• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 68
  • 3
  • Tagged with
  • 72
  • 72
  • 40
  • 37
  • 18
  • 16
  • 15
  • 13
  • 13
  • 11
  • 10
  • 10
  • 9
  • 9
  • 9
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Comorbidade entre transtorno de humor bipolar e transtornos alimentares

Franco, Matilde Birmann Dorfman January 2006 (has links)
Esta dissertação está desenvolvida de forma a serem apresentados dois artigos científicos. Inicialmente, é apresentada uma revisão bibliográfica a respeito do assunto. Após a revisão bibliográfica, são expostas as justificativas para que fosse realizada a presente dissertação e, a seguir, os objetivos do trabalho. Na seqüência, apresentam-se os dois artigos. O primeiro artigo apresenta achados referentes ao diagnóstico da comorbidade em questão. Neste artigo, discute-se a prevalência da comorbidade nesta amostra e os dois instrumentos utilizados para o diagnóstico de transtornos alimentares, avaliando-se a concordância entre ambos. Este artigo mostrou que a prevalência de transtornos alimentares em amostra de pacientes com transtorno de humor bipolar é superior à prevalência encontrada na população geral, especialmente quando se incluem formas mais brandas e atípicas de transtornos alimentares. Também verificou-se que a concordância entre os dois instrumentos utilizados no diagnóstico dos transtornos alimentares é moderada, tendo-se obtido o índice kappa de 0,42. A seguir, o segundo artigo compara a Qualidade de Vida entre os dois grupos - Transtorno de Humor Bipolar sem comorbidade ou com comorbidade com os Transtornos Alimentares - e aborda a questão dos transtornos alimentares subsindrômicos e sua interferência na Qualidade de Vida. Este trabalho mostrou que existe um prejuízo na Qualidade de Vida daqueles pacientes que apresentam a comorbidade em relação aos que não apresentam, mesmo quando os transtornos alimentares são incompletos ou atípicos. Finalizando a dissertação, conclui-se pela importância do tema e da investigação de quadros de transtornos alimentares em pacientes com transtorno de humor bipolar, já que a prevalência desta comorbidade não é pequena. Além disso, o tema assume relevância em função da possibilidade de melhora na Qualidade de Vida dos pacientes com transtorno de humor bipolar ao serem investigados e tratados, quando presentes, também os transtornos alimentares. Também se conclui pela necessidade da utilização de métodos diagnósticos sensíveis e específicos aos transtornos alimentares, sejam eles entrevistas estruturadas ou avaliações clínicas, e que incluam também o diagnóstico de transtornos alimentares parciais e atípicos. Além disso, enfatiza-se a importância de que mais pesquisas a respeito do tema sigam sendo desenvolvidas.
2

Comorbidade entre transtorno de humor bipolar e transtornos alimentares

Franco, Matilde Birmann Dorfman January 2006 (has links)
Esta dissertação está desenvolvida de forma a serem apresentados dois artigos científicos. Inicialmente, é apresentada uma revisão bibliográfica a respeito do assunto. Após a revisão bibliográfica, são expostas as justificativas para que fosse realizada a presente dissertação e, a seguir, os objetivos do trabalho. Na seqüência, apresentam-se os dois artigos. O primeiro artigo apresenta achados referentes ao diagnóstico da comorbidade em questão. Neste artigo, discute-se a prevalência da comorbidade nesta amostra e os dois instrumentos utilizados para o diagnóstico de transtornos alimentares, avaliando-se a concordância entre ambos. Este artigo mostrou que a prevalência de transtornos alimentares em amostra de pacientes com transtorno de humor bipolar é superior à prevalência encontrada na população geral, especialmente quando se incluem formas mais brandas e atípicas de transtornos alimentares. Também verificou-se que a concordância entre os dois instrumentos utilizados no diagnóstico dos transtornos alimentares é moderada, tendo-se obtido o índice kappa de 0,42. A seguir, o segundo artigo compara a Qualidade de Vida entre os dois grupos - Transtorno de Humor Bipolar sem comorbidade ou com comorbidade com os Transtornos Alimentares - e aborda a questão dos transtornos alimentares subsindrômicos e sua interferência na Qualidade de Vida. Este trabalho mostrou que existe um prejuízo na Qualidade de Vida daqueles pacientes que apresentam a comorbidade em relação aos que não apresentam, mesmo quando os transtornos alimentares são incompletos ou atípicos. Finalizando a dissertação, conclui-se pela importância do tema e da investigação de quadros de transtornos alimentares em pacientes com transtorno de humor bipolar, já que a prevalência desta comorbidade não é pequena. Além disso, o tema assume relevância em função da possibilidade de melhora na Qualidade de Vida dos pacientes com transtorno de humor bipolar ao serem investigados e tratados, quando presentes, também os transtornos alimentares. Também se conclui pela necessidade da utilização de métodos diagnósticos sensíveis e específicos aos transtornos alimentares, sejam eles entrevistas estruturadas ou avaliações clínicas, e que incluam também o diagnóstico de transtornos alimentares parciais e atípicos. Além disso, enfatiza-se a importância de que mais pesquisas a respeito do tema sigam sendo desenvolvidas.
3

