• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 2650
  • 55
  • 55
  • 54
  • 46
  • 31
  • 20
  • 13
  • 13
  • 11
  • 11
  • 9
  • 8
  • 7
  • 7
  • Tagged with
  • 2726
  • 815
  • 781
  • 737
  • 631
  • 552
  • 480
  • 432
  • 395
  • 366
  • 347
  • 345
  • 342
  • 313
  • 286
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

A base da classificação categórica em idosos

Van Erven, Terezinha de Jesus Cordeiro Galvão 29 October 2010 (has links)
Tese (doutorado)-Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, Departamento de Processos Psicológicos Básicos, 2010. / Submitted by Shayane Marques Zica (marquacizh@uol.com.br) on 2011-03-31T13:27:51Z No. of bitstreams: 1 2010_TerezinhadeJesusCordeiroGalvãoVanErven.pdf: 716960 bytes, checksum: 2e8239f90b07fc2e00ddb3477683c39c (MD5) / Approved for entry into archive by Daniel Ribeiro(daniel@bce.unb.br) on 2011-04-09T00:05:48Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2010_TerezinhadeJesusCordeiroGalvãoVanErven.pdf: 716960 bytes, checksum: 2e8239f90b07fc2e00ddb3477683c39c (MD5) / Made available in DSpace on 2011-04-09T00:05:48Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2010_TerezinhadeJesusCordeiroGalvãoVanErven.pdf: 716960 bytes, checksum: 2e8239f90b07fc2e00ddb3477683c39c (MD5) / Os idosos constroem categorias preferencialmente por relações temáticas, isto é, reúnem itens que co-ocorrem no mesmo evento. Para verificar a influência da memória e do tipo de estímulo na preferência categórica, 115 idosos e 70 jovens participaram de três experimentos. No primeiro, grupos etários classificaram objetos simultaneamente com uma tarefa concorrente; no segundo, idosos receberam três diferentes tipos de instruções antes da classificação livre: geração de exemplos categóricos, geração de palavras semanticamente associadas e a combinação das duas instruções. No terceiro, testou-se a influência do tipo de estímulo sobre a preferência dos idosos por categorias de base temática. Os resultados mostraram que idosos agruparam mais por relações temáticas do que os jovens e que, independentemente da faixa etária, os participantes agrupavam similarmente em função do tipo de estímulo de maior ocorrência. Observou-se, ainda, que a preferência dependeu da saliência das categorias com dois membros, fortemente relacionados por complementaridade funcional ou por similaridade, que ativaram conjuntos de palavras associadas ou categorias pré-existentes na memória. _________________________________________________________________________________ ABSTRACT / Elderly people are more likely to construct categories based on thematic relations, that is, they congregate items that co-occur within the same event. To verify the influence of memory and stimuli type in the categorical preference, 115 elderly and 70 young individuals participated in three experiments. In the first one, participants classified objects simultaneously with a competing task; in the second, the elderly received three different types of instructions before a free classification task: generation of categorical examples, generation of words semantically associated, and a combination of both instructions. The third experiment evaluated the influence of stimulus type on the elderly people´s categorizations. The results showed that categories generated by elderly participants are more likely to be based on thematic relations than those produced by younger ones and that, regardless of age, they categorized similarly as a function of most frequent stimulus type. It was also observed that the preference depended on pair saliencies which were strongly associated by functional complementarities or similarity. It is suggested that these pairs activated sets of preexisting associated words or categories in the memory.
2

Prevalência de depressão e ansiedade em idosos institucionalizados no município de Ji-Paraná – Rondônia

Azevedo, Joareis Fernandes de 10 December 2009 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, 2009. / Submitted by Elna Araújo (elna@bce.unb.br) on 2011-06-13T21:25:30Z No. of bitstreams: 1 2009_JoareisFernandesdeAzevedo.pdf: 1221926 bytes, checksum: cd7245d185420bf7b50c3502928d970e (MD5) / Approved for entry into archive by Patrícia Nunes da Silva(patricia@bce.unb.br) on 2011-06-14T15:41:14Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2009_JoareisFernandesdeAzevedo.pdf: 1221926 bytes, checksum: cd7245d185420bf7b50c3502928d970e (MD5) / Made available in DSpace on 2011-06-14T15:41:14Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2009_JoareisFernandesdeAzevedo.pdf: 1221926 bytes, checksum: cd7245d185420bf7b50c3502928d970e (MD5) / Este estudo objetivou avaliar a prevalência do transtorno de depressão e ansiedade em uma população de idosos institucionalizada. Trata-se de uma investigação descritiva e transversal, com coleta de dados primários realizada no período de dezembro de 2008 a janeiro de 2009, com idosos de idade igual ou acima de 60 anos provenientes de uma instituição de Ji-Paraná, RO. A amostra foi composta de 100 idosos que responderam o Inventário Beck de Depressão, versão em português e a Escala de Avaliação de Ansiedade de Hamilton, versão em português. Foram feitas associações de interesse através do cálculo do Odds Ratio, Intervalo de confiança com 95% e valor de p<=0,050. Estes cálculos tiveram por objetivo mostrar a razão de prevalência ou chance dos entrevistados terem os transtornos. Na depressão com relação ao gênero apresentou uma prevalência de sintomas depressivos maior entre os homens (88,2%), com uma razão de prevalência de 1,1 (IC 95%, 0,4 – 3,1). A ansiedade foi possível verificar que esse grau de ansiedade variou bastante, se comparado com o fator gênero, onde verificou-se que o grau forte e moderado foi muito maior entre as mulheres, apresentando inclusive diferenças estatisticamente significantes (x2 = 131,059 e p= 0,011). Recomenda-se a criação de programas nacionais com o objetivo de diminuir sintomas depressivos e ansiosos entre os idosos institucionalizados. _____________________________________________________________________________ ABSTRACT / This study has the objective to evaluate the prevalence of depression and anxiety in a population of hospitalized elderly. To achieve that on analyhical and transversal investigation was made from December 2008 to January 2009 in elderly aged 60 and over, from an institution at Ji Paraná, RO. The sample was composed of 100 elderly, who answered the Portuguese versions of Beck´s Depression and Hamilton Chart of Anxiety Evolution. Associations of interest through the Odds Ratio calculation were made. Trust interval of 95% and value p< =0,050. These calculations had an objective to show the reason of prevalence or the chance of the interviews to have these conditions. It was found a higher prevalence of depression symption armost males (88,20% with a reason of prevalence of 1,1 (IC 95%,0,4 – 3,1). On the athes hand it was possible to verify that the anxiety glevel, varied a lot if compared to the sex factor, bering higlerat strong and moderated levels among women, with ignificant statistics differences (X2 =131,059 and p= 0,011). We recommend that national programs are devised with the oim to diminish the depressive symptoms and anxiety in hospitalized elderly.
3

