• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 385
  • 4
  • 2
  • Tagged with
  • 397
  • 397
  • 197
  • 179
  • 137
  • 136
  • 109
  • 87
  • 82
  • 65
  • 54
  • 54
  • 52
  • 50
  • 43
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
41

Enquadramento de curso de água

Zumach, Rosalene January 2003 (has links)
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Tecnológico. Programa de Pós-Graduação em Engenharia Ambiental. / Made available in DSpace on 2012-10-21T06:04:59Z (GMT). No. of bitstreams: 1 200163.pdf: 3045838 bytes, checksum: 789006c8e2f814e429043d0cf93c38bd (MD5) / O Rio Itajaí-Açu é um dos mais importantes do estado de Santa Catarina, e por sua vez é o principal manancial de água do município de Blumenau. Inúmeras alterações ambientais têm ocorrido na área da bacia. Devido o desenvolvimento industrial e ao acelerado processo de urbanização verifica-se uma crescente perda na qualidade e quantidade de água nestes ribeirões e rio. Este trabalho apresenta uma alternativa de enquadramento do Rio Itajaí-Açu e seus principais afluentes, tendo por base o monitoramento e aplicação de um índice de qualidade de água. Esses ribeirões e rio foram classificados pela Portaria nº. 024/79(FATMA), na maioria como classe (1 e 2) e, apenas ribeirão da Velha, em toda sua extensão foi classificado como classe 3, já o ribeirão Garcia após o ponto intermediário (RG 16) até a foz do Rio Itajaí-Açu, e seus afluentes receberam como classificação classe 3. Para tanto, realizou-se o monitoramento da qualidade da água no período de janeiro de 1999 a agosto de 2002, as coletas foram mensais e bimestrais em 18 pontos ao longo dos ribeirões e rio. Os pontos de coleta foram escolhidos de acordo com o grau de interferência ambiental das atividades (industriais, rurais, comerciais e domésticos) instaladas nestas áreas, como também pela preocupação da captação da água do SAMAE, localizadas a montante da ETA II e ETA III no município de Blumenau. Os 18 parâmetros escolhidos para análises foram os do IQA (nove) e os outros parâmetros da Resolução CONAMA nº. 20/86, conforme interesse da FAEMA. Os parâmetros foram divididos em físicos (cor, temperatura ambiente, temperatura da água e turbidez), químicos (pH, cloretos, OD, DBO5, DQO, condutividade, sólidos sedimentáveis, sólidos totais, sólidos totais voláteis, sólidos totais fixos, nitrogênio total e fósforo) e biológicos (coliformes totais e Coliformes fecais). Adotou-se neste trabalho o Índice de Qualidade da Água - IQA que foi desenvolvido pela National Sanitation Foundation - NSF dos EUA, e vem auxiliar no enquadramento. O enquadramento, segundo a Resolução CONAMA nº. 20/86 visa o estabelecimento do nível de qualidade (classe) a ser alcançado e/ou mantido em um segmento de corpo de água ao longo do tempo. Os dados obtidos foram analisados a partir do cruzamento dos resultados das análises do monitoramento e os resultados do IQA, de modo a representar especialmente o enquadramento do curso de água. Os dados das amostras resultantes do monitoramento mostraram que alguns parâmetros como pH, turbidez e cloretos apresentaram-se na sua maioria classe 1. Outros parâmetros não atendem a resolução para a classe 2, são eles: DBO5; cor; coliformes fecais e coliformes totais todos na sua maioria dos valores atingindo a classe 3. O parâmetro oxigênio dissolvido teve casos raros com classe 4, portanto os parâmetros mais críticos podem ser considerados: cor, DBO5, e coliformes fecais. Com as diferenças encontradas entre os resultados do IQA e a Resolução, deve-se utilizar outros índices, de preferência mais atuais e eficientes, ou ainda, criar um IQA específico para estes cursos de água. Com os valores encontrados no monitoramento e a sua conseqüente classificação, propõe-se que o ribeirão da Velha seja enquadrado como classe 2 e, o ribeirão Fortaleza, Testo, Itoupava e Rio Itajaí-Açu mantenha a classe 2 e, o Ribeirão Garcia após o ponto intermediário RG 16 mantenha classe 2.
42

