• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 11
  • Tagged with
  • 11
  • 7
  • 5
  • 5
  • 4
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Visíveis e Indivisíveis:Práticas e identidade bissexual

Dias Cavalcanti, Camila January 2007 (has links)
Made available in DSpace on 2014-06-12T23:15:13Z (GMT). No. of bitstreams: 2 arquivo9196_1.pdf: 3947396 bytes, checksum: 2eac8aaa414595ae4e51397a25d71fbc (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2007 / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior / Este trabalho problematiza a bissexualidade como prática, orientação e identidade sexual, tendo em vista a enorme polêmica que ela parece causar dentro do próprio movimento que se propõe a lutar pelas minorias sexuais. Sendo assim, o discurso dos bissexuais é analisado levando em consideração a possível discriminação que a bissexualidade sofre tanto da heterossexualidade como da homossexualidade. Considerando as práticas bissexuais tão legítimas como quaisquer outras, a perspectiva teórica adotada retoma os aspectos construídos das identidades, inserindo a bissexualidade em um possível processo de identificação e não como uma categoria fixa e encerrada
2

Sobre as origens e os destinos da bissexualidade psíquica na constituição do sujeito

Carneiro, Cláudia Aparecida 11 August 2017 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, Programa de Pós-graduação em Psicologia Clínica e Cultura, 2017. / Submitted by Albânia Cézar de Melo (albania@bce.unb.br) on 2017-09-27T13:14:20Z No. of bitstreams: 1 2017_CláudiaAparecidaCarneiro.pdf: 866935 bytes, checksum: 105068ed88c4fcbb895c4e106f35eb75 (MD5) / Approved for entry into archive by Raquel Viana (raquelviana@bce.unb.br) on 2017-10-09T12:55:57Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2017_CláudiaAparecidaCarneiro.pdf: 866935 bytes, checksum: 105068ed88c4fcbb895c4e106f35eb75 (MD5) / Made available in DSpace on 2017-10-09T12:55:57Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2017_CláudiaAparecidaCarneiro.pdf: 866935 bytes, checksum: 105068ed88c4fcbb895c4e106f35eb75 (MD5) Previous issue date: 2017-10-09 / Este trabalho explora a noção de bissexualidade psíquica na constituição do sujeito, com o objetivo de investigar como esse fenômeno se inscreve nas origens da vida psíquica, na relação com os objetos primordiais, e modela o destino da pessoa na dinâmica das identificações, das fantasias e das escolhas objetais. Parte-se da construção freudiana da noção de bissexualidade psíquica, em sua complexidade e ambiguidades teóricas, até os estudos recentes sobre as manifestações primárias da bissexualidade e suas formas de resistência ao reconhecimento da diferença dos sexos. A hipótese é a de que as disposições bissexuais, cada qual a seu tempo, inscrevem-se no psiquismo originário pela ação imprescindível do objeto. Utilizou-se a metodologia qualitativa, por meio de pesquisa bibliográfico-analítica, tendo como referencial teórico a obra de Freud e contribuições de Winnicott, Bion e Green, além de trabalhos teórico-clínicos de autores contemporâneos. Considerando o trabalho de análise, enfatiza-se a relevância da bissexualidade nos processos transferenciais e contratransferenciais e propõe-se uma articulação desta noção com a de um feminino originário. Por fim, é apresentado um exemplo de escuta analítica da bissexualidade baseada no modelo continente-conteúdo de Bion. / This work explores the notion of psychic bisexuality in the constitution of the subject, with the objective of investigating how this phenomenon is inscribed in the origins of psychic life, in the relationship to the primordial objects, and how it shapes the person 's destiny in the dynamics of identifications, fantasies and object choices. We start from the Freudian construction of psychic bisexuality, in its complexity and theoretical ambiguities, until the most recent studies about the primary manifestations of bisexuality and its forms of resistance to sexual difference. The hypothesis is that the bisexual dispositions, each one in its own time, are inscribed in the primal psyche by the essential action of the object. We used qualitative methodology, through bibliographical-analytical research, having as theoretical reference Freud’s work and contributions of Winnicott, Bion and Green, as well as theoretical-clinical works of contemporary authors. Considering the analytic work, we emphasize the relevance of bisexuality in the transferential and countertransferential processes and propose an articulation of it with the notion of the original feminine. Finally, we present an example of psychoanalytic listening of bisexuality based on Bion's continent-content model.
3

Um olhar sobre a transexualidade a partir da perspectiva da tensionalidade somato-psiquica

