• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 165
  • 1
  • Tagged with
  • 166
  • 97
  • 62
  • 40
  • 38
  • 34
  • 33
  • 31
  • 30
  • 28
  • 28
  • 27
  • 25
  • 24
  • 23
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

A febre de Malta e o seu tratamento pelo Neosalvarsan

Moreira, José Mendes January 1923 (has links)
No description available.
2

Brucelose humana no Tocantins: distribuição espaço-temporal e atividades de risco.

Oliveira, Iza Alencar Sampaio de. 29 June 2017 (has links)
Submitted by Maria Creuza Silva (mariakreuza@yahoo.com.br) on 2018-05-21T19:07:32Z No. of bitstreams: 1 DissertaçãoMP. IZA ALENCAR S. Oliveira 2017.pdf: 2028584 bytes, checksum: 797c3d1db7511f454751083d543418d7 (MD5) / Approved for entry into archive by Maria Creuza Silva (mariakreuza@yahoo.com.br) on 2018-05-21T19:10:59Z (GMT) No. of bitstreams: 1 DissertaçãoMP. IZA ALENCAR S. Oliveira 2017.pdf: 2028584 bytes, checksum: 797c3d1db7511f454751083d543418d7 (MD5) / Made available in DSpace on 2018-05-21T19:10:59Z (GMT). No. of bitstreams: 1 DissertaçãoMP. IZA ALENCAR S. Oliveira 2017.pdf: 2028584 bytes, checksum: 797c3d1db7511f454751083d543418d7 (MD5) / A brucelose humana é uma zoonose negligenciada com forte caráter ocupacional, cujas formas de transmissão mais descritas são o contato direto com animais e o consumo de leite in natura e seus derivados não pasteurizados. Sua incidência ainda é pouco conhecida em muitos países, devido principalmente ao fato de não ser uma doença de notificação compulsória. No Estado do Tocantins, desde o ano de 2008, são registrados anualmente casos novos de brucelose humana, e por isso, a partir de 2015 ela passou a integrar a relação de doenças de notificação compulsória de interesse estadual, mas ainda pouco se sabe sobre seu perfil epidemiológico. Este estudo teve como objetivo caracterizar o padrão de distribuição espaço temporal e socio-demográfico dos casos confirmados de brucelose humana e residentes no Estado do Tocantins, entre 2008 e 2015, bem como estimar a incidência e apontar as atividades de riscos associadas à ocorrência da doença. O estudo é do tipo ecológico e descritivo, com análise de dados secundários e o indicador utilizado foi o da incidência, calculada por município e para o Estado. No Tocantins, de 2008 a 2015, foram confirmados 101 casos de brucelose humana, e a incidência anual média foi de 0,9/100.000 habitantes, enquanto a anual variou de 0,2 a 2,1/100.000 habitantes. Os casos eram oriundos de 25 dos 139 municípios do Estado, distribuídos em sete das oito regiões de saúde, e a incidência anual variou entre eles de 0,3 a 5,6/100.000 habitantes. Os municípios de Juarina (5,6), Carmolândia (5,2), Araguaína (5,1), Nova Olinda (4,5) e Cariri do Tocantins (3,2) foram os que tiveram maiores incidências para a brucelose humana. Na série histórica de 2012 a 2015, foram confirmados 37 casos da doença, sendo a maioria destes indivíduos pertencentes ao sexo masculino (75,7%); faixa etária de 20 a 49 anos (64,8%); escolaridade até ensino médio completo (72,7%); cor parda (70,3%); e residentes da zona urbana (78,4%). Quanto as atividades de risco, a ocupação em atividades agropecuárias (59,5%), o contato com tecidos e/ou secreções de animais (51,4%) e o consumo de leite in natura ou seus derivados (37,8%) foram os mais encontrados. Conclui-se que a brucelose humana possui transmissão ativa e é de grande relevância epidemiológica em todo o Estado do Tocantins. O caráter ocupacional e/ou contato direto ou indireto com animais devem subsidiar as suspeições e ajudar na intensificação das medidas de prevenção e controle da brucelose humana nos municípios e populações mais expostas.
3

