• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 5
  • 3
  • 1
  • 1
  • Tagged with
  • 11
  • 6
  • 4
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Dispersal centres of Sphingidae (Lepidoptera) in the Neotropical region

Schreiber, Harald. January 1978 (has links)
Thesis--University of the Saarland, Saarbrücken. / Translated by Ingrid Schreiber. Includes bibliographical references (p. 129-136) and index.
2

Estrutura e composição da comunidade de esfingídeos (Lepidoptera: Sphingidae) atraídos por luz da Estação Biológica de Boraceia, Salesópolis, São Paulo / Structure and composition of the light-attracted hawkmoth community (Lepidoptera: Sphingidae) of the Boraceia Biological Station, Salesópolis, São Paulo

Pedro Ivo Chiquetto Machado 20 October 2014 (has links)
De julho de 2012 a junho de 2013 foram realizadas doze expedições mensais à Estação Biológica de Boraceia (EBB), Salesópolis, São Paulo. Os esfingídeos foram atraídos por lâmpadas externas de um alojamento da EBB durante quatro noites consecutivas, das 18h às 6h. Registrou-se em campo o horário de coleta e sexo de cada indivíduo, além de dados climáticos a cada meia hora. As mariposas foram levadas ao Museu de Zoologia da Universidade de São Paulo (MZUSP), onde foram identificadas até nível de espécie e contabilizadas. As análises de diversidade envolveram curva de rarefação, estimador de riqueza, gráficos descritivos de riqueza, abundância, composição e equabilidade (por mês e por horário de coleta), e estatística multivariada. Gráficos de riqueza e abundância por temperatura e umidade relativa foram construídos para analisar o efeito destas variáveis climáticas sobre a amostragem, e a influência de neblina e chuva foi verificada pela aplicação de testes de Mann-Whitney. Testes de qui-quadrado foram utilizados para examinar se a razão sexual diferiu da proporção 1:1, na totalidade, por mês e por horário de coleta. Esfingídeos coletados na EBB desde 1940, que estão disponíveis no MZUSP, também foram identificados e contabilizados para elaboração de um panorama histórico da esfingofauna do local, e para possibilitar comparação entre uma intensa amostragem realizada de 1948 a 1950 na Estação e a amostragem recente. Esta comparação foi feita por meio de curvas de rarefação, gráficos descritivos de riqueza e composição, e estatística multivariada. Todas as espécies já registradas na EBB foram fotografadas para elaboração de um guia ilustrado. No presente estudo foram coletados 2.509 esfingídeos de 64 espécies, das quais três corresponderam a novos registros para a EBB, e contabilizou-se um total de 81 espécies já coletadas no local. Os meses mais quentes e chuvosos apresentaram maiores riquezas, abundâncias e equabilidades; a composição de espécies se manteve mais homogênea durante estes meses e variou muito entre os meses mais secos, padrão observado também nas coletas de 1948 a 1950. Com o avançar da noite ocorreu diminuição na abundância e na riqueza, e a composição de espécies se alterou bastante. Temperaturas mais altas, neblina e chuva foram favoráveis à coleta de esfingídeos. A razão sexual foi, de forma geral, enviesada a favor dos machos. Não se observou diferença significativa de riqueza entre a campanha de coleta antiga e a recente, mas diversas espécies foram registradas em apenas uma das campanhas. Comparações com outros levantamentos de Sphingidae mostraram que a EBB conta com espécies possivelmente raras na Mata Atlântica e com uma das mais altas riquezas registradas para o bioma / Samplings were performed from July 2012 to June 2013, in twelve monthly expeditions to the Boraceia Biological Station (Estação Biológica de Boraceia - EBB), Salesópolis, São Paulo. Hawkmoths were attracted using outdoor light bulbs of one of the EBB\'s houses, during four consecutive nights, from 6 p.m. to 6 a.m. Each individual\'s collecting time and sex were registered, as well as climatic data every half hour. Specimens were taken to the Museu de Zoologia da Universidade de São Paulo (MZUSP), where they were identified to species and counted. Diversity analyses included rarefaction curve, richness estimator, descriptive graphics of composition, evenness, richness and abundance (by month and time of sampling), and multivariate statistics. Graphics of richness and abundance by temperature and relative humidity were constructed to assess the effect of these climatic variables on sampling, and the influence of fog and rainfall was examined by applying the Mann-Whitney test. Qui-square tests were performed to check whether the sex ratio differed from 1:1, in totality, by month and by time of sampling. Hawkmoths collected in the EBB since 1940 are available at MZUSP. They were identified and counted for elaboration of a historical overview of the local sphingofauna, and to allow comparison between an intense sampling carried out from 1948 to 1950 in the EBB and the recent sampling. This comparison was performed by means of rarefaction curves, descriptive graphics of richness and composition, and multivariate statistics. All species ever recorded in the EBB were photographed for the production of an illustrated guide. In the present study, a total of 2,509 hawkmoths, belonging to 64 species, were collected. Three of these species corresponded to new records for the EBB, and the list of species recorded in the Station reached the amount of 81. The rainiest and hottest months showed the highest richness, abundances and evenness. The species composition maintained relatively homogeneous during these months but it largely varied during the driest months; this pattern was also noticed in the sampling from 1948 to 1950. Abundance and richness decreased throughout the night, and the species composition underwent many changes. Higher temperatures, fog and rainfall were favorable to hawkmoth sampling. Sex ratio was generally skewed toward males. No significant difference in richness was found between the former and the recent sampling, but many species were recorded in only one of them. Comparisons with surveys on other sphingofaunas showed that some possibly rare species occur in the EBB and that this locality holds one of the highest Sphingidae richness in the Brazilian Atlantic Rainforest
3

