• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 81
  • Tagged with
  • 81
  • 50
  • 37
  • 27
  • 26
  • 24
  • 21
  • 21
  • 13
  • 13
  • 12
  • 11
  • 10
  • 10
  • 10
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Identificação de genes cry1 em isolados de Bacillus thuringiensis e expressão do gene cry1la em Escherichia coli visando o controle de pragas da cultura algodoeira /

Bergamasco, Vivian Boter. January 2009 (has links)
Orientador: Manoel Victor Franco Lemos / Coorientador: Janete Apparecida Disidério Sena / Banca: Marcelo Luiz de Laia / Banca: Cristina Lacerda Soares Petrarolha Silva / Resumo: O controle de pragas da cultura algodoeira pode ser feito utilizando proteínas Cry de Bacillus thuringiensis e para tal, o presente trabalho testou a atividade inseticida de novos isolados de B. thuringiensis frente a larvas neonatas de Spodoptera frugiperda e Anthonomus grandis, resultando em diversos níveis de mortalidade que foram associados a oito diferentes combinações de genes cryl identificados por PCR. O gene crylla (lepidóptero e coleóptero específico) esteve presente na maioria dos isolados, assim como nas linhagens padrões e principalmente nos isolados de maior efetividade para as duas pragas. A partir deste fato, a atividade inseticida de uma nova proteína Cry1 la foi avaliada frente a larvas neonatas de S. frugipercla e A. grandis. O gene crylla completo, previamente obtido por PCR com oligonucleotídeos iniciadores desenhados a partir do gene seqüenciado, foi clonado no vetor pET28a(+), introduzido em Escherichia cor, BL21(DE3) e expresso por indução com IPTG, confirmando a expressão da proteína Cry1la, com peso molecular de aproximadamente 81 kDa. Os resultados demonstraram a eficiência do sistema bacteriano na expressão da proteína Cry1 la de B. thuringiensis, a qual foi, posteriormente, utilizada nos bioensaios quantitativos contra larvas de S. frugiperda e A. grandis, resultando em uma proteína altamente tóxica às duas espécies, característica importante para obtenção de plantas transgênicas de algodão resistentes a estas pragas / Abstract: The control af cotton pests may be done by using Bacillus thuringiensis Cry proteins. For this purpose, the present work tested the insecticidal activity of new B. thutingiensis isolates, in neonate larvae of Spodoptera frugiperda and Anthonomus grandis, resulting in different mortality leveis that were associated to eight different combinations of cry 1 genes identified by PCR. The cry1la gene (specific Lepidoptera and Coleoptera) was present in most of the isolates, as well as in the standard strains and mainly in the isolates with higher affectivity for both pests. Considering this, the insecticidal activity of a new Cryl la protein was evaluated against neonate larvae of S. frugiperda and A. grandis. The complete cry1la gene, previously obtained by PCR with oligonucleotide primers that were drawn based on the sequenced gene, was cloned in the vector pET28a(+), introduced in Eschetichia coli BL21(0E3) and expressed by induction with IPTG, confirming the expression of the Cry1la protein, with molecular weight of approximately 81 kDa. The results demonstrated the bacterial system efficiency on the expression of B. thuringiensis Cry1la protein, which was posteriorly, used on the quantitative bioassays against S. frugipercla and A. grandis larvae, resulting in an extremely toxic protein for both species. This characteristic is exceptionally important for obtaining transgenic cotton plants resistant to these pests / Mestre
2

Riqueza, abundância e variação temporal de Saturniidae e Sphingidae (Lepidoptera, Bombycoidea) na localidade de Vossoroca, Tijucas do Sul, Paraná, Brasil

