• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 178
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • Tagged with
  • 178
  • 178
  • 88
  • 46
  • 34
  • 27
  • 24
  • 24
  • 24
  • 24
  • 20
  • 18
  • 16
  • 15
  • 14
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Avaliação in vitro da expressão de MCP-1 envolvida na disfunção Endotelial causada por produtos de glicação avançadas (AGES)

Rempel, Lisienny Campoli Tono 18 September 2013 (has links)
Resumo: A interação de toxinas urêmicas, tais como os produtos de glicação avançada (AGES), com o endotélio vascular desempenha um importante papel na fisiopatologia da disfunção endotelial relacionada à doença renal crônica (DRC). Estudos vêm demonstrando que a via PKC-? é uma das principais vias mediadoras deste processo, levando a expressão de diversas moléculas, dentre elas o monocyte chemoattractant protein-1 (MCP-1). O MCP-1 atua no recrutamento de monócitos do sangue periférico para a parede vascular, exercendo um papel essencial na formação da placa aterosclerótica e progressão da doença cardiovascular (DCV). O presente trabalho teve como objetivo avaliar in vitro o papel dos AGES na produção de MCP-1 via PKC-?. Para tanto, células endoteliais de veia de cordão umbilical (HUVECs) foram extraídas e cultivadas em meio MEM-199 suplementado. Células U-937 (monócitos) foram cultivadas em meio RPMI suplementado. Foi estabelecido também o modelo de co-cultivo HUVECs + monócitos onde os tratamentos foram realizados logo após a inserção dos monócitos sobre as HUVECs. Os AGES foram preparados por reação de glicação da albumina bovina (BSA) com glicose. As HUVECs, monócitos e co-cultivo HUVECs + monócitos foram tratadas com BSA, AGES e AGES + inibidor da via PKC-? e incubadas por 0, 3 e 6 horas. As HUVECs expostas aos AGES mostraram um aumento significativo (P<0,05) nos níveis de MCP-1 após 3 e 6 horas (72±9; 77±12pg/mL, respectivamente), em comparação ao tempo 0 de tratamento (38±7pg/mL). Entretanto, HUVECs expostas aos AGES acrescido de inibidor da via PKC-? demonstraram uma diminuição significativa (P<0,005) na expressão de MCP-1 após 3 e 6 horas (30±8; 20±7pg/mL, respectivamente), quando comparada ao tratamento apenas com AGES. O grupos de tratamento dos monócitos não evidenciaram diferenças significativas nas dosagens de MCP-1 após 3 e 6 horas. No modelo de co-cultivo HUVECs + monócitos, não foi observado diferença significativa nos níveis de MCP-1 dosados, sugerindo que uma cinética de tratamento maior seja necessária para evidenciar alterações na expressão dessa molécula. Os resultados alcançados propõem que a via PKC-? contribui de forma importante na expressão de MCP-1 principalmente pelas HUVECs, mas as dosagens em monócitos sugerem que essa via também seja responsável pela produção de MCP-1 nessas células. Já no co-cultivo HUVECs + monócitos, a produção de MCP-1 esteve próxima dos níveis basais, levantando novos questionamentos acerca do comportamento de expressão dessa molécula após a adesão de monócitos à camada endotelial. Entretanto, mais experimentos devem ser elaborados para melhor entendimento dos mecanismos relacionados à disfunção endotelial mediada por AGES.
2

Caracterização e estado nutricional de portadores de insuficiência renal crônica em tratamento hemodialítico no Distrito Federal

