• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 179
  • 6
  • 3
  • 3
  • 3
  • 2
  • 2
  • 2
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • Tagged with
  • 195
  • 47
  • 46
  • 41
  • 36
  • 30
  • 25
  • 25
  • 22
  • 19
  • 17
  • 15
  • 14
  • 14
  • 14
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Beiträge zur Anatomie der Myrtaceen-Rinden besonders der Gattungen Eucalyptus und Eugenia

Brögli, Beda, January 1926 (has links)
Inaugural dissertation (Ph. D.)--Universität Basel. / Cover title. Bibliography : p. 84.
2

Efeito tipo-antidepressivo de espécies do gênero Eugenia L. e envolvimento dos sistemas monoaminérgicos na ação de Eugenia brasiliensis Lamarck no teste de suspensão pela cauda em camundongos

Colla, André Roberto da Silva January 2012 (has links)
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Biológicas. Programa de Pós-Graduação em Neurociências / Made available in DSpace on 2012-10-26T10:09:11Z (GMT). No. of bitstreams: 1 302180.pdf: 1163549 bytes, checksum: d3a1cea4879388c37c77a5f6ce7abd3b (MD5) / Eugenia é um gênero de plantas com flores pertencente a família Myrtaceae. Muitas espécies são usadas na medicina popular, como por exemplo, Eugenia uniflora, utilizada como tônico estimulante, sedativo e ansiolítico. No entanto, não existem estudos sobre o potencial antidepressivo de plantas deste gênero. Este trabalho investigou o efeito tipo-antidepressivo do extrato hidroalcoólico de E. beaurepaireana, E. brasiliensis, E. catharinae, E. umbelliflora e E. uniflora no teste de suspensão pela cauda (TSC). Camundongos foram administrados com os extratos por via oral (p.o.), e após 60 minutos submetidos ao TSC. Nesse teste, o tempo de imobilidade foi registrado por um período total de 6 minutos. Uma redução no tempo de imobilidade foi considerada como efeito tipo-antidepressivo. Para descartar um possível efeito dos extratos na atividade locomotora, os camundongos foram avaliados no teste do campo aberto (TCA). A administração aguda dos extratos de E. beaurepaireana (10 and 100 mg/kg), E. brasiliensis e E. catharinae (1, 10 e 100 mg/kg) produziu efeito tipo-antidepressivo, demonstrando uma significativa redução do tempo de imobilidade no TSC quando comparados ao grupo controle, sem apresentar alterações no parâmetros de locomoção no TCA. O pré-tratamento com cetanserina (5 mg/kg, i.p., antagonista de receptores 5 HT2A/2C), prazosina (1 mg/kg, i.p., antagonista de receptores ?1-adrenérgicos), ioimbina (1 mg/kg, i.p., antagonista de receptores ?2-adrenérgicos), haloperidol (0,2 mg/kg, i.p., antagonista não seletivo de receptores dopaminérgicos), SCH23390 (0,05 mg/kg, s.c., antagonista de receptores dopaminérgicos D1) ou sulpirida (50 mg/kg, i.p., antagonista de receptores dopaminérgicos D2), preveniram a redução do tempo de imobilidade dos camundongos tratados com uma dose ativa de E. brasiliensis (1 mg/kg). O tratamento com WAY100635 (0,1 mg/kg, s.c., antagonista seletivo de receptores 5-HT1A), fenilefrina (5 mg/kg, s.c, agonista de ?1-adrenoceptores), SKF38393 (0,1 mg/kg, s.c., agonista de receptores dopaminérgicos D1) ou apomorfina (0.5 µg/kg, i.p., agonista de receptores dopaminérgicos D2) em conjunto com uma dose sub-ativa de E. brasiliensis (0,1 mg/kg) foi efetivo em reduzir o tempo de imobilidade dos camundongos no TSC. A co-administração em doses sub-efetivas do extrato de E. brasiliensis com os antidepressivos fluoxetina (5 mg/kg), imipramina (1 mg/kg) e bupropiona (0,1 mg/kg) apresentou efeito tipo-antidepressivo no TST. Os resultados indicam que os extratos hidroalcoólicos de E. beaurepaireana, E. brasiliensis e E. catharinae possuem efeito tipo-antidepressivo, demonstrando pela primeira vez que espécies do gênero Eugenia possuem potencial tipo-antidepressivo no TSC. O efeito tipo-antidepressivo da espécie E. brasiliensis parece ser mediado pelos sistemas serotoninérgico, noradrenérgico e dopaminérgico. / Eugenia is a genus of flowering plants belonging to the family Myrtaceae. Many species are used in folk medicine, for example, Eugenia uniflora is used as a tonic stimulant, sedative and anxiolytic. However, there are no studies about the antidepressant effect of plants of this genus. This study investigated the antidepressant-like effect of the hydroalcoholic extract of E. beaurepaireana, E. brasiliensis, E. catharinae, E. umbelliflora and E. uniflora in the tail suspension test (TST). Mice were administered with the extracts orally (p.o.), and after 60 minutes were submitted to TSC. In this test, the immobility time was recorded by a total of 6 minutes. A reduction in immobility time was considered as antidepressant-like effect. To rule out a possible effect of extracts on locomotor activity, mice were evaluated in open-field test. Acute administration of extracts of E. beaurepaireana (10 and 100 mg/kg), E. brasiliensis and E. catharinae (1, 10 and 100 mg/kg) produced antidepressant-like effect, showing a significant reduction in immobility time when compared to the control group, without causing changes in locomotion in the open-field test. The pre-treatment of mice with ketanserin (5 mg/kg, i.p., a preferential 5-HT2A receptor antagonist), prazosin (1 mg/kg, i.p., an á1-adrenoceptor antagonist), yohimbine (1 mg/kg, i.p., an á2-adrenoceptor antagonist), haloperidol (0.2 mg/kg, i.p., a nonselective dopaminergic receptor antagonist), SCH23390 (0.05 mg/kg, s.c., a dopamine D1 receptor antagonist) or sulpiride (50 mg/kg, i.p., a dopamine D2 receptor antagonist), prevented the reduction of immobility time of mice treated with an active dose of E. brasiliensis (1 mg/kg). The treatment with WAY100635 (0.1 mg/kg, s.c., a selective 5-HT1A receptor antagonist), phenylephrine (5 mg/kg, s.c. an á1-adrenoceptor agonist), SKF38393 (0.1 mg/kg, s.c. a dopamine D1 receptor agonist) or apomorphine (0.5 ìg/kg, i.p. a dopamine D2 receptor agonist) with a sub-active dose of E. brasiliensis (0.1 mg/kg) was effective in reducing the immobility time of mice in the TST. The combined administration of sub-effective doses of E. brasiliensis with fluoxetine (5 mg/kg), imipramine (0.1 mg/kg) and bupropion (1 mg/kg) decreased the immobility time time in the TST. The results indicate that hydroalcoholic extracts of E. beaurepaireana, E. brasiliensis and E. catharinae have antidepressant-like effect, demonstrating for the first time that species of Eugenia have antidepressant-like effect in TST. The antidepressant-like effect of E. brasiliensis is likely mediated by serotonergic, noradrenergic and dopaminergic systems.
3

