• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 312
  • 17
  • 8
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 1
  • Tagged with
  • 341
  • 211
  • 62
  • 61
  • 46
  • 39
  • 34
  • 32
  • 32
  • 29
  • 28
  • 28
  • 26
  • 24
  • 24
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Estudo imuno-histoquímico de receptores hormonais em meningeomas

Hilbig, Arlete January 1996 (has links)
Os autores realizaram uma avaliação de 246 casos de meningeomas diagnosticados no Departamento de Patologia da Fundação Faculdade Federal de Ciências Médicas de Porto Alegre durante 25 anos (março de 1968 a março de 1993). Esses tumores foram classificados como típico, atípico, anaplásico e papilar segundo critérios previamente definidos. Desses casos foram separados, aleatoriamente, 116 tumores (60 típicos, 46 atípicos, 9 anaplásicos e 1 papilar) e realizada técnica imuno-histoquímica para receptores de estrógeno e progesterona com o objetivo de determinar se existe diferença entre tumores típicos e não típicos em relação aos receptores hormonais. Entre os critérios utilizados para definição de tumores não típicos, a invasão do SNC predominou com 62,3% dos casos. Áreas de necrose estiveram presentes em 45,9% dos meningeomas, 36% apresentaram aumento do número de mitoses, 39,3% foram hipercelular e 32,8% mostraram anaplasia citológica. Os meningeomas foram típicos em 75,22% dos casos, atípicos em 19,1%, anaplásicos em 4,47% e papilar em 1,21%. A localização supratentorial foi mais freqüente em ambos os grupos (típicos e não típicos) e houve predomínio pelo sexo feminino. A faixa etária mais acometida foi entre 51 e 60 anos. Houve recidiva em 3,78% dos meningeomas típicos, em 42,55% dos atípicos, 45,45% dos anaplásicos e não houve recidiva nos 3 casos de tumores com características papilares. A técnica imuno-histoquímica para receptores de estrógeno foi negativa em todos os meningeomas estudados. Os receptores de progesterona foram detectados, pela imuno-histoquímica, em 58,33% dos meningeomas típicos e em 48,21% dos tumores não típicos. Essa diferença não foi estatisticamente significativa. Entretanto, considerando individualmente os critérios utilizados para seleção dos não típicos, os tumores que apresentaram, de forma concomitante, invasão do SNC e aumento da taxa mitótica ou necrose, bem como a soma das três característica, foram predominantemente negativos para receptor de progesterona (p=0,038; p=0,001 e p=0,044 respectivamente). Os autores concluem que os critérios utilizados para definição de típicos e não típicos foram adequados para predizer maior chance de recidiva tumoral; que os receptores de estrógeno não estão presentes em meningeomas; que receptores de progesterona estão presentes na maioria dos meningeomas estudados; que a presença de receptor de progesterona isoladamente não é suficiente para predizer maior malignidade tumoral; e que nos tumores que apresentam invasão do SNC associado a áreas de necrose e/ou aumento da taxa mitótica, predominaram os negativos para receptor de progesterona, fazendo crer que esse grupo deve apresentar resposta pobre a uma possível manipulação hormonal. / The authors assessed 246 cases of meningiomas, diagnosed in the Pathology Department of Fundação Faculdade Federal de Ciências Médicas de Porto Alegre during 25 years (from March 1968 to March 1993). Those tumors were classífied as typical, atypical, anaplastic, and papillary, according to previously defined criteria. From this cases, 116 tumours (60 typical, 46 atypical, 9 anaplastic and 1 papillary) were randomiy selected, being used an immunohistochemical technique for estrogen and progesterone receptors, attempting to determine if there is any difference between typical and non-typical tumours, in relation to hormone receptors. Among the criteria used to define non-typical tumours, brain invasion was predominant in 62,3%. There were areas of necrosis in 45,9% of meningiomas, 36% displayed increased mitotic activity, 39,3% were hypercellular, and 32,8% cytological anaplasia. Meningiomas were typical in 75,22%, atypical in 19,1%, anaplastic in 4,47%, and papillary in 1,21% of the cases. Supratentorial location was more frequent in both groups (typical and nontypical), and female gender predominated. The most afflicted age group was between 51 and 60 years of age. There was recurrence in 3,78% of typical. 42,55% of atypical. 45,45% of anaplastic, and there was no recurrence in those tumours with papillary fegtures. The immunohistochemical technique to estrogen receptors was negative in ali meningiomas studied. Progesterone receptors were detected by immunohistochemstry in 58,33% of typical, and in "48,21% of non-typicai meningiomas. This difference was not statisticaliy significant. However, individually considering the criteria used for selection of non-typical tumours, those that concurrently displayed brain invasion and increased mitotic activity or necrosis, as well as the summation of those three features, were predominantiy negative for progesterone receptors (respectively p=0,038; p=0,001; and p=0,044). The authors conclusion was that the criteria used to define typical and nontypical were adequate to predict a higher chance of tumour recurrence, that estrogen receptor were not present in meningiomas; that progesterone receptors in isolation is not enough to predict a higher tumoral malignancy; and in tumours that showed brain invasion. associated to necrosis and/or increased mitotic activity, there was a predominance of negatives to progesterone receptors, infering this group should display a poor response to a possible hormonal manipulation.
2

