• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 32
  • Tagged with
  • 32
  • 32
  • 9
  • 8
  • 8
  • 8
  • 8
  • 8
  • 7
  • 6
  • 6
  • 6
  • 6
  • 6
  • 6
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Comparação entre frutose-1,6-bisfosfato e solução da Universidade de Wisconsin na preservação de fígados de ratos : a proteção contra o dano precoce isquemia/reperfusão

Fraga, Raquel Scherer de January 2007 (has links)
Frutose-1,6-bisfosfato (FBP) é um intermediário energético da rota glicolítica que vem sendo estudado como protetor celular em diversas situações patológicas, como choque séptico, e em modelos experimentais de isquemia/reperfusão em diferentes órgãos. Este estudo comparou solução de FBP com a solução da Universidade de Wisconsin (UW) durante a isquemia a frio e após a reperfusão. Ratos adultos Wistar machos foram divididos em dois grupos experimentais de acordo com as diferentes soluções de preservação: Grupo 1 (UW) e Grupo 2 (solução de FBP). Foram realizadas dosagens de AST, ALT e LDH no líquido de preservação em 2, 4 e 6 h de isquemia a frio. Após 6 h, o fígado preservado foi perfundido por 15 min através de um modelo experimental de reperfusão hepática. Após este período, foi interrompido o sistema de reperfusão, sendo coletadas amostras de sangue do efluente venoso para determinação de AST, ALT, LDH e TBARS. Foram também seccionados fragmentos do fígado para análise histopatológica, dosagem de TBARS, catalase, derivados do NO e avaliação espectrofotométrica das mitocôndrias. As dosagens de AST e LDH no líquido de preservação em 2, 4 e 6 h foram significativamente maiores no Grupo 1. Entretanto, após a reperfusão os níveis de AST, ALT e LDH no soro e a atividade da catalase no tecido hepático foram maiores no Grupo 2. Em contrapartida, as medidas de TBARS e derivados do NO foram semelhantes entre os grupos. Adicionalmente, a avaliação espectrofotométrica das mitocôndrias do tecido hepático demonstrou maior alteração na vibração das proteínas da membrana mitocondrial no grupo da FBP. Na análise histológica não houve sinais de dano de preservação em nenhuma das lâminas estudadas. Entretanto, em todos os fígados do Grupo 2 houve congestão sinusoidal importante, o que não se repetiu em qualquer animal do Grupo 1. Dessa forma, a FBP apresenta um efeito protetor durante a preservação a frio de fígados de ratos, mas não previne o dano após a reperfusão. / Background/Aims: Fructose- 1,6- bisphosphate (FBP) has been shown to exert therapeutic effects on sepsis and in models of ischemia-reperfusion on organs other than the liver. This study compared FBP and UW solution during cold storage and reperfusion. Methods: Adult male Wistar rats were randomly assigned accordingly to different preservation solutions: UW or FBP. Measurements of AST, ALT and LDH were performed on samples of the cold storage solution at 2, 4 and 6 hours of preservation, and a novel isolated rat liver perfusion model was applied, and blood samples were taken for measurements of AST, ALT, LDH and thiobarbituric acid reactive substances (TBARS). Liver fragments were processed for histological examination and for determination of TBARS, catalase and nitric oxide derivatives (NO).Results: At 2, 4 and 6 hours of preservation, AST and LDH was lower in the FBP group, but after reperfusion, serum levels of AST, ALT and LDH were higher in this group, and so was catalase activity. TBARS and NO measurements were comparable between in both groups. No signs of preservation injury were observed in any liver biopsy specimens, but sinusoidal congestion was universally present in livers preserved with the FBP solution. Conclusions: FBP solution showed a protective effect for the preservation of rat livers during cold storage, but failed to prevent organ injury after reperfusion.
2

Comparação entre frutose-1,6-bisfosfato e solução da Universidade de Wisconsin na preservação de fígados de ratos : a proteção contra o dano precoce isquemia/reperfusão

