• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 164
  • 30
  • 4
  • 3
  • 3
  • 3
  • 2
  • 2
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • Tagged with
  • 218
  • 32
  • 24
  • 23
  • 22
  • 20
  • 19
  • 18
  • 18
  • 16
  • 16
  • 15
  • 14
  • 13
  • 13
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

O gênero Moquiniastrum (Asteraceae, Gochnatioideae, Gochnatieae) na região sul do Brasil

Freitas, Karen Araujo de January 2014 (has links)
A tribo Gochnatieae é a única tribo da subfamília Gochnatioideae e apresenta aproximadamente 103 espécies. Moquiniastrum (Cabrera) G. Sancho, originalmente descrito por Cabrera como uma seção de Gochnatia Kunth, após análises moleculares e morfológicas mais detalhadas foi elevado à categoria de gênero. Apresentam diferenças com Gochnatia, tais como ginodioicia, indumento de tricomas com 2-5-raios e sinflorescência usualmente paniculiforme. Atualmente, Moquiniastrum é constituído por 21 espécies, distribuídas principalmente no Brasil. Apesar dos esforços, pouco se conhece sobre a taxonomia do gênero Moquiniastrum e ainda há escassez de estudos sobre o arranjo sexual das flores no capítulo, necessitando de análises aprofundadas destas estruturas. O objetivo geral deste trabalho foi realizar um estudo taxonômico do gênero Moquiniastrum na região Sul do Brasil e esclarecer questões sobre o arranjo sexual dos capítulos, classificar os tricomas foliares, avaliar e enquadrar os táxons em categorias de ameaça de extinção. A metodologia empregada neste trabalho baseou-se em revisão bibliográfica, revisão do material de 22 herbários nacionais e internacionais e 22 expedições a campo pela região Sul. Para análise, identificação e classificação dos táxons foram realizadas comparações com os typus, além de consulta às descrições originais. Para a análise micromorfológica dos tricomas utilizou-se solução fixadora em lâmina e lamínula, visualização em microscópio óptico e medidas através de software específico. No enquadramento das categorias de ameaça utilizou-se o programa GeoCat e critérios estabelecidos pela União Internacional de Conservação da Natureza. Foram identificados 12 táxons ocorrentes nos Estados do Paraná (PR), Santa Catarina (SC) e Rio Grande do Sul (RS): Moquiniastrum argyreum (Dusén ex Malme) G. Sancho (PR), M. barrosoae (Cabrera) G. Sancho (PR), M. cinereum (Hook. & Arn.) G. Sancho (PR, RS), M. cordatum (Less.) G. Sancho (RS), M. mollissimum (Malme) G. Sancho (RS), M. paniculatum (Less.) G. Sancho (PR), M. polymorphum (Less.) G. Sancho (PR, RS e SC), M. polymorphum subsp. floccosum (Cabrera) G. Sancho (PR, RS, SC), M. polymorphum subsp. ceanothifolium (Less.) G. Sancho (PR, RS, SC), M. ramboi (Cabrera) G. Sancho (RS), M. sordidum (Less.) G. Sancho (PR, RS) e M. velutinum (Bong.) G. Sancho (PR).
2

Systematics of Multisieae (COMPOSITAE, MUTISIOIDEAE) with emphasis on Trichocline / Systematics of Mutisieae (Compositae, Mutisioideae) with emphasis on Trichocline