Molekulárna fylogenéza a historická biogeografia lišajovitých rodu Agrius (Lepidoptera: Sphingidae)

RINDOŠ, Michal January 2017 (has links)
I studied molecular phylogeny and historical biogeography of the hawkmoth genus Agrius, a group with several migratory as well as several strictly endemic species. I used sequences of one mitochondrial and one nuclear genes and in a detail also population genetic parameters of the most widespread species, Agrius convolvuli.
4

Druhová identifikace u Lepidopter pomocí jaderných genů CAD a EF-1?

Wijacki, Jan January 2016 (has links)
Biodiversity is an important element to conserve life on earth. We can divide it into three main categories: gene diversity, species diversity and the complex ecosystem diversity. In the world there are an estimated 10 million plant and animal species, but only about 1.5 million are described. DNA barcoding is a molecular method which helps to identify species by comparing the sequences of mitochondrial or nuclear genes. Within lime hawk-moth (Mimas tiliae) species could exist four different subspecies. The aim of this thesis is to verify usability of the nuclear genes CAD and EF-1a by the DNA barcoding method and to compare these results with the analysis of mitochondrial COI gene.
5

A guilda de plantas esfingofilas e a comunidade de sphingidae em uma area de floresta atlantica do sudesrte do Brasil / The hawkmoth-flower assemblage and the sphingidae community in a atlantic rain forest of the southeastern Brazil

