• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 1691
  • 35
  • 16
  • 16
  • 16
  • 16
  • 12
  • 4
  • 4
  • 4
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • Tagged with
  • 1748
  • 1034
  • 419
  • 289
  • 249
  • 235
  • 218
  • 218
  • 205
  • 197
  • 193
  • 178
  • 172
  • 169
  • 166
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Estudo dos efeitos comportamentais e neuroquímicos do extrato padronizado de Justicia pectoralis (chambá) em camundongos / Behavioral and neurochemical study of standardized extract of justicia pectoralis (CHAMBÁ) in mice

Venâncio, Edith Teles January 2009 (has links)
VENÂNCIO, Edith Teles. Estudo dos efeitos comportamentais e neuroquímicos do extrato padronizado de Justicia pectoralis (Chambá) em camundongos. 2009. 132 f. Dissertação (Mestrado em Farmacologia) - Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Medicina, Fortaleza, 2009. / Submitted by denise santos (denise.santos@ufc.br) on 2012-03-22T13:02:14Z No. of bitstreams: 1 2009_dis_etvenâncio.pdf: 1329890 bytes, checksum: e245d79b09f869f02ae83ee169c416b2 (MD5) / Approved for entry into archive by Eliene Nascimento(elienegvn@hotmail.com) on 2012-03-22T13:45:22Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2009_dis_etvenâncio.pdf: 1329890 bytes, checksum: e245d79b09f869f02ae83ee169c416b2 (MD5) / Made available in DSpace on 2012-03-22T13:45:22Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2009_dis_etvenâncio.pdf: 1329890 bytes, checksum: e245d79b09f869f02ae83ee169c416b2 (MD5) Previous issue date: 2009 / The standardized extract of chamba, prepared from the aerial parts of Justicia pectoralis Jacq. var stenophylla Leonard, was evaluated in classical animal models to the screening of drugs with activity in axiety, depression, sedation and convulsion, such as elevated plus maze (EPM), light/dark, open field, rota rod, forced swimming, tail suspension, pentobarbital-induced sleep time and pentilenotetrazole-induced seizures and a neurochemistry study, through the level of monoamines and its metabolites, such as dopamine (DA), 3,4-dihydroxyphenyl acetic acid (DOPAC), homovanilic acid (HVA), norepinephrine (NE), 5-hydroxytryptamine (5HT) and 5-hydroxyindoleacetic acis (5HIAA). Chambá was administered acutely in all tests, in the doses of 50, 100 and 200 mg/kg, through the oral via (p.o.). Results showed that the extract presented an anxiolytic effect in the models of EPM and light/dark, since increased all the parameters analyzed in the EPM, such as NEOA, PEOA, TPOA, PTOA, as well as the permanence time in the light compartment. This effect is probably related with the GABAergic system since Flumazenil, an antagonist of GABAA/benzodiazepinic, reversed the anxiolytic effect of chamba in the EPM. In the open field, it was not observed any alteration in the locomotor activity, as well as the number of grooming and rearing. Chamba presented depressor effect of Central Nervous System (CNS), since in the forced swimming and tail suspension, increased the immobility time of animals. The sedative/hypnotic evaluation of chamba, in pentobarbital-induced sleep time showed that it has no alteration in the duration of sleep of animals, discarding sedative effect. In the pentilenotetrazole-induced seizures, chamba did not change the convulsion latency, as well the death latency. This result suggests that chamba did not have anticonvulsivant effect. The neurochemistry evaluation comproved the depressor effect of the extract, since it was verified a reduction in the level of monoamine levels, involved in the depression. In conclusion, these effects showed that chamba presented anxiolytic effect, probably related with the GABAergic system and depressor effect disproved anticonvulsant and sedative effects. / O extrato padronizado de chambá, preparado a partir das partes aéreas da Justicia pectoralis Jacq. var stenophylla Leonard, foi avaliado em modelos animais clássicos para screening de drogas com atividade em ansiedade, depressão, sedação e convulsão, tais como, labirinto em cruz elevado (LCE), claro/escuro, campo aberto, rota rod, nado forçado, suspensão da cauda, tempo de sono induzido por pentobarbital e convulsão induzida por pentilenotetrazol, e em estudo neuroquímico, através da concentração de monoaminas e seus metabólitos, tais como dopamina (DA), ácido diidrofenil acético (DOPAC), ácido homovalínico (HVA), noradrenalina (NE), 5-hidroxitriptamina (5-HT) e ácido 5-hidroxindolacético (5-HIAA). O chambá foi administrado de forma aguda em todos os testes, nas doses de 50, 100 e 200 mg/kg, através da via oral (v.o.) Os resultados mostraram que o extrato apresentou efeito ansiolítico nos modelos LCE e claro/escuro, pois aumentou todos os parâmetros analisados no LCE, como NEBA, PEBA, TPBA e PTBA, assim como o tempo de permanência no box claro no claro/escuro. Este efeito está possivelmente relacionado com o sistema gabaérgico já que o flumazenil, antagonista dos receptores GABAA/Benzodiazepínico, reverteu o efeito ansiolítico do chambá no LCE. No teste do campo aberto, não foi observado nenhuma alteração na atividade locomotora, bem como no número de grooming e rearing. O chambá apresentou efeito depressor do Sistema Nervoso Central (SNC), pois nos testes nado forçado e suspensão da cauda, aumentou o tempo de imobilidade dos animais. A avaliação sedativa/hipnótica do chambá, no teste do tempo de sono induzido por pentobarbital, mostrou que não houve alteração na duração do sono dos animais, descartando efeito sedativo. No teste da convulsão induzida por pentilenotetrazol, o chambá não alterou a latência de convulsão, bem como a latência de morte. Esse resultado sugeriu que o chambá não possui efeito anticonvulsivante. A avaliação neuroquímica comprovou o efeito depressor do extrato, pois foi verificada uma redução da concentração das monoaminas. Em conclusão, esses efeitos mostraram que o chambá apresenta efeito ansiolítico, provavelmente relacionado com o sistema gabaérgico e efeito depressor, desprovido de atividade anticonvulsivante e sedativa.
2

Estudo dos efeitos comportamentais e neuroquímicos da piplartina, alcamida isolada de Piper tuberculatum JACQ., em camundongos / Study of behavioral and neurobiochemical effects of piplartine, alcamide isolated from piper tuberculatum JACQ., in mice

