• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 481
  • 19
  • 7
  • 3
  • 1
  • 1
  • Tagged with
  • 517
  • 333
  • 72
  • 59
  • 56
  • 55
  • 46
  • 46
  • 44
  • 39
  • 38
  • 37
  • 36
  • 36
  • 35
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Envolvimento do receptor FPR2/ALX nas alterações vasculares induzidas por LPS e SEPSE

Horewicz, Verônica Vargas January 2015 (has links)
Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa catarina, Centro de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia e Biociências, Florianópolis, 2015. / Made available in DSpace on 2015-06-02T04:08:42Z (GMT). No. of bitstreams: 1 333971.pdf: 16202428 bytes, checksum: 63c3adc8979b2e4563ab700878882d82 (MD5) Previous issue date: 2015 / O FPR2/ALX é um receptor acoplado à proteína G pertencente à família dos receptores de peptídeos formilados, conhecidos pela importância na defesa do hospedeiro e na inflamação. Essa família de receptores é um tanto quanto promíscua e já foram descritos aproximadamente 30 agonistas, tanto peptídicos quanto lipídicos. A ativação do FPR2/ALX pode resultar em potentes respostas pró ou anti-inflamatórias. Ele está presente principalmente em células mielóides mas também foi descrito em células não mielóides. O FPR2/ALX tem a sua expressão aumentada nos tecidos pulmonares de animais sépticos e a sua ativação promove um efeito terapêutico por controlar a inflamação exacerbada. Embora a expressão do FPR2/ALX tenha sido observada em células do músculo liso vascular, o seu papel na reatividade vascular em condições inflamatórias não foi avaliado. O objetivo do presente estudo foi investigar uma possível participação do FPR2/ALX nas alterações vasculares induzidas pela sepse. Os resultados demonstram que o tratamento com o agonista seletivo WKYMVm restaura a hiporreatividade ao vasoconstritor induzida pela pneumosepse e aumenta a sobrevida dos animais em 40%. Os resultados in vitro mostram que a ativação do FPR2/ALX pelo WKYMVm diminui a produção de NO em células de músculo liso vascular e em aortas estimuladas com LPS, mas esse efeito não parece envolver a regulação da expressão da enzima óxido nítrico sintase-2 (NOS-2). Estes dados sugerem um importante papel do NO nos efeitos benéficos do WKYMVm observados nas alterações induzidas por LPS e sepse, entretanto, os mecanismos celulares e moleculares ainda precisam ser elucidados. Em conclusão, nossos dados sugerem que um receptor, primariamente descrito como mediador de respostas imunológicas, pode ter um papel relevante na disfunção vascular observada na sepse, sendo um possível alvo para novas intervenções terapêuticas.<br>
2

Efeitos da imunomodulação em animais sobreviventes de Sepse grave sobre as alterações inflamatórias observadas na mucosite intestinal induzida por irinotecano