Atividades cotidianas, atividades instrumentais de vida diária, mobilidade e catarata em idosos comunitários : estudo transversal realizado no Distrito Federal, Brasil

Borges, Larissa de Lima 25 July 2013 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ceilândia, Programa de Pós-Graduação em Ciências e Tecnologias em Saúde, 2013. / Submitted by Jaqueline Ferreira de Souza (jaquefs.braz@gmail.com) on 2013-11-04T12:05:00Z No. of bitstreams: 1 2013_LarissadeLimaBorges_Parcial.pdf: 99128 bytes, checksum: 6ccb55161b5f193e0f864b8d3fcce694 (MD5) / Approved for entry into archive by Guimaraes Jacqueline(jacqueline.guimaraes@bce.unb.br) on 2013-11-04T12:17:33Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2013_LarissadeLimaBorges_Parcial.pdf: 99128 bytes, checksum: 6ccb55161b5f193e0f864b8d3fcce694 (MD5) / Made available in DSpace on 2013-11-04T12:17:33Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2013_LarissadeLimaBorges_Parcial.pdf: 99128 bytes, checksum: 6ccb55161b5f193e0f864b8d3fcce694 (MD5) / Incapacidade funcional no idoso, processo heterogêneo e multifatorial, ocorre quando há dificuldade ou necessidade de ajuda deste para realizar atividades de vida diária (AVD), atividades instrumentais de vida diária (AIVD) ou tarefas relacionadas à mobilidade, além dos fatores contextuais associados (características sociodemográficas e de saúde geral). Neste sentido, o objetivo deste estudo foi verificar diferenças na capacidade funcional e nos fatores contextuais a ela associados de idosos com e sem catarata. Trata-se de um estudo observacional transversal, realizado no Distrito Federal, Brasil, com uma amostra de 100 idosos comunitários, divididos em dois grupos: idosos com catarata bilateral e com indicação cirúrgica (n=50); idosos sem catarata (n=50). Avaliou-se a capacidade funcional para atividades de vida diária (AVD) - Índice de Katz, atividades instrumentais de vida diária (AIVD) - Escala de Lawton e mobilidade - Short Physical Pherformance Battery. A incapacidade funcional foi detectada quando o idoso apresentasse dependência para pelo menos uma AVD, dependência ou semi-dependência para pelo menos uma AIVD e/ou desempenho alterado na mobilidade. As análises dos dados incluíram frequências absoluta e relativa, testes Qui quadrado ou Exato de Fisher (p<0.05) e análise regressiva de Poisson. Os idosos com catarata, comparados aos sem catarata, eram mais velhos (p=0.046), com maior número de doenças (p=0.001), sedentários (p=0.014) e com dificuldade para enxergar (p=0.00). A prevalência de incapacidade funcional na amostra geral foi de 57.0%, 42.0% e 24.0% para AIVD, AVD e mobilidade, respectivamente. Não houve associação estatisticamente significativa entre incapacidade funcional para AIVD, AVD e mobilidade e catarata. Diferença estatisticamente significativa entre os idosos incapacitados com e sem catarata conforme os fatores contextuais ocorreram para incapacidade para AVD conforme faixa etária (p=0.037) e comorbidade (p=0.037); incapacidade para mobilidade e prática de atividade física (p=0.013), e para AIVD (p=0.001), AVD (p=0.001) e mobilidade (p=0.013) conforme o autorrelato de dificuldade de enxergar. Além da catarata, sedentarismo, comorbidade e o próprio envelhecimento funcional, são fatores contribuintes para o processo de incapacidade funcional em adultos e idosos. Logo, é indispensável a atuação da fisioterapia tanto para se prevenir o início ou a piora do envelhecimento funcional, como para reverter este processo, evitando assim uma série de eventos adversos à saúde. ______________________________________________________________________________ ABSTRACT / The functional disability in the elderly, a heterogeneous and multifactorial process, occurs when there is difficulty or need to help of this to perform activity of daily living (ADL), instrumental activities of daily living (IADL) or tasks related to mobility, besides the contextual factors associated (sociodemographic and general health characteristics). In this sense, the purpose of this study was to determine differences in functional capacity and contextual factors associated with it in elderly affected and not affected by cataract. It was a transversal-type observational study, carried out in the Federal District of Brazil, with 100 community elderly, divided into two groups: elderly with bilateral cataracts and with surgical indication (n=50); elderly not affected by cataracts (n=50). The functional ability was evaluated for Activities of Daily Living (ADL) – Katz Index, Instrumental Activities of Daily Living (IADL) – Lawton scale and mobility – Short Physical Performance Battery. Functional disability was detected when the elderly were dependent for one or more ADL, dependent or semi-dependent for one or more IADL and/or when they presented any difficulty in executing the tasks of mobility. Data analysis included absolute and relative frequencies, chi-squared or Fisher’s exact tests (p<0.05) and Poisson regression. The elderly affected by cataract, compared with those not affected, were older (p=0.046), suffered from more illnesses (p=0.01), were more sedentary (p=0.014) and presented more self-reporting of eyesight problems (p=0.00). The prevalence of functional disability in the general sample was 57.0%, 42.0%, and 24.0% for IADL, ADL and mobility, respectively. No statistically significant associations were observed between (IADL, ADL or mobility) disability and cataracts. A statistically significant difference was observed between the disabled elderly affected and not affected by cataract according to contextual factors for ADL regarding age (p=0.037) and comorbidity (p=0.037), for mobility regarding the practice of physical activity (p=0.013), and for IADL (p=0.001), ADL (p=0.001) and mobility (p=0.013) regarding the self-reporting of eyesight problems. Besides cataracts, physical inactivity, comorbidity and functional aging itself, are contributing factors to the process of disability in adults and the elderly. Therefore, it is essential the role of physiotherapy both to prevent the onset or worsening of functional aging as to reverse this process, thus avoiding a number of adverse health events.
4