Felipe, Cícero Francisco Bezerra January 2009 (has links)
FELIPE, Cícero Francisco Bezerra. Estudo dos efeitos comportamentais e neuroquímicos da piplartina, alcamida isolada de Piper tuberculatum JACQ., em camundongos. 2009. 189 f. Tese (Doutorado em Farmacologia) - Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Medicina, Fortaleza, 2009. / Submitted by denise santos (denise.santos@ufc.br) on 2012-05-25T12:55:25Z No. of bitstreams: 1 2009_tese_cfbfelipe.pdf: 977956 bytes, checksum: 4f82f562eaec1a2284c8657842e94836 (MD5) / Approved for entry into archive by Eliene Nascimento(elienegvn@hotmail.com) on 2012-05-30T14:17:01Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2009_tese_cfbfelipe.pdf: 977956 bytes, checksum: 4f82f562eaec1a2284c8657842e94836 (MD5) / Made available in DSpace on 2012-05-30T14:17:01Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2009_tese_cfbfelipe.pdf: 977956 bytes, checksum: 4f82f562eaec1a2284c8657842e94836 (MD5) Previous issue date: 2009 / Piper tuberculatum Jacq. (pimenta de macaco) is a Piperaceae widely used in Northeast Brazil as a spicy or remedy. The few studies found in the literature on Piplartine (PIP), an alcamide isolated from the plant, lead us to evaluate its potential behavioral and neurobiochemical effects. The results showed that PIP (50 e 100 mg/Kg, i.p.) increased the number of grooming and rearing of mice in the open field and reversed the catalepsy induced by haloperidol. The compound also showed an anxyolitic effect, on the elevated plus maze, which was reversed by flumazenil. The hypnotic activity of PIP was registered only in the presence of ether, but not in the presence of tiopental. Despite of these effects, the drug did not induce motor coordination deficit on the animals subjected to the rota rod test. PIP (50 e 100 mg/Kg, i.p.) had an antidepressant effect, by reversing the akinesia of reserpine pre-treated animals and by decreasing the immobility time of mice subjected to the forced swimming test. In this task, the effect of PIP (20 mg/Kg, i.p.) was potentiated by imipramine (6 mg/Kg, i.p.), but not by paroxetine (1 mg/Kg, i.p.). Also, PIP (100 mg/Kg, i.p.) increased the level of NA and DA in striatum of pre-treated animals, suggesting that the drug has an antidepressant and pro-convulsant TCA-like effects. The pro-convulsant effect was noted by the decrease of the death time in PTZ-treated mice. Piplartine showed an antimuscarinic action only on the tremours induced by oxotremorine (0,5 mg/Kg, i.p.) and no other effects of the alcamide were registered on the cholinergic system of the animals treated with pilocarpine (350 mg/Kg, i.p.) or subjected to the passive-avoidance task or on the density of muscarinic (M1 + M2) receptors. PIP was devoided of antioxidant action against DPPH, but the drug decreased the concentration of TBARS and nitrite, generated on brain homogenates subjected to a thermic chock. At last, piplartine (1, 5 and 50 µg/mL) did not alter the viability of mesemcephalic rat cells and protected them from the action of 6-OHDA (10 µg/mL). The concentration of 100 µg/mL of PIP was toxic, when isolated or associated to 6-OHDA. All these findings indicate that piplartine has important effects on behavior, as the result of the interaction of the drug with some neurotransmitters systems and cellular biochemical events. / Piper tuberculatum Jacq. (pimenta de macaco) é uma Piperaceae muito usada no Nordeste do Brasil como condimento ou remédio. A piplartina (PIP), uma alcamida isolada da planta, ainda é pouco estudada e isto incentivou a investigação do seu potencial efeito comportamental e neurobioquímico. Os resultados mostraram que a PIP (50 e 100 mg/Kg, i.p.) aumentou o número de grooming e rearing de camundongos no campo aberto e reverteu a catalepsia induzida por haloperidol. O composto também apresentou efeito ansiolítico, no labirinto em cruz elevado, que foi revertido pelo flumazenil. A atividade hipnótica da PIP foi observada apenas no teste de potencialização do tempo de sono com éter, mas não no tempo de sono barbitúrico. Apesar desses efeitos, a droga não induziu déficit motor nos animais no teste do rota rod. A PIP (50 e 100 mg/Kg, i.p.) apresentou efeito antidepressivo ao reverter a acinesia em animais pré-tratados com reserpina (10 mg/Kg, i.p.) e ao reduzir o tempo de imobilidade dos camundongos submetidos ao nado forçado. Neste teste, o efeito da PIP (20 mg/Kg, i.p.) foi potencializado com a imipramina (6 mg/Kg, i.p.), mas não com a paroxetina (1 mg/Kg, i.p.). Além desses efeitos a PIP (100 mg/Kg, i.p.) aumentou a concentração de NA e DA no corpo estriado dos animais, sugerindo que a droga tenha uma ação antidepressiva e pró-convulsivante semelhante aos ATC’s. Este último efeito foi observado com a redução do tempo de morte de camundongos tratados com PTZ (80 mg/Kg, i.p.). A piplartina apresentou ação antimuscarínica apenas sobre os tremores induzidos por oxotremorina (0,5 mg/Kg, i.p.), não sendo observados outros efeitos da alcamida sobre o sistema colinérgico de animais tratados com pilocarpina (350 mg/Kg, i.p.) ou submetidos ao teste da esquiva-passiva ou sobre a densidade de receptores muscarínicos (M1 + M2). A alcamida não apresentou ação anti-oxidante frente ao DPPH, mas reduziu as concentrações de TBARS e de nitrito, gerados em homogenatos de cérebro submetidos ao choque térmico. Por fim, a droga (1, 5 e 50 µg/mL) não alterou a viabilidade de células mesencefálicas de ratos e protegeu-as da ação da 6-OHDA (10 µg/mL). Na concentração de 100 µg/mL, a PIP mostrou-se tóxica, isoladamente ou associada a 6-OHDA. Estes resultados mostram que a piplartina possui importantes efeitos sobre o comportamento, que têm como base a interação da droga com alguns sistemas de neurotransmissão e eventos bioquímicos celulares.
3

Adultos com depressão : prevalência no Brasil e em estudo de base populacional no Distrito Federal

