• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 1264
  • 4
  • 4
  • 4
  • 4
  • 4
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 1
  • 1
  • Tagged with
  • 1275
  • 462
  • 270
  • 236
  • 218
  • 117
  • 110
  • 105
  • 101
  • 89
  • 77
  • 73
  • 71
  • 69
  • 68
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Estudo da resposta imunológica induzida por Arnica montana L. /

Marques, Márcia Faria. January 2006 (has links)
Orientador: Iracilda Zeppone Carlos / Banca: Dagmar Ruth Stach-Machado / Banca: Edanir dos Santos / Banca: Gilberto Luiz Pozetti / Banca: Beatriz Maria Machado de Medeiros / Resumo: A resposta imunológica engloba amplo contexto envolvendo várias células, sendo o macrófago uma das mais importantes na resposta imune-celular. Os macrófagos peritoneais quando ativados liberam mais de cem compostos ao meio extracelular, entre eles os compostos reativos de oxigênio e de nitrogênio, além das citocinas: fator de necrose tumoral-a (TNF-a), interferon-g (IFN-g) e interleucinas (IL-1, 4, 6 e 12). Existem vários estímulos à membrana macrofágica que podem desencadear a liberação de NO, contribuindo para uma ação antimicrobiana, inflamatória, vasodilatadora, neurotransmissora, ou até mesmo de citotoxicidade ou inibição/ativação linfocitária e da agregação de plaquetas. Atualmente há uma forte tendência em se estudar produtos naturais quanto à capacidade de atuação no sistema imunológico. Os medicamentos homeopáticos, conhecidos há mais de 210 anos, visam à ativação das próprias defesas do organismo para eliminar a doença. Estudos baseados em cultivos obtidos de macrófagos podem ser úteis para um melhor entendimento da resposta imunológica. Considerando a importância farmacológica de Arnica montana L. (Asteraceae), planta originária das regiões montanhosas do norte da Europa, este estudo avaliou a liberação de H2O2, NO, TNF-a, IFN-g e IL-1, 4, 6 e 12 no sistema imunológico através de macrófagos peritoneais expostos a preparações fitoterápicas e homeopáticas desta planta. Os resultados mostraram que a Arnica montana L. foi capaz de promover a liberação de NO, TNF-a, IFN-g e IL-6. As preparações homeopáticas também apresentaram um efeito inibitório na produção de NO e TNF-a induzida pelo LPS. A análise dos resultados deste trabalho sugere que a Arnica montana L. pode modular a ativação dos macrófagos. / Abstract: The immunological response includes wide context involving several cells, being the macrophage one of the most important in the cellular immune response. The peritoneal macrophages when activated they liberate more than a hundred compound to the environment extracellular, among them compound reactive of the oxygen and nitrogen and the tumoral necrosis factor -a (TNF-a), gamma-interferon and interleukynes. The nitric oxide (NO) it is synthesized by several cellular types through isoforms of the enzyme nitric oxide synthase (NOS). The enzyme inducible nitric oxide synthase (iNOS) it produces NO starting from activators mechanisms macrophages. Several incentives to the membrane macrophagical that can unchain the liberation of NO, contributing to actions antibacterial, inflammatory, vasodilatation, neurotransmission, or even of citotoxicity or inhibition/activation of lymphocytes. Now there is a strong tendency in studying natural products with relationship to the capacity of performance in the immune system. Macrophages are involved in many different processes but their main function is to provide a defense line against microbial invasion and tumor cells. Once homeopathic medications are aimed at activation of the body's own defense mechanisms to fight an existing disease, assays based in macrophages culture may be useful to enlighten some questions. Considering the pharmacological importance of Arnica montana L. this study evaluated the action of NO in the immune system through peritoneal macrophages exposed to the preparations of this plant. The results showed that some of the tested preparations were capable to promote the liberation of NO, TNF-a, INF- e IL-6 in cultures of peritoneal macrophages murine. A relationship among the synthesis of NO and TNF- was observed. Analyzing the results, it is suggested that preparations of Arnica montana L. can modulate macrophage activation. / Doutor
2

Estudo da resposta imune de calomys callosus (Rodentia-cricetidae) a hemacias de carneiro e trypanosoma cruzi

