• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 146
  • 4
  • 3
  • 2
  • 1
  • 1
  • 1
  • Tagged with
  • 169
  • 169
  • 169
  • 78
  • 47
  • 43
  • 39
  • 30
  • 27
  • 25
  • 25
  • 20
  • 20
  • 19
  • 19
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Câncer do colo do útero no município de São Gonçalo, RJ: tendência damortalidade e caracterização epidemiológica das neoplasias intra-epiteliais cervicais / Cancer of the cervix in São Gonçalo, RJ: damortalidade trend and epidemiological characterization of cervical intraepithelial neoplasia

Oliveira, Cátia Barcelos Rapozo January 2008 (has links)
Made available in DSpace on 2012-09-06T01:11:27Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) 1295.pdf: 480586 bytes, checksum: 16b042eec4195cd280164522a167e1a5 (MD5) Previous issue date: 2008 / O câncer do colo uterino representa um importante problema de saúde pública,constituindo-se mundialmente na segunda principal causa de morte por neoplasia entre mulheres. Os países em desenvolvimento são os que apresentam taxas de incidência e mortalidade mais elevadas. No Brasil, o câncer do colo uterino é a quinta localizaçãoneoplásica mais incidente na população em geral, entretanto, ocupa o segundo lugar dentre os cânceres femininos. A inexistência de estudos prévios que abordem especificamente o câncer do útero em município de médio porte da área metropolitana do Rio de Janeiro levou a realização de um estudo em São Gonçalo, caracterizado basicamente como de baixo nível sócio-econômico, contribuindo para determinar amagnitude e tendência da mortalidade desta neoplasia durante um período de mais de duas décadas. Em contrapartida, a existência de uma coorte de mulheres referenciadas ao pólo de patologia cervical no município de São Gonçalo gerou a oportunidade do desenvolvimento de um estudo para conhecer a distribuição da patologia cervical, dos fatores de risco envolvidos nas lesões precursoras e avaliar a correspondência entre citopatologia de referência e os exames colposcópico e histopatológico.
2

Prevalência da invasão linfovascular e seu impacto na recidiva no carcinoma cervical inicial

Magno, Valentino Antônio January 2006 (has links)
Resumo não disponível.
3

Prevalência da invasão linfovascular e seu impacto na recidiva no carcinoma cervical inicial

Magno, Valentino Antônio January 2006 (has links)
Resumo não disponível.
4

Prevalência da invasão linfovascular e seu impacto na recidiva no carcinoma cervical inicial

Magno, Valentino Antônio January 2006 (has links)
Resumo não disponível.
5

Câncer do colo do útero no município de São Gonçalo, RJ: tendência damortalidade e caracterização epidemiológica das neoplasias intra-epiteliais cervicais / Cancer of the cervix in São Gonçalo, RJ: damortalidade trend and epidemiological characterization of cervical intraepithelial neoplasia

Oliveira, Cátia Barcelos Rapozo January 2008 (has links)
Made available in DSpace on 2016-03-28T12:36:54Z (GMT). No. of bitstreams: 2 895.pdf: 480586 bytes, checksum: 16b042eec4195cd280164522a167e1a5 (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2008 / O câncer do colo uterino representa um importante problema de saúde pública,constituindo-se mundialmente na segunda principal causa de morte por neoplasia entre mulheres. Os países em desenvolvimento são os que apresentam taxas de incidência e mortalidade mais elevadas. No Brasil, o câncer do colo uterino é a quinta localizaçãoneoplásica mais incidente na população em geral, entretanto, ocupa o segundo lugar dentre os cânceres femininos. A inexistência de estudos prévios que abordem especificamente o câncer do útero em município de médio porte da área metropolitana do Rio de Janeiro levou a realização de um estudo em São Gonçalo, caracterizado basicamente como de baixo nível sócio-econômico, contribuindo para determinar amagnitude e tendência da mortalidade desta neoplasia durante um período de mais de duas décadas. Em contrapartida, a existência de uma coorte de mulheres referenciadas ao pólo de patologia cervical no município de São Gonçalo gerou a oportunidade do desenvolvimento de um estudo para conhecer a distribuição da patologia cervical, dos fatores de risco envolvidos nas lesões precursoras e avaliar a correspondência entre citopatologia de referência e os exames colposcópico e histopatológico.
6

