• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 15
  • 1
  • Tagged with
  • 17
  • 17
  • 8
  • 7
  • 5
  • 5
  • 4
  • 4
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • 2
  • 2
  • 2
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Caracterização farmacologica do relaxamento de corpo cavernoso de coelho induzido pelo veneno de Tityus serrulatus

Teixeira, Cleber Evandro, 1973-2007 22 July 2018 (has links)
Orientador: Edson Antunes / Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas / Made available in DSpace on 2018-07-22T14:47:18Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Teixeira_CleberEvandro_M.pdf: 2914205 bytes, checksum: c87dc7c36f4dc52cc15432dc39388316 (MD5) Previous issue date: 1997 / Resumo: Tityus serrulatus é o escorpião mais perigoso da subfamília Tityinae no Brasil devido à alta I toxicidade de seu veneno e sua vasta distribuição nos centros urbanos da região sudeste do país. As manifestações clínicas mais importantes do envenenamento humano pelo veneno de Tityus serrulatus são dor local intensa acompanhada de queimação no local da picada podendo durar de poucos minutos a várias horas. Estas manifestações podem ser acompanhadas por disfunções autonômicas como vômitos profusos, taquicardia, alterações pupilares, sialorréia, taquipnéia, salivação, distúrbios da pressão arterial, tremores, etc. O veneno de Tityus serrulatus atua sobre as terminações nervosas do sistema nervoso autônomo estimulando a liberação de acetilcolina ou catecolaminas de diferentes órgãos e tecidos. Os tecidos eréteis de diferentes espécies animais são inervados por fibras nervosas excitatórias adrenérgicas, inibitórias colinérgicas e inibitórias não-adrenérgicas não-colinérgicas (NANC) que, por sua vez, desempenha papel importante nos mecanismos neurais envolvidos na ereção peniana através da liberação de óxido nítrico (NO). Assim, as fontes potenciais de produção de NO em corpo cavernoso de coelho são os nervos NANC bem como o endotélio que reveste a rede de capilares sinusóides presentes no tecido cavernoso. Devido à estimulação NANC causar. O relaxamento do corpo cavernoso, investigamos os efeitos do venepo de Tityus serrulatus no corpo cavernoso de coelho. Os efeitos do veneno do escorpião Tityus serrulatus e suas frações no corpo cavernoso de coelho isolado foram investigados através de ensaios biológicos em cascata. Os tecidos foram continuamente infundidos com indometamicina ( 5,6 µM) para inibir a geração de produtos da ciclooxigenase. O veneno bruto de Tityus serrulatus (400 mg) foi purificado em coluna CM- celulose-52. Veneno de Tityus serrulatus ( 3-100 µg), acetilcolina(Ach; 0,3 - 30 nmol), e gliceril trinitrato(GNT; 0,5 - 10 nmol) relaxaram as preparações pré- contraídas pela noradrenalina(3 µM) de modo dose-dependente. Os inibidores não-específicos da NO sintase (NOS) Nw?nitro-L-arginina metil éster (LNAME; 10 µM), Nw-nitro - monometil - L - arginine (L-NMMA; 10 µM) e NG-iminoetil - L -ornitina (L - NIO; 30 µM) aumentaram o tonus dos tecidos e inibiram os relaxamentos induzidos por ACh e pelo veneno de Tityus serrulatus sem afetar aqueles induzidos pelo GTN. O efeito inibitório inibitório foi revertido pela infusão de L - arginina (300 µM), mas não D-arginina (300 µM). O inibidor da NOS neuronaI1-(2-trifluorometilfenil) imidazol (TRIM, 100 µM) não afetou o tonus nem os relaxamentos induzidos por ACh, bradicinina (Bk), veneno de Tityus serrulatus e GTN. O TRIM foi aproximadamente 1000 vezes menos potente que o L-NAME em inibir a NOS cerebelar de coelho in vitro, cuja atividade é medida pela conversão de [3H]-L-arginina para [3H]-L-citrulina. O inibidor seletivo de guanilato ciclase solúvel H-[1,2,4] oxadiazolo [4,3,-alquinoxalín-1 ona] (ODQ; 30 µM) também aumentou o tonus basal dos tecidos e aboliu os relaxamentos induzidos pelos agonistas mencionados acima. O azul de metileno (30 µM) também inibiu os relaxamentos induzidos pelo veneno, porém, ao contrário do ODQ, a inibição foi irreversível. O inibidor de proteases aprotinína (TrasylolÒ; 10 µg.ml-1), o antagonista de receptores muscarínicos atropina (1µM) e o antagonista de receptores B2 Hoe 140 (D-Arg-[Hyp3,Thi5,D-Tic7,Oic8]-BK; 50 nM) não afetaram os relaxamentos de RbCC induzidos pelo veneno de Tityus serrulatus. Bloqueadores de canais de K+ como a glibenclamida (10µM), apamina (0.1 µM), charibdotoxina (0.1 µM) e tetraetilamônio (10 µM) também não afetaram os relaxamentos induzidos pelo veneno. Capsaicina (3 e 10 nmol) relaxou os tecidos de maneira dose-dependente e não taquifilática. O vermelho de rutênio (30 µM), inibidor das respostas induzidas pela capsaicina, reduziu marcadamente os relaxamentos de RbCC causados pela capsaicina, mas não afetou aqueles induzidosos pelo veneno. L-NAME (10 11M) não apresentou efeito sobre os relaxamentos induzidos pela capsaicina. Por outro lado, o bloqueador de canais de sódio tetrodotoxina (TTX; 1 µM) aboliu os relaxamentos de RbCC induzidos pelo veneno de Tityus serrulatus sem afetaram os induzidos por capsaicina, ACh e GTN. A TTX (1µM) também reverteu prontamente a resposta do veneno quando infundido durante a fase de relaxamento. Das treze frações obtidas do veneno bruto de Tityus serrulatus, apenas as frações X, XI e XII causaram relaxamento de RbCC de modo dose-dependente, cujo efeito foi marcadamente 'inibido na presença de L-NAME (10 µM) ou tetrodotoxina (1µM). Nós propomos, portanto que o veneno de Tityus serrulatus atua seletivamente sobre as fibras NANC, possivelmente nitrérgicas, e que o NO gerado no nervo se difunde através dos terminais relaxando o músculo liso vascular adjacente. Além disso, a NOS