• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 286
  • 5
  • 3
  • 1
  • Tagged with
  • 297
  • 208
  • 82
  • 64
  • 50
  • 45
  • 44
  • 42
  • 27
  • 23
  • 23
  • 22
  • 21
  • 20
  • 19
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Separação materna prolongada induz desnutrição e inflamação sistêmica com deficiência de igf-1 e leptina e alterações hipocampais em camundongos lactentes

Figueiredo, Ítalo Leite January 2015 (has links)
FIGUEIREDO, Ítalo Leite. Separação materna prolongada induz desnutrição e inflamação sistêmica com deficiência de igf-1 e leptina e alterações hipocampais em camundongos lactentes. 145 f. Tese (Doutorado em Ciências Médicas)- Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2015. / Submitted by Eliene Nascimento (elienegvn@hotmail.com) on 2015-10-27T13:35:14Z No. of bitstreams: 1 2015_tese_ilfigueiredo.pdf: 2768416 bytes, checksum: 7d1870d3391b21936ed36fc5f2c93abd (MD5) / Approved for entry into archive by Eliene Nascimento(elienegvn@hotmail.com) on 2015-10-27T13:35:50Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2015_tese_ilfigueiredo.pdf: 2768416 bytes, checksum: 7d1870d3391b21936ed36fc5f2c93abd (MD5) / Made available in DSpace on 2015-10-27T13:35:50Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2015_tese_ilfigueiredo.pdf: 2768416 bytes, checksum: 7d1870d3391b21936ed36fc5f2c93abd (MD5) Previous issue date: 2015 / A separação materna prolongada (SMP) pode causar uma desnutrição energético-proteica devido à restrição do leite materno, o que pode levar a alterações no hipocampo, além de afetar a barreira intestinal, induzindo translocação bacteriana e inflamação sistêmica. Um estudo recente mostrou uma correlação negativa entre marcadores inflamatórios sistêmicos e níveis séricos do fator de crescimento insuliniforme 1 (IGF-1) em crianças desnutridas com baixa estatura. Contudo, ainda há uma lacuna no conhecimento quanto ao impacto da inflamação sistêmica no desenvolvimento do hipocampo em animais desnutridos. Este estudo teve como objetivo investigar o efeito da SMP no desenvolvimento físico, na ontogenia de alguns reflexos neonatais e nas alterações hipocampais em camundongos C57BL/6J, incluindo alterações morfológicas, neuroquímicas e expressão de marcadores de plasticidade cerebral, incluindo sinaptofisina (SYN) e proteína básica de mielina (PBM). Um segundo objetivo desse estudo foi avaliar o efeito na SMP nos níveis séricos de corticosterona, IGF-1, leptina e adiponectina e de uma proteína de fase aguda, a proteína C reativa (PCR), essa última como um marcador de inflamação sistêmica. A SMP foi induzida isolando metade dos filhotes de sua mãe em cada ninhada por períodos definidos (4h no dia 4, 8h no dia 5, e 12h nos demais dias) numa gaiola incubadora. Medições diárias de peso e comprimento de cauda foram realizadas, sendo a última como marcador de crescimento linear. Testes para avaliar reflexos neonatais incluindo recuo do abismo (cliff avoidance), correção da posição (surface righting), comportamento de nado (swimming behavior) e imobilidade dorsal (dorsal immobility) foram realizados nos dias 6, 8, 10, 12 e 14. No dia 14, os filhotes foram sacrificados por decapitação para obtenção do sangue para as análises hormonais e PCR no soro através de ELISA; e coleta de hipocampo para dosagens de aminoácidos por HPLC; imuno-histoquímica para SYN; e expressão de SYN e PBM no tecido encefálico por western blot. Uma parte dos animais foi submetida à perfusão transcardíaca com solução fixadora para análises estereológicas. A SMP induziu uma desnutrição com redução significativa do ganho de peso corporal (a partir do sexto dia) e do comprimento da cauda (a partir do décimo primeiro dia) (p<0,05). A avaliação do comportamento revelou diferenças entre os grupos nos testes de correção da posição e imobilidade dorsal (p<0,05). Na estereologia, foram observadas diferenças no volume total e no volume da camada de células piramidais de CA3 nos animais submetidos à SMP quando comparados com o grupo controle não separado (CNS) (p<0,05). A dosagem de aminoácidos indicou menor concentração de aspartato, glutamato, glicina e GABA nos animais do grupo SMP quando comparado ao CNS (p<0,05). Os animais do grupo CNS apresentaram maior marcação para SYN quando comparado ao grupo SMP. A SMP reduziu os níveis leptina e IGF-1, bem como nos níveis séricos de PCR (P<0,05). Em conjunto, esses resultados sugerem que a SPM causa inflamação sistêmica, com redução dos níveis séricos de leptina e IGF-1, déficits de crescimento e comportamentais e alterações na estrutura e atividade neuroquímica do hipocampo.
2

