• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 231
  • 5
  • 5
  • 5
  • 5
  • 5
  • 5
  • 3
  • 2
  • 1
  • 1
  • 1
  • Tagged with
  • 235
  • 235
  • 161
  • 36
  • 34
  • 34
  • 33
  • 31
  • 26
  • 26
  • 23
  • 20
  • 20
  • 20
  • 19
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Prevalencia de doença periodontal em escolares de 7 a 12 anos de idade, negros, de ambos os sexos, da zona urbana da cidade de Florianopolis

Maciel, Regino Antunes January 1975 (has links)
Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciencias da Saude / Made available in DSpace on 2012-10-15T19:41:36Z (GMT). No. of bitstreams: 0Bitstream added on 2016-01-08T13:07:51Z : No. of bitstreams: 1 109813.pdf: 4303235 bytes, checksum: 64dedc57e3ecec732dcc9a23a44f5113 (MD5) / Foi realizado um estudo para avaliar a prevalência de doenças periodontais e suas relações com a higiene bucal, sexo e idade, em crianças de 7 a 12 anos de idade, negras,.das escolas públicas da zona urbana da cidade de Florianópolis. De 1.181 escolares, foi obtida uma amostra representativa de 237 crianças; de ambos os sexos que foram examinadas mediante o uso do índice Periodontal de Russell (1956) e do índice de Higiene Bucal Simplificado de Greene & Vermillion(1964). Analisados estatisticamente os resultados, verificou-se que: 1 - A prevalência de doença periodontal (P), analisada ao nível de 95% de confiança, situa-se entre: 0,90 £ P £ 0,96. 2 - O Índice periodontal (IP) de Russel médio foi de 0,52 por criança, na amostra global. 3 - Foi serificada correlação positiva, significativa ao nível de 1%, entre os índices de doença periodontal (IP) e 08 de higiene bucal (IHO-S). 4 - Não foi serificada influência estatisticamente significatita dos fatores idade e sexo sobre o grau de doença periodontal.
2

Associação entre doença periodontal e pneumonia nosocomial

Oliveira, Thaís Feitosa Leitão de 26 November 2010 (has links)
Submitted by Barroso Patrícia (barroso.p2010@gmail.com) on 2013-08-12T18:05:58Z No. of bitstreams: 1 Dissertação Thaís.pdf: 4101227 bytes, checksum: 85ef01355081e29d03fd1c90b5a16711 (MD5) / Made available in DSpace on 2013-08-12T18:05:59Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Dissertação Thaís.pdf: 4101227 bytes, checksum: 85ef01355081e29d03fd1c90b5a16711 (MD5) Previous issue date: 2010 / Introdução: A Doença Periodontal (DP) é uma patologia bastante prevalente na população, podendo trazer prejuízos não só ao sistema estomatognático como também desencadear outras repercussões à distância. Dentre estas a pneumonia nosocomial (PN), que é desenvolvida após 48h de internação hospitalar e que não estavam presente ou incubada no paciente no momento da admissão no hospital, e representa um dos principais problemas de controle de infecção hospitalar na atualidade, devido à sua elevada incidência, altas taxas de mortalidade e altos custos que é também um grave problema de saúde pública. Objetivo: Avaliar a possível associação entre a doença periodontal e pneumonia nosocomial. Metodologia: Estudo caso-controle realizado no Hospital Geral Clériston Andrade (HGCA), Feira de Santana, Bahia, Brasil. A amostra total foi de 200 indivíduos, sendo 40 casos (com PN) e 160 controles (sem PN). O diagnóstico de periodontite utilizado foi de acordo com os critérios: pelo menos quatro dentes, com no mínimo um sítio, com profundidade de sondagem maior ou igual a 4mm, perda de inserção de 3mm ou mais e sangramento à sondagem, no mesmo sítio. O diagnóstico de PN foi realizado pela equipe médica do próprio HGCA. Resultados: Na análise de associação bruta, verificou-se que, entre os indivíduos portadores da DP a chance de apresentar pneumonia foi maior que entre aqueles sem DP (ORbruta=2,02; IC 95% [0,90 – 4,53], p=0,09), porém sem significância estatística. Na regressão logística condicional, nenhum efeito de interação foi detectado, mas foram confirmadas como elementos de confundimento o cuidado bucal durante internamento, ventilação mecânica invasiva, tempo de internamento e idade. Após o ajuste para essas variáveis, a ORajustada reduziu para 0,87 (IC 95% [0,18-4,15], p=0,86). Conclusão: Não houve associação estatisticamente significante entre periodontite e pneumonia nosocomial. / Universidade Federal da Bahia, Instituto de Ciências da Saúde
3

