• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 76
  • 1
  • 1
  • 1
  • Tagged with
  • 79
  • 79
  • 59
  • 56
  • 15
  • 13
  • 12
  • 10
  • 10
  • 10
  • 9
  • 9
  • 8
  • 8
  • 8
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Estudo das medidas antropométricas de obesidade e sua correlação com a disfunção erétil

Riedner, Charles Edison January 2005 (has links)
Introdução e Objetivo: Há evidências crescentes na literatura sobre a associação entre a disfunção erétil (DE) e a obesidade. O objetivo deste estudo é correlacionar os diferentes índices antropométricos de obesidade central com a DE. Métodos: Realizou-se um estudo transversal envolvendo 256 homens consecutivos com idade igual ou superior a 40 anos e que não apresentavam condições clínicas associadas à presença de DE. A função erétil foi avaliada em todos eles através do preenchimento do Índice Internacional de Função Erétil (IIEF), seguida de avaliação antropométrica com pesquisa do índice de massa corporal (IMC), circunferência da cintura, índice cintura-quadril, índice cintura-coxa, índice cintura-altura, diâmetro abdominal sagital, índice diâmetro abdominal sagital-coxa, índice diâmetro abdominal sagital-altura e circunferência abdominal máxima. Em todos, realizou-se avaliação dos níveis séricos de glicose, lipídios e testosterona. Pesquisou-se a associação entre a DE (escore ≤ 25 no domínio da ereção do IIEF) e as medidas antropométricas estudadas, considerando-se estatisticamente significativo um valor de p<0,05. Em modelo de regressão logística, avaliou-se as razões de chances (RC) para o diagnóstico de DE, após a padronização do efeito das medidas antropométricas para condições sócio-demográficas, laboratoriais e IMC, considerando-se em separado os homens com idades entre 40 e 60 anos e com mais de 60 anos. Resultados: Nos homens com 40 a 60 anos de idade, os diferentes índices antropométricos de obesidade central não mostraram correlação com a presença de DE (p>0,05). Já no grupo de homens com idade superior a 60 anos (41%, variando de 61 a 81 anos) demonstrou-se uma associação entre DE e o índice cintura-quadril (p=0,04), índice cintura-coxa (p=0,02), diâmetro abdominal sagital (p=0,03), índice diâmetro abdominal sagital-altura (p=0,02) e circunferência abdominal máxima (p=0,04). Após análise de regressão logística, um efeito independente na predição de DE foi observado com a circunferência da cintura (RC: 16,86, IC95%: 1,05-270,75), índice cinturaquadril (RC: 5,05 (IC95%: 1,04-24,67), diâmetro abdominal sagital (RC: 8,55, IC95%: 1,34-54,38), índice diâmetro abdominal sagital-altura (RC: 13,01, IC95%: 1,05-160,65), e circunferência abdominal máxima (RC: 12,25, IC95%: 1,83-81,91). Conclusão: Sugere-se que a presença de obesidade central, detectada por antropometria, está associada à presença de DE em homens com idade entre 61 e 81 anos. Algumas dessas medidas antrométricas, tais como o diâmetro abdominal sagital, índice diâmetro abdominal sagital-altura, circunferência abdominal máxima, circunferência da cintura e índice cinturaquadril, mostraram-se particularmente úteis na predição da DE.
2

Ação sobre a via nitrérgica, e sobre os canais de cloreto e de potássio ATP dependentes, como mecanismo adicional de ação da ioimbina no relaxamento do músculo liso do corpo cavernoso de humanos : estudo in vitro / Ioimbina acting on nitrergic way, and on atp-sensitive k+ channel and chloride channel, as additional yohimbine’s mechanism of action upon relaxation of the human corpus cavernosum smooth muscle : in vitro study

