• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 582
  • 11
  • 1
  • Tagged with
  • 613
  • 613
  • 385
  • 107
  • 100
  • 99
  • 80
  • 75
  • 71
  • 69
  • 68
  • 64
  • 58
  • 57
  • 57
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

A clínica da psicose na clínica do CAPS : reflexões a partir das perspectivas do paciente, de sua família e de profissionais que o atendem num CAPS de São Luís (MA)

2008 (has links)
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, Departamento de Psicologia Clínica, 2008. Submitted by wesley oliveira leite (leite.wesley@yahoo.com.br) on 2009-09-11T17:29:01Z No. of bitstreams: 1 2009_IsalenaSantosCarvalho.pdf: 2203427 bytes, checksum: 4c3e12798e9345f56daf6938aaa29f9f (MD5) Approved for entry into archive by Luanna Maia(luanna@bce.unb.br) on 2009-09-14T12:51:15Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2009_IsalenaSantosCarvalho.pdf: 2203427 bytes, checksum: 4c3e12798e9345f56daf6938aaa29f9f (MD5) Made available in DSpace on 2009-09-14T12:51:15Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2009_IsalenaSantosCarvalho.pdf: 2203427 bytes, checksum: 4c3e12798e9345f56daf6938aaa29f9f (MD5) Previous issue date: 2008 Este estudo teve como principal objetivo discutir o atendimento ao paciente psicótico no CAPS a partir das perspectivas dele, de sua família e dos profissionais que o atendem num serviço de São Luís (MA). Como ramificações desse objetivo, visou-se identificar concepções sobre: o paciente psicótico; a proposta de tratamento do CAPS a esse sujeito; e a contribuição da família para seu atendimento. Participaram do estudo uma paciente, quatro membros de sua família e seis profissionais. Foram utilizados diário de campo e entrevistas individuais. A análise do discurso foi o referencial de análise do material. Observou-se que os familiares tendem tanto a relevar os comportamentos apresentados pelo paciente, por não o considerarem capaz de discernimento, quanto a caracterizar os que indicam afronta ao funcionamento familiar como intencionalmente transgressores sem relação alguma com questões psicopatológicas. Entre a equipe, há os profissionais que consideram o paciente apenas como um “doente mental”. Para outros, essa caracterização depende do estado no qual ele se encontra. Em crise, há a consideração de que nenhuma intervenção é possível, a não ser a medicamentosa, ou mesmo, a internação. A concepção mais favorável foi da paciente sobre si mesma. Discutiram-se os esforços que desenvolve para se perceber e ser percebida de forma menos limitante. Ela, no entanto, como outros usuários, não tem uma opinião tão favorável em relação às pessoas que ingressam no CAPS com quadro psicótico. Como pacientes e familiares parecem receber poucas informações sobre o diagnóstico, há uma divisão dos usuários conforme a possibilidade de interação manifestada. Observou-se, em geral, uma carente posse de informações sobre o funcionamento do CAPS e suas potencialidades junto ao território. Para os familiares e profissionais, qualquer melhora parece ser percebida como algo espontâneo ou creditada principalmente à medicação. É como se o paciente não sofresse influência significativa das relações que há no CAPS. A contribuição da família no tratamento é limitada pela falta de modalidades a ela direcionadas. Suas idas tendem a se restringir à discussão de assuntos burocráticos ou à de comportamentos destoantes do funcionamento institucional apresentados pelo paciente. Os dados apontam a necessidade de criação de espaços sistemáticos como grupos de familiares e reuniões para avaliação do serviço. Sugerem, ainda, a importância da supervisão clínico-institucional para a equipe. Essas são ações fundamentais para que as concepções e as intervenções tradicionais em relação ao paciente psicótico não se perpetuem na sociedade. ____________________________________________________________________________________ ABSTRACT The main objective of this paper is to discuss the treatment of a psychotic patient at CAPS from her perspective, her family’s and the one of the professionals who deal with her in a service provided in São Luís (MA). As extensions of this goal, it was aimed to identify the conceptions of psychotic patients, the proposed CAPS treatment applied to them and the families’ contribution to their assistance. The study included a female patient, four members of her family and six professionals. As a tool, we performed field studies and individual interviews. Speech analysis was used as reference for analysis of the material. It was observed that family members tend to soften the behavior showed by the patient for they do not consider her able to reason, as well as to characterize those who represent a threat to the family’s functioning as intentional transgressors without any link with psychopathological matters. Among the staff, there are professionals who consider the patient only as “mentally ill”. For others, this label depends on the mental state of the patient at the moment of the observation. During a crisis, it is thought that no intervention is possible, unless it is performed through drugs, or even, hospitalization. The most favorable conception was the patient’s about herself. The efforts that she makes to perceive herself and to be perceived by others in a less limiting way were here discussed. She, however, like other patients, doesn’t have a favorable opinion concerning the individuals who join CAPS with a psychotic event. Since the patients and their families seem to receive little information about the diagnosis, there is a division of the users according to the manifested possibility of interaction. In general, a limited knowledge about CAPS operation and its potentialities on the territory was observed. For family members and professionals, any improvement seems to be perceived as something spontaneous or mainly credited to the medication. It is as if the patient hadn’t obtained any significant influence of the relations existent in CAPS. The contribution of the families to the treatment is limited by the lack of alternatives directed to them. Their visits to CAPS tend to be restricted to bureaucratic issues or to the behavior presented by the patient that does not correspond to institutional functioning. The data point out the need for systematic spaces such as family groups and meetings to evaluate the service provided. They also suggest the importance of clinical-institutional supervision for the staff. These are fundamental actions to prevent traditional conceptions and interventions related to psychotic patient to perpetuate in society.
2

