• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 18
  • Tagged with
  • 18
  • 18
  • 7
  • 7
  • 7
  • 7
  • 5
  • 5
  • 4
  • 4
  • 3
  • 3
  • 2
  • 2
  • 2
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Ecologia comportamental do golfinho-rotador (stenella longirostris) em Fernando de Noronha

SILVA JUNIOR, José Martins da January 2005 (has links)
Made available in DSpace on 2014-06-12T23:02:08Z (GMT). No. of bitstreams: 2 arquivo8224_1.pdf: 1842986 bytes, checksum: 7e0610d4360ccc6c613fceebd85e025a (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2005 / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior / Golfinhos-rotadores (Stenella longirostris - Delphinidae) congregam-se regularmente em grandes grupos ao redor do Arquipélago de Fernando de Noronha, principalmente na Baía dos Golfinhos, enseada com elevada transparência da água. É apresentada aqui uma visão ordenada sobre a atividade subaquática diurna dos golfinhos-rotadores. Em mergulho livre na Baía dos Golfinhos, o comportamento dos golfinhos foi observado, fotografado, filmado em vídeo e registrado qualitativa e quantitativamente com uso dos métodos de amostragens animal focal e todas as ocorrências . A foto-identificação dos golfinhos foi usada para algumas das análises em que foi necessário individualizar os animais. A coleta de dados foi feita de maio de 1994 a maio de 1995 e de junho de 1998 a junho de 2004, totalizando 243 dias de mergulho e 204 horas/homem de observações. Além de comportamentos descritos em outros estudos para outras populações, como descanso, acasalamento e jogo, são aqui descritos comportamentos pouco conhecidos, como amamentação, defecação e regurgitação. Também, é descrito e ilustrado o comportamento de regurgitação dos golfinhos-rotadores, detalhando as fases do processo, o conteúdo dos regurgito e uma hipótese causal. Todos os regurgitos eram compostos por pedaços do corpo e bicos de lulas, estes últimos presumivelmente irritantes ao tubo digestório. São também relatadas interações e associações heteroespecíficas dos golfinhos-rotadores. São registrados aqui dois tipos de interações agonísticas, com golfinhos-pintados (Stenella attenuata - Delphinidae) e com tubarões-de-recifes (Carcharhinus perezi - Carcharhinidae). Ainda, foram registrados dois tipos de associações entre peixes e golfinhos-rotadores, aproveitamento alimentar de dejetos dos golfinhos por peixes planctófagos e acompanhamento dos golfinhos por rêmoras. Doze espécies de peixes de sete famílias foram observadas alimentando-se de fezes e vômitos dos golfinhos. Como todas as espécies observadas se alimentando de dejetos dos golfinhos alimentam-se de plâncton ou algas à deriva na coluna d água, alimentar-se dos restos de cetáceos pode ser considerado como uma mudança oportunista no comportamento de forrageio. Esta relação entre peixes e golfinhos é aqui considerada como uma nova função ecológica para cetáceos, a de provedor de alimento para peixes recifais. Outra associação registrada foi a fixação de rêmoras (Remora australis - Echeneidae) ao corpo dos golfinhos. Foram feitos registros múltiplos de duas rêmoras (uma delas com marcas naturais) agarradas a um golfinho durante 47 dias e de outro par de rêmoras (ambas com marcas naturais) agarrado ao mesmo golfinho durante 87 dias. Provavelmente, a fidelidade de associação ao mesmo golfinho hospedeiro aumente a possibilidade da rêmora se reproduzir, assim como a natureza altamente social dos golfinhos-rotadores propicie o encontro entre parceiros de rêmoras para reprodução. O comportamento do golfinho-rotador de Fernando de Noronha é similar, em diversos aspectos, ao descrito para outras populações, especialmente no que se refere às categorias de descanso, cópula e jogo. Entretanto, em Fernando de Noronha foram registradas categorias de comportamentos até então inéditas, confirmando a elevada diversidade do repertório comportamental do golfinho-rotador. É provável que o registro, em Fernando de Noronha, de comportamentos pouco conhecidos para golfinhos esteja relacionado às condições oceanográficas e comportamentais excepcionalmente favoráveis para observações subaquáticas dos golfinhos-rotadores na Baía dos Golfinhos
2

Padrão de dispersão e análise da área de uso de uma população urbana de sagüis-do-nordeste Callithrix jacchus, (callitrichidae, Primates)

Ferreira, Isabele Albuquerque Alcoforado January 2003 (has links)
Made available in DSpace on 2014-06-12T15:06:16Z (GMT). No. of bitstreams: 2 arquivo1947_1.pdf: 1104506 bytes, checksum: 575658f343fa190cbe1b4a98fb943787 (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2003 / O sagüi do nordeste (Callithrix jacchus) é um primata endêmico do Nordeste Brasileiro, habitando diversos ecossistemas, inclusive ambientes urbanos, que vive em pequenos grupos familiares. Esse trabalho foi realizado no campus da UFRPE, Brasil, e teve como objetivo calcular a área de uso e descrever o padrão de dispersão de um grupo de sagüis urbanizados. Um grupo foi estudado de fevereiro a setembro de 2002 e capturado regularmente para coleta de dados morfométricos. No início das observações o grupo era composto de sete animais: 2 fêmeas adultas, 1 macho adulto, 1 macho jovem e 3 infantes. No final das observações, a composição era: 2 machos adultos, 2 fêmeas adultas, 1 fêmea sub-adulta e 1 jovem. Durante o estudo 2 animais adultos se dispersaram para outros grupos, e um jovem foi predado. Para a análise da área de uso a fêmea dominante Adriana (A) foi observada e sua localização anotada a cada 20 minutos por um período de 8 meses. Localizações foram transferidas para o programa CALHOME (Califórnia Home Range) e através do método do Mínimo Polígono Convexo com 100% dos pontos se determinou a área de uso total, que foi 0,67 hectares. Exploram em média 36 árvores, destas, 3 servindo como locais de dormida. O grupo estudado apresentou uma área de uso comparativamente pequena, explicada pela composição florística da área, composta de árvores frutíferas e gomíferas, de fácil acesso, dentro de uma área restrita
3

Estimativa populacional e uso do h?bitat do boto-cinza (Sotalia guianensis) no litoral sul do Rio Grande do Norte