Estimulação em idosos institucionalizados

Tavares, Lorine January 2007 (has links)
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em Psicologia. / Made available in DSpace on 2012-10-23T13:33:50Z (GMT). No. of bitstreams: 1 244701.pdf: 1394799 bytes, checksum: 3089ea17f9f4a4e3a9a469e3c2e8be2c (MD5) / Engajamento em atividades cognitivas e físicas está associado com a manutenção da saúde cognitiva e com a prevenção de declínio cognitivo na população idosa. O objetivo do presente estudo foi verificar os efeitos da prática de atividades cognitivas e atividades físicas em idosos institucionalizados. Para tanto, cinco idosos de uma instituição de longa permanência para idosos (ILPI) participaram de vinte e duas sessões de um programa de atividades cognitivas, e cinco idosos de outra ILPI participaram de treze sessões de um programa de atividades físicas. Anteriormente às intervenções, os participantes responderam ao Formulário de Caracterização Geral e Auto-avaliação de Idosos e a uma entrevista semi-estruturada para identificação do histórico de atividade cognitiva e física. Os instrumentos: a) Mini-Exame do Estado Mental (MEEM), b) Escala de Depressão em Geriatria (GDS-15) e c) Teste de Aprendizagem Auditivo-Verbal de Rey (RAVLT), foram aplicados antes e logo após as intervenções para verificação de seus efeitos na capacidade cognitiva geral, nos sintomas depressivos e na memória de trabalho dos participantes. Uma entrevista semi-estruturada foi aplicada após as intervenções para verificação da opinião dos participantes sobre os programas de estimulação. Verificou-se que, de modo geral, os participantes possuem histórico restrito de engajamento em atividades físicas e cognitivas. O teste não-paramétrico de Wilcoxon constatou que não houve diferença estatisticamente significativa antes e depois entre os grupos nas variáveis estudadas. Entretanto, as diferenças entre as médias individuais obtidas pelos participantes nos testes mostram efeitos positivos, sugerindo que o programa de atividades cognitivas produziu maiores efeitos positivos na capacidade cognitiva de seus participantes, e que o programa de atividades físicas foi mais eficaz em reduzir a intensidade dos sintomas depressivos de seus participantes. As opiniões dos participantes de ambos os programas se mostraram, na sua grande maioria, positivas, e suas falas sugerem apreço ao envolvimento nos programas de estimulação, percebendo efeitos positivos oriundos da participação nos mesmos. Sugere-se a necessidade de novas pesquisas relacionadas à investigação da eficácia de programas de estimulação na saúde cognitiva de idosos institucionalizados.
5

Efeitos de um programa de atividade física sobre o comportamento das variáveis neuromotoras associadas a uma avaliação psicológica em idosos de ambos os gêneros

