• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 26
  • 6
  • 3
  • 1
  • Tagged with
  • 52
  • 52
  • 15
  • 13
  • 11
  • 9
  • 8
  • 8
  • 7
  • 6
  • 6
  • 6
  • 5
  • 5
  • 5
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

PREVALENCE AND SEVERITY OF FIBROPAPILLOMATOSIS IN JUVENILE GREEN TURTLES (CHELONIA MYDAS) IN THREE HABITATS ON FLORIDA'S EAS

Borrowman, Kelly 05 September 2008 (has links)
Fibropapillomatosis (FP) is a tumor-forming disease mainly found in juvenile green turtles (Chelonia mydas) inhabiting Florida's east coast. Despite increased research on the herpes virus that putatively causes it, long-term assessment is still needed of the distribution and severity of FP. Using the decades-long database compiled by the University of Central Florida Marine Turtle Research Group, I determined FP severity and distribution at three different sites: Indian River Lagoon (IRL), Sabellariid Worm Reef (SWR) and Trident Submarine Basin (TSB). Fibropapillomatosis occurred in >50% of IRL turtles, 18% of SWR turtles and <1% of TSB turtles. Regression of FP tumors was correlated with its prevalence, i.e. when and where FP was common, tumor regression was common. The probability of a turtle being non-afflicted or mildly afflicted increased with both increasing straight-line carapace length (SCL) and increasing relative body condition (residuals of log body mass versus log SCL). Mean annual growth rates of IRL and SWR turtles did not vary with FP severity; however, mean annual growth rates in IRL (1.10 cm/y) were significantly higher than in SWR (1.05 cm/y) and TSB (1.04 cm/y). Annual apparent survival estimates for IRL and TSB turtles were 0.72 and 0.73, respectively, and were constant over time. Even with increased prevalence of FP, annual apparent survival estimates were constant and similar to survival estimates of juvenile green turtles in areas without FP. In IRL, survival rates among FP Categories 0, 1 and 2 were similar (0.74, 0.74 and 0.81 respectively) and lower only for FP Category 3 (0.63). Thus, while FP occurred in >50% of turtles in some Florida east coast populations, their annual apparent survival only declined in advanced cases (FP Category 3). These data suggest 1) FP afflicts smaller or younger turtles, 2) larger juveniles, sub-adults and adults are either non-afflicted or possibly recover from this disease, and 3) annual apparent survival rates of green turtle populations are independent of FP prevalence except when tumor growth is extreme. / M.S. / Department of Biology / Sciences / Biology MS
2

Estimativa de idade e crescimento de Caretta caretta e Chelonia mydas no litoral sul do Brasil através de esqueletocronologia