Eugenol—From the Remote Maluku Islands to the International Market Place: A Review of a Remarkable and Versatile Molecule

Kamatou, GP, Vermaak, I, Viljoen, AM 06 June 2012 (has links)
Abstract: Eugenol is a major volatile constituent of clove essential oil obtained throughN hydrodistillation of mainly Eugenia caryophyllata (=Syzygium aromaticum) buds and leaves. It is a remarkably versatile molecule incorporated as a functional ingredient in numerous products and has found application in the pharmaceutical, agricultural, fragrance, flavour, cosmetic and various other industries. Its vast range of pharmacological activities has been well-researched and includes antimicrobial, anti-inflammatory, analgesic, anti-oxidant and anticancer activities, amongst others. In addition, it is widely used in agricultural applications to protect foods from micro-organisms during storage, which might have an effect on human health, and as a pesticide and fumigant. As a functional ingredient, it is included in many dental preparations and it has also been shown to enhance skin permeation of various drugs. Eugenol is considered safe as a food additive but due to the wide range of different applications, extensive use and availability of clove oil, it is pertinent to discuss the general toxicity with special reference to contact dermatitis. This review summarises the pharmacological, agricultural and other applications of eugenol with specific emphasis on mechanism of action as well as toxicity data.
4

Higiene mental e eugenia : o projetode "regeneração nacional" da Liga Brasileira de Higiene Mental (1920-30)