Freitas, Fernando César Muniz January 2007 (has links)
FREITAS, Fernando César Muniz. Ação sobre a via nitrérgica, e sobre os canais de cloreto e de potássio ATP dependentes, como mecanismo adicional de ação da ioimbina no relaxamento do músculo liso do corpo cavernoso de humanos : estudo in vitro. 2007. 60 f. Dissertação (Mestrado em Cirurgia) - Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Medicina, Fortaleza, 2007. / Submitted by denise santos (denise.santos@ufc.br) on 2014-02-19T14:16:13Z No. of bitstreams: 1 2007_dis_fcmfreitas.pdf: 918997 bytes, checksum: 1d5fc94839274203faeba633d0b70a73 (MD5) / Approved for entry into archive by denise santos(denise.santos@ufc.br) on 2014-02-19T14:16:34Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2007_dis_fcmfreitas.pdf: 918997 bytes, checksum: 1d5fc94839274203faeba633d0b70a73 (MD5) / Made available in DSpace on 2014-02-19T14:16:34Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2007_dis_fcmfreitas.pdf: 918997 bytes, checksum: 1d5fc94839274203faeba633d0b70a73 (MD5) Previous issue date: 2007 / Introduction: About 52% of men aged between 40 and 70 years old suffer with erectile dysfunction (ED). Yohimbine (YOH), an α2-adrenergic blocker, has been used for ED treatment for several decades, and it still has its indications. However its mechanism of action still remains obscure. Most of the studies with YOH were made with corpus cavernosum and aorta of rats and rabbits, due to the difficulty of getting human tissue. The aim of this study is to define the non-cholinergic non-adrenergic mechanism of action of the YOH, evaluating the nitrergic pathway and the role of the ionic channels in the human cavernosum smooth muscle. Methods: The corpus cavernosum were removed from 13 male cadavers donors (18-53 years old), during surgery for removing of organs for transplant, following the national protocols for organs donation. The strips of human cavernosum muscle were vertically settled in parallel, in isometric register bath in KHS solution (pH 7,4, at 37ºC), constantly gassed with (O2-95% and CO2-5%). Curves dose-reply were performed with IOI (10-12 - 10-4 M) in strips of human corpus cavernosum beings pre-contracted with phenilefrine (10 µM) and with rich depolarizing solution in potassium (60 mM of K+), in association with nitrergic and ionic channels inhibitors (Na+, K+ and Cl-), for study of NANC ways. Results: The YOH provided an important relaxation for the strips of in vitro human corpus cavernosum under the dose of 10-4 M. After pre-contraction with phenilefrine (10 µM), the strips submitted to the YOH in this dose, got relaxed 95.8%, and when the pre-contraction was made with rich depolarizing K+ solution (60 mM of K+), Ca++ (2 mM), containing 10 µM guanethidine (chemical simpatolitic) e 10µM phentolamine (α-adrenergic blocker), the relaxation was of 69,5% (p<0,05). The YOH (10-4M), after pre-contraction with fenilefrina (10 µM), under the presence of 7-NI (10 µM) and of L-NAME (100 µM) (nitric oxide synthases inhibitors (nNOS and eNOS, respectively)), and of the ODQ (soluble guanylate cyclase enzyme inhibitor – 10 µM) provided relaxation of the human cavernosum muscle of 57,4%; 55.5%; 62.99%; respectively (p<0,05). In association with TTX (Tetrodotoxina - neuronal sodium channel inhibitor – 100 µM), TEA (tetraetilamonio - potassium channels voltage-dependents activated by calcium blocker – 100 µM), and with apamina + charybdotoxina (potassium channels activated by calcium blocker of low and high conductance - 0,1 µM + 1 µM), we got a relaxation of 56,4%; 100%; 100% respectively (p>0,05). With the glibenclamida (KATP and Cl- channels blocker – 10 µM), we got a 71,1% relaxation (p<0,05). Conclusion: The pharmacologic studies results suggest that the YOH relaxes the human corpus cavernosum by another mechanism different of his adrenergic blockade, possibly activating the nitrergic pathway, and through Cl- and KATP channels (NO - GUANILATO CICLASE - GMPc - chloride and KATP channels). The YOH doesn’t act through Na+ channels, and doesn’t act through potassium channels voltage-dependents activated by calcium, as well as it doesn’t act in the K+ channels activated by calcium of low and high conductance. / Introdução: Cerca de 52% dos homens na faixa etária entre 40 e 70 anos sofrem de disfunção erétil (DE). A ioimbina (IOI), um inibidor adrenérgico α2, vem sendo usada no tratamento da DE há décadas, e ainda tem as suas indicações, porém seu mecanismo de ação ainda permanece obscuro. A maior parte dos estudos com IOI foi realizada em corpos cavernosos e aorta de ratos e coelhos, devido à dificuldade de se obter tecido humano. O objetivo deste estudo é definir o mecanismo de ação não-adrenérgico não-colinégico da IOI, avaliando a via nitrérgica e a via dos canais iônicos no músculo liso de corpo cavernoso humano. Métodos: Os corpos cavernosos foram retirados de 13 doadores cadáveres masculinos (idade 18-53 anos), durante cirurgia pra retirada de órgãos para transplante, seguindo os protocolos de doação de tecidos. As tiras de músculo cavernoso humano foram montadas verticalmente em paralelo, em banho de registro isométrico em solução de KHS (pH 7,4, a 37°C), constantemente aerada (O2-95% e CO2-5%). Foram realizadas curvas dose-resposta com IOI (10-12 –10-4 M) em tiras de corpos cavernosos de humanos pré-contraídas com fenilefrina (10 µM) e com solução despolarizante rica em potássio (60 mM de K+), em associação com inibidores da via nitrérgica e da via de canais iônicos (Na+, K+ e Cl-), para estudo das vias NANC. Resultados: A IOI obteve relaxamento importante das tiras de corpo cavernoso humano in vitro na dose 10-4 M. Após pré-contração com fenilefrina (10 µM), as tiras submetidas à IOI nesta dose, relaxaram 95,8%, e quando a pré-contração foi realizada com solução despolarizante rica em K+ (60 mM de K+), Ca++ (2 mM), contendo 10 µM guanetidina (simpatolítico químico) e 10 µM fentolamina (bloqueador α-adrenérgico), o relaxamento foi de 69,5% (p<0,05). A IOI (10-4M), após pré-contração com fenilefrina (10 µM), e na presença de 7- NI (10µM) e do L-NAME (100µM) (bloqueadores das enzimas óxido nítrico sintetases constitutivas (nNOS e eNOS, respectivamente)) e do ODQ (inibidor da enzima guanilato ciclase solúvel - 10µM) proporcionou relaxamento do músculo cavernoso humano de 57,4%; 55,5%; 62,99%; respectivamente (p<0,05). Em associação com TTX (Tetrodotoxina - bloqueador do canal de sódio neuronal - 100µM), TEA (tetraetilamonio - bloqueador de canais de potássio voltagem-dependentes ativados por cálcio - 100µM), e com apamina + charybdotoxina (inibidores dos canais de potássio ativados por cálcio de baixa, média e alta condutância -0,1µM + 1µM), obteu-se relaxamento de 56,4%; 100%; 100% respectivamente (p>0,05). Já com a glibenclamida (inibidor dos canais de KATP e de Cl- - 10µM), proporcionou relaxamento de 71,1% (p<0,05). Conclusão: Os resultados dos estudos farmacológicos sugerem que a IOI relaxa o corpo cavernoso de humano por mecanismo outro que não o seu bloqueio adrenérgico, possivelmente ativando a via nitrérgica, e via canais de KATP e de CL- (NO – GUANILATO CICLASE – GMPc – canais de KATP e de cloreto). A IOI não age via canais de Na+, e nem atua via canais de potássio voltagem-dependentes ativados por cálcio, como também não age nos canais de potássio ativados por cálcio de baixa, média e alta condutância. Palavras-chave: ioimbina, corpo cavernoso, disfunção erétil, canais de K+.
3