Analise da implementação da politica de saude mental para a rede basica em Campinas : 1992/1993

1995 (has links)
Orientador: Gastão Wagner Sousa Campos Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciencias Médicas Made available in DSpace on 2017-07-27T14:16:54Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Amaral_MarciaAparecidado_M.pdf: 1878331 bytes, checksum: 1d955704a2dbb8922fac77af3906324f (MD5) Previous issue date: 1995 Resumo: Este trabalho, realizado no município de Campinas-SP, teve como objetivo analisar a implementação da Política de Saúde Mental para a rede básica de saúde. Utilizou, em sua metodologia duas etapas: um estudo epidemiológico descritivo de uma amostra de 150 pacientes egressos de um hospital psiquiátrico e encaminhados aos centros de saúde para continuidade do tratamento. Durante 4 meses após a alta, foi verificado o comparecimento dos pacientes às atividades, assim como a ocorrência de reinternações. A segunda etapa do trabalho constou de pesquisa qualitativa junto aos profissionais de saúde mental, pacientes e familiares para avaliar a implementação da política a partir dos atores interessados: suas representações sobre a doença e o tratamento e as repercussões na organização do processo de trabalho das equipes de saúde. Como resultados, encontramos que 48,6% dos pacientes em alta hospitalar não demandaram atendimento nos centros de saúde e dos que o fizeram, 51,4% abandonaram o tratamento num período de 4 meses. A prevalência de reinterações em 4 meses foi de 24,7%, sendo maior entre os pacientes com diagnóstico de psicoses. Da pesquisa junto aos profissionais de saúde e usuários foram identificados problemas relativos à falta de clareza das diretrizes operacionais, infra-estrutura e sistemática de planejamento e avaliação dos serviços. Em conclusão, o presente estudo evidenciou problemas na implementação da Política de Saúde Mental para a rede básica relativos à definição das políticas, à organização do processo de trabalho das equipes de saúde e aos resultados alcançados. Referendou também o diagnóstico de que a transformação do modelo manicomial demanda a existência de novos equipamentos de reabilitação psico-social e a articulação inter-setorial para alcançar seus objetivos de desospitalização e resgate da cidadania dos doentes mentais Abstract: Not informed Mestrado Mestre em Saude Coletiva
3

Prevenção primaria em saude mental com adolescentes trabalhadores da Unicamp

1995 (has links)
Orientadores: Joel Sales Giglio, Carlos Alberto Vidal França Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas Made available in DSpace on 2017-03-20T17:08:39Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Yoshida,Luzia A. Martins.pdf: 7727969 bytes, checksum: 66cf2cdfbea9718eaefeaa4a36dcf221 (MD5) Previous issue date: 1995 Made available in DSpace on 2017-07-20T12:44:20Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Yoshida_LuziaAparecidaMartins_M.pdf: 7727969 bytes, checksum: 66cf2cdfbea9718eaefeaa4a36dcf221 (MD5) Previous issue date: 1995 Resumo: O presente estudo busca avaliar a viabilidade da prevenção primária em saúde mental com adolescentes trabalhadores da U nicamp, a partir de depoimentos dos próprios adolescentes, a respeito do programa preventivo aplicado em 1987. A partir de um levantamento dos interesses e necessidades dos jovens, elaboramos tal programa que abordou os seguintes temas: Sexualidade, Relacionamentos Familiares, Estudos e Profissões e Tóxicos. Para embasar as ações preventivas foram levantados pontos teóricos sobre Saúde Mental, Prevenção, Grupos e Aspectos Psicodinâmicos da Adolescência. Esse programa preventivo teve como sua atividade principal os Grupos Preventivos de Orientação [ G.P.O.(s)] e foi um trabalho empírico que confirmou os dados da literatura científica sobre adolescência e prevenção primária em saúde mental. A avaliação dos depoimentos dos adolescentes, que mostrou ser altamente adequada e que enriqueceu a nossa compreensão sobre os mesmos, foi realizada através da Análise de Conteúdo, proposta por Berelson, Bardin, Mynaio e outros autores. Dessa análise de conteúdo obtivemos as seguintes conclusões: 1 - Os adolescentes fizeram uma avaliação positiva do programa preventivo, percebendo-o como um momento propício à reflexão, à orientação, e à convivência grupal 2 - Nossos sujeitos sentiram nos G.P.O.(s), predominantemente, continência afetiva, desenvolvendo, então, novos posicionarilentos e conscientização de seus papéis na comunidade. 3 - Apresentaram uma percepção de grupo como um espaço adequado para elaborarem seus conflitos. 4 - Vivenciaram mecanismos primitivos de defesa do ego, entre eles a cisão. Projetaram nos pais (aqueles que lhes faziam restrições e davam ordens) a imagem do pai mau e, no profissional (que oferecia oportunidades de convivência grupal), a imagem do pai bom. 5 - Os sentimentos de amor e ódio também estavam cindidos e, através da continência afetiva presente na situação do G.P.O., puderam ser elaborados, favorecendo que os adolescentes se voltassem para as figuras parentais e para novos relacionamentos mais integrados e restaurados. 6 - As informações sobre os temas, transmitidas através do G.P.O., abriram espaço para reflexões e possibilitaram a integração. dos objetos bom e mau, até então cindidos. 7 - Os adolescentes sentiram-se atendidos em suas necessidades e interesses e responderam maciçamente terem obtido alguma vantagem na vivência do G.P.O.. 8 - Consideraram a vivência grupal com outros jovens como o fator de maior',,¬relevância na vivência do G.P.O., confirmando a importância da "identidade grupal" na adolescência. 9 ¿ O Fato do agente de saúde mental ser membro da mesma comunidade que os adolescentes é um importante fator para o estabelecimento de uma relação horizontal, harmoniosa e eficaz. 10 - Consideramos adequado que a prevenção primária seja aplicada num momento mais precoce da adolescência. Após a avaliação do programa preventivo, esperamos contribuir para um maior conhecimento sobre como adequar, ao nosso jovem, ações preventivas que possam efetivamente promover maior saúde mental, maior capacidade de reflexão, de escolhas e de decisões, capacidades estas que promovam o bem-estar do jovem e da comunidade. Almejamos também possibilitar aos demais profissionais um incentivo para trabalharem nas diversas comunidades e estruturas organizacionais, em nível de prevenção Abstract: This thesis demands an evaluation of primary prevention practicability in the area of mental health with Unicarnp working adolescents, who have been taking part of the preventive prograrn aplied in 1987. After a survey about their interest and necessities, we elaborated a prograrn with the chosen themes: sexuality, relationships in the family, studying and careers to take and drugs. As a foundation to preventive actions theoric items were raised upon mental health, prevention, groups and psicodinamic aspects from adolescence. The evaluation of the ado1escents testimony was done through the content analysis, proposed by Berelson, Bardin, Mynaio and others authors, which tumed out to be highly switable and contributed a lot for our comprehension of the adolescents. From this analysis we carne to confIrm the adolescents capacities and characteristics, which have presented theirselves,sometimes doubtful, arnbivalent, omnipotent, but ab1e to openings, flexibility and affection. It has also confmned the fItness of the professional as someone dose to adolescent and taking part with him in the sarne comunity. After the evaluation of the preventive prograrn, we hope to contribute to a large know1edgement in how to fit, to our adolescent, preventive actions which may efectively promote better mental health, better reflexion, chosing and deciding capacities. And that these capacities can promote the adolescent an the comunity well-being. We long for providing to other professionals an encouragement to work in many comunities and organanizational structures, at the leveI of prevention Mestrado Mestre em Saude Mental
4

