• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 44
  • 3
  • 1
  • Tagged with
  • 48
  • 48
  • 12
  • 12
  • 11
  • 11
  • 10
  • 10
  • 10
  • 5
  • 5
  • 5
  • 5
  • 5
  • 5
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

[en] A SIMULATION–BASED VALIDATION STRATEGY TO I ASTERISK MODELS / [pt] UMA ESTRATÉGIA BASEADA EM SIMULAÇÃO PARA VALIDAÇÃO DE MODELOS EM I ASTERISCO

FILLIPE MACHADO PINTO NAPOLITANO 19 January 2010 (has links)
[pt] O entendimento da organização antes de iniciar o desenvolvimento dos sistemas organizacionais tem se mostrado bastante eficaz na elicitação de requisitos. Neste contexto, a utilização dos conceitos de intencionalidade através do Framework i asterisco tem sido amplamente empregada por pesquisadores e em algumas empresas. Porém, o uso do framework i asterisco para a modelagem da intencionalidade organizacional carrega a complexidade intrínseca dos modelos. Sendo assim, este trabalho tem como principal objetivo elaborar uma estratégia baseada em simulação para ajudar o engenheiro de requisitos a validar os modelos em i asterisco elicitados junto aos interessados, sem que os mesmos precisem absorver a complexidade inerente a esses modelos. São apresentados também os resultados obtidos com a aplicação desta estratégia em um estudo de caso. / [en] The understanding of the organization before starting the development of organizational systems has been very effective in requirements elicitation. In this context, the use of intentionality concepts through the i asterisk framework has been widely used by researchers and by some companies. However, the use of i asterisk framework to modeling organizational intentionality brings the inherent complexity of the models. Thus, this work has the main objective to develop a simulation–based strategy to help the requirements engineer to validate the i asterisk models elicitated with the stakeholders, without absorbing the inherent complexity of these models. We also present the results of the strategy implementation in a case study.
2

[en] GEMA, A NEW FRAMEWORK FOR PROTOTYPING, DEVELOPMENT AND INTEGRATION OF MULTIPHYSICS AND MULTISCALE SIMULATIONS IN MULTIDISCIPLINARY GROUPS / [pt] GEMA, UM NOVO FRAMEWORK PARA A PROTOTIPAÇÃO, DESENVOLVIMENTO E INTEGRAÇÃO DE SIMULAÇÕES MULTIFÍSICAS E MULTIESCALAS EM GRUPOS MULTIDISCIPLINARES

