• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 63
  • Tagged with
  • 63
  • 14
  • 12
  • 11
  • 10
  • 9
  • 9
  • 7
  • 7
  • 7
  • 6
  • 6
  • 6
  • 5
  • 5
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

O ideago na sistematica dos Passalidae americanos (Coleptera, Passalidae

Buhrnheim, Paulo Friedrich, 1937-2001 14 July 2018 (has links)
Orientador: Benedicto Abilio Monteiro Soares / Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Biologia / Made available in DSpace on 2018-07-14T06:46:51Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Buhrnheim_PauloFriedrich_D.pdf: 2118201 bytes, checksum: 192df2a8228f98ba38ff160bf904e9bb (MD5) Previous issue date: 1976 / Resumo: Foi estudada a morfologia da genitália masculina dos Passalidae (Coleoptera] com atenção às homologias de suas partes com os últimos segmentos abdominais. Deste estudo resulta uma interpretação da origem dos somitos envolvidos, D conhecimento da morfologia geral do edeago e o encontro de indícios que permitem supor que o edeago sofre uma rotação permanente de 1BD9 em torno do seu eixo longitudinal. Foram estudados os edeagos de 27 espécies de Passalidae, distribui, das em sete gêneros americanos, com atenção ao seu significado taxonômico. Sempre que disponíveis, foram estudados os edeagos de vários exemplares de cada espécie, inclusive de procedências diferentes, buscando apurar sua variação intraespecífica. Estes estudos permitem verificar a existência de caracteres no edeago dos Passalidae, que podem caracterizar populações, espécies e a maioria dos gêneros estudados. Foi verificado que as variações intraespecíficas do edeago são pequenas e se mantém dentro dos limites das espécies estudadas, não havendo surgido casos de superposições interespecíficas. Também foram encontradas variações com provável significado populacional, que sugerem a possibilidade de uso do edeago no estudo da história da distribuição das espécies. A forma da área média ventral não esclerosada do tégmen mostrou-se um caráter sem valor taxonômico, por apresentar variações intrapopulacionais. As técnicas de preparação e representação do edeago estudado, discutidas a luz dos resultados e conclusões obtidos, servem como sugestão para a uniformização de estudos futuros / Abstract: The morphology of the male genitalia of Passalidae [Coleoptera] was studied, with special attention directed to the homology of its various parts in relation to the last abdominal segments. This study resulted in an interpretation of the origin of the involved somites and the general morphology of the aedeagus. It is probable that there exists a permanent rotation of 1809 of the aedeagus around its longitudinal axis. The aedeagus was studied in 27 Passalid species , distributed in seven american genera, with relation to its taxonomic significance. Whenever possible, the aedeagus was examined in various specimens of each species, including from different localities, in an attempt to determine intraspecific variations. It was verified that the intraspecific variations of the aedeagus are minor, restricted within limits for each examined species. No case of interspecific overlapping was observed. Interpopulational variations can be observed in the various morphological characters of the aedeagus. In combination with other characters, these can be used for historical studies of the geographical distribution of each species. The morphological characteristics of the non sclerotized ventral median plate of tegmen were eliminated as taxonomic characters, because of their variation within a single population. The techniques of preparation and representation of the material studied, discussed within the framework of the results and conclusions derived, offer suggestions for standardization of future studies in the group / Doutorado / Doutor em Ciências
2

Identificação de genes cry1 em isolados de Bacillus thuringiensis e expressão do gene cry1la em Escherichia coli visando o controle de pragas da cultura algodoeira /

