• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 29
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 1
  • 1
  • Tagged with
  • 31
  • 8
  • 7
  • 5
  • 5
  • 5
  • 4
  • 4
  • 4
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Caracterizaçãoo e delimitação do genero Micranthocereus Backeb : (Cactaceae) baseadas em caracteres morfologicos e moleculares

Aona, Lidyanne Yuriko Saleme 03 October 2003 (has links)
Orientadores: Maria do Carmo E. Amaral, Daniela C. Zappi / Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Biologia / Made available in DSpace on 2018-08-03T17:25:44Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Aona_LidyanneYurikoSaleme_M.pdf: 22494006 bytes, checksum: 9f19d22a50491b1013868ef2a72b79e4 (MD5) Previous issue date: 2003 / Resumo: O gênero Micranthocereus Backeb. (Cactaceae) é endêmico do Brasil e inclui nove espécies distribuídas nos Estados de Minas Gerais, Bahia, Goiás e Tocantins. Os objetivos do presente estudo foram investigar o monofiletismo do gênero Micranthocereus com base em caracteres morfológicos e macromoleculares; determinar as relações filo genéticas entre as espécies do gênero em questão com gêneros próximos dentro da tribo Cereeae, visando investigar sua posição dentro da tribo; e reavaliar caracteres morfológicos tradicionalmente utilizados para delimitar taxa dentro da tribo Cereeae. Foram investigados caracteres morfológicos e macromoleculares a partir do seqüenciamento da região trnL-F do DNA de cloro pias to para 10 táxons representando quatro gêneros, incluindo também Cereus, Pilosocereus, Coleocephalocereus e Melocactus. Urna espécie de Cereus foi incluída como grupo externo na análise cladística baseada em caracteres macromoleculares e urna espécie de Pilosocereus para análise morfológica. As matrizes foram analisadas sob o critério de parcimônia. Os resultados obtidos não confirmam o monofiletismo do gênero Micranthocereus, que é indicado pela constante inclusão de Coleocephalocereus dentro de Micranthocereus. Os clados não são fortemente sustentados na análise de 'bootstrap' e a extrema variação de caracteres morfológicos encontrada dentro do gênero demonstra a dificuldade na sua delimitação e no seu posicionamento dentro da tribo Cereeae, impossibilitando no momento, qualquer mudança taxonômica para o gênero. Foi também investigada a biologia floral de duas espécies endêmicas da Bahia, Micranthocereus streckeri e Micranthocereus flaviflorus. As flores das duas espécies têm coloração rósea (M. flaviflorus) a rósea intenso (M. streckeri) e apresentam antese diurna, com duração de cerca de 36 horas. O néctar é produzido e armazenado na câmara nectarífera, localizada no interior do tubo floral e a concentração de açúcares varia de 18 a 24%. Ambas as espécies apresentam características típicas de flores polinizadas por aves e são visitadas e polinizadas pela mesma espécie de beija-flor, Clorostilbon aureoventris / Abstract: Micranthocereus Backeb. is a genus of Cactaceae endemic to Brazil and inc1udes nine species distributed in the states of Minas Gerais, Bahia, Goiás and Tocantins. The goals of the present study were to investigate the monophyly of the genus based on morphological and macromolecular characters and its relationships to the members of the tribe Cereeae; to investigate the phylogenetic relationships between the species and to reevaluate the traditional morphological characters used to define taxa within the tribe Cereeae. The cladistics analysis was basead on morphological characters and sedan sequence data (of the region trnL-F of the chloroplastid) for 10 taxa representing four genera, including Cereus, Pilosocereus, Coleocephalocereus and Melocactus. One species of Cereus was included as outgroup in the cladistic analysis based on macromolecular characters while a species of Pilosocereus was used as outgroup for the morphological analysis. The matrixes were analysed using the maximum parsimony criterium. The results do not confirm the monophyly of the genus Micranthocereus due to constant inclusion of Coleocephalocereus within Micranthocereus. The c1ades obtained, however, are not strongly supported by the bootstrap analysis. The extreme variation of morphological characters within the genus, impedes its delimitation and the classification of its position within tribe Cereeae. Therefore it is not possible to propose any taxonomic change to Micranthocereus based on the present studies. Floral biology of two endemic species from Bahia, Micranthocereus streckeri and Micranthocereus f/iwiflorus, was also investigated. The flowers of these species vary from pinkish (M. flaviflorus) to deep pink (M.streckeri), their anthesis occurs during daytime, and each flower lasts around 36 hours. The nectar is produced and stored in the nectar chamber within the floral tube, and the sugar concentration varies between 18 and 24%. Both species present typical characters associated with bird pollinated flowers and are visited and pollinated by the same species of hummingbird, Clorostilbon aureoventris / Mestrado / Mestre em Biologia Vegetal
2

Ecologia de Discocactus zehntneri subsp. boomianus (Cactaceae) em Afloramento Rochoso do Semi-Árido Baiano (Brasil)

