• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 45
  • Tagged with
  • 45
  • 45
  • 39
  • 38
  • 18
  • 14
  • 14
  • 13
  • 11
  • 10
  • 10
  • 9
  • 9
  • 9
  • 7
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Estabilidade da interface de união de sistemas adesivos convencionais aplicados à dentina saturada com alcoóis / Stability of interface created by simplified etch-and-rinse adhesives to alcohol-saturated acid-etched dentin

Barros, Lívia de Oliveira January 2011 (has links)
BARROS, Lívia de Oliveira. Estabilidade da interface de união de sistemas adesivos convencionais aplicados à dentina saturada com alcoóis. 2011. 50 f. Dissertação (Mestrado em Odontologia) - Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2011. / Submitted by denise santos (denise.santos@ufc.br) on 2015-10-21T15:16:50Z No. of bitstreams: 1 2011_dis_lobarros.pdf: 840593 bytes, checksum: bb384edc1f750fa69323f9aa3daf978b (MD5) / Approved for entry into archive by denise santos(denise.santos@ufc.br) on 2015-10-21T15:25:42Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2011_dis_lobarros.pdf: 840593 bytes, checksum: bb384edc1f750fa69323f9aa3daf978b (MD5) / Made available in DSpace on 2015-10-21T15:25:42Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2011_dis_lobarros.pdf: 840593 bytes, checksum: bb384edc1f750fa69323f9aa3daf978b (MD5) Previous issue date: 2011 / There is a consensus that the resin-dentin bond instability is correlated with increased hydrophilic resin monomer content in dentin adhesive. Thus, more durable bonds could be created when more hydrophobic resins were used. One way to bond hydrophobic monomers to acid-etched dentin is saturating the demineralized dentin with ethanol instead of water (ethanol-wet bonding technique). The objective of this in vitro study was to evaluate the effect of “alcohol wet bonding” technique on the stability of adhesive interface produced by two-step etch-and-rinse adhesives systems. For this, it was used 20 human third molars that had superficial dentin exposed and were randomly divided into four experimental groups (n=5): Adper Single Bond 2 (SB) bonded to acid-etched dentin saturated with water or ethanol; and XP Bond (XP) bonded acid-etched dentin saturated with water or 99.5% tert-butanol. The simplified dentin dehydration protocol was performed using 2 μl 100% ethanol or 99.5% tert-butanol directly applied in dentin for 60 s. Composite build-ups were built on dentin surface and specimens were cut into non-trimming dentin-composite beams to microtensile testing. Beams from each tooth were divided equally in two subgroups: immediately tested and aged by immersion in 10% NaOCl solution for 1 h. Specimens were pulled until failure at crosshead speed of 1 mm/min and bond strength was calculated. Fractured sticks were analyzed and classified according to the failure mode as mixed, adhesive, cohesive in dentin and cohesive in composite; and expressed in percentage. Data from μTBS test were statistically analyzed using three-way ANOVA and Tukey tests (α=0.05). Additional dentin disks were bonded using the same groups tested and the morphological characteristics of adhesive interface were investigated by light microscopy after immersion in ammoniacal silver nitrate solution. μTBS results showed that NaOCl solution reduced significantly bond strength comparing with the control groups (p<0.05) and increased the silver nitrate interfacial deposit for all adhesives tested. SB used in ethanol saturated-dentin showed significant lower bond strength values in comparison with SB control group, and this same tendency was observed in the silver nitrate deposition. The use of tert-butanol did not influence XP bond strengths values and silver nitrate deposits. Conclusion: The “alcohol wet bonding” simplified technique used in the present study was not able to improve resin-dentin bond stability for simplified etch-and-rinse adhesive systems. / Existe um consenso de que a instabilidade da interface de união resina-dentina está relacionada com a quantidade de monômeros hidrofílicos presentes no sistema adesivo. Dessa forma, interfaces adesivas mais duradouras seriam alcançadas com a utilização de sistemas adesivos mais hidrofóbicos. Uma maneira de unir monômeros hidrófobos à dentina é através da saturação da matriz dentinária desmineralizada por etanol ao invés de água (ethanol-wet bonding technique). O objetivo deste trabalho in vitro foi avaliar o efeito do protocolo de saturação dentinária, utilizando alcoóis, na estabilidade da interface de união produzida por sistemas adesivos convencionais de dois passos. Para isso, foram utilizados 20 terceiros molares humanos, que tiveram a dentina coronária exposta e foram distribuídos aleatoriamente em quatro grupos experimentais (n=5): Adper Single Bond 2 (SB) aplicado sobre dentina saturada com água ou etanol; e XP Bond (XP) aplicado sobre dentina saturada com água ou tert-butanol. O protocolo de saturação da dentina foi realizado através da aplicação de 2 μl de etanol 100% ou tert-butanol 99,5% diretamente sobre a dentina por um período de 60 s. Um platô de resina composta foi confeccionado sobre superfície dentinária após a aplicação do sistema adesivo e os espécimes foram cortados pela técnica non-trimming de obtenção de palitos para o teste de microtração. Os palitos de cada dente foram igualmente divididos em dois subgrupos: imediatamente testado ou envelhecido em solução de NaOCl a 10% por 1 hora. Os espécimes foram tracionados até a ruptura da união a uma velocidade de 1 mm/min e sua força de união mensurada. Os palitos fraturados foram analisados e classificados de acordo com o modo de fratura em mista, adesiva, coesiva em dentina e coesiva em compósito, e os valores expressos em porcentagem. Os valores de resistência de união foram estatisticamente analisados usando os testes ANOVA a três critérios e Tukey (α=0.05). Discos extras de dentina foram submetidos aos procedimentos adesivos de cada grupo testado e utilizados para investigar as características morfológicas da interface de união através de microscopia óptica após imersão em solução amonical de nitrato de prata. Os resultados do teste de microtração mostraram que a imersão em solução de NaOCl reduziu significativamente a força de união em comparação aos grupos controle (p<0.05) e aumentou a nanoinfiltração das interfaces adesivas de todos os sistemas adesivos testados. A saturação da dentina com etanol 100% reduziu os valores de resistência adesiva para SB quando comparado ao grupo controle, e esta mesma tendência foi observada na infiltração de prata. O uso do tert-butanol 99,5% não afetou os valores de resistência adesiva para o XP, assim como a deposição de nitrato de prata na interface adesiva. Conclusão: Os protocolos simplificados de saturação da dentina com alcoóis utilizados no presente estudo não foram capazes de melhorar a estabilidade da interface de união para sistemas adesivos convencionais de dois passos.
2

Mapeamento da variação regional da resistência adesiva em superfícies planas de dentina.