Estudo das medidas antropométricas de obesidade e sua correlação com a disfunção erétil

Riedner, Charles Edison January 2005 (has links)
Introdução e Objetivo: Há evidências crescentes na literatura sobre a associação entre a disfunção erétil (DE) e a obesidade. O objetivo deste estudo é correlacionar os diferentes índices antropométricos de obesidade central com a DE. Métodos: Realizou-se um estudo transversal envolvendo 256 homens consecutivos com idade igual ou superior a 40 anos e que não apresentavam condições clínicas associadas à presença de DE. A função erétil foi avaliada em todos eles através do preenchimento do Índice Internacional de Função Erétil (IIEF), seguida de avaliação antropométrica com pesquisa do índice de massa corporal (IMC), circunferência da cintura, índice cintura-quadril, índice cintura-coxa, índice cintura-altura, diâmetro abdominal sagital, índice diâmetro abdominal sagital-coxa, índice diâmetro abdominal sagital-altura e circunferência abdominal máxima. Em todos, realizou-se avaliação dos níveis séricos de glicose, lipídios e testosterona. Pesquisou-se a associação entre a DE (escore ≤ 25 no domínio da ereção do IIEF) e as medidas antropométricas estudadas, considerando-se estatisticamente significativo um valor de p<0,05. Em modelo de regressão logística, avaliou-se as razões de chances (RC) para o diagnóstico de DE, após a padronização do efeito das medidas antropométricas para condições sócio-demográficas, laboratoriais e IMC, considerando-se em separado os homens com idades entre 40 e 60 anos e com mais de 60 anos. Resultados: Nos homens com 40 a 60 anos de idade, os diferentes índices antropométricos de obesidade central não mostraram correlação com a presença de DE (p>0,05). Já no grupo de homens com idade superior a 60 anos (41%, variando de 61 a 81 anos) demonstrou-se uma associação entre DE e o índice cintura-quadril (p=0,04), índice cintura-coxa (p=0,02), diâmetro abdominal sagital (p=0,03), índice diâmetro abdominal sagital-altura (p=0,02) e circunferência abdominal máxima (p=0,04). Após análise de regressão logística, um efeito independente na predição de DE foi observado com a circunferência da cintura (RC: 16,86, IC95%: 1,05-270,75), índice cinturaquadril (RC: 5,05 (IC95%: 1,04-24,67), diâmetro abdominal sagital (RC: 8,55, IC95%: 1,34-54,38), índice diâmetro abdominal sagital-altura (RC: 13,01, IC95%: 1,05-160,65), e circunferência abdominal máxima (RC: 12,25, IC95%: 1,83-81,91). Conclusão: Sugere-se que a presença de obesidade central, detectada por antropometria, está associada à presença de DE em homens com idade entre 61 e 81 anos. Algumas dessas medidas antrométricas, tais como o diâmetro abdominal sagital, índice diâmetro abdominal sagital-altura, circunferência abdominal máxima, circunferência da cintura e índice cinturaquadril, mostraram-se particularmente úteis na predição da DE.
4

Estudo das medidas antropométricas de obesidade e sua correlação com a disfunção erétil

Riedner, Charles Edison January 2005 (has links)
Introdução e Objetivo: Há evidências crescentes na literatura sobre a associação entre a disfunção erétil (DE) e a obesidade. O objetivo deste estudo é correlacionar os diferentes índices antropométricos de obesidade central com a DE. Métodos: Realizou-se um estudo transversal envolvendo 256 homens consecutivos com idade igual ou superior a 40 anos e que não apresentavam condições clínicas associadas à presença de DE. A função erétil foi avaliada em todos eles através do preenchimento do Índice Internacional de Função Erétil (IIEF), seguida de avaliação antropométrica com pesquisa do índice de massa corporal (IMC), circunferência da cintura, índice cintura-quadril, índice cintura-coxa, índice cintura-altura, diâmetro abdominal sagital, índice diâmetro abdominal sagital-coxa, índice diâmetro abdominal sagital-altura e circunferência abdominal máxima. Em todos, realizou-se avaliação dos níveis séricos de glicose, lipídios e testosterona. Pesquisou-se a associação entre a DE (escore ≤ 25 no domínio da ereção do IIEF) e as medidas antropométricas estudadas, considerando-se estatisticamente significativo um valor de p<0,05. Em modelo de regressão logística, avaliou-se as razões de chances (RC) para o diagnóstico de DE, após a padronização do efeito das medidas antropométricas para condições sócio-demográficas, laboratoriais e IMC, considerando-se em separado os homens com idades entre 40 e 60 anos e com mais de 60 anos. Resultados: Nos homens com 40 a 60 anos de idade, os diferentes índices antropométricos de obesidade central não mostraram correlação com a presença de DE (p>0,05). Já no grupo de homens com idade superior a 60 anos (41%, variando de 61 a 81 anos) demonstrou-se uma associação entre DE e o índice cintura-quadril (p=0,04), índice cintura-coxa (p=0,02), diâmetro abdominal sagital (p=0,03), índice diâmetro abdominal sagital-altura (p=0,02) e circunferência abdominal máxima (p=0,04). Após análise de regressão logística, um efeito independente na predição de DE foi observado com a circunferência da cintura (RC: 16,86, IC95%: 1,05-270,75), índice cinturaquadril (RC: 5,05 (IC95%: 1,04-24,67), diâmetro abdominal sagital (RC: 8,55, IC95%: 1,34-54,38), índice diâmetro abdominal sagital-altura (RC: 13,01, IC95%: 1,05-160,65), e circunferência abdominal máxima (RC: 12,25, IC95%: 1,83-81,91). Conclusão: Sugere-se que a presença de obesidade central, detectada por antropometria, está associada à presença de DE em homens com idade entre 61 e 81 anos. Algumas dessas medidas antrométricas, tais como o diâmetro abdominal sagital, índice diâmetro abdominal sagital-altura, circunferência abdominal máxima, circunferência da cintura e índice cinturaquadril, mostraram-se particularmente úteis na predição da DE.
5