Oliveira, João Paulo Loyola 23 August 2013 (has links)
Submitted by Mendes Eduardo (dasilva@ufba.br) on 2013-08-16T21:01:55Z No. of bitstreams: 1 Dissertação João Paulo Loyola de Oliveira.pdf: 1600092 bytes, checksum: 7fe715f0f5904891f97814cda3c9aef9 (MD5) / Approved for entry into archive by Alda Lima da Silva(sivalda@ufba.br) on 2013-08-23T21:55:27Z (GMT) No. of bitstreams: 1 Dissertação João Paulo Loyola de Oliveira.pdf: 1600092 bytes, checksum: 7fe715f0f5904891f97814cda3c9aef9 (MD5) / Made available in DSpace on 2013-08-23T21:55:27Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Dissertação João Paulo Loyola de Oliveira.pdf: 1600092 bytes, checksum: 7fe715f0f5904891f97814cda3c9aef9 (MD5) / Fapesb / Os estudos de padrões espaciais se tornaram muito importantes em ecologia de populações nas duas últimas décadas, com desenvolvimento de ferramentas muito sofisticadas de análise. A organização espacial das interações e dos processos ecológicos se tornou, em si mesmo, um vasto campo de pesquisa teórica, em que se evidencia o papel central do próprio espaço. Algumas das principais abordagens tratam de efeitos do arranjo espacial de elementos de uma paisagem em mosaico sobre a conectividade funcional em uma população (migração, dispersão de pólen e sementes, etc.); o papel da complexidade espacial na estabilização de interações e persistência de espécies com interações antagônicas; a dinâmica de expansão de invasões associadas ao rompimento de barreiras à dispersão protagonizadas por agentes antrópicos; e, finalmente, os mecanismos internos às populações que afetam o espaçamento ou grau de agregação de seus indivíduos (Tilman & Kareiva 1997). Esse estudo trata basicamente de mecanismos que afetam o espaçamento dentro das manchas populacionais distribuídas sobre matriz rochosa. Estudos teóricos indicam que vários padrões dinâmicos ou estáticos podem resultar de uma variedade de interações locais combinadas com a dispersão, mesmo num ambiente uniforme. Também demonstram que padrões em uma escala espacial podem resultar de processos operando em outra escala. Em contrapartida, a percepção simples de que as probabilidades de interações (importantes) entre indivíduos em uma população devem ser uma função da distância resultará em importantes formulações teóricas que exploram o caráter discreto (patchy) do espaço (Levin & Pacala 1997). Esse grande avanço teórico ainda não foi acompanhado por análises empíricas correspondentes. Aqui será feito um estudo empírico do espaçamento entre indivíduos, em diferentes escalas espaciais, partindo da caracterização do próprio padrão espacial e dos mecanismos com maior influência aparente sobre o espaçamento da espécie de interesse. Muitos são os mecanismos capazes de influenciar a dinâmica espacial das populações vegetais, e parecem não agir isoladamente. Esses são relacionados com interações planta-animal (p.e. polinização, Aizen & Feinsinger 1994, dispersão, Willson & Traveset 2000 e herbivoria, Packer & Clay 2003), relações competitivas ou de facilitação, intra ou inter-específicas entre as plantas (Barton 1993, Fowler 1995, Flores & Jurado 2003), a variabilidade e disponibilidade de hábitat e micro-hábitats (Kadmon & Shmida 1990, Barton 1993), também revelam grande importância nesse aspecto. A interação de facilitação ocorre em muitos tipos vegetacionais, mas se destaca em ambientes de estresse abiótico. Essa interação pode influenciar no padrão de distribuição, produtividade, diversidade e reprodução das espécies de uma comunidade vegetal (Callaway, 1995). Os mecanismos envolvidos na facilitação proporcionam melhoria de fatores ambientais, isso proporciona maiores condições para o estabelecimento de outras plantas da mesma espécie ou de outras espécies. Esses mecanismos segundo Callaway (1995), podem influenciar de muitas formas no desenvolvimento promovendo modificação dos recursos: luz, temperatura, umidade do solo, nutrientes do solo, oxigenação do solo; modificação do substrato; proteção contra herbívoros; polinização; concentração de propábulos; micorrizas, e indivíduos no solo. Nos ambientes semi-áridos, a ocorrência de processos de facilitação em plantas parece ser relativamente comum, provavelmente porque, com mais freqüência, confere vantagens adaptativas que superam os riscos associados da competição intra ou interespecífica. A facilitação, conhecida também como interação nurse-protégé (Cody 1993), nessa interação sementes e/ou indivíduos jovens se beneficiam de um micro-ambiente formado por plantas adultas facilitadora ou enfermeira. Se a facilitação ocorre intraespecificamente e, mais especificamente, promovida pela planta-mãe, trata-se da formação do sítio materno segundo a hipótese de Ellner & Shmida (1981), que prevê riscos maiores de recrutamento associado à dispersão a longas distâncias, em virtude da imprevisibilidade do ambiente quanto a outros sítios de recrutamento longe da planta-mãe, principalmente em ambientes xéricos (Escudero et al. 1999, 2000). Flores & Jurado (2003) revisaram a ocorrência da facilitação em ambientes áridos, e propuseram cinco hipóteses para ocorrência dessas interações, das quais quatro foram sustentadas por estudos de caso com cactáceas. Partes vegetativas de algumas plantas funcionam mecanicamente como armadilhas de sementes e, com isso, oferecem sítios de deposição e desenvolvimento de novos indivíduos, como no gênero Opuntia (Yeaton 1978). Como nos ambientes áridos o desenvolvimento sob condições expostas e de insolação intensa é particularmente crítico durante a fase de plântula ou juvenil, várias espécies se beneficiam com a maior umidade e sombreamento nas proximidades de facilitadoras: nessa interação os gêneros Carnegiea e Neobuxbaumia (Turner et al. 1966, Valiente-Banuet & Ezcurra 1991) estão envolvidos. Plantas que promovem proteção contra herbivoria, pastejo e inclusive pisoteio foram registradas na família Cactaceae (McAuliffe 1984) no gênero Opuntia (Cody 1993, Rebollo et al. 2002). Por fim, em solos pouco profundos de regiões áridas, algumas plantas facilitadoras contribuem para aumentar o aporte de nutrientes e, com isso, beneficiam o desenvolvimento de outras plantas nas imediações. Entre as cactáceas podemos