• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 559
  • 8
  • 7
  • 7
  • 7
  • 7
  • 4
  • 4
  • 4
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • Tagged with
  • 577
  • 194
  • 163
  • 113
  • 102
  • 101
  • 82
  • 77
  • 63
  • 62
  • 60
  • 57
  • 53
  • 53
  • 46
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

A transição do casal para a parentalidade

Corrêa, Cátia Nunes January 2001 (has links)
Esta dissertação propõe um estudo sobre uma etapa do desenvolvimento humano marcada por profundas transformações, a transição para a parentalidade. O tomar-se pai ou o tomar-se mãe, comparado a outros estágios do desenvolvimento humano, não tem recebido um tratamento adequado por parte dos pesquisadores. Procurando contribuir para uma maior compreensão nessa área de conhecimento, foi desenvolvido um estudo de caso instrumental (Stake, 1994), longitudinal, de natureza qualitativa, realizado em 2 etapas: a primeira, no último trimestre de gravidez e a segunda, aos três meses de vida do bebê. Em ambas etapas foram realizadas entrevistas individuais e conjuntas com os participantes. A amostra foi composta de seis casais adultos, com idade entre 20-40 anos, que esperavam seu primeiro filho ao ingressar na pesquisa. A análise dos dados foi realizada segundo a proposta de análise de conteúdo desenvolvida por Laville e Dionne (1997/1999), e apoiando-se na teoria psicanalítica, considerada em sua perspectiva desenvolvimentista. Os resultados desse estudo, tomados em conjunto, apontam para uma idealização em relação ao futuro, tanto por parte da gestante, quanto do futuro pai. As expectativas em relação ao bebê e ao relacionamento conjugal eram positivas e parecem ter se confirmado no t~rceiro mês de vida do bebê. O casal estava mais unido e percebia o cônjuge como um bom pai ou mãe. Todavia, se considerarmos as especificidades de cada caso, sobretudo no planejamento e confirmação da gravidez, nas vicissitudes observadas na elaboração de um espaço para o bebê durante a gravidez e após o nascimento do mesmo, percebemos a necessidade de compreendermos a transição para a parentalidade como uma etapa do desenvolvimento individual, uma vez que as dificuldades que surgiram entre os casais pareciam estar relacionadas às aquisições desenvolvimentais da vida adulta. / This thesis presents a study on a particular stage of human development that is characterized by deep changes: the transition to parenthood. Becoming the parent of a child, when compared to other stages of human development, is a stage that has not yet received adequate treatment by researchers. In attempt to contribute to a better understanding of this topic, a instrumental case study (Stake, 1994) was developed, which is logitudinal, of qualitative nature, and carried out in two parts: the first part, in the last trimester of pregnancy, and the second, when the baby is three months old. For both parts, serni-structured interviews, both individual and joint, were carried out with the participants. The sample comprised six adult couples, ages between 20-40, expecting their first-bom when they joined this research work. Data analysis was carried out according to Laville e Dionne (1997/1999), following their model for analysis of content, and based on theoretical conceptions developed within the psychoanalytic theory as considered from its developmental perspective. The results of the present study, taken as a set, show the corroboration of expectations of the pregnancy period. Once the baby was bom, the marital relationship improved, the couple became more connected, and the spouses saw each other as good parents. Considering the specificities of each case, it became clear that there is a need for better understanding the transition to parenthood as a stage of development, since the difficulties that emerged between the spouses seem to be associated with their achieving the third individuation (Corolassu, 1990). This third individuation equates with the developmental acquisitions of an adult individual.
2

