PAC light was used to polymerize DBA. Even thought it was also found no significance in micropermeability scores (Kruskal Wallis, p> 0.05), it was found higher percentage of best scores for control QTH/QTH. Photo-polymerizing DBA using PAC produced lower incidence of gap formation, irrespective of RC curing source. Combination PAC/QTH presented significantly higher bond strength and LED/QTH, the lower (two-way ANOVA, Dunnet’s pos-hoc test, p< 0.05). Part of interfacial micromorphology parameters and bond strength were more dependent on the photo-polymerization source used for dentin-bonding agent than for resin composite. Photo- polymerizing DBA using PAC produced best results for adhesive thickness, gap location, and bond strength. Although QTH/QTH, LED/LED, and PAC/PAC combinations produced similar general results, it was found inherent characteristics when analysing tested parameters. Different light curing units influence bond strength and some parameters of micromorphology.
4

Efeito de diferentes tratamentos de superfície na resistência de união adesiva em resina composta contaminada por saliva / EFFECT OF DIFFERENT SURFACE TREATMENTS IN SHEAR BOND STRENGTH OF COMPOSITE RESIN CONTAMINATED BY SALIVA

Adilson Yoshio Furuse 03 June 2005 (has links)
Avaliou-se a resistência adesiva ao cisalhamento de uma resina composta contaminada por saliva, com adição de novo incremento do mesmo material. 40 corpos-de-prova de uma resina composta nano-híbrida, confeccionados em uma matriz de resina epóxica, foram divididos em quatro grupos, cada um recebendo um tratamento de superfície. Em um dos grupos, a superfície não foi contaminada (Grupo 1 - controle). Para a confecção do segundo segmento do corpo-de-prova, utilizou-se uma matriz de Teflon de 3,5mm de diâmetro por 3,0mm de altura. Nos demais grupos, a superfície da resina composta foi contaminada com saliva e seca com ar comprimido, sendo os tratamentos estabelecidos da seguinte forma: Grupo 2 - resina composta inserida e polimerizada sobre a superfície contaminada; Grupo 3 - condicionamento com ácido fosfórico a 35%, aplicação de adesivo e inserção de resina composta; Grupo 4 - asperização com ponta diamantada, condicionamento com ácido fosfórico a 35%, aplicação de adesivo e inserção de resina composta. Após a confecção, os espécimes foram armazenados em água a 37oC durante 24h, sendo em seguida montados em uma máquina universal de ensaios para realização dos testes de resistência ao cisalhamento. Os resultados foram submetidos à análise de variância a um critério e ao teste de Tukey para comparação entre os grupos. Não houve diferença entre os grupos 3, 4 e controle (p < 0,05). A contaminação da superfície da resina com saliva (Grupo 2) diminuiu significativamente a resistência de união (p < 0,05). A análise em MEV dos espécimes do grupo 2 demonstrou a ocorrência de fraturas na interface adesiva em quase todos os corpos-de-prova (80%). Fraturas coesivas da resina inserida na matriz de resina epóxica puderam ser observadas em todos os espécimes dos Grupos 3 e 4. O método que emprega limpeza superficial com ácido e aplicação de um sistema adesivo demonstrou ser efetivo na recuperação da resistência adesiva a valores semelhantes à resistência coesiva do material / Shear bond strength between the contaminated composite resin surface and a new increment of the same material was analysed. Forty specimens of a nanohybrid composite, were divided into four groups. Each group received a surface treatment. In one of the groups, there was no surface contamination (Group 1 - control). The new increment of composite resin was inserted by placing a Teflon matrix (3.5mm height, 3mm diameter) over the already polymerized composite surface. For the other groups, the polymerized composite surface was contaminated with saliva and dried with air. Surface treatments were performed in the following way: Group 2 - new increment was inserted and polymerized directly on the contaminated surface; Group 3 - contaminated surface was treated with 35% phosphoric acid etching and adhesive was applied prior to the insertion of the new increment; Group 4 - diamond bur roughening, 35% phosphoric acid etching, adhesive application and insertion of the new composite increment. Specimens were stored in water at 37oC for 24h. After this period, specimens were mounted in a universal testing machine for the shear bond strength tests. Results were submitted to one way anova and Tukey test multiple comparison. No significant differences were detected between Groups 3, 4 and control (p < 0.05). Saliva contamination of resin surface (Group 2) significantly reduced shear bond strength (p < 0.05). SEM analysis in Group 2 demonstrated fractures at the interface in 80% of the specimens. Cohesive fractures in first increment of resin composite was observed in all specimens in Groups 3 and 4. Decontamination of resin surface with phosphoric acid followed by adhesive application, was an effective method to improve shear strength, reaching similar numbers to the cohesive resistance of the material
5

Mapeamento da variação regional da resistência adesiva em superfícies planas de dentina.