Estimativa da demanda e da oferta dos recursos hídricos no Paraná frente às suas perspectivas de evolução demográfica e econômica até 2015

Souza, Olimar Carlos de January 2002 (has links)
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Sócio-Econômico. Programa de Pós-Graduação em Economia. / Made available in DSpace on 2012-10-20T00:13:18Z (GMT). No. of bitstreams: 0 / Nesta dissertação realizou-se uma aplicação dos modelos econométricos agregados e desagregados de produção inversa do tipo linear, Cobb-Douglas e exponencial. Dentre esses modelos, a função canônica Cobb-Douglas desagregada demonstrou desempenho comparativo bem superior aos demais modelos. Através desta equação, projetou-se o consumo total de água no Estado do Paraná, nos anos de 2005, 2010 e 2015, a partir de simulações do crescimento econômico e demográfico sob doi8s cenários distintos. Os resultados obtidos mostram que, em termos globais, a quantidade (oferta) da água que existia no Estado em 1998, uma vez mantida constante até 2015, será suficiente para atender à expansão crescente do consumo, frente às perspectivas de evolução demográfica e econômica até aquele ano. A par disso, a pesquisa revelou graves problemas localizados de escassez, notadamente na região metropolitana de Curitiba e norte do Estado. Esses e outro registros de real falta de água no Paraná não foram investigados isoladamente, porque não foi possível se dotar a delimitação por região ou bacia. Não obstante ter sido especificada uma abrangência geográfica conveniente, ainda restaram problemas deveras limitantes, no tocante aos dados, já que os dados de consumo de água pelo setor primário precisaram ser obtidos por coeficientes técnicos e os de consumo de setor secundário (as industrias) não se encontram tabulados ou são inexistentes para parte do período estudado. Como conseqüência, conferiu um peso metodológico maior ao trabalho, o que foi deveras gratificante diante da boa performance do modelo canônico. Na medida em que não se encontrou na literatura nenhuma aplicação anterior do referido modelo,k conforme realizada nesta dissertação, aumentou consideravelmente a importância da contribuição metodológica para fins científicos. Por outro lado, também, parece ser uma inovação a tentativa de quantificar o consumo agropecuário e a disponibilidade global de água (oferta) aqui adotada. Todas essas questões são instigantes e motivadoras e, sem dúvida, abrem amplas possibilidades para a realização de pesquisas futuras como as relacionadas na conclusão deste trrabalho.
43

Análise político-jurídica da repartição das competências em matéria de saneamento básico no Brasil