A transição do casal para a parentalidade

Corrêa, Cátia Nunes January 2001 (has links)
Esta dissertação propõe um estudo sobre uma etapa do desenvolvimento humano marcada por profundas transformações, a transição para a parentalidade. O tomar-se pai ou o tomar-se mãe, comparado a outros estágios do desenvolvimento humano, não tem recebido um tratamento adequado por parte dos pesquisadores. Procurando contribuir para uma maior compreensão nessa área de conhecimento, foi desenvolvido um estudo de caso instrumental (Stake, 1994), longitudinal, de natureza qualitativa, realizado em 2 etapas: a primeira, no último trimestre de gravidez e a segunda, aos três meses de vida do bebê. Em ambas etapas foram realizadas entrevistas individuais e conjuntas com os participantes. A amostra foi composta de seis casais adultos, com idade entre 20-40 anos, que esperavam seu primeiro filho ao ingressar na pesquisa. A análise dos dados foi realizada segundo a proposta de análise de conteúdo desenvolvida por Laville e Dionne (1997/1999), e apoiando-se na teoria psicanalítica, considerada em sua perspectiva desenvolvimentista. Os resultados desse estudo, tomados em conjunto, apontam para uma idealização em relação ao futuro, tanto por parte da gestante, quanto do futuro pai. As expectativas em relação ao bebê e ao relacionamento conjugal eram positivas e parecem ter se confirmado no t~rceiro mês de vida do bebê. O casal estava mais unido e percebia o cônjuge como um bom pai ou mãe. Todavia, se considerarmos as especificidades de cada caso, sobretudo no planejamento e confirmação da gravidez, nas vicissitudes observadas na elaboração de um espaço para o bebê durante a gravidez e após o nascimento do mesmo, percebemos a necessidade de compreendermos a transição para a parentalidade como uma etapa do desenvolvimento individual, uma vez que as dificuldades que surgiram entre os casais pareciam estar relacionadas às aquisições desenvolvimentais da vida adulta. / This thesis presents a study on a particular stage of human development that is characterized by deep changes: the transition to parenthood. Becoming the parent of a child, when compared to other stages of human development, is a stage that has not yet received adequate treatment by researchers. In attempt to contribute to a better understanding of this topic, a instrumental case study (Stake, 1994) was developed, which is logitudinal, of qualitative nature, and carried out in two parts: the first part, in the last trimester of pregnancy, and the second, when the baby is three months old. For both parts, serni-structured interviews, both individual and joint, were carried out with the participants. The sample comprised six adult couples, ages between 20-40, expecting their first-bom when they joined this research work. Data analysis was carried out according to Laville e Dionne (1997/1999), following their model for analysis of content, and based on theoretical conceptions developed within the psychoanalytic theory as considered from its developmental perspective. The results of the present study, taken as a set, show the corroboration of expectations of the pregnancy period. Once the baby was bom, the marital relationship improved, the couple became more connected, and the spouses saw each other as good parents. Considering the specificities of each case, it became clear that there is a need for better understanding the transition to parenthood as a stage of development, since the difficulties that emerged between the spouses seem to be associated with their achieving the third individuation (Corolassu, 1990). This third individuation equates with the developmental acquisitions of an adult individual.
3

Mães de bebês prematuros no Método Canguru : aspectos psicossociais, enfrentamento e autoeficácia