Análise sistêmica da função fagocitária e radicais de oxigênio, antes e após terapia periodontal, em pacientes com periodontite / Systemic analysis of the phagocyte function and oxygen radicals, before and after periodontal therapy, in patients with periodontitis

Carneiro, Valéria Martins de Araújo 09 August 2011 (has links)
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, 2011. / Submitted by Albânia Cézar de Melo (albania@bce.unb.br) on 2012-03-12T15:48:43Z No. of bitstreams: 1 2011_ValeriaMartinsAraujoCarneiro.pdf: 37117688 bytes, checksum: d7ec9e07b5c0fea5c98f8e99532570ac (MD5) / Approved for entry into archive by Marília Freitas(marilia@bce.unb.br) on 2012-03-20T12:29:15Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2011_ValeriaMartinsAraujoCarneiro.pdf: 37117688 bytes, checksum: d7ec9e07b5c0fea5c98f8e99532570ac (MD5) / Made available in DSpace on 2012-03-20T12:29:15Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2011_ValeriaMartinsAraujoCarneiro.pdf: 37117688 bytes, checksum: d7ec9e07b5c0fea5c98f8e99532570ac (MD5) / Periodontite consiste em uma doença inflamatória de etiologia infecciosa, causada pelo desequilíbrio entre os efeitos do biofilme bacteriano e a resposta imunoinflamatória do hospedeiro. Neutrófilo e monócito constituem, por meio da fagocitose e produção de radicais de oxigênio, o principal mecanismo de defesa frente aos desafios bacterianos presentes no sulco gengival e na bolsa periodontal. Os estudos longitudinais sobre a fagocitose por neutrófilo do sangue periférico são escassos e os resultados apresentados, controversos. A função do monócito relativa à fagocitose na periodontite, por sua vez, não foi avaliada até o momento. Métodos: Avaliou-se o índice fagocitário de neutrófilo (IFN), monócito (IFM) e capacidade oxidativa do sangue periférico pelo teste de Nitroblue tetrazolium (NBT) na periodontite, antes e após terapia periodontal. A amostra incluiu 28 indivíduos com periodontite e 27 indivíduos sem doença periodontal (grupo controle). Para análise da fagocitose, Saccharomyces cerevesiae morta foi previamente sensililizada ou não com o soro do indivíduo. O índice fagocitário (IF) foi determinado pela multiplicação da média de Saccharomyces cerevesiae aderidas/ingeridas por fagócitos pelo % de fagócitos em fagocitose. Resultados: A terapia periodontal resultou em melhora significantiva do estado periodontal clínico (P≤ 0,0002). O IFN foi restabelecido em ambas as análises: não sensibilizado antes da terapia foi 1,5, pós-terapia, 3,5, (P= 0,001); sensibilizado antes da terapia, 113, pós-terapia, 157, (P=0,01). O restabelecimento foi compatível com os valores encontrados no grupo controle: IFN não sensibilizado foi 2,25 e IFN sensibilizado, 157. Resultados semelhantes foram encontrados para o IFM não sensibilizado: antes da terapia, 13,25, pós-terapia, 43,28, (P= 0,01). Diferentemente, para a análise da fagocitose com o soro do indivíduo, os valores alcançados no IFM pós-terapia foram maiores do que os encontrados no grupo controle: IFM grupo controle foi 98, pós-terapia, 110 (P= 0,04) Resultados semelhantes para a mediana do NBT: NBT basal grupo controle, 76,25, pós terapia, 84,50, (P= 0,009), enquanto o NBT estimulado no grupo controle foi 69,5 e pós-terapia, 80,75, (P=0,003). Não houve diferença estatisticamente significante na produção de radical de oxigênio estimulado e basal entre o grupo controle e grupo periodontite antes da terapia. Conclusão: A doença periodontal causou enfraquecimento na função fagocitária tanto em neutrófilo como em monócito, enquanto que a terapia periodontal restabeleceu a função neutrofílica. Assim, observou-se o papel modulador da infecção nas células fagocitárias. Os resultados do IFM e NBT pós-terapia, no grupo periodontite, sugerem hiperatividade celular intrínseca, o que reforça a necessidade de controles periódicos no grupo periodontite objetivando prevenir a recidiva da doença periodontal. ______________________________________________________________________________ ABSTRACT / Periodontitis is an inflammatory disease of infectious etiology, caused by an imbalance between the effects of the bacterial biofilm and the host immunoinflammatory response. Neutrophil and monocyte through phagocytosis and production of oxygen radicals, are the main defense mechanism against bacterial challenges in the gingival crevice and periodontal pocket. In the literature there are few longitudinal studies on phagocytosis by neutrophils in peripheral blood and, the results are controversial. While the function of phagocytosis by monocyte in periodontitis has not been evaluated so far. Methods: We evaluated the phagocytic index (PhI) by neutrophil, monocytes and oxidative capacity by nitroblue tetrazolium test (NBT) in peripheral blood of periodontitis, before and after periodontal therapy. The sample included 28 subjects with periodontitis and 27 subjects without periodontal disease (control roup). For analyzes of phagocytosis killed Saccharomyces cerevesiae was previously sensitized or non-sensitized with the serum of the individual. The phagocytic index (PhI) was determined by multiplying the average of Saccharomyces cerevesiae attached / ingested by phagocytes by the % of phagocytes in phagocytosis. Results: The periodontal therapy significantly improved clinical periodontal status (P ≤ 0.0002). PhI by neutrophil was restored in both analysis: non-sensitized before therapy 1.5, after therapy 3.5 (P = 0.001), sensitized before therapy 113, post-therapy 157 (P = 0.01). The recovery was consistent with the values found in the control group: PhI by non-sensitized neutrophil 2.25, PhI by sensitized neutrophil 157. Similar results were found for the PhI by monocyte: non-sensitized before therapy 13:25, post-therapy 43.28 (P = 0.01). In contrast to the analysis of phagocytosis with the serum of the individual, the values achieved in the PhI by monocytes after therapy were higher than those found in the control group: PhI by monocyte in the control group 98, post-therapy 110 (P = 0.04). Similar results for the median of NBT. NBT in the control group 76.25, post- therapy 84.50 (P = 0.009), while the stimulated NBT in the control group 69.5 and post- therapy 80.75 (P = 0.003). There was no statistically significant difference in oxygen radical production in the control group and periodontitis group before therapy. Conclusion: Periodontal disease caused a reduction in both phagocytic function of neutrophils and monocytes, while periodontal therapy restored neutrophil function. Thus, there is the modulating role of infection in phagocytic cells. The results of the PhI by monocyte and NBT test after therapy in periodontitis group, suggest an intrinsic cell hyperactivity. This reinforces the need for periodic controls in periodontitis group in order to prevent recurrence of periodontal disease.
4