citar os gêneros Carnegiea, Ferocactus e Pachycereus (Franco & Nobel 1989, Carrillo-García et al. 2000). A forma de dispersão de sementes também tem influência sobre o espaçamento dos indivíduos nas populações de plantas (Howe & Smallwood 1982). O potencial de colonização de novas áreas tende a ser maior em espécies que possuem sementes adaptadas à dispersão pelo vento (anemocoria) ou por vertebrados (zoocoria), como aves e mamíferos. Espécies com auto-dispersão explosiva (balocoria) e espécies dispersas por formigas (mirmecocoria) são menos eficientes na colonização de novas áreas e estão predispostas à distribuição agregada (Willson & Traveset 2000). Por sua vez, a hidrocoria promove principalmente padrões de dispersão aleatórios e/ou a longas distâncias (Howe & Smallwood 1982, Willson & Traveset 2000), que variam com o tipo de topografia e presença de barreiras ao fluxo de água. Na família Cactaceae, que apresenta frutos do tipo baga, observa-se o predomínio de dispersão zoocórica. Esses frutos carnosos, com alto teor de água, atraem animais vertebrados e invertebrados nesses ambientes de baixa oferta hídrica. Nas cactáceas das caatingas, a mirmecocoria foi observada em Cereus jamacaru, Melocactus bahiensis, Opuntia palmadora, Pilosocereus gounellei, P. piauhiensis e P. pachycladus. As sementes dessas espécies não têm elaissomos, típicos da síndrome de mirmecocoria, mas são removidas dos frutos e levadas até os ninhos pelas formigas (Leal 2003, Leal et al. 2007). A saurocoria (dispersão por lagartos) foi registrada em Opuntia inamoena e O. palmadora (Griz & Machado 2001). Três espécies de lagartos foram registradas consumindo frutos de Melocactus glaucescens e M. paucispinus, explorados também por formigas (Fonseca 2004). Em campo rupestre, no semi-árido, aves frugívoras foram identificadas como potenciais dispersoras de sementes de Stephanocereus luetzelburgii (Faustino & Machado 2006). É provável que a importância relativa de diferentes dispersores como lagartos, roedores, aves e formigas varie com o tipo de hábitat nas caatingas, como Montiel & Montana (2003) constataram na dispersão de sementes de Opuntia rastrera no deserto Chihuahuan. Esses dois mecanismos, facilitação e dispersão de sementes, propulsores da dinâmica espacial da espécie focal, que influenciam a densidade e tamanho populacional, podem apresentar efeitos indiretos no sucesso reprodutivo das plantas. Vários estudos têm demonstrado que a densidade e o tamanho de populações naturais produzem variações no sucesso reprodutivo em plantas (Roll et al. 1997, Molina-Montenegro & Cavieres 2006, Metcalfe & Kunin 2006, Aizen & Feinsinger 1994, Morgan 1999, Ry et al. 2000, Kolb & Lindhorst 2006), cujos mecanismos subjacentes podem ser as interações diretas entre as próprias plantas ou os efeitos indiretos sobre a atratividade e atividade de vetores de pólen e dispersores de sementes. A espécie focal, Discocactus zehntneri subsp. boomianus (Buining & Brederoo) N. P. Taylor & Zappi, Cactaceae endêmica do Município de Morro do Chapéu, no semi-árido brasileiro. Destaca-se por apresentar sistema reprodutivo sexuado e assexuado. Na maioria das vezes, os brotos da reprodução assexuada permanecem próximos à planta-mãe, após a emancipação, e se misturam aos indivíduos de origem germinativa, que também ficam densamente concentrados, em virtude do padrão de dispersão de suas sementes. Os indivíduos possuem pequeno porte e corpo globoso. Os adultos possuem cefálio, estrutura formada por tricomas lanosos por onde emergem flores brancas tubulares (2,5 cm) de odor adocicado e antese noturna. Dois vetores se destacam na polinização, esfingídeos e coleópteros (Oliveira & Ramalho n.p.). Os frutos são do tipo baga indeiscente, com coloração que varia do branco ao vermelho vivo. Os frutos possuem em média 118 (±45) sementes, globulares com ornamentações mamilares, pequenas com dimensões médias de 1,34 mm de largura, 1,48 mm de altura com estreitamento na base com ca. 1,15mm (Figura 1A - artigo 1). Esse Discocactus se distribui em populações em manchas populacionais, os indivíduos apresentam graus variados de agregação e estruturação espacial aparente. As porções de hábitats se distribuem em áreas de endemismo, entre as coordenadas geográficas 11º 29’ S e 41º 20’ W e 11º 28’ S 41º 22’ W, no município de Morro do Chapéu, Chapada Diamantina-Bahia (Figura 1- artigo 2). As altitudes variam entre 700 e 900 metros e as declividades entre 2 e 9 graus. Devido à topografia as áreas estão submetidas a diferentes domínios climáticos: Semi-árido quente (BSh) e Tropical de altitude com verão quente (Cwa), segundo a classificação de Köppen (1936), com temperaturas médias anuais de 21- 22ºC e 20-21ºC e pluviosidades anuais de 600mm e 700mm, respectivamente (Rocha & Costa 1995). Essas áreas contêm flora xerófila de baixo porte, que recobre de maneira esparsa e descontínua os solos rasos e pouco intemperizados, entre afloramentos areníticos (Rocha & Costa 1995). Nas maiores altitudes (900m) a vegetação típica de campos rupestres. Como o local deste estudo se encontra em área de transição, optou-se por usar um termo mais neutro, no caso “vegetação rupestre”. O processo de facilitação pode ter um papel importante sobre o recrutamento bem sucedido e, portanto, sobre o padrão espacial da população. Em Cactaceae, dependo do grupo ou espécie, tem se identificado um conjunto variado de agentes dispersores de sementes, cujos efeitos sobre a dispersão espacial ainda são pouco compreendidos. Em seguida, o estudo analisa comparativamente de que maneira o sucesso reprodutivo se relaciona com a densidade, quantidade de indivíduos e estrutura espacial local nas manchas populacionais. Em última análise, a questão é se existe um componente espacial associado às variações de sucesso reprodutivo entre indivíduos em uma população. Esse trabalho teve por objetivo discutir a influência dos processos de facilitação e de dispersão sobre as seguintes características populacionais de Discocactus zehntneri subsp. boomianus: padrão de distribuição espacial, tamanho e densidade. Por fim, avaliar a influência da variação nessas características populacionais sobre o sucesso reprodutivo. / Salvador, Bahia
3