Fraga, Raquel Scherer de January 2007 (has links)
Frutose-1,6-bisfosfato (FBP) é um intermediário energético da rota glicolítica que vem sendo estudado como protetor celular em diversas situações patológicas, como choque séptico, e em modelos experimentais de isquemia/reperfusão em diferentes órgãos. Este estudo comparou solução de FBP com a solução da Universidade de Wisconsin (UW) durante a isquemia a frio e após a reperfusão. Ratos adultos Wistar machos foram divididos em dois grupos experimentais de acordo com as diferentes soluções de preservação: Grupo 1 (UW) e Grupo 2 (solução de FBP). Foram realizadas dosagens de AST, ALT e LDH no líquido de preservação em 2, 4 e 6 h de isquemia a frio. Após 6 h, o fígado preservado foi perfundido por 15 min através de um modelo experimental de reperfusão hepática. Após este período, foi interrompido o sistema de reperfusão, sendo coletadas amostras de sangue do efluente venoso para determinação de AST, ALT, LDH e TBARS. Foram também seccionados fragmentos do fígado para análise histopatológica, dosagem de TBARS, catalase, derivados do NO e avaliação espectrofotométrica das mitocôndrias. As dosagens de AST e LDH no líquido de preservação em 2, 4 e 6 h foram significativamente maiores no Grupo 1. Entretanto, após a reperfusão os níveis de AST, ALT e LDH no soro e a atividade da catalase no tecido hepático foram maiores no Grupo 2. Em contrapartida, as medidas de TBARS e derivados do NO foram semelhantes entre os grupos. Adicionalmente, a avaliação espectrofotométrica das mitocôndrias do tecido hepático demonstrou maior alteração na vibração das proteínas da membrana mitocondrial no grupo da FBP. Na análise histológica não houve sinais de dano de preservação em nenhuma das lâminas estudadas. Entretanto, em todos os fígados do Grupo 2 houve congestão sinusoidal importante, o que não se repetiu em qualquer animal do Grupo 1. Dessa forma, a FBP apresenta um efeito protetor durante a preservação a frio de fígados de ratos, mas não previne o dano após a reperfusão. / Background/Aims: Fructose- 1,6- bisphosphate (FBP) has been shown to exert therapeutic effects on sepsis and in models of ischemia-reperfusion on organs other than the liver. This study compared FBP and UW solution during cold storage and reperfusion. Methods: Adult male Wistar rats were randomly assigned accordingly to different preservation solutions: UW or FBP. Measurements of AST, ALT and LDH were performed on samples of the cold storage solution at 2, 4 and 6 hours of preservation, and a novel isolated rat liver perfusion model was applied, and blood samples were taken for measurements of AST, ALT, LDH and thiobarbituric acid reactive substances (TBARS). Liver fragments were processed for histological examination and for determination of TBARS, catalase and nitric oxide derivatives (NO).Results: At 2, 4 and 6 hours of preservation, AST and LDH was lower in the FBP group, but after reperfusion, serum levels of AST, ALT and LDH were higher in this group, and so was catalase activity. TBARS and NO measurements were comparable between in both groups. No signs of preservation injury were observed in any liver biopsy specimens, but sinusoidal congestion was universally present in livers preserved with the FBP solution. Conclusions: FBP solution showed a protective effect for the preservation of rat livers during cold storage, but failed to prevent organ injury after reperfusion.
3

Comparação entre frutose-1,6-bisfosfato e solução da Universidade de Wisconsin na preservação de fígados de ratos : a proteção contra o dano precoce isquemia/reperfusão

Fraga, Raquel Scherer de January 2007 (has links)
Frutose-1,6-bisfosfato (FBP) é um intermediário energético da rota glicolítica que vem sendo estudado como protetor celular em diversas situações patológicas, como choque séptico, e em modelos experimentais de isquemia/reperfusão em diferentes órgãos. Este estudo comparou solução de FBP com a solução da Universidade de Wisconsin (UW) durante a isquemia a frio e após a reperfusão. Ratos adultos Wistar machos foram divididos em dois grupos experimentais de acordo com as diferentes soluções de preservação: Grupo 1 (UW) e Grupo 2 (solução de FBP). Foram realizadas dosagens de AST, ALT e LDH no líquido de preservação em 2, 4 e 6 h de isquemia a frio. Após 6 h, o fígado preservado foi perfundido por 15 min através de um modelo experimental de reperfusão hepática. Após este período, foi interrompido o sistema de reperfusão, sendo coletadas amostras de sangue do efluente venoso para determinação de AST, ALT, LDH e TBARS. Foram também seccionados fragmentos do fígado para análise histopatológica, dosagem de TBARS, catalase, derivados do NO e avaliação espectrofotométrica das mitocôndrias. As dosagens de AST e LDH no líquido de preservação em 2, 4 e 6 h foram significativamente maiores no Grupo 1. Entretanto, após a reperfusão os níveis de AST, ALT e LDH no soro e a atividade da catalase no tecido hepático foram maiores no Grupo 2. Em contrapartida, as medidas de TBARS e derivados do NO foram semelhantes entre os grupos. Adicionalmente, a avaliação espectrofotométrica das mitocôndrias do tecido hepático demonstrou maior alteração na vibração das proteínas da membrana mitocondrial no grupo da FBP. Na análise histológica não houve sinais de dano de preservação em nenhuma das lâminas estudadas. Entretanto, em todos os fígados do Grupo 2 houve congestão sinusoidal importante, o que não se repetiu em qualquer animal do Grupo 1. Dessa forma, a FBP apresenta um efeito protetor durante a preservação a frio de fígados de ratos, mas não previne o dano após a reperfusão. / Background/Aims: Fructose- 1,6- bisphosphate (FBP) has been shown to exert therapeutic effects on sepsis and in models of ischemia-reperfusion on organs other than the liver. This study compared FBP and UW solution during cold storage and reperfusion. Methods: Adult male Wistar rats were randomly assigned accordingly to different preservation solutions: UW or FBP. Measurements of AST, ALT and LDH were performed on samples of the cold storage solution at 2, 4 and 6 hours of preservation, and a novel isolated rat liver perfusion model was applied, and blood samples were taken for measurements of AST, ALT, LDH and thiobarbituric acid reactive substances (TBARS). Liver fragments were processed for histological examination and for determination of TBARS, catalase and nitric oxide derivatives (NO).Results: At 2, 4 and 6 hours of preservation, AST and LDH was lower in the FBP group, but after reperfusion, serum levels of AST, ALT and LDH were higher in this group, and so was catalase activity. TBARS and NO measurements were comparable between in both groups. No signs of preservation injury were observed in any liver biopsy specimens, but sinusoidal congestion was universally present in livers preserved with the FBP solution. Conclusions: FBP solution showed a protective effect for the preservation of rat livers during cold storage, but failed to prevent organ injury after reperfusion.
4