Terada, Raquel Sano Suga 22 February 2001 (has links)
O presente trabalho avaliou a influência das variações morfológicas do substrato dentinário na resistência de união à microtração de três sistemas adesivos resinosos: Clearfil Liner Bond 2V, One-Step e Single Bond, empregando como substrato superfícies planas de dentina. Para o preparo e exposição da superfície de dentina, o esmalte oclusal foi desgastado com lixas de carbureto de silício de granulação 320 e 600. Doze dentes foram tratados com um dos sistemas adesivos e foi aplicada uma camada de 1 centímetro de altura em resina composta Z100, pela técnica incremental. Após armazenagem em água destilada em estufa a 37ºC por 24 horas, os espécimes foram preparados para serem submetidos ao teste de microtração. Utilizando-se uma máquina de cortes seriados, os dentes foram fatiados em espessuras de aproximadamente 0,8 mm nos sentidos mésiodistal e vestíbulo-lingual, obtendo-se médias de áreas de adesão de 0,7 mm2. Foram obtidos, em média, 23 espécimes por dente. Identificando-se cada espécime através de um código de cores, a superfície de cada dente foi mapeada. Para a leitura da resistência de união, cada espécime em forma de “palito" foi afixado individualmente em um dispositivo de microtração, Bencor Multi-T, de modo a posicionar a área de adesão perpendicularmente ao longo eixo do espécime. Após o teste, o modo de fratura da interface adesiva foi avaliado. Os resultados obtidos permitiram concluir que existe uma variação regional da resistência de união em superfícies planas de dentina. Independentemente do sistema adesivo empregado, a variação da resistência de união encontrada em superfícies planas de dentina foi determinada por variações no substrato dentinário.Comparando-se a resistência de união entre os materiais, os sistemas One-Step (53,97 ± 12,58 MPa) e Single Bond (52,59 ± 17,67 MPa) apresentaram uma resistência semelhante e estatisticamente superior ao sistema Clearfil Liner Bond 2V (32,90 ± 12,43 MPa). Comparando-se a resistência de união à dentina central e à dentina periférica, os três materiais não apresentaram uma diferença estatisticamente significante. / The present work evaluated the influence of morphological variations of the dentinal substrate in the microtensile adhesive strength of three adhesive systems: Clearfil Liner Bond 2V, One-Step and Single Bond, using flat dentin surfaces. For the preparation and exposure of the dentin surface, the occlusal enamel was ground with 320 and 600 – grit SiC paper. The teeth were treated with one of the adhesive systems and a 1cm thick layer of Z100 resin composite was built up on the surface. After storage in distilled water at 37ºC for 24 hours, the specimens were prepared to be subjected to the microtensile test. With the aid of a micrometer the teeth were serially sectioned in both “x" and “y" directions to result in several bonded sticks of approximately 0.7 mm2 of cross-sectional area. Approximately twenty-three specimens per tooth were obtained. Each specimen was identified by a color code and the flat dentin surface was mapped. For the reading of the adhesive strength, each bonded stick was individually gluded to a Bencor Multi-T microtensile device with the adhesive area perpendicularly oriented to the long axis of the device. After testing, the mode of fracture of the adhesive interface was evaluated. The conclusions of this study were: there is a regional variance in the adhesive strenght on a flat dentin surface; regardless of the adhesive system used, the variation of the adhesive strength found on flat dentin surfaces was determined by variations in the dentinal substrate; when comparing the adhesive strength among the materials, One-Step (53,97 MPa ± 12,58) and Single Bond (52,59 MPa ± 17,67) systems presented a adhesive strength similar and statistically higher than the Clearfi Liner Bond 2V (32,90 MPa ± 12,43) system; when comparing the adhesive strength to both central and peripheral dentin, the three materials did not present any statistically significant differences.
6

Influência da fonte de luz fotoativadora na resistência de união e na micromorfologia da interface adesiva de restaurações de resina composta - Um estudo 'in vitro' com microscopia de fluorescência / Influence of light-curing sources on bond strength and on interfacial micromorphology of resin composite restorations – a fluorescence microscopy study

