• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 228
  • 3
  • Tagged with
  • 231
  • 231
  • 231
  • 99
  • 68
  • 41
  • 40
  • 38
  • 28
  • 27
  • 25
  • 16
  • 16
  • 15
  • 14
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Fundamentos para o manejo de populações naturais de Drimys brasiliensis Miers - Winteraceae

Mariot, Alexandre January 2008 (has links)
Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Agrárias. Programa de Pós-Graduação em Recursos Genéticos Vegetais / Made available in DSpace on 2012-10-24T00:20:54Z (GMT). No. of bitstreams: 1 263046.pdf: 5159222 bytes, checksum: cb415f68a42e21eb3558a03c271f9032 (MD5)
2

Ecologia da polinização da amoreira-preta (Rubus sp.) (Rosaceae) em Timbó, SC, Sul do Brasil

Mello Júnior, Leônidas João de January 2007 (has links)
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Agrárias. Programa de Pós-Graduação em Recursos Genéticos Vegetais / Made available in DSpace on 2012-10-23T01:29:53Z (GMT). No. of bitstreams: 1 241442.pdf: 398933 bytes, checksum: 6be192fee8ab73ef2bc1970bfc2ce3ff (MD5) / Estudou-se a ecologia da polinização da amoreira-preta (Rubus sp.), da família Rosaceae, por meio de testes de polinização, análise da produção de néctar e da amostragem de visitantes florais em área de cultivo comercial. Objetivou-se, especificamente, confirmar a síndrome de polinização de Rubus sp, através da análise de sua biologia floral e alocação de recursos florais para os insetos. Objetivou-se, também, avaliar a importância das abelhas como vetores de pólen e se esta associação influencia positivamente no sucesso reprodutivo de Rubus sp. Os experimentos foram realizados em uma área de cultivo de amoreira-preta, durante a florada no município de Timbó, SC (Latitude 26°46'38,5'' S e Longitude 49°15'42,0'' W). Para a avaliação do potencial polinizador de Rubus sp., foram introduzidos, próximo ao cultivo das amoreiras, oito ninhos de abelhas "sem-ferrão" (Apidae, Meliponineae), sendo dois de cada espécie: Melipona marginata, Melipona quadrifasciata, Plebeia droryana e Plebeia remota. Constatou-se que a maior taxa de frutificação (48,3 % ± 3,2) ocorreu via polinização livre (natural). Foi verificada a ocorrência de autopolinização, porém com uma taxa de frutificação inferior (12,2% ± 4,9). Não foi verificada, nas plantas (N=40), a formação de frutos agamospérmicos e partenocárpicos. A anemofilia também não foi constatada na espécie. A avaliação de néctar potencial e néctar instantaneamente disponível em Rubus sp., por meio da análise do volume e da concentração de sacarose resultou em valores compatíveis com a síndrome de melitofilia (polinização por abelhas). Os valores médios de produção diária por flor foram de 6,41 ± 0,15 µL, com concentração de sacarose que variou de 11,6 a 29,5 °Brix. A comparação entre o néctar potencial e o néctar instantaneamente disponível se mostrou diferente nos horários de maior visitação por abelhas, corroborando com a síndrome de polinização entomófila, especialmente por abelhas. Os visitantes florais coletados e observados sobre as flores de Rubus sp. foram predominantemente abelhas (Hymenoptera) (97%), que iniciam a atividade de forrageamento às 7h, com pico de atividade às 11h e declinando até as 17h. As 48 coletas resultaram numa amostragem de 1.360 abelhas, divididas em quatro famílias e 13 espécies. A família com maior riqueza de espécies (N = 7) foi Halictidae e a mais abundante foi Apidae, com 1.288 indivíduos. Em Apidae houve o predomino da espécie exótica Apis mellifera, cuja representação foi de 1.246 indivíduos. Apidae também foi representada por indivíduos das espécies Melipona marginata (N= 21), Plebeia droryana (N= 13) e Plebeia remota (8). Os dados da abundância e as observações naturalísticas apontaram A. mellifera como o principal polinizador de Rubus sp, na área amostrada, mas confirma que as demais espécies de abelhas também podem exercer um papel no processo de polinização de Rubus sp. Das espécies da subfamília Meliponineae introduzidas na área de estudo, recomenda-se Melipona marginata, que, além da sua maior representatividade na amostragem, apresenta comportamento forrageiro mais adequado à polinização de Rubus sp., e pode contribuir para a produção de frutos em pomares de amoreira-preta. In this study we verified the pollination ecology of the blackberry (Rubus sp.) (Rosaceae), by means of pollination tests, analysis of the nectar production and sampling of the floral visitors in a commercial orchard. The specific objective was to confirm the pollination syndrome of Rubus sp, through analysis of its floral biology and allocation of floral resources for the flower visiting insects. We intended, also, to evaluate the importance of bees as vectors of pollen and if this association influenced positively the reproductive success of Rubus sp. The experiments were carried out in a flowering orchard of blackberry, in Timbó, SC, (latitud 26°46' 38,5'' S and longitud 49°15'42,0'' W). For the evaluation of the potential pollinators of Rubus sp., we introduced, next to the blackberry orchard, ten nests of stingless bees (Apidae, Meliponinae), belonging to the species: Melipona marginata, Melipona quadrifasciata, Plebeia droryana and Plebeia remota. The highest fruit set (48.3% ± 3,2) occurred in the free pollination test (natural). Self-pollination was verified, however with a lower fruit set (12.2% ± 4.9) as compared to the natural pollination test. It was not observed in the plants (N=40), the formation of agamospermic or parthenocarpic fruits. Wind pollination was also not observed in the species. The nectar potential and the nectar standing crop evaluation in Rubus sp., by means of the analysis of its volume and its concentration of sucrose, presented values, compatible with the melittophily syndrome (pollination by bees). The average volumes of nectar daily produced by each flower was 6.41 ± 0.15 µL with a sucrose concentration that varied between 11.6 and 29.5°Brix. The comparison between the volumes of nectar potential and nectar standing crop, showed high differences in the hours of higher visitation rates by bees, corroborating the pollination by insects' syndrome, especially by bees. The floral visitors collected and observed on the flowers of Rubus sp. were predominantly bees (Hymenoptera) (97%), which initiate their foraging activity around 7 am, with a peak of activity around 11 am, and the activity declining until 17 pm. In the 48 hours of collection we sampled 1.360 bees, included in four families and 13 species. The family represented in the survey with the highest number of species (N = 7) was Halictidae and the most abundant family was Apidae, with 1.288 individuals. In Apidae there was observed a predominance of the exotic species Apis mellifera, represented in the survey by 1.246 individuals. Apidae was also represented by individuals of the species Melipona marginata (N= 21), Plebeia droryana (N= 13) and Plebeia remota (8). The data of the abundance and the behavior of the visiting insects pointed A. mellifera as the main pollinator of Rubus sp, in the studied area, but also suggest that many species of wild bees also might be important in pollinating Rubus sp. Of the species of Meliponinae, introduced in the study area, we suggest that Melipona marginata, due to its higher abundance in the orchard, and by presenting a more adequate foraging behavior while visiting Rubus sp. flowers, can contribute effectively to increase the production of fruits in blackberry orchards.
3