Reis, Jose Roberto Franco 19 July 2018 (has links)
Orientador: Maria Clementina Pereira Cunha / Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Filosofia e Ciencias Humanas / Made available in DSpace on 2018-07-19T23:32:36Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Reis_JoseRobertoFranco_M.pdf: 7804555 bytes, checksum: 59acc974df610b5b4f9e1da020efb057 (MD5) Previous issue date: 1994 / Resumo: Este trabalho tem por objetivo discorrer sobre as propostas da psiquiatria higiênica brasileira das décadas de 20 e 30, notadamente de sua instituição mais expressiva no período que foi a Liga Brasileira de Higiene Mental (LBHM), criada em 1923. Tomando por eixo de análise os desdobramentos teóricos e práticos dessa psiquiatria, que consagrava o princípio da prevenção e elegia a eugenia e higiene mental como referentes conceituais básicos, buscou-se esclarecer aspectos importantes do seu novo e ambicioso projeto de intervenção social que, de forma geral, se vinculava ao tema tão caro à época da "regeneração" e/ou "construção" nacional. Como para alcançar tal intuito de regenerar a nacionalidade exigia que se enfrentasse a questão da composição racial do brasileiro, os psiquiatras e médicos agrupados em torno da Liga Brasileira de Higiene Mental se valeram extensamente de proposições eugênicas, vistas, pois, como melhor meio de racionalizar esse processo. / Abstract: This work has the objective of discoursing the proposals of the Brazilian hygiene psychiatry during the decades of the 20's and 30's, specially its most important institution, the Brazilian League of Mental Hygiene (LBHM), founded in 1923. Using as axis of analyses the theorical and practical expansion of this psychiatry that rendered the principal of prevention and had elected the eugenic and mental hygiene as basic concepts of reference, this work has the intention of enlightening important Aspects of its new and ambitious project of social interference which, in a general sense, was linked to the 50 highly esteemed theme of that time: the national "regeneration" and/or "construction". To achieve such aim of regenerating the nationality, required that one should face the problem of racial mixture of the Brazilian population, 50 psychiatrists and doctors gathered in the Brazilian League of Mental Hygiene, were supported greatly on the eugenic proposal, due to the fact that it became the best form of rationalizing this process. / Mestrado / Mestre em História
5

Condenados pela civilização : a eugenia e o projeto de aperfeiçoamento físico e moral da população brasileira nas três primeiras décadas do século XX

Luppi, Sheila Cristina Alves de Lima 28 January 2011 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em História, 2011. / Esta dissertação trata do projeto de aperfeiçoamento da população brasileira elaborado pelos eugenistas nas décadas de 1910 e 1920. Meu objetivo maior foi identificar o modelo de brasileiro idealizado por aqueles que acreditavam na degeneração do mestiço. Para tanto, busquei em documentos e publicações da época, especialmente as Actas e Trabalhos do Primeiro Congresso Brasileiro de Eugenia, a constituição do homem eugenizado, em seus aspectos físicos e moral Sinônimo de progresso, modernidade e civilidade, a eugenia mobilizou muitos intelectuais, alguns interessados em tirar o país do atraso, outros em salvá-lo da barbárie e destruição, cuja ameaça se personificava na figura do mestiço. Desse modo, eugenia, raça e racismo se confundem na busca de uma melhor definição da identidade nacional, em um debate marcado por contradições, preconceito e incertezas. / This thesis addresses about the design of improvement of the Brazilian population prepared by eugenicists in the 1910s and 1920s. My main goal was to identify the Brazilian model devised by those who believed in the degeneration of the mestizo. For that, I searched in documents and publications of the era, especially the Minutes and Papers of the First Brazilian Congress of Eugenia, the constitution of eugenic man, in its physical and moral aspects. Synonymous of progress, modernity and civility, the Eugenia has mobilized manv intellectuais, some interested in ridding the country of delay, others to save it from barbarism and destruction, whose threat embodied in the figure of the mestizo. Thus, Eugenia, race and racism mingle in search of a better definition of national identity, in a debate marked by contradictions, prejudices and uncertainties.
6

Processos de indução e de inibição da regeneração de plântulas de sementes de Eugenia pyriformis cambess