Avila Junior, Rubem Samuel de 06 August 2009 (has links)
Orientador: Marlies Sazima / Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Biologia / Made available in DSpace on 2018-08-14T00:09:10Z (GMT). No. of bitstreams: 1 AvilaJunior_RubemSamuelde_D.pdf: 1999828 bytes, checksum: 205180fb33233e0a4017decb15bec625 (MD5) Previous issue date: 2009 / Resumo: As interações entre plantas e esfingídeos estão entre os exemplos de maior especialização encontrados na literatura de biologia da polinização, constituindo assim, importantes casos de coevolução. A guilda de espécies com características de esfingofilia i avaliada juntamente com a comunidade de Sphingidae em uma área de Floresta Atlântica do sudeste do Brasil. Foram encontradas 30 espécies que apresentavam tais características juntamente com 50 espécies de Sphingidae. Esta guilda pode ser dividida em três distintos grupos funcionais mediante as características morfométricas avaliadas, o que também ocorreu para os Sphingidae, indicando a presença de um grupo bastante reduzido de espécies estritamente esfingófilas. O padrão de distribuição temporal apresentou forte convergência entre os dois grupos (plantas e esfingídeos) e, além disso, as espécies esfingófilas apresentam padrão agregado da floração o que sugere existência de possíveis vantagens de utilização de grandes "displays" florais na atração dos esfingídeos. Porém, uma análise das cargas polínicas encontradas nos esfingídeos capturados aponta um número muito maior (63 spp.) de espécies vegetais associadas. Tal fato parece estar associado a uma característica mais generalista que o presumido no tipo floral utilizado pelos esfingídeos, pois espécies vegetais de grupos taxonômicos nunca antes associados à Sphingidae foram registradas. Esta característica pode ser evidenciada quando se observa a topologia e os resultados das métricas das redes de interações. Além disso, os resultados das métricas variam ao longo do ano e contrastam quando comparados com a análise da rede como uma matriz geral e unificada de todos os meses amostrados. Não foi encontrada relação entre atributos morfológicos e o número de interações e os resultados indicam baixa sobreposição de uso de recursos florais pelas espécies de Sphingidae / Abstract: Não informado / Doutorado / Biologia Vegetal / Doutor em Biologia Vegetal
6

A flora esfingófila de uma floresta ombrófila densa montana no sudeste brasileiro e relações mutualísticas com a fauna de Sphingidae / The sphingophilous flora of a highland atlantic rainforest in the southeastern Brazil and mutualistic relationships with the Sphingidae fauna

Amorim, Felipe Wanderley, 1982- 21 August 2018 (has links)
Orientador: Marlies Sazima / Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Biologia / Made available in DSpace on 2018-08-21T12:52:20Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Amorim_FelipeWanderley_D.pdf: 21680900 bytes, checksum: d3888d6cbcafe24a20fcecee1b94e4fb (MD5) Previous issue date: 2012 / Resumo: Polinização por esfingídeos é provavelmente um dos sistemas menos estudados em comunidades tropicais, especialmente na Mata Atlântica, que constitui um dos biomas mais diversos e ameaçados do planeta. Foram estudadas a flora esfingófila e a fauna de Sphingidae em uma área de Floresta Ombrófila Densa Montana (FODM) e analisados os processos ecológicos subjacentes às interações entre esfingídeos e plantas. Ao todo 24 espécies compuseram a flora esfingófila da área estudada, dentre as quais, quatro espécies possuem adaptações estritas à polinização por esfingídeos. A fauna de esfingídeos foi composta por 50 espécies com grande predomínio de mariposas com probóscides