Silva, Marcus Tolentino 21 May 2013 (has links)
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, 2013. / Submitted by Elna Araújo (elna@bce.unb.br) on 2013-07-26T22:14:50Z No. of bitstreams: 1 2013_MarcusTolentinoSilva.pdf: 1133392 bytes, checksum: 781a8d6e646a890542f6c70d1b8b93f9 (MD5) / Approved for entry into archive by Luanna Maia(luanna@bce.unb.br) on 2013-07-29T14:58:57Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2013_MarcusTolentinoSilva.pdf: 1133392 bytes, checksum: 781a8d6e646a890542f6c70d1b8b93f9 (MD5) / Made available in DSpace on 2013-07-29T14:58:57Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2013_MarcusTolentinoSilva.pdf: 1133392 bytes, checksum: 781a8d6e646a890542f6c70d1b8b93f9 (MD5) / Introdução: A depressão é um problema de saúde pública associado à incapacidade funcional e à elevada morbimortalidade. Apesar de comum, suas estimativas de frequência estão fragmentadas em diversos estudos, e o Distrito Federal carece de estimativas recentes. Objetivo: Realizaram-se duas pesquisas, uma para avaliar a prevalência de depressão em adultos (18 a 65 anos) em estudos realizados no Brasil e outra para estimar a prevalência e os fatores associados à depressão autorreferida em adultos residentes no Distrito Federal. Métodos: Na primeira pesquisa, conduziu-se uma revisão sistemática. Foram elegíveis estudos transversais de base populacional, sem restrição quanto ao idioma, data ou tipo de publicação. Até abril de 2013, pesquisou-se no MEDLINE, Embase, Scopus, LILACS, SciELO e Domínio Público. Após seleção pareada e independente, a qualidade metodológica dos estudos incluídos foi avaliada seguindo instrumento padronizado. Realizaram-se meta-análises a partir do modelo de efeito randômico de Mantel-Haenszel para obter a estimativa global, e metarregressões para investigar a heterogeneidade. Na segunda pesquisa, realizou-se um estudo transversal de base populacional, com amostragem probabilística, por conglomerados, em dois estágios. Partiu-se dos setores censitários urbanos e com mais de 200 moradores. Recrutaram-se adultos entre 18 a 65 anos. Considerou-se a depressão autorreferida como desfecho primário. A partir de uma análise hierarquizada em blocos e uma regressão de Poisson com variância robusta, calculou-se as razões de prevalência (RP) dos seguintes fatores associados: renda, escolaridade, ocupação, sexo, idade, estado conjugal, doenças crônicas autorreferidas, utilização de serviços de saúde e avaliação subjetiva do estado de saúde. Resultados: A primeira pesquisa selecionou 23 estudos (n = 455.058, 65,7% mulheres). A prevalência de depressão foi 13,7% (IC 95%: 12,5-14,9%; I² = 99,4%) na população geral; 18,8% (IC 95%, 16,9-20,0%; I² = 99,3%) em mulheres; e 6,8% (IC 95%: 5,9-7,7%; I² = 97,9%) em homens. Constatou-se tendência de aumento da prevalência com a idade de recrutamento no sexo feminino (p < 0,01) e de declínio no masculino (p = 0,02). A segunda pesquisa incluiu 1.593 adultos, dos quais 58,3% eram mulheres. A depressão foi autorreferida por 11,2% (IC 95%: 9,8-12,9%) dos entrevistados. A frequência em mulheres foi 14,6% (IC 95%: 12,0-17,6%) e em homens 7,7% (IC 95%: 5,6-10,2). A análise multivariada apontou os seguintes fatores estatisticamente significantes à depressão autorreferida: sexo feminino (RP = 1,8; IC 95%: 1,4-2,5), 50 a 65 anos (RP = 1,6; IC 95%: 1,1-2,2), hipertensão (RP = 1,6; IC 95%: 1,1-2,4), problemas cardíacos (RP = 2,0; IC 95%: 1,3-3,0), problemas respiratórios (RP = 2,9; IC 95%: 2,1-4,1), hospitalização nos últimos 12 meses (RP = 1,76; IC 95%: 1,2-2,5), limitações na realização de atividades habituais (RP = 2,0; IC 95%: 1,2-3,2) e dor/desconforto (RP = 1,6; IC 95%: 1,1-2,2). Conclusão: Apesar de a elevada heterogeneidade sugerir inconsistência dos resultados das meta-análises, os dados apontam elevado impacto da depressão na população adulta brasileira, afetando principalmente as mulheres com idade mais avançada. A depressão é uma doença frequente na população adulta do Distrito Federal. As mulheres e as pessoas entre 50 a 65 anos foram os mais susceptíveis. Os demais fatores identificados podem nortear ações de prevenção. __________________________________________________________________________ ABSTRACT / Introduction: Depression is a public health problem, associated to functional incapacity, morbidity and mortality. Despite being frequent, estimates of population prevalence are fragmented in several studies. Brasilia, the federal capital of Brazil, lacks recent estimates in the field. Objective: We performed two researches: the first assessed the prevalence of depression in adults (18 to 65 years old) in studies held in Brazil. The second estimated the prevalence of depression and associated factors in adults that live in Brasilia. Methods: In the first research we did a systematic review of cross-sectional, population-based studies. No restrictions of language, date, or publication type applied. We searched MEDLINE, Embase, Scopus, LILACS, SciELO, and Dominio Publico databases up to April 2013. After a duplicate selection of studies, their methodological quality was assessed following a previously standardized tool. We calculated meta-analyses using random effects model to obtain the overall estimate and metarregressions to investigate heterogeneity. In the second research, a cross- sectional, population-based study was held in Brasilia, following a probabilistic cluster sampling of two stages. Adults of 18 to 65 years old residents in census tracks higher than 200 inhabitants were eligible. The primary outcome was self-referred depression. Prevalence ratios (PR) were obtained through Poisson regression of robust variance following a hierarchical model to assess the association of the following factors: income, education, occupation, sex, age, marital status, self- reported chronic diseases, healthcare services utilization, and subjective health state assessment. Results: Twenty-three studies were included in the systematic review (n = 455,058; 65.7% women). The prevalence of depression was 13.7% (IC 95%: 12.5- 14.9%; I² = 99.4%) in the general population, 18.8% (IC 95%: 16.9-20.0%; I² = 99.3%) in women, and 6.8% (IC 95%: 5.9-7.7%; I² = 97.9%) in men. We observed a tendency of increase in the prevalence with higher recruitment ages in women (p < 0.01) and of decrease in men (p = 0.02). The cross-sectional study included 1,593 adults (women = 58.3%). Depression was self-reported by 11.2% (IC 95%: 9.8- 12.9%) of the participants. Prevalence in women was 14.6% (IC 95%: 12.0-17.6%) and in men it was 7.7% (IC 95%: 5.6-10.2). Multivariate analysis showed positive association of the following factors to self-reported depression: women (RP = 1.8; IC 95%: 1.4-2.5), age from 50 to 65 years old (RP = 1.6; IC 95%: 1.1-2.2), hypertension (RP = 1.6; IC 95%: 1.1-2.4), cardiac diseases (RP = 2.0; IC 95%: 1.3-3.0), respiratory illnesses (RP = 2.9; IC 95%: 2.1-4.1), hospital addition in the last 12 months (RP = 1.76; IC 95%: 1.2-2.5), limitation in usual activities (RP = 2.0; IC 95%: 1.2-3.2), and pain or discomfort (RP = 1.6; IC 95%: 1.1-2.2). Conclusion: In spite of the high heterogeneity that suggests inconsistency of the meta-analyses results, data shows a high impact of depression in Brazilian adults, mainly in older women. Depression is a frequent disease in adults that live in Brasilia, and women of older ages are more vulnerable. The other identified risk factors can be useful for planning prevention policies.
4

