• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 309
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • 2
  • 2
  • 2
  • Tagged with
  • 313
  • 182
  • 64
  • 42
  • 33
  • 31
  • 30
  • 30
  • 22
  • 21
  • 21
  • 20
  • 19
  • 19
  • 19
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Expressão imuno-histoquímica da Axina1, GSK3 ß, APC e via Wnt1 nos ameloblastomas / Expression immunohistochemistry of Axina1, GSK3 ß, APC e Wnt1 signaling in ameloblastomas

Lilian Caldas Quirino 12 December 2014 (has links)
Os ameloblastomas são tumores odontogênicos, de origem epitelial, que demonstra crescimento lento e comportamento invasivo e altamente recidivante. No entanto os mecanismos moleculares e as vias de sinalização celulares envolvidas na progressão desse tumor não estão claros. Estudos relatados na literatura indicam que aberrações nas vias de sinalização similares as encontradas durante o desenvolvimento dentário, incluindo a via Wnt1 e as proteínas GSK3 ß, APC e Axina1, que formam o complexo de degradação da ß-catenina podem estar alteradas nos ameloblastomas, levando a proliferação e progressão tumoral. O objetivo deste trabalho foi analisar a relação da expressão das proteínas Wnt1, GSK3 ß, APC e Axina1 com a proliferação tumoral dos ameloblastomas por meio de reações de imuno-histoquímicas. Para este estudo foram selecionados 40 casos com o diagnóstico de ameloblastoma, pertencentes aos arquivos do Serviço de Patologia da Disciplina de Patologia Bucal da FOUSP e utilizada a técnica imunohistoquimica da estreptavidina-biotina em blocos parafinados destes casos selecionados. Nos resultados foram observados marcações positivas para a proteína Wnt1 em 25 (62,5%) casos, Axina1 em 23(57,5%), APC de 26(65%) casos e GSK3 ß em 34(85%) casos. / Ameloblastomas is an odontogenic tumors of epithelial origin, which shows slow-growing, highly invasive and recurrent behavior. Nevertheles the molecular mechanisms and cellular signaling pathways involved in the progression of this tumour are not yet clear. Reported studies in leterature indicates that aberrations in signaling pathways similar to those found during tooth development, including Wnt1 and GSK3 ß pathways, APC and Axin1 proteins which form the ß-catenin degradation complex may be altered in ameloblastoma, leading to proliferation and tumour progression. The aim of this study was to analyze the relationship between the expression of Wnt1, GSK3 ß, APC and Axin1 proteins with the tumour proliferation in ameloblastomas by immunohistochemical reactions. For this study, 40 cases were selected with the diagnosis of ameloblastoma, from the Oral Pathology department archives, Dental School, University of São Paulo and the immunohistochemistry technique of streptavidin-biotin in paraffin blocks of these selected cases was perfomed. Positive results to the Wnt protein were observed in 25 (62.5%) cases, Axina1 in 23 (57.5%), APC of 26 (65%) cases and GSK3 ß in 34 (85%) cases.
2

Expressão imuno-histoquímica da Axina1, GSK3 ß, APC e via Wnt1 nos ameloblastomas / Expression immunohistochemistry of Axina1, GSK3 ß, APC e Wnt1 signaling in ameloblastomas