Comorbidade entre transtorno de humor bipolar e transtornos alimentares

Franco, Matilde Birmann Dorfman January 2006 (has links)
Esta dissertação está desenvolvida de forma a serem apresentados dois artigos científicos. Inicialmente, é apresentada uma revisão bibliográfica a respeito do assunto. Após a revisão bibliográfica, são expostas as justificativas para que fosse realizada a presente dissertação e, a seguir, os objetivos do trabalho. Na seqüência, apresentam-se os dois artigos. O primeiro artigo apresenta achados referentes ao diagnóstico da comorbidade em questão. Neste artigo, discute-se a prevalência da comorbidade nesta amostra e os dois instrumentos utilizados para o diagnóstico de transtornos alimentares, avaliando-se a concordância entre ambos. Este artigo mostrou que a prevalência de transtornos alimentares em amostra de pacientes com transtorno de humor bipolar é superior à prevalência encontrada na população geral, especialmente quando se incluem formas mais brandas e atípicas de transtornos alimentares. Também verificou-se que a concordância entre os dois instrumentos utilizados no diagnóstico dos transtornos alimentares é moderada, tendo-se obtido o índice kappa de 0,42. A seguir, o segundo artigo compara a Qualidade de Vida entre os dois grupos - Transtorno de Humor Bipolar sem comorbidade ou com comorbidade com os Transtornos Alimentares - e aborda a questão dos transtornos alimentares subsindrômicos e sua interferência na Qualidade de Vida. Este trabalho mostrou que existe um prejuízo na Qualidade de Vida daqueles pacientes que apresentam a comorbidade em relação aos que não apresentam, mesmo quando os transtornos alimentares são incompletos ou atípicos. Finalizando a dissertação, conclui-se pela importância do tema e da investigação de quadros de transtornos alimentares em pacientes com transtorno de humor bipolar, já que a prevalência desta comorbidade não é pequena. Além disso, o tema assume relevância em função da possibilidade de melhora na Qualidade de Vida dos pacientes com transtorno de humor bipolar ao serem investigados e tratados, quando presentes, também os transtornos alimentares. Também se conclui pela necessidade da utilização de métodos diagnósticos sensíveis e específicos aos transtornos alimentares, sejam eles entrevistas estruturadas ou avaliações clínicas, e que incluam também o diagnóstico de transtornos alimentares parciais e atípicos. Além disso, enfatiza-se a importância de que mais pesquisas a respeito do tema sigam sendo desenvolvidas.
4

Fatores associados a sintomas de transtornos alimentares entre escolares da rede pública da cidade do Salvador-BA