Pasini, Eduardo January 2016 (has links)
A tribo Mutisieae, juntamente com as tribos Onoserideae e Nassauvieae compõem a subfamília Mutisioideae. É uma das mais diversas tribos em número de gêneros (14) e espécies (200) e apresenta a mais ampla distribuição geográfica em comparação com as outras duas tribos de Mutisioideae. A maior parte dos gêneros é encontrada na América do Sul, com grande diversidade de espécies nos Andes e Região Sul do Brasil. Alguns gêneros atingem maiores latitudes, onde podem ser encontrados na América do Norte e Ásia, além disso ocorrem em regiões de grandes altitudes no leste e sul da África ou em áreas de clima mediterrâneo na Austrália, onde apenas um gênero é encontrado. Trichocline é o quarto maior gênero da tribo Mutisieae, com 23 espécies distribuídas principalmente nos Andes e Região Sul do Brasil. As espécies caracterizam-se pela presença de corolas bilabiadas, flores marginais conspícuas com lábios abaxiais expandidos, presença de estaminódios e cipsela truncada coberta de tricomas gêmeos claviformes. Trichocline faz parte do Complexo-Gerbera, um grupo morfologicamente homogêneo, representado por oito gêneros: Amblysperma, Chaptalia, Gerbera, Leibnitzia, Lulia, Perdicium, Piloselloides e Uechtritzia. A relação sistemática entre os gêneros do Complexo-Gerbera, especialmente Gerbera, Chaptalia, Trichocline e Leibnitzia é pouco compreendida, principalmente pelo fato de que poucos caracteres delimitam os gêneros, além disso eles são variáveis e se sobrepõem entre espécies de gêneros diferentes. Os objetivos deste trabalho foram inferir a filogenia do gênero Trichocline e compreender a evolução e relações sistemáticas dos gêneros do Complexo-Gerbera. De modo a avaliar o monofiletismo do gênero Trichocline, foram sequenciados seis marcadores plastidias (trnL-trnF, trnQ-rps16, trnL-rpl32, psbA-trnH, matK e ndhF) e dois marcadores nucleares (ITS e ETS). A maioria das espécies de Trichocline (exceto Trichocline deserticola), Lulia nervosa e três espécies de Brachyclados foram usadas como grupo interno, e uma espécie de Chaptalia foi usada como grupo externo. Para a outra análise foram amostrados os gêneros do Complexo-Gerbera, exceto Perdicium, e nove espécies da tribo Nassauvieae como grupo interno, e quatro espécies da tribo Onoserideae como grupo externo. Foram sequenciados os marcadores ITS, trnL-trnF e trnL-rpl32 de cinco amostras de Trichocline, duas de Amblysperma, duas de Chaptalia e três de Mutisia. As sequencias restantes foram obtidas do GenBank. Os resultados mostram que Trichocline é monofilético, provavelmente originou-se nos Andes e diversificouse recentemente no Planalto Sul-Brasileiro. Brachyclados é o grupo-irmão de Trichocline e o gênero monospecífico Lulia compartilha um ancestral comum mais próximo com Brachyclados + Trichocline. A presente filogenia indica que os caracteres utilizados para circunscrição do Complexo-Gerbera não o tornavam monofilético. Conforme a atual delimitação morfológica (hábito herbáceo), Brachyclados não é incluído no Complexo, entretanto, os dados moleculares mostram o contrário. Além disso, Amblysperma, um gênero endêmico da Austrália, o qual uma vez estava incluído em Trichocline, mostrou-se irmão das espécies africanas de Gerbera. Como resultado a classificação do Complexo-Gerbera necessita revisão. Para melhor compreender a biogeografia e evolução de caracteres das espécies asiáticas do Complexo-Gerbera, futuros estudos devem aumentar a amostragem, especialmente do gênero Gerbera. Juntamente com os principais resultados da filogenia do Complexo-Gerbera e Trichocline, foram realizados trabalhos a campo e revisões de herbários, as quais resultaram nos trabalhos taxonômicos e nomenclaturais apresentados nesta tese. A nova espécie, Trichocline minuana, endêmica dos campos do Pampa no sul do Brasil e Uruguai, é descrita e ilustrada, e seu estado de conservação avaliado. Além disso, durante uma saída a campo no norte do Uruguai, Trichocline maxima foi redescoberta em uma nova localidade, a qual não havia sido coletada há quase 80 anos. A espécie é ilustrada, seu estado de conservação avaliado, e uma chave de identificação para as espécies Uruguaias e Brasileiras de Trichocline é apresentada. Finalmente, um neótipo é indicado para o nome Bichenia aurea e lectótipos são designados para os nomes Onoseris heterophylla e Trichocline linearifolia. / The tribe Mutisieae, together with Onoserideae and Nassauvieae, is currently circumscribed under the subfamily Mutisioideae. It is one of most diverse in number of genera (14) and species (200) and presents the widest geographical distribution, in comparison with the other tribes of Mutisioideae. Most of the genera are found in South America, with a greater diversity of species in the Andes and South of Brazil. Some genera have reached higher latitudes of the northern hemispheres, where they can be found in North America and Asia, besides that, they occur in higher altitudes of eastern and southern Africa, and in the mediterrenean climate of Australia, where only one genus occur. Trichocline is the fourth largest genus of the tribe Mutisieae, comprising about 23 species, distributed mainly in the Andes and southern Brazil. The species are characterized by bilabiate corollas, conspicuous marginal florets with expanded abaxial lip, presence of staminodes, and truncated cypselae covered with claviform twin hairs. The genus belongs to the tribe Mutisieae, placed in the Gerbera- Complex, a morphologically homogeneous group represented by eight genera of herbs with monocephalic scapes: Amblysperma, Chaptalia, Gerbera, Leibnitzia, Lulia, Perdicium, Piloselloides and Uechtritzia. The systematic relationships among the genera of the Gerbera-Complex, especially Gerbera, Chaptalia, Trichocline and Leibnitzia are poorly understood mainly because there are few characters that delimit the genera, and besides that they are variable and overlap among species of different genera. The goals of this study were to determine a phylogeny of Trichocline and to understand the evolution and systematic boundaries of the genera of the Gerbera- Complex. To assess the monophyly of the genus Trichocline, both plastid (trnL-trnF, trnL-rpl32, psbA-trnH, matK and ndhF) and nuclear (ITS and ETS) markers were sequenced. Most of the species of Trichocline (except Trichocline deserticola), Lulia nervosa and three species of Brachyclados were sampled as part of the ingroup and one species of Chaptalia was used as outgroup. For the other analysis we used all the genera of the Gerbera-Complex, except Perdicium, and nine species of the tribe Nassauvieae as the ingroup, and four species of the tribe Onoseridae as outgroup. We sequenced ITS, trnL-trnF and trnL-rpl32 of five samples of Trichocline, two of Amblysperma, two of Chaptalia and three of Mutisia. The other sequences were obtained from GenBank. The results show that Trichocline is a monophyletic genus that probably originated in the northern Andes and had a recent rapid radiation on the southern Brazilian Plateau. Brachyclados is the sister group of Trichocline and the monospecific and endemic Lulia the closest lineage of Brachyclados + Trichocline. The phylogeny of the Gerbera-Complex indicates that the morphological characters used to circumscribe the Complex were non-homologous and as a result it was nonmonophyletic. For example, based on morphology (herbaceous habit) Brachyclados is not included in the Complex, however, the molecular data shows the opposite. In addition, Amblysperma, a genus that is endemic to Australia and was once included under Trichocline, is shown to be sister to the African species of Gerbera. As a result the classification of the Complex needs revision. In order to better understand the biogeography and evolution of characters of the Asian species of the Gerbera- Complex, further studies will focus on increasing the dataset, with special attention to the genus Gerbera. Alongside with the main results regarding the Gerbera-Complex and Trichocline phylogenetic analysis, fieldworks and herbarium investigation were conducted, resulting in the taxonomic and nomenclatural works presented here. The new species Trichocline minuana, endemic to the Pampas grasslans of South Brazil and Uruguay, is described and illustrated, and its conservation status assessed. Also, during a fieldwork in northern Uruguay the rare species Trichocline maxima, which has not been collected for over 80 years, was rediscovered. The species is also illustrated, its conservation status assessed, and a key to the Uruguaian and Brazilian species of Trichocline is presented. Finally a neotype is indicated for the name Bichenia aurea and lectotypes are designated for the names Onoseris heterophylla, T. humilis and T. linearifolia.
3