Costa, Luciane da Graça da 04 March 2015 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ceilândia, Programa de Pós-graduação em Ciências e Tecnologias em Saúde, 2015. / Submitted by Fernando de Jesus Pereira (fernandodejpereira@gmail.com) on 2015-05-22T14:10:54Z No. of bitstreams: 1 2015_LucianedaGracadaCosta.pdf: 1355483 bytes, checksum: e11b2bc4ce060b39267b257e6194565c (MD5) / Approved for entry into archive by Guimaraes Jacqueline(jacqueline.guimaraes@bce.unb.br) on 2015-05-22T14:34:30Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2015_LucianedaGracadaCosta.pdf: 1355483 bytes, checksum: e11b2bc4ce060b39267b257e6194565c (MD5) / Made available in DSpace on 2015-05-22T14:34:30Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2015_LucianedaGracadaCosta.pdf: 1355483 bytes, checksum: e11b2bc4ce060b39267b257e6194565c (MD5) / A presente dissertação de mestrado objetivou descrever o perfil nutricional de portadores de Doença Renal Crônica (DRC) submetidos à hemodiálise (HD). A DRC é caracterizada pela falência irreversível da função renal, associada a alterações no equilíbrio hidroeletrolítico e ácido-básico, distúrbios hormonais e nutricionais. A HD é o tratamento dialítico mais utilizado na atualidade. A avaliação nutricional dos pacientes com DRC em HD contribui na identificação de fatores de risco para desnutrição. MÉTODOS: Para descrever o perfil da população em HD e seu estado nutricional foram coletados dados demográficos, sociais, econômicos e epidemiológicos. A população pesquisada foi de ambos os sexos, adultos ≥ 18 anos, com mais de 3 meses de tratamento hemodialítico. Como instrumento de coleta de dados foi utilizado questionário e valores de albumina sérica e Kt/V, os quais foram obtidos no prontuário com data mais próxima da avaliação antropométrica. Após a sessão de hemodiálise foram obtidas as medidas de peso e altura; circunferências do braço (CB) e cintura (CC) e prega cutânea tricipital (PCT). Os seguintes parâmetros propostos pela International Society of Renal Nutrition and Metabolism foram utilizados para determinação de pacientes com desnutrição energética-proteica: albumina sérica < 3,8 g/dL, índice de massa corpórea (IMC) < 23 kg/m2 e circunferência muscular do braço com redução > 10% em relação ao percentil 50 do NHANES II. Foram classificados com estado nutricional adequado aqueles pacientes que apresentassem valores de normalidade para os três parâmetros concomitantemente. Para análise estatística foram aplicados os testes de Kolmogorov-Smirnov e Shapiro-Wilk para avaliar a distribuição normal. Na comparação dos resultados entre gêneros foi utilizado o teste T de Student ou Mann-Whitney para dados paramétricos e não paramétricos, respectivamente. Para as variáveis categóricas foi utilizado o teste Qui-quadrado ou teste exato de Fisher, quando apropriado. O teste de correlação de Pearson foi utilizado para avaliar a relação entre variáveis. O valor de p<0,05 foi considerado estatisticamente significativo. RESULTADOS: Foram avaliados 96 pacientes de cinco Centros de HD no Distrito Federal, sendo 57% do sexo masculino, 43% do sexo feminino e a média de idade foi de 54 ± 15 anos. Observou-se que 54% dos pacientes eram pardos, 21% brancos, 18% negros, 4% de indígenas e 3% não informaram esta questão. Quanto à naturalidade, 52% eram da região Nordeste, seguidos das regiões Centro-Oeste (30%) e Sudeste (14%), respectivamente. As causas da DRC foram atribuídas à Hipertensão Arterial Sistêmica 9 (44%), seguida de diabetes Mellitus (27%), glomerulonefrites (9%) ou outras patologias (19%), destacando-se Lúpus Eritematoso Sistêmico (LES) e bexiga neurogênica como outras causas. Quando agrupado Hipertensão e Diabetes observou-se que apenas 14% dos pacientes apresentavam estas comorbidades. O valor de albumina sérica dos pacientes avaliados foi de 3,8 ± 0,4 mg/dL, sendo superior nos homens em comparação às mulheres (3,9±0,4 vs 3,7±0,4 mg/dL respectivamente; P=0,006). Para avaliação da desnutrição energética-proteica foram utilizadas as metas da International Society of Renal Nutrition and Metabolism. Em relação ao IMC, dos 96 pacientes avaliados, 41 pacientes (43%; 18 mulheres) apresentaram IMC menor que 23 kg/m2. Quanto à CMB, 48 pacientes (50%; 12 mulheres; P<0,05 vs homens) apresentaram uma diminuição em seu valor superior a 10% em comparação ao percentil 50. Para a albumina sérica, 32 pacientes (33%; 18 mulheres) apresentaram um valor inferior a 3,8 mg/dL. Quando as três metas foram consideradas em conjunto, foram identificados 14 pacientes (15%; 57 ± 14 anos; 7 mulheres) com características de desnutrição energética-proteica. Encontrou-se uma relação positiva entre albumina e CB, CMB, AMB e AMB sem osso. CONCLUSÃO: A correlação positiva e significativa entre albumina e CB, CMB, AMB e AMB sem osso reforçam a importância da análise do perfil nutricional de pacientes nefropatas para a prevenção da desnutrição. Hipertensão e Diabetes estão presentes em 1/4 da população estudada. / The major purpose of the present master thesis was to describe the nutritional profile of patients with Chronic Kidney Disease (CKD) undergoing hemodialysis (HD). CKD is characterized by failure of renal function, associated with changes in electrolyte balance and acid-base, hormonal and nutritional disorders. Hemodialysis (HD) is the most widely used dialysis today. Nutritional assessment of CRF patients on hemodialysis helps to identify risk factors for malnutrition. METHODS: Demographic, social, economic and epidemiological data were acquired to describe the profile of the population in HD and analyze their nutritional status. The research population was composed by adults ≥ 18 years, with more than 3 months of hemodialysis. Questionnaires were used as socioeconomic data collection instrument. Serum albumin values and Kt/V were obtained from patient charts with the earliest date of anthropometric measurements. After hemodialysis session, anthropometric measurements were obtained: weight and height; arm (AC) and waist circumferences (WC) and triceps skinfold (TSF). The following parameters proposed by the International Society of Renal Nutrition and Metabolism were used for determination of patients with protein-energy malnutrition: serum albumin <3.8 g / dL and / or BMI <23 kg / m2 and / or arm muscle circumference (AMC) with reduction of> 10% relative to the 50th percentile of the NHANES II. Patients who had normal values for the three parameters simultaneously were classified as adequate nutritional status. For statistical analysis, the Kolmogorov-Smirnov and Shapiro-Wilk were applied to assess whether the data had normal distribution. We used the t-test of Student or Mann-Whitney test for parametric and non-parametric data, respectively, and to compare gender related data. For categorical variables we used the chi-square test and Fisher's exact test. The Pearson correlation test was used to assess the relationship between variables. A p value <0.05 was considered statistically significant. RESULTS: From a total of 96 patients in five different HD centers in the Federal District, there were 57% male, 43% female and the mean age was 54 ± 15 years. It was observed that 54% of patients were brown, 21% white, and 18% black. 52% were born in the Northeast region, in the Midwest (30%) and Southeast (14%) regions respectively. The causes of chronic renal failure were attributed to systemic hypertension (44%), followed by diabetes mellitus (27%), glomerulonephritis (9%) or other disorders (19%), highlighting lupus erythematosus (SLE) and bladder neurogenic as other causes. Only 14% of those patients had comorbidities (hypertension 11 and diabetes together). The value of serum albumin of the patients was 3.8 ± 0.4 mg / dL, being higher in men when compared to women (3,9 ± 0,4 vs 3,7± 0,4 mg / dL respectively; P= 0.006). For the evaluation of protein-calorie malnutrition the International Society of Renal Nutrition and Metabolism parameters were used. Regarding BMI of 96 evaluable patients, 41 patients (43%; 18 women) had a BMI less than 23 kg / m2. 48 patients (50%; 12 women; P <0.05 vs men) had a reduction in their AMC, more than 10% compared to the 50th percentile. 32 patients (33%; 18 women) had albumin value lower than 3.8 mg / dL. When all three parameters were considered together, 14 patients were identified with (15%; 57 ± 14; 7 females) protein-energy malnutrition characteristics. We found a positive relationship between albumin and AC, AMC, MAA and MAA boneless. CONCLUSION: The thesis concluded upon a positive and significant correlation between albumin and AC, AMC, MAA and MAA boneless that reinforces the importance of the nutritional profile of nephropathic patients for preventing malnutrition. Hypertension and diabetes are present in 1/4 of the population studied.
3

Manifestações bucais de pacientes com doenças renais hereditárias e nefrocalcinose e análise de variação de seqüência de pacientes com amelogênese imperpeita e FHHNC