Associação dos polimorfismos G2548A e GLN223ARG com parâmetros antropométricos em mulheres saudáveis

Marin, Débora 18 December 2014 (has links)
Submitted by FERNANDA DA SILVA VON PORSTER (fdsvporster@univates.br) on 2015-04-20T18:13:02Z No. of bitstreams: 3 license_text: 22762 bytes, checksum: fda13080e892f3f68def2b8b70227968 (MD5) license_rdf: 23148 bytes, checksum: 9da0b6dfac957114c6a7714714b86306 (MD5) 2014DeboraMarin.pdf: 763873 bytes, checksum: 13a6755bc732a754dcf5071080fcf4f1 (MD5) / Approved for entry into archive by Ana Paula Lisboa Monteiro (monteiro@univates.br) on 2015-04-23T14:50:11Z (GMT) No. of bitstreams: 3 license_text: 22762 bytes, checksum: fda13080e892f3f68def2b8b70227968 (MD5) license_rdf: 23148 bytes, checksum: 9da0b6dfac957114c6a7714714b86306 (MD5) 2014DeboraMarin.pdf: 763873 bytes, checksum: 13a6755bc732a754dcf5071080fcf4f1 (MD5) / Made available in DSpace on 2015-04-23T14:50:11Z (GMT). No. of bitstreams: 3 license_text: 22762 bytes, checksum: fda13080e892f3f68def2b8b70227968 (MD5) license_rdf: 23148 bytes, checksum: 9da0b6dfac957114c6a7714714b86306 (MD5) 2014DeboraMarin.pdf: 763873 bytes, checksum: 13a6755bc732a754dcf5071080fcf4f1 (MD5) / Introdução: Fatores genéticos e ambientais estão envolvidos na patogênese da obesidade. Vários estudos demonstraram associações de variantes nos genes da leptina (LEP) e do receptor de leptina (LEPR) com a obesidade. Objetivo: O objetivo deste estudo foi investigar a influência dos polimorfismos G2548A, no gene LEP, e Gln223Arg, no gene LEPR, em parâmetros antropométricos, perfil lipídico, glicemia e no consumo alimentar de carboidratos. Metodologia: As participantes foram avaliadas por uma anamnese no Ambulatório de Nutrição da Univates, onde os dados do consumo alimentar foram obtidos pelo recordatório de 24 horas e calculados pelo programa Dietwin Profissional (versão 2008). As medidas antropométricas avaliadas foram: peso, altura, circunferência da cintura, circunferência do quadril, e a composição corporal por bioimpedância. Foi calculado o IMC e RCQ. Amostras de sangue foram coletadas para extração de DNA e para análise de parâmetros laboratoriais para avaliação do perfil lipídico (CT, HDL, TG) e glicose jejum. Os polimorfismos dos genes LEP (rs7799039) e LEPR (rs1177101) foram genotipados pela técnica de discriminação alélica TaqMan (Applied Biosystems). Resultados: A amostra foi composta por 378 mulheres saudáveis, com idade média de 25,1 anos (±6,2). Não foram detectadas associações significativas dos polimorfismos investigados com o perfil lipídico, a glicose jejum e o consumo de carboidratos. O genótipo AA do polimorfismo G2548A foi associado com o aumento de peso, IMC, RCQ, CC, e % de gordura corporal. O genótipo GG do polimorfismo Gln223Arg foi associado com o aumento de IMC. Conclusão: Os alelos de risco dos dois polimorfismos foram associados com o aumento das medidas antropométricas, em indivíduos saudáveis, demonstrando uma possível associação com aumento de risco para obesidade. / Introduction: Genetic and environmental factors are involved in the pathogenesis of obesity. Several studies have demonstrated associations between variants in the leptin (LEP) and in the leptin receptor (LEPR) genes with obesity. Objective: The aim of this study was to investigate the influence of the polymorphisms G2548A, in the LEP gene, and Gln223Arg, in the LEPR gene, on anthropometric parameters, lipid profile, fasting glucose and carbohydrates intake. Methods: Participants were assessed by an interview at the outpatient Nutrition Program at Universidade do Vale do Taquari Univates. Food consumption profile was obtained by the 24-hour recall method and calculated by the Dietwin Professional Program (2008 version). The anthropometric measurements were: weight, height, waist circumference, hip circumference, and fat body composition by bioelectrical impedance. BMI and WHR were calculated. Blood samples were collected for DNA extraction and for the analysis of biochemical parameters (TC, HDL, TG and fasting glucose). The polymorphisms (LEP-rs7799039 and LEPR-rs1177101) were genotyped by allelic discrimination TaqMan (Applied Biosystems). Results: The sample was composed by 378 healthy women with an average age of 25.1 years (± 6.2). No significant associations between the polymorphisms investigated and lipid profile, fasting glucose and carbohydrate intake were detected. The AA genotype of the G2548A polymorphism was associated with increased weight, BMI, WHR, WC, and% body fat. The GG genotype of the Gln223Arg polymorphism was associated with increased BMI. Conclusion: The risk alleles of the two polymorphisms were associated with increased anthropometric measurements in healthy subjects, suggesting a possible association with increased risk for the development of obesity.
3