curtas. Plantas e esfingídeos apresentaram ajustamento morfológico significativo na distribuição dos comprimentos de tubos florais e de probóscides, porém ao contrário do padrão geral de outras áreas na região Neotropical, não houve ajustamento fenológico estrito entre esfingídeos e plantas na Mata Atlântica. A presença sazonal de mariposas com longas probóscides na área está relacionada principalmente a emigração de espécies oriundas de ecossistemas adjacentes à FODM. Limitação de polinizadores foi comum nas espécies vegetais mais especializadas o que limitou a produção de frutos. Os processos de seleção mediada por polinizadores nestas espécies, também foram afetados. Porém, processos locais de seleção mediada por polinizadores, provavelmente devem agir na estruturação de ajustamentos morfológicos entre esfingídeos e plantas, mesmo sendo variáveis no tempo e no espaço, conforme sugerem os resultados. Apesar da ausência de ajustamento fenológico estrito entre esfingídeos e plantas na Mata Atlântica, o padrão geral registrado em outros biomas sugere ocorrência de esfingídeos de longas probóscides coincidente com a floração de espécies esfingófilas com longos tubos florais. Como este grupo de plantas oferece maior quantidade de néctar em um "nicho privado" aos esfingídeos de longas probóscides, esse ajustamento fenológico poderia ser visto como estratégia para minimizar a competição por recursos florais entre mariposas com probóscides longas e curtas nas comunidades de Sphingidae / Abstract: Hawkmoth pollination is probably one of the least studied pollination systems in tropical communities, particularly in the Atlantic Rainforest, one of the most diverse and threatened biomes in the world. In this work we studied the sphingophilous plants and the Sphingidae fauna in an area of Highland AtlanticRainforest (HARF) and analyzed the ecological processes underlying the interactions between plants and hawkmoths. Altogether, 24 species composed the sphingophilous flora recorded to the study site, among which four species had strict adaptations related to hawkmoth pollination. The hawkmoth fauna was composed of 50 species with great predominance of short-tongued moths. Hawkmoths and plants showed a significant morphological match in the distribution of floral tubes and proboscises lengths, but unlike the general pattern obtained for other areas in the Neotropical region, we did not record a strict phenological match between hawkmoths and plants in the Atlantic Rainforest. The seasonal occurrence of long-tongued moths in the study site is related mainly to the income of migrating species from adjacent ecosystems to the HARF. Pollinator-limitation was common in the most specialized sphingophilous plants limiting fruit-set. Pollinator-mediated selection processes in highly specialized species were also impaired. However, local processes of pollinator-mediated selection may operate structuring the morphological match between hawkmoths and plants in spite of being variable in time and space, as suggested by the results. Despite the absence of a strict phenological match between hawkmoths and plants in the Atlantic Rainforest, the general pattern recorded to other analyzed biomes suggests a concurrence of long-tongued hawkmoths and long-tubed flowers through the phenological time. Since this group of plants offers greater amounts of nectar in a "private niche" where only long-tongued hawkmoths can have access, such phenological match could be viewed as a strategy to reduce competition for floral resources between long- and short-tongued moths in the Sphingidae community / Doutorado / Biologia Vegetal / Doutor em Biologia Vegetal
7

