• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 9
  • 1
  • Tagged with
  • 10
  • 9
  • 5
  • 4
  • 3
  • 3
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Potencial do ácido hialurônico e triancinolona acetonida, isolados e combinados, na diferenciação condrogênica de células tronco mesenquimais

Ocampo, Pablo Eduardo January 2018 (has links)
Orientador: Sheila Canevese Rahal / Resumo: O estudo foi dividido em duas abordagens. Na primeira efetuou-se uma revisão sobre alguns aspectos da cartilagem articular (generalidades e histogênese), patogênese da osteoartrite, bem como algumas possibilidades de tratamentos intra-articulares. Na segunda foi desenvolvido estudo experimental que teve por objetivos avaliar o comportamento do ácido hialurônico (AH) e da triancinolona acetonida (TA), utilizados de forma isolada ou combinada, no processo de diferenciação condrogênica de células tronco mesenquimais (CTMs) in vitro. Foram utilizadas CTMs equinas pertencentes a um banco celular em terceira passagem. Os pellets de CTMs foram divididos equitativamente, sendo estabelecidos quatro grupos, cada um com três amostras: Controle, AH, TA e AH/TA. O cultivo foi mantido por 14 dias. O potencial de diferenciação condrogênica foi analisado mediante avaliação histomorfologica, produção de GAG e imunohistoquímica. Histomorfologicamente o grupo AH/TA e, mais especificamente no AH, as células apresentaram características semelhantes ao tecido articular. A produção de GAG foi intensa para o Grupo Controle, moderada para o AH/TA, e mínima para os grupos TA e AH. Nos grupos controle e TA as células não apresentaram morfologia similar a condrócito. No dia 14, nenhum grupo teve marcação superior para colágeno tipo II quando comparada com o controle. A matriz extracelular dos grupos AH e AH/TA teve marcação mais intensa para colágeno tipo II do que os grupos TA e controle. De uma forma ... (Resumo completo, clicar acesso eletrônico abaixo) / Mestre
2

Expressão do fator de transcrição HIF - 1'alfa' em condrocitos humanos cultivados em condições normais de oxigenio / Expression of hypoxia inducion factor 1 'alfa' in human chondrocytes cultivated in normoxia

Andrade, Andre Luis Lugnani de 31 August 2006 (has links)
Orientador: Ibsen Bellini Coimbra / Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciencias Medicas / Made available in DSpace on 2018-08-07T22:55:15Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Andrade_AndreLuisLugnanide_M.pdf: 2450375 bytes, checksum: f33edb219ba25e56f663f1256a99bbeb (MD5) Previous issue date: 2006 / Resumo: Introdução: Os condrócitos da cartilagem articular vivem em um ambiente com baixa concentração de oxigênio. Nestas condições, a proteína do fator induzido por hipóxia (HIF-1a) mantém-se estável e ativa genes que são fundamentais na homeostase do oxigênio. A expressão do HIF-1a aumenta, em joelhos com osteoartrite (OA), principalmente nas áreas mais afetadas pela degeneração. Os condrócitos são capazes de produzir mediadores inflamatórios, como a interleucina-1 (IL-1) e o fator de necrose tumoral a (TNF-a), que estimulam a produção de prostaglandinas, metaloproteinases e óxido nítrico e relacionam-se com o início e com a progressão da osteoartrite. Os antiinflamatórios são drogas freqüentemente utilizadas no tratamento sintomático da OA. Material e Método: condrócitos humanos de joelhos osteoartríticos cultivados em suspensão e em condições normais de oxigênio foram divididos em quatro grupos: 1) controle, 2) estimulados com IL-1 ou TNF-a, 3) estimulados com meloxicam ou parecoxibe e 4) estimulados com meloxicam ou parecoxibe associados a IL-1 ou TNF-a. Os grupos foram submetidos à extração de RNA (ácido ribonucléico) e de proteína nuclear. O RNA foi convertido em cDNA, sendo então realizada a reação de PCR em tempo real para verificar a expressão do HIF-1a. As proteínas nucleares foram extraídas, quantificadas e analisadas pela técnica de Western Blotting. Resultados: Foi detectada a expressão de HIF-1a e cDNA de HIF-1a em todos os grupos de condrócitos cultivados em suspensão em tensões normais de oxigênio, não havendo diferenças significativas entre os grupos. Discussão: a meia-vida do HIF-1a é extremamente curta em normóxia e marcadamente prolongada em hipóxia, por isso muitos pesquisadores acreditam não ser possível a detecção da proteína do HIF-1a em condrócitos cultivados em condições normais de oxigênio. Neste estudo foi possível constatar a expressão do HIF-1a em normóxia, possivelmente devido ao modelo de cultura utilizado. O estímulo com IL-1, TNF-a e inibidores da COX-2 não alterou a expressão de HIF-1a. Condrócitos oriundos de articulações osteoartríticas avançadas poderiam apresentar resistência à ação das citocinas / Abstract: Introduction: The chondrocytes of joint surface live in low concentration of oxygen environment. In this condition, the hypoxia inducible factor 1 a (HIF-1a) becomes stable and regulates the expression of genes that are important for oxygen homeostasis. The expression of HIF-1a mRNA is augmented in chondrocytes from osteoarthritic knees, especially in more degenerated areas. Chondrocytes are capable of producing inflammatory mediators, such as interleukin 1 (IL-1) and tumoral necrosis factor a (TNF-a), that stimulate the production of prostaglandin, metalloproteinases and nitric oxide, correlated with the onset and progression of osteoarthritis. Antiinflammatory drugs are frequently used in the treatment of symptoms of osteoarthritis. Material e Methods: human chondrocytes from osteoarthritic knees were cultivated in suspension and in normal tension of oxygen. The cells were divided in 4 groups: control, stimulated with IL-1 or TNF-a, stimulated with meloxicam or parecoxib and the last one stimulated with meloxicam or parecoxib and IL-1 or TNF-a. Nuclear protein and RNA were extracted from these cells. cDNA was synthesized from RNA and real time PCR was performed with this product in order to determine HIF-1a expression. Nuclear protein was analyzed using the Western-Blotting method. Results: HIF-1a and HIF-1a mRNA was detectable in all cell groups, and there was not a statistic significant difference between them. Discussion: As half live of HIF-1a is extremely short when in normoxic and greater in hypoxic conditions, many researchers believe it is not possible to detect this protein in chondrocytes cultivated in normoxic environment. Our results presented expression of HIF-1a in normal oxygen tensions, probably due to the fact that chondrocytes were cultivated in suspension. As chondrocytes were obtained from advanced osteoarthritic knees and in such conditions the cells can be more resistant to the action of cytokines, this could explain why IL-1, TNF-a and antiinflamatory did not result in modification of HIF-1a / Mestrado / Clinica Medica / Mestre em Clinica Medica
3