Recrutamento de neutrófilos induzido por leptina em modelo murino de obesidade induzida por dieta

Almeida, Gláucia Souza de January 2012 (has links)
Submitted by Gilvan Almeida (gilvan.almeida@icict.fiocruz.br) on 2016-10-11T17:33:25Z No. of bitstreams: 2 license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) 72053.pdf: 1362653 bytes, checksum: fba356e2b9087f52b86707b982c63e23 (MD5) / Approved for entry into archive by Anderson Silva (avargas@icict.fiocruz.br) on 2016-10-25T16:57:44Z (GMT) No. of bitstreams: 2 72053.pdf: 1362653 bytes, checksum: fba356e2b9087f52b86707b982c63e23 (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) / Made available in DSpace on 2016-10-25T16:57:44Z (GMT). No. of bitstreams: 2 72053.pdf: 1362653 bytes, checksum: fba356e2b9087f52b86707b982c63e23 (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2012 / Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Oswaldo Cruz. Rio de Janeiro, RJ, Brasil / Leptina é um hormônio/citocina produzido pelo tecido adiposo que inibe a ingestão alimentar e o metabolismo lipídico. É altamente expressa na obesidade, sem no entanto intensificar seu efeito de inibição do apetite. Dentre outras funções, regula a imunidade inata e adaptativa. Sabe-se que a leptina ativa macrófagos, induzindo a produção de mediadores inflamatórios, como TNF-\F061, IL-1, IL-6 e LTB4. A leptina parece ainda regular a participação de neutrófilos em respostas inflamatórias. No entanto, não estão esclarecidos os mecanismos pelos quais a leptina seria capaz de regular migração ou ativação de neutrófilos, uma vez que estes não apresentam o principal receptor funcional de leptina, ObRb. Estudos in vitro não são conclusivos quanto aos efeitos serem diretos ou indiretos, enquanto estudos in vivo não se detém a estudar efeitos quimiotáticos de leptina sobre neutrófilos. O objetivo deste trabalho é investigar a sinalização por leptina envolvida na migração de neutrófilos. Para isso, foi realizada estimulação de animais C57Bl/6, bem como knockout de TNFR1-/-, MIP-1\F061-/-, 5-LO -/-, PI3K\F067-/-, machos, com leptina i.p. por 1, 6 e 24 h para avaliação do influxo de neutrófilos para a cavidade peritoneal e quantificação de mediadores inflamatórios no sobrenadante de lavado peritoneal e plasma. Também foram realizados tratamentos com rapamicina, para inibição de mTOR, Zileuton e U-75302, para inibir a sinalização por LTB4, bem como anticorpos anti-KC Foi observado que macrófagos incubados com leptina 20 nM in vitro produzem KC e TNF-\F061, mediadores que recrutam neutrófilos. In vivo, foi observado que a migração de neutrófilos por leptina é dependente de TNF-\F061, KC e PI3K\F067, e independente de 5-LO/LTB4, MIP-1\F061\F020e mTOR. Para avaliar o efeito de hiperleptinemia crônica na imunidade inata, foi estabelecido um modelo murino de obesidade induzida por dieta. Animais do grupo obeso foram alimentados com dieta hiperlipídica com 60% de teor calórico proveniente de gordura, enquanto a dieta controle possui 10% de teor calórico proveniente de gordura. Animais obesos apresentaram hiperglicemia e hiperleptinemia. A dieta hiperlipídica predispôs a ativação de macrófagos peritoneais por leptina, incrementando a produção de corpúsculos lipídicos. Os níveis de TNF-\F061 no sobrenadante de lavado peritoneal foram maiores em animais obesos não estimulados com leptina i.p., sendo a estimulação com leptina i.p. capaz de induzir