Estudo físico-químico dos polimorfos da progesterona e estabilização da forma metaestável sobre matrizes poliméricas

Sibaja, Andrea Mariela Araya January 2012 (has links)
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Saúde. Programa de Pós-Graduação em Farmácia / Made available in DSpace on 2013-06-25T22:47:03Z (GMT). No. of bitstreams: 1 307880.pdf: 14517632 bytes, checksum: 3e3b0375b591335cb993dd1440044d23 (MD5) / A nucleação heterogênea induzida por polímeros (PIHn) é uma técnica inovadora utilizada no "screening" de polimorfos na área farmacêutica. Consiste em cristalizar o fármaco sobre diferentes matrizes poliméricas e teve sucesso na descoberta de novas formas sólidas de fármacos como a carbamazepina, o sulindaco e o ácido tolfenâmico. A progesterona é utilizada em humanos e em animais, administrado em diferentes formas farmacêuticas, que podem ser preparadas cristalizando o fármaco em uma superfície polimérica. A progesterona apresenta duas formas cristalinas: a forma 1, que é termodinamicamente mais estável, e a forma 2, é a metaestável e mais solúvel. Apenas a forma estável é usada atualmente. Neste trabalho contemplou-se a aplicação da técnica PIHn para a progesterona, com o objetivo de estudar a cristalização polimórfica e determinar condições para estabilizar a forma 2. Foi utilizado o vidro, como controle, e seis polímeros: hidroxipropilmetil celulose (HPMC), álcool polivinílico (PVA), poliisopreno (PI), butadieno/acrilonitrila (NBR), dextrana e gelatina; três concentrações do fármaco: 0,5; 10 e 40 mg/mL e dois solventes: clorofórmio e acetona. Utilizando clorofórmio obteve-se a forma 2, a partir de soluções de 0,5 mg/mL, em quase todas as matrizes. Mistura de polimorfos foi obtida nas seguintes condições: a) das soluções de 40 mg/mL em clorofórmio em PVA, HPMC e gelatina; b) das soluções de 10 mg/mL em clorofórmio em PVA, e em ambos os solventes em HPMC, dextrana e gelatina; c) das soluções de 0,5 mg/mL em clorofórmio em gelatina, e em acetona em PVA, HPMC e dextrana. Na maioria dos polímeros os polimorfos apresentaram diferentes morfologias. Realizou-se estudo de estabilidade polimórfica da forma 2 obtida em PVA, HPMC e dextrana, a partir de soluções de 0,5 e 10 mg/mL em clorofórmio. No HPMC a forma 2 foi estável por 3 meses sob condições aceleradas de estabilidade (40ºC, 75% UR), e no PVA e dextran a estabilidade foi dependente da concentração. Ambos os polimorfos foram caracterizados e as estabilidades no estado sólido foram avaliadas, sob condições de estresse mecânico, ambiental e térmico, juntamente com a avaliação da velocidade de dissolução intrínseca (VDI) dos mesmos. A forma 2 apresentou maior VDI, similar estabilidade química e maior resistência à degradação térmica que a forma 1. A forma 2 apresentou significativa instabilidade polimórfica com a moagem. Esses resultados apresentam-se interessantes para futuras aplicações farmacêuticas. / Polymer-induced heteronucleation (PIHn) is a novel technique used in polymorphic screening in the pharmaceutical field, that consists in crystallizes the drug on different polymeric matrices. It allowed to discover new solid forms of drugs such as carbamazepine, sulindac and tolfenamic acid. Progesterone is used in humans and in animals, it is administered in different dosage forms usually made crystallizing the drug on the polymers. Progesterone presents two crystal forms: form 1 is thermodynamically stable and form 2 is the metastable and more soluble form. Nowadays only the stable form is used. PIHn technique was applied in the study of progesterone polymorphs to determine the conditions to stabilize the metastable form. Six polymers: hydroxypropylmethyl cellulose (HPMC), polyvinyl alcohol (PVA), polyisoprene (PI), butadiene/acrylonitrile (NBR), dextran, gelatin and glass as a control; three concentrations solutions: 0.5, 10 and 40 mg/mL and two solvents: chloroform and acetone were used. Form 2 was obtained from 0.5 mg/mL solutions in chloroform in almost all the polymers. A mixture of polymorphs was obtained from the following conditions: a) from 40 mg/mL solutions in chloroform on PVA, HPMC and gelatin; b) from 10 mg/mL solutions in chloroform on PVA, and in both solvents on HPMC, dextran and gelatin; c) from de 0,5 mg/mL solutions in chloroform on gelatin, and in acetone on PVA, HPMC e dextran. Both polymorphs exhibited differences in morphology on the different polymers. A stability study of form 2, obtained from 0.5 and 10 mg/mL solutions in chloroform on PVA, HPMC and dextran was performed. On HPMC form 2 was stable for 3 months under accelerated conditions (40 °C, 75% RH) and on PVA and dextran the stability was concentration dependent. Both polymorphs were characterized, including intrinsic dissolution rate (IDR) tests, and its stabilities in the solid state were evaluated under mechanical, environmental and thermal stress conditions. Form 2 presented higher IDR, similar chemical stability and greater resistance to thermal degradation than form 1. Form 2 showed significant polymorphic instability to grinding. These results are important for future pharmaceutical applications.
3

