• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 317
  • 26
  • 14
  • 7
  • 6
  • 6
  • 6
  • 5
  • 4
  • 1
  • 1
  • Tagged with
  • 363
  • 168
  • 72
  • 60
  • 57
  • 54
  • 52
  • 46
  • 40
  • 35
  • 35
  • 34
  • 34
  • 34
  • 33
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Estudos dos mecanismos de ação da toxina 6-Hidroxitripargina no sistema nervoso de roedores /

Cesar-Tognoli, Lilian Mari Marcondes. January 2005 (has links)
Orientador: Mário Sérgio Palma / Coorientador: Jackson Cioni Bittencourt / Banca: Jaderson Costa da Costa / Banca: Carol Fuzeti Elias / Banca: Maria Inês Nogueira / Banca: Luciana A. de Paula Vasconcelos / Doutor
2

Estudios filogeográficos en Dasypodidae (Mammalia: xenarthra) de Argentina

Poljak, Sebastián January 2009 (has links)
Los Xenarthra son uno de los grupos de mamíferos más peculiares y característicos de la Región Neotropical y han sido considerados representantes del stock inicial de mamíferos sudamericanos. Su evolución estuvo ligada a la historia geológica y paleoclimática de Sudamérica y aún existen muchos interrogantes en torno al origen y centros de dispersión de los linajes basales o ancestrales y su evolución Se analizaron secuencias parciales de la Región Control de ADN mitocondrial principalmente a través de un Análisis de Clados Anidados. Se utilizaron 76 peludos colectados en 20 localidades a lo largo de Argentina y un hincapié especial fue puesto en las colectas de muestras en Tierra del Fuego para determinar la relación de la población allí introducida con las continentales. Por otro lado, se utilizaron secuencias de 30 pichis llorones provenientes de 6 puntos del país y, en este caso, un mayor esfuerzo fue puesto en el muestreo del reducto costero disyunto de la Bahía Samborombón. Se persiguió inferir si las poblaciones muestran señales de estructuración genética y si existieron procesos históricos o recurrentes que pudieran explicar dicha estructuración para cotejarlos con la información acerca de la evolución climática cuaternaria y explicar la distribución actual de las secuencias de ADNmt. Además, hallar las áreas de distribución ancestral mas probables de las especies y que relación guardan éstas con el registro fósil, los patrones de expansión de las especies a lo largo de su distribución y posibles causas de la distribución disyunta de Chaetophractus vellerosus para cotejarlas con hipótesis previas.
3

Diversidade Genética e Padrões Filogeográficos da Lontra Neotropical (Lontra longicaudis [Olfers, 1818]); (Mammalia: Mustelidae)

Trinca, Cristine Silveira January 2007 (has links)
Made available in DSpace on 2013-08-07T19:12:22Z (GMT). No. of bitstreams: 1 000391707-Texto+Completo-0.pdf: 2971609 bytes, checksum: a9216aeb1ce4d126df03778a30c8c0a6 (MD5) Previous issue date: 2007 / O conhecimento sobre a estruturação geográfica da diversidade genética em populações naturais permite inferir os processos históricos atuantes sobre as espécies e é fundamental para o planejamento de estratégias eficazes de conservação biológica. Neste contexto, o presente estudo é o primeiro a identificar e caracterizar a variabilidade genética, padrões de estruturação populacional e história demográfica de Lontra longicaudis. Para tanto, foram utilizados três segmentos do DNA mitocondrial (mtDNA; porção hipervariável I da região controladora, gene ATP8 e gene ND5), bem como 12 locos de microssatélite, em indivíduos amostrados em diferentes regiões de sua distribuição geográfica. Ambos os marcadores revelaram moderados a altos níveis de variabilidade genética e padrões filogeográficos claros, os quais sugerem que as populações brasileiras desta espécie encontram-se geneticamente diferenciadas das outras regiões amostradas a Noroeste da América do Sul. As análises de mtDNA indicam a provável existência de quatro entidades filogeográficas: Colômbia, Bolívia, Guiana Francesa/Peru e Brasil. Colômbia e Bolívia foram representadas por apenas um indivíduo cada, os quais revelaram grande divergência genética dos outros indivíduos amostrados, sugerindo profunda subdivisão filogeográfica envolvendo estas regiões. A alopatria entre Guiana Francesa e Brasil é quase completa, sugerindo que a incongruência entre filogenia e geografia possa ser decorrente de um processo de colonização ancestral no sentido Norte-Sul. A inferência de diferenciação genética entre Brasil e as outras áreas amostradas na América do Sul são apoiadas pelas análises de microssatélite. Os resultados obtidos a partir das análises de mtDNA indicam ausência de estruturação genética no Brasil e são indicativos de um cenário de expansão populacional recente nesta região. Os padrões observados neste estudo têm implicações para a conservação de populações naturais de Lontra longicaudis. As quatro entidades filogeográficas reconhecidas demonstram-se suficientemente diferenciadas e deveriam, portanto, ser conservadas e manejadas independentemente. Estudos adicionais são necessários para melhorar o conhecimento sobre estas populações, bem como para investigar a existência de outras unidades demográficas ao longo da distribuição da lontra Neotropical.
4