Spehar, Mariana Costa 04 1900 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, Programa de Pós-Graduação em Processos do Desenvolvimento Humano e Saúde, 2013. / Submitted by Alaíde Gonçalves dos Santos (alaide@unb.br) on 2013-10-29T13:31:26Z No. of bitstreams: 1 2013_MarianaCostaSpehar.pdf: 615614 bytes, checksum: 807ed5f40861c6f718d85ffa27521955 (MD5) / Approved for entry into archive by Guimaraes Jacqueline(jacqueline.guimaraes@bce.unb.br) on 2013-10-30T11:11:23Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2013_MarianaCostaSpehar.pdf: 615614 bytes, checksum: 807ed5f40861c6f718d85ffa27521955 (MD5) / Made available in DSpace on 2013-10-30T11:11:23Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2013_MarianaCostaSpehar.pdf: 615614 bytes, checksum: 807ed5f40861c6f718d85ffa27521955 (MD5) / O número crescente de nascimentos prematuros no Brasil e no mundo representa um problema de saúde pública. Diante disso, surgiram modelos de assistência neonatal com propostas de humanização e de inclusão da família, como o Método Canguru (MC), que é composto de três etapas: duas hospitalares (Unidade de Terapia Intensiva Neonatal e enfermaria conjunta) e uma ambulatorial. O MC é o modelo adotado no Brasil como política pública atual para recém-nascidos prematuros de baixo peso. Diante da hospitalização do bebê prematuro, a mãe vivencia um início de maternidade marcado por estressores e demandas de desempenho em relação aos cuidados do filho. O objetivo do estudo foi identificar aspectos psicossociais, estratégias de enfrentamento e percepção de autoeficácia de mães de neonatos prematuros internados em unidade de referência do MC da rede pública de saúde do Distrito Federal. Para tanto, foi realizado estudo longitudinal de curto prazo com 10 mães, ao longo das três etapas do MC. Foram utilizados instrumentos quantitativos e qualitativos: Escala de Modos de Enfrentamento de Problemas (EMEP), escala Perceived Maternal Parenting Self-Efficacy (PMP-E) adaptada para a língua portuguesa e roteiros de entrevista semiestruturados com questões sobre aspectos sociodemográficos, histórico familiar e gestacional, concepções maternas acerca da maternidade, bem como especificidades referentes às condutas maternas em cada etapa do MC. Estes instrumentos foram aplicados nas três etapas. A análise quantitativa de dados incluiu técnicas estatísticas e a qualitativa baseou-se em procedimentos de análise de conteúdo. Como principais resultados destacaram-se os dados sobre a diversidade do perfil das participantes indicando a importância de que não seja imposto às mães, no âmbito do MC, uma forma única de expressão da maternidade, baseada em um modelo idealizado. Os resultados sobre autoeficácia evidenciaram escores médios crescentes, com diferença estatisticamente significativa ao longo das três etapas, que sugerem a contribuição do MC na aquisição de maior autoeficácia materna. Os dados sobre as estratégias de enfrentamento revelaram um padrão que se manteve relativamente estável ao longo das três etapas de estudo, com o predomínio de estratégias focalizadas no problema, busca de práticas religiosas/pensamento fantasioso e busca de suporte social. A análise dos escores médios das modalidades de enfrentamento não indicou diferença estatística significativa ao longo das três etapas. Os principais resultados das verbalizações maternas apontaram: para a associação entre plenitude da vivência de maternidade e realização de cuidados do bebê; ter um filho prematuro hospitalizado como uma experiência que trouxe crescimento pessoal; fontes de apoio social concentradas na família, em especial no pai e na avó materna do neonato. Na 1ª etapa, os relatos destacaram como mais difícil estar longe do bebê; nas 2ª e 3ª etapas os cuidados de amamentação e banho foram descritos como os mais difíceis. Houve predomínio de adesão à posição canguru e relatos de sentimentos maternos positivos diante dessa prática, porém as participantes que realizavam a posição em menor frequência no âmbito hospitalar apresentaram tendência a reduzir ou interromper essa prática em casa. A partir da perspectiva das mães que vivenciam o MC foi possível descrever o cotidiano de cada etapa, bem como as dificuldades e as características dos três momentos da aplicação do MC, permitindo a ampliação do conhecimento sobre o método e as subjetividades maternas no contexto da prematuridade. O estudo traz implicações para o aprimoramento do MC, a qualificação da equipe multiprofissional e o delineamento de intervenções mais efetivas e individualizadas. _______________________________________________________________________________________ ABSTRACT / The increasing number of preterm births in Brazil and in the world represents a public health problem. Therefore, models with proposals for neonatal care and humanization including the family emerged, such as the Kangaroo Method (KM), which consists of three steps: two at hospital environment (Neonatal Intensive Care Unit and joint nursery) and one at follow-up attendance. The KM is the model adopted in Brazil as current public policy for premature infants of low birth weight. Facing the hospitalization of premature baby, the mother experiences the beginning of parenthood marked by stressors and demands of performance in relation to the care of the child. The aim of this study was to identify psychosocial factors, coping strategies and perceived selfefficacy of mothers of premature neonates hospitalized at a reference KM neonatal unit of the public health system of the Federal District at Brazil. Therefore, a longitudinal study was conducted with 10 mothers throughout the three stages of the KM. Were used quantitative and qualitative instruments: Scale Ways of Coping (EMEP), scale Perceived Maternal Parenting Self- Efficacy (PMP-E) adapted into Portuguese, and semi-structured interview guide with questions about socio-demographic data, family history and gestational, maternal conceptions about motherhood, as well as specific characteristics regarding maternal behaviors at each stage of KM, applied in three steps. For quantitative analysis of data were applied statistical techniques, and for qualitative analysis was based on content analysis procedures. As main results highlighted the data on the diversity profile of participants indicating the importance of not imposing on mothers, within the KM, a unique form of expression of motherhood, based on an idealized model. The results showed that mean scores on self-efficacy increased, with statistically significant differences across the three stages, suggesting the contribution of MC to acquire greater self-efficacy mother. Data on coping strategies revealed a pattern that has remained relatively stable over the three stages of study, with the predominance of strategies focused on the problem, search for religious practices / wishful thinking and seeking social support. The analysis of the mean scores of coping modalities indicated no statistically significant differences across the three stages. The main results of maternal verbalizations indicated: the association between perception of plenitude motherhood experience and performing baby care; having a hospitalized premature baby as an experience that brought personal growth; sources of social support were concentrated in the family, especially the father and the maternal grandmother of the newborn, in the 1st stage, the reports highlighted how most difficult of this stage was being away from the baby, in the 2nd and 3rd stages the care of breastfeeding and bathing were described as the most difficult; were described predominance of adherence to the kangaroo position and reports of positive maternal feelings during this practice, but the participants who performed the position less frequently at hospital stages, tended to reduce or discontinue this practice at home. From the perspective of mothers who experience the KM, it was possible to describe the daily life of each stage, as well as the difficulties and characteristics of the three stages of applying KM, allowing the expansion of knowledge about the method and maternal subjectivities in the context of prematurity. The study has implications for improving the KM, the qualification of the multidisciplinary staff and the design of more effective and individualized interventions.
4

