• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 311
  • 32
  • 16
  • 8
  • 3
  • 2
  • 1
  • Tagged with
  • 375
  • 59
  • 42
  • 33
  • 30
  • 28
  • 23
  • 23
  • 23
  • 22
  • 22
  • 22
  • 22
  • 22
  • 20
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
21

Áreas de ressurgência no Atlântico Sul subtropical : implicações para a pesca oceânica

Ribeiro, Andrea de Lima January 2014 (has links)
Orientador : Prof. Dr. Carlos A. D. Lentini / Dissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências da Terra, Programa de Pós-Graduação em Sistemas Costeiros e Oceânicos. Defesa: Pontal do Paraná, 13/03/2014 / Inclui referências : f. 40-44 / Resumo: A região do Cabo de Santa Marta (CSM), RS, Brasil, é caracterizada pela ocorrência de uma ressurgência sazonal associada transporte de Ekman induzido por ventos de quadrante norte, topografia e bombeamento de Ekman. Utilizando dados de Temperatura da Superfície do Mar (TSM), transporte de Ekman zonal (MEk-x) e concentração de clorofila-a (Cl-a) derivados de satélite, foram calculadas anomalias mensais para pontos costeiros e oceânicos ao norte e ao sul dessa feição costeira. Os dados de transporte de massa não forneceram informações satisfatórias sobre os eventos de ressurgência na região, com baixa correlação entre anomalias de TSM e MEk-x. Eventos anômalos de alta concentração de Cl-a foram associados à influência de águas da Pluma do Rio da Prata trazendo nutrientes para a região do CSM. Foi encontrada relação entre anomalias de TSM com eventos de El Niño e La Niña (ENOS). O estudo de caso envolvendo captura de paralarvas e juvenis de cefalópodes na região conduzido por Vidal et al. (2010) mostrou que é possível obter resultados coerentes quanto à ressurgência na região através da utilização de dados diários de transporte de massa em conjunto com os de TSM. Palavras-chave: Temperatura da Superfície do Mar; transporte de Ekman; clorofila-a; cefalópodes. / Abstract: The area around Santa Marta Cape (CSM), RS, Brazil, is characterized by the occurrence of a seasonal upwelling associated to Ekman transport induced by Northerly winds, topography and Ekman pumping. Using Sea Surface Temperature (SST), zonal Ekman transport (MEk-x) and chlorophyll-a concentration data derived from satellites there were calculated monthly anomalies to coastal and oceanic sites up North and down South this coastal feature. The mass transport data didn't provide enough information about the upwelling events in the area, with a low correlation between SST and MEk-x. Anomalous events of high chlorophyll-a concentration were associated to the influence of Prata River Plume, inputting nutrients to the CSM area. It was found a relation between SST anomalies and La Niña and El Niño events (ENSO). The study case about the catch of paralarvae and juveniles of cephalopods conducted by Vidal et al. (2010) confirmed that it's possible to get coherent upwelling results in the area using daily transport and SST derived from satellite data. Keywords: Sea Surface Temperature, Ekman transport, Chlorophyll-a, cephalopods
22

Multiple states of trophic connectivity between mangroves and salt marshes are revealed through a spatial and temporal approach