História evolutiva de Conepatus (Carnivora: Mephitidae): padrões biogeográficos de diversificação, investigação filogenética e revisão taxonômica do gênero

Rodrigues, Manoel Ludwig da Fontoura January 2013 (has links)
Made available in DSpace on 2013-10-11T13:36:17Z (GMT). No. of bitstreams: 1 000451414-Texto+Completo-0.pdf: 10722032 bytes, checksum: b8263340ed1091c069ea4b99a9f81848 (MD5) Previous issue date: 2013 / Conepatus (Mammalia: Carnivora) comprises one of the least known groups of Neotropical mammals. Despite its broad distribution, ranging from southern North America to southernmost South America, few studies have been conducted on this genus. The lack of knowledge regarding the ecology, morphology and distribution of different populations hampers comparative studies, resulting in much of the group’s diversity remaining unknown. The most basic problem, however, seems to be the lack of studies regarding the evolutionary history and phylogenetic relationships among its populations, which are the main grounds for modern taxonomic classifications. A solid taxonomic arrangement is critical, since it is the principle that guides the description of all other aspects of a given population. Finally, understanding the evolutionary history of a taxon is important not only due to taxonomic concerns, but also because it is the cumulative knowledge on the diversification of different groups that allows the description of major biogeographic patterns. Attempting to shed light on several of these aspects, this study investigated phylogenetic patterns, evolutionary history, population structure, morphological variation and general distribution of Conepatus, which altogether led to a taxonomic revision. To accomplish this, molecular analyses were performed, based on 1,902 base pairs of the mitochondrial DNA and eight microsatellite loci. We also conducted two types of morphological surveys. The first one was based on a panel of 29 craniodental measurements, while the second one investigated the differentiation of external body features among previously identified populations. Finally, we performed an extensive search for geographic records in original publications and scientific collection databases. Overall, the results indicated that Conepatus is a highly structured genus, encompassing at least 10 distinct geographic groups. In addition, at least some of these groups presented a noticeable level of morphological differentiation in terms of general body aspects, which reinforces the identified population structure. With respect to distributional aspects, Conepatus seems to inhabit almost exclusively open habitats and dry forests, rarely being found in moist dense forests. Some distributional discontinuities could be identified, which may be directly linked to the complete or partial isolation between groups. The evolution of the genus is complex, and appears to be linked to broad biogeographic patterns. The coalescence of Central and South American groups was estimated in ca. 3. 2 million years ago (MYA), supporting the hypothesis that this genus colonized South America right after the complete closure of the Panama Isthmus, ca. 2. 8 MYA, during the Great American Biotic Interchange. The coalescence of the South American populations, however, is far more recent (ca. 0. 