Phytochemical analysis of Gnaphalium obtusifolium Linné

Jannke, Paul Joseph, January 1938 (has links)
Thesis (Ph. D.)--University of Wisconsin--Madison, 1938. / Typescript. Includes abstract and vita. eContent provider-neutral record in process. Description based on print version record. Includes bibliographical references.
4

Systematics of Multisieae (COMPOSITAE, MUTISIOIDEAE) with emphasis on Trichocline / Systematics of Mutisieae (Compositae, Mutisioideae) with emphasis on Trichocline

Pasini, Eduardo January 2016 (has links)
A tribo Mutisieae, juntamente com as tribos Onoserideae e Nassauvieae compõem a subfamília Mutisioideae. É uma das mais diversas tribos em número de gêneros (14) e espécies (200) e apresenta a mais ampla distribuição geográfica em comparação com as outras duas tribos de Mutisioideae. A maior parte dos gêneros é encontrada na América do Sul, com grande diversidade de espécies nos Andes e Região Sul do Brasil. Alguns gêneros atingem maiores latitudes, onde podem ser encontrados na América do Norte e Ásia, além disso ocorrem em regiões de grandes altitudes no leste e sul da África ou em áreas de clima mediterrâneo na Austrália, onde apenas um gênero é encontrado. Trichocline é o quarto maior gênero da tribo Mutisieae, com 23 espécies distribuídas principalmente nos Andes e Região Sul do Brasil. As espécies caracterizam-se pela presença de corolas bilabiadas, flores marginais conspícuas com lábios abaxiais expandidos, presença de estaminódios e cipsela truncada coberta de tricomas gêmeos claviformes. Trichocline faz parte do Complexo-Gerbera, um grupo morfologicamente homogêneo, representado por oito gêneros: Amblysperma, Chaptalia, Gerbera, Leibnitzia, Lulia, Perdicium, Piloselloides e Uechtritzia. A relação sistemática entre os gêneros do Complexo-Gerbera, especialmente Gerbera, Chaptalia, Trichocline e Leibnitzia é pouco compreendida, principalmente pelo fato de que poucos caracteres delimitam os gêneros, além disso eles são variáveis e se sobrepõem entre espécies de gêneros diferentes. Os objetivos deste trabalho foram inferir a filogenia do gênero Trichocline e compreender a evolução e relações sistemáticas dos gêneros do Complexo-Gerbera. De modo a avaliar o monofiletismo do gênero Trichocline, foram sequenciados seis marcadores plastidias (trnL-trnF, trnQ-rps16, trnL-rpl32, psbA-trnH, matK e ndhF) e dois marcadores nucleares (ITS e ETS). A maioria das espécies de Trichocline (exceto Trichocline deserticola), Lulia nervosa e três espécies de Brachyclados foram usadas como grupo interno, e uma espécie de Chaptalia foi usada como grupo externo. Para a outra análise foram amostrados os gêneros do Complexo-Gerbera, exceto Perdicium, e nove espécies da tribo Nassauvieae como grupo interno, e quatro espécies da tribo Onoserideae como grupo externo. Foram sequenciados os marcadores ITS, trnL-trnF e trnL-rpl32 de cinco amostras de Trichocline, duas de Amblysperma, duas de Chaptalia e três de Mutisia. As sequencias restantes foram obtidas do GenBank. Os resultados mostram que Trichocline é monofilético, provavelmente originou-se nos Andes e diversificouse recentemente no Planalto Sul-Brasileiro. Brachyclados é o grupo-irmão de Trichocline e o gênero monospecífico Lulia compartilha um ancestral comum mais próximo com Brachyclados + Trichocline. A presente filogenia indica que os caracteres utilizados para circunscrição do Complexo-Gerbera não o tornavam monofilético. Conforme a atual delimitação morfológica (hábito herbáceo), Brachyclados não é incluído no Complexo, entretanto, os dados moleculares mostram o contrário. Além disso, Amblysperma, um gênero endêmico da Austrália, o qual uma vez estava incluído em Trichocline, mostrou-se irmão das espécies africanas de Gerbera. Como resultado a classificação do Complexo-Gerbera necessita revisão. Para melhor compreender a biogeografia e evolução de caracteres das espécies asiáticas do Complexo-Gerbera, futuros estudos devem aumentar a amostragem, especialmente do gênero Gerbera. Juntamente com os principais resultados da filogenia do Complexo-Gerbera e Trichocline, foram realizados trabalhos a campo e revisões de herbários, as quais resultaram nos trabalhos taxonômicos e nomenclaturais apresentados nesta tese. A nova espécie, Trichocline minuana, endêmica dos campos do Pampa no sul do Brasil e Uruguai, é descrita e ilustrada, e seu estado de conservação avaliado. Além disso, durante uma saída a campo no norte do Uruguai, Trichocline maxima foi redescoberta em uma nova localidade, a qual não havia sido coletada há quase 80 anos. A espécie é ilustrada, seu estado de conservação avaliado, e uma chave de