neuronal (bNOS) já foi detectada no pênis humano e de rato usando-se anticorpos NOS específicos e imunohistoquímica. A descoberta de que o TRIM, um inibidor seletivo para a bNOS em camundongos, não afetou a liberação de NO induzida pelo veneno de Tityus serrulatus, pode, refletir sua potência reduzida sobre a enzima do coelho / Abstract: Títyus serrufatus ís the most dangerous scorpíon of the subfamily Tityinae in Brazíl because of the high toxicity of its venom and its widespread distribution in populous urban centers of southeastern region of the country. The most important clinical manifestations of the human envenomation by Títyus serrulatus are intense local pain and an immediate local burning . sensation which may last from few minutes to several hours. These manifestations may be accompanied by autonomic dysfunctions such as vomiting, diaphoresis, tachycardia, mydriasis, tachypnea, excessive salivation, arterial pressure disturbances, tremors, etc. Tityus serrufatus . venom is known to act on nerve endings of the autonomic nervous system to stimulate the release of either acetylcholine or catecholamines from different organs and tissues. The erectile tissues from different animal species are innervated by adrenergic excitatory, cholinergic inhibitory and non-adrenergic non-cho!inergic (NANC) inhibitory nerve fibers which in ~ turn is believed to play a pivotal rore in the neural mechanisms involved in penile erection through the release of NO. Thus, the potential sources of NO production in the rabbit corpus cavernosum t preparation employed in this study are both NANC nerves and the endothelium covering the network of sinusoidal capillaries supplying the cavernosal tissue. Since NANC nerve stimulation . causes corpus cavernosum relaxation, we have investigated the effects of Tityu's serrulatus scorpion venom on the rabbit isolated corpus cavernosum. The effect of Tityus serrulatus scorpion venom and its fractions on the rabbit isollated corpus cavernosum (RbCC) was investigated using a bioassay cascade. The tissues were continuously infused with indomethacin (5.6 µM) to inhibit the generation of cyclooxygenase products. Dried Tityus serrufatus venom (400 mg) was purified using a CM-cellulose-52 column. Tityus serrufatus venom (3-100 1l9), acetylcholine (ACh; 0.3-30 nmol) and glyceryl trinitrate (GTN;0.5-10nmol) dose-dependently relaxed RbCC preparations precontracted with noradrenaline (3µM). The non-specific NO synthase (NOS) inhibitors Nw-nitro-L-arginine methyl ester (L-NAME; 10 µM), Nw-nitro-monomethyl-L-arginine (L-NMMA; 10 µM) and NG -iminoethyl-L-ornithine (L-NIO; . 30 µM) increased the tone of the RbCC tissues and markedly reduced both ACh- and Tityus serrulatus venom-induced RbCC relaxations without affecting those evoked by GTN. The inhibitory effect was reversed by infusion of L-arginine (300 µM), but not D-arginine (300 µM). The neuronal NOS inhibitor 1-(2-trifluoromethylphenyl) imidazole (TRIM, 100µM) affected neither the tone of the RbCC nor the relaxations induced by ACh, bradykinin (Bk), Tityus serrulatus venom and GTN. TRIM was approximately 1,000 times less potent than L-NAME in inhibiting rabbit cerebellar NOS ín vítro, as measured by the conversion of [3H]-L-arginine to [3H]-L-citrulline. The selective soluble guanylate cyclase inhibitor 1 H-[1 ,2,4] oxadiazolo [4,3,-alquinoxalin-1one] (OQD; 30 µM) also increased the basal tone of the RbCC and abolished the relaxations. induced by the agonists mentioned above. Methylene blue (30 µM) also inhibited the relaxations induced by Tityus serrulatus venom but, in contrast to OQD, the inhibition was irreversible. The protease inhibitor aprotinín (TrasylolÒ; 10µg.ml-1 the muscarini receptor antagonist atropine (1 IlM) and the bradykinín 82 receptor antagonist Hoe 140 (D-Arg-[Hyp3,Thi5,D-Tie, Oic8]-BK; 50 nM) did not affect the RbCC relaxations induced by Tityus serrulatus venom. Potassium channel antagonists such as glybenclamide (10 µM), apamin (0.1 µM), charybdotoxin (0.1 µM) and . tetraethylammonium (10 µM) also failed to affect the venom-induced relaxations. Capsaicin (3 and 10 nmol) relaxed the RbCC tissues in a dose-dependent and non tachyphylactic manner. Ruthenium red (30 µM), an inhibitor of capsaicin-induced responses, markedly reduced the RbCC relaxations caused by capsaicin, but failed to affect the RbCC . relaxations induced by Tityus serrulatus venom. L-NAME (10 µM) had no effect on the capsaicin induced RbCC relaxations. On the other hand, the sodium channel blocker tetrodotoxin (TTX; 1µM) abolisheçi the RbCC relaxations induced by Tityus serrulatus venom without affecting those evoked by capsaicin, ACh and GTN. Tetrodotoxin (1 µM) also promptly reversed the response to the venom when infused during the relaxation phase.The bioassay cascade of thirteen different toxin components purified from the Whole venom revealed that only fractions X, XI and XII caused dose-dependent RbCC relaxations and this was markedly reduced by either TTX (1 µM) or L-NAME (10 µM). We propose therefore that Tityus serrulatus venom acts selectively on NANC fibers, possibly nitrergic nerves, and that the NO generated in the nerve diffuses through the nerve endings to relax the adjacent vascular smooth muscle. Indeed, neuronal NOS (bNOS) has been detected in both the rat and human penis using an specific NOS antibody and immunohistochemistry. The findings that TRIM, a specific neuronal NOS inhibitor in the mouse, did not affect the NO release induced by Tityus serrulatus venom, may reflect its reduced potency on the rabbit enzyme / Mestrado / Farmacologia / Mestre em Ciências Médicas
2