85 MYA), suggesting a complex evolutionary history, possibly linked to the peculiar vegetation dynamics that took place in South America during the cycles of Pleistocene ice ages. Finally, a new taxonomic arrangement is proposed, suggesting that all 10 identified groups could be elevated to the rank of species, due to the observed pattern of differentiation among these lineages. / Conepatus (Mammalia: Carnivora) compreende um dos grupos de mamíferos neotropicais menos conhecidos. Apesar de apresentar uma extensa área de distribuição, indo do sul da América do Norte ao extremo sul da América do Sul, poucos estudos foram conduzidos até o momento sobre o gênero. A falta de conhecimento envolvendo ecologia, morfologia e distribuição das diferentes populações dificulta estudos comparativos, fazendo com que grande parte da diversidade do grupo permaneça desconhecida. O problema mais básico, contudo, parece ser a falta de estudos envolvendo sua história evolutiva e relações filogenéticas, disciplinas balizadoras da taxonomia moderna. Uma classificação taxonômica sólida é primordial para o estudo de qualquer grupo, já que é o princípio que norteia a descrição dos demais aspectos de uma determinada população. Além das contribuições taxonômicas, conhecer a história evolutiva de um táxon é importante também por que é a partir do entendimento cumulativo da estrutura da diversidade de vários grupos que se pode entender grandes padrões históricos. Assim, para contribuir com o conhecimento relativo a essas questões fundamentais, este estudo procurou revisar vários aspectos deste gênero. Entre eles estão padrões filogenéticos, evolutivos, morfológicos, de distribuição e de estrutura populacional, culminando assim em uma revisão taxonômica. Para tanto, foram realizadas análises moleculares baseadas em 1. 902 pares de base pertencentes a três fragmentos do DNA mitocondrial, além de oito locos de microssatélites nucleares. Também foram conduzidos dois tipos de análise morfológica.A primeira baseou-se em um painel de 29 medidas de crânio e dentes para identificar padrões de estrutura populacional, enquanto a segunda procurou por diferenças no padrão corporal geral entre algumas das populações identificadas. Finalmente, realizou-se uma extensa busca por registros de ocorrência geográfica do gênero em publicações originais e bases de dados de coleções científicas. Os resultados obtidos indicam que Conepatus é um gênero bastante estruturado geograficamente, apresentando, no mínimo, 10 grupos distintos. Também é possível afirmar que ao menos alguns dos grupos identificados apresentam um nível perceptível de diferenciação morfológica em termos de aspectos corporais gerais, o que reforça a idéia de estruturação neste grupo. A respeito dos padrões de distribuição, fica claro que o gênero habita quase que exclusivamente áreas de campo e florestas secas, sendo raramente encontrado em florestas densas. Algumas descontinuidades de distribuição podem ser percebidas, podendo estar diretamente ligadas ao isolamento total ou parcial dos grupos. A história evolutiva do gênero é complexa, e parece estar ligada a padrões biogeográficos amplos. A coalescência dos grupos da América do Sul e Central é de cerca de 3,2 milhões de anos atrás (MAA), apoiando a hipótese de que o gênero invadiu o continente sul-americano logo após o fechamento do Istmo do Panamá, há 2. 8 MAA. A coalescência das amostras sul-americanas, contudo, é bem mais recente (cerca de 0. 85 MAA), sugerindo uma evolução complexa, possivelmente ligada à dinâmica vegetacional intrincada da América do Sul ao longo das eras glaciais do Pleistoceno. Finalmente, a revisão taxonômica proposta sugere que os 10 grupos identificados sejam elevados à categoria de espécie, devido ao padrão observado de diferenciação entre estas linhagens.
5

Mamíferos silvestres de médio e grande porte no planalto meridional : suas relações com a fragmentação da paisagem e a presença do gado

Cerveira, Josi Fernanda January 2005 (has links)
Resumo não disponível
6

Helmintos de mamíferos da região do Parque Nacional da Capivara, sudeste do Piauí: diversidade e influências antrópicas / Heminthes of mammals of the region of the National Park of the Capivara, southeast of the Piauí: diversity and influences anthropics