Yamaguti, Paulo Marcio 13 January 2012 (has links)
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, 2012. / Submitted by Albânia Cézar de Melo (albania@bce.unb.br) on 2012-05-09T13:47:20Z No. of bitstreams: 1 2012_PauloMarcioYamaguti.pdf: 2588662 bytes, checksum: fe98add2d59fc855b5ac7354150d230a (MD5) / Approved for entry into archive by Marília Freitas(marilia@bce.unb.br) on 2012-05-10T11:42:36Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2012_PauloMarcioYamaguti.pdf: 2588662 bytes, checksum: fe98add2d59fc855b5ac7354150d230a (MD5) / Made available in DSpace on 2012-05-10T11:42:36Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2012_PauloMarcioYamaguti.pdf: 2588662 bytes, checksum: fe98add2d59fc855b5ac7354150d230a (MD5) / O objetivo desse trabalho foi relatar as manifestações bucais de pacientes com doenças renais hereditárias e nefrocalcinose atendidos no serviço de nefrologia de três Hospitais da área metropolitana de Brasília, e realizar análise de mutação abordando genes candidatos em três pacientes que apresentaram fenótipo de amelogênese imperfeita (AI). Um total de seis pacientes com hipomagnesemia e hipercalciúria familiar com nefrocalcinose (FHHNC), um paciente com acidose tubular renal distal (ATRd), dois pacientes com ATRd e surdez, e uma paciente com osteopetrose foram estudados. Todos os pacientes apresentaram defeitos de desenvolvimento do esmalte variando de leves opacidades difusas a hipoplasias severas. Com exceção da paciente com osteopetrose que apresentou maloclusão e alteração da cronologia de erupção dentária com retenção de dentes decíduos e permanentes, não foram observadas outras manifestações bucais nos pacientes. Em dois dos três pacientes com FHHNC e AI que foram submetidos à análise de variação de sequência, foram observadas três substituições em heterozigose composta nos genes CLDN16 e CLDN19. O paciente com fenótipo de AI hipomaturada e hipoplásica apresentou as substituições F85L na CLDN16 e G20D e L90R na CLDN19. O paciente com AI hipoplásica apresentou as substituições F85L na CLDN16 e G20D e R200Q na CLDN19. Aparentemente, a outra paciente apresentou uma deleção no gene CLDN16 que precisa ser confirmada por outros métodos. Os resultados sugerem que pacientes com doenças renais hereditárias e nefrocalcinose podem apresentar defeitos de desenvolvimento do esmalte com fenótipo de AI e que pacientes com AI sem etiologia definida podem ser portadores de doenças renais hereditárias. Outros estudos são necessários para comprovar o efeito funcional da associação das substituições de aminoácido encontrada nos pacientes com AI e FHHNC desse estudo. ______________________________________________________________________________ ABSTRACT / The aim of this study was to describe the oral manifestations of inherited renal diseases patients with nephrocalcinosis followed by three Nephrology Services from three Hospitals located in the metropolitan area of Brasilia. Besides, three patients who exhibited enamel defects resembling amelogenesis imperfecta (AI) were submitted to sequence analysis using candidate genes approach. A total of six patients with hypomagnesemia and hypercalciuria with nephrocalcinosis (FHHNC), one patient with distal renal tubular acidosis (dRTA), two patients with dRTA and hearing loss, and one patient with osteopetrosis were included in this study. All patients exhibited developmental defects of enamel ranging from slight diffuse opacities to severe hypoplasia. Except for the osteopetrosis patient who also exhibited malloclusion, altered tooth eruption chronology and deciduous and permanent teeth retention, patients did not present any other oral manifestation. Two of the patients with FHHNC and enamel defects resembling AI who were submitted to sequence analysis, presented three compound heterozygous substitutions in the CLDN16 and CLDN19 genes. The patient with hypomature and hypoplasic AI phenotype presented a F85L substitution in the CLDN16 and a G20D and a L90R substitution in the CLDN19. The patient with hypoplasic AI presented a F85L substitution in the CLDN16 and a G20D and a R200Q substitution in the CLDN19. One patient exhibited an apparent deletion in the CLDN16 gene which has to be confirmed using other methods. The results suggest that inherited renal diseases patients with nephrocalcinosis may present developmental defects of enamel resembling AI, and that non-diagnosed AI patients` may present inherited renal disturbances. Other studies are necessary to determine the functional effects of the amino acids substitutions detected in this study in the FHHNC patients with AI.
4

Coagulo fibrotico : nova causa de retenção de fragmentos pos leoc para calculo em calice inferior renal?