Raquel Sano Suga Terada 22 February 2001 (has links)
O presente trabalho avaliou a influência das variações morfológicas do substrato dentinário na resistência de união à microtração de três sistemas adesivos resinosos: Clearfil Liner Bond 2V, One-Step e Single Bond, empregando como substrato superfícies planas de dentina. Para o preparo e exposição da superfície de dentina, o esmalte oclusal foi desgastado com lixas de carbureto de silício de granulação 320 e 600. Doze dentes foram tratados com um dos sistemas adesivos e foi aplicada uma camada de 1 centímetro de altura em resina composta Z100, pela técnica incremental. Após armazenagem em água destilada em estufa a 37ºC por 24 horas, os espécimes foram preparados para serem submetidos ao teste de microtração. Utilizando-se uma máquina de cortes seriados, os dentes foram fatiados em espessuras de aproximadamente 0,8 mm nos sentidos mésiodistal e vestíbulo-lingual, obtendo-se médias de áreas de adesão de 0,7 mm2. Foram obtidos, em média, 23 espécimes por dente. Identificando-se cada espécime através de um código de cores, a superfície de cada dente foi mapeada. Para a leitura da resistência de união, cada espécime em forma de “palito” foi afixado individualmente em um dispositivo de microtração, Bencor Multi-T, de modo a posicionar a área de adesão perpendicularmente ao longo eixo do espécime. Após o teste, o modo de fratura da interface adesiva foi avaliado. Os resultados obtidos permitiram concluir que existe uma variação regional da resistência de união em superfícies planas de dentina. Independentemente do sistema adesivo empregado, a variação da resistência de união encontrada em superfícies planas de dentina foi determinada por variações no substrato dentinário.Comparando-se a resistência de união entre os materiais, os sistemas One-Step (53,97 ± 12,58 MPa) e Single Bond (52,59 ± 17,67 MPa) apresentaram uma resistência semelhante e estatisticamente superior ao sistema Clearfil Liner Bond 2V (32,90 ± 12,43 MPa). Comparando-se a resistência de união à dentina central e à dentina periférica, os três materiais não apresentaram uma diferença estatisticamente significante. / The present work evaluated the influence of morphological variations of the dentinal substrate in the microtensile adhesive strength of three adhesive systems: Clearfil Liner Bond 2V, One-Step and Single Bond, using flat dentin surfaces. For the preparation and exposure of the dentin surface, the occlusal enamel was ground with 320 and 600 – grit SiC paper. The teeth were treated with one of the adhesive systems and a 1cm thick layer of Z100 resin composite was built up on the surface. After storage in distilled water at 37ºC for 24 hours, the specimens were prepared to be subjected to the microtensile test. With the aid of a micrometer the teeth were serially sectioned in both “x” and “y” directions to result in several bonded sticks of approximately 0.7 mm2 of cross-sectional area. Approximately twenty-three specimens per tooth were obtained. Each specimen was identified by a color code and the flat dentin surface was mapped. For the reading of the adhesive strength, each bonded stick was individually gluded to a Bencor Multi-T microtensile device with the adhesive area perpendicularly oriented to the long axis of the device. After testing, the mode of fracture of the adhesive interface was evaluated. The conclusions of this study were: there is a regional variance in the adhesive strenght on a flat dentin surface; regardless of the adhesive system used, the variation of the adhesive strength found on flat dentin surfaces was determined by variations in the dentinal substrate; when comparing the adhesive strength among the materials, One-Step (53,97 MPa ± 12,58) and Single Bond (52,59 MPa ± 17,67) systems presented a adhesive strength similar and statistically higher than the Clearfi Liner Bond 2V (32,90 MPa ± 12,43) system; when comparing the adhesive strength to both central and peripheral dentin, the three materials did not present any statistically significant differences.
3

Mapeamento da variação regional da resistência adesiva em superfícies planas de dentina.

Terada, Raquel Sano Suga 22 February 2001 (has links)
O presente trabalho avaliou a influência das variações morfológicas do substrato dentinário na resistência de união à microtração de três sistemas adesivos resinosos: Clearfil Liner Bond 2V, One-Step e Single Bond, empregando como substrato superfícies planas de dentina. Para o preparo e exposição da superfície de dentina, o esmalte oclusal foi desgastado com lixas de carbureto de silício de granulação 320 e 600. Doze dentes foram tratados com um dos sistemas adesivos e foi aplicada uma camada de 1 centímetro de altura em resina composta Z100, pela técnica incremental. Após armazenagem em água destilada em estufa a 37ºC por 24 horas, os espécimes foram preparados para serem submetidos ao teste de microtração. Utilizando-se uma máquina de cortes seriados, os dentes foram fatiados em espessuras de aproximadamente 0,8 mm nos sentidos mésiodistal e vestíbulo-lingual, obtendo-se médias de áreas de adesão de 0,7 mm2. Foram obtidos, em média, 23 espécimes por dente. Identificando-se cada espécime através de um código de cores, a superfície de cada dente foi mapeada. Para a leitura da resistência de união, cada espécime em forma de “palito" foi afixado individualmente em um dispositivo de microtração, Bencor Multi-T, de modo a posicionar a área de adesão perpendicularmente ao longo eixo do espécime. Após o teste, o modo de fratura da interface adesiva foi avaliado. Os resultados obtidos permitiram concluir que existe uma variação regional da resistência de união em superfícies planas de dentina. Independentemente do sistema adesivo empregado, a variação da resistência de união encontrada em superfícies planas de dentina foi determinada por variações no substrato dentinário.Comparando-se a resistência de união entre os materiais, os sistemas One-Step (53,97 ± 12,58 MPa) e Single Bond (52,59 ± 17,67 MPa) apresentaram uma resistência semelhante e estatisticamente superior ao sistema Clearfil Liner Bond 2V (32,90 ± 12,43 MPa). Comparando-se a resistência de união à dentina central e à dentina periférica, os três materiais não apresentaram uma diferença estatisticamente significante. / The present work evaluated the influence of morphological variations of the dentinal substrate in the microtensile adhesive strength of three adhesive systems: Clearfil Liner Bond 2V, One-Step and Single Bond, using flat dentin surfaces. For the preparation and exposure of the dentin surface, the occlusal enamel was ground with 320 and 600 – grit SiC paper. The teeth were treated with one of the adhesive systems and a 1cm thick layer of Z100 resin composite was built up on the surface. After storage in distilled water at 37ºC for 24 hours, the specimens were prepared to be subjected to the microtensile test. With the aid of a micrometer the teeth were serially sectioned in both “x" and “y" directions to result in several bonded sticks of approximately 0.7 mm2 of cross-sectional area. Approximately twenty-three specimens per tooth were obtained. Each specimen was identified by a color code and the flat dentin surface was mapped. For the reading of the adhesive strength, each bonded stick was individually gluded to a Bencor Multi-T microtensile device with the adhesive area perpendicularly oriented to the long axis of the device. After testing, the mode of fracture of the adhesive interface was evaluated. The conclusions of this study were: there is a regional variance in the adhesive strenght on a flat dentin surface; regardless of the adhesive system used, the variation of the adhesive strength found on flat dentin surfaces was determined by variations in the dentinal substrate; when comparing the adhesive strength among the materials, One-Step (53,97 MPa ± 12,58) and Single Bond (52,59 MPa ± 17,67) systems presented a adhesive strength similar and statistically higher than the Clearfi Liner Bond 2V (32,90 MPa ± 12,43) system; when comparing the adhesive strength to both central and peripheral dentin, the three materials did not present any statistically significant differences.
4