Resistência de videiras ao míldio

Muniz, Jaqueline Nogueira January 2017 (has links)
Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Agrárias, Programa de Pós-Graduação em Recursos Genéticos Vegetais, Florianópolis, 2017. / Made available in DSpace on 2017-10-03T04:17:17Z (GMT). No. of bitstreams: 1 348732.pdf: 1781969 bytes, checksum: 0f07f5bdc6d9c073d363acb1e97aa593 (MD5) Previous issue date: 2017 / A mesorregião serrana de Santa Catarina tem se destacado na produção de vinhos finos e espumantes. No entanto, a região apresenta elevada precipitação pluviométrica, o que favorece o aparecimento de doenças, como o míldio, que constituem um risco para a viticultura e podem reduzir substancialmente a produtividade. A região do Trentino Alto Adige na Itália é famosa pela produção de vinhos finos, entretanto a utilização de variedades europeias por todo o território torna-se um foco de ataque por míldio também. Nas últimas décadas diferentes genótipos e variedades de videiras resistentes ao míldio foram desenvolvidos, entretanto existe a preocupação de que o patógeno possa ter evoluído com o passar dos anos e com a criação de novas variedades. Neste sentido, o objetivo principal do presente estudo foi avaliar no Brasil os efeitos dos loci de resistência Rpv1 e Rpv3 (individual e piramidados) sobre o progresso da doença de Plasmopara viticola durante todo o ciclo vegetativo e reprodutivo dos genótipos do programa de melhoramento genético da UFSC Curitibano; e na Itália o principal objetivo foi avaliar as diferenças moleculares entre isolados de míldio coletados na região do Trentino Alto Adige e determinar se existem diferentes níveis de agressividade nos genótipos e variedades estudados. As plantas da população UFSC-2012-1 foram selecionadas e divididas em quatro grupos de resistência: 1) Nenhum loci de resistência; 2) Apenas Rpv1; 3) Apenas Rpv3 e 4) Rpv1 + Rpv3. A gravidade da doença foi monitorada durante as estações 2014/2015 e 2015/2016. Foram construídas curvas de progresso da doença do míldio e foram comparadas as epidemias de cada grupo de resistência utilizando quatro medidas epidemiológicas: início da aparência dos sintomas (BSA), tempo para atingir a gravidade máxima da doença (TRMDS), gravidade máxima da doença (Smax) e área sob a doença Curva de progresso (AUDPC). 41 marcadores SSR foram utilizados na análise genética de sete isolados de Plasmopora viticola. Doze variedades / genótipos hospedeiros foram utilizados para as inoculações cruzadas com quatro isolados de P. viticola. Os hospedeiros foram divididos em dois grupos: susceptível (SUS) e resistente ou parcialmente resistente (R ou PAR) a P. viticola, contendo diferentes QTLs conferindo resistência a P. viticola (Rpv). A escala OIV-452-1 foi utilizada em discos foliares para avaliar a resistência dos genótipos ao patógeno. Nos genótipos do programa de melhoramento da UFSC Curitibanos, os grupos contendo apenas um dos loci de resistência revelaram apenas resistência parcial a P. viticola; contudo, quando os loci foram piramidados, o controle do progresso da doença foi completo. Na Itália, a comparação molecular e fenológica de isolados de míldio coletados em diferentes vinhedos da região mostrou que existem diferenças genéticas entre eles e sua agressividade em diferentes genótipos de Vitis também foram demonstrados.<br> / Abstract : The mountainous region of Santa Catarina has been excelling at the production of fine and sparkling wines. However, the region presents high rainfall, which favors the emergence of diseases that are a risk to viticulture and can substantially reduce productivity. The region of Trentino, Alto Adige in Italy, is famous for the production of fine wines. Conversely, the use of grape varieties throughout the territory has become a focus of attack by mildew. In the last decades, different mildew resistant genotypes and varieties of vines have been developed; notwithstanding, there is concern that the pathogen may have evolved over the years with the creation of new varieties. In this sense, the main objective of the present study was to evaluate, in Brazil, the effects of resistance loci Rpv1 and Rpv3 ? individual and pyramidal ? on the progress of Plasmopara viticola disease throughout the vegetative and reproductive cycles of the genotypes in the breeding program UFSC Curitibanos. In Italy, the main objective was to evaluate the molecular differences between isolates collected in the Trentino Alto Adige region, and to determine if there are different levels of aggression in the genotypes and varieties studied. The plants of the UFSC-2012-1 population were selected and divided into four resistance groups: 1) No resistance loci; 2) Rpv1 only; 3) Only Rpv3 and 4) Rpv1 + Rpv3. The severity of the disease was monitored during the 2014/2015 and 2015/2016 seasons. Progress curves for mildew disease were constructed and the epidemics of each resistance group were compared using four epidemiological measures: symptom onset (BSA), time to maximum disease severity (TRMDS), maximum disease severity ( Smax) and area under the Disease Progress Curve (AUDPC). The use of 41 SSR markers was implemented in the genetic analysis of seven isolates of Plasmopora viticola. In total, 12 host varieties / genotypes were used for cross inoculation with four isolates of P. viticola. The hosts were divided into two groups: susceptible (SUS) and resistant or partially resistant (R or PAR) to P. viticola, containing different QTLs, which confer resistance to P. viticola (Rpv). The OIV-452-1 scale was used in leaf discs to evaluate the resistance of the genotypes to the pathogen. In the breeding program genotypes of UFSC Curitibanos, groups containing only one of the resistance loci revealed only partial resistance to P. viticola; however, when the loci were pyramided, full control of the disease progress was attained. In Italy, the molecular and phenological comparison of mildew isolates collected from different vineyards in the region, revealed the existence genetic differences between them ? and their aggressiveness in different genotypes of Vitis were also demonstrated.
4