Relação entre a concentração de hormônio liberador de corticotrofina no líquido cefalorraquidiano no final da gestação e a presença de sintomas depressivos antes e após o parto

Zaconeta, Alberto Carlos Moreno 15 March 2012 (has links)
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, 2012. / Submitted by Elna Araújo (elna@bce.unb.br) on 2012-07-11T20:43:10Z No. of bitstreams: 1 2012_AlbertoCarlosMorenoZaconeta.pdf: 1697341 bytes, checksum: 9e3bc9b51af85953d0a305c445e1f069 (MD5) / Approved for entry into archive by Jaqueline Ferreira de Souza(jaquefs.braz@gmail.com) on 2012-07-18T12:30:41Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2012_AlbertoCarlosMorenoZaconeta.pdf: 1697341 bytes, checksum: 9e3bc9b51af85953d0a305c445e1f069 (MD5) / Made available in DSpace on 2012-07-18T12:30:41Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2012_AlbertoCarlosMorenoZaconeta.pdf: 1697341 bytes, checksum: 9e3bc9b51af85953d0a305c445e1f069 (MD5) / INTRODUÇÃO: Além da sua função como carro chefe do eixo hipotálamo-hipófise-adrenal, o hormônio liberador de corticotrofina (CRH) participa de circuitos neuronais envolvidos na fisiopatologia da depressão. Como na gestação há grande produção de CRH pela placenta, que cessa abruptamente após o parto, estudos recentes avaliaram a relação entre a concentração plasmática de CRH e a ocorrência de depressão antes e após o parto, com resultados conflitantes. A relação entre a concentração desse hormônio no líquido cefalorraquidiano durante a gestação e os transtornos do humor no periparto não foi estudada até o presente. OBJETIVOS: Determinar se há diferença na concentração de CRH no LCR de mulheres grávidas e não grávidas e se a concentração de CRH no LCR no final da gestação tem correlação com a presença de sintomas depressivos na gestação e após o parto. MÉTODOS: Estudo de coorte prospectivo. O CRH foi medido no LCR de 111 mulheres grávidas e 22 voluntárias não grávidas. Nas gestantes, os sintomas depressivos foram avaliados com a Escala de Depressão pós-natal de Edimburgo (EPDS) com ponto de corte ≥13, aplicada logo antes do parto e entre quatro a oito semanas após o nascimento da criança. A diferença de concentração de CRH no LCR foi avaliada pela comparação de médias, utilizando o teste t de Student (p <0,05). RESULTADOS: Amostra final composta por 107 gestantes e 22 mulheres não gestantes. A concentração de CRH no LCR foi significativamente maior no LCR das gestantes, com média de 28pg/ml a mais do que nas não gestantes (p=0,001). Foram encontrados sintomas depressivos em 11% das mulheres durante a gestação e em 12% no período pós-parto. A comparação da concentração de CRH no LCR de pacientes sem sintomas depressivos e com sintomas depressivos antes ou após o parto não mostrou diferença significativa. CONCLUSÃO: Na presente amostra foi encontrada maior concentração de CRH no LCR de pacientes grávidas quando comparadas com não grávidas, mas a concentração de CRH no LCR não foi diferente em pacientes com e sem sintomas depressivos. _________________________________________________________________________________ ABSTRACT / INTRODUCTION: In addition to its key role as a regulator of the hypothalamic-pituitary-adrenal axis, corticotrophin-releasing hormone (CRH) is implicated in neuronal circuits involved in the pathophysiology of depression. During pregnancy the placenta secretes CRH into the systemic circulation and greatly increases its circulating levels, which reduce abruptly after delivery. Because of these changes in the circulating levels of CRH, recent studies have investigated the relationship between plasma CRH levels and the occurrence of depression before and after delivery, with conflicting results. The relationship between CRH levels in cerebrospinal fluid and peripartum mood disorders has not been studied to date. OBJECTIVES: To determine if there are differences in CRH levels in the CSF of pregnant and non-pregnant women, and if CRH levels in CSF at the end of pregnancy correlate with the presence of depressive symptoms during pregnancy and in the postpartum period. METHODS: This was a prospective cohort study in which CRH levels were measured in the CSF of 111 pregnant and 22 non-pregnant women. In pregnant women, depressive symptoms were assessed immediately before delivery and four to eight weeks after childbirth, using the Edinburgh Postnatal Depression Scale (EPDS), with a cutoff of at least 13. Differences between mean CRH levels in CSF were evaluated by using Student’s t test (p<0.05). RESULTS: 107 pregnant and 22 non-pregnant women composed the final sample. CRH levels in the CSF were significantly higher in pregnant women, on average 28 pg/mL higher in this group as compared to non-pregnant women (p=0.001). Depressive symptoms were found in 11% of women during pregnancy and in 12% of them in the post-partum period. There was no significant difference in CRH levels in the CSF of women with or without depressive symptoms before or after delivery. CONCLUSION: In this sample greater CRH levels in the CSF were found in pregnant women as compared to non-pregnant women, but there were no significant differences in these levels in women with or without depressive symptoms.
5

Depressão: pontos de vista e conhecimento do enfermeiro da rede básica de saúde. / Depression: nurses view points and knowledge in the basic health network.

