• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 511
  • 10
  • 10
  • 9
  • 8
  • 8
  • 2
  • 2
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • Tagged with
  • 525
  • 525
  • 288
  • 191
  • 168
  • 126
  • 120
  • 112
  • 90
  • 76
  • 76
  • 64
  • 61
  • 59
  • 59
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Empreendimentos solidários femininos : a experiência de um banco comunitário de desenvolvimento

Brasil, Katia Regina Calixto 04 May 2017 (has links)
Made available in DSpace on 2019-03-30T00:22:02Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2017-05-04 / Studies focusing on micro finance include community development banks as a way of reducing poverty by making micro entrepreneurs access credit to start or improve their business. In this context, a community bank acts positively in the development of women's solidarity enterprises, improving the socioeconomic aspects of the groups administered by women. In this sense, the research has as a general objective to understand how the granting of micro credit by a community development bank interferes in the performance of women's solidarity projects. The theoretical foundation that supports empirical research is based on the works of Morduch (1999), Yunus (2007, 2011), Khavul (2010), Armendariz and Morduch (2005) and Ghatak (1999). According to these authors, the importance of Micro finance Institutions for the access of the population considered excluded from the traditional financial system and the demand for access to credit by groups of female solidarity enterprises supports the research presupposition. The descriptive research has a qualitative, theoretical-empirical approach, involving a field research, as well as the case study technique (YIN, 2012). The data were submitted to Atlas¿ software ti. With the adoption of the technique of content analysis and use of data triangulation. As conclusion of the study, it can be seen that the micro credit assignment by the community bank positively influences the performance of women's solidarity projects,but it has as limiting factor the low credit limit available. / Os estudos voltados para a temática das microfinanças compreendem os Bancos Comunitários de Desenvolvimento como uma forma de redução da pobreza por levar os microempreendedores a ter acesso ao crédito para iniciar ou melhorar seus negócios. Neste contexto, um banco comunitário atua positivamente no desenvolvimento dos empreendimentos solidários femininos, aprimorando os aspectos socioeconômicos dos grupos administrados por mulheres. Nesse sentido,a pesquisa traz como objetivo geral compreender a maneira como a concessão de microcrédito por parte de um banco comunitário de desenvolvimento interfere na atuação de empreendimentos solidários femininos. A fundamentação teórica que dá suporte à investigação empírica assenta-se nos trabalhos de Morduch (1999), Yunus (2007, 2011), Khavul (2010), Armendariz e Morduch (2005) e Ghatak (1999). Segundo esses autores, a importância das Instituições de Microfinanças para o acesso da população considerada excluída do sistema financeiro tradicional e a demanda de acesso ao crédito por grupos de empreendimentos solidários femininos dão suporte ao pressuposto da pesquisa. A pesquisa descritiva tem abordagem qualitativa, de natureza teórico-empírica, envolvendo uma pesquisa de campo, bem como a técnica de estudo de caso (YIN, 2012). Os dados foram submetidos ao software Atlas/TI, com a adoção da técnica de análise de conteúdo. Como conclusão do estudo, pode-se constatar que a cessão do microcrédito por parte do banco comunitário influencia positivamente na atuação dos empreendimentos solidários femininos, mas possui como fator limitante o baixo limite de crédito disponibilizado.
2

Práticas cooperativas em redes de economia solidária sob a óptica da ação comunicativa : o caso da Rede Justa Trama