D'Alpino, Paulo Henrique Perlatti 07 April 2005 (has links)
Propôs-se avaliar a influência de diferentes fontes de luz fotoativadoras na micromorfologia e na resistência de união adesiva de restaurações de resina composta. Selecionaram-se terceiros molares hígidos que receberam preparos cavitários classe I (6,0 mm x 4,5 mm; 2,5 mm profundidade). A resina composta (Filtek Z250 - RC) foi inserida em incremento único após a aplicação e polimerização do sistema adesivo (Adper Single Bond - SB). Os materiais restauradores foram fotoativados com os seguintes aparelhos: XL 3000 (QTH: 540 mW/cm2); Elipar FreeLight 2 (LED: 750 mW/cm2) e Arc Light IIM (PAC: 2.130 mW/cm2). Nove grupos experimentais foram avaliados de acordo com as combinações de fonte de luz para fotoativar SB/RC: QTH/QTH; QTH/LED; QTH/PAC; LED/LED; LED/QTH; LED/PAC; PAC/PAC; PAC/QTH; PAC/LED. Para a análise da micromorfologia foi utilizada microscopia de fluorescência (Laser de Fóton Duplo), sendo que um corante fluorescente vermelho (Rodamina B) foi adicionado ao sistema adesivo. Além disso, utilizou-se uma solução de corante fluorescente verde (Dextran- Fluoresceína), que foi aplicada na câmara pulpar durante 4 horas, para que se difundisse em direção à interface. Os dentes foram então lavados, incluídos, seccionados e analisados microscopicamente. Os parâmetros analisados foram: espessura da camada de adesivo, espessura e qualidade da camada híbrida, micropermeabilidade, qualidade e habilidade de selamento dos tags de resina e, ainda, localização e extensão de fendas. Para o teste de resistência adesiva, os dentes foram restaurados, de acordo com as combinações de fonte de luz, e armazenados por 24 horas a 37 °C. Em seguida os dentes foram seccionados e submetidos ao teste de microtração. Realizou-se ainda a análise dos parâmetros de cinética de conversão de monômeros (conversão total, taxa máxima de conversão, conversão na máxima taxa, tempo em que ocorreu a máxima taxa e relação conversão na máxima taxa/conversão total) em um espectrofotômetro de raios infravermelho, ao qual foram aplicados os mesmos materiais restauradores que foram polimerizados com as diferentes fontes de luz. Para as avaliações qualitativas foi realizado o teste estatístico Kruskal-Wallis e o teste de Dunnet para comparações múltiplas (&#945; = 0,05). Para as avaliações quantitativas foi realizada análise de variância e teste de Tukey para comparações múltiplas (&#945; = 0,05). Da análise dos resultados, observou-se que as fontes de luz utilizadas influenciaram nos parâmetros de cinética de conversão de monômeros. De forma geral, ocorreu uma relação inversa entre a conversão total e a densidade de potência quando se polimerizou o sistema adesivo. Na resina composta base, houve uma relação direta. Para ambos os materiais houve uma maior taxa máxima de conversão, em um menor tempo, proporcional à densidade de potência dos aparelhos. Quanto aos parâmetros de micromorfologia, não se observou diferença siginificante entre os grupos experimentais em relação à espessura e qualidade de camada híbrida. Em relação à espessura da camada de adesivo, observaram-se maiores espessuras quando o sistema adesivo foi polimerizado com o PAC. Para a micropermeabilidade, também não se observou diferença entre os grupos. Também, não se observou diferença siginificante em relação à qualidade e habilidade de selamento dos tags de resina. Em relação à presença de fendas, quando o PAC polimerizou o sistema adesivo, menores porcentagens de piores escores e menores extensões de fendas foram observadas. A combinação PAC/QTH apresentou valores significantemente maiores de resistência adesiva e LED/QTH, as menores. A espessura da camada de adesivo, localização de fendas e resistência adesiva foram significantemente influenciados pela fonte de luz que polimerizou o sistema adesivo, sendo que, quando o PAC foi utilizado, melhores resultados foram observados. As combinações de mesma fonte de luz apresentaram, de forma geral, resultados similares. As diferentes fontes de luz fotoativadoras influenciam na resistência de união adesiva e em alguns parâmetros da