• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 3
  • Tagged with
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • 2
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Utopia da realidade : contribuições da desinstitucionalização para a invenção de serviços de saude mental

2003 (has links)
Orientador: Gastão Wagner de Sousa Campos Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciencias Medicas Made available in DSpace on 2017-08-15T13:03:27Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Nicacio_MariaFernandadeSilvio_D.pdf: 714564 bytes, checksum: dd8db220a3c41af85cf9b4fc92decdea (MD5) Previous issue date: 2003 Resumo: Nas duas últimas décadas, o campo da atenção psiquiátrica no Brasil tem sido marcado por um processo de críticas e de propostas de transformação denominado reforma psiquiátrica. No final dos anos 1980, a insígnia ¿Por uma sociedade sem manicômios¿, formulada pelo Movimento dos Trabalhadores em Saúde Mental, produziu uma ruptura com os marcos conceituais e as estratégias políticas e operativas até então delineados e abriu um novo campo de possibilidades e de desafios éticos, teóricos, sociais, institucionais e jurídicos. Na década de 1990, a afirmação dos direitos de cidadania das pessoas com transtornos mentais e a superação do modelo asilar foram definidas com as principais diretrizes para o processo de reforma e para a implementação da política nacional de saúde mental, engendrando mudanças significativas nas dimensões assistencial, legislativa e sociocultural. Atualmente, não obstante a difusão das proposições da reforma e a produção de um amplo conjunto de iniciativas, o panorama nacional evidencia a centralidade do modelo asilar e o movimento instituinte de criação de novos serviços e experiências. A produção de projetos locais e de serviços substitutivos, em particular de serviços de atenção psicossocial, configura-se, portanto, como um dos principais desafios da reforma psiquiátrica no contexto do Sistema Único de Saúde. O presente trabalho tem por objetivo investigar o processo de construção do Núcleo de Atenção Psicossocial da Zona Noroeste (NAPS) no contexto da experiência de saúde mental desenvolvida no município de Santos no período de 1989 a 1996, a partir das fontes documentais, da produção bibliográfica, de pesquisa realizada anteriormente e de diários de campo. À luz do referencial teórico da desinstitucionalização e em diálogo com as proposições de transformação dos modos de pensar e agir em saúde coletiva, busca elaborar e refletir sobre as principais temáticas para a produção do NAPS em seu fazer-se cotidiano como serviço aberto, territorial, 24 horas e substitutivo, problematizando as inovações e as contradições identificadas nesse processo. Busca, ainda, apresentar e discutir que o saber crítico construído nas práticas de transformação da realidade das experiências de Gorizia e Trieste expressa e propõe uma diferente perspectiva ética, teórica e política para compreender a questão da loucura e as relações produzidas no contexto social. Nesse sentido, possibilita uma nova forma de pensar a invenção de serviços substitutivos, inscrevendo-a no complexo processo de desconstrução de saberes, instituições, valores e cultura. Compreendendo os serviços substitutivos como instituições da desinstitucionalização, discute que os serviços tornam-se substitutivos na invenção de uma nova realidade que possibilite a criação de novos diálogos com a complexidade da existência-sofrimento, de itinerários de exercício de direitos e de um novo lugar social para a experiência da loucura Abstract: In the last two decades psychiatric care in Brazil has gone through a process of criticisms and proposals of change known as psychiatric reform. By the end of 1980s, under the emblem ¿For a society without mental asylums¿, devised by the Mental Health Workers¿ Movement, there was a fracture of existing conceptual milestones and political and functioning strategies, giving rise to a new scope of possibilities and ethical, theoretical, social, institutional and legal challenges.In 1990s, the assertion of citizenship rights of individuals with mental health disorders and removal of the asylum model were the main guidelines in the reform process for implementing a national mental health policy that will encompass major changes in care, legislation and social and cultural spheres. Despite the dissemination of reform proposals and a wide range of initiatives, there is today in the national scenario a centralized asylum model and an organized movement for new services and experiences. Thus, the creation of local projects and replacement services, especially psychosocial care services, is one of the major challenges of psychiatric reform in the context of the Unified Health System in Brazil. The present study has the purpose of investigating the process of building up the Northwestern Psychosocial Care Unit (NAPS) given the mental health experience gained in the municipality of Santos for the period between 1989 and 1996, based on documentation, bibliography, prior studies, and field reports. On the grounds of theoretical referential of deinstitutionalization and exchange of ideas on proposals of changing the way of thinking and acting in collective health, it seeks to build on and reflect on major subjects for the creation of NAPS¿s routine as an open, 24-hour, community-based replacement service, and questioning the process¿ breakthroughs and contradictions. Moreover, it introduces and discusses the critical knowledge built on practices of reality changes from Gorizia and Trieste¿s experiences, expressing and proposing a different ethical, theoretical, and political viewpoint to understanding madness and its relationships in the social context. It allows therefore for a new way of thinking the creation of replacement services and inserting it into the complex process of deconstructing knowledge, institutions, values, and cultural issues.Regarding psychosocial care services as institutions of deinstitutionalization, it is reasoned that services become replacements in the creation of a new reality allowing for the creation of new exchange of ideas with the complexity of existence-suffering, ways of exercising one¿s own rights and a new social setting for madness experience Doutorado Doutor em Saude Coletiva
2

