• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 3
  • 3
  • Tagged with
  • 6
  • 6
  • 6
  • 4
  • 3
  • 3
  • 2
  • 2
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Masculino genérico e sexismo gramatical

Mäder, Guilherme Ribeiro Colaço January 2015 (has links)
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Comunicação e Expressão, Programa de Pós-Graduação em Linguística, Florianópolis, 2015. / Made available in DSpace on 2016-01-15T14:55:15Z (GMT). No. of bitstreams: 1 336814.pdf: 2201686 bytes, checksum: 609c5d68ea9af3229fa964809143fb2b (MD5) Previous issue date: 2015 / Esta dissertação tem como "leitmotiv" a discussão de um uso linguístico - o masculino genérico - e um conceito linguístico - o gênero não marcado - numa situação que chamaremos de sexismo gramatical. O masculino genérico pode ser resumido, em linhas gerais, como o uso do gênero gramatical masculino para denotar o gênero humano (homens e/ou mulheres). O conceito de gênero não marcado, por sua vez, origina-se na escola estruturalista e ainda ocupa um lugar de destaque nos estudos linguísticos atuais como suporte teórico para a descrição do masculino genérico. Ao final desta dissertação, esperamos ter demonstrado ao/à leitor(a) que o uso do masculino genérico e o conceito de gênero não marcado operam em conjunto na manutenção do que chamamos sexismo gramatical.<br> / Abstract : This dissertation has as its "leitmotiv" the discussion about a linguistic usage - the generic masculine - and a linguistic concept - the unmarked gender - in a situation which we will call grammatical sexism. The generic masculine can be described, briefly, as the usage of the masculine grammatical gender to denote the human gender (i.e. men and/or women). The concept of unmarked gender, in its turn, has its origins in the structuralist school and it still holds an important role in contemporary linguistic studies as a theoretical background for the description of the generic masculine. At the end of this dissertation, we hope to have demonstrated to the reader that the usage of the masculine generic and the concept of unmarked gender work together in the maintenance of what we call grammatical sexism.
2

Sexismo na linguagem :

Torres, Isaura Maria Gama January 1980 (has links)
Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Comunicação e Expressão. / Made available in DSpace on 2012-10-16T20:38:24Z (GMT). No. of bitstreams: 0Bitstream added on 2016-01-08T13:57:00Z : No. of bitstreams: 1 151656.pdf: 5359275 bytes, checksum: e00ac35768de42b72ae7520a0da8bf9b (MD5)
3

Power and gender relations in brazilian television interviews

Piasecka-Till, Aleksandra January 1994 (has links)
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Comunicação e Expressão / Made available in DSpace on 2016-01-08T18:50:32Z (GMT). No. of bitstreams: 1 95699.pdf: 33951188 bytes, checksum: 02b8c26abd7ebe241ca53d7982351fc0 (MD5) Previous issue date: 1994 / Com o propósito de detectar e expor as relações desiguais de poder causadas pela discriminação sexista, investigo dez entrevistas da televisão brasileira. As entrevistas pertencem a dois programas populares "Cara a Cara" e "Jô Soares Onze e Meia", foram vídeo gravadas, e depois gravadas em fitas cassetes. Para a análise lingüística dos dados obtidos através de transcrição, foi usada a abordagem do Estudo Crítico da Linguagem (Fairclough 1989 e 1992), que leva em conta as características textuais junto com elementos contextuais. Foram analisadas as formas de tratamento usadas por mulheres e homens, assim como as escolhas de termos feitas por mulheres e homens para classificar uns aos outros. Os tópicos desenvolvidos nas entrevistas também foram investigados. Os resultados do estudo confirmam que no Brasil, uma sociedade de classe capitalista, o discurso da televisão diferenciando as mulheres lingüisticamente reproduz as relações de dominação existentes. Adicionalmente, foi mostrado que modelo de análise de Fariclough, originalmente elaborado para o inglês, se aplica ao português.
4

Good girls go to heaven; bad girls... learn to be good : critical discourse analysis of quizzes in teenage girl's magazines