Inquérito sorológico de brucelose ovina em cabanhas registradas da Região Centro-Oeste do Estado de São Paulo, através das técnicas de imunodifusão em gel de ágar e ELISA /

Nozaki, Cristiane Nakada. January 2003 (has links)
Orientador : Jane Megid / Resumo: A brucelose ovina, causada pela Brucella ovis, é responsável por elevadas perdas econômicas, com enormes prejuízos para a produção de lã, carne, leite e fertilidade do rebanho. O objetivo do presente trabalho foi avaliar a frequência de reações sorológicas para Brucella ovis, em ovinos de cabanhas da região Centro-Oeste do estado de São Paulo, que registram seus animais na Associação Paulista dos Criadores de Ovinos, correlacionando os resultados obtidos na imunodifusão em gel de ágar sem 2-mercaptoetanol (ID s/2-ME), imunodifusão em gel de ágar com 2-mercaptoetanol (ID c/ 2-ME) e ELISA, ao quadro clínico dos animais. Dos 1033 soros ovinos analisados, observou-se 12% de positivos a ID s/2-ME, 1,1% de positivos a ID c/ 2-ME e 6% de reagentes considerados suspeitos pela técnica de ELISA. Quando comparadas as provas de ID s/ 2-ME à ID c/ 2-ME e ID c/ 2-ME à ELISA, observou-se uma variação de 83,23 à 87,54% e 91,16 à 94,32%, respectivamente, de resultados concordantes. Uma vez que as reações no ELISA foram somente suspeitas, não se pode afirmar que os animais sejam positivos. Os melhores resultados, embora não estatísticos, foram observados com a ID s/ 2-ME e ELISA. A aplicação associada da ID s/ 2-ME ao ELISA deve ser incentivada para o diagnóstico da brucelose ovina, por possibilitar resultados mais confiáveis. / Abstract: Ovine brucellosis due to Brucella ovis is responsible to great economic losses related to milk and meat production and decrease in reproductive performances. The goal of this study is to evaluate the serological reactions frequency for Brucella ovis to Paulista ovine bear association registered sheep at the midwest region from Sao Paulo state, Brazil. Correlating the results of the immunodifusion in agar gel without 2-mercaptoethanol (ID s/2-ME), the immunodifusion in agar gel with 2-mercaptoethanol (ID c/2-ME), and ELISA to the clinic situation of the animals. From 1033 analyses of ovine sera, was observed 12% of positive at ID s/2-ME, 1,1% positives at ID c/2-ME and 6% considered reactive at ELISA techniques. When compared the ID s/2-ME tests to ID c/2-ME test, and ID c/2-ME to ELISA, was observed a variation from 83.23 to 87.54% and from 91.16 to 94.32% respectively, of concordant results. Once the reaction on ELISA was only suspected, we can't say that the animals were positives. The better results, although was not statistically was observed comparing ID s/2-ME and ELISA. The associated appliance of ID s/2-ME to ELISA shoud be incentivated to the diagnostic of ovine brucelosis for being possible more confieble results. / Mestre
4

Avaliação do teste do anel na vigilância epidemiológica da brucelose bovina em rebanhos e laticínios /