Estudo imuno-histoquímico de receptores hormonais em meningeomas

Hilbig, Arlete January 1996 (has links)
Os autores realizaram uma avaliação de 246 casos de meningeomas diagnosticados no Departamento de Patologia da Fundação Faculdade Federal de Ciências Médicas de Porto Alegre durante 25 anos (março de 1968 a março de 1993). Esses tumores foram classificados como típico, atípico, anaplásico e papilar segundo critérios previamente definidos. Desses casos foram separados, aleatoriamente, 116 tumores (60 típicos, 46 atípicos, 9 anaplásicos e 1 papilar) e realizada técnica imuno-histoquímica para receptores de estrógeno e progesterona com o objetivo de determinar se existe diferença entre tumores típicos e não típicos em relação aos receptores hormonais. Entre os critérios utilizados para definição de tumores não típicos, a invasão do SNC predominou com 62,3% dos casos. Áreas de necrose estiveram presentes em 45,9% dos meningeomas, 36% apresentaram aumento do número de mitoses, 39,3% foram hipercelular e 32,8% mostraram anaplasia citológica. Os meningeomas foram típicos em 75,22% dos casos, atípicos em 19,1%, anaplásicos em 4,47% e papilar em 1,21%. A localização supratentorial foi mais freqüente em ambos os grupos (típicos e não típicos) e houve predomínio pelo sexo feminino. A faixa etária mais acometida foi entre 51 e 60 anos. Houve recidiva em 3,78% dos meningeomas típicos, em 42,55% dos atípicos, 45,45% dos anaplásicos e não houve recidiva nos 3 casos de tumores com características papilares. A técnica imuno-histoquímica para receptores de estrógeno foi negativa em todos os meningeomas estudados. Os receptores de progesterona foram detectados, pela imuno-histoquímica, em 58,33% dos meningeomas típicos e em 48,21% dos tumores não típicos. Essa diferença não foi estatisticamente significativa. Entretanto, considerando individualmente os critérios utilizados para seleção dos não típicos, os tumores que apresentaram, de forma concomitante, invasão do SNC e aumento da taxa mitótica ou necrose, bem como a soma das três característica, foram predominantemente negativos para receptor de progesterona (p=0,038; p=0,001 e p=0,044 respectivamente). Os autores concluem que os critérios utilizados para definição de típicos e não típicos foram adequados para predizer maior chance de recidiva tumoral; que os receptores de estrógeno não estão presentes em meningeomas; que receptores de progesterona estão presentes na maioria dos meningeomas estudados; que a presença de receptor de progesterona isoladamente não é suficiente para predizer maior malignidade tumoral; e que nos tumores que apresentam invasão do SNC associado a áreas de necrose e/ou aumento da taxa mitótica, predominaram os negativos para receptor de progesterona, fazendo crer que esse grupo deve apresentar resposta pobre a uma possível manipulação hormonal. / The authors assessed 246 cases of meningiomas, diagnosed in the Pathology Department of Fundação Faculdade Federal de Ciências Médicas de Porto Alegre during 25 years (from March 1968 to March 1993). Those tumors were classífied as typical, atypical, anaplastic, and papillary, according to previously defined criteria. From this cases, 116 tumours (60 typical, 46 atypical, 9 anaplastic and 1 papillary) were randomiy selected, being used an immunohistochemical technique for estrogen and progesterone receptors, attempting to determine if there is any difference between typical and non-typical tumours, in relation to hormone receptors. Among the criteria used to define non-typical tumours, brain invasion was predominant in 62,3%. There were areas of necrosis in 45,9% of meningiomas, 36% displayed increased mitotic activity, 39,3% were hypercellular, and 32,8% cytological anaplasia. Meningiomas were typical in 75,22%, atypical in 19,1%, anaplastic in 4,47%, and papillary in 1,21% of the cases. Supratentorial location was more frequent in both groups (typical and nontypical), and female gender predominated. The most afflicted age group was between 51 and 60 years of age. There was recurrence in 3,78% of typical. 42,55% of atypical. 45,45% of anaplastic, and there was no recurrence in those tumours with papillary fegtures. The immunohistochemical technique to estrogen receptors was negative in ali meningiomas studied. Progesterone receptors were detected by immunohistochemstry in 58,33% of typical, and in "48,21% of non-typicai meningiomas. This difference was not statisticaliy significant. However, individually considering the criteria used for selection of non-typical tumours, those that concurrently displayed brain invasion and increased mitotic activity or necrosis, as well as the summation of those three features, were predominantiy negative for progesterone receptors (respectively p=0,038; p=0,001; and p=0,044). The authors conclusion was that the criteria used to define typical and nontypical were adequate to predict a higher chance of tumour recurrence, that estrogen receptor were not present in meningiomas; that progesterone receptors in isolation is not enough to predict a higher tumoral malignancy; and in tumours that showed brain invasion. associated to necrosis and/or increased mitotic activity, there was a predominance of negatives to progesterone receptors, infering this group should display a poor response to a possible hormonal manipulation.
4