Efeito da frutose-1,6-bisfosfato sobre as alterações renais associadas à pancreatite aguda experimental

Almeida, Izabel Cristina Schander de January 2007 (has links)
Made available in DSpace on 2013-08-07T19:05:52Z (GMT). No. of bitstreams: 1 000391279-Texto+Completo-0.pdf: 298165 bytes, checksum: c9ce6c428e2595e3599ded6ec2298cf2 (MD5) Previous issue date: 2007 / Acute renal failure that develops during an episode of acute pancreatitis worsens the prognosis. The physiopathological mechanisms underling this complication are not completely understood. As there is no specif treatment for acute pancreatitis, fructose-1,6-bisphosphate was studied as possible protective agent for its associated renal lesions because it has been demonstrated to protect the kidney in other clinical settings. In the present investigation, acute pancreatitis was induced by 12-h pancreatic duct ligation in male Wistar rats. Rats were divided in 4 groups: sham, pancreatic duct ligation, pancreatic duct ligation and saline administration and pancreatic duct ligation and fructose-1,6-bisphosphate administration. Fructose-1,6- bisphosphate or saline were given intraperitoneally. Hemoconcentration was observed after pancreatitis induction, but prevented by administration of either saline or fructose-1,6-bisphosphate. Acute renal failure was also observed after pancreatitis induction (creatinine clearance=0. 30 mL/min; sham group=0,66mL/min) probably due to acute tubular necrosis (fractional sodium excretion=1. 48%; sham=0. 52%).Fructose-1,6-bisphosphate prevented these alterations (creatinine clearance=0. 50mL/min, fractional sodium excretion=1. 15%). However the same was not observed with saline (creatinine clearance=0. 35mL/min, fractional sodium excretion=3. 19%). Urinary excretion of N-acetyl-β-D-glucosaminidase (NAG) was also used as a marker of renal lesion. Its excretion was elevated in the pancreatic duct ligation group and even more elevated after saline administration. Fructose-1,6- bisphosphate was not capable of preventing this rise. Nevertheless, it prevented NAG urinary increase after saline administration on the pancreatitis group. Serum level of thiobarbituric acid reactive substances (TBARS) was used to evaluate the oxidative stress, and have shown the same alterations as those observed with NAG. Clearly, a clinically applicable experimental model of acute pancreatitis needs to be developed, as more questions than answers remain. Here, it was demonstrated the reversibility of acute pancreatitis by the development of an experimental model of temporary pancreatic duct obstruction. / A insuficiência renal aguda que se desenvolve no curso de uma pancreatite aguda é um fator de mal prognóstico. Os mecanismos fisiopatológicos da insuficiência renal aguda nesses pacientes não estão totalmente elucidados. Como não há tratamento específico para a pancreatite aguda, a frutose-1,6-bisfostato foi estudada como possível agente preventivo de lesões renais associadas a esta patologia, pois já foi demonstrado o seu papel protetor sobre o rim em outras situações. No presente estudo, a pancreatite aguda foi induzida em ratos Wistar machos, por ligadura do ducto pancreático principal por um período de 12 (doze) horas. Os animais foram divididos em 4(quatro) grupos: sham (somente realização de laparotomia), ligadura do ducto pancreático, ligadura do ducto pancreático e administração de solução salina, ligadura do ducto pancreático e administração de frutose- 1,6-bisfosfato. A frutose-1,6-bisphosphato e a solução salina foram administradas por via intraperitoneal. Houve hemoconcentração nos animais após indução da pancreatite e esta foi prevenida pela administração de solução salina e frutose-1,6-bisfosfato. A insuficiência renal aguda foi observada após indução da pancreatite (depuração da creatinina endógena= 0,30 mL/min, no grupo sham= 0,66 mL/min) provavelmente devido à necrose tubular aguda (fração excretada de sódio=1,48%; sham=0,52%).A administração da frutose-1,6-bisfofato foi capaz de prevenir essas alterações (depuração da creatinina endógena=0. 50mL/min, fração excretada de sódio=1,15%). No entanto, o mesmo não foi observado com a solução salina (depuração da creatinina endógena=0,35mL/min, fração excretada de sódio=3,19%). A excreção urinária da enzima N-acetil-b-D-glucosaminidase (NAG) foi utilizada como marcador de lesão renal. Sua excreção estava elevada no grupo submetido à ligadura do ducto pancreático. A administração de solução salina elevou ainda mais a sua atividade. A frutose-1,6-bisfosfato não foi capaz de prevenir essa elevação. O nível sérico das substâncias reativas do ácido tiobarbitúrico (TBARS), utilizadas para avaliação do estresse oxidativo no curso da pancreatite aguda, mostrou alterações paralelas às do NAG. Há a necessidade do desenvolvimento de um modelo experimental de pancreatite aguda pois há mais perguntas do que respostas. Neste estudo foi demonstrada a reversibilidade da pancreatite aguda através do desenvolvimento de um modelo experimental de obstrução temporária do ducto pancreático.
5