micromorfologia da interface de restaurações de resina composta. / The purpose of the present in vitro study was to evaluate the effect of different light-curing sources on interfacial micromorphology and on bond strength of resin composite restorations. Class I preparations (6.0 mm long, 4.5 mm wide, 2.5 mm deep) were made in extracted human third molars, after abrading cusps, following university approved HAC guidelines. Restorations were placed in bulk, using a dentin bonding agent (DBA) / resin composite (RC): Adper Single Bond / Filtek Z250. Restoratives were light-cured as follows: XL 3000 (QTH: 540 mW/cm2); Elipar FreeLight2 (LED: 750 mW/cm2); Arc Light II (PAC: 2,130 mW/cm2). Nine experimental groups were developed from the different light combinations with respect to curing the DBA/COMP: QTH/QTH; QTH/LED; QTH/PAC; LED/LED; LED/QTH; LED/PAC; PAC/PAC; PAC/QTH; PAC/LED. Fluorescing agent (Rhodamine B) was added to the DBA, highlighting the bonded interface and surrounding structures. A different colored dye (FTIC-Dextran) was placed in the pulp chamber for 3 hours, allowing time to diffuse toward the different-colored interface. The teeth were then embedded, sectioned, and microscopically analyzed using fluorescence microscopy (Two-Photon Laser) at 40x magnification. Micromorphology quantitative and qualitative evaluations were: quality and thickness of hybrid layer; micropermeability test, adhesive layer thickness; quality and sealing ability of resin tags; location and extension of gaps. For bond strength test, the same experimental groups were obtained. After restorative procedures, the teeth were stored in distilled water for 24 h at 37 °C. After this time period, resin layers were added to the restoration surface (providing same dentin/resin length), and then sectioned and subjected to microtensile test in a universal testing machine. Kinetics conversion parameters were also evaluated in an FT-IR spectrophotometer (total conversion, maximum rate of cure, time when maximum rate occurred, conversion at maximum rate, conversion at maximum rate/ total conversion ratio). The same restorative materials were applied to the ATR device, attached to the spectrophotometer, and then polymerized according to manufacturer’s instructions. Data was statistically analyzed as mentioned below. Statistical analyses revealed that different light sources influenced the kinetics conversion (one-way ANOVA, p< 0,05). It was found an inverse relation between power density and monomer conversion when polymerizing DBA. For resin composite (bottom), there was a positive relation between power density and total conversion. High intensity, broad banded PAC light produced higher maximum rate of cure (in %/s), in shorter times. In terms of micromorphology, no significant difference was found in terms of quality and thickness of hybrid layer (two-way ANOVA, p> 0.05). No significant difference was noted for in quality and in sealing ability of tags (Kruskal Wallis, p> 0.05). QTH/QTH presented higher percentages of best scores for both parameters. Adhesive layers were found to be significantly thicker when PAC light was used to polymerize DBA. Even thought it was also found no significance in micropermeability scores (Kruskal Wallis, p> 0.05), it was found higher percentage of best scores for control QTH/QTH. Photo-polymerizing DBA using PAC produced lower incidence of gap formation, irrespective of RC curing source. Combination PAC/QTH presented significantly higher bond strength and LED/QTH, the lower (two-way ANOVA, Dunnet’s pos-hoc test, p< 0.05). Part of interfacial micromorphology parameters and bond strength were more dependent on the photo-polymerization source used for dentin-bonding agent than for resin composite. Photo- polymerizing DBA using PAC produced best results for adhesive thickness, gap location, and bond strength. Although QTH/QTH, LED/LED, and PAC/PAC combinations produced similar general results, it was found inherent characteristics when analysing tested parameters. Different light curing units influence bond strength and some parameters of micromorphology.
7