Avaliação do efeito da obesidade na associação entre doença cardíaca isquêmica e disfunção erétil

Riedner, Charles Edison January 2010 (has links)
Introdução: A associação entre a disfunção erétil (DE) e a doença arterial coronariana (DAC) tem sido ressaltada em vários estudos, mas ainda é incerta a interação da obesidade central nesta associação. O objetivo do estudo foi avaliar se a associação entre DE e DAC difere, em diferentes grupos etários (<60 anos e ≥60 anos), conforme a presença de obesidade e de outros fatores de risco cardiovascular (tabagismo, sedentarismo, dislipidemia, hiperglicemia e hipertensão arterial sistêmica), além dos níveis séricos de testosterona total e de proteína C reativa e do consumo de bebidas alcoólicas. Método: Dentre os pacientes referenciados à cinecoronariografia no Serviço de Hemodinâmica do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, selecionou-se indivíduos consecutivos com e sem DAC, em delineamento tipo casos e controles. Definiu-se como DAC a presença de estenoses angiográficas de pelo menos 50% do diâmetro da luz em qualquer coronária ou ramo com mais de 3 mm de diâmetro. A função erétil foi avaliada pelo International Index of Erectile Function questionnaire (IIEF), e os fatores de risco cardiovascular e os níveis séricos de testosterona total e de proteína C reativa foram aferidos por metodologia padrão. A análise estatística incluiu o teste do qui-quadrado de Pearson e regressões logísticas, com intuito de avaliar a associação entre DE e DAC em toda amostra e em pacientes estratificados pela idade de 60 anos. Um P<0,05 foi considerado para fins de significância estatística. Resultados: A média etária dos pacientes foi de 58,3 ± 8,9 anos. Demonstrou-se associação entre DAC e DE apenas nos indivíduos com idade inferior a 60 anos: neste segmento etário a DE ocorria em 68,8% dos homens com DAC versus 46,7% dos homens sem DAC (P=0,009). Esta associação se mostrou independente da presença de outros fatores de risco cardiovascular e dos níveis séricos de testosterona total e de proteína C reativa (risco relativo: 2,3, IC 95%: 1,04-5,19). Similarmente, verificou-se que a severidade da DAC era maior entre os indivíduos com DE e idade inferior a 60 anos. Conclusões: Dentre os homens com idade inferior a 60 anos, aqueles que têm queixas de DE apresentam um risco aumentado (independentemente de outros fatores de risco cardiovascular) de possuir a forma crônica da DAC. Nos homens mais idosos, a queixa de DE não está associada de modo independente com a ocorrência de DAC.
6

Caracterização da contração induzida por serotonina em corpo cavernoso de rato: Luigi Marins Berretta ; orientadora, Áurea Elizabeth Linder