Hospitais gerais filantropicos em cidades de pequeno e medio porte : novo espaço para a internação psiquiatrica

2004 (has links)
Orientador: Neury Jose Botega Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciencias Medicas Made available in DSpace on 2017-04-03T16:38:31Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Mendez, Cristina Larrobla.pdf: 11537242 bytes, checksum: 20655c3b1c4bc3ac1487615f7e5fdd22 (MD5) Previous issue date: 2004 Made available in DSpace on 2017-07-20T12:44:39Z (GMT). No. of bitstreams: 1 LarroblaMendez_Cristina_D.pdf: 11537242 bytes, checksum: 20655c3b1c4bc3ac1487615f7e5fdd22 (MD5) Previous issue date: 2004 Resumo: O presente trabalho teve como objetivo descrever o processo que levou a algumas Santas Casas e hospitais gerais filantrópicos dos Estados de São Paulo, Minas Gerais e Santa Catarina a instalar enfermarias ou reservar leitos para pacientes psiquiátricos e conhecer a situação atual dessa assistência. Para atingir esse alvo, foi realizada uma leitura crítica e abrangente da literatura afim e específica sobre os referidos temas, além de terem sido selecionadas e visitadas dez instituições onde foi aplicado um formulário descritivo. Na primeira parte do trabalho, foram levados em consideração fatores que enriquecem as discussões no campo da saúde mental no Brasil, tanto na arena científica e política quanto em alguns setores da sociedade civil. Esses fatores, as concepções culturais vinculadas à filantropia, à caridade e às políticas de controle social estiveram e estão ainda hoje, em nosso juízo, na base da história do desenvolvimento do referido setor. Foram tratadas também algumas mudanças que ocorreram na assistência médica geral e psiquiátrica em particular, tanto no nível internacional quanto no Brasil e que determinaram transformações importantes, incidindo diretamente sobre o fenômeno abordado no presente trabalho. Entre elas, destacou-se a descentralização do hospital psiquiátrico do foco da assistência e a criação de novas estruturas como as Unidades Psiquiátricas em Hospitais Gerais (upHGs). Foram escolhidas 10 instituições com base nos dados de um censo realizado no Brasil e nos do DATASUS - 4 em MG (Araguari, Carangola, Formiga e Pouso Alegre), 4 em SC (Curitibanos, Joinville, Lages e São Francisco do Sul) e 2 em SP (Ibitinga e Lençóis Paulista) e foram realizadas 43 entrevistas a pessoas ligadas direta e indiretamente à área da psiquiatria. Cabe observarque 5 instituições contam com enfermaria psiquiátrica (2 em MG e 3 em SC) e que 5 reservam leitos para pacientes psiquiátricos (2 em MG, 1 em se e 2 em SP). Todas as enfermarias trabalham com admissões involuntárias e o número de leitos oscila entre 13 e 32. Apenas em 3 das clinicas médicas são permitidas admissões involuntárias, reservando, todas, 5 leitos para psiquiatria. O espaço disponível não é suficiente; no caso das enfermarias, também não há espaço suficiente para os objetos pessoais dos pacientes. O suprimento de medicamentos tanto básicos quanto psiquiátricos é parcialmente adequado; em alguns casos, a medicação psiquiátrica está desatualizada. Mais da metade dos hospitais visitados apenas contam com recursos farmacológicos como terapêutica e suas equipes de trabalho estão conformadas por Psiquiatra e Enfermeiros, destacando-se a carência na formação dos recursos humanos para trabalhar com pacientes psiquiátricos. Os diagnósticos mais freqüentemente hospitalizados são esquizoftenias, alcoolismo e psicoses agudas, sendo a média de internação utilizada de 17 dias. O trabalho combina um conjunto de informações e apresenta, por primeira vez, a análise de novas tendências que começaram a ser praticadas nos últimos anos em alguns Estados do Brasil. Destarte, nosso estudo visa ampliar o conhecimentoda situação atual da área e fàcilitar, assim, futuras mudanças na melhora da qualidade da assistência psiquiátrica.Fomenta-se, dessa forma, um maior intercâmbio de experiências e dados, expectativa que foi explicitada por parte de todas as fontes de informação Abstract: The present work has the objective to describe the process that make some "Santas Casas" and philanthropist general hospitals from the States of Sao Paulo, Minas Gerais and Santa Catarina, to install infirmaries and reserve beds for psychic patients, and to know the real situation of this assistance. For this purpose a critical and wide reading was done about the specific topics and ten institutions were selected and visited where the descriptive form was applied. The first part of this work takes into consideration factors, which enrich the discussion within the mental health field in Brazil, in the scientific and political area as well as some areas of civil society. These factors, the cultural conceptions connected to the philanthropy, the charity and the policies of social control have been and they still are, in our opinion, in the base of the historical development of the mentioned sector. Some changes, which happen in the general and mainly in the psychiatrist medical assistance were treated in reference to the international leveI as they determined important transformations in Brazil and influenced the phenomenon faced in this work. Among these ones, we underlined the discentralization of the psychiatrist hospital from the focus of assistance and the creation of new structures such as the Psychiatric Units in General HospitaIs (upHGs). Ten institutions were chosen based on data collected in a census done in Brazil by DATASUS - 4 in MG (Araguari, Carangola, Formiga and Poso Alegre), 4 in SC (Curitibanos, Joinville, Lages and São Francisco do Sul) and 2 in SP (Ibitinga and Lençóis Paulista). Besides, 43 interviews were done to peopIe directly or indirectly connected to the psychiatric area. It was observed that five institutions have psychiatric infirmaries (2 in MG and 3 in SC) and five reserve beds for psychic patients (2 in MG, 1 in SC and 2 in SP). All the infirmaries work with invoIuntary admissions and the number of beds varies from 13 to 32. Only three medical centres allow invoIuntary admissions and all of them reserve 5 beds for psychiatry. The place available is not enough, not only for the nurses but also for the patients' personal objects. The suppIy of the basic and psychiatric medicine is partially adequate; in some cases the psychiatric medicine is not update.However, half of the visited hospitaIs hardly count with the pharmacological resources as a therapy and their work teams are formed by psychiatrists, nurses, emphasising the lack of training in human relation to work with psychic patients. The more frequent diagnostics taken to hospital are esquizoftenias, alcoholism and deep psychosis. The average used to be at hospital is 17 days. This work structures a group of information and presents for the first time the analysis of new tendencies which were taken into practice in the Iast years in some states of Brazil. In this way, the project to widen the knowledge about the actual situation in the area as well as to facilitate future changes in reference to the improvement in the quality of the psychiatric assistance. In this way, it fosters a greater interchange of experiences and data, an expectation that was explicit by all the resources of information Doutorado Ciencias Biomedicas Doutor em Ciências Médicas
5

