• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 5
  • Tagged with
  • 6
  • 3
  • 3
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 1
  • 1
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Expressão imunoistoquímica de ácido retinóico, CRABP2, NFkB p100 e p105, TRAP1 e TWEAK em nefroblastomas

Percicote, Ana Paula January 2017 (has links)
Orientadora : Drª Lúcia de Noronha / Tese (doutorado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Ciencias Biológicas (Microbiologia, Parasitologia e Patologia Básica). Defesa: Curitiba, 30/06/2017 / Inclui referências : f.89-104 / Resumo: O nefroblastoma, ou tumor de Wilms, é a neoplasia renal mais freqüente na infância correspondendo a 98% dos tumores renais nesta faixa etária. Apesar do prognóstico favorável uma parcela dos pacientes evolui para recidiva e óbito. Biomarcadores atuantes na progressão tumoral, proliferação, diferenciação, apoptose e recentemente descrita ação na resposta imune e inflamação, tais como ácido retinóico (AR), CRABP2, NF?B p100/52, NF?B p105/50, TRAP1 e TWEAK tem sido descritos. Este estudo tem por objetivo a avaliação da expressão imunoistoquímica de ácido retinóico (AR), CRABP2, NF?B p100/52, NF?B p105/50, TRAP1 e TWEAK em amostras parafinadas de nefroblastomas correlacionando-a com fatores prognósticos. Foram selecionados 77 espécimes de nefroblastoma provenientes de serviços de patologia. A imunoexpressão foi avaliada através de análise semiquantitativa e quantitativa. Para a análise semiquantitativa empregou-se o sistema escore de Allred e para a avaliação quantitativa, a análise morfométrica da área corada. Para a comparação de dois grupos foi utilizado o teste não-paramétrico de Mann-Whitney, enquanto para a comparação de três ou mais grupos utilizou-se o teste não-paramétrico de Kruskal-Wallis. A imunopositividade para AR, CRABP2, NF?B p100/52 e NF?B p105/50 foi encontrada tanto no núcleo quanto citoplasma. A imunoexpressão de TRAP1 e TWEAK esteve presente apenas no citoplasma das células cancerosas. Todos os tipos histológicos do nefroblastoma (blastema, epitélio e estroma) foram positivos para as seis proteínas estudadas. AR pela análise morfométrica e CRABP2 pela análise semiquantitativa apresentaram maior expressão imunoistoquímica nos pacientes com metástase (p= 0.0247 e p= 0.0128, respectivamente). Semelhante ao encontrado em relação à análise quantitativa de AR que apresentou maior imunopositividade em amostras tumorais submetidas a quimioterapia pré-cirúrgica (p= 0.0330). Observou-se a maior expressão de NF?B p105/50 em nefroblastomas em estádio I/II (p= 0.0415). NF?B p105/50 e TRAP1 através da análise semiquantitativa e TWEAK de acordo com análise quantitativa, apresentaram menor positividade em nefroblastomas tipo blastematoso (p= 0.046, p= 0.003 e p= 0.066, respectivamente). A anaplasia se associou a maior escore total de Allred de TRAP1 (p= 0.005). Não houve correlação estatística da imunoexpressão dos marcadores estudados, comprometimento nodal e evolução clínica. A análise semiquantitativa e quantitativa dos marcadores AR, CRABP2, NF?B p105/p50, TRAP1 e TWEAK apontam para potenciais biomarcadores para progressão tumoral e para a participação destas proteínas na tumorigênese do nefroblastoma. Palavras-chave: nefroblastoma; ácido retinóico; CRABP2; NF?B; TRAP1; TWEAK. / Abstract: Nephroblastoma, or Wilms' tumor, is the commonest renal cancer in children and accounts for about 98% of renal tumors in this age group. Despite of the favorable prognosis, a parcel of patients evolved to tumor relapse and death. Biomarkers acts in tumor progression, proliferation, differentiation, apoptosis and the most recent described immune and inflammation response action, as retinoic acid (RA), CRABP2, NF?B p100/52, NF?B p105/50, TRAP1 and TWEAK. The aim of this study was to evaluate the immunohistochemical expression of RA, CRABP2, NF?B p100/52, NF?B p105/50, TRAP1 and TWEAK in paraffin-embedded samples of nephroblastomas to determine whether expression correlates with prognostic factors. A total of 77 specimens from pathology services were selected. The immunoexpression was evaluated through semiquantitative and quantitative analysis. For the semiquantitative analysis, the Allred score system was used and for the quantitative evaluation, the morphometric analysis of the stained area was applied. For the comparison of two groups, the non-parametric test of Mann-Whitney was used, while for the comparison of three or more groups the Kruskal-Wallis nonparametric test was used. Immunopositivity to RA, CRABP2, NF?B p100/52 and NF?B p105/50 was found in the nucleus and cytoplasm. Immunoexpression of TRAP1 and TWEAK was present only in the cytoplasm of cancer cells. All histological types of nephroblastoma (blastema, epithelium and stroma) were positive for the six proteins studied. RA morphometric analysis and CRABP2 semiquantitative analysis presented higher immunohistochemical expression in patients with metastasis (p= 0.0247 and p= 0.0128, respectively). This is similar to the results of the quantitative analysis of RA, which showed greater immunopositivity in tumor samples of patients subjected to pre-surgical chemotherapy (p= 0.0330). The highest expression of NF?B p105/50 was observed in stage I/II nephroblastomas (p= 0.0415). NF?B p105/50 and TRAP1 semiquantitative analisys and TWEAK quantitative analisys presented lower positivity in nephroblastomas blastematal type (p= 0.046, p= 0.003 and p= 0.066, respectively). Anaplasia were associated with high TRAP1 total Allred score (P= 0.005). No significant correlation was found between the markers and variables studied, such as nodal involvement, and clinical evolution. The semiquantitative and quantitative analysis of RA, CRABP2, NF?B p100/p52, NF?B p105/p50, TRAP1 and TWEAK point to potential biomarkers for tumor progression and for the participation of these proteins in nephroblastoma tumorigenesis. Key words: nephroblastoma; retinoic acid; CRABP2; NF?B; TRAP1; TWEAK.
2

