• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 13
  • Tagged with
  • 13
  • 13
  • 3
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 1
  • 1
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Revisão taxonômica de Pampassatyrus Hayward, 1953 gen. reval. e descrição de um gênero novo (Lepdidoptera: Nymphalidae, Satyrinae)

Taumaturgo,Thamara Zacca Bispo 06 August 2013 (has links)
Resumo: Satyrinae é uma das onze subfamílias de Nymphalidae, com cerca de 2.500 espécies descritas, distribuídas em 255 gêneros. Apesar de sua ampla distribuição mundial, cerca de 50% dos gêneros ocorrem na região Neotropical. Ainda há muitas controvérsias em relação à classificação das categorias mais baixas de Satyrinae, sendo cada vez mais necessários estudos taxonômicos para entender as delimitações dos gêneros e verificar se suas espécies estão devidamente alocadas. A partir da revisão taxonômica, Pampasatyrus Hayward, 1953 (Lepidoptera: Nymphalidae, Satyrinae, Pronophilini) é revalidado e um novo arranjo taxonômico para o gênero é proposto. Duas espécies novas são descritas, Pampasatyrus sp. n. 1, com ocorrência em São Paulo e Santa Catarina, Brasil, e Pampasatyrus sp. n. 2 de Minas Gerais e Rio de Janeiro, Brasil. Uma subespécie nova para Pampasatyrus reticulata é descrita para São Paulo, Brasil. São designados o neótipo de Neomaenas reticulata Weymer, 1907 e lectótipos de Epinephele gyrtone Berg, 1877, Epinephele nilesi Weeks, 1902 e Satyrus quies Berg, 1877. Três espécies são transferidas de Pampasatyrus para Gênero A, gen. n. (Euptychiina): Gênero A imbrialis (Weeks, 1901) comb. n. da Bolívia (Cochabamba), Gênero A ocelloides (Schaus, 1902) comb. n., com ocorrência no Paraguai (Hernandarias e Caaguazú) e Brasil (regiões centro-oeste, sul e sudeste) e Gênero A periphas (Godart, [1824]) comb. n., distribuídas desde o sul do Brasil até a região nordeste da Argentina (Buenos Aires). São designados lectótipos de Epinephele imbrialis Weeks, 1901 e de Euptychia ocelloides Schaus, 1902.
2

Caracterização sistemática do gênero Moenkhausia Eigenmann, 1903 (Characiformes, Characidae) / Systematic characterization of the genus Moenkhausia Eigenmann, 1903 (Characiformes, Characidae)