Domingos, Andre Menegotto January 2014 (has links)
Orientadora : Prof. Dr. Paulo da Cunha Lana / Dissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências da Terra, Programa de Pós-Graduação em Sistemas Costeiros e Oceânicos. Defesa: Pontal do Paraná, 26/03/2014 / Inclui referências / Resumo: O gradiente de produtividade entre habitats adjacentes como manguezais e marismas pode flutuar sazonalmente, sugerindo que ambos possam ser alternadamente subsidiados ao longo do ano. Embora este processo seja bem conhecido para o subsídio de presas entre rios e matas ciliares, poucos estudos são disponíveis para outros sistemas ou tipos de subsídio. Avaliamos neste trabalho se a entrada de detrito e a assimilação de carbono alóctone por invertebrados bênticos residentes se alternam entre manguezais e marismas adjacentes da Baía de Paranaguá (sul do Brasil), durante os picos de produção de detrito (verão e inverno, respectivamente), usando armadilhas de detrito e isótopos estáveis de carbono. A amostragem foi conduzida nos setores estuarinos de menor (interno) e maior (externo) energia ambiental para avaliar a influência do vetor físico de transporte (correntes de maré) sobre a intensidade do fluxo de subsídios. A doação de detritos de marismas para os manguezais não variou significativamente entre estações, mas foi significativamente maior no setor externo. Do mesmo modo, invertebrados bênticos dos manguezais do setor externo foram mais enriquecidos em ?13C que aqueles do setor interno, sem nenhuma variação sazonal significativa. O transporte de detritos do manguezal para as marismas ocorreu principalmente no verão em ambos os setores. Contudo, muito deste detrito permaneceu preso na borda da marisma. Assim, a contribuição sazonal dos manguezais para as marismas foi detectada apenas no setor interno da baía, onde a biomassa de detrito autóctone é baixa. A variação sazonal nos valores isotópicos de carbono também foi significativa apenas nas marismas do setor interno, nas quais os invertebrados são enriquecidos em 13C devido à redução na disponibilidade de folhas do manguezal. Nossos resultados reforçam o modelo de que a conectividade trófica depende muito mais da proporção relativa entre o recurso alóctone (subsídio) e o autóctone do que apenas da produtividade assimétrica entre habitats. Diferenças nesta proporção relativa são resultantes da interação entre produtividade e transporte que levam a muitos estados de conectividade trófica, com um mesmo habitat atuando como doador ou recipiente em diferentes escalas hidrodinâmicas e sazonais. Palavras chaves: Baía de Paranaguá; Bentos; Detrito; Estuário; Input alóctone; Isótopos estáveis; Subsídio recíproco. / Abstract: The productivity gradient between adjacent habitats can fluctuate over time due to seasonal cycles and lead to both habitats being alternately subsidized. Although this process is well known for prey subsidies in stream-riparian forest ecotones, few studies are available for other systems or subsidy types. We assessed if subsidy input and allochthonous carbon assimilation by resident benthic invertebrates alternated between adjacent mangroves and salt marshes during peaks of detritus productivity (summer and winter, respectively) by using detritus trapping techniques and stable carbon isotopes. Sampling was performed in the inner and outer estuarine sectors of the subtropical Paranaguá Bay (southern Brazil) to assess the influence of the physical transport vector (tidal currents) on the intensity of subsidy flow. Marsh litter supply to mangroves did not vary significantly between seasons but was significantly higher in the outer than in the inner sector. Likewise, benthic invertebrates from the outer sector mangroves were more enriched in 13C than those from the inner mangroves, with no significant seasonal variations. Transport of mangrove litter into the salt marsh occurs mainly in the summer in both sectors; however, most of the litter remains trapped in the marsh boundary. Thus, the relative seasonal contribution of mangroves to salt marshes was detected only in the inner sector, where autochthonous litter biomass is lower. The seasonal difference in carbon isotopic ratios was also significant only in the inner marshes, where invertebrate isotopic values are enriched in ?13C due to a decrease in available mangrove leaves. Our findings reinforce the model that trophic connectivity relies on the relative proportion of allochthonous (subsidy) and autochthonous resources rather than only on asymmetric productivity between habitats. Differences in this relative proportion result from productivity and transport interactions that lead to many connectivity states in which the same habitat can act as a donor or recipient at different hydrodynamic and seasonal scales. Keywords: Allochthonous input; Benthos; Detritus; Estuary; Paranaguá Bay; Reciprocal subsidy; Stable isotopes.
23

Diversity and distribution patterns of order Zoantharia (Cnidaria: Anthozoa)

Santos, Maria Eduarda Alves dos January 2015 (has links)
Orientadora : Prof. Dr. Marcelo Visentini Kitahara / Orientadora : Prof. Dr. James Davis Reimer / Dissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências da Terra, Programa de Pós-Graduação em Sistemas Costeiros e Oceânicos. Defesa: Pontal do Paraná, 10/12/2015 / Inclui referências / Linha de pesquisa: Biologia e ecologia de sistemas oceânicos e costeiros / Resumo: Os padrões de diversidade nos oceanos são foco de teorias ecológicas e evolutivas. Estudos correlacionando dados filogenéticos e da distribuição de organismos permitem corroborar essas teorias que explicam os processos geradores da diversidade marinha. A compreensão desses processos também auxilia prever as consequências de eventos tais como alterações climáticas e bioinvasões Os animais da ordem Zoantharia (Cnidaria: Anthozoa) são encontrados da zona entremarés até profundidades abissais em todos oceanos. Zoantários formam extensas colônias, as quais servem de proteção e alimento para outros organismos. Apesar de serem um grupo de animais abundantes e cosmopolitas, dados sobre a distribuição das espécies ainda são escassos em diversos locais. Por exemplo, até a realização desta dissertação não haviam estudos investigando as espécies de Zoantharia da costa brasileira e sua distribuição nessa província. A falta de investigações sobre a diversidade do grupo é causada principalmente pela dificuldade de identificação das espécies, as quais apresentam uma grande plasticidade morfológica. Para solucionar essa dificuldade, estudos acoplando dados moleculares e taxonômicos mostram ser uma excelente forma de identificar esses animais. Dados moleculares também acresceram no conhecimento sobre a história evolutiva da ordem Zoantharia, um dos grupos que divergiram mais basais em Metazoa. Até o momento não foram estimadas relações filogenéticas do grupo utilizando todos as famílias/genêros com dados disponíveis em bases de dados tais como o GenBank. Em adição, dados moleculares indicam um relacionamento estreito entre espécies de zoantário dos oceanos Atlântico e Pacífico/Índico, entretanto nenhum trabalho investigou quais são são esses pares de espécie e que processos podem ter gerado esse padrão. O objetivo desta dissertação é contribuir na elucidação de padrões evolutivos nos oceanos, utilizando como modelo os zoantários. Nós analisamos as relações filogenéticas da ordem Zoantharia em dois aspectos complementares: 1) grandes clados e 2) espécies geneticamente próximas. Adicionalmente, nós relacionamos esses dados com ecologia e zoogeografia do grupo. No primeiro capítulo, a relação filogenética entre todas as famílias de Zoantharia é analisada em conjunto com as principais características ecológicas de cada clado. O segundo capítulo examina a diversidade e distribuição de zoantários no Atlântico sudeste, preenchendo a lacuna de conhecimento sobre o grupo na costa brasileira. Os resultados desse capítulo são utilizados também na investigação das espécies próximas de zoantários entre as duas bacias oceânicas (Oceano Atlântico e oceanos Pacífico e Índico) no terceiro capítulo. / Abstract: Diversity patterns in the oceans are focus of ecological and evolutionary theories. Studies correlating phylogenetic and distribution data of species allow support these theories which explain the processes generators of marine diversity. Undestand these processes also allow predict the consequences of events such as climate changes and bioinvasons. Animals of the order Zoantharia (Cnidaria: Anthozoa) occur from intertidal to abissal zones in all oceans. Species of the group are able to form extensive colonies that serve as shelter and food resource to other organisms. Althought zoantharian are abundant and cosmopolitan, distribution species data are still scass in several localities. For example, until the present research, there were no studies on Zoantharia species in brazilian coast. The lack of investigation of the group diversity is mostly due to the difficulties in species identification, which present a high interspecific morphological variability. In order to overcome this problem, studies using both morphological and molecular data have proven to be an excellent way to identify species. Molecular data have also provide a better knowledge on the evolution history of the group, however, there is no estimarion of phylogenetic relationships between all the genera with data avaialable in data bases such as GenBank. Moreover, molecular data indicated a close-related relationship between species on Atlantic Ocean and Pacific/Indian oceans, but no study have investigation which are these species. The goal of this dissertation is contribute in the elucidation of evolutionary patterns in the oceans, using as a model the zoantharians. We analyze phylogenetic relationships of the order Zoantharia in two complementary aspects: 1) large clades 2) close-related species. Furthemore, we linked these data with ecology and zoogeograpy of the group. In the first chapter, phylogenetic relationships between all Zoantharia families is analyzed along with their ecological traits. The second chapter examine diversity and distribution of zoantharians in southwest Atlantic, filling the gap of Zoantharia diversity in Brazil. Data of this study is also used in the investifation of close- related species between the two ocean basins (Atlantic Ocean and Pacific/Indian oceans) on the third chapter.
24