Lenz, Ana Júlia January 2013 (has links)
As tartarugas marinhas são animais de vida longa, com maturação sexual tardia, grandes áreas de vida e ampla distribuição geográfica. Sofrem diversos impactos ao longo de seu ciclo de vida, o que contribui para estarem globalmente ameaçadas de extinção. Estes animais apresentam um ciclo de vida complexo, que consiste de estágios de desenvolvimento segregados espacialmente e temporalmente, envolvendo mudanças marcantes de habitat e dieta. O litoral sul do Brasil não apresenta áreas próprias para a desova de tartarugas marinhas, mas é utilizado regularmente por algumas espécies como área de alimentação, pelo menos em alguma etapa do seu desenvolvimento. As espécies registradas com mais frequência na região e analisadas neste estudo são a tartaruga-cabeçuda, Caretta caretta, e a tartaruga-verde, Chelonia mydas. Apesar de serem animais ameaçados de extinção, diversos aspectos do ciclo de vida das tartarugas marinhas permanecem pouco conhecidos. Idade e crescimento são parâmetros importantes para o melhor entendimento da história de vida das espécies e elaboração de estratégias de manejo. Espécimes encontrados encalhados mortos durante um período de 16 anos na costa do Rio Grande do Sul foram utilizados para realizar estimativas de idade e crescimento através de esqueletocronologia. Esta técnica oferece o potencial para uma rápida e ampla caracterização de parâmetros de idade e crescimento de uma população. Os resultados mostram que ambas as espécies são encontradas nesta região durante a fase juvenil, logo após o recrutamento do ambiente oceânico para o ambiente nerítico, que ocorre por volta de 12 anos e comprimentos de carapaça maiores que 55 cm nas tartarugas-cabeçudas e aproximadamente 30 cm e 3 anos nas tartarugas-verdes. As tartarugas-cabeçudas analisadas tiveram idades estimadas entre 10 e 29 anos e comprimentos da carapaça entre 53 e 101 cm e as tartarugas-verdes apresentaram entre 2 e 13 anos e tamanhos entre 31 e 62 cm. Taxas de crescimento são inversamente relacionadas à idade e ao tamanho, apresentando grande variação individual. Os resultados corroboram a ideia de que o litoral sul do Brasil é uma importante área de desenvolvimento para juvenis neríticos das duas espécies em questão, sendo uma região de extrema importância para a conservação das tartarugas marinhas no Atlântico sul ocidental. / Sea turtles are long-lived marine reptiles with late sexual mature, large home-ranges and wide geographic distribution. They are exposed to many impacts over its life cycle which contributes to their worldwide threatened status. Sea turtles present a complex life cycle of development stages that are segregated spatially and temporally involving marked changes in diet and habitat. The south coast of Brazil don‟t present nesting areas but is used by some species as feeding area at least in any stage of its development. The most abundant species in this region and the turtles analyzed in this study are the loggerhead and the green turtle. Although threatened worldwide, many aspects of life cycle of sea turtles remain poorly known. Age and growth are important parameters to understand life history and to develop management strategies. Specimens stranded during a period of 16 years along the coast of the State of Rio Grande do Sul were used to estimate age and growth by skeletochronology. This technique offers the potential to a quick and wide characterization of age and growth parameters of a population. The results show that both species live in this region during juvenile stage, just after recruitment from the oceanic environment to the neritic environment. The recruitment occurs about 12 years and length greater than 55 cm on loggerhead and from 30 cm and 3 years on green turtles. The loggerhead turtles have estimated age between 10 and 29 years and carapace length between 53 and 101 cm and green turtles presents between 2 and 13 years and length between 31 and 62 cm. Growth rates were inversely related to length and age. The results corroborate the idea that the south Brazilian coast is an important development area to neritic juveniles of both species, being a region of extreme importance to sea turtle conservation in the southwestern Atlantic.
3

Estimativa de idade e crescimento de Caretta caretta e Chelonia mydas no litoral sul do Brasil através de esqueletocronologia