Silva, Mariluci Camargo Ferreira da 29 June 2001 (has links)
Esta pesquisa objetivou identificar os pontos de vista e o conhecimento sobre depressão de enfermeiros da rede básica de saúde. Os 73 enfermeiros participantes encontram-se na secretaria municipal de saúde e direção regional de saúde, ambos em São José do Rio Preto-SP. Acham-se distribuídos em 28 unidades de saúde. Em se tratando de um estudo psicométrico, foram utilizados quatro instrumentos para a coleta de dados: A- Pontos de vista sobre depressão; B- Conhecimento sobre depressão; C- Inventário de Beck; D- Escala de Zung. Todos foram auto-aplicados. Utilizou-se a análise quantitativa para os dados gerais e a qualitativa para a reflexão sobre os mesmos dados. Nos resultados gerais, a maioria das respostas evidencia acordo com o que se esperava, com médio conhecimento sobre depressão. Entretanto, as análises individuais dessas questões indicam que esses profissionais não estão em contato direto com o paciente, não sabem identificar pacientes deprimidos, não observam estes indicadores nos pacientes por eles atendidos ou não entendem que seja sua tarefa fazer esta identificação. Surgiram reflexões acerca da possível relação entre as ações de saúde mental com a formação profissional do enfermeiro. Desse modo, o ensino da depressão no curso de enfermagem e na educação continuada passam a ter maior importância no desenvolvimento das ações de enfermagem para a saúde mental. Esperamos que esta pesquisa constitua-se em para a assistência, para o ensino e para a pesquisa em enfermagem podendo sensibilizar os enfermeiros sobre a necessidade de uma atuação transformadora de suas práticas. / This research aimed at identifying the viewpoints and knowledge on depression of nurses working in the basic health network. The 73 participant nurses were stationed in the Municipal Health Secretariat and Regional Health Department in São José do Rio Preto-SP. They were distributed in 28 health units. Considering that this was a psychometric study, four instruments were used for data collection: A- Viewpoints on depression; B- Knowledge on depression; C- Beck's Inventory; D- Zung's Scale. All of them were self-applied. Quantitative analysis was used for general data and qualitative analysis was utilized for reflection on the same data. In the general results, most of the answers were in accordance with what was expected, that is, average knowledge on depression was shown. However, the individual analysis of such questions indicated that these professionals are not in direct contact with patients, they do not know how to identify depressed patients, they do not observe these indicators in the patients that they assist or do not understand that it is their task to do so. Reflections appeared on the possible relationship between mental health actions and nurses’ professional education. In this way, including studies about depression in undergraduate and continuing education become more important in the development of nursing actions for mental health. We believe that this research constitutes an important contribution to nursing assistance, teaching and research, since it is able to sensitize nurses as to the need for transforming actions in their practice.
6

Estudo da Eficácia da Acupuntura Sistêmica na depressão em 150 mulheres de Vitória-ES

Rúbia Mara Gomes da Silva 31 August 2010 (has links)
No último século, com a necessidade de uma maior rapidez das atividades diárias, houve uma elevação da prevalência das doenças crônicas não-transmissíveis, as quais desenvolvem-se de forma silenciosa, de origem multifatorial e influenciam diretamente a qualidade de vida do indivíduo. Este grupo de enfermidades compreende transtornos psicológicos e psiquiátricos, como a depressão. Esta patologia é recorrente podendo apresentar prejuízos físicos, emocionais e mentais, pelo estado alterado das emoções no qual a pessoa se sente num nível anormal de tristeza. As causas de depressão podem variar, influenciando o início e a persistência dos episódios depressivos. No final do século XIX, surgiram as escalas de avaliação dos sintomas de depressão. O Inventário de Depressão de Beck é apontado como um método auto-avaliativo muito utilizado no meio clínico e de pesquisa. O tratamento desta patologia se baseia em ansiolíticos, fármacos anti-depressivos inibindo o sistema nervoso central, hormônios, psicoterapias e acupuntura. Os efeitos da acupuntura sobre atividade cerebral têm sido demonstrados através de exames neurológicos, e seus resultados no tratamento de transtornos depressivos também têm sido evidenciados. O objetivo deste trabalho é analisar a influência da acupuntura sistêmica no tratamento de mulheres diagnosticadas com depressão. É um trabalho prospectivo, randomizado, feito com 150 pacientes, adultos, entre 35 e 50 anos, do sexo feminino e, após avaliadas por um médico psiquiatra, foram encaminhadas para a Clínica Escola do Instituto Superior de Ciências da Saúde na cidade de Vitória-ES, para receberem tratamento de acupuntura, durante o primeiro semestre de 2010. Foram tratadas com um protocolo de combinação de pontos segundo Ross (2000), de acupuntura realizados em 3 sessões semanais, sendo um total de 30 sessões cada paciente. Foram utilizadas agulhas de acupuntura descartáveis de 0,25 (diâmetro) x 30mm (comprimento), em aço inox; álcool 70%; algodão hidrófilo, descarpack e luvas descartáveis. Foram excluídas todas as pacientes impossibilitadas de ir ao local de avaliação e tratamento. Depois de avaliadas por um indivíduo treinado, todas as pacientes foram submetidas ao “Inventário de depressão de beck” (IDB). Os resultados obtidos após o tratamento mostraram uma melhora significativa no quadro de depressão, mas conclui-se que necessita de maiores estudos para entender a verdadeira atuação da acupuntura perante a doença.
7

Identificação de sintomas depressivos em adolescentes : estudo em escola pública de Fortaleza (CE)