Aspectos bacteriológicos do desenvolvimento do cálculo dental "in vitro"

Verney, Catarina Maria Costa January 1982 (has links)
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Saúde. / Made available in DSpace on 2012-10-15T21:05:12Z (GMT). No. of bitstreams: 0Bitstream added on 2016-01-08T14:25:11Z : No. of bitstreams: 1 173093.pdf: 2187620 bytes, checksum: 58738e63f488f09052d38cd7b9173644 (MD5)
5

Avaliação do impacto do tratamento periodontal não cirúrgico na halitose e na qualidade de vida

Batista, Ana Laura Hora Menezes January 2013 (has links)
Submitted by Edileide Reis (leyde-landy@hotmail.com) on 2015-04-14T22:06:57Z No. of bitstreams: 1 Ana Laura Hora Menezes Batista.pdf: 1094624 bytes, checksum: 4fc442b8aabe256c5186aeb1325e0ac1 (MD5) / Made available in DSpace on 2015-04-14T22:06:57Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Ana Laura Hora Menezes Batista.pdf: 1094624 bytes, checksum: 4fc442b8aabe256c5186aeb1325e0ac1 (MD5) Previous issue date: 2013 / Atualmente, a doença periodontal é considerada a doença bucal mais comum. Relacionada com a inflamação dos tecidos de proteção e de suporte dos dentes, resulta em uma destruição progressiva destes tecidos, podendo levar à perda dentária e com isso gerar problemas funcionais, sociais e psicológicos, afetando a qualidade de vida e o bem-estar do paciente. A autopercepção é uma condição subjetiva da saúde bucal, que mede a sua funcionalidade e os valores sociais e culturais relacionados à mesma. Essa avaliação reflete na qualidade de vida e está associada às condições de saúde geral, assim como a comportamentos relacionados aos cuidados com a saúde. Vale ressaltar que alguns dados sobre autopercepção de um indivíduo são de suma importância podendo haver possibilidade de obter consciência da sua própria condição de saúde, o que poderá acarretar mudança no comportamento pessoal e, como consequência, obter uma melhora na qualidade de vida. O objetivo deste trabalho é fazer uma revisão de literatura sobre a autopercepção dos pacientes em relação à doença periodontal, procurando respostas para algumas questões como a interferência da doença na qualidade de vida do indivíduo, a identificação de sinais clínicos das periodontopatias que apresentem impacto na vida dos pacientes e se o tratamento periodontal é capaz de influenciar positivamente a qualidade de vida das pessoas.
6