Aguiar, Silvana Aparecida de 18 February 2009 (has links)
Made available in DSpace on 2019-03-29T23:20:52Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2009-02-18 / Productive networks organized through socio economy has been an economic alternative for poor workers in developing regions. This study analyzes how a productive chain of agroecological cotton in Brazil (called Justa Trama) is organized through a network, based on principles of fair trade and socio economy. The productive process starts in several rural areas of northeast Brazil, where the cotton is cultivated, according to agroecological guidelines. The cultivated cotton is then sent to several cooperatives in different states of Brazil until is being transformed in clothes and sold in Brazil and overseas. Although the network combines several kinds of organizations, such as: associations, NGOs, cooperatives, rural workers, trade unions, cooperatives are the predominant ones in the network. Workers cooperatives and their role in the productive restructuring have been broadly analyzed in the literature. However, their role within a network geographically dispersed and based on fair trade and the socio economy has not been studied in depth. This work purposes to fill this gap using the theory of communicative action of Jurgen Habermas as the theoretical base. According to this theory, contemporary society is organized based on market relationships that limit the potential of human beings. Therefore, communication plays an important role in bringing about social emancipation. Thus, this study sought to answer the following research question: How cooperative practices, within a network based on socio economy and fair trade principles make possible the emergence of a substantive rationality, according to the theory of communicative action of Jurgen Habermas? To answer this question, it was investigated the typology of rationality (instrumental or substantive) carried out within the studied cooperatives. Several indicators of organizational processes were developed to find out what kind of typology was used by the cooperatives (Serval,1997), such as: decision making process, forms of communication, mission and values, environmental relations, hierarchy, control, division of work and social action. A field research was carried out with 5 key informants, and 30 workers from four cooperatives located in three Brazilian states. It was found a stronger substantive rationality within cooperatives whose genesis are related to workers participation on their organization and management and weaker among those cooperative which only organized for survival purposes, without a deeper understanding of the processes involved in their participation on this kind of network. / Redes produtivas organizadas por meio de economia solidária são consideradas como alternativa econômica para os trabalhadores pobres das regiões em desenvolvimento. Este estudo analisa como uma cadeia produtiva de algodão agroecológico (chamada Justa Trama), é organizada por intermédio de uma rede, com base nos princípios do comércio justo e economia solidária. O processo produtivo começa em diversas áreas rurais do Nordeste do Brasil, onde o algodão é cultivado, de acordo com as orientações agroecológicas. O algodão cultivado é então enviado para várias cooperativas em diferentes estados do Brasil até ser transformado em roupas, que são vendidas no Brasil e no Exterior. Embora a rede combine vários tipos de organizações, como: associações, ONGs, cooperativas, trabalhadores rurais e sindicatos, o formato cooperativista predomina na rede. Cooperativas de trabalhadores e sua relevância na reestruturação produtiva são amplamente analisados na literatura. No entanto, o seu papel numa rede geograficamente dispersa e baseada no comércio justo e da economia solidária não tem sido estudado profundamente. Este trabalho propõe preencher esta lacuna com a aplicação da Teoria da Ação Comunicativa, de Jürgen Habermas. Segundo esta teoria, a sociedade contemporânea está organizada com base em relações de mercado que limitam o potencial dos seres humanos. Assim, a comunicação desempenha papel importante na concretização da emancipação social. Este estudo procura, pois, responder à seguinte pergunta: Como práticas cooperativas, dentro de uma rede baseada na economia solidária e nos princípios do comércio justo tornam possível a emergência de uma racionalidade substantiva, de acordo com a Teoria da Ação Comunicativa de Jürgen Habermas? Para responder a esta indagação, foi investigada a tipologia da racionalidade (instrumental ou substantiva) predominante no âmbito das cooperativas estudadas. Diversos indicadores dos processos organizacionais foram desenvolvidos para descobrir que tipologia foi utilizada pelas cooperativas (SERVA, 1997), tais como: processo de tomada de decisão, formas de comunicação, missão e valores, relações ambientais, hierarquia, controle, divisão do trabalho e ação social. Uma pesquisa de campo foi realizada com cinco informanteschave, e 30 trabalhadores de quatro cooperativas localizadas em quatro estados brasileiros. Foi encontrada uma racionalidade substantiva mais acentuada em cooperativas cuja gênese está relacionada à participação de trabalhadores na sua organização e gestão, e mais fraca nas cooperativas que só se organizaram por questão de sobrevivência, sem uma compreensão mais profunda dos processos envolvidos na sua participação neste tipo de rede.
3

Influência das características socioeconômicas, capacidade de gestão e comportamento empreendedor no sucesso dos empreendedores participante do programa de microcrédito do banco Palmas / INFLUENCE OF CHARACTERISTICS SOCIO-ECONOMIC, AND MANAGEMENT CAPACITY EMPREENEDEDOR BEHAVIOR IN SUCCESS ENTREPRENEURS PROGRAM PARTICIPANTS MICRO-CREDIT BANK OF PALMS FORTRESS (Inglês)

