• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 7
  • Tagged with
  • 7
  • 7
  • 7
  • 7
  • 4
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Utopia da realidade : contribuições da desinstitucionalização para a invenção de serviços de saude mental

Nicacio, Maria Fernanda de Silvio 2003 (has links)
Orientador: Gastão Wagner de Sousa Campos Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciencias Medicas Made available in DSpace on 2018-08-03T18:43:46Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Nicacio_MariaFernandadeSilvio_D.pdf: 714564 bytes, checksum: dd8db220a3c41af85cf9b4fc92decdea (MD5) Previous issue date: 2003 Resumo: Nas duas últimas décadas, o campo da atenção psiquiátrica no Brasil tem sido marcado por um processo de críticas e de propostas de transformação denominado reforma psiquiátrica. No final dos anos 1980, a insígnia ¿Por uma sociedade sem manicômios¿, formulada pelo Movimento dos Trabalhadores em Saúde Mental, produziu uma ruptura com os marcos conceituais e as estratégias políticas e operativas até então delineados e abriu um novo campo de possibilidades e de desafios éticos, teóricos, sociais, institucionais e jurídicos. Na década de 1990, a afirmação dos direitos de cidadania das pessoas com transtornos mentais e a superação do modelo asilar foram definidas com as principais diretrizes para o processo de reforma e para a implementação da política nacional de saúde mental, engendrando mudanças significativas nas dimensões assistencial, legislativa e sociocultural. Atualmente, não obstante a difusão das proposições da reforma e a produção de um amplo conjunto de iniciativas, o panorama nacional evidencia a centralidade do modelo asilar e o movimento instituinte de criação de novos serviços e experiências. A produção de projetos locais e de serviços substitutivos, em particular de serviços de atenção psicossocial, configura-se, portanto, como um dos principais desafios da reforma psiquiátrica no contexto do Sistema Único de Saúde. O presente trabalho tem por objetivo investigar o processo de construção do Núcleo de Atenção Psicossocial da Zona Noroeste (NAPS) no contexto da experiência de saúde mental desenvolvida no município de Santos no período de 1989 a 1996, a partir das fontes documentais, da produção bibliográfica, de pesquisa realizada anteriormente e de diários de campo. À luz do referencial teórico da desinstitucionalização e em diálogo com as proposições de transformação dos modos de pensar e agir em saúde coletiva, busca elaborar e refletir sobre as principais temáticas para a produção do NAPS em seu fazer-se cotidiano como serviço aberto, territorial, 24 horas e substitutivo, problematizando as inovações e as contradições identificadas nesse processo. Busca, ainda, apresentar e discutir que o saber crítico construído nas práticas de transformação da realidade das experiências de Gorizia e Trieste expressa e propõe uma diferente perspectiva ética, teórica e política para compreender a questão da loucura e as relações produzidas no contexto social. Nesse sentido, possibilita uma nova forma de pensar a invenção de serviços substitutivos, inscrevendo-a no complexo processo de desconstrução de saberes, instituições, valores e cultura. Compreendendo os serviços substitutivos como instituições da desinstitucionalização, discute que os serviços tornam-se substitutivos na invenção de uma nova realidade que possibilite a criação de novos diálogos com a complexidade da existência-sofrimento, de itinerários de exercício de direitos e de um novo lugar social para a experiência da loucura Abstract: In the last two decades psychiatric care in Brazil has gone through a process of criticisms and proposals of change known as psychiatric reform. By the end of 1980s, under the emblem ¿For a society without mental asylums¿, devised by the Mental Health Workers¿ Movement, there was a fracture of existing conceptual milestones and political and functioning strategies, giving rise to a new scope of possibilities and ethical, theoretical, social, institutional and legal challenges.In 1990s, the assertion of citizenship rights of individuals with mental health disorders and removal of the asylum model were the main guidelines in the reform process for implementing a national mental health policy that will encompass major changes in care, legislation and social and cultural spheres. Despite the dissemination of reform proposals and a wide range of initiatives, there is today in the national scenario a centralized asylum model and an organized movement for new services and experiences. Thus, the creation of local projects and replacement services, especially psychosocial care services, is one of the major challenges of psychiatric reform in the context of the Unified Health System in Brazil. The present study has the purpose of investigating the process of building up the Northwestern Psychosocial Care Unit (NAPS) given the mental health experience gained in the municipality of Santos for the period between 1989 and 1996, based on documentation, bibliography, prior studies, and field reports. On the grounds of theoretical referential of deinstitutionalization and exchange of ideas on proposals of changing