CARLOS AUGUSTO TEIXEIRA MENDES 29 August 2016 (has links)
[pt] A exploração e produção de petróleo é uma tarefa complexa onde a utilização de modelos físicos é fundamental para minimizar riscos exploratórios e maximizar o retorno do capital investido durante a etapa de produção dos campos descobertos. Com o passar do tempo, estes modelos vêm se tornando cada vez mais complexos, apresentando uma grande tendência de integração entre simuladores distintos e dando origem à necessidade de novas simulações multifísicas, onde modelos físicos isolados são resolvidos conjuntamente de maneira acoplada. Este trabalho apresenta o framework GeMA (Geo Modelling Analysis framework), uma biblioteca para suporte ao desenvolvimento de novos simuladores multifísicos, permitindo tanto o acoplamento de novos modelos construídos tendo o framework como base, quanto a integração com simuladores já existentes. Seu objetivo é promover a utilização de técnicas de engenharia de software tais como extensibilidade, reusabilidade, modularidade e portabilidade na construção de modelos físicos para engenharia, permitindo que engenheiros estejam livres para se concentrarem na formulação física do problema, uma vez que o framework se encarrega do gerenciamento de dados e das funções de suporte necessárias, agilizando a produção de código. Construído para auxiliar durante todo o fluxo de trabalho de uma simulação multifísica, a arquitetura do framework suporta múltiplos paradigmas de simulação e acoplamento de físicas, com especial ênfase no método de elementos finitos, sendo capaz de representar o domínio espacial através de múltiplas discretizações (malhas) e efetuar a troca de valores entre as mesmas. O framework implementa ainda conceitos importantes de extensibilidade, através do uso combinado de plugins e interfaces abstratas, bem como orquestração configurável e prototipação rápida através do uso da linguagem Lua. Além da descrição do framework, este trabalho apresenta ainda um conjunto de testes aplicados para testar sua corretude e expressividade, com especial ênfase em um modelo 2D de modelagem de bacias acoplando cálculo não linear de temperatura baseado em elementos finitos, compactação mecânica, maturação e geração de hidrocarbonetos. / [en] Petroleum exploration and production is a complex task where the use of physical models is imperative to minimize exploration risks and maximize the return on the invested capital during the production phase of new oil fields. Over time, these models have become more and more complex, giving rise to a tendency of integration between several simulators and the need for new multiphysics simulations, where single-physics models are solved together in a coupled way. This work presents the GeMA (Geo Modelling Analysis) framework, a library to support the development of new multiphysics simulators, allowing both the coupling of new models built with the framework as a base and the integration with pre-existing simulators. Its objective is to promote the use of software engineering techniques, such as extensibility, reusability, modularity and portability in the construction of engineering physical models, allowing engineers to focus on the physical problem formulation since the framework takes care of data management and other necessary support functions, speeding up code development. Built to aid during the entire multiphysics simulation workflow, the framework architecture supports multiple simulation and coupling paradigms, with special emphasis given to finite element methods. Being capable of representing the spatial domain by multiple discretizations (meshes) and exchanging values between them, the framework also implements some important concepts of extensibility, through the combined use of plugins and abstract interfaces, configurable orchestration and fast prototyping through the use of the Lua language. This work also presents a set of test cases used to assess the framework correctness and expressiveness, with particular emphasis given to a 2D basin model that couples FEM non-linear temperature calculations based on finite elements, mechanical compaction and hydrocarbon maturation and generation.
3

[en] MANAGERIAL SOFTWARES FOR SWITCH USE DECISIONS USING THE REAL OPTIONS THEORY / [pt] DESIGN DE UM FRAMEWORK PARA OPÇÕES REAIS COM INSTÂNCIA PARA AVALIAÇÃO DE PROJETOS UTILIZANDO OPÇÕES DE PAUSA, ABANDONO E DE TROCA POR UMA NOVA TECNOLOGIA.

ANA DRUCK MOSCATELLI 25 July 2002 (has links)
[pt] Essa dissertação de mestrado apresenta um estudo na Teoria de Opções Reais, um assunto ainda não muito conhecido da análise de projetos industriais, mas que vem sendo considerado como de extrema importância para a valoração e seleção de novos projetos. Esta teoria trata da incerteza, da flexibilidade e da capacidade do gerente em tomar decisões em projetos. No mundo atual, as interações competitivas e avanços tecnológicos ocorrem de forma acelerada. Companhias precisam ser flexíveis e reagir rapidamente a mudanças para evitar por em risco suas posições no mercado. A utilização de técnicas de análise tradicionais, que desconsideram a ação gerencial, tem levado grandes companhias a perder sua posição competitiva. O desenvolvimento da Teoria de Opções Reais em análise de projetos é, portanto, de grande importância na implantação de inovações. O objetivo desta dissertação é, com o estudo aprofundado do tema proposto, desenvolver um modelo abstrato (framework) a partir do qual é possível construir sistemas gerenciais que utilizem opções reais como ferramenta de análise. A partir desse modelo será desenvolvido um protótipo capaz de analisar opções reais de parada temporária (pausa), de abandono e de troca por uma nova tecnologia. Esse protótipo poderá determinar o valor de um projeto flexível (i.e.que permite mudanças ao longo de seu desenvolvimento) e o valor quantitativo da opção, ou seja, da ação gerencial. / [en] This Masters Thesis presents a research on the Real Options Theory, a subject not yet very well known to the industrial project analysis area but increasingly being considered of most importance to the pricing and selection of new projects. This theory deals with uncertainty, flexibility and the manager`s capability to take decisions about projects. Nowadays, the competitive interactions and the technological advances occur in a everincreasing pace. Corporations need to be flexible and rapidly react to changes in order to avoid endangering their established market positions. The use of traditional analysis techniques, which do not take into account the managements actions, has been making large corporations loose their competitive market positions. The further development of the Real Options Theory in the context of project analysis is, thus, of great importance to applying innovations. The objective of this thesis is to, with the deeper study of the subject at hand, conceive an abstract model (framework) that can be instantiated to management systems that utilize real options as an analysis tool. A prototype capable of analyzing pause, stop and switch use options will be developed as a proof of concept. The software will be able to determine the value of a flexible project (i.e. one that allows for changes along its life time) and the quantitative value of the option (management action).
4