recrutamento de neutrófilos em animais obesos. Tais eventos sugerem que a dieta hiperlipídica induziu background inflamatório, que, no entanto, não interferiu na capacidade da leptina induzir recrutamento neutrofílico. Tais dados sugerem que leptina promove recrutamento de neutrófilos por meio da ativação de macrófagos e produção de mediadores. Além disso, a obesidade experimental promove ativação subclínica de macrófagos, sem alterar o recrutamento de neutrófilos. Com este trabalho, espera-se contribuir para o melhor entendimento da participação da leptina na regulação do sistema imune inato / Leptin is an adipose tissue-produced hormone/cytokine which inhibits food intake and lipid metabolism. It is highly expressed in obesity without appetite inhibition enhancement. Also regulates innate and adaptive immunity. It is known that leptin activates macrophages inducing the production of inflammatory mediators such as TNF-\F061, IL-1, IL-6 and LTB4. Leptin regulates neutrophil functions in inflammatory responses. However, mechanisms by which leptin could induce neutrophils migration and activation are not elucidated, since they do not show the main functional leptin receptor, ObRb. In vitro studies are inconclusive about direct or indirect effects, while in vivo studies usually do not focus on leptin effects on neutrophil chemotaxis. This study aims to investigate leptin signaling involved in neutrophil migration. C57BL/6 and knockout TNFR1-/-, MIP-1\F061-/-, 5-LO-/-, PI3K\F067-/- male mice were stimulated with leptin ip for 1, 6 or 24 h for evaluation of neutrophil influx into peritoneal cavity and quantification of inflammatory mediators in the supernatant of peritoneal fluid and plasma. It was also performed treatments with rapamycin, for inhibition of mTOR, Zileuton and U-75302 for inhibition of LTB4 signaling, and anti-KC antibodies. Macrophages incubated with 20 nM leptin in vitro produce KC and TNF-\F061, neutrophil recruitment mediators. In vivo, neutrophil migration induced by leptin is dependent on TNF-\F061, KC and PI3K\F067, and independent on 5-LO/LTB4, MIP-1\F061 and mTOR To evaluate the effect of chronic hyperleptinemia in innate immunity, we established a murine model of diet induced obesity. The obese animals were fed with high fat diet with 60% calories from fat content, while the control diet had 10% of caloric content derived from fat. Obese animals showed hyperglycemia and hyperleptinemia. The fat diet predisposed the activation of peritoneal macrophages by leptin, increasing the lipid bodies formation. The levels of TNF-\F061 in the supernatant of peritoneal fluid were higher in obese animals, not stimulated with leptin ip; leptin ip stimulus induced neutrophil recruitment in obese animals. Such events suggest that the high fat diet induced inflammatory background, which, however, did not affect the ability of leptin to induce neutrophil recruitment. These data suggest that leptin promotes neutrophils recruitment through the activation of macrophages and production of mediators. Furthermore, experimental obesity promotes subclinical activation of macrophages, without changing the recruitment of neutrophils. This thesis is expected to contribute to a better understanding of leptin role in the regulation of innate immune system
4

Determinación de leptina y sus valores séricos en alpacas hembras adultas con diferente condición corporal