Melo, Anielle Torres de January 2014 (has links)
MELO, Anielle Torres de. Efeitos da imunomodulação em animais sobreviventes de Sepse grave sobre as alterações inflamatórias observadas na mucosite intestinal induzida por irinotecano. 2014. 88 f. Dissertação (Mestrado em Farmacologia) - Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Medicina, Fortaleza, 2014. / Submitted by denise santos (denise.santos@ufc.br) on 2014-12-08T13:08:34Z No. of bitstreams: 1 2014_dis_atmelo.pdf: 2860966 bytes, checksum: 5873d56732d62c0532a9851a7e1be667 (MD5) / Approved for entry into archive by denise santos(denise.santos@ufc.br) on 2014-12-08T13:08:57Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2014_dis_atmelo.pdf: 2860966 bytes, checksum: 5873d56732d62c0532a9851a7e1be667 (MD5) / Made available in DSpace on 2014-12-08T13:08:57Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2014_dis_atmelo.pdf: 2860966 bytes, checksum: 5873d56732d62c0532a9851a7e1be667 (MD5) Previous issue date: 2014 / Nowadays the colorectal cancer (CRC) is one of the most common malignant tumors. Irinotecan have been used in the treatment of CRC and metastatic CRC. However, the treatment protocols are associated with the development of intestinal mucositis (IM), reaction that affects the therapy. The IM and severe diarrhea are common side effects that may reach 15-25% of the patients undergoing chemotherapy and the clinical management of these effects is still partly ineffective. The study of the mechanisms and mediators involved in immune response in post-sepsis has provided evidences that in this condition seems to be an inhibition of inflammatory events including neutrophil migration. Thus, the post-sepsis could influence the course of MI induced by IRI. The aim of this study is to evaluate the effects of immunomodulation in the development of inflammatory changes of IM induced by Irinotecan in severe sepsis surviving animals. C57BL / 6 male mice, 20-25g, were divided into 4 groups (n = 5-8) were subjected to the model of cecal ligation and puncture (CLP) and treated with ertapenem 20mg/kg i.p. 6 h after CLP and 12/12h for three days to induce approximately 50% of survival. Animals underwent surgery but not to puncture the cecum (SHAM) received saline (NaCl, 5 mL / kg, ip). Fifteen days after CLP, the surviving animals and animals of the SHAM group received saline (NaCl, 5 ml / kg, ip) for 4 days or Irinotecan (75mg/kg, ip). The body mass (g) was measured every day. On the 5th or 7th day, total leukocyte count (x103/μL) and diarrhea (scores) were evaluated. After the death, the jejunum and the ileum were collected for determination of myeloperoxidase (MPO), IL-1β and IL-10 (pg / ml) and histopathological analysis. ANOVA / Kruskal Wallis test or Bonferroni / Dunn were used as statistical tests. P <0.05 was accepted. CEPA 84/2014 protocol. Post-septic animal by CLP treated with Irinotecan decreased scores of diarrhea and MPO activity in the 5th and 7th day (diarrhea 5D: [0 (0-0)]; 7D: [0 (0-2) / MPO jejunum and ileum 5D: 2.96 ± 1.08, 2.35 ± 0.76 and 7D: 0.42 ± 0.14, 0.92 ± 0.19, respectively) compared against the SHAM animals treated with Irinotecan (diarrhea 5D: [1(0-1)]; 7D: [2.5 (1-3)] / MPO jejunum and ileum 5D: 8.15 ± 1.48, 7.96 ± 0.96; 7D: 2.51 ± 0.67, 2.87 ± 0.65, respectively). Furthermore, post-septic mice treated with Irinotecan decreased histopathological damage in the 5th and 7th day (5D jejunum and ileum: [1(1-3)] and [1(0-1)], and 7D in the ileum: [2 (1-3)] for Irinotecan (jejunum and ileum 5D: [4 (2-4)] and [4 (1-4)] / 7D: ileum [4 (3-4)]) and increased levels of IL-10 (jejunum and ileum 5D: 55.80 ± 3.42; 34.45 ± 1.87; 7D: Ileum: 133.00 ± 20.25) compared against the SHAM + IRI (5D in jejunum and ileum: 34.45 ± 1.87; 6.91 ± 3.05; 7D ileum:. 63.67 ± 9.08). However, IRI + CLP animals had no change of IRI-induced leukopenia. C57BL/6 post-septic animals had reduced intestinal mucosal injury and neutrophil infiltration in IM induced by Irinotecan, this effect can be consequential, among others, of the increase in IL-10. / O câncer colorretal (CCR) é um dos mais comuns tumores malignos atualmente. Regimes à base de irinotecano (IRI) têm sido utilizados no tratamento do CCR e do CCR metastático. Contudo, tais regimes estão associados ao surgimento de mucosite intestinal (MI), muitas vezes limitante do tratamento. A MI e a diarréia grave são efeitos colaterais frequentes que podem atingir de 15-25% dos pacientes em quimioterapia. No entanto, o manejo clínico destes efeitos secundários ainda é parcialmente ineficaz. O estudo dos mecanismos e mediadores envolvidos na resposta imune no estado de pós sepse vem evidenciando que nesta condição parece haver uma inibição de eventos inflamatórios entre os quais a migração de neutrófilos. Dessa forma, o estado de pós-sepse poderia interferir no curso da MI induzida por IRI. Pretende-se avaliar os efeitos da imunomodulação em animais sobreviventes de sepse grave no desenvolvimento das alterações inflamatórias da MI induzida pelo IRI. Camundongos C57BL/6 machos, 20-25g, foram divididos em 4 grupos (n=5-8), submetidos ao modelo de ligação e perfuração do ceco (CLP) e tratados com ertapenem 20mg/Kg i.p. 6h depois da CLP e de 12/12h por três dias, para induzir aproximadamente 50% de sobrevida. Animais submetidos à cirurgia mas não à perfuração do ceco (SHAM) receberam solução salina (Sal, 5 mL/Kg, i.p.). Quinze dias após CLP, os animais sobreviventes e animais do grupo SHAM receberam solução salina (Sal, 5 ml/Kg, i.p.) durante 4 dias ou IRI (75mg/kg, i.p.). A massa corpórea (g) foi mensurada diariamente. No 5° ou 7 º dia, foi avaliada a contagem total de leucócitos (x103/µL) e a diarreia (escores). Após a morte, o jejuno e o íleo foram recolhidos para a dosagem da mieloperoxidase (MPO), IL-1β e IL-10 (pg/mL) e análise histopatológica, ANOVA/Bonferroni ou Kruskal Wallis/Dunn foram usados como testes estatísticos. P <0,05 foi aceito. Protocolo CEPA 84̸ 2014. Animais pós-sépticos por CLP tratados com IRI apresentaram redução dos escores de diarreia e atividade da MPO no 5° e 7° dia (diarreia 5D: [0(0-0)]; 7D: [0(0-2) / MPO do jejuno e íleo, 5D: 2,96±1,01; 2,35±0,76 e 7D:0,42±0,14; 0,92±0,19, respectivamente) quando comparados com os animais SHAM tratados com IRI (diarreia 5D: 1[0-1]; 7D:[2,5(1-3)] /MPO do jejuno e íleo, 5D: 8,16±1,48; 7,96±0,96; 7D: 2,51±0,67; 2,87±0,65, respectivamente). Além disso, animais pós-sépticos tratados com IRI apresentaram redução nos danos histopatológicos no 5º e 7º dia (5D no jejuno e íleo: [1(1–3)] e [1(0-1)]; e 7D no íleo: [2(1-3)] em relação a IRI (5D no jejuno e íleo: [4(2-4)] e [4(1-4)] / 7D: íleo [4(3-4)]) e aumento dos níveis da citocina IL-10 (5D no jejuno e íleo: 55,80± 3,42; 34,45±1,87; 7D: Íleo: 133,00±20,25) em comparação com SHAM + IRI (5D no jejuno e íleo: 34,45±1,87; 6,91± 3,05; 7D no íleo: 63,67± 9,08). No entanto, animais CLP + IRI não tiveram alteração da leucopenia induzida por IRI. Animais C57BL/6 pós-sépticos apresentaram redução da lesão da mucosa intestinal e infiltração de neutrófilos na MI induzida por IRI. Tal efeito pode ser consequente, entre outros, ao aumento de IL-10.
3

Estudo do polimorfismo -260C>T no promotor do gene CD14 e a expressão de mCD14 e sCD14 em pacientes sépticos e em voluntários saudáveis