Adaptação transcultural da Health belief model scale for cervical cancer and pap smear test para uso no Brasil / Cross-cultural adaptation of the Health Belief Model Scale for Cervical Cancer and Pap Smear Test for use in Brazil

Paula, Priscila Fontenele de January 2014 (has links)
PAULA, Priscila Fontenele de. Adaptação transcultural da Health belief model scale for cervical cancer and pap smear test para uso no Brasil. 2014. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) - Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2014. / Submitted by denise santos (denise.santos@ufc.br) on 2016-03-17T16:28:52Z No. of bitstreams: 1 2014_dis_pfpaula.pdf: 3752354 bytes, checksum: ea95dcadb5b7864509a63587b0adfa9b (MD5) / Approved for entry into archive by denise santos(denise.santos@ufc.br) on 2016-03-17T16:42:11Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2014_dis_pfpaula.pdf: 3752354 bytes, checksum: ea95dcadb5b7864509a63587b0adfa9b (MD5) / Made available in DSpace on 2016-03-17T16:42:11Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2014_dis_pfpaula.pdf: 3752354 bytes, checksum: ea95dcadb5b7864509a63587b0adfa9b (MD5) Previous issue date: 2014 / The objective of this study was to realize the cros s-cultural adaptation of the Health Belief Model Scale for Cervical Cancer and Pap Smear Test for use in Brazil and verify the validation of the content of Brazilian version tran slated. This is a methodological study for the cross-cultural adaptation and five steps were stric tly implemented: initial translation, synthesis of translations, retranslation, review by an expert committee and pretest. The sample of participants of these steps was selected accordi ng to the criteria established by the methodological framework used, which were: four tra nslators, a mediator and six judges. In carrying out the pre-test, which took place at the Center of Natural Birth Ligia Barros Costa and Campus do Pici of Federal University of Ceará P ici in September 2014, was interviewed 40 women of different educational levels using the pre-final version of scale and a sociodemographic questionnaire. The final version o f the content validity was assessed by the Content Validity Index from the judgment of ten exp ert judges, selected from their teaching experiences, research and/or assistance in Women's Health. The data relating to the stages of adaptation were organized in the form of tables and analyzed descriptively. The demographic data of the pre-test and those resulting from conte nt validation were compiled in an electronic spreadsheet of software Statistical Package for Soc ial Sciences, version 20.0. The study was approved by the Research Ethics Committee of the Fe deral University of Ceará, in the number 562.699/2014. Both versions produced in step I of i nitial translation, in general, did not show large differences in translation. Step II was perfo rmed after evaluation of translated versions with discussion of the formulation of the items, re sulting in total agreement by the researcher and mediator on the synthesis of the translations. In the retranslation of the synthesis version back into English language showed that the resultin g versions of this stage demonstrated no major differences from the original version of the instrument, being consistent, and explaining the quality of the synthesis version in Brazilian P ortuguese. From the evaluation of semantic, idiomatic, experimental and conceptual by the judg es, eleven items were modified after the suggestions made, resulting in a pre-final version of the scale applied in the pre-test. Four items had not fully understanding after women’s eva luation, and they were modified according to the suggestions of the same. After all the changes made in the scale it was obtained the final