Atividades biológicas de metabólitos de cactaceae e Micrococcus luteus

OLIVEIRA, Louise Melo de Souza 29 May 2017 (has links)
Submitted by Pedro Barros (pedro.silvabarros@ufpe.br) on 2018-09-13T21:32:55Z No. of bitstreams: 2 license_rdf: 811 bytes, checksum: e39d27027a6cc9cb039ad269a5db8e34 (MD5) TESE Louise Melo de Souza Oliveira.pdf: 1478143 bytes, checksum: 5477c219843e225280059e0100acaa49 (MD5) / Rejected by Alice Araujo (alice.caraujo@ufpe.br), reason: Por favor, atualizar com novo arquivo que está no banco. Obrigada! on 2018-09-25T22:03:27Z (GMT) / Submitted by Pedro Barros (pedro.silvabarros@ufpe.br) on 2018-09-25T22:15:31Z No. of bitstreams: 2 license_rdf: 811 bytes, checksum: e39d27027a6cc9cb039ad269a5db8e34 (MD5) TESE Louise Melo de Souza Oliveira.pdf: 1697579 bytes, checksum: 37970b02f8a78c64db77c1f4f7dded6f (MD5) / Approved for entry into archive by Alice Araujo (alice.caraujo@ufpe.br) on 2018-09-25T22:18:05Z (GMT) No. of bitstreams: 2 license_rdf: 811 bytes, checksum: e39d27027a6cc9cb039ad269a5db8e34 (MD5) TESE Louise Melo de Souza Oliveira.pdf: 1697579 bytes, checksum: 37970b02f8a78c64db77c1f4f7dded6f (MD5) / Made available in DSpace on 2018-09-25T22:18:05Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license_rdf: 811 bytes, checksum: e39d27027a6cc9cb039ad269a5db8e34 (MD5) TESE Louise Melo de Souza Oliveira.pdf: 1697579 bytes, checksum: 37970b02f8a78c64db77c1f4f7dded6f (MD5) Previous issue date: 2017-05-29 / FACEPE / Caatinga é um bioma com características distinta, encontrada apenas no território brasileiro, onde são encontradas muitas espécies endêmicas. A busca por novas moléculas biotivas é crescente, e os produtos naturais desempenham um papel significativo na procura por novos agentes terapêuticos. As Cactaceas que sobrevivem no ambiente da caatinga possuem adaptações anatômicas, fisiológicas e consequentemente modificações no metabolismo secundário. Micrococcus luteus é uma actinobactéria produtora do carotenoide amarelo, sarcinaxantina, esses pigmentos têm importantes funções biológicas, principalmente antioxidante. Neste contexto esse trabalho teve o objetivo de realizar uma revisão bibliográfica da família Cactaceae, analisar a atividade antimicrobiana e antioxidante de Cereus jamacaru, e identificar o pigmento carotenoíde de M. Luteus. Realizou-se um levantamento das espécies das cactaceas encontradas na região de Caatinga do Brasil, através de uma análise fitoquimica e farmacológica, evidenciando as principais atividades biológicas já descritas para essa família. Apesar do número reduzido de trabalhos observou-se que este grupo possui atividade antimicrobiana, antiviral, antiparasitária e antioxidante. Cereus jamacaru (mandacaru) é uma espécie pouco estudada do ponto de vista químico e farmacológico. Neste trabalho foi encontrado, em extrato metanólico, a presença de flavonoídes, fenilpropanoídes, monoterpenos, triterpeno e esteroides, possuindo atividade bactericida contra: Streptococcus mutans, Streptococcus salivarius, Streptococcus sanguis, Streptococcus mitis, Escherichia coli e Staphylococcus aureus. Apresentou também atividade antioxidante pelo método DPPH (2,2- difenil-1-picril-hidrazila) e ABTS(2,2-azino-bis-(3-etil-benzotiazolina-6-ácido sulfônico). Duas cepas de M. luteus foram isolados do solo e identificadas por análises bioquímicas e moleculares. O pigmento foi caracterizado através de Cromatografia Líquida de Alta Eficiência (HPLC) e identificado como sarcinaxantina. Verificou-se também que este carotenoide possui atividade antioxidante, antimicrobiana e fator de proteção solar. / Caatinga is a biome with distinct characteristics, found only in Brazilian territory, and many endemic species are found. The search for new bioactive molecules is increasing, and natural products play a significant role in the search for new therapeutic agents. Cactaceae that survive in the caatinga environment have anatomical, physiological and consequent modifications in secondary metabolism. Micrococcus luteus is an actinobacterium producing the yellow carotenoid, sarcinaxanthin, these pigments have important biological functions, mainly antioxidant. In this context, the objective of this work was to carry out a bibliographic review of the Cactaceae family, to analyze the antimicrobial and antioxidant activity of Cereus jamacaru, and to identify the carotenid pigment of M. luteus. A survey of the species of cactaceae found in the Caatinga region of Brazil was carried out through a phytochemical and pharmacological analysis, evidencing the main biological activities already described for this family. Despite the small number of studies, it was observed that this group has antimicrobial, antiviral, antiparasitic and antioxidant activity. Cereus jamacaru (mandacaru) is a species little studied from the chemical and pharmacological point of view. In this work, the presence of flavonoids, phenylpropanoids, monoterpenes, triterpenes and steroids was found in methanolic extract, having bactericidal activity against: Streptococcus mutans, Streptococcus salivarius, Streptococcus sanguis, Streptococcus mitis, Escherichia coli and Staphylococcus aureus. It also showed antioxidant activity by the DPPH (2,2-diphenyl-1-picryl-hydrazyl) and ABTS (2,2-azino-bis- (3-ethyl-benzothiazoline-6-sulfonic acid) method). Two strains of M. luteus were isolated from the soil and identified by biochemical and molecular analyzes.The pigment was characterized by High Performance Liquid Chromatography (HPLC) and identified as sarcinaxanthin. This carotenoid was also found to have antioxidant, antimicrobial and sun protection factor.
4

Polissacarideo da palma gigante (opuntia ficus indica, Mill) : propriedades e estrutura

Reyes, Felix Guillermo Reyes, 1948- 19 July 2018 (has links)
Orientador: Paulo Anna Bobbio / Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Engenharia de Alimentos e Agricola / Made available in DSpace on 2018-07-19T02:21:43Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Reyes_FelixGuillermoReyes_D.pdf: 1758324 bytes, checksum: 1d29f981aba375f7dce13a79526997c5 (MD5) Previous issue date: 1978 / Resumo: Da mucilagem de "raquetes" da palma gigante (Opuntia fiaus indica, Mill.) foi obtido por extração aquosa um polissacarídeo. O produto purificado e eletroforeticamente homogêneo foi submetido a reações de hidrólise, metilação e oxidação com periodato de sõ dio para o estudo da sua estrutura. O peso molecular do polissacarídeo foi estimado por filtração em gel de Sephadex. Foi também estudada a viscosidade de soluções aquosas do polissacarideo e o efeito de sacarose, cloreto de sódio e do pH sobre a viscosidade. Com base nos resultados obtidos foi proposta uma estrutura possível para a "unidade básica" do polissacariedo / Abstract: Aqueous extraction of the mucilage obtained from "palma gigante" (Opuntia ficus indica, Mill) yielded a polysaccharide which was purified to an electrophoretically homogeneous fraction. The purified polysaccharide was hydrolysed, exhaustively methylated and oxidized with sodium periodate. The molecular weight of the polysaccharide was determined by gel filtration on sephadex. Measurements were made of the viscosity of aqueous solutions of the polysaccharide and of the effect of sucrose, sodium chloride and different pH on their viscosities. A possible structure for the basic unit of the polysaccharide was suggested / Doutorado / Doutor em Ciência de Alimentos
5