identificação para as espécies Uruguaias e Brasileiras de Trichocline é apresentada. Finalmente, um neótipo é indicado para o nome Bichenia aurea e lectótipos são designados para os nomes Onoseris heterophylla e Trichocline linearifolia. / The tribe Mutisieae, together with Onoserideae and Nassauvieae, is currently circumscribed under the subfamily Mutisioideae. It is one of most diverse in number of genera (14) and species (200) and presents the widest geographical distribution, in comparison with the other tribes of Mutisioideae. Most of the genera are found in South America, with a greater diversity of species in the Andes and South of Brazil. Some genera have reached higher latitudes of the northern hemispheres, where they can be found in North America and Asia, besides that, they occur in higher altitudes of eastern and southern Africa, and in the mediterrenean climate of Australia, where only one genus occur. Trichocline is the fourth largest genus of the tribe Mutisieae, comprising about 23 species, distributed mainly in the Andes and southern Brazil. The species are characterized by bilabiate corollas, conspicuous marginal florets with expanded abaxial lip, presence of staminodes, and truncated cypselae covered with claviform twin hairs. The genus belongs to the tribe Mutisieae, placed in the Gerbera- Complex, a morphologically homogeneous group represented by eight genera of herbs with monocephalic scapes: Amblysperma, Chaptalia, Gerbera, Leibnitzia, Lulia, Perdicium, Piloselloides and Uechtritzia. The systematic relationships among the genera of the Gerbera-Complex, especially Gerbera, Chaptalia, Trichocline and Leibnitzia are poorly understood mainly because there are few characters that delimit the genera, and besides that they are variable and overlap among species of different genera. The goals of this study were to determine a phylogeny of Trichocline and to understand the evolution and systematic boundaries of the genera of the Gerbera- Complex. To assess the monophyly of the genus Trichocline, both plastid (trnL-trnF, trnL-rpl32, psbA-trnH, matK and ndhF) and nuclear (ITS and ETS) markers were sequenced. Most of the species of Trichocline (except Trichocline deserticola), Lulia nervosa and three species of Brachyclados were sampled as part of the ingroup and one species of Chaptalia was used as outgroup. For the other analysis we used all the genera of the Gerbera-Complex, except Perdicium, and nine species of the tribe Nassauvieae as the ingroup, and four species of the tribe Onoseridae as outgroup. We sequenced ITS, trnL-trnF and trnL-rpl32 of five samples of Trichocline, two of Amblysperma, two of Chaptalia and three of Mutisia. The other sequences were obtained from GenBank. The results show that Trichocline is a monophyletic genus that probably originated in the northern Andes and had a recent rapid radiation on the southern Brazilian Plateau. Brachyclados is the sister group of Trichocline and the monospecific and endemic Lulia the closest lineage of Brachyclados + Trichocline. The phylogeny of the Gerbera-Complex indicates that the morphological characters used to circumscribe the Complex were non-homologous and as a result it was nonmonophyletic. For example, based on morphology (herbaceous habit) Brachyclados is not included in the Complex, however, the molecular data shows the opposite. In addition, Amblysperma, a genus that is endemic to Australia and was once included under Trichocline, is shown to be sister to the African species of Gerbera. As a result the classification of the Complex needs revision. In order to better understand the biogeography and evolution of characters of the Asian species of the Gerbera- Complex, further studies will focus on increasing the dataset, with special attention to the genus Gerbera. Alongside with the main results regarding the Gerbera-Complex and Trichocline phylogenetic analysis, fieldworks and herbarium investigation were conducted, resulting in the taxonomic and nomenclatural works presented here. The new species Trichocline minuana, endemic to the Pampas grasslans of South Brazil and Uruguay, is described and illustrated, and its conservation status assessed. Also, during a fieldwork in northern Uruguay the rare species Trichocline maxima, which has not been collected for over 80 years, was rediscovered. The species is also illustrated, its conservation status assessed, and a key to the Uruguaian and Brazilian species of Trichocline is presented. Finally a neotype is indicated for the name Bichenia aurea and lectotypes are designated for the names Onoseris heterophylla, T. humilis and T. linearifolia.
5

