• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 1413
  • 62
  • 35
  • 15
  • 13
  • 13
  • 13
  • 8
  • 7
  • 5
  • 2
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • Tagged with
  • 1537
  • 653
  • 342
  • 328
  • 296
  • 264
  • 216
  • 207
  • 201
  • 191
  • 190
  • 188
  • 186
  • 159
  • 150
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
11

Taxonomic review of Scinax fuscomarginatus (Lutz, 1925) and related species (Anura : Hylidae)

Estrada, Francisco Adolfo Brusquetti [UNESP] 02 September 2011 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2014-06-11T19:30:14Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2011-09-02Bitstream added on 2014-06-13T20:00:11Z : No. of bitstreams: 1 estrada_fab_me_rcla.pdf: 2848739 bytes, checksum: 7762a98a6409bfe1118c630b45226509 (MD5) / Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) / Scinax fuscomarginatus, S. parkeri, S. trilineatus e a recentemente descrita S. lutzorum são espécies muito similares morfologicamente que ocorrem em formações abertas da America do Sul ao leste dos Andes. Scinax parkeri e S. trilineatus tiveram sua validade taxonômica questionada enquanto S. fuscomarginatus é considerada por vários autores como um complexo de espécies. Levando em conta a similaridade morfológica e a incerteza taxonômica, nesse trabalho revisamos a taxonomia de Scinax fuscomarginatus, S. trilineatus, S. parkeri e S. lutzorum usando dados de morfologia externa, cantos de anúncio e sequências moleculares. Os principais objetivos foram investigar a existência de outras espécies sob o nome S. fuscomarginatus e avaliar o status taxonômico de S. parkeri, S. trilineatus, S. lutzorum e Hyla madeirae (único sinônimo de S. fuscomarginatus). Nas análises filogenéticas com dados moleculares encontramos uma profunda e rica estrutura genética tanto intra quanto inter-especifica. As amostras incluídas formaram um grupo monofilético bem suportado que está estruturado em vários clados e subclados. Hyla madeirae e a população da Serra do Cachimbo correspondem a subclados distintos enquanto as espécies atualmente válidas (S. fuscomarginatus, S. parkeri, S. trilineatus e S. lutzorum) se agrupam em um único clado. Este clado apresenta subestrutura marcada, mas a concordância entre subclados e as espécies reconhecidas é limitada. A alta variação intraespecífica e intrapopulacional encontrada nos caracteres morfológicos usados para a diagnose original das espécies não permitiu a diferenciação entre S. parkeri, S. trilineatus, S. lutzorum e S. fuscomarginatus. Entretanto, alguns caracteres permitem a distinção de Hyla madeirae e dos espécimens da Serra do Cachimbo / Scinax fuscomarginatus, S. parkeri, S. trilineatus and the recently described S. lutzorum are morphologically very similar species that occur in open formations of South America east of the Andes. Scinax parkeri and S. trilineatus had its taxonomic validity questioned, and S. fuscomarginatus is considered by many authors as a species complex. Given the morphological similarity and taxonomic uncertainty, we review the taxonomy of Scinax fuscomarginatus, S. parkeri, S. trilineatus, and S. lutzorum using data from external morphology, advertisement calls and molecular sequences. The main goals were to investigate the existence of other species under the name S. fuscomarginatus and assess the taxonomic status of S. parkeri, S. trilineatus, S. lutzorum and Hyla madeirae (the only synonym within S. fuscomarginatus). In the phylogenetic analysis obtained with the molecular data we found rich and deep genetic structure both within and between species. The samples included formed a well supported monophyletic group that is divided into several clades and subclades. The specimens of Hyla madeirae and those from Serra do Cachimbo corresponded to distinct subclades while the currently valid species (S. fuscomarginatus, S. parkeri, S. and S. trilineatus lutzorum) were grouped into a single clade. This clade showed marked substructure, but the concordance of the recognized species to subclades were limited. The high intrapopulation and intraspecific variation found in morphological characters used for the original diagnoses did not allow us to differ among S. parkeri, S. trilineatus, S. lutzorum and S. fuscomarginatus. However, some characters support the distinction of Hyla madeirae and specimens from Serra do Cachimbo. Similarly, none of valid species were distinguishable in morphometric analysis while Hyla madeirae and the specimens from Serra do Cachimbo showed a trend in having wider heads
12

Diversidade específica e de hábitat dos Cosmarium de parede lisa (Zygnemaphyceae) do estado de São Paulo