Borges, Monamaris Marques 20 December 1985 (has links)
Orientador: Judith Kardos Klotzel / Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Biologia / Made available in DSpace on 2018-07-14T12:22:39Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Borges_MonamarisMarques_M.pdf: 6557059 bytes, checksum: 0f622f6ea4c39b4386063f96f7b23904 (MD5) Previous issue date: 1985 / Resumo: Investigamos se a resistência relativa do C. callosus, reservatório silvestre do T. cruzi à infecção chagásica, é mediada por mecanismos imunológicos. Animais de ambos sexos com peso entre 18 - 24 g e idade de 30 - 40 dias foram inoculados dia O, +5 ou +10 (via intraperitoneal, i.p.) com 5 x l08 hemácias de carneiro (HC)/animal e estimulados com várias doses de ciclo fosfamida (CI) dia -1 ou -1 e +5, para estabelecer um modelo de resposta humoral facilitada ou diminuída, o qual foi usado nas infecções por T. cruzi para avaliar o papel da resposta humoral no controle desta infecção. Grupos de animais imunossuprimidos ou não receberam dia zero, 4000 parasitas/animal das cepas humanas Y ou silvestre M226 e Costalimai. Acompanhamos a cinética de produção de anticorpos através do teste de aglutinação direta de tripomastigotas, correlacionando-a com o número de parasitas circulante nos grupos inoculados com a cepa Y. Naqueles, inoculados com as cepas silvestres, somente a parasitemia foi acompanhada. A participação da resposta humoral foi também avaliada através da transferência passiva de soroimune em animais imunossuprimidos e infectados. Nas experiências com hemácias de carneiro camundongos Biozzi High (H/Se) e Biozzi Low (L/Se) seleção III, foram usados como testemunho. Observação: O resumo, na íntegra, poderá ser visualizado no texto completo da tese digital / Abstract: Not informed. / Mestrado / Mestre em Ciências Biológicas
3

Mecanismos de defesa em moluscos Biomphalaria tenagophila e Biomphalaria glabrata frente ao Shistosoma Mansoni

Santana, Jose Valfrido de 13 July 2018 (has links)
Orientador : Luiz Augusto Magalhães / Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Biologia / Made available in DSpace on 2018-07-13T23:04:13Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Santana_JoseValfridode_D.pdf: 13270093 bytes, checksum: f83a4981eb04a24ac0243ed92df59c5d (MD5) Previous issue date: 1990 / Resumo: Procurou-se analisar os mecanismos de defesa em Biomphalaria glabrata de gerações geneticamente selecionados e, de Biomphalaria tenagophila da geração parental frente ao Shistosoma mansoni de linhagens simpátricas. Para atender os objetivos propostos, a hemolinfa destes moluscos foi estudada quanto à concentração de células granulocíticas e o envolvimento destas na fagocitose. Outros parâmetros como resposta do molusco a inoculação de extratos antigênicos diversos e análise imunoquímica da hemolinfa frente a anti-soros específicos, também forma avaliados. Em ambas espécies de moluscos, o número de granulócitos aumentou significativamente 24 horas após exposição à miracídios, ocorrendo acentuado declínio 7º ao 42º dia pós-infecção, mantendo-se perfis semelhantes em B.glabrata e B. tenagophila durante este período. A capacidade fagocitária foi mais intensa em moluscos menos suscetíveis, como verificado para as gerações parentais. A inoculação de extrato antigênico de cercarias em B.glabrata suscetível, induziu resistência parcial a infecção esquitossomótica. Análises imunoquímicas da hemolinfa, revelaram maior número de sistemas precipitantes em B. tenagophila infectada. ... Observação: O resumo, na íntegra, poderá ser visualizado no texto completo da tese digital / Abstract: Not informed. / Doutorado
4

Efeitos do B-Hidroxi-B-Metilbutirato (HMB) sobre produção de citocinas e vias de sinalização de células imunitárias

Nunes, Everson Araújo 30 March 2010 (has links)
No description available.
5

Avaliação do potencial profilático de células dendríticas transfectadas com RNA fúngico em modelo experimental de esporotricose sistêmica /

