• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 482
  • 6
  • 6
  • 6
  • 6
  • 6
  • 6
  • 3
  • Tagged with
  • 498
  • 498
  • 333
  • 327
  • 87
  • 67
  • 62
  • 62
  • 60
  • 53
  • 45
  • 44
  • 43
  • 42
  • 42
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Precisão de equações de composição corporal em crianças na idade de 10 a 14 anos por meio de absortometria radiológica de dupla energia

Paiva, Claudio Roberto Escovar January 2000 (has links)
Apesar de a pesagem hidrostática produzir valores de densidade corporal muito precisos, somente sujeitos com boa adaptação ao meio líquido podem ser submetidos aos seus procedimentos, o que limita sua utilização com diferentes populações. Em função disto, vários pesquisadores tem adotado um novo método de referência, a absortometria radiológica de dupla energia (DXA), o qual fraciona o corpo em três componentes (minerais, gordura e tecido magro) e não apresenta as dificuldades da pesagem hidrostática. Na literatura mundial poucos trabalhos tem se utilizado do método DXA na análise da composição corporal em crianças. No Brasil até o presente momento não se tem conhecimento de trabalho semelhante com crianças utilizando este método de referência. Portanto este trabalho tem como objetivo avaliar a precisão e aplicabilidade das equações de composição corporal para crianças utilizando o DXA como método de referência. Participaram deste estudo, 29 meninos entre 10 e 14 anos (média 11,58 ± 1,11) e 31 meninas, na faixa etária entre 10 e 14 anos (média 12,45 ± 1,23). Para análise de precisão das equações de composição corporal foram determinados os seguintes cálculos: média e desvio padrão, coeficiente de correlação linear de Pearson (r), teste t pareado, erro constante (EC), erro total (ET) e erro padrão de estimativa (EPE). Cada equação de dobras cutâneas (DC) e bioimpedância (BIA) foram avaliadas usando o critério de validação cruzada desenvolvido por Lohman (1992). Três equações específicas foram propostas para cada sexo: a) a de Slaughter et al. (1988) (triceps + panturrilha), que avalia o percentual de gordura, utilizando o método de DC, b) e as de Houtkooper et al. (1992) e Jenkis et al. (1999), que avaliam a massa livre de gordura, utilizando o método de BIA. A equação de Slaughter et al. (1988) obteve uma correlação de r = 0,97 com EPE = 2,20% G para meninos, enquanto para as meninas a correlação foi de r = 0,92 e um EPE = 2,73% G. As equações de bioimpedância para meninos variaram de = 0,97 a 0,98 e um EPE = 1,97 kg e 2,08 kg, enquanto para as meninas r = 0,94 a 0,95 com EPE = 1,68 kg a 1,77 kg. A equação de Slaughter et al. (1988) para meninos superestimou em 2,6% G de forma significativa (p < 0,01) o percentual de gordura medido pelo DXA nesta amostra, enquanto a equação para meninas estimou de forma precisa o percentual de gordura medido pelo DXA. Tanto a equação de BIA para meninos quanto para meninas de Houtkooper et al. (1992) estimou de forma precisa a massa livre de gordura medida pelo DXA. De forma semelhante a equação de Jenkis et al. (1999) estimou de forma precisa a massa livre de gordura medida pelo DXA, para ambos os sexos. Os resultados deste estudo sugerem que as equações para DC de Slaughter et al. (1988) sejam utilizadas somente para o sexo feminino. Para as equações de bioimpedância, elas podem ser utilizadas para ambos os sexos, porem a equação de Jenkis et al. (1999) seja a mais recomendada. / Despite that the hydrostatic weighing produces very accurate body density values, only subjects with a good adaptation to water may be submitted to its proceedings, which limits its use with different populations. According to this fact, many researchers have adopted a new reference method, the dual-energy X-ray absorptiometry (DXA), which fractionates body into three components (minerals, fat, and lean tissue) and does not present the difficulties of the hydrostatic weighing. In the world literature, few works of the DXA method have been used in the analysis of body composition in children. In Brazil, until this moment, it is unknown any similar work with children that uses this reference method. So, this work aims at evaluating the accuracy and applicability of body composition equations for children, using DXA as the reference method. It have participated in this study 29 boys, 10-14 years old (mean 11.58 ± 1.11); and 31 girls, 10-14 years old (mean 12.45 ± 1.23). For the analysis of the accurate of the body composition equations, the following calculations were determined: mean and standard deviation, Pearson's linear correlation coefficient (r), paired "t" test; constant error (CE), total error (TE), and standard estimate error (SEE). Each skinfold (SKF) and bioimpedance (BIA) equation was validated using the Lohman (1992) cross-validation criterion. Three specific equations were proposed for each gender: a) the one of Slaughter et al. (1988) (triceps + calf), which evaluates body fat percentage (% BF) using the skinfold (SKF) method; b) and the Houtkooper et al. (1992) and Jenkis et al. (1999) equations, which evaluate fat free mass (FFM) using the BIA method. The Slaughter et al. (1988) equation resulted in a correlation of r = 0.97 with SEE = 2.20% BF for boys; while for girls the correlation was r = 0.92 with SEE = 2.73% BF. The bioimpedance equations for boys ranged from r = 0.97 to 0.98 with SEE = 1.97 kg to 2.08 kg; while for girls the results were r = 0.94 to 0.95 with SEE = 1.68 kg to 1.77 kg. The Slaughter et al. (1988) equation for boys significantly overestimated %BF measured through DXA in this sample (2.6% BF, p < 0.01); while the equation for girls accurately estimated %BF measured through DXA. The Houtkooper et al. (1992) BIA equation both for boys and for girls accurately estimated FFM measured through DXA. Similarly, the Jenkis et al. (1999) equation accurately estimated FFM measured through DXA, for both genders. The results of this study suggest that the Slaughter et al. (1988) SKF equations be used only for females. For the bioimpedance equations, they may be used for both genders; although the Jenkis et al. (1999) equation is more recommended.
2