Cactaceae epifíticas: germinação desenvolvimento pós-seminal e morfoanatomia

Cury, Raquel Kremer January 2015 (has links)
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Biologia de Fungos, Algas e Plantas, Florianópolis, 2015. / Made available in DSpace on 2016-10-19T13:20:05Z (GMT). No. of bitstreams: 1 340712.pdf: 2584216 bytes, checksum: 2bf61a8eda81f152a0635aaa5a2b6043 (MD5) Previous issue date: 2015 / Espécies de Cactaceae, adaptadas ao epifitismo, são encontradas na Mata Atlântica brasileira. Algumas destas espécies tem potencial ornamental, como é o caso de espécies de Rhipsalis e Lepismium. Este estudo teve por objetivo investigar a germinação e o desenvolvimento pós-seminal in vitro, em água e em meios de cultivo, e analisar a morfoanatomia de plântulas e caule de Rhipsalis neves-armondii, R.teres e Lepismium cruciforme. Foram coletados segmentos de caules e frutos. As sementes das três espécies, após serem extraídas dos frutos e secas, foram colocadas para germinar em água sobre papel filtro e ágar. Amostras foram coletadas aos 15, 30 e 60 dias após as sementes terem sido colocadas para germinar. O vigor das sementes foi testado com tetrazólio. Para análise de crescimento e desenvolvimento (aos 60 dias) foi determinado: comprimento da parte aérea e raiz, número de raízes, produção de biomassa, teor de clorofilas e carotenóides e concentração de proteínas solúveis totais. Para estudos da anatomia de plântula e caule adulto, em microscopias óptica (MO) e eletrônica de varredura (MEV), as amostras foram fixadas em gluteraldeído 2,5% em tampão fosfato de sódio 0,1M, em pH 7,2. Amostras infiltradas em historresina foram seccionadas transversalmente, coradas com azul de toluidina e analisadas em MO. Para MEV, as amostras foram desidratadas e secas em ponto crítico de CO2. Também foram realizadas secções paradérmicas no caule in vivo. Os resultados revelaram que a taxa de germinação em água foi maior do que em ágar. Os teores de clorofilas e carotenóides foram maiores em plântulas de R. teres. O desenvolvimento de plântulas produzidas, tanto por germinação de sementes em água, quanto em agar, indicou ser indispensável a incrementação de nutrientes, pois as substâncias de reserva foram exauridas até os 60 dias de cultivo. As plântulas, independente do processo de cultivo apresentaram coloração verde uniforme, hipocótilo suculento, cilíndrico e com diâmetro gradativamente maior em direção aos cotilédones. Plântulas cultivadas em água mostraram epicótilo mais desenvolvido em R. neves-armondii, com presença de espinhos, comparado com R. teres; em L. cruciforme, aos 60 dias o epicótilo ainda não era evidenciado. Em ágar, as sementes de R. neves-armonddi não germinaram. A morfologia do hipocótilo de L. cruciforme alterou-se quando vista em secções transversais, de circular aos 30 dias para achatada aos 60 dias. Características anatômicas do hipocótilo de R. teres e L. cruciforme foram: epiderme unisseriada e com cutícula, estômatos do tipo paracítico e no mesmo nível das demais célulasepidérmicas; parede periclinal externa das células epidérmicas alterou de plana para convexa com o desenvolvimento; córtex com hidrênquima; e cilindro central sem fibras associadas aos feixes vasculares colaterais. A análise de caule de plantas adultas de R. teres e L. cruciforme revelou constituição histológica com epiderme uniestratificada, estômatos ciclocíticos afundados na superfície, cutícula espessa e amplo hidrênquima. Cutícula espessa e hidrênquima constatados no hipocótilo das plântulas e nos caules de plantas adultas são características xéricas, importantes para economia hídrica destas epífitas que são protegidas da irradiação solar pelo forófito, mas com limitação de disponibilidade água.<br> / Abstract : Cactaceae species epiphytism adapted are found in the Brazilian Atlantic Forest. Some of those species have ornamental potential, such as Rhipsalis and Lepismium species. This study aimed to investigate the germination and post-seminal development in vitro, in water and in culture medium, and analyze the morphoanatomy seedlings and stem of Rhipsalis neves-armondii, R.teres and Lepismium cruciforme. Segments of stems and fruits were collected. The seeds of the three species, after being extracted from the fruit and dried, were germinated in water on filter paper and in agar. Samples were collected at 15, 30 and 60 days after the seeds were germinated. Seed vigor was tested with tetrazolium. For growth and development analysis (60 days) was determined: shoot and root length, root number, biomass production, chlorophylls and carotenoids and total soluble proteins content. For studies of seedling and adult stem anatomy, in light microscopy (LM) and scanning electron microscopy (SEM), samples were fixed in 2.5% glutaraldehyde in sodium phosphate buffer 0.1M, em pH 7.2. Samples infiltrated in historesin were cross-sectioned, stained with toluidine blue and examined by LM. For SEM, samples were dehydrated and critical point dried using CO2. Paradermic sections were made in vivo stem. The results revealed that germination rate in water was higher than in agar. The contents of chlorophylls and carotenoids were higher in R. teres seedlings. The development of seedlings produced both for germination of seeds in water as in agar indicated it essential to incrementing nutrients, because the reserve substances are exhausted up to 60 days of cultivation. The seedlings showed uniform green color, succulent hypocotyl, cylindrical and gradually larger in diameter towards the cotyledons and this was independent of cultivation process. Seedlings grown in water showed hypocotyl more developed in R. neves-armondii, with the presence of thorns, compared with R. teres; in L. cruciforme, at 60 days, the epicotyl was not yet evident. The R. neves-armonddi seeds do not germinate in agar. The morphology of the L. cruciforme hypocotyl changes when seen in cross-section, from circular (30 days) to flat (60 days). Anatomical characteristics of the R. teres and L. cruciforme hypocotyl were: uniseriate epidermis and with cuticle, the stomata of paracitic type and on a level with other epidermal cells; with development the epidermal cells showed changes planer to convex periclinal outer wall; cortex with hydrenchyma; and central cylinder showed no fibers associated with collateral vascular bundles. The stem analysis of adult plants of R. teres and L. cruciforme revealedhistological constitution with uniseriate epidermis, ciclocytic stomata sunk into the surface, thick cuticle and hydrenchyma ample. Thick cuticle and hydrenchyma ample observed in seedlings hypocotyl and mature plants stems are xeric characteristics, important for water economy of these epiphytes that are protected from sunlight by the host tree, but with limited availability water.
6