Araújo, Andréa de [UNESP] 17 November 2006 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2014-06-11T19:30:58Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2006-11-17Bitstream added on 2014-06-13T20:01:13Z : No. of bitstreams: 1 araujo_a_dr_rcla.pdf: 826295 bytes, checksum: a76352c46de75202817b50cefe4b2b0f (MD5) / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) / Cosmarium Corda ex Ralfs é, com cerca de 1.500 espécies, o gênero que apresenta a maior diversidade específica entre as desmídias e todas as algas de águas continentais. O atual inventário florístico abrangeu as formas do gênero que possuem parede celular lisa e considerou todas as referências feitas em literatura até o presente para o estado de São Paulo e foi complementado pela análise do material depositado no Herbário Científico do Estado Maria Eneyda P. Kauffmann Fidalgo (SP) e, inclusive, daquele coletado a partir de 2002 durante o desenvolvimento do Projeto Flora ficológica do estado de São Paulo (Programa BIOTA/FAPESP, Instituto Virtual de Biodiversidade). Foram identificados 64 táxons de níveis infragenéricos classificados em 38 espécies, 21 variedades que não são as típicas de suas respectivas espécies e cinco formas taxonômicas igualmente não típicas, porém, de suas respectivas variedades. A identificação dos 64 táxons foi feita com base em características, unicamente, da vida vegetativa. Tais características foram, principalmente, as dimensões do comprimento e da largura da célula e da largura do istmo, a forma das semicélulas, o número e a situação dos cloroplastos na célula e o número e a localização dos pirenóides no plasto. A espécie mais bem distribuída no estado foi C. angulosum Brébisson var. angulosum f. angulosum, que foi identificada de material proveniente de 12 municípios. Seguiu-a C. pyramidatum Brébisson var. pyramidatum identificada de material coletado em onze municípios. Constituem, neste trabalho, primeiras referências à ocorrência a de C. impressulum Elfving var. crenulatum (Nägeli) Krieger & Gerloff para o Brasil e as de C. bioculatum Brébisson var. bioculatum, C. connatum (Brébisson) Ralfs var. connatum e C. impressulum Elfving var. crenulatum (Nägeli) Krieger & Gerloff para o estado de São Paulo... / Cosmarium Corda ex Ralfs is, with about 1,500 species, the desmid genus that presents the greatest taxonomic diversity among the freshwater algae. Present floristic survey included all smooth-walled forms, and considered all references up to the present in the São Paulo State literature as well as the analysis of all material deposited in the Herbário Científico do Estado Maria Eneyda P. Kauffmann Fidalgo (SP), including that collected from 2002 on during the development of the project Flora ficológica do estado de São Paulo (Program BIOTA/FAPESP, Virtual Institute of Biodiversity). Sixty-four taxa were identified distributed in 38 species, 21 varieties that are not the typical of their respective species, and five taxonomical formae that are not also typical, but of their respective varieties. Identification of the 64 taxa was made on the basis of characteristics exclusively of the vegetative part of their life cycle. Such characteristics were, mainly, the linear dimensions of the cell length and breadth and of the isthmus breadth, the shape of the semicells, the number and situation of the chloroplasts in the cell, and the number and location of the pyrenoids in the plastid. The best distributed species in the state was C. angulosum Brébisson var. angulosum f. angulosum, which was identified from material gathered from 12 different municipalities. It was followed by C. pyramidatum Brébisson var. pyramidatum that was identified from material gathered from eleven municipalities. Identification of C. impressulum Elfving var. crenulatum (Nägeli) Krieger & Gerloff is pioneer for Brazil, and those of C. bioculatum Brébisson var. bioculatum, C. connatum (Brébisson) Ralfs var. connatum, and C. impressulum Elfving var. crenulatum (Nägeli) Krieger & Gerloff are pioneer for the state of São Paulo. Despite of indication of vegetative reproduction by cell division be relatively... (Complete abstract, click electronic address below)
13

Espécies de Pluteus Fr. (Agaricales, Basidiomycota) em fragmentos de Floresta Estacional no oeste do Paraná