Gugliotta, Antonio 05 December 1999 (has links)
Orientador: Ubirajara Ferreira / Dissertação (mestrado) - Univesidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas / Made available in DSpace on 2018-07-24T23:16:09Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Gugliotta_Antonio_M.pdf: 2001234 bytes, checksum: a45a872e7329fe75def2d959d8c60772 (MD5) Previous issue date: 1999 / Resumo: Estudou-se, prospectivamente, uma população de 20 pacientes com cálculo renal, específicamente localizado no cálice inferior, tratado por meio da litotripsía extracorpórea por ondas de choque (LEGC) e que tiveram os fragmentos retidos no pólo inferior renal. Nesse estudo procurou-se a confirmação da existência de uma nova causa de retenção desses fragmentos, isto é, a formação de um coágulo fibrótico no cálice inferior impedindo a eliminação. Os pacientes com idade entre 25 e 60 anos, sendo 13 homens e 7 mulheres, sem infecção urinária, foram distribuídos de acordo com a morfologia calicial e o tamanho do cálculo. Tivemos cinco casos (25%) com cálculo < de 2 em, sendo dois com morfologia favorável (10%) e três com morfologia desfavorável (15%); 15 casos (75%) com cálculo> 2 em, sendo cinco com morfologia favorável (25%) e dez com morfologia calicial desfavorável (50%). A metodologia utilizada compreende a história clínica, a avaliação radiológica confirmando a presença de cálculo radiopaco em cálice inferior renal e o estudo da morfologia ou da anatomia calicial desse pólo inferior do rim. O resultado dessa análise apresentou 12 casos (69%) com morfologia desfavorável e 8 casos (40%) de morfologia calicial renal favorável. Todos os pacientes foram submetidos a litotripsia extracorpórea por ondas de choque, com o mesmo litotridor Phillips-Dornier MFL5000, com duas ou tres sessões, n° de ondas de chóque até 3.000 por sessão e com potência das ondas entre 19 e 27 KV (mediana = 23). Seguimento semanal dos doentes com Rx simples de abdome e exame clínico, durante um prazo estabelecido de três meses. Havendo retenção de fragmentos após esse período, os pacientes foram subm~tidos à punção percutânea do rim para retirada desses fragmentos de cálculo e também de um tecido móle, aglomerando os fragmentos e enviado à exame histopatológico. Em 12 casos (60%) o material analisado pela histologia revelou tecido fibrótico, coágulo sanguíneo e tecido de granulação. Esse material chamado de coágulo fibrótico foi encontrado em nove dos 15 pacientes com cálculo> de 2 em, sendo sete (35%) com morfologia calicial desfavorável e em dois (10%) pacientes com morfologia calicial favorável. Dos cinco com cálculo < 2 em apenas três apresentaram coágulo fibrótico, sendo dois (10%) com morfologia calicial desfavorável e um (5%) com morfologia calicial favorável. Podemos concluir que a presença de coágulo fibrótico no sistema calicial inferior provocado pela LEOC, no tratamento de cálculo no pólo inferior renal, tem uma importância clínica (12 pacientes ou 60%) na retenção de fragmentos, associada principalmente à morfologia calicial desfavorável e menos ao tamanho do cálculo / Abstract: A prospective study was conducted with a sample of 20 patients presenting renal calculi specifically located in the lower calyx, treated with extracorporeal shock waves lithotripsy (ESWL), who presented fragments left behind in the lower pole ofthe kidney. In this study, we tried to confirm if there is a new reason for the existence of these residual fregments, that is, the formation of a fibrous caogulum in the lower calyx, not allowing fragments to be eliminated. Patients aged 25-60 years (13 males and 7 females), not presenting kidney side preference or urinary tract infection, were distributed according to the calyceal morphology and calculi size,as follows: 5 cases (25%) with calculi smaller than 2 em, being 2 with a favorable calyceal morphology (10%) and 3 with an unfavorable calyceal morphology (15%); 15 cases (75%) with calculi larger than 2 em, 5 ofthem with a favorable morphology (25%) and 10 with unfavorable calyceal morphology (50%). The methodology used consists of clinical history and radiological assessment. The results of this analysis were: 12 cases(60%) with unfavorable calyceal morphology and 8 cases (40%) with favorable calyceal morphology. All patients were submitted to extracorporeal shock wave lithotripsy on the same Phillips-Domier ML 5000 lithotriptor for two or three sessions, with a number of shock waves up to 3000 per session and wave power between 19 and 27 kV (median =23). A weekly follow-up of the patients was conducted with standart abdominal X-ray and clinical exams during an established period of ~ months. If after this period, patients had residual fragments, they were submitted to a kidney percutaneous puncture to remove the calculi fragments, as well as a cluster of soft t~nder tis sue, which was then sent to histopathological examination. In 12 cases(60%), the material analyzed by histology revealed fibrous tissue, blood clot and granulation. This material, called fibrous coagulum, was found in 9 of the 15 patients with calculi larger than 2 em, being 7 (75%) with an unfavorable calyceal morphology and 2 (10%) with favorable calyceal morphlogy. From the 5 patients with calculi smaller than 2 em, only 3 presented fibrous coagulum, being 2 (10%) with an unfavorable calyceal morphology and 1 (5%) with a favorable morphology. We can conclude that the presence of fibrous coagulum in the lower calyceal system caused by ESWL in the treatment of lower pole calculi has a significant relevance (12 patients,or 60%) in the occurrence ofresidual fragments associated with unfavorable calyceal morphology / Mestrado / Mestre em Cirurgia
5

Estudo do manuseio tubular de ions durante a hipertrofia renal compensatoria

Garcia, Waldir Eduardo 07 August 1992 (has links)
Orientador : José Francisco Figueiredo / Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciencias Medicas / Made available in DSpace on 2018-07-15T20:22:09Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Garcia_WaldirEduardo_D.pdf: 2456716 bytes, checksum: bf0874926deafa4832347c09d7ae0c0f (MD5) Previous issue date: 1992 / Sem resumo. / Doutorado / Doutor em Ciências Médicas
6

Classificação de glomerulonefrites : proposta para uma nova abordagem baseada em estudo de 700 biopsias renais em microscopia comum, imunofluorescente e eletronica