Gomes, Gabriela da Cunha 18 December 2015 (has links)
Made available in DSpace on 2019-03-30T00:06:05Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2015-12-18 / Depression is a disabling disease that affects children and adolescents and can bring serious damage to the development, such as anxiety disorders and suicidal ideas. Health Brazilians agencies warn that population of the adolescents often is portrayed as a healthy population, as a result, the responsible do not paid the required attention. From this perspective, this study aimed to identify depressive symptoms in adolescents aged 14 to 17 years and its distribution by sex and age. The adolescents perceptions about their family and school contexts, also have been identified. To achieve this purpose, we chose a public school that is a participant of the health promotion project and in which it was applied the following research tools: Inventory Child Depression (CDI) in its version adapted and sociodemographic questionnaire. Concomitant use of these, it was proceeded the psychometric analysis of the Children's Depression Inventory. The participants of the survey were 295 teenagers. Among these, 56.60% female and 43.40% male. The Results showed that 11.20% of participants present depressive symptoms. The sex inherent, it became clear the predominance of depressive symptoms among adolescent females. Regarding to age no relationship was found significant. Regarding to the factor analysis, we identified the presence of three factors explaining 45.6% of the total variance and obtained a Cronbach's alpha ¿ =0.89. Depending concluded that the percentage found 11.20% of depression symptoms in adolescent is considered high, since the participating school of the study is part of the health promotion program. As it was perceived, the phenomenon depression is related to the family and school contexts of adolescents. Consequently, we need to gather various analysis tools to understand better the appearance of these symptoms. Probably quantitative tools combined with qualitative tools can better explain the relationship among the depression and the spaces of interaction and development. Regarding the Child Depression Inventory, it was concluded that this instrument has acceptable psychometric properties and is suitable to investigate depressive symptoms in schoolchildren. Finally, it suggests the development of educational booklet to work for depression in a didactic way, in the school context. This initiative can benefit the community while warning about the main depression symptoms in adolescents and its risks, highlighting the importance of the family and school environment regarding the mental health of adolescents. / A depressão é uma doença incapacitante que atinge crianças e adolescentes e que pode trazer sérios prejuízos ao desenvolvimento, como transtornos de ansiedade e ideação suicida. Os órgãos de saúde brasileiros alertam que a população adolescente geralmente é retratada como uma população saudável, não sendo dispensada a ela a atenção necessária. A partir desta perspectiva, o presente estudo teve como objetivo identificar sintomas depressivos em adolescentes de 14 a 17 anos e sua distribuição por sexo e idade. Também foram identificadas as percepções que os adolescentes têm acerca dos contextos familiar e escolar. Para alcançar tal intento, escolheu-se uma escola pública participante de projeto de promoção da saúde na qual se aplicaram os seguintes instrumentos de pesquisa: Inventário de Depressão Infantil (CDI) em sua versão adaptada e Questionário Sociodemográfico. Concomitante à utilização destes, precedeu-se à análise psicométrica do Inventário de Depressão Infantil. Participaram da pesquisa 295 adolescentes. Destes 56,60% do sexo feminino e 43,40% do sexo masculino. Os resultados revelaram 11,20% dos participantes da pesquisa apresentando sintomas depressivos. No inerente ao sexo, evidenciou-se predomínio dos sintomas depressivos entre adolescentes do sexo feminino. Quanto à idade não se encontrou relação significativa. No tocante à a análise fatorial realizada, identificou-se a presença de três fatores explicando 45,6% da variância total e obteve-se um Alfa de Cronbach de ¿ = 0,89. Consoante se concluiu, o percentual encontrado de 11,20% de sintomas depressivos em adolescentes é considerado elevado, uma vez que a escola participante do estudo integra programa de promoção da saúde. Como se percebeu, o fenômeno depressivo guarda relação com os contextos familiar e escolar dos adolescentes. Assim, é preciso reunir várias ferramentas de análise para melhor compreender o aparecimento destes sintomas. Provavelmente, instrumentos quantitativos aliados a ferramentas qualitativas podem melhor relacionar a depressão aos espaços de interação e desenvolvimento. No referente ao Inventário de Depressão Infantil, concluiu-se que este instrumento tem aceitáveis parâmetros psicométricos, sendo adequado para investigar sintomas depressivos em escolares. Por fim, se sugere a elaboração de cartilha educativa a fim de se trabalhar a depressão de forma didática, no contexto escolar. Esta inciativa poderá beneficiar a comunidade ao passo que alerta acerca dos principais sintomas de depressão em adolescentes e seus riscos, ressaltando a importância dos ambientes familiar e escolar no que tange à saúde mental de adolescentes.
8

Prevalência de sintomas de estresse e de depressão nos estudantes de medicina e de odontologia

Aguiar, Sâmia Mustafa 28 December 2007 (has links)
Made available in DSpace on 2019-03-29T23:16:27Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2007-12-28 / The mental health of health professionals is a concern since the beginning of the century. There is evidence that Medical students have greater risk of developing mental disorders than the general population. Depression is recognized as a public health problem and the nature of the work done by health professionals is a factor that contributes for the development of emotional disorders. However, there is little information on the prevalence of stress and depressive symptoms in health, especially in the northeast Brazil. It is necessary to study the magnitude of the problem among Brazilian Medical and Dental students. To study the social-demographic profile of Medical and Dental students, to assess the prevalence of stress and depression symptoms in these students. The Inventory of Symptoms of Stress for Adults of Lipp (ISSL) was used to evaluate the symptoms of stress, the Beck Depression Inventory (BDI) was used to evaluate the symptoms of depression and a questionnaire was applied to identify the participants socialdemographic characteristics. 200 Medical and 53 Dental students registered at the Federal University of Ceará (UFC), taking Basic or Clinical courses, were interviewed. Medical students were predominantly male (54.5%), single (100%), born in Fortaleza (87%), mean age 21 years (SD=2.3). Dental students were 58,5% male, 96,2% (n=51) single, mean age 21 years (SD=2.4). Among Medical students, symptoms of stress prevalence was 49.7% and those attending clinical course showed the highest levels (p=0002). Female students showed higher levels of stress symptoms than male, 30.1% and 19.6% respectively, (p#0001). The prevalence of depressive symptoms among Medical and Dental students was 23.7% and 28.3%, respectively. There was no difference between the prevalence of these symptoms among Medical and Dental students (p=0,738). Difference was not found among basic and clinical course Dental students (p=0,889), however, there was a difference among Medical students (p=0,013). Bivariate analysis showed that, individually, the variables stress, gender, family income, family history of psychiatric illnesses and psychiatric diseases in 1st degree relatives, influenced the prevalence of depressive symptoms in Medical students, while for Dental students, the variables stress and physical activity increased the chances for depressive symptoms occurrence. Logistic regression shows that stress and physical activity affect depressive symptoms among Dental students. Medical students at UFC have levels of stress similar to those reported in international studies. Moreover the symptoms of depression in Dental and Medical students is high and for the latest, the prevalence of depressive symptoms increases as they enter the Clinical courses. Stress and physical activity influence the prevalence of depressive symptoms in Dental students. / A saúde mental dos profissionais de saúde constitui motivo de preocupação desde o início do século. Há evidências que os estudantes de Medicina e de Odontologia têm risco maior que a população em geral de apresentarem sofrimento psíquico e/ou transtornos mentais. A Depressão é reconhecida como um problema de saúde pública e a natureza do exercício profissional na área de saúde é um fator que concorre para o desenvolvimento de distúrbios emocionais. Porém, há pouca informação sobre a prevalência de sintomas de estresse e de depressão nos acadêmicos da área da saúde, especialmente, no nordeste brasileiro. O estudo de amostras brasileiras de estudantes de Medicina e Odontologia é necessário para verificar a sua magnitude. O escopo desse estudo foi descrever o perfil sociodemográfico dos acadêmicos de Medicina e de Odontologia dos Ciclos Básico e Clínico, identificar sintomas de estresse nos estudantes de Medicina do Ciclo Básico ou Clínico e analisar os sintomas de depressão nos acadêmicos de Medicina e Odontologia. A população estudada respondeu ao Inventário de Sintomas de Stress para Adultos de Lipp (ISSL), para identificação de sintomas de estresse, ao Inventário de Depressão de Beck, para identificação de sintomas depressivos e a um questionário sociodemográfico. Duzentos estudantes de Medicina e 53 estudantes de Odontologia, matriculados nos Ciclos Básico ou Clínico da Universidade Federal do Ceará (UFC) foram estudados. Nos acadêmicos de Medicina, houve predominância do sexo masculino (54,5%), solteiros (100%), naturais de Fortaleza (87%), com idade média de 21 anos (DP=2,3). No curso de Odontologia, 58,5% eram do sexo masculino, 96,2% (n = 51) solteiros e com idade média de 21 anos (DP=2,4). A prevalência de sintomas de estresse nos acadêmicos de Medicina foi de 49,7%, possuindo os estudantes do início do Ciclo Clínico os níveis mais altos desses sintomas (p=0,002). As alunas de Medicina apresentaram níveis de sintomas de estresse maiores do que os estudantes do sexo masculino, representando 30,1% e 19,6%, respectivamente (p#0,001). A prevalência de sintomas depressivos entre os estudantes de Medicina e de Odontologia foi de 23,7% e 28,3%, respectivamente. Não houve diferença entre a prevalência desses sintomas entre os acadêmicos de Medicina e Odontologia (p=0,738). Não houve também diferença entre o Ciclo Básico e Clínico no curso de Odontologia (p=0,889), porém, houve diferença no curso de Medicina (p=0,013). Quando foi realizada a análise bivariada, os resultados demonstraram que, individualmente, as variáveis estresse, sexo, renda familiar, história familiar de doença psiquiátrica e existência de doença psiquiátrica em parentes de 1º grau influenciaram a prevalência de sintomas depressivos nos acadêmicos de Medicina. Enquanto que nos alunos de Odontologia, as variáveis estresse e atividade física aumentaram as chances da ocorrência de sintomas depressivos. Na regressão logística, estresse e atividade física influenciam sintomas depressivos no curso de Odontologia. Conclui-se que estudantes de Medicina da UFC têm níveis de estresse similares àqueles relatados para amostras internacionais. Além disso, a sintomatologia depressiva nos acadêmicos de Odontologia e Medicina é alta e nesses últimos a prevalência de sintomas depressivos aumenta ao ingressarem no Ciclo Clínico. Estresse e atividade física influenciam a prevalência de sintomas depressivos no curso de Odontologia.
9