Dias, Raphael de Lima January 2017 (has links)
Orientador : Prof. Dr. Vagner Gularte Cortez / Dissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Botânica. Defesa: Curitiba, 07/06/2017 / Inclui referências : f. 53-56 / Resumo: O Paraná possui uma micobiota relativamente bem estudada, possuindo mais de 1700 fungos registrados, porém a maior parte das ocorrências se limita às regiões Litorânea e Metropolitana de Curitiba e suas proximidades, onde predominam Florestas Ombrófilas Mista e Densa. Por outro lado, pouco se conhece sobre os fungos da Floresta Estacional Semidecidual, em especial do Oeste do Paraná. O presente estudo objetivou-se contribuir ao conhecimento da micobiota do Oeste do Paraná, em particular do gênero Pluteus Fr. Os fungos deste gênero se caracterizam pelos basidiomas pluteoides, lamelas livres de cor rosa, basidiósporos lisos, trama da lamela inversa e ausência de véu universal. Pluteus é o maior gênero da família Pluteaceae, com cerca de 300 espécies, das quais 34 são conhecidas no Paraná. O estudo foi realizado em dois fragmentos de Floresta Estacional Semidecidual: Parque Estadual de São Camilo (PESC), unidade de conservação localizada no município de Palotina, e Reserva Particular do Patrimônio Natural Fazenda Açú (RFA), situada no município de Terra Roxa. O material de estudo foi obtido a partir de coletas quinzenais, entre maio/2015 a abril/2016. Espécimes do gênero, depositados no Herbário do Campus Palotina também foram analisados e incluídos neste estudo. Desde o início do trabalho em campo foram realizadas 30 coletas entre as áreas, e como resultado, foram obtidos 52 espécimes; desse total trinta foram analisados. Para a identificação foram avaliadas as características macroscópicas e microscópicas de acordo com técnicas padronizadas para este grupo de fungos. Foram encontradas 18 espécies: Pluteus argentinensis, P. cervinus, P. diptychocystis, P. dominicanus var. hyalinus, P. globiger, P. glaucotinctus, P. riograndensis, P. xylophilus, Pluteus sp. 1, Pluteus sp. 2, Pluteus sp. 3, Pluteus sp. 4, Pluteus sp. 5, Pluteus sp. 6, Pluteus sp. 7, Pluteus sp. 8, Pluteus sp. 9 e Pluteus sp. 10. As últimas espécies definidas como sp. apresentam possíveis novas descobertas para a ciência. A confirmação das novas espécies ampliará o conhecimento do gênero Pluteus em áreas de Floresta Estacional Semidecidual, possibilitando uma caracterização da micobiota local mais detalhada. Palavras chave: Fungos lignícolas, Micobiota, Pluteaceae, Taxonomia. / Abstract: The State of Paraná has a relatively well studied mycobiota, with more than 1700 fungi registered. However, most of the occurrences are limited to the shoreline, the Metropolitan region of Curitiba and its surroundings, where Mixed and Dense Ombrophilous Forests predominate. Little is known about the fungi of the Semideciduous Seasonal Forest, especially in the West of Paraná. This contributes to the knowledge on the Mycobiota of that region, in particular for the genus Pluteus Fr. The fungi of this genus are characterized by pluteoid basidiomas, pink lamellae, smooth basidiospores, reverse lamella weft and absence of universal veil. Pluteus is the largest genus in the Pluteaceae family, with about 300 species, of which 34 are known in Paraná. The study was carried out in two fragments of the Semideciduous Seasonal Forest: São Camilo State Park (PESC), a conservation unit located in the town of Palotina, and the Private Natural Heritage Reserve Açú Farm (RFA), located in the town of Terra Roxa. The study material was obtained from biweekly collections between May 2015 and April 2016. Specimens of the genus deposited in the Universidade Federal do Paraná, Palotina Campus Herbarium were also analyzed and included in this study. A total of 30 collections were carried out in both areas, and 52 specimens were obtained. From this total, 30 were analyzed. For the identification, macroscopic and microscopic characteristics were evaluated according to standardized techniques for this group of fungi. A total of 18 species were identified: Pluteus argentinensis, P. cervinus, P. diptychocystis, P. dominicanus var. hyalinus, P. globiger, P. glaucotinctus, P. riograndensis, P. xylophilus, Pluteus sp. 1, Pluteus sp. 2, Pluteus sp. 3, Pluteus sp. 4, Pluteus sp. 5, Pluteus sp. 6, Pluteus sp. 7, Pluteus sp. 8, Pluteus sp. 9 and Pluteus sp. 10. The last species defined as sp. present possible new discoveries for science. The confirmation and description of the new species will extend the knowledge on the genus Pluteus in areas of Seasonal Semideciduous Forest, enabling a more detailed characterization for the local mycobiota. Key words: Lignicolous fungi, Mycobiota, Pluteaceae, Taxonomy.
14

Diatomáceas perifíticas (Ochrophyta) do rio Gonçalves Dias, Parque Nacional do Iguaçu, Paraná, Brasil

Piccinini, Cristiane 24 July 2009 (has links)
No description available.
15

Espécies de Hyalella Smith, 1874 (Crustacea, Amphipoda, Dogielinotidae) encontradas em ambientes subterrâneos

