• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 2730
  • 156
  • 122
  • 91
  • 90
  • 90
  • 89
  • 75
  • 52
  • 32
  • 8
  • 3
  • 3
  • 2
  • 2
  • Tagged with
  • 3112
  • 873
  • 472
  • 433
  • 338
  • 293
  • 239
  • 225
  • 218
  • 212
  • 211
  • 186
  • 164
  • 162
  • 160
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
41

Produção de peptídeos antimicrobianos por Bacillus sp. P11

Leães, Fernanda Leal January 2012 (has links)
A produção de atividade antimicrobiana por Bacillus sp. P11 foi testada em diferentes subprodutos da indústria de alimentos. Farelo de soja foi o meio escolhido para determinar o efeito de três variáveis (temperatura, pH inicial e concentração do substrato) sobre a atividade antimicrobiana pela metodologia de superfície de resposta, utilizando um experimento fatorial 23. Na faixa estudada, temperatura e pH inicial do meio apresentam efeito significativo sobre a produção de atividade antimicrobiana, já a concentração do substrato não teve nenhum efeito significativo. Os dados mostraram produção máxima em pH inicial entre 7,0 e 8,5 e temperatura entre 39 e 42ºC. Nessas condições a produção de atividade antimicrobiana por Bacillus sp. P11 em farelo de soja foi comparada com a produção em meio de cultivo comercial (caldo BHI). Os resultados obtidos para os dois meios de cultura foram semelhantes, indicando que o farelo de soja pode ser um substrato de baixo custo para produção de antimicrobianos por Bacillus sp. P11. Para demostrar o efeito da temperatura e do pH na produção de peptídeos antimicrobianos, verificou-se a expressão de sboA (subtilosina A) e ituD (iturina A) em Bacillus sp. P11, utilizando a metodologia de qRT-PCR. A produção de subtilosina A e iturina A foi confirmada por espectrometria de massas. A expressão de sboA e ituD foi fortemente afetada pelo pH e pela temperatura e qRT-PCR provou ser uma poderosa ferramenta para investigar o potencial da cepa em produzir subtilosina A e iturina A. Além disso, a produção de peptídeos antimicrobianos por Bacillus sp. P11 foi investigada na presença de células inativadas termicamente de bactérias e fungos. A cepa exibiu maior atividade antimicrobiana na presença de células inativadas de Staphylococcus aureus ou Aspergillus parasiticus. Nessas condições a expressão de genes essenciais relacionadas com a biossíntese dos peptídeos antimicrobianos surfactina, iturina A, subtilosina A e fengicina foi investigada por qRT-PCR. Os resultados sugerem que o aumento da atividade antimicrobiana foi relacionado com a produção de iturina A, um peptídeo antimicrobiano que mostra forte atividade antimicrobiana contra um amplo espectro de fungos e pode ser usado no controle biológico de doenças de plantas. Por fim, foram testadas diferentes metodologias para a purificação parcial dos peptídeos antimicrobianos produzidos por Bacillus sp. P11. Os melhores resultados foram obtidos por partição em sistema aquoso bifásico com o sal sulfato de zinco, porém estudos adicionais são necessários. / Production of antimicrobial activity by Bacillus sp. P11 was tested in different byproducts of food industry. Soybean meal was the selected medium to determine the effect of three variables (temperature, pH and substrate concentration) on the antimicrobial activity by response surface methodology, using a 23 factorial design. In the range studied, temperature and initial pH of the medium had a significant effect on the production of antimicrobial activity and substrate concentration had no significant effect. The data showed maximum production at initial pH between 7.0 and 8.5 and temperature between 39 and 42°C. Under these conditions the production of antimicrobial activity by Bacillus sp. P11 in soybean meal was compared with the commercial medium (BHI). The results for both culture media were similar, indicating that soybean meal can be a low cost substrate for the production of antimicrobial activity of Bacillus sp. P11. To demonstrate the effect of temperature and pH on the production of antimicrobial peptides, we studied the expression of sboA (subtilosin A) and ituD (iturin A) in Bacillus sp. P11, using qRT-PCR methodology. The production of subtilosin A and iturin A was confirmed by mass spectrometry. The expression of sboA and ituD was strongly affected by pH and temperature and qRT-PCR proved to be a powerful tool to investigate the potential of the strain to produce subtilosin A and iturin A. In addition, the production of antimicrobial peptides by Bacillus sp. P11 was investigated in the presence of thermally inactivated cells of bacteria and fungi. The strain exhibited higher antimicrobial activity in presence of inactivated cells of Staphylococcus aureus or Aspergillus parasiticus. Under these conditions the expression of essential genes related to biosynthesis of antimicrobial peptides surfactin, iturin A, subtilosin A and fengycin was investigated by qRT-PCR. The results suggest that the increase in antimicrobial activity was related to the production of iturin A, an antimicrobial peptide that shows strong antimicrobial activity against a broad spectrum of fungi and can be used in biological control of plant diseases. Finally, we tested different methods for partial purification of antimicrobial peptides produced by Bacillus sp. P11. The best results were obtained by partition in aqueous two-phase system with the salt zinc sulfate, but further studies are needed.
42