Brandão, Martha Lima January 2007 (has links)
Made available in DSpace on 2012-09-06T01:12:16Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) 977.pdf: 4955317 bytes, checksum: 4e92edc20c1d2780fb97ce7aab110d25 (MD5) Previous issue date: 2007 / Este trabalho teve como objetivo contribuir para o conhecimento da fauna de helmintos intestinais dos mamíferos silvestres e domésticos que coabitam o Parque Nacional Serra da Capivara, no semi-árido do Piauí, e seu entorno. Este diagnóstico permite avaliar a possibilidade de emergência de patógenos nocivos ao homem e aos animais domésticos, que a cada dia estão mais próximos de ambientes naturais pela expansão das fronteiras agrícolas. (...) Estes dados contribuem para o conhecimento de formas imaturas de helmintos intestinais principalmente com a apresentação de fotos e amplitude de medidas dos ovos, média e desvio padrão de todas as medidas encontradas, documentado na forma de um apêndice.
7

Censo de mamíferos em alguns fragmentos de Floresta Atlântica no Nordeste do Brasil

Cesar Araujo Fernandes, Amaro January 2003 (has links)
Made available in DSpace on 2014-06-12T15:06:07Z (GMT). No. of bitstreams: 2 arquivo1829_1.pdf: 350344 bytes, checksum: 0ff328cece58141351d663e5ef3f103c (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2003 / Dentre os grandes biomas ameaçados no mundo, a Floresta Atlântica se destaca pela sua grande diversidade, seu alto grau de endemismos e o intenso processo de devastação sofrido nos últimos cinco séculos.O conhecimento da comunidade de mamíferos é fundamental para a implantação de ações que visem o manejo e conservação de áreas naturais. Para conhecer a riqueza de espécies, a abundância e a estratificação vertical da mastofauna de um dos maiores remanescentes de Floresta Atlântica ao norte do Rio São Francisco, foi feito um censo de mamíferos terrestres de médio e grande portes durante os meses de junho a novembro de 2002 em três, dos diversos fragmentos florestais remanescentes na Usina Serra Grande AL / Brasil. Foi feito um checklist da mastofauna e analisou-se a densidade relativa por espécies e a estratificação vertical geral. Vinte e cinco espécies foram registradas, sendo 13 visualizadas durante os censos. O animal mais abundante foi o quati (Nasua nasua Procyonidae) e na maioria dos registros os animais foram visualizados no solo. Os resultados indicam uma mastofauna terrestre empobrecida, mas a exigência de animais sensíveis à fragmentação e a presença de três espécies citadas na lista oficial de animais brasileiros ameaçados de extinção, conferem valor biológico aos fragmentos. O uso mais intenso dos estratos mais baixos da vegetação e do próprio solo como sítios de alimentação indica que como ocorre nas florestas secas, nas florestas fragmentadas a maior disponibilidade de alimento encontra-se nos estrados mais baixos da vegetação. Como encontrado em outros trabalhos, a deleção ou diminuição severa das populações dos predadores de topo parece beneficiar os mesopredadores, com o aumento da abundância dessas espécies
8

Esquilos Sciurus alphonsei (Mammalia: Rodentia) como dispersores de Attalea oleifera (Arecaceae) em remanescente da Floresta Atlântica Nordestina, Brasil