[en] A METHOD AND A FRAMEWORK FOR EMPIRICAL PLANNING OF SELF-ORGANIZING SYSTEMS / [pt] UM MÉTODO E UM FRAMEWORK PARA O PLANEJAMENTO EMPÍRICO DE SISTEMAS MULTIAGENTES AUTO-ORGANIZÁVEIS

BRUNO DE CASTRO BAHIA ALVARENGA SOARES 19 March 2010 (has links)
[pt] Arquitetos de software têm optado cada vez mais por utilizar estratégias auto–organizáveis para o projeto de sistemas descentralizados dinâmicos e adaptativos, capazes de executar sem a interferência do usuário, administrador ou de outros sistemas. Esse processo de auto-organização muitas vezes resulta em comportamentos emergentes imprevistos, resultantes da interação entre os agentes do sistema. Comportamentos emergentes podem ser tanto benéficos quanto prejudiciais à execução e organização do sistema. Por esse motivo, um sistema multiagente auto-organizável só será utilizado em domínios de problema que envolvam qualquer tipo de risco - tais como indústrias, hospitais, equipamentos militares, etc. - se houver a possibilidade de garantir que ele será capaz de cumprir os seus objetivos de projeto. Entretanto, essa garantia não é simples de ser obtida, uma vez que é impossível mapear todas as possibilidades de comportamento de um sistema modelado através da interação de agentes. Algumas abordagens já foram propostas, mas suas aplicações normalmente são extremamente complexas. Portanto, este trabalho apresenta um novo método para a verificação experimental de sistemas multiagentes auto- organizáveis, evoluindo a técnica empírica de verificação proposta por Kevrekidis e complementando-a através de uma abordagem autonômica integrada à simplicidade da verificação dos planejadores em tempo-real. Como resultado, apresenta-se um framework para o projeto, verificação e simulação de sistemas multiagentes. / [en] Software architects have been recently adopting self-organizing strategies to design dynamic and adaptive decentralized systems capable of executing without interference from the user, from the administrator or from other systems. This self-organization process usually results in unpredicted emergent behaviors resulting from the interaction between the agents. Emergent behaviors can be beneficial or harmful to the system execution and organization. Because of this, multiagent systems will only be adopted into domains that involve risk - like industries, hospitals, military equipments, etc. - if one can guarantee that it will be able to fulfill its design goals. However, it is not easy to guarantee this, since it is impossible to map all the possible behaviors of a system modeled through agent interaction. Some approaches have already been proposed, but their use is usually extremely complex. Therefore, this work presents a new method for the experimental verification of self-organizing multiagent systems, evolving the empiric verification technique proposed by Kevrekidis and complementing it through an autonomic approach linked to the simplicity of the verification through online planners. As a result, a framework for designing, verifying and simulating multiagent systems is presented.
5

[en] CRITICAL FACTORS FOR THE PRACTICE OF AGILE VALUES IN INFORMATION TECHNOLOGY TEAMS / [pt] FATORES CRÍTICOS PARA A PRÁTICA DE VALORES ÁGEIS EM EQUIPES DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