Alves, Thaisy Cristina Honorato Santos 29 May 2013 (has links)
Submitted by Hiolanda Rêgo (hiolandar@gmail.com) on 2013-05-23T17:55:58Z No. of bitstreams: 1 Dissertação_Nut_ Thaisy Alves.pdf: 1569674 bytes, checksum: f4bbff2c05894068a8e606ad5e5e500f (MD5) / Approved for entry into archive by Flávia Ferreira(flaviaccf@yahoo.com.br) on 2013-05-29T23:51:38Z (GMT) No. of bitstreams: 1 Dissertação_Nut_ Thaisy Alves.pdf: 1569674 bytes, checksum: f4bbff2c05894068a8e606ad5e5e500f (MD5) / Made available in DSpace on 2013-05-29T23:51:38Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Dissertação_Nut_ Thaisy Alves.pdf: 1569674 bytes, checksum: f4bbff2c05894068a8e606ad5e5e500f (MD5) / Estudo de corte transversal que objetivou identificar fatores associados aos sintomas de transtornos alimentares entre escolares de 7 a 14 anos na cidade de Salvador-BA. Foram avaliados 365 crianças e adolescentes. Determinou-se prevalência de sintomas de transtornos alimentares, insatisfação com a imagem corporal e problemas de comportamento por meio de instrumentos específicos. Avaliaram-se dados antropométricos e alimentares, estilo de vida, características demográficas, socioeconômicas e puberais dos escolares. Regressão de Poisson foi utilizada para avaliar as associações de interesse. Os sintomas de transtornos alimentares estavam presentes em 23% dos escolares avaliados. A idade (RP: 1,25; IC95%: 1,11-1,40), insatisfação com a imagem corporal (RP: 4,23; IC95%: 2,53-7,08), problema de comportamento de internalização (RP: 1,78; IC95%: 1,11-2,85), substituição das refeições por consumo de balas (RP: 2,14; IC95%: 1,24-3,69), consumo de frutas e outros vegetais (RP: 2,49; IC95%: 1,55-3,99) e escolaridade materna de 5ª a 8ª série (RP: 1,95; IC95%: 1,06-3,58), aumentam a prevalência, de forma significante, de sintomas de transtornos alimentares. A alta prevalência de sintomas de transtornos alimentares na população avaliada enfatiza a necessidade de intervenção sobre os fatores associados à sua ocorrência e o fornecimento de orientações apropriadas aos escolares, visando prevenir condutas que favorecem a ocorrência dos transtornos alimentares. / Salvador
5

Sintomas alimentares noturnos, qualidade do sono e sintomas depressivos em candidatos a cirurgia bariátrica / Night eating symptoms, sleep quality and depressive symptoms in persons seeking bariatric surgery

