• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 38
  • 1
  • Tagged with
  • 39
  • 39
  • 17
  • 13
  • 10
  • 9
  • 8
  • 8
  • 7
  • 7
  • 6
  • 5
  • 5
  • 5
  • 5
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Tornar-se mulher : a experiência vivida na conjugalidade contemporânea sob uma perspectiva fenomenológico-existencial / Becoming a Woman: The Lived Experience in the Contemporary Conjugality under a Phenomenological-Existential Perspective (Inglês)

Benevides, Rafaelle Fernanda Costa 30 April 2018 (has links)
Made available in DSpace on 2019-03-30T00:31:35Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2018-04-30 / This investigation started from the questioning about the experience lived of women in contemporary conjugality and in the exercise of motherhood, aiming to understand how they experience the current roles they assume in these relationships and which directions they assign to these experiences. From a phenomenological-existential perspective based on concepts bequeathed by the philosopher Jean-Paul Sartre and of the invaluable contributions of Simone de Beauvoir's studies on the situation of the woman, it was possible to understand how the being-project of the collaborators of this study, middle-class women, married and with children, living in Fortaleza, Ceará, occurs. It was through concepts such as freedom, situation and being-project that this study carried out an analysis on the praxis of women who, through their choices, reinforce and at the same time offer resistance to the roles assigned to them, denoting the anguish expressed by ambiguity which marks their discourses on the maternal role, the difficulty of domestic and professional responsibilities, and the personal satisfaction that the exercise of all these roles end up giving them. The method used for data collection was the open interview with the trigger question "what is it like to be a woman? ", which establishes the focus of the research on the experience lived by the collaborators. For the analysis of the results it was used the Progressive-Regressive method (Sartre, 1978). Social aspects were considered such as economic class and local culture that permeate these experiences and, from a regressive analysis and a gradual synthesis of the data obtained, it was possible to understand how these factors influenced women's choices towards their projects. The interviews were conducted individually with ten middle-class women, married, having children and engaged in some paid activity. What this research revealed is how women experience marital experience today and how the responsibilities of the roles they play in the family change their lives. Maternity, among all the experiences cited, appears as the most transformative, deeply modifying the body, the time and the quality of life of these women. Rivalry between women appears to be a concern, while mutual support between women appears as a current need for them to be able to account for the responsibilities arising from the roles they have assumed. Female empowerment and feminism emerge as still vague and superficial discussions that do not seem to influence their praxis but are presented to them as questions that make them reflect on their current situations. In contrast, the naturalizing discourse is still adopted by them and directly influences how they perform their daily activities and how they understand their responsibilities and their spouses in the family relationship and in the distribution of domestic obligations. In sum, the results show that, even with formal education and financial independence of women, the feminine roles in conjugality have undergone few modifications with respect to the accumulation of responsibilities that fall on them. The belief in a supposed feminine nature permeates the experience lived by these women in the motherhood, in