Precisão de equações de composição corporal em crianças na idade de 10 a 14 anos por meio de absortometria radiológica de dupla energia

Paiva, Claudio Roberto Escovar January 2000 (has links)
Apesar de a pesagem hidrostática produzir valores de densidade corporal muito precisos, somente sujeitos com boa adaptação ao meio líquido podem ser submetidos aos seus procedimentos, o que limita sua utilização com diferentes populações. Em função disto, vários pesquisadores tem adotado um novo método de referência, a absortometria radiológica de dupla energia (DXA), o qual fraciona o corpo em três componentes (minerais, gordura e tecido magro) e não apresenta as dificuldades da pesagem hidrostática. Na literatura mundial poucos trabalhos tem se utilizado do método DXA na análise da composição corporal em crianças. No Brasil até o presente momento não se tem conhecimento de trabalho semelhante com crianças utilizando este método de referência. Portanto este trabalho tem como objetivo avaliar a precisão e aplicabilidade das equações de composição corporal para crianças utilizando o DXA como método de referência. Participaram deste estudo, 29 meninos entre 10 e 14 anos (média 11,58 ± 1,11) e 31 meninas, na faixa etária entre 10 e 14 anos (média 12,45 ± 1,23). Para análise de precisão das equações de composição corporal foram determinados os seguintes cálculos: média e desvio padrão, coeficiente de correlação linear de Pearson (r), teste t pareado, erro constante (EC), erro total (ET) e erro padrão de estimativa (EPE). Cada equação de dobras cutâneas (DC) e bioimpedância (BIA) foram avaliadas usando o critério de validação cruzada desenvolvido por Lohman (1992). Três equações específicas foram propostas para cada sexo: a) a de Slaughter et al. (1988) (triceps + panturrilha), que avalia o percentual de gordura, utilizando o método de DC, b) e as de Houtkooper et al. (1992) e Jenkis et al. (1999), que avaliam a massa livre de gordura, utilizando o método de BIA. A equação de Slaughter et al. (1988) obteve uma correlação de r = 0,97 com EPE = 2,20% G para meninos, enquanto para as meninas a correlação foi de r = 0,92 e um EPE = 2,73% G. As equações de bioimpedância para meninos variaram de = 0,97 a 0,98 e um EPE = 1,97 kg e 2,08 kg, enquanto para as meninas r = 0,94 a 0,95 com EPE = 1,68 kg a 1,77 kg. A equação de Slaughter et al. (1988) para meninos superestimou em 2,6% G de forma significativa (p < 0,01) o percentual de gordura medido pelo DXA nesta amostra, enquanto a equação para meninas estimou de forma precisa o percentual de gordura medido pelo DXA. Tanto a equação de BIA para meninos quanto para meninas de Houtkooper et al. (1992) estimou de forma precisa a massa livre de gordura medida pelo DXA. De forma semelhante a equação de Jenkis et al. (1999) estimou de forma precisa a massa livre de gordura medida pelo DXA, para ambos os sexos. Os resultados deste estudo sugerem que as equações para DC de Slaughter et al. (1988) sejam utilizadas somente para o sexo feminino. Para as equações de bioimpedância, elas podem ser utilizadas para ambos os sexos, porem a equação de Jenkis et al. (1999) seja a mais recomendada. / Despite that the hydrostatic weighing produces very accurate body density values, only subjects with a good adaptation to water may be submitted to its proceedings, which limits its use with different populations. According to this fact, many researchers have adopted a new reference method, the dual-energy X-ray absorptiometry (DXA), which fractionates body into three components (minerals, fat, and lean tissue) and does not present the difficulties of the hydrostatic weighing. In the world literature, few works of the DXA method have been used in the analysis of body composition in children. In Brazil, until this moment, it is unknown any similar work with children that uses this reference method. So, this work aims at evaluating the accuracy and applicability of body composition equations for children, using DXA as the reference method. It have participated in this study 29 boys, 10-14 years old (mean 11.58 ± 1.11); and 31 girls, 10-14 years old (mean 12.45 ± 1.23). For the analysis of the accurate of the body composition equations, the following calculations were determined: mean and standard deviation, Pearson's linear correlation coefficient (r), paired "t" test; constant error (CE), total error (TE), and standard estimate error (SEE). Each skinfold (SKF) and bioimpedance (BIA) equation was validated using the Lohman (1992) cross-validation criterion. Three specific equations were proposed for each gender: a) the one of Slaughter et al. (1988) (triceps + calf), which evaluates body fat percentage (% BF) using the skinfold (SKF) method; b) and the Houtkooper et al. (1992) and Jenkis et al. (1999) equations, which evaluate fat free mass (FFM) using the BIA method. The Slaughter et al. (1988) equation resulted in a correlation of r = 0.97 with SEE = 2.20% BF for boys; while for girls the correlation was r = 0.92 with SEE = 2.73% BF. The bioimpedance equations for boys ranged from r = 0.97 to 0.98 with SEE = 1.97 kg to 2.08 kg; while for girls the results were r = 0.94 to 0.95 with SEE = 1.68 kg to 1.77 kg. The Slaughter et al. (1988) equation for boys significantly overestimated %BF measured through DXA in this sample (2.6% BF, p < 0.01); while the equation for girls accurately estimated %BF measured through DXA. The Houtkooper et al. (1992) BIA equation both for boys and for girls accurately estimated FFM measured through DXA. Similarly, the Jenkis et al. (1999) equation accurately estimated FFM measured through DXA, for both genders. The results of this study suggest that the Slaughter et al. (1988) SKF equations be used only for females. For the bioimpedance equations, they may be used for both genders; although the Jenkis et al. (1999) equation is more recommended.
3