Explorando as fronteiras da assistencia psiquiatrica na America do Sul : o papel das unidades psiquiatricas nos hospitais gerais

1999 (has links)
Orientador: Neury Jose Botega Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas Made available in DSpace on 2017-03-22T01:41:12Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Mendez, Cristina Larroba.pdf: 4748292 bytes, checksum: 338debad7d206ad81901d26fa871c261 (MD5) Previous issue date: 1999 Made available in DSpace on 2017-07-20T12:29:28Z (GMT). No. of bitstreams: 1 LarroblaMendez_Cristina_M.pdf: 4748292 bytes, checksum: 338debad7d206ad81901d26fa871c261 (MD5) Previous issue date: 1999 Resumo: O presente trabalho teve como objetivo analisar a evolução recente e a situação atual da assistência psiquiátrica na América do Sul, colocando especial ênfase nas Unidades Psiquiátricas em Hospitais Gerais (upHGs), como uma das alternativas assistenciais ao macro-hospital. Para tal fim, se realizou uma leitura critica e abrangente da literatura afim e específica sobre ambos os temas, e foram enviados dois inquéritos postais aos diferentes países sul-americanos. Na primeira parte do trabalho, estudaram-se as origens dos primeiros hospitais dedicados aos cuidados dos doentes mentais na América Latina e o processo através do qual a prática assistencial introduzida foi consolidando-se como hegemônica. Também foram abordadas as mudanças sociais, políticas e econômicas que intervieram nesse processo. Numa segunda etapa, foram analisados e discutidos os dados sobre Programas Nacionais de Saúde Mental e sobre as Unidades Psiquiátricas em Hospitais Gerais, obtidos através dos inquéritos postais. O trabalho estrutura um conjunto de informações atualizadas em relação aos sistemas nacionais de saúde mental dos diferentes países da região, até agora apresentado na bibliografia como experiências isoladas e específicas de alguns dos países. Destaca-se que o início da reestrutura da assistência psiquiátrica no continente foi tardio em relação àquela dos países desenvolvidos: ela localiza-se basicamente na década de 90. Alguns dos Programas de Saúde Mental ainda não estão explicitados em documentos oficiais, a maioria deles não tem destinado um orçamento próprio e sua elaboração tem ficado restrita aos técnicos do setor de saúde. Na totalidade dos países, apresentam-se carências nos recursos tanto humanos quanto materiais. Também uma alta porcentagem de programas não contam com sistema de avaliação que permita medir seu impacto e seu resultado nas populações assistidas. Observa-se que, na América do Sul, as Unidades Psiquiátricas em Hospitais Gerais, junto a outras estruturas descentralizadas, têm sido adotadas como modelo alternativo à assistência do clássico hospital psiquiátrico. As unidades refletem iguais carências que os programas no que diz respeito aos recursos humanos e materiais, destacando-se a falta de adequação à demanda assistencial. Os medicamentos, além de serem insuficientes, em alguns casos se apresentam como desatualizados, ficando comprometido o objetivo de manter os pacientes o maior tempo possível na sua comunidade de origem. A maioria das unidades funcionam, basicamente, com duas estruturas assistenciais: ambulatório e enfermarias psiquiátricas, apresentando-se em alguns países também as emergências psiquiátricas. Na segunda estrutura tem surgido, na última década, um incremento no número de leitos, mas a relação de leitos psiquiátricos / habitante em grande parte dos diferentes países está longe de alcançar as cifras recomendadas pelos organismos internacionais. A informação apresentada nesse trabalho, de caráter global, descrevendo os problemas comuns a todos os países sul-americanos, as alternativas adotadas para solucioná-los e as diferenças dos programas, visa ampliar o conhecimento da situação atual da área e facilitar assim futuras mudanças na melhora da qualidade da assistência psiquiátrica. Fomenta-se, dessa forma, um maior intercâmbio de experiências e dados, expectativa que foi explicitada por parte de todas as fontes de informação Abstract: The objective of this dissertation was to analyze the current situation of the psychiatric care in South America, with especial emphasis on Psychiatric Units in General Hospitals, as an altemative to the classic mental hospital. In order to reach our goal, a critical and thorough review of the literature was carried out, and two mailing surveys were sent to the South American countries. The first part of the study focussed on the origins of the first hospitals which were exc1usively dedicated to mentally iIl people in Latin America. 1t also studied the process through which the introduced practice of care assumed a hegemonic position. Likewise, the social, polítical and economical changes, which interfere in this process were looked into. In the second part, the data of the National Mental Hea1th Programs and that of the Psychiatric Units in General Hospitals, obtained through the mailing surveys, were analyzed and discussed. This study structures up a complete and up dated set of information on the national mental health systems of the countries in the studied region. Until now, this information had been presented in literature as some of the countries' specific and isolated experiences. !t' s important to note that. the restructuring of the psychiatric care on the continent delayed too much compared to that of the developed countries: it basically started in the nineties. Some of the Mental Health Programs have not been clearly spelt out in official documents so faro Almost alI the countries lack budget estimates for this end, so the elaboration of such a program was restricted to professionals of the medical sector, resulting in material and human resources deficits. A higher percentage of the programs is devoid of an evaluation system that could measure the results and effectivevess on the people attended. In South America, it is observed that the Psychiatric Unit in General Hospital and other decentralized centers, were adopted as an altemativt} to the state mental hospitaIs. The units reflect the same deficit in human resources and material as that seen in the programs. This clearly shows that the centers can not cope with the demand for medical services. In addition, the medicines are insufficient and in many cases they are outdated. Therefore, due tothe deficiency, it's impossible to maintain the patients in their own communities. The majority of the units basically work with two models: inpatient and outpatient services; in some of the countries these units also have psychiatric emergencies. In the inpatient services, in the last decade, there has been an increase in the length of stay, however the relation between the length of stay / per habitant in many countries is far from the recommended by the intemational organisms. The information presented in this study is of a general nature, describing the common problems to South American countries, altematives taken to solve them and the differences in the programs. This information aims at broadening the knowledge of the current situation in the area. Thus, promoting a major interchange of experiences and data, in harmony with our correspondents. This wiIl in tum help the countries improve the quality of psychiatric assistance in the future Mestrado Saude Mental Mestre em Ciencias Medicas
6

Utopia da realidade : contribuições da desinstitucionalização para a invenção de serviços de saude mental