A construção de um modelo de atenção em saude mental : Estudo da rede publica extra-hospitalar de Campinas (SP)

1998 (has links)
Orientador: Paulo Dalgalarrondo Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas Made available in DSpace on 2017-03-21T23:44:14Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Oda, Ana Maria Galdini Raimundo.pdf: 3590728 bytes, checksum: 17ff9bd6885886c7a473cd12dbdb354e (MD5) Previous issue date: 1998 Made available in DSpace on 2017-07-20T12:57:58Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Oda_AnaMariaGaldiniRaimundo_M.pdf: 3590728 bytes, checksum: 17ff9bd6885886c7a473cd12dbdb354e (MD5) Previous issue date: 1998 Resumo: Esta dissertação tem como objetivo a análise da organização assistencial em saúde mental do município de Campinas (S.P.). O ponto de partida da análise é o delineamento do perfil da clientela atendida na rede assistencial pública do município de Campinas - S.P., especificamente em dezenove unidades básicas de saúde com equipes de saúde mental, que durante o ano de 1995 registraram 4.934 casos. As informações foram obtidas de um banco de dados de morbidade ambulatorial da Secretaria Municipal de Saúde. Observou-se a correspondência do perfil dos usuários com as proposições básicas do modelo assistencial pretendido, explicitadas em documentos oficiais. A clientela atendida era predominantemente do sexo feminino (59.3%), com idade média de 39 (:1:18) anos, residia na região urbana (97.9%) e foi atendida na própria região de moradia (92,5%). Os diagnósticos mais freqüentes foram: Transtornos Neuróticos (37.3%), Transtornos DepressivQs (11.90.10), Esquizofrenia e Transtornos Delirantes (11.8%), Transtornos do Desenvolvimento Psicológico (8.7%), Transtornos decorrentes do Uso de Álcool (6.9%). Os casos se distribuíram em dois grupos principais: o primeiro, maior e com transtornos menos graves e mais prevalentes, os Transtornos Neuróticos; o segundo, de proporções significativas, com diagnósticos de transtornos menos prevalentes porém muito graves, a Esquizofrenia e psicoses relacionadas. A presença dessa dupla clientela indica que os serviços em estudo não têm se concentrado apenas nos casos mais leves e de prevalência maior, em detrimento dos mais gra'les, como freqüentemente ocorre em serviços comunitários de saúde mental. Conclui-se que o município de Campinas possui um modelo assistencial em saúde mental peculiar, baseado na presença de profissionais de saúde mental nas unidades básicas e caracterizado pelo fato dos usuários com transtornos mais graves não estarem excluídos dos serviços de atenção primária. Isso possibilitaria, em tese, a atenção integral à saúde e contribuiria para a desospitalização; entretanto, a insuficiência de outros níveis de atenção -equipamentos regionalizados, para atençijo "intensiva na crise e reabilitação psicossocial - limita a ação daqueles que formam a base do sistema. Além disso, a opção por um modelo hierarquizado traz como riscos a burocratização do fluxo dos usuários e a falta de flexibilidade e de sensibilidade às suas demandas. A concretização das potencialidades desse modelo de atenção relaciona-se tanto ao fortalecimento do SUS - garantindo a saúde como direito - quanto a um esforço persistente de interlocução entre os responsáveis pela formulação de políticas e pelo gerenciamento do sistema, os profissionais diretamente envolvidQs na assistência e os usuários Abstract: The objective of this dissertation is to analyse the mental health care system of the city of Campinas, BraziI. The present study describes the profile of public community health care users, specifically in 19 community care centres, whose mental health teams registered 4,934 cases, in 1995. The data were obtained ITom a case register, organized for this purpose. It was analysed the correspondence between the users profile and some basic aspects of a planned mental health care system, presented in the official recommendations and documents. The patients were predominantly females (59.3%), with a mean age of 39 (:t18) years. In general, they lived at the urban zone and were attended in the own residence areas. The most ITequent diagnoses were Neurotic Disorders (37.3%), Depressive Disorders (11.9%), Schizophrenia Disorders (11.8%), Developmental Disorders (8.7%) and Alcohol related Disorders (6.9%). Therefore, two main groups could be identified: a first one, with less severe but more prevalent conditions (Neurotics and Personality Disorders) and a second one, whit less prevalent but more severe disorders (Schizophrenia Disorders and other psychosis). The presence of these two main groups shows that our community facilities don't treat only the least severe cases, as often is the case among community mental health care facilities. In conclusion, in 1995, the city of Campinas had a distinctive mental health care system. It was marked by the presence of mental health teams at the primary care leveI. Seriously mental ill patients were not excluded ofthese facilities. These aspects might facilitate an integral health care and contribute to deinstitucionalization. However, shortage of specialized psychiatric facilities - especially , for intensive care and psychosocial rehabilitation programs - limits the action of these primary care facilities. Moreover, the option to this model of mental health care system has some risks, which are mainly bureaucratisation and lack of flexibility. The improvement of this mental health care system is related to the consolidation of the Brazilian Public Health Care System (SDS) as well concentrated efforts for improvement in communication among mental health managers, mental health professionals and the users of public facilities Mestrado Mestre em Saude Mental
3