Valor da quimioterapia pre-operatoria no tratamento do tumor de Wills

Oliveira Filho, Antonio Gonçalves de, 1961- 12 October 2003 (has links)
Orientador: Joaquim Murray Bustorff Silva / Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciencias Medicas / Made available in DSpace on 2018-08-03T19:09:52Z (GMT). No. of bitstreams: 1 OliveiraFilho_AntonioGoncalvesde_D.pdf: 13707695 bytes, checksum: 0c0939f8c1071d8aed658cc4673fd56c (MD5) Previous issue date: 2003 / Resumo: A nefrectomia sempre foi o primeiro procedimento terapêutico no tratamento dos tumores de Wilms (TW), porém devido ao sucesso da radioterapia e quimioterapia em reduzir o tamanho de tumores inoperáveis, em 1971 a Société Intemationale d'Oncologie Pediatrique (SIOP) iniciou um protocolo que procurava avaliar o papel do tratamento pré-operatório em todas as crianças com esta doença. Com o objetivo de analisar o uso da quimioterapia pré-operatória (QTPO) no tratamento do TW, foi realizado estudo retrospectivo que incluiu 91 crianças no período de janeiro de 1990 a dezembro de 2000 tratadas no Centro Infantil de Investigações Hematológicas Dr. Domingos A. Boldrini, em Campinas, São Paulo. Quarenta e três pacientes (47,2 %) receberam QTPO, sendo que 33 foram considerados irressecáveis ao diagnóstico. Trinta e quatro crianças (79,1 %) apresentaram redução de 50 % ou mais do volume tumoral inicial. Dezesseis crianças apresentaram complicações intra-operatórias (17,6%), sendo que menor número ocorreu entre as crianças que receberam QTPO (p=0,0495). A ruptura tumoral ocorreu em 13 casos (14,3 %). Foi visto que um número significativamente menor de rupturas ocorreu nas crianças que receberam a QTPO (p=0,013). A ruptura tumoral apresentou associação significativa com a ocorrência de recidivas, principalmente as abdominais (p = 0,0174), sendo que a presença de recidiva alterou negativamente a sobrevida (p = 0,0001). Entretanto, foi verificado que a utilização da QTPO não diminuiu a ocorrência de recidiva. A principal complicação pós-operatória foi a obstrução intestinal, porém não foi encontrada qualquer relação com o uso de QTPO e sua ocorrência. Um menor número de crianças classificadas como estádio III e que receberam QTPO foram submetidas à radioterapia sendo que isto não teve influência negativa na sobrevida. A sobrevida global em 5 anos para todos os pacientes foi de 81,6 %. Comparando-se crianças com estádios I e II e crianças com estádios III e IV que receberam ou não QTPO, verificou-se sobrevida semelhante entre as que receberam o tratamento pré-operatório e aquelas com estádios I e II. Nenhuma criança apresentou complicações graves (toxicidades graus 3 ou 4) advindas do tratamento pré-operatório. Pela análise dos dados concluiu-se que neste estudo, a QTPO foi eficaz e segura em reduzir o tamanho dos tumores de Wilms irressecáveis ao diagnóstico e diminuir o número de complicações intra-operatórias / Abstract: Nefrectomy was always the first therapeutic approach to treat Wilms' tumor (WT). However, due to the success of chemotherapy and radiotherapy in shrinking unresectable tumors, in 1971, the Societe Internationale du Oncologie Pediatrique (SIOP) started a new protocol to evaluate the role of pre-operative treatments in children with WT. From January 1990 through December 2000, a retrospective study was done at Boldrini Children's Cancer Center in Campinas, SP, to evaluate the role of preoperative chemotherapy (POCT) in the treatment of WT. Among 91 children with WT registered in that period, 43 of them (47,2 %) have received POCT. The main indication was due to unresectable tumor at diagnosis (33 cases). Thirty-four patients (79,1 %) have showed more than 50 % reduction from the initial tumor volume. Sixteen children have had intra-operative complications (17,6 %), 12 of them in the group with no POCT (p = 0,0495). Rupture of the tumor during surgery has occurred in 13 patients (14,3 %), with a less significant number of occurrences in the POCT group (p = 0,013). Tumor rupture has showed association with abdominal recurrence (p = 0,0174). The relapse had a negative impact on survival (p = 0,0001). The main pos-operative complication was small bowel obstruction. There was no association between use of POCT and post-operative complications. Fewer children with stage III disease, who underwent POCT, have received radiotherapy, although no influence on survival was observed. Survival rate after 5 years was 81,6 %. Analysis of survival curves comparing children with stages I and II and children with stages III and IV who have received or not POCT, have showed lower survival rates in those who haven't received POCT (p = 0,0024). No major complications (grade 3 or 4 toxicities) were observed during the pre-operative treatment. We conclude that the POCT is a safe method to treat unresectable tumors at diagnosis, allowing a good shrinkage of the tumor burden and diminishing intra-operative complications / Doutorado / Cirurgia / Doutor em Cirurgia
3