Avaliação do estresse oxidativo em humanos com doença periodontal

Borges Junior, Ivan January 2004 (has links)
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Saúde. Programa de Pos-Graduação em Nutrição. / Made available in DSpace on 2012-10-21T17:56:15Z (GMT). No. of bitstreams: 1 205419.pdf: 776341 bytes, checksum: 85be78a4e58577bf3d5e52f1dfe21144 (MD5) / As espécies reativas de oxigênio (ERO) estão continuamente relacionadas com o consumo de oxigênio nos organismos aeróbicos, incluindo os seres humanos. Sua produção é aumentada em eventos patológicos, como no processo inflamatório, dentre eles a doença periodontal. O principal objetivo do presente estudo foi avaliar a incidência do estresse oxidativo no tecido gengival em indivíduos com doença periodontal crônica. Dezoito indivíduos participaram do estudo e foram divididos em dois grupos (n=9 em cada grupo): controle (pacientes saudáveis # média de idade 46,77 ± 12,94 ), com profundidade de sondagem de até 3mm; e grupo experimental (pacientes com periodontite # média de idade 55,5 ± 11,32), com profundidade de sondagem entre 6-9mm. A avaliação nutricional baseou-se no consumo alimentar e em medidas antropométricas. Fragmentos de tecido gengival foram coletados para análise enzimática de antioxidantes: catalase (CAT), glutationa peroxidase (GPx), glutationa S-transferase (GST), glutationa redutase (GR); antioxidantes não enzimáticos: glutationa total (GT), glutationa reduzida (GSH); e biomarcadores do estresse oxidativo, tal como, glutationa oxidada (GSSG) e lipoperoxidação tecidual, avaliado como TBARS (substâncias reativas ao ácido tiobarbitúrico). A atividade da mieloperoxidase (MPO) também foi analisada. Em relação ao estado nutricional, foram obtidos os seguintes resultados no grupo controle: índice de massa corporal (IMC) = 24,88 ± 3,72; circunferência braquial (CB) = 30,30 ± 3,86; prega cutânea triciptal (PCT) = 14,55 ± 5,56; circunferência muscular do braço (CBM) = 24,23 ± 3,86. No grupo experimental índice de massa corporal (IMC) = 27,65 ± 4,32; circunferência braquial (CB) = 33,56 ± 2,66; prega cutânea triciptal (PCT) = 32,26 ± 10,76; circunferência muscular do braço (CBM) = 23,34 ± 3,12. O consumo alimentar do grupo controle (indivíduos considerados normais em relação ao estado nutricional) mostrou uma presença elevada de antioxidantes comparado ao grupo experimental (considerados indivíduos pré-obesos). Os indivíduos com doença periodontal mostraram um aumento da GSSG e concentrações de TBARS no tecido gengival, comparados ao pacientes saudáveis. Além disso, o grupo experimental, mostrou também um aumento da atividade da GPx, GST e MPO e concentrações de GT nos fragmentos gengivais analisados, quando comparado ao grupo controle. As atividades da CAT e da GR não apresentaram significância estatística entre os grupos. A análise das amostras obtidas em relação estado dos antioxidantes, atividade da MPO e o estado nutricional, sugere uma forte correlação entre biomarcadores do estresse oxidativo e doença periodontal, a qual provavelmente estava associada com o estado nutricional dos indivíduos pesquisados.
7

Efeito do citrato de sildenafila na progressão da doença periodontal experimental em ratos