Amador, Talita Silveira [UNESP] 29 April 2011 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2014-06-11T19:25:35Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2011-04-29Bitstream added on 2014-06-13T18:53:44Z : No. of bitstreams: 1 amador_ts_me_botib_parcial.pdf: 75097 bytes, checksum: 6144f552ea63e1479d559f4541134011 (MD5) Bitstreams deleted on 2015-06-25T13:00:59Z: amador_ts_me_botib_parcial.pdf,. Added 1 bitstream(s) on 2015-06-25T13:03:21Z : No. of bitstreams: 1 000691768_20160530.pdf: 74842 bytes, checksum: 7b3ebb62aa28c2f91b65334d867ca8f9 (MD5) Bitstreams deleted on 2016-05-30T11:37:06Z: 000691768_20160530.pdf,. Added 1 bitstream(s) on 2016-05-30T11:37:51Z : No. of bitstreams: 1 000691768.pdf: 516460 bytes, checksum: 2e3fc4d328d5c84c539851d851a2a906 (MD5) / Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) / Sementes de Eugenia spp. tem demonstrado excepcional capacidade regenerativa mesmo sendo monoembriônicas, podendo apresentar formação de mais de uma plântula a partir de uma mesma semente, mas somente quando submetidas a fracionamento. Isso significa que processos de indução e de inibição podem estar atuando e que o balanço na concentração de promotores e inibidores, nestas sementes, pode definir o potencial de regeneração de novas raízes e plântulas. Neste trabalho, sementes de Eugenia pyriformis foram submetidas a incisões totais ou parciais e avaliadas quanto à germinação e à produção de plântulas. Além disso foram feitos extratos aquosos e etanólicos de E. pyriformis em diferentes fases de germinção e esses aplicados na própria espécie e em aquênios de alface com intuito de analisar o potencial inibidor desses extratos. Os resultados confirmaram a capacidade regenerativa dessas sementes, a qual é reprimida quando a germinação se inicia, sendo que o corte de sementes germinantes de E. pyrfiformis poderia provocar tanto a indução do desenvolvimento de raízes e plântulas, decorrente da lesão, quanto o bloqueio de processos potencialmente inibidores, devido ao isolamento da fração germinante. Extrato de sementes germinantes mostraram efeito inibidor maior, tanto para germinação quanto para produção de plântulas normais, para a própria espécie e para alface, confirmando a produção contínua desses compostos durante as primeiras fases da germinação / Seeds of Eugenia spp. has demonstrated exceptional regenerative capacity even though monoembryonic, may present more than one seedling from a single seed, but only when submitted to fractionation. This means that processes of induction and inhibition may be operating and that the balance in the concentration of promoters and inhibitors, these seeds can define the potential for regeneration of new roots and seedlings. In this work, seeds of Eugenia pyriformis were submitted to total or partial incisions and evaluated for germination and seedling production. Furthermore were made water and ethanol extracts of E. pyriformis in different phases of germination and those applied in their own species and in lettuce seeds in order to analyze the inhibitory potential of these extracts. The results confirmed the regenerative capacity of the seed, which is repressed when germination starts, and the court of germinating seeds of E. pyrfiformis could induce the induction of the development of roots and seedlings, resulting from injury, and blocking procedures potential inhibitors, due to the isolation of the fraction germinating. Extract of germinating seeds showed higher inhibitory effect, both germination and production of normal seedlings, for their own species and lettuce, confirming the continuous production of these compounds during the early stages of germination
7

Análise da variação genética adaptativa em populações naturais de Eugenia uniflora L. (Myrtaceae)