Enciso Hoyos, Marco Alonso January 2006 (has links)
El presente estudio tuvo como objetivo determinar la presencia de la hormona leptina en alpacas adultas, cuantificar sus valores y relacionarlos con la condición corporal. Con esta finalidad, se utilizaron 36 alpacas hembras adultas, vacías y sin cría, las cuales fueron divididas en dos grupos, según su condición corporal (CC): G1: CC menor a 3.0 y G2: CC mayor a 3.0, de acuerdo a una escala 1 – 5 (1: emaciada, 5: obesa). Se tomaron muestras de sangre por punción de vena yugular para obtener suero y fueron mantenidas en congelación a –20 ºC hasta su análisis. La determinación de leptina fue realizada mediante la técnica de radioinmunoensayo (RIA) específica para rumiantes. La media general de la concentración de leptina fue de 17.23 ± 0.81 ng/ml. Los valores encontrados para G1 fueron de 18.14 ± 1.12 ng/ml y para G2: 16.32 ± 1.15 ng/ml. Los resultados obtenidos permiten evidenciar la presencia de leptina en alpacas. La concentración de leptina no fue afectada por la categorización de los animales por condición corporal menor a 3.0 o mayor a 3.0. Las hembras con condición corporal mayor a 3.0 presentaron valores de concentración de leptina 10 % más bajos que las hembras con inferior condición corporal, pero esta diferencia no fue estadísticamente significativa (p igual a 0.2653). Palabras Claves: Alpaca, leptina, condición corporal, radioinmunoensayo. / --- The aim of this study was to determine the presence of the leptin hormone in adults alpacas, in order to quantify leptin values for these animals, and to relate them with the body condition. For this purpose 36 non pregnant and non nursing female adult alpacas were used, and they were divided in two groups, according to their body condition (BC): G1: BC menor a 3.0 and G2: BC mayor a 3.0, following to a scale 1 - 5 (1: emaciate, 5: obese). Blood samples by jugular venipunction to obtain serum were taken. The samples of serum were maintained in freezing to –20 ºC, until their analysis. The leptin determination was carried out by means of the radioimmunoassay technique (RIA) specific for ruminant. The mean of leptin concentration was 17.23 ± 0.81 ng/ml. The values for G1 was 18.14 ± 1.12 ng/ml and G2: 16.32 ± 1.15 ng/ml. The obtained results shown the leptin hormone is also present in alpacas. The leptin concentration was not affected by body condition menor a 3.0 or mayor a 3.0. The females with body condition mayor a 3.0 presented values of leptin concentration 10 % lower than females with lesser body condition, but this difference was not statistically significant (p iguala a 0.2653). Key Words: Alpaca, leptin, body condition, radioimmunoassay.
5