Avaliação morfofuncional e ultraestrutural do desenvolvimento da articulação do quadril em fetos humanos / Morphofunctional and ultrastructural evaluation of hip joint development in human fetuses

Simões, Mariane Cristina Donato 13 September 2018 (has links)
O desenvolvimento da articulação do quadril tem sido de intenso interesse devido à escassa informação acerca dos aspectos morfológicos e ultraestruturais em fetos humanos de diferentes faixas etárias. Pretende-se avaliar os aspectos morfofuncionais e ultraestruturais do desenvolvimento da cartilagem articular da epífise da cabeça do fêmur. Foram utilizados 20 fetos humanos de idades compreendidas entre 16 a 31 semanas de vida intra uterina (VIU), fixados em solução de formol a 10% e conservados em glicerina. Os fetos foram divididos em 4 grupos (n=5): grupo 1 (G1): 16-19 semanas VIU; grupo 2 (G2): 20-23 semanas VIU; grupo 3 (G3): 24-27 semanas VIU e grupo 4 (G4): 28-31 semanas VIU. Os espécimes foram divididos em uma metade anterior e outra, posterior através de um corte frontal em sua parte média. Os antímeros direitos foram processados através da microscopia de luz para análise quantitativa a fim de determinar a área, a densidade dos condrócitos e de matriz extracelular (MEC), e o volume e para análise qualitativa a fim de determinar a distribuição e organização das fibras colágenas na MEC através da coloração da Safranina-O e do Picro-sirius. Os antímeros esquerdos foram submetidos à microscopia eletrônica de varredura. Foram encontradas diferenças significantes entre os grupos com o aumento da área e do volume de condrócitos com a avanço das idades de forma gradativa. Quanto maior a faixa etária, menor o número de condrócitos, e maior a densidade percentual de matriz extracelular. Através da microscopia eletrônica de varredura (MEV), na superfície da epífise, a organização e orientação das fibras de colágeno mudaram nos diferentes grupos, de uma orientação irregular no grupo de fetos mais jovens, para uma organização pantográfica no grupo de fetos mais desenvolvidos. Conhecer a organização e o desenvolvimento normal cartilagíneo da cabeça do fêmur contribui com conhecimentos morfológicos para entender melhor a maturação do colágeno nos locais de reparo dos tecidos e embasar aspectos relacionados a doenças e malformações da articulação. / The development of the hip joint has been of intense interest due to the scarce information about the morphological and ultrastructural aspects in human fetuses of different age groups. It is intended to evaluate the morphofunctional and ultrastructural aspects of the development of the articular cartilage of the epiphysis of the femoral head. Twenty human fetuses aged between 16 and 31 weeks of intrauterine life (IUL), fixed in 10% formalin solution and preserved in glycerin, were used. Fetuses were divided into 4 groups (n = 5): group 1 (G1): 16-19 weeks VIU; group 2 (G2): 20-23 weeks VIU; group 3 (G3): 24-27 weeks VIU and group 4 (G4): 28-31 weeks VIU. The specimens were divided into an anterior half and a posterior one through a frontal cut in the middle part. The right antimers were processed by light microscopy for quantitative analysis to determine the area, chondrocyte density and extracellular matrix (ECM), and volume and for qualitative analysis in order to determine the distribution and organization of collagen fibers in MEC through the staining of Safranin-O and Picrosirius. The left antimers were submitted to scanning electron microscopy. Significant differences were found between groups with increasing area and volume of chondrocytes with advancing age gradually. The higher the age group, the lower the number of chondrocytes, and the higher the percentage density of extracellular matrix. Through scanning electron microscopy (SEM), on the surface of the epiphysis, the organization and orientation of the collagen fibers changed in the different groups, from an irregular orientation in the group of younger fetuses, to a pantographic organization in the group of more developed fetuses. Knowing the normal organization and development of the cartilaginous head of the femur contributes with morphological knowledge to better understand the maturation of collagen in the tissue repair sites and to support aspects related to diseases and malformations of the joint.
4

Condrogenese a partir de celulas Mesenquimais do cordão umbilical humano estimuladas com IGF-1, TGF-'beta' 3, BMP-6 e BMP-2 em sistema de cultura monolayer e micromass / Chondrogenesis from Human Umbilical Cord Blood Mesenchymal Cells stimulated with TGF-beta3, IGF-1, BMP-2 and BMP-6