A transição do casal para a parentalidade

Corrêa, Cátia Nunes January 2001 (has links)
Esta dissertação propõe um estudo sobre uma etapa do desenvolvimento humano marcada por profundas transformações, a transição para a parentalidade. O tomar-se pai ou o tomar-se mãe, comparado a outros estágios do desenvolvimento humano, não tem recebido um tratamento adequado por parte dos pesquisadores. Procurando contribuir para uma maior compreensão nessa área de conhecimento, foi desenvolvido um estudo de caso instrumental (Stake, 1994), longitudinal, de natureza qualitativa, realizado em 2 etapas: a primeira, no último trimestre de gravidez e a segunda, aos três meses de vida do bebê. Em ambas etapas foram realizadas entrevistas individuais e conjuntas com os participantes. A amostra foi composta de seis casais adultos, com idade entre 20-40 anos, que esperavam seu primeiro filho ao ingressar na pesquisa. A análise dos dados foi realizada segundo a proposta de análise de conteúdo desenvolvida por Laville e Dionne (1997/1999), e apoiando-se na teoria psicanalítica, considerada em sua perspectiva desenvolvimentista. Os resultados desse estudo, tomados em conjunto, apontam para uma idealização em relação ao futuro, tanto por parte da gestante, quanto do futuro pai. As expectativas em relação ao bebê e ao relacionamento conjugal eram positivas e parecem ter se confirmado no t~rceiro mês de vida do bebê. O casal estava mais unido e percebia o cônjuge como um bom pai ou mãe. Todavia, se considerarmos as especificidades de cada caso, sobretudo no planejamento e confirmação da gravidez, nas vicissitudes observadas na elaboração de um espaço para o bebê durante a gravidez e após o nascimento do mesmo, percebemos a necessidade de compreendermos a transição para a parentalidade como uma etapa do desenvolvimento individual, uma vez que as dificuldades que surgiram entre os casais pareciam estar relacionadas às aquisições desenvolvimentais da vida adulta. / This thesis presents a study on a particular stage of human development that is characterized by deep changes: the transition to parenthood. Becoming the parent of a child, when compared to other stages of human development, is a stage that has not yet received adequate treatment by researchers. In attempt to contribute to a better understanding of this topic, a instrumental case study (Stake, 1994) was developed, which is logitudinal, of qualitative nature, and carried out in two parts: the first part, in the last trimester of pregnancy, and the second, when the baby is three months old. For both parts, serni-structured interviews, both individual and joint, were carried out with the participants. The sample comprised six adult couples, ages between 20-40, expecting their first-bom when they joined this research work. Data analysis was carried out according to Laville e Dionne (1997/1999), following their model for analysis of content, and based on theoretical conceptions developed within the psychoanalytic theory as considered from its developmental perspective. The results of the present study, taken as a set, show the corroboration of expectations of the pregnancy period. Once the baby was bom, the marital relationship improved, the couple became more connected, and the spouses saw each other as good parents. Considering the specificities of each case, it became clear that there is a need for better understanding the transition to parenthood as a stage of development, since the difficulties that emerged between the spouses seem to be associated with their achieving the third individuation (Corolassu, 1990). This third individuation equates with the developmental acquisitions of an adult individual.
5