Quirino, Lilian Caldas 12 December 2014 (has links)
Os ameloblastomas são tumores odontogênicos, de origem epitelial, que demonstra crescimento lento e comportamento invasivo e altamente recidivante. No entanto os mecanismos moleculares e as vias de sinalização celulares envolvidas na progressão desse tumor não estão claros. Estudos relatados na literatura indicam que aberrações nas vias de sinalização similares as encontradas durante o desenvolvimento dentário, incluindo a via Wnt1 e as proteínas GSK3 ß, APC e Axina1, que formam o complexo de degradação da ß-catenina podem estar alteradas nos ameloblastomas, levando a proliferação e progressão tumoral. O objetivo deste trabalho foi analisar a relação da expressão das proteínas Wnt1, GSK3 ß, APC e Axina1 com a proliferação tumoral dos ameloblastomas por meio de reações de imuno-histoquímicas. Para este estudo foram selecionados 40 casos com o diagnóstico de ameloblastoma, pertencentes aos arquivos do Serviço de Patologia da Disciplina de Patologia Bucal da FOUSP e utilizada a técnica imunohistoquimica da estreptavidina-biotina em blocos parafinados destes casos selecionados. Nos resultados foram observados marcações positivas para a proteína Wnt1 em 25 (62,5%) casos, Axina1 em 23(57,5%), APC de 26(65%) casos e GSK3 ß em 34(85%) casos. / Ameloblastomas is an odontogenic tumors of epithelial origin, which shows slow-growing, highly invasive and recurrent behavior. Nevertheles the molecular mechanisms and cellular signaling pathways involved in the progression of this tumour are not yet clear. Reported studies in leterature indicates that aberrations in signaling pathways similar to those found during tooth development, including Wnt1 and GSK3 ß pathways, APC and Axin1 proteins which form the ß-catenin degradation complex may be altered in ameloblastoma, leading to proliferation and tumour progression. The aim of this study was to analyze the relationship between the expression of Wnt1, GSK3 ß, APC and Axin1 proteins with the tumour proliferation in ameloblastomas by immunohistochemical reactions. For this study, 40 cases were selected with the diagnosis of ameloblastoma, from the Oral Pathology department archives, Dental School, University of São Paulo and the immunohistochemistry technique of streptavidin-biotin in paraffin blocks of these selected cases was perfomed. Positive results to the Wnt protein were observed in 25 (62.5%) cases, Axina1 in 23 (57.5%), APC of 26 (65%) cases and GSK3 ß in 34 (85%) cases.
3

Expressão de carboidratos, galectinas e receptores hormonais no estroma tumoral do carcinoma ductal in situ mamário humano