Aguiar, Bibiana Butkus de January 2005 (has links)
Made available in DSpace on 2013-08-07T18:41:55Z (GMT). No. of bitstreams: 1 000386732-Texto+Completo-0.pdf: 399583 bytes, checksum: fd819014b2d965768d8d68375135c0ff (MD5) Previous issue date: 2005 / O CD14 é uma proteína de 53-55kD que não possui porção citoplasmática e atua como um receptor de uma ampla gama de microorganismos onde reconhece diferentes estruturas de lipopolissacarídeos (LPS). O CD14 pode ser encontrado sob duas formas: na superfície de monócitos, macrófagos e neutrófilos (mCD14 ou CD14 de membrana) ou na forma de CD14 solúvel (sCD14). Tanto o mCD14 quanto o sCD14 desempenham um importante papel na geração de uma resposta imune inata contra patógenos bacterianos. A ativação do sistema imune inato por componentes bacterianos pode ser modulada pela diferente expressão do mCD14 e variações do sCD14. Sugere-se que a expressão aumentada do CD14 pode trazer benefícios para pacientes com sepse. Um polimorfismo de nucleotídeo único (SNP) de transição de uma citosina para uma timina na posição -260 na região promotora do gene CD14 foi identificado. Este SNP parece ter um papel significante na expressão do CD14. De fato, existem estudos sugerindo que homozigotos TT apresentam um aumento na densidade do mCD14 e nos níveis de sCD14 quando comparados aos indivíduos que carregam o alelo C. O objetivo deste estudo foi verificar se o polimorfismo -260C>T do promotor do gene que codifica para o CD14 interfere na sua expressão, e se se relaciona com o desfecho de sobrevida em pacientes sépticos, além de verificar se existe diferença significativa na expressão do CD14 entre indivíduos saudáveis e pacientes sépticos. Observamos que a expressão do CD14, medida pela densidade de mCD14 e níveis de sCD14, estava aumentada em pacientes sépticos quando comparados com indivíduos saudáveis e também detectamos que o genótipo TT estava associado com altos níveis de mCD14. Nós verificamos, após incubação com LPS, que existe um aumento significativo na densidade de mCD14.Esta foi a primeira vez em que pacientes sépticos foram avaliados para o polimorfismo -260C>T, expressão do CD14 e mortalidade. Entretanto, nenhuma associação estatisticamente significativa entre estas três variáveis foi encontrada. Nossos resultados estão de acordo com estudos prévios, nos quais o aumento da expressão do CD14 pode estar associado com o genótipo TT, embora isto não tenha influenciado o desfecho clínico dos pacientes sépticos.
4

Estudo das alterações mitocondriais provocadas na sepse por espectroscopia de infravermelho pela transformada de Fourier e refletância total atenuada

Heinen, Paula Elisa Tischler January 2006 (has links)
Made available in DSpace on 2013-08-07T18:41:55Z (GMT). No. of bitstreams: 1 000383266-Texto+Completo-0.pdf: 823319 bytes, checksum: 310fb137797fb2ab616c91d119b2c6fa (MD5) Previous issue date: 2006 / A espectroscopia de infravermelho (IV) permite caracterizar molecularmente tecidos e fluídos, uma vez que seus espectros são característicos e atuam como uma impressão digital. O rápido desenvolvimento da técnica de infravermelho na última década tem aberto novas portas para o prognóstico e diagnóstico de patologias facilitando a procura de melhores tratamentos. Atualmente, o infravermelho (IV) vem sendo utilizado nos mais diversos modelos experimentais de sistemas biológicos. A sepse provoca mudanças no ambiente celular e em suas trocas iônicas, afetando o funcionamento da mitocôndria e aumentando a formação de espécies reativas de oxigênio (EROs). O óxido nítrico (NO) é considerado um marcador da formação de radicais livres produzidos, enzimaticamente ou não, nos tecidos. O aumento dos radicais livres promove a oxidação de resíduos de aminoácidos, aumentando a formação de grupos carbonílicos (CO) protéicos que atuam como biomarcadores do estresse oxidativo. Devido a esses fatores, entre outros, as mitocôndrias e seus complexos vêm sendo avaliados pela espectroscopia de infravermelho nas regiões das bandas de amidas I (espectro entre 1615 cm -¹ e 1700cm -¹, referente a ligações C=O) e II (espectro entre 1500 cm -¹ e 1600 cm -¹, referente a ligações C-H), característico de proteínas, com o objetivo de observar alterações que possam ocorrer nestas organelas. No presente trabalho de mestrado, nosso objetivo principal foi analisar as alterações em mitocôndrias hepáticas causadas pela sepse induzida por CLP em ratos (Rattus novergicus – var. Wistar) através do FTIR-ATR. O experimento foi contemplado pela extração das mitocôndrias hepáticas através de diferentes gradientes de centrifugação em meios contendo sacarose, heppes e EGTA. A dosagem de NO sérico foi feita através da metodologia de Griess. Nossos resultados apresentaram diferenças significativas nas bandas de amida I do espectro de infravermelho do grupo séptico em relação ao controle, controle anestesia e sham. As mesmas diferenças foram percebidas para a dosagem de NO sérico.
5

Importância da atividade de enzimas antioxidantes na progressão da severidade da sepse