Avaliação da atividade da frutose-1, 6-bisfosfato no crescimento celular de hepatocarcinoma (HEPG2)

Krause, Gabriele Catyana January 2014 (has links)
Made available in DSpace on 2014-08-12T02:01:59Z (GMT). No. of bitstreams: 1 000460176-Texto+Completo-0.pdf: 769931 bytes, checksum: 51ce02520c2340026c784bc9ef36d15d (MD5) Previous issue date: 2014 / Hepatocellular carcinoma (HCC) is the most frequent primary tumor of the liver, and is currently one of the major neoplastic diseases, representing 85% of primary liver tumors and is the third leading cause of cancer-related death. The development of the majority of hepatocellular carcinomas related to the presence of a disease resulting from cirrhosis, such as hepatitis B and C. Its incidence has increased in recent years due to the number of patients with infections caused by hepatitis C. The aim of this study was investigate the in vitro effect of fructose-1,6-bisphosphate (FBP) on the growth of HepG2 cells, used as a model to hepatocellular carcinoma. The results showed that the FBP decreases cell proliferation in a dose-dependent manner, not being caused by cell cycle arrest or apoptosis verified by flow cytometry. It was observed that at 72 h of treatment FBP decreased levels of IL-8, which is closely related to the tumor progression and the generation of reactive oxygen species. Moreover, FBP decreased oxidative stress by increasing the levels of catalase and decrease TBARS, this effect is possibly caused by the result of low IL- 8. These findings demonstrated that the FBP may be a potential anticancer agent for the treatment of HCC. / O hepatocarcinoma (HCC) é o tumor primário de fígado mais frequente, sendo atualmente uma das principais doenças neoplásicas, representando 85% dos tumores hepáticos primários e sendo a terceira maior causa de morte relacionada ao câncer. O desenvolvimento da maioria dos hepatocarcinomas relaciona-se com a presença de alguma doença decorrente do quadro de cirrose, como hepatite B e C. Sua incidência tem aumentado nos últimos anos devido ao número de pacientes com infecções por hepatite C. O objetivo deste estudo foi investigar, in vitro, o efeito da frutose-1,6-bisfosfato (FBP) sobre o crescimento das células HepG2, modelo utilizado como carcinoma hepatocelular. Os resultados demonstraram que a FBP diminui a proliferação celular em uma relação dose-dependente, não sendo essa proliferação ocasionada por parada no ciclo celular ou apoptose verificado pelos testes de citometria. Observou-se que em 72 h de tratamento a FBP diminuiu os níveis de Interleucina 8 (IL-8), sendo esta interleucina relacionada com a progressão tumoral e a geração de espécies reativas de oxigênio. Além disso, a FBP diminuiu o estresse oxidativo, aumentando os níveis de catalase e diminuindoa produção das substâncias reativas ao ácido tiobarbitúrico(TBARS), sendo esse efeito antioxidante possivelmente ocasionado por conseqüênte diminuição de IL-8. Estes resultados demonstraram que a FBP pode ser um agente antineoplásico em potencial para o tratamento de hepatocarcinoma.
6

Efeito da frutose-1,6-bisfosfato sobre as altera??es renais associadas ? pancreatite aguda experimental