Veto, Nicole Moreira January 2015 (has links)
O conhecimento sobre a história evolutiva de uma espécie é essencial para obter insights sobre processos que contribuíram para os padrões atuais de distribuição e diversidade dessa espécie. Entender a evolução de uma espécie envolve a compreensão de sua história demográfica, estruturação populacional e também os mecanismos envolvidos na adaptação local. Neste contexto, os avanços em genômica e tecnologia de sequenciamento de DNA estão revolucionando o entendimento da história evolutiva das espécies, pois possibilitam o desenvolvimento de plataformas de genotipagem de alto rendimento, facilitando o uso de análises multilocus para identificar as regiões genômicas responsáveis pela adaptação local e trazendo uma visão detalhada sobre a história demográfica e a estrutura de populações. Além disso, estes dados permitem a identificação de loci responsáveis ou associados com adaptações locais e compreender as estratégias de adaptação que possibilitam algumas plantas sobreviverem em diferentes condições ambientais. Eugenia uniflora L. é uma espécie pertencente à família Myrtaceae e que apresenta uma ampla distribuição ao longo dos domínios da Floresta Atlântica (DFA). Popularmente conhecida como pitanga ou cereja-brasileira, E. uniflora é bastante versátil e cresce em vários habitats diferentes, ocorrendo como um arbusto ou árvore pequena em ambientes arenosos de restinga na planície costeira, próximo ao oceano e também no sul do Brasil apresenta-se como árvore, em ambientes de mata ciliar. Essas características, aliadas ao fato de que esta espécie seja uma das espécies-chave presentes em diferentes regiões fitogeográficas que integram a DFA, fazem com que ela seja um excelente modelo para estudos de variação adaptativa. Dessa forma, a presente dissertação teve como objetivo o estudo da variação genética adaptativa em populações naturais de E. uniflora. Para isso, foram selecionados 30 genes candidatos envolvidos em diferentes vias de sinalização com as respostas ao estresse abiótico, através da análise do transcriptoma da folha de E. uniflora. As sequências desses genes foram amplificadas por PCR em 96 indivíduos provenientes de populações de ambientes contrastantes. Os fragmentos amplificados foram submetidos ao sequenciamento usando plataforma de Sequenciamento de Nova Geração para a identificação e genotipagem de marcadores SNPs (Single Nucleotide Polimorphism). Após a análise do sequenciamento, um total de 381 SNPs, distribuídos em 16 genes foram identificados e genotipados em 84 indivíduos. A análise de FST outlier revelou dois loci sob seleção positiva, um no gene que codifica uma dehidrina e outro no gene que codifica uma Lea14-A, genes estes previamente reportados estarem envolvidos com estresse de resposta à seca em plantas. / The knowledge about the evolutionary history of a species is essential to gain insight into processes that contributed to the current patterns of distribution and diversity of this species. It involves the understanding of demographic history, population structure and also the mechanisms involved in local adaptation. In this context, advances in genomics and DNA sequencing technology are revolutionizing the understanding of the evolutionary history of the species, as they allow the development of high-throughput genotyping platforms, facilitating the use of multilocus analysis to identify genomic regions responsible for local adaptation. It also gives detailed insight into the demographic history and population structure. Furthermore, these data allow the identification of loci responsible for or associated with local adaptations and comprises adaptation strategies that enable some plants to survive in different environmental conditions. Eugenia uniflora L. is a species belonging to Myrtaceae family, wide distributed over the Atlantic Forest Domain (AFD). Popularly known as Pitanga or Brazilian-cherry, it is quite versatile and grows in distinct habitats, occurring as a shrub or small tree in sandy environments (Restinga) on the coastal plain near the ocean and as a tree in southern Brazil (riparian forest). These characteristics, combined with the fact that this species is one of the key species present in different phytogeographic regions of the AFD, make this species an excellent model for studies of adaptation. Thus, the present work aims to study the adaptive genetic variation in natural populations of E. uniflora. For this, we selected 30 candidate genes involved in different signaling pathways with the responses to abiotic stress by transcriptome analysis of E. uniflora. The sequences of these genes were amplified by PCR in 96 individuals from populations of different environments. The amplified fragments were subjected to sequencing using Next Generation Sequencing platform for the identification and genotyping of SNP markers (Single Nucleotide Polymorphism). After sequencing analysis, a total of 381 SNPs spread on 16 genes were identified and genotyped in 84 individuals. The FST outlier analysis revealed two loci under positive selection, one present in a gene encoding a dehydrin and another in a gene encoding a Lea14-A. These two genes were previously reported to be involved in drought stress response in plants.
8

Óleos essenciais de espécies de Eugenia do Cerrado : composições químicas sazonais, modificações químicas no β-cariofileno e avaliação da atividade acaricida