Santos, Fábio Luis dos 09 May 2012 (has links)
Resumo: Descrever a riqueza e abundância das comunidades é uma forma de entender os padrões de diversidade encontrados ao redor do mundo. A variação temporal destes padrões também é um importante elemento na história natural dos organismos. Este estudo descreve as assembleias de Saturniidae e Sphingidae quanto à sua estrutura e variação temporal no município de Tijucas do Sul, no estado do Paraná, em uma área de Floresta Ombrófila Mista Montana (25°50'8.93"S, 49°02'55.20"O; 880m). Amostragens foram realizadas entre novembro de 2010 a setembro de 2011 durante duas noites de cada um dos 12 novilúnios do período com uma armadilha luminosa equipada com lâmpada de luz negra (ultravioleta) de 46 watts (Golden®) e ao lado desta, duas lâmpadas de mercúrio HWL 250 watts (Osram®) das 18:00 até as 06:00h. Todos os exemplares foram coletados manualmente e sacrificados em frasco mortífero contendo amônia ou éter; ou com uma gota de amônia injetada no tórax, sendo então acondicionados em envelopes entomológicos e armazenados em lotes por hora/dia. O esforço amostral totalizou 288 horas e todas as estações anuais foram amostradas. A média de capturas por hora foi baixa: 4,28 indivíduos por hora. As maiores taxas de captura foram durante o novilúnio do mês de janeiro (verão), com 7,04 indivíduos coletados por hora e em abril (outono), com 7,71. Este esforço amostral total foi responsável pela coleta de 1233 exemplares, distribuídos em 127 espécies: 856 exemplares e 89 espécies de Saturniidae e 377 exemplares e 38 espécies de Sphingidae. As espécies registradas em mais de oito coletas e com abundância superior a 10 indivíduos foram: Catacantha ferruginea (Draudt, 1929), Dirphia araucarie Jones, 1908 e Adhemarius eurysthenes (R. Felder, 1874). Ressalta-se a amostragem de 14 morfotipos considerados novas espécies, sendo uma do gênero de Automerella Michener, 1949, duas de Hylesia Hübner, [1820], duas de Lonomia Walker, 1855 e nove de Periga Walker, 1855. Os métodos usados para conhecer as relações temporais de Saturniidae e Sphingidae incluíram análise de agrupamento e o método de ordenamento NMDS, utilizando-se o coeficiente de similaridade de Bray-Curtis. Foi possível descrever padrões de variação temporal sugeridos pela alteração na composição da riqueza e da abundância para as assembleias. Para Saturniidae a riqueza e a abundância se mantêm constantes, porém com a alternância frequente de espécies que se mostram com maior restrição temporal quando comparada com Sphingidae, que mantém sua maior riqueza e abundância restrita à primavera e ao verão. Sphingidae é representado por um menor número de espécies, com baixa abundância, mas, com uma distribuição temporal maior.
3

Revisão taxonômica de Pampassatyrus Hayward, 1953 gen. reval. e descrição de um gênero novo (Lepdidoptera: Nymphalidae, Satyrinae)

Taumaturgo,Thamara Zacca Bispo 06 August 2013 (has links)
Resumo: Satyrinae é uma das onze subfamílias de Nymphalidae, com cerca de 2.500 espécies descritas, distribuídas em 255 gêneros. Apesar de sua ampla distribuição mundial, cerca de 50% dos gêneros ocorrem na região Neotropical. Ainda há muitas controvérsias em relação à classificação das categorias mais baixas de Satyrinae, sendo cada vez mais necessários estudos taxonômicos para entender as delimitações dos gêneros e verificar se suas espécies estão devidamente alocadas. A partir da revisão taxonômica, Pampasatyrus Hayward, 1953 (Lepidoptera: Nymphalidae, Satyrinae, Pronophilini) é revalidado e um novo arranjo taxonômico para o gênero é proposto. Duas espécies novas são descritas, Pampasatyrus sp. n. 1, com ocorrência em São Paulo e Santa Catarina, Brasil, e Pampasatyrus sp. n. 2 de Minas Gerais e Rio de Janeiro, Brasil. Uma subespécie nova para Pampasatyrus reticulata é descrita para São Paulo, Brasil. São designados o neótipo de Neomaenas reticulata Weymer, 1907 e lectótipos de Epinephele gyrtone Berg, 1877, Epinephele nilesi Weeks, 1902 e Satyrus quies Berg, 1877. Três espécies são transferidas de Pampasatyrus para Gênero A, gen. n. (Euptychiina): Gênero A imbrialis (Weeks, 1901) comb. n. da Bolívia (Cochabamba), Gênero A ocelloides (Schaus, 1902) comb. n., com ocorrência no Paraguai (Hernandarias e Caaguazú) e Brasil (regiões centro-oeste, sul e sudeste) e Gênero A periphas (Godart, [1824]) comb. n., distribuídas desde o sul do Brasil até a região nordeste da Argentina (Buenos Aires). São designados lectótipos de Epinephele imbrialis Weeks, 1901 e de Euptychia ocelloides Schaus, 1902.
4