Raio, Cibele Bender [UNESP] 17 February 2014 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2015-05-14T16:53:27Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2014-02-17Bitstream added on 2015-05-14T16:58:48Z : No. of bitstreams: 1 000828973.pdf: 2813224 bytes, checksum: 52559505ada0f60a041cdd3e78ecc4d3 (MD5) / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) / Fundação do Instituto de Biociências (FUNDIBIO) / As espécies atualmente alocadas em Moenkhausia não formam um grupo monofilético. Estudos atuais buscam estabelecer novas relações e readequações destas espécies. No entanto, são verificados equívocos nas identificações que levam à relações não verdadeiras. O presente estudo reúne o conhecimento taxonômico sobre Moenkhausia, corrige, complementa e padroniza descrições das espécies. As espécies foram reunidas em grupos, com base em caracteres da morfologia externa e no conhecimento filogenético disponível para o gênero: Moenkhausia oligolepis - padrão de colorido reticulado e presença de banda escura no pedúnculo caudal; M. lepidura - mácula restrita ao lobo superior da nadadeira caudal; M. dichroura - mácula em ambos os lobos da nadadeira caudal; M. doceana - mácula umeral estendida horizontalmente ou duas máculas umerais, mácula no pedúnculo caudal ou nos raios medianos da nadadeira caudal; seis, ou mais, séries de escamas acima da linha lateral; M. xinguensis - maior altura do corpo na origem da nadadeira dorsal, mácula umeral ausente ou inconspícua e cinco series de escamas acima da linha lateral; M. eigenmanni - concentração de cromatóforos nas escamas, especialmente na região mediana dos flancos; corpo, geralmente, longo e caracteristicamente convexo na região pré-dorsal; M. ceros - baixa concentração de cromatóforos nas escamas, pequeno porte, faixa escura ou iridescente desde a região mediana do corpo ao pedúnculo caudal ou raios medianos da nadadeira caudal. Esses agrupamentos não são exclusivamente naturais e não devem ser tomados como relações filogenéticas. No entanto, são eficazes para a identificação das espécies e elaboração de futuras hipóteses de relações em Moenkhausia / The species currently allocated in Moenkhausia are not a monophyletic group. Current studies try to establish new relationships and adequation these species. However, identifications mistakes are usualy verified. What show wrong relationships. This study gathers the taxonomic knowledge of Moenkhausia, fixe, standardizes and complements species descriptions. Most species were grouped into groups, based on characters from the external morphology and phylogenetic knowledge available to the genre: Moenkhausia oligolepis – reticulate patters, presence of dark colored band on the caudal peduncle; M. lepidura – dark spot restricted to the upper lobe of the caudal fin; M. dichroura - spot in both lobes of caudal fin; M. doceana – one horizontally extended humeral spot or two humeral spot, spot presence in the caudal peduncle or in the middle rays of the caudal fin, six or more series of scales above lateral line; M. xinguensis - deep body at origin of dorsal fin, absent or inconspicuous humeral spot, five series of scales above lateral line; M. eigenmanni - concentration of chromatophores on the scales, especially in the middle part of the flanks, usually long body and characteristically convex pre-dorsal region; M. ceros - low concentration of chromatophores on the scales, small, dark or iridescent line from the middle region of the body to the caudal peduncle or middle rays of the caudal fin. These groupings are not natural and should not be taken as phylogenetic relationships. However, they are effective for species identification and development of future hypotheses of relationships in Moenkhausia
3

Revisão taxonômica de Alesa Doubleday, 1847 (Lepidoptera : Riodinidae)

Santos, Wildio Ikaro da Graça January 2017 (has links)
Orientador : Prof. Dr. Olaf Hermann Hendrik Mielke / Coorientador : Prof. Dr. Diego Rodrigo Dolibaina / Dissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas (Entomologia). Defesa: Curitiba, 23/05/2017 / Inclui referências / Área de concentração : Entomologia / Resumo: Alesa Doubleday, 1847 está distribuído em toda região Neotropical e inclui 14 espécies, com acentuadas variações fenotípicas. Este estudo teve como objetivo realizar a revisão taxonômica do gênero Alesa, verificando a existência de possíveis novas espécies e validade dos nomes disponíveis e seus sinônimos, com base em novos caracteres diagnósticos servindo de subsídio para um melhor entendimento do gênero. A partir desta revisão, duas novas espécies são descritas: Alesa sp. 1, sp. nov. e Alesa sp. 2, sp. nov.; um status é revalidado: Alesa negra Röber, 1831 stat. rev.; dois novos sinônimos são propostos Alesa fournierae Lathy, 1958 syn. nov., Alesa amethystina Gallard & Fernandez, 2015 syn. nov.; Sete lectótipos são designados: Erycina priolas Godart, [1824], Alesa smaragdifera Westwood, 1851, Mimocastnia rothschildi Seitz, 1913, Eurybia telephae Boisduval, 1936, Alesa hemiurga, Bates, 1868, Alesa lipara Bates, 1868, Alesa thelydrias Bates, 1868; e três neótipos estabelecidos: Papilio amesis Cramer, 1777, Erycina prema Godart, [1824], Mimocastnia egeria Biedermann, 1936. Palavras-chave: Chave dicotômica, Eurybiini, Riodininae, Taxonomia. / Abstract: Alesa Doubleday, 1847 is distributed throughout the Neotropical region and includes 14 species, with marked phenotypic variations. The objective of this study was to perform the taxonomic revision of the genus Alesa, verifying the existence of possible new species and the validity of the available names and their synonyms, based on new diagnostic characters, as a subsidy for a better understanding of the genus. From this review, two new species are described: Alesa sp. 1, sp. nov. and Alesa sp. 2, sp. nov.; A status is revalidated: Alesa negra Röber, 1831 stat. rev.; Two new synonyms are proposed Alesa fournierae Lathy, 1958 syn. nov., Alesa amethystina Gallard & Fernandez, 2015 syn. nov.; Seven lectotypes are designated: Erycina priolas Godart, [1824], Alesa smaragdifera Westwood, 1851, Mimocastnia rothschildi Seitz, 1913, Eurybia telephae Boisduval, 1936, Alesa hemiurga, Bates, 1868, Alesa lipara Bates, 1868, Alesa thelydrias Bates , 1868; And three neotypes established: Papilio amesis Cramer, 1777, Erycina prema Godart, [1824], Mimocastnia egeria Biedermann, 1936. Keywords: Dichotomous Key, Eurybiini, Riodininae, Taxonomy.
4

