• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 139
  • 15
  • 4
  • 4
  • 4
  • 4
  • 2
  • 1
  • 1
  • Tagged with
  • 157
  • 79
  • 48
  • 24
  • 20
  • 19
  • 19
  • 18
  • 16
  • 15
  • 14
  • 13
  • 12
  • 12
  • 12
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
41

Uso do acelerômetro para aquisição de variáveis biomecânicas do ciclismo de pista / Using accelerometer to acquisition in a biomechanical variables track cycling

Lattes Ferreira, Maria Fernanda, 1980 26 August 2018 (has links)
Orientador: Luiz Eduardo Barreto Martins / Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação Física / Made available in DSpace on 2018-08-26T17:43:58Z (GMT). No. of bitstreams: 1 LattesFerreira_MariaFernanda_M.pdf: 1902777 bytes, checksum: 9859b148c18b9fce39e4204cdc6a7b8b (MD5) Previous issue date: 2014 / Resumo: O presente trabalho teve como objetivo é identificar as variáveis biomecânicas na largada do ciclismo de velocidade obtidas pelo o acelerômetro contido num sistema inercial de navegação denominado SM-MAE construído no Laboratório de Sensores Microeletrônicos da Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação da Unicamp, para isso foi necessário dividir esse trabalho em duas partes. A primeira parte teve como objetivos desenvolver metodologia adequar o uso do acelerômetro SM-MAE para aquisição de variáveis biomecânicas, comparar seus dados com dados provindos da cinemetria e de um acelerômetro comercial e, descreve as etapas de tratamento do sinal de aceleração. Para isso participaram de dois ciclistas amadores, os quais executaram dois tiros de 50m em uma raia plana demarcada, em piso de asfalto, usando uma bicicleta própria da modalidade, com o sistema nela instalado. Concomitante ao sistema foram usadas duas câmeras digitais filmaram a fullHd com frequência de aquisição de 60Hz para realização da cinemetria e um o acelerômetro comercial (Xsens). Através do rastreamento manual e a reconstrução unidimensional dos dados, obteve-se a posição da bicicleta e em seguida adquiriu-se à distância percorrida e suas derivadas. O processamento do sinal, rastreamento e rotinas para identificação das acelerações e suas integrais foram feitas no software Matlab. Para comparar o acelerômetro SM-MAE com outros sistemas, foi realizado comparações gráficas. Observou-se que os resultados obtidos se assemelhavam aos da cinemetria e aos do acelerômetro comercial. Portanto, a metodologia aplicada nesta pesquisa possibilitou a realização da segunda etapa deste trabalho, que teve como objetivo identificar as variáveis biomecânicas fornecidas pelo SM-MAE relacionando-as com o desempenho do ciclista num teste de 30 metros em velódromo e caracterizar dos padrões das acelerações de largada dos aletas envolvidos nesse estudo. Para isso contou com cinco ciclistas de alto rendimento que realizaram 3 sprints de 30m cada um e o acelerômetro (SM-MAE) foi fixado no quadro da bicicleta no velódromo. Como resultado na comparação entre as variáveis de aceleração não foi identificado diferenças significativas para todas elas entre os voluntários e nem entre as repetições. A velocidade máxima de cada ciclo e a velocidade máxima total de cada sprint, obteve-se diferença significativa entre os atletas, destacando A1 e A3.Na variável tempo final (TT), foi possível identificar alta correlação positiva com tempo de soma dos dois ciclos de pedal (T2), com a velocidade máxima (Vmax), TC1(tempo do primeiro ciclo de pedalada), aceleração negativa máxima (ANmax), média do vale da aceleração negativa (MvaleAN) e teve relação TC1 com T2 e T2 com MvaleAN. E também relação entre Vmáx com ANmax e MvaleAN. Conclui-se que o SM-MAE é capaz de detectar sutilezas técnicas na largada do ciclismo de pista auxiliando o diagnóstico da capacidade atlética como do programa de treinamento / Abstract: The present work is aimed to identify the biomechanical variables at the start of cycling speed obtained by the accelerometer contained in an inertial navigation system called SM-MAE built in Sensors Laboratory of Microelectronics School of Electrical and Computer Engineering at Unicamp, for it was necessary to divide the work into two parts. The first part aimed to develop a methodology to tailor the use of the accelerometer SM-MAE for the acquisition of biomechanical variables, compare their data with data coming from the kinematics and a commercial accelerometer and outlines the steps of processing the acceleration signal. For that participated in two amateur cyclists, who carried two shots from 50m on a flat streak demarcated in asphalt floor, using their own bike mode, with the system installed in it. Concomitant to the system were used two digital cameras filmed the FullHD with acquisition frequency of 60Hz to perform the kinematics and the commercial accelerometer (Xsens). Through the manual tracking and one-dimensional reconstruction of the data, we obtained the position of the bike and then got to the distance traveled and your derivadas. O signal processing, tracking and identification routines for the accelerations and their integrals were made Matlab. To compare the accelerometer SM-MAE with other systems, graphical comparisons was performed. It was observed that the results obtained were similar to those of the kinematics and of the commercial accelerometer. Therefore, the methodology applied in this research enabled the realization of the second stage of this study, which aimed to identify the biomechanical variables supplied by SM-MAE relating them to the performance of the rider in a 30 meter velodrome test and characterize the patterns of accelerations the start of this study involved fins. For that featured five high performance cyclists who performed three sprints of 30m each and the accelerometer (SM-MAE) was fixed to the bicycle frame at the velodrome. As a result of comparing the variables of acceleration was not identified significant differences between all these subjects nor between repetitions. The maximum speed of each cycle and the total maximum speed of each sprint, we obtained a significant difference between athletes, highlighting A3.Na A1 and end time variable (TT), it was possible to identify high positive correlation with time sum of two cycles pedal (T2), with the maximum velocity (Vmax), TC1 (time of the first cycle of pedaling), maximum negative acceleration (ANmax), average worth of negative acceleration (MvaleAN) and had TC1 compared with T2 and T2 MvaleAN . And also with ANmax relationship between Vmax and MvaleAN. We conclude that the SM-MSA is able to detect technical subtleties at the start of the track cycling aiding the diagnosis of athletic ability as the training program / Mestrado / Biodinamica do Movimento e Esporte / Mestra em Educação Física
42