the conjugal relation and in the market, indicating that there are still several obstacles to solving the social problems through these women's history of life. Keywords: woman, being-project, contemporary conjugality, existential phenomenology. / Esta investigação partiu do questionamento da experiência vivida de mulheres na conjugalidade contemporânea e no exercício da maternidade, tendo como objetivo compreender como elas experienciam os atuais papéis que assumem nessas relações e quais os sentidos que atribuem a essas vivências. A partir de uma perspectiva fenomenológicoexistencial baseada em conceitos legados pelo filósofo Jean-Paul Sartre, e das inestimáveis contribuições advindas dos estudos de Simone de Beauvoir sobre a situação da mulher, foi possível compreender como se desenvolve o projeto de ser das colaboradoras deste estudo, mulheres de classe média, casadas e com filhos, residentes em Fortaleza, Ceará. Foi através de conceitos como liberdade, situação e projeto de ser, que este estudo realizou uma análise sobre as práxis de mulheres que, mediante suas escolhas, reforçam e ao mesmo tempo oferecem resistência aos papéis a elas atribuídos, denotando a angústia expressa pela ambiguidade que marca seus discursos sobre o papel materno, sobre a dificuldade das responsabilidades domésticas e profissionais, e sobre a satisfação pessoal que o exercício de todos esses papéis acaba proporcionando a elas. O método utilizado para a coleta de dados foi a entrevista aberta com a pergunta disparadora ¿como é ser mulher?¿, que estabelece o foco da investigação sobre a experiência vivida das colaboradoras. Para a análise dos resultados foi utilizado o método Progressivo-Regressivo (Sartre, 1978). Foram considerados os aspectos sociais como a classe econômica e a cultura local que perpassam essas experiências e, a partir de uma análise regressiva e de uma síntese progressiva dos dados obtidos, foi possível compreender como esses fatores influenciaram as escolhas das mulheres em direção aos seus projetos de ser. As entrevistas foram realizadas individualmente com dez mulheres de classe média, casadas, que têm filhos e que realizam alguma atividade remunerada. Esta pesquisa revelou como as mulheres vivenciam a experiência conjugal na atualidade e como as responsabilidades dos papéis por elas assumidos na família modificam suas vidas. A maternidade, entre todas as experiências citadas, aparece como a mais transformadora, modificando profundamente o corpo, o tempo e a qualidade de vida dessas mulheres. A rivalidade entre mulheres aparece como preocupação, ao passo que o apoio mútuo entre mulheres aparece como necessidade atual para que consigam dar conta das responsabilidades decorrentes dos papéis que assumiram. O empoderamento feminino e o feminismo emergem como discussões ainda vagas e superficiais, que não parecem influenciar suas práxis, porém se apresentam para elas como questões que as fazem refletir sobre suas situações atuais. Em contraposição, o discurso naturalizante ainda é adotado por elas e influencia diretamente na forma como realizam suas atividades diárias e como compreendem suas responsabilidades e as de seus cônjuges na relação familiar e na distribuição das obrigações domésticas. Em suma, os resultados mostram que, mesmo com a instrução formal e a independência financeira das mulheres, os papéis femininos na conjugalidade têm sofrido poucas modificações com relação ao acúmulo de responsabilidades que recaem sobre elas. A crença em uma suposta natureza feminina perpassa a experiência vivida dessas mulheres na maternidade, na relação conjugal e no mercado de trabalho, indicando que ainda há diversos obstáculos à resolução dos problemas sociais que atravessam a história de vida dessas mulheres. Palavras-chave: mulher, projeto de ser, conjugalidade contemporânea, fenomenologia existencial.
2