Cardinalli, Izilda Aparecida 13 October 1997 (has links)
Orientador: Athanase Billis / Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciencias Medicas / Made available in DSpace on 2018-07-23T00:42:07Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Cardinalli_IzildaAparecida_D.pdf: 16576614 bytes, checksum: f9229b1b52efca1405360b8b8a54d0f8 (MD5) Previous issue date: 1997 / Resumo: Passados 80 anos desde a classificação de VOLHARD & FAlIR (1914), que pôs certa ordem no caos então existente, ainda hoje a classificação de glomerulonerntes (GN) desafia nefrologistas e anatomopatologistas. A última tentativa neste propósito, apresentada pela Organização Mundial de Saúde (OMS), ainda não solucionou satisfatoriamente o problema. Três fatores podem ser citados que dificultam uma classificação adequada: 1) uma determinada lesão anatômica glomerular pode corresponder a várias doenças; 2) uma única doença pode ter várias lesões anatômicas. No 1úpus eritematoso, em particular, há variações de lesões no decorrer da evolução da moléstia; 3) muitas doenças glomerulares recebem o nome da lesão anatômica. O presente trabalho tem por objetivo apresentar uma nova abordagem para a classificação de glomerulonerntes. A proposta é dissociar o diagnóstico anatômico (DA) do diagnóstico nosológico (DN), sendo ambos consignados no laudo anatomopatológico. O diagnóstico anatômico é elaborado através da microscopia óptica comum. A elaboração do dia~óstico nosológico é baseada nos dados clínicos, laboratoriais e de microscopia óptica comum, imunotluorescente e eletrônica. A lesão anatômica mais freqüente, verificada no presente estudo, foi a GN proliferativa mesangial (168/700, 24,0%), que correspondeu a um número grande e variado de moléstias, como: doença de Berger; síndrome de Alport; GN pós-infecciosa; doença de membranas finas; lúpus eritematoso sistêmico (LES); púrpura de Henoch¬Shõnlein. A segunda lesão anatômica mais freqüente correspondeu às lesões combinadas (16,8%), seguida da esclerose focal segmentar (11,4 %). Nos 700 casos estudados, o sexo masculino correspondeu a 54,go;ó dos casos e a cor branca, a 84,3%. A idade média dos pacientes foi de 28,23 :!: 16,4 anos. O complexo LM/GNPM!EF, que engloba a doença de lesão mínima idiopática (LM), a GN proliferativa mesangial idiopática, com proteinúria e deposição de IgM (GNPM), e a esclerose focal idiopática (EF), foi o diagnóstico nosológico mais freqüente. Este correspondeu a 21 % do total de 700 casos, seguido pelo LES (11 %), GN membranosa idiopática (8,0%), doença de Berger (7,3%), GN pós-infecciosa (6,1%) e GN membranoproliferativa idiopática tipo I (5,6%). o complexo LM/GNPM/EF é motivo de controvérsia na literatura. Alguns autores acreditam que, possivelmente, trata-se de uma única doença, tendo, de um lado, o pólo mais benigno, representado pela doença de lesão núnima idiopática, e, de outro, a esclerose focal idiopática, de evolução clínica mais agressiva. A GN proliferativa mesangial idiopática, com proteinúria e deposição de IgM, representaria uma fase intermediária entre estas duas entidades. Apoiando esta interpretação, em um total de 16 pacientes com biópsias seriadas, verificamos que 12,5% deles apresentavam lesão núnima na primeira biópsia e esclerose focal na segunda; 31,2%, GN proliferativa mesangial na primeira e esclerose focal na segunda; 6,3%, lesão mínima na primeira e GN proliferativa mesangial na segunda. Estes achados sugerem que, possivelmente, o complexo LM/GNPM/EF represente fases evolutivas de uma única doença. A imunofluorescência (IF) e a microscopia eletrônica (ME) contribuíram significativamente para a determinação do diagnóstico nosológico. À imunofluorescência, a forte positividade para o Clq foi um importante marcador para o LES. Este achado esteve presente em 98,2% das biópsias de pacien~es com lúpus eritematoso sistêmico. Observamos que não existe uma lesão única, em microscopia óptica comum, imunofluorescente e eletrônica, que, isoladamente, seja patognomônica de uma determinada doença, à exceção, talvez, dos corpos hematoxilínicos, encontrados exclusivamente no lúpus eritematoso sistêmico. Nós enfatizamos a necessidade da utilização da microscopia óptica comum, imunofluorescente e eletrônica, juntamente com os dados clínicos e laboratoriais, para determinação do diagnóstico nosológico. Nós acreditamos que esta nova abordagem para a classificação de glomerulonemtes é simples, fácil, didática e está de acordo com o fenômeno biológico, isto é, leva em conta, para uma mesma doença, as variabilidades de lesão glomerular de paciente para paciente e, num mesmo paciente, as diferentes fases evolutivas da moléstia / Abstract: Past eighty years since Volhard and Fahr put some order in the existent chaos, classification of glomerulonephritis is still a challenge for pathologists and nephrologists. Even the last proposal for classification by the World Health Organization (WHO) is not entirely satisfactory. Three factors contribute for making classification of glomerulonephritis diflicult: 1. A particular glomerular lesion may correspond to several diseases; 2. A single disease may present several glomerular lesions, for example, systemic lupus erythematosus may present different glomerular lesions in the evolution of the disease; 3. Some primary glomerular diseases are named according to the anatomical lesion they present. The present work has the aim to show a new approach to the classification of glomerulonephritis. The proposal is to dissociate the anatomic diagnosis (AD) from the nosologic diagnosis (ND). Both AD and ND should be included in the pathology reporto The anatomic diagnosis is based on light microscopy and the nosologic diagnosis after combining the light, imunofluorescent and electronic microscopy with the clinical and laboratory findings. The most fTequent anatomic "lesion was mesangial proliferative glomerulonephritis (1681700,24%) and corresponded to a large number of diseases, such'as Berger's disease, Alport's syndrome, postinfectious glomerulonephritis, thin membrane disease, lupus nephritis, Henoch-Schõnlein purpura and many others. The second most fTequent anatomic lesion corresponded to combined lesions (16.8%) followed by focal segmental glomerulosclerosis (11.4%). In the 700 cases studied, males corresponded to 54.9% of the cases and whites to 84.3%. At the time of the biopsy the mean age of the patients was 28.23 1: 16.4 years. The most fTequent nosologic diagnosis was the complex ML/MPGN/FS corresponding to idiopathic minimallesion disease (ML), idiopathic mesangial proliferative GN with deposition ofIgM (MPGN) and idiopathic focal sclerosis (EF). It corresponded to 21 % of the total of 700 cases followed by lupus nephritis (11 %), idiopathic membranous glomerulonephritis (8%), Berger's disease (7.3%), postinfectious GN (6.1%) and type 1 idiopathic membranoproliferative GN (5.6%). There is much controversy in the literature concerning the complex ML/MPGN/FS. For some authors, this complex is possibly a single disease which has at one side the most benign pole represented by idiopathic minimallesion disease and at the other extreme the idiopathic focal sclerosis which has a more aggressive course. The idiopathic mesangial proliferative GN with deposition of IgM may represent an intermediate phase between these two entities. bur study favors this interpretation. In a total of 16 patients with serial biopsies we found that 12.5% ofthe patients had minimallesion in the first biopsy and focal sclerosis in the second; 31.2% had mesangial proliferative GN in the first and focal sclerosis in the second; and, 6.3% had minimallesion in the first and mesangial proliferative GN in the second. These findings suggest that possibly the complex ML/MPGN/FS represent evolution phases of a single disease. Immunotluorescent and electron microscopy high1y contribute for the determination ofthe nosologic diagnosis. Intense staining for c1q is particuiarly useful ÍR the diagnosis for lupus nephritis. This finding was present in 98.2% of the biopsies of patients with systemic lupus erythematosus. We observed that there is not a single lesion in light, immunotluorescent and electron microscopy that is pathognomic for a. disease except for hematoxylinic bodies thàt were found exclusively in lupus nephritis. We emphasize the need for using light, immunotluorescent and electron microscopy combined with clínical and laboratory findings for establishing the nosologic diagnosis. We believe that this new approach to the classification of glomerulonephritis is simple, easy, didactic and in accord with the biologic phenomenon, that is, it considers the variability of glomeruiar lesions from patient to patient and, in a single patient, the several evolution phases of the disease / Doutorado / Anatomia Patologica / Doutor em Ciências Médicas
7