Corpo deprimido : um estudo sobre corpo vivido e depressão sob a lente da fenomenologia de Merleau-Ponty / Body depressed: a study of the lived body and depression on the mind of the phenomenology of Merleau-Ponty (Inglês)

Leite, Maria Edvania de Araujo 30 October 2009 (has links)
Made available in DSpace on 2019-03-29T23:23:42Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2009-10-30 / This research has as its objective to comprehend and discuss the meaning of the experience lived in the depressed body, investigating the phenomenon of depression in the lived body or the own body, under the lens of Merleau-Ponty.s Penomenology (1945/2006). The relevance of this subject consists in the importance of the phenomenon of depression has acquired in the present days, which is a target for increased preoccupation, due to its incidence and the increase in the epidemiologic indexes (Nascimento, 1999; Lafer & Amaral, 2000; WHO, 2008). When such phenomenon is comprehended under the point of view of the phenomenological pathology, the essay points towards the necessity of overcoming the standard model of psychopathology, proposing, from the contact with the lived experience of the people with depression, an approach which gives priority to the rupture with the paradigm of duality, and one that does not conceive man as a purely biological organism, but imbricated in one.s history and culture. To attain the proposed goals, a qualitative research was conducted, using the mundane phenomenological method which is based on Merleau-Ponty.s Phenomenology. The research revealed that the phenomenon of depression is difficult to be described by the patients, and that they recognize it through the signals in their body. However, the concept of body of these patients consists in the division between body and mind, which hampers the patients. correlation between corporality and existence. The testimonies from the collaborating subjects also revealed: depression is an external phenomenon to the subject; the body posture and the body rhythm of the subjects is marked by isolation, retardation and stagnation; they live a paradoxical relation with death; their self-esteem and personal value are deeply compromised; they carry a feeling of unpowerment and guilt and they establish a barrier in their relationships with other people. The conclusion is that the view of the depressed body through the lens of Merleau-Ponty.s Phenomenology can contribute to the understanding of depression as an expression of the existence of individuals not only as a group of symptoms marked by organic circumstances. Keywords: Depression; Phenomenology; Phenomenological Psychopath; Own Body; Experience Lived; Depressed Body / Esta pesquisa tem como objetivo compreender e discutir o significado da experiência vivida do corpo deprimido, investigando o fenômeno da depressão no corpo vivido ou corpo próprio, sob a lente da Fenomenologia de Merleau-Ponty (1945/2006), para além da sintomatologia. A relevância deste tema consiste na importância que o fenômeno da depressão vem atingindo na atualidade, sendo alvo de crescente preocupação, devido à sua incidência e ao aumento dos índices epidemiológicos (Nascimento, 1999; Lafer & Amaral, 2000; WHO, 2008). Ao compreender tal fenômeno do ponto de vista da psicopatologia fenomenológica, a dissertação aponta a necessidade de superação do modelo tradicional da psicopatologia, propondo, a partir do contato com a experiência vivida das pessoas deprimidas, um enfoque que priorize a ruptura com o paradigma da dualidade, e que não conceba o homem como um organismo puramente biológico, mas imbricado em sua história e sua cultura. Para atingir os objetivos propostos, foi realizada uma pesquisa qualitativa, utilizando o método fenomenológico mundano que toma por base a Fenomenologia de Merleau-Ponty. A pesquisa revelou que o fenômeno da depressão é de difícil descrição pelos pacientes, e que eles a reconhecem a partir de sinais do seu corpo. No entanto, a noção de corpo de tais pacientes consiste na divisão em mente e físico, o que prejudica a sua correlação entre corporeidade e existência. Os depoimentos dos sujeitos colaboradores revelaram ainda: que a depressão é considerada um fenômeno exterior ao sujeito; que a postura e o ritmo corporais de tais sujeitos é marcado pelo isolamento, pela lentificação e pela estagnação; que eles vivem uma relação paradoxal com a morte; que a sua autoestima e o seu valor pessoal encontram-se profundamente comprometidos; que eles carregam um sentimento de despotencialização e de culpa e que estabelecem uma barreira na sua relação com o outro. Concluo que o olhar para o corpo deprimido sob a lente da Fenomenologia de Merleau-Ponty pode contribuir para uma compreensão da depressão como expressão da existência dos indivíduos não apenas como um conjunto de sintomas marcado por circunstâncias orgânicas. Palavras-chave: Depressão; Fenomenologia; Psicopatologia Fenomenológica; Corpo Próprio; Experiência vivida; Corpo deprimido.
10