Bergamasco, Vivian Boter. January 2009 (has links)
Orientador: Manoel Victor Franco Lemos / Coorientador: Janete Apparecida Disidério Sena / Banca: Marcelo Luiz de Laia / Banca: Cristina Lacerda Soares Petrarolha Silva / Resumo: O controle de pragas da cultura algodoeira pode ser feito utilizando proteínas Cry de Bacillus thuringiensis e para tal, o presente trabalho testou a atividade inseticida de novos isolados de B. thuringiensis frente a larvas neonatas de Spodoptera frugiperda e Anthonomus grandis, resultando em diversos níveis de mortalidade que foram associados a oito diferentes combinações de genes cryl identificados por PCR. O gene crylla (lepidóptero e coleóptero específico) esteve presente na maioria dos isolados, assim como nas linhagens padrões e principalmente nos isolados de maior efetividade para as duas pragas. A partir deste fato, a atividade inseticida de uma nova proteína Cry1 la foi avaliada frente a larvas neonatas de S. frugipercla e A. grandis. O gene crylla completo, previamente obtido por PCR com oligonucleotídeos iniciadores desenhados a partir do gene seqüenciado, foi clonado no vetor pET28a(+), introduzido em Escherichia cor, BL21(DE3) e expresso por indução com IPTG, confirmando a expressão da proteína Cry1la, com peso molecular de aproximadamente 81 kDa. Os resultados demonstraram a eficiência do sistema bacteriano na expressão da proteína Cry1 la de B. thuringiensis, a qual foi, posteriormente, utilizada nos bioensaios quantitativos contra larvas de S. frugiperda e A. grandis, resultando em uma proteína altamente tóxica às duas espécies, característica importante para obtenção de plantas transgênicas de algodão resistentes a estas pragas / Abstract: The control af cotton pests may be done by using Bacillus thuringiensis Cry proteins. For this purpose, the present work tested the insecticidal activity of new B. thutingiensis isolates, in neonate larvae of Spodoptera frugiperda and Anthonomus grandis, resulting in different mortality leveis that were associated to eight different combinations of cry 1 genes identified by PCR. The cry1la gene (specific Lepidoptera and Coleoptera) was present in most of the isolates, as well as in the standard strains and mainly in the isolates with higher affectivity for both pests. Considering this, the insecticidal activity of a new Cryl la protein was evaluated against neonate larvae of S. frugiperda and A. grandis. The complete cry1la gene, previously obtained by PCR with oligonucleotide primers that were drawn based on the sequenced gene, was cloned in the vector pET28a(+), introduced in Eschetichia coli BL21(0E3) and expressed by induction with IPTG, confirming the expression of the Cry1la protein, with molecular weight of approximately 81 kDa. The results demonstrated the bacterial system efficiency on the expression of B. thuringiensis Cry1la protein, which was posteriorly, used on the quantitative bioassays against S. frugipercla and A. grandis larvae, resulting in an extremely toxic protein for both species. This characteristic is exceptionally important for obtaining transgenic cotton plants resistant to these pests / Mestre
3

Análise da fauna de Coleoptera (Insecta) associada a carcaças enterradas de coelhos, Oryctolagus cuniculus (L.,1758) (Lagomorpha, Leporidae), em Curitiba, Paraná

Corrêa, Rodrigo César 30 April 2010 (has links)
No description available.
4

Revisão taxonômica de ateralphus restello, Iannuzzi & Marinoni, 2001 (Coleoptera, Cerambydae, Laminae)

Souza, Diego de Santana 18 July 2013 (has links)
Resumo: É apresentada a revisão taxonômica do gênero Ateralphus Restello, Iannuzzi & Marinoni, 2001 com base no estudo morfológico detalhado da espécie-tipo e da morfologia externa e genitálias das demais espécies. O gênero e suas espécies são redescritos, três novas espécies são descritas e é fornecida chave para identificação das espécies e mapa de distribuição geográfica. O gênero passa a ser composto por nove espécies e dois agrupamentos de espécies puderam ser observados, diferenciados principalmente pelos lobos oculares inferiores, pelas genas e pelo padrão de coloração das cerdas das tíbias. Um grupo é constituído pelas espécies que apresentam lobos oculares superiores distantes entre si por aproximadamente o triplo ou mais que a largura de um lobo, lobos oculares inferiores estreitos e retangulares, com altura menor que a das genas, genas paralelas e tíbias com anel ou mácula de cerdas castanho-escuras na região subapical. Neste grupo estão incluídas as seguintes espécies: A. lacteus Galileo & Martins, 2006; A. variegatus (Mendes, 1938); e A. sp1 sp. nov.. No outro grupo, as espécies apresentam lobos oculares superiores distantes entre si por medida igual ou até o dobro da largura de um lobo, lobos oculares inferiores largos e arredondados, com altura subigual ou maior que a das genas, genas convergentes e tíbias com denso anel de cerdas castanho-escuras na região apical. Neste grupo estão incluídas as seguintes espécies: A. dejeani (Lane, 1973); A. javariensis (Lane, 1965); A. senilis (Bates, 1862); A. subsellatus (White, 1855); A. sp2 sp. nov.; e A. sp3 sp. nov.. Novos registros de distribuição geográfica foram obtidos para A. dejeani (Brasil (Goiás), Argentina (Misiones) e Paraguai (Alto Paraná)), A. lacteus (Venezuela (Distrito Capital), Bolívia (Cochabamba) e Brasil (Amazonas e Mato Grosso)), A. senilis (Brasil (Amapá e Amazonas)), A. subsellatus (Brasil (Rondônia e Mato Grosso), Bolívia (La Paz) e Paraguai (Alto Paraná)) e A. variegatus (Guiana Francesa (Cayenne) e Argentina (Misiones)).
5