Identificação de genes cry1 em isolados de Bacillus thuringiensis e expressão do gene cry1la em Escherichia coli visando o controle de pragas da cultura algodoeira

Bergamasco, Vivian Boter [UNESP] 27 February 2009 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2014-06-11T19:27:22Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2009-02-27Bitstream added on 2014-06-13T19:35:23Z : No. of bitstreams: 1 bergamasco_vb_me_jabo.pdf: 403453 bytes, checksum: 6a88a5515cdd11dfe0eb79e82bebc66d (MD5) / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) / O controle de pragas da cultura algodoeira pode ser feito utilizando proteínas Cry de Bacillus thuringiensis e para tal, o presente trabalho testou a atividade inseticida de novos isolados de B. thuringiensis frente a larvas neonatas de Spodoptera frugiperda e Anthonomus grandis, resultando em diversos níveis de mortalidade que foram associados a oito diferentes combinações de genes cryl identificados por PCR. O gene crylla (lepidóptero e coleóptero específico) esteve presente na maioria dos isolados, assim como nas linhagens padrões e principalmente nos isolados de maior efetividade para as duas pragas. A partir deste fato, a atividade inseticida de uma nova proteína Cry1 la foi avaliada frente a larvas neonatas de S. frugipercla e A. grandis. O gene crylla completo, previamente obtido por PCR com oligonucleotídeos iniciadores desenhados a partir do gene seqüenciado, foi clonado no vetor pET28a(+), introduzido em Escherichia cor, BL21(DE3) e expresso por indução com IPTG, confirmando a expressão da proteína Cry1la, com peso molecular de aproximadamente 81 kDa. Os resultados demonstraram a eficiência do sistema bacteriano na expressão da proteína Cry1 la de B. thuringiensis, a qual foi, posteriormente, utilizada nos bioensaios quantitativos contra larvas de S. frugiperda e A. grandis, resultando em uma proteína altamente tóxica às duas espécies, característica importante para obtenção de plantas transgênicas de algodão resistentes a estas pragas / The control af cotton pests may be done by using Bacillus thuringiensis Cry proteins. For this purpose, the present work tested the insecticidal activity of new B. thutingiensis isolates, in neonate larvae of Spodoptera frugiperda and Anthonomus grandis, resulting in different mortality leveis that were associated to eight different combinations of cry 1 genes identified by PCR. The cry1la gene (specific Lepidoptera and Coleoptera) was present in most of the isolates, as well as in the standard strains and mainly in the isolates with higher affectivity for both pests. Considering this, the insecticidal activity of a new Cryl la protein was evaluated against neonate larvae of S. frugiperda and A. grandis. The complete cry1la gene, previously obtained by PCR with oligonucleotide primers that were drawn based on the sequenced gene, was cloned in the vector pET28a(+), introduced in Eschetichia coli BL21(0E3) and expressed by induction with IPTG, confirming the expression of the Cry1la protein, with molecular weight of approximately 81 kDa. The results demonstrated the bacterial system efficiency on the expression of B. thuringiensis Cry1la protein, which was posteriorly, used on the quantitative bioassays against S. frugipercla and A. grandis larvae, resulting in an extremely toxic protein for both species. This characteristic is exceptionally important for obtaining transgenic cotton plants resistant to these pests
5