Precisão de equações de composição corporal em crianças na idade de 10 a 14 anos por meio de absortometria radiológica de dupla energia

Paiva, Claudio Roberto Escovar January 2000 (has links)
Apesar de a pesagem hidrostática produzir valores de densidade corporal muito precisos, somente sujeitos com boa adaptação ao meio líquido podem ser submetidos aos seus procedimentos, o que limita sua utilização com diferentes populações. Em função disto, vários pesquisadores tem adotado um novo método de referência, a absortometria radiológica de dupla energia (DXA), o qual fraciona o corpo em três componentes (minerais, gordura e tecido magro) e não apresenta as dificuldades da pesagem hidrostática. Na literatura mundial poucos trabalhos tem se utilizado do método DXA na análise da composição corporal em crianças. No Brasil até o presente momento não se tem conhecimento de trabalho semelhante com crianças utilizando este método de referência. Portanto este trabalho tem como objetivo avaliar a precisão e aplicabilidade das equações de composição corporal para crianças utilizando o DXA como método de referência. Participaram deste estudo, 29 meninos entre 10 e 14 anos (média 11,58 ± 1,11) e 31 meninas, na faixa etária entre 10 e 14 anos (média 12,45 ± 1,23). Para análise de precisão das equações de composição corporal foram determinados os seguintes cálculos: média e desvio padrão, coeficiente de correlação linear de Pearson (r), teste t pareado, erro constante (EC), erro total (ET) e erro padrão de estimativa (EPE). Cada equação de dobras cutâneas (DC) e bioimpedância (BIA) foram avaliadas usando o critério de validação cruzada desenvolvido por Lohman (1992). Três equações específicas foram propostas para cada sexo: a) a de Slaughter et al. (1988) (triceps + panturrilha), que avalia o percentual de gordura, utilizando o método de DC, b) e as de Houtkooper et al. (1992) e Jenkis et al. (1999), que avaliam a massa livre de gordura, utilizando o método de BIA. A equação de Slaughter et al. (1988) obteve uma correlação de r = 0,97 com EPE = 2,20% G para meninos, enquanto para as meninas a correlação foi de r = 0,92 e um EPE = 2,73% G. As equações de bioimpedância para meninos variaram de = 0,97 a 0,98 e um EPE = 1,97 kg e 2,08 kg, enquanto para as meninas r = 0,94 a 0,95 com EPE = 1,68 kg a 1,77 kg. A equação de Slaughter et al. (1988) para meninos superestimou em 2,6% G de forma significativa (p < 0,01) o percentual de gordura medido pelo DXA nesta amostra, enquanto a equação para meninas estimou de forma precisa o percentual de gordura medido pelo DXA. Tanto a equação de BIA para meninos quanto para meninas de Houtkooper et al. (1992) estimou de forma precisa a massa livre de gordura medida pelo DXA. De forma semelhante a equação de Jenkis et al. (1999) estimou de forma precisa a massa livre de gordura medida pelo DXA, para ambos os sexos. Os resultados deste estudo sugerem que as equações para DC de Slaughter et al. (1988) sejam utilizadas somente para o sexo feminino. Para as equações de bioimpedância, elas podem ser utilizadas para ambos os sexos, porem a equação de Jenkis et al. (1999) seja a mais recomendada. / Despite that the hydrostatic weighing produces very accurate body density values, only subjects with a good adaptation to water may be submitted to its proceedings, which limits its use with different populations. According to this fact, many researchers have adopted a new reference method, the dual-energy X-ray absorptiometry (DXA), which fractionates body into three components (minerals, fat, and lean tissue) and does not present the difficulties of the hydrostatic weighing. In the world literature, few works of the DXA method have been used in the analysis of body composition in children. In Brazil, until this moment, it is unknown any similar work with children that uses this reference method. So, this work aims at evaluating the accuracy and applicability of body composition equations for children, using DXA as the reference method. It have participated in this study 29 boys, 10-14 years old (mean 11.58 ± 1.11); and 31 girls, 10-14 years old (mean 12.45 ± 1.23). For the analysis of the accurate of the body composition equations, the following calculations were determined: mean and standard deviation, Pearson's linear correlation coefficient (r), paired "t" test; constant error (CE), total error (TE), and standard estimate error (SEE). Each skinfold (SKF) and bioimpedance (BIA) equation was validated using the Lohman (1992) cross-validation criterion. Three specific equations were proposed for each gender: a) the one of Slaughter et al. (1988) (triceps + calf), which evaluates body fat percentage (% BF) using the skinfold (SKF) method; b) and the Houtkooper et al. (1992) and Jenkis et al. (1999) equations, which evaluate fat free mass (FFM) using the BIA method. The Slaughter et al. (1988) equation resulted in a correlation of r = 0.97 with SEE = 2.20% BF for boys; while for girls the correlation was r = 0.92 with SEE = 2.73% BF. The bioimpedance equations for boys ranged from r = 0.97 to 0.98 with SEE = 1.97 kg to 2.08 kg; while for girls the results were r = 0.94 to 0.95 with SEE = 1.68 kg to 1.77 kg. The Slaughter et al. (1988) equation for boys significantly overestimated %BF measured through DXA in this sample (2.6% BF, p < 0.01); while the equation for girls accurately estimated %BF measured through DXA. The Houtkooper et al. (1992) BIA equation both for boys and for girls accurately estimated FFM measured through DXA. Similarly, the Jenkis et al. (1999) equation accurately estimated FFM measured through DXA, for both genders. The results of this study suggest that the Slaughter et al. (1988) SKF equations be used only for females. For the bioimpedance equations, they may be used for both genders; although the Jenkis et al. (1999) equation is more recommended.
4