Ribeiro, Paulo Henrique Silva 07 December 2015 (has links)
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Instituto de Química, Programa de Pós-Graduação em Química, 2015. / Submitted by Fernanda Percia França (fernandafranca@bce.unb.br) on 2016-03-28T20:21:25Z No. of bitstreams: 1 2015_PauloHenriqueSilvaRibeiro.pdf: 10102032 bytes, checksum: 686e512f84476c253b39b708c60a2c9a (MD5) / Approved for entry into archive by Raquel Viana(raquelviana@bce.unb.br) on 2016-04-11T18:29:06Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2015_PauloHenriqueSilvaRibeiro.pdf: 10102032 bytes, checksum: 686e512f84476c253b39b708c60a2c9a (MD5) / Made available in DSpace on 2016-04-11T18:29:06Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2015_PauloHenriqueSilvaRibeiro.pdf: 10102032 bytes, checksum: 686e512f84476c253b39b708c60a2c9a (MD5) / O presente trabalho investigou a composição química dos óleos essenciais (OE) das folhas das espécies Eugenia langsdorffii (ELA), Eugenia dysenterica (EDY) e Eugenia lutescens (ELU) coletados nos períodos chuvoso (PC) e seco (PS) dos anos de 2012 e 2014. Os OE foram extraídos por hidrodestilação e os rendimentos percentuais observados para EDY e ELU, foram muito semelhantes nos dois anos/períodos de coleta e os melhores rendimentos foram observados em PC. Ao contrário, foi observada uma grande variação percentual para ELA, que exibiu maiores teores em PS. A composição química foi determinada por cromatografia em fase gasosa acoplada à espectrometria de massa (CG-EM), onde se observou uma grande variabilidade sazonal intraespécie no quantitativo de monoterpenos e sesquiterpenos. De forma geral, os OE apresentaram notáveis teores de β-cariofileno, δ-cadineno, α e β-pineno, limoneno, biciclogermacreno e espatulenol. O sesquiterpeno β-cariofileno foi encontrado com elevado percentual em todos OE, independente da fase de coleta, podendo ser considerado como um marcador químico das espécies. Os OE obtidos no ano de 2012 foram testados contra Tetranychus urticae (ácaro rajado) e, interessantemente, todos apresentaram atividade acaricida, sendo que E. langsdorffii (PS/2012) exibiu o melhor resultado (CL50 = 1,58 μL.L-1 de ar). β-Cariofileno, um dos componentes majoritário e comum a todas as espécies, foi isolado do OE de E. dysenterica por cromatografia em coluna dopada com nitrato de prata e comparado com padrão adquirido comercialmente por IV, CG-EM, RMN 1H e 13C bem como testado sua atividade acaricida, exibindo CL50 = 4,7 x 10-2 μL.L-1 de ar. Adicionalmente, o β-cariofileno comercial foi submetido a diversas modificações químicas para fornecer cinco derivados, os quais foram caracterizados por métodos espectrométricos como sendo óxido de cariofileno; 4,5-dihidróxi-cariofil-8(15)-eno; acetato de 4,8-dihidróxi-cariof-5-ila; aldeído β-nocariofilon e ácido β-nocariofilônico. A atividade acaricida destes derivados somente foi observada na CL95 do β-cariofileno (97,78 ± 1,11 % de letalidade), sendo o melhor resultado de letalidade observada para o aldeído β-nocariofilon (5,71 1,20 %). Além da determinação da composição química, este estudo mostrou os períodos de maior produção e atividade acaricida dos OE das três espécies de Eugenia. / The present work investigated the chemical composition of the leaf essential oils (EO) of the species Eugenia langsdorffii (ELA), Eugenia dysenterica (EDY) and Eugenia lutescens (ELU) collected during the rainy (RS) and dry (DS) seasons of the years 2012 and 2014. The EO were extracted by hydrodistillation and the percentage yields observed for EDY and ELU were very similar in both years/collection periods and the best yields were observed in RS. Unlike, it was observed a large variation for ELA which exhibited higher amount in DS. The chemical composition was determined by gas chromatography coupled to mass spectrometry (GC-MS), where it was observed a large seasonal variability intra species. The global data show that the chemical profile of the EO varied in quantity of monoterpenes and sesquiterpenes. Overall, the EO featured notable amount of β-caryophyllene, δ-cadinene, α and β-pinene, limonene, bicyclogermacrene and spathulenol. The sesquiterpene β-caryophyllene can be considered as a chemical marker for the species, as it was found with high percentage in all EO, independent of the collection phases. The EO obtained in 2012 were tested against Tetranychus urticae (spotted spider mite) and, interestingly, all showed acaricide activity, being E. langsdorffii (DS/2012) that exhibited best result (CL50 = 1,58 μL.L-1 of air). The β-caryophyllene, one of the major component and common to all species, isolated from E. dysenterica by chromatography column doped with silver nitrate, compared to stand purchased commercially by IR-FT, GC-MS, and NMR (1H and 13C) and also tested for acaricide activity, displaying CL50 = 4,7 x 10-2 μL.L-1 of air. Additionally, the commercial β-caryophyllene was subjected to various chemical modifications to afford five derivatives, which were characterized by spectrometric methods as being caryophyllene oxide; 4,5-dihydroxy-caryophyl-8(15)-ene; caryoph-4,8-dihydroxy-5-yl acetate; β-nocaryophyllone aldehyde and β-nocaryophyllonic acid. The acaricide activity against T. urticae of these derivatives was only observed at β-caryophyllene CL95 (97,78 ± 1,11% of lethality), and the best result of lethality was for the β-nocaryophyllone aldehyde (5,71±1,20%). Beyond the chemical composition, this study showed periods of increased oil production and acaricidal activity.
9

Análise da variação genética adaptativa em populações naturais de Eugenia uniflora L. (Myrtaceae)