Lionço, Tatiana 06 1900 (has links)
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, 2006. / Submitted by wesley oliveira leite (leite.wesley@yahoo.com.br) on 2009-11-17T22:03:51Z No. of bitstreams: 1 tatiana_lionco.pdf: 646640 bytes, checksum: 93a3ff567612029db9e97e132abaa1b7 (MD5) / Approved for entry into archive by Carolina Campos(carolinacamposmaia@gmail.com) on 2010-01-18T19:20:08Z (GMT) No. of bitstreams: 1 tatiana_lionco.pdf: 646640 bytes, checksum: 93a3ff567612029db9e97e132abaa1b7 (MD5) / Made available in DSpace on 2010-01-18T19:20:08Z (GMT). No. of bitstreams: 1 tatiana_lionco.pdf: 646640 bytes, checksum: 93a3ff567612029db9e97e132abaa1b7 (MD5) Previous issue date: 2006-06 / Apresentamos nesta pesquisa a hipótese de que a condição humana, entendida psicanaliticamente como processo de constituição psicossexual, encontraria como dinâmica própria aos processos de subjetivação o que denominamos ‘tensionalidade somato-psíquica’. A transexualidade explicitaria a lógica de disjunção-articulação entre, de um lado, o corpo em sua dimensão somática, e, de outro, as representações psíquicas que forjam uma imagem corporal construída especularmente na relação com o outro humano. A pretensão identitária dos indivíduos transexuais é questionada com base na suposição da bissexualidade como fundamental à organização do psiquismo humano. Conseqüentemente, problematizamos a proposição médica de ‘adequação’ do sexo anatômico à ‘identidade’ do indivíduo transexual como estratégia terapêutica solucionadora. __________________________________________________________________________________________ ABSTRACT / On this research we present the hypothesis that the human condition, psychologically understood as the psychosexual construction process, would have as its own subjectivity process dynamic, what we designate as ‘somatic-psychic tensionality’. The transexuality would express the tense logic existing between, in one hand, the body on its somatical dimension, and, in the other hand, the psychic representations that form a corporal mirror image constructed on the relationship with other human being. The transexual identity claim of individuals is questioned based on the bisexuality assumption as fundamental to the human psychism organization. Therefore, we question the medical proposition of the “adequacy” of the anatomical sex to the individual’s transsexual “identity” as a therapeutic strategy solution.
4

Bissexualidades femininas: repertórios entre jogos de (in)visibilidade

ALMEIDA, Marianna Barbosa 30 April 2015 (has links)
Submitted by Pedro Barros (pedro.silvabarros@ufpe.br) on 2018-08-28T18:31:55Z No. of bitstreams: 2 license_rdf: 811 bytes, checksum: e39d27027a6cc9cb039ad269a5db8e34 (MD5) DISSERTAÇÃO Marianna Barbosa Almeida.pdf: 1827622 bytes, checksum: 6bb14a4e8d494e6c224c1d58c3d7010a (MD5) / Approved for entry into archive by Alice Araujo (alice.caraujo@ufpe.br) on 2018-09-05T23:23:06Z (GMT) No. of bitstreams: 2 license_rdf: 811 bytes, checksum: e39d27027a6cc9cb039ad269a5db8e34 (MD5) DISSERTAÇÃO Marianna Barbosa Almeida.pdf: 1827622 bytes, checksum: 6bb14a4e8d494e6c224c1d58c3d7010a (MD5) / Made available in DSpace on 2018-09-05T23:23:06Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license_rdf: 811 bytes, checksum: e39d27027a6cc9cb039ad269a5db8e34 (MD5) DISSERTAÇÃO Marianna Barbosa Almeida.pdf: 1827622 bytes, checksum: 6bb14a4e8d494e6c224c1d58c3d7010a (MD5) Previous issue date: 2015-04-30 / FACEPE / O presente trabalho tem como objetivo geral analisar a produção de sentidos sobre bissexualidade feminina em contextos de comunicação virtual. Como objetivos específicos, pretendemos: 1) apreender repertórios sobre bissexualidade que circulam em espaços de sociabilidade virtual; 2) apreender repertórios sobre feminilidades e masculinidades nestes espaços; e 3) investigar motivações, argumentos, resistências e demandas por visibilidade política neste contexto. Nesta pesquisa, partimos do pressuposto de que, em alguma medida, a bissexualidade pode ser compreendida como uma posição crítica das relações binárias de sexo e de orientação sexual. Do ponto de vista da contextualização do problema, destacamos a sua pouca visibilidade, tanto na academia (na medida em que há poucos estudos sobre o assunto) como nos movimentos sociais (em cujos debates e proposições, o tema também é pouco explorado). Essa invisibilidade também se inscreve na vida cotidiana, em que o tema é raramente abordado e poucos/as são aqueles que verbalizam essa experiência e/ou “assumem” essa identidade ou orientação sexual. O marco teórico em psicologia social que orienta as leituras deste trabalho se baseia no construcionismo social, que compreende linguagem como ação, e na noção de sexualidade como performatividade. Com vistas a localizar material discursivo que possibilitasse a identificação de repertórios discursivos sobre bissexualidade, foi produzido um levantamento em site de busca aberta, a partir da expressão “bissexualidade feminina”, e o primeiro site identificado (e possivelmente o mais acessado por aqueles que buscam dialogar sobre o assunto, em língua portuguesa), foi o “BlogSouBi.com”. Este blog apresenta um total de 5.655 páginas (conforme consulta realizada em 24/01/2015, via site urlMétrica: http://urlm.com.br). Considerando os objetivos de nossa pesquisa, bem como a natureza, o conteúdo e o volume do material disponível neste blog, optamos pela análise das produções discursivas disponíveis da Sessão “Bissexualidade feminina”, que inclui um total de 134 postagem, distribuídas em 14 páginas, sendo a mais recente datada de 25 de outubro de 2014 e a mais antiga de 15 de julho de 2011. A análise do material foi orientada pela construção de quadros e mapas, conforme orientam Spink e Lima (1999), considerando permanências e rupturas de conteúdos. Foram identificados repertórios sobre bissexualidade feminina que vão desde a reafirmação da heteronormatividade de relacionamentos e “modos de ser” até a influência cultural nos microespaços de aceitação e do ato de “assumir-se”. Nossas análises sugerem um olhar crítico, articulando com possibilidade de novos estudos e novos campos de produção política em que a bissexualidade possa transitar entre a afirmação identitária (politicamente estratégica e portanto parcial, precária e provisória) e o questionamento da identidade como forma de construção/regulação de si. Este debate, certamente, pode contribuir para os movimentos contemporâneos de defesa de direitos humanos, especialmente, os direitos sexuais. / The main objective of this work is to analyze the production of meanings about female bisexuality in virtual communication contexts. As specific objectives we will: 1) learn about bisexuality repertoires circulating in virtual sociability spaces; 2) learn about femininity and masculinity repertoires in such spaces; and 3) investigate motivations, arguments, resistance and demands for political visibility in this context. In this research, we assume that, to some extent, bisexuality can be understood as a critical position of the binary relations of sex and sexual orientation. From the point of view of contextualization of the issue, we highlight its poor visibility, both in academia (insofar as there are few studies on the subject) and in social movements (in which debates and propositions, the theme is also little explored). This invisibility is also present in everyday life, in which the topic is rarely addressed and few are those who verbalize the experience and/or "assume" this identity or sexual orientation. The theoretical basis on social psychology that guides the reading of this work is based on social constructionism, that understands language as action, and on the notion of sexuality as performativity. In order to locate the discursive material that enabled the identification of discursive repertoires about bisexuality, a search was made in an open search engine website for the keyword "female bisexuality", and the first site identified (and possibly the most accessed one by those seeking dialog on the subject, in Portuguese), was the "BlogSouBi.com". This blog features a total of 5,655 pages (according to consultation made on 01/24/2015, via urlMétrica site: http://urlm.com.br). Considering the objectives of this research, as well as the nature, content and the volume of the material available on this blog, we chose to analyze the discursive production available in the Session "Female Bisexuality", which includes a total of 134 posts, distributed among 14 pages, being the most recent dated October 25, 2014 and the oldest from July 15, 2011. The material analysis was guided by the construction of tables and maps as proposed by Spink and Lima (1999), considering content stays and breaks. It were identified repertoires about female bisexuality ranging from the reaffirmation of heteronormativity of relationships and "modes of being" to the cultural influence in the micro-spaces of acceptance and of the act of "be assumed". Our analysis suggest a critical look coordinated with the possibility of new studies and new policy production fields in which bisexuality can transit between the identity affirmation (politically strategic and therefore partial, precarious and temporary) and the questioning of identity as a way of construction/regulation of the self. This debate can certainly contribute to contemporary movements of defense of human rights, especially the sexual rights.
5