Massardo, Fernando 20 March 2017 (has links)
Orientador : Prof. Dr. Edson Luiz Peters / Coorientador: Profª. M.Sc. Sandra Mara Pereira de Queiroz / Dissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Tecnologia, Programa de Mestrado Profissional em Meio Ambiente Urbano e Industrial, em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial e a Universität Stuttgart. Defesa: Curitiba, 27/02/2015 / Inclui referências : f. 134-140 / Resumo: A Lei 11.445/2007, chamada de Lei de Saneamento, estabeleceu no Brasil as diretrizes nacionais para o saneamento básico e instituiu a política federal de saneamento básico. Em decorrência da evolução histórica do conceito, os serviços públicos de saneamento básico passaram a ser definidos pela lei como sendo (i) captação, tratamento e distribuição de água; (ii) coleta, afastamento, tratamento e disposição final adequada de esgotos sanitários domésticos; (iii) drenagem urbana; e (iv) limpeza urbana e manejo dos resíduos sólidos. Referidos serviços são de interesse local, cujas atividades de organizar e prestar diretamente ou sob regime de concessão ou mediante cooperação federativa são atribuídas pela Constituição aos Municípios. Paralelamente a Constituição estabeleceu a competência comum da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios promover programas visando a melhoria das condições de saneamento básico. A realidade demonstra que as companhias estaduais de saneamento básico operam a maioria dos sistemas de água e esgoto no País, bem como, que a União é o principal agente financiador do setor. Este quadro implica na necessária distribuição de atribuições e competências legislativas e administrativas entre os entes federados. Passados dois séculos das primeiras iniciativas de implantação de sistemas de saneamento básico no Brasil, constata-se que percentual significativo da população ainda não tem acesso a serviços de água e esgoto. A identificação adequada das atribuições de cada ente federado se mostra essencial para o atingimento da universalização com eficiência e modicidade de tarifa, sem descuidar do retorno ao capital investido. O presente trabalho se destina a identificar as atribuições dos entes federados no desempenho das atividades de saneamento básico de acordo com a Constituição e a Lei 11.445/2007, apontar as formas jurídicas possíveis para sua prestação e analisar a proposta de gestão associada trazida pela Lei 11.107/2005. Saneamento básico. Política federal. Diretrizes nacionais. Atribuições dos entes federados. Gestão associada. Competências. / Abstract: Law 11.445/2007 nominated as Law of the Sanitation, set to Brazil the national guidelines for the basic sanitation and grounded the federal police for basic sanitation. As a consequence of the historic evolution of the concept, the public services of basic sanitation started to defined by law as being (i) abstraction of water, treatment and distribution of drinkable water; (ii) the adequate collection, removal, treatment and final disposition of domestic sewage; (iii) urban drainage; (iv) urban cleaning and urban solid waste management. Such services are all defined as being of local interest and the services related to them, their organization, direct or through concession or federative cooperation are all devolved upon the Municipalities according to the Federal Constitution. Necessary to that the Federal Constitution also set that there is common competence shared by Union, States, Federal District and Municipalities to promote programmers to ward the betterment of the basic sanitation conditions. The reality has shown that the state basic sanitation companies operate the great majority of the water and sewerage systems In the country and that the Union is the main financial agent of the sector. This scenario implies the need for distribution of attributions and legislative as well as administrative competence among the federal units. After two centuries from the first initiatives of implantation of basic sanitation systems In Brazil, one can see that a meaningful percentage of the population does not have the water and sewerage service rendered. The proper identification of the attributions to each federated unit In the performance of the activities is seen as material to the fulfillment of the universalization with efficiency and adequate tariff, avoiding being regardless to the return of invested capital. The present work seeks to identify the attributions to the federated units In the performance of the sanitation basic activities In accordance with Constitution and Law 11.445/2007; point the suitable lawful ways to the rendering of services; analyze the proposal of associated management as Law 11.107/2005 intends. Basic sanitation. Federal policy. National directives. Attributions of federated units. Associated management competences.
44

Disponibilidade hídrica para outorga : avaliação de aspectos técnicos e conceituais

