• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 18
  • 1
  • Tagged with
  • 19
  • 10
  • 6
  • 5
  • 4
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • 3
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

O cinema direto e a estética da intimidade no documentário dos anos 60

2012 (has links)
Submitted by Milena Dias (milena.dias@ufpe.br) on 2015-03-05T18:22:59Z No. of bitstreams: 2 Fernando_Weller_final2.pdf: 2201919 bytes, checksum: deed4ee7cf1fcbb9e84b83de505124a3 (MD5) license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) Made available in DSpace on 2015-03-05T18:22:59Z (GMT). No. of bitstreams: 2 Fernando_Weller_final2.pdf: 2201919 bytes, checksum: deed4ee7cf1fcbb9e84b83de505124a3 (MD5) license_rdf: 1232 bytes, checksum: 66e71c371cc565284e70f40736c94386 (MD5) Previous issue date: 2012 O presente trabalho procura analisar um conjunto de filmes pertencentes ao movimento cinematográfico denominado Cinema Direto, surgido principalmente nos EUA, Canadá e França na virada dos anos 50 para os anos 60, tendo como foco principal a produção norte-americana do período. Segundo a hipótese central da pesquisa, o Cinema Direto praticado pelo grupo de cineastas vinculados à produtora Drew Associates nos EUA representou um momento de ruptura no modelo canônico documental não apenas do ponto de vista tecnológico, mas, especialmente, pelo diálogo inaugural que o domínio documental estabeleceu com as mudanças nas esferas do Público e do Privado no âmbito da cultura do pós-guerra. Uma primeira parte da pesquisa, de caráter histórico, procura traçar a gênese do movimento e a sua recepção crítica, relativizando as rígidas dicotomias frequentes na historiografia estabelecida do documentário entre os grupos de produção anglófonos e francófonos. Uma segunda etapa, consiste na análise dos filmes e seus diálogos com a chamada cultura intimista do pós-guerra, que se revelam nas recorrências estilísticas e temáticas, constituindo o que denominamos ao longo do trabalho de estética da intimidade no documentário.
2

Direito à privacidade: uma análise sob a ótica da nova sociedade da informação

2005 (has links)
Made available in DSpace on 2014-06-12T17:20:28Z (GMT). No. of bitstreams: 2 arquivo5121_1.pdf: 913822 bytes, checksum: 439f3b34bac25058e635f23951003afd (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2005 Exige-se a necessidade de refletir sobre um mundo novo, fruto do progresso tecnológico, que repercute em todos os setores da sociedade contemporânea, especialmente no âmbito do Direito: a Internet. A dissertação intenta analisar as relações jurídicas que envolvem o ser humano, suas manifestações intelectuais, percorrendo o processo de construção da regulação jurídica dos direitos da personalidade e focalizando o indivíduo no papel principal de suas atividades, o que acarreta sua vinculação a outras áreas do conhecimento. Conseqüentemente, são abordados os principais conceitos e aspectos relevantes do direito à privacidade verificados na legislação e na doutrina, consubstanciando o seu sistema tradicional. Este sistema que começa a sofrer pressões decorrentes da passagem do Estado Liberal, caracterizado pelo espírito patrimonial, para o Estado Social, exaltando-se o fenômeno da repersonalização do ser, titular, pois, do direito à privacidade. Esta nova construção da privacidade é marcada pela indústria cultural e social; enfim, pelo progresso tecnológico. Entretanto, apesar das mudanças existentes na sociedade, originadas com o aparecimento das novas tecnologias, especialmente no campo dos direitos da personalidade, urge salientar que o seu sistema de regulação jurídica permanece disciplinado pelo modelo tradicional, necessitando, tão-somente, de novos instrumentos técnicos de proteção mais adequados à realidade digital, os quais deverão ser criados com o auxílio de toda a sociedade. O direito à privacidade na era virtual é mais uma forma de manifestação da pessoa, tornando-se um meio concretizador da dignidade humana
3