Borges, Kleber Farinazo January 2006 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, 2006. / Submitted by wesley oliveira leite (leite.wesley@yahoo.com.br) on 2009-11-10T22:24:32Z No. of bitstreams: 1 Dissertacao_Kleber Farinazo Borges.pdf: 1732990 bytes, checksum: f9a16ee3016bd568391c8f428b5159f2 (MD5) / Approved for entry into archive by Gomes Neide(nagomes2005@gmail.com) on 2010-07-13T12:45:07Z (GMT) No. of bitstreams: 1 Dissertacao_Kleber Farinazo Borges.pdf: 1732990 bytes, checksum: f9a16ee3016bd568391c8f428b5159f2 (MD5) / Made available in DSpace on 2010-07-13T12:45:07Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Dissertacao_Kleber Farinazo Borges.pdf: 1732990 bytes, checksum: f9a16ee3016bd568391c8f428b5159f2 (MD5) Previous issue date: 2006 / Objetivos: verificar os efeitos de um programa de oito semanas de atividades físicas sobre as variáveis: força, flexibilidade e a depressão em um grupo de idosos na faixa etária de 60 a 65 anos de idade de ambos os gêneros. Métodos: Trata-se de um estudo analítico transversal. A amostra foi formada por 23 mulheres e 7 homens saudáveis e sedentários, foram submetidos a um programa de treinamento com pesos e flexibilidade, durante um período de 8 semanas com freqüência de 3 vezes/semana. A força muscular de membros superiores foi determinada pré-teste e pós-teste utilizando o dinamômetro SMEDLEY através do teste de preensão manual da mão. A força de membros inferiores foi determinada através do teste de levantar e sentar da cadeira em um tempo de “30 segundos”, e a flexibilidade foi aferida a partir do teste de sentar e alcançar, por um “Banco de Wells”. Para mensurar o estado de depressão nos idosos, foi utilizado o modelo de escala proposto por Fiatarone (1996). Observa-se que o tratamento estatístico foram utilizados o teste de análise de variância (Anova) para mensurar as variáveis força de membros superiores, inferiores e flexibilidade. E o teste de McNemar para avaliar a depressão em idosos. Resultados: para os testes de força de membros superiores não foi encontrado diferença significativa para ambos os gêneros. Para os testes de força de membros inferiores, encontrou-se diferença significativa tanto para as mulheres (p<0,01), quanto para os homens (p<0,05). Nos testes realizados buscando verificar a flexibilidade, para as mulheres foi detectada uma diferença significativa (p<0,01), todavia para os homens não foi encontrado diferença significativa. Também não foi encontrada nenhuma diferença significativa ao analisar o estado de depressão dos idosos, este foi determinado tanto para os indivíduos do gênero masculino quanto para o gênero feminino. Conclusões: os resultados sugerem que 8 semanas de atividades de força muscular para os membros inferiores, foram suficientes, apresentando uma resposta significativa em ambos os gêneros estudados. Todavia, um comportamento melhor foi observado nas mulheres em relação aos homens, quando comparados os testes de flexibilidade. Contudo, os resultados de pré e pós-teste para as atividades de força de membros superiores e a avaliação do estado depressivo, indicaram que para ambos os gêneros o programa de 8 semanas foi insuficiente para proporcionar um comportamento significativo destas variáveis. ________________________________________________________________________________________ ABSTRACT / Objectives: To verify the effects of a program of eight weeks of physical activities on the variables: strength, flexibility and the depression in a group of elders in an age group from 60 to 65 years old of both genders. Methods: That is a traverse analytic study. The sample was constituted by 23 women and 7 men all of them healthy and sedentary, who were submitted to a training program with weights and flexibility, during a period of 8 weeks with a frequency of 3 times a week. The muscular force of superior members was established by pre-test and post-test using the dynamometry SMEDLEY through the test of manual grasp of the hand. The force of inferior members was established through the test of standing up and sitting down in a chair in "30 seconds" time, and the flexibility was fixed by the test of sitting down and reaching, by a "Bank of Wells ". In order to measure the depression state in the elders, it was used the scale model proposed by Fiatarone (1996). It may be observed that in the statistical treatment it was used the test of variance analysis (Anova) to measure the variables force of superior and inferior members and flexibility. Moreover, the test of McNemar was used to evaluate the depression in elders. Results: For the tests of force of superior members, it was not found significant difference for both genders. As for the tests of force of inferior members, significant differentiates were highlight (p <0,01) for the women and significant differentiates (p <0,05) for the men. In the accomplished tests seeking to verify the flexibility, for the women a highly significant difference was detected (p<0,01), though for the men it was not found significant difference. It was also not found any significant difference when analyzing the state of the elders' depression, this was determined so much for the individuals of the male gender as for the female one. Conclusions: The results suggested that eight weeks of activities of muscular force for the inferior members, presents expressive behavior in both genders. Moreover, a better behavior was observed in the women than in the men, when compared the flexibility tests. However, the results of pre and post-test for the activities of force of superior members and the evaluation of the depressive state had indicated that for both genders program of eight weeks was insufficient to provide a significant behavior of these variables.
6

Violência contra pessoas idosas em uma área metropolitana de Brasília, Paranoá - Distrito Federal / Violence against elderly in a metropolitan area of Brasilia, Paranoá - Federal District