Cruz, Jussara Cabral January 2001 (has links)
O gerenciamento de recursos hídricos visa solucionar conflitos resultantes do uso intensivo da água, resultado do crescimento econômico e populacional, bem como assegurar que a água, recurso natural, finito e insubstituível à vida, se mantenha com oferta adequada e preserve as funções hidrológicas, biológicas e químicas dos ecossistemas. Um dos instrumentos de suporte para esta atividade é a “outorga de uso”, licença emitida pelo Estado, para que o usuário possa derivar determinados volumes de água para atender suas necessidades. Para a instrução de um processo de outorga, é necessário o cotejo de duas grandezas fundamentais: a disponibilidade hídrica (oferta) e a demanda. A demanda pode ser estimada a partir do cadastramento de usuários, dinâmico e contínuo no tempo. A disponibilidade hídrica varia no tempo e no espaço e é estimada a partir da avaliação do regime hidrológico da bacia. Esta é a informação básica de apoio à decisão e possui diversas interpretações, função de particularidades jurídicas, sociais, ambientais e econômicas de cada região. Sendo assim, o objetivo da presente tese se insere na fase inicial de instrução do processo de outorga (planejamento) e a contribuição se concentra na avaliação de aspectos técnicos e conceituais que embasam duas etapas relativas à (i) avaliação de disponibilidades hídricas para outorga, definidas por curvas de permanência de vazões e considerando os aspectos de variabilidade, sazonalidade, aleatoriedade e erros de estimativas; (ii) gerenciamento da outorga, considerando o equacionamento do problema de outorga para atendimento da demanda, bem como a avaliação da influência de diferentes aspectos no atendimento da demanda e na conservação ambiental, através do balanço hídrico do sistema. Para o desenvolvimento da pesquisa foram utilizados dados fluviométricos existentes das bacias dos rios Vacacaí, Vacacaí-Mirim, Pardo, Pardinho e Baixo Jacuí, pertencentes à bacia do rio Guaíba, no Rio Grande do Sul. Os estudos com simulação de outorga foram aplicados às seções de referência definidas em estudo anterior na bacia do Baixo Jacuí. Foram estudados dois critérios para obtenção da curva de permanência de vazões. O primeiro aceita a hipótese de que a curva representa o risco ou probabilidade no período da amostra. Neste critério, tradicionalmente utilizado em hidrologia, a freqüência de excedência é calculada pelo processamento conjunto de toda série histórica de vazões. O segundo critério aceita a hipótese de que cada ano é um evento hidrológico independente e prevê o cálculo de uma curva de permanência de vazões para cada ano. Neste critério, a disponibilidade hídrica é caracterizada pela média das curvas e respectivo intervalo de confiança, o qual representa a variabilidade interanual das vazões. Para consideração da sazonalidade, foi adotado o critério de cálculo das curvas de permanência obtidas para cada mês do ano. Para o cotejo entre a disponibilidade hídrica (vazão de referência) e a demanda, foi utilizado um modelo de balanço hídrico otimizado, considerando todo sistema e vazões de referência como disponibilidade, desenvolvido em planilha eletrônica. A aplicação do modelo, considerando a variabilidade e sazonalidade da disponibilidade hídrica e diferentes critérios de outorga, permitiu avaliar oito diferentes aspectos do problema de outorga e concluir pela adequabilidade da técnica para seu planejamento, bem como análise de cenários futuros e cenários de racionamento. A grande diferença entre os valores outorgados com as disponibilidades estimadas pelos critérios da série toda e do ano a ano, indica que ambos devem ser considerados no planejamento da outorga, embora não sejam concorrentes entre si e a escolha entre eles reflita o risco a ser selecionado pelos planejadores para a outorga. Posteriormente, foi realizada uma análise do desempenho do modelo de proporção de áreas e de uma versão modificada deste, para transferência de informações fluviométricas de uma seção com dados para outra sem, a partir de uma pequena amostragem no local. Os resultados mostraram que o modelo modificado é uma técnica potencialmente mais adequada, para a síntese de informações em locais com poucos dados, do que a simples proporção de áreas e de técnicas de regionalização. Isso porque consegue sintetizar a influência de particularidades relativas a fatores antropogênicos, geomorfológicos e pedológicos. Foram realizadas, também, simulações de verificação das conseqüências ambientais das outorgas planejadas com o modelo otimizado, que mostraram que o critério de outorga, baseado em vazões de referência, é pouco agressivo ao ambiente. Isso devido à fraca influência na alteração do padrão de pulsos hidrológicos dos rios, devendo-se, porém, tomar cuidado quando do seu uso em sistemas sujeitos a obras de regularização.
45

Tomada de decisão e otimização de alternativas no planejamento com múltiplos objetivos em unidades de gerenciamento : bacia do rio dos Sinos (Rio Grande do Sul)