Helmintos de quirópteros da região Centro-Oeste do estado de São Paulo

Cardia, Daniel Fontana Ferreira [UNESP] 07 December 2012 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2014-06-11T19:32:51Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2012-12-07Bitstream added on 2014-06-13T20:24:14Z : No. of bitstreams: 1 cardia_dff_dr_jabo.pdf: 2910916 bytes, checksum: 3f70fd080a4c82de31b109a17ad81f6b (MD5) / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) / O Brasil possui uma das maiores diversidades de quirópteros do planeta, entretanto apesar do grande número de espécies distribuídas por todo território nacional, pouco se sabe sobre alguns aspectos da biologia destes mamíferos. Pesquisas referentes à fauna parasitária destes animais, especialmente de seus helmintos, ainda são escassas no país. Diante disso, o presente estudo objetivou identificar a helmintofauna de quirópteros, provenientes da região Centro- Oeste do Estado de São Paulo. Para isto, foram realizadas análises morfológicas e biométricas dos diferentes grupos de helmintos, colhidos durante a necropsia de 340 morcegos de várias espécies, previamente recolhidos pelos Serviços Municipais de Controle de Zoonoses da referida região para vigilância epidemiológica da raiva. Foram identificadas 12 espécies de helmintos, dentre as quais oito eram de nematódeos, três de digenéticos e uma de cestódeo. Seis das espécies de helmintos analisadas apresentaram novos registros de hospedeiro na região Neotropical e cinco no Brasil. Duas espécies foram registradas pela primeira vez no território nacional e três no Estado de São Paulo. Além disso, o nematódeo Pterygodermatites (Paucipectines) andyra n. sp. foi descrita como uma nova espécie / Brazil has one of the highest diversities of chiropteran of the world, however despite the large number of species distributed throughout the national territory, little is known about some aspects of the biology of these mammals. Researches related to parasitic fauna of these animals, especially helminths, are still scarce in the country. Thus, the present study aimed to identify the helminth fauna of bats, from Midwest Region of São Paulo State. For this, biometric and morphological analyzes were performed in the different groups of helminths, collected during the necropsy of 340 bats of various species, previously collected by Municipal Disease Control Services of this region for rabies epidemiological surveillance. Twelve of helminths were identified, which eight were nematodes, three of digeneans and one of cestodes Six species of helminths analyzed had new host records in the Neotropical region and five in Brazil. Two species were recorded for the first time in the country and three in the state of São Paulo. Also, the nematode Pterygodermatites (Paucipectines) andyra n. sp. was described as a new species
5

Caracterização citogenética de populações de crisopídeos (Neuroptera: Chrysopidae) de ocorrência em Jaboticabal, SP