Identificação dos mecanismos envolvidos no relaxamento da musculatura lisa cavernosa e da aorta de coelho, induzido por doadores de óxido nítrico do complexo nitrosil-rutênio / Identification of the involved mechanisms in the relaxation of the cavernous smooth musculatura and aorta of rabbit, induced for nitric oxide givers of the nitrosil-rutênio complex

Cerqueira, Joao Batista Gadelha de January 2008 (has links)
CERQUEIRA, João Batista Gadelha de. Identificação dos mecanismos envolvidos no relaxamento da musculatura lisa cavernosa e da aorta de coelho, induzido por doadores de óxido nítrico do complexo nitrosil-rutênio. 2008. 125 f. Tese (Doutorado em Cirurgia) - Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Medicina, Fortaleza, 2008. / Submitted by denise santos (denise.santos@ufc.br) on 2014-03-18T12:40:46Z No. of bitstreams: 1 2008_teses_jbgcerqueira.pdf: 1166899 bytes, checksum: 80812fd9e68a5a052d30380374a26a1a (MD5) / Approved for entry into archive by denise santos(denise.santos@ufc.br) on 2014-03-18T12:41:15Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2008_teses_jbgcerqueira.pdf: 1166899 bytes, checksum: 80812fd9e68a5a052d30380374a26a1a (MD5) / Made available in DSpace on 2014-03-18T12:41:15Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2008_teses_jbgcerqueira.pdf: 1166899 bytes, checksum: 80812fd9e68a5a052d30380374a26a1a (MD5) Previous issue date: 2008 / Endothelial dysfunction makes 56% of patients with erectile dysfunction decline treatment with PDE-5 inhibitors. New forms of treatment are necessary for this group of patients. The present study evaluates the relaxation in vitro induced in rabbit corpus cavernosum smooth muscle and aortic rings by sodium nitroprusside (SNP) and by two new NO-donor substances of the nitrosyl-ruthenium complex: Rut-Byp and Rut-Caf. Tissues immersed in isolated baths of Krebs-Henseleit solution (37oC; pH 7.4) were precontracted with 1uM phenylephrine (PE). Relaxation concentration/response curves were plotted for all concentrations (10-12 to 10-4 M). To explore the mechanisms involved in induced relaxation, the following substances were added: 3µM, 10µM, 30µM or 100µM ODQ (soluble guanylate cyclase-specific inhibitor), 3µM or 10 µM oxyhemoglobin (extracellular NO scavenger), 1 mM L-cysteine (nitrosyl anion-specific scavenger), 100µM hydroxycobalamin (NO free radical scavenger), glibenclamide (ATP-dependent potassium channel blocker), iberiotoxin (medium and high-conductance potassium channel blocker) and apamin (low-conductance potassium channel blocker). The tissue samples were frozen in liquid nitrogen in order to quantify GMPc and AMPc produced during relaxation. All the substances tested produced a significant level of relaxation in the aortic vascular endothelium. Similar results were found for corpus cavernosum smooth muscle, with the exception of Rut-Byp (Emax 30%). In this tissue, Rut-Caf e SNP induced dose-dependent relaxation with a potency (pEC50) of 4.2 and 5.2, and a maximum effect (Emax) of 100% and 80%, respectively. All substances acted through the activation of soluble guanylate cyclase (sGC); therefore, the addition of 100µM ODQ inhibited the relaxation effect completely in all cases. Oxyhemoglobin reduced relaxation induced by all substances. At 3µM, the maximum effect (Emax) was reduced by 26% on the average, and at 10µM the effect was reduced by another 50% (p<0.05), though not completely neutralized. L-cysteine failed to affect relaxation, but hydroxycobalamin abolished Rut-Caf-induced relaxation in aortic rings (Emax: 112% vs 10%; p<0.005). A significant reduction was observed in corpus cavernosum smooth muscle relaxation, though not as intense as in aortic rings. The addition of glibenclamide to the baths increased the potency of Rut-Caf significantly (4.09 vs. 7.9; p<0.005) with no significant change in maximum effect. Potency and maximum effect remained unchanged with the other ion channel blockers. The agents released cGMP in both tissues studied. NO-donor substances of the nitrosyl-ruthenium complex were shown to be potent vasodilators. One substance (Rut-Caf) induced significant relaxation in animal corpus cavernosum. The substances tested in the study act through the activation of soluble guanylate cyclase producing intracellular GMPc. During relaxation they release NO and its free radical intracellularly, but not nitrosyl. They do not act directly upon potassium ion channels. Rut-Caf acts independently of the endothelial integrity. / Disfunção endotelial provoca 56% de resistência ao tratamento da disfunção erétil pelos inibidores da PDE-5. Novas formas de tratamento são necessárias para este grupo de pacientes. O estudo avaliou o relaxamento, in vitro, induzido por novas substâncias doadoras de óxido nítrico (NO) do complexo nitrosil-rutênio (Rut-Byp, Rut-Caf) na musculatura lisa de corpos cavernosos humanos e de coelho e em anéis de aorta de coelho e do nitroprussiato de sódio (SNP). Os tecidos, imersos em sistemas de banhos isolados em solução de KHS (pH 7,4; 37oC), foram pré-contraídos com fenilefrina (PE;1uM) e curvas de concentração-resposta (10-12M a10-4M) foram obtidas. Para esclarecer o mecanismo de ação envolvido no relaxamento induzido pelos agentes, foram adicionadas aos banhos as substâncias: ODQ (3µM, 10µM, 30µM e 100µM), inibidor da guanilatociclase solúvel; oxi-hemoglobina (3µM e 10µM), removedor extracelular do NO; L-cisteína (100µM), removedor intracelular do ânion nitroxil; hidroxicobalamina (100µM), removedor de radical livre do NO; glibenclamida, bloqueador de canais de íons potássio ATP-dependente (KATP); iberiotoxina, bloqueador de canais de potássio de alta e média condutividade (KCA); apamina, bloqueador de canais de potássio de baixa condutividade (KCA). Amostras dos tecidos foram congeladas em nitrogênio líquido para mensurar a quantidade de GMPc e AMPc produzido no relaxamento. Todas as substâncias provocaram relaxamento estatisticamente significante da musculatura lisa dos anéis de aorta. Na musculatura lisa cavernosa, só Rut-Byp não conseguiu induzir relaxamento significativo (efeito máximo= 30%). Neste tecido a Rut-Caf e SNP provocaram relaxamento dose-dependente, com efeito máximo de 80% e 100% e pEC50 4,2 e 5,2, respectivamente. Todas substâncias mostraram atividade mediante a ativação da enzima guanilatociclase solúvel (GCs), pois a adição do ODQ 100µM aos banhos, inibiu totalmente o efeito relaxante. A oxi-hemoglobina em anéis de aorta de coelho na dose de 3µM, diminuiu o efeito máximo das substâncias em média 26% e, na dose de 10µM, houve uma redução adicional de 50% (p<0,05). A L-cisteína falhou em alterar o relaxamento induzido pelos agentes estudados. A hidroxicobalamina em anéis de aorta e em corpo cavernoso de coelho aboliu o efeito relaxante da Rut-Caf (Efeito máximo: 112% x 10%; p<0,005). A adição de glibenclamida em corpos cavernosos de coelho aumentou a potência da substância Rut-Caf (4,09 x 7,9; p<0,005), sem alterar o efeito máximo. Não houve alteração de potência ou efeito máximo das substâncias com a adição de outros bloqueadores de canais de íons. A remoção do endotélio não alterou a potência e o efeito máximo da substância Rut-Caf em anéis de aorta de coelho. As substâncias liberaram GMPc em maior intensidade no corpo cavernoso do que em anéis de aorta. As substâncias doadoras de NO do complexo nitrosil-rutênio são potentes vasodilatadores e uma delas (Rut-Caf), demonstrou relaxamento significativo no tecido cavernoso animal e humano. As substâncias atuam ativando a enzima guanilatociclase solúvel produzindo GMPc, liberam NO e radical livre do NO durante o relaxamento, mas não o ânion nitrosil. Os agentes não atuam diretamente nos canais de íons potássio. A substância Rut-Caf atua independentemente da integridade endotelial.
3