A saudade como matriz para pensar a intimidade na contemporaneidade

Rodrigues, Vera Lúcia Cardoso, Pereira, Paula Cristina 2009 (has links)
No description available.
4

Intimidade na clínica contemporânea : estudo psicanalítico

Bertão, Flávia Renata Bertonha Manoel. 2011 (has links)
Orientador: Francisco Hashimoto Banca: Catarina Satiko Tanaka Banca: Thassia Emídio de Castro Banca: Diana Pancini de Sá Antunes Ribeiro Banca: Maria Luisa Louro de Castro Valente Resumo: Nesta pesquisa, estudou-se a intimidade que se estabelece no encontro entre a dupla terapeuta-paciente, dentro do contexto psicoterápico. Considerou-se, da clínica contemporânea, as queixas de ausência de simbolizações, marcada por angústias de invasões e abandonos, sem contornos psíquicos de mundo interno e externo. Essas angústias levam a pensar na necessidade de construir uma ligação íntima e criar, nesses vazios, algo novo e representável, a fim de que a pessoa possa entrar em contato com seu mundo interno. Para tanto, foi importante compreender o espaço de intimidade onde ocorre o encontro que possibilitará a busca de autonomia e criatividade do paciente. Essa criação entre terapeuta e paciente, frequentemente, poderá ser vivenciada pela primeira vez nessa relação, precisando, portanto, passar pelo repertório do terapeuta, o qual acolhe as angústias do pacientes no campo vincular, da transferência e da contratransferência, oferecendo condições para a sustentação psíquica. Utilizaram-se, da obra de Winnicott, os estudos que abordam o processo de desenvolvimento do indivíduo e como estabelecer intimidade consigo e com o mundo, e as considerações de holding, handling, apresentação de objeto, mãe suficientemente boa, capacidade de estar só, falso self, self verdadeiro, medo colapso e tendência inata ao desenvolvimento. Empregaram-se também as contribuições de Freud, no aspecto técnico sobre construções feitas na análise, a atenção flutuante, a transferência e a contratransferência e, no que se trata da teoria, discutiu-se sobre o narcisismo na vida relacional das pessoas, os investimentos libidinais que são possíveis nas situações de luto elaborado, bem como... (Resumo completo, clicar acesso eletrônico abaixo) Abstract: In this research, we studied the intimacy that is established in the encounter between therapist-patient, within the context of psychotherapy. It was taken into considerations the complaints of lack of symbolizations marked by fears of invasions and withdrawals without psychic contours of internal and external world, in contemporary clinical practice. These anxieties led to thinking about the need to build an intimate relationship and to create something new and possible of being represented, so that one can get in touch with his/her inner world. It was important to understand the space of intimacy where the encounter which may facilitate the search for autonomy and creativity of the patient takes place. This process between therapist and patient may often be experienced for the first time in this relationship, and therefore needs to go through the therapist's repertoire, which hosts the anguish of the patient, providing conditions for psychic support. From the works by Winnicott we used the studies which address the process of individual development and the process of establishing intimacy with oneself and the world, and considerations of holding, handling, object presentation, mother image, ability to be alone, false self, true self, collapse fear and innate tendency to development. We also used the contributions of Freud, the technical aspect of the constructions made during the analysis, the floating attention, transference and counter transference. And as far as theory is concerned, we discussed narcissism in the affective life of the persons, the libidinal investments which are possible in situations of... (Complete abstract click electronic access below) Doutor
5

Modernidade : a contribuição de Anthony Giddens ao debate contemporaneo

2002 (has links)
Orientador: Josue Pereira da Silva Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Filosofia e Ciencias Humanas Made available in DSpace on 2017-03-27T18:47:27Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Vieira, Luciana Moreira Martins.pdf: 9082339 bytes, checksum: 9be3f1a95d5c7aa8f8d4a250f1bb6cc1 (MD5) Previous issue date: 2002 Made available in DSpace on 2017-07-14T20:14:40Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Vieira_LucianaMoreiraMartins_M.pdf: 9082339 bytes, checksum: 9be3f1a95d5c7aa8f8d4a250f1bb6cc1 (MD5) Previous issue date: 2002 Resumo: o foco desta dissertação é analisar o conceito de modernidade na obra de Anthony Giddens. Por essa razão, eu desenvolvo uma breve revisão bibliográfica do tema em seus escritos, especialmente aqueles que lidam com a modemidade Abstract: The focus of this dissertation is to analyze the concept of modemity in the work of Anthony Giddens. For that reason, I develop a brief bibliografic revision of the theme in his writings, especially the ones dealing with modernity Mestrado Mestre em Sociologia
6