SOARES, Diego Moura 16 February 2017 (has links)
Submitted by Pedro Barros (pedro.silvabarros@ufpe.br) on 2018-08-08T20:21:01Z No. of bitstreams: 2 license_rdf: 811 bytes, checksum: e39d27027a6cc9cb039ad269a5db8e34 (MD5) TESE Diego Moura Soares.pdf: 1795202 bytes, checksum: 5acbafbcd9505be445c74529d09f5ac5 (MD5) / Approved for entry into archive by Alice Araujo (alice.caraujo@ufpe.br) on 2018-08-16T22:36:03Z (GMT) No. of bitstreams: 2 license_rdf: 811 bytes, checksum: e39d27027a6cc9cb039ad269a5db8e34 (MD5) TESE Diego Moura Soares.pdf: 1795202 bytes, checksum: 5acbafbcd9505be445c74529d09f5ac5 (MD5) / Made available in DSpace on 2018-08-16T22:36:03Z (GMT). No. of bitstreams: 2 license_rdf: 811 bytes, checksum: e39d27027a6cc9cb039ad269a5db8e34 (MD5) TESE Diego Moura Soares.pdf: 1795202 bytes, checksum: 5acbafbcd9505be445c74529d09f5ac5 (MD5) Previous issue date: 2017-02-16 / FACEPE / O citrato de sildenafila é um potente inibidor seletivo da fosfodiesterase-5 e a sua descoberta representou um grande avanço no tratamento da disfunção erétil. Atualmente, este fármaco vem mostrando efeitos positivos no que diz respeito à diminuição do processo inflamatório e redução do estresse oxidativo, com conseqüente redução do dano tecidual, em diversas patologias. Como o processo inflamatório é um fator primordial na destruição dos tecidos periodontais decorrente da periodontite, objetivou-se avaliar o efeito do citrato de sildenafila na prevenção e progressão da periodontite experimental (PE) em ratos. Este estudo foi dividido em dois grupos. Grupo 1 (n=18), a droga foi administrada previamente e apenas 15 dias depois a PE foi induzida, permanecendo mais 15 dias de administração diária da droga. No grupo 2 do estudo (n=18) a administração da droga e a indução da PE iniciaram no mesmo dia e se mantiveram por mais 15 dias. Nos dois grupos os animais foram divididos em três subgrupos (n=6). Subgrupo placebo, doses diárias de veículo e indução da PE. Subgrupo controle, doses diárias de 10mg/kg de sildenafila sem indução da PE. Subgrupo sildenafila, indução da PE e doses diárias de 10mg/kg de sildenafila. A PE foi induzida no primeiro molar inferior esquerdo, através de ligadura e decorrido o período experimental, os animais foram eutanasiados e as mandíbulas removidas e analisadas através de microtomografia computadorizada (microCT), histologia e histomorfometria. Os dados foram tabulados e submetidos ao teste T para amostras independentes ou teste de Mann Whitney, de acordo com a distribuição das variáveis, considerando um intervalo de confiança de 95%. No grupo 1 do estudo, não observou-se diferenças significativas quando comparado o grupo que recebeu veículo associado a PE com o grupo tratado com droga, em nenhuma das análises realizadas. No grupo 2, a partir da análise por microCT verificou-se, diferença estatística na área de furca quando comparado o subgrupo controle com o subgrupo que recebeu doses diárias de sildenafila associado a PE, com um menor padrão de reabsorção óssea para o grupo sildenafila. Da mesma forma, o grau de inflamação mostrou diferença estatística quando comparou a área de furca dos subgrupos controle e sildenafila, com menores escores de inflamação para o grupo sildenafila, no grupo 2 do estudo. Além disso, observou-se formação de microabscessos e áreas de osso necrótico em todos os espécimes avaliados do subgrupo placebo no segundo grupo do estudo, este fato não foi verificado no subgrupo tratado com sildenafila. Na análise histomorfométrica houve uma tendência a menor reabsorção óssea para o subgrupo sildenafila quando comparado com o subgrupo placebo, no grupo 2 do estudo, porém sem significância estatística. Conclui-se que doses diárias de 10 mg/kg de citrato de sildenafila, diminuiu o processo inflamatório na região de furca, bem como a reabsorção óssea quando utilizado para fins de tratamento da periodontite experimental em ratos. / Sildenafil Citrate is a potent selective phosphodiesterase-5 inhibitor and its discovery represented a breakthrough in the treatment of erectile dysfunction. Currently, this drug has been showing positive effects with regard to the reduction of inflammatory process and reduction of oxidative stress, with consequent reduction of tissue damage, in several pathologies. The effect of sildenafil citrate on the prevention and progression of experimental periodontitis (PE) in rats was evaluated as the inflammatory process is a primary factor in the destruction of periodontal tissues due to periodontitis. This study was divided into two groups. Group 1 (n = 18), the drug was administered previously and only 15 days later PE was induced, remaining another 15 days of daily administration of the drug. In group 2 of the study (n = 18) the administration of the drug and the induction of PE started the same day and were maintained for another 15 days. In both groups, the animals were divided into three subgroups (n = 6). Placebo subgroup, daily vehicle doses and PE induction. Subgroup control, daily doses of 10mg / kg sildenafil without induction of PE. Subgroup sildenafil, induction of PE and daily doses of 10mg / kg of sildenafil. PE was induced in the lower left first molar by ligation and after the experimental period the animals were euthanized and the jaws removed and analyzed by computerized microtomography (microCT), histology and histomorphometry. The data were tabulated and submitted to the T test for independent samples or Mann Whitney test, according to the distribution of the variables, considering a 95% confidence interval. In group 1 of the study, no significant differences were observed when comparing the group that received vehicle associated to PE with the drug-treated group, in none of the analyzes performed. In group 2, a statistical difference was observed in the furcation area when the control subgroup was compared with the subgroup receiving daily doses of sildenafil associated with PE, with a lower bone resorption pattern for the sildenafil group. Likewise, the degree of inflammation showed statistical difference when comparing the furcation area of the control and sildenafil subgroups, with lower inflammation scores for the sildenafil group in group 2 of the study. In addition, formation of microabscesses and necrotic bone areas were observed in all assessed specimens of the placebo subgroup in the second study group, this fact was not found in the subgroup treated with sildenafil. In the histomorphometric analysis, there was a trend towards lower bone resorption for the sildenafil subgroup when compared to the placebo subgroup, in group 2 of the study, but without statistical significance. It is concluded that daily doses of 10 mg / kg sildenafil citrate decreased the inflammatory process in the furca region as well as bone resorption when used for the treatment of experimental periodontitis in rats.
8