A imunoistoquímica como fator prognóstico em tumores de Wilms

Percicote, Ana Paula 23 March 2011 (has links)
Resumo: O nefroblastoma, ou tumor de Wilms, é a neoplasia renal mais freqüente na infância e corresponde a 98% dos tumores renais nesta faixa etária. Embora o prognóstico seja favorável para a maioria dos pacientes muitos evoluem para recidiva ou óbito. A caracterização de grupos de risco através de biomarcadores tem por objetivo adequar o tratamento ao grupo de risco e reduzir recidivas e óbitos. Entre os marcadores estão o WT1, p53, BCL-2, BAX e VEGFR1, relacionados a via apoptótica, reparo do DNA e neovascularização. A quiescina/sulfidril oxidase (QSOX1) parece participar da formação da matriz xtracelular e da via apoptótica. O objetivo deste estudo é avaliar a expressão imunoistoquímica da QSOX1 em amostras de nefroblastoma humano correlacioná-la a fatores prognósticos clínicopatológicos e demais marcadores imunoistoquímicos (WT1, p53, BCL-2, BAX e VEGFR1). Foram utilizadas 29 amostras de nefroblastomas, retiradas dos Serviços de Anatomia Patológica do Hospital Infantil Pequeno Príncipe e Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná, com diagnósticos entre 1994 a 2007. Através da técnica de imunoistoquímica com as amostra em tissue microarray realizou-se análise comparativa entre a expressão imunoistoquímica destes marcadores e fatores prognósticos línico-patológicos. Quanto ao estadiamento a amostra é composta por 8 pacientes estadio I, 4 estadio II, 10 estadio III e 7 estadio IV. Anaplasia foi observada em 2 casos (6,9%). Em relação à evolução clínica, 5 pac entes foram a óbito (14,2%), 2 doentes apresentaram recidiva (6,9%), enquanto a maioria, 22 crianças (75,86%), apresentou-se livre de doença. Quanto ao risco, 4 eram de alto risco e 25 de risco intermediário. Com relação à expressão imunoistoquímica da QSOX1, não foram encontradas correlações significativas. Houve associação da expressão imunoistoquímica média de BCL-2 com a evolução clínica, sendo sua maior positividade encontrada no grupo livre de doença. Observamos, em relação ao BAX, tendência a associação a maior ositividade no grupo de estadio I. A expressão imunoistoquímica média e isolada de VEGFR1 nos componentes blastematoso e epitelial se associaram ao grupo de risco. Deste modo, a QSOX1 não se mostrou um bom marcador para discriminar grupos prognósticos. O BCL-2 foi capaz de separar grupos com evoluções clínicas diferentes, sendo mais expresso no grupo livre de doença. O BAX apresentou uma tendência para discriminar grupos com estadios diferentes, sendo mais expressa no estadio inicial e o VEGFR1 se mostrou útil em se associar ao grupo de risco.
4