Efeito de diferentes tratamentos de superfície na resistência de união adesiva em resina composta contaminada por saliva / EFFECT OF DIFFERENT SURFACE TREATMENTS IN SHEAR BOND STRENGTH OF COMPOSITE RESIN CONTAMINATED BY SALIVA

Furuse, Adilson Yoshio 03 June 2005 (has links)
Avaliou-se a resistência adesiva ao cisalhamento de uma resina composta contaminada por saliva, com adição de novo incremento do mesmo material. 40 corpos-de-prova de uma resina composta nano-híbrida, confeccionados em uma matriz de resina epóxica, foram divididos em quatro grupos, cada um recebendo um tratamento de superfície. Em um dos grupos, a superfície não foi contaminada (Grupo 1 - controle). Para a confecção do segundo segmento do corpo-de-prova, utilizou-se uma matriz de Teflon de 3,5mm de diâmetro por 3,0mm de altura. Nos demais grupos, a superfície da resina composta foi contaminada com saliva e seca com ar comprimido, sendo os tratamentos estabelecidos da seguinte forma: Grupo 2 - resina composta inserida e polimerizada sobre a superfície contaminada; Grupo 3 - condicionamento com ácido fosfórico a 35%, aplicação de adesivo e inserção de resina composta; Grupo 4 - asperização com ponta diamantada, condicionamento com ácido fosfórico a 35%, aplicação de adesivo e inserção de resina composta. Após a confecção, os espécimes foram armazenados em água a 37oC durante 24h, sendo em seguida montados em uma máquina universal de ensaios para realização dos testes de resistência ao cisalhamento. Os resultados foram submetidos à análise de variância a um critério e ao teste de Tukey para comparação entre os grupos. Não houve diferença entre os grupos 3, 4 e controle (p < 0,05). A contaminação da superfície da resina com saliva (Grupo 2) diminuiu significativamente a resistência de união (p < 0,05). A análise em MEV dos espécimes do grupo 2 demonstrou a ocorrência de fraturas na interface adesiva em quase todos os corpos-de-prova (80%). Fraturas coesivas da resina inserida na matriz de resina epóxica puderam ser observadas em todos os espécimes dos Grupos 3 e 4. O método que emprega limpeza superficial com ácido e aplicação de um sistema adesivo demonstrou ser efetivo na recuperação da resistência adesiva a valores semelhantes à resistência coesiva do material / Shear bond strength between the contaminated composite resin surface and a new increment of the same material was analysed. Forty specimens of a nanohybrid composite, were divided into four groups. Each group received a surface treatment. In one of the groups, there was no surface contamination (Group 1 - control). The new increment of composite resin was inserted by placing a Teflon matrix (3.5mm height, 3mm diameter) over the already polymerized composite surface. For the other groups, the polymerized composite surface was contaminated with saliva and dried with air. Surface treatments were performed in the following way: Group 2 - new increment was inserted and polymerized directly on the contaminated surface; Group 3 - contaminated surface was treated with 35% phosphoric acid etching and adhesive was applied prior to the insertion of the new increment; Group 4 - diamond bur roughening, 35% phosphoric acid etching, adhesive application and insertion of the new composite increment. Specimens were stored in water at 37oC for 24h. After this period, specimens were mounted in a universal testing machine for the shear bond strength tests. Results were submitted to one way anova and Tukey test multiple comparison. No significant differences were detected between Groups 3, 4 and control (p < 0.05). Saliva contamination of resin surface (Group 2) significantly reduced shear bond strength (p < 0.05). SEM analysis in Group 2 demonstrated fractures at the interface in 80% of the specimens. Cohesive fractures in first increment of resin composite was observed in all specimens in Groups 3 and 4. Decontamination of resin surface with phosphoric acid followed by adhesive application, was an effective method to improve shear strength, reaching similar numbers to the cohesive resistance of the material
8

\"Influência da fluorose dental na resistência de união de sistemas adesivos ao esmalte: análise em microscopia eletrônica de varredura e teste de microtração\" / Influence of dental fluorosis on the bond strength of adhesive system to enamel