Silva Júnior, Francisco Feliciano da. January 2003 (has links)
Resumo: A brucelose bovina é uma zoonose de ampla distribuição, responsável por consideráveis perdas econômicas, além de se constituir em um sério problema de saúde pública. Este trabalho teve por objetivo avaliar a prova do Teste do Anel (TAL) para diagnóstico da Brucelose bovina em amostras de leite, visando o diagnóstico individual e de rebanho. Foram avaliadas 464 amostras individuais de leite de fêmeas bovinas em diferentes períodos de lactação e 54 amostras de leite dos latões constituídos por leite dos respectivos animais. Os resultados obtidos foram avaliados frente aos resultados sorológicos das provas do Antígeno Tamponado Acidificado (ATA) e Soroaglutinação Lenta em Tubos (SAL)/2-Mercaptoetanol (2-ME). Das 464 amostras individuais de leite analisadas frente ao TAL, 123 (26,50%) apresentaram resultados positivos. Dentre estas, 31 (25,20%) resultaram positivas ao ATA, 28 (22,76%) ao ATA/SAL/2-ME e 18 (14,63%) à SAL. Das 341 amostras negativas ao TAL pertenciam a animais sorologicamente positivos ao 2-ME, caracterizando 77,23% das reações falso-positivas e 1,2% de reações falso-negativas no TAL individual. Das 54 amostras de leite de latões analisadas pelo TAL, 16 (29,63%) resultaram positivas ao TAL. Entretanto, possuíam leite de animais sorologicamente positivos pelo 2-ME; 1 (1,85%) resultou positivo ao TAL, entretanto, todos os animais que o compunham resultaram negativos ao 2-ME, caracterizando falso-positivo; 3 (5,56%) latões foram classificados como TAL negativos, porém, possuíam leite de animais positivos ao 2-ME caracterizando falso-negativos. O TAL individual demonstrou elevado percentual de resultados falso-positivos, enquanto que o TAL em latões detectou 84,2% dos latões contaminados e 75% das propriedades infectadas, demonstrando ser uma ferramenta útil na vigilância epidemiológica da Brucelose bovina. / Abstract: Bovine brucellosis is a zoonosis of wide distribution, responsible of great economical loses, even being a serious public health problem. The subject of this work is was to evaluate the Ring Test (RT) for bovine brucellosis in milk samples, looking for an individual and a herd diagnostic test. Individual samples of milk from 464 bovine females were evaluated as well 54 samples of bulk's milk with milk production of respective animals. The results were evaluated comparatively to individual serological results to Rose Bengal (RBT), Tube Agglutination (TAT) and 2-Mercaptoethanol (2-ME) tests. From the 464 individual samples the individual RT, shows 123 (26,50%) positive results, in that 31 (25,20%) resulted positive for the RBT and 28 (22,76%) for RBT/TAT/2-ME and 18 (14,63%) TAT. From 341 negative samples to RT were from TAT/2-ME positive serological animals showing 77,23% of positive false reaction and 1,2% of negative false reaction for the individual RT. From 54 samples of bulk's milk 16 (29,63%) RT positive results have milk from positive serological animals for TAT/2-ME, 1 (1,85%) positive to RT, although, all of the animals were serologically negative to TAT/2-ME, characterizing false positive reaction and 3 (5,56%) bulk's were classified as negative to RT, although have milk from positive animals to TAT/2-ME characterizing false negative result. The individual RT showed high percentage of false positive results, while RT in the bulk presented low percentage of false positive reactions, detecting 84,2% of contaminated bulk's and 75% of infected properties, demonstrating to be a important tool for bovine brucellosis epidemiological vigilance. / Orientador: Jane Megid / Coorientador: José Paes de Almeida Nogueira Pinto / Mestre
5

Aspectos epidemiológicos, clínicos e avaliação dos métodos diagnósticos nas fases de evolução da brucelose em ovinos inoculados experimentalmente com Brucella ovis