Faustino, Andréa Mathes 27 November 2014 (has links)
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, 2014. / Submitted by Albânia Cézar de Melo (albania@bce.unb.br) on 2015-01-30T13:35:19Z No. of bitstreams: 1 2014_AndreaMathesFaustino.pdf: 3394200 bytes, checksum: 474ada2df82e127b720736bddc70b23b (MD5) / Approved for entry into archive by Raquel Viana(raquelviana@bce.unb.br) on 2015-02-04T17:39:49Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2014_AndreaMathesFaustino.pdf: 3394200 bytes, checksum: 474ada2df82e127b720736bddc70b23b (MD5) / Made available in DSpace on 2015-02-04T17:39:49Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2014_AndreaMathesFaustino.pdf: 3394200 bytes, checksum: 474ada2df82e127b720736bddc70b23b (MD5) / Fenômenos inerentes ao processo de envelhecimento, como a senescência e senilidade, podem influenciar a ocorrência de atos de violência contra idosos, associados às condições sociodemográficas, como sexo, escolaridade, renda, condições de moradia, rede de apoio e proteção, além da capacidade funcional e cognitiva. O objetivo geral foi caracterizar os idosos quanto aos aspectos sociodemográficos, condições de saúde, informações pessoais e a sua relação com as naturezas de violência psicológica, física, financeira, abandono, negligência, autonegligência e sexual e os objetivos específicos foram analisar a prevalência de casos de violência, segundo as situações de violência, identificar a relação entre a capacidade funcional e cognitiva do idoso e a presença de violência e caracterizar o tipo de agressor e a frequência dos atos de violência sofrida pelos idosos. Trata-se de estudo de base populacional, de caráter descritivo onde foram aplicados instrumentos para avaliar as situações de violência e a relação entre dados sociodemográficos, capacidade funcional e cognitiva. A coleta de dados foi realizada em unidade de saúde no Paranoá, Distrito Federal, onde foram realizadas entrevistas face-a-face, tendo o idoso como o interlocutor das situações de violência. Foram utilizados instrumentos de avaliação da violência, capacidade funcional de Katz e Lawton, e o mini-exame do estado mental. A amostra foi composta por 237 idosos, com idade entre 60 a 93 anos (média 70,25; DP 6,94), maioria do sexo feminino (69,9%), brancos (48,1%), casados (38%), analfabetos (44,3%), católicos (62%), de baixa renda (46%) e que residiam com pelo menos um familiar (89%). Quanto a prevalência 64,97% dos idosos relatou ter sofrido pelo menos um tipo de violência após ter completado 60 anos. Na relação entre as variáveis, foi observado que os tipos de violência psicológica, agressão física, abandono, autonegligência e abuso finaceiro foram as que obtiveram níveis de significância estatística de p < 0,05, sendo significativa a associação entre a ocorrência de maus-tratos e a variável sociodemográfica como o sexo, possuir filhos, usar álcool. Ser dependente em atividades básicas de autocuidado e sofrer violência física foram estatisticamente significativos (p=0,02). Já na relação entre avaliação cognitiva e violência, não houve relação estatítica significante, contudo, as maiores frequências de casos de violência foram identificadas nos grupos de idosos com menor escolaridade e pior desempenho no teste mental. Quanto ao tipo de agressor, os filhos, seguidos dos cônjuges foram os mais citados como agentes de violência. O abandono foi o tipo de violência em que o idoso relatou maior frequência de vezes sofrida. Os resultados mostraram que variáveis sociodemográficas e de avaliação da capacidade funcional e cognitiva estão relacionadas com as situações de violência e que o agressor é um membro da família. Pesquisas epidemiológicas, como o presente estudo, podem ajudar a aumentar a conscientização tanto de profisisonais quanto da sociedade, sobre as características de casos de maus-tratos entre idosos, que não são relatados, além de fornecer e demostrar a causalidade dos fatores de risco, o que pode favorecer a elaboração de metas mais precisas e viáveis, para a intervenção e prevenção da violência entre pessoas idosas. ________________________________________________________________________________ ABSTRACT / Phenomena associated with aging, such as senescence and senility, may influence the occurrence of acts of violence against the elderly, associated with sociodemographic conditions, such as gender, education, income, housing conditions, support network and protection, and functional capacity and cognitive. The overall objective was to characterize the elderly as the sociodemographic, health, and personal information and its relationship with the nature of psychological, physical, financial, abandonment, neglect, self-neglect and sexual violence and specific objectives were to analyze the prevalence of cases of violence, according to the situations of violence, identifying the relationship between the functional and cognitive capacity of the elderly and the presence of violence and characterize the type of offender and the frequency of acts of violence suffered by the elderly. It is a descriptive population-based study, where instruments were applied to assess the situations of violence and the relationship between sociodemographic data, functional and cognitive ability. Data collection was performed in a health unit in Paranoá, Federal District, where were carried out face-to-face interviews, and the elderly as the interlocutor of situations of violence. Were used violence assessment instruments, functional capacity of Katz and Lawton, and the mini-mental state examination. The sample consisted of 237 elderly people, aged 60-93 years (mean 70.25, SD 6.94), mostly female (69.9%), white (48.1%), married (38% ), illiterate (44.3%), Catholics (62%), low income (46%), who were living with at least one family member (89%). As the prevalence, 64.97% of seniors reported having experienced at least one type of violence after completing 60 years. In the relationship between the variables, it was observed that the types of psychological, physical, neglect, self-neglect and financial abuse obtained levels of statistical significance of p <0.05, with a significant association between the occurrence of abuse and sociodemographic variable like sex, have children and use alcohol. Be dependent in basic activities of self-care and suffer physical violence were statistically significant (p = 0.02). In the relation between cognitive assessment and violence, there was no significant statistical relationship, however, the most frequent cases of violence were identified in groups of elderly people with lower education levels and poorer performance on mental test. Regarding the type of offender, the children, followed by spouses were the most mentioned as perpetrators of violence. Abandonment was the type of violence which the elderly reported to suffer more frequently. The results showed that sociodemographic and evaluation of functional capacity and cognitive variables are related to the violence and the abuser is a family member. Epidemiological studies such as this, may help to raise awareness of both professionals and the society, on the characteristics of cases of abuse among the elderly, which are not reported, and provide and demonstrate the causality of risk factors, which can promote the development of more accurate and viable targets for intervention and violence prevention among older people.
7

Analise dos fatores de risco de quedas em idosos : estudo exploratorio em instituição de longa permanencia no municipio de Campinas