LIMA, Wilson José de Miranda 20 July 2017 (has links)
Submitted by Fernanda Rodrigues de Lima (fernanda.rlima@ufpe.br) on 2018-08-31T21:16:43Z No. of bitstreams: 2 license_rdf: 811 bytes, checksum: e39d27027a6cc9cb039ad269a5db8e34 (MD5) DISSERTAÇÃO Wilson José de Miranda Lima.pdf: 839089 bytes, checksum: 7ce868ac5c26c121ff05d44de3d49198 (MD5) / Approved for entry into archive by Alice Araujo (alice.caraujo@ufpe.br) on 2018-09-12T19:12:37Z (GMT) No. of bitstreams: 2 license_rdf: 811 bytes, checksum: e39d27027a6cc9cb039ad269a5db8e34 (MD5) DISSERTAÇÃO Wilson José de Miranda Lima.pdf: 839089 bytes, checksum: 7ce868ac5c26c121ff05d44de3d49198 (MD5) / Made available in DSpace on 2018-09-12T19:12:37Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license_rdf: 811 bytes, checksum: e39d27027a6cc9cb039ad269a5db8e34 (MD5) DISSERTAÇÃO Wilson José de Miranda Lima.pdf: 839089 bytes, checksum: 7ce868ac5c26c121ff05d44de3d49198 (MD5) Previous issue date: 2017-07-20 / Carcinoma ductal in situ (CDIS) é uma proliferação de células epiteliais malignas confinadas dentro da membrana basal dos ductos mamários. O estroma tumoral tornou-se um importante tema de investigação na pesquisa do câncer para o entendimento da biologia da doença ecompotencial prognóstico. Estetrabalho objetivou caracterizar o estroma tumoral do CDIS mamário humano por meio da análise da expressão de carboidratos, galectinas e receptores hormonais.Foram analisadas amostras marcadas com as lectinas Concanavalina A (Con A) e Ulex europaeus agglutinin (UEA-I) para identificação dos seguintesbiomarcadores sacarídicosmetil-α-D-manose e α-L-fucose, respectivamente. Também foram analisadas amostras marcadas por imunohistoquímica contra receptores de estrógeno (RE) e progesterona (RP) e Galectinas 1 e 3. Para análise das amostras, utilizou-se o critério de cruzes e posteriormente foi feita comparação com os dados clínico-patológicos (idade, tamanho tumoral, expressão deRE e RP). Para análise dos dados foiutilizado o programa Stata 14 na função de proporção logit. De um total de 62 casos de CDIS, 17 atenderam aos critérios de inclusão do estudo.Onze amostras (64,7%) foram positivas para metil-α-D-manose e 4 (23,6%) para o α-L-fucose. Treze amostras (76,4%) foram positivas para Galectina-1 enove amostras (52,9%) para a Galectina-3. Na maioria dos casos(54,4%), o estroma foi classificado como desmoplásico, seguido por um caráter inflamatório (45,5%). Os dados obtidos pela correlação logit não apresentaram resultados significativos. Não foi possível identificar nenhuma relação entre a expressão estromal dos carboidratos avaliados (metil-α-D-manose e α-L-fucose) e das Galectinas 1 e 3 e os dados clínico patológicos dos pacientes. A ampliação do estudo quanto ao universo amostral e possibilidade de acompanhamento das pacientes são cruciais para um aprofundamento de relação/influência do estroma incialmente como ambiente não-transformado no processo carcinogênico, seu desenvolvimento e modificação e resposta terapêutica. Ajudando e possibilitando a identificação dos fatores com ou sem influência direta ou indireta na progressão deste subtipo de câncer de mama. / Ductal carcinoma in situ (DCIS) is a proliferation of malignant epithelial cells confined inside a basal membrane of the mammary ducts. Tumor stroma has become an important theme of interest in cancer research and potential prognosis. The aim of this study was to characterize tumor stroma of human mammary DCIS by analyzing the expression of carbohydrates and hormone receptors. We analyzed samples stained with the lectins: Concanavalin A (Con A) and Ulex europaeus agglutinin (UEA-I) in order to identify the following saccharidic biomarkers methyl-α-D-manose and α-L-fucose. We still analyzed samples stained by immunohistochemistry againstestrogen receptors (ER) and progesterone receptors (PR) and Galectins 1 and 3. We used the cross-based classification criterion and, posteriorly, it was made a comparison with the clinical-pathological data (age, tumor size, ER and PR positivity). The Stata 14 program was used in the logit proportion function of data. From a total of 62 DCIS cases, 17 were included inthe study.Eleven samples (64.7%) were positive for methyl-α-D-manose and 4 (23.6%) for α-L-fucose. Thirteen samples (76.4%) were positive for Galectin-1 and nine (52.9%) for Galectin-3. In mostof the cases (54.4%), stroma was classified as desmoplastic, followed by an inflammatory character (45.5%). Data obtained by logit co-relation did not present significant results. It was not possible to identify any relationship between the stromal expression of the evaluated carbohydrates (methyl-α-D-manoseand α-L-fucose) and Galectins 1 and 3 with patients clinical-pathological data. The study amplification regarding sample universe and possibility of following-up the patients are crucial for a depth relationship/influence of the stroma as a non-transformed environment in the carcinogenic process, its development and therapeutic response. Helping and enabling the identification of factors with or without, direct or indirect, influence on the progression of this breast cancer subtype.
4

Estudo da distribuição e quantificação dos linfócitos CD8 e CD20 nas lesões inflamatórias periapicais crônicas