Frota, Gilberto Barroso da 17 August 2012 (has links)
Made available in DSpace on 2019-03-29T23:36:49Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2012-08-17 / In recent years, there has been, in Brazil, the increase of economic and social experiments based on the principles of self-management and solidarity. The increase of this phenomenon is mainly due to the reaction of workers to the growing exclusion, urban unemployment and rural evictions, which make people expendable or disqualified to occupy a place in the labour market. Thus, there are increasingly entrepreneurs driven by need of survival. The object under study is inserted in low-income neighborhood located in the metropolitan region of Fortaleza called Conjunto Palmeiras, known popularly to be a neighborhood with great achievements made by the Association of Residents of Conjunto Palmeiras (ASMOCONP). Thus, the present study is problematic: What is the influence of entrepreneurial, management capacity and socioeconomic profile in achieving the success of microentrepreneurs? To answer the research question applied a questionnaire of 56 questions with 319 entrepreneurs. In tabulating the data applied to confirmatory factor analysis using structural equation model (SEM), using the SPSS software version 20.0 (for AFC) and AMOS 16.0 (for SEM). As a result, with regard to the variables under consideration to evaluate its impact on the business success we found no relationship between the variables exist entrepreneurial behavior and success. With respect to the variable sociodemographic and successfully obtained a regression rate of -2.12.. Only the variable capacity management and business success, it can be said to have a correlation of 0.19. Finally, pointing the way for future research that could bring contribution to the field of entrepreneurship, it is suggested to compare the results with other research and include the impacts from the exogenous variables in order to refine this study / Nos últimos anos, tem-se verificado, no Brasil, o aumento de experiências econômico-sociais fundamentadas nos princípios de autogestão e solidariedade. O incremento desse fenômeno se deve, principalmente, à reação de trabalhadores à crescente exclusão, ao desemprego urbano e à desocupação rural, que tornam pessoas dispensáveis ou desqualificadas para ocupar um local no mercado de trabalho. Dessa forma, surgem cada vez mais novos empreendedores impulsionados pela necessidade de sobrevivência. O objeto em estudo está inserido no bairro de baixa renda localizado na região metropolitana de Fortaleza denominado de Conjunto Palmeiras, reconhecido popularmente por ser um bairro com grandes conquistas obtidas por meio da Associação de Moradores do Conjunto Palmeiras (ASMOCONP). Assim, o presente estudo tem como problemática: Qual a influência do perfil empreendedor, capacidade de gestão e perfil socioeconômico na conquista do sucesso dos microempreendedores? Para responder à pergunta de pesquisa aplicou-se um questionário de 56 questões com 319 empreendedores. Na tabulação dos dados aplicou-se a análise fatorial confirmatória por meio de Modelo de Equações Estruturais (SEM), utilizando-se dos softwares SPSS versão 20.0 (para AFC) e AMOS 16.0 (para SEM). Como resultados, no que se refere às variáveis submetidas a exame para avaliação de seu impacto no sucesso empresarial constatou-se não existir relação entre as variáveis comportamento empreendedor e sucesso. No que diz respeito à variável perfil socioeconômico e sucesso obteve-se um índice de regressão de -2,12. Apenas na variável capacidade de gestão e sucesso empresarial pode-se afirmar a existência de correlação de 0,19. Por fim, indicando caminhos para futuras investigações que possam trazer contribuição ao campo do empreendedorismo, sugere-se comparar os resultados encontrados com outras pesquisas e incluir os impactos provenientes das variáveis exógenas a fim de refinar este estudo.
4

Capital social e os fatores impeditivos de formação de grupos solidários / SOCIAL FACTORS AND CAPITAL FORMATION OF SOLIDARITY GROUPS (Inglês)