Cardoso, Giovanna Monticelli January 2013 (has links)
O gênero Hyalella Smith, 1874 abriga os anfípodos gamarídeos de ambientes de água doce, restritos ao continente americano. O Brasil apresenta uma alta diversidade de espécies quando comparado a outros países, mas a fauna subterrânea ainda é pouco conhecida. O presente estudo tem como objetivo identificar e descrever as espécies de Hyalella encontradas em áreas subterrâneas nas regiões Sul e Sudeste do Brasil. Hyalella sp. nov. 1 é a primeira espécie troglóbia descrita para o estado de Minas Gerais, com distribuição restrita a Gruta Vereda da Palha. A espécie apresenta caracteres troglomórficos como a redução dos olhos, ausente em alguns exemplares; as antenas possuem tamanhos similares; cinco setas serradas na face medial do própodo do gnatópodo 1; gnatópodo 2 com palma irregular, fortemente inclinada e urópodo 1 com uma seta curva no ramo interno. Hyalella sp. nov. 2 é a primeira espécie troglóbia descrita para o estado do Paraná, restrita a Caverna das Andorinhas. Esta espécie possui caracteres morfológicos troglomórficos como olhos ausentes e antena 1 maior que a antena 2; o gnatópodo 1 com formato do própodo oval e cinco setas serradas na face medial ventral; gnatópodo 2 com própodo alongado e oval, com palma lisa fortemente inclinada; dáctilo longo, ultrapassa a metade do comprimento do própodo e urópodo 1 com uma seta curva no ramo interno. Hyalella sp. nov. 3 possui uma ampla distribuição pelos rios epígeos e hipógeos dos parques PEI e PETAR no estado de São Paulo, o que a classifica como uma espécie troglófila, suas características incluem os olhos bem desenvolvidos e pigmentados; antena 1 menor que antena 2; própodo do gnatópodo 1 com sete a treze setas serradas na face medial ventral e gnatópodo 2 com a palma do própodo irregular, pouco inclinada. A adição de um novo caracter morfológico em relação ao ângulo de inclinação da palma do gnatópodo 2 pode auxiliar na identificação de todas as espécies de Hyalella. Este trabalho evidencia a semelhança entre três, das cinco espécies hipógeas encontradas no Brasil: H. imbya Rodrigues & Bueno, 2012; Hyalella sp. nov. 1; Hyalella sp. nov. 2, que apresentam a palma fortemente inclinada, enquanto a Hyalella sp. nov. 3 é a única espécie até o momento que apresenta a palma pouco inclinada. Além da descrição de duas espécies hipógeas e uma epígea do gênero Hyalella, uma chave de identificação foi proposta para as espécies troglomórficas brasileiras e, novas localidades de ocorrência são registradas para Hyalella warmingi Stebbing, 1899. Com a adição destas espécies o percentual de espécies troglomórficas brasileiras aumenta de 17,6% para 25%. / The genus Hyalella Smith, 1874 is composed by freshwater amphipods, restricted to American continental waters. Brazil shows a high diversity of species compared to other countries, but the subterranean fauna still is poorly known. This study aims to identify and describe the species of Hyalella found in subterranean areas in the South and Southeast of Brazil. Hyalella sp. nov. 1 is the first troglobite species described for the state of Minas Gerais, with restricted distribution to Vereda da Palha cave. The species has troglomorphic characters such as eye reduction, absent in some specimens; antennas with similar size; gnathopod 1 with five setae on the medial face of propodus; gnathopod 2 with palm irregular and strongly inclined and uropod 1 with a curved seta.Hyalella sp. nov. 2 is the first troglobite species described for the state of Paraná, restricted to Andorinhas cave. This species has troglomorphic characters such as missing eyes and antenna 1 longer than antenna 2; propodus of gnathopod 1 elongated and oval, with five setae on the medial face; propodus of gnathopod 2 is elongated and oval, with palm smooth strongly inclined; dactylus long, exceeds half the length of propodus and uropod 1 with a curved seta.Hyalella sp. nov. 3 has a wide distribution in epygean and hypogean rivers in two state parks of São Paulo, which classifies the species as troglophile, its features include eyes well developed and pigmented; antenna 1 shorter than antenna 2; propodus of the gnathopod 1 with seven to thirteen setae on the medial face and propodus of gnathopod 2 with irregular palm, slightly tilted. The addition of a new morphological character referred to the palm inclination of the gnathopod 2 can help identify all species of Hyalella. This study highlights the similarity between three of five species found in Brazil hypogean waters: H. imbya Rodrigues & Bueno, 2012; Hyalella sp. nov. 1; Hyalella sp. nov. 2, that have palm strongly tilted, while Hyalella sp. nov. 3 is the only species so far that shows palm slightly tilted. Besides the description of two new hypogean species and one epygean of the genus of Hyalella, an identification key was proposed for troglomorphic species of Brazil and new localities of occurrence are recorded for Hyalella warmingi Stebbing, 1899. With the addition of these species the percentage of Brazilian troglomorphic species increases from 17.6% to 25%.
16

Revisão taxonômica e filogenia molecular de Callicostella (Müll. Hal.) Mitt. para região neotropical

Silva, Ana Gabriela Duarte 09 August 2016 (has links)
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Biológicas, Departamento de Botânica, Programa de Pós-Graduação em Botânica, 2016. / Submitted by Fernanda Percia França (fernandafranca@bce.unb.br) on 2016-12-23T16:25:13Z No. of bitstreams: 1 2016_AnaGabrielaDuarteSilva.pdf: 21257825 bytes, checksum: 74e74b186ac78f669ac172403267fcfd (MD5) / Approved for entry into archive by Patrícia Nunes da Silva(patricia@bce.unb.br) on 2017-01-26T10:51:18Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2016_AnaGabrielaDuarteSilva.pdf: 21257825 bytes, checksum: 74e74b186ac78f669ac172403267fcfd (MD5) / Made available in DSpace on 2017-01-26T10:51:18Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2016_AnaGabrielaDuarteSilva.pdf: 21257825 bytes, checksum: 74e74b186ac78f669ac172403267fcfd (MD5) / A região neotropical é uma ecozona e apresenta alto grau de endemismo. Para a flora essa região abrange desde o sul do México até o extremo sul do Brasil. Das 97 espécies de Callicostella aceitas mundialmente 47 ocorrem na região neotropical. O gênero é bastante diverso, com ausência de características exclusivas, dificultando a sua circusncrição dentro de Pilotrichaceae. Além disso, as espécies de Callicostella também são muito parecidas morfologicamente o que também dificulta a delimitação de cada uma. O objetivo deste trabalho foi circunscrever o gênero Callicostella utilizando uma filogenia molecular como ferramenta. Foi identificado um core monofilético na hipótese de história evolutiva, que passou a ser reconhecido como gênero. Dentro do core foram identificadas cinco espécies, C. apophysata, C. crenata, C. depressa, C. merkelii e C. pallida. Para todas as espécies foi realizado o tratamento taxonômico, incluindo descrições, pranchas com fotos, mapas de distribuição e status de conservaçãoo baseado nos critérios da IUCN. / The Neotropics is an ecozone and has a high degree of endemism. For the flora, this region extends from southern Mexico to southern Brazil. Of the 97 species of Callicostella accepted worldwide, 47 occur in the Neotropics. The genus is quite diverse, with no unique features, making it difficult to circunscribe within Pilotrichaceae. Additionally, species of Callicostella are also similar morphologically, which also hinders the definition of each. The goal of this study was to circumscribe the Callicostella using a molecular phylogeny as a tool. A monophyletic core has been identified in phylogeny, which has been recognized as a genus. Within the core five species were identified, C. apophysata, C. crenata, C. depressa, merkelii C. and C. pallida. For all species was performed taxonomic treatment, including descriptions, boards with photographs, distribution maps and status conservaçãoo based on the IUCN criteria.
17