the way of thinking and acting in collective health, it seeks to build on and reflect on major subjects for the creation of NAPS¿s routine as an open, 24-hour, community-based replacement service, and questioning the process¿ breakthroughs and contradictions. Moreover, it introduces and discusses the critical knowledge built on practices of reality changes from Gorizia and Trieste¿s experiences, expressing and proposing a different ethical, theoretical, and political viewpoint to understanding madness and its relationships in the social context. It allows therefore for a new way of thinking the creation of replacement services and inserting it into the complex process of deconstructing knowledge, institutions, values, and cultural issues.Regarding psychosocial care services as institutions of deinstitutionalization, it is reasoned that services become replacements in the creation of a new reality allowing for the creation of new exchange of ideas with the complexity of existence-suffering, ways of exercising one¿s own rights and a new social setting for madness experience Doutorado Doutor em Saude Coletiva
2

A construção de um modelo de atenção em saude mental : Estudo da rede publica extra-hospitalar de Campinas (SP)

Oda, Ana Maria Galdini Raimundo, 1965- 1998 (has links)
Orientador: Paulo Dalgalarrondo Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas Made available in DSpace on 2018-07-24T10:05:33Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Oda_AnaMariaGaldiniRaimundo_M.pdf: 3590728 bytes, checksum: 17ff9bd6885886c7a473cd12dbdb354e (MD5) Previous issue date: 1998 Resumo: Esta dissertação tem como objetivo a análise da organização assistencial em saúde mental do município de Campinas (S.P.). O ponto de partida da análise é o delineamento do perfil da clientela atendida na rede assistencial pública do município de Campinas - S.P., especificamente em dezenove unidades básicas de saúde com equipes de saúde mental, que durante o ano de 1995 registraram 4.934 casos. As informações foram obtidas de um banco de dados de morbidade ambulatorial da Secretaria Municipal de Saúde. Observou-se a correspondência do perfil dos usuários com as proposições básicas do modelo assistencial pretendido, explicitadas em documentos oficiais. A clientela atendida era predominantemente do sexo feminino (59.3%), com idade média de 39 (:1:18) anos, residia na região urbana (97.9%) e foi atendida na própria região de moradia (92,5%). Os diagnósticos mais freqüentes foram: Transtornos Neuróticos (37.3%), Transtornos DepressivQs (11.90.10), Esquizofrenia e Transtornos Delirantes (11.8%), Transtornos do Desenvolvimento Psicológico (8.7%), Transtornos decorrentes do Uso de Álcool (6.9%). Os casos se distribuíram em dois grupos principais: o primeiro, maior e com transtornos menos graves e mais prevalentes, os Transtornos Neuróticos; o segundo, de proporções significativas, com diagnósticos de transtornos menos prevalentes porém muito graves, a Esquizofrenia e psicoses relacionadas. A presença dessa dupla clientela indica que os serviços em estudo não têm se concentrado apenas nos casos mais leves e de prevalência maior, em detrimento dos mais gra'les, como freqüentemente ocorre em serviços comunitários de saúde mental. Conclui-se que o município de Campinas possui um modelo assistencial em saúde mental peculiar, baseado na presença de profissionais de saúde mental nas unidades básicas e caracterizado pelo fato dos usuários com transtornos mais graves não estarem excluídos dos serviços de atenção primária. Isso possibilitaria, em tese, a atenção integral à saúde e contribuiria para a desospitalização; entretanto, a insuficiência de outros níveis de atenção -equipamentos regionalizados, para atençijo "intensiva na crise e reabilitação psicossocial - limita a ação daqueles que formam a base do sistema. Além disso, a opção por um modelo hierarquizado traz como riscos a burocratização do fluxo dos usuários e a falta de flexibilidade e de sensibilidade às suas demandas. A concretização das potencialidades desse modelo de atenção relaciona-se tanto ao fortalecimento do SUS - garantindo a saúde como direito - quanto a um esforço persistente de interlocução entre os responsáveis pela formulação de políticas e pelo gerenciamento do sistema, os profissionais diretamente envolvidQs na assistência e os usuários Abstract: The objective of this dissertation is to analyse the mental health care system of the city of Campinas, BraziI. The present study describes the profile of public community health care users, specifically in 19 community care centres, whose mental health teams registered 4,934 cases, in 1995. The data were obtained ITom a case register, organized for this purpose. It was analysed the correspondence between the users profile and some basic aspects of a planned mental health care system, presented in the official recommendations and documents. The patients were predominantly females (59.3%), with a mean age of 39 (:t18) years. In general, they lived at the urban zone and were attended in the own residence areas. The most ITequent diagnoses were Neurotic Disorders (37.3%), Depressive Disorders (11.9%), Schizophrenia Disorders (11.8%), Developmental