Farias, Iracema Quintino 17 October 2005 (has links)
Made available in DSpace on 2019-04-05T23:05:24Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2005-10-17 / Mutual assistance practices in order to obtain credit, such as solidarity groups, use existing social capital within a community as well as promote this social capital, while they make access to credit possible for those who do not possess economic goods as collateral, they encourage solidarity, cooperation and mutual trust. However, some communities have difficulties in forming and maintaining such groups, which makes credit acquisition difficult for micro entrepreneurs. Stemming from this reality, this paper seeks to identify if there exists a relationship between existing social capital in the municipalities studied and the micro entrepreneurs´ capacity to form solidarity groups, as a means of collateral for their loans. The field research was performed in April of 2005, in two municipalities of the State of Ceará. Quantification of both data collection and treatment was used, and the qualitative approach content analysis technique was used to analyze the interaction between the variables, such as civic participation and commitment, capacity to organize themselves in order to obtain benefits. The results from the research conducted in the municipalities allude to the validation of the assumption. Considering the set of variables used to measure the social capital found in the municipalities, the final conclusion is that there is, in fact, a relationship between the highest social capital found in the municipality with a group and the micro entrepreneurs´ capacity of forming solidarity groups as a means of collateral for their loans. Keywords: Social Capital. Micro Credit. Solidarity Groups. Solidarity Guarantee. / Práticas de mútua assistência para obter crédito, como os grupos solidários, utilizam e promovem o capital social existente em uma comunidade, pois ao mesmo tempo em que viabilizam o acesso ao crédito a pessoas que não têm bens econômicos como garantia, incentivam a solidariedade, a cooperação e a confiança mútuas. No entanto, em algumas comunidades há uma grande dificuldade de formação e manutenção desses grupos, inviabilizando a concessão de crédito para microempreendedores. A partir dessa realidade, busca-se no presente trabalho identificar se existe relação entre o capital social existente nos municípios estudados e a capacidade de microempreendedores desses municípios em formar grupos solidários, como forma de garantia de seus empréstimos. A pesquisa de campo foi realizada em abril de 2005, em dois municípios no estado do Ceará. Utilizou-se de quantificação na coleta e tratamento de dados, bem como de abordagem qualitativa a técnica de análise de conteúdo como forma de analisar a interação entre variáveis, como participação e engajamento cívico, com a capacidade de organizar-se para obter benefícios. Considerando as diversas formas de capital social identificadas nos dois municípios, conclui-se que há relação entre o maior capital social encontrado no município com grupo e a maior capacidade dos microempreendedores desse município em formar grupos solidários como forma de garantia de seus empréstimos. Palavras-chave: Capital Social. Microcrédito. Grupos Solidários. Aval Solidário.
5

O poder nas redes de economia solidária

Pauli, Jandir January 2006 (has links)
Este estudo analisa a relação entre poder e solidariedade em redes de economia solidária através da observação de como tais redes distribuem o poder, já que sua pretensão organizacional é opor-se ao modelo hierárquico e assimétrico. O argumento de que o poder permeia as relações sociais, a ponto de se tornar elemento estrutural dessa relação, incita um debate crítico com a teoria sistêmica que compreende o poder como mecanismo funcional na análise social. Nossa perspectiva teórica parte do pressuposto de que a realidade social é resultado da ação do poder. Michel Foucault (1926-1984) argumenta que o poder se materializa a partir de categorias operacionais como a disciplina, mas recorrer a estas categorias não significa aceitar somente a face repressiva do poder. Segundo o autor, o poder deve ser analisado pela sua característica produtiva, na medida em que movimenta suas “máquinas”, “molda corpos” e cria sujeitos disciplinados e dispostos a assumir e executar suas estratégias. Estes dois atributos do poder são fundamentais para a percepção do nosso objeto empírico. Com efeito, as redes atuam na perspectiva da articulação de diferentes atores para o seu empoderamento mútuo. Nesta articulação o poder emerge como disciplinador, subjugando, submetendo e enquadrando seus integrantes às normas da rede, além de colocar em circulação os interesses e estratégias entre seus diferentes segmentos. Neste sentido, mais do que entender o poder “das” redes de economia solidária, nos interessa discutir o “como” do seu exercício e entender como o poder organiza as relações sociais em redes de economia solidária. As categorias que permitem a análise de uma relação de poder são a diferenciação interna e os objetivos dos integrantes da rede, os meios e recursos disponíveis para exercício do poder, a possibilidade de representação da rede e o domínio de processos burocráticos. A estas categorias somam-se a análise da especificidade da instituição, seu discurso, trajetória e estrutura, o grau de racionalização dos discursos disciplinares, as formas de organização dos indivíduos no espaço de abrangência da rede, o controle sobre o tempo, a vigilância exercida e o registro contínuo do conhecimento sobre os integrantes da rede. Além disto, procuramos observar a prática do olhar hierárquico, da sanção normalizadora e do exame, como efeitos visíveis do poder disciplinar.
6

