• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 1413
  • 62
  • 35
  • 15
  • 13
  • 13
  • 13
  • 8
  • 7
  • 4
  • 2
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • Tagged with
  • 1536
  • 652
  • 342
  • 328
  • 296
  • 264
  • 216
  • 207
  • 201
  • 191
  • 190
  • 188
  • 186
  • 159
  • 150
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Identificação e caracterização de levedura do gênero Lachancea Kurtzman isolada de mosto de alambique da Zona da Mata do Estado de Pernambuco

PEREIRA, Luciana Filgueira 31 January 2009 (has links)
Made available in DSpace on 2014-06-12T15:02:38Z (GMT). No. of bitstreams: 1 license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2009 / Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico / O presente trabalho teve como objetivo a identificação de um isolado de levedura coletado de um alambique no município de Paudalho-PE preliminarmente identificado como Zygosaccharomyces sp. Para elucidar o posicionamento taxonômico deste isolado foram utilizados os métodos taxonômicos convencionais e moleculares e feitas algumas inferências filogenéticas. Os ascos produzidos pelo isolado SPC2(7) assumiram a forma de halteres típica de espéciesdos gêneros Zygosaccharomyces e Lachancea. Os ensaios de assimilação de diferentes fontes de carbono e de nitrogênio e os testes de capacidade fermentativa mostraram que este isolado apresenta características fisiológicas distintas de todas as espécies pertencentes a ambos os gêneros. Já os padrões fenéticos obtidos com o uso de marcadores do tipo DNA-fingerprinting , mostraram a similaridade do isolado SPC2(7) com as espécies Lachancea cidri e Lachancea fermentati. A seqüência de nucleotídeos da região D1/D2 do gene ribossomal 26S confirmou que o isolado SPC2(7) pertence ao gênero Lachancea, além de mostrar sua completa similaridade com a seqüência homóloga da linhagem IFO11066 isolada no Japão que foi parcialmente classificada como Zygosaccharomyces sp. As análises de agrupamento genético tanto da seqüência D1/D2 como ITS1-5.8s-ITS2 pelos métodos de Máxima Verossimilhança e Neighbor-joining definiram o isolado SPC2(7) como um ramo filogeneticamente distinto de L. cidri e L. fermentati. A partir destes resultados, pode-se sugerir que o isolado SPC2(7) corresponde a um representante de uma nova espécie de levedura denominada neste trabalho como Lachancea mirantinus
2

Variabilidade morfológica de Laeonereis (Hartman, 1945) (Polychaeta: Nereididae) ao longo do atlantico Ocidental

Oliveira, Veronica Maria de 02 March 2010 (has links)
No description available.
3

Diatomáceas perifíticas em substratos natural e artificial, reservatório do Rio passaúna, Região Metropolitana de Curitiba, Paraná

Bertolli, Lucielle Merlym 27 April 2010 (has links)
No description available.
4

Estudo taxonômico do gênero Manettia Mutis ex L. (Rubiaceae) no Sul do Brasil

Marinero, Felipe Eduardo Cordeiro 18 May 2010 (has links)
No description available.
5

Agaricales (basidiomycota) em fragmentos de floresta estacional semidecidual no Oeste do Paraná, Brasil