O estudo dos genes WT1 e WT2 e da apoptose em pacientes com tumor de Wilms / The study of WT1 and WT2 genes and of apoptosis in patients with Wilms' tumor

Arruda, Izabel Barros de, 1965- 26 August 2018 (has links)
Orientadores: Laurecir Gomes, Maria Tereza Cartaxo Muniz / Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Biologia / Made available in DSpace on 2018-08-26T03:40:26Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Arruda_IzabelBarrosde_D.pdf: 1365851 bytes, checksum: 2a1a28a0a33d73a75e48051e8b746627 (MD5) Previous issue date: 2014 / Resumo: O tumor de Wilms é uma neoplasia embrionária, originada de células do blastema metanéfrico, sendo histologicamente caracterizado como tumor trifásico, pois as células blastematosas, estromais e epiteliais estão presentes em proporções variáveis, com grande diversidade de arranjo celular e graus de diferenciação com ou sem anaplasia. Este tumor está associado a síndromes genéticas e a malformações do trato geniturinário. O objetivo desta tese foi avaliar as alterações nos genes WT1 e WT2 e a relação do índice apoptótico com o estadiamento tumoral. Para investigação das alterações nos genes WT1 e WT2 foi utilizada o método FISH, a imunorreatividade das proteínas WT1, p53 e MMP-2 foi empregada imunoistoquímica e para detectar células em apoptose, utilizou-se o método TUNEL. Os resultados evidenciaram cópias extras dos genes WT1 e WT2, com citogenética molecular nuc ish (WT1x3),(WT2x3) [100%], sugerindo que a evidencia da cópia-extra do gene WT2 pode ser explicada por trissomia ou por isodissomia uniparental, porém a presença da cópia-extra do WT1, até o momento, não foi relatada em qualquer caso clínico na literatura, sendo necessários mais estudos que a justifiquem. Por imunohistoquímica, constatou-se intensa imunomarcação no tumor para WT1 (80%), p53 (96,4%), assim como no estroma e ao redor do tumor, para MMP-2 (97%). Possivelmente essa alta expressão de WT1 pode estar refletindo a perda da regulação desse gene no desenvolvimento normal celular. A detecção da p53 neste estudo pode indicar a mutação do gene TP53, sugerindo que os tumores de Wilms poderiam progredir para anaplasia, após adquirem mutação do TP53, porém não como um evento isolado. Outros eventos seriam necessários para esta progressão, como a perda do alelo normal do TP53. A alta expressão da MMP-2 no estroma e ao redor do tumor não implica em sua atividade proteolítica, já que essa proteína pode estar em sua forma latente como também ativa e a técnica imunohistoquímica utilizada neste trabalho não diferencia essas formas. Não se identificou diferença significativa do índice apoptótico segundo estadio tumoral (p=0,937), mas os tumores em estadio III apresentaram índice seis vezes menor o daqueles em estadio II, em ausência de neoadjuvância, proporção que aumentou para 29 vezes, na presença de quimioterapia neoadjuvante, parecendo indicar que a neoadjuvância pode interferir sobre os mecanismos envolvidos na apoptose / Abstract: Wilms' tumor is an embryonic neoplasm arising from cells of the metanephric blastema, being histologically characterized as three-phase tumor, because blastematosas, stromal and epithelial cells are present in varying proportions, with great diversity of cell arrangement and degree of differentiation with or without anaplasia. This tumor is associated with genetic syndromes and malformations of the genitourinary tract. The aim of this thesis was to evaluate changes in WT1 and WT2 genes and the ratio of apoptotic cells to tumor staging. For investigation of changes in both WT1 and WT2 genes, the FISH method was used for immunoreactivity of the WT1 p53 and MMP-2 protein was employed and immunohistochemistry to detect cells undergoing apoptosis, we used the TUNEL. The results showed extra copies of WT1 and WT2 genes, with molecular cytogenetic nuc ish (WT1x3), (WT2x3) [100%], suggesting that the evidence of extra copy of WT2 gene can be explained by trisomy or uniparental isodisomy, but the presence of extra copy of WT1, so far, has not been reported in any clinical case in the literature, being necessary more studies to justify it. By immunohistochemistry, intense immunostaining was found in the tumor WT1 (80%), p53 (96.4%) as well as in the stroma surrounding the tumor, MMP-2 (97%). Possibly this high expression of WT1 may reflect the loss of regulation of this gene in the normal cell development. The detection of p53 in this study may indicate the mutation of the TP53 gene, suggesting that the Wilms' tumors may progress to anaplasia, after acquiring mutation of TP53, but not as an isolated event. Other events are needed for this progression, as loss of the normal allele of TP53. The high expression of MMP-2 in the stroma and around the tumor does not imply its proteolytic activity, since this protein may be at its latent form as well as active and the immunohistochemical technique used in this study does not differentiate these forms. There was no significant difference in the apoptotic index according to the tumor stage (p = 0.937), but in stage III tumors showed rate six times smaller than those in the stage II, in the absence of neoadjuvant therapy, rising to 29 times in the presence of chemotherapy neoadjuvant, seeming to indicate that neoadjuvant therapy may interfere with the mechanisms involved in apoptosis / Doutorado / Biologia Celular / Doutora em Biologia Celular e Estrutural
5