Micro simulación de la intersección de las avenidas Arequipa y Aramburú con el software VISSIM y con énfasis en la seguridad del ciclista

Jibaja Moarri, Felipe Alejandro 18 February 2019 (has links)
El presente proyecto consiste en el estudio de la intersección de las avenidas Arequipa y Aramburú, en la ciudad de Lima. Se observaron distintos problemas relacionados a la gestión del tránsito y a la seguridad de los ciclistas y peatones, para los cuales se buscó proponer mejoras. El trabajo consistió en cinco etapas. En la primera, recolección de datos, se obtuvo la información necesaria para el estudio mediante filmaciones, mediciones y listas de chequeo. La segunda etapa correspondió a la construcción de un modelo de microsimulación en el programa computacional Vissim 8, donde se ingresaron los datos obtenidos en la primera etapa durante la hora punta. Luego, en la tercera etapa, se efectuó la calibración del modelo, es decir, mediante un análisis estadístico, se utilizó el parámetro de tiempos de viaje para comprobar que el modelo creado con el software representaba lo que ocurría en la intersección realmente. Después, en la cuarta etapa, se llevó a cabo la validación del modelo. En esta etapa, se ingresaron los datos registrados durante la hora valle, con el fin de verificar que el modelo de microsimulación serviría para replicar condiciones en distintos escenarios de la intersección de estudio. Finalmente, con el modelo de microsimulación calibrado y validado, se prosiguió con la última etapa correspondiente a la evaluación de propuestas de mejora. Estas fueron divididas en dos grupos, las mejoras en la geometría (islas de refugio, distribución de carriles, etc.) y las mejoras en la gestión del tránsito (tiempos del semáforo y señalización). Al identificar los problemas observados en la intersección, en complemento con los espacios en desuso, se obtuvieron soluciones que mejorarían de manera cuantitativa y cualitativa el tránsito en la intersección, especialmente la seguridad de los ciclistas. Las propuestas de mejora incluyeron cambios en el ciclo del semáforo y en la geometría de la intersección. Para comprobar que estas propuestas efectivamente mejorarían el tránsito en la intersección, se compararon parámetros de eficiencia como tiempos de viaje, demoras y velocidades entre el modelo original y el modelo nuevo. Luego de un análisis comparativo, se concluyó que si bien los tiempos de viaje de los vehículos motorizados en uno de los accesos se incrementaron en 50 segundos, su seguridad y la de los demás usuarios se vería beneficiada, además el rendimiento global de la intersección mejoró significativamente, reduciéndose las demoras en la red en 20 segundos. Por último, el modelo de microsimulación realizado en el programa Vissim 8 fue representativo en cuanto a las condiciones de la intersección en estudio, lo cual fue de gran ayuda para identificar las consideraciones a tener en cuenta para el diseño de una intersección inclusiva y sostenible. / Tesis
43