Influência de métodos de esterilização nas propriedades físicas do substrato dental / Influence of sterilization methods on physical properties of dental substrate

Juliane Cristina Ciccone Nogueira 05 February 2010 (has links)
O objetivo do presente estudo foi avaliar a influência de métodos de esterilização do substrato dental sobre a microdureza de dentes extraídos (esmalte e dentina radicular) submetidos a ciclos de pH, e ainda verificar a influência destes métodos sobre a resistência adesiva do esmalte, dentina coronária e radicular. Para os testes de microdureza, dez terceiros molares extraídos foram seccionados em 40 fragmentos de esmalte e 40 de dentina radicular, sendo divididos aleatoriamente em 4 grupos (para ambos os substratos): Controle - não esterilizado, Óxido de Etileno 7h ciclo de OE/48h aeração, Autoclave 30 à 121oC e Formalina 10% - por 7 dias. Após a esterilização, as amostras foram lavadas, reumidificadas e submetidas a ciclos de pH. Os testes de microdureza em profundidade (30, 60, 90, 120 e 300&micro;m) foram realizados no substrato hígido e desmineralizado. Para os teste de resistência adesiva, 30 terceiros molares extraídos foram seccionados em 60 fragmentos de esmalte, 60 fragmentos de dentina coronária e 60 fragmentos de dentina radicular, sendo divididos aleatoriamente em 4 grupos (para todos os substratos): Controle, Óxido de Etileno, Autoclave e Formalina 10%. Em seguida, os sítios de adesão foram demarcados e cilindros de resina composta foram confeccionados em 3 incrementos. Após 24 horas, os espécimes foram submetidos a testes de cisalhamento. Os dados obtidos para ambas as avaliações foram submetidos à ANOVA e teste de Fisher (&alpha; =0,05). Para microdureza em esmalte hígido pode-se verificar que o controle apresentou maior valor de dureza e estatisticamente diferente dos outros grupos, sendo que os métodos promoveram alteração da dureza, diminuindo-a (controle>óxido de etileno>autoclave>formalina). Contudo, para as profundidades não houve diferença estatística. Para o esmalte desmineralizado, o grupo controle apresentou maiores valores de dureza diferente estatisticamente da formalina e óxido de etileno e semelhante a autoclave (controle &asymp; autoclave > Formalina &asymp; óxido de etileno). Para as profundidades, observou-se que 30&micro;m < 60&micro;m &asymp; 90&micro;m &asymp; 120&micro;m < 300&micro;m. Para dentina radicular hígida pode-se observar que grupo controle apresentou maior valor de dureza, semelhante ao óxido de etileno e a formalina e diferente da autoclave, sendo a formalina similar ao óxido de etileno e diferente da autoclave. Entretanto, para as profundidades testadas não houve diferença estatística neste substrato. Para a dentina desmineralizada pode-se observar que o método não apresentou diferença significante, contudo para as profundidades ocorreu diferença, 30&micro;m foi similar a 90&micro;m e diferente de 300&micro;m e 120&micro;m. 300&micro;m apresentou as maiores médias de microdureza. Com relação aos testes de resistência adesiva em esmalte os métodos foram semelhantes entre si, assim como em dentina coronária, contudo em dentina radicular a formalina proporcionou maiores valores de adesão. Pode-se concluir que os métodos de esterilização influenciaram na microdureza do esmalte hígido e desmineralizado, bem como, na dentina hígida não promovendo alteração na dentina desmineralizada. Entretanto, os métodos não influenciaram nos resultados dos testes de resistência adesiva em esmalte e dentina coronária, alterando apenas a adesão em dentina radicular. / The aim of this study was to evaluate the influence of sterilization methods (ethylene oxide, steam autoclave and 10% formalin) on microhardness of extracted human teeth (enamel and root dentin) submitted to pH cycling, and to determine the influence of these methods on shear bond strength (enamel, coronary and root dentin). For microhardness test, 40 root dentin and 40 enamel blocks were prepared from freshly-extracted third molars. Specimens were randomly assigned to 4 groups according to sterilization method: control group no sterilized, ethylene oxide (7h- EtO gas cycles and 48 degassing period), steam autoclave (30´ at 121oC) and 10% formalin (7 days). After sterilizing, specimens were rinsed, moisten and submitted to pH cycling. Microhardness test in different depths (30, 60, 90, 120 and 300&micro;m) was realized on sound and demineralized areas. For shear bond strength test, 60 enamel, coronary and root dentin fragments were randomly divided into 4 groups according to sterilization method: control group, ethylene oxide, steam autoclave and 10% formalin. The bonding site was delimited and a resin composite cylinder was built. After 24h, the specimens were tested to failure. Data were analyzed using ANOVA and Fishers test (&alpha;=0.05). Sound enamel microhardness showed the highest values for control group, followed by ethylene oxide and steam autoclave, while the 10% formalin provided the lowest values. For depths, ANOVA showed no statistical difference among them. For demineralized enamel, control group was similar to steam autoclave group and higher than formalin and ethylene oxide (control &asymp; steam autoclave > formalin &asymp; ethylene oxide). Comparing depths, it was observed that 30&micro;m < 60&micro;m &asymp; 90&micro;m &asymp; 120&micro;m < 300&micro;m. For sound root dentin, control group was similar to formalin and ethylene oxide and higher than steam autoclave, being formalin similar to ethylene oxide and different from steam autoclave. It was not verified statistical difference for depths in this substrate. For desmineralized root dentin, ANOVA showed no statistical difference among the methods. For depths, 30&micro;m was similar to 90&micro;m and different from 300 and 120&micro;m. 300&micro;m provided the highest values. For bond strength in root dentin, it was observed statistically significant difference among sterilization methods, presenting formalin the highest values. However, when enamel and dentin were evaluated, ANOVA showed no statistical difference among sterilization methods. It can be concluded that, the sterilization methods employed in this study affect the microhardness of sound and demineralized enamel and sound dentin. On the other hand, the sterilization methods did not affect the microhardness of demineralized root dentin. Shear bond strength was affected by the sterilization methods only in root dentin.
5