Nozaki, Cristiane Nakada [UNESP] 22 February 2008 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2014-06-11T19:32:51Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2008-02-22Bitstream added on 2014-06-13T20:08:32Z : No. of bitstreams: 1 nozaki_cn_dr_botfmvz.pdf: 892631 bytes, checksum: d126bb773f589d40efa4b01f8252ff3c (MD5) / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) / O objetivo do presente estudo foi avaliar a patogenicidade e o potencial infectante da Brucella ovis REO 198 em carneiros inoculados experimentalmente, estudar o perfil sorológico destes animais e associa-los aos sinais clínicos, analisando o teste de imunodifusão em ágar gel e soroaglutinação rápida. Adicionalmente, adaptar e avaliar uma técnica de PCR frente ao cultivo bacteriano em diferentes materiais. Foram utilizados 36 carneiros, sendo 31 submetidos à inoculação via conjuntival e via intraprepucial de uma solução contendo 2x109 UFC/mL de B. ovis REO 198, simultaneamente e cinco submetidos a inoculação, pelas mesmas vias, de solução fisiológica, mantidos como grupo controle. Todos os animais inoculados foram submetidos, semanalmente, à avaliação clínica, colheita de sangue para diagnóstico sorológico, sêmen e urina para cultivo e realização da PCR. Sorologia positiva foi observada nos animais, por ambas as provas, a partir da 2ª semana, observando-se flutuações de títulos. Alterações clínicas se iniciaram a partir da 5ª semana pós-inoculação estando associada à sorologia positiva na fase aguda da enfermidade. Eliminação de B.ovis pode ser observado por cultivo e PCR nas amostras de sêmen e urina de modo intermitente. Infecção natural foi observada em três animais não inoculados e contactantes eventuais do grupo inoculado experimentalmente. Destaca-se o caráter patogênico e infectante da Brucella ovis REO 198, a importância das excreções destes animais como vias de eliminação e a condição destes como potenciais fontes de infecção. A IDGA demonstrou ser a mais favorável no uso como diagnóstico de rotina, enquanto a SAR diagnosticou apenas animais na fase aguda da doença. A PCR de sêmen ou urina dos animais associada ao cultivo microbiológico demonstrou melhor sensibilidade de detecção, sugerindo a associação das técnicas para um diagnóstico eficiente. / The objective of the present study was to evaluate the pathogenicity and infective potential of B. ovis REO 198 and to determine the serological profile of rams experimentally inoculated using immunodiffusion in agar gel and rapid serum agglutination test associated with clinical signs, as well as to adapt and evaluate PCR compared with microbiological culture in the different samples. Thirty one rams, 1-2 years old, were submitted to conjunctival and intrapreputial simultaneous inoculation with a solution containing 2x109 CFU/mL B. ovis REO 198. The other five animals constituted the control group and were inoculated by the same routes with sterile saline solution. All animals inoculated were weekly submitted to clinical evaluation, as well as collection of blood for serological diagnosis, and collection of semen and urine for culture and PCR. Positive serology was observed beginning in the third week, and decreasing soon after the fifth week after inoculation. Both tests detected fluctuations in titers. Clinical alterations began in the 5th week after inoculation and were associated with positive serology in the acute phase of the disease. B. ovis was observed in semen and in urine culture in an intermittent manner. Natural infection was observed in three non-inoculated animals that occasionally contacted animals of the infected group. The pathogenic and infective characteristics of B. ovis REO 198 were highlighted, as well as the importance of animal excretion as routes of elimination, and the condition of the animals as potential sources of infection. IDGA showed variable sensitivity in the different periods, detecting positive animals in the chronic phase of the disease, and was the preferred method to be used in routine diagnosis, whereas SAR just diagnosed animals in the acute phase of the disease. The semen or urine PCR associated to microbiological culture is recommended for an efficient diagnosis.
6

Avaliação do teste do anel na vigilância epidemiológica da brucelose bovina em rebanhos e laticínios