Disorders (8.7%) and Alcohol related Disorders (6.9%). Therefore, two main groups could be identified: a first one, with less severe but more prevalent conditions (Neurotics and Personality Disorders) and a second one, whit less prevalent but more severe disorders (Schizophrenia Disorders and other psychosis). The presence of these two main groups shows that our community facilities don't treat only the least severe cases, as often is the case among community mental health care facilities. In conclusion, in 1995, the city of Campinas had a distinctive mental health care system. It was marked by the presence of mental health teams at the primary care leveI. Seriously mental ill patients were not excluded ofthese facilities. These aspects might facilitate an integral health care and contribute to deinstitucionalization. However, shortage of specialized psychiatric facilities - especially , for intensive care and psychosocial rehabilitation programs - limits the action of these primary care facilities. Moreover, the option to this model of mental health care system has some risks, which are mainly bureaucratisation and lack of flexibility. The improvement of this mental health care system is related to the consolidation of the Brazilian Public Health Care System (SDS) as well concentrated efforts for improvement in communication among mental health managers, mental health professionals and the users of public facilities Mestrado Mestre em Saude Mental
3

Nos caminhos da psicologia capixaba : notas para a história da psicologia, da psiquiatria e da saúde pública no estado do Espírito Santo

Lima, Milena Fiorim de 25 February 2005 (has links)
Made available in DSpace on 2016-12-23T14:37:59Z (GMT). No. of bitstreams: 1 NOS CAMINHOS DA PSICOLOGIA CAPIXABA NOTAS PARA A HISTORIA DA.pdf: 455527 bytes, checksum: 3f82e16e9347009e0fe67dc63fcb88be (MD5) Previous issue date: 2005-02-25 This study aimed at investiganting the insertion of the first psychologists in the public health services in the State of Espírito Santo (Brazil) and its historical circumstances, presenting a contribution to the History of Psychology, Psychiatry and Public Health. Several aspects of these historical events have been analyzed: the situation of local psychiatry with details of the type of treatment furnished by psychiatrists to patients at the Hospital Adauto Botelho and the Pronto Socorro Psiquiátrico of Cachoeiro de Itapemirim before the insertion of the first psychologists following the arrival of these professionals at the psychiatric institutions; the partnerships established between psychiatrists and psychologists following the arrival of these professionals at the psychiatric institutions; the treatment furnished by psychologists to patients of these institutions and the changes in the psychiatric institutions after the insertion of this new professional category, the psychologist. Two psychiatrists, three psychologists and an auxiliar nurse answered a semi-structured interview. Besides that, documents of the time supplied by the State Health Secretary and found in the Public Archives of Espírito Santo have been analyzed. The results indicate, among other points, that the insertion of the first psuchologists in the public health services in the Espírito Santo took place from 1976 on, in a local context full of criticism against the prevalent notion of madness and the therapeutics offered to those considered mentally ill and, even, taking into account the problem of social injustices. So, original actions were adopted at the time to face this situation. O objetivo do presente estudo foi investigar em que circunstâncias ocorreu a inserção dos primeiros psicólogos nos serviços públicos de saúde do Estado do Espírito Santo, contribuindo para a História da Psicologia, da Psiquiatria e da Saúde Pública. Nesse sentido, foram descritos: a situação da psiquiatria local, através do detalhamento do tipo de tratamento dispensado pelos psiquiatras aos pacientes do Hospital Colônia Adauto Botelho e do Pronto Socorro Psiquiátrico de Cachoeiro de Itapemirim antes da entrada dos primeiros psicólogos nesses serviços; a parceria estabelecida entre psiquiatras e psicólogos a partir do encaminhamento destes para aquelas instituições; o tratamento dispensado pelos psicólogos aos usuários dos serviços e as alterações nas instituições psiquiátricas com inserção da nova categoria profissional. Dois psiquiatras, três psicólogos e uma auxiliar de enfermagem responderam a uma entrevista semi-estruturada. Além disso, foram analisados documentos da época cedidos pela Secretaria de Saúde do Estado ou localizados no Arquivo Público do Espírito Santo. Os resultados indicaram, entre outras coisas, que a inserção dos primeiros psicólogos nos serviços públicos de saúde do Espírito Santo ocorreu a partir de 1976, dentro de um contexto local e amplo de críticas dirigidas à noção de loucura e à terapêutica oferecida aos considerados loucos e, mesmo, às injustiças sociais de uma forma geral. Nota-se, dessa forma, uma originalidade nas ações colocadas em funcionamento naquele momento. Esta é uma história que interessa à área de uma forma geral, na medida em que se conecta com os mais diversos acontecimentos.