Experiências e narrativas de psiquiatras trabalhadores de serviços públicos de saúde mental sobre a prática de cuidado da esquizofrenia Narratives and experiences of psychiatrists from community-based mental health services on the care of schizophrenia

2011 (has links)
Orientador: Erotildes Maria Leal Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas Made available in DSpace on 2017-03-31T19:31:54Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Lopes, Tatiana Scala_M.pdf: 1298407 bytes, checksum: fb765ae0ccc68e0ce930955b0c2f2541 (MD5) Previous issue date: 2011 Made available in DSpace on 2017-07-20T12:30:59Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Lopes_TatianaScala_M.pdf: 1298407 bytes, checksum: fb765ae0ccc68e0ce930955b0c2f2541 (MD5) Previous issue date: 2011 Resumo: Esta investigação de mestrado é um estudo qualitativo multicêntrico, marcado pelo referencial da fenomenologia e da hermenêutica e tem como objetivo compreender como psiquiatras trabalhadores da rede de serviços públicos de saúde mental lidam com a dimensão da experiência particular de pessoas diagnosticadas como portadoras de esquizofrenia no desenho do cuidado. Temos como pressuposto que para promover o restabelecimento de pessoas com transtornos mentais graves e reduzir o estigma é necessário desenvolver modos de cuidar em que a própria experiência da doença não seja negada. Por isso este trabalho foi apoiado na noção de recovery, que no cenário internacional tem contribuído para valorizar a dimensão da experiência do usuário. Para cumprir nosso objetivo, além de realizar uma revisão sobre o conceito de recovery, a fim de melhor compreende-lo, realizamos grupos focais com psiquiatras dos municípios de Campinas e Rio de Janeiro, e através desses grupos pretendemos acessar a experiência dos psiquiatras na formulação do diagnóstico de esquizofrenia e proposição do tratamento. Através do material produzido neste estudo pudemos perceber que a formulação do diagnóstico de esquizofrenia exerce grande impacto sobre a experiência de cuidar do usuário. E a concepção de esquizofrenia como doença grave e crônica parece influenciar amplamente o tipo de assistência que estes profissionais irão ofertar, assim como as expectativas que terão em relação à vida futura do usuário. A idéia de tratamento dos psiquiatras parece permeada não pela idéia de recovery, mas pelos princípios e objetivos da reabilitação psicossocial em seu sentido mais ortopédico e normalizante, que tem grande compatibilidade com o modelo biomédico, e oferece poucas ferramentas de acesso ao mundo e à experiência do usuário Abstract: This master research is a qualitative multiside study, marked by the reference of phenomenology and hermeneutics, and aims to understand how psychiatrists of community-based mental health services deal with the dimension of the particular experience of people diagnosed as suffering from schizophrenia in the caring process. We have assumed that to facilitate the recovery of people with severe mental disorders and to reduce stigma is necessary to develop ways of caring in which the very experience of illness is not ignored. Therefore this work was supported by the notion of "recovery", which in the international arena has contributed to enhance the meaning of the user experience. To accomplish our goal, besides doing a review on the concept of recovery in order to better understand it, we conducted focus groups with psychiatrists from Campinas and Rio de Janeiro. In these groups we intended to access to the experience of psychiatrists in formulating diagnosis of schizophrenia and treatment proposition. Based on the material produced in this study, we realized that the formulation of schizophrenia diagnostic has a major impact on the experience of caring user. And the concept of schizophrenia as a chronic and severe illness seems to largely influence the type of care these professionals will offer, as well as the expectations they have regarding the future life of the user. The psychiatrists? idea of treating seems to be permeated not by the idea of recovery, but by the principles and goals of psychosocial rehabilitation in its most orthopedic and normalizing sense, which has great compatibility with the biomedical model, and provides few tools to access the world and experience of the user Mestrado Política, Planejamento e Gestão em Saúde Mestre em Saude Coletiva

Page generated in 0.129 seconds