Lopes, Amália Torrezan [UNESP] 27 February 2012 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2014-06-11T19:25:18Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2012-02-27Bitstream added on 2014-06-13T19:11:54Z : No. of bitstreams: 1 lopes_at_me_jabo.pdf: 1243839 bytes, checksum: 8708fa8a3a2a924bf7100eb2b3992e01 (MD5) / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) / A família Chrysopidae, pertencente à ordem Neuroptera, é a mais numerosa, compreendendo mais de 1200 espécies válidas, distribuídas em várias regiões do mundo, principalmente na Neotropical. A classificação desta família em gêneros e espécies é baseada em estudos da morfologia externa e da genitália de machos e fêmeas adultos. No entanto tem-se buscado novas metodologias para auxiliar tanto na taxonomia, quanto no conhecimento da evolução. A citogenética é uma ferramenta bastante importante para o conhecimento da extensão da biodiversidade, pois a partir de diferenças presentes nos cromossomos podem-se distinguir grupos, bem como padrões de evolução. Assim, o objetivo deste estudo foi caracterizar citogeneticamente 18 espécies de crisopídeos de ocorrência em Jaboticabal – SP., quanto ao número diplóide, morfologia e tamanho dos cromossomos, sistema cromossômico sexual, e quando possível, analisar o comportamento meiótico. Os cromossomos foram obtidos a partir de preparações gonadais masculinas e femininas de indivíduos adultos e de embriões, submetidos à coloração convencional e fotografados com câmara MOTICAM acoplada a microscópio e software IMAGE da Motic. Das 18 espécies analisadas, somente em Chrysoperla defreitasi não foi possível observar o par heteromórfico, no entanto as demais espécies exibiram sistema sexual do tipo XY/XX. O número diplóide variou entre 2n=16 nas espécies do gênero Leucochrysa a 2n=6 em Chrysopodes delicata, e esta diferença refletiu na morfologia cromossômica e permitiu diferenciar algumas das espécies. Nas espécies em que foram obtidas células meióticas observou-se a formação de bivalentes autossômicos com quiasmas terminais e univalentes sexuais assinápticos e aquiasmáticos / The family Chrysopidae, belonging to the Neuropteran order, is the most numerous, comprising more than 1200 valid species, distributed in various regions of the world, mainly in the Neotropical. The classification of this family into genera and species is based on the study of external morphology and male and female adults genitalia. However, new methods to assist the taxonomy and the evolution have been studied. The cytogenetic is a very important tool for to understand the extent of biodiversity, because the differences in the chromosomes can be distinguished group, and pattern of evolution. The objective of this study was to perform cytogenetic analysis of 18 species of green lacewings of occurrence in the city of Jaboticabal – SP, characterizing them as to the diploid number, shape and size of chromosomes, and when was possible, analyzed the meiotic behavior. The chromosomes preparations were obtained from adults male and female gonodals and embryos that were conventional stained and photographed with a MOTIC camera coupled in a microscope and software IMAGE from Motic. Of the 18 species analyzed, only Chrysoperla defreitasi was not possible to observe the heteromorphic pair, however the other species exhibited sexual system of the type XY / XX. The diploid number varied from 2n = 16 in the genus Leucochrysa to 2n = 6 in Chrysopodes delicata, and this difference reflected in chromosome morphology and allowed to differentiate some of the species. In the species in which meiotic cells had obtained it was possible observed the formation of autosomal bivalents with terminal chiasmata and univalents sex without chiasmata and synaptic
6

Revisão taxonômica e filogenia de Sclerostomini Benesh, 1955 (Coleoptera, Lucanidae, Lucaninae).

Grossi, Paschoal Coelho January 2011 (has links)
Orientadora : Profa. Dra. Lúcia Massutti de Almeida / Co-orientador : Prof. Dr. Fernando Zagury Vas de Mello / Tese (doutorado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Ciencias Biológicas (Entomologia). Defesa: Curitiba, 21/02/2011 / Bibliografia: fls. 144-148 / Área de concentração: Entomologia / Resumo: O presente trabalho é um estudo de Sclerostomini (Coleoptera: Lucanidae: Lucaninae) pertencente à subfamilia Lucaninae. Este estudo inclui por meio de análises filogenéticas com representantes da tribo e demais gêneros de Lucaninae da América do Sul e região Australiana de Lucaninae, excluindo-se os pertencentes à Chiasognathini, Casignetini e Brasilucanini. Com as análises foi possível definir quais táxons permaneceriam em Sclerostomini como um grupo monofilético. Os gêneros excluídos foram provisoriamente mantidos em Lucaninae incertae sedis e Macrocrates Burmeister transferido para Lucanini. Posteriormente foi realizada uma sinopse da tribo com chave para os gêneros, descrição dos mesmos, lista das espécies e material examinado. Dos 11 gêneros incluídos na tribo, seis são descritos como novos. Lectótipos, paralectótipos e um neótipo são designados, novos status para dois subgêneros de Sclerostomus Burmeister são propostos e novas combinações para 12 espécies são feitas. Scortizus Westwood é revisado e três das quatro espécies incluídas são transferidas para um gênero novo e é apresentada uma chave de identificação para as mesmas. Este gênero é provisoriamente alocado em Lucaninae incertae sedis e possui afinidades com outros táxons da região Andina. / Abstract: This is a study of the tribe Sclerostomini (Coleoptera: Lucanidae) which belongs to Lucaninae. A phylogenetic analysis with the representatives of the tribe and all Lucaninae genera from South America and Australia region was performed, excluding that of Chiasognathini, Casignatini and Brasilucanini. It was possible to define Sclerostomini as a monophyletic group and the genera which belong to the tribe. The genera excluded were leave provisionally in Lucaninae incertae sedis and Macrocrates was transferred to Lucanini. A synopsis of Sclerostomini was made with key for the genera, descriptions, species list and examined material. From the 11 genera, six were described as new. Lectotypes, paralectotypes and on neotype are designated, to subgenera reeived genera status, new status and 12 new combinations are presented. The genus Scortizus is revised, and three of the four species included in it are transferred to a new genus and a key for them is included. This new genus is provisory maintened in as Lucaninae incertae sedis and shares some characters with other Andean genera that are dicussed.
7