Desenvolvimento do inventário da resposta sexual na gestação - PSRI /

Rudge, Cibele Vieira Cunha. January 2007 (has links)
Orientador: Iracema de Mattos Paranhos Calderon / Banca: Nilson Roberto de Mello / Banca: Eliana Aguiar Petri Nahas / Resumo: Estimar a prevalência e a incidência de disfunção sexual feminina (DSF) é importante para entender seu impacto na qualidade de vida, identificando fatores de risco para adoção de medidas preventivas. OBJETIVO: Estudar a evolução histórica do conhecimento da função e da disfunção sexual, o estado atual da arte e os novos conceitos e classificações das DSF. MATERIAL E MÉTODOS: Os modelos lineares de Masters & Johnson e Kaplan (Desejo, Excitação, Orgasmo e Resolução) representaram avanço científico e facilitaram as pesquisas, porém o conceito focado no genital não tem sido útil na orientação das disfunções sexuais. O novo modelo descrito por Basson (2002) move o foco do início da RSF de desejo sexual espontâneo genital para um ciclo responsivo, onde a motivação sexual é baseada na intimidade, transformando o estímulo sexual em excitação e o prazer afetivo desta excitação. Esta experiência física satisfatório leva posteriormente ao desejo sexual. Se o resultado for emocional e fisicamente satisfatório aumentará a intimidade emocional do casal. A classificação diagnóstica das DSF varia entre os diferentes sistemas diagnósticos, CID-10 (OMS) e DSM-IV (Associação Americana de Psiquiatria) e Classificação de Paris (2nd International Consultation on Sexual Dysfunction), sendo a inclusão do critério de acentuado sofrimento pessoal o elemento essencial para o diagnóstico.CONCLUSÃO: Mais estudos sobre a fisiologia da RSF são necessários para identificar seus marcadores, entender melhor essa espiral ascendente e quando e porquê ela se modifica − estica, achata ou rompe. / Abstract: Accurate estimates of prevalence/ incidence of female sexual dysfunction (FSD) are important in understanding the true burden on quality of life, and in identifying risk factors for prevention. PURPOSE: To study the historical evolution of female sexual response, the state-of-the-art knowledge in women's sexual response, and the revised definitions and classifications of FSD. MATERIAL AND METHODS: The Master & Johnson and Kaplan models (desire, arousal, orgasm and resolution) was a great scientific advance, facilitated clinical research, however the concept one linear sequence genitally focused events has not proven helpful in managing women's sexual dysfunctions. A new view of women's sexual response published by Basson (2002) moves the focus from spontaneous sexual drive to an inherently responsive cycles, that reflects intimacy-based sexual motivation, processing of sexual stimuli to arousal. Sexual desire to continue the physical experience is emotionally and physically satisfying, emotional intimacy with the partner is increased. Diagnostic classifications have varies among different diagnostic systems: ICD-10 (WHO), and DSM-IV (American Psychiatric Association) and Paris classification (2nd International Consultation on Sexual Dysfunction). An essential element of the new diagnostic system is the inclusion of personal distress criterion for most of the diagnostic categories. CONCLUSION: Further research is urgently need on female sexual response physiology, to identify their markers and to better understanding the feedback loops. / Mestre
3

As possibilidades do engravidamento na adolescência : um desafio à integralidade nas práticas em saúde pública

Loss, Maria Aparecida January 2006 (has links)
Este estudo partiu da prática psicológica no atendimento de adolescentes em um serviço de saúde mental coletiva na cidade de Porto Alegre. O tema investigado é o processo da adolescência em sua multiplicidade e abrangência, considerando as experiências de engravidar, a construção da sexualidade e os contextos sociais populares. Além disso, o campo da Saúde Pública, as políticas públicas e o lugar ocupado pela saúde mental, constituem os eixos de abordagem. Destacou-se a importância das relações de gênero sob o viés da teoria psicanalítica, redefinindo o lugar e a posição subjetiva do(a) adolescente, onde a recapitulação da diferença sexual anatômica produz novos efeitos imaginários para o masculino e o feminino. Há um conjunto de situações e acontecimentos que são próprios tanto da maturação pubertária e das transformações biológicas, quanto dos novos modos de viver essas transformações, estabelecer parâmetros de gênero e habitar um corpo sexualmente maduro com relação à aptidão reprodutiva. Para a coleta de dados, utilizou-se a descrição de caráter etnográfico como forma de circunscrever os domínios para a observação de campo e, partindo da técnica do estudo de caso, onde o serviço de atendimento psicológico para adolescentes em uma equipe de saúde mental foi o foco, estabeleceu-se uma triangulação entre diferentes fontes de evidência, tais como: as narrativas individuais, a atividade nos grupos e a análise documental. A análise de conteúdo tornou-se a estratégia para identificar as categorias emergentes e interpretá-las à luz da psicanálise. Enfatiza-se os aspectos subjetivos e inconscientes que envolvem a procriação humana, sugerindo o neologismo "engravidamento" como um processo psíquico na adolescência. Como resultado, propõe-se a constituição de intervalos temporais (ato, dúvida, cogitação e certeza) para o processo de engravidamento e problematiza-se o tratamento do problema como epidemia, principalmente quando o foco volta-se para os bairros populares do meio urbano e para a Saúde Pública. Discute-se o paradoxo da condição adolescente, quando a adolescente "antecipa-se" a concluir, sem a "verificação" e "precipita-se" na experiência sem "se previnir", revelando-se duas inadequações nas práticas de saúde: o ideal higienista com a vigilância do corpo feminino, por um lado e a fragmentação das políticas de saúde, por outro.
4