Pinto, Thisciane Ferreira January 2012 (has links)
PINTO, Thisciane Ferreira. Sintomas alimentares noturnos, qualidade do sono e sintomas depressivos em candidatos a cirurgia bariátrica. 2012. 75 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Farmacêuticas) - Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem, Fortaleza, 2012. / Submitted by denise santos (denise.santos@ufc.br) on 2013-01-07T13:23:58Z No. of bitstreams: 1 2012_dis_tfpinto.pdf: 893476 bytes, checksum: 6eb34aefd9a8e616e44430a369b3afa8 (MD5) / Approved for entry into archive by Erika Fernandes(erikaleitefernandes@gmail.com) on 2013-01-23T11:40:01Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2012_dis_tfpinto.pdf: 893476 bytes, checksum: 6eb34aefd9a8e616e44430a369b3afa8 (MD5) / Made available in DSpace on 2013-01-23T11:40:01Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2012_dis_tfpinto.pdf: 893476 bytes, checksum: 6eb34aefd9a8e616e44430a369b3afa8 (MD5) Previous issue date: 2012 / The Night Eating syndrome (NES), is often elevated in obese but its cause has not been well established. In particular, this condition has not been investigated in Brazil. The objective of this work was investigate the frequency of NES symptoms in candidates for bariatric surgery and assess its implications in sleep quality and depressive symptoms. 100 patients from Bariatric Surgery Outpatient Clinic of a tertiary hospital in Fortaleza were selected, and these night eating symptoms were measured by the Night eating Questionnaire (NEQ), sleep quality by the Pittsburgh Sleep Quality Index (PSQI), the daytime sleepiness by the Epworth Sleepiness Scale (ESS), the depressive symptoms, by Beck Depression Inventory short form and the risk for obstructive sleep apnea by Berlin Questionnaire. It was performed a comparative analysis of the results obtained from patients with night eating symptom scores suggestive of NES. The patients included in the study were predominantly women (76%), with age between 18 and 64 (mean ± SD = 34.8 ± 9.3) years and BMI between 31.3 and 72.4 (46.9 ± 8.5) kg/m². Poor quality sleep (PSQI > 5) was observed in 56 patients, excessive daytime sleepiness (ESS > 10) in 27; depressive symptoms (Beck > 4) in 80 and high risk for obstructive sleep apnea in 73. Seventeen patients showed symptoms suggestive of NES, without difference in age, BMI, degree of daytime sleepiness and risk of sleep apnea in obese when compared to the other patients. The group with symptoms suggestive of NES had a worse sleep quality (9.3 ± 4.9 and 6.6 ± 3.7, p = 0.01) and more depressive symptoms (16, 7 ± 7.6 and 9.5 ± 7.0, p = 0.001) than the other obese. A higher proportion of patients with symptoms suggestive of NES was in use of antidepressants than other patients (29.4 and 10.8%,p = 0.04). These data show that NES symptoms are common in bariatric surgery candidates and their presence is associated with more depressive symptoms and worse quality of sleep. Also, in particular, the high frequency of severe depressive symptoms among patients with a suggestive picture of NES highlights the importance of identifying this condition in the context of specialized services to treat obesity. Further studies on the impact of the NES and its treatment are needed to allow a better approach to this problem. / A síndrome alimentar noturna (SAN) tem freqüência elevada nos obesos, embora ainda não tenha sido estabelecida uma relação causal. De modo particular, essa condição não foi investigada no Brasil entre os candidatos a cirurgia bariátrica. O objetivo deste estudo foi investigar a frequência de sintomas alimentares noturnos sugestivos de SAN em candidatos a cirurgia bariátrica, bem como avaliar sua relação com a qualidade do sono e sintomas depressivos. Foram estudados 100 pacientes do ambulatório de cirurgia bariátrica de um hospital terciário da rede pública de saúde de Fortaleza. Os sintomas alimentares noturnos foram avaliados através da Escala de Sintomas Alimentares Noturnos (ESAN), a qualidade do sono pelo Índice de Qualidade do Sono de Pittsburgh (IQSP), a sonolência diurna, pela Escala de Sonolência de Epworth (ESE), os sintomas depressivos pelo Inventário de Depressão de Beck e o risco para apneia obstrutiva do sono pelo questionário de Berlim. Foi realizada uma análise comparativa entre resultados obtidos de pacientes com e sem sintomas alimentares noturnos sugestivos da SAN (ESAN>25). Os indivíduos foram predominantemente mulheres (76%), com idades entre 18 e 64 (média±DP = 34,8 ±9,3) anos e IMC entre 31,3 e 72,4 (46,9 ± 8,5) kg/m². Má-qualidade do sono (IQSP>5) foi observada em 56 pacientes; sonolência excessiva diurna (ESE> 10) em 27; sintomas depressivos (Beck > 4) em 80 e o risco elevado para apneia obstrutiva do sono em 73. Dezessete pacientes apresentaram sintomas sugestivos de SAN, sem diferença quanto a idade, IMC, grau de sonolência diurna e risco de apneia do sono, em relação aos demais obesos. O grupo com sintomas sugestivos de SAN, comparado aos demais, apresentou pior qualidade de sono (9,3±4,9 e 6,6±3,7; p= 0,01) e mais sintomas depressivos (16,7±7,6 e 9,5±7,0; p= 0,001). Uma proporção maior dos pacientes com sintomas sugestivos de SAN fazia uso de antidepressivos (29,4 e 10,8%; p=0,04). Nossos resultados indicam que sintomas alimentares noturnos são comuns nos candidatos a cirurgia bariátrica e sua presença está associada a mais sintomas depressivos e pior qualidade do sono. A freqüência elevada de sintomas depressivos graves entre os pacientes com quadro sugestivo de SAN destaca a importância da identificação dessa condição no tratamento da obesidade. Estudos adicionais sobre o impacto da SAN e de seu tratamento são necessários para permitir uma abordagem mais adequada deste problema.
6

Prevalência de sintomas de transtornos alimentares e insatisfação corporal em jovens recifenses