Variação espaço-temporal do procarioplancton na Gamboa do Emboguaçu, Paraná, Brasil, e sua correlação com parâmetros físico-químicos

Fernandes, Vanessa de Andrade 10 December 2012 (has links)
Resumo: A Gamboa do Emboguaçu está localizada na Baía de Paranaguá e banha a cidade homônima na sua porção oeste. Junto com as gamboas Itiberê, dos Correias, dos Almeidas e Maciel apresenta uma extensa e plana bacia de drenagem margeada por manguezais que são os maiores fornecedores de matéria orgânica dissolvida da Baía de Paranaguá. Segundo informações da Empresa de Saneamento de Paranaguá, a "CAB Águas de Paranaguá", o esgoto tratado pela Estação de Tratamento de Esgoto do Emboguaçu é lançado na gamboa Emboguaçu Mirim que deságua na Gamboa do Emboguaçu. Considerando-se as alterações antrópicas existentes na região e a escassez de estudos procariológicos, fez-se necessário um estudo do procarioplâncton ao longo do curso d´água em questão e correlacioná-lo com fatores físico-químicos (temperatura, salinidade, pH, oxigênio dissolvido, transparência, nitrato, nitrito, fosfato, N-amoniacal, material particulado em suspensão, teor de matéria orgânica particulada, e pluviosidade). Os resultados mostraram que a maior densidade de procarias heterotróficas totais (1.458x103 cel.mL-1), de sua biomassa (42,74 ?gC.L-1) e de E. coli (>48.392 NMP.100mL-1) ocorreu principalmente na segunda quinzena de dezembro (período de férias entre o Natal e o Ano Novo). Nesse período também foram registradas as maiores pluviosidades das últimas 24h, o que pode evidenciar a relação direta entre esse parâmetro e a rápida resposta dessas bactérias a essa condicionante física. As concentrações de coliformes totais (>48.392 NMP.100mL -1) e da pluviosidade das últimas 72 horas foram mais elevadas nas segundas quinzenas de janeiro e fevereiro. Junto com a E. coli também foram registrados os maiores valores de amônia e fosfato. As altas concentrações desses nutrientes reforçam a idéia de que há entrada de esgoto "in natura" na gamboa, principalmente no período de altas pluviosidades e do aumento populacional no verão.
25

Aspectos alimentares da gaivota Larus dominicanus : variação sazonal e influência do defeso