Mara, Cristiane Sampaio de 14 August 2018 (has links)
Orientador: Ibsen Bellini Coimbra / Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciencias Medicas / Made available in DSpace on 2018-08-14T21:46:11Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Mara_CristianeSampaiode_D.pdf: 1385801 bytes, checksum: b23144f0f1856aa53731ad5cb632b9bb (MD5) Previous issue date: 2009 / Resumo. O sangue do cordão umbilical contem células tronco mesenquimais (CTM) indiferenciadas que tem potencial condrogênico e podem ser usadas para reparo de lesão articular. Durante o processo de condrogênese, a atuação de fatores de crescimento ainda não está totalmente elucidada. Este estudo teve como objetivo avaliar a formação de condrócitos, matriz cartilaginosa e colágeno tipo II a partir de células do sangue do cordão umbilical humano, expondo-as a quatro diferentes fatores de crescimento: TGF-ß3, IGF-1, BMP-2 e BMP-6 e cultivando-as em micromass e monolayer. Métodos: Sangue do cordão umbilical foi obtido de gestantes a termo. Células mononucleares foram separadas e colocadas em cultura, para expansão, caracterizadas por citometria de fluxo com anticorpos específicos para CTM e induzidas a diferenciação condrogênica, com TGF-ß3, IGF-1, BMP-2 e BMP-6 em micromass e monolayer. O fenótipo das células foi avaliado após 21 dias por RT-PCR e Western Blotting para identificação de Colágeno tipo II, Sox-9 e Agrecano. Resultados: As células expandidas foram caracterizadas como mesenquimais. A expressão do mRNA para colágeno tipo II e agrecano foi expresso a partir do 14º dia, nas células estimuladas com TGF-ß3, IGF-1, BMP-2 e BMP-6. O fator de transcrição SOX-9 foi expresso pelas células estimuladas com TGF-ß3, IGF-1 e BMP-2, o que mostra que estes fatores de crescimento estão associados com a condrogênese de condrócitos articulares, enquanto que a BMP-6 esta associada a condrogênese de condrócitos hipertróficos. No Western Blotting, nós encontramos colágeno tipo II em todos os grupos e a maior expressão foi observada no 14º dia nas células estimuladas com TGF-ß3 em sistema de cultura em micromass. Estes resultados mostram que o TGF-ß3 usado em micromass é o melhor fator de crescimento para promover a diferenciação e proliferação celular das células mesenquimais do sangue do cordão umbilical. Embora mais estudos sejam necessários, este fato nos aproxima de uma alternativa para transplantes autólogos. / Abstract. Umbilical cord blood contains undifferentiated mesenchymal stem cells (MSCs) with chondrogenic potential that may be used for the repair of joint damage. The role of growth factors during the process of chondrogenesis is still not entirely understood. The objective of this study was to evaluate the formation of chondrocytes, cartilaginous matrix and type II collagen from human umbilical cord blood stem cells exposed to four different growth factors, TGF-ß3, IGF-1, BMP-6 and BMP-2, while being cultured as a micromass or a monolayer. Umbilical cord blood was obtained from full-term deliveries, and then mononuclear cells were separated and cultured for expansion. Afterwards, these cells were induced to chondrogenic differentiation in micromass and monolayer cultures supplemented with TGF-ß3, IGF-1, BMP-2 and BMP-6. Cellular phenotype was evaluated after 7, 14 and 21 d by RT-PCR and western blot analysis to identify type II collagen, Sox- 9 and Aggrecan. The expanded cells displayed surface antigens characteristic of mesenchymal progenitor cells and were negative for hematopoietic differentiation antigens. Type II collagen and aggrecan mRNAs were expressed from day 14 in cells stimulated with TGF-ß3, IGF-1, BMP-2 or BMP-6. The Sox-9 transcription factor was expressed in cells stimulated with TGF-ß3, IGF-1 and BMP-2, which demonstrates those are associated with chondrogenesis in joint chondrocytes while BMP-6 is associated with the chondrogenesis of hypertrophic chondrocytes. Type II collagen was demonstrated by western blotting in all groups, and the greatest expression was observed 14 d after cells were stimulated with TGF. The results of this study demonstrate that TGF-ß3 used in micromass culture is the best growth factor for promoting the proliferation and differentiation of mesenchymal cells from UCB during chondrogenesis. Although more studies are needed, this approach may provide an alternative to autologous grafting. / Doutorado / Ciencias Basicas / Doutor em Clínica Médica
5

Involvement of P2X3 and P2X7 purinergic receptors in inflammatory articular hyperalgesia in the knee joint of rats and the study of the peripheral mechanisms involved = Participação dos receptores purinérgicos P2X3 e P2X7 na hiperalgesia inflamatória articular em joelho de ratos e o estudo dos mecanismos periféricos envolvidos / Participação dos receptores purinérgicos P2X3 e P2X7 na hiperalgesia inflamatória articular em joelho de ratos e o estudo dos mecanismos periféricos envolvidos