version of the instrument adapte d to the cultural context of Brazil. The Content Validity Index, calculated from the evaluat ions of the contents of judges, was 0,82 and the individual values of the items ranged from 0,80 to 1, being properly considered a valid content. No items were eliminated, however fo ur were allocated to health motivation domain by unanimous decision. It can be concluded t hat all the rigor used in this study guaranteed the obtainment of an instrument that was equivalent to the original version with a good understanding and clarity among items and an a ppropriate content validity index. / Objetivou-se realizar a adaptação transcultural da Health Belief Model Scale for Cervical Cancer and Pap Smear Test para uso no Brasil e validar o conteúdo da versão brasileira do instrumento traduzido. Trata-se de um estudo metodológico, que para a adaptação transcultural, percorreu rigorosamente cinco etapas: tradução inicial, síntese das traduções, retradução, revisão por um comitê de juízes e pré-teste. Os participantes dessas etapas foram selecionados obedecendo aos critérios estabelecidos pelo referencial metodológico, quais sejam: quatro tradutores, um mediador e seis juízes. Na realização do pré-teste, ocorrida no Centro de Parto Natural Ligia Barros Costa e Campus do Pici da Universidade Federal do Ceará no mês de setembro de 2014, entrevistou-se 40 mulheres, de diferentes níveis de escolaridade, utilizando-se a versão pré-final da escala e um questionário de caracterização sociodemográfica. A validação de conteúdo da versão final foi aferida pelo Índice de Validação de Conteúdo, a partir do julgamento de dez juízes especialistas, selecionados a partir das experiências de ensino, pesquisa e/ou assistência em Saúde da Mulher. Os dados referentes às etapas de adaptação foram organizados na forma de quadros e analisados descritivamente. Os dados sociodemográficos do pré-teste e os resultantes da validação de conteúdo foram analisados no software Statistical Package for the Social Sciences, versão 20.0. O estudo foi aprovado no Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Ceará. As duas versões produzidas na tradução inicial, em geral, não apresentaram grandes diferenças de tradução. A segunda etapa foi realizada após avaliação das versões traduzidas com discussão quanto à formulação dos itens da versão síntese, obtendo-se total concordância por parte da pesquisadora e mediador. Na retradução da versão síntese de volta ao idioma inglês evidenciou-se que as versões resultantes desta etapa não apresentaram grandes divergências em relação à versão original do instrumento, mostrando-se coerentes, explicitando assim a qualidade da versão síntese no português brasileiro. A partir da avaliação das equivalências semântica, idiomática, experimental e conceitual pelos juízes, onze itens foram modificados após as sugestões realizadas, resultando em uma versão pré-final da escala, aplicada no pré-teste. Quatro itens não apresentaram total compreensão após avaliação das mulheres, sendo modificados segundo as sugestões das mesmas. Após todas as modificações realizadas na escala, obteve-se a versão final do instrumento adaptado ao contexto cultural brasileiro. O Índice de Validação de Conteúdo, calculado a partir das avaliações dos juízes de conteúdo, foi de 0,82 e os valores individuais dos itens variaram de 0,80 a 1, sendo considerado adequadamente válido em conteúdo. Nenhum item foi eliminado, porém, quatro foram alocados ao domínio motivação em saúde por decisão unânime dos juízes. Pode-se concluir que todo o rigor adotado neste estudo garantiu a obtenção de um instrumento que se mostrou equivalente à versão original, apresentando boa compreensão e clareza entre os itens, além de um adequado índice de validação de conteúdo.
7