Berretta, Luigi Marins January 2014 (has links)
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Farmacologia, Florianópolis, 2014. / Made available in DSpace on 2015-05-05T04:04:28Z (GMT). No. of bitstreams: 1 333179.pdf: 1527732 bytes, checksum: 906299bf45339123cf057dc11fe04619 (MD5) Previous issue date: 2014 / A disfunção erétil pode ser definida como a dificuldade parcial ou total de se obter e/ou manter a ereção peniana para um desempenho sexual satisfatório. Para que a ereção peniana ocorra, há necessidade de aumento do fluxo sanguíneo para o pênis por relaxamento de seu tecido erétil, o corpo cavernoso. Além disso, é preciso que o retorno venoso do pênis diminua para que a ereção se mantenha, processo que conta com a participação da veia dorsal peniana. O papel da serotonina (5-hidroxitriptamina, 5-HT) para a ereção peniana não está bem estabelecido, apesar de crescer o uso de fármacos que alteram sua homeostasia, como a fluoxetina. Além disso, estudos em nosso laboratório demonstraram a capacidade do corpo cavernoso (CC) em captar a 5-HT e metabolizá-la em 5-HIAA, seu principal metabólito. Outros trabalhos mostraram que, após ser captada pela célula vascular, a 5-HT é capaz de modular a contração do músculo liso por um mecanismo denominado serotonilação. Deste modo e sabendo preliminarmente da capacidade do CC de rato contrair na presença da 5-HT, o objetivo do presente trabalho foi o de caracterizar farmacologicamente essa resposta. Na análise de contrações neurogênicas do CC por estímulo elétrico de campo, observamos que o principal neurotransmissor liberado no CC de rato capaz de contraí-lo é a noradrenalina, a qual contrai o CC por ativação dos receptores a1-adrenérgicos. Esses dados sugerem pouca ou nenhuma liberação neuronal de 5-HT. Apesar disso, observamos que a 5-HT exógena é capaz de gerar uma resposta contrátil não reprodutível em CC de rato, sugerindo a existência de taquifilaxia. No entanto, não foi observada resposta taquifilática na veia dorsal peniana exposta à 5-HT 10 µM. Utilizando a metil-ß-ciclodextrina, um tensoativo capaz de sequestrar colesterol causando um desarranjo de estruturas de membrana como as cavéolas, verificamos que a resposta taquifilática não ocorreu através da internalização de receptores pelas caveolas. Além disso, verificamos que a inibição do metabolismo da 5-HT com o uso de pargilina, bem como a inibição da captação de 5-HT com o uso de fluoxetina, não alteraram o perfil da resposta contrátil induzida por 5-HT. Além disso, o metabólito da 5-HT, o 5-HIAA foi incapaz de gerar uma resposta contrátil. Esses dados sugerem ser improvável que a 5-HT intracelular seja importante no processo de contração do CC de rato. Com o uso de agonistas dostipos de receptores 5-HT1 e 5-HT2 e de antagonistas dos tipos de dos receptores 5-HT1, 5-HT2, 5-HT3 e 5-HT7, demonstramos que receptores 5-HT2 e, mais especificamente os do subtipo 5-HT2A, sejam os principais responsáveis por gerar a contração observada no CC de rato. Podemos concluir que a ativação de receptores 5-HT2A pela 5-HT em CC de ratos induz uma resposta contrátil que sofre dessensibilização com exposições repetidas à amina, fenômeno não observado na veia dorsal peniana. Desta forma, por não manter seu efeito contrátil no CC, e por contrair a veia dorsal peniana, a 5-HT pode contribuir para a função erétil em ratos.<br> / Abstract : Erectile dysfunction is defined as the inability to obtain and/or maintain an erection for satisfactory sexual performance. Penile erection occurs by the increase in blood flow into the penis in parallel with the relaxation of the corpus cavernosum (CC), its erectile tissue. Furthermore, a decrease in venous return from the penis is also necessary to maintain erection, a process that involves the participation of the dorsal penile vein. The role of serotonin (5-hydroxytryptamine, 5-HT) in penile erection is not well established despite the increasing use of drugs that alter its homeostasis, such as fluoxetine. Moreover, data from our laboratory show the ability of the CC to take up 5-HT and metabolize it into its major metabolite, 5-HIAA. Other studies have shown that after 5-HT uptake by the vascular smooth muscle cell, it is able to modulate smooth muscle contraction intracellularly by a mechanism called serotonylation. In light of these aspects, and knowing preliminarily the contractile ability of 5-HT, the purpose of this study was to characterize pharmacologically the contractile response of the rat CC to 5-HT. By evaluating neurogenic contractions induced by electrical field stimulation, we observed that norepinephrine is the main contractile neurotransmitter released in the rat CC, acting via stimulation of a1-adrenergic receptors. These data suggest nerves in the CC release little or no 5-HT. Nevertheless, we observed that exogenous 5-HT is able to induce a non-reproducible contractile response in the rat CC, suggesting tachyphylaxis. However, this tachyphylactic response to 5-HT was not observed in the dorsal penile vein. Using methyl-ß-cyclodextrin, a drug that depletes cholesterol from the cell membrane and causes a disruption of caveolae structures, we found that the tachyphylactic response does not occur through 5-HT receptor internalization via caveolae. Furthermore, we found that the inhibition of 5-HT metabolism by pargyline, as well the inhibition of 5-HT uptake by fluoxetine did not alter the profile of the contractile response induced by 5-HT. Moreover, 5-HIAA was unable to produce a contractile response. These data suggest that intracellular 5-HT is unlikely important to contraction of the rat CC. Using agonists of the 5-HT1 and 5-HT2 families of 5-HT receptors and antagonists of the 5-HT1, 5-HT2, 5-HT3 and 5-HT7 families of 5-HT receptors, we observed that the 5-HT2 receptors, more specifically the 5-HT2A, are the main responsiblefor the contraction induced by 5-HT in the rat CC. We conclude that the activation of the 5-HT2A receptor by 5-HT induces a tachyphylactic contractile response in the CC, but not in the dorsal penile vein. This inability of 5-HT to maintain a sustained contraction of the CC, allied to its ability to contract the penile dorsal vein, suggest it may contribute to erectile function in rats.
7

Avaliação da atividade relaxante de 17-NOR-subincanadina E, um alcalóide isolado de Aspidosperma ulei MARKGR. sobre a musculatura lisa cavernosa de coelhos / Evaluation of activity of 17-nor-subincanadina AN isolated alkaloid from Aspidosperma ulei MARKGR on cavernous smooth muscle of rabbits