Miotto, Maiara Larissa January 2015 (has links)
Orientador : Dr. Henry Louis Spach / Coorientadora : Dr. Ricardo Krul / Dissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências da Terra, Programa de Pós-Graduação em Sistemas Costeiros e Oceânicos. Defesa: Pontal do Paraná, 30/03/2015 / Inclui referências : f. 14-17;44-54;82-90 / Resumo: Informações sobre a dieta de aves marinhas são de grande importância para a compreensão das relações destas com o seu habitat. Através da identificação de itens alimentares em pellets analisamos os hábitos alimentares de Larus dominicanus na costa paranaense, enfocando principalmente a importância dos peixes demersais em sua dieta. As coletas foram realizadas mensalmente entre agosto de 2011 e julho de 2012 na praia de Barrancos, litoral do Paraná. A identificação, o comprimento e o peso dos teleósteos foram obtidos a partir dos otólitos, enquanto que os demais itens foram identificados até o menor nível taxonômico possível. Nos 120 pellets examinados foram contabilizados 21 itens alimentares, dos quais 14 foram peixes, 3 moluscos e 4 artrópodes. Moluscos foi a categoria mais frequente, ocorrendo em 61,66% dos pellets, seguido pelos peixes com 55,83%. A análise sazonal de itens nos pellets revelou que as 3 categorias estiveram presentes na dieta de L. dominicanus em todas as estações do ano. Os moluscos foram as itens mais frequentes durante os meses de verão (52%), primavera (50%) e outono (52%). Os peixes foram os itens mais frequentes durante os meses do inverno, contribuindo com 53% do total de itens presentes nos pellets. A contribuição dos artrópodes foi menor, principalmente durante o outono, presente em apenas 3% dos pellets. Já o inverno foi a estação com a maior contribuição desse grupo, quando contabilizaram 21% dos itens consumidos. Também foram encontrados materiais de origem antrópica, com destaque para os resíduos plásticos. De modo geral foi possível observar que a dieta de L. dominicanus refletiu as condições ambientais das áreas de forrageio desta espécie ao longo de todo o ano Palavras-chave: Alimentação, Atlântico Sul Ocidental, Pellets. / Abstract: Information about the diet of seabirds has great importance for understanding the relationship of these birds and their habitats. We analyzed the feeding habits of Larus dominicanus in Parana coast, through identification of food items in pellets, mainly focused on the importance of demersal fish on its diet. The pellet were sampled monthly between August 2011 and July 2012 at Balneário Barrancos. Identification, size and weight of teleost were based on otoliths, while other items were identified to the lowest taxonomic level. In 120 pellets, 21 food items were identified, 14 of them were fish, 3 molluscs and 4 arthropods. The clams were the most frequent items, occurring in 61.66% of the pellets, followed by fish with 55.83%. The seasonal analysis of the pellets revealed that all 3 categories - fish, molluscs and arthropods - were present in L. dominicanus diet in all seasons. The molluscs were frequent items sampled during the summer months (52%), spring (50%) and autumn (52%). Fish were the most common items during the winter months, contributing 53% of the items present in the pellets. The contribution of arthropods was lower, especially during autumn, present in only 3% of the pellets, and the winter was the season with the greatest contribution of this group, accounting for 21% of consumed items. Also antropic material were found, with emphasis on plastic. In general it was possible observe that the diet of L. dominicanus reflected the environmental conditions of the foraging areas of this species along all year. Key words: Feeding, Southwest Atlantic, Pellets.
26

Dinâmica sazonal e espacial do fictoplâncton nos máximos subsuperficiais de clorofila da Plataforma Continental ao longo de Santa Catarina, Sul do Brasil