Silva, Felipe Fortino Verdan da. January 2011 (has links)
Orientador: Iracilda Zeppone Carlos / Banca: Alexandrina Sartori / Banca: Danielle Cardoso Geraldo Maia / Resumo: A esporotricose é uma infecção micótica provocada pelo fungo dimórfico Sporothrix schenckii. Apresenta em geral lesões cutâneas nodulares e/ou ulcerativas, da qual o fungo dissemina por via linfática, provocando em alguns casos, infecção sistêmica. As células dendríticas (CDs) são células apresentadoras de antígenos profissionais, capazes de traduzir a informação associada ao fungo e promover uma resposta celular tanto in vitro quanto in vivo. Entretanto, os mecanismos envolvidos na interação entre CDs e o fungo S. schenckii ainda não foram esclarecidos. O presente estudo investigou as mudanças fenotípicas e funcionais em células dendríticas derivadas da medula óssea de camundongos, in vitro, promovidas pelos diferentes estímulos fúngicos e sua capacidade em iniciar uma resposta imune celular. Os antígenos estudados foram o exoantígeno, RNA total de levedura ou hifa, e levedura viva do fungo S. schenckii. Os resultados demonstraram que todos os estímulos foram capazes de ativar as CDs em termos de geração de uma resposta imune celular. Enquanto o grupo Levedura promoveu uma produção mais acentuada de IFN-g do que IL-17, o grupo Exo100 gerou uma produção similar entre essas citocinas. Esse resultado sugere que o exoantígeno pode ser capaz de desviar a resposta imune celular de um perfil Th1 efetor para Th17 inflamatório. O RNA obtido do fungo S. schenckii em sua forma leveduriforme foi capaz de ativar CDs, promovendo uma resposta Th1 enquanto o RNA obtido a partir da hifa promoveu resposta Th17 em 48 horas de ensaio de co-cultura. Nesse contexto, a citocina IL-12 foi essencial para a ativação de células T produtoras de IFN-g, enquanto as citocinas TGF-β e IL-6 foram necessárias para ativação de células T produtoras de IL-17. Nossos dados demonstram a plasticidade das CDs em traduzir diferentes estímulos derivados do fungo S. schenckii em uma resposta ... / Abstract: Sporotrichosis is a disease caused by the dimorphic fungus Sporothrix schenckii. The mains clinical manifestations occur on the skin, however the number of systemic and visceral cases has increased, especially in immunocompromised patients. Dendritic cells (DC) are highly capable of recognizing the fungus associated data and translate it into differential T cells responses both in vitro and in vivo. Although, the mechanisms involved in the interaction between DCs and S. schenckii are not fully elucidated. The study aimed to investigate the phenotypic and functional changes in bone marrow dendritic cells stimulated in vitro with the yeast form, or exoantigen, or total RNA from yeast or hyphal forms, of the fungus S. schenckii and its ability to trigger a cellular immune response. Our results demonstrated that live yeast-form from S. schenckii and exoantigen, on its higher dose, were able to activate BMDC and made them fully capable of triggering T cell responses in vitro. Whereas the Yeast group promoted a more enunciated IFN-γ production than IL-17, the Exo100 group generated a similar production of both cytokines. The exoantigen stimulus suggest an ability in deviating the immune response from an effector Th1 to inflammatory Th17 response, although we do not know the effects of an increase on Th17 cells in sporotrichosis. Similarly, RNA antigens were equally capable of immunomodulation, with yeast RNA promoting a Th1 whereas hyphal RNA promoted Th17 responses at 48 hours co-culture assay. In this context, the IL-12 cytokine was shown essencial to the activation of IFN-g producing T cells, whilst TGF-β and IL-6 cytokines were shown needed for IL-17 producing T cells activation. Our data demonstrated the plasticity of DC on translating the data associated with the fungus S. schenckii and ExoAg and total RNA into differential T cells response in vitro. Further we assessed the ability of these cells on ... / Mestre
6

Mecanismos de resposta inflamatória em modelos murinos de Plasmodium berghei ANKA, suscetível ou não à malária cerebral