Chaves, Elisa Marques Barbosa January 2004 (has links)
A tomada de decisões é um procedimento complexo e que envolve muitas variáveis. A análise multiobjeto estabelece relações para que, em projetos e planejamento de unidades de gerenciamento, sejam analisados os diversos condicionantes envolvidos. Como nos recursos hìdricos a tomada de decisão envolve cada vez mais a resolução de conflitos e um aumento da diversidade de objetivos, a análise multiobjetivo vem sendo cada vez mais utilizada..O objetivo deste trabalho é desenvolver ferramenta e metodologias que busquem formas de quantificar, avaliar e analisar múltiplos objetivos envolvidos na tomada de decisão em projetos, planejamento e gerenciamento de bacias hidrográficas. Para a elaboração dos estudos foi escolhida a bacia do rio dos Sinos. A bacia do rio dos Sinos abrange parte da Região Metropolitana de Porto Alegre, e é importante pólo econômico do Estado do Rio Grande do Sul Foram identificados condicionantes para a bacia, quais sejam: eficiência econômica, melhoria da qualidade da água, comprometimento social e minimização do impacto ambiental. Cada condicionante foi modelado por metodologias já consagradas para tal. A novidade é o casamento delas o que tornou o problema mais complexo de ser resolvido. Foi elaborada função de compromisso para a bacia do rio dos Sinos.Por fim, baseado em preferências estabelecidas pelo Comitê da Bacia Hidrográfica, foram elaborados tabela e gráficos que auxiliam na tomada de decisão para intervenções no rio, definindo assim, o que deve ser feito primeiro com os recursos disponíveis em um plano de despoluição para a bacia.
46

Balanço de nutrientes em uma sub-bacia com concentração de suínos e aves como instrumento de gestão ambiental

Berto, James Luiz January 2004 (has links)
A região Oeste de Santa Catarina é reconhecida nacionalmente pela agricultura familiar. Porém, quando o tema é meio ambiente, é destaque como uma das regiões com maior poluição de suas águas superficiais. E é justamente nas atividades agrícolas onde se localizam as principais fontes desta poluição, com destaque para os dejetos de suínos, a erosão dos solos e o uso de agrotóxicos. A produção concentrada de aves e suínos tem gerado grandes excedentes de dejetos. Principalmente a suinocultura, devido à produção concentrada de grande quantidade de dejetos líquidos (com baixa concentração de matéria seca) de difícil manejo, tem contribuído para a contaminação dos recursos hídricos da região com matéria orgânica, nutrientes e metais pesados. O principal destino dos dejetos é o seu uso como fertilizante agrícola. Porém devido a grande contaminação das águas superficiais, essa prática ou não vem sendo adotada de forma adequada, ou não é suficiente para dar resposta a totalidade da produção de dejetos. O uso dos dejetos como fertilizante implica na integração da produção vegetal e animal. A capacidade de reciclar nutrientes nos sistemas de cultura define a quantidade de dejeto que pode ter esse destino e, caso essa seja a única opção de uso, passa a existir uma relação direta entre a área disponível para sua disposição e o número de animais que podem ser criados nessa área. O balanço de massas de nutrientes (nitrogênio e fósforo) aproximado é um instrumento capaz de estimar os excedentes de nutrientes produzidos nas criações animais, levando em conta informações locais nesta determinação. Da mesma forma, ao ser aplicado sobre os sistemas de culturas, estima a quantidade de nutrientes que podem ser reaproveitados nestes. O balanço foi aplicado de forma simplificada, sendo a entrada de nutrientes dada pelos insumos (alimentação animal e adubos) que ingressam na propriedade (atividade ou bacia hidrográfica) e a saída de nutrientes pelos produtos animais (carne, leite ...) e vegetais que saem da propriedade (atividade ou sub-bacia hidrográfica). O balanço de nutrientes, ao ser aplicado nas atividades bovinocultura e suinocultura em unidades de produção da região, foi sensível às variações de manejo que ocorrem nas atividades. Principalmente na suinocultura é possível, a partir do balanço, estabelecer relações entre variáveis do rebanho e os excedentes de nutrientes produzidos. No estudo de caso da sub-bacia do Lajeado dos Fragosos, a aplicação do balanço de N e P identificou grande variação entre as unidades de produção, tanto na capacidade de reciclagem dos sistemas de culturas atuais dessas unidades como na quantidade de nutrientes produzidos nas unidades de produção pelas criações animais, resultando em saldos de nutrientes diferenciados. Mais de 60% das unidades de produção exportam via produtos vegetais (considerando a produtividade média da região) menos de 25% dos excedentes de N e P provenientes dos sistemas de criação. Na sub-bacia do Lajeado dos Fragosos, a exportação via produtos vegetais (considerando a produtividade média da região) é da ordem de 11,2% do N e 9% do P excedentes da produção animal. O aumento da produtividade vegetal, a reordenação do uso do solo, respeitando a sua aptidão, porém priorizando a utilização de dejetos, proporcionaria um aumento na exportação de N e P na sub-bacia em 126% e 129%, respectivamente, porém a exportação vegetal passaria a representar somente 24% do N e 18% do P excedente da pecuária. Mesmo considerando uma reorientação da produção de leite da região, tornando-a uma atividade exportadora de nutrientes, ainda haveria um excedente de P equivalente a três vezes o que é exportado da sub-bacia via produção vegetal e bovinocultura de leite. Os resultados obtidos pelo balanço de nutrientes indicam a necessidade de outras medidas, além da utilização dos dejetos como fertilizantes, tanto em unidades de produção individuais como na sub-bacia como um todo, caso contrário os riscos de poluição do solo e dos recursos hídricos com nitrogênio e fósforo são inevitáveis. A tendência à concentração tanto da suinocultura como da avicultura tem na questão ambiental um sério entrave. Para muitas regiões, atualmente, é necessário desconcentrar a produção, ou tomar medidas como o tratamento dos dejetos e/ou o transporte desses para regiões onde haveria demanda por nutrientes.
47