AdenovÃrus em infecÃÃes respiratÃrias agudas infantis em Fortaleza-CE, de 2001 a 2013

Samuel Arruda Rodrigues Pereira 15 July 2014 (has links)
CoordenaÃÃo de AperfeÃoamento de Pessoal de NÃvel Superior / O adenovÃrus humano (ADVh) à um agente viral comumente relacionado a infecÃÃes do trato respiratÃrio, tanto superior quanto inferior, principalmente em crianÃas com idade inferior a cinco anos. Os ADVh sÃo classificados em sete espÃcie (A-G) e divididos em 54 tipos. A proteÃna hexon à a principal responsÃvel pela variaÃÃo antigÃnica inter e intragrupos desse vÃrus. O objetivo desse estudo foi caracterizar os perÃodos de circulaÃÃo e a diversidade de espÃcie e tipos de ADVh encontrados em Fortaleza, Cearà â Brasil, durante 150 meses consecutivos (janeiro de 2001 a junho de 2013). A imunofluorescÃncia indireta (IFI) foi utilizada para a detecÃÃo dos ADVh, vÃrus sincicial respiratÃrio, influenza A e B, parainfluenza 1, 2 e 3, jà a imunofluorescÃncia direta (IFD) foi utilizado na detecÃÃo do metapneumovÃrus humano (MPVh) . A PCR e Nested-PCR seguida do sequenciamento das seis primeiras regiÃes hipervariÃvel do gene Hexon foram utilizadas para caracterizar as espÃcies e tipos dos ADVh. Os ADVh foram detectados 290 (3,41%) das 8.517 amostras, sendo 60 (20,69%) destas encontradas em coinfecÃÃo com um, dois ou trÃs vÃrus. Um total de 190 (65,52%) ADVh foram molecularmente caracterizados, sendo 162 pertencente à espÃcie ADVh-B (85,72%), 21 à ADVh-C (11,11%) e 6 à ADVh-E (3,17%), ficando um cepa sem identificaÃÃo. As espÃcies circularam durante todo o perÃodo analisados sendo observado o predomÃnio da espÃcie B em quase todos os anos. Sete diferentes tipos foram identificados circulando em Fortaleza durante o perÃodo analisado. Os tipos predominantes foram o 3 (67,73%) e o 7 (17,80%). O ADVh-3 foi encontrado em todos os anos, jà o ADVh-7 nÃo foi observado nos anos de 2006, 2010 e 2011. Somente em 2011 todos os tipos identificados da espÃcie C circularam, e o Ãnico representante da espÃcie E, o ADVh-4, comeÃou a ser identificado na nossa populaÃÃo apenas a partir de 2007. O melhor conhecimento da circulaÃÃo de ADVh poderà ser alcanÃado se a vigilÃncia for contÃnua e associada ao uso de mÃtodos de maior sensibilidade na detecÃÃo desses vÃrus.
43

FrequÃncia do vÃrus EPSTEIN-BARR (EBV) em pacientes com cÃncer de mama do serviÃo de mastologia de um hospital do Estado do CearÃ.