Luciana Faria Sanglard Peixoto 11 December 2006 (has links)
Objetivou-se observar a influência da fluorose dental nas características do padrão de condicionamento ácido e na penetração de sistemas adesivos no esmalte, por microscopia eletrônica de varredura (MEV) e na resistência de união de sistemas adesivos ao esmalte, por teste de microtração. Para tal, 196 dentes permanentes posteriores foram classificados seguindo o Índice Thylstrup e Fejerskov (TF= 0, 1 e 4), sendo selecionados 69 deles. Adesivos de 2 passos, um autocondicionante, Clearfil SE Bond®, e um de condicionamento ácido total, Adper Single Bond 2® foram usados. Para análise em MEV do padrão de condicionamento e das réplicas de resina, 27 pré-molares foram seccionados no sentido mesiodistal e divididos em 9 grupos (n=3). As superfícies vestibulares foram selecionadas e seccionadas no sentido longitudinal, sendo metade para cada análise. Os espécimes pertencentes ao grupo do ácido fosfórico foram condicionados com tempos de 15 ou 60 segundos, lavados com ar/água por 20 segundos e secos. Os espécimes do grupo Clearfil SE Bond® receberam aplicação do primer do material, e em seguida, tratamento para removê-lo. Para obter as réplicas de resina, as superfícies foram delimitadas (2x2mm) com fita isolante, tratadas com cada adesivo, e submetidas à construção de bloco de resina (Filtek Z250TM ? 3M do Brasil) com 2 mm de altura. Esses espécimes foram imersos em HCl a 18% por 48h e lavados com água destilada em ultra-som por 15 minutos. O teste de microtração foi realizado na superfície vestibular intacta de 42 terceiros molares divididos em 7 grupos e subdivididos de acordo com grau de fluorose e com sistemas adesivos sendo que no grupo TF4 foram usados dois tempos condicionamento (15 e 60 segundos). Após profilaxia com pedra-pomes, lavagem e secagem, procedeu-se à aplicação dos sistemas adesivos. e construção de bloco de resina composta Filtek Z250TM (3M ESPE) de 5x5x5mm sobre a superfície tratada. Após 24h, os blocos foram seccionados no sentido X e Y perpendiculares à interface de união, obtendo-se palitos com área aproximada de 1mm2. Os palitos foram submetidos às forças de tração à velocidade de 1mm/min e os valores obtidos à Análise de Variância (p<0,05). As superfícies condicionadas, as réplicas e palitos fraturados foram processados para análise em MEV. Houve diferença estatística significativa entre os adesivos (p = 0,008), sendo que o Single Bond 2® apresentou os maiores valores de resistência de união. A severidade da fluorose não influenciou nos valores de resistência de união, no padrão de condicionamento ou na formação de tags de resina. O aumento do tempo de condicionamento, testado em TF4 influenciou na resistência de união, mostrando menores valores em 60 segundos. Concluiu-se que o adesivo de condicionamento ácido total mostrou-se melhor que o autocondicionante em termos de resistência de união, padrão de condicionamento e penetração de sistemas adesivos, independentemente do grau de fluorose. O aumento do tempo de condicionamento na fluorose mais severa (TF4) prejudicou a resistência de união. / The purpose of this study was to observe the influence of dental fluorosis on the characteristics of the acid etch pattern and penetration of adhesive systems into enamel, by means of scanning electron microscopy (SEM), and on the bond strength of adhesive systems to enamel, through microtensile testing. In order to do so, 196 permanent posterior teeth were classified according to the Thylstrup and Fejerskov Index (TF= 0.1 and 4) and 69 of them were selected. Two-steps adhesive systems, one self-etching, Clearfil SE Bond®, and one total-etching, Adper Single Bond 2®, were used. For SEM analysis of the etch pattern and of the resin replicas, 27 premolars were sectioned mesiodistally and divided into 9 groups (n=3). The buccal surfaces were selected and longitudinally sectioned, using the half for each analysis. Specimens of the phosphoric acid gel at 37% (Magic acid®) group were etched using the two etching times (15 and 60 seconds), washed with air/water for 20 seconds and dried. Specimens of the Clearfil SE Bond® group received application of the material?s primer followed by a treatment to remove it. In order to obtain the resin replicas, the surfaces were outlined (2x2mm) using insulating tape, they were treated with each adhesive and underwent the building of a resin block (Filtek Z250TM ? 3M ESPE Brazil) of 2mm height. These specimens were immersed in 18% HCl for 48 hours and washed with distilled water under ultrasonication for 15 minutes. Microtensile testing was conducted on the intact buccal surface of 42 third molars that were divided into 7 groups and subdivided according to the degree of fluorosis and to the type of adhesive system, being that two etch times (15 and 60 seconds) were used in the TF4 group. After prophylaxis with pumice, washing and drying, the adhesive systems were applied and the composite resin blocks (Filtek Z250TM ? 3M ESPE Brazil) of 5x5mm were built upon a treated surface. After 24 hours, the blocks were sectioned in the X and Y directions perpendicular to the bond interface in order to obtain stick-shaped specimens with an area of approximately 1mm2. The sticks were submitted to tensile forces at a speed of 1mm/min and the values obtained underwent variance analysis (p<0.05). The etched surfaces, the replicas and fractured sticks were processed for analysis by SEM. There was a statistically significant difference between the adhesives (p = 0.008), being that Single Bond 2® presented the highest bond strength values. The severity of fluorosis did not influence the bond strength values, the etch pattern or the formation of resin tags. The increase in etch time, tested in TF4, influenced the bond strength, showing lower values for the 60 seconds time. In conclusion, the total-etch adhesive presented better results than the self-etch one in terms of bond strength, etch pattern and penetration of adhesive systems, regardless of the degree of fluorosis. The increase in etch time for the most severe fluorosis (TF4) cases impaired bond strength.
9

Tratamento de superfície e adesão em materiais vitrocerâmicos experimentais para aplicação odontológica / Surface treatment and bonding in experimental glass-ceramic materials for dental application