Influência de métodos de esterilização nas propriedades físicas do substrato dental / Influence of sterilization methods on physical properties of dental substrate

Nogueira, Juliane Cristina Ciccone 05 February 2010 (has links)
O objetivo do presente estudo foi avaliar a influência de métodos de esterilização do substrato dental sobre a microdureza de dentes extraídos (esmalte e dentina radicular) submetidos a ciclos de pH, e ainda verificar a influência destes métodos sobre a resistência adesiva do esmalte, dentina coronária e radicular. Para os testes de microdureza, dez terceiros molares extraídos foram seccionados em 40 fragmentos de esmalte e 40 de dentina radicular, sendo divididos aleatoriamente em 4 grupos (para ambos os substratos): Controle - não esterilizado, Óxido de Etileno 7h ciclo de OE/48h aeração, Autoclave 30 à 121oC e Formalina 10% - por 7 dias. Após a esterilização, as amostras foram lavadas, reumidificadas e submetidas a ciclos de pH. Os testes de microdureza em profundidade (30, 60, 90, 120 e 300&micro;m) foram realizados no substrato hígido e desmineralizado. Para os teste de resistência adesiva, 30 terceiros molares extraídos foram seccionados em 60 fragmentos de esmalte, 60 fragmentos de dentina coronária e 60 fragmentos de dentina radicular, sendo divididos aleatoriamente em 4 grupos (para todos os substratos): Controle, Óxido de Etileno, Autoclave e Formalina 10%. Em seguida, os sítios de adesão foram demarcados e cilindros de resina composta foram confeccionados em 3 incrementos. Após 24 horas, os espécimes foram submetidos a testes de cisalhamento. Os dados obtidos para ambas as avaliações foram submetidos à ANOVA e teste de Fisher (&alpha; =0,05). Para microdureza em esmalte hígido pode-se verificar que o controle apresentou maior valor de dureza e estatisticamente diferente dos outros grupos, sendo que os métodos promoveram alteração da dureza, diminuindo-a (controle>óxido de etileno>autoclave>formalina). Contudo, para as profundidades não houve diferença estatística. Para o esmalte desmineralizado, o grupo controle apresentou maiores valores de dureza diferente estatisticamente da formalina e óxido de etileno e semelhante a autoclave (controle &asymp; autoclave > Formalina &asymp; óxido de etileno). Para as profundidades, observou-se que 30&micro;m < 60&micro;m &asymp; 90&micro;m &asymp; 120&micro;m < 300&micro;m. Para dentina radicular hígida pode-se observar que grupo controle apresentou maior valor de dureza, semelhante ao óxido de etileno e a formalina e diferente da autoclave, sendo a formalina similar ao óxido de etileno e diferente da autoclave. Entretanto, para as profundidades testadas não houve diferença estatística neste substrato. Para a dentina desmineralizada pode-se observar que o método não apresentou diferença significante, contudo para as profundidades ocorreu diferença, 30&micro;m foi similar a 90&micro;m e diferente de 300&micro;m e 120&micro;m. 300&micro;m apresentou as maiores médias de microdureza. Com relação aos testes de resistência adesiva em esmalte os métodos foram semelhantes entre si, assim como em dentina coronária, contudo em dentina radicular a formalina proporcionou maiores valores de adesão. Pode-se concluir que os métodos de esterilização influenciaram na microdureza do esmalte hígido e desmineralizado, bem como, na dentina hígida não promovendo alteração na dentina desmineralizada. Entretanto, os métodos não influenciaram nos resultados dos testes de resistência adesiva em esmalte e dentina coronária, alterando apenas a adesão em dentina radicular. / The aim of this study was to evaluate the influence of sterilization methods (ethylene oxide, steam autoclave and 10% formalin) on microhardness of extracted human teeth (enamel and root dentin) submitted to pH cycling, and to determine the influence of these methods on shear bond strength (enamel, coronary and root dentin). For microhardness test, 40 root dentin and 40 enamel blocks were prepared from freshly-extracted third molars. Specimens were randomly assigned to 4 groups according to sterilization method: control group no sterilized, ethylene oxide (7h- EtO gas cycles and 48 degassing period), steam autoclave (30´ at 121oC) and 10% formalin (7 days). After sterilizing, specimens were rinsed, moisten and submitted to pH cycling. Microhardness test in different depths (30, 60, 90, 120 and 300&micro;m) was realized on sound and demineralized areas. For shear bond strength test, 60 enamel, coronary and root dentin fragments were randomly divided into 4 groups according to sterilization method: control group, ethylene oxide, steam autoclave and 10% formalin. The bonding site was delimited and a resin composite cylinder was built. After 24h, the specimens were tested to failure. Data were analyzed using ANOVA and Fishers test (&alpha;=0.05). Sound enamel microhardness showed the highest values for control group, followed by ethylene oxide and steam autoclave, while the 10% formalin provided the lowest values. For depths, ANOVA showed no statistical difference among them. For demineralized enamel, control group was similar to steam autoclave group and higher than formalin and ethylene oxide (control &asymp; steam autoclave > formalin &asymp; ethylene oxide). Comparing depths, it was observed that 30&micro;m < 60&micro;m &asymp; 90&micro;m &asymp; 120&micro;m < 300&micro;m. For sound root dentin, control group was similar to formalin and ethylene oxide and higher than steam autoclave, being formalin similar to ethylene oxide and different from steam autoclave. It was not verified statistical difference for depths in this substrate. For desmineralized root dentin, ANOVA showed no statistical difference among the methods. For depths, 30&micro;m was similar to 90&micro;m and different from 300 and 120&micro;m. 300&micro;m provided the highest values. For bond strength in root dentin, it was observed statistically significant difference among sterilization methods, presenting formalin the highest values. However, when enamel and dentin were evaluated, ANOVA showed no statistical difference among sterilization methods. It can be concluded that, the sterilization methods employed in this study affect the microhardness of sound and demineralized enamel and sound dentin. On the other hand, the sterilization methods did not affect the microhardness of demineralized root dentin. Shear bond strength was affected by the sterilization methods only in root dentin.
6