Silva Filho, Alexandre Gonçalves dos Santos e January 2017 (has links)
Orientador : Prof. Dr. Vagner Gularte Cortez / Dissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Botânica. Defesa: Curitiba,30/01/2017 / Inclui referências : f. 167-189 / Resumo: Agaricales reúne fungos que produzem basidiomas predominantemente agaricoides, mas também abrangem formas gasteroides, secotioides, cifeloides, poroides, clavarioides e corticioides. No Brasil estão registradas atualmente 926 espécies, com numerosos registros na região sul, principalmente nos estados do Rio Grande do Sul e Paraná. No Paraná, mais de 600 espécies são mencionadas na literatura, porém os estudos se concentram em áreas de Floresta Ombrófila Mista e Densa. Com o objetivo de contribuir ao conhecimento da micobiota da Floresta Estacional Semidecidual do oeste do Paraná, o presente trabalho apresenta resultados do levantamento de Agaricales na região. As coletas foram realizadas entre Janeiro e Dezembro de 2015 no Parque Estadual de São Camilo, e Reserva Particular do Patrimônio Natural Fazenda Açú remanescente de Floresta Estacional Semidecidual, localizados nos municípios de Palotina e Terra Roxa, respectivamente. O estudo compreendeu análise morfológica (macroscópica e microscópica) e identificação dos espécimes, segundo a literatura especializada. Os espécimes foram preservados no Herbário do Campus Palotina (HCP) e os holótipos no Herbário do Departamento de Botânica (UPCB), ambos da Universidade Federal do Paraná. Foram analisados 578 espécimes, representando 76 espécies, distribuídas em 49 gêneros de 16 famílias. Clitocella pallescens e Panaeolus silvaticus são propostas como novas espécies para a ciência. Clitocella himantiigena é proposta nova combinação. Copelandia mexicana, Crepidotus mexicanus, Tricholosporum tropicale e Tubaria bispora são novos registros para a América do Sul. O gênero Clitocella é citado pela primeira vez no Brasil. Agaricus ochraceosquamulosus, Clitocella himantiigena, Gymnopilus chrysopellus, Leucoagaricus coerulescens, Marasmiellus atrosetosus e Rhodocybe galerinoides são novos registros para o Brasil. Agaricus endoxanthus, Crepidotus crocophyllus, Hohenbuehelia mastrucata, Lepiota lilacea, Leucocoprinus straminellus, Mycena euspeirea, Mycena holoporphyra, Pleurotus opuntiae e Psilocybe yungensis são novos registros para o Estado do Paraná. Outras 29 são novas ocorrências para Floresta Estacional Semidecidual do estado do Paraná. O grande número de espécimes coletadas assim como o de espécies identificadas demonstra que esse é um grupo bastante diverso nos estudos de diversidade de Fungos s.l. e também amplamente diverso nesse ecossistema. A continuidade desse estudo com ênfase em grupos pouco estudados deve revelar novos registros de espécies ainda desconhecidas para a região assim como novidades taxonômicas. Palavras-chave: Agaricomycetes, biodiversidade, Floresta Atlântica s.l., taxonomia / Abstract: Agaricales comprises mushrooms producing mostly agaricoid basidiomata, but other types are also included, as the gasteroid, secotioid, ciphelloid, poroid, clavarioid and corticioid. In Brazil, 926 species belonging to the Agaricales have been reported, with numerous records from South Brazil, especially from Rio Grande do Sul and Paraná States. From the State of Paraná, about 600 species are reported, although most of the studies surveyed areas of Mixed and Dense Ombrophilous Forests in the State. Aiming to survey the mycobiota from the Seasonal Semideciduous Forests from the western region of Paraná State, the present focused on the Agaricales. Fieldwork was carried on from January to December 2015, in two localities: Parque Estadual de Sâo Camilo, municipality of Palotina, and Reserva Particular do Patrimônio Natural Fazenda Açú, municipality of Terra Roxa. The investigation comprised morphological (macro-and microscopical) of the basidiomata, and taxonomic identification. Specimens were preserved at the Herbário of Campus Palotina (HCP) and holotypes at the Herbário of Departamento de Botânica (UPCB), both at the Universidade Federal do Paraná. All were 578 specimens were identified, comprising 76 species, 49 genera and 16 families. Clitocella pallescens and Panaeolus silvaticus are proposed as new species. Clitocella himantiigena is a new combination and the genus Clitocella is reported from the first time in Brazil. Copelandia mexicana, Crepidotus mexicanus, Tricholosporum tropicale, and Tubaria bispora are new records from South America. Agaricus cf. ochraceosquamulosus, Clitocella himantiigena, Gymnopilus chrysopellus, Leucoagaricus coerulescens, Marasmiellus atrosetosus and Rhodocybe galerinoides are new records from Brazil. Agaricus endoxanthus, Crepidotus crocophyllus, Hohenbuehelia mastrucata, Lepiota lilacea Leucocoprinus straminellus, Mycena euspeirea, Mycena holoporphyra, Pleurotus opuntiae and Psilocybe yungensis are new records from Paraná State. Other 29 taxa are reported for the first time in the Seasonal Semideduous Forest of western Paraná. The number of collected species, as well the number of identified taxa show that this is a diverse and ecologically significant group of fungi in this ecosystem. Further studies will reveal a more complex and numerous taxa, and the present research furnished a background for future studies. Key Words: Agaricomycetes, biodiversity, Atlantic Forest, taxonomy
6