Paro, Alexandre Douglas 19 March 2010 (has links)
Made available in DSpace on 2014-12-17T15:37:00Z (GMT). No. of bitstreams: 1 AlexandreDP_DISSERT.pdf: 2669873 bytes, checksum: 768ddb6435beee3197dde790bf6b26de (MD5) Previous issue date: 2010-03-19 / Conselho Nacional de Desenvolvimento Cient?fico e Tecnol?gico / Four areas are known as of frequent usage by Guiana dolphins (Sotalia guianensis) in the south coast of Rio Grande do Norte state, northeast Brazil: Tabatinga, Pipa, Lagoa de Guara?ras and Baia Formosa. This extension of 40 km of shoreline is under increasing anthropogenic impacts due to continuous development of the coastal areas and vessel traffic. The objective of this study was to investigate aspects of population biology and habitat use of the population of Sotalia guianensis in the south coast of Rio Grande do Norte. It was applied the photo-identification technique and posterior methods of capture-recapture for population estimation (POPAN extension in MARK). The distribution, movement and site fidelity of the dolphins were analyzed trough the geographic information system (GIS) and group characteristics and behavior trough non-parametric statistics. Field work was conducted on board a 10m motor vessel from March 2008 to March 2009. Photo-identification effort was 329h with 113h of direct observation of the dolphins. The population estimatives for each area: Tabatinga: 75 (63-92); Pipa 105 (88-129); Lagoa de Guara?ras: 27 (18-54) e Baia Formosa: 112 (89-129) individuals. Total population estimative was: 223 (192 a 297). High site fidelity was detected for only part of the population (<15%) as low site fidelity and transients individuals were also detected (>20%). It was observed frequent movements between Tabatinga, Lagoa de Guara?ras and Pipa, but not Ba?a Formosa. This suggests a division in two communities along this shore extension: one in Pipa and other in Ba?a Formosa. Group size was small, most groups with up to 10 dolphins. The areas were use intensively, only in Lagoa de Guara?ras dolphins were not seen in all field trips. Lagoa de Guara?ras is an area used by small groups exclusively for foraging. In Tabatinga and Pipa dolphins concentrated close to the shore, in the inner sector of the area and the main activity is also foraging. Significant larger groups were seen in socializing behavior but there was no difference in group size between the inner and external sectors of the area. The presence of calves and juveniles were significant greater in the inner areas of Tabatinga and Pipa, confirming the hypothesis that these beaches are also used for parental care. In Baia Formosa dolphins concentrated in the outer sector and foraging was also predominant. Significant larger groups were seen in the outer sector, mainly engaged in mixed behaviors of travel/foraging, possibly in some kind of group foraging. Calves and juveniles were significant more present in the outer sector where group size was also larger. In general there was no difference in area usage and period of the day. Sotalia guianensis has characteristics that make the species vulnerable to human activities such as small population concentrated in patches of suitable habitats restrict to coastal areas. We hope that this study bring new information for the species and help for the adequate management of the area in order to assure the presence of the dolphins as well as its behavior pattern and gene flow betweencommunities. / Quatro ?reas s?o conhecidas como de freq?ente uso pelo boto-cinza (Sotalia guianensis) no litoral sul do Rio Grande do Norte: Tabatinga, Pipa, Lagoa de Guara?ras e Ba?a Formosa. Esta extens?o de 40km de costa est? sob crescente impacto antr?pico devido ao aumento de constru??es e tr?fego de embarca??es. Este estudo teve por objetivos investigar aspectos populacionais e o uso do h?bitat de uma popula??o de Sotalia guianensis no litoral sul do Rio Grande do Norte. Foi empregada a t?cnica de foto-identifica??o e posteriormente m?todos de captura-recaptura para as estimativas populacionais (extens?o POPAN do programa MARK). A movimenta??o e grau de fidelidade dos indiv?duos foram investigados utilizando sistema de informa??o geogr?fica e an?lises estat?sticas n?o param?tricas. As coletas de campo foram realizadas a bordo de uma embarca??o entre mar?o de 2008 a mar?o de 2009. No total foram 329h de esfor?o de foto-identifica??o e 113h de esfor?o efetivo nas quatro ?reas estudadas. As estimativas foram: Tabatinga: 75 (63-92); Pipa 105 (88-129); Lagoa de Guara?ras: 27 (18-54) e Ba?a Formosa: 112 (89-129) indiv?duos. A popula??o total estimada foi: 223 (192 a 297). A fidelidade a ?rea foi alta por apenas parte da popula??o (<15%), sendo tamb?m observados indiv?duos de fidelidade baixa e transientes (>20%). Foi constatada grande movimenta??o de indiv?duos das ?reas de Tabatinga, Lagoa de Guara?ras e Pipa, mas n?o de Ba?a Formosa, o que sugere uma divis?o de duas comunidades diferentes ao longo do litoral uma em Pipa e outra em Ba?a Formosa. O tamanho dos grupos foi pequeno, com grupos mais freq?entes at? 10 animais. O forrageio foi predominante e os animais usaram a ?rea intensivamente, apenas na Lagoa de Guara?ras os indiv?duos n?o foram vistos todos os dias. A Lagoa de Guara?ras ? um local exclusivo de forrageio de grupos pequenos. Grupos maiores foram visto fora da lagoa, pr?ximo ? entrada. Em Pipa e Tabatinga os animais se concentraram nas enseadas, principalmente em forrageio. Grupos maiores foram vistos em socializa??o, mas n?o houve diferen?as no tamanho dos grupos quando comparado as enseadas com setores mais externos. J? em Ba?a Formosa os animais se concentraram mais no setor externo. Nestas ?reas os grupos maiores estavam engajados em comportamentos de deslocamento e forrageio. A presen?a de imaturos foi maior nas enseadas em Tabatinga e Pipa, confirmando a sugest?o destas enseadas serem importante para o cuidado parental. No geral, n?o houve diferen?as quanto ao per?odo do dia que os animais usaram os diferentes setores das ?reas. Sotalia guianensis apresenta v?rias caracter?sticas que a tornam vulner?vel, como pequenas popula??es concentradas em manchas de h?bitat favor?vel ao longo da costa. Espera-se que os dados deste trabalho, al?m de oferecer novas informa??es para o conhecimento te?rico da esp?cie, sirvam de subs?dios para um manejo adequado da ?rea no sentido de assegurar a perman?ncia dos animais na ?rea, seu padr?o comportamental natural e o fluxo gen?tico entre as comunidades
4

Influência da disponibilidade de alimentos sobre os comportamentos de um grupo de Sapajus libidinosus e análise das interações e conflitos entre humanos e macacos-prego no Parque Nacional de Brasília, DF