Borges, Tatiana Karla dos Santos January 2013 (has links)
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Medicina, Programa de Pós-Graduação em Patologia Molecular, 2013. / Submitted by Alaíde Gonçalves dos Santos (alaide@unb.br) on 2014-02-20T15:12:38Z No. of bitstreams: 1 2013_TatianaKarladosSantosBorges.pdf: 9002713 bytes, checksum: 8e62e6f40740c9ab2ec6d3f389247dba (MD5) / Approved for entry into archive by Guimaraes Jacqueline(jacqueline.guimaraes@bce.unb.br) on 2014-02-21T11:44:07Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2013_TatianaKarladosSantosBorges.pdf: 9002713 bytes, checksum: 8e62e6f40740c9ab2ec6d3f389247dba (MD5) / Made available in DSpace on 2014-02-21T11:44:07Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2013_TatianaKarladosSantosBorges.pdf: 9002713 bytes, checksum: 8e62e6f40740c9ab2ec6d3f389247dba (MD5) / A malária ainda é um importante problema de saúde global, acometendo milhões de pessoas e resultando em aproximadamente 1 milhão de mortes por ano. A forma cerebral é uma das complicações mais grave da infecção pelo Plasmodium falciparum em seres humanos, e sua patogênese não está ainda totalmente esclarecida. A hiperativação do sistema imunitário tem sido considerada um importante determinante da evolução para as formas graves. O desequilíbrio da resposta imunitária com polarização para a resposta inflamatória tem um papel central na hiperativação do endotélio vascular, no sequestro de eritrócitos parasitados na microvasculatura cerebral e nas lesões das células cerebrais. Os mediadores inflamatórios são liberados em resposta aos antígenos plasmodiais, às próprias citocinas, aos eicosanóides e a outros produtos como a hemozoína e heme livre, que estimulam diferentes vias de ativação e regulação intracelular. O objetivo deste trabalho foi avaliar os mecanismos da resposta inflamatória envolvidos nas alterações cerebrais em camundongos suscetíveis (CBA e C57BL/6) ou resistentes (BALB/c) à malária cerebral para melhor esclarecer os possíveis mecanismos imunopatogênicos determinantes das formas graves da doença e melhor caracterizar os modelos experimentais da malária. Foram utilizados para este estudo camundongos machos de 8 a 12 semanas de idade, infectados ou não com 106 eritrócitos parasitados pelo Plasmodium berghei ANKA. Para cada linhagem, a morte espontânea foi avaliada dia a dia e a parasitemia foi comparada entre eles no terceiro, quinto e oitavo dia da infecção. A produção de óxido nítrico foi determinada pela reação de Griess. O peróxido de hidrogênio foi determinado pelo teste de oxidação do vermelho de fenol na presença de peroxidase. As citocinas IL-1β, IL-4, IL-10, IL-12, IL-17 e o FNT-α foram quantificadas nos homogenatos do cérebro e cerebelo por teste imunoenzimático. A presença de COX-2 e 5-LOX foi avaliada nos macrófagos peritoneais e micróglia por citometria de fluxo, e nos vasos cerebrais e células cerebrais por imunohistoquímica. A ativação do metabolismo lipídico foi avaliada pela quantificação dos corpúsculos lipídicos no citoplasma dos macrófagos peritoneais pela técnica do Oil red e Bodipy. As vias de ativação do NF?B, o inflamassoma e a regulação pelo PPAR- ? foram avaliados no citoplasma e no núcleo dos macrófagos peritoneais. Cortes histológicos do cérebro também foram avaliados utilizando o método clássico de coloração pela hematoxilina-eosina e também por microscopia eletrônica de varredura. A permeabilidade vascular foi avaliada pela quantificação do extravasamento do corante de azul de Evans para o tecido cerebral. Os camundongos C57BL/6 começaram a morrer no sexto dia após a infecção, os camundongos CBA, dois dias depois, enquanto 55% dos camundongos BALB/c ainda estavam vivos no décimo quinto dia da infecção. A parasitemia nos camundongos C57BL/6 foi maior do que na linhagem BALB/c no terceiro e quinto dias após a infecção e no oitavo dia também foi maior do que nos camundongos CBA. Nos camundongos C57BL/6 houve ativação da via canônica do NF?B, e diminuição da produção de NO e aumento do H2O2, FNT-α e IL-10; não houve alteração na produção de IL-4, IL-12 e IL17; e houve aumento na formação de corpúsculos lipídicos e predominância da expressão de 5-LOX. Observamos também ativação do inflamassoma NALPR1, porém diminuição da produção IL-1β. Nos camundongos CBA houve ativação preponderantemente da via não-canônica do NF?B, diminuição da produção do FNT-α e da IL-10, não houve alteração da produção de IL-12, NO e H2O2, mas observamos um padrão de IL-4 e IL-17 maior do que o das outras linhagens. Houve também ativação do inflamassoma, mas não houve alteração na produção de IL-1β. Nos camundongos BALB/c houve ativação preponderantemente da via canônica do NF?B, mas não houve alteração na produção de IL-12, NO e H2O2, que são estimulados pela atividade desta via. Ainda observamos diminuição na produção de FNT-α e IL-1β. Observamos que houve aumento da formação de corpúsculos lipídicos, mas não houve aumento paralelo na expressão de COX-2 e 5-LOX. Entretanto, a linhagem BALB/c foi a única que apresentou uma translocação importante do regulador PPAR-γ para o núcleo. O perfil de resposta foi seguido de alterações histopatológicas características para cada linhagem, sendo os camundongos C57BL/6 os que apresentaram a maior permeabilidade e sequestro de leucócitos. Os camundongos CBA também apresentaram aumento de permeabilidade, porém menor do que os camundongos C57BL/6, e também apresentaram maior sequestro de eritrócitos