Andrades, Michael Everton January 2006 (has links)
A sepse é uma síndrome inflamatória sistêmica decorrente de uma infecção que pode causar sérios danos a todos os órgãos do paciente, podendo levá-lo à morte. Dados epidemiológicos norte americanos estimam que 750.000 pacientes são acometidos a cada ano por sepse. A taxa de mortalidade varia de 20 a 60%, dependendo da severidade, sendo semelhante para o Brasil. A terapia utilizada é o tratamento com antibióticos, manutenção de pressão sanguínea e ventilação mecânica, que apesar de extremamente caros ainda se mostram com baixa eficiência, tornando a morte por sepse em UTI mais relevante que mortes por câncer de mama ou AIDS, nos EUA. Tratamentos que demandam grande soma de recursos tendem a ser um grande problema para países como o Brasil, que através do Sistema Único de Saúde, supre o paciente com a terapêutica disponível. Por isso, a compreensão da doença e o desenvolvimento de terapias alternativas mais eficazes e mais barata são de extrema importância. Neste sentido, diversas terapias alternativas têm sido propostas (insulinoterapia, administração de proteína C ativada - Drotrecogina alfa®, antioxidantes ou anticorpos anti-citoquinas). Radicais livres são fisiologicamente produzidos pela mitocôndria e por outras enzimas, como a NADPH oxidase e xantina oxidase. Os organismos contam com defesas antioxidantes enzimáticas e não-enzimáticas para não sofrer danos causados pela própria produção de radicais livres e assim, manter a homeostase celular. Na sepse, a primeira linha de defesa do organismo é o seu sistema imunológico inato mediado por fagócitos que possuem sistemas bactericidas compostos por enzimas produtoras de radicais livres e espécies reativas de oxigênio. Quando a resposta inflamatória à infecção é exagerada e a homeostase é perdida, verificam-se danos a biomoléculas dos tecidos do hospedeiro devido à própria produção de radicais livres. Estes danos podem levar a um comprometimento celular que pode progredir para disfunção orgânica e colaborar para a morte do indivíduo. Devido à importância dos radicais livres no estabelecimento e na progressão da sepse, nós formulamos a hipótese de que o balanço entre as enzimas superóxido dismutase (SOD) e catalase (CAT), bem como os produtos de dano às biomoléculas (carbonilas e substâncias reativas ao ácido tiobarbitúrico - TBARS), podem ser importantes marcadores de severidade e de prognóstico da sepse. Nossos resultados demonstram que há um aumento na atividade da SOD sem um aumento compensatório da CAT em todos os órgãos analisados (pulmão, diafragma, coração, fígado, rim), retirados de ratos submetidos a sepse. Este desequilíbrio resulta em dano a biomoléculas (lipídeos e proteínas). Os dados sugerem que os níveis de proteínas carboniladas, mas não de TBARS, estão correlacionados com a severidade da sepse. A conseqüência do aumento de carbonilas na resposta imunológica é discutida. Apesar da importância das proteínas carboniladas na progressão da sepse, nós demonstramos uma forte correlação positiva entre a relação SOD/CAT (pulmão e rim) vs. marcadores de falência desses órgãos bem como entre TBARS vs. marcadores de falência, em ratos submetidos a CLP. Estas correlações foram revertidas com a associação de tratamento antioxidante nesses animais. Estes dados sugerem que o equilíbrio entre a SOD e a CAT é muito importante para a manutenção da homeostase redox e que a suplementação antioxidante reverte o desequilíbrio visto na sepse, os níveis de TBARS bem como protege dano renal e respiratório. / Sepsis is a systemic inflammatory syndrome secondary to an infectious process that can progress to multiple organic failure and death. Epidemiological studies estimate that 750,000 cases of severe sepsis occurs per year in United States with mortality rate ranging between 20 and 60%, and these rates reflect the Brazilian reality. Sepsis is classically treated with antibiotics, pressure support and mechanic ventilation. However these treatments have little impact on mortality rate, which is higher for sepsis than for breast cancer or HIV. Thus, a better understanding of sepsis and the development of new therapeutic approaches are extremely important and several researches have been developed in this way (e.g. insulin-therapy, activated-protein C - Drotrecogin alfa®, antioxidants and anti-cytokine antibodies). Free radicals are released normally in cell physiology. Organisms have enzymatic antioxidant defenses as well as non-enzymatic antioxidant defenses to counteract the harmful effects of free radicals and to maintain cellular homeostasis. In the onset of an infectious process like sepsis, the innate immune system is the first defense against pathogen and is carried out by macrophages and neutrophils. These cells are potent phagocytes and their bactericidal compounds include free radicals and reactive oxygen species. When the response to infection is exacerbated the homeostasis is lost and oxidative damage takes place. This damage could compromise cell function and lead the organ dysfunction and death. Considering the importance of free radicals in the onset and progression of sepsis we hypothesized that balance between superoxide dismutase (SOD) and catalase (CAT), as well as molecular damage (carbonyl and thiobarbituric acid reactive species - TBARS), could be important markers of severity and prognosis in sepsis. We show an increase in SOD activity without a compensatory increase in catalase in the lung, diaphragm, heart, kidney and liver from rat submitted to sepsis. This imbalance contributes to oxidative damage in lipids and proteins. The data suggests that carbonyl levels but not TBARS levels are linked to sepsis severity and the implication of carbonyl upon immune response is discussed. In spite of the relevance of carbonyl in sepsis progression we found a positive correlation between SOD/CAT ratio (in kidney and lung) and organ failure markers, as well as between TBARS and organ failure markers, in rats submitted to CLP. These are prevented treating animal with antioxidants. These data suggest the importance of a coupled enzymatic activity of SOD and CAT to maintain redox homeostasis. Moreover, the antioxidant treatment reversed the SOD/CAT imbalance, TBARS levels and organ impairment.
6

[6]-Gingerol e [10]-Gingerol modulam as alterações renais promovidas por modelo polimicrobiano de septicemia em ratos / [6]-Gingerol and [10]-Gingerol modulate the renal changes promoted by polypicrobial model of septicemia in rats