A influência do corte com diferentes discos e velocidades na integridade dos espécimes e na resistência adesiva de uma cerâmica a um cimento resinoso dual em ensaio de microtração / The influence of different cutting speeds and brand of diamond saws on integrity of microtensile specimes and Bond strenght values

Martha Chiabai Cupertino de Castro 19 November 2010 (has links)
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior / Esta pesquisa estudou a influência de diferentes velocidades de corte e marcas de discos diamantados nos valores de resistência adesiva, durante a preparação dos espécimes a serem submetidos à microtração, e na integridade das amostras por meio do microscópio eletrônico de varredura (MEV). Vinte blocos da cerâmica à base de dissilicato de lítio (IPS e.max Press) foram unidos com cimento resinoso (Rely X ARC) a blocos de compósito (Z100), construídos incrementalmente. Foram seguidas as recomendações dos fabricantes no tratamento da superfície da cerâmica e aplicação do cimento resinoso. Após 24 horas em água destilada a 37C, os espécimes foram divididos em dois grupos de discos: marcas Buehler e Extec e subdivididos nas velocidades de 200rpm e 400rpm (B2; E2; B4 e E4, respectivamente). Cada espécime foi cortado em dois eixos perpendiculares para obtenção de palitos com área adesiva de 1,0mm. Para cada condição experimental, os palitos foram separados, aleatoriamente, 15 palitos para análise ao MEV e 30 palitos para serem submetidos à força de tração. As médias de resistência adesiva em MPa foram E4=20,312 ; B4= 24,2 11,3 ; B2= 25,2 9,0 e E2= 28,6 10,4. Na análise estatística, observou-se que os valores de resistência adesiva na velocidade de 200rpm foram significativamente maiores comparados a velocidade de 400rpm, independente do disco empregado. Ao MEV, observou-se melhor integridade dos palitos na velocidade de 200rpm com presença de trincas menos extensas nas bordas externas. Constatou-se também que o disco Extec na velocidade de 400rpm apresentou movimentos excêntricos ao corte e obteve-se maior número de perdas prematuras, uma diminuição significante na média da área total de união (p<0,05), além de diferença significativa nos valores de resistência comparada a velocidade de 200rpm. Concluiu-se que a utilização de diferentes velocidades e sua interação com o disco empregado interfere na integridade dos espécimes e nos valores de resistência adesiva, sendo mais acentuada ao se utilizar o disco da marca Extec. / The aim of this research was to verify the influence of different cutting speeds and brand of diamond saws during microtensile specimen preparation on the bonding strength values and on the samples microscopy integrity (SEM). Twenty lithium disilicate glass-ceramic blocks (IPS e.max Press) were bonded with dual-cure resin cement (Rely X ARCTM) to composite (Z100TM) blocks, built incrementally. The manufacturers recommendations were followed for ceramic treatment surface and placement on the resin cement, as well. After storage for 24 hours in distillated water at 37C, the specimens were divided in two groups of diamond saws, Buehler and Extec brands, which were further subdivided using 200rpm and 400rpm speeds (B2; E2; B4 and E4 respectively), and they were sectioned into two perpendicular axes obtaining sticks shaped specimens with cross-sectional area of 1.0mm. For each experimental situation the sticks were randomly separated; 15 for the analysis to the SEM and 30 to be submitted to tensile strength. Mean bond strength values (MPa) were: E4 = 20.3 12; B4 = 24.2 11.3; B2 = 25.2 9.0; and E2 = 28.6 10.4. The statistical analysis of data showed that the values of bond strength at 200 rpm speed were significantly higher as compared to 400 rpm speed, regardless of saw employed. In SEM, it was noted better integrity of sticks at 200 rpm speed with presence of less extensive cracks in external edges. It was also found that the Extec saw at 400 rpm showed eccentric movement to cutting and achieved higher number of premature losses, a significant decreased mean total area of bond (p<0.05), in addition to significant difference in strength values compared with 200 rpm speed. It was concluded that using different speeds and their interaction with the used saw interfere with the integrity of specimens and the bond strength values, being more pronounced when using the Extec saw.
7

Ação triboquímica do ciclo mastigatório na resistência ao cisalhamento de resinas compostas / Tribocorrosion effects of masticatory cycle on the composite resins shear bond strength