Silva Júnior, Francisco Feliciano da [UNESP] January 2003 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2014-06-11T19:30:11Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2003Bitstream added on 2014-06-13T21:00:28Z : No. of bitstreams: 1 silvajunior_ff_me_botfmvz.pdf: 516758 bytes, checksum: 28bab79cc201d2b692c1fc20feffa500 (MD5) / A brucelose bovina é uma zoonose de ampla distribuição, responsável por consideráveis perdas econômicas, além de se constituir em um sério problema de saúde pública. Este trabalho teve por objetivo avaliar a prova do Teste do Anel (TAL) para diagnóstico da Brucelose bovina em amostras de leite, visando o diagnóstico individual e de rebanho. Foram avaliadas 464 amostras individuais de leite de fêmeas bovinas em diferentes períodos de lactação e 54 amostras de leite dos latões constituídos por leite dos respectivos animais. Os resultados obtidos foram avaliados frente aos resultados sorológicos das provas do Antígeno Tamponado Acidificado (ATA) e Soroaglutinação Lenta em Tubos (SAL)/2-Mercaptoetanol (2-ME). Das 464 amostras individuais de leite analisadas frente ao TAL, 123 (26,50%) apresentaram resultados positivos. Dentre estas, 31 (25,20%) resultaram positivas ao ATA, 28 (22,76%) ao ATA/SAL/2-ME e 18 (14,63%) à SAL. Das 341 amostras negativas ao TAL pertenciam a animais sorologicamente positivos ao 2-ME, caracterizando 77,23% das reações falso-positivas e 1,2% de reações falso-negativas no TAL individual. Das 54 amostras de leite de latões analisadas pelo TAL, 16 (29,63%) resultaram positivas ao TAL. Entretanto, possuíam leite de animais sorologicamente positivos pelo 2-ME; 1 (1,85%) resultou positivo ao TAL, entretanto, todos os animais que o compunham resultaram negativos ao 2-ME, caracterizando falso-positivo; 3 (5,56%) latões foram classificados como TAL negativos, porém, possuíam leite de animais positivos ao 2-ME caracterizando falso-negativos. O TAL individual demonstrou elevado percentual de resultados falso-positivos, enquanto que o TAL em latões detectou 84,2% dos latões contaminados e 75% das propriedades infectadas, demonstrando ser uma ferramenta útil na vigilância epidemiológica da Brucelose bovina. / Bovine brucellosis is a zoonosis of wide distribution, responsible of great economical loses, even being a serious public health problem. The subject of this work is was to evaluate the Ring Test (RT) for bovine brucellosis in milk samples, looking for an individual and a herd diagnostic test. Individual samples of milk from 464 bovine females were evaluated as well 54 samples of bulk's milk with milk production of respective animals. The results were evaluated comparatively to individual serological results to Rose Bengal (RBT), Tube Agglutination (TAT) and 2-Mercaptoethanol (2-ME) tests. From the 464 individual samples the individual RT, shows 123 (26,50%) positive results, in that 31 (25,20%) resulted positive for the RBT and 28 (22,76%) for RBT/TAT/2-ME and 18 (14,63%) TAT. From 341 negative samples to RT were from TAT/2-ME positive serological animals showing 77,23% of positive false reaction and 1,2% of negative false reaction for the individual RT. From 54 samples of bulk's milk 16 (29,63%) RT positive results have milk from positive serological animals for TAT/2-ME, 1 (1,85%) positive to RT, although, all of the animals were serologically negative to TAT/2-ME, characterizing false positive reaction and 3 (5,56%) bulk's were classified as negative to RT, although have milk from positive animals to TAT/2-ME characterizing false negative result. The individual RT showed high percentage of false positive results, while RT in the bulk presented low percentage of false positive reactions, detecting 84,2% of contaminated bulk's and 75% of infected properties, demonstrating to be a important tool for bovine brucellosis epidemiological vigilance.
7

Inquérito sorológico de brucelose ovina em cabanhas registradas da Região Centro-Oeste do Estado de São Paulo, através das técnicas de imunodifusão em gel de ágar e ELISA