Lenz, Ana Júlia January 2013 (has links)
As tartarugas marinhas são animais de vida longa, com maturação sexual tardia, grandes áreas de vida e ampla distribuição geográfica. Sofrem diversos impactos ao longo de seu ciclo de vida, o que contribui para estarem globalmente ameaçadas de extinção. Estes animais apresentam um ciclo de vida complexo, que consiste de estágios de desenvolvimento segregados espacialmente e temporalmente, envolvendo mudanças marcantes de habitat e dieta. O litoral sul do Brasil não apresenta áreas próprias para a desova de tartarugas marinhas, mas é utilizado regularmente por algumas espécies como área de alimentação, pelo menos em alguma etapa do seu desenvolvimento. As espécies registradas com mais frequência na região e analisadas neste estudo são a tartaruga-cabeçuda, Caretta caretta, e a tartaruga-verde, Chelonia mydas. Apesar de serem animais ameaçados de extinção, diversos aspectos do ciclo de vida das tartarugas marinhas permanecem pouco conhecidos. Idade e crescimento são parâmetros importantes para o melhor entendimento da história de vida das espécies e elaboração de estratégias de manejo. Espécimes encontrados encalhados mortos durante um período de 16 anos na costa do Rio Grande do Sul foram utilizados para realizar estimativas de idade e crescimento através de esqueletocronologia. Esta técnica oferece o potencial para uma rápida e ampla caracterização de parâmetros de idade e crescimento de uma população. Os resultados mostram que ambas as espécies são encontradas nesta região durante a fase juvenil, logo após o recrutamento do ambiente oceânico para o ambiente nerítico, que ocorre por volta de 12 anos e comprimentos de carapaça maiores que 55 cm nas tartarugas-cabeçudas e aproximadamente 30 cm e 3 anos nas tartarugas-verdes. As tartarugas-cabeçudas analisadas tiveram idades estimadas entre 10 e 29 anos e comprimentos da carapaça entre 53 e 101 cm e as tartarugas-verdes apresentaram entre 2 e 13 anos e tamanhos entre 31 e 62 cm. Taxas de crescimento são inversamente relacionadas à idade e ao tamanho, apresentando grande variação individual. Os resultados corroboram a ideia de que o litoral sul do Brasil é uma importante área de desenvolvimento para juvenis neríticos das duas espécies em questão, sendo uma região de extrema importância para a conservação das tartarugas marinhas no Atlântico sul ocidental. / Sea turtles are long-lived marine reptiles with late sexual mature, large home-ranges and wide geographic distribution. They are exposed to many impacts over its life cycle which contributes to their worldwide threatened status. Sea turtles present a complex life cycle of development stages that are segregated spatially and temporally involving marked changes in diet and habitat. The south coast of Brazil don‟t present nesting areas but is used by some species as feeding area at least in any stage of its development. The most abundant species in this region and the turtles analyzed in this study are the loggerhead and the green turtle. Although threatened worldwide, many aspects of life cycle of sea turtles remain poorly known. Age and growth are important parameters to understand life history and to develop management strategies. Specimens stranded during a period of 16 years along the coast of the State of Rio Grande do Sul were used to estimate age and growth by skeletochronology. This technique offers the potential to a quick and wide characterization of age and growth parameters of a population. The results show that both species live in this region during juvenile stage, just after recruitment from the oceanic environment to the neritic environment. The recruitment occurs about 12 years and length greater than 55 cm on loggerhead and from 30 cm and 3 years on green turtles. The loggerhead turtles have estimated age between 10 and 29 years and carapace length between 53 and 101 cm and green turtles presents between 2 and 13 years and length between 31 and 62 cm. Growth rates were inversely related to length and age. The results corroborate the idea that the south Brazilian coast is an important development area to neritic juveniles of both species, being a region of extreme importance to sea turtle conservation in the southwestern Atlantic.
4

Estimativa de idade e crescimento de Caretta caretta e Chelonia mydas no litoral sul do Brasil através de esqueletocronologia