Orientação sexual masculina numa comunidade pesqueira

Cardoso, Fernando Luiz January 1994 (has links)
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciencias Humanas / Made available in DSpace on 2012-10-16T06:51:05Z (GMT). No. of bitstreams: 0Bitstream added on 2016-01-08T19:15:22Z : No. of bitstreams: 1 98121.pdf: 4523682 bytes, checksum: c45ff57fc10cf3fda5609ad45dd96120 (MD5) / Este estudo analisa o debate entre "essencialistas" (que enfatizam as explicações biológicas) e "construtivistas" (que enfatizam as explicações simbólicas quanto à sexualidade). Foi realizada uma pesquisa com 41 homens numa comunidade pesqueira, com um padrão "mediterrâneo" de sexualidade, onde o critério de diferenciação para a "homossexualidade" se baseia na posição do ato sexual ("passivo" e "ativo") e não no sexo do parceiro com quem se transa. Uma distinção entre os "curtidores de paneleiros" (homens que tem práticas sexuais assíduas ou esporádicas com "homossexuais") e os "heterossexuais convictos" (que não mantêm relação sexuais com os paneleiros) ajudaram a esclarecer o conceito de orientação sexual. Estes achados apoiam a idéia de que a cultura molda as identidades e as práticas sexuais das pessoas que se situam no meio desse contínuo "homossexualidade-heterossexualidade". Mas, afeta menos os extremos. A orientação sexual seria assim, menos maleável em relação a cultura.
6

Lésbicas e mulheres bissexuais: uma leitura interseccional do cuidado à saúde / Lesbian and bisexual women: an intersectional approach to health care