Diatomáceas briofíticas em Sphagnum L.spp. e Rhacocarpus inermis (C.Muell.) Lindb

Neiva, Tatiana Freiberger 29 July 2009 (has links)
No description available.
7

Revisão taxonômica de Pampassatyrus Hayward, 1953 gen. reval. e descrição de um gênero novo (Lepdidoptera: Nymphalidae, Satyrinae)

Taumaturgo,Thamara Zacca Bispo 06 August 2013 (has links)
Resumo: Satyrinae é uma das onze subfamílias de Nymphalidae, com cerca de 2.500 espécies descritas, distribuídas em 255 gêneros. Apesar de sua ampla distribuição mundial, cerca de 50% dos gêneros ocorrem na região Neotropical. Ainda há muitas controvérsias em relação à classificação das categorias mais baixas de Satyrinae, sendo cada vez mais necessários estudos taxonômicos para entender as delimitações dos gêneros e verificar se suas espécies estão devidamente alocadas. A partir da revisão taxonômica, Pampasatyrus Hayward, 1953 (Lepidoptera: Nymphalidae, Satyrinae, Pronophilini) é revalidado e um novo arranjo taxonômico para o gênero é proposto. Duas espécies novas são descritas, Pampasatyrus sp. n. 1, com ocorrência em São Paulo e Santa Catarina, Brasil, e Pampasatyrus sp. n. 2 de Minas Gerais e Rio de Janeiro, Brasil. Uma subespécie nova para Pampasatyrus reticulata é descrita para São Paulo, Brasil. São designados o neótipo de Neomaenas reticulata Weymer, 1907 e lectótipos de Epinephele gyrtone Berg, 1877, Epinephele nilesi Weeks, 1902 e Satyrus quies Berg, 1877. Três espécies são transferidas de Pampasatyrus para Gênero A, gen. n. (Euptychiina): Gênero A imbrialis (Weeks, 1901) comb. n. da Bolívia (Cochabamba), Gênero A ocelloides (Schaus, 1902) comb. n., com ocorrência no Paraguai (Hernandarias e Caaguazú) e Brasil (regiões centro-oeste, sul e sudeste) e Gênero A periphas (Godart, [1824]) comb. n., distribuídas desde o sul do Brasil até a região nordeste da Argentina (Buenos Aires). São designados lectótipos de Epinephele imbrialis Weeks, 1901 e de Euptychia ocelloides Schaus, 1902.
8

Estudo taxonômico do gênero Ocotea Aubl. (Lauraceae) na floresta ombrófila dens ano estado do Paraná, Brasil