Philippi, Christine Kalvelage January 2001 (has links)
A lesão inflamatória periapical é uma patologia bastante frequente, sendo na maioria dos casos, consequência da cárie dental. O objetivo deste trabalho foi quantificar as populações linfocitárias CD8+ e CD20+ em lesões inflamatórias periapicais crônicas. Foram utilizadas 90 lesões inflamatórias periapicais. Através da técnica de imunohistoquímica pelo método da estreptoavidina-biotina, utilizou-se os marcadores CD8 e CD20 para identificação dos linfócitos T citotóxicos/supressores e linfócitos B, respectivamente. A contagem das células foi feita em 3 campos microscópicos da lâmina, mantendo-se um aumento de 400 vezes. A média da contagem das células CD8+ foi de 7,72 células para os cistos inflamatórios, enquanto que nos grupos cisto abscedado e abscesso crônico foi 11,25 e 11,62, respectivamente, com diferença estatisticamente significante. A média da contagem das células CD20+ foi 12,19; 11,06 e 12,91 células nos cistos abscedados, cistos inflamatórios e abscessos crônicos, respectivamente, sem diferença estatisticamente significante. As lesões inflamatórias periapicais supuradas apresentaram número maior de linfócitos CD8+ do que as lesões não supuradas e; a presença de supuração e proliferação epitelial nas lesões não interferiu na quantidade de linfócitos CD20+ presentes.
5

Estudo da distribuição e quantificação dos linfócitos CD8 e CD20 nas lesões inflamatórias periapicais crônicas

Philippi, Christine Kalvelage January 2001 (has links)
A lesão inflamatória periapical é uma patologia bastante frequente, sendo na maioria dos casos, consequência da cárie dental. O objetivo deste trabalho foi quantificar as populações linfocitárias CD8+ e CD20+ em lesões inflamatórias periapicais crônicas. Foram utilizadas 90 lesões inflamatórias periapicais. Através da técnica de imunohistoquímica pelo método da estreptoavidina-biotina, utilizou-se os marcadores CD8 e CD20 para identificação dos linfócitos T citotóxicos/supressores e linfócitos B, respectivamente. A contagem das células foi feita em 3 campos microscópicos da lâmina, mantendo-se um aumento de 400 vezes. A média da contagem das células CD8+ foi de 7,72 células para os cistos inflamatórios, enquanto que nos grupos cisto abscedado e abscesso crônico foi 11,25 e 11,62, respectivamente, com diferença estatisticamente significante. A média da contagem das células CD20+ foi 12,19; 11,06 e 12,91 células nos cistos abscedados, cistos inflamatórios e abscessos crônicos, respectivamente, sem diferença estatisticamente significante. As lesões inflamatórias periapicais supuradas apresentaram número maior de linfócitos CD8+ do que as lesões não supuradas e; a presença de supuração e proliferação epitelial nas lesões não interferiu na quantidade de linfócitos CD20+ presentes.
6

Densidade de mastócitos e microdensidade vascular em displasias epiteliais e carcinomas orais