Diapriinae (Hymenoptera, Diapriidae) da estação ecológica de Jatí, no município de Luiz Antônio

Oliveira, Ana Lígia Santos de [UNESP] 27 February 2014 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2014-12-02T11:16:52Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2014-02-27Bitstream added on 2014-12-02T11:21:17Z : No. of bitstreams: 1 000792443.pdf: 1729288 bytes, checksum: 9c3a4e96a5de5e9964964b181354eda5 (MD5) / Diapriidae é cosmopolita e composta por cerca de 200 gêneros e duas mil espécies distribuídas por três subfamílias: Diapriinae, Belytinae e Ambositrinae. Para o Brasil são relatados cerca de 30 gêneros e 80 espécies. Diapriinae agrupa 50 gêneros distribuídos em três tribos: Psilini, Spilomicrini e Diapriini. Este estudo teve como objetivo identificar os Diapriinae coletados em áreas de Cerrado, Cerradão e Mata Ciliar na Estação Ecológica de Jataí (EEJ), em Luiz Antônio, SP, Brasil; As amostragens foram realizadas na EEJ com armadilhas Malaise e Moericke, durante dezembro de 2006 a novembro de 2009. o material biológico coletado foi encaminhado ao Laboratório de Sistemática e Bioecologia de Parasitoides e Predadores (LSBPP) da APTA, em Ribeirão Preto, SP triados e identificados com o auxilio de Masner e Garcia (2002). Foram obtidos 2610 (1621 fêmeas/62,1% e 989 machos/37,9%) exemplares de Diapriinae de 20 gêneros, dentre os quais 634 exemplares de Doliopria Kieffer (24,29% do total coletado), 492 de Coptera Say (18,85%), 323 de Trichopria Ashmead (12,38%), 306 de Idiotypa Förster (11,72%), 297 de Acanthopria Ashmead (11,38%), 281 de Basalys Westwood (10,77%), 192 de Spilomicrus Westwood (7,36%), 19 de Leucopria Masner & Garcia (0,73%), 18 de Entomacis Förster (0,69%), 11 de Szelenyiopria Fabritius (0,42%), dez de Monelata Förster (0,38%), oito de Megaplastopria Ashmead (0,31%), cinco de Ortona Masner & Garcia (0,19%), três de Caecopria Masner e de Pentapria Kieffer (0,11% cada), dois de Mimopria Holmgren, de Omopria Masner & Garcia e de Paramesius Westwood (0,08% cada) e um de Labidopria Wasmann e de Mimopriella Masner & Garcia (0,04% cada). As armadilhas Malaise capturaram 1378 espécimes de Diapriinae (52,8% do total coletado), resultado que diferiu estatisticamente (p< 0,0001) dos observados com as armadilhas Moericke 1232 (47,2%). A maior quantidade de ... / Diapriidae is cosmopolitan, include about 200 genera e 2000 species described in three subfamilies: Diapriinae, Belytinae e Ambositrinae. To Brazil are described about 30 genera e 80 species. Diapriinae get into 50 genera in three tribes: Psilini, Spilomicrini e Diapriini. This research aimed to study the Diapriinae of Brazilian savannah, riparian vegetation and savannah woodland vegetation from Estação Ecológica de Jataí (EEJ), Luis Antonio municipality, at São Paulo State, Brazil; In each ambient, the samples were taken with two Malaise traps (Townes 1972) and two sets of five yellow pan traps, between December 2006 and November 2009, the biological material was sent to the Laboratório de Sistemática e Bioecologia de Parasitoides e Predadores (LSBPP) da APTA, Ribeirão Preto, SP, where were identified the subfamilies and genera of Diapriidae through the identification keys proposed by Masner e Garcia (2002). Were collected 2610 (1621 female /62,1% e 989 male /37,9%) of Diapriinae of 20 genera, among which 634 of Doliopria Kieffer (24,29% of the total collected), 492 Coptera Say (18,85%), 323 Trichopria Ashmead (12,38%), 306 Idiotypa Förster (11,72%), 297 Acanthopria Ashmead (11,38%), 281 Basalys Westwood (10,77%), 192 Spilomicrus Westwood (7,36%), 19 Leucopria Masner & Garcia (0,73%), 18 Entomacis Förster (0,69%), 11 Szelenyiopria Fabritius (0,42%), 10 Monelata Förster (0,38%), 8 Megaplastopria Ashmead (0,31%), 5 Ortona Masner & Garcia (0,19%), 3 Caecopria Masner and Pentapria Kieffer (0,11% each), 2 Mimopria Holmgren, 2 Omopria Masner & Garcia and 2 Paramesius Westwood (0,08% each) and 1 Labidopria Wasmann and 1 Mimopriella Masner & Garcia (0,04% each). The Malaise trap captured 1378 of Diapriinae (52,8% of the total collected), result that was statistically different (p< 0,0001) of the observed with yellow pan traps 1232 (47,2%). The largest amount of Diapriinae was ...
8