Desenvolvimento e caracterização de marcadores microssatélites (SSRs) para Cedrela Lilloi C. de Candolle

Tarnowski, Christian Gabriel 25 October 2012 (has links)
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Agrárias, Programa de Pós-Graduação em Recursos Genéticos Vegetais, Florianópolis, 2010 / Made available in DSpace on 2012-10-25T06:44:29Z (GMT). No. of bitstreams: 1 287627.pdf: 1226059 bytes, checksum: 2337976f95da6827275c91baaf2701fc (MD5) / Cedrela lilloi (Meliaceae) é uma das quatro espécies de cedro nativas da Argentina e encontra-se estritamente distribuída na Selva de Yungas na região noroeste do país. Como tantas outras espécies florestais de importância econômica, as populações de C. lilloi encontram-se vulneráveis a exploração e fragmentação. No país são escassos os estudos referentes à diversidade e estrutura genética destas populações. Assim, os objetivos principais deste estudo foram a) desenvolver marcadores microssatélites específicos para a espécie e, b) estimar a variabilidade genética de três populações naturais. O DNA genômico de C. lilloi foi digerido com enzima, purificado, enriquecido através de sondas de oligos CT(8), GT(8) e TTC(8), clonado em bactérias e finalmente isolado e sequenciado. Dos 258 clones sequenciados, a porcentagem total de sequências microssatélites observadas foi muito baixa (14%). Foram desenhados iniciadores para essas 37 regiões microssatélites encontradas e somente quatro locos amplificaram produtos polimórficos. Devido a que os poucos locos desenvolvidos não foram suficientes para analisar as populações, foi considerado a alternativa da transferibilidade. Foram transferidos cinco iniciadores provenientes de outras espécies da família Meliaceae. No total, foram utilizados oito locos, três próprios de C. lilloi e cinco transferidos (média de 5,25 alelos), para analisar três populações com um total de 140 indivíduos. Nenhum loco apresentou desequilíbrio de ligação e não foi observada a presença de alelos nulos. A heterozigosidade observada (Ho) total foi de 0,406 e a esperada (He) de 0,416. O índice de fixação dentro das populações (FIS=0,035) não foi estatisticamente diferente de zero, indicando que a probabilidade de acasalamento entre indivíduos aparentados não é diferente do esperado no equilíbrio de Hardy-Weinberg. A endogamia a nível grupal (FIT=0,140) e a diferenciação genética entre as populações foram iguais e moderadas (FST=0,108), indicando que as populações estão estruturadas por causa da perda de alelos devido à deriva genética. As duas populações da região norte das Yungas (Baritú e San Andrés) foram geneticamente mais similares entre si e apresentaram maior diversidade gênica em comparação a população amostrada na região sul (El Siambón).
5

Potencialidades da produção de madeira serrada a partir de três espécies da floresta secundária litorânea catarinense em condições de plantio e em áreas de floresta regenerada naturalmente