Embolização da arteria renal com gel de colageno : estudo anatomo-patologico em cães

Riccetto, Cássio Luís Zanettini 17 September 1997 (has links)
Orientadores: Paulo Cesar Rodrigues Palma, Benedicto de Campos Vidal / Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciencias Medicas / Made available in DSpace on 2018-07-23T00:43:30Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Riccetto_CassioLuisZanettini_M.pdf: 4140694 bytes, checksum: c337a873ecee5de2fe135b5757a63e92 (MD5) Previous issue date: 1997 / Resumo: Várias propriedades do colágeno justificam seu emprego como agente embolígeno. Trata-se de um material biologicamente compatível, pouco imunogênico e com propriedades hemostáticas. O preparado de colágeno ideal para embolização deve ter características que permitam a obstrução completa e duradoura do lúmen arterial, determinando a necrose isquêmica do tecido embolizado, com reação inflamatória local e resposta imunológica mínimas. O objetivo deste experimento foi estudar a eficácia e segurança no uso do gel de colágeno bovino purificado na embolização da artéria renal, em cães. Este preparado foi obtido a partir de colágeno do tipo I, extraído de tendões bovinos tratados por meio de técnica de alta purificação, com a finalidade de eliminarem-se as porções imunogênicas e reconstituído através de diálíse prolongada, em água destilada. Esta técnica permitiu obterse um gel com características reológicas (elasticidade e viscosidade), que visavam facilitar sua adesão ao endotélio e o preenchimento vascular completo, além de possibilitar a injeção através de cateteres de fino calibre. Dezesseis cães de raça indefinida (peso médio de 12,3 kg) foram submetidos à embolização aleatória da artéria renal, direita ou esquerda, com o gel de colágeno purificado. O rim contralateral foi submetido à infusão de solução de NaCI 0,9 %, segundo à mesma técnica cirúrgica, constituindo os controles. Os cães foram divididos em dois grupos e sacrificados após 2 dias (grupo 1) e 21 dias (grupo 2) do procedimento. As vísceras abdominais, pulmões e a musculatura das patas posteriores foram detalhadamente examinados no sacrificio, sendo colhidas amostras para o estudo anátomo-patológico. A variação do volume renal, após a embolização, foi calculada com um paquímetro estéril a partir da medida intra-operatória dos diâmetros longitudinal e ântero-posterior. A análise dos resultados foi realizada através do teste não-paramétrico de Friedman, sendo fixado em 5 % o nível de rejeição da hipótese de nulidade. No grupo -1, foram verificadas isquemia difusa do parênquima e aderências perirrenais frouxas após a embolização com gel de colágeno, sem alterações volumétricas significativas. O estudo, sob microscopia, mostrou êmbolos amorfos acidófilos e birreftingentes preenchendo o lúmen da artéria renal e prolongando-se até as arteríolas. Os glomérulos e túbulos contornados apresentavam sinais precoces de necrose difusa. Não foi identificada reação inflamatória significativa, denotando um infarto asséptico. No grupo 2, houve uma diminuição significativa (p=0,04) dos volumes dos rins embolizados com gel de colágeno, acompanhada de aumento compensatório dos volumes dos rins controle contralaterais (p=0,04). Microscopicamente, foi verificada reação proliferativa do endotélio em tomo dos êmbolos que encontravam-se intimamente aderidos à parede arterial e apresentavam sinais de proliferação fibroblástica em seu interior. O parênquima renal apresentava atrofia e hialinização glomerular difusa, acompanhadas de fibrose intersticial e fibrose tubular extensa com áreas de vacuolização. Um dos cães deste grupo apresentou refluxo, de parte do material injetado, para o rim contralateral durante a embolização, provavelmente em virtude das particularidades anatômicas do animal, que dificultaram tecnicamente o procedimento. Nos demais rinscontrole não foram encontradas alterações patológicas. Em ambos os grupos estudados, as vísceras abdominais, pulmões e a musculatura das patas posteriores de todos os animais não apresentaram sinais de migração do material. Os resultados permitiram inferir que, o gel de colágeno purificado foi eficaz na embolização da artéria renal, de acordo com os parâmetros anátomo-patológicos analisados no modelo experimental proposto. A ausência de migração de partículas de colágeno. para outras vísceras e. patas posteriores sugere que este material é seguro para o emprego na embolização de órgãos. Estes resultados podem ser explicados pelas características do preparado utilizado, tomando o gel de colágeno atraente para uso na embolização renal terapêutica / Abstract: Several properties of collagen such as its high biocompatibility, low immunogenicity and intrinsic hemostatic properties as pro-aggregant substance, justify its use as an emboligenic agent. The ideal collagen-based embolic agent should produce complete and permanent arterial obstruction, leading to ischemic necrosis with a minimal inflammatory reaction and immunological response. The aim of this study was analyze the effectiveness and safety of a purified collagen gel in producing renal arterial embolization in dogs. The collagen gel was obtained from bovine tendons type I collagen fibers, highly purified and extensively dialyzed in order to remove the immunogenic sites. The resulting gel was designed to have specific rheologic properties (viscoelasticity) which would allow optimal endothelial adhesion and arterial flow obstruction, even when injected through small caliber catheters. Sixteen mongrel dogs (weight of 12,3 kg) underwent randomized renal arterial embolization with collagen gel. The contralateral kidney was infused with 0,9 % NaCI solution using the same procedure as in treated dogs (control). The animals were divided in two groups and were sacrificed 2 days (group 1) and 21 days (group 2) after the procedure. The abdominal organs, lungs and posterior limb muscles were dissected and samples were collected for pathological analysis, in order to verify the presence of an inflammatory reaction. The variation in kidney volume was studied by intraoperative measurement of the longitudinal and ântero-posterior diameters using a sterile paquimeter. Statistic analysis was performed using the non-parametric test of Friedman (a. = 5 %). General ischemia of the tissue and thick perirenal aderences were observed in group 1 after collagen gel embolization, although there were no significa tive changes in volume. Examination by light microscopy showed acidophilic emboli of bireftingent collagen fibers filling the renal artery and extending into the arterioles. The glomeruli and tubules showed early signs of dilfuse necrosis. There was no significant inflammatory response, indicating that the reaction represented an aseptic infarction. A significant reduction in the volume was seen in the embolized kidneys of the animals in the group 2 (p = 0.04), while compensatory renal enlargement were verified in the controls (p = 0.04). Light microscopy showed a proliferative endothelial reaction around the emboli. Similarly, fibroblast proliferation was observed at the periphery ofthe emboli. The parenchyma was atrophied and showed diffuse glomerular hya1inization and extensive tubular fibrosis. There was a retlux of collagen gel to the contralateral kidney in one animal fi.-om group 2, probably secondary to difficuIties related to the animal anatomy. The other control kidneys were normal upon histological analysis. The abdominal organs, lungs and posterior limb muscles showed no signs of undesirable collagen migration in both groups. These results suggest that the purified collagen gel was a safe and effective agent for inducing renal arterial embolization in dogs. The absent of collagen particles migration to other organs or posterior limbs suggest that this material may be safe for the organ embolization. These resuIts can be expIained by the inherent properties of the collagen gel and suggest that this substance may be a useful and attractive for therapeutic renal arterial embolization / Mestrado / Mestre em Cirurgia
8