[en] VIRTUAL EXTIMACY IN THE CONJUGALITY: A SARTREAN STUDY ON THE NEW PERSPECTIVE OF INTIMACY [pt] EXTIMIDADE VIRTUAL NA CONJUGALIDADE: UM ESTUDO SARTRIANO SOBRE A NOVA PERSPECTIVA DA INTIMIDADE

CAROLINA MENDES CAMPOS OLIVEIRA MATTOS 1 June 2016 (has links)
[pt] O presente trabalho tem como objetivo investigar as possíveis repercussões da extimidade virtual na vivência da conjugalidade de nossos dias. A noção de extimidade virtual foi construída para designar uma nova perspectiva da intimidade observada no espaço da rede. Antes do boom da internet, a intimidade mantinha um forte vínculo com a ideia de privacidade. Contudo, é notória a transformação da intimidade hoje, justamente, no que concerne à sua ligação com o espaço virtual, já que as informações compartilhadas alcançam uma visibilidade nunca antes imaginada. Buscamos compreender as possíveis repercussões que esse novo fenômeno está produzindo na vivência da conjugalidade, uma vez que os olhares parecem estar, cada vez mais, magnetizados pelas relações com os inúmeros outros virtuais. Jean-Paul Sartre é tomado como interlocutor privilegiado para abordar o tema da relação com o outro. Além disso, seu pensamento serve de inspiração fundamental para a escolha dos passos metodológicos deste trabalho, uma vez que sua discussão vai além de um caminho a ser seguido, mas, sobretudo, ensina um modo dinâmico de olhar para o homem, mantendo constantemente o foco na tensão originária que articula homem-mundo, ou, ainda, indivíduo-história. Exploramos a literatura sobre o tema da intimidade e de sua nova faceta, a extimidade virtual, a fim de reconstruirmos a atmosfera que compõe a perspectiva sócio-histórica a partir da qual o homem se escolhe. Na sequência, retomamos os mesmos temas através de novas luzes, procurando articular, com base na ontologia de O Ser e o Nada, uma compreensão existencial da extimidade virtual e da intimidade. Realizamos, também, seis entrevistas com pessoas casadas e usuárias da rede social Facebook, a fim de darmos voz àqueles que fazem com que este novo fenômeno na rede seja possível. A discussão das entrevistas redunda nas unificações sintéticas, ou seja, sínteses em movimento intuídas por meio das diferentes modulações propostas pelo método sartriano. Os entrevistados forneceram testemunhos bastante encarnados a respeito das repercussões da extimidade virtual na intimidade e vice e versa, revelando que estamos diante, não de um fenômeno dicotômico que separa o virtual do real, mas, sim, de uma novidade que une e entrelaça os fios da experiência com o outro dentro e fora da rede. [en] This study aims to investigate the possible repercussions of virtual extimacy in the conjugality of our days experience. The virtual extimacy notion was built to designate a new perspective of the observed intimacy in the network space. Before the boom of the Internet, the intimacy had a strong connection with the idea of privacy. However, today the intimacy s transformation is remarkable, precisely, regarding its connection with virtual space, since the shared information reaches a visibility never imagined before. We aim to understand the possible repercussions produced by this new phenomenon in the conjugality experience, once the eye seems to be, more and more, magnetized by the relations with several virtual others. Jean-Paul Sartre is considered a privileged interlocutor to address the other s relation issue. Furthermore, his thought is a fundamental inspiration for the choice of the methodological steps of this work, once his discussion goes further than a step to be followed, but, above all, teaches a dynamic way to observe the man, constantly keeping the focus on the originary tension that articulates man-world, or even individual-history. We explore the literature about the intimacy subject and its new side, the virtual extimacy, to reconstruct the atmosphere that involves the social-historical perspective from which man chooses himself. Then, we resume the same themes through new ways, trying to articulate based on the ontology of Being and Nothingness, an existential understanding of virtual extimacy and intimacy. We also conducted six interviews with married people and users of Facebook social network, to give voice to those who make this new phenomenon possible. The interview discussions result in sinthetic unifications, that is, synthesis in movement given us by intuitions through different modulations proposed by the sartrean method. The respondents provided embodied testimonials for the virtual extimacy repercussions on intimacy and vice versa, revealing that we are facing, not a dichotomic phenomenon that separates virtual and real, but rather, a novelty that bonds and connects the threaded experience with the other, inside and outside of the network.
7