Schuch, Cristiano 25 October 2012 (has links)
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Agrárias, Programa de Pós-Graduação em Recursos Genéticos Vegetais, Florianópolis, 2010 / Made available in DSpace on 2012-10-25T08:22:39Z (GMT). No. of bitstreams: 1 286373.pdf: 1083552 bytes, checksum: aca35879d8737d9641a8bfd6c8c002c8 (MD5) / O presente estudo teve por objetivo avaliar o potencial de produção de madeira das espécies Jacatirão-açu (Miconia cinnamomifolia (De Candolle), Licurana (Hieronyma alchorneoides Allemão) e Canelas-amarelas (Nectandra spp.), nativas da Mata Atlântica, em plantios mistos e em floresta secundária regenerada naturalmente. O estudo foi desenvolvido no município de Massaranduba/SC. A área plantada (26 ha) e a regenerada naturalmente (10 ha) são contíguas e ambas têm 31 anos de desenvolvimento. Foi realizado inventário florestal com amostragem aleatória de 12 e 5 parcelas de 1600m2, respectivamente, nos dois ecossistemas, medindo-se o DAP e a altura comercial de todas as árvores com DAP igual ou maior que 5cm, além de avaliada a qualidade do fuste. A análise dos resultados baseou-se na estrutura da floresta, distribuição diamétrica e volume comercial dos indivíduos, comparando-se as três espécies entre si e do seu conjunto com o restante das espécies nos dois ecossistemas. Observou-se grande mortalidade de indivíduos de jacatirão-açu e de licurana na área plantada, mas aumento da abundância das canelas-amarelas em relação ao número plantado, regenerados naturalmente. Devido à falta de controle da regeneração natural na área plantada, outras espécies já constituem mais da metade do número de indivíduos por hectare e da área basal da floresta (com base nos indivíduos com DAP = 5cm). Entretanto, entre as árvores com diâmetro mínimo para corte (DAP = 15cm) as espécies plantadas constituem maior parte tanto em número de indivíduos (66%) quanto em área basal (55%) e volume comercial (63%). A estrutura da floresta plantada se assemelha em muitos aspectos à da floresta regenerada naturalmente, mas os ecossistemas diferem principalmente em relação à distribuição diamétrica de jacatirão-açu e de licurana; ao contrário do observado na floresta plantada, essas espécies apresentam maior número de indivíduos com menor DAP. Na floresta regenerada naturalmente, o conjunto das três espécies representa mais de um terço do número de indivíduos e da área basal e dois terços do volume de madeira disponível para exploração. Ambas as formações florestais estudadas apresentaram bom potencial para produção de madeira para exploração imediata, 122,6 m3/ha no plantio e 80,7 m3/ha na área regenerada naturalmente. Entretanto, o grande número de indivíduos jovens existentes nos dois ecossistemas, plantados ou regenerados naturalmente, sugere a exploração da floresta em regime policíclico, com produção sustentável de madeira de espécies secundárias iniciais e tardias, podendo ser uma boa opção de uso da terra, em oposição ao corte raso. / This study objeted to evaluate timber production potential of the species Jacatirão-açu (Miconia cinnamomifolia (De Candolle), Licurana (Hieronyma alchorneoides Allemão) and Canelas-amarelas (Nectandra spp.), native from Atlantic Forest, at mixed plantations and secondary naturally regenerated forest. The study was taked at Massaranduba city # SC. The cultivated area (26ha) and the secondary naturally regenerated forest (10ha) are contiguous and both have 31 years old. Forest inventories were taken randomly sampled at 12 to five parcels of 1600m2, respectively in both sites, where it were measured DBH (Diameter at Breast Height) and commercial heigh of all the trees over five centimeters of DBH, also evaluating the tree´s shaft. The analyses were based on the forest structure, diameter arrangement and tree´s commercial volume, comparing the species among them and between their group with others species from the both sites. It was observed a great mortality of Miconia cinnamomifolia and Hieronyma alchorneoides at the cultivated area, but also an abundance increase of Nectandra´s species in comparison with those planted. Due to a lack of forest regeneration´s control at the cultivated area others species represents the majority of the number of tree/ha and the forest basal area (based on trees with DBH = 5cm). However, between trees with minimum harvest diameter (DBH = 15cm) the cultivated species represents the majority to the tree numbers and to the basal area and commercial volume. The cultivated forest structures is like many naturally regenerated forest aspects, but the ecosystems differs mainly in relation to the diameter arrangement of Miconia cinnamomifolia and Hieronyma alchorneoides; unlike observed in the cultivated forest, these species presents lower number of trees with lower DBH either. At the naturally regenerated forest the three species represents over one-third of the trees number and the basal area, and two thirds of the timber volume available for harvesting. Both studied forest formations presented a great potential for direct timber harvesting. However, the great number of young trees alive at both sites suggests a forest harvesting in a polycyclic management tending to a sustainable timber harvesting of young and late secondary species, which would be a great option of land use, unlike its clearcutting.
6

Caracterização de variedades locais de milho procedentes de Anchieta-SC quanto à resistência a Exserohilum turcicum