Veto, Nicole Moreira January 2015 (has links)
O conhecimento sobre a história evolutiva de uma espécie é essencial para obter insights sobre processos que contribuíram para os padrões atuais de distribuição e diversidade dessa espécie. Entender a evolução de uma espécie envolve a compreensão de sua história demográfica, estruturação populacional e também os mecanismos envolvidos na adaptação local. Neste contexto, os avanços em genômica e tecnologia de sequenciamento de DNA estão revolucionando o entendimento da história evolutiva das espécies, pois possibilitam o desenvolvimento de plataformas de genotipagem de alto rendimento, facilitando o uso de análises multilocus para identificar as regiões genômicas responsáveis pela adaptação local e trazendo uma visão detalhada sobre a história demográfica e a estrutura de populações. Além disso, estes dados permitem a identificação de loci responsáveis ou associados com adaptações locais e compreender as estratégias de adaptação que possibilitam algumas plantas sobreviverem em diferentes condições ambientais. Eugenia uniflora L. é uma espécie pertencente à família Myrtaceae e que apresenta uma ampla distribuição ao longo dos domínios da Floresta Atlântica (DFA). Popularmente conhecida como pitanga ou cereja-brasileira, E. uniflora é bastante versátil e cresce em vários habitats diferentes, ocorrendo como um arbusto ou árvore pequena em ambientes arenosos de restinga na planície costeira, próximo ao oceano e também no sul do Brasil apresenta-se como árvore, em ambientes de mata ciliar. Essas características, aliadas ao fato de que esta espécie seja uma das espécies-chave presentes em diferentes regiões fitogeográficas que integram a DFA, fazem com que ela seja um excelente modelo para estudos de variação adaptativa. Dessa forma, a presente dissertação teve como objetivo o estudo da variação genética adaptativa em populações naturais de E. uniflora. Para isso, foram selecionados 30 genes candidatos envolvidos em diferentes vias de sinalização com as respostas ao estresse abiótico, através da análise do transcriptoma da folha de E. uniflora. As sequências desses genes foram amplificadas por PCR em 96 indivíduos provenientes de populações de ambientes contrastantes. Os fragmentos amplificados foram submetidos ao sequenciamento usando plataforma de Sequenciamento de Nova Geração para a identificação e genotipagem de marcadores SNPs (Single Nucleotide Polimorphism). Após a análise do sequenciamento, um total de 381 SNPs, distribuídos em 16 genes foram identificados e genotipados em 84 indivíduos. A análise de FST outlier revelou dois loci sob seleção positiva, um no gene que codifica uma dehidrina e outro no gene que codifica uma Lea14-A, genes estes previamente reportados estarem envolvidos com estresse de resposta à seca em plantas. / The knowledge about the evolutionary history of a species is essential to gain insight into processes that contributed to the current patterns of distribution and diversity of this species. It involves the understanding of demographic history, population structure and also the mechanisms involved in local adaptation. In this context, advances in genomics and DNA sequencing technology are revolutionizing the understanding of the evolutionary history of the species, as they allow the development of high-throughput genotyping platforms, facilitating the use of multilocus analysis to identify genomic regions responsible for local adaptation. It also gives detailed insight into the demographic history and population structure. Furthermore, these data allow the identification of loci responsible for or associated with local adaptations and comprises adaptation strategies that enable some plants to survive in different environmental conditions. Eugenia uniflora L. is a species belonging to Myrtaceae family, wide distributed over the Atlantic Forest Domain (AFD). Popularly known as Pitanga or Brazilian-cherry, it is quite versatile and grows in distinct habitats, occurring as a shrub or small tree in sandy environments (Restinga) on the coastal plain near the ocean and as a tree in southern Brazil (riparian forest). These characteristics, combined with the fact that this species is one of the key species present in different phytogeographic regions of the AFD, make this species an excellent model for studies of adaptation. Thus, the present work aims to study the adaptive genetic variation in natural populations of E. uniflora. For this, we selected 30 candidate genes involved in different signaling pathways with the responses to abiotic stress by transcriptome analysis of E. uniflora. The sequences of these genes were amplified by PCR in 96 individuals from populations of different environments. The amplified fragments were subjected to sequencing using Next Generation Sequencing platform for the identification and genotyping of SNP markers (Single Nucleotide Polymorphism). After sequencing analysis, a total of 381 SNPs spread on 16 genes were identified and genotyped in 84 individuals. The FST outlier analysis revealed two loci under positive selection, one present in a gene encoding a dehydrin and another in a gene encoding a Lea14-A. These two genes were previously reported to be involved in drought stress response in plants.
10

Análise da variação genética adaptativa em populações naturais de Eugenia uniflora L. (Myrtaceae)