Julliana Luiz Rodrigues 11 December 2018 (has links)
A invisibilidade das lésbicas e das mulheres bissexuais, bem como a escassez de conhecimento científico a seu respeito ainda se faz presente no Brasil. Nas políticas de saúde brasileira elas são incluídas na Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher de 2003 e na Política Nacional de Atenção Integral à Saúde de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transgêneros de 2010. No entanto, é imprescindível conhecer suas concepções e práticas de saúde, no sentido de possibilitar interpelar as políticas elaboradas e identificar desvantagens sociais relacionadas aos processos de discriminação a que são submetidas. Este trabalho, de vertente qualitativa, teve por objetivo analisar como as lésbicas e mulheres bissexuais vivenciam a sexualidade e experienciam o cuidado à saúde em geral e à saúde sexual, em particular, a partir da abordagem da interseccionalidade. Participaram da pesquisa 17 mulheres com 18 anos ou mais que se auto referiram lésbicas ou bissexuais. A produção dos dados empíricos se deu por meio de entrevistas semiestruturadas seguindo roteiro temático previamente elaborado. Os cuidados éticos incluíram explicação detalhada acerca dos objetivos da pesquisa, de modo a garantir a participação voluntária e a assinatura do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. O estudo foi aprovado pelo comitê de ética da USP. Todas as entrevistas foram gravadas e transcritas. Para análise dos dados utilizamos a abordagem da interseccionalidade, compreendendo como os marcadores sociais da diferença dialogam com o cuidado à saúde. A idade das participantes variou de 19 a 68 anos; seis eram negras, nove brancas e duas pardas; doze eram lésbicas e cinco bissexuais. Raça/cor e orientação sexual foram auto referidos. A diversidade na composição das participantes foi uma escolha metodológica para abarcar diferentes marcas identitárias quanto à raça, classe social, geração e orientação sexual. A intersecção entre sexualidade e geração opera vulnerabilizando mulheres jovens, pois estão expostas a intenso sofrimento psíquico em função da dependência financeira de familiares. Questões raciais surgiram no discurso de mulheres negras como marca identitária e de opressão em situações para além de contexto de saúde. O sentido e a visibilidade em torno da orientação sexual dependem, entre outras coisas, de experiências racistas. Finalmente, o intercruzamento entre sexualidade e classe social foi apreendida a partir da noção de territorialidade. A periferia de São Paulo parece interferir na maneira como as mulheres se apropriam e performatizam gênero. Percebemos relação entre regiões centrais e maior flexibilidade na expressão de gênero e de orientação sexual. No tocante aos temas relativos à saúde e à saúde sexual, os resultados apontam para a invisibilidade bissexual no contexto clínico. As dificuldades de lésbicas e bissexuais na consulta ginecológica vão desde receios quanto à exposição da orientação sexual até a não validação de sua sexualidade, quando sua vivência sexual com mulher é classificada como não sexo pelo profissional que a atende. A consulta em ginecologia opera com preponderância dos aspectos reprodutivos em detrimentos dos sexuais e é marcada por pressupostos heteronormativos. A intersecção entre orientação sexual e gênero pode produzir invisibilidade às bissexuais, que são lidas socialmente enquanto heterossexuais ou homossexuais / The invisibility of lesbians and bisexual women, as well as the scarcity of scientific knowledge about them, is still present in Brazil. In Brazilian health policies, they are included in the National Policy for Integral Attention to Women\'s Health of 2003 and in the National Policy of Integral Health Care for Lesbian, Gay, Bisexual, Transgender and Transgender of 2010. However, it is imperative to know their conceptions and health practices, in order to make it possible to question the policies elaborated and to identify social disadvantages related to the discrimination processes to which they are submitted. This qualitative study aimed to analyze how lesbians and bisexual women experience sexuality and experience general health care and sexual health, in particular, from the intersectionality approach. The study was attended by 17 women aged 18 years or over who reported on lesbians or bisexuals. The production of the empirical data was done through semi-structured interviews following the thematic route previously elaborated. Ethical care included a detailed explanation of the research objectives, in order to guarantee voluntary participation and the signing of the Informed Consent Term. The study was approved by the ethics committee of USP. All interviews were recorded and transcribed. To analyze the data we use the intersectionality approach, understanding how the social markers of difference dialogue with health care. The participants\' ages ranged from 19 to 68 years; six were black, nine were white, and two were brown; twelve were lesbian and five bisexual. Race / color and sexual orientation were self-reported. The diversity in the composition of the participants was a methodological choice to embrace different identity marks regarding race, social class, generation and sexual orientation. The intersection between sexuality and generation operates by vulnerabilizing young women, as they are exposed to intense psychological suffering due to the financial dependence of their families. Racial questions have emerged in the discourse of black women as an identity mark and oppression in situations beyond a health context. The sense and visibility of sexual orientation depend, among other things, on racist experiences. Finally, the interbreeding between sexuality and social class was apprehended from the notion of territoriality. The periphery of São Paulo seems to interfere with the way women appropriate and performatize gender. We perceive the relationship between central regions and greater flexibility in the expression of gender and sexual orientation. Regarding health and sexual health issues, the results point to bisexual invisibility in the clinical context. The difficulties of lesbians and bisexuals in the gynecological consultation range from fears about the exposure of sexual orientation to the non-validation of their sexuality, when their sexual experience with women is classified as non-sex by the professional who attends her. The consultation in gynecology operates with preponderance of the reproductive aspects in detriments of the sexual and is marked by heteronormative assumptions. The intersection between sexual orientation and gender can produce invisibility to bisexuals, who are read socially as heterosexual or homosexual
7

Lésbicas e mulheres bissexuais: uma leitura interseccional do cuidado à saúde / Lesbian and bisexual women: an intersectional approach to health care