Sasse, Sandra January 2008 (has links)
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Agrárias. Programa de Pós-Graduação em Recursos Genéticos e Vegetais. / Made available in DSpace on 2012-10-23T20:56:57Z (GMT). No. of bitstreams: 1 262737.pdf: 1706935 bytes, checksum: 54f9fff0c585dcd97d8a4fb9f1e67209 (MD5) / A queima de turcicum do milho (Zea mays L.), causada por Exserohilum turcicum, é uma das principais doenças desta cultura. Em vista dos danos causados, buscam-se estratégias que minimizem as perdas nos campos de cultivo. Uma das formas mais eficientes de controle dessa doença é a utilização de variedades com resistência genética. Pelo fato das variedades locais apresentarem variabilidade genética, são consideradas fontes potenciais de genes capazes de isentar ou minimizar os impactos dessa doença nas lavouras de milho. A utilização de variedades locais com maiores níveis de resistência à queima de turcicum permite ao agricultor de pequenas propriedades maior autonomia sobre sua produção. O objetivo deste trabalho foi avaliar a reação de nove variedades locais de milho frente a diferentes isolados de Exserohilum turcicum quanto aos componentes que determinam a resistência quantitativa e qualitativa à queima de turcicum. Os experimentos foram realizados na Fazenda da Ressacada da Universidade Federal de Santa Catarina, em Florianópolis/SC. Foram testadas nove variedades locais procedentes do município de Anchieta/SC - Mato-Grosso (39), Palha-Roxa (18), Roxo (30), Roxo (29), Composto São Luiz (13), MPA1 (26), Língua de Papagaio (19), Mato Grosso # Palha Roxa (37) e Rajado 8 Carreiras (31) - frente a 3 isolados de Exserohilum turcicum coletados nos municípios de Anchieta, Florianópolis e Xaxim # SC. Foram realizadas avaliações para período de incubação, severidade e incidência, em um experimento conduzido no esquema de parcelas subdivididas, no delineamento de blocos ao acaso, com quatro repetições, tendo os isolados como parcelas e as variedades como subparcelas. O período de incubação correspondeu ao número de dias transcorridos entre a inoculação e o surgimento dos sintomas. A severidade foi medida em quatro etapas fenológicas distintas (15, 25, 35 e 45 dias após a inoculação), considerando a percentagem de área do tecido lesionado em folhas individuais e na planta inteira, a partir de uma amostra de 5 plantas de cada subparcela. Com base nos dados de severidade obtidos nas quatro avaliações, foi calculada a área abaixo da curva de progresso da doença (AACPD) para as avaliações feitas em folhas e em plantas inteiras. A incidência de doença foi quantificada aos 15 e 25 dias após a inoculação. Os resultados apresentaram diferenças significativas entre variedades, em todas as variáveis analisadas. O menor período de incubação foi verificado na variedade Rajado 8 Carreiras (31) (média de 10,6 dias), enquanto que a variedades Palha-Roxa (18) apresentou o maior período de incubação (média de 12,86 dias), sendo que as variedades Mato-Grosso (39), Roxo (30), Roxo (29), Composto São Luiz (13), MPA1 (26), Língua de Papagaio (19) e Mato Grosso # Palha Roxa (37) apresentaram valores intermediários a estes e não diferiram entre si estatisticamente. As avaliações de severidade para a folha individual e para a planta inteira foram bastante semelhantes. A menor AACPD calculada com base na severidade medida em folha e planta inteira foi observada na variedade MPA1 (26), enquanto que a variedade Roxo (29) apresentou a maior severidade. As variedades Mato-Grosso (39), Palha-Roxa (18), Roxo (30), Composto São Luiz (13), Língua de Papagaio (19), Mato Grosso # Palha Roxa (37) e Rajado 8 Carreiras (31) apresentaram valores intermediários de severidade, não diferindo entre si estatisticamente. Estes resultados são semelhantes aos observados para a incidência. Os menores valores de incidência, nas avaliações realizadas aos 15 e 25 dias após a inoculação, foram observados nas variedades Mato-Grosso (39) (23,61%) e MPA1 (26) (71,53%), respectivamente. A variedade Roxo (29) apresentou a maior incidência aos 15 e 25 dias, com 48,61% e 90,97% de plantas doentes, respectivamente. De maneira geral, a variedade MPA1 (26) apresentou maior resistência à queima de turcicum, enquanto que a variedade Roxo (29) apresentou maior suscetibilidade. O conhecimento da diversidade, complexidade e evolução da população de Exserohilum turcicum, através do monitoramento das raças predominantes nas regiões produtoras de Santa Catarina é indispensável para a recomendação de cultivares que possam reduzir os prejuízos causados por Exserohilum turcicum. The Northern leaf blight of the corn (Zea mays L.), caused by Exserohilum turcicum, is one of the main diseases of this crop. In view of the damage, is seeking strategies to minimize losses in fields of crops. One of the most efficient ways of controlling this disease is the use of varieties with genetic resistance. Because of the local varieties have genetic variability, are considered potential sources of genes able to exempt or minimize the impact of the disease in crops of maize. The use of local varieties with higher levels of resistance to Northern leaf blight allows burning of the properties of small farmers more autonomy over their production. The objective was to evaluate the reaction of nine local varieties of maize to different isolates front to exserohilum turcicum on the components that determine the qualitative and quantitative resistance to Northern leaf blight. The experiments were taken at the Fazenda da Ressacada at Universidade Federal de Santa Catarina in Florianópolis. Nine local varieties from Anchieta # Santa Catarina, were tested: Mato-Grosso (39), Palha-Roxa (18), Roxo (30), Roxo (29), Composto São Luiz (13), MPA1 (26), Língua de Papagaio (19), Mato Grosso # Palha Roxa (37) and Rajado 8 Carreiras (31) - confronting three isolates of Exserohilum turcicum from Anchieta, Florianópolis and Xaxim, in the state of Santa Catarina. There were performed assessments for the incubation period, severity and incidence in an experiment with four repetitions conducted in split plot in a randomized block design having the varieties as subplots and the different isolates as plots. The incubation period corresponded to the number of days passed between the inoculation and the appearance of symptoms. The Severity was measured in four distinct fenologic stages (15, 25, 35 e 45 days after inoculation), considering the percentage of the area of injured tissue in individual leaves and whole plant, from a sample of five plants of each subplot. The area under the disease progress curve (AUDPC) was calculated based on data obtained in four of severity ratings for the assessments made in leaves and whole plants. The incidence of the disease was quantified 15 and 25 days after the inoculation. The results showed significant differences between varieties in all variables. The shorter period of incubation was observed in variety Rajado 8 Carreiras (31) (average of 10,6 days), while the varieties Palha Roxa (18) showed the longest period of incubation (average of 12,86 days), and the varieties, Mato Grosso (39), Roxo (30), Roxo (29), Composto São Luiz (13), MPA1 (26), Língua de Papagaio (19) and Mato Grosso - Palha-Roxa (37) had intermediate values for these and did not differ tatistically. The ratings of severity for individual leaves and the whole plant were very similar. The lowest AUDPC based on the severity measured in leaf and whole plant was observed in variety MPA1 (26), while the variety Roxo (29) showed the highest severity. The varieties, Mato Grosso (39), Palha-Roxa (18), Roxo (30), Composto São Luiz (13), Língua de Papagaio (19), Mato Grosso # Palha Roxa (37) and Rajado 8 Carreiras (31) had intermediate values of severity, not differing statistically. These results are similar to those observed for incidence.The lowest values of incidence in the evaluations performed at 15 and 25 days after inoculation were found in the varieties Mato-Grosso (39) (23,61%) and MPA1 (26) (71,53%), respectively. The variety Roxo (29) had the highest incidence at 15 and 25 days, with 48,61% and 90,97% of diseased plants, respectively. In a generalized manner, the variety MPA1 (26) showed higher resistance to Northern leaf blight, while the variety Roxo (29) showed greater susceptibility. The knowledge of the diversity, complexity and evolution of the population of Exserohilum turcicum, by monitoring the predominant races in the producing regions of Santa Catarina is essential to the recommendation of cultivars that can reduce the damage caused by Exserohilum turcicum.
7