Estudo imuno-histoquímico de receptores hormonais em meningeomas

Hilbig, Arlete January 1996 (has links)
Os autores realizaram uma avaliação de 246 casos de meningeomas diagnosticados no Departamento de Patologia da Fundação Faculdade Federal de Ciências Médicas de Porto Alegre durante 25 anos (março de 1968 a março de 1993). Esses tumores foram classificados como típico, atípico, anaplásico e papilar segundo critérios previamente definidos. Desses casos foram separados, aleatoriamente, 116 tumores (60 típicos, 46 atípicos, 9 anaplásicos e 1 papilar) e realizada técnica imuno-histoquímica para receptores de estrógeno e progesterona com o objetivo de determinar se existe diferença entre tumores típicos e não típicos em relação aos receptores hormonais. Entre os critérios utilizados para definição de tumores não típicos, a invasão do SNC predominou com 62,3% dos casos. Áreas de necrose estiveram presentes em 45,9% dos meningeomas, 36% apresentaram aumento do número de mitoses, 39,3% foram hipercelular e 32,8% mostraram anaplasia citológica. Os meningeomas foram típicos em 75,22% dos casos, atípicos em 19,1%, anaplásicos em 4,47% e papilar em 1,21%. A localização supratentorial foi mais freqüente em ambos os grupos (típicos e não típicos) e houve predomínio pelo sexo feminino. A faixa etária mais acometida foi entre 51 e 60 anos. Houve recidiva em 3,78% dos meningeomas típicos, em 42,55% dos atípicos, 45,45% dos anaplásicos e não houve recidiva nos 3 casos de tumores com características papilares. A técnica imuno-histoquímica para receptores de estrógeno foi negativa em todos os meningeomas estudados. Os receptores de progesterona foram detectados, pela imuno-histoquímica, em 58,33% dos meningeomas típicos e em 48,21% dos tumores não típicos. Essa diferença não foi estatisticamente significativa. Entretanto, considerando individualmente os critérios utilizados para seleção dos não típicos, os tumores que apresentaram, de forma concomitante, invasão do SNC e aumento da taxa mitótica ou necrose, bem como a soma das três característica, foram predominantemente negativos para receptor de progesterona (p=0,038; p=0,001 e p=0,044 respectivamente). Os autores concluem que os critérios utilizados para definição de típicos e não típicos foram adequados para predizer maior chance de recidiva tumoral; que os receptores de estrógeno não estão presentes em meningeomas; que receptores de progesterona estão presentes na maioria dos meningeomas estudados; que a presença de receptor de progesterona isoladamente não é suficiente para predizer maior malignidade tumoral; e que nos tumores que apresentam invasão do SNC associado a áreas de necrose e/ou aumento da taxa mitótica, predominaram os negativos para receptor de progesterona, fazendo crer que esse grupo deve apresentar resposta pobre a uma possível manipulação hormonal. / The authors assessed 246 cases of meningiomas, diagnosed in the Pathology Department of Fundação Faculdade Federal de Ciências Médicas de Porto Alegre during 25 years (from March 1968 to March 1993). Those tumors were classífied as typical, atypical, anaplastic, and papillary, according to previously defined criteria. From this cases, 116 tumours (60 typical, 46 atypical, 9 anaplastic and 1 papillary) were randomiy selected, being used an immunohistochemical technique for estrogen and progesterone receptors, attempting to determine if there is any difference between typical and non-typical tumours, in relation to hormone receptors. Among the criteria used to define non-typical tumours, brain invasion was predominant in 62,3%. There were areas of necrosis in 45,9% of meningiomas, 36% displayed increased mitotic activity, 39,3% were hypercellular, and 32,8% cytological anaplasia. Meningiomas were typical in 75,22%, atypical in 19,1%, anaplastic in 4,47%, and papillary in 1,21% of the cases. Supratentorial location was more frequent in both groups (typical and nontypical), and female gender predominated. The most afflicted age group was between 51 and 60 years of age. There was recurrence in 3,78% of typical. 42,55% of atypical. 45,45% of anaplastic, and there was no recurrence in those tumours with papillary fegtures. The immunohistochemical technique to estrogen receptors was negative in ali meningiomas studied. Progesterone receptors were detected by immunohistochemstry in 58,33% of typical, and in "48,21% of non-typicai meningiomas. This difference was not statisticaliy significant. However, individually considering the criteria used for selection of non-typical tumours, those that concurrently displayed brain invasion and increased mitotic activity or necrosis, as well as the summation of those three features, were predominantiy negative for progesterone receptors (respectively p=0,038; p=0,001; and p=0,044). The authors conclusion was that the criteria used to define typical and nontypical were adequate to predict a higher chance of tumour recurrence, that estrogen receptor were not present in meningiomas; that progesterone receptors in isolation is not enough to predict a higher tumoral malignancy; and in tumours that showed brain invasion. associated to necrosis and/or increased mitotic activity, there was a predominance of negatives to progesterone receptors, infering this group should display a poor response to a possible hormonal manipulation.
5

Efeito do protocolo de pré-sincronização em vacas mestiças no período pós-parto.