Teixeira, Juliana Maia, 1984- 25 August 2018 (has links)
Orientador: Cláudia Herrera Tambeli / Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Biologia / Made available in DSpace on 2018-08-25T14:36:32Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Teixeira_JulianaMaia_D.pdf: 23889164 bytes, checksum: c8f281ea2cb5d4c68fb62ac535731385 (MD5) Previous issue date: 2014 / Resumo: A osteoartrite (OA) é uma doença degenerativa e progressiva, caracterizada pela degradação da cartilagem que reveste as extremidades ósseas e inflamação da membrana sinovial, causando incapacidade física, inchaço articular e dor. Embora o alívio da dor severa seja o principal objetivo no tratamento agudo, pouco se sabe sobre os mecanismos envolvidos no desenvolvimento da dor na OA. Estudos demonstram a participação do ATP (adenosina 5¿-trifosfato) em processos de hiperalgesia através da ativação dos receptores purinérgicos P2X3, P2X2/3 e P2X7. Portanto, os objetivos deste estudo foram: (1) investigar a participação dos receptores P2X3, P2X2/3 e P2X7 na hiperalgesia articular em modelo de artrite na articulação do joelho de ratos machos e fêmeas em estro e se há diferenças sexuais no efeito induzido pelos antagonistas de receptores P2X3, P2X2/3 e P2X7. (2) testar a hipótese de que a inflamação articular induzida pela carragenina aumenta a expressão do receptor P2X3 nos condrócitos da cartilagem articular da articulação do joelho de ratos. (3) verificar se o mecanismo pelo qual a ativação dos receptores P2X3, P2X2/3 e P2X7 contribui para a hiperalgesia articular depende da liberação prévia de citocinas pró-inflamatórias e da migração de neutrófilos. (4) investigar se a ativação dos receptores P2X3, P2X2/3 e P2X7 induz hiperalgesia na articulação do joelho de ratos dependente da liberação de mediadores inflamatórios. (5) testar a hipótese de que a ativação dos receptores P2X3, P2X2/3 e P2X7 contribui para a hiperalgesia articular induzida pelos mediadores inflamatórios: bradicinina, citocinas pró-inflamatórias, PGE2 e dopamina. Para os objetivos 1, 4 e 5, a hiperalgesia articular foi quantificada através do teste de Incapacitação Articular. Para o objetivo 2, foi utilizado o ensaio de imunofluorescência. Para os objetivos 3 e 4 foram utilizados os ensaios imuno-enzimáticos ELISA e MPO. Os resultados demonstram que a ativação dos receptores P2X3, P2X2/3 e P2X7 pelo ATP endógeno é essencial para o desenvolvimento da hiperalgesia articular induzida pela carragenina na articulação do joelho de ratos machos e fêmeas em estro, que são mais sensíveis do que os machos aos efeitos anti-hiperalgésicos e anti-inflamatórios induzidos pelo antagonista de receptor P2X7. Durante a inflamação articular induzida pela carragenina ocorre um aumento na expressão dos receptores P2X3 nos condrócitos da cartilagem articular. O papel dos receptores P2X3, P2X2/3 e P2X7 na hiperalgesia articular é mediado pela sensibilização indireta dos nociceptores aferentes primários, dependente da liberação prévia de citocinas pró-inflamatórias e da migração de neutrófilos. Além disso, a ativação dos receptores P2X3, P2X2/3 e P2X7 induz hiperalgesia articular dependente da liberação de bradicinina, aminas simpatomiméticas, prostaglandinas e citocinas pró-inflamatórias. Finalmente, a hiperalgesia articular induzida pelos mediadores inflamatórios bradicinina, PGE2 e dopamina depende da ativação de receptores P2X3 e P2X2/3, enquanto que a ativação de receptor P2X7 contribui para a hiperalgesia articular induzida pela bradicinina e dopamina. Concluindo, os resultados apresentados sugerem que os receptores P2X3, P2X2/3 e P2X7 são alvos farmacológicos interessantes para o tratamento das doenças inflamatórias articulares como a osteoartrite. Particularmente em relação ao receptor P2X7, antagonistas seletivos podem ser usados para reduzir a dor e inflamação no joelho, especialmente em mulheres / Abstract: Osteoarthritis (OA) is a degenerative and progressive disease, characterized by cartilage breakdown which covers the bone ends and by synovial membrane inflammation, causing disability, joint swelling and pain. The relief of severe pain is the main goal of the acute treatment, but little is known about the mechanisms involved in the development of pain in OA. It has been demonstrated the role of ATP (adenosine 5'-triphosphate) in processes of hyperalgesia through activation of purinergic receptors P2X3, P2X2/3 and P2X7. Therefore, the aims of this study were: (1) to investigate the role of P2X3, P2X2/3 and P2X7 receptors in articular hyperalgesia in the knee joint arthritis model in males and estrus females rats and, if so, whether there are sex differences in the effect induced by the selective P2X3, P2X2/3 and P2X7 receptors antagonists. (2) to test the hypothesis that the carrageenan-induced articular inflammation increases the expression of P2X3 receptor in chondrocytes of articular cartilage of the knee joint. (3) to verify whether the mechanism by which the P2X3, P2X2/3 and P2X7 receptors activation contributes to articular hyperalgesia depends on previous pro-inflammatory cytokines release and neutrophil migration. (4) to investigate whether the P2X3, P2X2/3 and P2X7 receptors activation induces articular hyperalgesia in the rat¿s knee joint which depends on release of inflammatory mediators. (5) to verify whether the activation of P2X3, P2X2/3 and P2X7 receptors contributes to the articular hyperalgesia induced by the inflammatory mediators bradykinin, pro-inflammatory cytokines, PGE2 and dopamine. For the aims 1, 4 and 5, the articular hyperalgesia was quantified by the rat knee joint Incapacitation Test. The immuno?uorescence method was used for the aim 2. For aims 3 and 4, the ELISA and MPO immunoenzymatic assays were used. The results demonstrate that P2X3, P2X2/3 and P2X7 receptors activation by endogenous ATP is essential for the development of carrageenan-induced articular hyperalgesia in the knee joint of male and estrus female rats, which are more sensitive than males to anti-hyperalgesic and anti-inflammatory effects induced by the P2X7 receptor antagonist. During carrageenan-induced joint inflammation occurs an increased of P2X3 receptors expression in chondrocytes of the articular cartilage. The essential role played by P2X3, P2X2/3 and P2X7 receptors in the development of articular hyperalgesia is mediated by an indirect sensitization of the primary afferent nociceptors dependent on the previous pro-inflammatory cytokines release and neutrophil migration. Moreover, the P2X3, P2X2/3 and P2X7 receptors activation induces articular hyperalgesia which depends on bradykinin, sympathomimetic amines, prostaglandins and pro-inflammatory cytokines release. Finally, the articular hyperalgesia induced by inflammatory mediators bradykinin, PGE2 and dopamine depends on the P2X3 and P2X2/3 receptors activation, while the P2X7 receptor activation contributes to the bradykinin- and dopamine-induced articular hyperalgesia. In conclusion, our results suggest that P2X3, P2X2/3 and P2X7 receptors are interesting pharmacological targets for the treatment of inflammatory joint diseases such as osteoarthritis. In particular, selective P2X7 receptor antagonists can be used to reduce inflammation and pain in the knee joint, especially in women / Doutorado / Fisiologia / Doutora em Biologia Funcional e Molecular
6