RAFAEL SABBAGH ARMONY 15 September 2010 (has links)
[pt] O uso de metodologias Ágeis vem se popularizando no mercado de projetos de tecnologia da informação (TI) como uma alternativa bem-sucedida às práticas e metodologias tradicionais, que muitas vezes não são adequadas ao cenário de mudanças e de trabalho criativo de projetos de TI, e assim vem sendo responsabilizadas pelo alto índice de fracasso em projetos que as aplicam nessa área. No entanto, a prática dos valores Ágeis por equipes de TI, essenciais para o sucesso no uso das metodologias e frameworks Ágeis, pode representar uma quebra de paradigma de difícil realização para a maioria das equipes. Este trabalho teve como objetivo a identificação e a análise dos principais fatores que facilitam e dos principais fatores que dificultam a prática de valores Ágeis por equipes no desenvolvimento de sistemas de TI, na perspectiva de membros e líderes dessas equipes, e as condições que influenciam a manifestação desses fatores. Para tal, foi realizado um estudo fenomenográfico, utilizando-se de entrevistas semi-estruturadas com membros e líderes de equipes Ágeis de desenvolvimento de sistemas de TI do Brasil. Os fatores críticos, uma vez identificados, foram classificados e analisados utilizando-se referências teóricas da Administração com ênfase na teoria da Produção Enxuta, complementada por teorias de trabalho em equipes autogerenciadas, de motivação no trabalho, de relacionamento com o cliente e de participação do cliente na prestação do serviço. / [en] The use of Agile methodologies is gaining popularity in the information technology (IT) project market as a successful alternative to traditional practices and methodologies, which are often not appropriate to the scenario of change and creative work of IT projects, and this way have been blamed for the high rate of failure in projects that apply them in that area. However, the practice of Agile values by IT teams, essential for the successful use of Agile methodologies and frameworks, may represent a paradigm shift of difficult achievement for most teams. This study aimed to identify and analyze the main factors facilitating and main factors hindering the practice of Agile values by IT system development teams, from the perspective of members and leaders of these teams, and the conditions that influence the manifestation of these factors. To this end, we performed a phenomenographic study, using semi-structured interviews with members and team leaders of Agile IT system development teams from Brazil. The critical factors, once identified, were classified and analyzed using theoretical references of Business Administration with an emphasis on the theory of Lean Production, complemented by theories of self-managed work teams, motivation at work, customer relations and customer participation on service production.
6

[en] AN INFRASTRUCTURE FOR ONTOLOGY-BASED MATCHMAKING / [pt] UMA INFRA-ESTRUTURA PARA MATCHMAKING BASEADO EM ONTOLOGIAS

LUIS GUSTAVO FERRAO 03 May 2005 (has links)
[pt] Matchmaking pode ser entendido, de forma bem geral, como um processo de busca dos possíveis casamentos entre demandas e ofertas, em um dado domínio de aplicação. Esse trabalho define uma infra- estrutura de software para matchmaking, cujas instâncias do domínio estão descritas com base numa ontologia qualquer. A infra-estrutura proposta é composta por dois componentes: o framework Matching Module, que define uma plataforma flexível e extensível para tratar processos de matchmaking de forma independente de domínio, e a OntoAPI, uma API de serviços de acesso a dados anotados semanticamente, que utilizem RDF, RDFS ou OWL como linguagens de descrição. / [en] Matchmaking should be understood, in a general way, as a search process for matchings between demand and supply requests within an application domain. This work defines a matchmaking software infrastructure whose domain instances are described in terms of an ontology. The proposed infrastructure has two major components: the framework Matching Module, which defines a flexible and extensible platform for dealing with matchmaking process, independently of the domain, and the OntoAPI, an API providing access services to semantically annotated data, that use RDF, RDFS or OWL as description languages.
7

[en] ARCHITECTURAL DESCRIPTION OF THE QOS PROVISION IN GENERIC PROCESSING AND COMMUNICATION ENVIRONMENTS / [pt] DESCRIÇÃO ARQUITETURAL DA PROVISÃO DE QOS EM AMBIENTES GENÉRICOS DE PROCESSAMENTO E COMUNICAÇÃO