2003 (has links)
Orientador: Gastão Wagner de Sousa Campos Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciencias Medicas Made available in DSpace on 2017-08-15T13:03:27Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Nicacio_MariaFernandadeSilvio_D.pdf: 714564 bytes, checksum: dd8db220a3c41af85cf9b4fc92decdea (MD5) Previous issue date: 2003 Resumo: Nas duas últimas décadas, o campo da atenção psiquiátrica no Brasil tem sido marcado por um processo de críticas e de propostas de transformação denominado reforma psiquiátrica. No final dos anos 1980, a insígnia ¿Por uma sociedade sem manicômios¿, formulada pelo Movimento dos Trabalhadores em Saúde Mental, produziu uma ruptura com os marcos conceituais e as estratégias políticas e operativas até então delineados e abriu um novo campo de possibilidades e de desafios éticos, teóricos, sociais, institucionais e jurídicos. Na década de 1990, a afirmação dos direitos de cidadania das pessoas com transtornos mentais e a superação do modelo asilar foram definidas com as principais diretrizes para o processo de reforma e para a implementação da política nacional de saúde mental, engendrando mudanças significativas nas dimensões assistencial, legislativa e sociocultural. Atualmente, não obstante a difusão das proposições da reforma e a produção de um amplo conjunto de iniciativas, o panorama nacional evidencia a centralidade do modelo asilar e o movimento instituinte de criação de novos serviços e experiências. A produção de projetos locais e de serviços substitutivos, em particular de serviços de atenção psicossocial, configura-se, portanto, como um dos principais desafios da reforma psiquiátrica no contexto do Sistema Único de Saúde. O presente trabalho tem por objetivo investigar o processo de construção do Núcleo de Atenção Psicossocial da Zona Noroeste (NAPS) no contexto da experiência de saúde mental desenvolvida no município de Santos no período de 1989 a 1996, a partir das fontes documentais, da produção bibliográfica, de pesquisa realizada anteriormente e de diários de campo. À luz do referencial teórico da desinstitucionalização e em diálogo com as proposições de transformação dos modos de pensar e agir em saúde coletiva, busca elaborar e refletir sobre as principais temáticas para a produção do NAPS em seu fazer-se cotidiano como serviço aberto, territorial, 24 horas e substitutivo, problematizando as inovações e as contradições identificadas nesse processo. Busca, ainda, apresentar e discutir que o saber crítico construído nas práticas de transformação da realidade das experiências de Gorizia e Trieste expressa e propõe uma diferente perspectiva ética, teórica e política para compreender a questão da loucura e as relações produzidas no contexto social. Nesse sentido, possibilita uma nova forma de pensar a invenção de serviços substitutivos, inscrevendo-a no complexo processo de desconstrução de saberes, instituições, valores e cultura. Compreendendo os serviços substitutivos como instituições da desinstitucionalização, discute que os serviços tornam-se substitutivos na invenção de uma nova realidade que possibilite a criação de novos diálogos com a complexidade da existência-sofrimento, de itinerários de exercício de direitos e de um novo lugar social para a experiência da loucura Abstract: In the last two decades psychiatric care in Brazil has gone through a process of criticisms and proposals of change known as psychiatric reform. By the end of 1980s, under the emblem ¿For a society without mental asylums¿, devised by the Mental Health Workers¿ Movement, there was a fracture of existing conceptual milestones and political and functioning strategies, giving rise to a new scope of possibilities and ethical, theoretical, social, institutional and legal challenges.In 1990s, the assertion of citizenship rights of individuals with mental health disorders and removal of the asylum model were the main guidelines in the reform process for implementing a national mental health policy that will encompass major changes in care, legislation and social and cultural spheres. Despite the dissemination of reform proposals and a wide range of initiatives, there is today in the national scenario a centralized asylum model and an organized movement for new services and experiences. Thus, the creation of local projects and replacement services, especially psychosocial care services, is one of the major challenges of psychiatric reform in the context of the Unified Health System in Brazil. The present study has the purpose of investigating the process of building up the Northwestern Psychosocial Care Unit (NAPS) given the mental health experience gained in the municipality of Santos for the period between 1989 and 1996, based on documentation, bibliography, prior studies, and field reports. On the grounds of theoretical referential of deinstitutionalization and exchange of ideas on proposals of changing the way of thinking and acting in collective health, it seeks to build on and reflect on major subjects for the creation of NAPS¿s routine as an open, 24-hour, community-based replacement service, and questioning the process¿ breakthroughs and contradictions. Moreover, it introduces and discusses the critical knowledge built on practices of reality changes from Gorizia and Trieste¿s experiences, expressing and proposing a different ethical, theoretical, and political viewpoint to understanding madness and its relationships in the social context. It allows therefore for a new way of thinking the creation of replacement services and inserting it into the complex process of deconstructing knowledge, institutions, values, and cultural issues.Regarding psychosocial care services as institutions of deinstitutionalization, it is reasoned that services become replacements in the creation of a new reality allowing for the creation of new exchange of ideas with the complexity of existence-suffering, ways of exercising one¿s own rights and a new social setting for madness experience Doutorado Doutor em Saude Coletiva
7