A histamina como potencial mediador da ereção peniana em humanos

Cara, Alister de Miranda 01 September 1993 (has links)
Orientador : Gilberto de Nucci / Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas / Made available in DSpace on 2018-07-18T12:19:28Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Cara_AlisterdeMiranda_M.pdf: 1148197 bytes, checksum: e48ff1236605630533a8740890d560b5 (MD5) Previous issue date: 1993 / Resumo: O estudo da ação eretogênica da histamina foi realizado através da injeção intracavernosa (IC) de histamina em 38 pacientes com diagnóstico de impotência sexual psicogênica. A resposta erétil induzida pela histamina foi comparada com aquela induzida pela injeção IC de papaverina. Além disso, estudou-se as respostas relaxantes induzidas pela histamina, in vitro, em 14 segmentos de corpo cavernoso humano oriundos de 7 pacientes submetidos a cirurgia de implante de prótese peniana. A histamina (3 a 100 µg) induziu relaxamento dose-dependente da musculatura lisa dos corpos cavernosos de seres humanos, in vitro. O tratamento dos tecidos cavernosos com antagonista H1 (mepiramina, 1 µM) potencializou em 67 ± 26% a resposta relaxante da histamina, enquanto que, a infusão de antagonista H2 (cimetidina 5 µM) inibiu significativamente (60 ± 5%) este efeito. A infusão simultânea de cimetidina e mepiramina não aboliu a ação relaxante da histamina. Dos 38 pacientes submetidos a injeção IC de histamina (30-60 µg), 12 (32%) apresentaram ereção total e 26 (68%) obtiveram tumescência peniana ou ereção parcial. A injeção IC de papaverina (50 mg) induziu a ereção total na maioria dos pacientes (66%). O tempo de ereção induzido pela histamina foi menor em relação ao marcado pela papaverina (média de 6.7 e 200 minutos, respectivamente ). A incidência de complicações.provocadas pela papaverina foi alta pois todos os pacientes (100%) referiram dor durante ou poucos minutos após a injeção, 5% apresentaram hematoma no local da injeção e 15% priapismo. Não foram observadas complicações locais ou sistêmicas com a histamina. O tratamento com astemizol (antagonista de receptores histaminérgicos H1) em 8 pacientes não alterou a resposta erétil induzida pela injeção IC de histamina. Por outro lado, o tratamento de 4 pacientes com cimetidina (antagonista de receptores histaminérgicos H2) reduziu em 2 dos pacientes a qualidade da resposta erétil obtida previamente com a histamina. Desta maneira, concluímos que a histamina pode ser um mediador fisiológico da ereção peniana em seres humanos porque relaxa a musculatura lisa cavernosa in vitro e induz a ereção peniana quando utilizada por via IC. Os resultados obtidos em corpo cavernoso humano in vitro indicam que a ação eretogênica da histamina ocorre através da ativação de receptores histaminérgicos do tipo H2, e possivelmente, H3 / Abstract: 1. The eretogenic responses caused by intracavernous injections of histamine (30-60 µg) in 38 male psychogenic impotent patients have been investigated. These effects were compared to the classical erectile substance papaverine (50 mg). The relaxant actions of histamine were also investigated in vitro in human corpus cavernosum obtained from 7 patients submitted to prothesis implantation. 2. Histamine (30 µg) caused fuIl erection in 13% of the patients whereas 87% had partial erection or tumescence. Higher dose of histamine (60 µg) caused fuI! erection in 26% of the patients whereas 74% had partiaI erection or tumescence. Papaverine induced fuIl erection in the majority of the patients (66%). In contrast to papaverine, the time of erection induced by histamine was remarkably shorter (mean: 200 and 6.5 min, respectively). The penile erections induced by papaverine was associated with complications such as pain (100%), hematoma (5%) and priapism (15%). Histamine did not induce any complications. 3. Treatment of 8 male psychogenic impotent patients with the histamine H1 receptor antagonist astemizoL(10 mg p.o once daily for one week) did not affect histamine-induced eretogenic actions. 4. In vitro studies demonstrated that histamine (3-100 µg) caused dose-dependent relaxation of the human corpus cavernosum strips which were significantly inhibited by cimetidine (5-10 µM). The histamine H1 receptor antagonist mepyramine (1 µM) potentiated histamine-induced relaxations. The co-infusion of both mepyramine and cimetidine did not abolish histamineinduced relaxations. 5. Our results indicate that histamine may be considered a physiological mediator of human penile erection. The eretogenic actions of histamine are due to H2 receptors activation although another histamine receptor activation, possibly H3, seems to be involved. Furthermore, our study suggests that histamine could be a valuable toei in the diagnosis of erectile dysfunction, and we have questionated if the therapeutic use of H1 and H2 agonist could represent some benefit effect in the patients with erectile disfunction / Mestrado / Mestre em Farmacologia
4

Relaxamento de corpo cavernoso isolado de coelho induzido por agonistas de canais de sodio : papel do oxido nitrico

Oliveira, Juliano Fernandes de 24 July 2002 (has links)
Orientador : Edson Antunes / Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas / Made available in DSpace on 2018-08-02T20:21:02Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Oliveira_JulianoFernandesde_M.pdf: 21030681 bytes, checksum: 655e7f6fcc823363d39f60d09044b1d9 (MD5) Previous issue date: 2002 / Resumo: o óxido nítrico (NO) é atualmente reconhecido como o mais importante neurotransmissor inibitório liberado de terminações nervosas não-adrenérgicas não-colinér gicas (NANC) responsável pelo relaxamento de corpo cavernoso. O NO relaxa os corpos cavernosos através da ativação da guanilato cic1ase solúvel, a qual causa um aumento nos níveis de GMP cíc1ico que leva como conseqüência ao relaxamento deste tecido. A excitabilidade elétrica das células musculares lisas que formam os corpos cavernosos do pênis é fundamental para o funcionamento deste órgão. Um grande número de toxinas biológicas exerce seus efeitos modificando as propriedades de canais de Na+ dependentes de voltagem, envolvidos na geração de potenciais de ação. O objetivo deste estudo foi investigar a capacidade de agonistas de canais de Na+ (aconitina, veratridina, toxina de anêmona, toxina gamma e brevetoxinas) em induzir relaxamento no corpo cavernoso isolado de coelho, bem como os mecanismos farmacológicos envolvidos neste processo. A adição de aconitina (30 11M),veratridina (30 11M)e de brevetoxina-3 (100 nM) ao banho causou relaxamento de desenvolvimento lento e gradual, os quais foram marcantemente reduzidos pelo L-NAME (100 11M)e restaurados pela L-arginina (1 mM). Os relaxamentos evocados por estes três agonistas também foram significativamente reduzidos pelo ODQ. OS bloqueadores de canais de Na+, tetrodotoxina (100 nM) e saxitoxina (100 nM), quando adicionados previamente ao banho, aboliram o relaxamento de corpo cavernoso induzido por estes agonistas. A adição de toxina gamma (1 11M)ao banho produziu relaxamento transitório seguido de retomo gradual à linha de base. A adição de L-NAME inibiu o relaxamento causado pela toxina gamma e a pré-incubação com L-arginina impediu este efeito inibitório. Além disso, o relaxamento evocado pela toxina gamma foi abolido na presença de ODQ, tetrodotoxina e saxitoxina. A adição do inibidor seletivo para fosfodiesterase tipo 5, sildenafil (100 nM), potencializou significativamente o relaxamento de corpo cavernoso de coelho induzido pela aconitina, veratridina, toxina gamma e brevetoxina-3. Nossos resultados demonstram que o relaxamento de corpo cavernoso evocado por estes agonistas são dependentes da liberação de NO de fibras nitrérgicas e da ativação da via NO-GMPc na musculatura lisa do tecido erétil / Abstract: Nitric oxide (NO) is now recognized as the most important inhibitory neurotransmitter released by the nitrergic NANC fibers responsible for the corpus cavernosum relaxations and penile erection. NO relaxes the corpus cavernosum through the stimulation of the soluble guanylyl ciclase, causing an increase in the levels of cyclic GMP in the smooth muscle cavernosal tissues. The electric excitability via voltage-dependent Na+ channels of the smooth muscle cells that form the corpus cavernosum is essential for the erectile function. A number of biological toxins exert their effects modifying the properties of voltage-gated Na+ channels. The objective of this study was to investigate the capacity of Na+ channels agonists (aconitine, veratridine, anemone toxin, gamma toxin and brevetoxins) to induce relaxation of rabbit isolated corpus cavemosum (RbCC), and the pharmacological mechanisms involved in this phenomenon. The addition of aconitine (30 ~M), veratridine (30 ~M) and brevetoxin-3 (100 nM) to the organ-bath preparations caused slow-onset RbCC relaxations, which were markedly reduced by the NO synthase inhibitor L-NAME (100 ~M) and reversed by L-arginine (1 mM). The RbCC relaxations evoked by these agents were also significantly reduced by the soluble guanylyl ciclase inhibitor ODQ (10 ~M). The Na+ channels blockers tetrodotoxin (100 nM) and saxitoxin (100 nM), when previously added to the bath, abolished the RbCC relaxations by these agonists. The addition of gamma toxin (1 ~M) produced transitory relaxations followed by a gradual retum to the base line. The addition of L-NAME inhibited the gamma toxin-induced RbCC relaxations caused and L-arginine prevented the inhibitory effect. Besides, these relaxations were abolished in the presence of ODQ, tetrodotoxin and saxitoxin. The selective inhibitors for hosphodiesterase type 5, sildenafil (100 nM), significantly potentiated the RbCC relaxations by the aconitine, veratridine, gamma toxin and brevetoxin-3. Our results indicate that the RbCC relaxations evoked by 151 Na+ channel agonists are dependent of the release of NO from nitrergic nerve fibres and of the activation of the pathway NO-GMPc in the smooth musc1ecells of the erectile tissue / Mestrado / Mestre em Farmacologia
5