CARLOS DE SALLES SOARES NETO 19 December 2003 (has links)
[pt] O aumento da demanda por plataformas com suporte a aplicações multimídia torna evidente a importância de mecanismos que ofereçam garantias de Qualidade de Serviço (QoS), uma vez que cada mídia exige requisitos próprios de processamento e comunicação. O modelo SCM (Service- Composition Model) fornece abstrações adequadas para a representação e programação de aspectos de QoS e comunicação em grupo em serviços de comunicação. Seguindo sua terminologia, a provisão de QoS pode ser vista como um provedor de serviços onde atuam meta serviços de negociação e sintonização de QoS. A negociação de QoS define mecanismos responsáveis pela admissão de novos fluxos do usuário, enquanto a sintonização de QoS age, durante o fornecimento do serviço, na manutenção do nível de serviço negociado. Tais meta serviços já foram previamente descritos por meio de frameworks em UML. O presente trabalho focaliza a descrição arquitetural desses meta serviços, utilizando a linguagem de descrição de arquitetura (ADL) Wright, permitindo o emprego de suas ferramentas de análise e verificação formal para inferir propriedades. Para facilitar o emprego dessa abordagem através do uso de uma notação mais próxima do domínio do problema, uma linguagem de domínio específico (DSL) chamada LindaQoS é proposta especificamente para definir hierarquias de subsistemas de negociação e sintonização. O trabalho é complementado por um compilador que traduz especificações LindaQoS para descrições arquiteturais (atualmente, usando Wright) e para linguagens de programação (futuramente em JAVA). / [en] The increased demand for platforms with support for multimedia applications raised the importance of mechanisms for Quality of Service provisioning, since each media has its own processing and communication requirements. SCM Model (Service-Composition Model) provides abstractions for the representation and programming of QoS aspects and multicast in communication services. According to its terminology, the QoS provisioning can be seen as a service provider, where QoS negotiation and QoS maintenance meta services act upon it. The QoS negotiation are the mechanisms responsible for the admission of new user flows, while the QoS maintenance meta service is responsible for maintaining the negotiated level of service during the service operation. Such meta services had been previously described as frameworks modelled in UML. The present work focuses on the architectural description of these meta services using Wright architecture description language (ADL), which allows the use of its analysis and formal verification tools to infer properties. To smooth this approach, a domain-specific language (DSL) called LindaQoS is proposed as a notation closest to the abstraction level of the problem domain, specifically designed to define hierarchies of negotiation and maintenance subsystems. Moreover this work presents a compiler allowing the translation of LindaQoS specifications into architectural descriptions (currently, using Wright) and into programming languages (JAVA in the future).
8

[en] IDENTIFYING OBJECTS THROUGH PRONOUNS / [pt] IDENTIFICANDO OBJETOS ATRAVÉS DE PRONOME

SYLVIA DE OLIVEIRA E CRUZ 24 October 2003 (has links)
[pt] A necessidade de se conhecer o identificador de um objeto para solicitar seus serviços é uma restrição à utilização de orientação a objetos na construção de sistemas grandes e complexos. Para minimizar esta restrição, foi proposta uma forma de se referenciar a um determinado objeto através de uma identificação genérica, denominada pronome. Pronomes permitem que o programador especifique o envio de uma mensagem sem que o objeto destino seja nominalmente conhecido neste contexto. Com pronomes, a visibilidade de um objeto aumenta sem que regras de encapsulamento e visibilidade sejam quebradas. Desta forma, classes servidoras completamente desacopladas de seus clientes podem ser construídas e utilizadas em diferentes contextos. Neste trabalho, exploram-se pronomes já definidos anteriormente, dando a estes um novo tratamento através de linguagens abertas, e definem-se novos pronomes. O conjunto de pronomes obtido facilita a implementação de arquiteturas e padrões de projeto de relevância, sendo também abrangente no que diz respeito às características dos objetos representados por seus pronomes. Define-se ainda, a partir da experiência adquirida com a implementação dos pronomes, um framework para a definição e implementação de novos pronomes. Este framework é ainda aqui instanciado para dois novos pronomes a fim de validá-lo. / [en] The need to know the object identification to request it s services is a estriction in the construction of object oriented system. To reduce this restriction we have proposed a form of generic reference to an object named pronoum. Pronouns allow the programmer to specify how to send a message without knowing the destination object by name. With pronouns, the visibility of an object increases without breaking the rule of encapsulation. With this feature decoupled server classes may be constructed and used in different contexts. This work define some pronouns, show its utilities through of examples and suggest a framework to new pronouns creation.
9