Deocleciano Júnior, Otacilio Benvindo January 2008 (has links)
Submitted by denise santos (denise.santos@ufc.br) on 2012-05-08T13:07:20Z No. of bitstreams: 1 2008_dis_obdjunior.pdf: 1576870 bytes, checksum: 1887ae1164408ce992e1b43d4a8b24dc (MD5) / Approved for entry into archive by Eliene Nascimento(elienegvn@hotmail.com) on 2012-05-08T16:53:29Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2008_dis_obdjunior.pdf: 1576870 bytes, checksum: 1887ae1164408ce992e1b43d4a8b24dc (MD5) / Made available in DSpace on 2012-05-08T16:53:29Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2008_dis_obdjunior.pdf: 1576870 bytes, checksum: 1887ae1164408ce992e1b43d4a8b24dc (MD5) Previous issue date: 2008 / DEOCLECIANO JÚNIOR, Otacílio Benvindo. Avaliação da atividade relaxante de 17-NOR-SUBINCANADINA e, um alcalóide isolado de Aspidosperma ulei MARKGR. sobre a musculatura lisa cavernosa de coelhos. 2008. 113 f. Dissertação (Mestrado em Farmacologia) - Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Medicina, Fortaleza, 2008. / Past studies have shown that the indole alkaloidal rich fraction (F(3-5)) from Aspidosperma ulei Markgr. root bark displays pro-erectile function in vivo and a relaxant effect on isolated rabbit corpus cavernosum in vitro. Also, a recent study demonstrated the in vivo pro-erectile like activity of 17-nor-subincanadina E (SEC), an alkaloid isolated from stem bark of this plant. This study aimed to assess further the effect of SEC on the smooth muscle tone (spontaneous or induced) in vitro, utilizing the strips of tracheal, intestinal, vascular and corpus cavernosal tissues of rabbits. An attempt was also made to study the possible mechanism of SEC on rabbit corpus cavernosum (RbCC). RbCC strips, were mounted in organ baths containing Krebs solution. After equilibration, the tissues were precontracted with phenylephrine (10 µM) or potassium (40mM). SEC (1-100 μg/ml) caused a concentration dependent relaxation in the isolated rabbit corpus cavernosum precontracted with phenylephrine and displayed comparatively greater relaxant effect on corpus cavernosum IC50 [7,174 (3,155-16,31) μg/ml], SEC produced concentration-dependent relaxations of the aortic rings in endothelium intact and denuded IC50[29,76 (90,32–115,6) μg/ml] and IC50[ 26,13 (75,83–119,9) μg/ml], respectively, trachea rings IC50[60,25 (0,330-109,8) μg/ml], and of spontaneous motility in segments of duodenum IC50[76,78 (33,09–178,2) μg/ml]. The relaxant effect of SEC (1-100 µg/ml) on phenylephrine contraction was unaffected in the presence of adrenergic blockers (phentolamine and guanethidine), muscarinic blocker (atropine), KATP channel blocker (glibenclamide), Ca2+-dependent K+ channel blockers (apamin and iberiotoxin), and in the presence of N-omega-nitro-L-arginine methyl ester (L-NAME 100 µM)). However, the SEC relaxation was significantly attenuated by ODQ (30 μ M) (79.1%±4.5%, p <0.05). Incubations of RbCC with SEC (10 and 30 µg/mL) caused significant increases of cGMP (21.5%±4.2%, p <0.05) and cAMP (331.95%±26.1%, p <0.05) levels. Preincubation with SEC (10 and 30 µM) also significantly enhanced the relaxation response to the exogenous NO-donor (GTN) and an activator of adenyl cyclase (forskolin). the relaxations evoked by electrical stimulation was significantly decreased by SEC (10 µg/mL) (65.0%±10.9%, p <0.05). The phasic component of the contraction induced by K+ 40 mM as well as the maximal contraction elicited by increasing external Ca2+ concentrations in depolarized corpora cavernosa was inhibited by SEC (15 µg/mL). Our results indicate that SEC can induce comparatively a greater relaxant effect on rabbit cavernosal tissue in vitro via a mechanism that involves an increase of cAMP and cGMP levels and a blocking effect on calcium flux. These data suggest that Aspidiosperma ulei Markgr. can be explored as an alternative for the treatment of erectile dysfunction. / Estudos anteriores demonstraram que uma fração rica (F(3-5)) em alcalóides indólicos extraída das cascas da raiz de Aspidosperma ulei Markgr. exibe função pró-eretil in vivo e relaxamento em corpos cavernosos de coelhos in vitro. Um estudo recente demonstrou que 17-nor-subincanadina E (SEC), um alcalóide extraído das cascas do caule da mesma planta, apresentou atividade pró-eretil in vivo. O presente trabalho teve por objetivo avaliar o efeito desse alcalóide sobre o tônus de diferentes tipos de musculatura lisa de coelhos e investigar o mecanismo de ação da substancia sobre o músculo liso cavernoso in vitro. Os tecidos foram montados em banhos de 5 ml contendo solução de Krebs-Henseleit (CO2 5% - O2 95%; 37ºC). A resposta relaxante máxima induzida por SEC (1 – 100 µg/ml) em segmentos de corpos cavernosos de coelhos contraídos com fenilefrina (PHE-10μM) foi de 100%, e apresentou um efeito relaxante preferencial para esse tecido, IC50[7, 174 (3,155 - 16,31) μg/ml]. SEC promoveu também relaxamento em anéis de aorta na presença e na ausência de endotélio, IC50[29,76 (90,32 – 115,6) μg/ml] e IC50[26,13 (75,83 – 119,9) μg/ml], respectivamente, anéis de traquéia IC50[60,25 (0,330 – 109,8) μg/ml] e em segmentos de duodeno IC50[76,78 (33,09 – 178,2) μg/ml]. O relaxamento induzido por SEC (1 – 100 µg/ml) não foi afetado por bloqueadores adrenérgicos (fentolamina e guanetidina), muscarínicos (atropina), ou bloqueadores dos canais de potássio dependentes de ATP (KATP)(glibenclamida) e ativados por cálcio (Kca) (apamina e iberiotoxina) e nem na presença de L-NAME; a adição de ODQ (30 µM) bloqueou o relaxamento induzido por SEC (79,1% ± 4,5%; p<0,05). Observou-se também um aumento dos níveis teciduais de AMPc (331,95% ± 26,1%; p<0,05) e GMPc (21,5% ± 4,2%; p<0,05). SEC (10 µg/ml e 30 µg/ml) potencializou o relaxamento induzido por gliceriltrinitrato (GTN) e forskolina (FK) e foi capaz de diminuir o relaxamento induzido pela estimulação por campo elétrico (ECE) (65,0% ± 10,9%; p< 0,05). SEC 15 μg/ml bloqueou a contração induzida por CaCl2 1 - 300 mM em corpos cavernosos de coelhos pré-contraídos com K+ (40 mM), 0 Ca++. Nossos resultados indicam que SEC manifesta atividade relaxante preferencial no músculo liso cavernoso a nível periférico e que esse efeito está aparentemente relacionado com um aumento dos níveis de AMPc e GMPc e um possível bloqueio do fluxo de cálcio. Estes dados sugerem que Aspidosperma ulei Markgf. pode ser explorada como uma alternativa para o tratamento da disfunção erétil.
8