Caracterização farmacologica do relaxamento da musculatura lisa do corpo cavernoso humano isolado induzido por cininas

Fregonesi, Adriano 26 June 2002 (has links)
Orientadores: Nelson Rodrigues Netto Jr., Ronilson Moreno / Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciencias Medicas / Made available in DSpace on 2018-08-03T18:11:56Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Fregonesi_Adriano_D.pdf: 17035244 bytes, checksum: 969ded8c55049acf4602ef262dbe3c97 (MD5) Previous issue date: 2002 / Resumo: Objetivo: Caracterizaro subtipo de receptor para cinina envolvido no relaxamento de corpo cavernoso humano induzido por bradicinina (BK), Lys-bradicinina (Lys- BK), Met-Lys-bradicinina (Met-Lys-BK) e des-Arg9-bradicinina (des-Arg9-BK) e investigar se o relaxamento do corpo cavernoso humano induzido por cininas é devido à estimulação de nervos não-adrenérgicos e não colinérgicos que suprem o tecido cavernoso. Material e Métodos: Tecido cavernoso humano proveniente de doadores cadáveres de múltiplos órgãos para transplante foram retirados e imediatamente colocados em solução de krebs e mantido à 4°C até a utilização (nunca excedendo 24 horas após a remoção). O tecido foi cortado em fragmentos de aproximadamente 2cm, colocados em supensão em sistema de cascata e superfundidos com solução de krebs oxigenada e morna a cinco litros por minuto. Após equilíbrio do fragmento em cascata por aproximadamente 90 minutos, noradrenalina (3~moI/L) foi infundida para indução de contração submáxima dos fragmentos de corpo cavernoso humano (CCH). A liberação de produtos da ciclooxigenase foi prevenida pela infusão de indometacina (6~moVL). Os fragmentos de CCH foram calibrados injetandoem bolus o nitrovasodilatador gliceril trinitrato (GTN) e a sensibilidade dos tecidos foi ajustada eletronicamente. Os agonistas (cininas, histamina e acetilcolina) foram injetados como simples bolus (acima de 1001-lL)e o relaxamento dos fragmentos de CCH foram expressos como uma percentagem de relaxamento submáximo induzido por GTN. Resultados: Bradicinina, Lys-bradicinina e Met-Lys-bradicinina relaxaram de maneira significativa os fragmentos de CCH; em base molar, não houve diferença estatisticamente significativa entre os graus de relaxamento induzido por estes peptídeos. O agonista de receptor B1 de cininas des-Arg9-bradicinina não teve efeito sobre os fragmentos de CCH. A infusão do antagonista de receptor B2 de cininas HOE 140 (50mmmoI/L) aboliu o relaxamento induzido pela bradicinina, Lys-bradicinina e Met-Lys-bradicinina sem afetar aqueles induzidos por acetilcolina e histamina.A infusão do inibidorde óxido nítrico sintase Nw-nitro-L-Argininametil éster aumentou os tônus dos fragmentos de CCH e reduziu significativamente (p < 0,01) o relaxamento induzido por BK (74%), Lys-BK (90%), Met-Lys-BK (87%) e acetilcolina (89%) sem afetar aqueles induzidos por GTN. A infusão subseqüente de L-arginina (300I-lmoI/L)reverteu parcialmente a hipertonicidade e restaurou significativamente (p < 0,01) o relaxamento induzido por BK, Lys-BK e Met-Lys-BK. Os resultados foram similares com o inibidor de guanilato ciclase 1H-[1,2,4] oxadiolo [4,3,-alquinoxalin-1-one] que reduziu em mais de 95% (p < 0,01) o relaxamento induzido por BK, Lys-BK, Met-Lys-BK, acetilcolina e GTN. A infusão do bloqueador de canal de sódio tetrodotoxina não teve efeito significativo no relaxamento dos fragmentos de CCH induzidos por BK, GTN e acetilcolina. Conclusão: Este estudo demonstra claramentea existência funcional de receptores de cininas B2em tecido erétil de corpo cavernoso humano e que, quando ativados, liberam óxido nítrico, Relaxando a musculatura lisa destes tecidos. Como a tetrodotoxina não conseguiu afetar o relaxamento induzido por cininas dos segmentos de corpo cavernoso humano, é provável que estes peptídeos liberem óxido nítrico do endotélio dos sinusóides, e não de neurônios que inervam o tecido cavernoso. Emboraas calicreínas teciduais e seus produtos tenham sido encontrados no sistema reprodutor masculino, a importância fisiopatológica da sua presença nestes tecidos não está totalmente elucidada / Abstract: Objective: To caracterize the kinin receptor subtype involved in the relaxation of human isolated corpus cavernosum (HCC) induced by bradykinin (BK). Lysbradykinin (Lys-BK), Met-Lys-bradykinin (Met-Lys-BK) and des-Arg9-bradykinin (des-Arg9-BK), and to investigate whether the kinin-induced relaxation of HCC results from the stimulation of nonadrenergic, noncholinergic (NANC) neurons supplying the cavernosal tissue. Materiais and Methods: Excised HCC tissues were immediately placed in Krebs solution and kept at 4°C until use (never >24 hours after removal). HCC was cut in strips of - 2 centimetres, supended in a cascade system and superfused with oxygenated and warmed Krebs solution at 5 mUminute. After equilibration for - 90 minutes , noradrenaline (3IJmoI/L)was infused to induce a submaximal contraction of the HCC strips. The release of cyclo-oxygenase products was prevented by infusing indomethacin (6IJmoI/L). HCC strips were calibrated by injecting a single bolus of the nitrovasodilator glyceryl trinitrate (GTN) and the sensitivity of the tissues adjusted electronically to be similar.The agonists (kinins, histamine and acetylcholine)were injected as a single bolus (up to 1001JL)and the relaxation of HCC expressed as a percentage of the submaximal relaxation induced by GTN. Resul1s: Bradykinin, Lys-BK and Met-Lys-BK significantly relaxed the HCC tissues; on a molar basis, there was no statistical difference among the degrees of relaxation induced by these peptides. The B1kinin receptor agonist des-Arg9-bradykinin had no effect on the HCC. The infusion of the B2 kinin receptor antagonist Hoe 140 (50nmoI/L) virtually abolished the relaxation induced by BK, Lys-BK and Met-Lys-BK without affecting those induced by acetylcholine and histamine. The infusion of the nitric oxide synthase inhibitor NW-nitro-L-argininemethyl ester increased the tone or the HCC tissues and significantly reduced (p < 0.01) the relaxation induced by BK (74%), Lys-BK (90%), Met-Lys-BK (87%) and acetylcholine (89%) without affecting those induced by GTN. The subsequente infusion of L-arginine (300 J,JmoI/L) partially reversed the increased tone and significantly (P < 0.01) restored the relaxationinduced by Bk, Lys-BKand Met-Lys-BK.The resultswere similar with the novel guanylate cyclase inhibitor 1H-[1,2,4] oxadiazolo[4,3,-alquinoxalin-1-one] which reduced by > 95% (p > 0.01) the relaxation induced by BK, Lys-BK, Met- Lys-BK, acetylcholine and GTN. The infusion of the sodium-channel bolcker tetrodotoxin had no signficant effect on the BK-, GTN- and acetylcholine-induced relaxation of HCC. Conclusion: This study clearly showed the existence of functional B2kinin receptors in human erectile tissues that when activated lead to the release of NO and hence relaxation of the HCC tissues. As tetrodotoxin failed to affect the kinin-induced relaxation of HCC strips, it is likely that these peptides release NO frem the endotheliumof sinuoidal capillaries rather than from neuronal sources supplying the cavernosal tissue. Although tissue kallikreins and their components have been found in the male reproductive system, the physiopathological importance of these findings has yet to be elucidated. / Doutorado / Cirurgia / Doutor em Cirurgia Medica
6