Gustavo Henrique Barbosa de Andrade 03 September 2015 (has links)
Materiais cerâmicos têm sido utilizados rotineiramente na clínica restauradora. A capacidade de adesão à sistemas adesivos de cimentação é um dos fatores críticos para o sucesso clínico. O objetivo do presente estudo foi avaliar as propriedades de adesão à um sistema de cimentação adesiva de dois materiais vitrocerâmicos experimentais, sendo um reforçado por dissilicato de lítio (D) e outro por metassilicato de lítio (M) para aplicação odontológica. Para tal, objetivou-se determinar a influência de diferentes tratamentos de superfície na resistência de união a um sistema de cimentação adesiva através de ensaios de microtração e caracterizar as alterações morfológicas decorrentes dos diferentes tratamentos de superfície testados. Três tratamentos de superfícies para cada material experimental foram selecionados: 1- jateamento com partículas de Al2O3 (J), 2- ataque ácido com ácido hidrofluorídrico a 10% por 20 segundos (20) e 3- ataque ácido com ácido hidrofluorídrico a 10% por 60 segundos (60). Um grupo do material comercial IPS e.max CAD (Ivoclar-Vivadent) foi utilizado como controle, seguindo as instruções do fabricante para o tratamento de superfície. As alterações morfológicas na superfície das cerâmicas foram analisadas por microscopia eletrônica de varredura (MEV) e demonstraram que os materiais experimentais são ácido sensíveis e sofreram modificações topográficas com o jateamento. Para os ensaios de microtração, os blocos das cerâmicas experimental e comercial tiveram suas superfícies condicionadas e silanizadas com o Agente Silano Relyx Ceramic Primer (3M ESPE), e posteriormente foram cimentados a blocos de resina composta Filtek Z100 (3M ESPE) com o cimento resinoso RelyX ARC (3M ESPE). Tais conjuntos foram seccionados, originando espécimes em forma de palito, com 1mm2 de área de secção transversal e submetidos ao ensaio de microtração. A análise estatística dos dados foi realizada por meio do teste de O teste utilizado foi o de Análise de Variância a um critério (One-Way ANOVA), adotando nível de significância de &#x3B1;=5%, O teste de Bonferroni foi utilizado para comparações múltiplas, demonstrando que os grupos D20 e M60 apresentaram melhores resultados de resistência de união. D20 não apresentou diferença estatística em relação ao grupo controle e M60 demonstrou resistência de união significantemente maior que o material comercial do grupo controle; levando, portanto, à conclusão de que os materiais experimentais testados apresentam características adequadas de adesão ao sistema de cimentação adesiva utilizado. / Ceramic materials have been routinely used in restorative clinic. The adhesion capacity to adhesive cementation systems is a critical factor for clinical success. The main objective of the present study was to evaluate the adhesion properties to an adhesive cementation system of two experimental vitroceramic materials, a reinforced by lithium dissilicate (D) and another by lithium metasilicate (M) for dental application. For this purpose, the objective was to determine the influence of different surface treatments on bond strength to an adhesive cementation system through microtensile tests and characterize morphological changes resulting from the different surface treatments tested. Three surface treatments for each experimental material were selected: 1- blasting with Al2O3 particles (J), 2- etching with hydrofluoric acid 10% by 20 seconds (20) and 3- etching with hydrofluoric acid 10% for 60 seconds (60). A group of the commercial material, IPS e.max CAD (Ivoclar-Vivadent) was used as control, following the manufacturer\'s instructions for surface treatment. Morphological changes on the surface of the ceramics were analyzed by scanning electron microscopy (SEM) and demonstrated that experimental materials are acid sensitive and suffered topographical changes with the blasting. For the microtensile tests, the blocks of experimental and commercial ceramics had their surfaces conditioned and silanized with Silane agent Relyx Ceramic Primer (3M ESPE), and then they were cemented to resin composite blocks (Z100 Filtek blocks - 3M ESPE) with the resin cement, RelyX ARC (3 m ESPE). These sets were sectioned, resulting in stick-shaped specimens, with 1 mm2 cross sectional area and submitted to the microtensile tests. The test used was the analysis of variance to a criterion (One-Way ANOVA), adopting a significance level of &#x3B1; = 5%, the Bonferroni test was used for multiple comparisons, demonstrating that the D20 and M60 showed best results of bond strength. D20 showed no statistical difference in relation to the control group and M60 demonstrated significantly bond streght better than the commercial material of the control group; leading to the conclusion that the experimental material tested has appropriate characteristics of adhesion to the cementation system used.
10

\"Influência da fluorose dental na resistência de união de sistemas adesivos ao esmalte: análise em microscopia eletrônica de varredura e teste de microtração\" / Influence of dental fluorosis on the bond strength of adhesive system to enamel