Aspectos da demografia, fenologia e uso tradicional do caraguatá (Bromelia antiacantha Bertol.) no planalto norte catarinense

Filippon, Samantha 24 October 2012 (has links)
Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Agrárias, Programa de Pós-Graduação em Recursos Genéticos Vegetais, Florianópolis, 2009. / Made available in DSpace on 2012-10-24T10:31:35Z (GMT). No. of bitstreams: 1 273252.pdf: 5915107 bytes, checksum: 963fe31249a8a38551c38591dcb712db (MD5) / A manutenção dos remanescentes de Floresta Atlântica é de grande importância, justificando-se por aspectos econômicos e sociais palpáveis, que envolvem desde a manutenção e regularização de mananciais hídricos, conservação de solos e conservação da biodiversidade existente para o uso e manejo dos recursos florestais múltiplos. O manejo de plantas medicinais nativas é uma alternativa capaz de promover um incremento de renda aos produtores, ao mesmo tempo em que pode representar uma opção para a viabilização da conservação do ambiente natural e para o resgate e difusão do conhecimento tradicional. Entre essas plantas, Bromelia antiacantha é uma espécie nativa da Mata Atlântica, e da qual os frutos são utilizados tradicionalmente no Planalto Norte Catarinense para a confecção de um xarope expectorante. Além disso, a espécie é amplamente utilizada como cerca - viva na região. Neste contexto o principal objetivo do trabalho foi fundamentar estratégias de manejo sustentável de populações naturais de Bromelia antiacantha contribuindo na ampliação do conhecimento de espécies tradicionalmente utilizadas. O estudo foi desenvolvido na Floresta Nacional de Três Barras, SC e na comunidade da Campininha, vizinha à FLONA. Foi avaliada a estrutura demográfica de uma população natural de B. antiacantha sob cobertura de floresta ombrófila mista bem como a dinâmica de regeneração natural dessa população. Para tal, foram realizados acompanhamentos mensais (de Setembro/07 a Agosto/08) do desenvolvimento vegetativo de 88 indivíduos amostrados aleatoriamente (genets e ramets). Foram avaliados comprimento médio da folha, número de folhas emitidas e o recrutamento entre classes baseadas no comprimento da folha. Além disso, foram realizadas avaliações demográficas envolvendo todos os individuos existentes em cinco parcelas permanentes de 600 m2 cada. Foram avaliados o comprimento da folha, e recrutamento e estádio fenológico em cinco avaliações (2001, 2002, 2003, 2005 e 2008) ao longo de sete anos. Os resultados obtidos indicaram uma tendência dos indivíduos mais jovens, destacando os brotos (ramets) de possuirem as maiores taxas de incremento tanto em comprimento quanto em número de folhas sendo também como conseqüência deste incremento os indivíduos que recrutaram/ trocaram de classe de tamanho mais rapidamente.O baixo número de plântulas observados e o fato dos indivíduos genets demorarem mais tempo para serem recrutados evidenciam que a população pode estar sendo mantida principalmente pela reprodução clonal. Indivíduos reprodutivos (39) foram acompanhados quinzenalmente, e destes foram caracterizadas as infrutescências quanto ao número de frutos, comprimento e diâmetro dos frutos, comprimento da infrutescência, comprimento médio da folha e número total de folhas, número de brotos emitidos, tamanho médio, incremento em tamanho e número de folhas do broto. Os resultados obtidos evidenciaram que o tamanho médio dos frutos foi de 3,7cm de comprimento e 1,9cm de diâmetro, sendo que o peso médio das infrutescências foi 3,6 Kg Estimou-se ainda a produção de frutos de até 146kg ha-1 sendo que a renda bruta com a confecção de xarope pode chegar a R$1168,00 ha-1. Caracterizou-se ainda as formas de uso e manejo de B. antiacantha na comunidade da Campininha através de entrevistas semi estruturadas onde os principais usos da espécie são a cerca-viva, a confecção do xarope e a utilização do "palmito" na alimentação.Verificou-se que a espécie faz parte do cotidiano da comunidade estando presente em ambientes diversificados: como matas mais fechadas, caívas e em locais com início de colonização pela espécie. Verificou-se também que pode estar em curso um possível processo de domesticação do caraguatá.
8

Caracterização morfológica e citogenética de acessos de Paspalum coletados no Sul do Brasil