4

Experiências e narrativas de psiquiatras trabalhadores de serviços públicos de saúde mental sobre a prática de cuidado da esquizofrenia Narratives and experiences of psychiatrists from community-based mental health services on the care of schizophrenia

Lopes, Tatiana Scala 2011 (has links)
Orientador: Erotildes Maria Leal Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas Made available in DSpace on 2018-08-17T21:58:06Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Lopes_TatianaScala_M.pdf: 1298407 bytes, checksum: fb765ae0ccc68e0ce930955b0c2f2541 (MD5) Previous issue date: 2011 Resumo: Esta investigação de mestrado é um estudo qualitativo multicêntrico, marcado pelo referencial da fenomenologia e da hermenêutica e tem como objetivo compreender como psiquiatras trabalhadores da rede de serviços públicos de saúde mental lidam com a dimensão da experiência particular de pessoas diagnosticadas como portadoras de esquizofrenia no desenho do cuidado. Temos como pressuposto que para promover o restabelecimento de pessoas com transtornos mentais graves e reduzir o estigma é necessário desenvolver modos de cuidar em que a própria experiência da doença não seja negada. Por isso este trabalho foi apoiado na noção de recovery, que no cenário internacional tem contribuído para valorizar a dimensão da experiência do usuário. Para cumprir nosso objetivo, além de realizar uma revisão sobre o conceito de recovery, a fim de melhor compreende-lo, realizamos grupos focais com psiquiatras dos municípios de Campinas e Rio de Janeiro, e através desses grupos pretendemos acessar a experiência dos psiquiatras na formulação do diagnóstico de esquizofrenia e proposição do tratamento. Através do material produzido neste estudo pudemos perceber que a formulação do diagnóstico de esquizofrenia exerce grande impacto sobre a experiência de cuidar do usuário. E a concepção de esquizofrenia como doença grave e crônica parece influenciar amplamente o tipo de assistência que estes profissionais irão ofertar, assim como as expectativas que terão em relação à vida futura do usuário. A idéia de tratamento dos psiquiatras parece permeada não pela idéia de recovery, mas pelos princípios e objetivos da reabilitação psicossocial em seu sentido mais ortopédico e normalizante, que tem grande compatibilidade com o modelo biomédico, e oferece poucas ferramentas de acesso ao mundo e à experiência do usuário Abstract: This master research is a qualitative multiside study, marked by the reference of phenomenology and hermeneutics, and aims to understand how psychiatrists of community-based mental health services deal with the dimension of the particular experience of people diagnosed as suffering from schizophrenia in the caring process. We have assumed that to facilitate the recovery of people with severe mental disorders and to reduce stigma is necessary to develop ways of caring in which the very experience of illness is not ignored. Therefore this work was supported by the notion of "recovery", which in the international arena has contributed to enhance the meaning of the user experience. To accomplish our goal, besides doing a review on the concept of recovery in order to better understand it, we conducted focus groups with psychiatrists from Campinas and Rio de Janeiro. In these groups we intended to access to the experience of psychiatrists in formulating diagnosis of schizophrenia and treatment proposition. Based on the material produced in this study, we realized that the formulation of schizophrenia diagnostic has a major impact on the experience of caring user. And the concept of schizophrenia as a chronic and severe illness seems to largely influence the type of care these professionals will offer, as well as the expectations they have regarding the future life of the user. The psychiatrists? idea of treating seems to be permeated not by the idea of recovery, but by the principles and goals of psychosocial rehabilitation in its most orthopedic and normalizing sense, which has great compatibility with the biomedical model, and provides few tools to access the world and experience of the user Mestrado Política, Planejamento e Gestão em Saúde Mestre em Saude Coletiva
5

Diálogos e vivências sobre arte e identidade com jovens do Bom Jardim Talking about art and identity with Bom Jardim youth

CASTRO, Geísa Sombra de 2009 (has links)
CASTRO, Geísa Sombra de. Diálogos e vivências sobre arte e identidade com jovens do Bom Jardim. 2009. 264f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Universidade Federal do Ceará, Departamento de Psicologia, Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Fortaleza-CE, 2009. Submitted by moises gomes (celtinha_malvado@hotmail.com) on 2012-01-09T14:18:22Z No. of bitstreams: 1 2009_dis_GSDCastro.PDF: 5452783 bytes, checksum: 0fc89db544d3d519ecac65f7aa33dac5 (MD5) Approved for entry into archive by Maria Josineide Góis(josineide@ufc.br) on 2012-01-09T14:26:22Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2009_dis_GSDCastro.PDF: 5452783 bytes, checksum: 0fc89db544d3d519ecac65f7aa33dac5 (MD5) Made available in DSpace on 2012-01-09T14:26:22Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2009_dis_GSDCastro.PDF: 5452783 bytes, checksum: 0fc89db544d3d519ecac65f7aa33dac5 (MD5) Previous issue date: 2009 This research search to understand the implications of the participation in an art-identity group in the movement of the Movement of Community Mental Health of the Good Garden (MSMCBJ) youths' identity, organization non government that works in Fortaleza in the neighborhood of the Grande Bom Jardim located in the Secretaria Executiva Regional - SER V. Such an initiative felt starting from our previous insert in the activities of MSMCBJ that it guaranteed an approximation with the community and with the employees