Systematics of Multisieae (COMPOSITAE, MUTISIOIDEAE) with emphasis on Trichocline / Systematics of Mutisieae (Compositae, Mutisioideae) with emphasis on Trichocline

Pasini, Eduardo January 2016 (has links)
A tribo Mutisieae, juntamente com as tribos Onoserideae e Nassauvieae compõem a subfamília Mutisioideae. É uma das mais diversas tribos em número de gêneros (14) e espécies (200) e apresenta a mais ampla distribuição geográfica em comparação com as outras duas tribos de Mutisioideae. A maior parte dos gêneros é encontrada na América do Sul, com grande diversidade de espécies nos Andes e Região Sul do Brasil. Alguns gêneros atingem maiores latitudes, onde podem ser encontrados na América do Norte e Ásia, além disso ocorrem em regiões de grandes altitudes no leste e sul da África ou em áreas de clima mediterrâneo na Austrália, onde apenas um gênero é encontrado. Trichocline é o quarto maior gênero da tribo Mutisieae, com 23 espécies distribuídas principalmente nos Andes e Região Sul do Brasil. As espécies caracterizam-se pela presença de corolas bilabiadas, flores marginais conspícuas com lábios abaxiais expandidos, presença de estaminódios e cipsela truncada coberta de tricomas gêmeos claviformes. Trichocline faz parte do Complexo-Gerbera, um grupo morfologicamente homogêneo, representado por oito gêneros: Amblysperma, Chaptalia, Gerbera, Leibnitzia, Lulia, Perdicium, Piloselloides e Uechtritzia. A relação sistemática entre os gêneros do Complexo-Gerbera, especialmente Gerbera, Chaptalia, Trichocline e Leibnitzia é pouco compreendida, principalmente pelo fato de que poucos caracteres delimitam os gêneros, além disso eles são variáveis e se sobrepõem entre espécies de gêneros diferentes. Os objetivos deste trabalho foram inferir a filogenia do gênero Trichocline e compreender a evolução e relações sistemáticas dos gêneros do Complexo-Gerbera. De modo a avaliar o monofiletismo do gênero Trichocline, foram sequenciados seis marcadores plastidias (trnL-trnF, trnQ-rps16, trnL-rpl32, psbA-trnH, matK e ndhF) e dois marcadores nucleares (ITS e ETS). A maioria das espécies de Trichocline (exceto Trichocline deserticola), Lulia nervosa e três espécies de Brachyclados foram usadas como grupo interno, e uma espécie de Chaptalia foi usada como grupo externo. Para a outra análise foram amostrados os gêneros do Complexo-Gerbera, exceto Perdicium, e nove espécies da tribo Nassauvieae como grupo interno, e quatro espécies da tribo Onoserideae como grupo externo. Foram sequenciados os marcadores ITS, trnL-trnF e trnL-rpl32 de cinco amostras de Trichocline, duas de Amblysperma, duas de Chaptalia e três de Mutisia. As sequencias restantes foram obtidas do GenBank. Os resultados mostram que Trichocline é monofilético, provavelmente originou-se nos Andes e diversificouse recentemente no Planalto Sul-Brasileiro. Brachyclados é o grupo-irmão de Trichocline e o gênero monospecífico Lulia compartilha um ancestral comum mais próximo com Brachyclados + Trichocline. A presente filogenia indica que os caracteres utilizados para circunscrição do Complexo-Gerbera não o tornavam monofilético. Conforme a atual delimitação morfológica (hábito herbáceo), Brachyclados não é incluído no Complexo, entretanto, os dados moleculares mostram o contrário. Além disso, Amblysperma, um gênero endêmico da Austrália, o qual uma vez estava incluído em Trichocline, mostrou-se irmão das espécies africanas de Gerbera. Como resultado a classificação do Complexo-Gerbera necessita revisão. Para melhor compreender a biogeografia e evolução de caracteres das espécies asiáticas do Complexo-Gerbera, futuros estudos devem aumentar a amostragem, especialmente do gênero Gerbera. Juntamente com os principais resultados da filogenia do Complexo-Gerbera e Trichocline, foram realizados trabalhos a campo e revisões de herbários, as quais resultaram nos trabalhos taxonômicos e nomenclaturais apresentados nesta tese. A nova espécie, Trichocline minuana, endêmica dos campos do Pampa no sul do Brasil e Uruguai, é descrita e ilustrada, e seu estado de conservação avaliado. Além disso, durante uma saída a campo no norte do Uruguai, Trichocline maxima foi redescoberta em uma nova localidade, a qual não havia sido coletada há quase 80 anos. A espécie é ilustrada, seu estado de conservação avaliado, e uma chave de identificação para as espécies Uruguaias e Brasileiras de Trichocline é apresentada. Finalmente, um neótipo é indicado para o nome Bichenia aurea e lectótipos são designados para os nomes Onoseris heterophylla e Trichocline linearifolia. / The tribe Mutisieae, together with Onoserideae and Nassauvieae, is currently circumscribed under the subfamily Mutisioideae. It is one of most diverse in number of genera (14) and species (200) and presents the widest geographical distribution, in comparison with the other tribes of Mutisioideae. Most of the genera are found in South America, with a greater diversity of species in the Andes and South of Brazil. Some genera have reached higher latitudes of the northern hemispheres, where they can be found in North America and Asia, besides that, they occur in higher altitudes of eastern and southern Africa, and in the mediterrenean climate of Australia, where only one genus occur. Trichocline is the fourth largest genus of the tribe Mutisieae, comprising about 23 species, distributed mainly in the Andes and southern Brazil. The species are characterized by bilabiate corollas, conspicuous marginal florets with expanded abaxial lip, presence of staminodes, and truncated cypselae covered with claviform twin hairs. The genus belongs to the tribe Mutisieae, placed in the Gerbera- Complex, a morphologically homogeneous group represented by eight genera of herbs with monocephalic scapes: Amblysperma, Chaptalia, Gerbera, Leibnitzia, Lulia, Perdicium, Piloselloides and Uechtritzia. The systematic relationships among the genera of the Gerbera-Complex, especially Gerbera, Chaptalia, Trichocline and Leibnitzia are poorly understood mainly because there are few characters that delimit the genera, and besides that they are variable and overlap among species of different genera. The goals of this study were to determine a phylogeny of Trichocline and to understand the evolution and systematic boundaries of the genera of the Gerbera- Complex. To assess the monophyly of the genus Trichocline, both plastid (trnL-trnF, trnL-rpl32, psbA-trnH, matK and ndhF) and nuclear (ITS and ETS) markers were sequenced. Most of the species of Trichocline (except Trichocline deserticola), Lulia nervosa and three species of Brachyclados were sampled as part of the ingroup and one species of Chaptalia was used as outgroup. For the other analysis we used all the genera of the Gerbera-Complex, except Perdicium, and nine species of the tribe Nassauvieae as the ingroup, and four species of the tribe Onoseridae as outgroup. We sequenced ITS, trnL-trnF and trnL-rpl32 of five samples of Trichocline, two of Amblysperma, two of Chaptalia and three of Mutisia. The other sequences were obtained from GenBank. The results show that Trichocline is a monophyletic genus that probably originated in the northern Andes and had a recent rapid radiation on the southern Brazilian Plateau. Brachyclados is the sister group of Trichocline and the monospecific and endemic Lulia the closest lineage of Brachyclados + Trichocline. The phylogeny of the Gerbera-Complex indicates that the morphological characters used to circumscribe the Complex were non-homologous and as a result it was nonmonophyletic. For example, based on morphology (herbaceous habit) Brachyclados is not included in the Complex, however, the molecular data shows the opposite. In addition, Amblysperma, a genus that is endemic to Australia and was once included under Trichocline, is shown to be sister to the African species of Gerbera. As a result the classification of the Complex needs revision. In order to better understand the biogeography and evolution of characters of the Asian species of the Gerbera- Complex, further studies will focus on increasing the dataset, with special attention to the genus Gerbera. Alongside with the main results regarding the Gerbera-Complex and Trichocline phylogenetic analysis, fieldworks and herbarium investigation were conducted, resulting in the taxonomic and nomenclatural works presented here. The new species Trichocline minuana, endemic to the Pampas grasslans of South Brazil and Uruguay, is described and illustrated, and its conservation status assessed. Also, during a fieldwork in northern Uruguay the rare species Trichocline maxima, which has not been collected for over 80 years, was rediscovered. The species is also illustrated, its conservation status assessed, and a key to the Uruguaian and Brazilian species of Trichocline is presented. Finally a neotype is indicated for the name Bichenia aurea and lectotypes are designated for the names Onoseris heterophylla, T. humilis and T. linearifolia.
6