Os sentidos dos vínculos na crise psíquica grave

2007 (has links)
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, Departamento de Psicologia Clínica, Programa de Pós-Graduação em Psicologia Clínica e Cultura, 2007. Submitted by wesley oliveira leite (leite.wesley@yahoo.com.br) on 2009-10-09T19:52:54Z No. of bitstreams: 1 Tese_ Maria de Fatima de N Gondim.pdf: 3049673 bytes, checksum: f572e393ec881c31ec3a11d1a43cfd64 (MD5) Approved for entry into archive by Gomes Neide(nagomes2005@gmail.com) on 2011-01-12T16:54:12Z (GMT) No. of bitstreams: 1 Tese_ Maria de Fatima de N Gondim.pdf: 3049673 bytes, checksum: f572e393ec881c31ec3a11d1a43cfd64 (MD5) Made available in DSpace on 2011-01-12T16:54:12Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Tese_ Maria de Fatima de N Gondim.pdf: 3049673 bytes, checksum: f572e393ec881c31ec3a11d1a43cfd64 (MD5) Previous issue date: 2007 Este trabalho teve como objetivo realizar um estudo sobre o sentido dos vínculos de pessoas em situação de crise psíquica grave, incluindo vínculos familiares, sociais e terapêuticos. As noções de crise dentro de diferentes perspectivas foram revisadas e apresentadas conceituações de vínculos de diversos autores como Buber (1979) e Moreno (1975, 1993), com visão fenomenológica e existencial e os da Escola Argentina: Pichon-Rivière (1988a; 1988b), Moguillansky (1999) e Berenstein & Puget (1997), que articulam a visão psicológica e social do vínculo. O processo de individuação e a compreensão da saúde e doença mental a partir dos vínculos foram estudados, com base na visão psicodinâmica e no processo maturacional de Winnicott (1960, 1963, 1957, 1954, 1957) e na teoria psicodramática de Moreno (1975,1993). A constituição do indivíduo a partir dos vínculos familiares, com seus elementos facilitadores e impeditivos da diferenciação do self foi vista na sua dimensão relacional, inconsciente e transmissão psíquica intergeracional, assim como analisadas as influências do contexto social e das redes sociais. Essas diferentes formações de vínculos permitiram o olhar sobre as configurações vinculares da pessoa em crise e seu potencial facilitador ou impeditivo de mudanças. A pesquisa foi feita em duas etapas, por meio de atendimento psicoterapêutico a pessoas em situação de crise psíquica grave, com o foco no seu mundo relacional e visitas a serviços que acolhem pessoas em crise. Essa segunda etapa foi precedida de uma pesquisa documental que indicou o desenvolvimento de serviços de crise em dois diferentes sistemas de saúde mental: o brasileiro e o inglês. Enquanto o atendimento a pessoas em crise ocorreu em Brasília, as visitas a serviços de crise foram realizadas em Brasília, em Londres na região de East Kent, na Inglaterra e em Bruxelas na Bélgica, onde diferentes abordagens como a médico/biológica, biopsicossocial e psicossocial foram encontradas com diferentes formações de vínculos terapêuticos. Ficou evidente a importância das configurações vinculares tanto na eclosão da crise como na sua recuperação. Concluímos, a partir de nossas pesquisas, pela importância fundamental da visão da crise psíquica grave como um momento que pede mudanças no mundo relacional do indivíduo, para que haja continuidade no seu processo de desenvolvimento e individuação. Cabe aos terapeutas e aos serviços de saúde mental organizar suas avaliações e intervenções a partir dos sentidos da crise na vida do indivíduo e no seu contexto relacional. ______________________________________________________________________________ ABSTRACT The goal of this study is to analyze the meaning of personal relationships in severe mental crises, including family, social, and therapeutic relationships. Different concepts of crisis have been reviewed and the definition of crises have been presented as put forth by various authors, such as Buber (1979) and Moreno (1975, 1993), from a phenomenological and existentialist viewpoint, as well as those of the Argentinean School: Pichon-Rivière (1988a; 1988b), Moguillansky (1999) and Berenstein & Puget (1997), who describe the psychological and social aspects of these relationships. The material presented includes the process of individuation and an understanding of mental health and disturbances based on relationships as a maturation process in the psychodynamic model of Winnicott (1960, 1963, 1957, 1954, 1957), and in the psychodrama theory of Moreno (1975, 1993). The individual’s constitution as it is affected by family relationships is studied in the relational, subconscious and