Estudo da proteção renal com antioxidante durante isquemia e reperfusão e hiperglicemia transitória

Vinagre, Ronaldo Contreiras de Oliveira [UNESP] 01 July 2011 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2014-06-11T19:35:12Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2011-07-01Bitstream added on 2014-06-13T18:46:39Z : No. of bitstreams: 1 vinagre_rco_dr_botfm.pdf: 1054866 bytes, checksum: ee066b9cb1949e3009b9f6c77af3b92c (MD5) / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) / A isquemia/reperfusão (I/R) provoca lesão nas células renais, que pode ser potencializada pela ocorrência de hiperglicemia, em ratos anestesiados com isoflurano. Sabe-se que a melatonina apresenta efeito protetor em órgãos, atuando nos produtos do estresse oxidativo. Os objetivos foram avaliar se a melatonina oferece proteção renal na I/R associada à hiperglicemia transitória e se potencializa a ação protetora do isoflurano. Foram estudados 36 ratos Wistar machos distribuídos, aleatoriamente, em seis Grupos: MH – Melatonina e Hiperglicemia; M - Melatonina; H - Hiperglicemia; I - Isoflurano SH – Sham e Hiperglicemia e S - Sham. Todos os ratos foram anestesiados com isoflurano em concentrações entre 1 a 3%. A pressão arterial média (PAM), a temperatura e saturação de oxigênio foram aferidas ao longo do experimento. Hiperglicemia foi induzida com 2,5 g.kg-1 de solução de glicose a 50% e a melatonina utilizada na dose de 20 mg.kg-1, ambas por via intraperitoneal. Todos os animais foram submetidos à nefrectomia direita. Nos grupos SH e S não houve isquemia. Os valores da glicemia (mg.dL-1) e da creatinina (mg.dL-1) foram obtidos através de coleta de sangue na artéria carótida em três momentos: após finalizada a dissecção da artéria carótida esquerda (M1), imediatamente antes da retirada do “clamp” da artéria renal esquerda (M2) e 24 horas após, imediatamente após a nefrectomia esquerda (M3), quando os animais retornaram ao laboratório foram anestesiados com a mesma técnica para coleta da última amostra sanguínea. O rim retirado foi preparado e enviado para análise histológica, realizada através da escala para avaliação da necrose tubular (0 a 5 = lesão máxima). Houve tratamento estatístico para os valores: peso, temperatura, saturação de oxigênio, PAM, glicose, creatinina e escore de lesão histológica. Não houve diferença entre o peso... / Ischemia/reperfusion (I/R) cause renal cell injury that may be worsened by hyperglycemia in rats anesthetized with isoflurane. N-acetyl-5- methoxytryptamine (melatonin) is known to have a protective effect on multiple organs by acting on the products of oxidative stress. The objectives of this study were to determine whether melatonin provides renal protection during I/R associated with transient hyperglycemia, and whether it enhances isoflurane protective action. Thirty-six Wistar male rats were randomly allocated into six groups: MH – hyperglycemia and melatonin; M - melatonin; H - hyperglycemia; I – isoflurane, SH – sham and hyperglycemia, and S - sham. All rats were anesthetized with isoflurane at concentrations of 1 to 3%. Mean arterial pressure (MAP), temperature and oxygen saturation were measured throughout the experiment. Hyperglycemia was induced by intraperitoneal 2.5 g.kg-1 of glucose solution at 50%, and 20 mg.kg-1 of melatonin. All animals underwent right side nephrectomy. There was no ischemia in groups SH and S. Glycemia (mg.dL-1) and creatinine (mg.dL-1) values were obtained through the collection of blood from the carotid artery at three time points: following anesthesia and dissection of the left carotid artery (M1), immediately before left renal artery declamping (M2), and 24 hours after the end of the experiment, immediately following left nephrectomy (M3), when the animals returned to the laboratory and were anesthetized by the same technique for the last blood collection. The kidney was removed for histologic analysis, which was performed using the tubular necrosis score system (0 to 5 = maximum lesion). Weight, temperature, oxygen saturation, MAP, glucose, creatinine and histologic lesion score values were statistically treated. No difference in weight, temperature and oxygen saturation were observed. MAP parameters showed statistically significant... (Complete abstract click electronic access below)
9

Variáveis da hemostasia sanguínea primária e secundária na doença renal crônica canina /