O mito da revolução silenciosa - programa nacinal de economia solidária: uma análise crítica das práticas de autogestão no Brasil em pequenos empreendimentos populares

Tomé, Geruza de Fátima [UNESP] 16 April 2008 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2014-06-11T19:35:18Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2008-04-16Bitstream added on 2014-06-13T21:07:42Z : No. of bitstreams: 1 tome_gf_dr_arafcl.pdf: 1530478 bytes, checksum: 94859c5a4b211ddfda8e84437e671437 (MD5) / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) / A finalidade da presente pesquisa é promover uma reflexão sobre as atuais condições de reprodução da vida em sociedade, determinadas pela lógica de produção e acumulação do capital em larga escala e os considerados “modelos alternativos” a esta economia. Para tanto, inicia-se o trabalho pela análise de alguns empreendimentos que adotaram o modelo de democracia direta, a autogestão, para promover a organização dos trabalhadores, ao mesmo tempo em que se discute os limites da sua prática no interior do sistema capitalista. O ponto de partida são os pequenos empreendimentos comunitários e rurais, cooperativas e associações, caracterizados como autogestionários e solidários pela Economia Solidária, este, um fenômeno social e político que cresce com muita força no Brasil. Os objetos em análise para a pesquisa foram os pequenos produtores rurais artesanais da pequena cidade de Tarumã, interior do estado de São Paulo, membros do Projeto Mercado Paulista Solidário que desde 2005 está cadastrado no banco de dados da Secretaria Nacional de Economia Solidária. Paul Singer, Secretário Nacional de Economia Solidário e, um dos principais teóricos sobre o assunto, por meio deste movimento popular, discute a tão controvertida transição socialista trazendo à tona questões polêmicas que aqui serão explicitadas e confrontadas. / The purpose of this research is to provoke a reflection over the current efforts of reproducing life conditions in a society, determined by the logics inherent of production, large scale capital amassment and the so called ‘alternative models’ available to this economic system. To this end, this effort starts by the analysis of some enterprises that did adopt the ‘straight or direct democracy’, the self management, to promote worker’s organization, while discussing the limits of its practical use within the capitalistic system. The starting point are the small community and rural organizations, cooperatives and associations, characterized by self management and solidarism as defined by the ‘Solidaristic Economy’, itself a social and political phenomenon that is showing an increasingly growth in Brazil. The particular subjects analyzed in the research were the small rural producers’ artisans from the small town of Tarumã in the state of Sao Paulo, part of the ‘Sao Paulo Solidaristic Market’ project, that since 2005 is registered in the Solidaristic Economy National Office data bank. Paul Singer, Solidaristic Economy National Secretary and one of the main theoretical experts on this subject, through this popular movement, discusses the controversial socialist transition, bringing highly arguable themes into light, that shall be herewith confronted and fully revealed.
7

O poder nas redes de economia solidária

Pauli, Jandir January 2006 (has links)
Este estudo analisa a relação entre poder e solidariedade em redes de economia solidária através da observação de como tais redes distribuem o poder, já que sua pretensão organizacional é opor-se ao modelo hierárquico e assimétrico. O argumento de que o poder permeia as relações sociais, a ponto de se tornar elemento estrutural dessa relação, incita um debate crítico com a teoria sistêmica que compreende o poder como mecanismo funcional na análise social. Nossa perspectiva teórica parte do pressuposto de que a realidade social é resultado da ação do poder. Michel Foucault (1926-1984) argumenta que o poder se materializa a partir de categorias operacionais como a disciplina, mas recorrer a estas categorias não significa aceitar somente a face repressiva do poder. Segundo o autor, o poder deve ser analisado pela sua característica produtiva, na medida em que movimenta suas “máquinas”, “molda corpos” e cria sujeitos disciplinados e dispostos a assumir e executar suas estratégias. Estes dois atributos do poder são fundamentais para a percepção do nosso objeto empírico. Com efeito, as redes atuam na perspectiva da articulação de diferentes atores para o seu empoderamento mútuo. Nesta articulação o poder emerge como disciplinador, subjugando, submetendo e enquadrando seus integrantes às normas da rede, além de colocar em circulação os interesses e estratégias entre seus diferentes segmentos. Neste sentido, mais do que entender o poder “das” redes de economia solidária, nos interessa discutir o “como” do seu exercício e entender como o poder organiza as relações sociais em redes de economia solidária. As categorias que permitem a análise de uma relação de poder são a diferenciação interna e os objetivos dos integrantes da rede, os meios e recursos disponíveis para exercício do poder, a possibilidade de representação da rede e o domínio de processos burocráticos. A estas categorias somam-se a análise da especificidade da instituição, seu discurso, trajetória e estrutura, o grau de racionalização dos discursos disciplinares, as formas de organização dos indivíduos no espaço de abrangência da rede, o controle sobre o tempo, a vigilância exercida e o registro contínuo do conhecimento sobre os integrantes da rede. Além disto, procuramos observar a prática do olhar hierárquico, da sanção normalizadora e do exame, como efeitos visíveis do poder disciplinar.
8