Os efeitos do laser terapêutico (λ=830NM) em modelo experimental de osteoartrite em ratos

Oliveira, Poliani de 28 February 2013 (has links)
Made available in DSpace on 2016-06-02T19:02:43Z (GMT). No. of bitstreams: 1 5751.pdf: 1870522 bytes, checksum: c62c3a70629b608363bff844d45283ba (MD5) Previous issue date: 2013-02-28 / Universidade Federal de Sao Carlos / Osteoarthritis (OA) is characterized as a chronic disease that affects synovial joints, causing degeneration and inflammation. Treatments for OA include painkillers and antiinflammatory drugs, physical exercises and, in the most serious cases, surgical interventions. Recently, can be emphasized the use of non-invasive technologies such as low level laser therapy (LLLT). In this context, the aim of this study was to evaluate the effects of LLLT on the metabolism of articular cartilage on the knees of rats in an experimental model of OA. Eighty-male rats (Wistar) were distributed into four groups: intact group (GI); injured control group (GC); injured laser treated group at 10J/cm2 (L10) and injured laser treated group at 50J/cm2 (L50). Animals were distributed into 2 subgroups, with different periods of sacrifice (5 and 8 weeks post-surgery). The anterior cruciate ligament transection (ACLT) was used to induce OA in the knee of rats. The LLLT (λ=830nm, 10 and 50J/cm2) started 2 weeks after the surgery and it was performed for 15 and 30 sessions. Qualitative and semi-quantitative histology, morphometry, immunohistochemistry and enzyme-linked immunosorbent Assay (ELISA) analysis were performed. The histological findings revealed that laser therapy modulated the progression of the degenerative process. However, laser therapy was not able of decreasing the degenerative process observed by the increased of Mankin score and cartilage thickness and it did not have any effect in the biomodulation of the expression of markers IL1β, TNF-α and MMP-13. Moreover, LLLT, at 50J/cm2 was able to increase the expression of cytokines IL-4 and IL-10. The results found in present study indicate that laser therapy 830 nm, modulate proliferation of chondrocytes in the experimental model of OA in rats but had no effect on the expression of cytokines IL-1β and TNF-α. The laser therapy 50J/cm2 LLLT was able in increasing serum expression of cytokines IL-4 and IL-10, favoring a regulatory effect of the inflammatory process. / A osteoartrite (OA) é caracterizada como uma doença crônica que afeta as articulações sinoviais causando degeneração e inflamação. O tratamento da OA consiste em drogas analgésicas e anti-inflamatórias, exercícios físicos e, em casos mais graves, intervenção cirúrgica. Mais recentemente, pode ser destacado o uso de tecnologias não invasivas como a terapia laser de baixa intensidade (LLLT). Com isso, o objetivo deste estudo foi avaliar os efeitos da LLLT no metabolismo da cartilagem articular do joelho de ratos submetidos a um modelo experimental de OA. Um total de 80 ratos machos (Wistar) foram distribuídos aleatoriamente em 4 grupos: grupo intacto (GI); grupo controle lesão (GC); grupo lesão tratado com laser na fluência de 10J/cm2 (L10) e grupo lesão tratado com laser na fluência de 50J/cm2 (L50). Os animais foram distribuídos em 2 subgrupos, com diferentes períodos de sacrifício (5 e 8 semanas pós-cirurgia). A transecção do ligamento cruzado anterior (TLCA) foi utilizada para induzir a OA no joelho dos ratos. O tratamento com laser de baixa intensidade (λ= 830nm, 10 e 50J/cm2) teve início 2 semanas após a cirurgia e foi realizado em 15 ou 30 sessões. Para avaliar os efeitos do laser no processo osteoartrítico, foram realizadas análises histológicas qualitativas e semi-quantitativas, morfometria, imunohistoquimica e ensaio imunoenzimático. Os resultados histológicos revelaram que a terapia laser parece modular a progressão do processo de degeneração da cartilagem articular. Porém, o laser não foi capaz de diminuir o processo degenerativo observado através do aumento na graduação de Mankin e da espessura da cartilagem e ainda não apresentou efeito sobre a biomodulação da expressão das citocinas IL-1β, TNF-α e MMP-13. No entanto, a terapia laser na fluência de 50J/cm2 foi capaz de aumentar a expressão das citocinas regulatórias (IL-4 e IL-10). Deste modo, os resultados do presente estudo indicam que a terapia laser 830nm modula a proliferação de condrócitos em modelo experimental de OA em ratos, mas não apresenta efeito na expressão das citocinas IL-1β e TNF-α. A terapia laser 50J/cm2 foi capaz de aumentar a expressão sérica das citocinas IL-4 e IL- 10, favorecendo um efeito regulatório do processo inflamatório.
7

Estudo experimental em coelhos do efeito do ácido hialurônico na apoptose pós-traumática de condrócitos / Rabbit experimental-study of hyaluronic acid effect on chondrocyte impact-induced apoptosis