As possibilidades do engravidamento na adolescência : um desafio à integralidade nas práticas em saúde pública

Loss, Maria Aparecida January 2006 (has links)
Este estudo partiu da prática psicológica no atendimento de adolescentes em um serviço de saúde mental coletiva na cidade de Porto Alegre. O tema investigado é o processo da adolescência em sua multiplicidade e abrangência, considerando as experiências de engravidar, a construção da sexualidade e os contextos sociais populares. Além disso, o campo da Saúde Pública, as políticas públicas e o lugar ocupado pela saúde mental, constituem os eixos de abordagem. Destacou-se a importância das relações de gênero sob o viés da teoria psicanalítica, redefinindo o lugar e a posição subjetiva do(a) adolescente, onde a recapitulação da diferença sexual anatômica produz novos efeitos imaginários para o masculino e o feminino. Há um conjunto de situações e acontecimentos que são próprios tanto da maturação pubertária e das transformações biológicas, quanto dos novos modos de viver essas transformações, estabelecer parâmetros de gênero e habitar um corpo sexualmente maduro com relação à aptidão reprodutiva. Para a coleta de dados, utilizou-se a descrição de caráter etnográfico como forma de circunscrever os domínios para a observação de campo e, partindo da técnica do estudo de caso, onde o serviço de atendimento psicológico para adolescentes em uma equipe de saúde mental foi o foco, estabeleceu-se uma triangulação entre diferentes fontes de evidência, tais como: as narrativas individuais, a atividade nos grupos e a análise documental. A análise de conteúdo tornou-se a estratégia para identificar as categorias emergentes e interpretá-las à luz da psicanálise. Enfatiza-se os aspectos subjetivos e inconscientes que envolvem a procriação humana, sugerindo o neologismo "engravidamento" como um processo psíquico na adolescência. Como resultado, propõe-se a constituição de intervalos temporais (ato, dúvida, cogitação e certeza) para o processo de engravidamento e problematiza-se o tratamento do problema como epidemia, principalmente quando o foco volta-se para os bairros populares do meio urbano e para a Saúde Pública. Discute-se o paradoxo da condição adolescente, quando a adolescente "antecipa-se" a concluir, sem a "verificação" e "precipita-se" na experiência sem "se previnir", revelando-se duas inadequações nas práticas de saúde: o ideal higienista com a vigilância do corpo feminino, por um lado e a fragmentação das políticas de saúde, por outro.
5

Sexualidade feminina: a temporalidade e a singularidade da mulher no climatério / Not available

Patrícia Lopes Salzedas 03 December 2001 (has links)
Esta pesquisa buscou ampliar os horizontes de compreensão acerca da vivência da sexualidade de mulheres no climatério atendidas em ambulatório de Ginecologia na cidade de Campinas/SP, buscando compreender quais significados mulheres inseridas no presente momento histórico-cultural atribuem a sua vida durante a referida fase do ciclo vital, visto que se trata de um período marcado por mitos e preconceitos construídos historicamente. Utilizou-se a metodologia qualitativa fenomenológica e as idéias de Martin Heidegger para a compreensão dos discursos. Por intermédio de entrevistas individuais com cinco mulheres, com idade variando entre 46 e 54 anos, buscou-se apreender o significado por elas atribuído a esta vivência, a partir da questão norteadora: \"Fale para mim como você está vivenciando o seu momento de vida atual, no climatério, em especial no que diz respeito à sexualidade, relacionando com a história de sua vida.\" As entrevistas foram gravadas com a anuência das participantes, que assinaram um termo de consentimento informado antes da realização da entrevista. Constatou-se que, nas relações afetivo-sexuais com um parceiro (marido, em geral) as entrevistadas relacionam-se com escassez de diálogo e dificuldades na vivência sexual compartilhada, o que é relatado como motivo de insatisfação e pede por mudança. No relacionamento com os filhos está uma realização importante em suas vidas, embora também com estes não tenham um diálogo autêntico. O trabalho aparece como uma forma de realização pessoal e preenchimento de uma necessidade, o que possibilita que se sintam independentes / Not available
6