of the institution allowing this research. Another reason was the existence of agroup with art-identity accomplished with the young population that participates the courses offered by ONG. This way, our investigation had two specific objectives: 1. to analyze the characters that appear in the movement of the youths' identity during the assiduous participation in the art-identity group; 2. to understand the direction of the expression and metamorphosis of the identity by the new characters' presence and the disappearance of other. The relevance of this research is the fact of the art-identity as proposal of facilitation of groups it was not systematized. Besides, the work with youths of a popular neighborhood of the capital from Ceará a lot can contribute as alternative of facilitation of groups with this population. We used the contributions of the Community Psychology theory that it looks for to facilitate through the conscience, the development of the community subjects; of Biodança a system of human development that looks for the affective integration, the organic renewal and the learning of the original functions of the life; and of the Educação Biocêntrica, that uses Biodança as way in the teaching-learning process, looking for the construction of the knowledge starting from the invigoration of the student's identity so that this can learn how to live, being connected in a deep way with the life. Like this, through the method facilitar-pesquisando with a group formed by 32 young with 16 to 20 years, we accomplished questionnaires, culture circles, encounter circles and existence reports as instruments to collect the data. We chose 8 young as participants because: 1. the density of the information offered by these participants with a significant content for an analysis with quality, and 2. the participation frequency in the weekly encounters of the group, accompanied by signature in a list, characterizing a superior percentage to the 64%. After the transcription and code of the data, we made thematic analysis. We concluded that the art-identity group acts in the construction of an identidade-amor through the positive transformation from identity: it works in the healthy aspects of the identity (like aggression, perception of himself value, intimacy, self-regulation and empathy); it woks in the expression from the vitality, creativity and affectivity; it strengthens the life love; and it acts in the personal value and personal power. Esta pesquisa busca compreender as implicações da participação em um grupo de arte-identidade no movimento da identidade de jovens vinculados ao Movimento de Saúde Mental Comunitária do Bom Jardim (MSMCBJ), organização não governamental que atua em Fortaleza no bairro do Grande Bom Jardim localizado na Secretaria Executiva Regional – SER V. Tal iniciativa deu-se a partir da nossa prévia inserção nas atividades do MSMCBJ, que garantiu o desdobramento de um processo de vinculação tanto com a comunidade, quanto com os funcionários da instituição, permitindo, assim, uma abertura para a realização da pesquisa. Outro motivo foi a existência de um grupo de trabalho com arte-identidade realizado com a população jovem que participa dos cursos profissionalizantes oferecidos pela ONG. Nesse sentido, nossa investigação deteve-se em dois objetivos específicos: 1. Analisar as personagens que surgem no movimento da identidade dos jovens durante a participação assídua no grupo de arte-identidade; 2. Compreender a direção da expressão e metamorfose da identidade mediante a presença de novas personagens e o desaparecimento de outras. A relevância desta pesquisa destaca-se pelo fato de a arte-identidade como proposta de facilitação de grupos não ter sido sistematizada. Além disso, vinculá-la ao trabalho com jovens de um bairro popular da capital cearense muito pode contribuir como alternativa de facilitação de grupos com esta população. Como marco teórico, utilizamos as contribuições da Psicologia Comunitária, que busca facilitar, através do aprofundamento da consciência, o desenvolvimento dos sujeitos comunitários; da Biodança, que é um sistema de desenvolvimento humano que busca a integração afetiva, a renovação orgânica e a reaprendizagem das funções originárias da vida; e da Educação Biocêntrica, que utiliza a Biodança como mediadora no processo de ensino-aprendizagem, buscando a construção do conhecimento a partir do fortalecimento da identidade do educando para que este possa aprender a viver, conectando-se de forma profunda com a vida. Assim, através do método facilitar-pesquisando com um grupo formado por 32 jovens na faixa etária de 16 a 20 anos, realizamos questionários, círculos de cultura, círculos de encontro e relatos de vivência como instrumentos para coletar os dados. Elegemos 8 jovens como participantes da pesquisa a partir de dois critérios: 1. a densidade das informações oferecidas por estes participantes, apresentando um conteúdo significativo para uma análise com qualidade, e 2. a freqüência de participação nos encontros semanais do grupo, acompanhados por assinatura numa lista, caracterizando uma porcentagem superior à 64%. Após a transcrição e codificação dos dados, submetemo-nos aos procedimento de análise temática. Concluímos que a arte-identidade atua na construção de uma identidade-amor a partir da transformação positiva dos seguintes aspectos identitários: atua no fortalecimento dos aspectos saudáveis da identidade (ausência de agressão gratuita, percepção de si mesmo como criatura portadora de um valor intrínseco, capacidade de intimidade, capacidade de auto-regulação e empatia); potencializa a expressão das linhas de vivência (enfocamos a vitalidade, criatividade e afetividade); fortalece os tipos de vinculação com a vida; e atua no fortalecimento do valor pessoal e poder pessoal.