Prática do ciclismo utilitário em Fortaleza

Santos, Claudio Henrique Fontenelle 05 December 2017 (has links)
Submitted by Núcleo de Pós-Graduação Administração (npgadm@ufba.br) on 2018-04-06T14:51:06Z No. of bitstreams: 1 DISSERTAÇÃO - Claudio Henrique Fontenelle Santos - 2018.01.impressao final (1).pdf: 5936215 bytes, checksum: 23e01beb76043b660e132b2f71d8d6df (MD5) / Approved for entry into archive by Maria Angela Dortas (dortas@ufba.br) on 2018-04-11T21:46:55Z (GMT) No. of bitstreams: 1 DISSERTAÇÃO - Claudio Henrique Fontenelle Santos - 2018.01.impressao final (1).pdf: 5936215 bytes, checksum: 23e01beb76043b660e132b2f71d8d6df (MD5) / Made available in DSpace on 2018-04-11T21:46:55Z (GMT). No. of bitstreams: 1 DISSERTAÇÃO - Claudio Henrique Fontenelle Santos - 2018.01.impressao final (1).pdf: 5936215 bytes, checksum: 23e01beb76043b660e132b2f71d8d6df (MD5) / Esta dissertação visa compreender a prática do ciclismo utilitário em Fortaleza, por via de três estudos que são apresentados sob a forma de artigo. No primeiro, é analisada a rede cicloviária de Fortaleza, considerando os conceitos de atratividade, coerência, conforto, rotas diretas e segurança viária, por meio de pesquisas documentais no Plano Diretor Cicloviário Integrado de Fortaleza (PDCI) e no mapa da rede cicloviária de Fortaleza, e observação de campo em três trechos de vias para ciclistas. Registros em vídeo foram feitos enquanto se pedalava pelos trechos, dos quais foram extraídas imagens para análise dos critérios mencionados. Os resultados revelaram vias pouco atraentes, desconectadas, desconfortável, sem rotas diretas e inseguras. No segundo artigo, é estudado o ciclismo utilitário na cidade de Fortaleza, por meio de pesquisa realizada com 618 ciclistas. Os resultados apontaram o surgimento de novos ciclistas utilitários nos últimos dois anos, período inicial do PDCI, entretanto, o número de ciclistas utilitários na amostra pertencentes às classes A e B, foi de apenas 1,8%, significando que esses ainda não aderiram ao ciclismo utilitário. A pavimentação ruim, ameaça de acidentes, e veículos motorizados circulando ou estacionados nas vias para ciclistas são os principais problemas enfrentados. No terceiro artigo, são analisadas práticas de ciclismo utilitário em Fortaleza, apresentando os resultados de dois acompanhamentos realizados, onde se utilizou a técnica de observação participante para captar as significações e experiências objetivas e subjetivas dos ciclistas. Os percursos, as relações com outros condutores e as reações das ciclistas acompanhadas foram capturadas em vídeo para posterior análise do pesquisador. A primeira, a Ciclista “A”, deslocou-se pela primeira vez de casa para a universidade, por um trecho de 7,7 km, circulou, em algumas ruas, no sentido contrário ao permitido na via para ciclistas, e sobre passeios para pedestres, tentando evitar conflitos. A segunda, a Ciclista “B”, mais experiente, fez o trajeto casa-trabalho, percorreu 13,5 km, e por ter mais experiência, não se absteve de circular nas vias para autos; entretanto, esteve mais vezes em situação de risco do que primeira. A pesquisa revelou que a prática do ciclismo utilitário em Fortaleza é desconfortável e pouco atraente, para novos ciclistas, e insegura, tanto para novos como ciclistas mais experientes.
44

Variações fisiológicas determinantes de performance em mountain bikers / Physiological variables predict performance in mountain bikes