Avaliação da prevalência e do perfil de virulência de Candida spp. bucais isoladas de pacientes portadores de doença periodontal e diabetes tipo 2

Pontes, Cristiano Silva 28 September 2016 (has links)
Submitted by Divisão de Documentação/BC Biblioteca Central (ddbc@ufam.edu.br) on 2017-03-06T10:25:09Z No. of bitstreams: 2 Dissertação - Cristiano S. Pontes.pdf: 2798612 bytes, checksum: b4db751c85dbb22c6167a2fded4c3ad4 (MD5) license_rdf: 0 bytes, checksum: d41d8cd98f00b204e9800998ecf8427e (MD5) / Approved for entry into archive by Divisão de Documentação/BC Biblioteca Central (ddbc@ufam.edu.br) on 2017-03-06T10:25:25Z (GMT) No. of bitstreams: 2 Dissertação - Cristiano S. Pontes.pdf: 2798612 bytes, checksum: b4db751c85dbb22c6167a2fded4c3ad4 (MD5) license_rdf: 0 bytes, checksum: d41d8cd98f00b204e9800998ecf8427e (MD5) / Approved for entry into archive by Divisão de Documentação/BC Biblioteca Central (ddbc@ufam.edu.br) on 2017-03-06T10:25:44Z (GMT) No. of bitstreams: 2 Dissertação - Cristiano S. Pontes.pdf: 2798612 bytes, checksum: b4db751c85dbb22c6167a2fded4c3ad4 (MD5) license_rdf: 0 bytes, checksum: d41d8cd98f00b204e9800998ecf8427e (MD5) / Made available in DSpace on 2017-03-06T10:25:44Z (GMT). No. of bitstreams: 2 Dissertação - Cristiano S. Pontes.pdf: 2798612 bytes, checksum: b4db751c85dbb22c6167a2fded4c3ad4 (MD5) license_rdf: 0 bytes, checksum: d41d8cd98f00b204e9800998ecf8427e (MD5) Previous issue date: 2016-09-28 / Candida yeasts are common inhabitants of the oral cavity and can cause infection in immunocompromised as in Diabetics. The yeast may be isolated from periodontal pockets and these patients give a superinfection above. The objective of this study was to evaluate the frequency and virulence profile as the adhesiveness and enzymatic activity of proteinase and phospholipase Candida spp. isolated from periodontitis diabetic patients. Periodontal pockets samples of 30 patients with diabetes and glycemic control variables situations and 30 patients without diabetes were collected. The samples were collected with swabs help and absorbent paper points and seeded in Petri dishes containing agar Sabouraud dextrose with chloramphenicol and incubated at 37 ° C. The isolates were identified by classical methods used in mycology. Isolates of Candida were subjected to tests of adhesiveness and phospholipase and proteinase activity. Yeasts were found in 26.7% of patients. The average age of the case group and control patients were 56 and 50 years, respectively, with significant difference between groups (p = 0.026). Twelve individuals with diabetes had yeast (40%) and four non-diabetic patients (13.3%) with a significant difference (p = 0.041) between the groups. The greatest number of isolates in the group corresponding to the case C. albicans (23.3%), followed by C.krusei (6.7%), C. tropicalis (6.7%) and C. glabrata (3.3%). In the control group the highest prevalence was also of C.albicans (6.7%) followed by C.krusei (3.3%), C. tropicalis (3.3%). Individuals with diabetes and high blood glucose glycated hemoglobin had a significantly higher percentage of yeasts in periodontal pockets (p˂0,05) than nondiabetic individuals. Candida albicans and C. tropicalis developed grip and proteinase and phospholipase activity in the two groups tested (p=0,269). Candida krusei had a weak grip and proteinase activity only in the diabetic group. Strains of C. albicans and non-albicans developed virulence factors suggesting that immunosuppression, age and loss of glycemic control in these patients may contribute to the colonization of yeast in periodontal pockets and consequent progression of periodontal disease. / Leveduras do gênero Candida são habitantes comuns da cavidade bucal e podem causar infecção em imunocomprometidos como em Diabéticos. As leveduras podem ser isoladas de bolsa periodontal desses pacientes e originar um quadro de superinfecção. O objetivo deste trabalho foi avaliar a frequência e o perfil de virulência quanto à capacidade de aderência e atividade enzimática de proteinase e fosfolipase de Candida spp. isoladas da periodontite de pacientes diabéticos atendidos no Centro de Especialidades Odontológicas da Universidade do Estado do Amazonas (CEO-UEA). Foram coletadas amostras de bolsas periodontais de 30 pacientes diabéticos e situações variáveis de controle glicêmico e 30 pacientes sem diabetes. As amostras foram coletadas com ajuda de swabs e pontas de papel absorvente, e semeados em placas de Petri contendo ágar- Sabouraud dextrose com cloranfenicol e incubadas à 37°C. Os isolados de Candida foram identificados pelas provas clássicas usadas em micologia e submetidas a provas de capacidade de aderência e à atividade de fosfolipase e proteinase. Foram encontradas leveduras em 26,7% dos pacientes. A média de idade dos pacientes do grupo caso e controle foram 56 e 50 anos, respectivamente, havendo diferença significativa entre os grupos (p=0,026). Doze indivíduos com diabetes (40%) e quatro pacientes nãodiabéticos (13,3%) apresentaram espécies de Candida, respectivamente, havendo diferença significativa (p=0,041) entre os grupos. O maior número de isolados de diabéticos corresponderam a C. albicans (23,3%), seguido de C. krusei (6,7%), C. tropicalis (6,7%) e C. glabrata (3,3%). No grupo controle a maior prevalência também foi de C. albicans (6,7%) seguido de C. krusei (3,3%), C. tropicalis (3,3%). Indivíduos diabéticos com glicemia e hemoglobina glicada elevadas apresentaram uma percentagem significativamente mais elevada de leveduras nas bolsas periodontais (p˂0,05) que indivíduos não diabéticos. Candida albicans e C. tropicalis desenvolveram aderência e atividade de proteinase e fosfolipase nos dois grupos testados, não havendo diferença estatística entre os grupos (p=0,269). Candida krusei apresentou fraca aderência e atividade de proteinase somente no grupo dos diabéticos, e C. glabrata isolada de diabéticos apresentou fraca aderência. As cepas de Candida albicans e não-albicans desenvolveram fatores de virulência sugerindo que a imunossupressão, idade e descontrole glicêmico de pacientes diabéticos podem contribuir para a colonização de leveduras nas bolsas periodontais e consequente progressão da doença periodontal.
9