do que leucócitos. Poucas alterações foram observadas nos camundongos BALB/c. Os resultados desse trabalho evidenciam diferentes mecanismos de respostas celulares que devem em conjunto ter contribuído para a evolução clínica da malária e mostram que a escolha do modelo experimental para pesquisas em malária deve levar em consideração a linhagem do camundongo e suas capacidades individuais de resposta. Além disso, indicam que a forma cerebral pode ser resultado de diferentes mecanismos fisiopatológicos. Provavelmente, esses resultados também expliquem as diferentes evoluções clínicas observadas da malária humana. _________________________________________________________________________________ ABSTRACT / Malaria is one of the most important problems of public health, affecting millions people and resulting in almost one million death every year. Cerebral disease is one of the most severe complications of Plasmodium falciparum malaria and its immunopathogenesis is not well established. It has been considered that the excessive activation of the immune system by some parasite components is critical to the pathogenesis of severe malaria. The imbalance of immune response with polarization towards the inflammatory mechanisms plays a key role in the activation of endothelial vessels, in the sequestration of parasitized erythrocytes within the small vessels of brain and in cerebral cells lesions. The inflammatory mediators are released in response to plasmodial antigens, cytokines, eicosanoids and other products as hemozoin and free heme, which stimulates differently the activation and regulation of intracellular pathways. This work aimed at evaluating the inflammatory response which is involved in cerebral alterations in susceptible (CBA and C57BL/6) and resistant (BALB/c) mice to cerebral malaria, to better understanding of the immunopathological mechanisms and to better characterize the experimental murine models of malaria. In this work, 8-12 weeks-old male mice were infected with 106 Plasmodium berghei ANKA parasitized erythrocytes. For each strain, the survival rate and parasitemia were assessed. The nitric oxide production was evaluated by the Griess reaction and the hydrogen peroxide production was assessed by the Pick´s method. IL-1β, IL-4, IL-10, IL-12, IL-17 and TNF-α production in brain tissue were quantified by an ELISA test. The COX-2 and 5-LOX expression in microglia and peritoneal macrophages were analyzed in a flow cytometer. COX-2 and 5-LOX expression were evaluated in cerebral cells and vessels by immunohistochemistry. The lipid body formation is a hallmark of the activation of lipid metabolism and it was quantified in peritoneal macrophages by oil red O staining and bodipy fluorescent probe. The activation of NF?B pathway, inflammasome and PPAR-? were evaluated in the nuclei and cytoplasm of peritoneal macrophages. Histopathological evaluation of the brain was performed by hematoxilin-eosin staining and by scanning electron microscopy. Vascular permeability was measured by Evans blue dye extraction. The C57BL/6 mice began to die on the sixth day post-infection, CBA mice, two days later, while 55% of BALB/c mice still remained alive 15 days after infection. C57BL/6 mice showed the highest parasitemia compared with the two other strains. Only the canonical NF?B pathway was activated in C57BL/6 mice, there was a decrease in NO production, and an increase in H2O2, TNF-α e IL-10 levels after Plasmodium infection, but no alteration was observed in IL-4, IL-12 and IL-17 production; the lipid bodies formation was enhanced and 5-LOX was predominantly expressed. It was also observed the NALPR1 inflammasome activation, but the IL-1β production was decreased. The non-canonical NF?B pathway was more activated than the canonical one in CBA mice. They showed a decline in TNF-α and IL-10 productions, while no alteration in IL-12, NO and H2O2 was observed; the IL-4 and IL-17 pattern production was higher in these mice than in the other strains. The inflammasome was activated, but no production of IL-1β was observed. The BALB/c mice showed predominantly activation of the canonical NF?B pathway, but the products stimulated by the activity of this pathway, such as, IL-12, NO e H2O2 was not changed in infected animals, and even a decreased production of TNF-α and IL-1β was observed. There was an increased formation of lipid bodies, however, COX-2 and 5-LOX were not significantly expressed. In addition, higher translocation of PPAR-γ into the nuclei was observed in this resistant model. These profiles of responses were followed by histopathological alterations that were characteristics for each strain. The C57BL/6 mice showed the highest vascular permeability and leukocyte sequestration; the CBA mice also showed increased vascular permeability but lower than C57BL/6 mice, and they showed more erythrocyte than leukocyte sequestered. Few changes were observed in BALB/c mice. The results presented in this work suggest that different mechanisms of cellular responses may have contributed to determinate clinical malaria and showed that the choice of the experimental model for research on malaria should take into consideration the strain of mice and their individual capacities of responses. They also showed that the cerebral form of the disease may result from different pathophysiological mechanisms. Probably, these results may also explain the different clinical outcomes observed in human malaria.
7