Nozaki, Cristiane Nakada [UNESP] January 2003 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2014-06-11T19:30:11Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2003Bitstream added on 2014-06-13T20:39:49Z : No. of bitstreams: 1 nozaki_cn_me_botfmvz.pdf: 667316 bytes, checksum: c8d98d117bad48fe0a9bdc25ea0666a5 (MD5) / A brucelose ovina, causada pela Brucella ovis, é responsável por elevadas perdas econômicas, com enormes prejuízos para a produção de lã, carne, leite e fertilidade do rebanho. O objetivo do presente trabalho foi avaliar a frequência de reações sorológicas para Brucella ovis, em ovinos de cabanhas da região Centro-Oeste do estado de São Paulo, que registram seus animais na Associação Paulista dos Criadores de Ovinos, correlacionando os resultados obtidos na imunodifusão em gel de ágar sem 2-mercaptoetanol (ID s/2-ME), imunodifusão em gel de ágar com 2-mercaptoetanol (ID c/ 2-ME) e ELISA, ao quadro clínico dos animais. Dos 1033 soros ovinos analisados, observou-se 12% de positivos a ID s/2-ME, 1,1% de positivos a ID c/ 2-ME e 6% de reagentes considerados suspeitos pela técnica de ELISA. Quando comparadas as provas de ID s/ 2-ME à ID c/ 2-ME e ID c/ 2-ME à ELISA, observou-se uma variação de 83,23 à 87,54% e 91,16 à 94,32%, respectivamente, de resultados concordantes. Uma vez que as reações no ELISA foram somente suspeitas, não se pode afirmar que os animais sejam positivos. Os melhores resultados, embora não estatísticos, foram observados com a ID s/ 2-ME e ELISA. A aplicação associada da ID s/ 2-ME ao ELISA deve ser incentivada para o diagnóstico da brucelose ovina, por possibilitar resultados mais confiáveis. / Ovine brucellosis due to Brucella ovis is responsible to great economic losses related to milk and meat production and decrease in reproductive performances. The goal of this study is to evaluate the serological reactions frequency for Brucella ovis to Paulista ovine bear association registered sheep at the midwest region from Sao Paulo state, Brazil. Correlating the results of the immunodifusion in agar gel without 2-mercaptoethanol (ID s/2-ME), the immunodifusion in agar gel with 2-mercaptoethanol (ID c/2-ME), and ELISA to the clinic situation of the animals. From 1033 analyses of ovine sera, was observed 12% of positive at ID s/2-ME, 1,1% positives at ID c/2-ME and 6% considered reactive at ELISA techniques. When compared the ID s/2-ME tests to ID c/2-ME test, and ID c/2-ME to ELISA, was observed a variation from 83.23 to 87.54% and from 91.16 to 94.32% respectively, of concordant results. Once the reaction on ELISA was only suspected, we can’t say that the animals were positives. The better results, although was not statistically was observed comparing ID s/2-ME and ELISA. The associated appliance of ID s/2-ME to ELISA shoud be incentivated to the diagnostic of ovine brucelosis for being possible more confieble results.
8

Aspectos epidemiológicos, clínicos e avaliação dos métodos diagnósticos nas fases de evolução da brucelose em ovinos inoculados experimentalmente com Brucella ovis /

Nozaki, Cristiane Nakada. January 2008 (has links)
Orientador: Jane Megid / Banca: Luis Antônio Mathias / Banca: Carlos Robles / Banca: Renato de Lima Santos / Banca: Júlio César de Freiras / Resumo: O objetivo do presente estudo foi avaliar a patogenicidade e o potencial infectante da Brucella ovis REO 198 em carneiros inoculados experimentalmente, estudar o perfil sorológico destes animais e associa-los aos sinais clínicos, analisando o teste de imunodifusão em ágar gel e soroaglutinação rápida. Adicionalmente, adaptar e avaliar uma técnica de PCR frente ao cultivo bacteriano em diferentes materiais. Foram utilizados 36 carneiros, sendo 31 submetidos à inoculação via conjuntival e via intraprepucial de uma solução contendo 2x109 UFC/mL de B. ovis REO 198, simultaneamente e cinco submetidos a inoculação, pelas mesmas vias, de solução fisiológica, mantidos como grupo controle. Todos os animais inoculados foram submetidos, semanalmente, à avaliação clínica, colheita de sangue para diagnóstico sorológico, sêmen e urina para cultivo e realização da PCR. Sorologia positiva foi observada nos animais, por ambas as provas, a partir da 2ª semana, observando-se flutuações de títulos. Alterações clínicas se iniciaram a partir da 5ª semana pós-inoculação estando associada à sorologia positiva na fase aguda da enfermidade. Eliminação de B.ovis pode ser observado por cultivo e PCR nas amostras de sêmen e urina de modo intermitente. Infecção natural foi observada em três animais não inoculados e contactantes eventuais do grupo inoculado experimentalmente. Destaca-se o caráter patogênico e infectante da Brucella ovis REO 198, a importância das excreções destes animais como vias de eliminação e a condição destes como potenciais fontes de infecção. A IDGA demonstrou ser a mais favorável no uso como diagnóstico de rotina, enquanto a SAR diagnosticou apenas animais na fase aguda da doença. A PCR de sêmen ou urina dos animais associada ao cultivo microbiológico demonstrou melhor sensibilidade de detecção, sugerindo a associação das técnicas para um diagnóstico eficiente. / Abstract: The objective of the present study was to evaluate the pathogenicity and infective potential of B. ovis REO 198 and to determine the serological profile of rams experimentally inoculated using immunodiffusion in agar gel and rapid serum agglutination test associated with clinical signs, as well as to adapt and evaluate PCR compared with microbiological culture in the different samples. Thirty one rams, 1-2 years old, were submitted to conjunctival and intrapreputial simultaneous inoculation with a solution containing 2x109 CFU/mL B. ovis REO 198. The other five animals constituted the control group and were inoculated by the same routes with sterile saline solution. All animals inoculated were weekly submitted to clinical evaluation, as well as collection of blood for serological diagnosis, and collection of semen and urine for culture and PCR. Positive serology was observed beginning in the third week, and decreasing soon after the fifth week after inoculation. Both tests detected fluctuations in titers. Clinical alterations began in the 5th week after inoculation and were associated with positive serology in the acute phase of the disease. B. ovis was observed in semen and in urine culture in an intermittent manner. Natural infection was observed in three non-inoculated animals that occasionally contacted animals of the infected group. The pathogenic and infective characteristics of B. ovis REO 198 were highlighted, as well as the importance of animal excretion as routes of elimination, and the condition of the animals as potential sources of infection. IDGA showed variable sensitivity in the different periods, detecting positive animals in the chronic phase of the disease, and was the preferred method to be used in routine diagnosis, whereas SAR just diagnosed animals in the acute phase of the disease. The semen or urine PCR associated to microbiological culture is recommended for an efficient diagnosis. / Doutor
9