Taxonomia, paleoecologia e paleofitogeografia de frondes pecopterídeas do neopaleozóico da América do Sul

Vieira, Carlos Eduardo Lucas January 2004 (has links)
Os estudos desenvolvidos com amostras pecopterídeas do Eeopermiano (Formação Rio Bonito) e Neopermiano (Formação Rio do Rastro), da Bacia do Paraná (Brasil), bem como do Eopermiano (Formação Copacabana) e Neopermiano (Formação Chutani) do Grupo Titicaca (Bolívia), produziram importantes resultados taxonômicos, paleoecológicos e fitogeográficos, ressaltando o papel destes elementos nas paleofloras do Neopaleozóico sulamericano. As análises taxonômicas permitiram estabelecer novos padrões espaciais de ocorrência, um novo modelo de evolução morfológica às frondes pecopterídeas polimórficas, bem como corrigir alguns erros nomenclaturais. Asterotheca PRESL é considerado um morfo-gênero de pecopterídea fértil e não um gênero natural como proposto originalmente. A. tem Pecopteris BRONGNIART como estágio estéril obrigatório, mas A. não é necessariamente o único estágio fértil possível de P. As diagnoses de A. piatnitzkyi FRENGUELLI e P. pedrasica READ são aqui emendadas. A. piatnitzkyi é registrada pela primeira vez no Brasil (na Formação Rio Bonito, Eopermiano da Bacia do Paraná) e A. cf. A. anderssonii HALLE e P. anderssonii são registradas na Bolívia (na Formação Copacabana, Eopermiano do Grupo Titicaca). Embora sejam taxonomicamente indefinidos, a presença de Asterotheca sp. 1, P. sp. 1, P. sp. 2, P. sp. 3 e P. sp. 4 em estratos eopermianos da Bolívia (Formação Copacabana, Grupo Titicaca) e de A. sp. 2, A. sp. 3, P. sp. 5, P. sp. 6 e P. sp. 7 em estratos neopermianos do Brasil (Formação Rio do Rasto, Bacia do Paraná) estabelecem novos padrões de diversidade pecopterídea para o Neopaleozóico sul-americano. Análises tafonômicas possibilitaram a proposição de dois modelos distintos de preservação de pecopterídeas, no qual espécies férteis correspondentes a Asterotheca e estéreis correspondentes a Pecopteris, acabam simulando a aparência de Dizeugotheca. Foram reconhecidas diferenças ecomorfológicas qualitativas entre associações pecopterídeas do Eopermiano e Neopermiano da América do Sul, bem como diferenças quantitativas entre as associações Neopermianas. Nas associações pecopterídeas do Eopermiano predominam os caracteres hidromórficos, enquanto que nas do Neopermiano predominam caracteres xeromórficos. Neste último caso, há também uma diferença qualitativa entre as associações pecopterídeas da margem oeste e do interior do Gondvana. Tais distinções estão de acordo com os modelos paleoecológicos e paleoambientais vigentes. A estrutura demográfica homogênea observada nas associações pecopterídeas estudadas concordam com o modelo vegetacional decidual proposto historicamente à Flora Glossopteris. As pecopterídeas estrearam na América do Sul no Neocarbonífero, na Flora Euroamericana existente em sua região norte, mas alcançaram a região sul ainda neste tempo. A evolução das pecopterídeas ao longo do Eopermiano da América do Sul indica um aumento no grau de endemismo, sendo diretamente proporcional à distância que tais elementos encontrem-se da Flora Euro-americana e ao tempo. Na Flora Glossopteris da América do Sul é possível reconhecer quatro regiões distintas: Área Andina; Área Patagônica; Área Sul-Brasileira; e Área Norte. Durante o Neopermiano da América do Sul, as altas taxas de diversidade inter-específica foram mantidas, mas a maioria das antigas pecopterídeas foram completamente substituídas por novos elementos. Como resultado destes re-arranjos florístico, mas somente duas distintas regiões puderam ser reconhecidas: Área Norte e Área Sul. / Studies made herein with pecopterid samples from Eopermian (Rio Bonito Formation) and Neopermian (Rio do Rasto Formation) of Paraná Basin (Brazil) and from Eopermian (Copacabana Formation) and Neopermian (Chutani Formation) of Titicaca Group (Bolivia) brought important taxonomical, paleoecological and phytogeographical results. The taxonomic analyses allowed establish new spatial occurrence patterns, new model of morphologic evolution to polymorphic pecopterid fronds and solve some nomenclatural mistakes. In this sense, Asterotheca PRESL is here considered as a fertile pecopterid morpho-genus and not a natural genus as originally proposed. A. have obligatory Pecopteris BRONGNIART as your sterile stage, but A. is not necessarily the only fertile stage of P. The diagnosis of A. piatnitzkyi FRENGUELLI and P. pedrasica READ are here enlarged. For the first time, A. piatnitzkyi is recorded in Brazil (in Rio Bonito Formation, Eopermian of Paraná Basin), and A. cf. A. anderssonii HALLE and P. anderssonii BRONGNIART are recorded in Bolivia (in Copacabana Formation, Eopermian of Titicaca Group). Although they are taxonomically undefined, the presence of Asterotheca sp. 1, Pecopteris sp. 1, P. sp. 2, P. sp. 3 e P. sp. 4 in Bolivian Eopermian beds (Copacabana Formation, Titicaca Group), and of A. sp. 2, A. sp. 3, P. sp. 5, P. sp. 6 and P. sp. 7 in Brazilian Neopermian beds (Rio do Rasto Formation, Paraná Basin) establish new pecopterid diversity patterns to South-American Neopaleozoic. Taphonomic analyses permitted propose two distinct models of pecopterid preservation, in which fertile specimens of Asterotheca and sterile specimens of Pecopteris simulated the Dizeugotheca ARCHANGELSKY & De La SOTA appearance. There is predominance of hidromorphic features in Eopermian pecopterid associations and of xeromorphic features in Neopermian pecopterid associations. In this last case, there are also quantitative differences between the xeromorphic features observed in western and inner pecopterid Gondvana associations. These distinctions deal with current paleoecological and paleoenvironmental models. The homogeneous demographic structure observed in the studied pecopterid associations deal with the decidual model historically proposed to Glossopteris Flora. The pecopterids debut in South America during the Neocarboniferous, in the Euroamericam Flora existent in its north region, but they reach the south region evens in this time. The evolution of pecopterids throughout South American Permian shown an increase in endemism levels, which are directly proportional to its Euroamerican Flora distance and to the time. Four distinct regions are recognised in the Eopermian of South America Glossopteris Flora: the Andean Area, the Patagonian Area, the South-Brazilian Area and the North Area. During the Neopermian of South America, the inter-specific diversity persisted high but a lot of ancient pecopterids are replaced by new elements. As a result of this floristic rearrangement, only two distinct regions were distinguished: the North Area and the South Area.
18