Emanuele Silva de Oliveira 26 January 2015 (has links)
FundaÃÃo Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Cientifico e TecnolÃgico / O cÃncer de mama representa a maior causa de mortalidade por cÃncer entre as mulheres em todo o mundo. Apesar de possuir bom prognÃstico quando diagnosticado e tratado adequadamente, as taxas de mortalidade continuam elevadas no Brasil. A etiologia do cÃncer de mama à multifatorial e alguns fatores de risco sÃo descritos, como: idade, histÃria familiar e pessoal de cÃncer, fatores ligados a aspectos endÃcrinos, entre outros. Entretanto, em 50 a 80% dos casos, nenhum desses fatores à identificado, sugerindo a existÃncia de outros. Estudos apontam a associaÃÃo do cÃncer de mama com o VÃrus Epstein-Barr (EBV), entretanto, os estudos sÃo controversos. Assim, o presente estudo teve como objetivo verificar a presenÃa de EBV, utilizando a tÃcnica de HibridaÃÃo in situ, em 75 pacientes diagnosticadas com carcinoma mamÃrio invasivo, provenientes do AmbulatÃrio de Mastologia da Maternidade Escola Assis Chateaubriand. Para a classificaÃÃo molecular, os marcadores RE, RP, HER2, Ki67, TP53, CK5/6 e CK8/18 foram detectados pela tÃcnica de imunohistoquÃmica. Neste estudo, a mediana da idade das pacientes foi de 55 anos, das quais 28% tinham atà 45 anos. Apenas 8,7% dos tumores foram diagnosticados precocemente. Graus de estadiamento mais avanÃados e comprometimento de linfonodos caracterizaram essa amostra. A maioria dos tumores expressaram marcadores de citoqueratinas luminais, receptores hormonais e marcador de proliferaÃÃo celular (Ki67). Por outro lado, TP53 e HER2 estiveram presentes em uma fraÃÃo menor dos tumores. EBV foi positivo em apenas 6,67% dos casos nos quais a presenÃa do vÃrus foi restrita a poucos nÃcleos de cÃlulas tumorais. O subtipo luminal B foi o mais frequente, seguido do luminal A. TP53 foi mais frequente nos tumores do subtipo basal sÃmile (75%), diferindo significativamente dos tumores luminais A (16,7%) (p= 0,03) independente da idade. Entre as pacientes com atà 45 anos, todos os tumores do subtipo triplo negativo (basal sÃmile e normal sÃmile) foram TP53 positivos, enquanto uma baixa frequÃncia foi encontrada nos subtipos luminal A e luminal B com uma diferenÃa estatÃstica entre triplo negativo (100%) e luminal A (14,3%) (p = 0,02), triplo negativo e luminal B (16,7%) (p = 0,02), entre basal sÃmile (100%) e luminal A (p = 0,04) e basal sÃmile e luminal B (p = 0,04). As frequÃncias de TP53 nÃo diferiram significativamente entre os subtipos moleculares nas pacientes acima de 45 anos. Comparando-se os grupos de idade, à interessante notar que os tumores do subtipo triplo negativo nas pacientes de atà 45 anos de idade tiveram TP53 estatisticamente mais frequente do que em pacientes acima de 45 anos quando comparados com luminal B, enquanto nos tumores do subtipo luminal B, TP53 foi mais frequente em pacientes acima de 45 anos de idade. Em conclusÃo, apesar da presenÃa de EBV observada, o pequeno nÃmero de casos e a fraca positividade nÃo permitem afirmar ser este um fator etiolÃgico para o desenvolvimento do cÃncer de mama e nem a associaÃÃo da sua presenÃa com algum subtipo molecular. Entretanto, à importante ressaltar que o vÃrus foi pesquisado com base no seu perfil de latÃncia considerando a expressÃo de EBER e esses dados suscitam a adiÃÃo de outros alvos para a pesquisa da real participaÃÃo do vÃrus. Por outro lado à interessante ressaltar a importÃncia do TP53 como marcador diferencial dos tumores triplo negativos em mulheres abaixo de 45 anos.
44

Nosocomial infection Childhood:he importance of respiratory viruses as agents of these diseases / InfecÃÃes hospitalares em pediatria: a importÃncia dos vÃrus respiratÃrios como agentes destas enfermidades

Caroline Mary Gurgel Dias FlorÃncio 14 July 2014 (has links)
CoordenaÃÃo de AperfeÃoamento de Pessoal de NÃvel Superior / Nosocomial infections (NI) are a serious public health problem. Knowledge about the etiology of NI is important for the development of control measures, prevention and treatment. Viruses are important etiologic agent of NI has been studied in populations considered at risk as premature, heart disease, lung disease, and immunosuppressed. Respiratory hospital infection (RHI) generate discomfort to patients, postponing medical interventions, postoperative complications, use more drugs and, in some cases, intensive care, may progress to cure or to death. Viruses are responsible for outbreaks of RHI in wards and intensive care units, with the virus as detected respiratory syncytial virus. In our country there are few data on the impact of RHI caused by respiratory viruses in children. Aims of the study were: identify and describe RHI cases in children and submit nasopharyngeal aspirates collected from January to December 2013 to search for molecular diagnosis 13 respiratory viruses [respiratory syncytial virus (RSV), adenovirus, influenza A and B, parainfluenza virus -1 ,-2 , -3 and -4 , metapneumovirus and human coronavirus OC43 , NL63 , 229E and HKU - 1]. During the study period, 120 samples were included in the study and 65 % were positive for at least one virus. A total of 114 viruses were detected (33 RSV, 32 adenovirus, 14 Parainfluenza -3, 14 influenza A , 12 Parainfluenza -4 , 5 parainfluenza -1 , 3 metapneumovirus and 1 coronavirus OC43). Co-detections occurred in 26 cases: 16 with two viruses and 10 with three viruses. No clinical differences between positive and negative RHI for viruses investigated were observed. Respiratory virus were detected in four of five deaths (5/120 4.16%) associated RHI. The knowledge about the occurrence of viral RHI in association with the period of viruses circulation in the community, as described in the study, allows to develop specific actions steps to prevent and control hospital outbreaks caused by viruses. / As infecÃÃes relacionadas à assistÃncia à saÃde (IRAS) sÃo um sÃrio problema de saÃde pÃblica. O conhecimento sobre a etiologia das IRAS à importante para o desenvolvimento de medidas de controle, prevenÃÃo e tratamento. A importÃncia dos vÃrus na etiologia das IRAS tem sido estudada em populaÃÃes consideradas de risco, como prematuros, cardiopatas, pneumopatas e imunodeprimidos. As infecÃÃes respiratÃrias hospitalares (IRH) geram aos pacientes desconforto, adiamento de intervenÃÃes mÃdicas, complicaÃÃes pÃs-cirÃrgicas, uso adicional de medicamentos e, em alguns casos, cuidados intensivos, podendo cursar para a cura ou para o Ãbito. Os vÃrus sÃo responsÃveis por surtos de IRH em enfermarias e unidades de terapia intensiva, sendo o vÃrus sincicial respiratÃrio o mais detectado. Em nosso paÃs sÃo escassos os dados sobre o impacto das IRH causadas por vÃrus respiratÃrios em pediatria. Os objetivos deste estudo foram: identificar e descrever os casos de IRH em crianÃas e submeter aspirados de nasofaringe coletados no perÃodo de janeiro a dezembro de 2013 ao diagnÃstico molecular para pesquisa de 13 vÃrus respiratÃrios [vÃrus sincicial respiratÃrio (VSR), adenovÃrus, influenza A e B, parainfluenza 1, 2, 3 e 4, metapneumovÃrus e coronavÃrus humanos OC43, NL63, 229E e HKU-1]. Para tanto, as amostras foram extraÃdas para obtenÃÃo do material genÃtico viral e, posteriormente, para os vÃrus de RNA, parte deste produto foi transformada em DNA complementar e depois a amplificado. Para detecÃÃo do adenovÃrus, foram realizados PCR e Nested PCR. No perÃodo de estudo, 120 amostras foram incluÃdas e 65% delas foram positivas para pelo menos um vÃrus. Um total de 114 vÃrus foram detectados (33 VSR; 32 adenovÃrus; 14 parainfluenza-3; 14 influenza A; 12 parainfluenza-4; 5 parainfluenza-1; 3 metapneumovÃrus e 1 coronavÃrus OC43). Co-detecÃÃes ocorreram em 26 casos: 16 com dois vÃrus e 10 com trÃs vÃrus. NÃo foram observadas diferenÃas clÃnicas entre as IRH positivas e negativas para os vÃrus pesquisados. VÃrus respiratÃrios foram identificados em quatro dos cinco casos de Ãbito (4,16%; 5/120) associados à IRH. O conhecimento sobre a ocorrÃncia da IRH virais em associaÃÃo com o perÃodo de circulaÃÃo dos vÃrus na comunidade, como descrito no estudo, permite desenvolver aÃÃes especÃficas de medidas para prevenir e controlar surtos hospitalares causados pelos vÃrus.
45