Fatores associados à prevalência sorológica de Brucella ovis e Neospora caninum no rebanho ovino de Sergipe

Mendonça, Carlos Eduardo D’alencar 14 November 2014 (has links)
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária, 2014. / Submitted by Ana Cristina Barbosa da Silva (annabds@hotmail.com) on 2015-05-14T17:06:11Z No. of bitstreams: 1 2014_CarlosEduardoD’AlencarMendonça_Parcial.pdf: 508315 bytes, checksum: 100ab02ca48f4be8b6055c85fc241c9a (MD5) / Approved for entry into archive by Raquel Viana(raquelviana@bce.unb.br) on 2015-05-19T21:15:17Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2014_CarlosEduardoD’AlencarMendonça_Parcial.pdf: 508315 bytes, checksum: 100ab02ca48f4be8b6055c85fc241c9a (MD5) / Made available in DSpace on 2015-05-19T21:15:17Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2014_CarlosEduardoD’AlencarMendonça_Parcial.pdf: 508315 bytes, checksum: 100ab02ca48f4be8b6055c85fc241c9a (MD5) / Objetivou-se determinar a prevalência sorológica de Neospora caninum e Brucella ovis, alem dos fatores de risco e proteção associados as suas infecções. Foram colhidas 932 amostras de soros de ovinos, oriundas de 54 propriedades de 19 municípios de Sergipe. Para pesquisa de anticorpos contra N. caninum foi utilizada reação de imunofluorescencia indireta (IFI), com ponto de corte de 1:50, enquanto que para pesquisa de anticorpos contra B. ovis os soros foram examinados pela Imunodifusao em Gel de Agar (IDGA). Observou-se que 12,45% (116/932) dos ovinos foram sororeagentes, e de acordo com a analise, obteve-se na regressão logística não condicional a presença de cães na propriedade (OR=0,36) e uso de aprisco como instalação (OR=0,53) como fatores associados a proteção e propriedades com área maior que 50 hectares como fator associado a infecção (OR=1,71). Analisando os resultados obtidos na IDGA, 46,30% (25/54) das propriedades apresentaram evidencia sorológica de infecção por B. ovis, com uma prevalência de 4,40% (41/932). Como fator associado a infecção observou-se o contato com bovinos (OR=5,50) e ter tratador de ovinos (OR=2,68), enquanto uso de aprisco como instalação apresentou-se como fator de proteção (OR=0,40). Foi verificada disseminação dos dois agentes nas distintas mesorregiões do estado e salienta-se a importância de adoção de medidas sanitárias especificas nos rebanhos para reduzir o risco das infecções. / The aim of this study was determine the seroprevalence of Neospora caninum and Brucella ovis as well risk and protective factors associated with their infections. A total of 932 serum samples from sheep originating from 54 properties in 19 municipalities of the Sergipe State were analyzed. Indirect Immunofluorescence (IFA) was used to screen antibodies against N. caninum with a dilution of 1:50 as cutoff. For antibodies against B. ovis, sera were examined by Agar Gel Immunodiffusion (AGID) and 12.45% (116/932) of sheep were Reactive. In analysis of associated factors, using unconditional logistic regression, the presence of dogs on the property (OR=0,36) and use of pen house (OR=0,53) was a factor associated with protection and properties with up to 50 hectares (OR=1,71) as a factor associated with infection of N. caninum. Analyzing the results obtained in AGID, 46.30% (25/54) of the farms had serologic evidence of infection for B. ovis, with a prevalence of 4.40% (41/932) of seropositive animals. Associated with infection, we observed the contact with bovines (OR=5,50) and to have ovine handler (2,68), while use of pen was a protective factor (OR=0.40). Both two agents were seen in the different regions of the state and this highlights the importance of adopting specific health measures in flocks to reduce the risk of infections.
10