Contribuição dos fatores clínicos, epidemiológicos e genéticos na evolução das lesões precursoras do câncer de colo de útero / Contributing factors of clinical, epidemiological and genetic changes in the precursor lesions of uterine cervical neoplasms

Silva, Ilce Ferreira da January 2008 (has links)
Made available in DSpace on 2012-09-05T18:23:41Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) 345.pdf: 1170986 bytes, checksum: 87e5b546cde3fa1020e5a95103469c14 (MD5) Previous issue date: 2008 / Introdução: Apesar dos esforços para controlar a incidência e mortalidade por câncer de colo de útero, esta neoplasia é um problema de saúde pública no Brasil e no mundo. Tem sido internacionalmente observada uma mudança no padrão de incidência do câncer cervical, sobretudo em mulheres jovens, sugerindo uma distribuição heterogênea dos fatores de risco nos diferentes grupos etários. A detecção precoce das lesões precursoras e seu tratamento adequado constituem as ferramentas principais para o controle da incidência e mortalidade por esta neoplasia. No entanto, há um percentual considerável de mulheres cuja evolução caracteriza-se pelo insucesso no tratamento dessas lesões ou apresentam um padrão diferenciado, devido a fatores ainda não muitos bem eselecidos. Objetivo: Determinar a contribuição de fatores clínicos, epidemiológicos e genéticos na evolução das lesões precursoras do câncer cervical bem como na falha de tratamento das lesões pré-neoplasicas.Metodologia: Trata-se de um estudo observacional transversal em mulheres com lesões cervicais com indicação de colposcopia, atendidas num hospital de referência para câncer ginecológico entre outubro de 2004 a Maio de 2006; e um estudo observacional analítico prospectivo de uma coorte de mulheres com lesões precursoras do câncer de colo de útero submetido ao tratamento conservador, seguidas por 2 anos após o tratamento. As pacientes foram submetidas à uma entrevista padronizada buscando identificar os cofatores de risco de interesse no estudo e foi coletado uma amostra de sangue periférico para determinação dos polimorfismos do códon 72 do gene TP53, utilizando as técnicas de PCR-RFLP. Foram utilizados os testes de Poisson e de Regressão Logística Múltipla para cálculos das razões de prevalência e OR, respectivamente, com intervalos de confiança de 95 por cento no estudo transversal. / Os testes de Kaplan Meier e regressão proporcional de Cox foram utilizados para avaliação da probabilidade condicional de falha no tratamento e estimação das HR, respectivamente.Resultados: Um total de 318 pacientes assinou o TCLE e cumpriram os critérios de inclusão. Dessas, 136 (42.8 por cento) tinham entre 18-30 anos, 138 (43.4 por cento) entre 31-49 anos, e 44 (13.8 por cento) tinham 50-68 anos. Das 304 coletaram amostras de sangue periférico, 55 (18.1 por cento) eram homozigotos para o alelo Pro, 185 (60.9 por cento) heterozigotos, 64 (21.1) eram homozigotos para o alelo Arg. A distribuição dos polimorfismos está em equilíbrio de Hardy-Weimberg. No grupo mais jovem, paridade e sexarca precoce apresentaram razões de prevalência bruta e ajustada de 1.16 e 1.95, respectivamente. No grupo etário de 31 49 anos, a idade na menopausa e agismo atual foram fatores de risco independentes para HSIL/Câncer (RP:1.21 e 1.37, respectivamente). A forma heterozigota foi um fator de risco independente para o desenvolvimento de HSIL/Câncer (ORaj=1.92, 95 por cento CI:1.03-3.59). Polimorfismos da p53 interagiram significativamente com uso de contraceptivo oral (OR interação= 3.59,95 por cento CI:1.09-11.84). Envolvimento das margens (HR=7.01), agismo atual (HR=3.9) estão estatisticamente associados ao risco de falha no tratamento de lesões precursoras quando o critério de falha utilizado é confirmado histopatologicamente. Conclusão: Os fatores de risco envolvidos no desenvolvimento do câncer cervical podem variar de acordo com o grupo etário estudado. Fatores genéticos ligados ao hospedeiro (ex. Polimorfismos do gene TP53) podem interagir com esses fatores ambientais modulando o risco de HSIL/Câncer. As margens cirúrgicas e os fatores ambientais (agismo, sexarca precoce, multiplicidade de parceiros e uso de contraceptivos orais) atuam conjuntamente no risco de falha no tratamento conservador das lesões precursoras do câncer cervical. (...)
8

Do carcinoma cervical in situ ao invasor: o papel da expressão da P16INK4a na progressão e na recorrência