Sacramento, Thalita Siqueira 10 March 2014 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Biologia Animal, 2014. / Submitted by Albânia Cézar de Melo (albania@bce.unb.br) on 2014-06-06T19:36:43Z No. of bitstreams: 1 2014_ThalitaSiqueiraSacramento.pdf: 1262186 bytes, checksum: a7d0751c9444e2c992658b8c01757b9f (MD5) / Approved for entry into archive by Guimaraes Jacqueline(jacqueline.guimaraes@bce.unb.br) on 2014-07-02T14:18:16Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2014_ThalitaSiqueiraSacramento.pdf: 1262186 bytes, checksum: a7d0751c9444e2c992658b8c01757b9f (MD5) / Made available in DSpace on 2014-07-02T14:18:16Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2014_ThalitaSiqueiraSacramento.pdf: 1262186 bytes, checksum: a7d0751c9444e2c992658b8c01757b9f (MD5) / Macacos-prego possuem alto grau de flexibilidade comportamental e sobrevivem em ambientes antropizados modificando seus padrões comportamentais. O Parque Nacional de Brasília (PNB) abriga atualmente dois grupos de macacos-prego (Sapajus libidinosus) que habitam a região de mata de galeria próxima às piscinas, e interagem com os visitantes do parque. O presente estudo teve como objetivo analisar as interações entre humanos e os macacos-prego em diferentes contextos no PNB, bem como investigar a influência da disponibilidade de alimentos (naturais e antropogênicos) sobre os comportamentos dos animais. Para isto, um grupo de macacos prego foi acompanhado de novembro/2012 a agosto/2013. Dados comportamentais foram coletados a cada 15 minutos por amostras de “varredura instantânea” com duração de 5 minutos, enquanto para as interações com humanos foi utilizado o método de observação de “todas as ocorrências”. Entre janeiro e agosto/2013, a abundância de frutos e invertebrados foi monitorada mensalmente, a primeira por meio do registro de parcelas amostrais e a segunda por meio de armadilhas de água e detergente. A variação de frutos e invertebrados não apresentou diferenças significativas entre estações e não apresentou correlação com as taxas de precipitação. No entanto, durante os meses de transição entre estações (abril, maio) houve uma queda na quantidade de frutos disponíveis. O orçamento de atividades do grupo de estudo foi similar ao de outros grupos de Sapajus libidinosus. Houve diferença sazonal na frequência de interações com humanos e de forrageio (seca>chuva). Os macacos-prego consumiram mais recursos naturais e complementaram sua dieta com alimento antrópico, o que mostrou uma preferência pelo alimento natural. A disponibilidade de frutos naturais se correlacionou negativamente com a frequência do comportamento de interação com humanos. O grupo de estudo pode ser considerado preferencialmente frugívoroinsetívoro, porém diferentemente de grupos sem contato com humanos, parecem substituir o consumo de invertebrados por itens antropogênicos, principalmente frutas exóticas, em épocas de diminuição da oferta de frutos na mata. Em relação às interações entre humanos e macacos-prego no PNB, foi constatado um padrão por busca de recursos, já que 74% das interações envolveram a presença de alimentos antropogênicos, que geralmente são bastante calóricos. O número de interações “conflituosas” foi relativamente alto, representando quase a metade da amostra de interações, apesar de geralmente envolverem apenas roubos e ameaças sem contato físico entre ambos. Os dados apontam inicialmente para a sazonalidade das interações e conflitos, que ocorrem significativamente mais em meses com diminuição da oferta de alimentos na mata e grande número de visitantes na área de uso público do PNB. Os resultados deste estudo podem auxiliar na elaboração de medidas de manejo para o PNB. / Capuchin monkeys display a high degree of behavioral flexibility and survive in environments under strong anthropic influence through changes in their behavioral patterns. The Parque Nacional de Brasília (PNB) currently holds two groups of capuchins (Sapajus libidinosus) that inhabit patches of gallery forest near swimming pools, and that interact with human visitors. The objective of the present study was to analyze the interactions between humans and capuchins under different contexts in the PNB, as well as to investigate the influence of food availability (natural and anthropogenic) on the behaviours of the animals. A group of capuchin monkeys was followed from November 2012 to August 2013. Behavioral data were collected through scan samplings of 5 minutes of duration and 10 minutes of interval, while interactions with humans were sampled through the “all occurrences” method. The abundance of fruit and invertebrates was monitored every month from January to August 2013, the first one by means of sample plots and the second one using water traps. The availability of fruit and invertebrates did not differ between the dry and the wet seasons and was not correlated with rainfall. However, there was a decrease in the availability of fruit during the transition between the two seasons (April, May). The group’s activity budget was similar to those of other groups of Sapajus libidinosus. There was a seasonal difference in the frequency capuchins and humans interacted, and in the time spent foraging (dry>wet). Capuchins that consumed more natural resources and complemented their diet with anthropogenic food items demonstrating a preference for natural food. The availability of natural fruit presented a negative correlation with the frequency of the interactions with humans. The study group can be considered preferentially as frugivore-insectivore, but in contrast to groups without contact with humans, individuals seem to substitute the consumption of invertebrates with anthropogenic items, particularly exotic fruit, when the availability of fruit in the forest decreases. In terms of the interactions with humans, a pattern of searching for resources was found, since 74% of the interactions involved the presence of anthropogenic food items that were usually very caloric. The number of “conflict interactions” was relatively high, representing almost half of the sampled interactions, although most of them involved only “thefts” and threats without physical contact. The data initially indicated that there is seasonality on interactions and conflicts. Those occurred more frequently in months with lower food supply in the forest and higher number of visitants at the public areas from PNB. The results can aid future decisions of what managing measures should be taken in PNB.
5

Ecologia comportamental de Callithrix jacchus (Primates, Callitrichidae) em ambiente de caatinga / Behavioral ecology of Callithrix jacchus (Primates, Callitrichidae) in caatinga environment