[en] AUTOMATED TEST FOR OPEN MULTI-AGENT SYSTEMS IMPLEMENTED WITH MLAW MIDDLEWARE / [pt] TESTE AUTOMATIZADO PARA SISTEMAS MULTIAGENTES ABERTOS IMPLEMENTADOS COM O MIDDLEWARE M-LAW

LUIZ FERNANDO CHAGAS RODRIGUES 30 January 2007 (has links)
[pt] A complexidade e a distribuição de sistemas multiagentes tornam seu desenvolvimento muito sujeito a falhas. Ao mesmo tempo, poucas iniciativas procuram resolver o problema através de teste automatizado da mesma maneira que no desenvolvimento orientado a objetos. Este trabalho apresenta um framework para o desenvolvimento de aplicações de teste automatizado através de agentes Stubs para o middleware M-Law. O middleware implementa um interpretador para a linguagem XMLaw, atuando como mediador da comunicação dos agentes segundo a definição das leis de interação. / [en] Complexity and distribution of multi-agent systems make the development of such systems failure prone. In this context, few solutions try to solve the problem through automated tests as we see in object oriented development. This work presents a framework for test automated applications development through the use of Stub agents for the middleware M-Law. This middleware implements the law-enforcement mechanism for regulating OMAS specified by the description language XMLaw which implements a law definition language, called XMLaw, for agent interaction in open multi-agent systems.
10

[en] ISSUENET: A FRAMEWORK FOR COLLABORATIVE TASK ASSESSMENT / [pt] ISSUENET: UM FRAMEWORK PARA AVALIAÇÃO COLABORATIVA DE TAREFAS

TATIANA ESCOVEDO 19 February 2008 (has links)
[pt] Atualmente, o mercado de trabalho é caracterizado por globalização, forte competição, rápidas mudanças, crescente fluxo e obsolescência de informações e exigentes padrões de qualidade e de produtividade. Para acompanhar estas transformações, portanto, a escola também precisa evoluir do modelo clássico para a Aprendizagem Colaborativa, a fim de formar indivíduos capazes de se comunicar, trabalhar em grupo na resolução de problemas complexos e interdisciplinares, coordenar o trabalho individual e do grupo, e tomar as melhores decisões. Esta pesquisa investiga especificamente a avaliação colaborativa em grupos de trabalho e de aprendizagem, e propõe o IssueNet, um Framework de colaboração para acompanhamento e avaliação colaborativa de tarefas. Para validar a contribuição do Framework na avaliação colaborativa, e investigar que outras influências a sua utilização exerce em grupos de trabalho ou de aprendizagem, foram realizados dois estudos de caso com duas instâncias distintas do IssueNet. Após a análise dos estudos de caso e dos depoimentos dos participantes, concluiu-se que o Framework atendeu às expectativas de possibilitar a avaliação colaborativa em grupos de trabalho ou aprendizagem. / [en] Currently, the business market is characterized by globalization, strong competition, fast changes, increasing flow and obsolescence of information and demanding quality standards and productivity. To follow these transformations, the school also needs to evolve from the classical model to Collaborative Learning, in order to form individuals capable to communicating, working in group for the resolution of complex and interdisciplinary problems, coordinating the individual work and that of the group, and taking the best decisions. This research specifically investigates the collaborative evaluation in learning and working groups, and proposes IssueNet, a collaboration Framework for the management and collaborative evaluation of tasks. To validate the contributions brought about by the Framework, and to investigate what other influences it may have on learning or working groups, two case-studies using two distinct IssueNet instances have been carried through. After the analysis of the casestudies and of the based on the comments of the participants, we have concluded that the Framework satisfies our expectations by making it possible the collaborative evaluation in learning or working groups.

Page generated in 0.0555 seconds