Revisão taxonômica e sistemática de Oxyrhopus clathratus Duméril, Bibron & Duméril, 1854 (Serpentes, Dispsadidade; Pseudoboini)

Bernardo, Pedro Henrique [UNESP] 30 August 2010 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2014-06-11T19:30:15Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2010-08-30Bitstream added on 2014-06-13T20:00:13Z : No. of bitstreams: 1 bernardo_ph_me_rcla.pdf: 1252827 bytes, checksum: 24bf722fe04ba70f96f8ab461b5d4568 (MD5) / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) / Oxyrhopus clathratus é uma serpente com distribuição restrita à Mata Atlântica que apresenta grande variação de coloração, de forma do hemipênis e folidose. Estas variações foram por muito tempo mal compreendidas, causando problemas na identificação, reconhecimento e sinonímia de diferentes espécies. Este estudo analisou material de toda a distribuição geográfica da espécie e a série tipo, buscando avaliar pela primeira vez como estas e outras variações intraespecíficas ocorrem em O. clathratus analisando separadamente cada variável em relação à geografia e à altitude, explicando como estas diferenças se comportam dentro da espécie e se justificam a separação em mais de uma espécie. O resultado destas análises revelou que O. clathratus é uma única espécie com diversas variações intraespecíficas como a presença de três distintos padrões de coloração (Melânico, Melânico com bandas e Bandado) que se sobrepõe geograficamente, com indivíduos melânicos e com menos bandas tendendo a se concentrar ao sul do transecto; o hemipênis com ornamentação padrão, porém com freqüente variação entre as formas “T” e “Y”, que ocorrem sem estruturação geográfica ou altitudinal; escama loreal geralmente ausente sendo esta uma característica única de O. clathratus em relação às demais espécies do gênero. A comparação destas variações com a série tipo da espécie, e a comparação entre os dois sintipos, levou à determinação do lectótipo e paralectótipo da espécie / Oxyrhopus clathratus is a snake which presents restrict distribution on the South America Atlantic Forest and presents a great variable pattern of body color, shape of the hemipenis and pholidosis. These variations have long been misunderstood, causing problems in identification, recognition and synonymy of different species. This study examined material from all the geographical distribution of the species and the type series, seeking for the first time how these and other intraspecific variation occurs in O. clathratus analyzing each variable separately in relation to geography and altitude, explaining how these differences behave within the species and if they justify the separation in more than one species. The result of the analysis showed that O. clathratus is a single species with several intraspecific variations shuch as the presence of three distinct body color patterns (body melanic, body melanic with bands and body with bands) that overlap themselves geographically, with melanic individuals and individuals with less number of bands tending to concentrate on the south of the transect; the hemipenis presents a general patter of ornamentation, but with frequent variation between the T-shape” and Y-shape forms, which occur without geographical or altitudinal structuring; loreal scales usually absent being this an O. clathratus’s unique feature in relation to all other species of the genus. The comparison of these variations with the type series of species, and a comparison between the two syntypes, led to the determination of the lectotype and paralectotype of the species
9