Piton, Danielle Alexandre 16 August 2004 (has links)
Orientador: Monica Rodrigues Perracini / Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação / Made available in DSpace on 2018-08-04T00:42:21Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Piton_DanielleAlexandre_M.pdf: 619490 bytes, checksum: 0fab347cd09975418bd3be6526b5b1ad (MD5) Previous issue date: 2004 / Resumo: O objetivo deste estudo é identificar a associação de fatores sócio-demográficos, clínicos e funcionais com relação ao risco de quedas: alto risco e médio-baixo risco e também o peso de cada um na determinação do mesmo. MÉTODO: Trata-se de um estudo transversal, retrospectivo com 50 idosos de 65 anos ou mais, de ambos os sexos, residentes no Lar dos Velhinhos situado na cidade de Campinas. Utilizou-se um questionário contendo dados sócio-demográficos; dados clínico-funcionais, dados sobre quedas e os testes BOMFAQ, Escala de Depressão Geriátrica, Mini-Exame do Estado Mental, Timed Up & Go Test e Berg Balance Scale. Determinou-se a divisão de dois grupos: o primeiro com alto risco para quedas, composto por idosos que sofreram dois ou mais eventos de quedas no período de um ano ou apenas um evento, porém com lesão grave e o segundo com médio-baixo risco de quedas, o qual foi composto por idosos que não sofreram quedas no período de um ano ou que sofreram apenas um evento, porém sem lesões graves. Para análise dos dados, utilizou-se o teste Qui-Quadrado; o teste não paramétrico de Mann-Whitney, para comparação das variáveis entre os grupos de alto e médio-baixo risco e a análise de regressão logística multivariada tipo Stepwise, com nível de significância p<0.05, por meio do SAS®, versão 6.12. RESULTADOS: Na análise de regressão logística univariada, as razões de chance para pertencer ao grupo de alto risco de quedas foram: sexo feminino (OR= 14.64; 95% IC= 2.82-75.95); elevada escolaridade (OR= 5.48; 95% IC= 1.04-28.88); fazer uso de dispositivo de auxílio à marcha (OR= 7.27; 95% IC= 1.23-43.00) e apresentar alteração de equilíbrio com relação à Berg Balance Scale (OR= 5.80; 95% IC= 1.48-22.69). O modelo final da análise de regressão logística multivariada apontou como variáveis associadas ao alto risco de quedas: ser mulher, tendo 50.30 vezes uma maior possibilidade quando comparada ao sexo masculino (95% IC= 3.41-741.3), ter nível de escolaridade elevado, com 18.48 vezes a chance quando comparado aos de baixa escolaridade (95% IC= 1.24-275.7) e fazer uso de dispositivo de auxílio à marcha com 24.02 vezes maior oportunidade quando comparados aos que não utilizava dispositivo (95% IC= 1.38-418.0). CONCLUSÃO: Esta pesquisa identificou, à semelhança do que aponta a literatura, que pertencer ao sexo feminino e fazer uso de dispositivo de auxílio à marcha são fatores que estão associados a uma maior chance de pertencer ao grupo de alto risco, determinado pelo fato de ter caído recorrentemente e ou ter sofrido uma queda com lesão grave no último ano. O modelo final evidenciou também que os idosos com elevada escolaridade tiveram maior chance de pertencer ao grupo de alto risco e que apresentar déficit na mobilidade foi um fator determinante para pertencer a este grupo de risco / Abstract: The objective of this study is to identify the association of social-demographic, clinical and functional factors related to the risk of falls: high risk and medium-low risk and identify the importance of each factor in the determination of risk. METHOD: It is a transversal study, restrospective, with 50 elders of 65 years or more, of both genders, residents in the ¿Lar dos Velhinhos¿, in the city of Campinas. It was used a questionnaire containing social demographic data; clinical-functional data; data on falls and the BOMFAQ tests, Geriatric Depression Scale, Mini-mental State Examination, Timed Up & Go Test and the Berg Balance Scale. It was determined the division into two groups, the high risk group for falls, composed of elders who suffered two or more fall events in the period of a year or only one event but with serious injury, and the medium-low group for the risk of falls, which was composed of elders who didn't suffer falls in the period of a year or who suffered only one event but without serious injury. For the analysis of the data, it was used the ¿Qui-Square¿, the non-parametric test of Mann-Whitney, for the comparison of variables between the high risk and medium-low risk groups, and the analysis of multivaried logistic regression type Stepwise, with a meaning level p<0.05, using SAS® , version 6.12. RESULTS: In the analysis of the univaried logistic regression, the ratio of chance for belonging to the high risk group for falls were: female gender (OR=14.64; 95% IC=2.82-75.95), high educational level (OR=5.48;95% IC=1.04-28.88), use of a walking aid device (OR=7.27;95% IC=1.23-43.00) and to present change in the balance of the Berg Balance Scale (OR=5.80; 95% IC=1.48-22.69). The final model of the analysis of the multivaried logistic regression showed as variables associated with the high risk of falls: to be a woman, 50.30 times the chance when compared with the male gender (95% IC=3.41-741.3), to have a high educational level, 18.48 times the chance when compared to the ones with low educational level (95% IC=1.24-275.7) and to use a walking aid device, 24.2 times the chance when compared to those who didn't use a device (95% IC=1.38-418.0). CONCLUSION: This research identified, similarly to what shows the specialized literature, that belonging to the female gender and to make use of a walking aid device are factors which are associated to a higher chance of belonging to a high risk group, determined by the fact of recurring falls and or have suffered a fall with a serious injury in the last year. The final model also showed that the elders with high educational level had a higher chance of belonging to the high risk grou / Mestrado / Mestre em Gerontologia
8

Quedas e qualidade de vida de idosos com catarata no Distrito Federal

Menezes, Carolline 27 April 2015 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ceilândia, Programa de Pós-graduação em Ciências e Tecnologias em Saúde, 2015. / Objetivo: Investigar a associação entre quedas e qualidade de vida em idosos com catarata. Métodos: Tratou-se de estudo observacional, com delineamento transversal, realizado no Distrito Federal, Brasil, com uma amostra de 38 idosos comunitários, divididos em dois grupos: idosos caidores (n=18) e idosos não caidores (n=20). Avaliou-se através do instrumento NEI-VFQ 25 a saúde geral do paciente, assim como a qualidade de vida relacionada à saúde visual. A caracterização da amostra foi realizada por meio da análise descritiva e para avaliar a associação entre quedas e demais variáveis, utilizou-se o teste não paramétrico de Mann-Whitney (p<0.05). Resultados: A faixa etária ≥70 anos prevaleceu entre os participantes da pesquisa (63,16%). Dentre os idosos que fizeram parte deste estudo, 36 (94,74%) relataram ter algum problema para enxergar. Idosos caidores apresentaram escore geral mais baixo, quando comparados aos não caidores (p=0,0159), apresentaram também maior dificuldade em realizar atividades para perto (p=0,0299) e para longe (p=0,0104), pior saúde mental (p=0,0001) e nível mais elevado de dependência (p=0,0008). Conclusões: As quedas interferem negativamente na qualidade de vida de idosos com catarata, tornando as ações para prevenção de quedas e o tratamento e/ou correção do déficit visual importantes para evitar prejuízos futuros. / Objective: To investigate the association between falls and quality of life in elderly individuals with cataract. Methods: This was an observational and cross-sectional study carried out in the Federal District, Brazil, with a sample of 38 community-dwelling elderly individuals, who were divided into two groups: falling elderly (n=18) and non-falling elderly (n=20). The NEI-VFQ-25 was used as a tool to assess the patient overall health and the quality of life related to visual health. Sample characterization was performed by descriptive analysis and the nonparametric Mann-Whitney test (p<0.05) was used to evaluate the association between falls and the other variables. Results: Elders within the age group ≥ 70 years old were the majority in this study. 36 participants (94,74%) of this study claimed to have some vision problems. Falling elderly presented lower scores when compared to the non-falling elderly (p=0,0159) and they also showed worse mental health (p=0,0001), higher level of dependence (p=0,0008) and greater difficulty to perform up close vision tasks (p=0,0299) and far vision tasks (p=0,0104). Conclusion: Falls have a negative impact on the quality of life of elderly individuals with cataract, which makes preventive actions and the treatment and/or correction of visual impairments important in order to avoid future harms.
9