Souza, Renata Oliveira de January 2012 (has links)
Submitted by Ana Maria Fiscina Sampaio (fiscina@bahia.fiocruz.br) on 2012-11-19T18:40:25Z No. of bitstreams: 1 Renata Oliveira de Souza. Densidade de mastócitos....pdf: 1443667 bytes, checksum: 311f03148753ad500460aac2c50afa49 (MD5) / Made available in DSpace on 2012-11-19T18:40:25Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Renata Oliveira de Souza. Densidade de mastócitos....pdf: 1443667 bytes, checksum: 311f03148753ad500460aac2c50afa49 (MD5) Previous issue date: 2012 / Fundação Oswaldo Cruz. Centro de Pesquisas Gonçalo Moniz. Salvador, Bahia, Brasil / Os tumores malignos orais representam 5% de todos os cânceres humanos e o carcinoma escamocelular oral (CECO) corresponde a 90% destes casos. Sabe-se que as pessoas acometidas por displasia epitelial oral (DEO) apresentam um maior risco de desenvolver CECO. A angiogênese está associada à iniciação e progressão neoplásica, sendo o início da neovascularização em DEOs um pré-requisito para a formação do tumor. Na angiogênese, destacam-se os mastócitos, responsáveis por estimular e manter a formação da rede vascular em determinadas doenças, inclusive displasias e neoplasias. Estas células liberam fatores que estimulam a angiogênese, como o VEGF. Assim, este estudo se propôs a avaliar o papel dos mastócitos na angiogênese de DEO e CECO, considerando parâmetros clínicos e morfológicos, comparando-os entre si. Metodologia: Quatorze DEOs e 56 CECOs, dispostos em lâminas convencionais e de tissue microarray (TMA), respectivamente, provenientes do Hospital AC Camargo, foram imunomarcardas para os anticorpos anti-CD34, anti-VEGF-A e anti-Mast cell tryptase, os três primeiros através do sistema EnVision Advance™ (Dako Corporation, Carpinteria, USA) e o último através do sistema Histofine (Nichirei Biosciences Inc., Tokyo, Japan). A microdensidade vascular (MDV - vasos/mm2) foi estabelecida através da determinação do número de vasos marcados para CD34 em cinco áreas de hot spot; a expressão de VEGF-A foi determinada pelo escore imuno-histoquímico (EI) estabelecido por Sinicrope et al. (1995); finalmente, a densidade da mastócitos (DM – células/ mm2) foi determinada através do número de células contadas em cinco áreas de hot spot. Resultados/Conclusões: A DM não apresentou relação com parâmetros clínicos e morfológicos em DEOs e CECOs, não existindo diferença na atividade exercida por Ms granulados e degranulados (p=0,18 e p= 0,1439, respectivamente; Teste de Mann-Whitney). A DM foi significativamente maior entre os casos de DEO quando comparadas aos carcinomas (p=0,01; Teste de Mann-Whitney), o que parece envolver a ação das células neoplásicas infiltrantes na regulação negativa do número de Ms nestes tumores. A MDV, nos casos de DEO e CECOs, não esteve associada aos parâmetros clínicos e morfológicos das mesmas, possivelmente sugerindo que a densidade de vasos não contribui de maneira independente para a progressão e comportamento biológico destas lesões. Os casos de DEO apresentaram MDV significativamente maior em relação aos CECOs (p= 0,0003, Teste de Mann-Whitney), sugerindo-se como possível causa uma subanálise dos vasos nas lâminas de TMA. A expressão de VEGF, no epitélio e lâmina própria, não esteve relacionada aos parâmetros clínicos e histológicos em DEOs e CECOs, tampouco à progressão de DEO para CECO, uma vez que os maiores EI foram encontrados em CECO bem diferenciado, seguido de DEO moderada, CECO moderadamente diferenciado e DEO discreta. A DM (granulados e degranulados) não estava correlacionada à MDV, o que provavelmente aponta para a atuação destas células, de maneira mais expressiva, em outros cânceres. Também não existiu correlação significante entre a DM, granulado e degranulado, e expressão de VEGF nestas duas lesões, o que provavelmente demonstra que não há participação expressiva dos Ms na produção desta citocina. Por fim, existiu associação entre a expressão de VEGF por células tumorais e MDV (r= 0,39, p= 0,0299, Teste de Spearman), o que parece demonstrar uma maior propensão das células tumorais infiltrantes para exercerem atividade sobre o desenvolvimento da MDV em CECOs. / Malignant tumors located in oral cavity represent 5% of all human cancers and oral squamous cell carcinomas (OSCC) correspond to 90% of these cases. One knows that people suffering from oral epithelial dysplasia (OED) have an increased risk to develop OSCC. Angiogenesis is associated with neoplastic initiation and progression, and neovascularization in dysplasic lesions is a pre-requisite to tumor formation. The mast cells (Ms) are well know for stimulating and maintaining the vascular network formation in certain diseases, including dysplasias and neoplasms. These cells release factors that stimulate angiogenesis such as VEGF. Thus, this study objective was to evaluate the role of mast cell in OED and OSCC angiogenesis, taking into account clinical and morphological parameters, and compared with each other. Methods: After approval by the REC (229/10), 14 OED and 56 OSCC, from the AC Carmargo Hospital, were immunostaining for anti-CD34, anti-VEGF-A and anti-mast cell tryptase, the first three using ENVISION ADVANCETM SYSTEM (Dako Corporation, Carpinteria, USA) and last one through thae Histofine system (Nichirei Biosciences Inc., Tokyo, Japan). The vascular microdensity (VMD – vessel/mm2) was established by determining the number of vessels stained for anti-CD34 score in five hot spots areas; the expression of anti-VEGF-A was found according to the established by Sinicrope et al. (1995), immunohistochemical score (IS); and finally the mast cells density (MD – cell/mm2) was determined by counting the number of cells in five hot spot areas. Results/Conclusions: The MD was not associated with clinical and morphological parameters in OED e OSCC, with no difference in the activity carried on by granulated and degranulated Ms (p= 0.18 and p= 0.1439, respectively, Mann-Whitney test). The MD was significantly higher among cases of OED (p= 0.01, Mann-whitney test), which seems to involve the action of the infiltrating neoplastic cells in regulating the number of Ms in these tumors.VMD was not associated with clinical and morphological parameters of OED and OSCC, showing that blood vessels density does not contribute independently to the progression and biological behavior of this lesions. The cases of OED had VMD higher compared to the OSCC (p= 0.0003, Mann-Whitney test), which may be associated with a subanalysis of vessels in the TMA slides. The expression of VEGF, in the epithelium and lamina propria, was not related to clinical and histological parameters in OED e OSCC, nor the progress of OED to OSCC, since the highest immunohistochemical score (IE) were found in well-differentiated OSCC, followed by moderate OED, moderately differentiated OSCC and discrete OED. The MD (granulated and degranulated) was not correlated with DMV, which shows the presence of these cells being more important in other cancers. Also, there was no significant correlation between MD, granulated and degranulated, and VEGF expression in these two lesions, which probably shows that there is no significant participation of Ms in the production this cytokine. Finally, there were association between expression of VEGF by tumoral cells and VMD in OSCC (r= 0.39, p=0.0299, Spearman test), which seems to show a greater propensity of infiltrative tumor cells to exert its activity on the development of MDV in OSCC.
7