Costa, Vitor Pereira 18 June 2006 (has links)
Made available in DSpace on 2016-12-06T17:07:11Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Dissertacao - Vitor.pdf: 1297842 bytes, checksum: d4368ad562c4950f8963c90332222304 (MD5) Previous issue date: 2006-06-18 / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior / The purpose of this paper is to identify morphophysiological characteristics of Brazilian mountain bike (MTB) athletes , and determine the physiologic demand imposed on organism during cross-country competitions (XC) and variables associated to performance. Fourteen mountain bikers that dispute local and national championships were selected (26,1 6,5 years; 68,4 5,7kg; 175,3 4,3cm; 5,8 1,7 %F; 8,6 4,6 years of training), in different categories: elite (n=6), junior (n=1), sub 23 (n=3), sub 30 (n=1) and master (n=3). Firstly, the participants were submitted to Wingate test (WT), with fixed load corresponding to 10% of body mass (CEFISE®, 1800). After a minimum interval of 30 min., the incremental progressive exercise (IPE) was accomplished in the cycle-simulator (CompuTrainer TM RacerMate® 8000, Seattle WA), with initial load of 100 W and additional load of 30 W every 3 min. until exhaustion. During IPE, HR (Polar® Vantage NV and S610i), VO2 (Aerosport® KB1-C), [La] (Yellow Springs 1500) and EPE - 10 points (Borg et al, 1982). LL1 were identified starting from the relation between the smallest equivalent value [La].W-1 and for LL2, the fixed value of 1,5 mmol.l-1 is included (Berg et al., 1990). The physiologic domains were identified from the theoretical model of Gaesser and Poole, (1996): below LL1 (moderate), between LL1 and LL2 (intense), above LL2 (severe). After a minimum interval of four days, the athletes of the category elite were monitored through the HR registration, during the Brazilian stage of the World Cup of XC. After two weeks, all participants were evaluated in the Brazilian Championship of XC. The results indicate that the athletes present morphologic characteristics similar to those of international athletes, although physiologic variables are smaller, except for VO2máx and VO2máx.kg-1. The behavior of HR during XC competitions indicates that the average HR ranges from 91 to 92% of HRmax, provided that great part of the tests is predominantly disputed in the severe physiologic domain (~ 90% of the total time). Wmax.kg-1 and Wmáx.kg-0,79 were significantly associated with the performance in both competitions and only WLL2.kg-0,79 in the World Cup of XC. Therefore, it is noted that XC competitions require high physiologic demand, and are disputed predominantly in physiologic severe domain, close to the maximum aerobic power. In addition, the physiologic variables associated with performance stand out when normalized by algometric scale. In this regard, in order to have good performance during XC competitions, athletes should emphasize of power and capacity, aerobic and anaerobic. / O objetivo deste estudo foi identificar as características morfofisiológicas dos atletas brasileiros de mountain bike (MTB), com determinação da demanda fisiológica imposta ao organismo durante as competições de cross-country (XC) e variáveis associadas à performance. Foram selecionados 14 mountain bikers que disputam campeonatos estaduais e nacionais (26,1 ± 6,5 anos; 68,4 ± 5,7 kg; 175,3 ± 4,3 cm; 5,8 ± 1,7 %G; 8,6 ± 4,6 anos de treinamento), que competem em diferentes categorias: elite (n=6), júnior (n=1), sub 23 (n=3), sub 30 (n=1) e máster (n=3). Primeiramente, os participantes foram submetidos ao teste de Wingate (TW), com carga fixa correspondente a 10% da massa corporal (CEFISE®, 1800). Após intervalo mínimo de 30 min., foi realizado o protocolo de cargas progressivas (PCP) no ciclo-simulador (CompuTrainer TM RacerMate® 8000, Seattle WA), com carga inicial de 100 W e incremento de 30 W a cada 3 min. até a exaustão. Durante o PCP, foram identificadas a FC (Polar® Vantage NV e S610i), o VO2 (Aerosport KB1-C), [La] (Yellow Springs ®1500) e PSE 10 pontos (Borg et al, 1982). LL1 foi identificado a partir da relação entre o menor valor equivalente [La]/W e para LL2, acrescenta-se o valor fixo de 1,5 mmol.l-1 (Berg et al., 1990). Os domínios fisiológicos foram identificados a partir do modelo teórico de Gaesser e Poole, (1996): abaixo de LL1 (moderado), entre LL1 e LL2 (intenso), acima de LL2 (severo). Após intervalo mínimo de quatro dias, os atletas da categoria elite, foram monitorados através do registro da FC, durante a etapa brasileira da Copa do Mundo de XC. Após duas semanas, todos os participantes foram avaliados no Campeonato Brasileiro de XC. Os resultados indicam que os atletas apresentam características morfológicas semelhantes aos atletas internacionais, sendo que as variáveis fisiológicas são menores, exceto o VO2máx e VO2máx.kg-1. O comportamento da FC durante as competições de XC, indica que os valores médios da FC estão entre 91 e 92 % de FCmáx, sendo que grande parte das provas é predominantemente disputada no domínio fisiológico severo (~ 90% do tempo total). A Wmáx.kg-1 e Wmáx.kg-0,79 foram associadas significativamente com a performance nas duas competições e apenas a WLL2.kg-0,79 na Copa do Mundo de XC. Assim, percebe-se que as competições de XC exigem demanda fisiológica elevada, sendo disputadas predominantemente no domínio fisiológico severo, próximo à potência aeróbia máxima. Em adição, as variáveis fisiológicas associadas com a performance destacam-se quando normalizadas por alometria. Desta forma, para que os atletas tenham um bom desempenho durante as competições de XC, sugere-se o treinamento da potência e capacidade, aeróbia e anaeróbia.
45

Micro-simulación de ciclistas empleando VISSIM 8: un caso aplicado en la ciudad de Lima

