• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 2
  • Tagged with
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

[en] NETSPEAK: ABBREVIATIONS AND OTHER STRATEGIES OF WRITING / [pt] INTERNETÊS: ABREVIATURAS E OUTRAS ESTRATÉGIAS DE ESCRITA

TIAGO DA SILVA RIBEIRO 09 April 2007 (has links)
[pt] Novos ambientes e novas ferramentas para a escrita, particularmente em sistemas computacionais de comunicação síncrona, como chats, fazem surgir novas formas de abreviação. Neste trabalho, procuramos mostrar que, apesar de as abreviaturas sempre terem sido utilizadas em manuscritos, seja para poupar tempo ou esforços, novas mídias trazem novas questões para o fenômeno de abreviação de palavras. O trabalho analisa dois tipos de dados: o primeiro consiste de um conjunto de textos reescritos por estudantes, para quem foi entregue um texto manuscrito, escrito originalmente com abreviações, que nós apresentamos em sua forma estendida. Os estudantes tinham a tarefa de reescrever o texto, abreviando o máximo de palavras possível. Eles foram divididos em dois grupos: o primeiro não tinha experiência em escrever na Internet e o segundo era formado por usuários freqüentes de chats, blogs e e-mails. Os resultados mostraram que o segundo grupo abreviava mais freqüentemente do que o primeiro, e as formas que eles utilizaram indicaram algumas pistas fonéticas e visuais que podemos utilizar para formular regras que possam decodificar essa nova maneira de abreviar. O segundo tipo de dados foi produzido de forma espontânea: foram recolhidos corpora na Internet, em um blog e um chat, a fim de confirmar os dados encontrados no primeiro corpus, em que a abreviação foi induzida. A língua estudada é o português do Brasil, e as regras, portanto, se aplicam a essa língua, mesmo que possamos prever que algumas delas podem ser estendidas a outras línguas, ao menos para as línguas ocidentais. Para colher a opinião de profissionais da educação sobre o netspeak, foi feito um questionário sobre o assunto. Através de suas respostas, discutimos como a questão das abreviaturas afeta o ensino e o aprendizado da linguagem escrita, que é o nosso principal interesse na pesquisa. / [en] New environments and new writing tools, in particular computational synchronic communication systems, like chats, elicit new abbreviation forms. In this dissertation we claim that, although abbreviations are always been used when manual task is tiring or when we write under time pressure, new media brings new issues to the phenomenon of words abbreviation. The paper presents an experiment with students for whom we gave a manuscript text, originally written with abbreviations, that we present in the plain form. Students are asked to rewrite the text, abbreviating it when they feel that it can be done. They are divided in two groups, one with no experience of writing at the Internet and the other composed of frequent users of chats, blogs and e-mail systems. The results show that this latter group abbreviates more frequently than the other one, and that the forms they use to abbreviate indicate some phonetically and visually based clues which can be used to formulate rules for decoding these new kinds of abbreviations. We also collect data from Internet corpora, specifically from a blog and a chat site, in order to confirm our results. The target language is the Brazilian Portuguese, and the rules are language oriented, although we are assuming that these rules can be adapted to at least occidental languages. Teachers are interviewed about the so called netspeak and they also filled a form where they expressed their points of view about this writing style. The analysis of their answers indicates some interesting discussions about the pedagogy of writing, our main interest in this research.
2

[en] NETSPEAK: DESCRIPTION AND USES / [pt] O INTERNETÊS: DESCRIÇÃO E USOS

TIAGO DA SILVA RIBEIRO 26 August 2011 (has links)
[pt] As relações interpessoais são hoje, mais do que nunca, virtuais. E-mails, chats, listas de discussões, Twitter, entre outras ferramentas de comunicação estão em expansão, seja em ambientes profissionais, seja na vida pessoal. Por conta da chamada revolução virtual, muito se fala sobre a linguagem da Internet, porém pouco se faz para descrevê-la e aproveitá-la como fonte de estudos sobre o português atual. Acreditamos que o entendimento da estrutura do internetês seja útil para diversas áreas de pesquisa, como a Linguística de Corpus. Partindo desse pressuposto, esta tese procura descrever os processos de síntese do internetês, a fim de comprovarmos que há regras na formação de abreviaturas e outras palavras que são típicas dessa nova forma de expressão. Encontramos, por meio de uma pesquisa quantitativa, padrões de formação do internetês, o que prova que essa linguagem não se configura como um desvio anárquico da língua padrão. Esses padrões refletem a fonética e a estrutura silábica do português de forma bastante sistemática, demonstrando o conhecimento implícito dos falantes sobre a gramática da língua e sua preocupação em seguir os princípios de comunicabilidade. Encontramos também diferenças quantitativas e qualitativas no uso da abreviação de acordo com o gênero textual em que aparecem. Acreditamos que a maior compreensão sobre os processos do internetês seja importante para o ensino da escrita formal e que sua descrição pode trazer respostas às críticas a essa forma de se comunicar, que advêm tanto de professores quanto de alunos. Por isso, na parte final deste trabalho, sugerimos tarefas que aproveitem a maior atividade de leitura e escrita proporcionada pela grande expansão das comunicações on-line, para alcançar níveis mais sofisticados de letramento. Mais do que descrever as abreviaturas do internetês, sem propor como lidar com elas, tentaremos trazer um novo olhar a estudiosos de diversas áreas que lidam com a linguagem da Internet, a professores e alunos que têm uma visão equivocada sobre essa linguagem. / [en] Interpersonal relationships are more than ever virtual. E-mails, chats, discussion lists, Twitter, and other communication tools are expanding their use, both in professional environments and in personal life. On account of the virtual revolution, a lot has been said about the language of the Internet, but little effort is made to describe and use it as a source of studies on the current Portuguese language. We believe that the understanding of the structure of the netspeak is useful for several research areas, such as the Corpus Linguistics. Based on this assumption, this paper aims at describing the synthesis processes found on Internet texts in order to prove that there are rules on the formation of abbreviations and other words that are typical of this new form of expression. We found, through quantitative research, patterns of the netspeak, which proves that this language is not configured as an anarchic deviation of cultivated language. These patterns reflect the phonetic and syllabic structure of the Portuguese language rather systematically, showing the speakers implicit knowledge of the grammar and its eagerness to follow the principles of communicability. We also found qualitative and quantitative differences in the use of abbreviation according to the textual gender in which they appear. We believe that the understanding of the processes of the language used on the internet is important for the teaching of writing as well as its formal description can provide answers to criticisms against this form of communicating, which coming from both teachers and students. So, at the end of this thesis, we suggest some tasks that make better use of the increasing activity of reading and writing provided by the boom in online communications, in order to achieve more sophisticated levels of literacy. Rather than describing the abbreviations used on the Internet without suggesting how to deal with them, we try to provide a new perspective to scholars from various fields that deal with the Internet language, as well as to teachers and students who have a wrong view about this language.

Page generated in 0.0447 seconds