Privacidade na sociedade da informação

2006 (has links)
Made available in DSpace on 2014-06-12T17:22:09Z (GMT). No. of bitstreams: 2 arquivo6028_1.pdf: 1027207 bytes, checksum: cd5c4c763b49b6c5e73e6bc6178ab8e5 (MD5) license.txt: 1748 bytes, checksum: 8a4605be74aa9ea9d79846c1fba20a33 (MD5) Previous issue date: 2006 O presente estudo procura identificar cada um dos dispositivos constitucionais ligados ao tema da privacidade da pessoa humana, numa tentativa de articular critérios e retirar algumas conclusões que possam facilitar a discussão e resolução de conflitos. Nessa tarefa nos valemos do recurso à doutrina e jurisprudência norteamericanas, pela simples razão de que em nenhum outro país do mundo a proteção à privacidade firmou-se como elemento catalisador da sociedade, como fonte de todo um conjunto de direitos básicos. Numerosas são as decisões da Suprema Corte em torno do tema e muito podem auxiliar no cumprimento da atividade que ora assumimos. Também examinamos o tratamento da privacidade no direito privado - na verdade esse foi o propósito inicial deste trabalho -, com um capítulo dedicado à regulação desse direito pelo novo Código Civil. Como a matéria da privacidade está relacionada com o tema da responsabilidade civil dos controladores das informações pessoais de terceiros - como é o caso, por exemplo, da responsabilidade dos operadores de bancos e bases de dados apontamos algumas premissas para a construção de uma teoria completa da responsabilidade desses agentes. Ainda no âmbito da normatização da privacidade pelo Direito Privado, examinamos algumas leis já editadas em outros países que focam a proteção contra atos cometidos por particulares (e não pelo Estado) - o que costuma acontecer sobretudo nos ambientes eletrônicos das redes abertas (a Internet como principal exemplo), onde a privacidade do internauta pode ser violada por outros agentes privados da comunicação informática
8

Limites ao poder de fiscalização nas relações de trabalho Limits to the supervisory power in labor relations