Quispe Chayña, Edwin Rafael 31 January 2017 (has links)
Como parte del desarrollo sostenible es inevitable no considerar la influencia de los sistemas de transporte, sobre todo, por las altas emisiones de CO2 que producen. Ciudades como Copenhague, Estocolmo, Berlín y Bogotá han comprendido ya que una alternativa de solución es la promoción de los sistemas de transporte no motorizado y un claro ejemplo es fomentar la utilización de las bicicletas. Por otro lado, la microsimulación del tráfico es una alternativa tecnológica que ahora puede darse debido a las computadoras y sus procesadores cada vez más eficientes. Sin embargo, existen pocos estudios que incluyan a los ciclistas como parte importante de un proyecto. En tal sentido, esta investigación pretender servir como una base para el desarrollo de futuros proyectos relacionados a la evaluación microscópica, específicamente, de avenidas para uso exclusivo de ciclistas. La evaluación se realiza durante el ciclo día, en un tramo de la avenida Arequipa, entre las calles Gonzáles Prada y la avenida Angamos. Para la evaluación se utiliza el software Vissim 8.0, que a pesar de contar solo con el submodelo de seguimiento vehicular de Wiedemann, se pretende adaptarlo para representar a los ciclistas. Del mismo modo, se evalúa las configuraciones internas del software, en especial los efectos que resultan al variar (i) el nivel de detalle (en intervalos) de la curva asignada al desired speed distribution, (ii) el efecto del driving behaviour asignado, (iii) el número de actualizaciones por segundo y (iv) el número semilla. Y que, a diferencia de lo planteado en la hipótesis, estas evaluaciones muestran resultados significativos en los diferentes casos. Así mismo, se revisan los modelos de seguimiento vehicular de Gipps, Wiedemann y General Motors; así como los expuestos por Twaddle et al. (2014) que incluye los modelos longitudinalmente continuos, modelos autómata celular y modelos de fuerza social. Finalmente, se muestra evidencia que, si bien es posible obtener resultados estadísticamente similares utilizando submodelos vehiculares, es necesario implementar otros modelos de seguimiento que sean específicos para ciclistas, pues como se describe, estos realizan más movimientos individuales y responden ante otro tipo de estímulos y condiciones.
46

Desenvolvimento de um protótipo de sistema inteligente para análise da técnica de pedalada apresentada por ciclistas

Pigatto, André Vieira January 2018 (has links)
Este trabalho apresenta o desenvolvimento de um sistema inteligente para análise da técnica de pedalada aplicada por ciclistas. Para isso, desenvolveu-se um par de pedais de encaixe instrumentados, a partir dos quais é possível medir a componente de força normal aplicada nas partes frontal e posterior dos pedais. O modelo virtual da célula de carga experimental foi desenvolvido através da digitalização dos pedais de encaixe comerciais, utilizando-se um sistema comercial de escaneamento 3D com precisão declarada de 0,1mm. Cada pedal foi instrumentado com oito extensômetros de resistência elétrica (HBM 1-LY-13-1.5/350). Posteriormente os carregamentos máximos em cada eixo de medida de força foram estabelecidos utilizando-se uma plataforma de aquisição comercial específica para medida de deformação mecânica. Considerando-se os valores determinados, desenvolveu-se o circuito de condicionamento e realizaram-se os ensaios de deformação estática, obtendo-se as funções de transferência de saída de tensão elétrica em função do carregamento mecânico. O erro de linearidade máximo, considerando todos os canais, ficou abaixo de 0,75% e a máxima incerteza expandida (k=2) por canal, obtida através da aplicação do método clássico, foi de 1,55%. Em sequência, integrouse o sistema de pedais desenvolvido a dois outros sistemas, são eles: um par pedivelas experimentais instrumentados, capazes de medir as três componentes da força aplicada aos pedais e transmitidas aos pedivelas com um erro de linearidade abaixo de 0,6% e uma incerteza combinada inferior a 3,22%, e um sistema de cinemetria comercial, cuja precisão declarada pelo fabricante é de 1mm. Para possibilitar uma comparação quantitativa entre treinos ou ciclistas, implementou-se um sistema inteligente, baseado em redes Neuro-Fuzzy (ANFIS). A partir dos valores da potência média, do desvio padrão da potência e da assimetria bilateral média, obtidos ao longo de ensaios realizados sob protocolo desenvolvido especificamente para este trabalho, um score que representa o nível da técnica de pedalada apresentado pelo ciclista é determinado. Com intuito de testar o sistema, desenvolveu-se um projeto de experimentos com 2 fatores controláveis (sujeito e nível de frenagem de um rolo de treinamento), e realizou-se ensaios com oito ciclistas de características fisiológicas e níveis de preparos distintos. Através da análise estatística, constatou-se que das 23 variáveis de resposta consideradas ao longo do experimento, 23 são influenciadas significativamente pelo fator controlado sujeito e oito são influenciadas significativamente pelo fator controlado nível de frenagem magnética. / This report describes the development of an intelligent pedaling technique analysis system. To accomplish that, a pair of road bicycle pedals (SHIMANO R540) were instrumented to measure the forces that are applied to the front and back regions of the pedals. The virtual models of the pedals were developed based on a 3D scanned mesh developed with aid of a commercial 3D scanning system with a precision of 0.1mm. Each pedal was instrumented with eight electrical resistance strain-gages (HBM 1-LY-13-1.5/350). After that, the range of the mechanical deformation of each measurement channel was determined with aid of an industrial deformation acquisition system. The conditioning circuit was developed based on the mechanical deformation ranges previously determined and the static calibration experiment was performed to determine the voltage output transfer functions. The maximum linearity error determined per channel was 0,75% and the maximum expanded uncertainty (k=2), determined applying the classical methodology, was 1,55%. After that, the instrumented pedals developed were integrated with two complementary systems, which are: a pair of instrumented crank arm load cells which measure the components of the force applied to the bicycle pedal with a linearity error under 0.6% and an uncertainty of 3,22% and an Optitrack motion track system with a declared accuracy of 1mm. An intelligent pedaling technique analysis system was implemented through an Adaptive Neuro Fuzzy Inference System (ANFIS) to determine the cyclist pedaling technique score based on three inputs: the average power applied to bicycle pedal, the average power standard deviation and the bilateral asymmetry index, all of them collected under an experimental protocol specifically designed for this application. To evaluate the behavior of the system developed a randomized block experiment design with two controlled factors was performed indoor with aid of an ergometer roll; 160 sprints were conducted with eight subjects of different training levels. From the data collected an ANOVA test was performed, which confirmed that all the 23 response variables vary significantly in function of the subject’s controlled factor and eight of them vary significantly in function of the magnetic braking level.
47