Lenz, Ana Júlia January 2013 (has links)
As tartarugas marinhas são animais de vida longa, com maturação sexual tardia, grandes áreas de vida e ampla distribuição geográfica. Sofrem diversos impactos ao longo de seu ciclo de vida, o que contribui para estarem globalmente ameaçadas de extinção. Estes animais apresentam um ciclo de vida complexo, que consiste de estágios de desenvolvimento segregados espacialmente e temporalmente, envolvendo mudanças marcantes de habitat e dieta. O litoral sul do Brasil não apresenta áreas próprias para a desova de tartarugas marinhas, mas é utilizado regularmente por algumas espécies como área de alimentação, pelo menos em alguma etapa do seu desenvolvimento. As espécies registradas com mais frequência na região e analisadas neste estudo são a tartaruga-cabeçuda, Caretta caretta, e a tartaruga-verde, Chelonia mydas. Apesar de serem animais ameaçados de extinção, diversos aspectos do ciclo de vida das tartarugas marinhas permanecem pouco conhecidos. Idade e crescimento são parâmetros importantes para o melhor entendimento da história de vida das espécies e elaboração de estratégias de manejo. Espécimes encontrados encalhados mortos durante um período de 16 anos na costa do Rio Grande do Sul foram utilizados para realizar estimativas de idade e crescimento através de esqueletocronologia. Esta técnica oferece o potencial para uma rápida e ampla caracterização de parâmetros de idade e crescimento de uma população. Os resultados mostram que ambas as espécies são encontradas nesta região durante a fase juvenil, logo após o recrutamento do ambiente oceânico para o ambiente nerítico, que ocorre por volta de 12 anos e comprimentos de carapaça maiores que 55 cm nas tartarugas-cabeçudas e aproximadamente 30 cm e 3 anos nas tartarugas-verdes. As tartarugas-cabeçudas analisadas tiveram idades estimadas entre 10 e 29 anos e comprimentos da carapaça entre 53 e 101 cm e as tartarugas-verdes apresentaram entre 2 e 13 anos e tamanhos entre 31 e 62 cm. Taxas de crescimento são inversamente relacionadas à idade e ao tamanho, apresentando grande variação individual. Os resultados corroboram a ideia de que o litoral sul do Brasil é uma importante área de desenvolvimento para juvenis neríticos das duas espécies em questão, sendo uma região de extrema importância para a conservação das tartarugas marinhas no Atlântico sul ocidental. / Sea turtles are long-lived marine reptiles with late sexual mature, large home-ranges and wide geographic distribution. They are exposed to many impacts over its life cycle which contributes to their worldwide threatened status. Sea turtles present a complex life cycle of development stages that are segregated spatially and temporally involving marked changes in diet and habitat. The south coast of Brazil don‟t present nesting areas but is used by some species as feeding area at least in any stage of its development. The most abundant species in this region and the turtles analyzed in this study are the loggerhead and the green turtle. Although threatened worldwide, many aspects of life cycle of sea turtles remain poorly known. Age and growth are important parameters to understand life history and to develop management strategies. Specimens stranded during a period of 16 years along the coast of the State of Rio Grande do Sul were used to estimate age and growth by skeletochronology. This technique offers the potential to a quick and wide characterization of age and growth parameters of a population. The results show that both species live in this region during juvenile stage, just after recruitment from the oceanic environment to the neritic environment. The recruitment occurs about 12 years and length greater than 55 cm on loggerhead and from 30 cm and 3 years on green turtles. The loggerhead turtles have estimated age between 10 and 29 years and carapace length between 53 and 101 cm and green turtles presents between 2 and 13 years and length between 31 and 62 cm. Growth rates were inversely related to length and age. The results corroborate the idea that the south Brazilian coast is an important development area to neritic juveniles of both species, being a region of extreme importance to sea turtle conservation in the southwestern Atlantic.
5

IDADE e Crescimento da Tartaruga Verde, Chelonia Mydas, no Litoral do Espírito Santo, Brasil