Imunoexpressão das proteínas KI67 e p53 em pacientes com retocolite ulcerativa inespecífica tratados clinicamente e cirurgicamente

Cezar Feitosa de Paula Machado, Marcos 31 January 2008 (has links)
Made available in DSpace on 2014-06-12T23:02:31Z (GMT). No. of bitstreams: 2 arquivo4298_1.pdf: 893623 bytes, checksum: 0bcd91f818d9d6a5db4eae01d84b07ed (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2008 / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior / Os métodos imunohistoquímicos associados aos sistemas computadorizados de análise de imagens tem sido de extrema importância, como ferramentas auxiliares, no estudo da expressão de proteínas relacionadas a neoplasias malignas em pacientes portadores de doenças inflamatórias intestinais. Neste estudo, obtive-se o perfil imunohistoquímico das proteínas p53 e Ki-67 do tecido intestinal de pacientes com colite ulcerativa (n=30) um grupo tratado clinicamente e outro cirurgicamente de ambos os sexos e idade média de 38,5 anos. Os tecidos foram fixados em formalina a 10%, submetidos à rotina histológica e montados em parafina. Fragmentos de tecido (4 μm) foram submetidos à técnica de imunohistoquímica para as proteínas Ki-67 e p53. Os perfis de marcação tecidual foram quantificados através de uma estação de análise de imagem contendo um microscópio óptico equipado com uma câmera digital ambos acoplados a um computador contendo o software OPTIMAS®. Os resultados obtidos demonstram diferenças significativas nos padrões de marcação no tecido inflamado em pacientes tratados clinicamente quando comparados aos tecidos de pacientes tratados cirurgicamente. As proteínas Ki-67 e P-53 indicam marcadores imunohistoquímicos úteis para diferenciação de tecidos de colite ulcerativa que trazem características pré-neoplásicas sugestivas de malignidade
8