Análisis, desarrollo y evaluación de un plan de entrenamiento sobre bicicletas estáticas ESBE

Ríos Zorrilla, Marco Antonio 04 December 2013 (has links) (PDF)
Este trabajo de tesis propone desarrollar y evaluar un plan de entrenamiento realizado en bicicletas estáticas. El hecho de haber estado inmerso en esta actividad durante 11 años me permite aportar conocimientos prácticos al tema. Trabajé en esto desde el 2002 al 2004 en los gimnasios Laureles, Match, Santillana y Ser Activo en Medellín, Colombia. En la ciudad de La Plata trabajé durante el 2005 en los gimnasios La Horqueta y Palestra, y a partir del 2006 únicamente en el gimnasio La Horqueta hasta que regresé a Colombia en el año 2008. En este último gimnasio es donde se llevó a cabo el desarrollo del programa de entrenamiento, las pruebas y también las encuestas. Luego del regreso a Colombia se retomo el trabajo con bicicletas estáticas hasta noviembre del 2012. Hasta el momento, y a pesar de la gran aceptación que tiene el ciclismo de salón en el mundo, no existe ninguna investigación donde se analice el impacto de este tipo de actividad. Para este trabajo se hizo una adaptación de los planes de entrenamiento para el ciclismo profesional de alto rendimiento a las posibilidades del entrenamiento de personas que llevan una vida cotidiana, especialmente mujeres no deportistas que concurren a un gimnasio. El propósito de este trabajo es investigar el impacto y la repercusión funcional de este tipo de entrenamiento, así como la percepción en la calidad de vida de los practicantes. Para este trabajo se revisaron una serie de libros y documentos, principalmente de ciclismo, debido al limitado número de publicaciones científicas en el campo específico del entrenamiento con bicicletas estáticas. Las conclusiones de este estudio son muy importantes, aunque debe tenerse en cuenta que se utilizó un número limitado de participantes y, sin duda, harán falta investigaciones posteriores para profundizar las conclusiones de la presente tesis. Se contó con la colaboración de usuarios practicantes para responder las encuestas, y para las evaluaciones se optó por trabajar con personas que pasaban de la inactividad total a ejercitarse 2 y 3 veces por semana.
48