Atividade antimicrobiana e mecanismos de aÃÃo do Ãleo essencial de Plectranthus amboinicus frente a cepas multirresistentes de Klebsiella pneumoniae / Effect of subinihibitory and inhibitory concentrations of Plectranthus amboinicus (Lour.) Spreng essential oil on Klebsiella pneumoniae

Thially Braga GonÃalves 16 February 2012 (has links)
CoordenaÃÃo de AperfeÃoamento de Pessoal de NÃvel Superior / O trabalho descreve o primeiro estudo sobre a atividade antimicrobiana e mecanismos de aÃÃo de concentraÃÃes sub-inibitÃrias e inibitÃrias do Ãleo essencial das folhas de Plectranthus amboinicus contra uma cepa padrÃo de Klebsiella pneumoniae e cepas obtidas de isolados clÃnicos multirresistentes. A concentraÃÃo inibitÃria mÃnima (CIM), concentraÃÃo bactericida mÃnima (CBM), a taxa de morte e o efeito do pH na aÃÃo do Ãleo essencial foram analisadas atravÃs de testes de microdiluiÃÃo em microplacas. ConcentraÃÃes sub-inibitÃrias e inibitÃrias do Ãleo essencial foram testadas para verificar sua aÃÃo sobre permeabilidade da membrana, expressÃo de cÃpsula, atividade da urease e morfologia celular de K. pneumoniae. A CIM e CBM do Ãleo essencial foram de 0,09 Â 0,01% e resultou notavelmente na inibiÃÃo completa do crescimento bacteriano apÃs 2 horas, quando as bactÃrias foram expostas a duas vezes a CIM do Ãleo essencial. A melhor CIM foi encontrada quando o pH neutro ou alcalino foi usado. CaptaÃÃo de Cristal violeta foi considerada significativa quando o dobro da CIM do Ãleo essencial foi usado (p <0,05). InibiÃÃo da atividade da urease foi observada em todas concentraÃÃes sub-inibitÃrias testadas, quando comparada ao grupo nÃo tratado (p<0,001). Verificou-se ainda alteraÃÃo na expressÃo da cÃpsula e alteraÃÃes na membrana, verificadas pelas tÃcnicas de Anthony e por microscopia de forÃa atÃmica, respectivamente. / This work describes the first study about the antimicrobial activity and mechanisms of action of the subinihibitory and inhibitory concentrations essential oil from leaves of Plectranthus amboinicus against standard strain of Klebsiella pneumoniae and multresistant clinical isolates of the bacterium. The minimal inhibitory concentration (MIC) and minimal bactericidal concentration (MBC), the rate of killing and the pH sensitivity of the essential oil were determined through microplate-microdilution tests. Subinihibitory and inhibitory concentrations of Plectranthus amboinicus essential oil were tested in order to check their action on K. pneumoniae membrane permeability, capsule expression, urease activity and cell morphology. The MIC and MBC of the essential oil were 0.09Â 0.01% and resulted remarkably in complete inhibition of the bacterial growth after 2 hours, when the bacteria were exposed to twice the MIC of the essential oil. A better MIC was found when neutral or alkaline pH broth was used. Cristal violet uptake which represented altered permeability was considered to be significant when twice the MIC of the essential oil was used compared to the untreated group (p<0.05); Reduction of the urease activity could be found when all the subinihibitory concentrations were tested compared to the untreated group (p< 0.001). Is the result was an indicative that there was alteration on the capsule expression and membrane leakage, which could be demonstrated by the AnthonyÂs method and atomic force microscopy, respectively.
46