Simião, Monica Santiago January 2010 (has links)
Orientador : Prof. Dr. Frederico Pereira Brandini / Tese (doutorado) - Universidade Federal do Paraná, Centro de Estudos do Mar, Programa de Pos-Graduação em Sistemas Costeiros e Oceanicos. Defesa : Pontal do Parana, 29/03/2010 / Bibliografia: fls. 40-48 / Resumo: Máximos sub-superficiais de clorofila (MSC) ocorrem permanentemente nos setores externos e médios da plataforma continental sudeste do Brasil. Geralmente se desenvolvem ao longo da picnoclina, entre a camada de mistura superficial cupada por águas subtropicais e a camada profunda rica em nutrientes ocupada pela Água Central do Atlântico Sul (ACAS). Pesquisas anteriores discutiram a ocorrência de MSCs em níveis de profundidades variando de 5 à 10% da luz incidente na superfície, associados à sedimentação de células do fitoplâncton ao crescimento in situ. Nesse estudo foram obtidos perfis verticais de fluorescência natural em um transecto perpendicular ao longo de 157 km da plataforma do estado de Santa Catarina entre novembro de 2005 e junnho 2006. A persistência de ventos de norte e nordeste induziu intrusões da ACAS na camada de fundo. Como consequencia dessa intrusão sazonal foi observada a formação de dois núcleos independentes de MSCs em níveis medios de 2% de luz incidente na superfície. Picos de clorofila nos MSC variaram de 0,07 a 6,2 mg.m-3 a biomassa do fitoplancton variou de 0,2 a 511 ?gC.L?¹. Amostras biológicas foram coletadas na camada de mistura superficial e nos MSCs para análise da composição, densidade e biomassa fitoplanctônica. Espécies típicas de águas tropicais e subtropicais dominaram os MSC principalmente nos setores médios e externos da plataforma. Nos setores internos as diatomáceas cêntricas dominaram em termos de biomassa enquanto as diatomáceas penadas foram mais abundantes. Altas densidades de Aulacoseira granulata, especies tipicas indicadoras de aguas doces e estuarinas foram registradas ao longo da plataforma durante a estação chuvosa. Os resultados desta pesquisa confirmam o acúmulo de biomassa em células grandes (p.ex. Coscinodicus wailesii) bem como a maior densidade determinadas (p. ex. Hemiaulus indicus e espécies penadas não identificadas) na formação dos MSCs. / Abstract: Subsurface chlorophyll maximum layers are common in mid and outer sections of the South Brazil Bight. They usually develop along the pycnocline, between the upper mix layer, occupied by subtropical waters, and the deep layer rich in nutrients, occupied by the South Atlantic Central Water. Previous studies have discussed the occurrence of MSCs in depth levels ranging from 5 to 10% of the surface light, associated with sedimentation of phytoplankton cells and the in situ growt. Vertical profiles of natural fluorescence have been made in a perpendicular transect along the 157 kilometers off the shelf of Santa Catarina state, from November 2005 to June 2006. The persistence of northern and northeastern winds induces bottom intrusions of the SACW It has been observed the formation of two independent cores of MSC along the cross-shelf at approximately 2% of surface light intensity. Chlorophyll's peaks at MSCs layers ranging 0,07 to 6,2 mg.m-3, biomass range 0,2 to 511 ?gC.L?¹. Water samples have been collected from the upper mix layer and from the MSCs for analysis of phytoplankton composition, density and biomass. In the mid and outer shelf phytoplankton was made of typical tropical and subtropical species. In the inner and mid shelf centrics diatoms dominated in terms of biomass, while pennate diatoms were numerically dominants. High densities of the freshwater species Aulacoseira granulata were registered along the platform during the rainy season. These results confirm the carbon biomass and densities of phytoplankton in the MScs tends to accumulate in large cells such as Coscinodiscus wailesii, Hemiaulus indicus and small penate diatoms.
27

Caracterização da Iticofauna Recifal do Arquipélago das Graças, São Francisco do Sul, Santa Catarina, Brasil

Bueno, Leonardo Schlogel 12 July 2010 (has links)
Resumo: Neste trabalho estudou-se a ictiofauna pelágica, demersal e críptica associada ao substrato recifal do Arquipélago das Graças, localizado na entrada da Baia da Babitonga, Santa Catarina (Brasil). O arquipélago foi divido em 8 setores com características diferenciadas em relação ao nível de exposição, complexidade estrutural e profundidade. Para obtenção dos dados utilizou-se o método de censo visual através de transecção em faixa. As variáveis ambientais mensuradas em cada setor foram: temperatura, profundidade e visibilidade da água, grau de exposição do costão rochoso ao batimento de ondas, rugosidade, quantidade e tamanho de tocas, porcentagem de cobertura do substrato, porcentagem de rocha, areia e cascalho, profundidade máxima do costão e declividade. A análise de componentes principais mostrou que os setores, a priori classificados como expostos e abrigados ao batimento de ondas e ventos, ficaram separados. A única exceção foi o setor 3, que apesar de estar voltado a Leste demonstrou características de áreas protegidas. Durante os meses de amostragens foram registradas 63 espécies de peixes, pertencentes a 33 famílias, as quais apresentaram maior riqueza de Serranidae e Haemulidae. As espécies mais abundantes foram Stegastes fuscus, Malacoctenus delalandii e Abudefduf saxatilis. Predominaram os exemplares com comprimento menores que 10 cm, seguidos pelos peixes com comprimentos entre 11 e 20 cm, verificando-se reduzido número de peixes com mais de 20 cm. Diferenças significativas foram observadas entre os setores amostrados quanto ao número de indivíduos, número de espécies, diversidade de Shannon-Wiene, equitabilidade de Pielou e para a abundância das 10 espécies dominantes. As análises evidenciaram diferenças ictiofaunísticas entre grupos de setores, porém não identificaram assembléias de peixes diferentes nas áreas protegida e exposta do Arquipélago das Graças. Os resultados obtidos no levantamento efetuado permitiram concluir que a ictiofauna recifal do Arquipélago das Graças é rica quando comparada a áreas recifais próximas, incluindo espécies ameaçadas de extinção e outras de grande interesse comercial. Acredita-se que a riqueza constatada possa ser ainda maior, sugerindo-se a realização de outros estudos abrangendo diferentes formas de amostragem, maior amplitude temporal e de profundidade. Políticas de manejo para amenizar o impacto sobre a ictiofauna local deveriam ser discutidas pois, devido sua localização na desembocadura de grande estuário, pode desempenhar importante papel na conectividade e parte do ciclo de vida de muitas espécies.
28

Efeitos da poluição por hidrocarbonetos na estrutura das associações macrobênticas das Baías da Guanabara-RJ e Laranjeiras-PR