Fenologia, biologia da polinização e da reprodução de Pilosocereus byles & rowley (Cactaceae) no nordeste do Brasil

LUCENA, Emerson Antonio Rocma Melo de January 2007 (has links)
Made available in DSpace on 2014-06-12T15:02:31Z (GMT). No. of bitstreams: 2 arquivo1591_1.pdf: 7065159 bytes, checksum: dfecda77d8d6bfcf380a225648c3e1f6 (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2007 / Universidade Estadual de Santa Cruz / As flores de Cactaceae apresentam um variado conjunto de características, como: cor, forma, tamanho, odor, horário de antese e disposição dos órgãos reprodutivos, refletido num amplo espectro de biótipos florais: melitofilia, ornitofilia, esfingofilia e quiropterofilia, sendo a família inteiramente zoófila. No que diz respeito às suas espécies quiropterófilas, o gênero Pilosocereus é um dos mais representativos e importantes na Caatinga. Entretanto, poucos são os estudos de biologia floral e fenologia para espécies de Cactaceae que ocorrem em áreas de Caatinga, apesar deste ser o único bioma exclusivamente brasileiro. O presente trabalho traz informações sobre a biologia floral e reprodutiva de cinco espécies de Pilosocereus, todas endêmicas de Caatinga, com exceção de P. catingicola ssp. salvadorensis, incluindo uma revisão bibliográfica sobre a fenologia, a polinização e sistema reprodutivo de outras 70 espécies de Cactaceae em diversos países. Além disso, esta tese analisa a fenologia reprodutiva de oito espécies de Cactaceae com flores de antese noturna em duas áreas de Caatinga. As cinco espécies de Pilosocereus analisadas apresentaram padrão de floração contínuo, com picos entre dezembro e maio (estação chuvosa), enquanto que as espécies de Cereus e Harrisia apresentaram padrão de floração anual, com picos de floração na estação seca. No gênero Pilosocereus, observamos polinização por morcegos, esfingídeos e abelhas em populações naturais de P. catingicola subsp. salvadorensis, P. chrysostele, P. gounellei subsp. gounellei, P. pachycladus subsp. pernambucoensis e P. tuberculatus. Em todas as cinco espécies analisadas, o pólen está disponível e o estigma receptivo durante todo o período de antese, que se inicia geralmente por volta das 17:30-18:00h e termina por volta das 9:00-10:00h da manhã seguinte. A antese noturna, o forte odor desagradável exalado pelas flores, a coloração clara, a grande quantidade de néctar (38-495&#956;l) e as baixas concentrações de açúcares (10-31%) são atributos florais associados à síndrome de quiropterofilia, e foram encontrados nas cinco espécies de Pilosocereus estudadas. Apesar das características quiropterófilas das espécies, foram registradas visitas noturnas tanto de morcegos, como Glossophaga soricina e Lonchophyla mordax, e de esfingídeos, Agrius cingulatus, Cocytius antaeus, Erinnyis alope, E. ello ello, E. swairsoni e Manduca rustica rustica, além de visitas no período diurno, por abelhas: Apis mellifera, Trigona spinipes e Xylocopa grisescens e beija-flores: Chlorostilbon aureoventris, Heliomaster squamosus e Phaetornis gounellei. Os resultados da formação de frutos, por polinização cruzada, comparados com os resultados de autopolinização manual (0- 13,3%), indicam que a alogamia é o sistema predominante de reprodução, encontrado em quatro das cinco espécies de Pilosocereus estudadas nas duas áreas, assinalando a dependência na atuação eficiente dos animais vetores de pólen. Apenas P. gounellei é autocompatível. De acordo com o comportamento dos visitantes noturnos e diurnos e com os resultados das taxas de formação natural de frutos, as espécies estudadas dependem principalmente dos seus visitantes noturnos, embora a abelha Xylocopa grisescens também atue na formação de frutos. Apesar da quiropterofilia ser predominante nas espécies de Pilosocereus, P. gounellei foi visitada e polinizada durante a noite exclusivamente por esfingídeos, fato raro neste gênero, e que precisa ser melhor interpretado à luz do seu possível significado evolutivo. Por sua vez, a sobreposição no uso dos recursos florais pelos morcegos Glossophaga soricina e Lonchophylla mordax pode favorecer as espécies P. catingicola subsp. salvadorensis, P. chrysostele, P. pachycladus subsp. pernambucoensis e P. tuberculatus, pois a ausência de um dos morcegos pode ser compensada pela presença do outro. Isto é particularmente importante, uma vez que as duas áreas onde foram desenvolvidos os estudos vêm sofrendo fortes pressões decorrentes dos processos de fragmentação e isolamento, tratando-se de refúgios vegetacionais cercado por pequenas propriedades que exploram os recursos silvestres locais e desenvolvem cultivos agrícolas variados. Dessa forma, fica evidente que as espécies de Pilosocereus aqui estudadas são importantes fontes de alimento, tratando-se de recursos florais chave para os morcegos nectarívoros residentes, especialmente Glossophaga soricina e Lonchophylla mordax, bem como na manutenção dos diferentes esfingídeos ocorrentes nestas áreas de Caatinga
7