Adipocinas associadas à Sarcopenia em idosos da comunidade

XAVIER, Laise Santos 06 February 2018 (has links)
A imunossenescência paralela ao aumento do tecido adiposo em idosos está relacionada ao aumento sistêmico dos níveis plasmáticos de mediadores inflamatórios, como as adipocinas, gerando um estado inflamatório crônico de baixa intensidade nesses indivíduos. As adipocinas, por sua vez, vem sendo relacionadas à diminuição de massa, força muscular e função física em idosos, caracterizando a sarcopenia. A sarcopenia traz desfechos adversos graves para a população idosa, com conseqüências como a fragilidade, quedas e fraturas ósseas, incapacidades, institucionalização e hospitalização. No entanto, estudos sobre a relação entre as adipocinas e a sarcopenia são escassos no Brasil. O presente estudo investigou a associação entre as adipocinas leptina, resistina e adiponectina e a presença de sarcopenia em idosos residentes do município de Alfenas – MG, visando à identificação precoce da síndrome. Trata-se de um estudo observacional, transversal de base populacional aprovado pelo Comitê de Ética e Pesquisa da UNIFAL-MG (parecer número 1.092.299). A amostra foi composta por 406 idosos com idades entre 60 e 91 anos e de ambos os sexos. A classificação quanto à presença/ausência de sarcopenia foi realizada de acordo com o European Working Group on Sarcopenia in Older People (EWGSOP), baseado no rastreio de baixa velocidade de marcha (VM), associado ou não a fraqueza muscular medida mensurada pela força de preensão palmar (FPM) e redução da massa muscular estimada pela equação de Lee (MAE). Para caracterização da amostra, foi realizada análise descritiva. O teste Kolmogorov-Smirnov foi utilizado para analisar a normalidade da distribuição dos dados. As comparações entre grupos foram realizadas pelo teste Mann Whitney (variáveis numéricas) e Qui-quadrado (variáveis categóricas), considerando um α = 5%. Além disso, foi desenvolvido um modelo de regressão logística binária para determinar a associação entre a sarcopenia e as adipocinas. Na amostra estudada, a freqüência de sarcopenia foi de 19%. Dentre as adipocinas analisadas apenas a leptina foi associada a presença de sarcopenia no modelo de regressão binária final, onde níveis plasmáticos menores de leptina estavam envolvidos com risco aumentando de sarcopenia. O fato das demais adipocinas não terem se associado ao diagnóstico de sarcopenia pode ser explicado pela característica de sobrepeso da amostra como um todo. De acordo com os resultados encontrados conclui-se que entre as adipocinas pesquisadas a diminuição da leptina pode ser mais um dos indicadores biológicos para os avanços no estudo da sarcopenia. Contudo, novas evidências são necessárias no intuito de investigar a ação dessas adipocinas na fisiopatologia da sarcopenia e verificar a ação desses mediadores sobre a progressão dessa síndrome. / Immunosenescence parallel to the increase of adipose tissue in the elderly is related to the systemic increase of plasma levels of inflammatory mediators, such as adipokines, generating a chronic inflammatory state of low intensity in these individuals. Adipokines, in turn, have been related to decreased mass, muscle strength and physical function in the elderly, characterizing sarcopenia. Sarcopenia presents severe adverse outcomes for the elderly population, with consequences such as frailty, falls and bone fractures, disabilities, institutionalization and hospitalization. However, studies on the relationship between adipokines and sarcopenia are scarce in Brazil. The present study investigated the association between adipokines leptin, resistin and adiponectin and the presence of sarcopenia in elderly residents of the city of Alfenas - MG, aiming at the early identification of the syndrome. It is an observational, cross-sectional population-based study approved by the Ethics and Research Committee of UNIFAL-MG (opinion number 1,092,299). The sample consisted of 406 elderly individuals between 60 and 91 years of age and of both sexes. The classification for the presence / absence of sarcopenia was performed according to the European Working Group on Sarcopenia in Older People (EWGSOP), based on the low speed gait (VM) screening, associated or not with measured muscle weakness measured by the force of palmar grip (FPM) and reduction of muscle mass estimated by the Lee equation (MAE). For characterization of the sample, a descriptive analysis was performed. The Kolmogorov-Smirnov test was used to analyze the normality of the data distribution. Mann Whitney test (numerical variables) and chi-square test (categorical variables) were used, considering α = 5%. In addition, a binary logistic regression model was developed to determine the association between sarcopenia and adipokines. In the studied sample, the frequency of sarcopenia was 19%. Among the adipokines analyzed only leptin was associated with the presence of sarcopenia in the final binary regression model, where lower plasma levels of leptin were involved with increased risk of sarcopenia. The fact that the other inflammatory mediators were not associated with the diagnosis of sarcopenia can be explained by the overweight characteristic of the sample as a whole. According to the results, it is concluded that among the adipokines studied, the decrease in leptin may be one of the biological indicators for progress in the study of sarcopenia. However, new evidence is needed in order to investigate the action of these adipokines on the pathophysiology of sarcopenia and to verify the action of these mediators on the progression of this syndrome. / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES
6

Determinación de leptina y sus valores séricos en alpacas hembras adultas con diferente condición corporal