SILVA, Tatiana Araújo Bertulino da 31 January 2012 (has links)
Made available in DSpace on 2014-06-12T23:02:16Z (GMT). No. of bitstreams: 2 arquivo9124_1.pdf: 2411966 bytes, checksum: 95c37da7d944a473db51eb07df6262f6 (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2012 / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior / Os pacientes com transtornos alimentares possuem como característica o distúrbio da imagem corporal no núcleo de seus sintomas. A auto-avaliação desses indivíduos ocorre rigidamente a partir de seu peso e forma. A insatisfação corporal em conjunto com a preocupação com o peso e a prática de dietas são apontadas como possíveis predisponentes para o desenvolvimento de distúrbios na alimentação. Assim, esse estudo teve como objetivo determinar a prevalência da insatisfação corporal em jovens da cidade de Recife com sintomas de transtornos alimentares. Tratou-se de um estudo transversal, com adolescentes de ambos os sexos de idades entre 10 a 19 anos, estudantes de escolas públicas estaduais de Recife. Os dados foram coletados por questionários auto-aplicáveis: Teste de Atitudes Alimentares-26 e Teste de Investigação Bulímica Edimburgo para sintomas de transtornos e o Body Shape Questionnaire para avaliar a insatisfação corporal, respondidos nas próprias escolas pelos adolescentes. A prevalência de transtornos alimentares foi de 32% de acordo com o Teste de Atitudes Alimentares e de 34,6% (escores médios), 4,9% (escores altos) no Teste de Investigação Bulímica. Em 30,9% dos adolescentes houve insatisfação corporal. As prevalências, tanto de sintomatologia positiva para transtornos alimentares quanto para insatisfação corporal foram mais altas no gênero feminino, na faixa etária entre 14 e 15 anos. Houve associação significativa dos sintomas de transtornos alimentares com insatisfação corporal, classe socioeconômica do adolescente e grau de instrução do responsável. As prevalências encontradas para sintomas de transtornos alimentares e insatisfação corporal correspondem às encontradas em estudos similares. A insatisfação corporal está intimamente relacionada aos transtornos alimentares, assim como gênero, idade, classe socioeconômica. Esses dados podem contribuir para a criação de modelos de prevenção mais eficientes em transtornos alimentares
7

Prevalência de sintomas de transtornos alimentares e insatisfação corporal em jovens recifenses

Silva, Tatiana Araújo Bertulino da 10 February 2012 (has links)
Submitted by João Arthur Martins (joao.arthur@ufpe.br) on 2015-04-08T17:53:38Z No. of bitstreams: 2 TABS-prot.pdf: 2411966 bytes, checksum: 95c37da7d944a473db51eb07df6262f6 (MD5) license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) / Made available in DSpace on 2015-04-08T17:53:38Z (GMT). No. of bitstreams: 2 TABS-prot.pdf: 2411966 bytes, checksum: 95c37da7d944a473db51eb07df6262f6 (MD5) license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) Previous issue date: 2012-02-10 / CAPES / Os pacientes com transtornos alimentares possuem como característica o distúrbio da imagem corporal no núcleo de seus sintomas. A auto-avaliação desses indivíduos ocorre rigidamente a partir de seu peso e forma. A insatisfação corporal em conjunto com a preocupação com o peso e a prática de dietas são apontadas como possíveis predisponentes para o desenvolvimento de distúrbios na alimentação. Assim, esse estudo teve como objetivo determinar a prevalência da insatisfação corporal em jovens da cidade de Recife com sintomas de transtornos alimentares. Tratou-se de um estudo transversal, com adolescentes de ambos os sexos de idades entre 10 a 19 anos, estudantes de escolas públicas estaduais de Recife. Os dados foram coletados por questionários auto-aplicáveis: Teste de Atitudes Alimentares-26 e Teste de Investigação Bulímica Edimburgo para sintomas de transtornos e o Body Shape Questionnaire para avaliar a insatisfação corporal, respondidos nas próprias escolas pelos adolescentes. A prevalência de transtornos alimentares foi de 32% de acordo com o Teste de Atitudes Alimentares e de 34,6% (escores médios), 4,9% (escores altos) no Teste de Investigação Bulímica. Em 30,9% dos adolescentes houve insatisfação corporal. As prevalências, tanto de sintomatologia positiva para transtornos alimentares quanto para insatisfação corporal foram mais altas no gênero feminino, na faixa etária entre 14 e 15 anos. Houve associação significativa dos sintomas de transtornos alimentares com insatisfação corporal, classe socioeconômica do adolescente e grau de instrução do responsável. As prevalências encontradas para sintomas de transtornos alimentares e insatisfação corporal correspondem às encontradas em estudos similares. A insatisfação corporal está intimamente relacionada aos transtornos alimentares, assim como gênero, idade, classe socioeconômica. Esses dados podem contribuir para a criação de modelos de prevenção mais eficientes em transtornos alimentares.
8