RESPONSES OF THE CATALPA SPHINX, CERATOMIA CATALPAE, AND ITS PRIMARY PARASITOID, COTESIA CONGREGATA, TO VARYING LEVELS OF IRIDOID GLYCOSIDES IN CATALPA

Bray, Jessica L 01 January 2015 (has links)
The catalpa sphinx, Ceratomia catalpae, is a specialist on Catalpa trees, which produce iridoid glycosides (IGs). Whereas some trees are defoliated every year, others escape herbivory. Caterpillar populations are either heavily parasitized by the braconid wasp, Cotesia congregata, or remain unparasitized. We hypothesized that these patterns could be explained by variable IG concentrations among trees and insect responses to these chemicals. IG concentrations varied among trees. Percent defoliation was positively related to IG concentration. In comparisons of insect responses to relatively high or low IG concentrations, moths preferred to oviposit on trees with high IG concentrations. Caterpillars did not display a feeding preference nor did wasps differ in searching responses to leaf discs with high or low IG concentrations. Results indicate that observed patterns of herbivory can be explained by moth oviposition preferences for trees with high IG concentrations.
8

Estudos biossistemáticos em espécies de Habenaria (Orchidaceae) nativas no Rio Grande do Sul

Pedron, Marcelo January 2012 (has links)
Habenaria é um dos maiores gêneros da família Orchidaceae, e estimativas atuais pressupoem a existência de aproximadamente 835 espécies. Habenaria seção Pentadactylae com 34 espécies é a maior entre as 14 seções do gênero existente no novo mundo e compreende um conjunto de espécies morfologicamente bastante heterogênea. A fim de investigar a monofilia da seção e sua relação com outras seções do gênero, foram executadas análise Bayesiana e de Máxima Parcimônia com o emprego de um marcador nuclear (ITS) e três marcadores plastidiais (matK, intron trnK, rps16-trnk). Os resultados demonstraram que a seção Pentadactylae é altamente polifilética. Baseado nas análises filogenéticas e reavaliação de caracteres morfológicos, a seção Pentadactylae foi recircunscrita neste trabalho e sete espécies são aceitas: H. dutraei, H. ekmaniana, H. exaltata, H. henscheniana, H. megapotamensis, H. montevidensis e H. pentadactyla, enquanto outras 32 espécies foram excluídas. Habenaria crassipes é reconhecida como um sinônimo de H. exaltata. Lectótipos são designados para H. crassipes e H. recta. Todas as espécies da seção habitam pântanos ou locais bastante úmidos; com área de distribuição passando pelo norte da Argentina, Uruguai, Paraguai, sul, sudeste e centro do Brasil. O estado do Rio Grande do Sul (sul do Brasil), possivelmente, constitui um centro de diversidade da seção onde todas as espécies podem ser encontradas. A biologia reprodutiva de duas espécies da seção Pentadactylae, H. megapotamensis e H. montevidensis; e duas espécies da seção Macroceratitae, H. johannensis e H. macronectar, foram estudas. Todas as espécies estudadas oferecem néctar como recompensa floral aos polinizadores, produzido no interior de um prolongamento do labelo denominado esporão. Habenaria montevidensis é polinizada por borboletas da família Hesperiidae, enquanto as demais espécies são polinizadas por mariposas da família Sphingidae. Todas as espécies estudadas são auto-compatíveis mas dependentes de agentes polinizadores para a produção de frutos. O sucesso reprodutivo é alto (69,48 - 93%). Na área de estudo, todas as quatro espécies estudadas são reprodutivamente isoladas devido a um conjunto de fatores tais como diferenças na morfologia floral e diferentes polinizadores. / Habenaria is one of the largest genus of Orchidaceae family and current stimates accounts to the existence of 835 species. Habenaria section Pentadactylae with 34 species is the largest among the 14 New World sections of the genus and comprises a morphologically heterogeneous group of species. To investigate the monophyly of the section and the relation with other sections of the genus, Bayesian and parsimony analyses using one nuclear marker (ITS) and three plastid markers (matK, trnK intron, rps16-trnK) were performed. The results demonstrated that sect. Pentadactylae is highly polyphyletic. Based on the phylogenetic analyses and re-evaluation of morphological characters, Habenaria sect. Pentadactylae is re-circumscribed and seven species are accepted for the section: H. dutraei, H. ekmaniana, H. exaltata, H. henscheniana, H. megapotamensis, H. montevidensis and H. pentadactyla, while other 32 species were excluded. Habenaria crassipes is included under the synonym of H. exaltata. Lectotypes are designated for H. crassipes and H. recta. All species in the section are from marshes or wet grasslands and range from Northern Argentina, Uruguai, Paraguai and south, southeast and center of Brazil. The Rio Grande do Sul state (south Brazil), possibly constitute a diversity center of the section where every species can be founded. Most are rare, known by few populations, and threatened due to loss of habitat and population decline. The reproductive biology of two species from the section Pentadactylae, H. megapotamensis and H. montevidensis; and two species from the section Macroceratitae, H. johannensis and H. macronectar, were studied. All studied species offer nectar as floral reward concealed in a labellar process termed spur. Habenaria montevidensis is pollinated by Hesperiidae butterflies, while the remaining species are pollinated by Sphingidae moths. All studied species are self-compatible, but pollinator-dependent. The reproductive success is high (69.48 - 93%). At the study site, every four studied species are reproductively isolated by a set of factors that includes differing floral morphologies and different pollinators.
9

Estudos biossistemáticos em espécies de Habenaria (Orchidaceae) nativas no Rio Grande do Sul