8 April 2015 (has links)
A maioria das demandas envolvendo pedidos de danos morais no judiciário trabalhista brasileiro é originada a partir de abusos patronais cometidos no exercício do poder diretivo, em especial de sua dimensão fiscalizatória. Embora inexista, no Brasil, disciplina normativa específica quanto aos limites à maior parte das manifestações do poder de fiscalização, seu exercício é restringido pela dignidade da pessoa humana, que deve ser compreendida de acordo com a noção de trabalho decente propugnada pela OIT. A dignidade humana constitui cláusula geral de proteção aos direitos da personalidade, dentre eles, os direitos à intimidade e à vida privada, os mais ofendidos por meio da fiscalização patronal abusiva nas fases précontratual, contratual e pós-contratual. Práticas como a revista pessoal nos trabalhadores e em seus pertences, a limitação à utilização de banheiros, a instalação de câmeras e microfones no local de trabalho e o monitoramento dos computadores utilizados na empresa revelam, por vezes, violações a esses direitos. A revista não encontra fundamento no poder de fiscalização e no direito de propriedade do empregador, salvo quando tiver por objetivo a garantia da saúde ou segurança no ambiente laboral. A instalação de equipamentos audiovisuais, quando visar a proteção patrimonial do empregador ou for essencial ao procedimento de gestão, somente pode se dar nos espaços em que o trabalho for efetivamente desenvolvido e por tempo determinado, fundada em situação específica, sendo imprescindível a ciência dos monitorados quanto à instalação e à localização dos equipamentos. A escuta telefônica e o monitoramento de computadores e e-mails somente será possível quando o empregador determinar a utilização dos meios exclusivamente para os fins da prestação laboral, com ciência inequívoca dos trabalhadores, além de disponibilizar ou autorizar a utilização de meios alternativos para a comunicação pessoal. Não devem ser admitidas quaisquer limitações à utilização de banheiros, bem como o estabelecimento de escala de gravidez no âmbito empresarial. Sendo o tomador de serviços legitimado a exercer o poder fiscalizatório sobre a atividade produtiva empreendida no estabelecimento e havendo a indiscutível imperatividade da proteção aos direitos da personalidade obreiros, é necessária a fixação normativa de limites ao poder patronal, em prol do estabelecimento da segurança jurídica. O direito de resistência é contraface do poder diretivo, no sentido de que o uso irregular deste faz nascer aquele e, consequentemente, os limites do poder diretivo condicionam os do ius resistentiae. Os trabalhadores devem exercê-lo com fulcro nos direitos à vida privada, à intimidade, à honra e à dignidade humana. A doutrina deve valer-se da técnica da ponderação para estabelecer os limites ao poder fiscalizatório patronal, com fulcro no princípio da proporcionalidade. A divergência jurisprudencial deve ser minimizada pela atividade criativa dos juízes quanto aos limites ao poder fiscalizatório, consoante o princípio da proporcionalidade, e por meio da utilização de mecanismos específicos voltados à redução da insegurança jurídica no Judiciário Trabalhista, tais como recursos de revista, embargos de divergência, incidentes de uniformização de jurisprudência, súmulas, precedentes normativos e orientações jurisprudenciais. Nada impede, ainda, que limites ao poder fiscalizatório patronal sejam estabelecidos por meio de negociação coletiva. Most lawsuits involving claims for moral damages in Brazilian labor courts are originated from abuses committed in employer\'s power of direction, especially on its supervisory dimension. Although there is no specific normative discipline, in Brazil, about the limits of most of the supervisory power demonstrations, its exercise is restricted by humans dignity, which must be understood according to the concept of decent work proposed by the ILO. Humans dignity is a general protection principle to the personality rights, including the rights to intimacy and private life, the most offended by abusive employers supervision in precontractual, contractual and post-contractual phases. Practices such as inspecting workers and their belongings, limiting the use of toilets, installing cameras and microphones in the workplace and monitoring the computers used at the company reveal sometimes violations of these rights. The inspection has no basis in the supervisory power nor in the employers right to property, except when it is intended to guarantee the health or safety in the work environment. The installation of audiovisual equipment to protect employers heritage or when its essential to the management procedure can only occur in areas where the work is effectively developed and for a specified time, based on the specific situation. The monitored workers knowledge about the installation and location of equipment is essential. Wiretapping and monitoring computers and emails will be possible only when the employer determine the use of the means exclusively for the labor purposes with workers\' unequivocal knowledge, and provide or authorize the use of alternative means for personal communication. Any limitations on the use of bathrooms as well as the establishment of \"pregnancy scale\" should not be allowed in the workplace. Once the employer is legitimated to exercise the supervisory power on the productive activity undertaken on his property and since there is the indisputable imperative protection of the workers personality rights, rules prescribing limits to the employers power are needed for the establishment of legal certainty. The right to resistance is the counterface of the power of direction, insofar as the irregular use of this power raises the right to resistance and, consequently, the limits of the power of direction condition the limits of the ius resistentiae. Workers must exercise it based on the rights to privacy, intimacy, honor and humans dignity. Doctrine should use the weighting technique to establish the limits to employers supervisory power, based on the principle of proportionality. The jurisprudential divergence should be minimized by the creative activity of the judges based on the principle of proportionality, and through the use of specific mechanisms developed to reduce legal uncertainty in Labour Courts, including recursos de revista, embargos de divergência, jurisprudence uniformity incidents, súmulas, regulatory precedents and jurisprudential guidelines. Limits to the employers supervisory power can also be established through collective bargaining.
9