Comportamento alimentar anormal e práticas inadequadas para controle de peso entre adolescentes do sexo feminino de Fortaleza / Abnormal eating behavior and inappropriate practices for weight control amongst female adolescents in fortaleza

Vale, Antonio Maia Olsen do January 2002 (has links)
VALE, Antonio Maia Olsen do. Comportamento alimentar anormal e práticas inadequadas para controle de peso entre adolescentes do sexo feminino de Fortaleza. 2002. 129 f . Dissertação (Mestrado em Saúde Pública)-Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2002. / Submitted by denise santos (denise.santos@ufc.br) on 2011-10-31T12:52:21Z No. of bitstreams: 1 2002_dis_amovale.pdf: 372471 bytes, checksum: 8e09fd83f72ad8264a8ea6797d2f7be8 (MD5) / Approved for entry into archive by Eliene Nascimento(elienegvn@hotmail.com) on 2011-11-01T13:34:30Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2002_dis_amovale.pdf: 372471 bytes, checksum: 8e09fd83f72ad8264a8ea6797d2f7be8 (MD5) / Made available in DSpace on 2011-11-01T13:34:30Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2002_dis_amovale.pdf: 372471 bytes, checksum: 8e09fd83f72ad8264a8ea6797d2f7be8 (MD5) Previous issue date: 2002 / Objectives: characterize eating habits and possible risk factors associated with Eating Disorders, amongst female adolescents in Fortaleza-CE, Brazil. Methodology: transversal study, with 652 women between 14 and 20 years of age, students of the second year of Middle-level education. The Bulimic Investigatory Test Edinburgh (BITE), the Body Shape Questionnaire (BSQ) and the Eating Attitudes Test (EAT-26) were used. Results: 73.6% of the subjects are out of risk for development of an Eating Disorder, 25.2% are at risk and in 1.2% a strong possibility of eating disorder in course was found. The proportion of adolescents who showed risky habits was greater in private schools (p<0.05). According to the EAT-26, 9% of the sample showed a score (>=21) which characterizes them as being at risk and practicing pathological eating habits. The BSQ indicated that 36.2% of the adolescents showed concern with their body image (BI); of these, 61% (n=236) were concerned to a degree considered mild, 26.3% showed a moderate concern and 12.7% showed serious concern with BI. Students at public and private schools demonstrated a similar desire to be thin, but adolescents from private schools more frequently used inappropriate practices in order to reach that wish. Conclusion: Adolescents who demonstrate eating disorders in their clinical form, are a rare phenomenon in public and private schools in Fortaleza, whilst the symptoms of eating disorder, either isolated or in small groups, occur with relevant frequency amongst the population studied. / Objetivo: caracterizar práticas alimentares e os possíveis fatores de risco associados aos Transtornos Alimentares, entre estudantes adolescentes do sexo feminino de Fortaleza-CE. Métodos: estudo transversal, com 652 mulheres de 14 a 20 anos, estudantes do 2º ano do segundo grau. Foram utilizados o Bulimic Investigatory Test Edinburgh (BITE), o Body Shape Questionaire (BSQ) e o Eating Attitudes Test (EAT-26). Resultados: Das adolescentes, 73,6% estão fora de risco para o desenvolvimento de um Transtorno Alimentar, 25,2% delas estão em situação de risco e em 1,2% foram encontrados indicativos para a ocorrência de um transtorno alimentar. A proporção de adolescentes que apresentaram práticas de risco foi superior nas escolas particulares (p<0,05). Segundo o EAT-26, 9% da amostra apresentam uma pontuação (>=21) que caracteriza um estado de situação de risco, além de atitudes alimentares patológicas. O BSQ apontou que 36,2% das adolescentes apresentam preocupação com a imagem corporal; destas 61% tiveram uma preocupação considerada de grau leve, 26,3% apresentaram uma moderada preocupação e 12,7% apresentaram uma grave preocupação com a imagem corporal. A proporção de adolescentes que apresentam preocupação com a imagem corporal em colégios particulares (43%) foi superior à proporção das que estudam em colégios públicos (32,3%), ou seja, a ocorrência de adolescentes com alteração de imagem corporal é maior nos colégios particulares (p<0,05). As estudantes de colégios públicos e particulares demonstraram um desejo similar de serem magras, mas as adolescentes de colégios particulares usam de forma mais freqüente práticas inapropriadas para alcançar este desejo. Conclusão: Adolescentes que apresentam todos os critérios diagnósticos para caracterizar um transtorno alimentar são uma ocorrência rara em escolas públicas e privadas de Fortaleza, enquanto que os sintomas de transtorno alimentar, apresentando-se em pequena mas preocupante quantidade, ocorrem numa freqüência relevante entre a população estudada.
9