intergenerational psychic transmission aspects, also considering the influence of social context and social networks. These different angles on the formation of relationships provide an insight into the configurations of relationships in individuals undergoing crises, as well as into the facilitating or impeditive potential they provide for change and for the differentiation of self. Research was carried out in two stages: by means of assisting people in severe mental crisis focusing on their relational content, and by visiting facilities where people in crisis are treated. The second stage was preceded by a documented research carried out on the development of crisis management services in the Brazilian and the British mental health systems. The assistance to people in crisis was given in Brasilia, Brazil, and the visits to crisis management services were made in Brasilia, London and East Kent in England, and Brussels, Belgium. In the different locations, diverse approaches, such as the medical/biological, biopsychosocial, and psychosocial approaches were encountered. The importance of relational configurations both in the occurrence of crises and in the recovery from them became evident. Our research led to the conclusion that severe mental crises represent moments in which changes in the sufferers’ relational context are required in order for the continuity of their processes of development and individuation. It is the duty of therapists and of mental health services to organize their assessments and interventions based on the meaning of crises in the life of an individual and on their relational context.
8

Médicos dependentes químicos : características da clientela atendida por psiquiatras na cidade de Recife

2004 (has links)
Made available in DSpace on 2014-06-12T23:01:38Z (GMT). No. of bitstreams: 2 arquivo8641_1.pdf: 408836 bytes, checksum: aba42741410831e1183cf22e0d2d4d1b (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2004 O estudo teve por objetivo identificar as características da clientela formada por médicos dependentes químicos, atendidos por psiquiatras na cidade de Recife. A dependência de substâncias psicoativas entre médicos é ainda pouco estudada , com escassos registros na literatura, especialmente no que se refere às repercussões na vida pessoal e no exercício profissional dos mesmos. Trata-se de um estudo descritivo do tipo série de casos, onde foram estudados aspectos relativos à pessoa do médico, a sua formação, ao exercício profissional e ao uso de substâncias psicoativas, expressando as respectivas freqüências. A amostra foi constituída por 64 casos após o preenchimento de questionário (elaborado pelo pesquisador), a partir de dados de prontuários médicos. Os achados identificam uma população predominantemente do sexo masculino (75%), com idade média de 46 anos, casados, com renda mensal entre 9 e 20 salários mínimos e com múltiplos vínculos de trabalho, havendo o predomínio do vínculo público. Atuam nas especialidades de Clínica Médica (37,5%), Cirurgia (23,4%), Anestesiologia (21,9%), Ginecologia/Obstetrícia (10,9%) e Psiquiatria (6,3%). As substâncias mais utilizadas são o álcool, os derivados opióides, os sedativos/hipnóticos, cocaína/crack e canabis entre outras. Cerca de 56% usam o álcool há mais de 20 anos, predominando uma freqüência de uso diário. Para as outras substâncias, a freqüência do uso é semelhante porém, o tempo de uso se encontra em até 10 anos. Aproximadamente 85% apresentam problemas no casamento e no exercício profissional, 37,5% sofreram acidentes de trânsito e apenas 7,8% foram notificados junto ao CREMEPE (Conselho Regional de Medicina de Pernambuco). Dentre as dificuldades no exercício profissional constam: trabalhar alcoolizado ou sob efeito de outras substâncias, as faltas ao trabalho e o desvio de medicamentos. A maioria (75%) foi encaminhado para tratamento por iniciativa dos familiares. Considerando a existência de comorbidade associada à dependência de substâncias psicoativas, ressalta-se o diagnóstico do Transtorno do Humor (78,1%), Transtornos Neuróticos/Estresse/Somatoformes (29,7%), Transtorno de Personalidade (14,1%) e Esquizofrenia (1,6%). Os resultados desse estudo, pioneiro no Nordeste, poderão ser importantes para reflexões sobre o tema e servir de subsídios para a implantação de programas de atenção à saúde do médico no Estado de Pernambuco
9

A Violência na Escola e os Transtornos Mentais Comuns (tmc) em Professores de Escolas Municipais de Jaboatão dos Guararapes – Pernambuco.