Filogeografia e diversidade genética de Aechmea caudata (Lindm.) e A. winkleri (Reitz) (Bromeliaceae) : implicações taxonômicas

Goetze, Márcia January 2010 (has links)
O Brasil abriga cerca de 50% das espécies de bromélias, sendo o leste brasileiro o centro de diversidade para a subfamília Bromelioideae. Aechmea caudata e A. winkleri são espécies endêmicas da Mata Atlântica, ameaçadas de extinção, fazendo parte de um grupo de difícil delimitação taxonômica do subgênero Ortgiesia. Elas são preferencialmente saxícolas, apresentam flores de pétalas amarelas, com alta taxa de reprodução clonal. Com o objetivo de entender o relacionamento entre A. caudata e A. winkleri, foram realizadas análises filogeográficas, baseadas em microssatélites plastidiais, e análises morfológicas (Capítulo 2). Oitenta e seis indivíduos de A. caudata e 59 de A. winkleri foram amostrados ao longo de toda a distribuição geográfica das espécies, totalizando 13 populações. Os resultados obtidos revelaram o compartilhamento de 12 dos 41 haplótipos detectados e a formação de dois clados distintos, um para cada espécie, a partir das análises morfológicas. Apesar dos resultados obtidos suportarem parcialmente a classificação de A. caudata e A. winkleri como duas espécies distintas, a complexa rede filogeográfica encontrada indica que mais estudos se fazem necessários para o completo entendimento do relacionamento desses taxa. Com a análise dos padrões biogeográficos, duas regiões para A. caudata e uma para A. winkleri foram sugeridas como possíveis refúgios durante as oscilações climáticas do Quaternário. Uma biblioteca de microssatélites nucleares foi construída para a espécie A. winkleri, sendo nove pares de “primers” desenhados (Capítulo 3). Estes marcadores foram testados em 20 indivíduos de quatro populações, porém sem obtenção de um padrão claro e polimórfico de amplificação para nenhum loco. No Capítulo 4, foram descritos os padrões de diversidade genética e estruturação populacional para A. winkleri, utilizando três locos heterólogos de microssatélites nucleares. Foram amostradas quatro populações, totalizando 142 indivíduos. Os resultados indicaram índices de diversidade genética semelhantes aos encontrados para outras espécies de bromélias (HO = 0,556 e HE = 0,630). A riqueza alélica média foi de 3,6 alelos por loco. As populações de A. winkleri apresentaram uma estruturação moderada (FST = 0,082), com um número de migrantes variando entre 1,654 e 4,933 indivíduos por geração. As populações apresentaram desvios significativos do Equilíbrio de Hardy-Weinberg, com um coeficiente de endocruzamento (FIS) médio de 0,152. A conectividade entre as populações, o sistema de cruzamento alógamo e a dispersão das sementes por pássaros podem ser os responsáveis pelos altos índices de diversidade encontrados e pela homogeneização das populações de A. winkleri. / Brazil is home to about 50% of bromeliads species and the eastern Brazilian region is the diversity center for the Bromelioideae subfamily. Aechmea caudata and A. winkleri are endemic and endangered species of the Atlantic Rainforest. These species are part of a group with taxonomic delimitation problems of the subgenus Ortgiesia. They are preferably saxicolous having flowers with yellow petals and high clonal reproduction. In order to understand the relationship between A. caudata and A. winkleri, phylogeographic analysis based on plastid microsatellite and morphological analyses were performed (Chapter 2). Eighty-six individuals of A. caudata and 59 of A. winkleri were sampled throughout the geographical distribution range of the species, totaling 13 populations. The results revealed that 12 out of the 41 haplotypes detected were shared between the two species and the morphological analysis indicated the formation of two distinct clades, one for each species. Although the results partially supported the classification of A. caudata and A. winkleri as two distinct species, the complex phylogeographic network found indicates that further studies are necessary for complete understanding of the relationship of these taxa. With the analysis of biogeographical patterns, two regions for A. caudata and one for A. winkleri were suggested as possible refuges during the Quaternary climate change. A library of nuclear microsatellites was constructed for A. winkleri and nine pairs of primers designed (Chapter 3). These markers were tested in 20 individuals from four populations, but without obtain a clear and polymorphic amplification pattern. In Chapter 4, the patterns of genetic diversity and population structure for A. winkleri were described using three heterelogous nuclear microsatellite loci. We sampled four populations, totaling 142 individuals. The results indicated levels of genetic diversity close to others bromeliads species (HO = 0.556 and HE = 0.630). The averaged allelic richness was 3.6 alleles per locus. The populations of A. winkleri showed a moderate structure (FST = 0.082), with a number of migrants ranging from 1.654 to 4.933 individuals per generation. The populations showed significant deviations from Hardy- Weinberg Equilibrium, with an averaged inbreeding coefficient (FIS) of 0.152. The connectivity among populations, the allogamous mating system and seed dispersal by birds may be responsible for the high levels of diversity found and the homogenization of A. winkleri populations.