Fragilidade no idoso internado e o significado de fragilidade para a equipe de enfermagem

Lana, Letice Dalla January 2013 (has links)
Made available in DSpace on 2013-11-27T18:52:34Z (GMT). No. of bitstreams: 1 000452219-Texto+Completo-0.pdf: 1453324 bytes, checksum: 98a507fc83ff16002d7bfddc8094c849 (MD5) Previous issue date: 2013 / Fragility Syndrome Aging is a clinical syndrome that causes damage in the physical, psychological and social, leading to functional decline being determined by social risk factors, biological, environmental and psychological. Objective: To detect the presence of the syndrome of frailty in elderly in patients and the definition of fragility in the perception of professional nursing in the emergency department. Methodology: A quantitative cross-sectional and elderly aged over 60 years and nurses of the Emergency Department of the São Lucas Hospital. Scale was applied to Edmonton to fragility and specific questionnaire for the elderly and Teixeira Scale for nurses. The data were analyzed using the Student t test, chi-square test or the Fisher exact Poisson regression model. The significance level was 5%. The study was approved by the Research Ethics Comeettee of PUCRS under number 139242.Results: Both groups showed a mean age of 72. 81±8. 29 years, ranging from 60 to 92 years, 55. 2% male, 41. 1% were married, 81% live with family, 72. 4 % retirees or pensioners, 87. 7% of patients with previous disease and with an average of 3. 81 medications per day. The majority of elderly patients (66. 26%) is situated in the range classed as moderate and severe weakness, 25 (15. 34%) with mild weakness, 29 (17. 79%) with moderate brittleness and 79 (48,47% ) with severe weakness. The factors associated with frailty were age (PR = 1. 21, 95% CI: 1. 03 to 1. 42), marital status (PR = 1. 19, 95% CI :1,02-1, 37), use of medications (PR = 1. 16, 95% CI 1. 02 to 1. 31), infectious diseases (PR = 1. 17, 95% CI 1. 03 to 1. 32), neoplasms (PR = 1. 22, 95 %: 1. 06 to 1. 42) and hospital stay of one or two times in the last year (PR = 1. 35, 95% CI 1. 15 to 1. 58) (PR = 1. 30, 95% CI: 1, 10 to 1. 53). Regarding the sample of 12 nurses, there was a group of average age 29±3. 3 years, ranging between 23 and 34 years, with 83. 3% female, 58. 3% single, 66. 7% natural from Porto Alegre city and 58. 3% without post graduation completed. Nurses to be fragile, should be the criterion vulnerability to environmental stress, disease and falls (100%), have comorbidities (91. 7%), at an advanced age (83. 4%) and perform fewer social activities (75%). Regarding the characteristics of fragility must be unintentional weight loss (100%), self-reported fatigue (75%), decreased grip strength (66. 7%), reduction of physical activity (91. 7%), cognitive impairment (83. 3%), depression (100%) and reduction of social relations (100%). Consequences of weakness involving the decline of functional capacity (100%), hospitalization (58. 3%), disability (58. 3%) and death (58. 3%). Conclusion: The fragility is important public health problem and demand more studies focusing on its definition targeting assistance on the part of health professionals with quality and effectiveness. / A Síndrome da Fragilidade do Idoso é uma síndrome clínica que gera prejuízos nos domínios físico, psicológico e social, levando ao declínio funcional sendo determinada por fatores de risco sociais, biológicos, ambientais e psicológicos. Objetivo: Detectar a presença da síndrome de fragilidade nos idosos internados e a definição de fragilidade na percepção do profissional de enfermagem no Pronto Atendimento. Metodologia: Estudo quantitativo e transversal com idosos com idade igual ou superior a 60 anos e profissionais enfermeiros do Pronto Atendimento do Hospital São Lucas da PUCRS. Foi aplicada a Escala de Edmonton para fragilidade e questionário específico para os idosos e a Escala de Teixeira para os enfermeiros. Os dados foram analisados através do teste t de Student, teste qui-quadrado de Pearson ou exato de Fisher pelo modelo de Regressão de Poisson. O nível de significância adotado foi de 5%. O estudo foi aprovado pelo Comitê de ética em Pesquisa da PUCRS sob o número 139242.Resultados: Os idosos mostraram uma média de idade de 72,81±8,29 anos, variando de 60 a 92 anos, 55,2% do sexo masculino, 41,1% casados, 81% residem com a família, 72,4% aposentados ou pensionistas, 87,7% portadores de doença prévia e com uma média de 3,81 medicamentos por dia. A maior parte dos idosos (66,26%) está situada na faixa classificada como fragilidade moderada e severa, 25 (15,34%) com fragilidade leve, 29 (17,79%) com fragilidade moderada e 79 (48,47%) com fragilidade severa. Os fatores associados à fragilidade foram idade (RP=1,21; IC 95%:1,03 – 1,42), estado civil (RP= 1,19; IC95%:1,02-1,37), uso de medicações (RP=1,16; IC95%:1,02 – 1,31), doenças infecciosas (RP= 1,17; IC95%:1,03 – 1,32), neoplasias (RP= 1,22; IC95%: 1,06 – 1,42) e internação de uma ou duas vezes no último ano (RP=1,35; IC95%: 1,15 – 1,58) (RP= 1,30; IC95%: 1,10 – 1,53). Em relação à amostra dos 12 enfermeiros, verificou-se uma idade média etária de 29±3,3 anos, variando entre 23 e 34 anos, com 83,3% do sexo feminino, 58,3% solteiros, 66,7% naturais da cidade de Porto Alegre e 58,3% sem pós graduação concluída. Para os enfermeiros para ser frágil, deve haver o critério vulnerabilidade aos estresses ambientais, patologias e quedas (100%), apresentar comorbidades (91,7%), ter idade avançada (83,4%) e realizar poucas atividades sociais (75%). Quanto às características de fragilidade deve haver perda de peso não intencional (100%), auto-relato de fadiga (75%), diminuição da força de preensão palmar (66,7%), redução das atividades físicas (91,7%), déficit cognitivo (83,3%), depressão (100%) e diminuição das relações sociais (100%). As consequências da fragilidade envolvem o declínio da capacidade funcional (100%), hospitalização (58,3%), incapacidade (58,3%) e o óbito (58,3%). Conclusão: A fragilidade é importante problema de saúde pública e demanda maiores estudos com foco na sua definição visando uma assistência por parte dos profissionais de saúde com qualidade e efetividade.
10