Rodrigues, Francisco Adelvane de Paulo 10 February 2017 (has links)
RODRIGUES, F. A. P. [6]-Gingerol e [10]-Gingerol modulam as alterações renais promovidas por modelo polimicrobiano de septicemia em ratos. 2017. 162 f. Tese (Doutorado em Farmacologia) - Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem, Fortaleza, Ceará, 2017. / Submitted by Erika Fernandes (erikaleitefernandes@gmail.com) on 2017-02-14T13:22:34Z No. of bitstreams: 1 2017_tese_faprodrigues.pdf: 2785560 bytes, checksum: 6a4c65532bbdeb5df0f1c21b2269305f (MD5) / Approved for entry into archive by Erika Fernandes (erikaleitefernandes@gmail.com) on 2017-02-14T13:22:42Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2017_tese_faprodrigues.pdf: 2785560 bytes, checksum: 6a4c65532bbdeb5df0f1c21b2269305f (MD5) / Made available in DSpace on 2017-02-14T13:22:42Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2017_tese_faprodrigues.pdf: 2785560 bytes, checksum: 6a4c65532bbdeb5df0f1c21b2269305f (MD5) Previous issue date: 2017-02-10 / Acute renal failure (AFR) is one of the most complicated and critical events during the septic event, manifesting by production of reactive oxygen species (ROS), glomerular and tubular disorders, which contributes to worsening the prognosis and decreases in survival. [6]-gingerol and [10]-gingerol phenolic compounds are bioactive substances from ginger (Zingiber officinale Rosc.). Such compounds own protective potential effect on renoprotection due to their antioxidant and anti-inflammatory properties. This study investigated the modulatory effects of the [6]- and [10]-gingerol compounds on the renal damage triggered by cecal ligation and puncture (CLP)-induced ARF. Male Wistar rats (180-210 g) were divided into 6 groups (protocol. 45/14). The control groups (Sham) were induced to false surgery and subsequently treated with 2% Tween-80, [6]- or [10]-gingerol (25 mg/kg); AFR groups were induced by CLP process and subsequently trated with 2% tween-80, [6]- or [10]-gingerol (25 mg/kg, i.p.). The treatments were performed 2 hours before and 12 and 24 hours after induction. The biochemical parameters indicative of renal and tubular function, oxidative profile, antioxidant activity and gene expression of pro-inflammatory mediators by RT-qPCR we evaluated. In addition, the metabolomic profile by Nuclear Magnetic Resonance (NMR) assays and histological analysis were also performed. The polymicrobial infection altered considerably parameters related to renal function, decreasing CLCR (0.4±0.1 mL/min), FU (0.008±0.001mL/min) with reduction of the GSH content (13.55±1.3 μg/mg/prot.). Indeed, had an increased of the BUN (62.1±2.1mg/dL), PU:CUR (46.6±7.4 mg/dL), the LDH activity (383.7±80.2 U/L), the FENa (1.5±0.3%), renal MDA (1.725µg/mg prot.) and nitrite (61.5±9.5 nM/g prot.). On the other hand, TNF-α levels, and IL-1β were increased (1.4±0.1 and 5.5±0.8 relative expression, respectively), triggering kidney failure and decreasing the survival of animals. The treatment with both compounds [6]-gingerol and [10]-gingerol (25mg/kg) exerted protection on renal injury. Improved the CLCR (1.2±0.2 mL/min and 1.0±0.07 mL/min, [6]- and [10]-gingerol, respectively) and FU (0.01±0,001mL/min, 0.010±0.001mL/min, [6]- and [10]-gingerol, respectively) with increased GSH activity (26.22±2.0 µg/mg prot. and 24.06±3.5 µg/mg prot., [6]- and [10]-gingerol, respectively). In addition, the BUN (46.83±2.7mg/dL, [6]-gingerol), PU:CUR (22.95±7.18mg/dL and 21.58±4.29 mg/dL [6]- and [10]-gingerol, respectively), the LDH activity (212.7±30.85 mg/dL and 236.3±43.8mg/dL, [6]- and [10]-gingerol, respectively), FENa (0.6±0.1% 0.58±0.09% e [6]- and [10]-gingerol, respectively), renal MDA (0.7462±0.16 mg de prot., [6]-gingerol) and nitrite (36.6±4.1 nM/g prot. and 38.98±7.9 nM/g prot. [6]- and [10]-gingerol, respectively) were all decreased. Besides the inhibition of TNF-α transcription (0.865 e 1.030, [6]- and [10]-gingerol, respectively) and IL-1β (3.330 e 1.790, [6]- and [10]-gingerol, respectively), providing protection on kidney function and increased survival of CLP animals. In addition, the specific injury to kidney cells was confirmed by the expressive values of Kidney Injury Molecule-1 (KIM-1) in septic animals, which were blocked by compounds [6]- and [10]-gingerol. Improvement in renal morphology was correlated with increased survival of CLP animals after [6]- and [10]-gingerol treatment. The principal component analysis (PCA) reported phenotypic changed in the metabolic profile by metabolite discrimination among the sham, CLP and CLP groups treated with [6]- or [10]-gingerol. The 1H NMR approach indicated increased in creatine, allantoin, dimethylglycine (DMG) and taurine in the CLP group (P<0.05). In addition, the dimethylamine (DMA) and dimethyl sulfone (DMS) metabolites were more present in samples of CLP animals treated with [6]- and [10]-gingerol. The