Estudo citotaxonomico de especies do genero Lychnophora Mart. (Asteraceae: Vernonieae) em Minas Gerais

Mansanares, Mariana Esteves 14 September 2000 (has links)
Orientador: Eliana Regina Forni-Martins / Dissertação (mestrado) - Universidade Esatdual de Campinas, Instituto de Biologia / Made available in DSpace on 2018-07-26T19:47:15Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Mansanares_MarianaEsteves_M.pdf: 13614610 bytes, checksum: d67dea85f38e0c083cce1e941751e6df (MD5) Previous issue date: 2000 / Resumo: Ogênero Lychnophora Mart. é composto por cerca de 68 espécies endêmicas aos campos rupestres dos estados de Minas Gerais, Bahia e Goiás. As condições ecológicas destes ambientes possivelmente propiciaram uma especiação intensa, podendo ser um dos fatores destes endemismos. Em Minas Gerais encontra-se a maior diversidade de espécies de Lychnophora, sendo este estado considerado o maior centro de dispersão do gênero. Objetivando contribuir para o estudo biossistemático do gênero, foi realizado o estudo cromossômico de 18 espécies de Lychnophora pertencentes a três seções, coletadas na Serra do Cipó, Carrancas e na região de Diamantina, MG. Para análise meiótica, os botões florais foram fixados em solução Camoy, estocados em etanol 70% e as preparações citológicas foram obtidas mediante o esmagamento de anteras em carmim acético 1,2%. Para análise mitótica, utilizou-se raízes de cipselas recémgerminadas, tratadas com solução de 8-hidroxiquinoleína e fixadas em solução Camoy. As lâminas foram preparadas através da técnica de Giemsa. Foram encontrados três números cromossômicos, n=17, 18 e 19, que nem sempre coincidiram com as citações prévias. Em L. staavioides, foi detectada uma população poliplóide (n=34). Também foram analisadas a taxa de normalidade das tétrades e de viabilidade dos grãos-de-pólen. Estas taxas foram normais na maioria das espécies analisadas, à exceção de L. rupestris, que apresentou baixa taxa de normalidade de tétrades e de viabilidade dos grãos-de-pólen e de L. staavioides (população poliplóide), na qual foi observada uma baixa normalidade de tétrades. Esses diferentes números cromossômicos distribuem-se pelas espécies das 3 seções, ou seja, não são caracteres distintivos em nível infragenérico. Por outro lado, são caracteres importantíssimos na diferenciação de algumas espécies, cujos limites são questionados por parte de distintos taxonomistas. Os resultados obtidos confirmam, em sua maioria, a proposição taxonômica apresentada por Semir, em 1991 / Abstract: Genus Lychnophora Mart. has about 68 endemic species in campos rupestres in the states of Minas Gerais, Bahia and Goiás. Ecological conditions of this environment has possibly provided intense speciation, and these conditions could be one of the factors for this endemism. The biggest diversity is found in Minas Gerais, and this state is also considered the biggest centre of this genus disperseI. To contribute to the biosystematic study of the genus, a chromosomic study of 18 species of Lychnophora belonging to 3 sections was made; they were collected at Serra do Cipó, Carrancas and Diamantina regions, in the state of Minas Gerais. For meiotic analysis, floral buds were fixed in Carnoy's solution, stocked in 70% ethanol and cytologic preparation were obtained through anthers squashing in 1.2% carmine solution. For mitotic analysis cypselas root tips were used, treated in 8-hydroxyquinoline and fixed in Camoy's solution. The slides were prepared through Giemsa technique. Three chomosome numbers, n=17, 18 and 19, were found but they were not always coincident with previous reports. In L. staavioides a polyploid population (n=34) was detected. Normality range of tetrads and pollen grains feasibility were also analysed. These ranges were normal in most analysed species with the exception of L. rupestris that presented a low normality range of tetrads. These different chromosomic numbers are distributed through the 3 sections species; in other words, they are not distinctive characters in infragenic leveI. On the other hand, they are very important to differentiate some species whose limits are questioned by taxonomists. Results confirm, most of ali, the taxonomic proposition presented by Semir, in 1991 / Mestrado / Mestre em Biologia Vegetal
7

Estudo experimental da associação de Runcinioides argenteus (Araneae, Thomisidae) em Trichogoniopsis adenantha (DC) (Asteraceae)