Marta Maria Martins Giamatei Contente 07 October 2013 (has links)
Este trabalho avaliou in vitro a ação de estímulos triboquímicos que simulam o ciclo mastigatório na resistência ao cisalhamento de duas resinas compostas Filtek P90®- 3M ESPE (P) e Z250®-3M ESPE (Z) com e sem presença de contaminação salivar, assim como a liberação de íons e a qualidade e a quantidade do desgaste produzido. A amostra foi composta por 12 grupos experimentais (n=5): P1 e Z1, sem contaminação/contra dente decíduo; P2 e Z2, com contaminação/contra dente decíduo; P3 e Z3, sem contaminação/contra dente permanente; P4 e Z4, com contaminação/contra dente permanente; P5 e Z5 sem contaminação (controle); P6 e Z6 com contaminação (controle). Ensaios de tribocorrosão foram efetuados na configuração pino-placa de deslizamento linear alternativo, na presença da solução de saliva artificial, carga de 3N e frequência de 1Hz, totalizando 900 ciclos de desgaste durante 15 minutos. As pistas de desgaste foram caracterizadas por MEV, EDX e XRD e o volume de desgaste por análise da variação de massa. A MEV demonstrou que os grupos Z apresentaram maior quantidade de desgaste quando comparados aos grupos P e que os antagonistas de dente permanente apresentaram maior quantidade de resíduos do material desgastado que os antagonistas em dentes decíduos. A análise por XRD não apresentou variação na caracterização de nenhuma das amostras quando se comparou os espécimes antes e após a realização dos experimentos. Na análise por EDX observou-se picos correspondentes aos elementos Ítrio e Silício para os antagonistas dos grupos P e de Zircônia para os dos grupos Z. Os dados obtidos pelo ensaio de nanoendentação não apresentaram diferença estatisticamente significante para nenhum dos grupos estudados (ANOVA e Teste de Duncan p&le;0,05). Nenhuma diferença estatisticamente significante foi encontrada pelos corpos de prova em resina composta ou antagonistas em nenhum dos grupos estudados quando da análise da variação de massa. Os valores de resistência ao cisalhamento foram: P1 11,20 (±1,44); P2 9,28 (±1,88); P3 8,94 (±1,03); P4 5,76 (±1,47); P5 17,50 (±3,28); P6 15,31 (±1,19); Z1 12,17 (±1,56); Z2 9,60 (±1,56); Z3 10,79 (±3,33); Z4 9,14 (±2,06); Z5 9,77 (±2,27) e Z6 9,22 (±1,98). Os valores de resistência ao cisalhamento foram menores para os grupos P submetidos à contaminação salivar. Na análise de ICP-MS maior liberação de íons Cálcio foi constatada em todos os grupos. A liberação de íons Fosfato foi observada na solução resultante do ensaio tribológico do corpo de prova em resina composta P90 contra antagonista dente permanente. Conclui-se que não há alterações químicas na superfície das resinas após o ensaio mecânico de desgaste e a resina composta P90 apresentou os menores valores de resistência ao cisalhamento em comparação com a resina Z250. A contaminação salivar interferiu negativamente nos valores de resistência ao cisalhamento quando a resina composta P90 foi avaliada. Dente utilizado como contra corpo não teve sua superfície alterada pela incorporação de resíduos de desgaste da resina composta, mantendo o módulo de elasticidade e a nanodureza, sendo que o desgaste ocorreu de forma mais acentuada nas restaurações de resina composta Z250. A liberação de íons Cálcio foi maior que a de íons Fosfato em todas as situações analisadas e a liberação de íons Fosfato foi maior na situação em que o corpo de prova em resina composta P90 foi submetido ao ensaio tribológico contra antagonista dente permanente. O ciclo mastigatório interferiu na resistência ao cisalhamento da resina composta P90. / This study evaluated in vitro the action of tribochemical stimuli simulating the masticatory cycle on the shear bond strength of two composite resins Filtek P90®- 3M ESPE (P) and Z250®-3M ESPE (Z) - with and without salivary contamination, as well as the release of ions and the quality and amount of composite resin/tooth wear. Twelve experimental groups (n=5) were formed: P1 and Z1, without contamination/against primary tooth; P2 and Z2, with contamination/against primary tooth; P3 and Z3, without contamination/against permanent tooth; P4 and Z4, with contamination/against permanent tooth; P5 and Z5, without contamination (control); P6 and Z6, with contamination (control). Tribocorrosion assays were performed using the pin-on-plate configuration under linear reciprocating sliding, in the presence of an artificial saliva solution and under 3 N load and 1 Hz frequency, totalizing 900 wear cycles during 15 minutes. The wear was characterized by SEM, EDX and XRD analyses and the wear volume was determined by mass variation analysis. The SEM analysis showed that the Z groups presented less wear than the P groups, and that the permanent tooth antagonists presented more worn material residues than the primary tooth antagonists. The XRD analysis did not reveal variation in the characterization of any of the samples, comparing the specimens before and after the experiments. The EDX analysis revealed peaks corresponding to the elements yttrium and silicon for the P groups\' antagonists and zircon for the Z groups\' antagonists. Data from the nanoindentation test did not show statistically significant difference for any of the groups (ANOVA and Duncan test p&le;0.05). For the mass variation analysis, no statistically significant difference was found between the composite resin specimens or antagonists in any of the groups. The shear bond strength results were: P1 11.20 (±1.44); P2 9.28 (±1.88); P3 8.94 (±1.03); P4 5.76 (±1.47); P5 17.50 (±3,28); P6 15,31 (±1.19); Z1 12.17 (±1.56); Z2 9,60 (±1.56); Z3 10.79 (±3.33); Z4 9.14 (±2.06); Z5 9.77 (±2.27) and Z6 9.22 (±1.98). The shear bond strength values were lower in the P groups subjected to salivary contamination. The ICP-MS analysis revealed greater calcium ion release in all groups. Regarding phosphate ion, greater release was observed in the solution resulting from the tribological assay when the P90 composite resin specimens were tested against permanent tooth antagonists. In conclusion, there were no chemical alterations on resin surface after the mechanical wear assay and P90 composite resin presented lower shear bond strength values than Z250 composite resin. Salivary contamination affected negatively in the shear bond strength values when P90 resin composite was evaluated. Teeth used as counterbody did not have their surface altered by the incorporation of composite resin wear residues, maintaining the modulus of elasticity and nano-hardness, and the wear was more accentuated in the Z250 composite resin restorations. There was greater release of calcium ions compared with phosphate ions in all analyzed situations and the release of phosphate ions increased when P90 was subjected to tribological assay against a permanent tooth antagonist. Tribochemical stimuli simulating the masticatory cycle interfered with the shear strength of composite resin P90.
8

Resistência adesiva e citotoxicidade In vitro de diferentes gerações de adesivos dentinários