Brotto, Marcelo Leandro 15 June 2010 (has links)
Resumo: Este trabalho consiste no levantamento das especies de Ocotea Aubl. (Lauraceae) que ocorrem na Floresta Ombrofila Densa (FOD) no Estado do Parana. O genero e caracterizado por arvores ou arbustos com flores unissexuadas ou bissexuadas, estames com anteras 4-locelares, locelos arranjados em dois pares sobrepostos, um par de glandulas na base dos filetes dos estames da serie III e estaminodios da serie IV pouco desenvolvidos. Ocotea e o maior genero de Lauraceae no Neotropico com pelo menos 300 especies das quais cerca de 150 ocorrem no Brasil. A FOD recobre a porcao Leste no Estado e localiza-se entre as coordenadas 24¨¬40.-26¡Æ00. S e 48¡Æ00.-49¡Æ10. W. Foram realizadas coletas na regiao e analisadas exsicatas dos herbarios B, EFC, HBR, HFC, HFIE, HUCP, K, MBM, NY, P, PKDC, RB, SPF, SPSF, UPCB e W. Sao apresentadas chave de identificacao das especies, descricoes, ilustracoes, mapas de distribuicao, pranchas fotograficas, alem de dados sobre floracao e frutificacao, habitat, distribuicao geografica e comentarios. Na area o genero Ocotea Aubl. esta representado por 22 especies: Ocotea aciphylla (Nees) Mez; O. bicolor Vattimo-Gil; O. brachybotrya (Meisn.) Mez; O. catharinensis Mez; O. dispersa (Nees) Mez; O. elegans Mez; O. glaziovii Mez; O. lanata (Nees) Mez; O. laxa (Nees) Mez; O. lobbii (Meisn.) Rohwer; O. nectandrifolia Mez; O. notata (Nees) Mez; O. nunesiana (Vattimo-Gil) Baitello; O. odorifera (Vell.) Rohwer; O. porosa (Nees) Barroso; O. puberula (Rich.) Nees; O. pulchella Mart.; O. silvestris Vattimo-Gil; O. teleiandra (Meisn.) Mez; O. tristis (Nees) Mez; O. vaccinioides (Meisn.) Mez; O. sp. nov. Uma especie e categorizada como Em Perigo Critico (CR) e sete sao categorizadas como Em Perigo (EN) segundo os criterios da IUCN. Ocotea brachybotrya (Meisn.) Mez e citada pela primeira vez no Parana e uma especie ainda nao descrita foi confirmada para a FOD no Parana. Os dados e resultados obtidos evidenciam a importancia do conhecimento e da preservacao do genero Ocotea na composicao e estrutura da vegetacao da Floresta Ombrofila Densa no Estado do Parana.
9

Sistemática de Aspidosperma Mart. & Zucc. (Apocynaceae) com ênfase na seção típica

Castello, Ana Carolina Devides. January 2018 (has links)
Orientador: Ingrid Koch / Resumo: Apocynaceae Juss. tem distribuição cosmopolita, está entre as maiores famílias de Angiospermas, e inclui atualmente as subfamílias Periplocoideae, Secamonoideae e Asclepiadoideae e os grados rauvolfioide e apocynoide. O grado rauvolfioide é composto por 79 gêneros distribuídos em 11 tribos, das quais apenas Alyxieae, Tabernaemontaneae, Willughbeieae e Vinceae possuem estudos filogenéticos. Aspidospermeae é grupo irmão das demais tribos de rauvolfioide e inclui seis gêneros, sendo Aspidosperma Mart. & Zucc. o mais diverso. Aspidosperma é composto atualmente por 51 espécies, divididas em dois subgêneros e nove seções, das quais a seção Aspidosperma é a que possui o maior número de espécies. Apesar de o gênero ter sido tratado em diversos estudos, a delimitação de suas espécies ainda não é totalmente resolvida, pois há grupos taxonomicamente complexos com sobreposição de características morfológicas entre suas espécies e sinonimizações não efetivamente publicadas, além de nomes publicados após a última revisão que não foram avaliados quanto ao posicionamento nas seções. Neste estudo as circunscrições das espécies de Aspidosperma foram avaliadas para elucidar parte dos problemas taxonômicos e nomenclaturais do gênero. Além disso, foram utilizados caracteres morfológicos, moleculares e ecológicos, em abordagem integrativa, para propor uma circunscrição bem suportada das espécies que compõem a seção típica. No capítulo 1, tratei de três complexos de espécies (grupo macrocarpon, par... (Resumo completo, clicar acesso eletrônico abaixo) / Abstract: Apocynaceae Juss. presents a cosmopolitan distribution, is among the largest families of Angiosperms, and currently includes the subfamilies Periplocoideae, Secamonoideae and Asclepiadoideae and the rauvolfiod and apocynoid grades. The rauvolfioid grade comprises 79 genera distributed in 11 tribes, of which only Alyxieae, Tabernaemontaneae, Willughbeieae and Vinceae have phylogenetic studies. Aspidospermeae is the sister group of the other rauvolfioid tribes and includes six genera, of which Aspidosperma Mart. & Zucc. is the most diverse. Aspidosperma is currently composed of 51 species, divided into two subgenera and nine sections, of which the typical section Aspidosperma possesses the largest number of species. Although the genus has been treated in several studies, the delimitation of its species has not yet been fully resolved, because there are still taxonomically complex groups, with overlapping of morphological characteristics, synonymizations that have not been effectively published, besides names published after the last revision that were not evaluated about the position in the sections. In this study the circumscriptions of the Aspidosperma species were evaluated to elucidate some of the taxonomic and nomenclatureal problems existing in the genus. In addition, morphological, molecular and ecological characters were used in an integrative approach to propose a well-supported circumscription of the species included in the typical section. In Chapter 1, I assessed th... (Complete abstract click electronic access below) / Doutor
10