Morfologia do primeiro estágio juvenil de quatro espécies de caranguejos Leucosioidea (Crustacea: Decapoda: Brachyura), com proposta de padronização para as descrições dos estágios iniciais em Decapoda

Degani, Eduardo [UNESP] 28 February 2014 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2015-06-17T19:33:59Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2014-02-28. Added 1 bitstream(s) on 2015-06-18T12:47:40Z : No. of bitstreams: 1 000831303.pdf: 3601378 bytes, checksum: 7a2af7b5531f4dd75e7ece6049a649dc (MD5) / Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) / Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) / Morfologia dos estágios iniciais do ciclo de vida dos crustáceos são muito importantes para o estabelecimento de suas relações ecológicas, taxonômicas e filogenéticas. Este estudo descreve a morfologia do primeiro estágio juvenil de Persephona liechtensteinii, P. mediterranea, P. punctata e Ebalia stimpsoni. Larvas na fase de megalopa foram obtidas do neuston de Ubatuba (SP) e criadas isoladamente, em laboratório, até o tamanho que permite a correta identificação das espécies. Posteriormente, exúvias do primeiro estágio juvenil foram dissecadas sob estereomicroscópio e foram feitos desenhos e medidas sob um microscópio óptico provido de câmara clara. As diferenças morfológicas registradas foram: cerdas plumosas marginais no telso de P. liechtensteinii com cerdas simples na superfície; ausência de cerdas na base da antena em P. punctata; uma cerda simples no protopodito da maxílula em E. stimpsoni; uma cerda plumosa no endopodito da maxila em P. mediterranea; uma cerda simples no endito coxal da maxila em P. punctata; 2 cerdas simples no epipodito do 3º maxilípede em P. liechtensteinii; diferentes tipos de cerdas no exopodito do 3º maxilípede: 8 cerdas do tipo espátula em P. mediterranea, 9-10 plumodenticuladas em P. punctata, 23-25 simples na superfície e 28-29 plumosas marginais longas em P. liechtensteinii, e 7 simples curtas (espiniforme) em E. stimpsoni. As características compartilhadas entre essas espécies foram: carapaça arredondada com pequenos grânulos espalhados e, exceto em E. stimpsoni, 3 espinhos granulosos na margem posterior / Morphology of the initial stages of crustacean life cycle is very important to the establishment of their ecological, taxonomical and phylogenetic relationships. This study describes the morphology of the first juvenile stage of Persephona liechtensteinii, P. mediterranea, P. punctata and Ebalia stimpsoni. Larvae on the megalopa stage were obtained from the neuston of Ubatuba, SP, and reared individually in laboratory until they reached a size that allowed the correct identification of their species. Afterwards, exuvia from the first juvenile were dissected under stereomicroscope and drawings and measurements, under optical microscope, equiped with camara lucida. Some of the morphological differences observed were: marginal plumose setae on the telson of P. liechtensteinii with simple setae on the surface; absence of setae on the base of the antenna in P. punctata; a simple seta on the protopod of the maxillule of E. stimpsoni; a plumose seta on the endopod of the maxilla in P. mediterranea; a simple seta on the coxal endite of the maxilla in P. punctata; 2 simple seta on the epipod of the 3rd maxilliped in P. liechtensteinii; different types of setae on the exopod of the 3rd maxilliped: 8 spatulate in P. mediterranea, 9-10 plumodenticulate in P. punctata, 23-25 simple on the surface and 28-29 marginal long plumose in P. liechtensteinii, and 7 small simple in E. stimpsoni. The shared characters between these species were: a rounded carapace with small granules equally sparse and, with the exception of E. stimpsoni, 3 granulous spines on the posterior margin / FAPESP: 04/15194-6
10