As possibilidades do engravidamento na adolescência : um desafio à integralidade nas práticas em saúde pública

Loss, Maria Aparecida January 2006 (has links)
Este estudo partiu da prática psicológica no atendimento de adolescentes em um serviço de saúde mental coletiva na cidade de Porto Alegre. O tema investigado é o processo da adolescência em sua multiplicidade e abrangência, considerando as experiências de engravidar, a construção da sexualidade e os contextos sociais populares. Além disso, o campo da Saúde Pública, as políticas públicas e o lugar ocupado pela saúde mental, constituem os eixos de abordagem. Destacou-se a importância das relações de gênero sob o viés da teoria psicanalítica, redefinindo o lugar e a posição subjetiva do(a) adolescente, onde a recapitulação da diferença sexual anatômica produz novos efeitos imaginários para o masculino e o feminino. Há um conjunto de situações e acontecimentos que são próprios tanto da maturação pubertária e das transformações biológicas, quanto dos novos modos de viver essas transformações, estabelecer parâmetros de gênero e habitar um corpo sexualmente maduro com relação à aptidão reprodutiva. Para a coleta de dados, utilizou-se a descrição de caráter etnográfico como forma de circunscrever os domínios para a observação de campo e, partindo da técnica do estudo de caso, onde o serviço de atendimento psicológico para adolescentes em uma equipe de saúde mental foi o foco, estabeleceu-se uma triangulação entre diferentes fontes de evidência, tais como: as narrativas individuais, a atividade nos grupos e a análise documental. A análise de conteúdo tornou-se a estratégia para identificar as categorias emergentes e interpretá-las à luz da psicanálise. Enfatiza-se os aspectos subjetivos e inconscientes que envolvem a procriação humana, sugerindo o neologismo "engravidamento" como um processo psíquico na adolescência. Como resultado, propõe-se a constituição de intervalos temporais (ato, dúvida, cogitação e certeza) para o processo de engravidamento e problematiza-se o tratamento do problema como epidemia, principalmente quando o foco volta-se para os bairros populares do meio urbano e para a Saúde Pública. Discute-se o paradoxo da condição adolescente, quando a adolescente "antecipa-se" a concluir, sem a "verificação" e "precipita-se" na experiência sem "se previnir", revelando-se duas inadequações nas práticas de saúde: o ideal higienista com a vigilância do corpo feminino, por um lado e a fragmentação das políticas de saúde, por outro.
7

Sexualidade feminina: a temporalidade e a singularidade da mulher no climatério / Not available

Salzedas, Patrícia Lopes 03 December 2001 (has links)
Esta pesquisa buscou ampliar os horizontes de compreensão acerca da vivência da sexualidade de mulheres no climatério atendidas em ambulatório de Ginecologia na cidade de Campinas/SP, buscando compreender quais significados mulheres inseridas no presente momento histórico-cultural atribuem a sua vida durante a referida fase do ciclo vital, visto que se trata de um período marcado por mitos e preconceitos construídos historicamente. Utilizou-se a metodologia qualitativa fenomenológica e as idéias de Martin Heidegger para a compreensão dos discursos. Por intermédio de entrevistas individuais com cinco mulheres, com idade variando entre 46 e 54 anos, buscou-se apreender o significado por elas atribuído a esta vivência, a partir da questão norteadora: \"Fale para mim como você está vivenciando o seu momento de vida atual, no climatério, em especial no que diz respeito à sexualidade, relacionando com a história de sua vida.\" As entrevistas foram gravadas com a anuência das participantes, que assinaram um termo de consentimento informado antes da realização da entrevista. Constatou-se que, nas relações afetivo-sexuais com um parceiro (marido, em geral) as entrevistadas relacionam-se com escassez de diálogo e dificuldades na vivência sexual compartilhada, o que é relatado como motivo de insatisfação e pede por mudança. No relacionamento com os filhos está uma realização importante em suas vidas, embora também com estes não tenham um diálogo autêntico. O trabalho aparece como uma forma de realização pessoal e preenchimento de uma necessidade, o que possibilita que se sintam independentes / Not available
8