PAULOS, Filipa Alexandra de Abreu 13 July 2015 (has links)
Submitted by (ana.araujo@ufrpe.br) on 2016-08-22T16:16:00Z No. of bitstreams: 1 Filipa Alexandra de Abreu Paulos.pdf: 961296 bytes, checksum: 654338fc3012a95ba3d3eb1aa7a0f4af (MD5) / Made available in DSpace on 2016-08-22T16:16:00Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Filipa Alexandra de Abreu Paulos.pdf: 961296 bytes, checksum: 654338fc3012a95ba3d3eb1aa7a0f4af (MD5) Previous issue date: 2015-07-13 / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES / Callithrix jacchus is a Neotropical primate, with a high adaptability to different environments, occuring in Atlantic Forest and Caatinga. These primates have an omnivorous diet and a polymorphic vision, with two phenotypes in the population (trichromatic and dichromatic). The Caatinga is a semiarid environment that presents extreme conditions such as high temperature and low rainfall, imposing several challenges to animals. Due to these conditions, plant resources are scarce and available only in certain periods of the year. Nonetheless, insects are available during all year. This study aimed to analyze the behavioral ecology of free-living commom marmosets in a Caatinga environment. First, we investigated the behavioral patterns and feeding ecology of these primates in the rainy and dry season. Later, we compared how colour vision affect insect prey capture between females and males. The study was conduted in the Fazenda Marimbondo, located near to Cabaceiras, Paraíba. During 6 months of study, we observed 19 individuals (5 groups), throught the focal animal sampling method associated with ad libitium method. Additionally, we recorded all the consumed plant items and animal prey captures. We observed a significant difference in the resting time between the two seasons, with an increase of this behavior during the dry season. Insectivorous preys were the most explored item by common marmosets, and alternative plant resources such as cactu’s cladode were also consumed. Overall, within the insect consumption, we observed a significant higher number of captures performed by females and a significant higher number in conspicuous insects captures when lactating females were present. Finally, we found a size-coloration effect in the insect captures performed by males (dichromats). These results suggest that Callithrix jacchus adjust their behavioral patterns and feeding ecology to survive in a semiarid environment. Futhermore, the insects captures appear to be influenced by both lactation and colour vision, suggesting that the polymorphism in our population is maintained by heterozygous advantage. / Callithirx jacchus é um primata do Novo Mundo, com uma grande adaptabilidade a diversos ambientes, habitando desde Mata Atlântica à Caatinga. Este pequeno primata possui uma dieta onívora e uma visão polimórfica, com dois fenótipos na população (tricromatas e dicromatas). A Caatinga é um ambiente semiárido que apresenta condições extremas, como altas temperaturas e baixas precipitações, impondo vários desafios aos animais que a habitam. Devido a estas condições ambientais, existe uma elevada escassez de recursos vegetais, estando estes disponíveis apenas em alguns períodos do ano. Por outro lado, há disponibilidade de insetos durante todo o ano. Dessa forma, o presente estudo tem como objetivo geral analisar a ecologia comportamental do sagui-comum de vida livre. Primeiramente investigamos os padrões comportamentais e a ecologia alimentar destes primatas nas estações chuvosa e seca. Posteriormente, comparamos o forrageio por insetos entre fêmeas e machos, investigando o efeito que os fenótipos têm nestas capturas. O estudo foi realizado na Fazenda Marimbondo, situada no município de Cabaceiras, Paraíba. Durante 6 meses de estudo, observamos 19 indivíduos (5 grupos), através do método de observação comportamental animal focal associado ao método de ad libitum. Adicionalmente, registramos todos os eventos de exploração de recursos vegetais, assim como, todas as capturas de insetos. Com relação aos padrões comportamentais, observamos uma diferença significativa no tempo de descanso entre as duas estações, com aumento deste comportamento na estação seca. A respeito da ecologia alimentar, constatamos o consumo de alimentos alternativos tais como cladódio e flores de cactáceas entre outros. Ainda, observamos um consumo de várias presas animais, normalmente presas insetívoras. Dentro deste consumo, observamos um maior número de capturas por parte de fêmeas, existindo apenas diferença significativa nas capturas de insetos totais e de coloração conspícua quando fêmeas lactantes estavam presentes na amostra. Por fim, verificamos um efeito do tamanho do inseto aliado à sua coloração nas capturas por machos dicromatas. Estes resultados sugerem que C. jacchus possui estratégias comportamentais ajustadas para sobreviver num ambiente como a Caatinga. Além disso, as capturas de insetos parecem ser influenciadas tanto pela lactação como pelo fenótipo, sugerindo que na população em estudo este polimorfismo seja mantido por vantagem heterozigótica.
6

Ecologia do movimento de machos cantores de baleia jubarte (Megaptera Novaeangliae) no s?tio reprodutivo de Abrolhos-BA

Honda, Laura Kyoko 03 March 2016 (has links)
Submitted by Automa??o e Estat?stica (sst@bczm.ufrn.br) on 2016-08-27T00:05:27Z No. of bitstreams: 1 LauraKyokoHonda_DISSERT.pdf: 3602339 bytes, checksum: 032b9ed8e00a45dd021013799bd260c5 (MD5) / Approved for entry into archive by Arlan Eloi Leite Silva (eloihistoriador@yahoo.com.br) on 2016-08-31T23:45:07Z (GMT) No. of bitstreams: 1 LauraKyokoHonda_DISSERT.pdf: 3602339 bytes, checksum: 032b9ed8e00a45dd021013799bd260c5 (MD5) / Made available in DSpace on 2016-08-31T23:45:07Z (GMT). No. of bitstreams: 1 LauraKyokoHonda_DISSERT.pdf: 3602339 bytes, checksum: 032b9ed8e00a45dd021013799bd260c5 (MD5) Previous issue date: 2016-03-03 / Estudos sobre movimenta??o podem fornecer diversos tipos de informa??es sobre a ecologia de diferentes grupos animais, desde padr?es de uso de habitat at? infer?ncias sobre estados comportamentais. O presente trabalho tem como objetivo a caracteriza??o dos padr?es de movimenta??o em fina escala dos machos cantores de Jubarte em um s?tio reprodutivo para detectar efeitos da abund?ncia de machos cantores e da presen?a de embarca??es. Adicionalmente, buscou-se verificar se ? poss?vel fazer infer?ncias sobre os estados comportamentais dos cantores atrav?s das suas trajet?rias. A coleta dos dados foi feita utilizando-se arranjos de gravadores ac?sticos aut?nomos desenvolvidos pelo Programa de Pesquisas em Bioac?stica da Universidade de Cornell - EUA. O estudo foi realizado no s?tio reprodutivo das baleias Jubarte do Pac?fico Sul Ocidental localizado no Banco dos Abrolhos-BA durante a temporada reprodutiva de 2005. Os machos cantores de Jubarte foram identificados atrav?s da detec??o dos seus sons por meio da inspe??o visual dos espectrogramas das grava??es. As posi??es dos cantores foram estimadas atrav?s da localiza??o de cada som identificado com boa qualidade em pelo menos 3 dos 5 canais de ?udio atrav?s de algoritmo customizado em ambiente MATLAB. Da mesma forma foi realizada a detec??o dos eventos de embarca??es. As trajet?rias foram constru?das a partir dos pontos de localiza??o ap?s uso do filtro Kalman. As trajet?rias foram classificadas em categorias de abund?ncia de cantores (baixa = at? dois cantores e alta = a partir de tr?s cantores) e de presen?a de barco (presen?a e aus?ncia). Fun??es de distribui??o de probabilidade foram constru?das a fim de testarmos, por meio da an?lise de m?xima verossimilhan?a, qual distribui??o se ajustaria melhor aos nossos dados. Foi feita uma sele??o de modelos concorrentes incluindo como modelos as categorias de an?lise (abund?ncia e presen?a de barcos) e as fun??es de distribui??o ajustadas aos dados. A vari?vel preditora utilizada foi a velocidade. O melhor modelo foi escolhido com o Crit?rio de Informa??o de Akaike corrigido para pequenas amostras (AICc). Os padr?es de movimenta??o descritos diferiram de estudos pr?vios. Nossas categorias de an?lise n?o se mostraram boas para a explicar a varia??o dos dados, mas os modelos foram capazes de identificar dois padr?es distintos de movimenta??o de machos cantores de jubarte: passos lentos e constantes caracterizando um estado comportamental explorat?rio intercalados por raros passos r?pidos que caracterizam um movimento direcional. As motiva??es para a altern?ncia entre os diferentes estados comportamentais provavelmente envolvem diferentes estrat?gias reprodutivas. Nossos resultados mostraram que trajet?rias baseadas em dados ac?sticos podem ser utilizadas para a infer?ncia de estados comportamentais distintos de baleias jubarte atrav?s da an?lise dos padr?es de movimenta??o. / Studies on movement may provide various types of information on the ecology of different animal groups, from perception and habitat use to inferences on behavioral states. This study aims to characterize movement patterns in thin range of male humpback singers at a reproductive site and to detect effects of singing males abundancy and presence of vessels. Additionally, we verified if it is possible the inference of different behavioral states of singer males through their trajectory. Data collection was done using arrangements of autonomous acoustic recorders developed by the Bioacoustics Research Program of Cornell University ? EUA. The study was conducted at the reproductive site of the humpback whales from the Western South Pacific, located at the Abrolhos Bank, state of Bahia, Brazil, during the reproductive season of 2005. Singing humpback males were identified through the detection of their sounds by visual inspection of the recording spectrograms. Singers positions were estimated through location of each sound identified with good quality in at least three of five audio channels through a custom algorithm in a MATLAB environment. Detection of vessels events was done the same way. Trajectories were built from location points after using the Kalman filter. Trajectories were arranged in categories such as singers abundancy (low = up to two singers and high = from three singers on) and vessel presence (presence and absence). Functions of probability distribution were built for us to test, by likelihood analysis, which distribution adjusts better to our data. A selection of competing models was done, including as models analysis categories (abundancy and presence of vessels) and distribution functions adjusted to our data. The predictor variable used was speed of each step. The best model was selected with Akaike?s Information Criterion corrected for small samples (AICc). Movement patterns described differed from previous studies. Our analysis categories were not good to explain data variation, but models were capable of identifying two distinct movement patterns of humpback male singers: slow and constant steps characterizing an exploratory behavioral state interpolated by rare fast steps which characterize a directional movement. Motivations for variation between different behavioral states probably involve different reproductive strategies. Our results showed that trajectory based on acoustic data can be used to infer distinct behavioral states o humpback whales through the analysis of movement patterns.
7