Rodrigues, Julliana Luiz 11 December 2018 (has links)
A invisibilidade das lésbicas e das mulheres bissexuais, bem como a escassez de conhecimento científico a seu respeito ainda se faz presente no Brasil. Nas políticas de saúde brasileira elas são incluídas na Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher de 2003 e na Política Nacional de Atenção Integral à Saúde de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transgêneros de 2010. No entanto, é imprescindível conhecer suas concepções e práticas de saúde, no sentido de possibilitar interpelar as políticas elaboradas e identificar desvantagens sociais relacionadas aos processos de discriminação a que são submetidas. Este trabalho, de vertente qualitativa, teve por objetivo analisar como as lésbicas e mulheres bissexuais vivenciam a sexualidade e experienciam o cuidado à saúde em geral e à saúde sexual, em particular, a partir da abordagem da interseccionalidade. Participaram da pesquisa 17 mulheres com 18 anos ou mais que se auto referiram lésbicas ou bissexuais. A produção dos dados empíricos se deu por meio de entrevistas semiestruturadas seguindo roteiro temático previamente elaborado. Os cuidados éticos incluíram explicação detalhada acerca dos objetivos da pesquisa, de modo a garantir a participação voluntária e a assinatura do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. O estudo foi aprovado pelo comitê de ética da USP. Todas as entrevistas foram gravadas e transcritas. Para análise dos dados utilizamos a abordagem da interseccionalidade, compreendendo como os marcadores sociais da diferença dialogam com o cuidado à saúde. A idade das participantes variou de 19 a 68 anos; seis eram negras, nove brancas e duas pardas; doze eram lésbicas e cinco bissexuais. Raça/cor e orientação sexual foram auto referidos. A diversidade na composição das participantes foi uma escolha metodológica para abarcar diferentes marcas identitárias quanto à raça, classe social, geração e orientação sexual. A intersecção entre sexualidade e geração opera vulnerabilizando mulheres jovens, pois estão expostas a intenso sofrimento psíquico em função da dependência financeira de familiares. Questões raciais surgiram no discurso de mulheres negras como marca identitária e de opressão em situações para além de contexto de saúde. O sentido e a visibilidade em torno da orientação sexual dependem, entre outras coisas, de experiências racistas. Finalmente, o intercruzamento entre sexualidade e classe social foi apreendida a partir da noção de territorialidade. A periferia de São Paulo parece interferir na maneira como as mulheres se apropriam e performatizam gênero. Percebemos relação entre regiões centrais e maior flexibilidade na expressão de gênero e de orientação sexual. No tocante aos temas relativos à saúde e à saúde sexual, os resultados apontam para a invisibilidade bissexual no contexto clínico. As dificuldades de lésbicas e bissexuais na consulta ginecológica vão desde receios quanto à exposição da orientação sexual até a não validação de sua sexualidade, quando sua vivência sexual com mulher é classificada como não sexo pelo profissional que a atende. A consulta em ginecologia opera com preponderância dos aspectos reprodutivos em detrimentos dos sexuais e é marcada por pressupostos heteronormativos. A intersecção entre orientação sexual e gênero pode produzir invisibilidade às bissexuais, que são lidas socialmente enquanto heterossexuais ou homossexuais / The invisibility of lesbians and bisexual women, as well as the scarcity of scientific knowledge about them, is still present in Brazil. In Brazilian health policies, they are included in the National Policy for Integral Attention to Women\'s Health of 2003 and in the National Policy of Integral Health Care for Lesbian, Gay, Bisexual, Transgender and Transgender of 2010. However, it is imperative to know their conceptions and health practices, in order to make it possible to question the policies elaborated and to identify social disadvantages related to the discrimination processes to which they are submitted. This qualitative study aimed to analyze how lesbians and bisexual women experience sexuality and experience general health care and sexual health, in particular, from the intersectionality approach. The study was attended by 17 women aged 18 years or over who reported on lesbians or bisexuals. The production of the empirical data was done through semi-structured interviews following the thematic route previously elaborated. Ethical care included a detailed explanation of the research objectives, in order to guarantee voluntary participation and the signing of the Informed Consent Term. The study was approved by the ethics committee of USP. All interviews were recorded and transcribed. To analyze the data we use the intersectionality approach, understanding how the social markers of difference dialogue with health care. The participants\' ages ranged from 19 to 68 years; six were black, nine were white, and two were brown; twelve were lesbian and five bisexual. Race / color and sexual orientation were self-reported. The diversity in the composition of the participants was a methodological choice to embrace different identity marks regarding race, social class, generation and sexual orientation. The intersection between sexuality and generation operates by vulnerabilizing young women, as they are exposed to intense psychological suffering due to the financial dependence of their families. Racial questions have emerged in the discourse of black women as an identity mark and oppression in situations beyond a health context. The sense and visibility of sexual orientation depend, among other things, on racist experiences. Finally, the interbreeding between sexuality and social class was apprehended from the notion of territoriality. The periphery of São Paulo seems to interfere with the way women appropriate and performatize gender. We perceive the relationship between central regions and greater flexibility in the expression of gender and sexual orientation. Regarding health and sexual health issues, the results point to bisexual invisibility in the clinical context. The difficulties of lesbians and bisexuals in the gynecological consultation range from fears about the exposure of sexual orientation to the non-validation of their sexuality, when their sexual experience with women is classified as non-sex by the professional who attends her. The consultation in gynecology operates with preponderance of the reproductive aspects in detriments of the sexual and is marked by heteronormative assumptions. The intersection between sexual orientation and gender can produce invisibility to bisexuals, who are read socially as heterosexual or homosexual
8