Camargo, Manuela Zeglin January 2014 (has links)
Orientador : Prof. Dr. Mauricio Garcia de Camargo / Dissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências da Terra, Programa de Pós-Graduação em Sistemas Costeiros e Oceânicos. Defesa: Pontal do Paraná, 21/03/2014 / Inclui referências : f. 42-47 / Resumo: Concentrações de hidrocarbonetos (alifáticos e aromáticos (HPAs)) foram comparadas entre 53 as Baías da Guanabara - RJ (GUA) e Laranjeiras - PR (LAR), através de um delineamento 54 amostral hierárquico com diferentes escalas espaciais, e relacionadas com a estrutura das 55 associações macrobênticas locais. LAR não apresentou contaminação orgânica e GUA 56 evidenciou contaminação para ambos compostos, principalmente no setor intermediário. 57 Número de táxons e diversidade de Shannon-Weaver foram significativamente maiores em 58 LAR, enquanto número total de indivíduos foi maior em GUA, especialmente pela alta 59 abundância do gastrópode Heleobia australis que representou 91% do total. Uma análise 60 canônica de coordenadas principais (CAP) foi utilizada para modelar a relação entre a 61 estrutura das associações macrofaunais com as concentrações de HPAs, obtendo um índice de 62 correlação canônica de 95% e mostrando que esses compostos agem como fatores 63 estruturadores da distribuição da macrofauna bêntica. / Abstract: Hydrocarbon concentrations (aliphatic and aromatic (PAHs)) were compared between 79 Guanabara - RJ (GUA) and Laranjeiras - PR (LAR) Bays, using a hierarchical desing nested 80 with different special scales, and related to the structure of local macrobenthic association. 81 LAR showed no organic contamination and GUA showed for both compounds, mainly in the 82 intermediary sector. Number of taxa and Shannon-Weaver diversity were significantly higher 83 in LAR, while total number of individual was higher in GUA, specially for the high 84 abundance of the gastropod Heleobia australis wich represented 91% of the total. A canonical 85 analysis of principal coordinates (CAP) was used to model the relation between the structure 86 of macrofaunal associations with the concentrations of PAHs, obtaining an index of canonical 87 correlation of 95% and showing that this compounds act as structuring factor in the 88 distribution of benthic macrofauna.
29

Multiscale environmental-ichthyoplankton assemblages relationships in the Balearic Sea