Almeida, Izabel Cristina Schander de 26 March 2007 (has links)
Made available in DSpace on 2015-04-14T13:34:35Z (GMT). No. of bitstreams: 1 391279.pdf: 298165 bytes, checksum: c9ce6c428e2595e3599ded6ec2298cf2 (MD5) Previous issue date: 2007-03-26 / A insufici?ncia renal aguda que se desenvolve no curso de uma pancreatite aguda ? um fator de mal progn?stico. Os mecanismos fisiopatol?gicos da insufici?ncia renal aguda nesses pacientes n?o est?o totalmente elucidados. Como n?o h? tratamento espec?fico para a pancreatite aguda, a frutose-1,6-bisfostato foi estudada como poss?vel agente preventivo de les?es renais associadas a esta patologia, pois j? foi demonstrado o seu papel protetor sobre o rim em outras situa??es. No presente estudo, a pancreatite aguda foi induzida em ratos Wistar machos, por ligadura do ducto pancre?tico principal por um per?odo de 12 (doze) horas. Os animais foram divididos em 4(quatro) grupos: sham (somente realiza??o de laparotomia), ligadura do ducto pancre?tico, ligadura do ducto pancre?tico e administra??o de solu??o salina, ligadura do ducto pancre?tico e administra??o de frutose- 1,6-bisfosfato. A frutose-1,6-bisphosphato e a solu??o salina foram administradas por via intraperitoneal. Houve hemoconcentra??o nos animais ap?s indu??o da pancreatite e esta foi prevenida pela administra??o de solu??o salina e frutose-1,6-bisfosfato. A insufici?ncia renal aguda foi observada ap?s indu??o da pancreatite (depura??o da creatinina end?gena= 0,30 mL/min, no grupo sham= 0,66 mL/min) provavelmente devido ? necrose tubular aguda (fra??o excretada de s?dio=1,48%; sham=0,52%). A administra??o da frutose-1,6-bisfofato foi capaz de prevenir essas altera??es (depura??o da creatinina end?gena=0.50mL/min, fra??o excretada de s?dio=1,15%). No entanto, o mesmo n?o foi observado com a solu??o salina (depura??o da creatinina end?gena=0,35mL/min, fra??o excretada de s?dio=3,19%). A excre??o urin?ria da enzima N-acetil-b-D-glucosaminidase (NAG) foi utilizada como marcador de les?o renal. Sua excre??o estava elevada no grupo submetido ? ligadura do ducto pancre?tico. A administra??o de solu??o salina elevou ainda mais a sua atividade. A frutose-1,6-bisfosfato n?o foi capaz de prevenir essa eleva??o. O n?vel s?rico das subst?ncias reativas do ?cido tiobarbit?rico (TBARS), utilizadas para avalia??o do estresse oxidativo no curso da pancreatite aguda, mostrou altera??es paralelas ?s do NAG. H? a necessidade do desenvolvimento de um modelo experimental de pancreatite aguda pois h? mais perguntas do que respostas. Neste estudo foi demonstrada a reversibilidade da pancreatite aguda atrav?s do desenvolvimento de um modelo experimental de obstru??o tempor?ria do ducto pancre?tico
7

Uso da frutose-1,6-bisfosfato como alternativa para o isolamento de ilhotas pancreáticas

Oliveira, Carmen Silvana Araujo de January 2008 (has links)
Made available in DSpace on 2013-08-07T19:05:09Z (GMT). No. of bitstreams: 1 000412115-Texto+Completo-0.pdf: 1421285 bytes, checksum: 45019602bb21738c0816090a64e131f0 (MD5) Previous issue date: 2008 / The islets transplantation is an alternative for the treatment of type 1 diabetes mellitus. However, during the process of isolation, there are large cell loss, mainly on the periphery of the pancreatic islet. The reactive oxygen species (ROS) contribute significantly in this process affecting the viability of these cells for transplant. Various efforts are being made in an attempt to minimize the damage caused by the release and production of ROS. Presenting important role in cytoprotection and reducing training and free radicals, the fructose-1,6- bisphosphate is a metabolic regulator that stimulates the catabolic reactions of glycolysis, contributing to improved preservation of the tissue in front of organs such as heart ischemia, liver and kidneys. Facing these characteristics, the fructose-1,6-bisphosphate may present an opportunity to use the isolation of islets in an attempt to promote cellular protection. A study using FBP during the isolation of pancreatic islets in mice, analyzing the counting and cell viability, as well as the measurement of free radicals. In this study found no effect at different concentrations of FBP versus control, both in the counting of pancreatic islets as in its viability. In the measurement of free radicals neither the action cytoprotector was observed at doses of FBP studied. / O transplante de ilhotas surge como uma alternativa para o tratamento do diabetes mellitus tipo 1. Entretanto, durante o processo de isolamento, há grande perda celular, principalmente na periferia da ilhota pancreática. As espécies reativas de oxigênio (ROS) contribuem significativamente neste processo afetando a viabilidade destas células para transplante. Vários esforços estão sendo feitos na tentativa de minimizar os danos causados pela liberação e produção de ROS. Apresentando importante papel de citoproteção e redução da formação e liberação de radicais livres, a frutose-1,6-bisfosfato é um regulador metabólico que estimula as reações catabólicas da glicólise, contribuindo para melhora da preservação do tecido frente à isquemia em órgãos como coração, fígado e rins. Diante destas características, a frutose-1,6-bisfosfato pode apresentar uma possibilidade de uso no isolamento de ilhotas na tentativa de promover proteção celular. Foi realizado um estudo utilizando FBP durante o isolamento de ilhotas pancreáticas de camundongos, analisando a contagem e a viabilidade celular, assim como a mensuração de radicais livres. Nesse trabalho não foi encontrado efeito nas diferentes concentrações de FBP versus controle, tanto na contagem de ilhotas pancreáticas quanto nas suas viabilidades. Na mensuração dos radicais livres também não foi observado a ação citoprotetora nas doses de FBP estudadas.
8