Silva, Ronald Bispo Barreto da 04 April 2012 (has links)
O objetivo deste estudo foi avaliar se a injeção intra-articular em altas doses de ácido hialurônico, imediatamente após o trauma, pode reduzir a apoptose de condrócitos. Para cumprir este objetivo foi desenvolvido um estudo experimental com 40 joelhos de coelhos adultos. Os animais foram anestesiados e, em seguida, cada joelho sofreu três contusões com um bloco de 1 kg, solto por meio de um cilindro, a 1 metro de altura. Logo após as contusões, foram administrados, no mesmo coelho, 2 ml de ácido hialurônico em um joelho e 2 ml de solução salina no outro. Desta forma, obteve-se uma intervenção pareada, com melhora do poder estatístico do estudo. As doses foram repetidas a cada 3 ou 4 dias por 30 dias. Os coelhos foram mantidos no mesmo ambiente sob controle de temperatura, de atividades diárias e de alimentação. Após 30 dias, os animais foram abatidos e, por meio de artrotomia, foram realizadas as coletas da cartilagem do côndilo femoral medial e da tróclea de cada joelho. As peças foram preparadas para análise em microscopia óptica e coloração por TUNEL. Os indivíduos envolvidos no preparo e análise das peças não tiveram qualquer tipo de informação a respeito do experimento. A análise estatística foi feita pelo Teste t-student para dados pareados na comparação entre o grupo ácido hialurônico (AH) e o grupo controle. Foram analisados um total de 36 joelhos e obteve-se uma redução significativa (p<0,001) na taxa de apoptose de 68,01% (+ 19,73) do grupo controle para 53,52% (+ 18,09) do grupo AH. Diante dos resultados, concluiu-se que a injeção intra-articular de altas doses de ácido hialurônico, iniciando imediatamente após o trauma, reduz as taxas de apoptose (pós-traumática) de condrócitos de coelhos / The aim of this study was to assess whether intra-articular injection of high doses of hyaluronic acid immediately after trauma, can reduce apoptosis of chondrocytes. We have developed an experimental study with forty knees of adult rabbits. Animals were anesthetized and each one had had three knee injuries with a block of 1kg, released through a cylinder, 1 meter tall. After the bruises, 2ml of hyaluronic acid were injected in one knee and 2ml saline in the other. Doses were repeated each 3 or 4 days during 30 days. Rabbits were kept in the same environment under controlled temperature, daily activities and meals. Thirty days later, animals have been sacrificed. The cartilage of the medial femoral condyle and trochlea of each knee was retrieved with a scalpel by artrothomy. Specimens were prepared for optical microscopy and TUNEL staining. No information about the experiment was given to individuals who were involved in the preparation and analysis of the slides. Statistical analysis was performed by Students t test for paired data when comparing a group of hyaluronic acid (HA) and control group. We have analyzed a total of 36 knees and have obtained a significant reduction (p <0.001) in apoptosis rate of 68.01% (+ 19.73) for the control group 53.52% (+ 18.09) in the HA group. We conclude that the intraarticular injection of high doses of hyaluronic acid starting immediately after trauma, reduces impact-induced chondrocytes apoptosis rates in rabbits
8

Avaliação do metabolismo celular decorrente da aplicação de força nos condrócitos do côndilo mandibular e do joelho de suínos / Comparison of in vitro desponse to mechanical loading between the porcine mandibular condyle and ankle articular cartilages

Clarice Nishio 15 February 2008 (has links)
Funcionalmente, a cartilagem da articulação têmporo-mandibular assemelha-se à cartilagem da articulação do joelho por possuírem lubrificação para resistir à fricção e fornecerem proteção às forças mecânicas externas. Entretanto, o efeito das forças de tensão sobre as cartilagens dessas duas articulações ainda permanece obscura. O objetivo desse estudo foi avaliar, in vitro, as alterações metabólicas nos condrócitos extraídos do tecido cartilaginoso do côndilo mandibular e do joelho de suínos, decorrentes da aplicação de forças mecânicas, em relação à síntese de DNA e de proteoglicanos (PTG). Além disso, foi verificada a expressão de colágeno tipo II e de agrecanos no RNAm dos condrócitos dessas duas articulações, tempo-dependente do cultivo celular, utilizando-se a análise quantitativa de PCR em tempo real. Os condrócitos foram submetidos às forças mecânicas de tração de 2 kPa (3% de alongamento), 5 kPa (7% de alongamento) e 10 kPa (12% de alongamento), em uma freqüência de 30 ciclos/min. durante 12 e 24 horas. Os resultados demonstraram que os condrócitos do côndilo mandibular quando submetidos às forças de 2 kPa e de 5 kPa, apresentaram um aumento estatisticamente significativo da síntese de DNA e de PTG, em 12 h. (p < 0,01) e em 24 h. (p < 0,05). Exceto o aumento da síntese de DNA do grupo submetido à força de 5 kPa que durante 24h. não foi estatisticamente significativo (p > 0,05). A força de 10 kPa causou uma diminuição estatisticamente significativa na síntese de DNA e de PTG nos condrócitos do côndilo mandibular, em ambos os tempos de ensaio mecânico (p < 0,01). Por outro lado, os condrócitos do joelho apresentaram um aumento na síntese de DNA e de PTG quando submetidos à todas as magnitudes de força de tração. A força de 5 kPa estimulou um aumento estatisticamente significante das sínteses de DNA e PTG, em 12 h. e 24 h. (p < 0,01). Em 10 kPa, foi observado um incremento estatisticamente significante de DNA em 12 h. (p < 0,01) e em 24 h. (p < 0,05) e de PTG em 24h. (p < 0,01). Foi verificado que os condrócitos do joelho apresentaram uma maior expressão de colágeno tipo II e de agrecanos do que os condrócitos do côndilo mandibular estatisticamente significativo (p < 0,05). A expressão de colágeno tipo II e de agrecanos nos condrócitos do côndilo mandibular foram altamente evidenciados na fase proliferativa e diminuíram progressivamente com a formação de matriz extracelular. Contrariamente, os condrócitos do joelho apresentaram um aumento da expressão de agrecanos no RNAm conforme o amadurecimento do cultivo celular e um aumento expressivo de colágeno tipo II na fase proliferativa, seguida de discreta queda durante a fase da matriz celular. Os condrócitos dos tecidos cartilaginosos do côndilo mandibular e do joelho de suínos demonstraram diferentes mecanismos de resposta às forças mecânicas e de metabolismo celular. / Functionally, the mandibular condylar cartilage is similar to the ankle articular cartilage, both provides lubrication to resist friction and offers protection against external mechanical loading. However, the effect of tension loadings on these two articular cartilages remains unclear. The purpose of this study was to evaluate in vitro, the metabolism of the chondrocytes isolated from the cartilage tissues of porcine mandibular condyle and ankle, in response to the tension mechanical forces, related to the syntheses of DNA and proteoglycan (PTG). It was also verified the expression of mRNA type II collagen and aggrecan on the condrocytes of these two joints on culture time-dependent, using a quantitative real-time PCR analysis. The chondrocytes were submitted to tensile mechanical strains of 2 kPa (3% elongation), 5 kPa (7% elongation) and 10 kPa (12% elongation), with a frequency of 30 cycles/min for 12 and 24 hours. The results showed that the condrocytes from mandibular condyle, when submitted to tension forces of 2 kPa and 5 kPa, demonstrated a statistically significant enhancement of DNA and PTG, in 12 h. (p < 0.01) and in 24 h. (p < 0.05). Except the increase of DNA synthesis of the group submitted to the force of 5 kPa during 24 h. that was not statistically significant (p > 0.05). The force of 10 kPa caused a statistically significant decrease of DNA and PTG syntheses on the condrocytes of mandibular condyle, in both periods of mechanical stimulation (p < 0.01). On the other side, the condrocytes of ankle showed an increase of DNA and PTG syntheses when subjected to all the magnitudes of tension forces. The force of 5 kPa stimulated statistically significant the syntheses of DNA and PTG, in 12 h. and 24 h. (p < 0.01). In 10 kPa, it was observed a statistically significant increment of DNA in 12 h. (p < 0.01) and in 24 h. (p < 0.05) and PTG synthesis in 24 h. (p < 0.01). The condrocytes of ankle showed a statistically significant higher (p < 0.05) expression of collagen type II and aggrecan than the condrocytes of mandibular condyle. The type II collagen and aggrecan mRNA in mandibular condyle were highly expressed in proliferating chondrocytes and decreased progressively in matrix-forming chondrocytes. Conversely, the condrocytes from ankle showed an increase of aggrecan expression on mRNAs with the cell culture maturation, and an increase of type II collagen during the proliferating phase, followed by a slight decrease of this protein during the matrix-forming phase. The chondrocytes from the cartilage tissues of mandibular condyle and ankle showed different mechanisms of response to the mechanical loadings and distinct chondrocytes metabolism.
9