BARRETO, J. S. 05 September 2017 (has links)
Made available in DSpace on 2018-08-01T23:42:36Z (GMT). No. of bitstreams: 1 tese_10174_DISSERTAÇÃO_PPGOAM_JONATHAS BARRETO_0120171010-82744.pdf: 817050 bytes, checksum: d5bfbed58cdb0c68fc790037e1fd5c20 (MD5) Previous issue date: 2017-09-05 / A tartaruga verde, Chelonia mydas, assim como as demais espécies de tartarugas marinhas é migratória e faz uso de uma grande variedade de hábitats e localidades distantes durante o seu ciclo de vida, desde os trópicos até as zonas temperadas. As suas áreas de alimentação encontram-se largamente distribuídas ao longo das regiões litorâneas, sendo a espécie de tartaruga marinha que apresenta hábitos mais costeiros, utilizando inclusive estuários de rios e lagos. As tartarugas marinhas podem levar mais de uma década para atingir a maturidade sexual e a verde, em especial, exibe uma taxa de crescimento particularmente lenta e uma maturidade tardia, devido a sua dieta herbívora, sendo possivelmente a espécie que necessita de mais tempo para alcançar a maturidade sexual. Determinar a idade de um indivíduo é importante para o desenvolvimento de planos de conservação para as espécies de tartarugas marinhas, já que este é um dos elementos que influenciam a dinâmica populacional, além de ser informação é essencial para o cálculo de taxas de crescimento naturais e idade de maturação sexual. Estas estimativas são comumente realizadas através de trabalhos de marcação-recaptura, o que exige um trabalho intensivo de campo de longa duração e, consequentemente, os resultados aparecem em longo prazo. A falta de dados referentes à idade e as dificuldades logísticas para a obtenção de taxas de crescimento foram recentemente contornadas com o uso da esqueletocronologia, a qual permite estimar a idade das tartarugas através da contagem das linhas de crescimento formadas nos úmeros, possibilitando resultados com maior precisão e rapidez. Entretanto, poucos trabalhos foram realizados com a espécie até o momento, sendo o presente trabalho, o primeiro trabalho conduzido no Atlântico Sul. Portanto, estimar a idade e taxa de crescimento das tartarugas verdes encontradas ao longo do litoral do Espírito Santo, é uma pesquisa considerada prioritária para o grupo, já que existe uma lacuna de conhecimento nesta área e as respostas deste trabalho pode auxiliar nas estratégias de manejo desta espécie, que hoje está ameaçada de extinção.
6

Seafinding by the green turtle, Chelonia mydas: the orientation response is tuned to the lighting environment at the nesting beach

Unknown Date (has links)
Hatchling marine turtles use visual cues to orient from their nest to the sea at night. However, the wavelengths of light that carry this information have not been properly documented, nor do we understand why they are favored. I measured wavelength irradiance at 20 nm intervals between 340 – 600 nm at a dark nesting beach and then, in the laboratory, determined the thresholds of the hatchlings for each λ that evoked a positive phototaxis. In this study, I show that green turtle hatchlings are (i) most sensitive to the shorter (360 – 480 nm) light wavelengths. Those light energies (ii) dominated the available natural lighting at the nesting beach. They also (iii) presented a steep gradient in irradiance between a landward and seaward view, an important cue for orientation. I attribute the phototactic responses to “stimulus filtering”, the outcome of natural selection that optimizes behavioral responses (seafinding) according to their function, as well as when and where they occur. / Includes bibliography. / Thesis (M.S.)--Florida Atlantic University, 2018. / FAU Electronic Theses and Dissertations Collection
7

Studies on the ecology and conservation of marine turtles, with particular reference to the Mediterranean

Godley, Brendan J. January 1998 (has links)
No description available.
8

Análise de marcas de crescimento ósseo e estimativas de idade para Chelonia mydas (Linnaeus, 1758) no litoral do Rio Grande do Sul