Pedron, Marcelo January 2012 (has links)
Habenaria é um dos maiores gêneros da família Orchidaceae, e estimativas atuais pressupoem a existência de aproximadamente 835 espécies. Habenaria seção Pentadactylae com 34 espécies é a maior entre as 14 seções do gênero existente no novo mundo e compreende um conjunto de espécies morfologicamente bastante heterogênea. A fim de investigar a monofilia da seção e sua relação com outras seções do gênero, foram executadas análise Bayesiana e de Máxima Parcimônia com o emprego de um marcador nuclear (ITS) e três marcadores plastidiais (matK, intron trnK, rps16-trnk). Os resultados demonstraram que a seção Pentadactylae é altamente polifilética. Baseado nas análises filogenéticas e reavaliação de caracteres morfológicos, a seção Pentadactylae foi recircunscrita neste trabalho e sete espécies são aceitas: H. dutraei, H. ekmaniana, H. exaltata, H. henscheniana, H. megapotamensis, H. montevidensis e H. pentadactyla, enquanto outras 32 espécies foram excluídas. Habenaria crassipes é reconhecida como um sinônimo de H. exaltata. Lectótipos são designados para H. crassipes e H. recta. Todas as espécies da seção habitam pântanos ou locais bastante úmidos; com área de distribuição passando pelo norte da Argentina, Uruguai, Paraguai, sul, sudeste e centro do Brasil. O estado do Rio Grande do Sul (sul do Brasil), possivelmente, constitui um centro de diversidade da seção onde todas as espécies podem ser encontradas. A biologia reprodutiva de duas espécies da seção Pentadactylae, H. megapotamensis e H. montevidensis; e duas espécies da seção Macroceratitae, H. johannensis e H. macronectar, foram estudas. Todas as espécies estudadas oferecem néctar como recompensa floral aos polinizadores, produzido no interior de um prolongamento do labelo denominado esporão. Habenaria montevidensis é polinizada por borboletas da família Hesperiidae, enquanto as demais espécies são polinizadas por mariposas da família Sphingidae. Todas as espécies estudadas são auto-compatíveis mas dependentes de agentes polinizadores para a produção de frutos. O sucesso reprodutivo é alto (69,48 - 93%). Na área de estudo, todas as quatro espécies estudadas são reprodutivamente isoladas devido a um conjunto de fatores tais como diferenças na morfologia floral e diferentes polinizadores. / Habenaria is one of the largest genus of Orchidaceae family and current stimates accounts to the existence of 835 species. Habenaria section Pentadactylae with 34 species is the largest among the 14 New World sections of the genus and comprises a morphologically heterogeneous group of species. To investigate the monophyly of the section and the relation with other sections of the genus, Bayesian and parsimony analyses using one nuclear marker (ITS) and three plastid markers (matK, trnK intron, rps16-trnK) were performed. The results demonstrated that sect. Pentadactylae is highly polyphyletic. Based on the phylogenetic analyses and re-evaluation of morphological characters, Habenaria sect. Pentadactylae is re-circumscribed and seven species are accepted for the section: H. dutraei, H. ekmaniana, H. exaltata, H. henscheniana, H. megapotamensis, H. montevidensis and H. pentadactyla, while other 32 species were excluded. Habenaria crassipes is included under the synonym of H. exaltata. Lectotypes are designated for H. crassipes and H. recta. All species in the section are from marshes or wet grasslands and range from Northern Argentina, Uruguai, Paraguai and south, southeast and center of Brazil. The Rio Grande do Sul state (south Brazil), possibly constitute a diversity center of the section where every species can be founded. Most are rare, known by few populations, and threatened due to loss of habitat and population decline. The reproductive biology of two species from the section Pentadactylae, H. megapotamensis and H. montevidensis; and two species from the section Macroceratitae, H. johannensis and H. macronectar, were studied. All studied species offer nectar as floral reward concealed in a labellar process termed spur. Habenaria montevidensis is pollinated by Hesperiidae butterflies, while the remaining species are pollinated by Sphingidae moths. All studied species are self-compatible, but pollinator-dependent. The reproductive success is high (69.48 - 93%). At the study site, every four studied species are reproductively isolated by a set of factors that includes differing floral morphologies and different pollinators.
10

Estudos biossistemáticos em espécies de Habenaria (Orchidaceae) nativas no Rio Grande do Sul