Avaliação do metabolismo celular decorrente da aplicação de força nos condrócitos do côndilo mandibular e do joelho de suínos / Comparison of in vitro desponse to mechanical loading between the porcine mandibular condyle and ankle articular cartilages

Clarice Nishio 15 February 2008 (has links)
Funcionalmente, a cartilagem da articulação têmporo-mandibular assemelha-se à cartilagem da articulação do joelho por possuírem lubrificação para resistir à fricção e fornecerem proteção às forças mecânicas externas. Entretanto, o efeito das forças de tensão sobre as cartilagens dessas duas articulações ainda permanece obscura. O objetivo desse estudo foi avaliar, in vitro, as alterações metabólicas nos condrócitos extraídos do tecido cartilaginoso do côndilo mandibular e do joelho de suínos, decorrentes da aplicação de forças mecânicas, em relação à síntese de DNA e de proteoglicanos (PTG). Além disso, foi verificada a expressão de colágeno tipo II e de agrecanos no RNAm dos condrócitos dessas duas articulações, tempo-dependente do cultivo celular, utilizando-se a análise quantitativa de PCR em tempo real. Os condrócitos foram submetidos às forças mecânicas de tração de 2 kPa (3% de alongamento), 5 kPa (7% de alongamento) e 10 kPa (12% de alongamento), em uma freqüência de 30 ciclos/min. durante 12 e 24 horas. Os resultados demonstraram que os condrócitos do côndilo mandibular quando submetidos às forças de 2 kPa e de 5 kPa, apresentaram um aumento estatisticamente significativo da síntese de DNA e de PTG, em 12 h. (p < 0,01) e em 24 h. (p < 0,05). Exceto o aumento da síntese de DNA do grupo submetido à força de 5 kPa que durante 24h. não foi estatisticamente significativo (p > 0,05). A força de 10 kPa causou uma diminuição estatisticamente significativa na síntese de DNA e de PTG nos condrócitos do côndilo mandibular, em ambos os tempos de ensaio mecânico (p < 0,01). Por outro lado, os condrócitos do joelho apresentaram um aumento na síntese de DNA e de PTG quando submetidos à todas as magnitudes de força de tração. A força de 5 kPa estimulou um aumento estatisticamente significante das sínteses de DNA e PTG, em 12 h. e 24 h. (p < 0,01). Em 10 kPa, foi observado um incremento estatisticamente significante de DNA em 12 h. (p < 0,01) e em 24 h. (p < 0,05) e de PTG em 24h. (p < 0,01). Foi verificado que os condrócitos do joelho apresentaram uma maior expressão de colágeno tipo II e de agrecanos do que os condrócitos do côndilo mandibular estatisticamente significativo (p < 0,05). A expressão de colágeno tipo II e de agrecanos nos condrócitos do côndilo mandibular foram altamente evidenciados na fase proliferativa e diminuíram progressivamente com a formação de matriz extracelular. Contrariamente, os condrócitos do joelho apresentaram um aumento da expressão de agrecanos no RNAm conforme o amadurecimento do cultivo celular e um aumento expressivo de colágeno tipo II na fase proliferativa, seguida de discreta queda durante a fase da matriz celular. Os condrócitos dos tecidos cartilaginosos do côndilo mandibular e do joelho de suínos demonstraram diferentes mecanismos de resposta às forças mecânicas e de metabolismo celular. / Functionally, the mandibular condylar cartilage is similar to the ankle articular cartilage, both provides lubrication to resist friction and offers protection against external mechanical loading. However, the effect of tension loadings on these two articular cartilages remains unclear. The purpose of this study was to evaluate in vitro, the metabolism of the chondrocytes isolated from the cartilage tissues of porcine mandibular condyle and ankle, in response to the tension mechanical forces, related to the syntheses of DNA and proteoglycan (PTG). It was also verified the expression of mRNA type II collagen and aggrecan on the condrocytes of these two joints on culture time-dependent, using a quantitative real-time PCR analysis. The chondrocytes were submitted to tensile mechanical strains of 2 kPa (3% elongation), 5 kPa (7% elongation) and 10 kPa (12% elongation), with a frequency of 30 cycles/min for 12 and 24 hours. The results showed that the condrocytes from mandibular condyle, when submitted to tension forces of 2 kPa and 5 kPa, demonstrated a statistically significant enhancement of DNA and PTG, in 12 h. (p < 0.01) and in 24 h. (p < 0.05). Except the increase of DNA synthesis of the group submitted to the force of 5 kPa during 24 h. that was not statistically significant (p > 0.05). The force of 10 kPa caused a statistically significant decrease of DNA and PTG syntheses on the condrocytes of mandibular condyle, in both periods of mechanical stimulation (p < 0.01). On the other side, the condrocytes of ankle showed an increase of DNA and PTG syntheses when subjected to all the magnitudes of tension forces. The force of 5 kPa stimulated statistically significant the syntheses of DNA and PTG, in 12 h. and 24 h. (p < 0.01). In 10 kPa, it was observed a statistically significant increment of DNA in 12 h. (p < 0.01) and in 24 h. (p < 0.05) and PTG synthesis in 24 h. (p < 0.01). The condrocytes of ankle showed a statistically significant higher (p < 0.05) expression of collagen type II and aggrecan than the condrocytes of mandibular condyle. The type II collagen and aggrecan mRNA in mandibular condyle were highly expressed in proliferating chondrocytes and decreased progressively in matrix-forming chondrocytes. Conversely, the condrocytes from ankle showed an increase of aggrecan expression on mRNAs with the cell culture maturation, and an increase of type II collagen during the proliferating phase, followed by a slight decrease of this protein during the matrix-forming phase. The chondrocytes from the cartilage tissues of mandibular condyle and ankle showed different mechanisms of response to the mechanical loadings and distinct chondrocytes metabolism.
10