Atividade fisica e aptidão fisica em mulheres na pos-menopausa

Silva, Raimunda Beserra da 22 November 2004 (has links)
Orientador: Lucia Helena Simões da Costa Paiva / Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciencias Medicas / Made available in DSpace on 2018-08-04T01:16:43Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Silva_RaimundaBeserrada_M.pdf: 233056 bytes, checksum: 3a015f2a4a32a98b063eef66a4b9097c (MD5) Previous issue date: 2004 / Resumo: Introdução: Estudos indicam que baixos níveis de atividade física e aptidão física são fatores que se relacionam com a incidência de doenças. Alterações fisiológicas decorrentes do aumento da idade cronológica e da pós-menopausa contribuem para que ocorra diminuição no nível de atividade física em mulheres. Objetivo: Avaliar a prevalência da atividade física e sua associação com as dimensões funcional, morfológica e fisiológica da aptidão física em mulheres na pós-menopausa. Sujeitos e métodos: Foi realizado estudo de corte transversal com 162 mulheres, entre 40 e 65 anos, em amenorréia há no mínimo 12 meses, acompanhadas no Ambulatório de Menopausa do CAISM/Unicamp. As mulheres responderam oralmente o questionário International Physical Activity Questionnaire para avaliação do nível de atividade física, que avaliou a freqüência e duração das atividades ocorridas durante uma semana normal, de intensidade vigorosa, moderada e caminhada, realizadas no transporte, trabalho, em casa e no lazer, classificando as mulheres em sedentárias, insuficientemente ativas, ativas e muito ativas. Para avaliar a dimensão morfológica foram verificados: índice de massa corporal, circunferência cintura-quadril e porcentagem de gordura corporal. Para avaliar a dimensão funcional utilizou-se a medida do consumo máximo de oxigênio, que foi verificada através do teste de esforço submáximo em bicicleta ergométrica. Para a dimensão fisiológica foram verificadas: dosagem plasmática do colesterol total; lipoproteína de alta densidade; lipoproteína de baixa densidade; triglicérides, glicemia de jejum, pressões arteriais sistólica e diastólica. Na análise estatística foi realizada a descrição das variáveis através das freqüências absoluta e relativa, média e desvio padrão e utilizados testes t de Student, Wilcoxon, qui-quadrado, razão de prevalência ajustada com nível de significância de 5%. O risco cardiovascular foi calculado segundo o escore de Framingham. Resultados: A prevalência da atividade física foi de aproximadamente 83,5%, sendo que 80,9% foram classificadas como ativas e 2,5% como muito ativas, realizando principalmente atividades durante o transporte e em casa. Aproximadamente 90% das mulheres apresentavam baixo risco cardiovascular de Framinghan. Cerca de 80% das mulheres eram pré-obesas ou obesas e apresentavam relação cintura-quadril de risco alto e muito alto para doenças cardiovasculares, porcentagem de gordura acima de 33% e mais de 50% apresentavam consumo de oxigênio baixo. Mais de 75% das mulheres apresentavam níveis de colesterol total e frações e pressão arterial normais. A glicemia de jejum apresentou-se normal em 88% das mulheres. A análise estatística não observou associações significativas entre os níveis de atividade física e os componentes da aptidão física. Conclusões: A prevalência da atividade física em mulheres na pós-menopausa é alta, baseada principalmente em caminhadas durante o transporte e tarefas domésticas. Essas atividades parecem não ser suficientes para promover mudanças na aptidão física dessas mulheres / Abstract: Introduction: Studies show that low levels of physical activity and physical fitness are factors related to the incidence of diseases. Physiological changes resulting from increasing chronological age and the postmenopausal period contribute to the occurrence of a reduction in the level of physical activity in women. Objectives: To evaluate the prevalence of physical activity and its association with the functional, morphological and physiological components of physical fitness in postmenopausal women. Subjects and Methods: A cross-sectional study was carried out in 162 women aged 45-65 years, amenorrheic for at least 12 months, who were receiving care at the menopause clinic of CAISM/UNICAMP. The women verbally answered the International Physical Activity Questionnaire for the evaluation of levels of physical activity. This instrument assesses the frequency and duration of activities performed in transportation, at work, in the home or in leisure-time over the course of a normal week, including vigorous and moderate exercise or walking. Women were classified as sedentary, insufficiently active, active or very active. To evaluate the morphological component, body mass index, waist-to-hip ratio and percentage of body fat were studied. To evaluate the functional component, maximum oxygen consumption was measured by means of a submaximal strength test on an exercise bicycle. To evaluate the physiological component, plasma measurement of total cholesterol, high density lipoprotein, low density lipoprotein, triglycerides and fasting glucose were carried out, and systolic and diastolic blood pressure were measured. For the statistical analysis, variables were described using absolute frequency or relative frequency, means and standard deviation. Student¿s t-test, Wilcoxon and Chi-square tests were used, as well as adjusted prevalence ratios. Significance was set at 5%. Cardiovascular risk was calculated according to Framingham¿s score. Results: Prevalence of physical activity was approximately 83.5%, of which 80.9% were classified as active and 2.5% very active. Principal activities were performed during transportation and in household duties. Approximately 90% of the women presented low cardiovascular risk according to the Framingham criteria. Around 80% of the women were preobese or obese and presented waist-to-hip ratio indicative of high or very high risk for cardiovascular disease, percentage of fat above 33%, and more than 50% of the women presented low oxygen consumption. More than 75% of the women presented normal total and fractional cholesterol levels and blood pressure. Fasting glucose was normal in 88% of women. Statistical analysis showed no significant associations between levels of physical activity and the components of physical fitness. Conclusions: The prevalence of physical activity in postmenopausal women is high, based principally on transportation walking and on household chores. These activities appear insufficient to promote changes in physical fitness in postmenopausal women / Mestrado / Ciencias Biomedicas / Mestre em Tocoginecologia
5