Identificação de genes cry1 em isolados de Bacillus thuringiensis e expressão do gene cry1la em Escherichia coli visando o controle de pragas da cultura algodoeira

Bergamasco, Vivian Boter [UNESP] 27 February 2009 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2014-06-11T19:27:22Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2009-02-27Bitstream added on 2014-06-13T19:35:23Z : No. of bitstreams: 1 bergamasco_vb_me_jabo.pdf: 403453 bytes, checksum: 6a88a5515cdd11dfe0eb79e82bebc66d (MD5) / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) / O controle de pragas da cultura algodoeira pode ser feito utilizando proteínas Cry de Bacillus thuringiensis e para tal, o presente trabalho testou a atividade inseticida de novos isolados de B. thuringiensis frente a larvas neonatas de Spodoptera frugiperda e Anthonomus grandis, resultando em diversos níveis de mortalidade que foram associados a oito diferentes combinações de genes cryl identificados por PCR. O gene crylla (lepidóptero e coleóptero específico) esteve presente na maioria dos isolados, assim como nas linhagens padrões e principalmente nos isolados de maior efetividade para as duas pragas. A partir deste fato, a atividade inseticida de uma nova proteína Cry1 la foi avaliada frente a larvas neonatas de S. frugipercla e A. grandis. O gene crylla completo, previamente obtido por PCR com oligonucleotídeos iniciadores desenhados a partir do gene seqüenciado, foi clonado no vetor pET28a(+), introduzido em Escherichia cor, BL21(DE3) e expresso por indução com IPTG, confirmando a expressão da proteína Cry1la, com peso molecular de aproximadamente 81 kDa. Os resultados demonstraram a eficiência do sistema bacteriano na expressão da proteína Cry1 la de B. thuringiensis, a qual foi, posteriormente, utilizada nos bioensaios quantitativos contra larvas de S. frugiperda e A. grandis, resultando em uma proteína altamente tóxica às duas espécies, característica importante para obtenção de plantas transgênicas de algodão resistentes a estas pragas / The control af cotton pests may be done by using Bacillus thuringiensis Cry proteins. For this purpose, the present work tested the insecticidal activity of new B. thutingiensis isolates, in neonate larvae of Spodoptera frugiperda and Anthonomus grandis, resulting in different mortality leveis that were associated to eight different combinations of cry 1 genes identified by PCR. The cry1la gene (specific Lepidoptera and Coleoptera) was present in most of the isolates, as well as in the standard strains and mainly in the isolates with higher affectivity for both pests. Considering this, the insecticidal activity of a new Cryl la protein was evaluated against neonate larvae of S. frugiperda and A. grandis. The complete cry1la gene, previously obtained by PCR with oligonucleotide primers that were drawn based on the sequenced gene, was cloned in the vector pET28a(+), introduced in Eschetichia coli BL21(0E3) and expressed by induction with IPTG, confirming the expression of the Cry1la protein, with molecular weight of approximately 81 kDa. The results demonstrated the bacterial system efficiency on the expression of B. thuringiensis Cry1la protein, which was posteriorly, used on the quantitative bioassays against S. frugipercla and A. grandis larvae, resulting in an extremely toxic protein for both species. This characteristic is exceptionally important for obtaining transgenic cotton plants resistant to these pests
6