De mãe em filha: a transmissão da feminilidade / From mother to daughter: transmission of feminineness

Ribeiro, Marina Ferreira da Rosa 06 November 2009 (has links)
Made available in DSpace on 2016-04-28T20:40:11Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Marina Ferreira da Rosa Ribeiro.pdf: 792731 bytes, checksum: 7c1c54299532a5b866af277b04f1a74d (MD5) Previous issue date: 2009-11-06 / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior / The main aim of this study was to find grounds and support from the psychoanalytical literature for the existence of specific psychological vicissitudes along the path from baby to girl to woman. The concepts put forward by certain psychoanalysts regarding this very intricate relationship and their effects on the continual challenge of becoming a woman and on the transmission of feminineness were investigated and analyzed. Freud s observations on the inexorable suppression that covers up the primordial relationship between mothers and their daughters were the starting point. Expressions for the nuances of the vestiges of this archaic relationship with mothers were sought; for daughters, their mothers are both the primary and the secondary objects of identification. Mothers eroticize their baby girls, leaving sensual traces for future adult enjoyment of female sexuality. In this relationship of like that engenders like, there is a potential risk of narcissistic entrapment and symbiotic illusion. Hostility between mothers and daughters was taken to be a search for psychological differentiation, which is always present to a greater or lesser extent. The passion between mother and daughter was shown firstly through the myth of Demeter and Persephone. The tragedy of Electra was dealt with as the other face of passion: hate. The conceptual framework surrounding feminineness in psychoanalysis was investigated and linked in, and the origin and development of the following concepts was explained: primary female identification (Paulo de Carvalho Ribeiro), primary homosexuality (Jacqueline Godfrind), primary female position or phase of feminineness (Melanie Klein) and primary maternalism and primary femaleness (Florence Guignard). The film Autumn Sonata by Ingmar Bergman was analyzed, focusing on the unsustainable nostalgia of meeting the mother, which was always dreamed of and never achieved. Continuing the reflections on the film, the male viewpoint and its indissociable dialectic connection with the female viewpoint is demonstrated. This coming together between female and male viewpoints brings to the fore the concept of psychological bisexuality. The different objective rules of mothers and fathers were also discussed. Two clinical constructions were presented: Zoe and Liz. Finally, the preciousness and tanatic , or the strength and vulnerability of the transmission of the feminineness from mothers to daughters were investigated / O objetivo principal desta pesquisa é fundamentar e sustentar, pela literatura psicanalítica, a existência de vicissitudes psíquicas específicas na trajetória bebê-menina- mulher. Investigo e analiso as concepções levantadas por alguns psicanalistas sobre tão intrincada relação, e seus efeitos no contínuo desafio de tornar-se mulher, assim como na transmissão da feminilidade. Parto das observações de Freud sobre o recalque inexorável que encobre os primórdios da relação de uma mãe com sua filha. Busco explicitar as nuances dos vestígios dessa relação arcaica com a mãe, que é, para a menina, tanto o objeto de identificação primário quanto o secundário. É a mãe quem erotiza seu bebê menina, deixando marcas sensuais para o futuro desfrutar adulto da sexualidade feminina. Há nessa relação do mesmo que engendra o mesmo, um risco pontecializado para a cilada narcísica e a ilusão simbiótica. A hostilidade entre mãe e filha é compreendida como uma busca de diferenciação psíquica, sempre presente, em maior ou menor intensidade. Apresento a paixão entre mãe e filha, primeiramente no mito de Deméter e Perséfone; abordo a tragédia de Electra como a outra face da paixão o ódio. Investigo e articulo a trama conceitual que cerca a concepção da feminilidade em psicanálise, e faço uma explanação da origem e desenvolvimento dos seguintes conceitos: identificação feminina primária (Paulo de Carvalho Ribeiro) homossexualidade primária (Jacqueline Godfrind), posição feminina primária ou fase da feminilidade (Melanie Klein) e, o materno primário e o feminino primário (Florence Guignard). Analiso o filme Sonata de Outono de Ingmar Bergman, sob o enfoque da insustentável nostalgia do encontro com a mãe, sempre sonhado e jamais alcançado. Na continuidade da reflexão a respeito do filme, coloco em evidência o olhar masculino e sua indissociável e dialética articulação com o olhar feminino. Essa aproximação entre o feminino e o masculino traz à tona o conceito de bissexualidade psíquica. O estatuto diverso da mãe e do pai como objeto também é discutido. Apresento duas construções clínicas: Zoe e Liz. Enfim, investigo o precioso e o tanático ou a força e a vulnerabilidade da transmissão da feminilidade de mãe em filha
9

Impulso sexual excessivo e comportamento barebacking em homens que fazem sexo com homens / Compulsive sexual behavior and barebacking in men who have sex with men