Efeitos da injeção intracerebroventricular de derivados de melanocortina sobre o comportamento sexual de ratos machos

Pereira, Renata da Costa January 2013 (has links)
Existem 2 análogos sintéticos do hormônio estimulante de melanócitos na fração alfa (α-MSH): o melanotan I (MT-I) e o melanotan II (MT-II). O MT-II é uma droga utilizada comercialmente que age sobre o metabolismo energético, relacionando-se principalmente com o controle da ingestão alimentar e da massa corporal. Além desses efeitos, em seres humanos e em roedores, é capaz de produzir ereção peniana de forma espontânea. As funções do MT-I são menos conhecidas. Este estudo verificou a ação do análogo do MT-II, o Melanotan I, pela realização dos testes de Preferência ou Motivação Sexual e Desempenho Sexual. Foram avaliados 3 grupos (grupo teste –injetado intracerebroventricularmente - ICV- com 1μg de melanotan I diluído em 5 μl de água destilada, grupo controle – injetado ICV com 1μg de melanotan II diluído em 5 μl de água destilada e grupo controle negativo – injetado ICV com 1μg de γ-MSH diluído em 5 μl de água destilada). O teste de desempenho sexual verificou que o MT-I foi capaz de produzir ereções penianas nos animais avaliados, porém em menores proporções (36% dos animais) que o conhecido análogo MT-II (65% dos animais testados). A média do total de ereções (± EPM), ocorridas durante os 60 minutαs de observação após a injeção do MT-I, também se revelou inferior à provocada após a injeção do MT-II (1,6 ± 0,6 versus 5,2 ± 1,1) Observou-se que o MT-I reduziu a preferência sexual do macho por fêmea sexualmente ativa, uma medida de motivação sexual. O conjunto dos resultados deste trabalho permite concluir que o MT-I atua sobre o circuito neural do comportamento sexual de ratos machos, no entanto de forma menos efetiva que o MT-II com relação ao desempenho sexual (ereção). O MT-I injetado intracerebroventricularmente (ICV) surpreendentemente afetou negativamente a motivação sexual, nem o MT-II nem o γ-MSH afetaram esse comportamento.
7

Efeitos da injeção intracerebroventricular de derivados de melanocortina sobre o comportamento sexual de ratos machos

Pereira, Renata da Costa January 2013 (has links)
Existem 2 análogos sintéticos do hormônio estimulante de melanócitos na fração alfa (α-MSH): o melanotan I (MT-I) e o melanotan II (MT-II). O MT-II é uma droga utilizada comercialmente que age sobre o metabolismo energético, relacionando-se principalmente com o controle da ingestão alimentar e da massa corporal. Além desses efeitos, em seres humanos e em roedores, é capaz de produzir ereção peniana de forma espontânea. As funções do MT-I são menos conhecidas. Este estudo verificou a ação do análogo do MT-II, o Melanotan I, pela realização dos testes de Preferência ou Motivação Sexual e Desempenho Sexual. Foram avaliados 3 grupos (grupo teste –injetado intracerebroventricularmente - ICV- com 1μg de melanotan I diluído em 5 μl de água destilada, grupo controle – injetado ICV com 1μg de melanotan II diluído em 5 μl de água destilada e grupo controle negativo – injetado ICV com 1μg de γ-MSH diluído em 5 μl de água destilada). O teste de desempenho sexual verificou que o MT-I foi capaz de produzir ereções penianas nos animais avaliados, porém em menores proporções (36% dos animais) que o conhecido análogo MT-II (65% dos animais testados). A média do total de ereções (± EPM), ocorridas durante os 60 minutαs de observação após a injeção do MT-I, também se revelou inferior à provocada após a injeção do MT-II (1,6 ± 0,6 versus 5,2 ± 1,1) Observou-se que o MT-I reduziu a preferência sexual do macho por fêmea sexualmente ativa, uma medida de motivação sexual. O conjunto dos resultados deste trabalho permite concluir que o MT-I atua sobre o circuito neural do comportamento sexual de ratos machos, no entanto de forma menos efetiva que o MT-II com relação ao desempenho sexual (ereção). O MT-I injetado intracerebroventricularmente (ICV) surpreendentemente afetou negativamente a motivação sexual, nem o MT-II nem o γ-MSH afetaram esse comportamento.
8

Caracterização farmacologica do sistema de calicreina tissular em corpo cavernoso de coelho : efeito do veneno de Phoneutria nigriventer