17 March 2014 (has links)
Submitted by Etelvina Domingos (etelvina.domingos@ufpe.br) on 2015-04-10T17:13:59Z No. of bitstreams: 2 license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) DISSERTAÇÃO Alyne Fernanda Tôrres de Lima.pdf: 1472269 bytes, checksum: 52a34cbc523b074f72476404736061f8 (MD5) Made available in DSpace on 2015-04-10T17:13:59Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) DISSERTAÇÃO Alyne Fernanda Tôrres de Lima.pdf: 1472269 bytes, checksum: 52a34cbc523b074f72476404736061f8 (MD5) Previous issue date: 2014-03-17 Reuni CAPES INTRODUÇÃO: A violência é um fenômeno multifatorial que atinge diversos setores da sociedade. Nas escolas a violência, além de outros problemas, tem repercutido de maneira negativa atingindo os professores e muitas vezes causando problemas a sua saúde física e emocional. OBJETIVO: conhecer a associação entre a violência na escola e Transtornos Mentais Comuns (TMC) em professores da rede municipal de ensino de Jaboatão do Guararapes – Pernambuco. METODOLOGIA: Um estudo do tipo transversal exploratório, foi realizando com 525 professores da rede pública municipal de ensino. Os professores responderam a um questionário que tratava sobre a violência nas escolas e sobre a sua saúde. Para conhecer a prevalência dos Transtornos Mentais Comuns foi utilizado o Self Reporting Questionnaire (SRQ-20) um instrumento indicado pela Organização Mundial de Saúde para pesquisa de Transtornos Mentais Comuns. RESULTADOS: Os resultados mostraram que a agressão física e a agressão verbal contra o professor, a agressão ou ameaça com arma de fogo ou arma branca, o tráfico e o consumo de drogas na estão associados aos TMC. CONCLUSÃO: A violência afeta a saúde emocional do professor aumentando a chance de transtornos mentais comuns entre os pesquisados e que se faz necessário investir na capacitação do professor para o enfrentamento desse problema e em ações de prevenção da violência.
10

O interjogo da vida e da morte no narcisismo : uma proposta de construção teorica sobre a psicose na obra freudiana

2004 (has links)
Orientador: Debora Isane Ratner Kirschbaum Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciencias Medicas Made available in DSpace on 2017-03-28T13:42:47Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Miranda, Lilian.pdf: 8136611 bytes, checksum: 77bfe79abb75ef29eb47b7c2c73563ab (MD5) Previous issue date: 2004 Made available in DSpace on 2017-07-20T12:43:58Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Miranda_Lilian_M.pdf: 8136611 bytes, checksum: 77bfe79abb75ef29eb47b7c2c73563ab (MD5) Previous issue date: 2004 Resumo: O objetivo deste trabalho é construir um quadro esclarecedor do modo de produção da psicose a partir dos percalços que a libido softe em sua trajetória pelo desenvolvimento psicossexual, tendo a psicanálise fteudiana como referencial teórico. A metodologia utilizada foi a da análise de conteúdo dos textos que continham os termos ligados ao conceito a ser estudado. Baseando-nos no pressuposto de que os sintomas psicóticos advêm de uma fixação no narcisismo primário, concluímos que a fusão das pulsões de vida e de morte e a constituição egóica através de processos de identificação na fase oral podem, mediante problemas no desenvolvimento psicossexual, manter um individuo ligado a primitivas figuras de identificação e impedido de fazer novos investimentos libidinais próprios da fase genital, o que lhes imprime uma constante sensação de ameaça e de morte em vida. As tentativas que o psicótico apresenta de fugir desse estado de morte e de se relacionar com a realidade externa são expressas sob as formas que conhecemos como sintomas, a exemplo dos delírios e dos quadros de agressividade. Embora Freud não tenha articulado um texto que compilasse, de modo lógico e linear, todas as suas formulações acerca da psicose, percebemos que há, ao longo de sua obra, a construção de uma proposta coerente sobre o funcionamento psicótico e alguns indícios, ainda que pouco aprofundados, da existência de possibilidadesde tratamento para esse quadro patológico Abstratct: The goal of the present study is to build a framework based on Freudian psychoanalysis to understand the production mode of psychosis based on the troubles that the libido suffers during its psychosexual development. Methodology consisted of analysis of texts contents that contained the terms related to the concept studied. Based on the rationale that psychotic symptoms are the result of a fixation of primary narcissism, we conclude that the fusion of life and death pulses, as well as the egoic constitution through identification processes during the oral phase, might, due to problems of the psychosexual development, maintain the individual tied to primitive figures of identification and prevent him from making new libidinal investments proper of the genital phase, which causes him to feel a constant sensation of threat and death in life. The attempts made by the psychotic person to escape from that state of death and to relate with external reality are expressed in forms we know as symptoms, such as deliria and the pictures of aggressiveness. Although Freud did not articulate a text that compiles all his formulations on psychosis in a logical and linear fashion,we found, throughout his work, a construction of a coherent proposal on psychotic functioning and some indications, albeit not very elaborated, regarding possible ways of treatment of that pathological picture Mestrado Enfermagem e Trabalho Mestre em Enfermagem

Page generated in 0.1059 seconds