Revisão de Ctenocolum Kingsolver & Whitehead, 1974 (Coleoptera : Chrysomelidae : Bruchinae)

Albuquerque, Felicia Pereira de 20 June 2013 (has links)
Resumo: Ctenocolum Kingsolver & Whitehead, 1974 pertence à Acanthoscelidina, subtribo de Bruchini, a qual compreende cerca de 50% dos Bruchinae. Atualmente está alocado no grupo Merobruchus sensu Whitehead & Kingsolver (1975) juntamente com mais seis gêneros. Em razão dos poucos estudos em Acanthoscelidina e difícil definição de seus limites, tem sido feito esforços para estudar de forma mais ampla os gêneros do grupo Merobruchus, incluindo espécies sul-brasileiras e filogenias. Assim, nessa contribuição o objetivo foi revisar as espécies de Ctenocolum, as quais se distribuem principalmente na região Neotropical. As larvas deste gênero apresentam um alto grau de especificidade com a tribo Millettieae ocorrendo principalmente em sementes de Lonchocarpus (Fabaceae, Papilionoideae) e até o momento não se conhece outro bruquíneo neste gênero de planta. Foram feitas redescrições de oito espécies e cinco novas espécies são descritas, totalizando 13 espécies para o gênero. Os dois grupos propostos na literatura foram mantidos, grupo podagricus com Ctenocolum biolleyi, C. colburni, C. martiale, C. podagricus, C. sp. nov. A, C. sp. nov. B, C. sp. nov. C, C. sp. nov. D e C. sp. nov. E, grupo tuberculatum com C. acapulcensis, C. janzeni, C. salvini e C. tuberculatum. Através de estudos morfológicos de caracteres externos e da genitália do macho são propostos novos caracteres para o gênero, grupos e espécies. A genitália do macho é aqui descrita pela primeira vez para as espécies. É aqui designado lectótipo para Ctenocolum salvini. Quatro espécies de plantas: Bauhinia glabra, Lonchocarpus emarginatus, L. guillemineanus e Piscidia piscipula foram registradas pela primeira vez como plantas hospedeiras para Ctenocolum. O registro de Bauhinia para Ctenocolum confirma uma nova linhagem de planta hospedeira (Caesalpinioideae) para o gênero. Quatro espécies de Ctenocolum tiveram novos registros de plantas: C. podagricus, C. acapulcensis, C. janzeni e C. tuberculatum. Duas espécies de Ctenocolum tiveram novos registros de distribuição geográfica: C. podagricus e C. janzeni. Neste estudo apresentam-se ainda descrições, redescrições, diagnose, uma chave de identificação para as espécies, mapas de distribuição e ilustrações da morfologia externa e da genitália do macho.
7

Estudo bioecológico de espécies de coleóptera do gênero Bledius, 1819, em praias arenosas de Pontal do Sul, Paraná, Brasil

Vianna, Angélica Xavier de Miranda Ribas 08 August 2013 (has links)
Resumo: A família Staphylinidae tem ampla distribuição ao longo do globo e apresenta diversos gêneros. A subfamília Oxytelinae apresenta o gênero Bledius Leach, 1819 como o segundo maior em termos de riqueza de espécies. A ocorrência de três espécies de Bledius foi registrada no litoral paranaense: Bledius bonariensis, Bledius fernandezi e Bledius hermani. O presente trabalho teve como objetivo estudar alguns aspectos da biologia e ecologia desses Staphylinidae ocorrentes no litoral do Paraná, em dois setores da praia de Pontal do Sul denominados de Assenodi e Cem. Os setores apresentaram diferenças quanto a parâmetros sedimentológicos e concentrações de clorofila. Registrou-se a ocorrência de B. bonariensis e B. fernandezi no supralitoral do setor Assenodi, com uma clara diferença na distribuição espacial, sendo observada pouca sobreposição. A espécie B. hermani ocorreu próximo à linha de detrito, no setor Cem. As três espécies exibiram influencia das características sedimentológicas, umidade e disponibilidade de alimento em suas distribuições. Duas espécies foram estudadas ao longo de 50 coletas semanais (B. bonariensis e B. hermani). A partir disso, pode-se perceber que B. bonariensis tem preferência pelo supralitoral, contudo a sua distribuição pode-se estender para o mesolitoral. Essa espécie apresenta pequenas flutuações na abundancia, especialmente se comparada com as abundancias de B. hermani, com grandes variações de uma semana para outra, e baixíssimas abundancias no período invernal. A sua distribuição ficou quase restrita ao mesolitoral da praia, por baixo da linha de detrito ou linha de deixa. Sugere-se que B. bonariensis permaneça de quatro a cinco semanas em estádio larval para, então, virar adulto e a larva de B. hermani demore o tempo de quatro semanas para o próximo estádio de adulto. As duas espécies demonstraram diferentes hábitos e estratégias de vida.
8