Processo criativo do artefato 'barriga gravida' : uma contribuição para a vivencia de parte da concretude biologica da gravidez pelo homem/pai

Vasques, Cintia Maria 24 January 2002 (has links)
Orientador: Antonieta Keiko Kakuda Shimo / Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciencias Medicas / Made available in DSpace on 2018-08-04T10:14:57Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Vasques_CintiaMaria_M.pdf: 552512 bytes, checksum: 4f7e815b6fe35b61e09e40728c0d0bd0 (MD5) Previous issue date: 2002 / Resumo: O presente estudo foi motivado por observações não sistematizadas da participação de casais grávidos durante cursos e oficinas de preparo para o parto. Observamos a admiração do homem pela barriga grávida de sua companheira, e também sua necessidade de melhor apreender e compreender a concretude biológica de estar gestando um filho. O objetivo deste estudo foi criar um artefato que simulasse uma barriga grávida, para que, mediante seu uso, o homem sentisse parte da concretude biológica de estar gestando um filho, e também se identificasse com a companheira grávida. O processo criativo foi o referencial teórico e fundamentou o percurso mental para elaboração técnica do artefato criado. Fizemos uma revisão sobre maternidade e paternidade no contexto atual, tentando trazer à tona o significado da barriga grávida para o homem / pai, podendo, assim, contribuir para o exercício da imaginação e da paternidade por meio do uso de um artefato. Traduzimos na metodologia o trajeto percorrido pelas fases do processo criativo apresentadas por KNELLER (1978), por se assemelharem aos passos por nós elaborados e vividos, tornando mais didática a descrição da criação do invento em questão. Obtivemos como resultado a confecção de dois protótipos, dos quais o segundo atingiu as dimensões e o peso desejados, simulando uma barriga grávida compatível com final de gestação. Seu uso teve boa aceitação pelos profissionais e casais que inicialmente o testaram. Considera-se que futuras pesquisas poderão ser feitas com a utilização desse invento / Abstract: This study was motivated by observations of the pregnant couples during prenatal classes. We observed the admiration that the man had by his wife's pregnant belly, and also his need to get more understanding regarding biological and physical condition of being pregnant. The main objective was to create an invention, which could simulate a pregnant belly to help the men to feel part of biological and physical condition of being pregnant, and also to identify themselves with their wifes, as well. The creative process was our theoretical concerning and gave bases to the technical elaboration of this invention. We had done revision of bibliography giving emphasis to fatherhood and motherhood at nowadays context, trying to bring the meaning of the pregnant belly to the man/father. Some how, it could contribute to the fatherhood concepts through the invention usage. Our methodology followed the steps presented by KNELLER (1978), because its run toward the steps lived by us, becoming more didactic the description of the invention. The result was the confection of two prototypes, of which the second reached measurements and weight desirable, simulating a pregnant belly compatible with forty weeks pregnancy. The utilization of this invention had great acceptance among professionals, and couples who had first tested it. We think that research could be done using this invention in the future / Mestrado / Enfermagem e Trabalho / Mestre em Enfermagem
6

Maternidade e alteridade : Atenas, as luzes e Freud

Graciela Quintana de Gomez 15 September 2000 (has links)
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior / Este trabalho está dividido em duas grandes partes. Na primeira parte, aborda-se a problemática da maternidade a partir de um estudo histórico das representações dominantes construídas sobre este tema em Atenas e na época das Luzes, através de alguns mitos gregos e do discurso de médicos e de filósofos. Na segunda parte aborda-se a obra de Freud, analisando uma série de textos que evocam duas visões diferentes da maternidade: uma como experiência fálica e outra que possibilita uma leitura diferente através das idéias de alteridade e de erotismo, as quais indicam caminhos alternativos para aproximar-nos a um tema tão complexo como este.
7