Variação sazonal e longitudinal na ecologia alimentar de Chiropotes sagulatus Trail, 1821 na Amazônia brasileira / Seasonal and longitudinal variation in the feeding ecology of Chiropotes sagulatus Trail, 1821, in the Brazilian Amazon

Moura, Viviane Sodré 22 February 2016 (has links)
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES / The present study investigated the seasonal and longitudinal variation in the feeding ecology of a group of cuxiús, Chiropotes sagulatus, in the Saracá-Taquera National Forest, in the Brazilian Amazonian state of Pará. For the collection of quantitative behavioral data, the habituated study group, denominated the Bacaba group, was monitored between July 2011 and March 2012 (in all months except September) and November 2014. Data on the behavior and diet of the study group were collected on three to five days per month, based on instantaneous scan sampling, with a two-minute scan being conducted at 10-minute intervals, during which the number of individuals present was counted and samples of food items were collected. The Bacaba group contained 67 members. A total of 35 complete days of observation were conducted, and the general activity budget was Locomotion (41.2%), Rest (30.2%), Foraging (13.5%), and Feeding (8.1%), social interactions and others (6.9%). The normality of the data was evaluated using the Shapiro-Wilk test, variation in the size of subgroups was assessed using Student’s t, seasonal and longitudinal variation in the activity budget and composition of the diet was evaluated using binomial z scores, as well as Jaccard’s similarity index, for the comparison of the taxonomic composition of the diet. There was a tendency for the formation of larger subgroups during the rainy season of 2011, although the difference was not significant. Locomotion increased significantly during the rainy season, when Feeding and Foraging decreased, while Rest and Social Interactions increased significantly in the dry season. The diet of the Bacaba group was dominated by seeds throughout the study period, with high rates of ingestion of immature seeds being recorded during both the dry (59.9%) and rainy (47.7%) seasons, with a significant seasonal difference for seed feeding. Flower parts and the seeds of dry fruit were consumed only during the dry season. Significant differences were found between years in all behavior categories, although the composition of the diet was maintained, despite major modifications in its taxonomic composition, reflecting the capability of the cuxiús to obtain a high quality diet despite seasonal fluctuations in resource availability. The most important plant families in the study group’s diet were the Sapotaceae, Moraceae, Fabaceae, Chrysobalanaceae and Lecythidaceae, which are known to be important for Chiropotes. This study reconfirms the behavioral patterns and diet found in the genus Chiropotes, emphasizing the flexibility of its feeding ecology and energy-maximizing foraging strategy. / Este estudo teve por objetivo avaliar variações sazonais e longitudinais no padrão de agrupamento e ecologia alimentar de um grupo de Chiropotes sagulatus, os cuxiús, na FLONA Saracá-Taquera, estado do Pará, Amazônia Brasileira. O grupo de estudo habituado, denominado Bacaba, foi monitorado entre Julho 2011 e Março 2012 (em todos os meses exceto Setembro) e Novembro 2014. Os dados comportamentais e de dieta foram coletados através do método de varredura instantânea, com duração de dois minutos e intervalo de 10 minutos, sendo coletadas amostras dos itens alimentares e realizada a contagem de indivíduos. O grupo Bacaba continha 67 indivíduos. Foram realizados 35 dias completos de observação e o orçamento de atividades foi Deslocamento (41,2%), Repouso (30,2%), Forrageamento (13,5%) e Alimentação (8,1%), Interações Sociais e Outros (6,9%). Foi realizado teste de Shapiro Wilk para a normalidade dos dados, o teste t de Student para os tamanhos de subgrupos e o teste z binomial para comparações de comportamento e dieta sazonal e longitudinal, além da similaridade de Jaccard para a composição taxonômica da dieta. Houve uma tendência para subgrupos maiores na estação chuvosa e no ano de 2011, mas a diferença não foi significativa. Deslocamento foi significativamente maior na estação chuvosa, quando os comportamentos de Alimentação e Forrageamento foram menores e as atividades de Repouso e Social foram significativamente maiores na estação seca. A dieta do grupo Bacaba apresentou alta ingestão de sementes para todo o período de estudo, e alta frequência de ingestão de sementes imaturas para as duas estações (59,9% estação seca e 47,7% estação chuvosa) com diferença significativa quando o item alimentar foi semente. Os itens partes florais e semente de fruto seco foram ingeridos apenas na estação seca. Todos os comportamentos apresentaram diferenças significativas entre anos, e foram mantidas as proporções dos itens alimentares na dieta mesmo com a baixa similaridade na composição taxonômica, mostrando a flexibilidade dos cuxiús para manter uma dieta de qualidade. As famílias mais importantes para a dieta do grupo foram Sapotaceae, Moraceae, Fabaceae, Chrysobalanaceae e Lecythidaceae, conhecidamente importantes para o gênero. Este estudo apresenta informações que reforçam os padrões comportamentais e de dieta para o gênero Chiropotes, corroborando a flexibilidade em sua ecologia alimentar e estratégia de forrageamento de maximização de energia.
8