Ciclismo urbano : a perspectiva de cicloativistas da cidade de São Paulo /

Troncoso, Leandro Dri Manfiolete. January 2017 (has links)
Orientador: Rodolfo Franco Puttini / Banca: Luiz Gonçalves Junior / Banca: Giuliano Gomes Assis Pimentel / Resumo: O objetivo desta pesquisa foi compreender a prática social do ciclismo na perspectiva de cicloativistas da cidade de São Paulo. O ato de pedalar bicicleta é uma forma de mobilidade ativa pelas pessoas, porém, entendendo "ciclismo urbano" diferente de "ciclismo desportivo", a bicicleta não tem sido estimada como bem simbólico pela sociedade. O principal argumento está dado na valorização excessiva do transporte motorizado individual. No contexto da pesquisa qualitativa em Motricidade Humana importa incluir a minha experiência como pesquisador e de quatro ciclistas que defendem a causa cicloativista. A técnica de análise do fenômeno situado consiste em três momentos: 1) análise ideográfica dos discursos para identificação das unidades de significado; 2) formação da matriz nomotética pelas convergências discursivas e 3) síntese dos resultados. A discussão sobre o fenômeno contextualizado do ciclismo perpassa por duas categorias temáticas: A) "A experiência transformativa do ser que pedala" e B) "O direito de pedalar na cidade". Destaca-se a ideia "Pedalar por Cidadania" como elemento do campo simbólico da saúde / Abstract: The aim of this research was to understand the social practice of bicycling in the perspective of cyclists in the city of São Paulo. The act of bicycling is a form of active mobility by people. However, understanding "urban cycling" other than "sporting cycling", the bicycle has not been considered as a symbolic good by society. The main argument given in the excessive valuation of individual motorized transport. In the context of the qualitative research in Human Motricity is important to include my experience as a researcher and of four cyclists who defend the cycloativist cause. The technique of analysis of the situated phenomenon consists of three moments: 1) ideographic analysis of discourses to identify the units of meaning, 2) formation of the nomothetic matrix by the discursive and 3) synthesis of the results. The discussion about the contextualized phenomenon of cycling runs through two thematic categories: A) "The transformative experience of the pedaling being" and B) "The right to pedal in the city". It stands out the idea "Pedaling for Cityzenship" as an element of the symbolic field of health / Mestre
49

Fadiga e comportamento tensão-deformação cíclico da liga de alumínio 7050-T7451

Fabara Hernández, Karen Viviana 29 April 2016 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Tecnologia, Departamento de Engenharia Mecânica, 2016. / Submitted by Albânia Cézar de Melo (albania@bce.unb.br) on 2016-05-17T13:36:13Z No. of bitstreams: 1 2016_KarenVivianaFabaraHernandez.pdf: 2185435 bytes, checksum: 0726fcb5f1846fde5cefba17fee5a10d (MD5) / Approved for entry into archive by Raquel Viana(raquelviana@bce.unb.br) on 2016-05-24T20:09:51Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2016_KarenVivianaFabaraHernandez.pdf: 2185435 bytes, checksum: 0726fcb5f1846fde5cefba17fee5a10d (MD5) / Made available in DSpace on 2016-05-24T20:09:51Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2016_KarenVivianaFabaraHernandez.pdf: 2185435 bytes, checksum: 0726fcb5f1846fde5cefba17fee5a10d (MD5) / O presente trabalho investiga o comportamento tensão-deformação cíclico e em fadiga da liga de alumínio 7050-T7451. Corpos de prova de seção circular cheia foram submetidos a deformação uniaxial controlada com razão de deformação igual a -1 e 0,01. Nos ensaios com -1, observou-se um pequeno amolecimento cíclico do material para amplitudes de deformação superiores a 0,85%. Para amplitudes de deformação inferiores a 0,85% o material não exibiu encruamento cíclico. A análise dos laços de histerese estabilizados indica que o material investigado exibe comportamento não-Masing para amplitudes de deformação inferiores a 0,6%. Nos ensaios com 0,01 observou-se um pequeno endurecimento cíclico do material para amplitudes de deformação acima de 0,5%. Para amplitudes de deformação inferiores a 0,5% o material não exibiu encruamento cíclico. Observou-se ainda que a tensão média de tração observada no primeiro ciclo de carregamento sofre um relaxamento, sendo este mais pronunciado nos primeiros ciclos de carregamento. Foram determinadas as propriedades cíclicas do material presente no interior e próximo à superfície da placa laminada utilizada para fabricação dos corpos de prova. Não foi observada uma variação significativa das propriedades cíclicas ao longo da espessura do bloco. A correlação entre as vidas observadas e as estimadas com a relação de Smith, Watson e Topper foi bastante satisfatória (todos os dados dentro de uma banda de fator 2). _______________________________________________________________________________________________ ABSTRACT / The cyclic stress-strain and fatigue behaviors of aluminum alloy 7050-T7451 are investigated in this work. Solid cylindrical specimens were subjected to strain-controlled uniaxial loading with strain ratio equal to -1 and 0.01. For , small cyclic softening of the material was observed for strain amplitudes greater than 0.85%. For strain amplitudes less than 0.85%, no cyclic hardening/softening was observed. The stabilized hysteresis loops of the material exhibit non-Masing behavior for strain amplitudes less than 0.6%. For 0.01, small cyclic hardening was observed in the material for strain amplitudes greater than 0.5%. For strain amplitudes less than 0.5%, no cyclic hardening/softening was observed. No significant variation of the cyclic properties along the thickness of the alloy 7050 plate was observed in the range of fatigue lives investigated (10105 cycles to failure). The mithWatsonTopper (SWT) parameter can satisfactorily correlate all the fatigue experiments on 7050-T7451 conducted in this study.
50