Pedron, Marcelo January 2012 (has links)
Habenaria é um dos maiores gêneros da família Orchidaceae, e estimativas atuais pressupoem a existência de aproximadamente 835 espécies. Habenaria seção Pentadactylae com 34 espécies é a maior entre as 14 seções do gênero existente no novo mundo e compreende um conjunto de espécies morfologicamente bastante heterogênea. A fim de investigar a monofilia da seção e sua relação com outras seções do gênero, foram executadas análise Bayesiana e de Máxima Parcimônia com o emprego de um marcador nuclear (ITS) e três marcadores plastidiais (matK, intron trnK, rps16-trnk). Os resultados demonstraram que a seção Pentadactylae é altamente polifilética. Baseado nas análises filogenéticas e reavaliação de caracteres morfológicos, a seção Pentadactylae foi recircunscrita neste trabalho e sete espécies são aceitas: H. dutraei, H. ekmaniana, H. exaltata, H. henscheniana, H. megapotamensis, H. montevidensis e H. pentadactyla, enquanto outras 32 espécies foram excluídas. Habenaria crassipes é reconhecida como um sinônimo de H. exaltata. Lectótipos são designados para H. crassipes e H. recta. Todas as espécies da seção habitam pântanos ou locais bastante úmidos; com área de distribuição passando pelo norte da Argentina, Uruguai, Paraguai, sul, sudeste e centro do Brasil. O estado do Rio Grande do Sul (sul do Brasil), possivelmente, constitui um centro de diversidade da seção onde todas as espécies podem ser encontradas. A biologia reprodutiva de duas espécies da seção Pentadactylae, H. megapotamensis e H. montevidensis; e duas espécies da seção Macroceratitae, H. johannensis e H. macronectar, foram estudas. Todas as espécies estudadas oferecem néctar como recompensa floral aos polinizadores, produzido no interior de um prolongamento do labelo denominado esporão. Habenaria montevidensis é polinizada por borboletas da família Hesperiidae, enquanto as demais espécies são polinizadas por mariposas da família Sphingidae. Todas as espécies estudadas são auto-compatíveis mas dependentes de agentes polinizadores para a produção de frutos. O sucesso reprodutivo é alto (69,48 - 93%). Na área de estudo, todas as quatro espécies estudadas são reprodutivamente isoladas devido a um conjunto de fatores tais como diferenças na morfologia floral e diferentes polinizadores. / Habenaria is one of the largest genus of Orchidaceae family and current stimates accounts to the existence of 835 species. Habenaria section Pentadactylae with 34 species is the largest among the 14 New World sections of the genus and comprises a morphologically heterogeneous group of species. To investigate the monophyly of the section and the relation with other sections of the genus, Bayesian and parsimony analyses using one nuclear marker (ITS) and three plastid markers (matK, trnK intron, rps16-trnK) were performed. The results demonstrated that sect. Pentadactylae is highly polyphyletic. Based on the phylogenetic analyses and re-evaluation of morphological characters, Habenaria sect. Pentadactylae is re-circumscribed and seven species are accepted for the section: H. dutraei, H. ekmaniana, H. exaltata, H. henscheniana, H. megapotamensis, H. montevidensis and H. pentadactyla, while other 32 species were excluded. Habenaria crassipes is included under the synonym of H. exaltata. Lectotypes are designated for H. crassipes and H. recta. All species in the section are from marshes or wet grasslands and range from Northern Argentina, Uruguai, Paraguai and south, southeast and center of Brazil. The Rio Grande do Sul state (south Brazil), possibly constitute a diversity center of the section where every species can be founded. Most are rare, known by few populations, and threatened due to loss of habitat and population decline. The reproductive biology of two species from the section Pentadactylae, H. megapotamensis and H. montevidensis; and two species from the section Macroceratitae, H. johannensis and H. macronectar, were studied. All studied species offer nectar as floral reward concealed in a labellar process termed spur. Habenaria montevidensis is pollinated by Hesperiidae butterflies, while the remaining species are pollinated by Sphingidae moths. All studied species are self-compatible, but pollinator-dependent. The reproductive success is high (69.48 - 93%). At the study site, every four studied species are reproductively isolated by a set of factors that includes differing floral morphologies and different pollinators.

Page generated in 0.0667 seconds