present study indicates that [6]- and [10]-gingerol has a nephroprotective effect on dysfunction, oxidative stress and renal proinflammatory process in polymicrobial sepsis. In addition to designating quantified metabolites in the urine as biomarkers correlated with the pathophysiology of sepsis with manifestation of renal failure. / A lesão renal aguda (LRA) é uma das manifestações mais críticas durante o evento séptico, manifestando-se por produção de espécies reativas de oxigênio, alterações glomerulares e tubulares, que contribuem para a piora do prognóstico e diminuição da sobrevida. Os compostos fenólicos [6]-gingerol e [10]-gingerol são substâncias bioativas do gengibre (Zingiber officinale Roscoe) que por meio de suas propriedades antioxidantes, antiflamatórias e metabólicas possuem um grande potencial para a renoproteção. O presente estudo investigou os efeitos moduladores dos compostos [6]- e [10]-gingerol diante ao dano renal desencadeado pelo modelo polimicrobiano cecal ligation and puncture (CLP) de sepse. Foram utilizados ratos Wistar (180-210 g) divididos em 6 grupos (protocol. 45/14). Os grupos controles Sham [grupos: I., II. e III.] foram induzidos à falsa cirurgia e subsequentemente tratados com tween-80 2%, com [6]-gingeol ou [10]-gingerol (25 mg/kg); grupos induzidos LRA [grupos: IV., V. e VII.] por meio do processo cirugico CLP e subsequentemente tratados com tween-80 2%, [6]-, ou [10]-gingerol (25 mg/kg). Os tratamentos foram realizados 2 horas pré e, por 12 e 24 após indução. Foram avaliados os parâmetros bioquímicos indicativos de função renal, função tubular, perfil oxidativo, atividade antioxidante e a transcrição gênica de mediadores pró-inflamatórios através de RT-PCR, análise histopatológica e taxa de sobrevida, além do perfil metabolômico por meio de ensaios por Resonância Magnética Nuclear (RMN) de 1H. A infecção polimicrobiana modificou de forma considerável os parâmetros relacionados à função renal. Observou-se uma diminuição do clearance de creatinina (CLCR) (0,4±0,1 mL/min), do fluxo urinário (FU) (0,0086±0,001mL/min) e do conteúdo de GSH (13,5±1,3 μg/mg prot.). Por outro lado, houve um aumento nos valores de ureia (62,1±2,1mg/dL), da razão proteína urinária: creatina urinária [PU:CRU (46,6±7,4 mg/dL)], da atividade da LDH (383,7±8 U/L), da FENa (1,5±0,3%), de MDA renal (1,72±0,37 µg/mg prot.) e nitrito (61,5±9,5 nM/g prot.), além da elevação de TNF-α (1,380 relativa transcrição) e IL-1β (5,87 relativa transcrição) no tecido renal. Estas alterações desencadearam falha renal e redução da sobrevida dos animais (P<0,05). O tratamento com ambos os compostos [6]-gingerol ou [10]-gingerol na dose de 25mg/kg atenuou a injuria renal, melhorando consideravelmente os parâmetros anteriores. Evidenciou-se uma conservação do CLCR (1,2±0,2 mL/min e 1,0±0,07 mL/min, [6]- e [10]-gingerol, respectivamente), do FU (0,01±0,001mL/min; 0,010±0,001mL/min, [6]- e [10]-gingerol, respectivamente) com melhora da atividade da GSH (26,2±2,0 µg/mg prot. e 24,06±3,5 µg/mg prot., [6]- e [10]-gingerol, respectivamente). Além da diminuição dos níveis de ureia (46,83±2,7mg/dL, [6]-gingerol), da PU:CRU (22,9±7,18mg dL e 21,58±4,2mg/dL, [6]- e [10]-gingerol, respectivamente), da atividade da LDH (212,7±30,8 U/L e 236,3±43,8 U/L [6]- e [10]-gingerol, respectivamente), da FENa (0,6±0,1% e 0,58±0,09%, [6]- e [10]-gingerol, respectivamente), dos níveis de MDA renal (0,74±0,16 µg/mg prot., [6]-gingerol) e de nitrito (36,65±4,1 nM/g prot. e 38,98±7,952 nM/g/prot., [6]- e [10]-gingerol, respectivamente). O processo inflamatório foi atenuado pelas reduções da transcrição gênica de TNF-α (0,865 e 1,030; [6]- e [10]-gingerol, respectivamente), de IL-1β (3,330 e 1,790 relativas transcrições, [6]- e [10]-gingerol, respectivamente). Em adição, a injuria especifica as células renais foi confirmada pelos valores expressivos de Kidney Injury Molecule-1 (KIM-1) nos rins de animais CLP, que foram bloqueados pelos fenois [6]- e [10]-gingerol e assim, demonstrando proteção da função renal e aumentando a sobrevida dos animais. A exploração por principal component analysis (PCA) reportou alterações fenotípicas no perfil metabolólico por discriminação de metabólitos entre os grupos sham, CLP e CLP tratados com [6]- ou [10]-gingerol. A abordagem por RMN de 1H reportou aumentos de creatina, alantoína, dimetilglicina (DMG) e taurina nas urinas do grupo CLP (P<0,05). Além disso, os metabólitos de dimetilamina (DMA) e dimetil sulfona (DMS) estiveram mais presente em amostras de animais CLP tratados com [6]- e [10]-gingerol. O presente estudo indica que o [6]- e [10]-gingerol possui efeito nefroprotetor diante a disfunção, o estresse oxidativo e processo pró-inflamatório renal na sepse polimicrobiana. Além de designar metabólitos quantificados na urina como biomarcadores correlacionados com a fisiopatologia da sepse com manifestação de falha renal.
7