Maria Luiza Sant\'Ana Do Amaral 16 April 2014 (has links)
O comportamento \"barebacking\" é definido como o intercurso sexual anal entre homens que fazem sexo com homens (HSH) que decidem intencionalmente não usar preservativos, no contexto de risco do HIV. O comportamento sexual compulsivo (CSC) pode agir na motivação do comportamento \"barebacking\", aumentando o risco de transmissão do HIV, sendo que no Brasil a prevalência do HIV entre HSH é de 10,5%. Objetivos: estimar a frequência do comportamento \"barebacking\" nos HSH compulsivos sexuais, e investigar a associação do comportamento \"barebacking\" com: infecção pelo HIV; comportamento sexual de risco; severidade do CSC; transtorno associado ao uso de álcool e drogas; grau de otimismo em relação ao tratamento do HIV; capacidade de vinculação afetiva tipo segura; consolidação da identidade; e as seguintes dimensões de personalidade: busca de novidades, esquiva ao dano, dependência de gratificação e autodirecionamento. Métodos: estudo transversal realizado em amostra de HSH que buscaram tratamento para o CSC. Participaram 55 homens compulsivos sexuais, sendo que 21 apresentavam o comportamento \"barebacking\" e 34 não. Foram avaliados em entrevista psiquiátrica para verificação dos critérios de elegibilidade (critérios de dependência de sexo e de Impulso Sexual Excessivo, diagnósticos de exclusão, nível cognitivo). Todos responderam os seguintes instrumentos: Inventário de Consolidação de Identidade, Escala de Vinculação de Adulto, Escala de Compulsividade Sexual, Escala de Otimismo/Ceticismo no contexto dos tratamentos do HIV, Inventário de Temperamento e Caráter, Instrumento de Avaliação de Risco no Comportamento Sexual, além de questões complementares quanto ao comportamento \"barebacking\" e HIV. Ainda participaram de entrevista com a pesquisadora, que teve a finalidade de investigar a intencionalidade do não uso do preservativo. Resultados: 38% da amostra apresentaram comportamento \"barebacking\", sendo que 64% apresentaram orientação homossexual e 36% bissexual, e o comportamento \"barebacking\" associou-se à homossexualidade (p < 0,05). Comparando-se indivíduos com e sem o comportamento \"barebacking\", não se encontrou diferença em relação: a transtornos relacionados ao uso de álcool e/ou drogas, ao otimismo quanto ao tratamento do HIV, à vinculação afetiva, às dimensões de personalidade esquiva ao dano e dependência de gratificação. Houve uma tendência à associação à severidade do CSC, à consolidação da identidade e à busca de novidades. Houve associação negativa com a dimensão de personalidade autodirecionamento (p < 0,001). A prevalência do HIV foi de 20% na amostra total e de 43% dentre os participantes com comportamento \"barebacking\" (p < 0,05). Conclusões: a orientação homossexual e o baixo autodirecionamento foram preditores de comportamento \"barebacking\" neste estudo, sugerindo menor autonomia, reduzida força de vontade, desorganização, baixa capacidade de controle interno, baixa autoaceitação e baixa autoestima, como característica de personalidade dos que apresentam comportamento \"barebacking\" / The barebacking behavior is defined as anal intercourse among men who have sex with men (MSM) who intentionally decide do not to use condoms in the context of HIV risk. Compulsive sexual behavior (CSB) can act in motivating the barebacking behavior increasing the risk of HIV transmission, whereas in Brazil the prevalence of HIV among MSM is 10.5%. Goals: To estimate the frequency of barebacking behavior in sexually compulsive MSM, and to investigate the association of barebacking behavior with: HIV infection, sexual risk behavior, severity of CSB; substance disorders; degree of optimism regarding the treatment of HIV; ability to develop secure emotional attachment type, identity consolidation, and the following personality dimensions: novelty seeking, harm avoidance, reward dependence and self-directedness. Methods: Cross-sectional study in a sample of MSM who sought treatment for CSB. 55 sexually compulsive men participated, of whom 21 presented the barebacking behavior and 34 do not. All of them were underwent to psychiatric interview for verification of eligibility criteria (criteria for sex addiction and Excessive Sexual Drive, exclusion psychiatric diagnosis, and cognitive level). All answered the following instruments: Identity Consolidation Inventory, the Adult Attachment Scale, Scale of Sexual Compulsivity, Scale Optimism/Scepticism in the context of HIV treatments, Temperament and Character Inventory, Instrument Risk Assessment in Sexual Behavior, plus additional questions regarding the barebacking behavior and HIV. They were also interviewed by the researcher, whose purpose was to investigate the intentionality of not using condoms. Results: 38% of the sample presented barebacking behavior, whereas 64% were gay and 36% bisexual, and barebacking behavior was associated with being gay (p < 0.05). Comparing subjects with and without the barebacking behavior no difference was found in relation to: substance disorders, optimism regarding the treatment of HIV, adult attachment, personality dimensions harm avoidance and reward dependence. There was a trend toward association with severity of CSB, and the consolidation of identity and novelty seeking. There was a negative association with the personality dimension self-directedness (p < 0.001). HIV prevalence was 20% in the total sample and 43% among participants with barebacking behavior (p < 0.05). Conclusions: gay and low self-directedness predicted barebacking behavior in this study, suggesting low autonomy, reduced willpower, disorganization, low ability for internal control, low self-acceptance and low self-esteem, as personality characteristics from those presenting barebacking behavior
10

Impulso sexual excessivo e comportamento barebacking em homens que fazem sexo com homens / Compulsive sexual behavior and barebacking in men who have sex with men