Avaliação da relação entre composição corporal e biodisponibilidade de uma formulação de diclofenaco sódico / Evaluation of the relationship between body composition and biodisponibility of a formulation of sodium diclofenaco

Capistrano Júnior, Valden Luis Matos 13 February 2017 (has links)
CAPISTRANO JÚNIOR, V. L. M. Avaliação da relação entre composição corporal e biodisponibilidade de uma formulação de diclofenaco sódico. 2017. 141 f. Dissertação (Mestrado em Farmacologia Clínica) - Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2017. / Submitted by ppgfarmaprofissional Mestrado Profissional (ppgfarmaprofissional@gmail.com) on 2017-08-09T02:37:57Z No. of bitstreams: 1 2017_dis_vlmcapistranojr.pdf: 4206554 bytes, checksum: 4bb7cc7d3179cc6ba965fa153531f284 (MD5) / Approved for entry into archive by Erika Fernandes (erikaleitefernandes@gmail.com) on 2017-08-09T12:17:39Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2017_dis_vlmcapistranojr.pdf: 4206554 bytes, checksum: 4bb7cc7d3179cc6ba965fa153531f284 (MD5) / Made available in DSpace on 2017-08-09T12:17:39Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2017_dis_vlmcapistranojr.pdf: 4206554 bytes, checksum: 4bb7cc7d3179cc6ba965fa153531f284 (MD5) Previous issue date: 2017-02-13 / Introduction: The increase of chronic-degenerative diseases has a great relation with the body composition, both in the obesity process and in clinical cases of sarcopenia in which both, according to the literature, can cause changes in the pharmacokinetics of the drugs. Objective: To evaluate the relationship between body composition and bioavailability of diclofenac sodium formulation in healthy volunteers. Methods: This was a cross-sectional study, consisting of twenty-four healthy subjects (age range: 18-50 years) who received 50 mg of oral sodium diclofenaco. Hematological, biochemical and physical methods (bioelectric impedance method) were obtained before study admission. Pharmacokinetics parameters were evaluated by high performance liquid chromatography coupled to mass spectrometry. The relationships between pharmacokinetics and body composition were evaluated with Pearson correlations. Student's t-test was used for continuous variables and was established at p <0.05. Results: There was a significant inverse correlation between an area under a concentration time curve of 0 to 24h (water), intracellular water (r = -0.4917, p = 0.0147) = -0.4406, p = 0. 0312), extracellular water (r = -0.4964, p = 0.0136) and basal metabolic rate (r = -0.5033, p = 0.0122); (R = -0.4908, p = 0.0149), intracellular water (r = -0.4401, p = 0.0314), between the area under the concentration time curve from zero to infinity (ASC0-), Extracellular water (r = -0.4946, p = 0.0140) and basal metabolic rate (r = -0.5023, p = 0.0124); (R = -0.7290, p <0.0001), intracellular water (r = -0.6750, p = 0.0003), extracellular water (r = -0.7519, p <0.0001) (R = -0.7505, p <0.0001). Conclusion: The low values of ASC0-t (h) and ASC0- are associated with higher values of lean body mass, intracellular water, extracellular water and basal metabolic rate. Adequacy of the dose of diclofenac sodium based on these can avoid prescription errors, improve prognosis and reduce side effects. / Introdução: O aumento das doenças crônico-degenerativas possui uma grande relação com a composição corporal, tanto no processo de obesidade, como em quadros clínicos de sarcopenia no qual ambos, de acordo com a literatura, podem provocar alterações na farmacocinética dos medicamentos. Objetivo: Avaliar a relação entre composição corporal e biodisponibilidade da formulação de diclofenaco sódico em voluntários saudáveis. Métodos: Trata-se de um estudo transversal, composto por vinte e quatro indivíduos saudáveis (faixa etária: 18-50 anos) que receberam 50 mg de dicoflenaco de sódio em única dose via oral. Análises hematológicas, bioquímicas e composição corporal (método de impedância bioelétrica) foram obtidas antes da admissão do estudo. A farmacocinética foi avaliada por cromatografia líquida de alta eficiência acoplada à espectrometria de massa. As relações entre farmacocinética e composição corporal foram avaliadas com correlações de Pearson. O teste t de Student foi utilizado para variáveis contínuas e o erro foi estabelecido em p <0,05. Resultados: Houve correlação inversa significativa entre a área sob a curva de tempo de concentração de 0 a 24h (ASC0-t (h)) e massa magra (r = -0,4917, p = 0,0147), água intracelular (r = -0, 4406, p = 0,0312), água extracelular (r = -0,4964, p = 0,0136) e taxa metabólica basal (r = -0,5033, p = 0,0122); (r = -0,4908, p = 0,0149), água intracelular (r = -0,4401, p = 0,0314), entre a área sob a curva de tempo de concentração do zero ao infinito (ASC0-), água extracelular (r = -0,4946, p = 0,0140) e taxa metabólica basal (r = -0,5023, p = 0,0124); E entre concentração máxima (Cmax) observada e massa magra (r = -0,7290, p <0,0001), água intracelular (r = -0,6750, p = 0,0003), água extracelular (r = -0 , 7519, p <0,0001) e taxa metabólica basal (r = -0,7505, p <0,0001). Conclusão: Os valores baixos de ASC0-t (h) e ASC0- se associam a maiores valores de massa magra corporal, água intracelular, água extracelular e taxa metabólica basal. A adequação da dose de diclofenaco de sódio com base nestes parâmetros pode evitar erros de prescrição, melhorar o prognóstico e reduzir os efeitos secundários.
6