Impacto da meditação prânica sobre a função de fagócitos e os níveis de hormônios em praticantes recentes

Silva, César Augustus Fernandes da 27 October 2010 (has links)
Dissertação (mestrado)-Universidade de Brasília, Faculdade de Medicina, 2010. / Submitted by Patrícia Nunes da Silva (patricia@bce.unb.br) on 2011-05-27T14:35:19Z No. of bitstreams: 1 2010_CésarAugustusFernandesdaSilva.pdf: 1084823 bytes, checksum: 2f98be63485de2e41a66aedc9308532c (MD5) / Approved for entry into archive by Patrícia Nunes da Silva(patricia@bce.unb.br) on 2011-05-27T14:35:35Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2010_CésarAugustusFernandesdaSilva.pdf: 1084823 bytes, checksum: 2f98be63485de2e41a66aedc9308532c (MD5) / Made available in DSpace on 2011-05-27T14:35:35Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2010_CésarAugustusFernandesdaSilva.pdf: 1084823 bytes, checksum: 2f98be63485de2e41a66aedc9308532c (MD5) / As práticas de meditação desenvolvidas no Ocidente têm sido utilizadas como método de redução do estresse e da gravidade de algumas condições clínicas. Seus benefícios têm estimulado os profissionais de saúde a adotar a meditação como um método complementar de tratamento e despertado o interesse da comunidade científica mundial no sentido de comprovar seus efeitos e explicar seus possíveis mecanismos de ação na manutenção e recuperação da saúde. Existem atualmente poucas informações sobre os efeitos que a meditação é capaz de causar sobre os sistemas adaptativos (imunitário, endócrino e nervoso), particularmente, aqueles envolvendo a atividade de fagócitos e os níveis de hormônios como a corticotrofina, o cortisol e a melatonina. Os benefícios relativos à saúde multidimensional relatados por praticantes que vêm participando de cursos de meditação prânica nos últimos anos motivaram-nos a utilização de metodologia científica para comprovar os resultados e tentar explicá-los. A presente investigação teve como objetivo avaliar os efeitos das práticas de meditação prânica sobre a capacidade fagocitária e a produção de peróxido de hidrogênio e de óxido nítrico por monócitos e os níveis de corticotrofina, cortisol e de melatonina em praticantes recentes. Observou-se que dez semanas de práticas de meditação prânica foram capazes de aumentar a fagocitose, a produção de peróxido de hidrogênio e de reduzir os níveis de corticotrofina dos praticantes que meditaram mais (>980min). Nossos dados sugerem que a meditação levou a uma tendência à normalização dos valores extremos da produção de óxido nítrico pelos monócitos. Em nossas condições experimentais, não foi possível demonstrar efeito da meditação prânica sobre os níveis de cortisol e de melatonina, provavelmente em decorrência da grande variabilidade dos níveis basais entre indivíduos. Nossos dados mostraram que a meditação prânica foi capaz de causar impacto positivo sobre o sistema imunoneuroendócrino de praticantes recentes. Os resultados do presente estudo concorrem para dar respaldo científico à meditação prânica e facilitar sua aceitabilidade como método complementar na prática médica. ______________________________________________________________________________ ABSTRACT / Meditation has been used in the western world for the last few decades as a method of reducing stress and treating different medical and psychological disorders. The benefits provided by meditation have stimulated its adoption as a complementary method of treatment and have stirred the scientific community to prove its effects and to explain its possible mechanisms. Presently, little is known about the effects of meditation on the function of the adaptive systems (the immune, the endocrine and the nervous systems), including on the activity of phagocytes and the levels of the hormones capable of influencing these cells. The benefits associated to the multidimensional health referred by the practitioners of pranic meditation in the last few years aroused our interest to submit this novel modality of meditation to the scientific methodology, in order to evaluate the possible mechanisms involved in its outcomes. The present investigation aimed at evaluating the effects of pranic meditation practices on the phagocytic capacity, the production of hydrogen peroxide and nitric oxide by monocytes, and on the concentrations of corticotrophin, cortisol, and melatonin. It was observed that a 10-week course on pranic meditation was capable to increase phagocytosis, and hydrogen peroxide production by monocytes, and to reduce the levels of corticotrophin in the higher (>980min of meditation) practitioners. Our data suggest that the practice of meditation lead to a trend of normalization of the extreme values of the production of nitric oxide by monocytes. In our experimental conditions, no effect of meditation was detected on the levels of cortisol and the melatonin, probably due to the high variability of the basal levels of these hormones among the subjects. Our results showed that pranic meditation is capable to positively impact the immunoneuroendocrine system of recent practitioners and, therefore, pave the way for its acceptance as a new complementary method in medical practice.
8