ResistÃncia antimicrobiana, genotipagem capsular e deteÃÃo de genes de resistÃncia de Streptococcus pneumoniae isolados de crianÃas nÃo vacinadas usuÃrias de creches em Fortaleza

Bruno Jaegger Laranjeira 14 March 2014 (has links)
FundaÃÃo Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Cientifico e TecnolÃgico / O Streptococcus (S.) pneumoniae à considerado como o principal agente causador de morbidade e mortalidade em crianÃas menores de cinco anos de idade. As doenÃas pneumocÃcicas comeÃam com o estabelecimento da colonizaÃÃo do S. pneumoniae na nasofaringe. O principal fator de risco para colonizaÃÃo à o confinamento, como em crianÃas que frequentam creches. Nas Ãltimas dÃcadas, o aumento do nÃmero de cepas de S. pneumoniae resistentes à antibiÃticos &#946;-lactÃmicos e a outras classes de antimicrobianos tem dificultado o tratamento da infecÃÃo pneumocÃcica. Atualmente cerca de 13 sorotipos de S. pneumoniae respondem por mais de 85% dos isolados invasivos. A vacina pneumocÃcica polissacarÃdica conjugada 10-valente (VPC-10) foi recentemente incluÃda no calendÃrio de vacinaÃÃo nacional. Os objetivos desse estudo foram determinar a prevalÃncia, a resistÃncia antimicrobiana, os genÃtipos de S. pneumoniae que colonizam a nasofaringe de crianÃas usuÃrias de creches em Fortaleza, Brasil, bem como para avaliar a cobertura potencial da VPC-10. Entre janeiro e dezembro de 2011, os isolados de crianÃas portadores foram recuperados a partir de swabs de nasofaringe. Foram determinadas as sensibilidades para penicilina, ceftriaxona, sulfametoxazol/trimetoprim, amoxilina, clindamicina e eritromicina, das cepas isoladas utilizando-se o mÃtodo de e-test.. A detecÃÃo dos genes de resistÃncia à penicilina foi realizada por PCR. A genotipagem capsular dos isolados de portadores foi realizada pela tÃcnica de multiplex PCR. Foram isolados S. pneumoniae em 165 (56,7%) das 291 crianÃas saudÃveis usuÃrias de creches. Dos 162 isolados de portadores, submetidos à determinaÃÃo da concentraÃÃo inibitÃria mÃnima, foi encontrada uma taxa resistÃncia de 27,8% para penicilina, 75,3% para sulfametoxazol/trimetoprim, 13,6% para eritromicina e 10,5% para clindamicina. NÃo foi detectada resistÃncia à ceftriaxona e à amoxicilina. A porcentagem de isolados de S. pneumoniae com mutaÃÃo em pelo menos um dos genes que determinam resistÃncia à penicilina foi de 68,2%. Os genÃtipos capsulares de 115 isolados foram identificados em 129 viÃveis. Os genÃtipos mais comuns foram 6A/6B, 14, 15B/15C, 19F e 23F, com os sorotipos 6A/6B, 14, 19F e 23F mais associados com a resistÃncia. A cobertura estimada para VPC-10 foi de 74.4%. O presente estudo verificou que a taxa de portadores de S. pneumoniae à alta, assim como a resistÃncia aos antimicrobianos penicilina e sulfametoxazol/trimetoprima, e que a cobertura potencial da VPC-10 à elevada frente aos genÃtipos de S. pneumoniae identificados, isolados de crianÃas usuÃrias de creches em Fortaleza.
47

Aeromonas spp. isoladas no Cearà - Brasil: detecÃÃo genotÃpica de fatores de virulÃncia e sensibilidade a antimicrobianos in vitro. / Aeromonas spp. isolated in Cearà - Brazil : genotypic detection of virulence factors and susceptibility in vitro antimicrobial.