Enciso Hoyos, Marco Alonso January 2006 (has links)
El presente estudio tuvo como objetivo determinar la presencia de la hormona leptina en alpacas adultas, cuantificar sus valores y relacionarlos con la condición corporal. Con esta finalidad, se utilizaron 36 alpacas hembras adultas, vacías y sin cría, las cuales fueron divididas en dos grupos, según su condición corporal (CC): G1: CC menor a 3.0 y G2: CC mayor a 3.0, de acuerdo a una escala 1 – 5 (1: emaciada, 5: obesa). Se tomaron muestras de sangre por punción de vena yugular para obtener suero y fueron mantenidas en congelación a –20 ºC hasta su análisis. La determinación de leptina fue realizada mediante la técnica de radioinmunoensayo (RIA) específica para rumiantes. La media general de la concentración de leptina fue de 17.23 ± 0.81 ng/ml. Los valores encontrados para G1 fueron de 18.14 ± 1.12 ng/ml y para G2: 16.32 ± 1.15 ng/ml. Los resultados obtenidos permiten evidenciar la presencia de leptina en alpacas. La concentración de leptina no fue afectada por la categorización de los animales por condición corporal menor a 3.0 o mayor a 3.0. Las hembras con condición corporal mayor a 3.0 presentaron valores de concentración de leptina 10 % más bajos que las hembras con inferior condición corporal, pero esta diferencia no fue estadísticamente significativa (p igual a 0.2653). Palabras Claves: Alpaca, leptina, condición corporal, radioinmunoensayo. / The aim of this study was to determine the presence of the leptin hormone in adults alpacas, in order to quantify leptin values for these animals, and to relate them with the body condition. For this purpose 36 non pregnant and non nursing female adult alpacas were used, and they were divided in two groups, according to their body condition (BC): G1: BC menor a 3.0 and G2: BC mayor a 3.0, following to a scale 1 - 5 (1: emaciate, 5: obese). Blood samples by jugular venipunction to obtain serum were taken. The samples of serum were maintained in freezing to –20 ºC, until their analysis. The leptin determination was carried out by means of the radioimmunoassay technique (RIA) specific for ruminant. The mean of leptin concentration was 17.23 ± 0.81 ng/ml. The values for G1 was 18.14 ± 1.12 ng/ml and G2: 16.32 ± 1.15 ng/ml. The obtained results shown the leptin hormone is also present in alpacas. The leptin concentration was not affected by body condition menor a 3.0 or mayor a 3.0. The females with body condition mayor a 3.0 presented values of leptin concentration 10 % lower than females with lesser body condition, but this difference was not statistically significant (p iguala a 0.2653). Key Words: Alpaca, leptin, body condition, radioimmunoassay.
7

Níveis séricos de leptina e composição corporal em transplantados renais

Souza, Gabriela Corrêa January 2006 (has links)
Resumo não disponível
8

Níveis séricos de leptina e composição corporal em transplantados renais

Souza, Gabriela Corrêa January 2006 (has links)
Resumo não disponível
9

Avaliação antropométrica e dos níveis plasmáticos de leptina em mulheres inférteis

Andretti, Ana Carolina Cantarelli January 2006 (has links)
Resumo não disponível
10

O lipopolissacarídeo altera a comunicação da leptina em hipocampo de ratos wistar