Desenvolvimento de métodos para determinação de microcistina-LR em água

José Alécio de Oliveira, Eduardo January 2003 (has links)
Made available in DSpace on 2014-06-12T15:52:53Z (GMT). No. of bitstreams: 2 arquivo5062_1.pdf: 687319 bytes, checksum: 461fc7d8cdc30199fb84e4d163c90ba8 (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2003 / Na busca por métodos de análise de microcystinas de fácil execução, baixo custo e sensibilidade alta o suficiente para atender as recomendações da Organização Mundial da Saúde OMS e da legislação Brasileira para água potável, foi desenvolvida uma técnica de imunoensaio dot blot para determinação de microcistina-LR em água e extratos de cianobactérias. Com esta técnica foi possível a determinação visual direta de concentrações de microcystina-LR menores que 1 μg/L, em amostras de água purificada e água de superfície (lago) incriminadas com concentrações na faixa de 0,16 a 10,0 μg/L de microcystina-LR. Nas condições testadas não foi necessário nenhum processo de concentração ou limpeza das amostras. Foi desenvolvido um programa de computador especificamente para a leitura das membranas de nitrocelulose, permitindo uma melhor caracterização do sinal com a obtenção de curvas analíticas similares às obtidas nas análises com método de imunoensaio ELISA. Com a técnica dot blot computadorizada utilizando um scanner convencional foram obtidas curvas de calibração com microcystina-LR em concentrações de 0,16 a 1,6 μg/L, cujo coeficiente de correlação foi de 0,9551 para água purificada e 0,8402 em água de superfície. Quando analisadas pelo método ELISA, coeficientes de correlação de 0,9713 e 0,8316 foram observados, respectivamente. Quantificação em dot blot na faixa de 0,16 a 10,0 μg/L foi realizada, porém com menor correlação entre a concentração da toxina e a intensidade dos pixels. A análise computadorizada permitiu observar uma boa correlação entre concentração e a intensidade dos pixels em extrato da cepa toxigênica Microcystis aeruginosa - NPJB-1, produtora de microcistina. O programa desenvolvido permitiu ainda a aplicação na quantificação de proteína de soro bovina - BSA na faixa de 0 a 78 μg/mL (r = 0,9868). Esta reação foi corada usando solução de amidoblack. Com o objetivo de obter um novo marcador fluorescente aplicável às análises de microcystina-LR em baixas concentrações, foi sintetizado um complexo de microcystina-LR-Criptato de térbio. A formação do complexo foi acompanhada por cromatografia líquida de alta eficiência (CLAE) e o complexo formado analisado quanto à atividade imune (ELISA), positividade de reação protéica e espectro de luminescência, que confirmaram a conjugação. Na busca por novos métodos para análise de microcistina foi monitorada a transição 5D0 à 7F2 de um complexo IgG -antimicrocistina-LR-KLH-criptato de európio. Como suporte foi utilizado gel superabsorvente de ácido acrílico / poliacrilamida. Os espectros de emissão da IgG livre, do criptato de európio e do complexo IgG-Criptato de európio foram monitorados. Os espectros de emissão na presença de IgG livre apresentaram uma mudança específica na transição
9

Aeromonas sp : incidencia em alimentos e estudo de caracteristicas associadas a virulencia