Álvarez Ellacuría, Itziar 18 June 2015 (has links)
Understanding the early life stages of fishes and the processes influencing their survival has been at the heart of the fisheries oceanography since the beginning of the 20th century. By focusing on spatial and temporal patterns in the ichthyoplankton (those early stages whose horizontal location is largely determined by currents), it is possible to gain some understanding of interrelationships among environmental conditions, fish spawning phase and dispersal/survival dynamics of the planktonic stages of fish. The different physical and/or biological processes controlling Larval Fish Assemblages (LFAs) variability (abundances, composition and distribution) act at very different space and time scales. Sampling the sea at the appropriate frequency and at adequate time and space scales is required to evaluate those mechanisms. These studies are insufficiently developed in the Balearic Archipelago, a hotspot for biodiversity located in an extremely dynamic area of the Mediterranean. With this premise in mind, the main objective of the thesis was to deepen in the knowledge of LFA dynamics in the Balearic Sea (NW Mediterranean) at different spatio-temporal scales. Four different approaches were addressed. At a sub-seasonal temporal scale, the influence of coastal environmental conditions during the shift from winter-spring to summer on fish larvae assemblages in a temperate area was evaluated. Larval fish assemblages were sampled fortnightly at three stations located in coastal waters off southern Mallorca from March to August 2007, covering the main spawning period for the resident coastal fish in this region. The larval fish assemblage showed clear seasonality with higher specific abundance but lower diversity in the spring, probably linked to a spatial (at the vertical scale) shift in the energy flow, which may trigger the summer spawning of many bottom-dwelling species. At the submesoscale domain, the factors that may regulate the previously suggested high levels of larval self-recruitment were explored in Cabrera National Park (CNP), an insular Marine Protected Area (MPA) located off southern Mallorca. Our study attributes the regulation of larval arrival to the MPA to a combination of retention by topographically generated circulation patterns around the island and shelf break frontal dynamics. Also at scales smaller than the mesoscale, we examined fish larval distribution drivers in Palma Bay, a large (~20 Km) wind-driven microtidal bay in the southern coast of Mallorca. Distributions and abundances of fish larvae in the Bay were analyzed and interpreted in the context of the observed circulation patterns, adult habitat distribution and spawning traits. Acoustic Doppler Current Profiler (ADCP) observations showed the presence of retentive flow patterns in the middle of the Bay enhancing local larval accumulation and self-recruitment. A multivariate approach based on Redundancy Analysis (RDA) revealed differences between the larval fish assemblages in the Bay, constituted by small pelagic and benthopelagic families (Gobiidae, Chromis chromis and Serranus hepatus) and offshore larvae, mostly from meso and large pelagic fish. These larval fish assemblages were structured according to depth variations and zooplankton abundance, and remained relatively unmixed because of the circulation patterns in the mouth of the Bay that uncouple its dynamics from alongshelf circulation. At mesoscale level, we investigated the effect of two hydrographic scenarios, representing well-known contrasting examples of the early summer mesoscale dynamics in the archipelago, on the summer larval fish assemblages during two cruises in 2004 and 2005. While depth was the most important variable in explaining the assemblage structure and diversity observed under both scenarios, indicators of mesoscale activity (dynamic height, geostrophic velocity) contributed significantly to understanding the dynamics of the larval fish community. The larval assemblage dynamics are discussed in terms of species-specific and extrinsic factors, including future consequences of potential changes in these environmental scenarios. The main results of this thesis are put together in context in a general discussion section and shortcomings and future directions are explored. / Desde principios del siglo veinte, el estudio de los estadios tempranos de los peces y de los procesos que influyen en su supervivencia forma parte de la oceanografía pesquera. La investigación de los patrones temporales y espaciales del ictiopláncton hace posible entender las relaciones entre las condiciones del ambiente, la fase reproductiva de los adultos y la dinámica de supervivencia y retención de los estadios planctónicos de los peces. Los diferentes procesos físicos y/o biológicos que controlan la variabilidad (abundancia, composición y distribución) en las comunidades de larvas de peces (a partir de aquí LFA, del inglés Larval Fish Assemblage) actúan a escalas espaciales y temporales muy diferentes. Se hace necesario por tanto muestrear en el mar con la frecuencia apropiada y a la escala espacio-temporal adecuada para evaluar esos mecanismos. Este tipo de estudios son escasos en el archipiélago Balear, punto de interés de la biodiversidad y situado en un área del Mediterráneo extremadamente dinámica. Teniendo todo lo anterior en cuenta, el principal objetivo de la tesis fue profundizar en el conocimiento de la dinámica de las LFA en el Mar Balear, a diferentes escalas espacio-temporales. Se realizaron cuatro aproximaciones diferentes. A escala temporal, se evaluó la influencia de las condiciones ambientales costeras durante la transición primavera temprana-verano sobre las LFAs. Se realizaron muestreos quincenales entre marzo y agosto (cubriendo el pico de puesta de la mayoría de las especies de la zona) en tres estaciones de la zona costera del sur de Mallorca. Las LFAs reflejaron claramente la estacionalidad de la zona con una alta abundancia de especies pero bajas densidades de larvas en primavera, probablemente relacionada con la transición espacial (en el plano vertical) del flujo de energía que seguramente desencadena la puesta estival de muchas de las especies cercanas al fondo. A una escala menor que mesoescala, se estudiaron los factores que regulan los altos niveles de auto reclutamiento previamente sugeridos para el Parque Nacional de Cabrera. Nuestro estudio atribuye la regulación de la llegada de larvas al área a una combinación de retención por los patrones de circulación generados por la topografía alrededor de Mallorca y la dinámica asociada a un frente de plataforma. También a escala inferior a la mesoescala, examinamos los agentes responsables de la distribución de LFAs en la bahía de Palma en la costa sur de Mallorca. Se analizaron e interpretaron la abundancia y distribución horizontal de las larvas de peces en la bahía en el contexto de los patrones de circulación observados, el hábitat de los adultos y las estrategias de puesta. Mediante observaciones de un perfilador de corrientes mediante Doppler, se describió la presencia de patrones retentivos de circulación en el medio de la bahía que favorecen la acumulación de larvas locales y el auto reclutamiento. Una aproximación multivariante basada en el análisis de redundancia (RDA) reveló diferencias entre la comunidad de la bahía formada por familias bentopelágicas y de pequeños pelágicos y una LFA de especies más lejanas a la costa, principalmente mesopelágicos y grandes pelágicos. Esas comunidades estaban estructuradas según variaciones en profundidad de abundancia de zooplancton y permanecían relativamente separadas debido a que los patrones de circulación a la entrada de la bahía separan su dinámica interna de la circulación en la plataforma. A nivel de mesoescala investigamos mediante dos campañas en años consecutivos el efecto que ejercen dos escenarios hidrográficos (que representan ejemplos de escenarios muy contrastados entre sí característicos de la dinámica de mesosescala en verano en el archipiélago) sobre las LFAs estivales en la zona. Bajo ambos escenarios, la profundidad resultó ser la variable que mejor explicaba la estructura de la comunidad y su diversidad. Aun así, los indicadores de actividad mesoescalar (altura dinámica, velocidad geostrófica) contribuyeron de manera significativa a entender la dinámica de las LFAs. Los principales resultados de esta tesis se tratan como conjunto en una discusión general final donde también se comentan las limitaciones y se exploran las posibilidades de futuro. / Des de principis del segle vint, l’estudi dels estadis primerencs dels peixos i dels processos que influeixen en la seva supervivència forma part de l’oceanografia pesquera. La recerca dels patrons temporals i espacials del ictioplàncton fa possible entendre les relacions entre les condicions de l’ambient, la fase reproductiva dels adults i la dinàmica de supervivència i retenció dels estadis planctònics dels peixos. Els diferents processos físics i biològics que controlen la variabilitat (abundància, composició i distribució) en les comunitats de larves de peixos (d’aquí endavant LFA, de l’anglès larval Fish Assemblage) actuen a escales espacials i temporals molt diferents. Es fa necessari per tant mostrejar la mar amb la freqüència adient i a la escala espaitemporal adequada per avaluar aquests mecanismes. Aquest tipus d’estudi son escassos a les Illes Balears, punt d’interès de la biodiversitat i situades a un àrea de la Mediterrània extremadament dinàmica. Amb tot lo anterior en ment, l’objectiu principal d’aquesta tesi va ser augmentar el coneixement de la dinàmica de les LFA a la Mar Balear, a diferents escales espai-temporals. Es varen realitzar quatre aproximacions diferents. A l’escala temporal, es va avaluar la influencia de les condicions ambientals costaneres durant la transició primavera-estiu sobre les LFAs. Es varen realitzar mostreigs quinzenals de març a agost (pic de posta de la majoria de les especies de la zona) a tres estacions costaneres del sud de Mallorca. Les LFAs varen reflectir clarament la estacionalitat de la zona amb una alta abundància d’espècies però amb baixes densitats de larves a la primavera amb molta probabilitat relacionada amb la transició espacial (dins del pla vertical) del flux d’energia que segurament desencadena la posta estival de moltes especies properes al fons. A una escala menor que la mesoescala, es varen estudiar els factors que regulen els alts nivells de auto reclutament prèviament suggerits per el Parc Nacional de Cabrera. El nostre estudi atribueix la regulació de l’arribada de larves al àrea a una combinació de retenció pels patrons de circulació generats per la topografia al voltant de Mallorca i la dinàmica associada a un front de plataforma. També a escala inferior a mesoescala, vàrem examinar els agents responsables de la distribució del LFA a la badia de Palma a la costa sud de Mallorca. Es varen analitzar i interpretar la abundància i distribució horitzontal de les larves de peixos a la badia en el context dels patrons de circulació observats, l’habitat dels adults i les estratègies de posta. Mitjançant observacions amb un perfilador de corrents Doppler es va descriure la presencia de patrons retentius de circulació al mig de la badia que afavoreixen la acumulació de larves locals i el auto reclutament. Una aproximació multivariant basada en l’anàlisi de redundàncies (RDA) va revelar diferencies entre la comunitat de la badia formada per famílies bentopelàgiques i de petits pelàgics i una LFA d’espècies mes allunyades de costa, principalment mesopelàgics i grans pelàgics. Aquestes comunitats estaven estructurades segons variacions en profunditat de abundància de zooplàncton i romanien relativament separades degut a que els patrons de circulació a l’entrada de la badia separen la seva dinàmica interna de la circulació a la plataforma. A nivell de mesoescala vàrem investigar mitjançant dues campanyes a anys consecutius l’efecte que exerceixen dos escenaris hidrogràfics (que representen exemples d’escenaris molt contrastats l’un de l’altre característics de la dinàmica de mesoscale a l’estiu a l’arxipèlag) sobre les LFAs estiuenques a la zona. Sota ambdós escenaris, la fondària va resultar ésser la variable que millor explicava l’estructura de la comunitat i la seva diversitat. Tot i això, els indicadors d’activitat mesoscalar (alçada dinàmica i velocitat geostrofica) varen contribuir se manera significativa a entendre la dinàmica de les LFAs. Els principals resultat d’aquesta tesi es tracten com a conjunt a una discussió general final on també es comenten les limitacions i s’exploren les possibilitats de futur.
30