Martins, Rodrigo Alvaro Brandão Lopes 15 July 1994 (has links)
Orientador: Edson Antunes / Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas / Made available in DSpace on 2018-07-19T10:11:52Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Martins_RodrigoAlvaroBrandaoLopes_M.pdf: 956127 bytes, checksum: 79ba90f4a57e003faa26b44d93e90c3f (MD5) Previous issue date: 1994 / Resumo: O veneno de Phoneutría nígríventer causa formação de edema local em pele de coelho por um mecanismo que envolve a ativação do sistema de calicreína tissular. O veneno de Phoneutría nígríventer produz ainda ereções prolongadas em cães, coelhos, ratos e no homem. Visto que a calicreína tissular está envolvida no sistema reprodutor masculino, o objetivo deste estudo foi investigar os efeitos do veneno de Phoneutría nígríventer sobre corpo cavernoso isolado de coelhos. Coelhos "New Zealand", machos, adultos (2-3 Kg) foram, anestesiados e exsanguinados Os pênis dos coelhos foram então retirados e os corpos cavernosos isolados e perfundidos em cascata (Vane, 1964). O veneno de Phoneutría nígríventer e demais agonistas foram administrados na forma de bolus; os antagonistas ou inibidores foram administrados continuamente por infusão. Veneno de Phoneutría nígríventer (3-1 00 µg), acetilcolina (0.1-100 nmol), bradicinina (1-3 nmol) e calicreína de pâncreas de porco (3-30 µg) induziram relaxamentos dose-dependentes da musculatura lisa cavernosa. O inibidor da síntese de EDRF N µ-nitro L- arginina metil ester (10 µM), mas não seu enantiômero D-NAME (10 µM), aboliu completamente os relaxamentos induzidos pela acetilcolina, bradicinina e Veneno de Phoneutría nígríventer sem afetar o relaxamento induzido pelo gliceriltrinitrato. O efeito inibitório do L-NAME foi parcialmente revertido pela infusão de L-Arginina (300 µM), mas não de D-Arginina (300 µM). O inibidor de protease aprotinina (10 µg/ml), conhecido por inibir a síntese de bradicinina, aboliu os relaxamentos da musculatura lisa cavernosa induzidos pelo veneno de Phoneutría nígríventer e calicreína tissular. O inibidor de cininase, II captopril (1-1 µM), potenciou os relaxamentos induzidos pelo Veneno de Phoneutría nígríventer, bradicinina e calicreína tissular. O inibidor de calicreína tissular Pro-Phe-Aph-Ser-Val-Gln-NH2 (KIZD-06, 1.3 µM) inibiu significativamente o relaxamento da musculatura lisa cavernosa induzido pelo veneno de Phoneutria nigriventer sem afetar aqueles induzidos por GTN e ACh. O inibidor de calicreína plasmática obtido do feijão de soja (soybean trypsin inhibitor; 10 µg/ml) não afetou os relaxamentos da musculatura lisa cavernosa inuzidos pelo veneno de Phoneutria nigriventer, bradicinina, acetilcolina ou calicreína. O antagonista de receptores B2 de bradicinina, HOE-140 (50nM) aboliu completamente os relaxamentos induzidos pelo veneno de Phoneutria nigriventer e bradicinina. Nossos resultados demonstram que o veneno de Phoneutria nigriventer ativa o sistema de calicreína tecidual levando à formação local de cininas e consequente liberação de EDRF (óxido nítrico) na musculatura lisa cavernosa de coelhos / Abstract: The roles of the tissue kallikrein-kinin system and nitric oxide (NO) release in Phoneutria nigriventer venom-induced relaxations of rabbit corpus cavernosum (RbCC) smooth muscle have been investigated using a bioassay cascade. Phoneutria nigriventer venom (10-30 µg), porcine pancreatic kallikrein (100 mU), rabbit urinary kallikrein (10 mU), bradykinin (BK, 0.3-3 nmol), acetylcholine (ACh, 0.3-30 nmol) and glyceryl trinitrate (GTN, 0.5-10 nmol) caused relaxations of the RbCC strips. Captopril (1 µ.M) substantially potentiated Phoneutria nigriventer venom- and BK-induced RbCC relaxations without affecting those elicited by GTN. The bradykinin B2 receptor antagonist Hoe 140 (D-Arg-[Hyp3,Thi5,Dtic7,Oic8]-BK, 50 nM), aprotinin (10 µg ml-1) and the tissue kallikrein inhibitor Pro-Phe-Aph-5er-Val-Gln-NH2 (KIZD-06, 1.3 µM) significantly inhibited Phoneutria nigriventer venom-induced RbCC relaxations, without affecting those provoked by GTN and ACh. The B1 receptor antagonist [Leu9]des Arg10BK (0.5 µM) and soybean trypsin inhibitor (SBTI, 10 µg ml-1) had no effect on Phoneutria nigriventer venom-induced RbCC relaxations. The relaxations induced by Phoneutria nigriventer venom, porcine pancreas kallikrein, BK and ACh were significantly inhibited by N µ-nitro-L-arginine methyl ester (L-NAME, 10 µM) but not by D-NAME (10 µM). L-NAME did not affect GTN-induced relaxations. L-arginine (300 µM), but not D-arginine (300 µM), significantly reversed the inhibitory effect of L-NAME. Our results indicate that Phoneutria nigriventer venom activates the tissue kallikrein-kininogen-kinin system in RbCC strips leading to NO release and suggest a functional role for this system in penile erection / Mestrado / Mestre em Farmacologia
9

Efeitos da injeção intracerebroventricular de derivados de melanocortina sobre o comportamento sexual de ratos machos

Pereira, Renata da Costa January 2013 (has links)
Existem 2 análogos sintéticos do hormônio estimulante de melanócitos na fração alfa (α-MSH): o melanotan I (MT-I) e o melanotan II (MT-II). O MT-II é uma droga utilizada comercialmente que age sobre o metabolismo energético, relacionando-se principalmente com o controle da ingestão alimentar e da massa corporal. Além desses efeitos, em seres humanos e em roedores, é capaz de produzir ereção peniana de forma espontânea. As funções do MT-I são menos conhecidas. Este estudo verificou a ação do análogo do MT-II, o Melanotan I, pela realização dos testes de Preferência ou Motivação Sexual e Desempenho Sexual. Foram avaliados 3 grupos (grupo teste –injetado intracerebroventricularmente - ICV- com 1μg de melanotan I diluído em 5 μl de água destilada, grupo controle – injetado ICV com 1μg de melanotan II diluído em 5 μl de água destilada e grupo controle negativo – injetado ICV com 1μg de γ-MSH diluído em 5 μl de água destilada). O teste de desempenho sexual verificou que o MT-I foi capaz de produzir ereções penianas nos animais avaliados, porém em menores proporções (36% dos animais) que o conhecido análogo MT-II (65% dos animais testados). A média do total de ereções (± EPM), ocorridas durante os 60 minutαs de observação após a injeção do MT-I, também se revelou inferior à provocada após a injeção do MT-II (1,6 ± 0,6 versus 5,2 ± 1,1) Observou-se que o MT-I reduziu a preferência sexual do macho por fêmea sexualmente ativa, uma medida de motivação sexual. O conjunto dos resultados deste trabalho permite concluir que o MT-I atua sobre o circuito neural do comportamento sexual de ratos machos, no entanto de forma menos efetiva que o MT-II com relação ao desempenho sexual (ereção). O MT-I injetado intracerebroventricularmente (ICV) surpreendentemente afetou negativamente a motivação sexual, nem o MT-II nem o γ-MSH afetaram esse comportamento.
10