Sindicalismo cidadão e economia solidária : uma análise da experiência política da Central Única dos Trabalhadores (CUT) /

Corrêa, João Guilherme de Souza. January 2014 (has links)
Orientador: Giovanni Antônio Pinto Alves / Banca: Edilson José Graciolli / Banca: Patrícia Vieira Trópia / Banca: Henrique Tahan Novaes / Banca: Francisco Luiz Corsi / Resumo: O trabalho que o leitor tem em mãos é uma análise crítica sobre as transformações na estratégia política da Central Única dos trabalhadores (CUT) que a levaram a promover práticas em economia solidária através de entidades criadas exclusivamente para isso. A modalidade de ação sindical chamada sindicalismo cidadão praticada pela entidade e influenciada sobremaneira por sua tendência política mais preeminente foi responsável por consolidar nos anos 2000 a primazia pela participação política em espaços institucionais na sociedade e na estrutura do Estado e por avançar na prática de prestação de serviços sociais paralelamente ao Estado e dentro da concepção dos serviços e entidades "públicos não estatais" e do "terceiro setor", comuns no momento neoliberal. No que tange a prestação de serviços, a Agência de Desenvolvimento Solidário (ADS) foi criada para atuar na política de emprego, auxiliando no fomento de alternativas de trabalho e renda para trabalhadores fora do mercado formal, sob a forma predominante de cooperativas. A justificativa política para tais ações escora-se no movimento de economia solidária da América Latina que, em geral, diz buscar ativar um tipo de envolvimento da sociedade civil marcado por outra racionalidade econômica, distinta da capitalista. No nível da elaboração teórica se soma a proposta da CUT um residual discurso socialista reconfigurado segundo a versão de Paul Singer, que advoga a necessidade de construção dos "implantes socialistas" para a realização da transição pacífica à nova sociedade transformada. A partir dessa compreensão, o socialismo seria alcançado sem a necessidade de se contrariar interesses de classe e sem eliminar o próprio capital, bastando que os empreendimentos econômicos cooperativos praticassem internamente a gestão democrática e estabelecessem relações econômicas tendo a justiça e a solidariedade por base... / Abstract: The work that the reader has at hand is a critical analysis about the transformations in the political strategy of the Central Union of Workers (CUT), which led it to promote solidarity economy practices by entities created solely for this. The mode of union action called "citizen unionism" practiced by the entity and influenced greatly by its most prominent political trend was responsible for consolidating in the 2000s the primacy of political participation in institutional spaces in society and the structure of government and for advancing the practice of provision of social services in parallel to the state and within the design of services and entities "nonstate public" and the "third sector", common in the neoliberal moment.Regarding the provision of services, the Solidarity Development Agency (ADS) was created for acting on employment policy, assisting in the promotion of alternative employment and income for workers outside the formal market, under the predominant form of cooperatives. The policy justification for such actions anchor in the solidarity economy movement in Latin America in general, says seeking activate a type of involvement of civil society marked by another, distinct economic rationality of capitalist. At the level of theoretical elaboration of the proposal adds a residual CUT socialist discourse reconfigured according to the version of Paul Singer, who advocates the necessity for the construction of "socialist implants" for the realization of a peaceful transition to the new society transformed. Starting this understanding, socialism would be achieved without the need to counteract class interests and without eliminating the capital itself, just that cooperative economic ventures internally to practice democratic management and establish economic relations with justice and solidarity on the basis that from its generalization in society, contaminate capitalist ... / Doutor
9