ALMEIDA, I. C. 26 February 2015 (has links)
Made available in DSpace on 2018-08-01T22:56:51Z (GMT). No. of bitstreams: 1 tese_7276_Ítalo câmara de Almeida.pdf: 757004 bytes, checksum: efa122850d8473fa71872a648b012055 (MD5) Previous issue date: 2015-02-26 / Objetivou-se avaliar a eficiência do protocolo hormonal de pré-sincronização a base de progesterona e estradiol em vacas mestiças, leiteiras, lactantes, primíparas e multíparas, no início do pós-parto, quanto a dinâmica folicular e a eficiência reprodutiva. Foram utilizadas 92 vacas entre 30 a 90 dias pós-parto, distribuídas ao acaso em dois grupos experimentais, controle (GC) e tratamento (GT). No GC os animais foram submetidos apenas ao protocolo de inseminação artificial em tempo fixo (IATF), e no GT os animais foram submetidos a um protocolo hormonal para a pré-sincronização antes da IATF. Para o GC foram utilizadas 45 vacas, sendo seis para análise da dinâmica folicular e 39 para avaliação da eficiência reprodutiva, e seguiu-se com o protocolo hormonal: no dia zero (D0): inserção de dispositivo intravaginal de progesterona (DIV P4) novo e aplicação intramuscular (IM) de 2 mg de benzoato de estradiol (BE); D8: retirada do DIV P4, aplicação IM de 300 UI de gonadotrofina coriônica equina (eCG) e aplicação IM de 0,15 mg de cloprostenol sódico (prostaglandina); D9: aplicação IM de 1 mg de BE e; D10: IATF dos animais. Para o GT foram utilizadas 47 vacas, sendo oito para análise da dinâmica folicular e 39 para detecção da taxa de prenhez, e seguiu-se com o protocolo hormonal de pré-sincronização hormonal: dia menos dezenove (D-19): inserção DIV P4 previamente utilizado (4º uso) e aplicação IM de 2 mg de BE; D-11: retirada do DIV P4 e aplicação IM de 1 mg BE; decorridos 11 dias da retirada do DIV P4 previamente utilizado, iniciou-se o protocolo para a IATF dos animais, com protocolo idêntico ao utilizado para o GC. Os exames de ultrassonografia referentes a dinâmica folicular, foram realizados nos dias 0, 8 e à partir do dia da IATF (D10), de 12 em 12 horas até a determinação da ovulação pela ausência do folículo dominante. Decorridos 30 dias da IATF, estimou-se a taxa de prenhez por meio de exame de ultrassonografia. Os dados foram analisados no programa estatístico SAS, a 5% de probabilidade. Não houve diferença significativa (p˃0,05) na média do número de folículos nos dias 0, 8 e 10 entre os tratamentos. Não houve diferença significativa (p˃0,05) para a taxa de crescimento folicular, que foi de 1,8 ± 0,24 e 0,79 ± 0,35 mm / dia para os grupos GT e GC, respectivamente. Não houve efeito do tratamento (p˃0,05) para o diâmetro do folículo dominante no momento da IATF, sendo 12,5 ± 1,61 mm para o grupo tratamento e 11,9 ± 2,26 mm para o grupo controle. Não houve efeito dos tratamentos (p˃0,05) sobre o intervalo entre a retirada do dispositivo de progesterona e a ovulação dos grupos GT (65h25min ± 8h13min) e GC (66h ± 10h03min), e também da ovulação a IATF, que foi de 14h15min ± 7h,36min e 15h06min ± 9h04min para os grupos GT e GC, respectivamente. Não houve efeito dos tratamentos (p˃0,05) sobre a taxa de ovulação e de prenhez, que foi de 88,8% e 53,84%, respectivamente para o GT e 75% e 38,46%, respectivamente para o GC. Houve diferença significativa (p˂0,05) na taxa de prenhez entre as vacas primíparas (23,07%) e multíparas (69,23%) para o GT. Conclui-se que o uso do protocolo de pré-sincronização em vacas mestiças no início do pós-parto não apresentou diferenças acentuadas nos padrões avaliados. As vacas multíparas obtiveram taxa de prenhez superior as vacas primíparas. A taxa de prenhez das vacas do grupo pré-sincronização foi considerada satisfatória, acima dos 50% para protocolos de IATF.
6

Efeito da hidroxiureia e progesterona na regulação da transcrição do gene da gama globina