"Fatores clínicos e biológicos para recidivas em tumores de Wilms localizados" / Clinical and biological factors for relapse in localized wilms' tumor

Roberto Augusto Plaza Teixeira 05 September 2005 (has links)
Apesar do excelente prognóstico dos tumores de Wilms (TW) localizados (estádios I e II) e de histologia favorável (HF), 10% deles recidivam. Em 122 pacientes com TW com essas características, diagnosticados de 1976 e 2001, analisamos alguns fatores clínicos, como a idade por ocasião do diagnóstico e peso do tumor, em todos os pacientes; fatores biológicos, como o TP53 e a glicoproteína-p, em 40 deles; e variáveis histológicas de microestadiamento (invasão de seio renal, cápsula tumoral, vasos intra-renais e pseudocápsula inflamatória) em 28 com TW em estádio I. Correlacionando todos esses fatores com a presença de recidiva, observamos que a chance maior de recidiva estatisticamente significativa somente foi verificada em pacientes com duas ou mais variáveis de microestadiamento e/ou peso tumoral maior que 550 g / In spite of the excellent prognosis of localized favorable histology (FH) of Wilms' tumor (WT), 10% of them will relapse. In 122 TW patients with these characteristics, diagnosed between 1976 and 2001, some clinical factors have been analyzed, such as age at diagnosis and tumor weight in all patients; biological factors, like TP53 and p-glycoprotein, in 40 of them; and microsubstaging histological variables (invasion of renal sinus, tumor capsule, intrarenal vessels, and inflammatory pseudocapsule). Correlating all of those factors with relapse, we have observed that only patients with the association of two or more microsubstaging variables and/or tumor weight over 550 g showed a statistically significant higher chance of relapse
6

"Fatores clínicos e biológicos para recidivas em tumores de Wilms localizados" / Clinical and biological factors for relapse in localized wilms' tumor

Teixeira, Roberto Augusto Plaza 05 September 2005 (has links)
Apesar do excelente prognóstico dos tumores de Wilms (TW) localizados (estádios I e II) e de histologia favorável (HF), 10% deles recidivam. Em 122 pacientes com TW com essas características, diagnosticados de 1976 e 2001, analisamos alguns fatores clínicos, como a idade por ocasião do diagnóstico e peso do tumor, em todos os pacientes; fatores biológicos, como o TP53 e a glicoproteína-p, em 40 deles; e variáveis histológicas de microestadiamento (invasão de seio renal, cápsula tumoral, vasos intra-renais e pseudocápsula inflamatória) em 28 com TW em estádio I. Correlacionando todos esses fatores com a presença de recidiva, observamos que a chance maior de recidiva estatisticamente significativa somente foi verificada em pacientes com duas ou mais variáveis de microestadiamento e/ou peso tumoral maior que 550 g / In spite of the excellent prognosis of localized favorable histology (FH) of Wilms' tumor (WT), 10% of them will relapse. In 122 TW patients with these characteristics, diagnosed between 1976 and 2001, some clinical factors have been analyzed, such as age at diagnosis and tumor weight in all patients; biological factors, like TP53 and p-glycoprotein, in 40 of them; and microsubstaging histological variables (invasion of renal sinus, tumor capsule, intrarenal vessels, and inflammatory pseudocapsule). Correlating all of those factors with relapse, we have observed that only patients with the association of two or more microsubstaging variables and/or tumor weight over 550 g showed a statistically significant higher chance of relapse

Page generated in 0.0679 seconds