Pedraza Castillo, Luz Natalia. January 2012 (has links)
Orientador: Áureo Evangelista Santana / Banca: Márcia Ferreira da Rosa Sobreira / Banca: Maria Angélica Dias / Resumo: Realizou-se um estudo experimental acerca do processo de coagulação sanguínea em trinta nove (39) cães distribuídos em quatro grupos, sendo um grupo controle (n= 10) e os demais constituídos por cães com diferentes graus de doença renal crônica (DRC), que segundo a IRIS (2009) DRC estádio 2, DRC estádio 3 e DRC estádio 4. Os cães acometidos por DRC eram provenientes do Hospital Veterinário "Governador Laudo Natel" da FCAV/UNESP, Campus de Jaboticabal. O grupo controle incluiu animais adultos, de qualquer sexo, de qualquer raça, cujo bom estado de saúde foi aquilatado com base em exames clínicos gerais, laboratoriais de rotina e na estimativa da taxa de filtração glomerular, segundo o clearance de creatinina endógena de 24 horas. Como critério de inclusão no grupo DRC, foram levados em consideração a evolução clínica de mais de 30 dias e valores de creatinina sérica obtidos em dois ou três momentos diferentes ao longo de algumas semanas. As determinações laboratoriais de fibrinogênio, contagem de plaquetas, tempo de protrombina (TP) e tempo de tromboplastina parcial ativada (TTPA) e sangue oculto fecal, foram utilizadas na avaliação da hemostasia a partir das supracitadas amostras de sangue. Ao analisar-se o comportamento das variáveis hemostáticas dos diferentes estadiamentos da DRC (2, 3 e 4), segundo a IRIS - International Renal Interest Society, 2009, verificou-se que não houve diferença significativa entre os valores de TP, TTPA, fibrinogênio plasmático, plaquetas e sangue oculto fecal, com relação à ureia e creatinina séricas. Isto indica que nos pacientes com doença renal crônica a deficiência na hemostasia, evidenciada principalmente na gastropatia urêmica, não está relacionada com os fatores de coagulação avaliados neste estudo / Abstract: An experimental study was conducted on the blood coagulation process in 40 dogs divided into four groups: a control group (n = 10), stage 2 of CKD, stage 3 of CKD, and stage 4 of CKD (International Renal Interest Society - IRIS, 2009). Dogs with CKD from "Governador Award Natel" Veterinary Hospital of FCAV/UNESP, Jaboticabal, SP, Brazil, were used. The control group consisted of adult animals of either, sex, any race, whose good health was based on general clinical examination, routine laboratory tests and the glomerular filtration rate estimation, according to 24-hours endogenous creatinine clearance. For inclusion in CKD group, was considered more than 30-days of clinical evolution and serum creatinine values obtained from two or three different times over a few weeks. The laboratory measurements of fibrinogen, platelet count, prothrombin time (PT), time of partial activated thromboplastin (TPAT), and fecal occult blood, were used in the homeostasis evaluation from the above blood samples. Analyzing the different hemostatic variables behavior on the different stages of CKD, it was observed nonsignificant difference on urea and serum creatinine between PT, TPAT, plasma fibrinogen, platelets, and fecal occult blood. This result indicates that in patients with CKD, the hemostasis deficiency, as evidences mainly in uremic gastropathy, is not related to the coagulation factors evaluated in this study / Mestre
10

Associação entre o nível de atividade física, função cognitiva e qualidade de vida em pacientes de hemodiálise /

Belik, Fernanda Stringuetta. January 2012 (has links)
Orientador: Roberto Jorge da Silva Franco / Coorientador: Luis Cuadrado Martin / Banca: Paulo José Fortes Villas Boas / Banca: Cibele Isaac Saad Rodrigues / Resumo: A doença renal crônica (DRC) é caracterizada por perda progressiva e irreversível da função renal. Pacientes com DRC apresentam menor tolerância ao exercício e baixa capacidade funcional, até mesmo para atividades diárias. Outra alteração importante encontrada na DRC é a disfunção cognitiva, resultando em lentidão cognitiva e psicomotora. As limitações e complicações múltiplas da DRC têm um impacto negativo na qualidade de vida desses pacientes. O sedentarismo associado a outros fatores é responsável pelo aumento do risco de desenvolver doenças cardiovasculares, renais e cerebrovasculares. Programas de treinamento físico têm sido propostos visando o tratamento desses fatores de risco bem como de suas graves repercussões sobre a função cognitiva e qualidade de vida. Avaliar a associação entre o nível de atividade física, função cognitiva e qualidade de vida em pacientes com DRC que realizam hemodiálise (HD). Foram avaliados 102 pacientes que realizam HD. Os participantes responderam o Questionário Internacional de Atividade Física, que avalia o nível de atividade física, o Mini Exame do Estado Mental, utilizado para o rastreamento cognitivo e o KDQOL-SFTM, que avalia a qualidade de vida. Os pacientes foram divididos em três grupos conforme a classificação do nível de atividade física (GI: ativos / GII: irregularmente ativos / GIII: sedentários). Os grupos foram semelhantes quanto à idade, tempo de HD, escolaridade e tabagismo. Apresentaram diferença estatisticamente significante quanto à raça, índice de massa corporal, presença de diabetes mellitus, doença de base e grau de déficit cognitivo. Quanto aos dados laboratoriais, os grupos diferiram quanto à creatinina, glicemia, hemoglobina e... (Resumo completo, clicar acesso eletrônico abaixo) / Abstract: Chronic kidney disease (CKD) is characterized by progressive and irreversible loss of renal function. Patients with CKD have a lower exercise tolerance and low functional capacity, even for everyday activities. Another important change is found in CKD cognitive dysfunction resulting in cognitive and psychomotor slowness. The limitations and multiple complications of CKD have a negative impact on quality of life of these patients. Physical inactivity is associated with other factors responsible for the increased risk of developing cardiovascular disease, renal and cerebrovascular disease. Physical training programs have been proposed in order to treat these risk factors as well as their serious impact on cognitive function and quality of life. To evaluate the association between the level of physical activity, cognitive function and quality of life in patients with CKD on hemodialysis (HD). We evaluated 102 patients undergoing HD. Participants completed the International Physical Activity Questionnaire, which assesses the level of physical activity, the Mini-Mental State Examination, used for cognitive screening and KDQOL-SFTM, which evaluates the quality of life. Patients were divided into three groups according to their level of physical activity (GI: active / GII: irregularly active / GIII: sedentary). The groups were similar in age, duration of HD, and smoking. Statistically significant differences in race, body mass index, diabetes mellitus, underlying disease and degree of cognitive impairment. Regarding laboratory data, the groups differed in creatinine, glucose, hemoglobin and hematocrit. Regarding the dimensions of quality of life, the groups differed in terms of functional capacity, physical limitations, emotional limitations, pain, social function and burden of kidney disease. There was an association between physical... (Complete abstract click electronic access below) / Mestre

Page generated in 0.0671 seconds