6

Sentidos de arte como prática de cuidado na perspectiva de pessoas com transtorno mental Meaning of art in mental health care given by people with mental disorder

ARAÚJO, Sicília Maria Moreira de 2011 (has links)
ARAÚJO, Sicília Maria Moreira de. Sentidos de arte como prática de cuidado na perspectiva de pessoas com transtorno mental. 2011. 145f. – Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Ceará, Programa de Pós-graduação em Psicologia, Fortaleza (CE), 2011. Submitted by Márcia Araújo (marcia_m_bezerra@yahoo.com.br) on 2013-11-22T17:00:18Z No. of bitstreams: 1 2011-DIS-SMMARAUJO.pdf: 1693695 bytes, checksum: 5cf52f016fcfdbdbec02923a5931b1c0 (MD5) Approved for entry into archive by Márcia Araújo(marcia_m_bezerra@yahoo.com.br) on 2013-11-22T17:17:12Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2011-DIS-SMMARAUJO.pdf: 1693695 bytes, checksum: 5cf52f016fcfdbdbec02923a5931b1c0 (MD5) Made available in DSpace on 2013-11-22T17:17:13Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2011-DIS-SMMARAUJO.pdf: 1693695 bytes, checksum: 5cf52f016fcfdbdbec02923a5931b1c0 (MD5) Previous issue date: 2011 The art has been adopted as strategy and resource to health promotion that meets the practice of deinstitutionalization. On the other hand, it appears that the use of such resource sometimes disparage people with mental disorders. This study has as overall objective understand the meaning of art in mental health care given by people with mental disorder, accompanied by the Bom Jardim’s Communitarian Mental Health Care Movement (MSMCBJ) in Fortaleza, Ceara, acting jointly with the Municipality of Fortaleza through the Center for Psychosocial Care (CAPS) in the monitoring of this study’s participants. Such experience raises questions that guide this research because this Movement aims beyond the traditional pinelians practices still strongly conveyed to health treatment which uses essentially the medication as treatment. In this matter, art arises as a tool and way of health promoting, among other features. To understand how this strategy has reverberated in the health of users of health services from their own points of view, it was used as theoretical support Rotelli, Merhy, Amarante, Duarte Junior, Dimenstein and Boff with regard to the issue of health care practices. In relation to art, this survey was based on the theoretical support ideas from Paz, Ostrower and Vygotsky. In the historical-cultural perspective, Vygotsky, Pino, Lane, Molon, Aguiar and Namura were addressed. Methodologically, it was utilized qualitative research and cultural-historical approach in a case study of the Bom Jardim’s Communitarian Health Care Movement (MSMCBJ). The frame time of the survey was developed two focal groups. The first occurred in August 2009 and the second in October 2009. The two focal groups were conducted with the participation of users of the health service of MSMCB. The first focal group was conducted with nine people. This group’s theme was mental health care; and the second group, with six people, used the theme of art as care. In both moments only one of them was accompanying a research’s participant. Content analysis was used as a method of data analysis in this study. The results pointed to a user’s perspective of valuation of a care practice that asked certain specific key to building relationships between professionals and patients which were reported as the exercise of freedom of expression, practice autonomy, exercise of valuing oneself and interacting with other individuals, with the consequent development of the participants as social subjects. The use of art in mental health care showed the significance of this fundamental part of mental health care. The characteristics of the context of working with art appeared as facilitators of healthy relationships between users and professionals. A arte tem sido utilizada como estratégia e recurso de promoção à saúde que vai ao encontro das práticas desinstitucionalizadas. Por outro lado, verifica-se que a utilização deste recurso, algumas vezes, desmerece as pessoas com transtorno mental. Este estudo tem como objetivo geral compreender os sentidos de arte no cuidado em saúde mental, atribuídos por pessoas com transtornos mentais acompanhadas pelo Movimento de Saúde Mental Comunitária do Bom Jardim (MSMCBJ), em Fortaleza, Ceará, que desenvolve atividades na área de saúde mental e tem uma cogestão com a Prefeitura Municipal de Fortaleza para administração do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) no acompanhamento dos participantes