Duarte, Adriana da Silva Santos 27 February 2002 (has links)
Orientador : Sara T. O. Saad / Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas / Made available in DSpace on 2018-08-01T03:29:28Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Duarte_AdrianadaSilvaSantos_M.pdf: 16922639 bytes, checksum: a4862322906bda78788309e185e5ef4f (MD5) Previous issue date: 2002 / Resumo: A anemia falcifonne é uma doença hereditária com alta incidência na população, causada por um defeito estrutural na cadeia da f3-globinaque origina a HbS. Essa hemoglobina anômala, sob baixas tensões de oxigênio, fonna polímeros intracelulares, provocando a defonnação dos eritrócitos que por sua vez bloqueiam a microcirculação, ocasionando infarto de vários órgãos. Estudos clínicos demonstraram que a HbF possui a capacidade de inibir a polimerização da HbS e reduzir a falcização, melhorando assim o quadro clínico. A indução farmacológica por vários compostos químicos, dentre os quais a hidroxiuréia (HU), 5-azacitidina, butirato e os hormônios esteróides, aumentam a síntese de HbF em pacientes com anemia falciforme. A regulação da expressão da HbF está relacionada à presença de elementos ativos ligados em "eis" ao complexo da f3-globina, bem como de proteínas regulatórias do processo de transcrição gênica denominadas fatores de transcrição, como as proteínas GATA-I, GATA-2 e NF-E2, expressas principalmente na linhagem eritróide. Esse projeto teve por objetivo estudar o efeito da HU e do honnônio progesterona na modulação da expressão gênica pelos fatores de transcrição GATA-I, GATA-2 e NF-E2 e do gene y globina, em células da linhagem eritróide obtidas através da cultura de duas fases a partir de sangue periférico de doadores de sangue atendidos no Hemocentro da Unicamp. A expressão dos genes destes fatores de transcrição foi determinada por RT-PCR semiquantitativo e quantificação por densitometria. Os nossos resultados mostraram que nas células tratadas com HU ou progesterona houve aumento significativo da expressão do fator de transcrição GATA-I e do gene y globina a partir de 96hs da Fase TI do sistema de cultura líquida em duas fases até o seu término com 2I6hs, quando comparada com as células sem tratamento (P < 0,05, teste de Wilcoxon). A expressão do fator de transcrição NF-E2 não demonstrou softer influência pela administração de HU e progesterona durante todo o processo de diferenciação eritróide e ambos os fármacos não exerceram qualquer influência de caráter significativo sobre a expressão do fator de transcrição GATA-2 (p> 0,05, teste de Wilcoxon) / Abstract: Sickle cell anemia is a very common hereditary disease caused by a structural defect in the beta-globin chain, giving rise to HbS. This anomalous hemoglobin, under low oxygen tensions, forms intracellular polymers, causing deformation of the erythrocytes which, in tum, block the micro-circulation and cause infarction in various organs. Pharmacological induction using various chemical compounds, the best known being hydroxyurea (HU), 5-azacytidine, butyrate and steroid hormones, increase the synthesis of HbF in sickle cell patients. The regulation of the expression of HbF is related to the presence of active elements linked "cis" to the beta-globin as well as to the presence of regulatory proteins of the genomic transcription process (known as transcription factors), such as the GATA-I, GATA-2 and NF-E2 proteins, expressed principally in the erythroid lineage. This project aimed to study the effect of HU and the hormone progesterone on the modulation ofthe genetic expression ofthe transcription factors GATA-I, GATA-2 , NF-E2 and the gamma globin gene in erythroid lineage cells obtained iTomtwo-phase culture of peripheral blood donors at the Hemocenter, UNICAMP. The expression of the transcription factors was determined by semi-quantitative RT-PCR and quantified by densitometry. Our results demonstrate that in the cells treated with HU and progesterone there was a significant increase, when compared with the untreated cells (P<O.O5,Wilcoxon test), in the expression ofthe GATA-I transcription factor and ofthe gamma globin gene after 96h ofphase TI culture until termination at 2I6hs. The expression of the NF-E2 transcription factor was not affected by HU or progesterone administration during the entire process of erythroid differentiation and neither of the chemicals had any significant influence upon the expression of the GATA-2 transcription factor (P>O.O5,Wilcoxon test) / Mestrado / Ciencias Basicas / Mestre em Clinica Medica
7

Estudo da população de mastocitos e da concentração de histamina na supervolução e na atresia folicular em ratas wistar pre-puberes