Potencial Prognóstico da Survivina em Carcinoma Epidermóide da Cavidade Bucal

PANSINI, P. F. 15 February 2017 (has links)
Made available in DSpace on 2018-08-01T21:35:01Z (GMT). No. of bitstreams: 1 tese_10831_122ª Ata de Defesa - Paola Fernandes Pansini.PDF: 76 bytes, checksum: e777df9eb60d248d167e2edfa6e23421 (MD5) Previous issue date: 2017-02-15 / O carcinoma epidermóide de cabeça e pescoço (CECP) é o sexto tipo de câncer mais comum em todo o mundo. Nos últimos anos, tem sido sugerida a participação da survivina na progressão tumoral em CECP. Este estudo teve como objetivo avaliar a survivina como potencial biomarcador de progressão tumoral em CECB. Foram utilizados no estudo dados clínicos e amostras biológicas de 115 indivíduos com carcinoma epidermóide da cavidade bucal. Lâminas contendo tecidos tumorais coradas pelo método hematoxilina e eosina foram usadas para as análises histopatológicas para avaliar o infiltrado linfocitário tumoral, padrão de invasão tumoral, gradação tumoral, invasão vascular, linfática e perineural. Tissue Microarrays foram construídos para realizar a análise imunohistoquímica da expressão da proteína survivina utilizando o anticorpo primário monoclonal de coelho anti-survivina. Para avaliar as associações entre as variáveis estudadas foram utilizados os testes Qui-Quadrado e o Exato de Fisher. A comparação das médias dos segmentos foi obtida pelo teste T de amostras independentes. As curvas de sobrevida foram calculadas pelo modelo de Kaplan-Meier e confirmadas pelo modelo multivariado de Cox. Nossos resultados mostraram existir correlação entre o infiltrado linfocitário tumoral alto, tamanho do tumor primário T1/T2 (p = 0,001) e estadiamento clínico I e II (p = 0,005). O padrão de invasão tumoral tipo IV foi correlacionado com o tamanho do tumor primário T3/T4 (p = 0,006) e estadiamento clínico avançado (estádio III e IV) (p = 0,028). Invasão perineural foi associada com o tamanho do tumor primário T1/T2 (p = 0,035). A expressão nuclear da survivina na porção mediana do tumor mostrou associação com a metástase em linfonodos regionais (p = 0,004) e o estadiamento clínico (p = 0,041). A análise regressiva multivariada confirmou que as variáveis tamanho do tumor primário (p = 0,004) e acometimento linfonodal (p= 0,06) são fatores prognósticos independentes para sobrevida global, enquanto o etilismo influencia na sobrevida livre de doença (p = 0,048). Com este estudo pode-se concluir que a elevada expressão da survivina está correlacionada com o comportamento tumoral mais agressivo, estadiamento clínico avançado, presença de mestástase linfonodal, podendo ser considerada como indicador de prognóstico em pacientes com CECB. A variável histopatológica padrão de invasão tumoral mostrou que sua correlação com tamanho do tumor primário e estadiamento clínico avançado podendo estar relacionada ao pior prognóstico dos pacientes em CECB.
9

Estudo da distribuição e quantificação dos linfócitos CD8 e CD20 nas lesões inflamatórias periapicais crônicas

Philippi, Christine Kalvelage January 2001 (has links)
A lesão inflamatória periapical é uma patologia bastante frequente, sendo na maioria dos casos, consequência da cárie dental. O objetivo deste trabalho foi quantificar as populações linfocitárias CD8+ e CD20+ em lesões inflamatórias periapicais crônicas. Foram utilizadas 90 lesões inflamatórias periapicais. Através da técnica de imunohistoquímica pelo método da estreptoavidina-biotina, utilizou-se os marcadores CD8 e CD20 para identificação dos linfócitos T citotóxicos/supressores e linfócitos B, respectivamente. A contagem das células foi feita em 3 campos microscópicos da lâmina, mantendo-se um aumento de 400 vezes. A média da contagem das células CD8+ foi de 7,72 células para os cistos inflamatórios, enquanto que nos grupos cisto abscedado e abscesso crônico foi 11,25 e 11,62, respectivamente, com diferença estatisticamente significante. A média da contagem das células CD20+ foi 12,19; 11,06 e 12,91 células nos cistos abscedados, cistos inflamatórios e abscessos crônicos, respectivamente, sem diferença estatisticamente significante. As lesões inflamatórias periapicais supuradas apresentaram número maior de linfócitos CD8+ do que as lesões não supuradas e; a presença de supuração e proliferação epitelial nas lesões não interferiu na quantidade de linfócitos CD20+ presentes.
10