Avaliação da composição corporal dos recém-nascidos a termo, adequados, pequenos e grandes para idade gestacional

Barbosa, Claudia Neves January 2012 (has links)
Made available in DSpace on 2014-07-22T13:14:45Z (GMT). No. of bitstreams: 2 Claudia Neves Barbosa.pdf: 2320178 bytes, checksum: ae210da57dfbd14a390a911a1f0ff298 (MD5) license.txt: 1914 bytes, checksum: 7d48279ffeed55da8dfe2f8e81f3b81f (MD5) Previous issue date: 2012 / Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Fernandes Figueira. Departamento de Ensino. Programa de Pós-Graduação em Saúde da Criança e da Mulher. Rio de Janeiro, RJ, Brasil. / Introdução: A preocupação recente com os altos índices de sobrepeso e obesidade na infância tem motivado vários estudos sobre o processo de crescimento em períodos precoces da vida. Considerando a estreita ligação entre a nutrição precoce, o crescimento e a saúde subsequente, estudos dirigidos ao crescimento e a composição corporal no início da vida, são considerados cada vez mais relevantes para o entendimento desta relação. Monitorar a qualidade do ganho de peso através das medidas de composição corporal não invasivas pode ser uma importante ferramenta para um melhor entendimento do crescimento extra-uterino e da adequação nutricional para o pré-termo. Objetivo: Estudar o processo de crescimento, incluindo a composição corporal, usando várias técnicas: antropometria, bioimpedância e plestimografia por deslocamento de ar em recém-nascidos à termo. Metodologia: Foram admitidos no estudo 58 recém-nascidos à termo. Dos 58 recém-nascidos, 37 eram AIG (Adequado para a Idade Gestacional), 11 eram PIG (Pequeno para a Idade Gestacional), e 10 eram GIG (Grande para a Idade Gestacional). As medidas dos testes de avaliação da composição corporal foram realizadas nas primeiras 48 horas de vida. Foram realizadas medidas antropométricas (peso, comprimento, perímetro cefálico, tamanho do pé, prega cutânea tricipital, circunferência do meio do braço e circunferência muscular do meio do braço), avaliação da água corporal total através das medidas de bioimpedância elétrica, avaliação da gordura corporal e da massa livre de gordura através da técnica de plestimografia por deslocamento de água. Resultados: Os diversos métodos empregados foram capazes de detectar as diferenças entre os PIG, AIG e GIG. Foram observadas diferenças nos três grupos de RN, tanto nas medidas antropométricas quanto nas relações antropométricas representadas pelo IMC (Índice de Massa Corporal) e o IP (Índice Ponderal). Em relação à água corporal total e à taxa de água corporal, houve uma diferença significativa. Encontramos um aumento da água corporal total nos PIG quando comparados aos AIG de mesma idade gestacional. No estudo com o plestimógrafo observamos diferenças estatísticas nos três grupos, ficando mais evidente quando observamos o percentual de gordura corporal com média de 15,2 no GIG e 3,7 no PIG. Ao estudar as diferentes técnicas para avaliação da composição corporal, consideramos as medidas obtidas pelo plestimógrafo por deslocamento de ar como padrão ouro. Correlacionamos, então, as medidas antropométricas específicas como a prega cutânea triciptal, a circunferência muscular do meio do braço, o índice ponderal e o índice de massa corporal com as medidas de porcentagem de gordura e massa livre de gordura. Encontramos uma forte correlação entre estas medidas nos 3 grupos estudados. Em relação ao gênero, não encontramos diferenças na adiposidade entre o sexo masculino e feminino na população de AIG estudada. Conclusão: Nos nossos resultados, as medidas antropométricas, de bioimpedância e as obtidas pela plestimografia foram capazes de diferenciar os grupos de recém-nascidos à temo AIG, PIG e GIG, e portanto sugerem que devem ser úteis para predição da composição corporal dos pré-termos. A alta correlação entre as medidas antropométricas atualmente mais usadas para estimar composição corporal e as medidas obtidas pelo plestimógrafo provavelmente possibilitarão a validação das medidas antropométricas para estimativas da composição corporal. / Introduction Recent concern with the high rates of overweight and obese children have motivated research about the growth process in early childhood. Considering the close connection between early nutrition, growth and future health, research regarding growth and body composition in early life are considered to be increasingly relevant for the understanding of how they relate. Monitoring the quality of weight gain through noninvasive body composition measures can be an important tool to better understand extra-uterine growth and appropriate nutrition for the preterm baby. Aim Study the growth process, including body composition, using many techniques: anthropometry, bioelectrical impedance, and Air displacement plethysmography in term newborns. Method Fifty-eighty newborns were included in the research. Out of the fifty-eight newborns, thirty-seven were appropriate for gestational age(AGA) , eleven were small for gestational age(SGA) , and ten were large for gestational age(LGA). The body composition measures were done within the first forty-eight hours of life. Anthropometric measures (weight, length , head circumference, foot length, tricipital skinfold, mid arm circumference, and mid arm muscle circumference), assessment of total body water through bioelectrical impedance, assessment of fat free body mass using Air displacement plethysmography. Results The diverse techniques used were capable of detecting the differences between the SGA, AGA, and LGA. Differences in the anthropometric measures and in the anthropometric relations represented by the Body Mass Index (BMI) and the Ponderal Index (PI) were observed in the three groups. There was a significant difference in the total body water and the body water index. An increase in the total body water in the SGA was found when compared to the AGA with the same gestational age. Statistical differences between the three groups were observed using Air displacement plethysmography which were specially evident when the percentage of body fat was analyzed with an average of 15.2 in the LGA and 3.7 in the SGA. When studying the different techniques to assess body fat, we considered the the measures obtained with the Air displacement plethysmography to be gold standard. The specific anthropometric measures such as tricipital skinfold, mid arm muscle circumference, ponderal index, and the body mass index were correlated with the measures of fat percentage and fat free mass. There was a strong correlation between these measures in the three groups. Concerning gender, there was no difference in adiposity between male and female in the AGA group. Conclusion The results showed that anthropometric measures , bioelectrical impedance, and the measures obtained with Air displacement plethysmography were capable of differentiating the AGA, SGA, and LGA groups of newborns. Therefore, these results suggest that these measures should be useful to predict the body composition of preterm newborns. The strong correlation between the anthropometric measures that are now being used more frequently to estimate body composition and measures obtained with Air displacement plethysmography will probably enable the validation of anthropometric measures to estimate body composition.
7