da pesquisa. Tal experiência suscita questionamentos que norteiam esta investigação pois este Movimento foge de práticas tradicionais pinelianas, ainda fortemente veiculadas ao tratamento em saúde que utilizam eminentemente a medicação como tratamento. Neste contexto, a arte surge como instrumento e via de promoção em saúde como, dentre outros tipos de recursos. Para compreender como esta estratégia tem reverberado na saúde dos usuários a partir de seus próprios pontos de vista, foi utilizado como suporte teórico Rotelli, Merhy, Amarante, Duarte Junior, Dimenstein e Boff no que diz respeito à temática da saúde e práticas de cuidado. Em relação à arte, esta pesquisa teve como base teórica as ideias de Paz, Ostrower e Vygotsky. Na perspectiva histórico-cultural, Vygotsky, Pino, Lane, Molon, Aguiar e Namura foram abordados. Metodologicamente, foram utilizadas a pesquisa qualitativa e a abordagem histórico-cultural, em um estudo de caso do Movimento de Saúde Mental Comunitária do Bom Jardim (MSMCBJ). No decorrer da pesquisa foram criados dois grupos focais com usuários dos serviços de saúde do MSMCBJ. O primeiro ocorreu em agosto e o segundo em outubro de 2009. O primeiro grupo foi constituído por nove pessoas e teve como temática o cuidado em saúde mental; e o segundo, com seis pessoas, utilizou a temática da arte como cuidado. Em ambos os momentos uma das pessoas era acompanhante de um dos participantes da pesquisa. A análise de conteúdo foi utilizada como método examinatório dos dados deste estudo. Os resultados apontaram para uma perspectiva dos usuários de valorização de uma prática de cuidado cuja forma de acolhimento pedia determinadas especificidades para a construção das relações entre profissionais e pacientes as quais foram relatadas como: exercício de liberdade de expressão, prática de autonomia, exercício de valorização de si mesmo e interação com outros sujeitos, com o consequente desenvolvimento dos participantes como sujeitos sociais. A utilização da arte no cuidado em saúde mental mostrou fundamental importância na significação deste cuidado em saúde mental. As características do contexto de trabalho com arte aparecem como facilitadoras de relações saudáveis entre os usuários e profissionais.
7

Fortalecimento das pessoas com transtornos mentais: a experiência dos usuários do Movimento de Saúde Mental Comunitária do Bom Jardim Empowerment of people with mental disorders accompanied by the Movement for Mental Health Community in Bom Jardim

CARVALHO, Maria Aparecida Alves Sobreira 2010 (has links)
CARVALHO , Maria Aparecida Alves Sobreira . Fortalecimento das pessoas com transtornos mentais: a experiência dos usuários do Movimento de Saúde Mental Comunitária do Bom Jardim. 2010. 127 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Universidade Federal do Ceará, Departamento de Psicologia, Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Fortaleza-CE, 2010. Submitted by moises gomes (celtinha_malvado@hotmail.com) on 2012-03-28T18:52:46Z No. of bitstreams: 1 2010_dis_MAASCarvalho.PDF: 2608309 bytes, checksum: 50894675494660418fba5dc755f2f3ab (MD5) Approved for entry into archive by Maria Josineide Góis(josineide@ufc.br) on 2012-03-29T16:54:39Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2010_dis_MAASCarvalho.PDF: 2608309 bytes, checksum: 50894675494660418fba5dc755f2f3ab (MD5) Made available in DSpace on 2012-03-29T16:54:39Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2010_dis_MAASCarvalho.PDF: 2608309 bytes, checksum: 50894675494660418fba5dc755f2f3ab (MD5) Previous issue date: 2010 This study falls within the field of qualitative assessment of mental health services, aiming to understand how care practices impact on the empowerment of people with mental disorders accompanied by the Movement for Mental Health Community in Bom Jardim. This institution is an NGO established in 1996 by the Comboni Missionaries and leaders of the Basic Ecclesial Communities, in Fortaleza-Ce. During this experiment in mental health, which comes from the popular movement, I met people who took part in the movement with a diagnosis of mental disorder, who are now caretakers. To understand this change in the social status of madness, I used the contributions from the community psychology, Gois and Montero, and the assumptions of the Brazilian Psychiatric Reform, Amarante and Rotelli. The methodology used was the perspective of hermeneutics in a critical case study of the Community Mental Health Movement in Bom Jardim. The field study took place from August 2009 to March 2010 and the