Introdução à psicopatologia fenomenológica de Arthur Tatossian / Introduction to the phenomenological psychopathology of Arthur Tatossian (Inglês)

Bloc, Lucas Guimarães 26 June 2012 (has links)
Made available in DSpace on 2019-03-29T23:39:38Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2012-06-26 / This paper has the goal of introducing and discussing the phenomenological psychopathology of Arthur Tatossian. French psychiatrist with Armenian parentage, Arthur Tatossian (1929-1995) may be seen as one of the main thinkers of the phenomenological psychopathology. Bearer of great knowledge either of the philosophical phenomenology as of the ones involved with the phenomenological psycopathology, Tatossian developed a model of psychopathology that uses the phenomenology as a means of inspiration, always trying to keep away from a natural poise and searching for a phenomenological poise instead. In spite of the recognition of the extent of his works in different countries, there is a wide access difficulty to his writings in Brazil. This paper proposes to add to filling this gap. In its first part, we discuss the fundaments of this phenomenological psychopathology, researching through their main foundations and its epistemological basis as well. It is discussed the distinction between symptom and phenomena, the paradox between theory and practice, the notions of average and pathological, culture and unconscious, as well as and also the importance of the Lebenswelt concept (Lifeworld) and the conception of phenomenological subjectivity. In the second part, we search the comprehension of the depression phenomena, one of the most discussed psychopathological phenomena by Tatossian, delineating a historical path of the concept, going through the difference between sadness and depression, through the conditions to the allowance of the lived depressed Time, the body, Space and the other , until arriving at the conception of depressivity. The ambiguous relationship between psychopathology and clinic emerges as an axis, at the same time, pivotal and mutual of what was discussed in this introductory path. With Tatossian, psychopathology emerges as eminently clinical and clinic itself develops beyond the therapeutics, as the place for the psychopathological experience. The search for a widening experience and the influence of the Lebenswelt concept, in its pre-reflexive ambiguity, allow Tattosian to develop a psychopathology and a Lebenswelt clinic. It is a search for the comprehension of the phenomenological experience that is shown in the clinic and, in its own turn, is placed in the Lebenswelten interception of the patient and the clinical. He comprehends in a ambiguous way both the fundaments of its psychopathology and the comprehension of the psychopathological living that is shown in the contact with the subject and with the psychopathology too. Tatossian s clinical phenomenology always trespassed by the ambiguity, valorizes and prioritizes the daily contact with the subject the clinical experience itself without ever discarding the psychopathological theory and proposes, this way, to radically consider, via phenomenology, the nature of the mental disease, its constitution and the forms of presentation, allowing distinct dialogues and horizons. Key-words: Phenomenological Psychopathology; Arthur Tatossian; Depression; Clinic; Ambiguity. / Esta dissertação tem como objetivo introduzir e discutir a psicopatologia fenomenológica de Arthur Tatossian. Psiquiatra francês, de origem armênia, Arthur Tatossian (1929-1995) pode ser considerado um dos principais pensadores da psicopatologia fenomenológica. Grande conhecedor tanto dos promotores da fenomenologia filosófica quanto dos da psicopatologia fenomenológica, Tatossian desenvolveu um modelo de psicopatologia que utiliza a fenomenologia como inspiração, buscando sempre se afastar de uma atitude natural para buscar uma atitude fenomenológica. Apesar do reconhecimento da importância de sua obra em diferentes países, há grande dificuldade, no Brasil, de acesso aos seus escritos. Esta dissertação se propõe a contribuir para o preenchimento desta lacuna. Na primeira parte, discutimos os fundamentos desta psicopatologia fenomenológica, analisando seus alicerces principais, bem como as suas bases epistemológicas. São discutidos a distinção entre sintoma e fenômeno, o paradoxo entre teoria e prática, as noções de normal e de patológico, de cultura e de inconsciente, bem como a importância do conceito de Lebenswelt (mundo vivido) e a concepção de subjetividade fenomenológica. Na segunda parte, buscamos compreender a depressão, um dos fenômenos psicopatológicos mais discutidos por Tatossian, traçando um caminho histórico do conceito, passando pela diferenciação entre tristeza e depressão, pelas condições de possibilidade do vivido depressivo o tempo, o corpo, o espaço e o outro , até chegar à concepção de depressividade. A relação ambígua entre psicopatologia e clínica surge como ponto central e comum daquilo que discutimos neste percurso introdutório. Com Tatossian, a psicopatologia assume uma função eminentemente clínica e a clínica se desenvolve para além de uma terapêutica, como o lugar da experiência psicopatológica. A busca do alargamento da experiência, e a influência do conceito de Lebenswelt, em sua ambiguidade pré-reflexiva, permitem que Tatossian desenvolva uma psicopatologia e uma clínica do Lebenswelt. Trata-se de buscar a compreensão da experiência fenomenológica que se apresenta na clínica, que, por sua vez, está situada na interseção dos Lebenswelten do paciente e do clínico. Compreende de forma ambígua os fundamentos de sua psicopatologia e a compreensão do vivido psicopatológico que se apresenta no contato tanto com o sujeito quanto com a psicopatologia. A fenomenologia clínica de Tatossian, sempre atravessada pela ambiguidade, valoriza e prioriza o contato cotidiano com o sujeito a experiência clínica mesma sem nunca descartar a teoria psicopatológica e se propõe, assim, a refletir radicalmente, via fenomenologia, a natureza da doença mental, sua constituição e formas de apresentação, possibilitando diferentes diálogos e horizontes. Palavras-chave: Psicopatologia Fenomenológica; Arthur Tatossian; Depressão; Clínica; Ambiguidade.

Page generated in 0.0671 seconds