Transtornos alimentares de ordem comportamental e sua repercussão sobre a saúde bucal na adolescência

XIMENES, Rosana Christine Cavalcanti 31 January 2008 (has links)
Made available in DSpace on 2014-06-12T22:58:49Z (GMT). No. of bitstreams: 2 arquivo4164_1.pdf: 1985097 bytes, checksum: fb5a7c489c24f882d9786d4fc3193884 (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2008 / Os transtornos alimentares (TAs) são síndromes comportamentais cujos critérios diagnósticos têm sido amplamente estudados nos últimos 30 anos. Suas primeiras manifestações são na infância e na adolescência, podendo apresentar efeitos nocivos sobre a saúde bucal. O objetivo deste estudo foi determinar a prevalência das principais complicações clínicas bucais encontradas entre adolescentes de 12 e 16 anos de idade, estudantes de escolas públicas estaduais na cidade do Recife, Brasil, nos anos de 2007 e 2008, que apresentavam sintomas de TAs, verificando a existência de associações entre as lesões encontradas, os gêneros, faixas etárias, fatores biodemográficos e socioeconômicos e sintomas depressivos. Foram examinados 650 estudantes através das escalas EAT-26, BITE e QAEH-D. Todos os adolescentes passaram também por um exame clínico bucal para a identificação de lesões. A prevalência de lesões bucais na população com sintomas de TAs, segundo as escalas EAT-26 e BITE, respectivamente, foi de: 33,0% e 33,1% para mucosites, com localização mais freqüente no palato; 34,4% e 27,8% para queilites; 47% e 54,4% para hipertrofia das glândulas salivares, acometendo com maior freqüência as glândulas parótidas; 52,1% e 57,3% para gengivites, cujo IPV, em sua maioria, foi considerado moderado (42,7% e 45,8%) e ISG, leve (57,2% e 52,0%); 56,7% e 59,3% para erosões dentais, mais freqüentes nas faces palatinas e linguais dos elementos anteriores; 69,3% e 66,9% para experiência de cárie, cujo CPO-D médio foi considerado como prevalência moderada (3,15 e 3,24) e 56,7% e 55,6% para bruxismo. Entre as lesões bucais foram observadas associações significativas com a presença de sintomas de TAs nas mucosites, queilites, hipertrofia das glândulas salivares e erosões, o que não ocorreu na gengivite, na experiência de cárie e nos índices IPV, ISG e CPO-D e no bruxismo. A prevalência de adolescentes com sintomas de TAs foi de 33,1%, segundo a escala EAT-26 e 1,7% (escore elevado) e 36,5% (escore médio), na escala BITE, sendo maior entre o gênero feminino e na idade de 13 anos, apresentando associação significativa apenas no EAT-26. Com relação aos fatores socioeconômicos e biodemográficos, o fato de ter irmãos, ser o filho caçula, morar numa residência com um número de até 2 cômodos, responsáveis analfabetos ou de escolaridade de nível fundamental, segundo a escala EAT-26, mostraram associação com a presença de sintomas dos TAs. Esta associação, segundo a escala BITE, foi mostrada apenas com relação ao analfabetismo do responsável. A prevalência de sintomas depressivos na população geral foi de 29,8%, segundo a escala QAEH-D. Entre os adolescentes com sintomas de TAs, segundo as escalas EAT-26 e BITE, esta prevalência foi de 44,2% e 62,1%, apresentando associação significativa. Após a análise dos dados pode-se concluir que a presença de alterações bucais como erosões dentais, hipertrofias de glândulas salivares, mucosites e queilites está associada aos sintomas de TAs, podendo auxiliar da detecção precoce de casos subclínicos, antes da instalação da síndrome completa. O conhecimento dessas alterações por parte do dentista possibilitará o encaminhamento do adolescente a um tratamento integral, que envolve a participação de uma equipe multidisciplinar
10