Avaliação do efeito da obesidade na associação entre doença cardíaca isquêmica e disfunção erétil

Riedner, Charles Edison January 2010 (has links)
Introdução: A associação entre a disfunção erétil (DE) e a doença arterial coronariana (DAC) tem sido ressaltada em vários estudos, mas ainda é incerta a interação da obesidade central nesta associação. O objetivo do estudo foi avaliar se a associação entre DE e DAC difere, em diferentes grupos etários (<60 anos e ≥60 anos), conforme a presença de obesidade e de outros fatores de risco cardiovascular (tabagismo, sedentarismo, dislipidemia, hiperglicemia e hipertensão arterial sistêmica), além dos níveis séricos de testosterona total e de proteína C reativa e do consumo de bebidas alcoólicas. Método: Dentre os pacientes referenciados à cinecoronariografia no Serviço de Hemodinâmica do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, selecionou-se indivíduos consecutivos com e sem DAC, em delineamento tipo casos e controles. Definiu-se como DAC a presença de estenoses angiográficas de pelo menos 50% do diâmetro da luz em qualquer coronária ou ramo com mais de 3 mm de diâmetro. A função erétil foi avaliada pelo International Index of Erectile Function questionnaire (IIEF), e os fatores de risco cardiovascular e os níveis séricos de testosterona total e de proteína C reativa foram aferidos por metodologia padrão. A análise estatística incluiu o teste do qui-quadrado de Pearson e regressões logísticas, com intuito de avaliar a associação entre DE e DAC em toda amostra e em pacientes estratificados pela idade de 60 anos. Um P<0,05 foi considerado para fins de significância estatística. Resultados: A média etária dos pacientes foi de 58,3 ± 8,9 anos. Demonstrou-se associação entre DAC e DE apenas nos indivíduos com idade inferior a 60 anos: neste segmento etário a DE ocorria em 68,8% dos homens com DAC versus 46,7% dos homens sem DAC (P=0,009). Esta associação se mostrou independente da presença de outros fatores de risco cardiovascular e dos níveis séricos de testosterona total e de proteína C reativa (risco relativo: 2,3, IC 95%: 1,04-5,19). Similarmente, verificou-se que a severidade da DAC era maior entre os indivíduos com DE e idade inferior a 60 anos. Conclusões: Dentre os homens com idade inferior a 60 anos, aqueles que têm queixas de DE apresentam um risco aumentado (independentemente de outros fatores de risco cardiovascular) de possuir a forma crônica da DAC. Nos homens mais idosos, a queixa de DE não está associada de modo independente com a ocorrência de DAC.
9

Avaliação do efeito da obesidade na associação entre doença cardíaca isquêmica e disfunção erétil

Riedner, Charles Edison January 2010 (has links)
Introdução: A associação entre a disfunção erétil (DE) e a doença arterial coronariana (DAC) tem sido ressaltada em vários estudos, mas ainda é incerta a interação da obesidade central nesta associação. O objetivo do estudo foi avaliar se a associação entre DE e DAC difere, em diferentes grupos etários (<60 anos e ≥60 anos), conforme a presença de obesidade e de outros fatores de risco cardiovascular (tabagismo, sedentarismo, dislipidemia, hiperglicemia e hipertensão arterial sistêmica), além dos níveis séricos de testosterona total e de proteína C reativa e do consumo de bebidas alcoólicas. Método: Dentre os pacientes referenciados à cinecoronariografia no Serviço de Hemodinâmica do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, selecionou-se indivíduos consecutivos com e sem DAC, em delineamento tipo casos e controles. Definiu-se como DAC a presença de estenoses angiográficas de pelo menos 50% do diâmetro da luz em qualquer coronária ou ramo com mais de 3 mm de diâmetro. A função erétil foi avaliada pelo International Index of Erectile Function questionnaire (IIEF), e os fatores de risco cardiovascular e os níveis séricos de testosterona total e de proteína C reativa foram aferidos por metodologia padrão. A análise estatística incluiu o teste do qui-quadrado de Pearson e regressões logísticas, com intuito de avaliar a associação entre DE e DAC em toda amostra e em pacientes estratificados pela idade de 60 anos. Um P<0,05 foi considerado para fins de significância estatística. Resultados: A média etária dos pacientes foi de 58,3 ± 8,9 anos. Demonstrou-se associação entre DAC e DE apenas nos indivíduos com idade inferior a 60 anos: neste segmento etário a DE ocorria em 68,8% dos homens com DAC versus 46,7% dos homens sem DAC (P=0,009). Esta associação se mostrou independente da presença de outros fatores de risco cardiovascular e dos níveis séricos de testosterona total e de proteína C reativa (risco relativo: 2,3, IC 95%: 1,04-5,19). Similarmente, verificou-se que a severidade da DAC era maior entre os indivíduos com DE e idade inferior a 60 anos. Conclusões: Dentre os homens com idade inferior a 60 anos, aqueles que têm queixas de DE apresentam um risco aumentado (independentemente de outros fatores de risco cardiovascular) de possuir a forma crônica da DAC. Nos homens mais idosos, a queixa de DE não está associada de modo independente com a ocorrência de DAC.
10