Trigo, Cariane Campos January 2004 (has links)
A tartaruga-verde, Chelonia mydas, possui ampla distribuição geográfica circuntropical, ocorrendo em toda zona costeira brasileira. A espécie está incluída em diversas listas de animais ameaçados de extinção, sendo assim fundamental a elaboração de modelos demográficos que possam vir a subsidiar futuros planos de manejo. Contudo, muitos aspectos referentes à história de vida destes animais ainda são pouco conhecidos, por serem animais marinhos de difícil observação, especialmente durante o período que despendem nas áreas de alimentação e durante as grandes migrações. As tartarugas marinhas apresentam características, em seu ciclo de vida, que dificultam a realização de estudos de marcação e recaptura, para determinação de parâmetros importantes como crescimento e determinação de idade. Por esta razão, muitos estudos envolvendo determinação de idade utilizando linhas cíclicas de crescimento presentes nos tecidos rígidos - esqueletocronologia, vêm sendo acumulados para esta espécie. Muito pouco se sabe sobre quaisquer aspectos relacionados às etapas do ciclo de vida das tartarugas marinhas que habitam o litoral do Rio Grande do Sul, deste modo, este estudo tem como principal objetivo avaliar a técnica histológica utilizada usualmente nas análises de esqueletocronologia em tartarugas marinhas a fim de verificar a ocorrência de crescimento cíclico nos ossos e de se obter estimativas de idade para a população local. As amostras são provenientes de tartarugas-verdes encalhadas no litoral norte do Rio Grande do Sul e coletadas, de forma sistemática entre Torres e Mostardas, de março de 1994 a setembro de 2003. Os 89 exemplares (35%) de tartarugas-verdes registrados indicam que a espécie é a segunda em número de ocorrências, sendo menos freqüente apenas que Caretta caretta (54%). Foi verificada apenas a ocorrência de exemplares juvenis (ccc = 29,0 a 52,0 cm, média = 38,9cm), que estão iniciando o período de desenvolvimento costeiro. A técnica avaliada não apresentou os resultados esperados, necessitando de algumas modificações metodológicas. A partir da observação dos cortes histológicos pôde-se constatar a presença de linhas de crescimento ósseo em apenas onze dos vinte e quatro indivíduos que apresentaram resultados satisfatórios na preparação histológica, indicando que a deposição das linhas pode ser variável e dependente de fatores ambientais. Nos onze indivíduos puderam ser distinguidas de uma a cinco linhas de crescimento, indicando uma idade entre 1 e 5 anos para o término da fase no ambiente pelágico. Com estes resultados obteve-se o primeiro registro da presença de linhas de crescimento ósseo, assim como, a primeira estimativa de idade para a população de Chelonia mydas no início de sua fase de desenvolvimento costeiro no Brasil.
9

Análise de marcas de crescimento ósseo e estimativas de idade para Chelonia mydas (Linnaeus, 1758) no litoral do Rio Grande do Sul

Trigo, Cariane Campos January 2004 (has links)
A tartaruga-verde, Chelonia mydas, possui ampla distribuição geográfica circuntropical, ocorrendo em toda zona costeira brasileira. A espécie está incluída em diversas listas de animais ameaçados de extinção, sendo assim fundamental a elaboração de modelos demográficos que possam vir a subsidiar futuros planos de manejo. Contudo, muitos aspectos referentes à história de vida destes animais ainda são pouco conhecidos, por serem animais marinhos de difícil observação, especialmente durante o período que despendem nas áreas de alimentação e durante as grandes migrações. As tartarugas marinhas apresentam características, em seu ciclo de vida, que dificultam a realização de estudos de marcação e recaptura, para determinação de parâmetros importantes como crescimento e determinação de idade. Por esta razão, muitos estudos envolvendo determinação de idade utilizando linhas cíclicas de crescimento presentes nos tecidos rígidos - esqueletocronologia, vêm sendo acumulados para esta espécie. Muito pouco se sabe sobre quaisquer aspectos relacionados às etapas do ciclo de vida das tartarugas marinhas que habitam o litoral do Rio Grande do Sul, deste modo, este estudo tem como principal objetivo avaliar a técnica histológica utilizada usualmente nas análises de esqueletocronologia em tartarugas marinhas a fim de verificar a ocorrência de crescimento cíclico nos ossos e de se obter estimativas de idade para a população local. As amostras são provenientes de tartarugas-verdes encalhadas no litoral norte do Rio Grande do Sul e coletadas, de forma sistemática entre Torres e Mostardas, de março de 1994 a setembro de 2003. Os 89 exemplares (35%) de tartarugas-verdes registrados indicam que a espécie é a segunda em número de ocorrências, sendo menos freqüente apenas que Caretta caretta (54%). Foi verificada apenas a ocorrência de exemplares juvenis (ccc = 29,0 a 52,0 cm, média = 38,9cm), que estão iniciando o período de desenvolvimento costeiro. A técnica avaliada não apresentou os resultados esperados, necessitando de algumas modificações metodológicas. A partir da observação dos cortes histológicos pôde-se constatar a presença de linhas de crescimento ósseo em apenas onze dos vinte e quatro indivíduos que apresentaram resultados satisfatórios na preparação histológica, indicando que a deposição das linhas pode ser variável e dependente de fatores ambientais. Nos onze indivíduos puderam ser distinguidas de uma a cinco linhas de crescimento, indicando uma idade entre 1 e 5 anos para o término da fase no ambiente pelágico. Com estes resultados obteve-se o primeiro registro da presença de linhas de crescimento ósseo, assim como, a primeira estimativa de idade para a população de Chelonia mydas no início de sua fase de desenvolvimento costeiro no Brasil.
10