Ecologia comportamental da mirmecofauna em ambiente hospitalar como subsídios para estratégias de controle

Castro, Mariana Monteiro de 15 May 2015 (has links)
Submitted by Renata Lopes (renatasil82@gmail.com) on 2015-12-04T14:26:24Z No. of bitstreams: 1 marianamonteirodecastro.pdf: 1344483 bytes, checksum: 04c81ff2b18dd0d28d9de6b3fb0ff016 (MD5) / Approved for entry into archive by Adriana Oliveira (adriana.oliveira@ufjf.edu.br) on 2015-12-07T03:21:40Z (GMT) No. of bitstreams: 1 marianamonteirodecastro.pdf: 1344483 bytes, checksum: 04c81ff2b18dd0d28d9de6b3fb0ff016 (MD5) / Made available in DSpace on 2015-12-07T03:21:40Z (GMT). No. of bitstreams: 1 marianamonteirodecastro.pdf: 1344483 bytes, checksum: 04c81ff2b18dd0d28d9de6b3fb0ff016 (MD5) Previous issue date: 2015-05-15 / FAPEMIG - Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais / Com o processo de urbanização, algumas espécies de formigas encontraram ambiente ideal para a sobrevivência nas cidades. Na área urbana, a ocorrência em hospitais se configura como um risco pelo transporte de micro-organismos patogênicos. Diversas pesquisas sobre o assunto foram conduzidas no Brasil, contudo muitas lacunas ainda permanecem desconhecidas. Com o intuito de preencher parte desse conhecimento, este trabalho buscou ampliar os conhecimentos sobre a ecologia comportamental da mirmecofauna que habita ambientes hospitalares. Este trabalho está formatado em quatro capítulos: (i) o primeiro capítulo teve como objetivo discutir a importância das formigas em ambientes urbanos, destacando o processo de urbanização e sua ocorrência, a importância nas áreas hospitalares e na saúde pública; (ii) o objetivo do segundo capítulo foi realizar um levantamento da literatura sobre formigas em ambiente hospitalar no Brasil nos últimos 20 anos, visando o progresso do conhecimento desta questão através de uma discussão sobre os avanços e prioridades de pesquisa; (iii) e (iv) os capítulos três e quatro trouxeram análises de um conjunto de informações sobre a ecologia e o comportamento da mirmecofauna em ambiente hospitalar, coletada ao longo de dois anos de monitoramento (2012 – 2014) no Hospital Regional João Penido localizado no município de Juiz de Fora – MG, sudeste do Brasil. As amostragens foram realizadas bimestralmente por meio de iscas atrativas não tóxicas nos períodos diurno e noturno e nas áreas interna e externa do hospital. Foram encontrados 10342 indivíduos, pertencentes a 26 espécies de formigas, representando quase a totalidade da fauna esperada para o local. Pheidole susannae Forel, 1886 foi a espécie mais abundante (21,87%) e, juntamente com Tetramorium simillimum (Smith, 1851) foi também a mais constante (100%). O índice de dominância encontrado foi baixo (0,1395), demonstrando não haver dominância de nenhuma espécie. Abundância e riqueza não diferiram entre as estações climáticas, o que representa a estabilidade da mirmecofauna no local. Houve diferença entre a abundância para o período noturno (t= -2,2067; p= 0,038) e também entre riqueza (U= 9,000; p= 0,01) e abundância (U= 70,500; p< 0,0001) das espécies entre as áreas interna e externa. Os setores Casa de Gestante, Recepção e UTI Neonatal se mostraram mais similares em relação à fauna encontrada na área interna e externa. O índice geral de infestação foi de 48,87%, sendo superior no período noturno e na área externa e a espécie P susannae apresentou o maior índice. Foram localizados 25 ninhos em três substratos: fissura em alvenaria (80%), madeira (12%) e tubulação de esgoto (8%). A identificação de maior abundância à noite reforça a ideia de que há grande necessidade dos monitoramentos contemplarem também esse horário, visto que algumas espécies possuem hábitos exclusivamente noturnos. E a infestação no interior do hospital ratifica a preocupação existente com a possibilidade de infecção nosocomial decorrente do transporte de micro-organismos patogênicos. Soma-se a isso, o registro de nidificações no interior do hospital, o que aumenta a preocupação em se estabelecer estratégias alternativas de controle. Com estes resultados, profissionais da área da saúde e que prestam serviços de controle de pragas estarão mais bem norteados para atuar na redução da infestação de formigas nesses ambientes, visto que estratégias de controle mais eficientes poderão ser implementadas. / Along with the urbanization process, some ant species have found in cities an ideal environment. Among these areas, occurrence in hospitals represents risk due to the transport of pathogenic microorganisms. Many research studies have been carried out in Brazil, and still there are many gaps to explore. Intending to fill some lacks on that knowledge, this work studied the behavioral ecology of hospitals‟ ant fauna. This study is formatted into four chapters: (i) the first chapter aimed to discuss the importance of ants in urban environments, highlighting the process of urbanization and its occurrence, the importance in hospital areas and public health; (ii) the objective of the second chapter was to survey the literature on ants in hospitals in Brazil in the last 20 years, aimed at advancing the knowledge of this issue through a discussion of advances and research priorities; (iii) and (iv) the three and four chapters presented analysis of a set of information on the ecology and behavior of the ant fauna in the hospital, collected over two years of monitoring (2012-2014) in a public hospital located in Juiz de Fora, southeastern Brazil. Samples were taken every two months through non-toxic baits attractive day and night periods and the internal and external areas of the hospital. We found 10342 individuals of 26 species of ants, representing almost all the expected fauna to the site. Pheidole susannae Forel, 1886 was the most abundant species (21.87%) and, together with Tetramorium simillimum (Smith, 1851) was also the most constant (100%). The dominance index found was low (0.1395), stating no dominance for any species. Abundance and richness did not differ between seasons, which is the stability of the ant fauna in the area. There were differences between the abundance for the night period (t = -2.2067, p = 0.038) and also between richness (U = 9.000, p = 0.01) and abundance (U = 70.500, p <0.0001) of species between internal and external areas. The sectors “Casa da Gestante, “Recepção” and “UTI Neo Natal” were more similar in terms of fauna found in the internal and external area. The infestation index was 48.87%, higher than at night and in the outdoor area and the species P. susannae had the highest index. We found 25 nests on three substrates: fissure in masonry (80%), wood (12%) and sewer pipe (8%). The finding of greater abundance at nighttime reinforces the need of monitoring in such time, since some species are exclusively nocturnal. The infestation of some species in the inner hospital area confirms the concerns with the possibility of pathogenic microorganism transporting. In addition, the register of nesting inside the hospital increases the need of establishing alternative pest control strategies. Therewith, health professionals and pest control service providers will be better guided to reduce ant infestations in those environments, since better control strategies may be implemented.
9