O mito da "revolução silenciosa" - programa nacinal de economia solidária : uma análise crítica das práticas de autogestão no Brasil em pequenos empreendimentos populares /

Tomé, Geruza de Fátima. January 2008 (has links)
Orientador: Maria Orlanda Pinassi / Banca: Felipe Luiz Gomes e Silva / Banca: Maria Ribeiro do Vale / Banca: Ariovaldo de Oliveira Santos / Banca: Edilson José Graciolli / Resumo: A finalidade da presente pesquisa é promover uma reflexão sobre as atuais condições de reprodução da vida em sociedade, determinadas pela lógica de produção e acumulação do capital em larga escala e os considerados "modelos alternativos" a esta economia. Para tanto, inicia-se o trabalho pela análise de alguns empreendimentos que adotaram o modelo de democracia direta, a autogestão, para promover a organização dos trabalhadores, ao mesmo tempo em que se discute os limites da sua prática no interior do sistema capitalista. O ponto de partida são os pequenos empreendimentos comunitários e rurais, cooperativas e associações, caracterizados como autogestionários e solidários pela Economia Solidária, este, um fenômeno social e político que cresce com muita força no Brasil. Os objetos em análise para a pesquisa foram os pequenos produtores rurais artesanais da pequena cidade de Tarumã, interior do estado de São Paulo, membros do Projeto Mercado Paulista Solidário que desde 2005 está cadastrado no banco de dados da Secretaria Nacional de Economia Solidária. Paul Singer, Secretário Nacional de Economia Solidário e, um dos principais teóricos sobre o assunto, por meio deste movimento popular, discute a tão controvertida transição socialista trazendo à tona questões polêmicas que aqui serão explicitadas e confrontadas. / Abstract: The purpose of this research is to provoke a reflection over the current efforts of reproducing life conditions in a society, determined by the logics inherent of production, large scale capital amassment and the so called 'alternative models' available to this economic system. To this end, this effort starts by the analysis of some enterprises that did adopt the 'straight or direct democracy', the self management, to promote worker's organization, while discussing the limits of its practical use within the capitalistic system. The starting point are the small community and rural organizations, cooperatives and associations, characterized by self management and solidarism as defined by the 'Solidaristic Economy', itself a social and political phenomenon that is showing an increasingly growth in Brazil. The particular subjects analyzed in the research were the small rural producers' artisans from the small town of Tarumã in the state of Sao Paulo, part of the 'Sao Paulo Solidaristic Market' project, that since 2005 is registered in the Solidaristic Economy National Office data bank. Paul Singer, Solidaristic Economy National Secretary and one of the main theoretical experts on this subject, through this popular movement, discusses the controversial socialist transition, bringing highly arguable themes into light, that shall be herewith confronted and fully revealed. / Doutor
10

Decrescimento e economia solidária : existem elementos para uma plataforma comum?