Os múltiplos contornos do corpo vivido na disfunção erétil : uma pesquisa fenomenológica / The Multiple Contours of the Lived Body in Erectile Dysfunction: a Phenomenological Perspective (Inglês)

De Zorzi, Fabiana 03 December 2012 (has links)
Made available in DSpace on 2019-03-29T23:40:24Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2012-12-03 / The present study aimed to understand the multiple contours of the lived body of men with erectile dysfunction (ED). ED is the difficulty of men to have or maintain penile erection, making it impossible to obtain sexual pleasure. The importance of this study is given as a way of contributing to the thoughts that will permit and aid the comprehension of professionals in their approach to sexuality, avoiding the silence of the professionals in the treatment of their patients. The lack of knowledge in professionals can hinder understanding and patient contact, compromising the diagnostic, the prognosis, and the process of treatment as a whole. The data was obtained through interviews with 12 men, between 20 and 63 years of age, with varied educations and professions. The life experiences of the subjects interviewed were analyzed and interpreted according to the Phenomenological method, inspired by Merleau-Ponty and refined by Giorgi and Alvim by analyzing the diacritics contours. The diacritics contours refer to all the enunciations produced by the lived body. They shape the experience and serve as an access code to the comprehension of the phenomenon. The steps to the analysis of the diacritic contour were: 1) listening the form: transcriptions with the diacritic contours in highlights; 2) contour of the emergent themes from diacritic contours; 3) selection of the significant contours and 4) understanding of dialectics. The phenomenological description revealed 57 themes among the 12 interviews. Through imaginative variations it was possible to structure three significant contours: 1) Sex "of men", which admits two subcategories ((dis)functional body and the visible character for others); 2) the partner in coexistence with erectile dysfunction (disharmonious relationship, and the women's desire as direct repercussion to ED) and 3) ways to overcome. From the comprehension of the dialectics, one can consider that the difficulty or absence of erection makes part of a relational field of this subject. This is not something psychological that causes an apparently physical dysfunction, or even some physiological problem. The ED is the expression of a body with an overall operation. Keywords: erectile dysfunction; lived body; sexuality; male subjectivity; phenomenology. / O presente estudo teve como objetivo compreender os multiplos contornos do corpo vivido de homens com disfuncao eretil (DE). A DE e a dificuldade do homem em ter ou manter a erecao peniana, impossibilitando-o de obter prazer sexual. A importancia deste estudo se da como forma de contribuir nas reflexoes que permitam ampliar e auxiliar a compreensao de profissionais na abordagem da sexualidade, evitando o silencio do profissional no tratamento de seus pacientes. A falta de conhecimento pode dificultar a compreensao e o contato com o paciente, comprometendo o diagnostico, o prognostico, e o processo do tratamento como um todo. Os dados obtidos se deram atraves de entrevistas com doze homens, entre 20 e 63 anos de idade, com formacao e ocupacao profissional variadas. As experiencias vividas dos sujeitos entrevistados foram analisadas e interpretadas de acordo com o metodo fenomenologico, inspirado em Merleau-Ponty e refinado por Giorgi e Alvim, por meio da analise dos contornos diacriticos. Os contornos diacriticos se referem a todas as enunciacoes produzidas pelo corpo vivido. Eles dao forma a experiencia e servem como um codigo de acesso a compreensao do fenomeno. Os passos para a analise dos contornos diacriticos foram: 1) escuta da forma: transcricao com os contornos diacriticos em destaque; 2) contorno dos temas emergentes, a partir dos contornos diacriticos; 3) selecao dos contornos significantes e 4) compreensao da dialetica. A descricao fenomenologica desvelou 57 tematicas entre as 12 entrevistas. Atraves de variacao imaginativa foi possivel estruturar tres contornos significantes: 1) Sexo \de homem., o qual comporta duas subcategorias (corpo (dis)funcional e o carater visivel por outrem); 2) A parceira em coexistencia na disfuncao eretil (relacao (des)afinada, e o desejo da mulher como repercussao direta na DE) e 3) formas de superacao. A partir da compreensao dialetica, podemos considerar que a dificuldade ou ausencia de erecao faz parte de um campo relacional deste sujeito. Nao se trata de algo psicologico que causa uma disfuncao aparentemente fisica, ou mesmo algum problema psicologico. A DE trata-se da expressao de um corpo com um funcionamento global. Palavras-chave: disfuncao eretil; corpo vivido; sexualidade; subjetividade masculina; fenomenologia.

Page generated in 0.0564 seconds