Aplicação de instrumentos de gestão de recursos hídricos na bacia do rio Paranhana

Pante, André Raymundo January 2006 (has links)
As Políticas Nacional e Estadual de Recursos Hídricos – Lei Federal nº. 9.433, de 8 de janeiro de 1997 e Lei Estadual nº. 10.350, de 30 de dezembro de 1994, dispõem sobre uma série de instrumentos de gestão de recursos hídricos – outorga de direito de uso, enquadramento de corpos d’água em classes, cobrança pelo uso da água, planos de recursos hídricos e outros. No entanto, a operacionalização destes instrumentos, para que sejam aplicados de forma conjunta em uma bacia, necessita da proposição, aplicação e validação de metodologias que integrem tais instrumentos, através de ferramentas técnicas e de articulação institucional entre os componentes do Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos. Este trabalho procura abordar a aplicação dos instrumentos de outorga de direito de uso, enquadramento de corpos d’água e rateio de custos. São analisados critérios de outorga de direito de uso e proposto um plano de investimentos em tratamento de efluentes na bacia do rio Paranhana-RS, de modo que as classes em que os corpos d’água da bacia estão enquadrados sejam atendidas ao menor custo para a bacia. Isto é realizado por meio de uma proposta de otimização dos níveis de tratamento de efluentes na bacia aliada a um esquema de rateio de custos e compensação financeira entre os usuários.Conclui-se que o critério de outorga que melhor sinaliza ao órgão gestor os níveis de atendimento às demandas é o critério da garantia de suprimento, que também consegue contemplar todos os setores usuários com garantias variadas, atendendo aos usos prioritários com maiores garantias, em detrimento aos usos menos prioritários. A proposta otimizada de investimentos em tratamento de efluentes na bacia resulta no atendimento às classes propostas pelo enquadramento com custos inferiores, para a bacia como um todo, aos necessários para o atendimento aos padrões de concentração dos lançamentos de efluentes exigidos pelo órgão ambiental. O esquema de compensação financeira entre usuários também torna a alternativa otimizada de níveis de tratamento de efluentes atrativa a cada um dos usuários, quando comparada aos custos que cada usuário teria ao cumprir os padrões de lançamento exigidos pelo órgão ambiental.
48