Comparação da Condição Perimplantar de Implantes Instalados em Substituição a Dentes Perdidos Por Doença Periodontal Ou Por Outros Fatores Etiológicos

DUMER, P. A. P. 09 November 2015 (has links)
Made available in DSpace on 2018-08-01T23:26:20Z (GMT). No. of bitstreams: 1 tese_9339_DISSERTAÇÃO FINAL.pdf: 516782 bytes, checksum: f8a8e0ac8e3f39b30abbc544c45a8cf3 (MD5) Previous issue date: 2015-11-09 / Apesar do uso dos implantes osseointegrados ter se tornado uma excelente opção em substituição aos elementos dentários perdidos, um problema cada vez mais relacionado a essa terapia são as complicações inflamatórias denominadas doenças periimplantares. A semelhança observada na microbiota subgengival encontrada em bolsas periodontais e periimplantares, demonstrada por alguns estudos, tem levantado a hipótese de que pacientes, com história de doença periodontal prévia, poderiam apresentar maior risco de desenvolver periimplantite. Este estudo buscou comparar a condição periimplantar de implantes unitários, instalados em substituição a dentes perdidos por doença periodontal (Grupo A), com aqueles perdidos por outros fatores etiológicos (Grupo B). Quarenta e seis implantes unitários, instalados em 21 indivíduos e em função por um período superior a cinco anos, foram avaliados. Os seguintes parâmetros clínicos periimplantares foram registrados: índice de placa, índice gengival, profundidade de sondagem e sangramento à sondagem. A composição da microbiota subgengival foi analisada através da técnica Checkerboard DNA-DNA Hybridization, em amostras coletadas de biofilme subgengival dos 46 implantes que compuseram a amostra. Após a análise dos dados, observou-se que os implantes do Grupo A apresentaram maior profundidade de sondagem (5,30 ± 1,11 vs 4,61 ± 1,37) e maior porcentagem de sítios com sangramento gengival (86,96% vs 47,83%), quando comparados aos implantes do Grupo B, respectivamente (p<0,05). Em relação aos resultados microbiológicos, observou-se que, em ambos os grupos, o perfil de colonização da placa subgengival foi semelhante. Entretanto, três espécies bacterianas, do complexo vermelho, estavam presentes em número significativamente maior no grupo A (P. gingivalis, T. forsythia e T. denticola). O estudo demonstrou que os implantes, que substituíram dentes perdidos por doença periodontal, apresentaram maior profundidade de sondagem e maior índice gengival do que os observados nos implantes que substituíram dentes perdidos por outros fatores etiológicos. Além disso, três espécies bacterianas, do complexo vermelho, estavam presentes em níveis mais elevados no grupo de implantes que substituíram os dentes perdidos por doença periodontal.
10

