Return to search

Bissexualidades femininas: repertórios entre jogos de (in)visibilidade

Submitted by Pedro Barros (pedro.silvabarros@ufpe.br) on 2018-08-28T18:31:55Z
No. of bitstreams: 2
license_rdf: 811 bytes, checksum: e39d27027a6cc9cb039ad269a5db8e34 (MD5)
DISSERTAÇÃO Marianna Barbosa Almeida.pdf: 1827622 bytes, checksum: 6bb14a4e8d494e6c224c1d58c3d7010a (MD5) / Approved for entry into archive by Alice Araujo (alice.caraujo@ufpe.br) on 2018-09-05T23:23:06Z (GMT) No. of bitstreams: 2
license_rdf: 811 bytes, checksum: e39d27027a6cc9cb039ad269a5db8e34 (MD5)
DISSERTAÇÃO Marianna Barbosa Almeida.pdf: 1827622 bytes, checksum: 6bb14a4e8d494e6c224c1d58c3d7010a (MD5) / Made available in DSpace on 2018-09-05T23:23:06Z (GMT). No. of bitstreams: 2
license_rdf: 811 bytes, checksum: e39d27027a6cc9cb039ad269a5db8e34 (MD5)
DISSERTAÇÃO Marianna Barbosa Almeida.pdf: 1827622 bytes, checksum: 6bb14a4e8d494e6c224c1d58c3d7010a (MD5)
Previous issue date: 2015-04-30 / FACEPE / O presente trabalho tem como objetivo geral analisar a produção de sentidos sobre bissexualidade feminina em contextos de comunicação virtual. Como objetivos específicos, pretendemos: 1) apreender repertórios sobre bissexualidade que circulam em espaços de sociabilidade virtual; 2) apreender repertórios sobre feminilidades e masculinidades nestes espaços; e 3) investigar motivações, argumentos, resistências e demandas por visibilidade política neste contexto. Nesta pesquisa, partimos do pressuposto de que, em alguma medida, a bissexualidade pode ser compreendida como uma posição crítica das relações binárias de sexo e de orientação sexual. Do ponto de vista da contextualização do problema, destacamos a sua pouca visibilidade, tanto na academia (na medida em que há poucos estudos sobre o assunto) como nos movimentos sociais (em cujos debates e proposições, o tema também é pouco explorado). Essa invisibilidade também se inscreve na vida cotidiana, em que o tema é raramente abordado e poucos/as são aqueles que verbalizam essa experiência e/ou “assumem” essa identidade ou orientação sexual. O marco teórico em psicologia social que orienta as leituras deste trabalho se baseia no construcionismo social, que compreende linguagem como ação, e na noção de sexualidade como performatividade. Com vistas a localizar material discursivo que possibilitasse a identificação de repertórios discursivos sobre bissexualidade, foi produzido um levantamento em site de busca aberta, a partir da expressão “bissexualidade feminina”, e o primeiro site identificado (e possivelmente o mais acessado por aqueles que buscam dialogar sobre o assunto, em língua portuguesa), foi o “BlogSouBi.com”. Este blog apresenta um total de 5.655 páginas (conforme consulta realizada em 24/01/2015, via site urlMétrica: http://urlm.com.br). Considerando os objetivos de nossa pesquisa, bem como a natureza, o conteúdo e o volume do material disponível neste blog, optamos pela análise das produções discursivas disponíveis da Sessão “Bissexualidade feminina”, que inclui um total de 134 postagem, distribuídas em 14 páginas, sendo a mais recente datada de 25 de outubro de 2014 e a mais antiga de 15 de julho de 2011. A análise do material foi orientada pela construção de quadros e mapas, conforme orientam Spink e Lima (1999), considerando permanências e rupturas de conteúdos. Foram identificados repertórios sobre bissexualidade feminina que vão desde a reafirmação da heteronormatividade de relacionamentos e “modos de ser” até a influência cultural nos microespaços de aceitação e do ato de “assumir-se”. Nossas análises sugerem um olhar crítico, articulando com possibilidade de novos estudos e novos campos de produção política em que a bissexualidade possa transitar entre a afirmação identitária (politicamente estratégica e portanto parcial, precária e provisória) e o questionamento da identidade como forma de construção/regulação de si. Este debate, certamente, pode contribuir para os movimentos contemporâneos de defesa de direitos humanos, especialmente, os direitos sexuais. / The main objective of this work is to analyze the production of meanings about female bisexuality in virtual communication contexts. As specific objectives we will: 1) learn about bisexuality repertoires circulating in virtual sociability spaces; 2) learn about femininity and masculinity repertoires in such spaces; and 3) investigate motivations, arguments, resistance and demands for political visibility in this context. In this research, we assume that, to some extent, bisexuality can be understood as a critical position of the binary relations of sex and sexual orientation. From the point of view of contextualization of the issue, we highlight its poor visibility, both in academia (insofar as there are few studies on the subject) and in social movements (in which debates and propositions, the theme is also little explored). This invisibility is also present in everyday life, in which the topic is rarely addressed and few are those who verbalize the experience and/or "assume" this identity or sexual orientation. The theoretical basis on social psychology that guides the reading of this work is based on social constructionism, that understands language as action, and on the notion of sexuality as performativity. In order to locate the discursive material that enabled the identification of discursive repertoires about bisexuality, a search was made in an open search engine website for the keyword "female bisexuality", and the first site identified (and possibly the most accessed one by those seeking dialog on the subject, in Portuguese), was the "BlogSouBi.com". This blog features a total of 5,655 pages (according to consultation made on 01/24/2015, via urlMétrica site: http://urlm.com.br). Considering the objectives of this research, as well as the nature, content and the volume of the material available on this blog, we chose to analyze the discursive production available in the Session "Female Bisexuality", which includes a total of 134 posts, distributed among 14 pages, being the most recent dated October 25, 2014 and the oldest from July 15, 2011. The material analysis was guided by the construction of tables and maps as proposed by Spink and Lima (1999), considering content stays and breaks. It were identified repertoires about female bisexuality ranging from the reaffirmation of heteronormativity of relationships and "modes of being" to the cultural influence in the micro-spaces of acceptance and of the act of "be assumed". Our analysis suggest a critical look coordinated with the possibility of new studies and new policy production fields in which bisexuality can transit between the identity affirmation (politically strategic and therefore partial, precarious and temporary) and the questioning of identity as a way of construction/regulation of the self. This debate can certainly contribute to contemporary movements of defense of human rights, especially the sexual rights.

Identiferoai:union.ndltd.org:IBICT/oai:repositorio.ufpe.br:123456789/26276
Date30 April 2015
CreatorsALMEIDA, Marianna Barbosa
Contributorshttp://lattes.cnpq.br/3188365001747186, MEDRADO, Benedito
PublisherUniversidade Federal de Pernambuco, Programa de Pos Graduacao em Psicologia, UFPE, Brasil
Source SetsIBICT Brazilian ETDs
LanguagePortuguese
Detected LanguageEnglish
Typeinfo:eu-repo/semantics/publishedVersion, info:eu-repo/semantics/masterThesis
Sourcereponame:Repositório Institucional da UFPE, instname:Universidade Federal de Pernambuco, instacron:UFPE
RightsAttribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil, http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/br/, info:eu-repo/semantics/openAccess

Page generated in 0.0039 seconds