S-nitrosilação de proteínas na sepse

Benedet, Patrícia de Oliveira January 2017 (has links)
Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Farmacologia, Florianópolis, 2017. / Made available in DSpace on 2018-01-16T03:22:26Z (GMT). No. of bitstreams: 1 349411.pdf: 1902362 bytes, checksum: 59a7aa46435b1e0653c50e2f470ca064 (MD5) Previous issue date: 2017 / A sepse continua sendo a principal causa de mortalidade em Unidades de Terapia Intensiva (UTI). Embora progressos significativos na compreensão da sua fisiopatologia tenham sido conquistados, a capacidade de intervir e alterar a trajetória da doença tem sido apenas parcialmente bem sucedida. A produção exacerbada de óxido nítrico (NO) durante a sepse tem sido relatada como um dos principais contribuintes para a disfunção cardiovascular sepse. Um dos mecanismos pelos quais o NO exerce alguns de seus efeitos é através da reação com grupos tiol de resíduos de cisteína (sulfidrilas) em um processo chamado S-nitrosilação, produzindo S-nitrosotióis. Níveis aumentados de proteínas nitrosiladas participam na patogênese do choque séptico. O objetivo do presente estudo foi mostrar que a desnitrosilação de proteínas pode contribuir para a melhora dos parâmetros hemodinâmicos e para a maior sobrevivência de animais sépticos. Ratas Wistar foram tratadas com DTNB (ácido 5 5-ditiobis(2-nitrobenzóico, um agente oxidante de grupamentos sulfidrila) 30 min antes, 4 h ou 12 h após a indução da sepse (ligadura e punção cecal; CLP). Vinte e quatro horas após a cirurgia foi obtidos os seguintes dados: reatividade à fenilefrina em anéis de aorta isolada, pressão arterial média, resposta pressórica à fenilefrina, marcadores bioquímicos de disfunção de órgãos, parâmetros glicêmicos e hematológicos, perfil de sobrevivência e S-nitrosilação de proteínas da aorta, particularmente, de canais de potássio sensíveis ao cálcio. A sepse causou diminuição substancial na pressão arterial média e na resposta vascular à fenilefrina, aumento da frequência cardíaca, aumento nos níveis plasmáticos de marcadores de disfunção de órgãos, hipoglicemia, alterações hematológicas, mortalidade de 60% e aumento de S-nitrosilação de proteínas na aorta. O tratamento com DTNB 12 h após a indução da sepse melhorou a pressão arterial média, a frequência cardíaca, reverteu a perda de resposta dos anéis da aorta e da pressão arterial ao vasoconstritor, reduziu o dano de órgãos, melhorou a glicemia e parâmetros hematológicos, resultando no aumento da sobrevivência de animais sépticos. Além disso, causou uma redução substancial de proteínas nitrosiladas na aorta, nomeadamente canais de potássio dependentes de cálcio. Nossos resultados mostram que a S-nitrosilação de proteínas contribui para a disfunção cardiovascular e para o dano de órgãos induzida pela sepse. Contudo, a contribuição chave do presente trabalho é mostrar que a desnitrosilação de proteínas induzida por DTNB melhora a condição do hospedeiro mesmo depois que todas as respostas fisiológicas alteradas pela sepse estarem em pleno curso. / Abstract : Sepsis remains the leading cause of death in Intensive Care Units (ICUs). Although significant progress in understanding its pathophysiology has been achieved, the ability to intervene and change the course of the disease has been only partially successful. Nitric oxide (NO) overproduction during sepsis has been reported as one of the main contributors to the sepsis cardiovascular dysfunction. One of the mechanisms whereby NO exerts some of its effects is the reaction with thiol groups of cysteine residues (sulphydryls) in a process called S-nitrosylation, producing S-nitrosothiols. It has been reported that increased levels of S-nitrosylated proteins contribute to the pathogenesis of septic shock. The aim of the present study was to show that the denitrosylation of proteins contribute to the improvement in hemodynamic parameters and to the higher survival of septic animals. To better understand the role of protein S-nitrosylation/denitrosylation in sepsis, we used DTNB [5,5'-dithio-bis-(2-nitrobenzoic acid)], an oxidizing agent of sulfhydryl groups. Female Wistar rats were treated with DTNB 30 min before or 4 and 12 h after sepsis induction. Twenty-four hours after surgery the following data was obtained: aorta response to phenylephrine, mean arterial pressure, vascular reactivity to phenylephrine, biochemical markers of organ damage, glycaemic and hematological parameters, survival and aorta protein nitrosylation profile, among them, calcium-dependent potassium channels. Sepsis caused substantial decreases in blood pressure and in the response of aorta rings and of blood pressure to phenylephrine, as well as increased plasma levels of organ damage markers, heart rate, hypoglycaemia and haematological changes, mortality of 60% and S-nitrosylation of aorta proteins. Treatment with DTNB 12 h after sepsis induction improved mean arterial pressure, heart rate, reversed the loss of response of aorta rings and blood pressure to vasoconstrictors, reduced organ damage, improved hypoglycaemia and hematological parameters, decreased protein nitrosylation and increased survival to 80%. Our results show that S-nitrosylation of protein contributes to cardiovascular dysfunction and to organic injury induced by sepsis. However, the key finding of the present report is that DTNB-induced protein denitrosylation improves the host condition even after all physiological responses deranged by sepsis are in full course.
8

Síndrome da resposta inflamatória localizada durante a sepse induzida por pneumonia

Gonçalves, Muryel de Carvalho January 2015 (has links)
Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Farmacologia, Florianópolis, 2015. / Made available in DSpace on 2016-03-15T04:04:08Z (GMT). No. of bitstreams: 1 337681.pdf: 1424986 bytes, checksum: 32fae657b30a885809b6a9a9ccca426e (MD5) Previous issue date: 2015 / A sepse induzida por pneumonia é responsável por cerca de 50% do casos de pneumonia no mundo. A bactéria gram-negativa Klebsiella pneumoniae é uma das bactérias mais comuns na sepse nosocomial e contribui para a alta taxa de mortalidade desta condição. Os pacientes que evoluem para sepse grave e choque séptico apresentam disfunção de órgãos e níveis elevados de citocinas plasmáticas, as quais podem ser responsáveis pela morte de muitos pacientes. Uma forma de se avaliar o quadro dos pacientes sépticos e predizer como será a progressão desta síndrome é por meio dos escores clínicos, sendo assim, o objetivo deste estudo foi verificar a aplicabilidade de escore clínico murino e correlacioná-lo com a mortalidade e disseminação bacteriana em diferentes órgãos, como também avaliar a produção de citocinas nestes órgãos, além dos níveis plasmáticos. O modelo utilizado no estudo foi a sepse induzida por pneumonia em camundongos machos. A indução da sepse foi realizada por meio da inoculação intratraqueal de Klebsiella pneumoniae 1x109 CFU/animal. A avaliação de escore clínico foi realizada ao longo do tempo e em todos os experimentos. Os resultados mostraram que animais que apresentam escores clínicos mais elevados (> 3) possuem maior probabilidade de morrerem. Animais com escore > 3 têm bacteremia transitória, porém, mostram disseminação para diferentes órgãos como coração, rim, fígado e cérebro, a partir de 2 horas após a inoculação da bactéria. A disseminação apresentou-se ainda maior 6 e 24 horas após a infecção. Observou-se também que animais com escores > 3 demonstram mais do que 3 tecidos infectados, ou seja, quanto mais órgãos afetados, maior o escore clínico e, consequentemente, maior o risco de morte. Além disso, nestes mesmos animais que apresentaram alta disseminação bacteriana e escores altos, mensurou-se o nível de 4 citocinas (TNF-a, MCP-1, IL-6 e IL-10), tanto no plasma e foco infeccioso (pulmão), quanto no coração, fígado, rim e cérebro. As citocinas também começaram a se elevar a partir de 2 horas em diferentes tecidos, mantendo-se altas até 24 horas. Os níveis de ureia, creatinina, alanina transferase e aspartato transferase aumentaram significativamente, principalmente 24 horas após a infecção. Diante do exposto, osdados deste trabalho sugerem que: i) escores de gravidade têm poder preditivo em modelos experimentais de sepse e ii) altas concentrações de citocinas teciduais podem contribuir para inflamação localizada e ser um dos fatores responsáveis pelo dano de órgãos.<br> / Abstract : The pneumonia-induced sepsis is responsible for about 50% of cases in the world. The gram-negative bacterium Klebsiella pneumoniae is one of the most common bacteria involved in nosocomial sepsis and contributes to the high mortality rate. Patients who develop severe sepsis and septic shock present organ dysfunction and elevated plasma cytokine levels which may lead to the death of many of them. Clinical scores are observations to evaluate the framework of septic patients. They can predict the syndrome progress and also the mortality. Therefore, the objective of our study was to verify the applicability of a murine clinical score system and to correlate it with mortality and bacterial dissemination in different organs. In addition, to evaluate cytokines production from these organs which present high bacterial load. The model used in our experiments was pneumonia-induced sepsis in male mice. The induction was performed by Klebsiella pneumonia inocculation of 1x109 UFC/animal intratracheally. The clinical score evaluation was performed over time in all experiments. The results demonstrated animals which present higher clinical scores (> 3) are more likely to die. Animals presenting clinical scores > 3 presented transient bacteremia, however, displayed bacterial spreading to different organs as heart, kidney, liver, and brain. The bacterial dissemination starts at 2 hours after the bacterial inoculation. The spreading was even higher 6 and 24 hours after infection. It was also observed that animals with scores above 3 present more than 3 infected tissues by K. pneumoniae. There is a correlation between clinical scores and bacterial dissemination, as many more organs are infected, major clinical scores will be showed and consequently the greatest risk of death. In addition, animals which showed bacterial dissemination in more than three organs and high clinical scores (> 3) present high levels of 4 cytokines (TNF-a, MCP-1, IL-6 and IL-10), at plasma and focus of infection (lung), as well as heart, liver, kidney and brain. The cytokines also started to rise 2 hours after infection in different tissues and remained high until 24 hours. Tissue cytokine concentrations might contribute to the organ damage of pneumoseptic animals. The levels of urea, creatinine, and aspartate transaminase and alanine transferase increasedsignificantly, especially 24 hours after infection. Therefore, this study data suggest that: i) severity scores have predictive power in experimental models of sepsis and ii) high concentrations of tissue cytokines may contribute to localized inflammation and be one of the factors responsible for the loss of function and organ damage.
9