Propagação de ondas de maré em canais comunicando-se com um reservatório

Sarmento, Robson 05 1900 (has links)
Submitted by Fatima Fonseca (fatima.fonseca@sibi.ufrj.br) on 2017-06-22T16:32:14Z No. of bitstreams: 1 000753010.pdf: 1456804 bytes, checksum: c5510809cd96077e1dc94d206e6d28b0 (MD5) / Made available in DSpace on 2017-06-22T16:32:14Z (GMT). No. of bitstreams: 1 000753010.pdf: 1456804 bytes, checksum: c5510809cd96077e1dc94d206e6d28b0 (MD5) Previous issue date: 1971-05 / Estudo do fenômeno resultante da propagação de marés em interior de canais comunicando-se com um reservatório. A passagem da onda oceânica na foz de um canal, origina uma onda que se propaga dentro do canal. Três teorias são aplicadas para este fenômeno: 1- A onda propagada é considerada uma onda de translação, propagando-se de acordo com certas leis conhecidas. O problema é tratado sob o ponto de vista da dissipação de energia da onda pelo atrito dentro dos limites do canal; 2- As equações das ondas longas são consideradas (continuidade e movimento). As equações são resolvidas através método diferenças-finitas explícito; 3 - As equações das ondas longas são solucionadas através método diferenças-finitas implícito. De acordo com cada uma das teorias, são calculadas as velocidades e alturas para o canal do porto de Laguna. Os resultados são confrontados com dados observados no mesmo local. Tendo em vista os bons resultados obtidos por ambas teorias (1 e 2), concluímos que elas são aplicáveis com êxito na simulação das velocidades e alturas no canal, sob condições idênticas as do problema aqui tratado. / Study of the resulthing phenomena of the propagation of tides in Inland channels, which are in close communication with a reservoir. The passage of the ocean tidal wave in front of the mouth of a channel, sets up therein a wave, which is propagated into the channel. Three theories are presented to study this phenomenon: 1- The propagated wave is considered a wave of translation, and this propagation obeys the well known laws. The problem is dealth with by considering the expenditure of the wave energy, by friction within the limits of the channel; 2- The equations of continuity and motion of longwaves were taken into consideration in this case. The solution of these equations is treated with explicite finite-difference method; 3- The equations of long waves are solved with implicit finite-difference method. The velocity and the height for the channel of Laguna's for are calculated according each one of these theories. The results were checked those, previously observed, at the same place. If we take into consideration the good results presented by both theories (1 and 2), we conclude that they can be successifuly applied on the simulation of the velocity and height in the channel, under identycal conditions we have in the problem, here discussed.
49

Relações de poder e resistências na gestão territorial das bacias hidrográficas no Estado do Paraná