Miguel, Katia Jacqueline 02 October 2003 (has links)
Orientadores: Regina Celia Spadari-Bratfisch, Alzira Amelia Martins Rosa e Silva / Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Biologia / Made available in DSpace on 2018-08-03T06:33:28Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Miguel_KatiaJacqueline_M.pdf: 6120317 bytes, checksum: 9552b661fb7d6de5ef63d7e15516adee (MD5) Previous issue date: 2003 / Resumo: Nos últimos anos, diversos estudos têm sidos conduzidos visando o conhecimento dos folículos ovarianos e da dinâmica folicular ovariana nas principais espécies de mamíferos domésticos bem como em humanos. Dos folículos que compõem o "pool" de folículos recrutados e selecionados somente um ou alguns poucos (quota ovulatória) ovulam e o restante, que é a grande maioria entra em estado de atresia folicular. Os mastócitos têm sido estudados principalmente por seu envolvimento em reações alérgicas e inflamatórias. Os mastócitos constituem a principal fonte de histamina nos tecidos. Sabe-se que os mastócitos são influenciados por hormônios esteróides principalmente estradiol e testosterona. A histamina aumenta a permeabilidade vascular e o fluxo sanguíneo ovariano, em resposta ao hormônio luteinizante (LH). Algumas ações dos estrógenos, como vasodilatação e permeabilidade vascular, parecem ser mediadas pela histamina liberada de mastócitos uterinos. Assim, o presente estudo foi conduzido para determinar os efeitos da superovulação e atresia na concentração de histamina no ovário e no útero de ratas pré-púberes. O procedimento experimental de indução de atresia folicular mostrou no ovário características morfológicas e humorais condizentes com o processo clássico de atresia folicular ovariana, ou seja, folículos ovarianos com vários sítios de ruptura nas células da granulosa (CG), aumento da concentração de progesterona e baixa razão entre estradiol e progesterona (E2:P4). Nestes animais, a concentração de histamina intra-ovariana e intra-uterina estava reduzida. O procedimento experimental de indução de superovulação mostrou, no ovário, características morfológicas e humorais condizentes com o processo clássico de superovulação ovariana, ou seja, folículos pré ovulatórios com alguns sítios de ruptura, folículos antes da ovulação e folículos depois da ovulação, aumento da concentração de estradiol e de progesterona e elevada razão E2:P4. Nestes animais, a concentração de histamina intra-uterina estava aumentada, já a concentração de histamina intra-ovariana não se alterou. Estes resultados se revestem de importância ao demonstrarem que existe uma inter-relação entre os sistemas imune e reprodutivo, e que há uma conexão entre hormônios esteróides (estradiol e progesterona), gonadotrofinas (FSH e LH), fatores de crescimento ovarianos e uterinos e mastócitos/histamina / Abstract: Lately several studies have been aiming the understanding of the ovarian follicles and follicular dynamies in the main mammals species as well as in human beings. From those follicles that compound the pool of recruited and selected follicles just only one or a few of them (ovulatory quote) ovulate and the remaining follicles that are majority undergo to atresia. Mast cells have been studied mainly for their involvement in allergic and inflammatory reactions. These secretory cells are the main source of histamine. Nowadays, it has been well established that sex steroids, particularly estradiol and testosterone, significantly affect mast cells in rodents. Histamine has been proposed increase vascular permeability and ovarian blood flow in response to luteininzing hormone. Some actions of estrogens like uterine vasodilatation and vascular permeability seem to be mediated through the release of histamine from uterine mast cells. So, the present study was conducted to determine the effects of superovulation and atresia on ovarian and uterine histamine concentration in pre-pubertal female rats. The experimental procedure of follicular atresia induction showed that the morphological and hormonal characteristics in the ovary are similar to that classic ovarian atresia process: ovarian follicles with many rupture site forms in the granulosa cells, layer increased progesterone concentration and decreased ratio E2:P4 and reduced intra-ovarian and intra-uterine histamine concentration. The experimental procedure of superovulation induction showed that morphological and hormonal characteristics in the ovary are the same from the classic superovulation process: the presence of many pre- and post-ovulatory follicles, increased estradiol and progesterone concentrations and increased ratio E2:P4. The intra-uterine histamine concentration was low and the intra-ovarian histamine concentration did not change. This results are important because based on them it is possible to show that there is a inter-relationship between endocrine and immunological systems and there is a connection between steroids hormones (estradiol and progesterone), gonadotrophins (FSH and LH), ovarian and uterine growth factors and mast cells/histamine / Mestrado / Fisiologia / Mestre em Biologia Funcional e Molecular
8

Efeito topico da progesterona sobre o endometrio : aspectos histologicos

Basbaum, Claudio 14 July 2018 (has links)
Orientador : Jose Aristodemo Pinotti / Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciencias Medicas / Made available in DSpace on 2018-07-14T09:49:26Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Basbaum_Claudio_D.pdf: 4237892 bytes, checksum: 040e14cc2633109d2afa416a65f0875d (MD5) Previous issue date: 1976 / Resumo: Procurou-se saber neste trabalho as características histológicas do endométrio obtido através de biopsia, por cureta de Novak, em 64 pacientes eumenorréicas e férteis, submetidas à ação tópica da progesterona. Usou-se para tanto, um dispositivo liberador de hormônio, conhecido com o nome de "progestasert", cuja finalidade original é em essência, contraceptiva. Por outro lado, 7 pacientes portadoras de hiperplasia adenomatosa foram incluídas no estudo. Verificamos que, a ação progestacional se fez marcante em todas as pacientes após 1 ano de exposição, quer o endométrio fosse estudado na primeira ou segunda fase do ciclo menstrual. As alterações luteais se fizeram em 87,5% e 100% para o das glândulares e 83,3% e 94,4% para a porção estromal, respectivamente na fase proliferativa e secretória, não havendo diferença estatisticamente significante. No que diz respeito às pacientes com hiperplasia adenomatosa, esta patologia sofreu uma ação benéfica da progesterona local, pois observou-se involução do processo em todos os casos estudados. / Doutorado / Doutor em Ciências Médicas
9

Extracción de luteína a partir de flores de tagete (Tagete erecta) y estabilización por microencapsulación

Arellano Corral, Cristián Andrés January 2011 (has links)
No description available.
10

Regulación de la función vascular por progesterona : mecanismos celulares y moleculares