Variação na dieta da tartaruga verde, Chelonia mydas, e o impacto da ingestão de lixo ao longo da costa brasileira

SANTOS, R. G. 27 February 2014 (has links)
Made available in DSpace on 2016-08-29T15:33:50Z (GMT). No. of bitstreams: 1 tese_7477_Robson Guimarães.pdf: 1692709 bytes, checksum: ddd089ca1acd1b0bcbb8abaa6c025b7f (MD5) Previous issue date: 2014-02-27 / Neste trabalho nós estudamos a dieta da tartaruga verde, Chelonia mydas, e os fatores envolvidos na variação de sua ecologia alimentar. Avaliamos também o impacto da ingestão de lixo, e quais fatores podem explicar a elevada ingestão destes resíduos entre os animais marinhos. No estudo da ecologia alimentar, nós avaliamos mais de 400 indivíduos, entre dados originais e da literatura, distribuídos ao longo de um gradiente latitudinal e diversos ambientes. As tartarugas se alimentaram majoritariamente de macroalgas, porém apresentaram uma grande plasticidade alimentar, tanto em relação à estratégia de forrageamento como à dieta. Nas regiões mais frias e com menor disponibilidade de algas, as tartarugas mudaram de uma dieta herbívora, para uma dieta baseada em matéria animal. Esta mudança de dieta acarretou também em uma mudança de estratégia de forrageamento, saindo da alimentação bentônica para uma alimentação pelágica. Estratégia esta que também foi encontrada nas áreas estuarinas. A plasticidade alimentar se deve à interação de fatores intrínsecos (restrições fisiológicas) e extrínsecos (regionais e locais). As diferenças nas estratégias de forragenamento acarretam também em diferenças na exposição a ameaças. Um exemplo disso é a ingestão de lixo, que apesar de ter sido registrada em mais de 70% das tartarugas (N = 265), representou uma ameaça maior aos animais com estratégia de forrageamento pelágica. O plástico foi o material mais ingerido, tendo como principal fonte itens relacionados à alimentação e sacolas plásticas. O estudo também mostrou que uma quantidade pequena de lixo (0,5 g) é suficiente para causar a morte. Este resultado revelou que o potencial de letalidade por ingestão de lixo é muito maior que a mortalidade observada. A verdadeira ameaça da ingestão de lixo, devido a sua natureza crônica, está sendo mascarada pela elevada mortalidade relacionada às atividades pesqueiras. A ingestão de lixo é normalmente atribuída à confusão de um item alimentar específico com o resíduo, como águas-vivas e sacolas plásticas. Porém, nós mostramos que se trata de uma questão mais ampla, e usamos a tartaruga verde, aves marinhas e peixes para ressaltar a importância de outros fatores como: abundância do lixo no ambiente, estratégia de forrageamento, capacidade de detecção do resíduo e amplitude da dieta. Nós acreditamos que a ingestão de lixo ocorre devido a uma armadilha evolutiva muito mais ampla do que a previamente sugerida, e que deve afetar muito mais espécies que as que foram até hoje reportadas. Desarmar esta armadilha será particularmente difícil devido ao contínuo e crescente despejo de plástico no ambiente marinho e sua alta persistência no ambiente.

Page generated in 0.0884 seconds