Melanolophia apicalis (Warren, 1900 ) (Lep.; geometridae) praga de Pinus patula Schlechtd. e Cham. (1831)

Diodato De Medina, Maria Estela Liliana 14 June 2013 (has links)
Este trabalho foi desenvolvido no Município de Tibagi, Paraná, durante 1986 a 1987, com a finalidade de estudar a influência da temperatura no desenvolvimento de Melanolophia apicalis Warren, 1900 (Lep.; Geometridae), desaciculador de Pinus patula Schlechtd. & Cham. O consumo acicular e os diferentes graus de desaciculamento também foram estudados. Foram testadas as possibilidades de seu controle com a aplicação de Bacillus thuringiensis Berliner, 1911, em condições de laboratório. Os experimentos de laboratório foram desenvolvidos nas temperaturas de 20 e 25 ± 2°C, umidade relativa de 70 ± 10% e fotofase de 12 horas. A duração do período de lagarta, pré-pua, pupa e do ciclo de vida diminuiu significativamente com o aumento da temperatura. A mortalidade de lagartas foi maior para a temperatura de 25°C. O desenvolvimento em tamanho das lagartas no último instar, das pupas, a fecundidade e fertilidade dos adultos foram significativamente maiores para a temperatura de 20°C. A aplicação de esporos de B. thuringiensis foi efetivo para o 3° e 4° ínstares, na dosagem de 750 g/ha. Identificou-se sete Ichneumonidae e duas espécies parasitóides de lagartas pertencentes família Tachinidae. Uma lagarta ao se alimentar, consome apenas 12,25% de cada acícula, e o resto é perdido. Durante seu período de desenvolvimento provoca uma desaciculação de 230 acículas, das quais só 28 são consumidas. A densidade média de pupas/m2 varia de acordo com o grau de desaciculação. Para os graus de desaciculação de 33, 50, 66, 88 e 100% foi encontrado respectivamente as seguintes densidades: 9; 16,5; 49,5; 96,4 e 114,1 pupas/m². A metade das árvores do povoamento atacado, encontravam-se em uma faixa de desaciculação compreendida entre 88 e 100%, sendo a classe diamétrica de 16-20 cm a mais afetada.
6

Caracterização ultra-estrutural de espermatozóides eupirenes e apirenes de Alabama argillacea HÜBNER, 1818 (Lepidoptera, Noctuide), ao nível de testículo e das vias genitais dos imagos macho e fêmea até a espermateca

Medeiros, Marilia January 1986 (has links)
Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Departamento de Biologia Celular / Made available in DSpace on 2012-10-16T00:08:43Z (GMT). No. of bitstreams: 0Bitstream added on 2013-07-16T17:07:59Z : No. of bitstreams: 1 265633.pdf: 9786267 bytes, checksum: 4f519cd26a4418fccd3d924723583d48 (MD5)
7

Estudo ultra-estrutural da espermiogenese dicotomica de alabama argillacea Hubner, 1818

Medeiros, Marilia January 1997 (has links)
Tese (Doutorado) - Universidade de São Paulo, Instituto de Biociencias / Made available in DSpace on 2013-12-05T20:35:43Z (GMT). No. of bitstreams: 1 148294.pdf: 63102152 bytes, checksum: 8eca89d6340d0228d1f7cfa9b6566647 (MD5) Previous issue date: 1997
8

Caracterização molecular e expressão de aminopeptidase (APNs) de Ostrinia nubilalis HÜBER 1796 (Lepidoptera: Crambidae)