Revisão das espécies brasileiras de Omalodes (Omalodes) Erichson, 1834 (Coleoptera, Histeridae)

Moura, Daniel Pessoa de 06 October 2010 (has links)
Resumo: O gênero Omalodes Erichson, 1834 inclui três subgêneros, Omalodes (Omalodes) Erichson, 1834; Omalodes (Cornillus) Lewis, 1907 e Omalodes (Diplogrammicus) Lewis, 1907 os quais apresentam distribuição quase que exclusivamente Neotropical. Omalodes (Omalodes) possui 51 espécies, sendo 25 com distribuição para o Brasil. Este trabalho tem como principal objetivo revisar as espécies brasileiras do subgênero Omalodes, tendo em vista a falta de conhecimento do gênero, além da importância de algumas espécies como agentes de controle biológico e na entomologia forense. O material foi obtido de instituições nacionais e internacionais, assim como de coleções particulares. Vinte e oito espécies brasileiras de Omalodes (Omalodes) foram estudadas e diferem entre si principalmente por estruturas da fronte, fóveas e pontuações do pronoto, variações no processo, quilha e lobo prosternal, estrias e pontuações do mesosterno, estrias subhumerais interna e externa, estrias dorsais e apicais dos élitros, pontuação do primeiro esterno abdominal visível, fóveas e pontuações do propigídio, pontuações e fóveas do pigídio e padrão da genitália do macho. Uma nova espécie foi descrita, Omalodes (Omalodes) sp. nov. A, proveniente do Brasil e da Bolívia. Foi estudado o material tipo de 16 espécies, 14 delas tiveram seus lectótipos aqui designados: Omalodes (O.) amazonius Marseul, 1861, Omalodes (O.) anthracinus Marseul, 1853, Omalodes (O.) bifoveolatus Marseul, 1853, Omalodes (O.) faustus Erichson, 1834, Omalodes (O.) foveipennis Lewis, 1902, Omalodes (O.) gagatinus Erichson, 1847, Omalodes (O.) laevicollis Bickhardt, 1911, Omalodes (O.) planifrons Marseul, 1853, Omalodes (O.) punctistrius Marseul, 1853, Omalodes (O.) serenus Erichson, 1834, Omalodes (O.) seriatus Schmidt, 1889, Omalodes (O.) sinuaticollis Marseul, 1853, Omalodes (O.) sobrinus Erichson, 1834 e Omalodes (O.) wagneri Desbordes, 1919. Foi proposta nova sinonímia para Omalodes (O.) foveola (= Omalodes (O.) foveola brasilianus Mazur, 1997 syn. nov.) e Omalodes (O.) lucidus (= Omalodes (O.) lucidus var. Le Moulti Desbordes, 1919 syn. nov.). Omalodes (O.) foveipennis teve seu status revalidado e para Omalodes (O.) sobrinus foi indicado um novo registro para o Brasil. Foi confeccionada uma chave de identificação para as espécies e apresentados mapas de distribuição.
9

Mecanismos de diferenciação cromossômica em 13 espécies de Elateridae (Coleoptera, polyphaga) estabelecidos através da análise de células mitóticas e meióticas /