Soster, Maria Tereza Bolzon January 2009 (has links)
Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Agrárias. Programa de Pós-Graduação em Recursos Genéticos Vegetais. / Made available in DSpace on 2012-10-24T13:56:25Z (GMT). No. of bitstreams: 1 265369.pdf: 1439894 bytes, checksum: ae817d58e8578515df8266190b001945 (MD5) / Em coletas realizadas no sul do Brasil, acessos de Paspalum foram caracterizados e comparados entre si, a partir da análise de grupos distintos, que sugerem a ocorrência de diferentes hibridações na origem dos materiais com distintos níveis de ploidia. Para pentaplóides supostamente oriundos de hibridações naturais interespecíficas, foram levantadas características que aproximam os acessos V14285, V14289 e V14860 de Paspalum dilatatum biótipo #Torres# (V14401) ou de P. urvillei (V14392), com valores intermediários para o número de afilhos e a altura do primeiro entrenó visível. Verificou-se também, a presença de grãos de pólen não corados ou dimórficos em todos os pentaplóides deste primeiro grupo. Já nos pentaplóides supostamente oriundos de hibridações intraespecíficas, foram encontrados valores intermediários para as características morfológicas. Quanto aos aspectos citogenéticos, verificou-se desbalanço na divisão celular nos pentaplóides, com dimorfismo e baixa viabilidade de pólen. Um acesso heptaplóide, reportado pela primeira vez do Brasil, apresentou vários arranjos celulares, formando díades, políades e tétrades normais, configurando irregularidades na meiose. No entanto, houve formação de sementes, com germinação superior a 50%. / In germplasm collections undertaken in Southern Brazil, accessions of Paspalum have been characterized and compared, according to distinct groups, that suggest the occurrence of distinct hybridizations in the origin of materials with distinct ploidy levels. Morphological features were surveyed for pentaploids supposed originated from interspecific natural crosses, which locate the accessions V14285, V14289 e V14860 closer to the Paspalum dilatatum #Torres# biotype (V14401) or to P. urvillei (V14392), with some features presenting intermediate values, such as the number of shoots, and the height of the first visible node. Unstained and dimorphic pollen grains were observed in all pentaploids of this group. As concerns pentaploid accessions supposedly originated from intraspecific natural hybridizations, intermediate values were found for morphological features. Concerning cytogenetic aspects, unbalanced cell division, dimorphic pollen, and low pollen viability estimates were observed in pentaploids. A heptaploid accession, for the first time reported from Brazil, has shown variable and abnormal meiotic behavior, forming diads, polyads, and normal tetrads. However, normal seed was developed, with germination above 50%.
9

Maturidade de semestres de Araucaria angustifolia (Bertoloni) Otto Kuntze

Shibata, Marília January 2013 (has links)
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Agrárias, Programa de Pós-Graduação em Recursos Genéticos Vegetais, Florianópolis, 2013. / Made available in DSpace on 2013-12-05T23:25:25Z (GMT). No. of bitstreams: 1 318968.pdf: 1463210 bytes, checksum: 208e5c000d53f73e57ad56fb71bb086d (MD5) Previous issue date: 2013 / Para estabelecer as condições adequadas para a conservação de Araucaria angustifolia, uma espécie criticamente em perigo de extinção, há a necessidade de estudos sobre o comportamento das sementes durante a maturidade, para evitar coletas imaturas e/ou inviáveis e obter sementes com máxima viabilidade e vigor. O objetivo do trabalho foi analisar as alterações fisiológicas associadas ao período de maturidade das sementes e relaciona-las às alterações bioquímicas e a conservação pós-colheita. Pinhas de A. angustifolia foram coletadas no município de Curitibanos ? SC, em março, abril, maio, junho e julho de 2011 e 2012, classificando em estádio cotiledonar e I, II, III e IV conforme o mês de coleta. Avaliou-se a viabilidade, o vigor, os principais compostos de reservas e a conservação da qualidade fisiológica na pós-colheita. No ano de 2011, verificou-se que o grau de umidade decresceu do estádio I (56,26 %) até o estádio II (48,23 %), mantendo-se estáveis nos demais estádios. Maiores porcentagens de germinação (98%), índice de velocidade de germinação (0,88), primeira contagem (70%), condutividade elétrica (81,35 µS/cm/g) e comprimento da parte aérea (21,8 cm) e raiz (28,2) foram observados no estádio IV. Resultados semelhantes foram obtidos na coleta de 2012, com decréscimos no grau de umidade até o estádio II (49,13%) e valores superiores na germinação (95%), índice de velocidade de germinação (0,66), primeira contagem (79%), condutividade elétrica (81,2 µS/cm/g) e comprimento da parte aérea (21,39 cm) e raiz (28,30) no estádio IV. Também se observou acréscimos no teor de carboidratos (2,1 %, no embrião, e 1,7 %, no megagametófito) e amido (10 %, embrião, e 16,7%, no megagametófito) do estádio cotiledonar para o estádio IV. E decréscimos no teor proteico (11,78 mg.g-1 e 5,51 mg.g-1, no embrião e no megagametófito, respectivamente) e baixos teores de lipídios (2,1%, no megagametófito). O contínuo acúmulo de amido parece estar relacionado ao aumento na qualidade fisiológica no estádio IV. Observaram-se baixos teores de carboidratos e lipídios em todos os estádios que podem estar relacionados ao comportamento recalcitrante da espécie. Em relação ao teor proteíco, observaram-se decréscimos de 28,1 mg.g-1 para 16,3 mg.g-1 no embrião do estádio cotiledonar até o estádio IV. No estádio cotiledonar e I, após o armazenamento por 60 e 120 dias, observou-se ± 89% de germinação. Por outro lado, nos estádios II e III observaram-se decréscimos em 28% e 20% na germinação, após o armazenamento por 120 dias. Concluiu-se que o máximo acúmulo de massa seca ocorre no estádio II, não coincidindo com a máxima qualidade fisiológica. As sementes apresentaram acúmulo de carboidratos e amido durante a maturidade, contribuindo para o aumento da viabilidade e do vigor. Os teores de proteínas e lipídios decresceram do estádio cotiledonar até o IV podendo ter desfavorecido a integridade das membranas celulares com o avanço da maturidade. A conservação da qualidade fisiológica na pós colheita foi mantida durante o armazenamento por 60 e 120 dias quando coletadas nos estádios cotiledonar e I. <br>
10

Caracterização morfológica de isolados de Colletotrichum sp., agente causal da antracnose em goiabeira-serrana (Acca sellowiana) (O. Berg.) Burret.