Silva, Najara da [UNESP] 21 June 2013 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2014-08-13T14:50:36Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2013-06-21Bitstream added on 2014-08-13T18:01:08Z : No. of bitstreams: 1 000738502_20150619.pdf: 168048 bytes, checksum: 67974831ca78b6d925c01cebfef1a94c (MD5) Bitstreams deleted on 2015-06-22T12:53:50Z: 000738502_20150619.pdf,. Added 1 bitstream(s) on 2015-06-22T12:54:45Z : No. of bitstreams: 1 000738502.pdf: 1467766 bytes, checksum: 7c0de265290f7067173746101d9a2b71 (MD5) / Aminopeptidases N (APNs) são uma classe de ectoenzimas presentes no intestino médio das larvas de lepidópteros, que participa no cenário do modo de ação das toxinas Bacillus thuringiensis (Bt). No presente trabalho, duas aminopeptidases (OnAPN5 e OnAPN6) foram clonadas a partir células do intestino de Ostrinia nubilalis, lepidópteros praga do milho dos climas temperados. As duas sequências foram identificadas como APNs pela da presença dos motivos HEXXH18(X)E e GAMEM, bem como o peptídeo sinal. As mesmas se agruparam corretamente quando analisadas com outras sequências de aminopeptidase em uma arvore fenogenética, Pode-se verificar a expressão em tempo real em diferentes tecidos (intestinal, adiposo e tegumento) da APN5 e APN6 e também de uma terceira aminopeptidase APN7 analisada nesta etapa do trabalho, onde APN7 apresentou expressão de 7,5 vezes mais no tegumento quando comparado com o intestino e de 4,9 vezes mais no tecido adiposo quando comparado com o intestino enquanto que a APN5 e APN6 apresentaram expressão relevante apenas no tecido do intestino. Estas identificações de APNs irão facilitar estudos para caracterizar interações de ligação com as toxinas Bt, proporcionando uma forma de compreender e evitar o desenvolvimento da resistência às proteínas Cry de B. thuringiensis. Estas informações são fundamentais para a elaboração de estratégias adequadas para o manejo da resistência de pragas e seu efetivo controle / Aminopeptidases N (APNs) are a class of ectoenzymes present in the midgut of lepidopteran larvae, which participates in setting the mode of action of Bacillus thuringiensis toxin (Bt). In this work, two aminopeptidases (OnAPN5 and OnAPN6) were cloned from cells of the intestine Ostrinia nubilalis, Lepidoptera pests of temperate maize. The two sequences were identified as APNs for the presence of motifs HEXXH18 (X) and E GAMEM as well as the signal peptide. The same when analyzed correctly grouped with other aminopeptidase sequences in a tree fenogenética, can check in real time the expression in different tissues (gut, adipose tissue and carcass) from APN5 and APN6 and also a third aminopeptidase analyzed in this step APN7 work, where APN7 showed expression of 7.5 times the carcass when compared with the intestine and 4.9 times in adipose tissue when compared with the intestine while APN5 and APN6 relevant only showed expression in tissue of the intestine. These IDs APNs will facilitate studies to characterize binding interactions with Bt toxins, providing a way to understand and prevent the development of resistance to Cry proteins of B. thuringiensis. This information is fundamental to the development of appropriate strategies for managing pest resistance and its effective control
9

Revisão taxonômica de Temenis hübner, (1819) (Lepidoptera, Nymphalidae, Biblidinae).

Salik, Lucy Mila Garcia January 2014 (has links)
Resumo: Temenis Hübner, [1819], ocorre na Região Neotropical, possui acentuada variação fenotípica geralmente observada em vista dorsal e com dimorfismo sexual, sendo que as fêmeas apresentam tonalidades mais claras que os machos. Um estudo taxonômico de Temenis é apresentado, baseando-se na coloração alar, venação, hypandrium, genitália e distribuição geográfica para as espécies e subespécies reconhecidas até a presente data. Uma nova proposta de composição do gênero é dada. T. pulchra pallidior (Oberthür, 1901) tem seu stat. rev.; T. laothoe bahiana Fruhstorfer, 1907; T. laothoe columbiana Fruhstorfer, 1907; T. laothoe santina Fruhstorfer, 1907; T. laothoe meridionalis Ebert, 1965 e T. laothoe pedania Fruhstorfer, 1912 são novos sinônimos de Temenis laothoe (Cramer, 1777); T. laothoe korallion Fruhstorfer, 1912 é novo sinônimo de Temenis violetta; T. laothoe quilapayunia R. G. Maza & Turrent, 1985 é novo sinônimo de Temenis hondurensis e T. violetta Fruhstorfer, 1907 e T. hondurensis Fruhstorfer, 1907 têm stat. nov. Lectótipos são designados para: T. laothoe bahiana Fruhstorfer, 1907; T. laothoe columbiana Fruhstorfer, 1907; T. laothoe santina Fruhstorfer, 1907; T. laothoe pedania Fruhstorfer, 1912; T. laothoe korallion Fruhstorfer, 1912; T. laothoe hondurensis Fruhstorfer, 1907; T. huebneri huebneri Fruhstorfer, 1907; T. pulchra pulchra (Hewitson, 1861) e T. pulchra amazonica Fruhstorfer, 1907
10