Glaucia Morgana de Melo Guedes 09 January 2015 (has links)
CoordenaÃÃo de AperfeÃoamento de Pessoal de NÃvel Superior / EspÃcies do gÃnero Aeromonas, encontradas com frequÃncia em ambientes aquÃticos, sÃo importantes patÃgenos humanos. Este estudo teve como objetivo geral isolar cepas clÃnicas e ambientais de Aeromonas spp., assim como, investigar a presenÃa de genes de virulÃncia e avaliar a sensibilidade a antimicrobianos in vitro, bem como, o mecanismo de resistÃncia. As amostras clÃnicas e ambientais foram identificadas por meio de testes bioquÃmicos e metodologia automatizada Vitek2Â (bioMeriÃux). A detecÃÃo de genes de virulÃncia para enterotoxina citotÃxica (act), hemolisina (asa1) e sistema de secreÃÃo III (ascV) foi feita por PCR simples. A sensibilidade aos antimicrobianos seguiu recomendaÃÃes dos documentos M7-A9 e M45-A2 do CLSI. A caracterizaÃÃo do mecanismo de resistÃncia foi realizada mediante testes fenotÃpicos para detecÃÃo de Ã-lactamases. Dos isolados clÃnicos foram identificados dezenove A. hydrophila, trÃs A. veronii bv. sobria e uma A. caviae. As 35 cepas ambientais foram identificadas como A. hydrophila (n=11), A. veronii bv. sobria (n=22), A. veronii bv. veronii (n=1) e A. caviae (n=1). Em relaÃÃo aos genes de virulÃncia das cepas clÃnicas, foram detectados os genes act, asa1 e ascV nas proporÃÃes 69,5; 8,6 e 34,7%, respectivamente. Enquanto nas cepas ambientais foram encontrados os percentuais de 51,4; 45,7 e 54,2%, respectivamente. Observou-se resistÃncia a piperacilina-tazobactam e a amoxicilina-clavulanato, em 3 e 15 cepas clÃnicas, respectivamente. Ademais, houve resistÃncia a ceftazidima, meropenem, imipenem, ciprofloxacina e trimetoprim-sulfametoxazol, com uma cepa resistente a cada antimicrobiano. Quanto Ãs cepas ambientais, detectou-se resistÃncia somente a piperacilina-tazobactam e amoxicilina-clavulanato em 1 e 17 cepas, respectivamente. Em relaÃÃo a detecÃÃo de Ã-lactamases, foi detectada AmpC em doze cepas clÃnicas e sete ambientais. Em suma, apesar de ter sido obtido um maior percentual de resistÃncia em cepas de origem humana, as cepas ambientais tambÃm apresentaram este fenÃmeno e em ambas foram detectados genes de virulÃncia. Portanto, Ã importante realizar o monitoramento do potencial patogÃnico e sensibilidade de isolados ambientais. / Aeromonas spp., frequently found in aquatic environments, are important human pathogens. This study had the main objectives of isolating clinical and environmental strains of Aeromonas spp. and investigating the presence of virulence genes, antimicrobial susceptibility in vitro and resistance mechanism. Clinical and environmental samples were identified by biochemical tests and the automated Vitek2Â (bioMeriÃux) method. The virulence genes cytotoxic enterotoxin (act), haemolysin (asa1) and type III secretion system (ascV) were detected by simple PCR. The antimicrobial susceptibility was determined according to the recommendations of M7-A9 and M45-A2 do CLSI. The characterization of resistance mechanism was performed by detection of Ã-lactamases phenotypic tests. From the clinical isolates, 19 A. hydrophila, 3 A. veronii bv. sobria and 1 A. caviae were identified The 35 environmental strains were identified as A. hydrophila (n= 11), A. veronii bv. sobria (n= 22), A. veronii bv. veronii (n= 1) and A. caviae (n= 1). Regarding the virulence genes of clinical strains, the act, asa1 and ascV genes were detected in the proportions 69.5, 8.6 and 34.7%, respectively. The respective percentages for the environmental strains were 51.4, 45.7% and 54.2%. Resistance was observed to piperacillin-tazobactam and amoxicillin-clavulanate in 3 and 15 clinical strains, respectively. Moreover, there was resistance to ceftazidime, meropenem, imipenem, ciprofloxacin and trimethoprim-sulfamethoxazole, with one strain resistant to each antimicrobial agent. As for the environmental strains, resistance was detected only to piperacillin-tazobactam and amoxicillin-clavulanate and, in 1 and 17 strains, respectively. Regarding the detection of Ãâlactamases, AmpC was detected in clinical (n= 12) and environmental strains (n= 7). In short, despite having observing higher percentage of resistance in strains of human origin, environmental strains also showed this phenomenon and virulence genes were detected in both strains. Thus, it is important to monitor the antimicrobial susceptibility and pathogenic potential of the environmental isolates.
48

Inhibitory effect in vitro of farnesol against Burkholderia pseudomallei biofilms / Efeito inibitÃrio in vitro do composto farnesol frente ao biofilme de Burkholderia pseudomallei