Leguminosas arbustivas e arbóreas de fragmentos florestais remanescentes no noroeste paulista, Brasil

Martins, Milena Ventrichi [UNESP] 22 June 2009 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2014-06-11T19:23:08Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2009-06-22Bitstream added on 2014-06-13T20:50:05Z : No. of bitstreams: 1 martins_mv_me_botib.pdf: 2355883 bytes, checksum: 7ce9e0fbf139801f695d0b4bafbedbdb (MD5) / Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) / Leguminosae é a terceira maior família das angiospermas compreendendo aproximadamente 19.327 espécies, 727 gêneros, 36 tribos e três subfamílias, dependendo da classificação utilizada. Possui distribuição cosmopolita e é bem representada na maioria dos ambientes terrestres. Neste estudo os representantes da família Leguminosae foram coletados na região noroeste do estado de São Paulo a fim de auxiliar no conhecimento da flora do Estado como um todo e minimizar os efeitos resultantes de esforços de coleta desiguais. Tal região, outrora recoberta principalmente por floresta estacional semidecidual e cerrado, restringe-se hoje a 4% de sua área original, constituindo uma das regiões mais fragmentadas e pouco conhecidas do Estado. Foram coletados indivíduos arbustivos e arbóreos em 10 fragmentos de tamanhos e formações vegetacionais variáveis na região. Foram identificadas 52 espécies pertencentes a 27 gêneros. A subfamília Papilionoideae foi a mais representativa com 20 espécies, seguida de Caesalpinioideae e Mimosoideae cada com 16 espécies. Os resultados foram organizados em dois capítulos: o primeiro trata da ocorrência das espécies nos diferentes fragmentos e apresenta uma chave para a identificação das mesmas na região noroeste, baseada prioritariamente em características vegetativas, além de dados sobre a distribuição geral das espécies e a ocorrência na região em relação às informações conhecidas e discorre sobre a presença das mesmas em listas de espécies raras, com enfoque maior nos aspectos ecológicos que podem subsidiar ações conservacionistas; o segundo capítulo é o tratamento taxonômico propriamente dito, com chaves de identificação e descrições para gêneros e espécies de cada subfamília, e informações sobre a distribuição, fenologia e taxonomia, além de figuras para ilustrar estruturas reprodutivas ou vegetativas e/ou espécies / Leguminosae is the third largest angiosperm family comprising approximately 19.327 species, 727 genera, 36 tribes and three or four subfamilies depending on the adopted classification. It has cosmopolitan distribution and is well represented in most terrestrial environments. In this study, specimens belonging to the Leguminosae family were collected in the northwest region of São Paulo State in order to improve the knowledge on the State flora and minimize the effects of nonuniform collections. Although in the past such region was mainly covered with semi-deciduous seasonal forest and cerrado, nowadays it is restricted to 4% of its original area, constituting thus one of the most fragmented and least known regions in the State. Arbustive and arboreous individuals were collected from 10 fragments of variable sizes and vegetation formations. Fifty-two species belonging to 27 genera were identified. The subfamily Papilionoideae was the most representative, with 20 species, followed by Caesalpinioideae and Mimosoideae with 16 species. The results were organized in two chapters: the first one presents the occurrence of species in different fragments, an identification key for the northwest region mainly based on vegetative characteristics, data on their general distribution and occurrence in the region relative to the already known information, besides a discussion about their inclusion in lists of rare species, highlighting ecological aspects that can support conservational actions; the second chapter constitutes the taxonomic treatment itself, with identification keys and descriptions for the genera and species of each subfamily, besides information on distribution, phenology and taxonomy, as well as figures to illustrate reproductive or vegetative structures and/or species

Page generated in 0.2139 seconds