Comportamento e organização social do preá Cavia magna (Rodentia: Caviidae) / Cavia magna wild guinea pig (Rodentia: Caviidae) behavior and social organization

Elisa Augusto dos Santos 31 January 2014 (has links)
A socioecologia estuda a diversidade dos sistemas sociais a partir dos princípios da ecologia comportamental. Roedores são bons modelos para o estudo dos sistemas sociais por apresentarem elevada variação no comportamento social, a qual pode ser uma adaptação selecionada no passado evolutivo e/ou uma resposta adaptativa ao contexto ecológico atual. Estudar preás para investigar a flexibilidade da organização social é relevante porque, apesar de explorarem vários ambientes diferentes, esses animais podem apresentar certa rigidez comportamental. Nesse contexto, a hipótese que avaliamos é a de que a organização social dos preás Cavia magna, um herbívoro pouco estudado, encontrado do Norte do Uruguai ao Sul do Brasil, depende de determinantes ecológicos atuais, sendo uma resposta adaptativa. A hipótese alternativa é a de que a organização social é uma resposta adaptada, limitada por características selecionadas no passado. Para isso, (1) caracterizamos suas interações sociais; (2) avaliamos as distâncias interindividuais durante o forrageamento, (3) analisamos o padrão de agregação dos indivíduos e (4) comparamos seus comportamentos e organização social com os dados disponíveis de uma população da espécie ocorrente no Uruguai e com os dados de Cavia intermedia, uma espécie endêmica das Ilhas Moleques do Sul, em Santa Catarina que apresenta adaptações ao habitat insular. Os preás foram observados em uma área urbana costeira, dentro do campus do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC), em Florianópolis. Esse local apresenta isolamento da população em área pequena e com pouco risco de predação, isto é, uma área semelhante ao habitat insular. Observamos os preás na estação fria-seca e quente-úmida, por 60 dias. Concluímos que a população de C. magna do IFSC é social, pois encontramos grandes tamanhos médios de agregação, elevados Índices de Associação entre os indivíduos, e associações preferenciais em três grupos com conformação típica de harém. Constatamos que são poligínicos, porque o acesso às fêmeas diferiu entre os machos, e estes apresentaram mais comportamentos agonísticos que as fêmeas. A presença de hierarquia de dominância e ausência de comportamento territorialista dos machos indicaram que a poliginia foi sem defesa. Apesar de termos encontrado um sistema social semelhante ao de C. intermedia, não encontramos características típicas de síndrome insular. Dessa forma, corroboramos a hipótese de que a organização social dos preás é uma resposta adaptativa / Socioecology studies social systems applying the behavioral ecology principles. Studying rodents social systems represents a valuable opportunity once this group shows high variations on social behavior, which may be an adaptation selected in evolutionary past and/or an adaptative feedback to the ecological context. Investigate the social organization flexibility by studying cavies is relevant because of its relative behavioral rigidity, despite their occupation of different environments. In this context, we intend to evaluate our hypothesis on the Cavia magna, cavie social organization: it depends on current ecological factors, being an adaptive answer. C. magna is an herbivore found on northern Uruguay and south of Brazil. The alternative hypothesis is that the social organization is an adaptive answer, limited by reaction rules selected on the past. The cavies was observed in a coast urban area, inside of the Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC), in continental Florianópolis, Brazil. The population is isolated in a small area with low predatory risk, being similar to an insulated habitat. We collected data on social interaction, interindividual distances during foraging, grouping pattern and sexual ratio. This data was compared to the available data of Cavia intermedia, from the Moleques do Sul archipelago, specie that was probably derived from C. magna and presents adaptations to the insular habitat. Cavies were observed for 60 days in cold-dry and hot-wet season. We have concluded that the studied C. magna population is social, given that we have found relatively large mean groups size, high Association Indexes between individuals, and preferred associations in three clusters with typical harem structure. We have also found that the population is polygynous, because the access to females differed between male individuals, and the males performed significantly more agonistic behaviors than females. The existence of a dominance hierarchy and the absence of male territorial behavior pointed to polygyny without defense. Even though the studied social system is similar to the one observed on C. intermedia, we did not encounter typical insular syndrome features on C. magna. Accordingly, we have supported the hypothesis that the cavies social organization is an adaptive answer
10

Herpetofauna associada ? brom?lia rup?cola, encholirium spectabile, no semi?rido brasileiro: revis?o da literatura, ecologia das esp?cies e comportamento de psychosaura agmosticha (squamata: mabuyidae)