Transtorno de compulsão alimentar periodica (TCAP) e ansiedade em adolescentes obesos

Coletty, Ione Margarida de Souza 30 August 2005 (has links)
Orientador: Francisco Baptista Assumpção Junior / Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciencias Medicas / Made available in DSpace on 2018-08-05T02:48:41Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Coletty_IoneMargaridadeSouza_M.pdf: 1079296 bytes, checksum: 46119b20dcac409419a9e003d2afffdd (MD5) Previous issue date: 2005 / Resumo: Este trabalho teve como objetivo verificar a presença do Transtorno de Compulsão Alimentar Periódica - TCAP em adolescentes obesos e se existe alguma correlação entre este transtorno e a ansiedade. Para isto realizou-se um estudo de delineamento transversal, utilizando-se método quantitativo. Os instrumentos de pesquisa utilizados foram: entrevista para identificação do transtorno, segundo critérios do DSM-IV; Índice de Massa Corporal ¿ IMC; Escala de Compulsão Alimentar ¿ ECAP; e Inventário de Ansiedade Traço-Estado ¿ IDATE. Foram pesquisados 73 adolescentes obesos e com sobrepeso, com idade entre 11 e 18 anos respeitando sua ordem natural de procura ao Programa de Medicina Preventiva da UNIMED Baixa Mogiana. Os instrumentos permitiram avaliar as seguintes variáveis: idade, sexo, IMC, TCAP e Ansiedade Traço e Estado. Os sujeitos foram divididos em 2 grupos: com TCAP e sem TCAP (grupo-controle), e comparadas às demais variáveis entre eles. Os dados da pesquisa permitiram também avaliar a escolaridade destes sujeitos, que variou da 5a. série do ensino fundamental até a 3a. série do ensino médio. Os resultados tiveram análise estatística com testes não paramétricos e utilizando-se um nível de significância de 5%, com p-valor = 0,05. Os resultados evidenciaram que os índices de IMC e ansiedade-traço mostraram-se estatisticamente mais significativos no grupo com TCAP que no grupo sem TCAP, indicando uma presença maior de ansiedade e de obesidade nos adolescentes que apresentaram TCAP. Estes resultados encontraram semelhança com o de estudos anteriores e, apesar das limitações da pesquisa, podem ser indicativos de fatores de risco consideráveis para a obesidade e outros transtornos na adolescência. Podem também contribuir para um melhor conhecimento desta categoria diagnóstica mais recente que é o TCAP e de sua relação com a ansiedade nos adolescentes obesos / Abstract: This work had as objective to verify the presence of Binge Eating Disorder (BED) in obese adolescents and if it has some correlation with anxiety. For this accomplishment a cross-sectional study and a quantitative method was used. The research instruments used were: identification interview of BED, according to DSM-IV criteria; Body Mass Index (BMI); Binge Eating Scale (BES); and State-Trait Anxiety Inventory (STAI). Seventy three obese and overweight adolescents were researched, with age between 11 and 18 years old, respecting their natural order of searching to the Program of Preventive Medicine of UNIMED - Baixa Mogiana. The instruments allowed were used to evaluate the following variables: age, sex, BMI, BED and State-Trait Anxiety. The subjects were divided in 2 groups: with BED and without BED (group-control), and compared the other variables between the two groups. The data of the research also allowed to evaluate the education of the subjects: varying from the class V of secondary school and 3o. degree of high school. Over the results a statistical analysis with nonparametric tests were used, utilizing a level of significance of 5%, with p-value = 0,05. The results evidencied that the indexes of BMI and of anxiety-trait were significantly higher in the group with BED that in the group without BED, indicating that the adolescents with BED presented a larger tendency for anxiety and obesity that the subjects that didn't present BED. These results of this work are likeness the results of previous studies. And in spite of the limitations of the research, they can be indicative of considerable risk factor for the obesity and other disorders in the adolescence. They can also contribute to a better knowledgement of BED, this recent diagnostic category, and of their relationship with the anxiety in the obese adolescents / Mestrado / Ciencias Biomedicas / Mestre em Ciências Médicas

Page generated in 0.1024 seconds