Schneider, Marielle Cristina. January 2006 (has links)
Orientador: Doralice Maria Cella / Banca: Adilson Ariza Zacaro / Banca: Eliane Mariza Dortas Maffei / Banca: Lúcia Giuliano Caetano / Banca: Mary Massumi Itoyama / Resumo: O objetivo deste trabalho é caracterizar citogeneticamente 13 espécies da família Elateridae, pertencentes à subfamília Agrypninae, tribo Conoderini (Conoderus dimidiatus, Conoderus fuscofasciatus, Conoderus malleatus, Conoderus rufidens, Conoderus scalaris, Conoderus stigmosus, Conoderus ternarius e Conoderus sp.), subfamília Agrypninae, tribo Pyrophorini (Pyrearinus candelarius, Pyrophorus divergens e Pyrophorus puncatissimus), e subfamília Elaterinae, tribo Agriotini (Cardiorhinus rufilateris e Pomachilus sp.2), visando estabelecer as principais estratégias de diferenciação cromossômica que ocorreram nestas espécies. Através da análise de células testiculares meióticas foi possível notar que as 13 espécies de Elateridae apresentam cromossomos com comportamento regular durante a meiose e que o bivalente sexual neoXY de Conoderus stigmosus possui um quiasma terminal. As principais estratégias de diferenciação cromossômica detectadas nas espécies de Elateridae são apresentadas e discutidas neste trabalho / Doutor
10

Taxonomia dos bruquíneos associados à Senna Neglecta (Vogel) H. S. Irwin e Barneby (Fabaceae: Caesalpinioideae), com revisão do grupo Abbreviatus de Sennis Bridwell (Coleoptera, Chrsomelidae, Bruchinae)

Viana, Jéssica Herzog Viana 23 August 2011 (has links)
Resumo: Senna neglecta (Vogel) H. S. Irwin & Barneby ocorre nas regiões Nordeste, Sudeste e Sul do Brasil, em campos, vegetação secundária, borda e interior de mata. É uma planta estudada para uso em paisagismo, recuperação de áreas degradadas e produção de fármacos antimicrobiais. Um estudo taxonômico foi realizado com as espécies de Bruchinae (Chrysomelidae: Coleoptera) associadas à esta planta a partir de caracteres morfológicos do exoesqueleto e genitália masculina e feminina. Após levantamento de dados constatou-se que este é o primeiro registro de bruquíneos associados às sementes desta planta. As seis espécies encontradas pertencem a duas tribos, Amblycerini e Bruchini e três gêneros, Amblycerus Thunberg, 1815, Acanthoscelides Schilsky, 1905 e Sennius Bridwell, 1946, sendo este último com o maior número de espécies associadas a essa planta. Foram reconhecidas as espécies Amblycerus hoffmanseggi Gyllenhal, 1833, Acanthoscelides sp. nov., Sennius bondari (Pic, 1929), Sennius nappi Ribeiro-Costa & Reynaud, 1998 e mais duas espécies novas de Sennius. Como S. bondari e S. nappi pertencem ao grupo abbreviatus de Sennius, também foram revisadas as espécies deste grupo, o qual foi estabelecido com sete espécies e mais uma adicionada posteriormente. Após estudo taxonômico das espécies associadas à Senna neglecta e a revisão do grupo abbreviatus, mais seis espécies foram alocadas nesse agrupamento, totalizando 14 espécies com distribuição principalmente na América do Sul. Das 14 espécies, duas são novas, Sennius sp. nov. A (Pernambuco, Brasil) e Sennius sp. nov. B (São Paulo, Brasil). São designados o lectótipo e paralectótipo de S. lebasi (Fähraeus, 1839) e o lectótipo de S. transversesignatus (Fähraeus, 1839). São apresentadas chaves dicotômicas para as espécies de bruquíneos associadas à Senna neglecta e para as espécies de Sennius do grupo abbreviatus, além de descrições, redescrições, diagnoses e ilustrações dos caracteres informativos, com o esclerito da bursa da genitália feminina descrito e ilustrado pela primeira vez nos gêneros. São adicionados novos registros de plantas hospedeiras para duas espécies e novos registros de distribuição geográfica para seis espécies.

Page generated in 0.0535 seconds