Maternidade e alteridade : Atenas, as luzes e Freud

Graciela Quintana de Gomez 15 September 2000 (has links)
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior / Este trabalho está dividido em duas grandes partes. Na primeira parte, aborda-se a problemática da maternidade a partir de um estudo histórico das representações dominantes construídas sobre este tema em Atenas e na época das Luzes, através de alguns mitos gregos e do discurso de médicos e de filósofos. Na segunda parte aborda-se a obra de Freud, analisando uma série de textos que evocam duas visões diferentes da maternidade: uma como experiência fálica e outra que possibilita uma leitura diferente através das idéias de alteridade e de erotismo, as quais indicam caminhos alternativos para aproximar-nos a um tema tão complexo como este.
8

Adolescentes mães em contexto de vulnerabilidade social : uma perspectiva winnicottiana dos cuidados maternos e o ato de alimentar / Mothers adolescents in the context of social vulnerability: a winnicotian perspective of maternal care and the act of food (Inglês)

Moraes, Wecia Mualem Sousa de 31 August 2018 (has links)
Made available in DSpace on 2019-03-30T00:13:44Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2018-08-31 / The main aim of this doctoral thesis was to investigate the maternal care of adolescent mothers in social vulnerability contexts, considering the act of feeding their babies. The specific objectives of this study were: to understand the meaning of maternal care, taking into consideration how these adolescent mothers feed their babies; to analyze, through therapeutic appointments, the experience of being an adolescent mother; to describe the concept of social vulnerability and to reflect about the use of psychoanalysis. The intention of studying adolescent mothers in vulnerability is due to the immersion of the researcher at the Instituto da Primeira Infância ¿ Iprede ¿ in Fortaleza ¿ Ceará. This institute drew our attention to the association between early motherhood and its effects in child care, particularly, when it is related to the act of feeding. We considered that adolescence is market by because of puberty, specially, the one associated to logic, not, necessarily, chronological. These changes face crisis situations, which are characterized by paternal absence, as well as, by the appeal for sexual impulse. We also realized that the fact of offering listening to these teenagers, who are silenced in their suffering, helped them to name and re-signifying their distress, assuming the perspective of an unconscious person. Another important aspect was to believe in the concept that being vulnerable is something that belongs to our formation. The psychoanalysis freudwinnicottiana guided the theorical construction about maternal care and the act of feeding. Three adolescents were attended in the institute, having the therapeutic appointment as a mechanism of psychoanalysis intervention, according to Winnicott. The therapeutic appointments also prepared the inclusion of the psychoanalyst-researcher into the institute, enabling the construction of the analytical setting in the context of institutional clinic. It was possible to observe the singular listening of the healthcare institute, which is seen as a place that can produce analytical effects, stimulating the person to change its subjective position, considering the therapeutic suggestion of the clinical mechanism of therapeutic appointment. From the cases studied, we concluded that this approach brought limitations and scopes, but, in general, it relies on a psychoanalytical dimension, because it believed in a psychotherapy that leads to the thing that is desired. Thinking about our challenging practices and paraphrasing Winnicott about life and what is to live and its transitority, we support the idea that:We are all vulnerable. Keywords: Adolescence, social vulnerability, maternal care, act of feeding, psychoanalysis / Esta tese teve como objetivo geral investigar os cuidados maternos de adolescentes mães em contexto de vulnerabilidade social a partir do ato de alimentar seus filhos. Já como objetivos específicos buscamos: compreender qual o sentido dos cuidados maternos frente à alimentação dos filhos dessas adolescentes mães; analisar, a partir da realização de consultas terapêuticas, a experiência de ser adolescente mãe; descrever o conceito de vulnerabilidade social e refletir acerca de sua utilização à Psicanálise. O interesse em estudar adolescentes mães em situação de vulnerabilidade se relaciona à imersão no Instituto da Primeira Infância - Iprede -, em Fortaleza-Ceará, onde nos chamou atenção a relação entre a maternidade precoce e os seus efeitos nos cuidados com o filho, especialmente, quanto ao ato de alimentar. Os indicadores que nortearam a construção do referencial teórico foram: adolescência, vulnerabilidade social, cuidados maternos e o ato de alimentar. A adolescência foi pensada a partir do real da puberdade, especialmente de ordem lógica e não, necessariamente, cronológica. Essas mudanças são atravessadas por situações de crise, marcadas pelo afastamento da autoridade paterna, bem como pelo apelo das pulsões sexuais. Igualmente, percebemos que a gravidez é sempre da ordem do singular, apresentando nuances relativas à subjetividade de cada uma. Além disso, também pudemos observar que oferecer uma escuta a essas adolescentes, silenciadas em suas angústias, propiciou que elas pudessem nomeá-las e também ressignificá-las, colocando-as em uma perspectiva de sujeito do inconsciente. Outro aspecto importante foi acreditarmos na concepção de que ser vulnerável é próprio de nossa constituição. A psicanálise freudo-winnicottiana norteou a construção teórica acerca dos cuidados maternos e do ato de alimentar. Foram acompanhadas três adolescentes atendidas pela instituição a partir da consulta terapêutica como dispositivo de intervenção psicanalítica, conforme proposto por Winnicott. As consultas terapêuticas também balizaram a inserção da psicanalista-pesquisadora na instituição, possibilitando a construção do setting analítico no contexto da clínica institucional. Foi possível, ainda, assinalarmos a escuta do singular em instituições de saúde e assistência como possível e capaz de produzir efeitos analíticos, impulsionando o sujeito as mudanças em sua posição subjetiva, a partir da proposta terapêutica do dispositivo clínico da consulta terapêutica. A partir destes casos, concluímos que tal abordagem nos trouxe limites e alcances, mas, de forma geral, apoiou-se em uma dimensão psicanalítica por acreditar em uma psicoterapia direcionada para o que se deseja. Pensando em nossa prática desafiadora e parafraseando a questão de Winnicott sobre o que versa a vida, ao expor que é o viver e a sua transitoriedade, apostamos na máxima: Somos todos vulneráveis. Palavras-chave: adolescência, vulnerabilidade social, cuidados maternos, ato de alimentar, psicanálise.
9