Silva, João Maurício Ferraz da [UNESP] 23 July 2010 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2014-06-11T19:31:25Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2010-07-23Bitstream added on 2014-06-13T20:01:53Z : No. of bitstreams: 1 silva_jmf_dr_sjc.pdf: 673718 bytes, checksum: a9a6928557da03c914d3af794e3bd430 (MD5) / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) / O objetivo do estudo foi avaliar quatro diferentes sistemas adesivos (Multi- Purpose, Single Bond, SE Plus e Easy Bond – 3M ESPE) no que se refere à resistência adesiva ao microcisalhamento na dentina bovina. Além de avaliar a citotoxicidade desses novos sistemas adesivos por meio do teste de barrerira dentinária e ensaio de MTT em fibroblastos pulpares bovinos. Para o teste de microcisalhamento 80 dentes bovinos tiveram suas raízes seccionadas, foram embutidos em resina acrílica e tiveram a superfície vestibular desgastada expondo-se a dentina, sendo que em 40 dentes a espessura de dentina remanescente foi de 500μm e nos outros 40 de 200μm. Os cdp receberam então o procedimento adesivo de acordo com as instruções do fabricante e com auxílio de uma matriz metálica, cilindros de resina (Z 250 – 3M ESPE) de 0,8 mm de diâmetro e 1mm de altura foram construídos. Após 24h os cdp foram então submetidos ao ensaio de microcisalhamento. Para avaliar a citotoxicidade foi usado o teste de barreira dentinária. Células pulpares bovinas transformadas foram cultivadas em redes de nylon por 2 semanas, obtendo-se uma cultura de 3 dimensões. Essas culturas celulares foram separadas dos materiais testados por fatias de dentina de 500 e 200μm em um dispositivo de perfusão celular. Os materiais foram aplicados na porção cavitária do dispositivo de acordo com as instruções do fabricante, e um material de moldagem a base de silicona (President, Coltene) foi usado como controle negativo (100% de viabilidade celular). Após 24 h de periodo de exposição, a viabilidade celular foi mensurada fotometricamente (teste MTT). Por meio de estatística descritiva verificou-se que a melhor eficiência adesiva foi apresentada pelo adesivo auto-condicionante de um passo só, Easy Bond (21,06 MPa - 200μm; 27,01 MPa- 500μm) seguido pelo Single Bond (15,64 MPa - 200μm; 23,45 MPa- 500μm), SE Plus... / The aim of this study was to evaluate four different adhesive systems (Multi- Purpose, Single Bond, SE Bond Plus and Easy - 3M ESPE) with regard to microshear bond strength to bovine dentin. In addition evaluate the cytotoxicity of these new adhesive systems by means of a dentin barrier test. To test microshear 80 bovine teeth had their roots sectioned and were embedded in acrylic resin. The buccal surface had been worn to expose the dentin, in 40 teeth the remaining dentin thickness was 500μm and 200μm in the other 40. The specimes received the adhesive procedure according to the manufacturer's instructions and with the aid of a metal matrix, cylinders of resin (Z 250 - 3M ESPE) from 0.8 mm in diameter and 1mm in height were built. After 24h the specimes were then subjected to the microshear testing To evaluate the cytotoxicity, a dentin barrier test was used. SV3NeoB transfected bovine pulp derived cells were grown on nylon meshes for 2 weeks achieving a 3-dimensional cell culture as described. These cell cultures were separated from the test materials by dentin slices of 200 or 500μm thickness in a cell cultures perfusion chamber. The materials were applied into the cavity part of the device according to manufacturer’s instruction, and a silicon impression material (President, Coltene) served as a negative control material (100% cell viability). After a 24h exposure period, cell viability was measured photometrically (MTT test). Median values (plus 25% and 75% percentiles) of cell viability measurements (n=10) were statistically analyzed (Mann-Whitney test, = 0.05). Descriptive statistics found that the best bonding performance was presented by the single step adhesive Easy Bond (21.06 - 200μm, 27.01 - 500μm) followed by Single Bond (15.64 - 200μm; 23.45 - 500μm), SE Plus (18.23 - 200μm; 20.07 - 500μm) and Multi Purpose (15.24 - 200μm; 17.99 - 500μm). Moreover, it was... (Complete abstract click electronic access below)
9

Resistência adesiva de sistemas autocondicionante e convencional frente a diferentes substratos e associação ao laser Nd:YAG: estudo in vitro