Anatomia e evolução de caracteres anatômicos selecionados do caule do Gênero Rhipsalis Gaertner (CACTACEAE)

Silva, Carolina Helena Gonçalves da 24 September 2012 (has links)
Resumo
8

Caracterização da mucilagem do fruto e cladódio de Cereus hildmaniannus K. Schum

Colonetti, Vivian Caroline January 2012 (has links)
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Tecnológico, Programa de Pós-Graduação em Engenharia Química, Florianópolis, 2012 / Made available in DSpace on 2013-06-25T23:07:25Z (GMT). No. of bitstreams: 1 313010.pdf: 1469612 bytes, checksum: 30d2da8bbc52fb1960a4c899b2017e82 (MD5) / A família das cactáceas possui aproximadamente 100 gêneros e 2000 espécies e é representada por plantas que possuem uma polpa mucilaginosa em seus frutos e cladódios. Uma espécie ainda pouco estudada é o cacto Cereus hildmaniannus K. Schum, que cresce naturalmente em solos pedregosos e com escassez de água, condição encontrada no município de Zortéa, região meio-oeste de Santa Catarina. A tuna, como também é conhecido, é promissora dentro do contexto "Plantas do Futuro" e pode se tornar mais uma opção de renda para o pequeno produtor da região. A presença da mucilagem em seus frutos faz com que eles sejam muito apreciados pela população rural. Esta mucilagem possui elevada capacidade de absorver água, podendo assim ser considerada como um potencial hidrocoloide na área alimentícia e em outras áreas. Deste modo, o presente trabalho tem como finalidade estudar a caracterização da mucilagem dos frutos e cladódios de Cereus hildmaniannus K. Schum e avaliar seu potencial tecnológico. A mucilagem foi extraída do fruto e cladódio e separada em duas frações: solúvel e insolúvel, as quais foram liofilizadas para obtenção do produto em pó. A partir destas frações, foram realizadas análises de cromatografia gasosa, infravermelho e termogravimetria. Apenas a fração solúvel teve seu comportamento em solução avaliado em termos de ensaios reológicos, ponto de carga zero e tensão superficial. Os resultados indicaram que os monossacarídeos presentes na polpa mucilaginosa para as quatro frações são os mesmos encontrados em outras cactáceas. As frações solúvel e insolúvel do fruto apresentaram boa estabilidade térmica até a temperatura aproximada de 140-150°C. As frações solúvel e insolúvel do cladódio apresentaram uma estabilidade maior, pois a decomposição do material teve início em 200-220°C. Em solução aquosa, a fração solúvel do fruto e do cladódio apresentou comportamento newtoniano e alta viscosidade intrínseca. O valor obtido da constante de Huggins foi 0,43 e 0,46, respectivamente. Estes valores indicam que a água foi um bom solvente para a fração solúvel nas concentrações estudadas. O pH do ponto de carga zero ficou próximo de 6,40 para a fração solúvel do fruto e 6,80 para a fração solúvel do cladódio. Os resultados da tensão superficial mostraram que com o aumento da concentração da fração solúvel ocorreu um decréscimo na tensão superficial. Estes valores obtidos estão próximos daqueles encontrados na literatura para outras gomas.<br> / Abstract : The Cactaceae family has approximately 100 genus and 2000 species and it is represented by plants with mucilaginous pulp in their fruits and cladodes. The cactus Cereus hildmaniannus K. Schum is a very little studied species; it grows naturally in stony soil with lack of water, con-dition found in Zortéa, midwest region of Santa Catarina. The tuna, as it is also known, is a promising plant in the context of the "Plants for the Future" project, and has the potential to be one income option for small farmers in the region. It is very appreciated by the population due to its pleasant flavor. Mucilage, a complex sugar, has high capacity to absorb water and can be considered as a potential hydrocolloid for industrial use, such as in food industry and in other areas. This work aims to study the mucilage characterization from fruits and cladodes of Cereus hildmaniannus K. Schum and evaluate their technological potential. The mucilage was extracted from the fruit and cladodes and was separated into two fractions: soluble and insoluble. Gas chromatography, Fourier Transform Infrared Spectroscopy and Thermogravimetry were em-ployed to characterize the two fractions. The soluble fraction was also characterized by rheological tests, point of zero charge and surface ten-sion. Results indicated that monosaccharides profile found in the muci-lage from the four fractions are similar to that found in other cacti. The soluble and insoluble fractions of the fruit have shown good thermal stability up to 140-150°C. Fractions from cladodes showed highest sta-bility, degrading only at temperatures higher 200-220°C without struc-tural changes. In aqueous solution, the soluble fraction from fruits and cladodes behaved as newtonian fluid with highest intrinsic viscosity. The Huggins constant was 0,43 and 0,46 respectively. These values indicated that the water was a good solvent for the concentrations stud-ied. The pH at the point of zero charge of the fruit soluble fraction was 6,40 and, for the cladode´s soluble fraction, was 6,80. The results also showed that increasing concentration of the soluble fraction a decrease in the surface tension was observed. These values are similar to those found in the literature for other gums.
9

Acúmulo de fitomassa e composição químico-bromatológica da palma forrageira sob adubação mineral em sequeiro / Biomass formation and chemical composition of cactus pear under mineral fertilization under rainfed conditions