Avaliação do efeito protetor da Frutose-1,6-bisfosfato na sepse induzida por Candida albicans em camundongos

Santos, Roberto Christ Vianna January 2010 (has links)
Made available in DSpace on 2013-08-07T18:41:36Z (GMT). No. of bitstreams: 1 000430781-Texto+Completo-0.pdf: 5344417 bytes, checksum: ac9d8005af7e08aa4f34ebcea8bacac1 (MD5) Previous issue date: 2010 / The aim of this research was to determine the role in the modulation of inflammation of Fructose-1,6-bisphosphate, in experimental C. albicans-induced sepsis, and in COX-2, IL-6 and NF-Kappa B gene expression, NOx production and expression of iNOS in macrophages. Intratracheal sepsis model was performed in CF-1 mice, using fluconazole-resistant and -susceptible strains of C. albicans. FBP (500mg/Kg) was administered to mice at the time of operation in Sepsis + FBP Group. Five to six animals from each group were killed 24h, 5 days, and 10 days after the sepsis induction. Blood was taken for assessment of complete hematological profile and cytokine assay (IL-6 and MCP-1). The rest of the mice were observed for mortality. In order to determine the possible anti-inflammatory mechanism of FBP, a series of transfections in RAW macrophages using COX-2, IL-6 and NF-Kappa B promoters has been conducted. The NO production by macrophages and iNOS expression in RAW has been determined. We also investigate the regions of COX-2 promoter gene that mediate the inductive effects of zymosan. Transient transfections with a series of COX-2 promoter–mutation constructs were performed to further elucidate the effects of zymosan on COX-2 transcription. Mortality decreased significantly in groups that received FBP in C. albicans susceptible to fluconazole group. All cytokine and hematological indexes of FBP group were similar to sepsis group, with exception of platelets count. FBP significantly prevented the decrease in platelets count. FBP does not seem to act in the transcription of COX-2, IL-6, and NF-Kappa B. FBP reduced amounts of NOx levels in BAL fluid through the inhibition of expression of iNOS. Exposure to zymosan (50 g/mL for 24 h) markedly enhanced the relative luciferase activity in RAW 264. 7 macrophages transfected with COX-2 luciferase promoter constructs. Deletion on the CCAAT-enhancer binding protein (C/EBP) and nuclear factor kappa B (NF-kappa B) binding site resulted in an important decrease in reporter gene activity and a deletion of NF-kappa B and C/EBP with mutation of the cyclic adenosine monophosphate response element (CRE) and/or activator protein-1(AP-1) totally abolished the COX-2 activity induced by zymosan. / O objetivo deste estudo foi determinar o papel da Frutose-1,6-bisfosfato na modulação do processo inflamatório na sepse induzida por C. albicans, na expressão de COX-2, IL-6 e NF-Kappa B e na produção de NO e expressão de iNOS em macrófagos. Um modelo de sepse intratraqueal foi realizado em camundongos CF-1 utilizando cepas de C. albicans sensíveis e resistentes ao fluconazol. FBP(500mg/kg) foi administrada aos animais no momento no momento da indução no grupo Sepse+FBP. Cinco a seis animais de cada grupo foram mortos 24h, 5dias e 10 dias após a indução de sepse. O sangue foi coletado para a realização do perfil hematológico completo e para o ensaio das citocinas (IL-6 e MCP-1). O restante dos animais foram utilizados para dados de mortalidade. A fim de determinar o possível efeito anti-inflamatório da FBP, uma série de transfecções utilizando promotores dos genes COX-2, IL-6 e NF-Kappa B foram realizados em células RAW. A produção de NO em macrófagos e a expressão de iNOS em RAW também foi realizada. Investigamos ainda as regiões do promotor do gene da COX-2 que realizam a mediação dos efeitos do zymosan. Transfecções transientes com uma série de contruções com mutações na região promotora da COX-2 foram realizadas para elucidar os efeitos do zymosan na transcrição da COX-2. A mortalidade diminuiu significativamente nos animais que receberam FBP após indução no grupo C. albicans sensível ao fluconazol. As citocinas e os índices hematológicos foram similares ao grupo sepse, com exceção da contagem de plaquetas. A FBP previne significativamente o decréscimo do número de plaquetas. A FBP parece não atuar na transcrição de COX-2, IL-6 e NF-Kappa B. A FBP reduziu os níveis de NO no lavado bronco-alveolar através da inibição da expressão de iNOS.A exposição ao zymosan (50μg/ml por 24h) marcadamente aumenta a atividade relativa de luciferase em macrófagos RAW transfectados com o promotor da COX-2. Deleções nos sítios de ligação C/EBP e NF-Kappa B resultam em um importante decréscimo na atividade do gene repórter e uma deleção no sítio NF-Kappa B e C/EBP com mutações nos sítios CRE e/ou AP-1 anula a atividade da COX-2 induzida por zymosan.
9