Associação de carbonato de londenafil (Helleva) e treinamento fisico na ereção peniana de ratos / Association of lodenafil carbonate and physical training in the penile erection of rats

Pena, Clesio Borges 13 August 2018 (has links)
Orientador: Edson Antunes / Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade ce Ciencias Medicas / Made available in DSpace on 2018-08-13T10:46:39Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Pena_ClesioBorges_M.pdf: 779579 bytes, checksum: aeca20777087c88ff1ca05b3acc4316c (MD5) Previous issue date: 2009 / Resumo: A ereção peniana envolve a interação da estimulação neural do músculo liso do corpo cavernoso bem como liberação neuro-humoral de fatores contráteis e relaxantes do endotélio. A cascata de sinalização óxido nítrico (NO)/(GMPc) é o evento mais importante e efetivo no mecanismo de ereção peniana. Nesta última década, diversos inibidores de fosfodiesterase tipo 5 (PDE5) foram desenvolvidos e aprovados para o tratamento da disfunção erétil. Estes fármacos atuam inibindo a ação da PDE5 sobre o GMPc, que modula respostas fisiológicas em vários tecidos, como o relaxamento do músculo liso do corpo cavernoso. Dentre os inibidores de PDE5, são atualmente comercializados o sildenafil, tadalafil, vardenafil e o carbonato de lodenafil, sendo este último sintetizado no Brasil. Os objetivos deste trabalho foram: 1. Avaliar a eficácia do carbonato de lodenafil na função erétil de ratos, usando a técnica de pressão intracavernosa (ICP); 2. Avaliar o possível sinergismo entre o treinamento físico e o inibidor de PDE5 carbonato de lodenafil; e 3. Avaliar o efeito do carbonato de lodenafil, isoladamente, ou em associação com o treinamento físico na ICP de ratos submetidos (ou não) ao tratamento crônico com L-NAME. Ratos Wistar machos foram anestesiados com uretana (1,2 g/ Kg) por via intraperitonial. A seguir foi realizada uma traqueostomia para facilitar a respiração do animal, e a artéria carótida foi canulada para o monitoramento contínuo da pressão arterial média (MAP). Uma cânula provida de agulha foi inserida no corpo cavernoso esquerdo para registro da ICP, usando-se transdutores de pressão. A cavidade abdominal foi aberta expondo o nervo cavernoso esquerdo, localizado na região dorso-lateral da próstata. Um eletrodo bipolar de platina conectado a um estimulador foi posicionado sobre o nervo cavernoso. Estimulações elétricas do nervo cavernoso (pulso de 1 ms, 45 s, 6 V) a diferentes freqüências (2, 4, 6, 8 e 10 Hz) foram aplicadas. As alterações de pressão foram registradas em sistema PowerLab de aquisição de dados. A administração da droga foi realizada pela veia jugular. O treinamento físico teve duração de oito semanas, em sessões de uma hora por dia, cinco dias por semana. O grupo que recebeu L-NAME fez um treinamento físico preventivo de quatro semanas, e no início da quinta semana o L-NAME passou a ser administrado na dose aproximada de 10 mg/rato/dia, durante 4 semanas. Observamos que o treinamento físico em animais normotensos não alterou a pressão arterial média nem a pressão intracavernosa. O tratamento crônico com L-NAME aumentou a pressão arterial média nos animais sedentários. No entanto, este aumento foi atenuado nos animais submetidos ao treinamento físico. O L-NAME aboliu a resposta erétil (valores de ICP) nos animais sedentários. O treinamento físico não foi capaz de prevenir ou atenuar a queda da pressão intracavernosa induzida pelo L-NAME. O carbonato de lodenafil se mostrou eficaz em promover aumento da pressão intracavernosa tanto em animais sedentários bem como em treinados, no entanto, não houve sinergismo entre o treinamento físico e o carbonato de lodenafil. Adicionalmente, a associação entre treinamento físico e carbonato de lodenafil não foi eficaz em restaurar os valores de ICP em animais tratados com L-NAME. / Abstract: Penile erection involves an interaction between neural stimulation of the corpus cavernosum smooth muscle and neurohumoral contractile and relaxing factors released from the endothelium. The nitric oxide (NO)/cGMP pathway is the most important and effective mechanism of penile erection. In the last decade, phosphodiesterase 5 (PDE5) inhibitors were developed and approved for treating erectile dysfunction. These compounds inhibit the PDE5, which deactivates the cGMP, responsible by several physiological responses in many tissues, such as the relaxation of the corpus cavernosum smooth muscle. To date, 4 PDE5 inhibitors are commercially available, sildenafil, tadalafil, vardenafil and lodenafil carbonate, the last one being synthesized in Brazil. The aim of this work was: 1) to evaluate the efficacy of lodenafil carbonate in rat erectile function, measured by the intracavernous pressure (ICP); 2) to evaluate whether the erectile responses of lodenafil carbonate are potentiated in exercised rats; and 3) to evaluate the effects of lodenafil carbonate, only, or associated to physical exercise in the ICP, in rats submitted (or not) to chronic treatment with L-NAME. Male Wistar rats were anesthetized with urethane (1.2 g/Kg, i.p.). It was performed a tracheotomy to allow the animal to breath, and the carotid artery was cannulated to continuously measure the mean arterial pressure (MAP). A needle coupled to a cannula was inserted in the left corpus cavernosum to measure ICP. The abdominal cavity was open and the cavernous nerve was exposed. A platinum bipolar electrode was placed on the cavernous nerve and connected to an electric stimulator. Electrical field stimulation of the cavernous nerve (pulses of 1 ms, 45 s, 6 V) under different frequencies (2, 4, 6, 8 e 10 Hz) were applied. Changes in the MAP and ICP were registered in a Powerlab¿ data acquisition system. Drugs were administered via jugular vein. The physical training program consisted in 60 min/day of running, 5 days/week and lasted eight weeks. In the group exercised which received L-NAME (10 mg/rat/day), LNAME administration started after the fourth week of training, during 4 weeks further. We observed that the physical training did not alter MAP and ICP in normotensive rats. Chronic L-NAME administration increased the MAP in sedentary rats. However, this increase was attenuated in trained rats. L-NAME administration blunted the increase in the ICP in sedentary rats and exercise was not able to prevent or attenuate this decrease in the ICP induced by L-NAME. Lodenafil carbonate was efficient in promote an increase in the ICP in both sedentary and trained animal. However, there was no synergism between lodenafil carbonate and exercise in producing increase in the ICP. Additionally, association between exercise and lodenafil carbonate was not able to restore the ICP in L-NAMEtreated animal. / Mestrado / Mestre em Farmacologia

Page generated in 0.077 seconds