Ostermann, Ana Cristina January 1995 (has links)
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Comunicação e Expressão / Made available in DSpace on 2012-10-16T08:13:31Z (GMT). No. of bitstreams: 0Bitstream added on 2016-01-08T19:31:26Z : No. of bitstreams: 1 102951.pdf: 4112281 bytes, checksum: 8fde7824254822a686acd923fe884dc7 (MD5) / Nesta dissertação investigo 15 quizzes ou testes de comportamento em revistas para adolescentes: Teen, Seventeen, Sassy, e Capricho, usando a metodologia de Análise Crítica do Discurso. O objetivo é demonstrar que o quiz não é um texto tão inocente como parece ser. Além de encorajar o auto-escrutínio, os quizzes funcionam como instrumentos disciplinadores, visando à correta socialização das adolescentes. Com base no modelo Problema-Solução, analiso a macro-estrutura dos quizzes, e aponto as possíveis relações entre o elemento discursivo Problema e o problema do mundo real. As produtoras destes textos avaliam e classificam as meninas como boas ou más, e prescrevem um comportamento geralmente sexista. Através da análise das características conversacionais dos quizzes: a estrutura de interação, os marcadores do discurso da linguagem falada, o vocabulário adolescente, e a personalização sintética, mostro que estes textos são construídos com base no modelo conversacional de discurso. O uso deste modelo é uma estratégia que visa amenizar a posição autoritária das produtoras destes textos, e que gera alto grau de informalidade nos quizzes, disfarçando seu papel principal: disciplinar as adolescentes a serem boas meninas.
5

Sexualidade e discurso : o verbo feito carne

Rangel, Egon de Oliveira 13 April 1994 (has links)
Orientador: Haquira Osakabe / Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Estudo da Linguagem / Made available in DSpace on 2018-07-19T07:15:41Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Rangel_EgondeOliveira_M.pdf: 19956697 bytes, checksum: e0cb84285dc69428611f43c9768064d4 (MD5) Previous issue date: 1994 / Resumo: Esta dissertação revisita um lema a esta altura já bastante explorado: as relações entre discurso e sexualidade, os caminhos pelos quais o verbo se faz carne. A questão é abordada, entretanto, nos estreitos limites de uma 'análise de caso'. O centro do interesse -- e portanto da discussão -- é uma experiência pessoal de leitura, que procuro descrever com os instrumenlos da análise linguística de discursos. Dois materiais constituem o corpus: um diário , 'intimo' , de caráter literário (o Diário completo, de Lúcio Cardoso), e um manual de sexologia (Tudo que você queria saber sobre sexo; mas tinha medo de perguntar, do Dr. David Reuben). No primeiro caso, o que procuro descrever e explicar é o 'efeito sedutor' obtido pela obra; no segundo caso, o interesse é o 'efeito enformador' desse discurso em relação ao destinatário. Os capitulos 3 e 4, da Segunda Parle, constituem exatamente uma análise desses efeitos de sentido e dos mecanismos e funcionamentos discursivos capazes de explicá-los. Os capitulos 1 e 2, da Primeira Parte, apresentam as questões teóricas e metodológicas envolvidas na empreitada analitica ; mais especificamente, discutem, nos termos da Análise do Discurso, tanto as implicações teóricas dos problemas levantados pelo tipo de corpus quanto a legitimidade das soluções propostas. A Conclusão (na verdade uma coda) relaciona os resultados a uma discussão mais geral sobre sexualidade e discurso / Abstract: Not informed. / Mestrado / Mestre em Linguística
6

The use and abuse of your sexual power : cosmopolitan / nova and the creation / maintenance of a conservative view of female sexuality

Figueiredo, Debora de Carvalho January 1995 (has links)
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Comunicação e Expressão / Made available in DSpace on 2012-10-16T09:05:37Z (GMT). No. of bitstreams: 0Bitstream added on 2016-01-08T20:03:15Z : No. of bitstreams: 1 101524.pdf: 22429889 bytes, checksum: 87d491b1e698a1bd38c0ba4882c11278 (MD5) / O presente trabalho utiliza as teorias britânicas da Análise Crítica do Discurso para desenvolver uma análise lingüística de 11 textos coletados da revista Cosmopolitan inglesa e da revista brasileira Nova. O objetivo deste trabalho é argumentar que a revista Cosmopolitan, aparentemente ousada e progressista, ajuda a criar e a reforçar uma visão sexista, prescritiva e conservadora das relações de gênero e da sexualidade. Para tanto, foram analisadas três categorias de elementos lingüísticos: vocabulário (representações); modalidade; e discurso hortatório. O exame destes elementos lingüísticos ajudou a demonstrar que os discursos usados na revista Cosmopolitan, embora aparentemente amigáveis e informais, escondem relações de poder e controle entre produtores e consumidores de revistas, e entre homens e mulheres. Este estudo procura desmistificar a imagem de revista feminina ousada transmitida pela Cosmopolitan, e procura mostrar que a revista em questão promove uma visão de mundo discriminatória e sexista.

Page generated in 0.0739 seconds