19

Taxonomia, distribuição geográfica potencial e conservação das espécies de Phyllomedusa do grupo hypochondrialis / Taxonomy, potencial geographical distribuition and conservation of phyllomedusa from hypochondrialis species group

Alvares, Guilherme Fajardo Roldão 02 1900 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Tecnologia, Departamento de Engenharia Florestal, 2009. / Submitted by Raquel Viana (tempestade_b@hotmail.com) on 2010-03-30T15:19:32Z No. of bitstreams: 1 2009_GuilhermeFajardoRoldaoAlvares.pdf: 1896661 bytes, checksum: 365562910a5dca8402aedded3a1e1f63 (MD5) / Approved for entry into archive by Daniel Ribeiro(daniel@bce.unb.br) on 2010-05-07T17:17:22Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2009_GuilhermeFajardoRoldaoAlvares.pdf: 1896661 bytes, checksum: 365562910a5dca8402aedded3a1e1f63 (MD5) / Made available in DSpace on 2010-05-07T17:17:22Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2009_GuilhermeFajardoRoldaoAlvares.pdf: 1896661 bytes, checksum: 365562910a5dca8402aedded3a1e1f63 (MD5) Previous issue date: 2009-02 / Os anfíbios estão entre os vertebrados terrestres que possuem a maior riqueza de espécies no mundo e maiores índices de declínios e extinções constatados. Dentre os anfíbios anuros a subfamília Phyllomedusinae se destaca por apresentar características únicas como coloração dorsal verde, pupilas na posição vertical e secreções cutâneas promissoras na indústria farmacológica. O gênero Phyllomedusa é composto por 32 espécies distribuídas em quatro grupos fenéticos, onde se destaca o grupo hypochondrialis por possuir maior número de espécies. O presente estudo apresenta informações inéditas sobre a vocalização e a biologia reprodutiva de algumas espécies do grupo hypochondrialis, incluindo a espécie criticamente ameaçada de extinção, análises estatísticas utilizando variáveis morfométricas dos adultos, vocalização e desova foram conduzidas para propor novos arranjos taxonômicos. Modelagem de ditribuição geográfica das espécies utilizando o algorítmo de Máquinas de Suporte Vetorial foi utilizado para prever a ocorrência das espécies e apontar áreas adequadas a ocorrência de novas populações e novas espécies no Brasil. O resultado das análises estatísticas mostram a existência de dois grupos ecologicamente e morfologicamente distintos dentro do grupo hypochondrilias, grupo megacephala e grupo hypochondrialis. Os modelos preditivos revelaram uma distribuiçãodo grupo megacephala associada às regiões serranas do planalto central brasilieiro e indicaram as áreas da Chapada dos Parecis e Chapada da Diamantina como potenciais regiões para à ocorrência de novas populações e até novas espécies de Phyllomedusa do grupo megacephala. Por fim, sugerimos a inclusão das espécies de phyllomedusa com padrão reticulado nos flancos na lista dos animais ameaçados na categoria de vulneráveis devido a restrita distribuição, rápida alteração dos ambientes naturais e por apresentar características comuns às espécies de anfíbios extintos ou com declínios na população. _________________________________________________________________________________ ABSTRACT / Amphibians are among the terrestrial vertebrates with most species richness in the world and also with greatest numbers of extinctions and population declines. Within the amphibians the subfamily Phyllomedusinae stands out for its green dorsal coloration, vertical pupils and promising cutaneous secretion for pharmacological uses. The genus Phyllomedusa is composed by 32 species distributed in four phenetic groups, where hypochondrialis group is highlighted for possessing larger number of species. The present study presents unpublished data about vocalization and reproductive biology of some species from the hypochondrialis species group including a critically endanger species. Statistical analyses were conducted and a new taxonomic arrangement was proposed based on adult morphological measures, call and nest variables. Models of species potential geographical distribution were conducted using support vector machines and suitable regions for the occurrence of new populations and new species related to the group were pointed out in Brazil. The statistical results revealed the existence of two species groups morphologically and ecologically distinct within the hypochondrialis species group, megacephala and hypochondrialis group. Predictive models revealed that Phyllomedusa megacephala species group are associated to the Brazilian plateau and areas of Chapada dos Parecis and Chapada Diamantina were pointed out as potential regions for the occurrence of new populations and even new species of this group. Finally, we suggest that the Phyllomedusa species with reticulated patterns on flanks may need to be included on the red list under the category of vulnerable species for its restricted distribution, loss of habitat and also for its biological similarities with frogs with known population declines and extinctions.
20