Rodrigues, Josias 30 January 1992 (has links)
Orientador : Marlene B. Serafim / Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Biologia / Made available in DSpace on 2018-07-14T01:59:56Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Rodrigues_Josias_M.pdf: 6174692 bytes, checksum: 98e133bf2b3c15ee2ae86705bd611ebc (MD5) Previous issue date: 1992 / Resumo: Não informado / Abstract: In a survey carried out between mid 1989 and early 1990, at the food processing plant of the University of Campinas (UNICAMP) Restaurant, Aeromonas sp could be isolated in 31 out of 100 grocery specimens collected. The organisms, mostly isolated in the Summer, were classified at species level. The species isolated at the higher frequency was A. hydrophila. A. caviae was cultured mainly from vegetable foods and A. sobria from specimens of animal origin. All isolates were submitted to plasmid extraction and DNA electrophoresis. Plasmid DNA was shown to be present in 38 % of the isolates. Upon identification and characterization, the stocked cultures were tested for the following virulence related characteristics: haemaglutinating ability and fimbriae expression, toxin and siderophore production, serum resistance and mouse lethality. In addition, some tests were performed in an attempt to identify virulence markers commonly associated with the genus: autoagglutination, pyrazinamidase activity and the suicide phenomenon. Most isolates agglutinated chicken- and guinea pig red blood cells, in presence and absence of D-mannose. Horse, human, sheep and bovine erythrocytes were also tested. Fimbriae was present in one out of ten plasmids expressing isolates observed. Enterotoxins tests was performed by the suckling mouse assay; some isolates were also submitted to the rabbit ileal loop test. The ability to produce enterotoxin was detected in 32% of the isolates. Note: The complete abstract is available with the full electronic digital thesis or dissertations / Mestrado / Imunologia / Mestre em Genética e Biologia Molecular
10

Estudo de rotavirus em crianças sob atendimento ambulatorial na cidade de São Paulo

Hara, Natalicia Hifumi 19 March 1992 (has links)
Orientador : Antonio F. Pestana de Castro / Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Biologia / Made available in DSpace on 2018-07-14T02:15:53Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Hara_NataliciaHifumi_M.pdf: 5403720 bytes, checksum: 5605a589f7927b4d0b07b2967e0fafd0 (MD5) Previous issue date: 1992 / Resumo: Os rotavírus são uma das principais causas de diarréia em crianças menores que 5 anos de idade, principalmente nos países em desenvolvimento, onde a taxa de mortalidade tem se mostrado bastante alta. A infecção por rotavírus é auto-limitada, leva à descamação rápida e intensa do epitélio colunar das vilosidades do intestino delgado e acarreta o encurtamento e atrofia das vilosidades intestinais a nível do intestino delgado, Consequentemente, há um prejuízo no processo de absorção-digestão advindo uma diarréia do tipo osmótica por má-absorção, que persiste até a reposição do epitélio colunar das vilosidades. Os rotavírus estão classificados como um gênero separado na família Reoviridae sendo compostos por 2 capsídeos (interno e externo) e 11 segmentos de RNA(ds). Os rotavirus são encontrados no homem e em várias espécies animais sendo morfologica, bioquímica e antigenicamente similares, por apresentarem antígenos de grupo comuns, associados ao capsídeo interno. Antígenos tipo-específicos estão ligados ao capsídeo externo. No nosso trabalho foram analisadas 1010 amostras de fezes de crianças, sob atendimento ambulatorial na cidade de São Paulo, sendo que 505 destas apresentavam diarréia no momento da coleta e 505 eram provenientes de crianc;::assem diarréia. Para cada amostra de fezes com diarréia foi coletada no mesmo dia uma outra amostra de criança sem diarréia para servir como controle. Todas as amostras foram analisadas em eletroforese em amostras positivas. Do total de 75 amostras positivas para rotavírus, 68 amostras (13,46%) foram identificadas em crianças com diarréia e 7 amostras (1,38%) em crianças sem diarréia e em 59 amostras foi possível classificar 17 perfis eletroforéticos diferentes. A maior frequência de rotavírus ocorreu em crianças na faixa etária de 13 a 24 meses de idade e foi durante os meses mais frios do ano (abril a julho de 1989) que houve uma maior incidência da doença Para melhor caracterização sorológica, as amostras foram testadas em um ensaio imunoenzimático (EIE) para a determinação do subgrupo a que pertenciam. Das 70 amostras analisadas, 3 amostras (4,28%) foram detectadas como pertencentes ao subgrupo I, sendo 2 delas com o padrão de migração longo de acordo com o EGPA, 39 amostras (55,17% ao subgrupo lI, 1 amostra (1,42% com especificidade aos subgrupos I e II. Esta em EGPA demonstrou a presença de 2 rotavírus diferentes. Em 13 amostras (18,57%.) não foi possível a classificação dentro dos subgrupos mas estas apresentaram resultado positivo para rotavírus do grupo A. As 14 amostras restantes não foram classificadas nem dentro dos subgrupos e nem mesmo quanto ao grupo A de rotavírus, apesar de terem sido positivas em EPGA e/ou EIERA, com exceção de 2 amostras, que de acordo com perfil eletroforetico, apresentaram um perfil sugestivo do grupo C de rotavirus / Mestrado / Imunologia / Mestre em Ciências Biológicas

Page generated in 0.0622 seconds