Veto, Nicole Moreira January 2015 (has links)
O conhecimento sobre a história evolutiva de uma espécie é essencial para obter insights sobre processos que contribuíram para os padrões atuais de distribuição e diversidade dessa espécie. Entender a evolução de uma espécie envolve a compreensão de sua história demográfica, estruturação populacional e também os mecanismos envolvidos na adaptação local. Neste contexto, os avanços em genômica e tecnologia de sequenciamento de DNA estão revolucionando o entendimento da história evolutiva das espécies, pois possibilitam o desenvolvimento de plataformas de genotipagem de alto rendimento, facilitando o uso de análises multilocus para identificar as regiões genômicas responsáveis pela adaptação local e trazendo uma visão detalhada sobre a história demográfica e a estrutura de populações. Além disso, estes dados permitem a identificação de loci responsáveis ou associados com adaptações locais e compreender as estratégias de adaptação que possibilitam algumas plantas sobreviverem em diferentes condições ambientais. Eugenia uniflora L. é uma espécie pertencente à família Myrtaceae e que apresenta uma ampla distribuição ao longo dos domínios da Floresta Atlântica (DFA). Popularmente conhecida como pitanga ou cereja-brasileira, E. uniflora é bastante versátil e cresce em vários habitats diferentes, ocorrendo como um arbusto ou árvore pequena em ambientes arenosos de restinga na planície costeira, próximo ao oceano e também no sul do Brasil apresenta-se como árvore, em ambientes de mata ciliar. Essas características, aliadas ao fato de que esta espécie seja uma das espécies-chave presentes em diferentes regiões fitogeográficas que integram a DFA, fazem com que ela seja um excelente modelo para estudos de variação adaptativa. Dessa forma, a presente dissertação teve como objetivo o estudo da variação genética adaptativa em populações naturais de E. uniflora. Para isso, foram selecionados 30 genes candidatos envolvidos em diferentes vias de sinalização com as respostas ao estresse abiótico, através da análise do transcriptoma da folha de E. uniflora. As sequências desses genes foram amplificadas por PCR em 96 indivíduos provenientes de populações de ambientes contrastantes. Os fragmentos amplificados foram submetidos ao sequenciamento usando plataforma de Sequenciamento de Nova Geração para a identificação e genotipagem de marcadores SNPs (Single Nucleotide Polimorphism). Após a análise do sequenciamento, um total de 381 SNPs, distribuídos em 16 genes foram identificados e genotipados em 84 indivíduos. A análise de FST outlier revelou dois loci sob seleção positiva, um no gene que codifica uma dehidrina e outro no gene que codifica uma Lea14-A, genes estes previamente reportados estarem envolvidos com estresse de resposta à seca em plantas. / The knowledge about the evolutionary history of a species is essential to gain insight into processes that contributed to the current patterns of distribution and diversity of this species. It involves the understanding of demographic history, population structure and also the mechanisms involved in local adaptation. In this context, advances in genomics and DNA sequencing technology are revolutionizing the understanding of the evolutionary history of the species, as they allow the development of high-throughput genotyping platforms, facilitating the use of multilocus analysis to identify genomic regions responsible for local adaptation. It also gives detailed insight into the demographic history and population structure. Furthermore, these data allow the identification of loci responsible for or associated with local adaptations and comprises adaptation strategies that enable some plants to survive in different environmental conditions. Eugenia uniflora L. is a species belonging to Myrtaceae family, wide distributed over the Atlantic Forest Domain (AFD). Popularly known as Pitanga or Brazilian-cherry, it is quite versatile and grows in distinct habitats, occurring as a shrub or small tree in sandy environments (Restinga) on the coastal plain near the ocean and as a tree in southern Brazil (riparian forest). These characteristics, combined with the fact that this species is one of the key species present in different phytogeographic regions of the AFD, make this species an excellent model for studies of adaptation. Thus, the present work aims to study the adaptive genetic variation in natural populations of E. uniflora. For this, we selected 30 candidate genes involved in different signaling pathways with the responses to abiotic stress by transcriptome analysis of E. uniflora. The sequences of these genes were amplified by PCR in 96 individuals from populations of different environments. The amplified fragments were subjected to sequencing using Next Generation Sequencing platform for the identification and genotyping of SNP markers (Single Nucleotide Polymorphism). After sequencing analysis, a total of 381 SNPs spread on 16 genes were identified and genotyped in 84 individuals. The FST outlier analysis revealed two loci under positive selection, one present in a gene encoding a dehydrin and another in a gene encoding a Lea14-A. These two genes were previously reported to be involved in drought stress response in plants.

Page generated in 0.0426 seconds