O gênero Eriosema (Leguminosae, Papilionoideae) no Sudeste do Brasil e estudos filogenéticos nas espécies Americanas.

Cândido, Elisa Silva January 2014 (has links)
Programa de Pós-Graduação em Ecologia de Biomas Tropicais. Departamento de Biodiversidade, Evolução e Meio Ambiente, Instituto de Ciências Exatas e Biológicas, Universidade Federal de Ouro Preto. / Submitted by Oliveira Flávia (flavia@sisbin.ufop.br) on 2014-12-19T11:46:36Z No. of bitstreams: 1 DISSERTAÇÃO_GêneroEriosemaLeguminosae.pdf: 6483763 bytes, checksum: f692a087ce69aca8a00e6048625966e1 (MD5) / Approved for entry into archive by Gracilene Carvalho (gracilene@sisbin.ufop.br) on 2015-01-15T17:24:22Z (GMT) No. of bitstreams: 1 DISSERTAÇÃO_GêneroEriosemaLeguminosae.pdf: 6483763 bytes, checksum: f692a087ce69aca8a00e6048625966e1 (MD5) / Made available in DSpace on 2015-01-15T17:24:22Z (GMT). No. of bitstreams: 1 DISSERTAÇÃO_GêneroEriosemaLeguminosae.pdf: 6483763 bytes, checksum: f692a087ce69aca8a00e6048625966e1 (MD5) Previous issue date: 2014 / Esta dissertação trata do estudo taxonômico das espécies de Eriosema ocorrentes na região Sudeste do Brasil e um estudo filogenético das espécies Americanas. O primeiro capítulo é intitulado “Eriosema (DC.) Desv. (Leguminosae-Papilionoideae) no Sudeste do Brasil”. Neste estudo foram registrados 26 táxons: Eriosema benthamianum Mart. ex Benth., E. campestre Benth. var. campestre, E. campestre var. macrophyllum (Grear) Fortunato, E. congestum Benth., E. crinitum (Kunth) G.Don var. crinitum, E. defoliatum Benth., E. floribundum Benth., E. glabrum Mart. ex Benth., E. glaziovii Harms, E. hatschbachii Fort.-Perez & G.P.Lewis, E. heterophyllum Benth., E. longiflorum Benth., E. longifolium Benth., E. obovatum Benth., E. platycarpon Micheli, E. pycnanthum Benth., E. riedelii Benth., E. rigidum Benth., E. rufum var. macrostachyum (DC.) G.Don, E. rufum (Kunth) G.Don var. rufum, E. simplicifolium (Kunth) G.Don, E. stenophyllum Harms, E. strictum Benth., E. prorepens Benth., E. tacuaremboense Arechav. e E. tozziae Cândido & Fort.-Perez. Eriosema tacuaremboense consiste em uma nova citação para o estado de Minas Gerais, além da descoberta de duas espécies novas, E. hatschbachii e E. tozziae. Os resultados do segundo capítulo intitulado “Filogenia das espécies americanas de Eriosema (Leguminosae, Papilionoideae)” sustentam o monofiletismo de Eriosema, porém as relações entre os gêneros ainda precisam ser melhor estudadas.

Page generated in 0.0517 seconds