Ré, Carollina Fraga Da January 2015 (has links)
A neuroinflamação tem sido demonstrada como um fator presente em diversas doenças neurodegenerativas, como a doença de Alzheimer e doença de Parkinson. O lipopolissacarídeo (LPS) é uma molécula constituinte da membrana de bactérias gram-negativas e, após a ligação desta molécula ao receptor TLR4 ocorre a ativação de diversas vias de sinalização as quais aumentam a produção e secreção de moléculas pró-inflamatórias. Devido a sua alta imunoatividade o LPS tem sido utilizado em modelos de inflamação in vivo e in vitro. O LPS também parece ser capaz de modular, através de uma inflamação sistêmica, a resposta da leptina. A leptina é um hormônio peptídico secretado principalmente pelo tecido adiposo, esta adipocina tem sua ação mediada pela ligação ao receptor ObR, o qual quando ativado pode induzir a ativação de diversas vias de sinalização, levando, por exemplo a produção de SOCS3, que age como um fator de regulação negativo da sinalização pelo ObR. A função mais conhecida e estudada da leptina é na regulação do controle alimentar, onde após a ingestão de alimentos a leptina age no hipotálamo sinalizando a sensação saciedade. Entretanto, já há evidências da presença de seu receptor em outras áreas cerebrais, como no hipocampo, onde esta adipocina pode ter um papel na regulação da memória e aprendizagem. Além disso, também tem sido implicada como neuroprotetora em doenças neurodegenerativas, como as doenças de Alzheimer e Parkinson, sendo a leptina capaz de melhorar tanto aspectos moleculares quanto comportamentais destas patologias. A leptina tem se mostrado importante na regulação da resposta imune, podendo servir como uma molécula de sinalização de uma inflamação sistêmica para o cérebro. A neuroinflamação tem sido implicada como um dos fatores que podem levar a resistência à leptina no hipotálamo. Tendo este hormônio ações distintas entre os tecidos, nós investigamos como a neuroinflamação induzida por injeção ICV de LPS poderia modular a resposta à leptina no hipocampo. Além disso, foram avaliados parâmetros inflamatórios centrais e periféricos e também a resposta astrocítica à neuroinflamação pela dosagem de proteínas características desse tipo celular, todos os parâmetros foram analisados após 48 horas da indução do modelo. Nosso estudo não encontrou diferença no imunoconteúdo da leptina no hipocampo, porém houve um aumento no conteúdo proteico do receptor ObR neste tecido nos ratos tratados e não ocorreu alteração significativa nos níveis intracelulares de SOCS3. Nós encontramos uma diminuição nos níveis séricos de leptina e da proteína S100B nos ratos do grupo LPS. A expressão proteica das citocinas pró-inflamatórias IL-1β e TNF-α foram alterados no hipocampo após a injeção ICV de LPS, tendo um aumento nos níveis intracelulares de IL-1 β e uma diminuição de TNF-α. A proteína glial fibrilar ácida (GFAP) teve um aumento em seu imunoconteúdo no hipocampo dos ratos tratados, em contrapartida os níveis de S100B intracelulares não foram alterados significativamente. Os níveis séricos de TNF-α tiveram um aumento em resposta à neuroinflamação induzida, além disso, os ratos que receberam injeção ICV de LPS mostraram uma maior perda de peso em relação aos ratos que receberam apenas veículo. Nossos dados mostram que a neuroinflamação é capaz de modular a resposta hipocampal e periférica de leptina, colaborando assim para uma melhor compreensão do papel da sinalização por leptina na neuroinflamação e possivelmente nas doenças neurodegenerativas. / Neuroinflammation has been established as a factor present in various neurodegenerative diseases such as Alzheimer's and Parkinson's disease. LPS is a constituent molecule of the membrane of gram-negative bacteria and, after binding of this molecule in the TLR4 occurs activation of several signaling pathways which increase the production and secretion of pro-inflammatory molecules, due to their high immunoactivity LPS has been used in models of inflammation in vivo and in vitro. LPS also seems to be able to modulate, through a systemic inflammation, the response of leptin. Leptin is a peptide hormone secreted mainly by the adipose tissue, that adipokine has its action mediated by binding to the ObRb receptor which when activated can induce activation of several signaling pathways, leading to, for example, production of SOCS3 which acts as a negative feedback on ObRb. The most studied and known function of leptin is in the regulation of food control, where after the food intake leptin signaling in the hypothalamus acts feeling of hunger. However, there is evidence of the presence of its receptor in other brain regions such as hippocampus, where this may adipokine play a role in the regulation of memory and learning. Furthermore, as has also been implicated as neuroprotective in neurodegenerative diseases such as Alzheimer’s and Parkinson’s diseases, and leptin can improve both molecular and behavioral aspects of these diseases. Leptin has been shown to be important in regulating the immune response, may serve as a signaling molecule to a systemic inflammation of the brain. The neuroinflammation has been implicated as a factor that can lead to leptin resistance in the hypothalamus. As this hormone have distinct actions between tissues, we investigated as a neuroinflammation induced by ICV injection of LPS could modulate the response to leptin in the hippocampus. In addition, we assessed the central and peripheral inflammatory parameters, and also the astrocytic response to neuroinflammation by measuring protein characteristics of this cell type, all parameters were analyzed after 48 hours of induction model. Our study found no difference in leptin immunocontent in the hippocampus, but there was an increase in the protein content of the ObR receptor in this tissue in the treated rats and no significant change in intracellular levels of SOCS3. We found a decrease in serum leptin and S100B protein in rats of LPS group. Protein expression of pro-inflammatory cytokines IL-1β and TNF-α were changed in the hippocampus after ICV injection of LPS, with an increase in intracellular levels of IL-1 β and TNF-α decreased. GFAP had an increase in their immunocontent in hippocampus of rats treated, in contrast to the intracellular S100B levels were not significantly altered. The TNF-α serum levels were increased in response to induced neuroinflammation, in addition, rats receiving ICV injection of LPS showed greater weight loss compared to rats receiving vehicle only. Our data demonstrate that neuroinflammation is capable of modulating hippocampal and peripheral leptin response, thus contributing to a better understanding of the role of leptin signaling in the neuroinflammation and possibly in the neurodegenerative diseases.

Page generated in 0.0466 seconds