Homofobia internalizada, satisfação corporal, satisfação sexual e envelhecimento de mulheres lésbicas no Brasil / Internalized Homophobia, Body Satisfaction, Sexual Satisfaction and Aging of Lesbian Women in Brazil (Inglês)

Eloi, Juliana Fernandes 16 August 2017 (has links)
Made available in DSpace on 2019-03-30T00:03:50Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2017-08-16 / This doctoral thesis aimed to investigate in a multi-methodological way the sexuality of lesbian women and to examine the interactions between the homophobic prejudice, corporal satisfaction, sexual satisfaction and aging. To achieve this goal, a methodological approach was presented in two theoretical and five empirical articles. The first article presents an integrative review of the literature in the database of the Virtual Health Library (PePSIC and SciELO) to present the national panorama about the scientific productions on ageism against old age. It is concluded that the prejudice against the elderly in Brazilian scientific production is little explored. The second theoretical article presents a systematic review on sexuality in old age in the Virtual Health Library database (PePSIC and SciELO). The results indicate a limited scenario in the country about productions on gender, sexuality and aging. The third study seeks to understand the experience of the sexuality of women in old age. It has an exploratory character, in which three women aged at least 65 years were interviewed. The results indicate that social norms that stigmatize old age and sexuality promote the lack of information about life experiences. In the fourth study, we sought to adapt and validate the Internalized Lesbian Homophobia Scale (EHIL) in Brazil as a measure that evaluates internalized homophobia in lesbians. A total of 1,231 lesbian women aged 18- 67 years (M = 27.87, SD = 9.10) and all Brazilian states participated. The results of the confirmatory analysis confirm the original structure of the EHIL, showing itself as a valid measure in the Brazilian context. In the fifth study, we presented psychometric evidence of adaptation, validation and creation of the Body Perception Scale and Sexual Satisfaction for Lesbians (ESCSS-Lesbian). The instrument was more specific and adequate for the measurement of the corporal and sexual satisfaction of lesbian women. In the sixth study, the aim was to characterize the corporal and sexual satisfaction of lesbian women, verifying their correlation with internalized homophobia, levels of openness and sociodemographic characteristics. A total of 1,231 Brazilian lesbians participated. The results were obtained from descriptive and inferential analyzes (ANOVA). The results showed that possibly the higher the level of open the less experience of internalized homophobia and the greater body and sexual satisfaction. Finally, the last article of the thesis proposed to create a structured equation model (SEM), in which it evaluated the mediation of corporal satisfaction between the internalized homophobia variable and the sexual satisfaction variable of lesbian women. And he concludes that internalized homophobia can be an explanatory factor of the negative relation with the corporal and sexual satisfaction and of the possible establishment of the psychic suffering and the non-acceptance of self. Together, the results obtained in this thesis indicate that the internalized homophobic or anti-age prejudice, manifested in interpersonal and intrapsychic relations, negatively affects the body perception of lesbian women, decreasing probabilistically their corporal and sexual satisfaction. However, it is necessary to confirm that the interactions between homophobic, body and sexual satisfaction