Avaliação Clínica Periodontal e Perfil Microbiológico do Biofilme Subgengival em Mulheres Portadoras de Câncer de Mama

BERNHARD, V. R. 18 December 2015 (has links)
Made available in DSpace on 2018-08-01T23:26:21Z (GMT). No. of bitstreams: 1 tese_9469_VIVIAN BERNHARD Dissertação DEFESA 18.12.2015 (3).pdf: 1793766 bytes, checksum: 60f2a751f603dea9b1e764578db08eee (MD5) Previous issue date: 2015-12-18 / O entendimento da cavidade oral como uma fonte de infecção focal à distância tem sido discutido há décadas. Neste contexto, muitos estudos consideram a doença periodontal como um fator de risco em potencial associada às doenças sistêmicas, tais como, parto prematuro e baixo peso ao nascimento, doença pulmonar, diabetes, aterosclerose e problemas cardiovasculares. Além disso, uma relação entre doença periodontal e câncer mostra que indivíduos jovens com lesões periodontais e com perda dos dentes molares possuem maior risco para morte prematura de doenças fatais, tais como, neoplasias malignas e doenças cardiovasculares. Por sua vez, outros estudos sugerem associação da periodontite com câncer de mama, próstata, pâncreas, pulmão, câncer do trato digestivo como um todo, câncer coloretal, bexiga, próstata e colo uterino. OBJETIVO: Avaliar a condição clínica periodontal e microbiológica do biofilme subgengival em mulheres com câncer de mama assistidas no Hospital Universitário Cassiano Antônio de Morais (HUCAM) no Espírito Santo. METODOLOGIA: Estudo transversal com participação de 44 mulheres voluntárias com câncer de mama portadoras de doença periodontal. Parâmetros clínicos periodontais e 144 amostras de biofilme subgengival foram submetidas à extração do DNA por meio da técnica de hibridização Checkerboard DNA-DNA. A análise estatística caracterizou-se por meio da frequência observada, porcentagem, média, mediana e desvio padrão, além de estatísticas de testes adotando-se o nível de significância de 5%. RESULTADOS: Bolsas periodontais de 4,0mm a 5,0mm apresentaram frequência de 59%; o nível clínico de inserção para bolsas &#8805;6,0mm alcançou 71,8%; o sangramento à sondagem atingiu média de 27,6%; e a média de índice de placa visível foi de 45,7%. A bactéria Tannerella forsythia (62,7%) mostrou significância para bolsas moderada (p<0,01) e nível clínico de inserção (p=0,440), enquanto a bactéria Parvimonas micra (62,8%) apresentou significância para bolsas profundas (p<0,01) e nível clínico de inserção (p<0,001). As bactérias do complexo amarelo, Streptococcus oralis, S. intermedius e S. gordonii apresentaram significância para bolsas profundas e nível clínico de inserção &#8805;6,0mm. CONCLUSÃO: Alguns estudos mostram a relação entre a carga bacteriana e o desenvolvimento e progressão do câncer, sendo justificável o controle do biofilme oral a fim de reduzir a 8 carga microbiana da boca para combater o desenvolvimento carcinogênico. Apesar do papel das bactérias periodontopatogênicas na etiopatogênese da lesão de câncer de mama ainda não estar esclarecida na literatura, mais estudos clínicos randomizados controlados são necessários para determinar se existe qualquer elemento causal na associação da doença periodontal e câncer de mama.

Page generated in 0.0844 seconds