Giovanna Riello Barbosa Correia 14 July 2015 (has links)
CoordenaÃÃo de AperfeiÃoamento de Pessoal de NÃvel Superior / A intrÃnseca resistÃncia apresentada pela bactÃria Burkholderia pseudomallei à um grave empecilho para o tratamento da melioidose. Muitas pesquisas focam na busca de adjuvantes que aumentem a sensibilidade desta bactÃria aos antimicrobianos. Nesse contexto, a aÃÃo inibitÃria do farnesol frente Ãs cepas de B. pseudomallei, na forma planctÃnica, jà foi relatada em estudo prÃvio. Diante disso, esse estudo objetivou analisar a atividade in vitro do farnesol contra cepas de B. pseudomallei na forma de biofilme. Aliado à anÃlise da aÃÃo do farnesol isoladamente, foi investigada a combinaÃÃo desse composto com os antimicrobianos amoxicilina, ceftazidima, doxiciclina, imipenem e sulfametoxazol/trimetoprim frente ao biofilme. A sensibilidade foi avaliada por meio do teste de microdiluiÃÃo em caldo e a leitura da viabilidade celular feita com a resazurina. A concentraÃÃo inibitÃria mÃnima em biofilme (CEMB) para o farnesol foi de 75 a 2400 mM. Ademais, o farnesol reduziu em atà 256, 16, 4 e 4 vezes os valores de CEMB para ceftazidima, amoxicilina, doxiciclina e sulfametoxazol/trimetoprim, respectivamente (P<0.05). Por meio de tÃcnicas de microscopia, tais como Ãptica, confocal e eletrÃnica, observou-se que o farnesol foi capaz de causar danos na matriz do biofilme, facilitando assim, a penetraÃÃo dos antibiÃticos. Deste modo, o presente estudo mostrou a eficÃcia do farnesol contra biofilmes de B. pseudomallei e seu efeito potenciador, em especial com ceftazidima, amoxicilina, doxiciclina e sulfametoxazol/trimetoprim / The intrinsic antimicrobial resistance of Burkholderia pseudomallei is a serious challenge to the treatment of melioidosis. Many studies have searched for adjuvants that increase susceptibility bacteria to antimicrobials. In this context, the antimicrobial activity of farnesol against B. pseudomallei in planktonic growth has been reported. Thus, the aim of this study was to analyze the in vitro activity of farnesol alone against Burkholderia pseudomallei biofilms, as well as its combination with the antibacterials amoxicillin, doxycycline, ceftazidime and sulfamethoxazole-trimethoprim. Susceptibility was assessed by the broth microdilution test and cell viability was read with the oxidation-reduction indicator dye resazurin. The interaction between farnesol and antibacterial drugs against B. pseudomallei biofilms was evaluated through the calculation of the fractional inhibitory concentration index. The minimum biofilm erradication concentration (MBEC) for farnesol was 75 to 2400 mM. In addition, farnesol significantly reduced the MBEC values for ceftazidime,amoxicillin, doxycycline and sulfamethoxazole-trimethoprim by 256, 16, 4 and 4 times respectively (P<0.05). Optical, confocal and electronic microscopic analyses of farnesol treated B. pseudomallei biofilms demonstrated that this compound damages biofilm matrix,facilitating antimicrobial penetration in the biofilm structure. This study demonstrated the effectiveness of farnesol against B. pseudomallei biofilms and its potentiating effect on the activity of antibacterial drugs, in particular ceftazidime, amoxicillin, doxycycline and sulfamethoxazole-trimethoprim
49

Streptococcus pneumoniae: Antimicrobial Sensitivity and Detection of Resistance Genes in Children with Isolated Acquired Pneumonia in Community in Fortaleza, CearÃ. / Streptococcus pneumoniae: sensibilidade a antimicrobianos e detecÃÃo de genes de resistÃncia em isolados de crianÃas com pneumonia adquirida na comunidade em Fortaleza, CearÃ

Nayara Santos de Oliveira 10 December 2013 (has links)
FundaÃÃo de Amparo à Pesquisa do Estado do Cearà / A infecÃÃo respiratÃria aguda (IRA) à uma sÃndrome clÃnica, em que cerca de 80% das mortes sÃo atribuÃdas à pneumonia, uma doenÃa grave que atinge o trato respiratÃrio inferior. O agente etiolÃgico comumente isolado na pneumonia adquirida na comunidade (PAC) à o Streptococcus pneumoniae (S. pneumoniae). As doenÃas pneumocÃcicas comeÃam com a colonizaÃÃo do S. pneumoniae na nasofaringe, podendo progredir para doenÃa invasiva. Nas Ãltimas dÃcadas, o aumento do nÃmero de cepas de S. pneumoniae resistentes a antibiÃticos &#946;-lactÃmicos e a macrolÃdeos tem dificultado o tratamento das infecÃÃes pneumocÃcicas. Os objetivos desse estudo foram determinar à prevalÃncia de portadores de S. pneumoniae em crianÃas com PAC, o perfil de sensibilidade a antimicrobianos e distribuiÃÃo dos sorotipos, em Fortaleza, Brasil. As cepas de S. pneumoniae foram isoladas de aspirados de nasofaringe de crianÃas com PAC atendidas no Hospital Infantil Albert Sabin (HIAS). Para a determinaÃÃo das ConcentraÃÃes InibitÃrias MÃnimas (CIM) foi utilizado o mÃtodo de E-test para os seguintes antimicrobianos: penicilina, ceftriaxona, sulfametoxazol/trimetoprim, amoxicilina, clindamicina e eritromicina. A genotipagem das cepas de S. pneumoniae foi realizada pela tÃcnica de multiplex PCR. De 527 amostras de crianÃas com PAC, foram isolados S. pneumoniae em 30,17%. De 126 isolados de portadores foi encontrada uma taxa resistÃncia de 25,8% para penicilina, de 81,2% para sulfametoxazol/trimetoprim, de 21,4% para eritromicina, de 19% para clindamicina e de 0,8% para ceftriaxona e amoxicilina. Das 102 cepas genotipadas, os sorotipos mais comumente encontrados foram 6A/6B, seguido do 14, 19A e 19F. Foram selecionadas 29 cepas resistentes à penicilina para detecÃÃo das alteraÃÃes proteÃnas de ligaÃÃo a penicilina (PBP). Foi encontrada alteraÃÃo na PBP 1a em 69%, jà para as PBP 2b e PBP 2x todas as cepas testadas apresentaram alteraÃÃo. Jà para clindamicina e eritromicina, foram selecionados 24 cepas para detecÃÃo do gene ermB. Das 24 cepas testadas, 79,2% possuÃam o gene ermB. O presente trabalho gerou dados sobre a prevalÃncia de crianÃas portadoras com PAC de S. pneumoniae, revelou dados fenotÃpicos e genotÃpicos acerca da resistÃncia dos isolados frente aos antimicrobianos utilizados na clÃnica e a distribuiÃÃo dos sorotipos do pneumococo de crianÃas com PAC atendidas no HIAS.
50