Cutini, Pablo Hernán 28 December 2010 (has links)
El sistema vascular es regulado por numerosos factores y hormonas, incluyendo el esteroide ovárico progesterona (Pg). La menopausia es un proceso fisiológico que se caracteriza por el cese de la actividad ovárica con la subsecuente declinación de la producción de estrógenos y Pg. Si bien existe una vasta evidencia en la literatura que reporta los efectos de los estrógenos sobre el sistema vascular, el conocimiento actual sobre la regulación del metabolismo vascular por Pg es menor. En este trabajo de Tesis se investigó la acción de Pg sobre la regulación de eventos celulares y moleculares que participan activamente en la homeostasis vascular. Empleando tejido aórtico murino como sistema experimental, se demostró que concentraciones fisiológicas de Pg estimulan rápida y significativamente la acti-vidad de las quinasas PKC y MAPK, como así también la producción de óxido nítrico (NO). El incremento en la produc-ción del vasoactivo es dependiente de la participación de MAPK y del calcio intracelular. Este efecto no es mediado por PKC. Pg inhibe significativamente la proliferación de células endoteliales (CE). La preincubación de CE con el compuesto L-NAME (inhibidor de la óxido nítrico sintasa) y el compuesto chelerythrine (inhibidor de PKC) suprime el efecto antipro-liferativo de la hormona. Por otro lado, la hormona ejerce un efecto proliferativo sobre células de músculo liso vascular (CMLV) en forma dependiente de la participación de MAPK, PKC y ciclooxigenasa (COX). La acción mitogénica de Pg sobre CMLV se anula cuando el tratamiento hormonal se realiza en presencia de medio de cultivo proveniente de CE tratadas previamente con la hormona. Se obtuvo evidencia de que Pg estimula la migración de CE y CMLV. En CE, Pg inhibe la a-gregación plaquetaria a través de un mecanismo de acción que involucra la participación del NO derivado de endotelio. Se observó un incremento de la apoptosis de CE cuando las mismas se tratan con Pg, aunque el esteroide revierte el efecto apoptótico inducido por peróxido de hidrógeno (H2O2). Además, la hormona previene la adhesión de monocitos sobre CE inducida por el agente proinflamatorio LPS, sin embargo, no afecta la adhesión basal de los mismos. El incremento de los niveles de ARNm de las moléculas de adhesión P-selectina, E-selectina y VCAM-1 inducidas por LPS se reducen parcialmen-te cuando las CE son pretratadas con Pg. Tratamientos con-juntos de 17-β-estradiol (E2) con Pg potencian la producción de NO inducida por cada hormona. En cambio, el tratamiento en simultáneo con ambos esteroides invierte el efecto indi-vidual de cada hormona sobre proliferación de CMLV. En con-junto, los datos reportados en este trabajo de Tesis aportan conocimientos sobre el rol de Pg en la homeostasis vascular. Se obtuvo evidencia de que progesterona regula el metabo-lismo vascular a través de un mecanismo de acción que invo-lucra efectos genómicos y no genómicos, modulando la pro-ducción de óxido nítrico, la adhesión celular, la proliferación y la migración celular, la apoptosis, y la expresión de moléculas de adhesión celular. / The vascular system is regulated by several factors and hormones, including the ovarian steroid progesterone (Pg). Menopause is a physiological process characterized by the cessation of ovarian activity and subsequent decline of estrogen and progesterone production. Although there is much evidence in the literature about the effects of estrogen on vascular system, the current knowledge on the regulation of vascular metabolism by Pg is scarce. In this Thesis we investigated the effect of Pg on the regulation of cellular and molecular events that are actively involved in vascular homeostasis. Employing murine aortic tissue as experimental system we showed that physiological concentrations of Pg rapidly and significantly stimulated PKC and MAPK activities, as well as nitric oxide (NO) production. The hormonal stimu-lation of vasoactive synthesis was dependent on MAPK and intracellular calcium transduction systems, but did not involve PKC participation. On cellular growth, Pg exhibited an antipro-liferative effect in endothelial cells (EC) and mitogenic action on vascular smooth muscle cells (VSMC). Preincubation of EC with the compound L-NAME (nitric oxide synthase inhibitor) or with the compound chelerythrine (PKC inhibitor) suppressed the antiproliferative effect of the hormone. On the other hand, the mitogenic action on VSMC was dependent on MAPK, PKC and cyclooxygenase (COX) participation. In addition, the proliferative effect on VSMC by Pg was suppressed in the presence of culture medium obtained from EC pretreated with the hormone. We also found that Pg stimulated EC and VSMC mobilization and migration. When platelet activation was studied, Pg inhibited platelet aggregation through a mecha-nism of action that involves the steroid stimulation of endo-thelium NO production. The hormone modulated EC apoptosis. Although an increase in EC apoptosis was detected after Pg treatment, the steroid reversed the hydrogen peroxide induced apoptotic effect. In addition, the hormone prevented LPS-induced monocytes adhesion to EC. However, Pg did not affect basal level of monocytes adhesion. The addition of LPS to EC enhanced P-selectin, E-selectin and VCAM-1 mRNA expression. This effect was partially suppressed when the EC were pretreated with Pg prior to LPS exposure. Finally, we provided evidence that combined treatment with 17-β-estra-diol and Pg potentiated the stimulatory effect of each steroid on NO production. In contrast, simultaneous treatment with both steroids reversed the individual effect of each hormone on VSMC proliferation. Overall, the data reported in this thesis contribute to the knowledge of the role of Pg in vascular homeostasis. We obtained evidence that progesterone regu-lates the vascular metabolism through a mechanism of action that involves genomic and non genomic effects, modulating nitric oxide production, cell proliferation and migration, apop-tosis, and leukocyte adhesion.

Page generated in 0.086 seconds