Níveis séricos de leptina e composição corporal em transplantados renais

Souza, Gabriela Corrêa January 2006 (has links)
Resumo não disponível
8

Níveis séricos de leptina e composição corporal em transplantados renais

Souza, Gabriela Corrêa January 2006 (has links)
Resumo não disponível
9

Desenvolvimento e validação de equações e índices para a determinação da gordura corporal relativa, em militares brasileiros, a partir de medidas antropométricas / Development and validation of equations and indices for determining relative body fat in the Brazilian military, the anthropometric measures

Salem, Marcelo January 2008 (has links)
Made available in DSpace on 2012-09-05T18:24:12Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) 329.pdf: 2613004 bytes, checksum: ef9541f3da39083158eb9d21db5cf4a2 (MD5) Previous issue date: 2008 / A quantidade e a distribuição de gordura têm sido associadas, com sucesso, a vários fatores de risco. Existe uma forte correlação entre a quantidade de gordura subcutânea e a resistência à insulina e ainda, o seu acúmulo na região central do corpo foiconsiderado, como um preditor de doença cardiovascular. A fim de se quantificar a gordura corporal e a sua distribuição, este estudo se propôsa desenvolver e validar equações e índices a partir de variáveis antropométricas de simples medidas.Com intuito de atender os objetivos do estudo, foi realizada uma análise dasequações nacionais desenvolvidas até o presente momento. Em segundo lugar, foram levantadas as características antropométricas dos sujeitos do estudo. Em terceiro lugar, foram desenvolvidas e validadas, equações para a estimativa da porcentagem de gordura para homens e mulheres militares brasileiros. Em um quarto momento, foi desenvolvidoe validado o Índice Indicativo de Gordura Corporal (IGC), para homens e mulheres militares. Participaram do estudo, 400 militares brasileiros, saudáveis e fisicamente ativos, oriundos de todas as regiões do Brasil, com médias de idade (ID) de 34,50 mais ou menos 10,39 anos, massa corporal (MC) de 79,66 mais ou menos 13,32 kg, estatura (EST) de 175,74 mais ou menos 7,06 cm, porcentagem de gordura (por cento G) de 16,91 mais ou menos 7,52, perímetro abdominal umbilical (PABDO, sugestão, PABU) 89,44 mais ou menos 10,81 cm e, 250 militares brasileiras, sendo todas saudáveis e fisicamente ativas, oriundas de todas as regiões do Brasil, com médias de idade (ID) de 29,45 mais ou menos 6,53 anos, Massa Corporal (MC) de 59,49 mais ou menos 7,48 kg, Estatura(EST) de 164,30 mais ou menos 5,67 cm e Porcentagem de Gordura ( por cento G) de 22,77 mais ou menos 6,26. / Após a definição das características antropométricas dos sujeitos, desenvolveu-se e validou-se equações generalizadas para homens militares brasileiros, a partir de variáveis antropométricas e o resultado foi a estimativa da por cento G = 0,061(ID) +16,002(PABDO ou PABU, cm ou metros?)1/2 - 5,056(MC)1/2 - 91,222, com R=0,859 e EPE=3,84. Desenvolveu-se também equações generalizadas para a estimativa da porcentagem degordura de militares brasileiros independente de gênero. A Equação desenvolvida foi : por cento G = 16,370(G) + 0,663(PABDO ou PABU / PCINT) 0,001(MC)2 + 0,100(ID) 0,088(EST metros ou cm) 41,84, com R=0,835 e EPE=4,11 . Esta equação deve ser utilizada tanto para homens, como, também, para mulheres militares, tento-se o cuidado de quando for aplicada em homens, usar o PABDO e G = 1 e para mulheres, o PCINT e G = 2.E por fim, foram desenvolvidos Índices Indicativos de Gordura Corporal (IGC),para homens e mulheres militares, separadamente. Para os homens IGCM = 0,004 (PABDO)2 0,036 (MC) 13,862 / EST (metros) e para as mulheres IGCF = 0,002 (MC)2 + 0,379 (PCINT) -20,229 /EST (metros). Após o desenvolvimento das equações e índices, realizou-se a análise da correlação entre a por cento G, os IGC desenvolvidos, o IMC, e o Índice de Conicidade (IC) com os Parâmetros Antropométricos e Bioquímicos Estimadores da Síndrome Meólica, emtropas do contigente de Paz da ONU nos anos de 2005 e 2008. / O resultado das correlações mostrou que os IGC desenvolvidos se relacionaram melhor com a por cento G (estimada), com os estimadores da síndrome meólica e com o resultado do teste de Cooper (12 Min), do que o IMC e o IC, nos sujeitos avaliados. Apesar de se ter desenvolvido equações e índices para uso em militares brasileiros, pode haver o caso de pessoas e/ou grupos, não enquadrados nas características antropométricas do grupo que gerou os modelos, desejarem usá-las. Neste caso, deverá ser realizada a validação estatística dos modelos desenvolvidos, para posterior utilização. Este procedimento ajusta o modelo de regressão para o grupo que o utilizará e diminuirá, consideravelmente, os erros dos resultados.
10