Avaliação comparativa das técnicas de ELISA indireto, antígeno acidificado tamponado, 2-mercaptoetanol com soroaglutinação lenta e fixação de complemento para o diagnóstico da brucelose em rebanho bovino não vacinado, rebanho vacinado com dose padrão e rebanho vacinado com dose reduzida da amostra 19 de Brucella abortus /

Jardim, Gustavo Coelho. January 2003 (has links)
Orientador : Márcio Rubens Graf Kuchembuck / Resumo: O presente trabalho avaliou o desempenho das técnicas de ELISA indireto, de antígeno acidificado tamponado (AAT) e de 2-mercaptoetanol (2-ME) com soroaglutinação lenta (SAL), comparando-as com a de fixação de complemento (FC), para o diagnóstico sorológico da brucelose em bovinos adultos de diferentes condições sanitárias: r1- rebanho não vacinado; r2- rebanho vacinado com dose padrão da vacina produzida com a amostra 19 de Brucella abortus; r3- rebanho vacinado com dose reduzida da mesma vacina. A prova que apresentou sensibilidade e especificidade mais próximas às da FC, considerada como padrão nesse estudo, foi a de AAT com especificidade relativa (ER) = 95,5% em r1 e ER = 98,9% em r2, seguida da 2-ME com SAL com ER = 94% em r1 e ER = 94,7% em r2, seguida do ELISA com ER = 81% em r1 e ER = 16,8% em r2. Todas as técnicas alcançaram sensibilidade relativa igual a 100% em r1 e r2; nenhuma, incluindo a FC, apresentou especificidade adequada para o diagnóstico em r3. A vacinação de bovinos adultos influenciou no diagnóstico sorológico. O ELISA indireto não apresentou nenhuma vantagens sobre o AAT para uso como teste de triagem. Seu uso como técnica de diagnóstico confirmatório requer mais estudos. / Abstract: This study evaluated the performance of the indirect ELISA, the rose bengal (RB) and the mercaptoethanol (ME) with standard aglutination test (SAT) techniques, comparing them to the complement fixation (CF), for the brucellosis serological diagnosis in adult bovines with different sanitary terms: h1- not vaccinated herd; h2- herd vaccinated with standard dose of the vaccine produced with the strain 19 of Brucella abortus; h3- herd vaccinated with reduced dose of the same vaccine. The test which presented closer sensitivity and specificity to the ones of the CF, considered as standard in this research, was the RB with relative specificity (SR) = 95,5% in h1 and SR = 98,9% in h2, followed by ME with SAT with SR = 94% in h1 and SR = 94,7% in h2, followed by ELISA with SR = 81% in h1 and SR = 16,8% in h2. All techniques reached relative sensitivity equal to 100% in h1 and h2; none, including the CF, presented suitable specificity for diagnosis in h3. Adult animals vaccination influenced the serological diagnosis. The indirect ELISA didn't show any advantage on RB for use as screening test. Its use as a final diagnosis technique requires more study. / Mestre

Page generated in 0.0293 seconds