reflect the intensity and the way sexuality is lived. Keywords: Lesbian, Internalized Homophobia, Body Satisfaction, Sexual Satisfaction, Aging, Structured Equation Model. / Esta tese de doutorado se propôs a investigar de forma multimetodológica a sexualidade de mulheres lésbicas e a examinar as interações entre o preconceito homofóbico, satisfação corporal, satisfação sexual e envelhecimento. Para alcançar este objetivo, foi traçado um pecurso metodológico apresentado em dois artigos teóricos e cinco empíricos. O primeiro artigo apresenta uma revisão integrativa da literatura na base de dados da Biblioteca Virtual em Saúde (PePSIC e SciELO) para apresentar o panorama nacional acerca das produções cientificas sobre o ageismo contra a velhice. Conclui-se que o preconceito contra idosos na produção científica brasileira encontra-se pouco explorado. O segundo artigo teórico apresenta uma revisão sistemática sobre a sexualdiade na velhice na base de dados da Biblioteca Virtual em Saúde (PePSIC e SciELO). Os resultados indicam um cenário restrito no país acerca de produções sobre gênero, sexualidade e envelhecimento. O terceiro estudo busca compreender a vivência da sexualidade de mulheres na velhice. Possui caráter exploratório, em que foram entrevistadas três mulheres com idade mínima de 65 anos. Os resultados indicam que as normas sociais que estigmatizam a velhice e a sexualidade promovem a ausência de informação frente às próprias experiências da vida. No quarto estudo, buscou-se adaptar e validar a Escala de Homofobia Internalizada para Lésbicas (EHIL) no Brasil como medida que avalia a homofobia internalizada em lésbicas. Participaram 1.231 mulheres lésbicas com idade entre 18 e 67 anos (M = 27,87; DP = 9,10) e de todos os estados brasileiros. Os resultados da análise confirmatória ratificam a estrutura original da EHIL, mostrando-se como medida válida em contexto brasileiro. No quinto estudo, foram apresentadas evidências psicométricas de adaptação, validação e criação de Escala de Percepção Corporal e Satisfação Sexual para Lésbicas (ESCSS-Lésbicas). O instrumento mostrou-se mais específico e adequado para a mensuração da satisfação corporal e sexual de mulheres lésbicas. No sexto estudo, buscou-se caracterizar a satisfação corporal e sexual de mulheres lésbicas, verificando a sua correlação com a homofobia internalizada, níveis de abertura e características sociodemográficas. Participaram 1.231 mulheres lésbicas brasileiras. Os resultados foram obtidos a partir de análises descritivas e inferenciais (ANOVA). Os resultados demosntraram que possivelmente quanto maior o nível de abertura menos vivência da homofobia internalizada e maior satisfação corporal e sexual. Por fim, o último artigo da tese proprôs criar um structural equation model (SEM), em que avaliou a mediação da satisfação corporal entre a variável homofobia internalizada e a variável satisfação sexual de mulheres lésbicas. E conclui que a homofobia internalizada pode ser um fator explicativo da relação negativa com a satisfação corporal e sexual e do possível estabelecimento do sofrimento psíquico e a não aceitação de si. Em conjunto, os resultados obtidos nesta tese indicam que o preconceito homofóbico internalizado ou contra a idade, se manifesta nas relações interpessoais e intrapsíquicas, afeta negativamente a percepção corporal de mulheres lésbicas diminuindo probabilisticamente sua satisfação corporal e sexual. Contudo, é preciso ratificar que as interações entre homofóbico, satisfação corporal e sexual espelham a intensidade e o modo de como a sexualidade é vivida. Palavras-Chave: Lésbicas, Homofobia Internalizada, Satisfação Corporal, Satisfação Sexual, Envelhecimento, Modelo de Equação Estrutural.
9