Do Amaral, Maria Luiza Sant\'Ana 16 April 2014 (has links)
O comportamento \"barebacking\" é definido como o intercurso sexual anal entre homens que fazem sexo com homens (HSH) que decidem intencionalmente não usar preservativos, no contexto de risco do HIV. O comportamento sexual compulsivo (CSC) pode agir na motivação do comportamento \"barebacking\", aumentando o risco de transmissão do HIV, sendo que no Brasil a prevalência do HIV entre HSH é de 10,5%. Objetivos: estimar a frequência do comportamento \"barebacking\" nos HSH compulsivos sexuais, e investigar a associação do comportamento \"barebacking\" com: infecção pelo HIV; comportamento sexual de risco; severidade do CSC; transtorno associado ao uso de álcool e drogas; grau de otimismo em relação ao tratamento do HIV; capacidade de vinculação afetiva tipo segura; consolidação da identidade; e as seguintes dimensões de personalidade: busca de novidades, esquiva ao dano, dependência de gratificação e autodirecionamento. Métodos: estudo transversal realizado em amostra de HSH que buscaram tratamento para o CSC. Participaram 55 homens compulsivos sexuais, sendo que 21 apresentavam o comportamento \"barebacking\" e 34 não. Foram avaliados em entrevista psiquiátrica para verificação dos critérios de elegibilidade (critérios de dependência de sexo e de Impulso Sexual Excessivo, diagnósticos de exclusão, nível cognitivo). Todos responderam os seguintes instrumentos: Inventário de Consolidação de Identidade, Escala de Vinculação de Adulto, Escala de Compulsividade Sexual, Escala de Otimismo/Ceticismo no contexto dos tratamentos do HIV, Inventário de Temperamento e Caráter, Instrumento de Avaliação de Risco no Comportamento Sexual, além de questões complementares quanto ao comportamento \"barebacking\" e HIV. Ainda participaram de entrevista com a pesquisadora, que teve a finalidade de investigar a intencionalidade do não uso do preservativo. Resultados: 38% da amostra apresentaram comportamento \"barebacking\", sendo que 64% apresentaram orientação homossexual e 36% bissexual, e o comportamento \"barebacking\" associou-se à homossexualidade (p < 0,05). Comparando-se indivíduos com e sem o comportamento \"barebacking\", não se encontrou diferença em relação: a transtornos relacionados ao uso de álcool e/ou drogas, ao otimismo quanto ao tratamento do HIV, à vinculação afetiva, às dimensões de personalidade esquiva ao dano e dependência de gratificação. Houve uma tendência à associação à severidade do CSC, à consolidação da identidade e à busca de novidades. Houve associação negativa com a dimensão de personalidade autodirecionamento (p < 0,001). A prevalência do HIV foi de 20% na amostra total e de 43% dentre os participantes com comportamento \"barebacking\" (p < 0,05). Conclusões: a orientação homossexual e o baixo autodirecionamento foram preditores de comportamento \"barebacking\" neste estudo, sugerindo menor autonomia, reduzida força de vontade, desorganização, baixa capacidade de controle interno, baixa autoaceitação e baixa autoestima, como característica de personalidade dos que apresentam comportamento \"barebacking\" / The barebacking behavior is defined as anal intercourse among men who have sex with men (MSM) who intentionally decide do not to use condoms in the context of HIV risk. Compulsive sexual behavior (CSB) can act in motivating the barebacking behavior increasing the risk of HIV transmission, whereas in Brazil the prevalence of HIV among MSM is 10.5%. Goals: To estimate the frequency of barebacking behavior in sexually compulsive MSM, and to investigate the association of barebacking behavior with: HIV infection, sexual risk behavior, severity of CSB; substance disorders; degree of optimism regarding the treatment of HIV; ability to develop secure emotional attachment type, identity consolidation, and the following personality dimensions: novelty seeking, harm avoidance, reward dependence and self-directedness. Methods: Cross-sectional study in a sample of MSM who sought treatment for CSB. 55 sexually compulsive men participated, of whom 21 presented the barebacking behavior and 34 do not. All of them were underwent to psychiatric interview for verification of eligibility criteria (criteria for sex addiction and Excessive Sexual Drive, exclusion psychiatric diagnosis, and cognitive level). All answered the following instruments: Identity Consolidation Inventory, the Adult Attachment Scale, Scale of Sexual Compulsivity, Scale Optimism/Scepticism in the context of HIV treatments, Temperament and Character Inventory, Instrument Risk Assessment in Sexual Behavior, plus additional questions regarding the barebacking behavior and HIV. They were also interviewed by the researcher, whose purpose was to investigate the intentionality of not using condoms. Results: 38% of the sample presented barebacking behavior, whereas 64% were gay and 36% bisexual, and barebacking behavior was associated with being gay (p < 0.05). Comparing subjects with and without the barebacking behavior no difference was found in relation to: substance disorders, optimism regarding the treatment of HIV, adult attachment, personality dimensions harm avoidance and reward dependence. There was a trend toward association with severity of CSB, and the consolidation of identity and novelty seeking. There was a negative association with the personality dimension self-directedness (p < 0.001). HIV prevalence was 20% in the total sample and 43% among participants with barebacking behavior (p < 0.05). Conclusions: gay and low self-directedness predicted barebacking behavior in this study, suggesting low autonomy, reduced willpower, disorganization, low ability for internal control, low self-acceptance and low self-esteem, as personality characteristics from those presenting barebacking behavior

Page generated in 0.0689 seconds