Variação do canto de Thamnophilus Doliatus (Linnaeus, 1764) (Aves: Thamnophilidae) em diferentes regiões da América Latina

Catalano, Ana Luiza Camargo [UNESP] 03 March 2015 (has links) (PDF)
Made available in DSpace on 2015-08-20T17:10:00Z (GMT). No. of bitstreams: 0 Previous issue date: 2015-03-03. Added 1 bitstream(s) on 2015-08-20T17:26:02Z : No. of bitstreams: 1 000840982.pdf: 1252667 bytes, checksum: 7069bb98ea402999ba81d7d978408194 (MD5) / Este trabalho teve como objetivo analisar e comparar as vocalizações entre indivíduos e subespécies de Thamnophilus doliatus de diferentes localizações da América Latina. Foram analisados 280 cantos de 140 indivíduos diferentes, e as variáveis levadas em consideração foram: número de notas, duração do trecho em sequência, taxa de notas por segundo, frequência de pico total do trecho, duração da nota terminal e frequência de pico da mesma. Os cantos também foram divididos em porções para se calcular a variação de velocidade e de tonalidade (frequência) ao longo dos trechos. As características do canto foram correlacionadas com dados geográficos como latitude, longitude e altitude a fim de se conferir se existe alguma padronização com a localização, e a amostra também foi agrupada em subespécies de acordo com suas localizações para comparações. As variáveis analisadas foram fortemente correlacionadas com a latitude, indicando que indivíduos de localização equatorial emitem cantos com mais notas, mais longos, mais rápidos e com uma nota terminal mais grave do que aqueles localizados ao sul da distribuição. As variáveis também foram correlacionadas com a longitude, incluindo também a frequência de pico. Foram identificadas sete subespécies de acordo com as localidades em que foram gravadas, porém apenas cinco foram utilizadas para comparações. Resultados mostraram uma separação das subespécies intermedius e radiatus pelas significativas diferenças no número de notas, duração do trecho, taxa de notas por segundo e frequência de pico. Também foram feitas comparações com a recém-separada espécie Thamnophilus capistratus, e só foram encontradas diferenças significativas na nota terminal e na variação de frequência ao longo do trecho. Devido às características do canto se mostrarem mais próximas entre diferentes espécies (T. doliatus e T. capistratus), que entre as subespécies de... / The aim of this study was to analyze and to compare vocalizations of individuals of the species Thamnophilus doliatus from different locations of Latin America. 280 loudsongs from 140 individuals were analyzed and the variables taken into account were the following: number of notes, duration of the sequenced patch, note rate (notes per second), overall peak frequency, duration of the terminal note, and peak frequency of the terminal note. The loudsongs were also divided into portions in order to measure the variation of note rate (speed) and pitch (frequency) along the patch. The loudsong characteristics were correlated with geographic factors such as latitude, longitude and altitude to check if there is any acoustic pattern with the location. Also, the sample was clustered into subspecies for comparisons. The analyzed variables were strongly correlated with latitude, where individuals from equatorial locations had loudsongs with more notes, longer in duration, faster in note rate and a terminal note lower in peak frequency. The variables also appeared to be significantly correlated with longitude, including as well the overall peak frequency. Seven subspecies were identified according to their locations, however, only five of them were used for comparisons. Results showed a separation of the intermedius and radiatus subspecies due to their significant divergence in number of notes, patch duration, note rate and peak frequency. Comparisons with the recently separated species Thamnophilus capistratus were also made and no significant variation were found in the number of notes and total duration, but there were differences in note rate, overall peak frequency, peak frequency and duration of the terminal note. Because song characteristics between the different species (T. doliatus and T. capistratus) presented to be more similar than among the subspecies of T. doliatus, raises the question of the existence of more than one species within ...

Page generated in 0.0775 seconds