Avaliação da frutose-1,6-bisfosfato sobre o estado de ativação em linhagem celular GRX

Mesquita, Fernanda Cristina de January 2013 (has links)
Made available in DSpace on 2013-08-07T18:41:55Z (GMT). No. of bitstreams: 1 000447380-Texto+Completo-0.pdf: 675913 bytes, checksum: bfb87e6d734478e3c7bb6275c3132761 (MD5) Previous issue date: 2013 / Liver fibrosis is the wound healing response to repeated injury of the liver. It is characterized by disruption of the liver architecture associated with increased expression of extracellular matrix components. Hepatic stellate cells (HSC) play a key role in liver fibrogenesis. In normal liver, HSC are quiescent and its main function is to store vitamin A. During liver injury, these cells undergo activation, become myofibroblasts and acquire fibrogenic properties. Activation of PPARγ (peroxisome proliferator-activated receptor gamma) and inhibition of fibrogenic molecules are potential strategies to block HSC activation and differentiation. Aware that the process of hepatic fibrosis involves inflammatory mediators, various anti-inflammatory substances have been studied in an attempt to revert fibrosis. The purpose of this study was to investigate the in vitro effects of fructose-1,6-bisphospahte (FBP) on HSC phenotype. The results demonstrated that FBP induced quiescent phenotype in HSC via PPARγ activation. Significant decrease in type I collagen mRNA expression was observed in the first 24h of treatment. These events preceded the reduction of TGF-β1 (transforming growth factor-beta) and total collagen secretion. Thus, FBP promoted downregulation of HSC activation by its antifibrotic and anti-inflammatory actions. These findings demonstrate that FBP may have potential as a novel therapeutic agent for the treatment of liver fibrosis. / A fibrose hepática é a resposta cicatricial do fígado a lesões continuadas, caracterizada pelo rompimento da arquitetura hepática associada ao aumento da expressão dos componentes da matriz extracelular. As células estreladas hepáticas (HSC) desempenham um papel fundamental no processo de fibrogênese. No fígado normal, as HSC encontram-se em sua forma quiescente de depósito de vitamina A. Durante a lesão hepática, essas células passam por uma ativação fenotípica, tornam-se miofibroblastos e adquirem propriedades fibrogênicas. O processo de fibrose hepática envolve vários mediadores inflamatórios e, portanto, substâncias anti-inflamatórias tem sido empregadas na tentativa de reverter a fibrose e bloquear a ativação e diferenciação das HSC. A ativação de PPARγ (receptor ativado por proliferador de peroxissomo Gama) e a inibição de moléculas fibrogênicas são possíveis estratégias para estes fins.O objetivo deste estudo foi investigar os efeitos in vitro da frutose-1,6-bisfosfato (FBP) sobre o fenótipo das HSC. Os resultados demonstraram que a FBP é capaz de induzir o fenótipo quiescente das HSC via ativação de PPARγ. Foi observado nas primeiras 24h de tratamento uma diminuição significativa da expressão de mRNA de colágeno tipo I. Posteriormente, houve uma redução do colágeno total e de TGF-β1 (fator de transformação do crescimento beta). Assim, a FBP diminui o estado de ativação das HSC por suas ações antifibróticas e anti-inflamatórias. Estas descobertas demonstram que a FBP pode ser um potencial novo agente terapêutico para o tratamento de fibrose hepática.
10