Estudo clínico-patológico dos tumores bucais de origem perineural e análise imunoistoquímica dos antígenos S-100 e CD57 nos diferentes tipos de lesão

Franco, Talita 24 February 2012 (has links)
Peripheral nerve sheath tumors (PNST) are neoplastic or reactive diseases of rare occurrence in the oral cavity, whose diagnosis can be challenging. This study aimed to gather epidemiological and molecular information to improve biological characterization of PNST, favoring the differential diagnosis between them. After histological review, clinical and demographic data from TBNP evaluated between 1978 and 2010 by the Oral Pathology Laboratory of Federal University of Uberlândia, were organized, followed by immunohistochemical analysis of molecules S-100 and CD57. We found 29 cases (0.27% of total sample), corresponding to 6 traumatic neuromas (TN), 7 neurofibromas (NF), 7 schwannomas (SW), 5 granular cell tumors (GCT) and 4 palisaded encapsulated neuromas (PEN). There was no significant sex predominance, most patients were young adults, the tongue was the most affected anatomical site, and the tumors were usually asymptomatic. All tumors showed diffusely reactivity for S-100. Diffusely reactivity for CD57 was observed in TN, on rare parenchymal cells of SW and PEN, and none of them in NF. In addition, reactive nerve fibers permeated cases of NF, GCT and PEN, but not in SW cases. In conclusion, this study confirms the rarity of PNST in oral mucosa and clinical similarity between them, also the constant expression of S-100, demonstrating their probable shared origin. Finally, the observed rare or absent expression of CD57 shows that tumor s Schwann cells do not reach complete differentiation, but are found in GCT; moreover, the arrangement of nerve fibers may eventually be useful for diagnostic differentiation between different PNST. / Tumores da bainha do nervo periférico (TBNP) são doenças neoplásicas ou reativas raras na cavidade bucal, cujo diagnóstico pode ser desafiador. O presente estudo teve como objetivo coletar informações epidemiológicas e moleculares que contribuíssem para melhor caracterização biológica dos TBNP, favorecendo o diagnóstico diferencial entre eles. Após reavaliação histológica, foram organizadas as informações demográficas e clínicas dos TBNP avaliados entre 1978 e 2010 pelo Laboratório de Patologia Bucal da Universidade Federal de Uberlândia, seguindo-se por análise imunoistoquímica das moléculas S-100 e CD57. Foram encontrados 29 casos (0,27% da casuística total), correspondentes a 6 neuromas traumáticos (NT), 7 neurofibromas (NF), 7 schwannomas (SW), 5 tumores de células granulares (TCG) e 4 neuromas encapsulados em paliçada (NEP). Não houve predominância relevante de sexo, a maioria dos pacientes eram adultos jovens, a língua foi o local mais acometido, e os tumores eram geralmente assintomáticos. Todos os tumores se mostraram difusamente reativos para S-100. Reatividade para CD57 foi observada difusamente no NT, em raras células parenquimatosas dos SW e dos NEP, e em nenhuma delas nos NF. Além disso, fibras nervosas positivas permeavam os casos de NF, TCG e NEP, mas não os de SW. Em conclusão, o presente estudo corrobora a raridade dos TBNP na mucosa bucal e a similaridade clínica entre eles, além da constante expressão de S-100, demonstrando sua provável origem comum. Finalmente, a expressão ausente ou rara de CD57 mostra que as células de Schwann tumorais não alcançam diferenciação plena; ainda, o arranjo das fibras nervosas, evidenciado por este marcador, pode ser eventualmente útil para a diferenciação diagnóstica entre os diferentes TBNP. / Mestre em Odontologia

Page generated in 0.0591 seconds