Franco, Alan Ainer Boccato 25 April 2014 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Centro de Desenvolvimento Sustentável, 2014. / Submitted by Jaqueline Ferreira de Souza (jaquefs.braz@gmail.com) on 2014-11-19T14:03:52Z No. of bitstreams: 1 2014_AlanAinerBoccatoFranco.pdf: 824054 bytes, checksum: 45ea744f2811b11e6b76e781dca2a911 (MD5) / Approved for entry into archive by Patrícia Nunes da Silva(patricia@bce.unb.br) on 2014-11-20T12:06:12Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2014_AlanAinerBoccatoFranco.pdf: 824054 bytes, checksum: 45ea744f2811b11e6b76e781dca2a911 (MD5) / Made available in DSpace on 2014-11-20T12:06:12Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2014_AlanAinerBoccatoFranco.pdf: 824054 bytes, checksum: 45ea744f2811b11e6b76e781dca2a911 (MD5) / A emergência da problemática ambiental, as crises econômicas e o desmoronamento das experiências do socialismo real que caracterizaram as últimas décadas do Século XX proporcionaram um contexto para o surgimento de movimentos alternativos tanto no Norte como no Sul do planeta. Um desses é o Decrescimento, surgido na França e com protagonismo maior no continente Europeu, defende o abandono da ideologia do crescimento econômico, já que ela gera desigualdades e colocou a humanidade sob risco de um colapso ambiental. Alguns autores têm desenhado a possibilidade de convergências entre o Decrescimento e movimentos sociais do Sul, cujo foco tem sido a análise dos problemas enfrentados pelo Sul decorrentes do modelo de desenvolvimento do Norte. A presente pesquisa se insere neste debate propondo um caminho adicional: os elementos teóricos que orientam grupos sociais presentes nos países do Sul, com foco no Brasil, em particular a Economia Solidária. A pergunta que guia esta pesquisa é: existem elementos suficientes entre a Economia Solidária no Brasil e o Decrescimento que permitem formar uma plataforma comum? Para respondê-la, partiu-se de aspectos teórico-conceituais presentes em amostras de textos de cada um dos movimentos. Como resultado, verificou-se que os elementos que distinguem os movimentos predominaram, numericamente, sobre os comuns; e estes sobre os antagônicos. Dentre os antagonismos, a Economia Solidária incorpora, qualificando, as noções de crescimento econômico e de desenvolvimento, enquanto que o Decrescimento rejeita-os. Estes antagonismos e algumas distinções foram discutidos a partir: da problematização e da qualificação que a Economia Solidária lança mão sobre esses temas; dos diferentes contextos históricos, composição de atores e demandas imediatas dos movimentos; das experiências práticas que acumulam e da (in)consistência de dados que apresentam, dentre outros. Dentre os elementos comuns, destacam-se: autonomia, democracia e igualdade; noção de bem-estar baseada em atributos qualitativos, relacionais e na harmonia entre os seres humanos e destes com a natureza; oposição ao consumismo e ao sentido de vida baseado em termos quantitativos e materialistas; diferenciam as necessidades essenciais, ou básicas, das necessidades criadas e atribuem valor positivo às primeiras; e se aproximam do Buen Vivir, identificam os movimentos por justiça ambiental como aliados e atores considerados como parte de cada um dos movimentos estudados fazem parte de uma mesma rede. A conclusão geral desta dissertação é que os elementos comuns apontam para a possibilidade de uma plataforma comum, vez que os antagônicos e distintos não inviabilizam o diálogo entre os movimentos. Conclui-se, por fim que o FBES é um ator da Economia Solidária que pode favorecer o diálogo com o Decrescimento. ______________________________________________________________________________ ABSTRACT / The emergence of the environment issue, economic crises and the decay of the real socialism experiences that characterized the twentieth century latest decades, created a context for the emergence of alternative social movements both in the North and South of the planet. Degrowth is one of those movements and it first emerged in France and with great relevance in Europe. It defends the abandonment of economic growth ideologies that generate inequalities and has put humanity under the threat of an environmental collapse. Authors have outlined possibilities of convergences between Degrowth and social movements in the South that has focused on the analysis of problems faced in the South caused by the economic growth model in the North. This research takes part on this debate and proposes an additional path: theoretical guiding elements of the social groups existing in the South countries, in particular Solidarity Economy in Brazil. The research´s question is: are the sufficient elements between Solidarity Economy in Brazil and Degrowth enough to build a common platform? In order to answer this question, it was used theoretical-conceptual aspects present on text samples of each movement. As a result, it was verified that the movements distinguishing elements outnumbered the common elements, which outnumbered the antagonistic ones. When it comes to the antagonisms, Solidarity Economy incorporates notions of economic growth and development, while, on the other hand, Degrowth rejects them. The discussion of those antagonisms and other differences started off from the questioning and qualification of Solidarity Economy on those themes; different historical contexts, actors and immediate demands of the movements; accumulated practical experiences and (in) consistency of data, among others. Common elements that stand out are: autonomy, democracy and equality; notions of well-being based on qualitative and relational attributes and the harmony between human beings and their relationship to nature; opposition to consumerism and the meaning of life based on quantitative and materialist terms; they differentiate basic needs from created needs and attribute positive value to the basic ones; they approximate themselves to Buen Vivir, they identify movements for environmental justice as allies; and actors from both movements integrate the same network. The general conclusion is that common elements point out to the possibility of a common platform, once the antagonisms and differences do not hinder a dialog between the movements. Finally, it is concluded that FBES is a subject of Solidarity Economy that can benefit the dialog with Degrowth.

Page generated in 0.7114 seconds