Desenvolvimento de um protótipo de sistema inteligente para análise da técnica de pedalada apresentada por ciclistas

Pigatto, André Vieira January 2018 (has links)
Este trabalho apresenta o desenvolvimento de um sistema inteligente para análise da técnica de pedalada aplicada por ciclistas. Para isso, desenvolveu-se um par de pedais de encaixe instrumentados, a partir dos quais é possível medir a componente de força normal aplicada nas partes frontal e posterior dos pedais. O modelo virtual da célula de carga experimental foi desenvolvido através da digitalização dos pedais de encaixe comerciais, utilizando-se um sistema comercial de escaneamento 3D com precisão declarada de 0,1mm. Cada pedal foi instrumentado com oito extensômetros de resistência elétrica (HBM 1-LY-13-1.5/350). Posteriormente os carregamentos máximos em cada eixo de medida de força foram estabelecidos utilizando-se uma plataforma de aquisição comercial específica para medida de deformação mecânica. Considerando-se os valores determinados, desenvolveu-se o circuito de condicionamento e realizaram-se os ensaios de deformação estática, obtendo-se as funções de transferência de saída de tensão elétrica em função do carregamento mecânico. O erro de linearidade máximo, considerando todos os canais, ficou abaixo de 0,75% e a máxima incerteza expandida (k=2) por canal, obtida através da aplicação do método clássico, foi de 1,55%. Em sequência, integrouse o sistema de pedais desenvolvido a dois outros sistemas, são eles: um par pedivelas experimentais instrumentados, capazes de medir as três componentes da força aplicada aos pedais e transmitidas aos pedivelas com um erro de linearidade abaixo de 0,6% e uma incerteza combinada inferior a 3,22%, e um sistema de cinemetria comercial, cuja precisão declarada pelo fabricante é de 1mm. Para possibilitar uma comparação quantitativa entre treinos ou ciclistas, implementou-se um sistema inteligente, baseado em redes Neuro-Fuzzy (ANFIS). A partir dos valores da potência média, do desvio padrão da potência e da assimetria bilateral média, obtidos ao longo de ensaios realizados sob protocolo desenvolvido especificamente para este trabalho, um score que representa o nível da técnica de pedalada apresentado pelo ciclista é determinado. Com intuito de testar o sistema, desenvolveu-se um projeto de experimentos com 2 fatores controláveis (sujeito e nível de frenagem de um rolo de treinamento), e realizou-se ensaios com oito ciclistas de características fisiológicas e níveis de preparos distintos. Através da análise estatística, constatou-se que das 23 variáveis de resposta consideradas ao longo do experimento, 23 são influenciadas significativamente pelo fator controlado sujeito e oito são influenciadas significativamente pelo fator controlado nível de frenagem magnética. / This report describes the development of an intelligent pedaling technique analysis system. To accomplish that, a pair of road bicycle pedals (SHIMANO R540) were instrumented to measure the forces that are applied to the front and back regions of the pedals. The virtual models of the pedals were developed based on a 3D scanned mesh developed with aid of a commercial 3D scanning system with a precision of 0.1mm. Each pedal was instrumented with eight electrical resistance strain-gages (HBM 1-LY-13-1.5/350). After that, the range of the mechanical deformation of each measurement channel was determined with aid of an industrial deformation acquisition system. The conditioning circuit was developed based on the mechanical deformation ranges previously determined and the static calibration experiment was performed to determine the voltage output transfer functions. The maximum linearity error determined per channel was 0,75% and the maximum expanded uncertainty (k=2), determined applying the classical methodology, was 1,55%. After that, the instrumented pedals developed were integrated with two complementary systems, which are: a pair of instrumented crank arm load cells which measure the components of the force applied to the bicycle pedal with a linearity error under 0.6% and an uncertainty of 3,22% and an Optitrack motion track system with a declared accuracy of 1mm. An intelligent pedaling technique analysis system was implemented through an Adaptive Neuro Fuzzy Inference System (ANFIS) to determine the cyclist pedaling technique score based on three inputs: the average power applied to bicycle pedal, the average power standard deviation and the bilateral asymmetry index, all of them collected under an experimental protocol specifically designed for this application. To evaluate the behavior of the system developed a randomized block experiment design with two controlled factors was performed indoor with aid of an ergometer roll; 160 sprints were conducted with eight subjects of different training levels. From the data collected an ANOVA test was performed, which confirmed that all the 23 response variables vary significantly in function of the subject’s controlled factor and eight of them vary significantly in function of the magnetic braking level.

Page generated in 0.0688 seconds