Rapamicina e frutose-1,6-bisfosfato diminuem a proliferação de células HEP/HEPG2 via aumento de radicais livres e apoptose

Silva, Elisa Feller Gonçalves da January 2015 (has links)
Made available in DSpace on 2015-06-03T02:07:05Z (GMT). No. of bitstreams: 1 000469599-Texto+Completo-0.pdf: 1271665 bytes, checksum: c7c7cda085b0d3d13b2f9dc865eca750 (MD5) Previous issue date: 2015 / Hepatocellular carcinoma is the most prevalent type of tumor among primary tumors affecting the liver. Its development is usually related to a chronic liver disease, which can be caused by a viral infection (hepatitis B and C), alcoholism, cryptogenic cirrhosis, biliary disease and primary hemochromatosis. Rapamycin, an immunosuppressant agent, is currently used as the basis of chemotherapy in the treatment of various cancers, including the liver. By presenting several serious adverse effects in patients undergoing treatment, including nephrotoxicity, it is clear the importance of minimizing these effects without compromising efficacy. In this sense, other drugs may be used concomitantly. One of these drugs is fructose-1,6-bisphosphate (FBP), which has shown therapeutic effect in various pathological situations. Beneficial effects of FBP in organic, liver and kidney deficiencies were also documented. The objective of this study was to evaluate the activity of rapamycin in combination with the FBP in cell proliferation, oxidative stress and inflammation of hepatocellular carcinoma HepG2 cells, analyzing the cytotoxic effects in an attempt to minimize adverse effects and increase the efficacy and safety for patients undergoing treatment. The results demonstrated that the combination of rapamycin and FBP is more efficient than the single use of them, because subtherapeutic doses of rapamycin, when associated to FBP become effective, and this inibition in cell proliferation is not caused by necrosis. In 72 hours of treatment, there was no change in the inflammatory route or in autophagy of cells, but the combination of rapamycin and FBP significantly increased the production of Thiobarbituric acid reactive substances (TBARS) and the cellular apoptosis, a process that can inhibit tumor proliferation. These results demonstrate that this association may be a promising choice for hepatocarcinoma treatment. / O carcinoma hepatocelular é o tipo de tumor mais prevalente entre os tumores primários que atingem o fígado. Seu desenvolvimento está geralmente relacionado a uma doença hepática crônica, a qual pode ser originada por uma infecção viral (hepatite B e C), alcoolismo, cirrose criptogênica, doenças biliares e hemocromatose primária. A rapamicina, um agente imunossupressor, é atualmente utilizada como base na quimioterapia no tratamento de diversos tipos de câncer, inclusive nos hepáticos. Por apresentar diversos efeitos adversos graves nos pacientes em tratamento, inclusive nefrotoxicidade, é evidente a importância de minimizar estes efeitos sem comprometimento da eficácia, neste sentido outras drogas podem ser utilizadas concomitantemente. Uma destas drogas é a frutose-1,6-bisfosfato (FBP) que tem demonstrado efeito terapêutico em várias situações patológicas. Também foram documentados efeitos benéficos da FBP em deficiências orgânicas, renais e hepáticas. O objetivo deste trabalho foi avaliar a atividade da rapamicina em conjunto com a FBP na proliferação celular, estresse oxidativo e processo inflamatório de células HepG2, analisando os efeitos citotóxicos, na tentativa de minimizar os efeitos adversos e aumentar a eficácia e segurança para os pacientes em tratamento.O carcinoma hepatocelular é o tipo de tumor mais prevalente entre os tumores primários que atingem o fígado. Seu desenvolvimento está geralmente relacionado a uma doença hepática crônica, a qual pode ser originada por uma infecção viral (hepatite B e C), alcoolismo, cirrose criptogênica, doenças biliares e hemocromatose primária. A rapamicina, um agente imunossupressor, é atualmente utilizada como base na quimioterapia no tratamento de diversos tipos de câncer, inclusive nos hepáticos. Por apresentar diversos efeitos adversos graves nos pacientes em tratamento, inclusive nefrotoxicidade, é evidente a importância de minimizar estes efeitos sem comprometimento da eficácia, neste sentido outras drogas podem ser utilizadas concomitantemente. Uma destas drogas é a frutose-1,6-bisfosfato (FBP) que tem demonstrado efeito terapêutico em várias situações patológicas. Também foram documentados efeitos benéficos da FBP em deficiências orgânicas, renais e hepáticas. O objetivo deste trabalho foi avaliar a atividade da rapamicina em conjunto com a FBP na proliferação celular, estresse oxidativo e processo inflamatório de células HepG2, analisando os efeitos citotóxicos, na tentativa de minimizar os efeitos adversos e aumentar a eficácia e segurança para os pacientes em tratamento.

Page generated in 0.111 seconds