Romero, Gustavo Quevedo, 1974- 07 October 2001 (has links)
Orientador : João Vasconcellos Neto / Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Biologia / Made available in DSpace on 2018-07-28T08:20:12Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Romero_GustavoQuevedo_M.pdf: 9082419 bytes, checksum: 90e43fd88fd03513cfc91aa31a76bbb7 (MD5) Previous issue date: 2001 / Resumo: Neste estudo, alguns aspectos da história natural das interações tritróficas do sistema: Trichogoniopsis adenantha (DC) (Asteraceae) - herbívoros e polinizadores predador senta-e-espera, Runcinioides argenteus (Araneae, Thomisidae) foram investigados na Serra do Japi, Sudeste do Brasil. Objetivando compreender melhor esse sistema trófico, foram estudados a fenologia da planta, investimento na produção de aquênio e períodos sazonais de maior número de aquênios viáveis (intactos e fecundados); fenologia de uma população do predador R argenteus, e tipos de presa que estão capturando; e sítios de forrageamento utilizados por R argenteus, em relação à disponibilidade de presas. Uma vez que essa aranha pode predar tanto polinizadores quanto predadores de aquênios e herbívoros de outros tecidos florais, podem interferir na assembléia desses herbívoros e afetar o sucesso reprodutivo da planta. O objetivo principal do presente trabalho foi verificar experimentalmente com plantas pareadas (com vs. sem aranhas) se plantas com aranhas têm menor taxa de co-ocorrência intra e interespecífica entre os insetos endófagos de capítulos, e maior número de aquênios intactos e não fecundados. A planta T. adenantha produziu mais ramos reprodutivos e maior número de aquênios por capítulo no período chuvoso (setembro-março). A maior proporção de aquênios danificados ocorreu em outubro e em dezembro, e de aquênios fecundados e intactos ocorreu em abril. A população da aranha R argenteus começou a crescer no início do verão (dezembro), atingindo um pico em março, e decresceu no outono, atingindo densidades mais baixas no inverno e na primavera quando os indivíduos chegaram à idade adulta. O maior recrutamento ocorreu a partir de novembro e dezembro. Análises de séries temporais (com até 3 meses de atraso) demonstraram sincronismo entre o início das chuvas, o período de floração de T. adenantha, um aumento da abundância de artrópodes (presas em potencial da aranha) e um aumento da densidade de R argenteus. Entretanto, cada classe de organismo demorou de um a 3 meses para responder em abundância às condições diretamente relacionadas. Dos 595 indivíduos de R. argenteus observados, 76 (12,8%) estavam predando artrópodes pertencentes a várias guildas, como a dos herbívoros, polinizadores e predadores. Muitas dessas presas eram espécies ápteras, ou aquelas que permanecem nos ramos por mais tempo. R argenteus ocupou substratos com maior ftequência de presas, indicando que, como outros tomisídeos já estudados, pode responder à qualidade dos sítios de forrageamento, conforme a Teoria do Forrageamento Ótimo. Em geral, no estudo experimental plantas com a ausência de R. argenteus tiveram maior número de indivíduos de Trupanea sp. (Diptera, Tephritidae) por capítulo, mas um outro herbívoro comum, Melanagromyza sp. (Diptera, Agromyzidae) não foi afetado. Plantas sem predadores apresentaram maior proporção de capítulos infestados e maior número de aquênios danificados. Entretanto, as aranhas exerceram efeito apenas contra uma espécie de predador de aquênio, o endófago Trupanea sp., não afetando as taxas de danos nos aquênios provocados por Melanagromyza sp. e por larvas de Geometridae sp. (Lepidoptera). As aranhas não afetaram a taxa de aquênios fecundados, indicando sua presença trouxe apenas beneficios para a planta / Abstract: In this study, some aspects of natural history of the tritrophic interactions of the system: Trichogoniopsis adenantha (DC) (Asteraceae) - herbivores and pollinators - sit and-wait predator, Runcinioides argenteus (Araneae, Thomisidae) were investigated in the Serra do Japi, southeast Brazil. To better understand this trophic system, the study included the plant phenology; investment in achene production and seasons of higher number of viable achenes (intact and fertile); population phenology of the predator R argenteus, and types of prey captured; and foraging sites used by this spider in relation to prey availability. Since the spider can prey on pollinators as well as predators of achenes and herbivorous of other floral tissues, it can interfere in the herbivore assemblage and affect the plant reproductive success. The principal objective ofthis study was to verify experimentaly with paired plants (with and wthout spider) whether plants with spiders present have a lower ratio of intra and interspecific co-occurrence among endofagous insects in flowerheads, and a higher number ofintact and non-fecundated achenes. The plant T. adenantha produced more reproductive branches and higher number of achenes per flowerhead in the rainy season (September-March). During April it was observed the higher rate of fertilized and intact achenes while the higher number of achenes injured was observed in October and December. The R argenteus population started to grow in the beginning of summer (December), reaching a peak in March, and decreased in autumn, with lowest density in winter and spring, when the individuaIs became adults. The highest recruitment occurred in November and December. Time-Iag analysis (with until 3 months delay) showed synchrony between beginning of the rains, the flowering period of T. adenantha, increase of abundance of arthropods (potential prey of the spider) and increase of R. argenteus density, with each class of organism somewhat delayed one to three months in respost to abundance to the direct1y related conditions. Of the 595 individuaIs of R argenteus observed, 76 (12,8%) were preying on arthropods belonging to several guilds, as herbivores, pollinators and predators. Most of these prey were apterous species, or those that remain in the branch for longer periods. R argenteus occupied substrats with higher prey ftequency, indicating that, like other thomisid spiders already studied, it can respond to the quality of foraging sites, according to Oprimal Foraging Theory. In general, in the experimental study the plants without R argenteus had a higher number of Trupanea sp. (Diptera, Tephritidae) per flowerhead, while an other common herbivore, Melanagromyza sp. (Diptera, Agromyzidae) was not affected. Plants without predators had higher proportion of infested flowerheads, and a higher number of attacked achenes. Nevertheless, the spiders had an effect against on1y one species of achene predator, the endophagous Trupanea sp., not changing the rates of achene damage made by Melanagromyza sp. or by caterpillars of Geometridae sp. (Lepidoptera). The spiders had not effect in the rate of fertilized achenes, indicating that their presence only benefited the plant / Mestrado / Mestre em Ecologia
8