Marimoto, Ângela Regina Kimie [UNESP] 26 July 2007 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2014-06-11T19:24:07Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2007-07-26Bitstream added on 2014-06-13T20:51:29Z : No. of bitstreams: 1 marimoto_ark_me_sjc.pdf: 390443 bytes, checksum: d76f9139d735bc954e3a1f9a3c6ec8ce (MD5) / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) / A adesão continua a ser um desafio na Odontologia, principalmente em tecidos morfologicamente distintos e valendo-se de sistemas adesivos de mecanismos de ação também distintos. O objetivo deste estudo in vitro foi comparar a resistência adesiva de dois sistemas (autocondicionante e convencional) em dois substratos (esmalte e dentina), associados ou não à tecnologia laser (Nd:YAG). Foram utilizados 120 dentes bovinos, recém-extraídos, embutidos, que tiveram a superfície de esmalte ou dentina exposta por meio de lixas. Uma área de 3mm de diâmetro na região cérvico-vestibular-mediana foi selecionada para adesão, de acordo com os seguintes grupos: a) G1: AF/ esmalte (adesivo autocondicionante em esmalte seguindo especificação do fabricante); b) G2: AF/ dentina (adesivo autocondicionante em dentina seguindo especificação do fabricante); c) G3: AL/ esmalte (adesivo autocondicionante em esmalte + laser Nd:YAG + fotopolimerização); d) G4: AL/ dentina (adesivo autocondicionante em dentina + laser Nd:YAG + fotopolimerização); e) G5: CF/ esmalte (condicionamento ácido + adesivo convencional em esmalte); f) G6: CF/ dentina (condicionamento ácido + adesivo convencional em dentina); g) G7: CL/ esmalte (condicionamento ácido + adesivo convencional em esmalte + laser Nd:YAG + fotopolimerização); h) G8: CL/ dentina (condicionamento ácido + adesivo convencional em dentina + laser Nd:YAG + fotopolimerização). A resina composta Z 250 foi inserida com auxílio de matriz de teflon e fotopolimerizada com luz halógena, seguida da realização do teste de cisalhamento em máquina universal Emic, com carga de100kgf e velocidade de 0,5mm/min. Os valores médios em MPa obtidos para os diferentes grupos foram: G1 (20,291), G2 (14,142), G3 (23,615), G4 (22,235), G5 (20,899), G6 (11,291), G7 (22,102), G8 (15,980). Após aplicação do teste de ANOVA e Tukey 5%, concluiu-se que... / Bonding continues to be a challenge in Dentistry, particularly in morphologically different tissues, and adhesive systems with different action mechanisms are also valid. The aim of this study was to compare the bond strength of two systems (self-etching and conventional) to two substrates (enamel and dentin) either associated with laser technology (Nd:YAG) or not. One hundred and twenty (120) recently extracted, embedded bovine teeth were used, and abrasive papers were used to expose the enamel or dentin surfaces. An area of 3mm in diameter in the cervical-vestibular-median region was selected for bonding, according to the following groups: a) G1: AF/ enamel (self-etching adhesive to enamel in accordance with the manufacturer's specification); b) G2: AF/ dentin (self-etching adhesive to dentin in accordance with the manufacturer's specification); c) G3: AF/ enamel (self-etching adhesive to enamel + laser Nd:YAG + light polymerization ; d) G4: AL/ dentin (self-etching adhesive to dentin + laser Nd:YAG + light polymerization ; e) G5: CF/ enamel (acid etching + conventional adhesive to enamel); f) G6: CF/ dentin (acid etching + conventional adhesive to dentin); g) G7: CL/ enamel (acid etching + conventional adhesive to enamel + laser Nd:YAG + light polymerization ; h) G8: CL/ dentin (acid etching + conventional adhesive to dentin + laser Nd:YAG + light polymerization). Resin composite Z250 was inserted with the aid of a Teflon matrix and light polymerized, followed by the shear test in an EMIC universal machine, with a load of 100 Kgf and speed of 0.5 mm/min. The mean values obtained in Mpa for the different groups were: G1 (20.291), G2 (14.142), G3 (23.615), G4 (22.235), G5 (20.899), G6 (11.291), G7 (22.102), G8 (15.980). After applying the ANOVA and Tukey tests 5%, it was concluded that the application of laser Nd:YAG significantly increased the bond strength under all the experimental... (Complete abstract click electronic access below)
10

A influência do corte com diferentes discos e velocidades na integridade dos espécimes e na resistência adesiva de uma cerâmica a um cimento resinoso dual em ensaio de microtração / The influence of different cutting speeds and brand of diamond saws on integrity of microtensile specimes and Bond strenght values

Martha Chiabai Cupertino de Castro 19 November 2010 (has links)
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior / Esta pesquisa estudou a influência de diferentes velocidades de corte e marcas de discos diamantados nos valores de resistência adesiva, durante a preparação dos espécimes a serem submetidos à microtração, e na integridade das amostras por meio do microscópio eletrônico de varredura (MEV). Vinte blocos da cerâmica à base de dissilicato de lítio (IPS e.max Press) foram unidos com cimento resinoso (Rely X ARC) a blocos de compósito (Z100), construídos incrementalmente. Foram seguidas as recomendações dos fabricantes no tratamento da superfície da cerâmica e aplicação do cimento resinoso. Após 24 horas em água destilada a 37C, os espécimes foram divididos em dois grupos de discos: marcas Buehler e Extec e subdivididos nas velocidades de 200rpm e 400rpm (B2; E2; B4 e E4, respectivamente). Cada espécime foi cortado em dois eixos perpendiculares para obtenção de palitos com área adesiva de 1,0mm. Para cada condição experimental, os palitos foram separados, aleatoriamente, 15 palitos para análise ao MEV e 30 palitos para serem submetidos à força de tração. As médias de resistência adesiva em MPa foram E4=20,312 ; B4= 24,2 11,3 ; B2= 25,2 9,0 e E2= 28,6 10,4. Na análise estatística, observou-se que os valores de resistência adesiva na velocidade de 200rpm foram significativamente maiores comparados a velocidade de 400rpm, independente do disco empregado. Ao MEV, observou-se melhor integridade dos palitos na velocidade de 200rpm com presença de trincas menos extensas nas bordas externas. Constatou-se também que o disco Extec na velocidade de 400rpm apresentou movimentos excêntricos ao corte e obteve-se maior número de perdas prematuras, uma diminuição significante na média da área total de união (p<0,05), além de diferença significativa nos valores de resistência comparada a velocidade de 200rpm. Concluiu-se que a utilização de diferentes velocidades e sua interação com o disco empregado interfere na integridade dos espécimes e nos valores de resistência adesiva, sendo mais acentuada ao se utilizar o disco da marca Extec. / The aim of this research was to verify the influence of different cutting speeds and brand of diamond saws during microtensile specimen preparation on the bonding strength values and on the samples microscopy integrity (SEM). Twenty lithium disilicate glass-ceramic blocks (IPS e.max Press) were bonded with dual-cure resin cement (Rely X ARCTM) to composite (Z100TM) blocks, built incrementally. The manufacturers recommendations were followed for ceramic treatment surface and placement on the resin cement, as well. After storage for 24 hours in distillated water at 37C, the specimens were divided in two groups of diamond saws, Buehler and Extec brands, which were further subdivided using 200rpm and 400rpm speeds (B2; E2; B4 and E4 respectively), and they were sectioned into two perpendicular axes obtaining sticks shaped specimens with cross-sectional area of 1.0mm. For each experimental situation the sticks were randomly separated; 15 for the analysis to the SEM and 30 to be submitted to tensile strength. Mean bond strength values (MPa) were: E4 = 20.3 12; B4 = 24.2 11.3; B2 = 25.2 9.0; and E2 = 28.6 10.4. The statistical analysis of data showed that the values of bond strength at 200 rpm speed were significantly higher as compared to 400 rpm speed, regardless of saw employed. In SEM, it was noted better integrity of sticks at 200 rpm speed with presence of less extensive cracks in external edges. It was also found that the Extec saw at 400 rpm showed eccentric movement to cutting and achieved higher number of premature losses, a significant decreased mean total area of bond (p<0.05), in addition to significant difference in strength values compared with 200 rpm speed. It was concluded that using different speeds and their interaction with the used saw interfere with the integrity of specimens and the bond strength values, being more pronounced when using the Extec saw.

Page generated in 0.1183 seconds