Estudo de sensibilidade do biofilme de Burkholderia pseudomallei a antibiÃticos de uso clÃnico e farnesol

Camila Alencar Moreira 27 September 2013 (has links)
CoordenaÃÃo de AperfeiÃoamento de Pessoal de NÃvel Superior / A melioidose à uma doenÃa infeciosa emergente, notadamente no nordeste do Brasil, com sÃrias implicaÃÃes internacionais, assim como um problema de saÃde pÃblica. Causada pelo bacilo Burkholderia pseudomallei, esta infecÃÃo se apresenta desde quadros assintomÃticos a quadros graves e frequentemente fatais. As altas taxas de mortalidade da doenÃa (20 a 50%) a tornam uma prioridade para orgÃos globais de saÃde. No Brasil, casos de melioidose foram relatados pela primeira vez em 2003, no municÃpio de TejuÃuoca no CearÃ. Desde entÃo, novos casos de melioidose foram diagnosticados em outros seis municÃpios cearenses. B. pseudomallei à intrinsecamente resistente a muitos antibiÃticos e estudos recentes jà descrevem casos resistÃncia aos antimicrobianos utilizados no tratamento da melioidose. A investigaÃÃo da capacidade de formaÃÃo de biofilme por B. pseudomallei parece ser fundamental, jà que o biofilme permite o desenvolvimento de microcolÃnias dentro de um ambiente protegido, o qual se relaciona com a proteÃÃo ambiental, adesÃo, colonizaÃÃo, evasÃo do sistema imune e ligaÃÃo a cÃlulas ambientais. Portanto, o desenvolvimento de alternativas terapÃuticas antibiofilme, incluindo novas drogas, à necessÃrio. Com efeito, este estudo teve como objetivo caracterizar as cepas de B. pseudomallei da coleÃÃo do LAPERE quanto à capacidade de produÃÃo de biofilme e sensibilidade em crescimento planctÃnico e em biofilme. As drogas selecionadas foram: ceftazidima (CAZ), doxiciclina (DOX), imipenem (IPM), amoxicilina/clavulanato (AMC) e sulfametoxazol/trimetoprim (SXT); e farnesol (FNS). Todas as cepas foram classificadas como produtoras de biofilme, sendo divididas em: forte (5 cepas), moderada (3 cepas), e fraca (1 cepa). Valores mÃdios de concentraÃÃo inibitÃria mÃnima (MIC), concentraÃÃo inibitÃria mÃnima em biofilme (MBIC) e concentraÃÃo de erradicaÃÃo mÃnima em biofilme (MBEC) para estas cepas foram determinados para AMC (MIC 10,2/5,1 mg/L, MBIC 21,3/10,6 mg/L e MBEC 27,6/13,8 mg/L), para CAZ (MIC 5,6 mg/L, MBIC 120,4 mg/L e MBEC 419,6 mg/L), para DOX (MIC 0,28 mg/L, MBIC 1,3 mg/L e MBEC 3,8 mg/L), para IPM (MIC 0,597 mg/L, MBIC &#8805; 256 mg/L e MBEC > 256 mg/L), para SXT (MIC 1,25/23,75 mg/L, MBIC &#8804; 0,5/9,5 mg/L e MBEC < 0,72/13,72 mg/L), e para FNS (MIC e MBIC iguais a 150 ÂM/L). Os dados obtidos apontam especialmente para o potencial inibitÃrio de trÃs dos antibiÃticos estudados - AMC, DOX e SXT, e farnesol contra cepas de B. pseudomallei associadas a biofilme. Todavia, sÃo necessÃrios novos estudos para investigar os mecanismos de aÃÃo dessas drogas sobre o biofilme, bem como o delineamento de experimentos in vivo para confirmar a significÃncia desses achados clinicamente. Ademais, o crescimento dessas cepas em condiÃÃes de formaÃÃo de melanina e biofilme evidenciou que esta associaÃÃo torna as cepas mais resistentes à aÃÃo de imipenem e farnesol.

Page generated in 0.0381 seconds