A relação conjugal na transição para a parentalidade : da gestação ao segundo ano de vida do bebê

Menezes, Clarissa Corrêa January 2001 (has links)
Segundo o referencial teórico familiar sistêmico, a transição para a parentalidade demarca uma das mais intensas mudanças do ciclo de vida da família. O presente estudo teve como objetivo central analisar a relação conjugal, durante a transição para a parentalidade, a partir de dois enfoques: a avaliação que cada casal faz de sua relação nos diferentes momentos da transição e a interação comunicacional que estabelece durante as entrevistas conjuntas. Foi realizado um estudo de casos coletivo (Stake, 1994), longitudinal, que abrangeu cinco etapas: o último trimestre de gestação e o terceiro, o oitavo, o décimo-segundo e o décimo-oitavo mês de vida do bebê. Em cada etapa, foram realizadas entrevistas conjuntas com os casais. A amostra foi composta por cinco casais adultos, com idades entre 20-40 anos, que esperavam seu primeiro filho. A análise dos dados foi realizada a partir das análises qualitativa e quantitativa de conteúdo (Laville & Dionne, 1999). Os resultados deste estudo apontam que um fator central para a compreensão da conjugalidade na transição para a parentalidade é a qualidade da relação conjugal estabelecida antes da transição. Constatou-se que os três casais que apresentavam um envolvimento afetivo antes do nascimento do primeiro filho mantiveram esta condição após a transição. Esses casais mencionaram aspectos positivos da transição e conseguiram organizar sua rotina de forma a preservar um tempo para estarem a sós. Os pais mostraram-se envolvidos com sua função paternal, bem como as mães com sua função maternal. A interação comunicacional teve um aumento das categorias de apoio e uma diminuição das de não-apoio e de conflito à medida que a transição se desenrolou. Diferentemente, os dois casais que mostraram um distanciamento afetivo antes mostraram também um distanciamento depois da transição. Eles referiram apenas mudanças negativas em função da transição e não conseguiram dedicar um tempo para ficarem a sós. Nesses casais, os homens mostraram-se ausentes e pouco envolvidos com a paternidade, o que não ocorreu com as mulheres. A interação comunicacional compreendeu uma diminuição das trocas de fala de apoio, e um aumento das de conflito e de não-apoio à medida que as entrevistas se desenrolaram. As conclusões deste estudo, apesar de não serem passíveis de generalização, mostram-se relevantes tanto para a área da Psicologia do Desenvolvimento, como para a da Psicologia Clínica, no atendimento a casais.
10

(Re)Construir a maternidade numa perspectiva discursiva

Fidalgo, Lurdes dos Anjos January 2000 (has links)
No description available.

Page generated in 0.0908 seconds