Caracterização de ondas extremas ao largo de Santa Catarina

Straioto, Karla Maria Goulart Tredezini 24 October 2012 (has links)
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Tecnológico, Programa de Pós-Graduação em Engenharia Ambiental, Florianópolis, 2009 / Made available in DSpace on 2012-10-24T18:58:41Z (GMT). No. of bitstreams: 1 274143.pdf: 3806993 bytes, checksum: 56534fe06090c63fd6c78c8fa77000d9 (MD5) / Este trabalho analisa aspectos estatísticos das alturas de ondas individuais da agitação marítima medidas pelo ondógrafo do LahHiMar/UFSC, ao largo de Santa Catarina, durante o período que se estende de 11/05/2004 à 07/05/2005. A teoria de Rayleigh é apresentada sucintamente e testada contra dados de campo. Ondas extremas são identificadas, averiguando-se a influência do tamanho do registro sobre a identificação das mesmas, e caracterizadas segundo parâmetros de empinamento e assimetria. Os testes indicam que a função densidade de probabilidade de Rayleigh ajusta-se bem ao histograma de alturas individuais. As relações entre alturas significativas e alturas médias teórica foi verificada nos dados. A teoria estatística (linear) de Rayleigh não apresentou resultados tão bons na previsão da probabilidade de ocorrência de ondas extremas, mas foi capaz de prever com um erro aceitável o valor da maior altura relativa (altura extrema/altura significativa) de onda esperada para o total de ondas individuais observado. Para o caso de Santa Catarina as ondas extremas identificadas geralmente são assimétricas e inclinadas para frente não mostrando tendência de o cavado ser maior do que a crista ou vice e versa.

Page generated in 0.076 seconds