Estudo experimental em coelhos do efeito do ácido hialurônico na apoptose pós-traumática de condrócitos / Rabbit experimental-study of hyaluronic acid effect on chondrocyte impact-induced apoptosis

Ronald Bispo Barreto da Silva 04 April 2012 (has links)
O objetivo deste estudo foi avaliar se a injeção intra-articular em altas doses de ácido hialurônico, imediatamente após o trauma, pode reduzir a apoptose de condrócitos. Para cumprir este objetivo foi desenvolvido um estudo experimental com 40 joelhos de coelhos adultos. Os animais foram anestesiados e, em seguida, cada joelho sofreu três contusões com um bloco de 1 kg, solto por meio de um cilindro, a 1 metro de altura. Logo após as contusões, foram administrados, no mesmo coelho, 2 ml de ácido hialurônico em um joelho e 2 ml de solução salina no outro. Desta forma, obteve-se uma intervenção pareada, com melhora do poder estatístico do estudo. As doses foram repetidas a cada 3 ou 4 dias por 30 dias. Os coelhos foram mantidos no mesmo ambiente sob controle de temperatura, de atividades diárias e de alimentação. Após 30 dias, os animais foram abatidos e, por meio de artrotomia, foram realizadas as coletas da cartilagem do côndilo femoral medial e da tróclea de cada joelho. As peças foram preparadas para análise em microscopia óptica e coloração por TUNEL. Os indivíduos envolvidos no preparo e análise das peças não tiveram qualquer tipo de informação a respeito do experimento. A análise estatística foi feita pelo Teste t-student para dados pareados na comparação entre o grupo ácido hialurônico (AH) e o grupo controle. Foram analisados um total de 36 joelhos e obteve-se uma redução significativa (p<0,001) na taxa de apoptose de 68,01% (+ 19,73) do grupo controle para 53,52% (+ 18,09) do grupo AH. Diante dos resultados, concluiu-se que a injeção intra-articular de altas doses de ácido hialurônico, iniciando imediatamente após o trauma, reduz as taxas de apoptose (pós-traumática) de condrócitos de coelhos / The aim of this study was to assess whether intra-articular injection of high doses of hyaluronic acid immediately after trauma, can reduce apoptosis of chondrocytes. We have developed an experimental study with forty knees of adult rabbits. Animals were anesthetized and each one had had three knee injuries with a block of 1kg, released through a cylinder, 1 meter tall. After the bruises, 2ml of hyaluronic acid were injected in one knee and 2ml saline in the other. Doses were repeated each 3 or 4 days during 30 days. Rabbits were kept in the same environment under controlled temperature, daily activities and meals. Thirty days later, animals have been sacrificed. The cartilage of the medial femoral condyle and trochlea of each knee was retrieved with a scalpel by artrothomy. Specimens were prepared for optical microscopy and TUNEL staining. No information about the experiment was given to individuals who were involved in the preparation and analysis of the slides. Statistical analysis was performed by Students t test for paired data when comparing a group of hyaluronic acid (HA) and control group. We have analyzed a total of 36 knees and have obtained a significant reduction (p <0.001) in apoptosis rate of 68.01% (+ 19.73) for the control group 53.52% (+ 18.09) in the HA group. We conclude that the intraarticular injection of high doses of hyaluronic acid starting immediately after trauma, reduces impact-induced chondrocytes apoptosis rates in rabbits

Page generated in 0.0595 seconds