Atividade do inflamasoma em pacientes com sepse grave e choque séptico

Eidt, Michelle Virgínia January 2015 (has links)
Made available in DSpace on 2015-04-30T14:06:12Z (GMT). No. of bitstreams: 1 000467262-Texto+Completo-0.pdf: 918245 bytes, checksum: f68b514ae6abf640bc976915b5b7f951 (MD5) Previous issue date: 2015 / Sepsis remains the leading cause of death in the ICU and can express rates of up to 80% mortality. Despite the importance and demand for resources, the early recognition is still a challenge, allowing the occurrence of multiple organ dysfunction syndromes (MODS), shock and fatal outcomes. Recent research has shown theories about the pathophysiological mechanism of sepsis in the search for new therapies. The principal responsable for sepsis severity is inflammatory response, represented by the secretion of inflammatory cytokines. An important step in the inflammatory process is the activity of inflammasome, which functions through the activation of Caspase-1, allowing the release of active forms of interleukins IL-1β and IL-18, signaling the beginning of the response of the innate immune system. Therefore the inflammasome has been widely studied. Our study aims to assess whether the different severity of sepsis inflamossomo activity (measured by levels of IL-1 β and IL-18 in plasma) have different expression between groups, and their relationship with mortality. The results showed that the activity of inflamasoma with increased serum levels of IL-18 may be responsible for high mortality in sepsis, independent of the level of IL-1β, although the activation process and route of expresssão be simultaneous and same. Therefore, our findings may help to understand the inflammatory events that lead to sepsis, which may influence the future therapeutic and research in reducing mortality. / A sepse permanece sendo a principal causa de morte em UTI, podendo expressar índices de até 80% de mortalidade. Apesar de sua importância e a demanda de recursos, seu reconhecimento precoce ainda é um desafio, deixando margem para a ocorrência de disfunção de múltiplos órgãos e sistemas (DMOS), choque e desfechos fatais Estudos recentes vem apresentando teorias sobre o mecanismo fisiopatológico da sepse, na busca por novas alternativas terapêuticas. O principal responsável pela gravidade da sepse é a resposta inflamatória sistêmica, representada pela secreção de citocinas inflamatórias. Uma importante etapa do processo inflamatório é a atividade do inflamasoma, o qual funciona através da ativação da Caspase-1, permitindo a liberação de formas ativas das interleucinas IL- 1β e IL-18, sinalizando o início da resposta do sistema imune inato. Sendo assim o inflamasoma vem sendo amplamente estudado. Nosso estudo tem como objetivo avaliar se nas diferentes gravidades da sepse a atividade do inflamasoma (medida pelos níveis de IL-1 β e IL-18 no plasma) tem expressão diferente entre os grupos, e sua relação com a mortalidade. Os resultados demonstraram que a atividade do inflamasoma com o aumento dos níveis séricos de IL-18 pode ser o responsável pelo alto índice de mortalidade na sepse, independente do nível de IL-1β, apesar do processo de ativação e via de expresssão ser simultânea e a mesma. Portanto, nossas descobertas podem auxiliar na compreensão dos eventos inflamatórios que levam a sepse, podendo influenciar na investigação de terapêuticas futuras e na redução de mortalidade.
10

VYUŽITÍ STANOVENÍ PROKALCITONINU V DIAGNÓZE A PROGNÓZE SEPTICKÝCH STAVŮ. / Use of Procalcitonin Levels Measurement in Diagnosis and Prognosis of Septic States.

PAVLÍKOVÁ, Lenka January 2010 (has links)
The Master thesis gives an overview of sepsis, its causes, manifestation and diagnostics. The role of procalcitonin as a sepsis marker is dicussed. In the experimental part, case records of 106 were examined and the determination of procalcitonin as a sepsis marker was evaluated. Based on the evaluation, a recommendation about timing of the procalcitonin level analyses with septic patients were made.

Page generated in 0.04 seconds