Caracterização molecular e expressão de aminopeptidase (APNs) de Ostrinia nubilalis HÜBER 1796 (Lepidoptera: Crambidae) /

Silva, Najara da. January 2013 (has links)
Orientador: Manoel Victor Franco Lemos / Banca: Lucia Maria Carareto Alves / Banca: Vitor Fernandes Oliveira da Miranda / Banca: Cristina Lacerda Soares Petrarolha Silva / Banca: Renato Pariz Maluta / Resumo: Aminopeptidases N (APNs) são uma classe de ectoenzimas presentes no intestino médio das larvas de lepidópteros, que participa no cenário do modo de ação das toxinas Bacillus thuringiensis (Bt). No presente trabalho, duas aminopeptidases (OnAPN5 e OnAPN6) foram clonadas a partir células do intestino de Ostrinia nubilalis, lepidópteros praga do milho dos climas temperados. As duas sequências foram identificadas como APNs pela da presença dos motivos HEXXH18(X)E e GAMEM, bem como o peptídeo sinal. As mesmas se agruparam corretamente quando analisadas com outras sequências de aminopeptidase em uma arvore fenogenética, Pode-se verificar a expressão em tempo real em diferentes tecidos (intestinal, adiposo e tegumento) da APN5 e APN6 e também de uma terceira aminopeptidase APN7 analisada nesta etapa do trabalho, onde APN7 apresentou expressão de 7,5 vezes mais no tegumento quando comparado com o intestino e de 4,9 vezes mais no tecido adiposo quando comparado com o intestino enquanto que a APN5 e APN6 apresentaram expressão relevante apenas no tecido do intestino. Estas identificações de APNs irão facilitar estudos para caracterizar interações de ligação com as toxinas Bt, proporcionando uma forma de compreender e evitar o desenvolvimento da resistência às proteínas Cry de B. thuringiensis. Estas informações são fundamentais para a elaboração de estratégias adequadas para o manejo da resistência de pragas e seu efetivo controle / Abstract: Aminopeptidases N (APNs) are a class of ectoenzymes present in the midgut of lepidopteran larvae, which participates in setting the mode of action of Bacillus thuringiensis toxin (Bt). In this work, two aminopeptidases (OnAPN5 and OnAPN6) were cloned from cells of the intestine Ostrinia nubilalis, Lepidoptera pests of temperate maize. The two sequences were identified as APNs for the presence of motifs HEXXH18 (X) and E GAMEM as well as the signal peptide. The same when analyzed correctly grouped with other aminopeptidase sequences in a tree fenogenética, can check in real time the expression in different tissues (gut, adipose tissue and carcass) from APN5 and APN6 and also a third aminopeptidase analyzed in this step APN7 work, where APN7 showed expression of 7.5 times the carcass when compared with the intestine and 4.9 times in adipose tissue when compared with the intestine while APN5 and APN6 relevant only showed expression in tissue of the intestine. These IDs APNs will facilitate studies to characterize binding interactions with Bt toxins, providing a way to understand and prevent the development of resistance to Cry proteins of B. thuringiensis. This information is fundamental to the development of appropriate strategies for managing pest resistance and its effective control / Doutor

Page generated in 0.0474 seconds