application of the instruments occurred during June and July 2010. The participants were eight people who took part in the movement with a diagnosis of mental disorder, and now work as caretakers, as well as the president of the Community Mental Health Movement in Bom Jardim. The instruments used were focus groups, depth interviews and interviews mediated by the autodescriptions. After the production and transcription of data, an interpretive network was constructed. It concerned two issues: empowerment of people with mental illness and caretaking. The results indicate that the participation of people with mental disorders in a variety of caretaking activities favor the strengthening of the movement, leading to a change in beliefs about oneself and the world, experiencing the courage to do things differently, overcoming fatalistic attitudes that promote passivity, accommodation and disqualification. There is the rescue of personal worth and personal power, developing a sense of community ownership and ability to reflect and act upon reality. The Movement presents innovative features in mental health care when it starts a new social space for madness, through volunteering. The development of this activity decreases isolation, loneliness, alienation and anomie, promoting new areas of trade in the community. Another innovative feature in mental health care is recognized in the spiritual dimension of the movement as a link with the transcendent, in a freer experience of institutionalization, linked to the process of personal development, mediated by the deep involvement with the Other and to community development. Este estudo se inscreve no campo da avaliação qualitativa de serviços de saúde mental, tendo como objetivo compreender como as práticas de cuidado impactam no fortalecimento das pessoas com transtornos mentais acompanhadas pelo Movimento de Saúde Mental Comunitária do Bom Jardim em Fortaleza-Ce. Esta instituição é uma Organização Não-Governamental criada em 1996 pelos missionários combonianos e lideranças das Comunidades Eclesiais de Base, no município de Fortaleza-Ceará. Nesta experiência em saúde mental que nasce do movimento popular, emergem os questionamentos que norteiam esta investigação, pois encontro pessoas que entraram no Movimento com diagnóstico de transtorno mental e passaram do papel de usuário para o de cuidador. Para compreender esta mudança de lugar social no estatuto da loucura, utilizo os aportes da psicologia comunitária, Góis e Montero, e os pressupostos da Reforma Psiquiátrica brasileira, Amarante e Rotelli. Metodologicamente utilizo a perspectiva crítica da hermenêutica, em um estudo de caso do Movimento de Saúde Mental Comunitário do Bom Jardim. A aproximação do campo de pesquisa se deu no período de agosto de 2009 a março de 2010 e a aplicação das técnicas de pesquisa ocorreu nos meses de junho e julho de 2010. Os participantes da pesquisa foram 8 pessoas que entraram no Movimento com diagnóstico de transtorno mental e passaram para o papel de cuidadores e o presidente do Movimento de Saúde Mental Comunitária do Bom Jardim. Utilizei como técnicas de pesquisa o grupo focal, entrevista em profundidade e entrevistas mediadas pela autofotografia. Após a produção e transcrição dos dados, foi construída uma rede interpretativa com dois temas, fortalecimento das pessoas com transtorno mental e cuidado. Os resultados apontam que a participação das pessoas com transtornos mentais em uma diversidade de atividades de cuidado do Movimento favorecem o fortalecimento, ocorrendo a mudança das crenças sobre si mesmo, sobre o mundo, experimentando a coragem de fazer diferente, superando atitudes fatalistas que promovem a passividade, acomodação e desqualificação. Há o resgate do valor pessoal e poder pessoal, o desenvolvimento do sentimento de pertença à comunidade e a capacidade de refletir e agir sobre a realidade. O Movimento apresenta características inovadoras no cuidado em saúde mental, quando inaugura um novo espaço social para a loucura, por meio do voluntariado. No desenvolvimento desta atividade são diminuídos os sentimentos de isolamento, solidão, anomia e alienação, favorecendo novos espaços de trocas na comunidade. Outra característica inovadora no cuidado em saúde mental é a dimensão espiritual reconhecida no Movimento como uma ligação com o transcendente, em uma vivência mais livre da institucionalização, ligada aos processos de desenvolvimento pessoal, mediados pela profunda implicação com o Outro e com o desenvolvimento comunitário.

Page generated in 0.1827 seconds