Vieiralves Linhares, Karina January 2003 (has links)
Made available in DSpace on 2014-06-12T15:06:19Z (GMT). No. of bitstreams: 2 arquivo1949_1.pdf: 776770 bytes, checksum: 876a9ea28989571f5780790e3a2fa84f (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2003 / Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico / Este estudo investigou o papel do esquilo, Sciurus alphonsei, como dispersor de frutos de Attalea oleifera em um remanescente da floresta Atlântica do Nordeste brasileiro. Durante 4 meses as visitas de esquilos foram monitoradas em 15 palmeiras, perfazendo 118 horas de observação planta focal, com 39 registros visuais e/ou sonoros deste animal. Para cada palmeira foram considerados quatro quadrantes (A, B, C e D), sendo A e D voltados à borda mais próxima e B e C direcionados para o interior da mata. Em cada um dos quadrantes foi realizada a contagem dos pirênios removidos, e, em transectos de 20 x 2 m, partindo de cada quadrante das palmeiras a um ângulo de 45º, foram contabilizados os prováveis poleiros e plântulas de 1, 2 ou 3 folhas. As observações foram realizadas em plataformas de observação distantes 10 m da palmeira, entre os meses de agosto a dezembro de 2002. Esquilos removeram pirênios a distâncias compreendidas entre 2,0 - 7,9 m da planta matriz e apesar de removerem a distâncias superiores na região das bordas, não houve remoção preferencial entre borda e interior. Este estudo indica que os esquilos estão atuando como um dos poucos dispersores de Attalea oleifera, apesar de formalmente referidos como predadores, visto que os potenciais dispersores encontram-se cada vez mais escassos, devido à destruição da floresta Atlântica
9

Distribuição Geográfica Histórica e Recente de Queixadas (Tayassu pecari) e Catetos (Pecari tajacu) na Mata Atlântica Brasileira

CRUZ, F. M. 08 August 2017 (has links)
Made available in DSpace on 2018-08-01T23:27:11Z (GMT). No. of bitstreams: 1 tese_11228_88 - Fabiana de Mendonça Cruz.pdf: 2420629 bytes, checksum: 4762211132af0443f0da329a076e727d (MD5) Previous issue date: 2017-08-08 / Queixadas (Tayassu pecari Link, 1975) e catetos (Pecari tajacu Linnaeus, 1758) são as duas espécies de porcos nativos com ocorrência natural no Brasil. Diversas áreas onde os porcos se distribuem foram severamente alteradas pelo desmatamento, desenvolvimento agrícola e urbanização, como é o caso da Mata Atlântica (MA). Para determinar possíveis locais de extinção dos porcos nesse bioma, é necessário conhecer os registros que compõem a sua distribuição histórica pois sabe-se que diferentes regiões estão suscetíveis a diferentes intensidades e tipos de impactos, o que pode influenciar a maneira como as espécies responderão a eles espacialmente. Assim, o presente estudo teve como propósitos (1) descrever a ocorrência histórica, (2) determinar o padrão de ocupação atual de queixadas e catetos e (3) estimar a probabilidade de extinção local de ambas as espécies ao longo do bioma, analisando a influência das seguintes variáveis: tamanho de áreas protegidas, tamanho de fragmentos florestais, densidade populacional humana atual, presença do javali (Sus scrofa) e tempo entre o último registro histórico e o registro atual. Registros de detecção históricos e a ausência de registros (não-detecção) históricos e recentes dos porcos-do-mato foram levantados e integrados em modelos de ocupação, que indicaram as áreas mais prováveis de ocupação e extinção na MA. Ao todo, 469 registros de catetos foram utilizados e resultaram em uma estimativa de probabilidade de extinção de 4% na MA, influenciada positivamente pela densidade populacional humana e negativamente pelas áreas protegidas. Já para o queixada, 448 registros foi utilizados, resultando em uma estimativa de probabilidade de extinção de 46% na MA, positivamente influenciada pelo tempo decorrido entre o registro histórico e o atual e negativamente pelo tamanho das áreas protegidas. Conclui-se, portanto, que os queixadas estão consideravelmente mais ameaçados que os catetos e que as áreas protegidas possuem grande importância na manutenção das populações dessas espécies. A extinção do queixada na MA pode ocasionar preocupantes consequências ao longo da cadeia trófica, dado seu papel como arquiteto ecológico e engenheiro de ecossistemas.
10

Mamíferos silvestres de médio e grande porte no planalto meridional : suas relações com a fragmentação da paisagem e a presença do gado

Cerveira, Josi Fernanda January 2005 (has links)
Resumo não disponível

Page generated in 0.0288 seconds