Lopes, Morgana Elis January 2013 (has links)
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Agrárias, Programa de Pós-Graduação em Recursos Genéticos Vegetais, Florianópolis, 2013. / Made available in DSpace on 2014-08-06T17:26:44Z (GMT). No. of bitstreams: 1 324875.pdf: 2633036 bytes, checksum: 83544f700e7edd0f3c1a44e516bd447f (MD5) Previous issue date: 2013 / A goiabeira-serrana (Acca sellowiana Berg) é uma frutífera pertencente à família das mirtáceas. Essa espécie está passando pelo processo de domesticação em seu centro de origem e diversidade. A antracnose é a principal doença da goiabeira-serrana no sul do Brasil e é causada pelo fungo Colletotrichum sp.. Este fungo pertence à classe dos Coelomycetes e se mostra como um dos principais fatores que limitam o cultivo de forma econômica dessa frutífera causando, em muitos casos, 100% de perda nos frutos de goiabeira-serrana. Sendo assim, o presente trabalho tem como objetivo diagnosticar a ocorrência de antracnose (Colletotrichum sp.) e caracterizar seu agente causal em goiabeira-serrana, procedente de distintas regiões de ocorrência natural e de cultivo no sul do Brasil. Nesse sentido, foram realizadas as etapas dos postulados de Koch, os testes de especificidade e patogenicidade, as análises culturais e caracterizados o índice de crescimento micelial, bem como o formato e as dimensões de conídios e apressórios de 45 isolados de Colletotrichum. Com o cumprimento de todas as fases dos postulados de Koch foi possível confirmar a real ocorrência de antracnose nos frutos de goiabeira-serrana e também, através obtenção da área abaixo da curva de progresso da doença (AACPD), verificar que os isolados de Colletotrichum apresentam diferentes níveis de patogenicidade, se comportam de maneira diferenciada de acordo com o a forma de inoculação e são capazes de infectar frutos de outras espécies (ex: macieira), mostrando que os mesmos não são patógenos específicos de goiabeira-serrana. O índice de crescimento micelial dos isolados variou de 5,1 mm/dia a 7,4 mm/dia. O comprimento (C) dos conídios variou de 13,7 µm a 18,8 µm, a largura (L) variou de 4,01 µm a 5,62 µm e a relação C/L dos mesmos variou de 2,5 a 4,1. A dimensão dos apressórios variou de 7,0 µm a 18,6 µm para comprimento, de 4,0 µm a 7,9 µm para largura e de 1,13 a 1,48 para relação C/L. Mesmo com a existência de uma grande zona de sobreposição dos valores para todas as características avaliadas, os dados encontrados se enquadram nos estimados para duas espécies do gênero Colletotrichum. Análises culturais como coloração, topografia, presença de setores, massa conidial, bem como formato e tamanho de conídios e apressório corroboraram com o enquadramento dos 45 isolados de Colletotrichum de goiabeira-serrana nos padrões estabelecidos para Colletotrichum gloeosporioides e Colletotrichum acutatum.<br> / Abstract : The feijoa (Acca sellowiana Berg) is a fruit belonging to the Myrtaceae family. This species is in the process of domestication in its center of origin and diversity. Anthracnose is a major disease of feijoa in southern Brazil and is caused by the fungus Colletotrichum sp.. This is a fungus that belongs to the family of Coelomycetes and it is one of the main factors that limit the economic exploitation of this fruit by causing, in many cases, loss of 100 % in the goiabeira-serrana fruit production. Thus, this study aims to diagnose the occurrence of anthracnose (Colletotrichum sp.) and characterize its causal agent in feijoa, coming from different naturally occurring regions and cultivation in southern Brazil. Accordingly, it was applied the steps of Koch's postulates, tested the isolates specificity and pathogenicity, analyzed the cultural features and characterized the mycelial growth rate, as well as the shape and size of conidia and appressoria of 45 Colletotrichum isolates. With the completion of all phases of Koch's postulates it was possible to confirm the actual occurrence of anthracnose in feijoa fruits. By obtaining the area under the disease progress curve (AUDPC), it was verified that the Colletotrichum isolates presented different levels of pathogenicity, behaved differently according to the inoculation method and the same Colletotrichum isolates are able to infect fruit of other species, indicating that they are not feijoa pathogen-specific. The rate of mycelial growth of the isolates ranged from 5.1 mm/day to 7.4 mm/day. The length (L) of the conidia ranged from 13.7 µm to 18.8 µm in width (W) ranging from 4.01 µm to 5.62 µm and the ratio L/W of the same ranged from 2.5 to 4.1. The size of appressoria varied from 7.0 µm to 18.6 µm for length, from 4.0 µm to 7.9 µm for width and 1.13 to 1.48 for the L/W. Even with the existence of a large overlap region for values of the all evaluated traits, the data obtained suggets that the isolates do fit in the two species of the genus Colletotrichum. Cultural analyzes as colony colour, topography, presence of sectors, conidial mass, as well as format and size of conidia and appressoria corroborate to frame the 45 Colletotrichum isolates from feijoa to the standards established for Colletotrichum gloeosporioides and Colletotrichum acutatum.

Page generated in 0.0758 seconds