Desenvolvimento do inventário da resposta sexual na gestação - PSRI

Rudge, Cibele Vieira Cunha [UNESP] 23 February 2007 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2014-06-11T19:27:44Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2007-02-23Bitstream added on 2014-06-13T20:17:05Z : No. of bitstreams: 1 rudge_cvc_me_botfm.pdf: 986176 bytes, checksum: d2991d68cfcb4b1636f6b31ad2fffab1 (MD5) / Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP) / Estimar a prevalência e a incidência de disfunção sexual feminina (DSF) é importante para entender seu impacto na qualidade de vida, identificando fatores de risco para adoção de medidas preventivas. OBJETIVO: Estudar a evolução histórica do conhecimento da função e da disfunção sexual, o estado atual da arte e os novos conceitos e classificações das DSF. MATERIAL E MÉTODOS: Os modelos lineares de Masters & Johnson e Kaplan (Desejo, Excitação, Orgasmo e Resolução) representaram avanço científico e facilitaram as pesquisas, porém o conceito focado no genital não tem sido útil na orientação das disfunções sexuais. O novo modelo descrito por Basson (2002) move o foco do início da RSF de desejo sexual espontâneo genital para um ciclo responsivo, onde a motivação sexual é baseada na intimidade, transformando o estímulo sexual em excitação e o prazer afetivo desta excitação. Esta experiência física satisfatório leva posteriormente ao desejo sexual. Se o resultado for emocional e fisicamente satisfatório aumentará a intimidade emocional do casal. A classificação diagnóstica das DSF varia entre os diferentes sistemas diagnósticos, CID-10 (OMS) e DSM-IV (Associação Americana de Psiquiatria) e Classificação de Paris (2nd International Consultation on Sexual Dysfunction), sendo a inclusão do critério de acentuado sofrimento pessoal o elemento essencial para o diagnóstico.CONCLUSÃO: Mais estudos sobre a fisiologia da RSF são necessários para identificar seus marcadores, entender melhor essa espiral ascendente e quando e porquê ela se modifica − estica, achata ou rompe. / Accurate estimates of prevalence/ incidence of female sexual dysfunction (FSD) are important in understanding the true burden on quality of life, and in identifying risk factors for prevention. PURPOSE: To study the historical evolution of female sexual response, the state-of-the-art knowledge in women’s sexual response, and the revised definitions and classifications of FSD. MATERIAL AND METHODS: The Master & Johnson and Kaplan models (desire, arousal, orgasm and resolution) was a great scientific advance, facilitated clinical research, however the concept one linear sequence genitally focused events has not proven helpful in managing women’s sexual dysfunctions. A new view of women’s sexual response published by Basson (2002) moves the focus from spontaneous sexual drive to an inherently responsive cycles, that reflects intimacy-based sexual motivation, processing of sexual stimuli to arousal. Sexual desire to continue the physical experience is emotionally and physically satisfying, emotional intimacy with the partner is increased. Diagnostic classifications have varies among different diagnostic systems: ICD-10 (WHO), and DSM-IV (American Psychiatric Association) and Paris classification (2nd International Consultation on Sexual Dysfunction). An essential element of the new diagnostic system is the inclusion of personal distress criterion for most of the diagnostic categories. CONCLUSION: Further research is urgently need on female sexual response physiology, to identify their markers and to better understanding the feedback loops.
10

Sexo, mulher e punição: a sexualidade feminina numa instituição penal

CARIDADE, Maria do Amparo Rocha 08 1900 (has links)
Submitted by Caroline Falcao (caroline.rfalcao@ufpe.br) on 2016-05-31T18:22:10Z No. of bitstreams: 2 license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) 39C277s Dissertação.pdf: 8593030 bytes, checksum: f59162371709da3e6c4c8bbef2b4262c (MD5) / Made available in DSpace on 2016-05-31T18:22:10Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) 39C277s Dissertação.pdf: 8593030 bytes, checksum: f59162371709da3e6c4c8bbef2b4262c (MD5) Previous issue date: 1988-08 / A sexualidade nas prisões femininas, tem sido pouco estudada no Brasil. Parece existir um pressuposto de que prisão implica negação do direito ao prazer, e o preconceito de que a satisfação sexual não é essencial para a mulher. A única penitenciaria feminina de Pernambuco, é dirigida pelas Irmãs do Bom Pastor. Nela não são permitidas as "visitas íntimas", direito já adquirido pelos presos, em todo o Brasil. Através das histórias de vida, pude constatar que a sexualidade vivida pelas detentas, antes da prisão, foi reprimida, sofrida e pouco realizadora. A repressão religiosa da instituição recai, especialmente, sobre a sexualidade das detentas, considerada como um desvio ou pecado. É estabelecido um processo de violência simbólica, visando a regeneração moral das mulheres. Esta violência, não física, destrói a identidade e culpabiliza o desejo. Apesar de todo o controle exercido pela vigilância e pelo ambiente religioso, a sexualidade é vivida intensamente pelas detentas. Estas formas de controle produzem manifestações sexuais específicas desta instituição. Embora produzidas por ela, estas formas de viver a sexualidade são recolocadas como desviantes e pecaminosas. A maneira transgressora de vivê-la é uma forma de contrapoder à ordem institucional estabelecida.

Page generated in 0.1023 seconds