Jorge, Jaqueiuto da Silva 20 April 2015 (has links)
Submitted by Automa??o e Estat?stica (sst@bczm.ufrn.br) on 2016-02-22T22:44:30Z No. of bitstreams: 1 JaqueiutoDaSilvaJorge_DISSERT.pdf: 2432483 bytes, checksum: 9b636e72f0c2648983e4b2baeed6a869 (MD5) / Approved for entry into archive by Arlan Eloi Leite Silva (eloihistoriador@yahoo.com.br) on 2016-02-25T22:18:24Z (GMT) No. of bitstreams: 1 JaqueiutoDaSilvaJorge_DISSERT.pdf: 2432483 bytes, checksum: 9b636e72f0c2648983e4b2baeed6a869 (MD5) / Made available in DSpace on 2016-02-25T22:18:24Z (GMT). No. of bitstreams: 1 JaqueiutoDaSilvaJorge_DISSERT.pdf: 2432483 bytes, checksum: 9b636e72f0c2648983e4b2baeed6a869 (MD5) Previous issue date: 2015-04-20 / Conselho Nacional de Desenvolvimento Cient?fico e Tecnol?gico - CNPq / As brom?lias constituem importante microhabitat para a herpetofauna, pois s?o bastante utilizadas como abrigo contra predadores, al?m de sua arquitetura foliar possibilitar manuten??o de umidade e temperatura relativamente constantes no seu interior, compondo um ambiente favor?vel para os anf?bios e r?pteis, especialmente em ?reas sob estresse h?drico. No entanto, os estudos que tratam dessa rela??o ainda s?o incipientes e mais concentrados sobre as brom?lias fitotelmatas acumuladoras de ?gua. No caso das brom?lias rup?colas n?o fitotelmatas do g?nero Encholirium, que se desenvolvem em afloramentos rochosos e abrigam esp?cies de regi?es semi?ridas como as Caatingas, as rela??es animais-plantas s?o praticamente desconhecidas. Nesse contexto, este estudo teve como objetivos estudar a fauna herpetol?gica habitante das brom?lias macambiras, Encholirium spectabile, analisando a ocupa??o e uso destas brom?lias pelos diferentes t?xons, e a ecologia comportamental do largarto Psychosaura agmosticha, buscando identificar os fatores associadas com esta rela??o estrita em ?rea de Caatinga. Uma ampla revis?o da literatura mundial acerca do tema lagartos em brom?lias subsidiou este estudo sob a perspectiva ecol?gica dessa associa??o. O trabalho de campo foi realizado na Fazenda Tanques, munic?pio de Santa Maria/RN, mesorregi?o do Agreste potiguar, com as observa??es e/ou coletas diurnas e noturnas efetuadas mensalmente, durante tr?s dias consecutivos, de Janeiro de 2011 a Agosto de 2012, totalizando 450 horas.homem de esfor?o amostral. Registraram-se dezesseis esp?cies, seis de lagartos (Fam?lias Mabuyidae, Tropiduridae, Gekkonidae e Phyllodactylidae), seis de serpentes (Fam?lias Boidae e Dipsadidae) e quatro de anf?bios da Fam?lia Hylidae. O efeito da borda da mata sobre a distribui??o das esp?cies ao longo do afloramento foi significativo, com a maioria das esp?cies encontradas nas bordas do afloramento. Constataram-se diferen?a significativa entre alguns pares de esp?cies com rela??o ao uso 2 das brom?lias, e sobreposi??o de nicho quase total no uso de microhabitat. 62.5% das esp?cies s?o de h?bito noturno e utilizaram essas plantas para abrigo, reprodu??o e alimenta??o. Quanto ?s rela??es entre o lagarto Psychosaura agmosticha e as brom?lias macambiras, foram registrados os comportamentos de termorregula??o e de forrageio nas esta??es seca e chuvosa. Os per?odos de atividade foram concentrados entre 07 e 10 h e entre 15 e 17 horas nas duas esta??es, demostrando um padr?o claramente bimodal. A esp?cie usou basicamente as folhas verdes e n?o houve diferen?as significativas entre machos e f?meas na utiliza??o das brom?lias. Associa??es positivas foram encontradas entre a temperatura do corpo e temperaturas das brom?lias e do ar. Esta esp?cie passou em m?dia 1.95 ? 3.8% do tempo em movimento (PTM) e se movimentou em m?dia 0.36 ? 2.1 segundos por minuto (MPM), com diferen?as significativas entre as esta??es chuvosa e seca para PTM, e tamb?m entre o tempo m?dio da parada e dura??o m?dia dos movimentos, sendo considerada forrageadora sedent?ria. Psychosaura agmosticha, na ?rea estudada, ? bromel?cola, utilizando as macambiras principalmente para termorregula??o e forrageio. Os resultados deste estudo destacam as brom?lias rup?colas Encholirium spectabile como elementos chaves para a manuten??o de anf?bios e r?pteis a ela associados, e uma clara associa??o vantajosa para a conserva??o dos grupos envolvidos. / Bromeliads are an important microhabitat for the herpetofauna, for being widely used as refuge from predators and their leaf architecture allows humidity maintenance and relatively constant temperature inside, setting a favorable environment for amphibians and reptiles, especially in areas under hydric stress. However, studies addressing this relationship are still incipient and more concentrated in fitotelmatas bromeliad. For non-fitotelmatas rupicolous bromeliads of the gender Encholirium, which develops into rocky outcrops and contains species of semi-arid regions such as the Caatinga, animal-plant relationships are almost unknown. In this context, this study aimed to know the herpetological fauna inhabitant of macambiras bromeliads, Encholirium spectabile, analyzing occupation and use of these bromeliads by different taxa, and the behavioral ecology of the lizard Psychosaura agmosticha, seeking to identify factors associated with this strict relationship in Caatinga. An extensive review of the world literature on the subject ?lizards in bromeliads? subsidized this study from the ecological perspective of this association. The field work was carried out at Fazenda Tanques, municipality of Santa Maria / RN, mesoregion of Agreste Potiguar. The observations and/or data collection in daytime and in the evening was conducted monthly during three consecutive days, from January 2011 to August 2012, totaling 450 hour.man of sampling effort. Sixteen species were registered: six lizards (Mabuyidae, Tropiduridae, Gekkonidae and Phyllodactylidae Families), six snakes (Boidae and Dipsadidae Families) and four of amphibians of Hylidae Family. The effect of the forest edge on the distribution of species along the outcrop was significant, with most species found in outcrop edges. Significant difference was found between some pairs of species concerning use of bromeliads, and almost total niche overlap in the use of microhabitat. 62.5% of the species are nocturnal and use these plants for sheltering, breeding and feeding. Regarding the relations between 4 the lizard Psychosaura agmosticha and macambiras bromeliads, behaviors of thermoregulation and foraging in the dry and wet seasons were recorded. Activity periods were concentrated between 7 and 10 am and between 3 and 5 pm in both seasons, showing a clear bimodal pattern. The species basically used the green leaves and there were no significant differences between males and females in the use of bromeliads. Positive associations were found between body temperature and temperatures of bromeliads and air. This species spent 1.95% ? 3.8 of the time moving (PTM) and moved on average 0:36 ? 2.1 seconds per minute (MPM), with significant differences between the wet and dry to PTM, and between the average time of stop and average duration of movements, being considered a sedentary forager. Psychosaura agmosticha, in the study area, is bromelicolous and uses macambiras primarily for thermoregulation and foraging. The results of this study elevate the rupicolous bromeliads Encholirium spectabile as key elements for the maintenance of amphibians and reptiles associated with it, and a clear advantageous association for the conservation of the groups involved.

Page generated in 0.1369 seconds