Coutinho, Maria Janiele Ferreira January 2014 (has links)
COUTINHO, M. J. F. Acúmulo de fitomassa e composição químico-bromatológica da palma forrageira sob adubação mineral em sequeiro. 2014. 38 f. Dissertação (Mestrado em Zootecnia) - Centro de Ciências Agrárias, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2014. / Submitted by Daniel Eduardo Alencar da Silva (dealencar.silva@gmail.com) on 2015-01-14T20:40:01Z No. of bitstreams: 1 2014_dis_mjfcoutinho.pdf: 843242 bytes, checksum: 3ef17cd3728c7cc1106b5e740fbd2575 (MD5) / Approved for entry into archive by José Jairo Viana de Sousa(jairo@ufc.br) on 2015-11-25T12:46:59Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2014_dis_mjfcoutinho.pdf: 843242 bytes, checksum: 3ef17cd3728c7cc1106b5e740fbd2575 (MD5) / Made available in DSpace on 2015-11-25T12:46:59Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2014_dis_mjfcoutinho.pdf: 843242 bytes, checksum: 3ef17cd3728c7cc1106b5e740fbd2575 (MD5) Previous issue date: 2014 / This study aimed to evaluate the influence of NPK fertilization on vegetative growth, yield and chemical composition of cactus pear (Opuntia ficus-indica Mill.). The experiment consisted of sixteen combinations of doses of NPK as Plan Puebla II experimental matrix, distributed in a completely randomized design with four replications. Were performed Observations of the growth of the palm morphometric aspects being checked: number of cladodes per plant (NC) , length (BL) , width (CW) , thickness (CE) and cladodes of the area index of the cladodes (IAC) . Further productivity and chemical composition of cactus pear were studied . The productivity of the palm was influenced significantly based on application of different levels of NPK. Except the width morphometric variables (length, thickness, number of cladodes per plant and leaf area index of cladodes ) were not affected significantly . The analysis of variance for crude protein , unlike the dry matter values statistically different. The results of the FDA rate of cactus pear for the different treatments increased while that increased levels of NPK . The amounts of nutrients used in fertilizers promote small changes in production. The addition of NPK promotes increased protein content, which results in improved nutritional quality of the forage palm. / Objetivou-se avaliar a influência da adubação NPK sobre o crescimento vegetativo, produção e composição químico-bromatológica da palma forrageira (Opuntia ficus-indica Mill.). O experimento foi constituído de dezesseis combinações de doses de NPK, conforme matriz experimental Plan Puebla II, distribuída em delineamento inteiramente casualizado, com quatro repetições. Foram realizadas observações dos parâmetros de crescimento da palma, sendo verificados os aspectos morfométricos: número de cladódios por planta (NC), comprimento (CC), largura (LC), espessura (EC) dos cladódios e índice de área do cladódio (IAC). Foram estudadas ainda a produtividade e a composição químico-bromatológica da palma forrageira. A produtividade da palma foi influenciada significativamente em face da aplicação dos diferentes níveis de NPK. Com exceção da largura as variáveis morfométricas (comprimento, espessura, número de cladódios por planta e índice de área de cladódio) não foram influenciadas significativamente. A análise de variância para os teores de proteína bruta, ao contrário dos valores de matéria seca evidenciou diferença estatística. Os resultados dos teores de FDA da palma forrageira para os diferentes tratamentos aumentaram ao mesmo tempo em que se elevaram os níveis de NPK. As quantidades de nutrientes utilizados nas adubações promovem pequenas alterações na produção. A adição de NPK promove aumento no teor de proteína, o que resulta em melhoria na qualidade nutricional da palma forrageira.
10

Diversidade de fungos endofíticos de mandacaru (Cereus jamacaru DC., Cactaceae) em áreas sucessionais de Caatinga

BEZERRA, Jadson Diogo Pereira 20 February 2013 (has links)
Submitted by Daniella Sodre (daniella.sodre@ufpe.br) on 2015-03-16T13:30:02Z No. of bitstreams: 2 license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) DISSERTAÇAO Jadson Diogo Bezerra.pdf: 1447785 bytes, checksum: 5ce7a69d178857885f214678553f14dd (MD5) / Made available in DSpace on 2015-03-16T13:30:02Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) DISSERTAÇAO Jadson Diogo Bezerra.pdf: 1447785 bytes, checksum: 5ce7a69d178857885f214678553f14dd (MD5) Previous issue date: 2013-02-20 / CNPq, FINEP, FAPEMIG, FACEPE e SISBIOTA / Fungos endofíticos vivem dentro dos tecidos sadios de plantas e podem promover tolerância das espécies hospedeiras para diferentes estresses ambientais. No entanto, a maioria dos estudos tem sido de plantas em ambientes úmidos e são poucos os relatos dos benefícios de tais associações com plantas de ambientes extremos. O objetivo deste trabalho foi analisar a diversidade de fungos endofíticos de Cereus jamacaru em três diferentes áreas de sucessão ecológica da floresta tropical seca brasileira (Caatinga), Paraíba, Brasil. O material vegetal foi coletado e 1215 fragmentos foram estudados em condições assépticas dos quais foram isolados 560 fungos endofíticos distribuídos nas áreas de sucessão ecológica Inicial (206 isolados), Intermediária (206 isolados) e Tardia (149 isolados) e identificados como pertencentes a 59 táxons. Cladosporium cladosporioides e Fusarium oxysporum foram as espécies mais comumente isoladas, seguidas por Acremonium terricola, Aureobasidium pullulans, Trichoderma viride, Chrysonilia sitophila, e Aspergillus flavus. As espécies dos gêneros Boeremia, Candida, Cochliobolus, Guignardia, Pestalotiopsis, Phomopsis, Purpureocillium, Redaellia (= Aspergillus), Sporobolomyces, e Syncephalastrum foram encontradas apenas uma ou duas vezes. O isolamento de Redaellia inicia discussão sobre o gênero e sua sinonímia com Aspergillus. Quarenta e sete espécies são registradas pela primeira vez como fungos endofíticos de cactos, e 18 outras como endófitos para o Brasil. Os valores dos índices de diversidade de Shannon-Wiener e Simpson indicaram a área de sucessão ecológica Tardia como a mais diversa e a mais abundante por uma ou poucas espécies, sendo esta área, segundo a equitabilidade de Pielou, a que possui a maior uniformidade de indivíduos entre as espécies de fungos endofíticos. A maior similaridade, segundo o coeficiente de Sorensen, foi entre as áreas Inicial e Intermediária. Claramente existe uma riqueza de fungos endofíticos associados C. jamacaru na Caatinga. Esta subestimada diversidade microbiana suporta a ideia de que endófitos podem estar envolvidos na proteção de plantas em ambientes extremos, e a maior frequência de fungos endofíticos em áreas de preservação recente (Inicial e Intermediária) sugere que esses microorganismos podem participar ativamente da regeneração de florestas tropicais secas. Este é o primeiro estudo de fungos endofíticos associados com o cacto C. jamacaru na floresta tropical seca brasileira conhecida como Caatinga.

Page generated in 0.063 seconds