Anschau, Fernando January 2008 (has links)
Made available in DSpace on 2013-08-07T19:03:40Z (GMT). No. of bitstreams: 1 000406273-Texto+Completo-0.pdf: 1444191 bytes, checksum: 62404b9def0461687f591d1a65885145 (MD5) Previous issue date: 2008 / To investigate the expression of p16INK4a in cervical carcinoma and its relation to the transition of carcinoma in situ to invasive carcinoma, and its role in recurrence of cervical lesions as well, a series of 90 patients with cervical carcinoma (49 with in situ lesion and 41 with invasive lesion) were selected between July 2001 and September 2002. Groups with in situ and invasive lesions were paired for a series of risk variables for cervical cancer and followed up for 60 months. The follow-up visits occurred every 6 months in the first three years and annually up to the fifth year. It was seen that 87. 9% of the patients with invasive lesion had overexpression of p16INK4a, in comparison with 37. 6% of those with in situ lesion (X2: 13. 68; 2 df; p=0. 0002; OR: 12. 08), demonstrating the overexpression of p16INK4a as a risk of invasion of the basal layer by dysplastic cells. We also observed an association between overexpression of p16INK4a and staging of cancer (X2: 18. 38; 6 df; p=0. 0003). A prospective analysis, when controlled for interaction with cervical lesion groups (by Cox regression), demonstrated a risk of recurrence of 4. 83 times attributed to overexpression of p16INK4a , albeit not statistically significant (p=0. 14). / A fim de investigar a expressão da p16INK4a no carcinoma cervical e sua relação com a transformação de carcinoma in situ em invasor, além de seu papel na recorrência das lesões cervicais, uma série de 90 pacientes com carcinoma cervical (49 com lesão in situ e 41 com lesão invasora) foi selecionada, entre julho de 2001 e setembro de 2002. Os grupos com lesão in situ e invasora foram pareados para uma série de variáveis de risco do câncer cervical e as pacientes mantidas em acompanhamento por 60 meses. As visitas de acompanhamento ocorreram a cada 6 meses nos primeiros três anos e anualmente até o quinto ano. 87,9% das pacientes com lesão invasora apresentavam super expressão da p16INK4a, em comparação com 37,6% daquelas com lesão in situ (X2:13,68; 2GL; p=0,0002; OR:12,08), demonstrando ser a super expressão da p16INK4a um risco de invasão da membrana basal por células displásicas. Também observamos associação entre super expressão da p16INK4a e estadiamento do câncer (X2:18,38; 6GL; p=0,0003). A análise prospectiva, quando controlada a interação com os grupos de lesão cervical (cálculo de regressão de Cox), demonstra risco de 4,83 atribuído à super expressão da p16INK4a para recorrência, mas sem significância estatística (p=0,14).
9

Mortalidade por câncer de cérvice uterina no Rio Grande do Sul, perído de 1979 a 1998

Kalakun, Luciane January 2002 (has links)
Resumo não disponível.
10

Carcinoma adenoescamoso versus adenocarcinoma de colo uterino estádio inicial em pacientes submetidas à histerectomia radical : uma análise prognóstica

Reis, Ricardo dos January 2007 (has links)
Objetivo: com o intuito de avaliar se a histologia (adeno carcinoma vs carcinoma adenoescamoso) é um indicador prognóstico independente em pacientes com câncer de colo uterino estádio IB1 após histerectomia radical. Método: todas as pacientes com adenocarcinoma ou carcinoma adenoescamoso que foram submetidas à histerectomia radical entre outubro de 1990 e dezembro de 2006, na Universidade do Texas M.D. Anderson Cancer Center, foram avaliadas. Dados clínico-patológicos coletados incluíram idade, estádio da doença, grau histológico, status dos linfonodos pélvicos, envolvimento parametrial, profundidade de invasão estromal, evidência de invasão dos espaços linfo-vasculares (IELV) e terapia adjuvante. As pacientes foram categorizadas como doença de “baixo risco” ou “alto risco” dependendo dos achados patológicos finais.Resultados: nós identificamos 126 pacientes com câncer de colo uterino estádio IB1 de carcinoma adenoescamoso (n = 29) ou adenocarcinoma (n = 97). O seguimento (mediana) das pacientes foi de 79 meses (variação 1,7-184,6). A idade (mediana) foi 40,3 anos para pacientes com adenocarcinoma e 35,2 anos para pacientes com carcina adenoescamoso (P = 0,88). Grau histológico III e IELV foram mais comuns em pacientes com tumores adenoescamosos, do que em pacientes com adenocarcinoma (85 % vs 16 %; P < 0,01 e 56,5 % vs 32,8 %; P = 0,04 respectivamente). Histologia não foi associada com envolvimento de linfonodos pélvicos ou envolvimento parametrial. Não havia diferença nos índices de recorrência entre os dois grupos histológicos, porém o tempo até a recorrência foi menor para pacientes com carcinoma adenoescamoso (7,9 meses vs 15 meses; P = 0,01). Não havia diferença entre os tipos celulares com relação aos índices derecorrência e sobrevida livre de recorrência nos grupos de baixo e alto risco. Conclusão: não evidenciamos que subtipo histológico afeta o prognóstico; entretanto, o tempo até a recorrência foi menor em pacientes com carcinoma adenoescamoso. Nosso estudo sugere que em paciente com carcinoma adenoescamoso ou adenocarcinoma estádio IB1, a presença de fatores de alto risco é mais importante do que o subtipo histológico.

Page generated in 0.1134 seconds