Peixoto, Luciana Faria Sanglard 11 December 2006 (has links)
Objetivou-se observar a influência da fluorose dental nas características do padrão de condicionamento ácido e na penetração de sistemas adesivos no esmalte, por microscopia eletrônica de varredura (MEV) e na resistência de união de sistemas adesivos ao esmalte, por teste de microtração. Para tal, 196 dentes permanentes posteriores foram classificados seguindo o Índice Thylstrup e Fejerskov (TF= 0, 1 e 4), sendo selecionados 69 deles. Adesivos de 2 passos, um autocondicionante, Clearfil SE Bond®, e um de condicionamento ácido total, Adper Single Bond 2® foram usados. Para análise em MEV do padrão de condicionamento e das réplicas de resina, 27 pré-molares foram seccionados no sentido mesiodistal e divididos em 9 grupos (n=3). As superfícies vestibulares foram selecionadas e seccionadas no sentido longitudinal, sendo metade para cada análise. Os espécimes pertencentes ao grupo do ácido fosfórico foram condicionados com tempos de 15 ou 60 segundos, lavados com ar/água por 20 segundos e secos. Os espécimes do grupo Clearfil SE Bond® receberam aplicação do primer do material, e em seguida, tratamento para removê-lo. Para obter as réplicas de resina, as superfícies foram delimitadas (2x2mm) com fita isolante, tratadas com cada adesivo, e submetidas à construção de bloco de resina (Filtek Z250TM ? 3M do Brasil) com 2 mm de altura. Esses espécimes foram imersos em HCl a 18% por 48h e lavados com água destilada em ultra-som por 15 minutos. O teste de microtração foi realizado na superfície vestibular intacta de 42 terceiros molares divididos em 7 grupos e subdivididos de acordo com grau de fluorose e com sistemas adesivos sendo que no grupo TF4 foram usados dois tempos condicionamento (15 e 60 segundos). Após profilaxia com pedra-pomes, lavagem e secagem, procedeu-se à aplicação dos sistemas adesivos. e construção de bloco de resina composta Filtek Z250TM (3M ESPE) de 5x5x5mm sobre a superfície tratada. Após 24h, os blocos foram seccionados no sentido X e Y perpendiculares à interface de união, obtendo-se palitos com área aproximada de 1mm2. Os palitos foram submetidos às forças de tração à velocidade de 1mm/min e os valores obtidos à Análise de Variância (p<0,05). As superfícies condicionadas, as réplicas e palitos fraturados foram processados para análise em MEV. Houve diferença estatística significativa entre os adesivos (p = 0,008), sendo que o Single Bond 2® apresentou os maiores valores de resistência de união. A severidade da fluorose não influenciou nos valores de resistência de união, no padrão de condicionamento ou na formação de tags de resina. O aumento do tempo de condicionamento, testado em TF4 influenciou na resistência de união, mostrando menores valores em 60 segundos. Concluiu-se que o adesivo de condicionamento ácido total mostrou-se melhor que o autocondicionante em termos de resistência de união, padrão de condicionamento e penetração de sistemas adesivos, independentemente do grau de fluorose. O aumento do tempo de condicionamento na fluorose mais severa (TF4) prejudicou a resistência de união. / The purpose of this study was to observe the influence of dental fluorosis on the characteristics of the acid etch pattern and penetration of adhesive systems into enamel, by means of scanning electron microscopy (SEM), and on the bond strength of adhesive systems to enamel, through microtensile testing. In order to do so, 196 permanent posterior teeth were classified according to the Thylstrup and Fejerskov Index (TF= 0.1 and 4) and 69 of them were selected. Two-steps adhesive systems, one self-etching, Clearfil SE Bond®, and one total-etching, Adper Single Bond 2®, were used. For SEM analysis of the etch pattern and of the resin replicas, 27 premolars were sectioned mesiodistally and divided into 9 groups (n=3). The buccal surfaces were selected and longitudinally sectioned, using the half for each analysis. Specimens of the phosphoric acid gel at 37% (Magic acid®) group were etched using the two etching times (15 and 60 seconds), washed with air/water for 20 seconds and dried. Specimens of the Clearfil SE Bond® group received application of the material?s primer followed by a treatment to remove it. In order to obtain the resin replicas, the surfaces were outlined (2x2mm) using insulating tape, they were treated with each adhesive and underwent the building of a resin block (Filtek Z250TM ? 3M ESPE Brazil) of 2mm height. These specimens were immersed in 18% HCl for 48 hours and washed with distilled water under ultrasonication for 15 minutes. Microtensile testing was conducted on the intact buccal surface of 42 third molars that were divided into 7 groups and subdivided according to the degree of fluorosis and to the type of adhesive system, being that two etch times (15 and 60 seconds) were used in the TF4 group. After prophylaxis with pumice, washing and drying, the adhesive systems were applied and the composite resin blocks (Filtek Z250TM ? 3M ESPE Brazil) of 5x5mm were built upon a treated surface. After 24 hours, the blocks were sectioned in the X and Y directions perpendicular to the bond interface in order to obtain stick-shaped specimens with an area of approximately 1mm2. The sticks were submitted to tensile forces at a speed of 1mm/min and the values obtained underwent variance analysis (p<0.05). The etched surfaces, the replicas and fractured sticks were processed for analysis by SEM. There was a statistically significant difference between the adhesives (p = 0.008), being that Single Bond 2® presented the highest bond strength values. The severity of fluorosis did not influence the bond strength values, the etch pattern or the formation of resin tags. The increase in etch time, tested in TF4, influenced the bond strength, showing lower values for the 60 seconds time. In conclusion, the total-etch adhesive presented better results than the self-etch one in terms of bond strength, etch pattern and penetration of adhesive systems, regardless of the degree of fluorosis. The increase in etch time for the most severe fluorosis (TF4) cases impaired bond strength.

Page generated in 0.0838 seconds