Medeiros, Paulo César, 1970- January 2011 (has links)
Orientador : Prof. Dr. Naldy Emerson Canali / Tese (doutorado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciencias da Terra, Programa de Pós-Graduaçao em Geografia. Defesa: Curitiba, 18/05/2011 / Inclui bibliografia / Resumo: O presente estudo teve como objetivo geral a explicação das relações de poder e resistências estabelecidas no processo de gestão nos Comitês de Bacia Hidrográfica no âmbito do Sistema Estadual de Recursos Hídricos do Paraná, como meio para revelar os atores e as territorialidades, que emergem do modelo de gestão integrada e compartilhada. Nesta abordagem admite-se a hipótese de que a qualidade da gestão da água empreendida por um Comitê resulta da qualidade das relações entre os diferentes atores sociais sobre uma dada bacia hidrográfica. Tendo por base o recente processo de implantação dos Comitês de Bacia no Estado do Paraná, coletaram-se informações primárias por meio de entrevistas e análise de documentos produzidos no conjunto dos comitês até então criados. Neste universo ou conjunto representativo de Comitês estaduais, selecionou-se como amostragem ou subconjunto o Comitê de Bacia do Alto Iguaçu e Afluentes do Alto Ribeira – COALIAR. A análise das ações dos diversos atores sociais e segmentos do poder público, dos usuários da água e da sociedade civil organizada nos comitês permitiu a produção de indicadores de avaliação do desenvolvimento territorial e de qualidade da gestão da bacia hidrográfica, com vista ao cumprimento das metas e diretrizes estabelecidas nas políticas públicas vigentes. Concluiu-se que a abordagem territorial da gestão da água representa uma forma analítica de interpretação / Abstract: This study aimed to explain the relations of power and resistance in the management process established in the Watershed Committees within the State System of Water Resources of Paraná, as a means to reveal the actors and territoriality, which emerge from the model integrated management and shared. This approach allows the hypothesis that the quality of water management undertaken by a Committee of the apparent quality of the relationships between different social actors on a given river basin. Based on the recent deployment process Basin Committees in the State of Paraná, primary information was collected through interviews and documents produced in the committees set up by then. In this universe or representative set of state committees, was selected as a sample or subset of the Committee of the Alto Iguaçu and Alto Ribeira Tributaries - COALIAR. The analysis of the actions of social actors and segments of public power, water users and civil society organizations in the committees allowed the production of indicators for assessment of territorial development and the quality of river basin management, with a view to achieving targets and guidelines established in existing public policies. It was concluded that the territorial approach of water management represents an analytical form of interpretation of the variables that shape and transform the Territory, from the perspective of water governance.
50

Levantamento das intervenções antrópicas no Rio Iguaçu e seu entorno entre os municípios de Porto Amazonas e São Mateus do Sul, Paraná e propostas para mitigação de seus efeitos

Menighini, Andréa Caroline 16 October 2013 (has links)
Resumo: Os Recursos Hídricos encontram-se cada vez mais afetados negativamente graças às pressões exercidas pelas atividades antrópicas, principalmente devido ao rápido crescimento da população urbana bem como ao processo de industrialização. No que tange os efeitos provocados nos rios urbanos, há cada vez mais a necessidade de se estabelecer estratégias assim como encontrar soluções que revertam ou ao menos minimizem os efeitos da degradação ambiental ocasionada pelas ações humanas. Dentre os principais rios que banham o estado do Paraná está o rio Iguaçu, o maior rio totalmente paranaense, formado pelo encontro dos rios Irai e Atuba na parte leste do município de Curitiba, na divisa com o município de Pinhais. Na Bacia do Alto Iguaçu, região compreendida entre os municípios de Porto Amazonas a São Mateus do Sul, optou-se por realizar este estudo com o intuito de levantar as principais intervenções antrópicas que influenciam a região do entorno e a qualidade hídrica do rio, propondo medidas mitigadoras para os efeitos negativos. Dentro desse trajeto foram determinados os pontos de significativa intervenção antrópica dos municípios de Porto Amazonas, Palmeira, São João do Triunfo e São Mateus do Sul, nos quais foi realizada uma coleta de dados obtidos através das expedições anuais realizadas pela equipe do Grupo Ambientalista do Rio Iguaçu (GARI), referente aos anos de 2006 a 2010. Com o presente estudo constatou-se que a qualidade hídrica do rio Iguaçu neste trecho sofre principalmente intervenções da ocupação irregular humana, o que acarreta no assoreamento das margens do rio, supressão da vegetação ciliar e criação de animais domésticos; lembrando que, a mineração irregular, a agricultura e depósito de resíduos sólidos domésticos também são observados. A partir do levantamento das intervenções e da valoração das mesmas, foi possível sugerir ações para a mitigação uma vez que a qualidade hídrica do rio Iguaçu, assim como seu entorno não sofreram alterações significativas no que diz respeito à melhoria da qualidade da água e das intervenções humanas que contribuem para a degradação ambiental da região nos últimos cinco anos.

Page generated in 0.0645 seconds