Padrões de especialização e diferenciação morfologica em agromizideos endofagos de capitulos de asteraceas / Specialization and morphological patters of flower-head feeding agromyzids

Braun, Marina Reiter, 1977- 12 July 2006 (has links)
Orientadores: Thomas Michael Lewinsohn, Angelo Pires do Prado / Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Biologia / Made available in DSpace on 2018-08-07T21:30:09Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Braun_MarinaReiter_M.pdf: 3371729 bytes, checksum: 3480f5a7748406ce314eda5ff998ed75 (MD5) Previous issue date: 2006 / Resumo: Na presente tese foram analisadas a especialização alimentar e variações morfológicas de agromizídeos endófagos de capítulos de asteráceas em remanescentes de cerrado no estado de São Paulo. Foram encontradas 15 espécies de três gêneros, das quais nove já haviam sido descritas. Dentre estas, o gênero Ophiomyia foi registrado pela primeira vez se alimentando de capítulos de asteráceas. A especialização alimentar desses endófagos foi analisada de acordo com o número de plantas hospedeiras locais e regionais. Foi observado que existe variação na especialização alimentar das espécies de herbívoro do âmbito regional para o local, ou seja, generalistas regionais podem ser especialistas locais, e que a presença da planta hospedeira nas localidades não prediz a presença do herbívoro. Através de análise da variação na forma corporal e da asa de agromizídeos, foram confrontadas metodologias alternativas de classificação de indivíduos de nove espécies de agromizídeos, estreitamente aparentados, a fim de verificar qual é o grau de coincidência na similaridade aferida entre indivíduos pelos diferentes métodos empregados. Foi comparada também a capacidade de discriminação e identificação de espécies muito próximas destes diferentes métodos. A metodologia de classificação com resultados mais semelhantes à tradicional (morfologia do edeago) é a de medidas corpóreas externas / Abstract: Feeding specialization and morphological variations of agromizid flies feeding inside asteracean flowerheads were analyzed in this thesis. All Asteraceae hostplants were sampled in cerrado remnants in the State of São Paulo. I recorded fifteen species from three genera, from which six are undescribed. For the first time, a species from Ophiomyia was recorded feeding flowerheads. I used the number of host-plants as surrogate for feeding specialization. I found that generalist species in the regional scale can be locally specialized on their hostplants. Moreover, host-plant presence at the local scale did not predict the occurrence of their endophagous agromyzids. To evaluate whether distinct methodologies for species separation are consistent, I examined the coincidence in the morphological similarity of 116 adult individuals. I also examined whether these distinct methods can discriminate those species with higher morphological similarity. The methodology based on measures of the external morphology was the most similar to the conventional classification system based on male genitalia morphology / Mestrado / Mestre em Ecologia
9

South African Helichrysum species: A review of the traditional uses, biological activity and phytochemistry

Lourens, ACM, Viljoen, AM, van Heerden, FR 10 June 2008 (has links)
Aims of the study: In South Africa, the genus Helichrysum is widely used in traditional medicine. The uses are well documented although renaming of species and the resulting confusing taxonomic nomenclature may cause uncertainty as to which specific species was referred to in some reports. The aim of this paper is to present a collated and coherent overview of the documented traditional uses of Helichrysum species and to update the botanical identity of previously studied species. Materials and methods: Databases (Scifinder, ISIWeb of Knowledge) and several bookswere used to collect in information on South African Helichrysum species. Results: The traditional uses, chemistry and biological activity of Helichrysum species have been summarized. It was attempted to give clarity as to exactly which species is refer to in the ethnobotanical literature. Conclusions: Although a largenumber of ethnopharmacological uses have beendocumentedand the chemistry of the genus has been studied extensively, only a few South African species have been investigated for their biological activity.
10

Revisión sistemática, análisis cladístico y biogeográfico del género Smallanthus Mack. (Asteraceae, millerieae)

Vitali, Maira Soledad 19 March 2014 (has links)
El género Smallanthus pertenece a la familia Asteraceae, tribu Millerieae, subtribu Milleriinae. Fue descripto por Mackenzie en el año 1933, sobre la base de una sola especie norteamericana, Smallanthus uvedalius (L.) Mack. Fueron descriptas nuevas especies y transferidas de otros géneros, quedando Smallanthus conformado por 24 especies, que se distribuyen desde el Sur-Este de Estados Unidos, México, Guatemala, Belice, El Salvador, Honduras, Nicaragua, Costa Rica, Panamá, Colombia, Venezuela, Ecuador, Perú, Bolivia, Paraguay, Uruguay, Sur-Este de Brasil y el Centro-Este de Argentina. La gran mayoría de los endemismos se dan en el centro-sur de México. Como resultado de la revisión sistemática, se ampliaron las descripciones de todas las especies del género y se ilustraron, aportando mapas de distribución, datos ecológicos, fenológicos y clave para la identificación de las distintas especies del género. Se lleva a cabo una nueva combinación, Smallanthus cocuyensis (Cuatrec.) Vitali, quedando el género conformado por 25 especies. Se selecciona un lectotipo para Smallanthus maculatus. Se reconocen como sinónimos todas las variedades adjudicadas a Smallanthus maculatus y las adjudicadas a Smallanthus uvedalius. Las especies Smallanthus lundelli H. Rob. y Smallanthus obscurus B. L. Turner no son consideradas sinónimos de Smallanthus maculatus (Cav.) H. Robinson.

Page generated in 0.08 seconds