Prevalência da polifarmácia em idosos com demência

Kusano, Liana Tieko Evangelista 02 1900 (has links)
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Medicina, 2009. / Submitted by Larissa Ferreira dos Angelos (ferreirangelos@gmail.com) on 2010-03-30T16:40:14Z No. of bitstreams: 1 2009_LianaTiekoEvangelistaKusano.pdf: 951727 bytes, checksum: eb11f44e03725e67aa0676c3e1de9523 (MD5) / Approved for entry into archive by Lucila Saraiva(lucilasaraiva1@gmail.com) on 2010-05-18T02:57:26Z (GMT) No. of bitstreams: 1 2009_LianaTiekoEvangelistaKusano.pdf: 951727 bytes, checksum: eb11f44e03725e67aa0676c3e1de9523 (MD5) / Made available in DSpace on 2010-05-18T02:57:26Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2009_LianaTiekoEvangelistaKusano.pdf: 951727 bytes, checksum: eb11f44e03725e67aa0676c3e1de9523 (MD5) Previous issue date: 2009-02 / A polifarmácia entre os idosos tornou-se uma prática comum. A polifarmácia pode ser classificada como quantitativa e qualitativa. Dentre os conceitos para a quantitativa, definiu-se a mesma como sendo a utilização de dois ou mais medicamentos. Por sua vez, a polifarmácia qualitativa leva em consideração a racionalização da terapia farmacológica. A partir dos dois conceitos apresentados, este estudo objetivou avaliar a prevalência da polifarmácia nos idosos com demência e associa-las às características sócio-clínico-demográficas e farmacológicas. Foi realizado um estudo transversal em um Centro de Referência em demência incluindo 97 idosos. Foram identificadas as prevalências da polifarmácia quantitativa e qualitativa e a partir da análise univariada, associou-se a polifarmácia às características da população. A prevalência da polifarmácia quantitativa foi de 92,8%, sendo 37,2% leve, 25,8% moderado e 29,8% grave, e a qualitativa de 49,5%. Analisando-se os dados, observou-se uma alta prevalência da polifarmácia quantitativa e qualitativa naqueles idosos que consumiam mais de seis medicamentos, eram acompanhados por diversas especialidades médicas e apresentavam possíveis interações medicamentosas. As características sócio-clínico-demográficas, a auto-medicação, os efeitos adversos, o erro não-intencional de omissão e o tempo de uso incorreto não estiveram associadas com polifarmácia quantitativa e qualitativa. A polifarmácia quantitativa e qualitativa foi prevalente entre os idosos com demência. O atendimento ambulatorial multiprofissional aos idosos utilizando a metodologia de identificação e qualificação da polifarmácia quantitativa e qualitativa parece ser uma ferramenta útil para promover o uso racional de medicamento. ___________________________________________________________________________________ ABSTRACT / Polypharmacy in the elderly has become a common practice. Polypharmacy can be classified as qualitative or quantitative. Among the several concepts which refer to quantitative polypharmacy, we have defined it as the concurrent use of two or more medications. Qualitative polypharmacy in turn considers the rationalization of the pharmacological therapy. Having these two concepts as a starting point, the primary objective of this study was to evaluate the prevalence of polypharmacy in the elderly suffering from Alzheimers Disease (AD) and to associate it with socio-demographic and clinical characteristics, as well as pharmacological features. A transversal study was carried out in a reference center for AD with 97 elderly. We have identified the prevalence of quantitative and qualitative polypharmacy and from a univariated analysis we have associated polypharmacy to the characteristics of the population. The prevalence was 92,8% for quantitative polypharmacy and 49,5% for qualitative polypharmacy. During the analysis of the data, we have observed a high prevalence of quantitative and qualitative polypharmacy among those elderly using more than six medications, who were assisted by several medical specialties and showed medication interaction. Socio-demographic and clinical characteristics, self-medication, adverse events, non-intentional omission errors and administering the medication for a wrong period of time were not associated with quantitative and qualitative polypharmacy. Quantitative and qualitative polypharmacy were prevalent among elderly suffering from AD. Ambulatory assistance to elderly using quantitative and qualitative polypharmacy methodology seems to be a useful tool to promote the rational use of medications.

Page generated in 0.0203 seconds