Peso, composição corporal e distribuição de gordura corporal de mulheres em quimioterapia adjuvante para o câncer de mama: um estudo de acompanhamento

Souza, Catarina Lôbo Santos January 2012 (has links)
Submitted by Flávia Ferreira (flaviaccf@yahoo.com.br) on 2015-01-21T13:04:19Z No. of bitstreams: 1 Dissertação_Catarina_Lôbo_Santos_de_Souza.pdf: 2464523 bytes, checksum: 254ccbec18e303f9fa6d5b9af58f4ab4 (MD5) / Approved for entry into archive by Flávia Ferreira (flaviaccf@yahoo.com.br) on 2015-03-09T14:40:05Z (GMT) No. of bitstreams: 1 Dissertação_Catarina_Lôbo_Santos_de_Souza.pdf: 2464523 bytes, checksum: 254ccbec18e303f9fa6d5b9af58f4ab4 (MD5) / Made available in DSpace on 2015-03-09T14:40:05Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Dissertação_Catarina_Lôbo_Santos_de_Souza.pdf: 2464523 bytes, checksum: 254ccbec18e303f9fa6d5b9af58f4ab4 (MD5) / Introdução: A quimioterapia adjuvante é tratamento de escolha para destruição das micro-metástases não detectáveis ao diagnóstico do câncer. Este tratamento parece induzir ganho de peso e influenciar negativamente os compartimentos corporais em mulheres com diagnostico do câncer de mama. Objetivo: verificar a ocorrência de alterações no peso, composição e distribuição de gordura corporal em mulheres submetidas à quimioterapia adjuvante para o câncer de mama, assim como investigar seus fatores associados. Métodos: estudo longitudinal avaliou vinte e sete mulheres, com diagnostico de câncer de mama, em três momentos: T0- antes, T1- durante e T2- após conclusão da quimioterapia adjuvante. Foram realizadas medidas antropométricas de peso, altura, circunferência da Cintura (CC), circunferência do quadril (CQ), circunferência do braço (CB) e pregas cutâneas. Foi avaliado o consumo calórico por registro alimentar, nível de atividade física pelo International Physical Activity Questionnare (IPAQ). Além disso, foi colhido em prontuário estadiamento clínico (EC), receptividade hormonal (RH), protocolo quimioterápico e uso de corticoides. As mulheres informaram o estado climatérico. A análise estatística descritiva foi apresentada em media, desvio-padrão e distribuição proporcional. As diferenças nas médias das variáveis dependentes (peso, CC, RCQ e gordura corporal) nos momentos de avaliação (T0, T1 e T2) foram verificadas por Anova de medidas repetidas. O Modelo Linear Misto para dados de medidas repetidas foi utilizado para explicar as alterações das variáveis dependentes em função das variáveis independentes (nível de atividade física, consumo alimentar, EC, RH e estado climatérico). Resultados: A maior parte das mulheres era pré-menopausada (59,3%), em EC II (59%), receptoras de estrogênio positivo (74%), ativas (59,3%), utilizaram protocolo quimioterápico AC-T(66,7%), corticoide no regime quimioterápico (77,8%), com consumo calórico 1568,53 kcal/dia. Foi verificado que o peso, a CC e a gordura corporal tiveram aumento entre o momento intermediário e final da quimioterapia (T1-T2) de 1,95kg (p=0,01), 2,04 cm (p=0,04), 1,15kg (p=0,02), respectivamente. A diferença entre os valores médios da RCQ não foram estatisticamente significante nos momentos de avaliação (p=0,92). O consumo calórico foi à única variável independente relacionada com a mudança nas medidas de peso e gordura corporal total. Não foi encontrado fator que se relacionasse com a elevação na CC. Conclusão: Sabendo-se que existem efeitos adversos no estado nutricional após submissão à quimioterapia adjuvante, recomendam-se práticas e políticas públicas de intervenção nutricional no combate ao ganho de peso e obesidade em mulheres diagnosticadas com câncer de mama.

Page generated in 0.0856 seconds