Exercício do direito à intimidade no ambiente de trabalho: limites ao poder diretivo do empregador Exercising the right to intimacy in the working environment: limits to the employers directive power

24 February 2011 (has links)
O presente trabalho é dedicado ao estudo do direito à intimidade do empregado e busca definir o papel do empregador diante de conflitos entre esse direito e outros direitos fundamentais no ambiente de trabalho. No primeiro capítulo examina-se o poder diretivo, dando-se ênfase à sua natureza jurídica, ao seu fundamento jurídico e aos limites que lhe são impostos, a fim de delimitar o âmbito de atuação legitimamente reconhecido ao empregador. No segundo capítulo analisa-se a teoria geral dos direitos da personalidade, a fim de compreender as características gerais aplicáveis ao direito à intimidade. O terceiro capítulo é dedicado exclusivamente ao estudo do direito à intimidade: sua origem, evolução histórica, conceito, alcance, características específicas, limitações e regime jurídico. No quarto capítulo o direito à intimidade é examinado enquanto direito fundamental. Nesse capítulo também é estudada a eficácia horizontal dos direitos fundamentais, a fim de compreender de que forma eles devem ser observados nas relações de trabalho. São apresentadas, ainda, duas propostas de solução para a colisão entre esses direitos: a de José Joaquim Gomes Canotilho e a de Virgílio Afonso da Silva. Por fim, são avaliadas algumas situações hipotéticas em que frequentemente se observa o conflito entre o direito à intimidade e outros direitos fundamentais no ambiente de trabalho e propostas soluções para esses conflitos com base nas ideias dos constitucionalistas mencionados. This work is devoted to the study of the right to the employees intimacy and its attempt is to define the role of employer before the conflicts between this right and other fundamental rights in the working environment. The first chapter examines the employers directive power, emphasizing their legal nature, legal base and the limits imposed, in order to delimit the scope of action legitimately acknowledged the employer. The second chapter analyzes the general theory of the personality rights, in order to understand the general characteristics applied for the intimacy rights. The third chapter is exclusively devoted to the study of the intimacy rights: their origin, historical evolution, concept, scope, specific characteristics, limitations and legal regime. In the fourth chapter the intimacy right is examined as a fundamental right. In this chapter is either studied the horizontal effectiveness to the fundamental rights, in order to understand how they should be observed in working relationships. There are, in addition, two proposals presented as the solution to the collision between these rights: José Joaquim Gomes Canotilho and Virgílio Afonso da Silva. Finally, some hypothetical situations are assessed where the conflict between the intimacy right and other fundamental rights can be frequently observed in the work environment and it is proposed various solutions to these conflicts based on the ideas of the scholars mentioned.
10

A proteção da privacidade nas comunicações eletrônicas no Brasil The protection of privacy in electronic communications in Brazil

25 May 2009 (has links)
A dissertação aborda a proteção da privacidade nas comunicações eletrônicas reservadas no Brasil. Objetiva apresentar a situação atual dessa questão no país e fazer uma análise crítica comparativa. Conceitua privacidade, comunicações, reservadas e dados pessoais como requisitos para a compreensão do assunto. Analisa o direito dos Estados Unidos da América, da União Européia e do Conselho da Europa, os Projetos de Lei em trâmite no Senado Federal e na Câmara dos Deputados e a situação brasileira atual. A metodologia de pesquisa consiste na consulta e interpretação de fontes jurídicas nacionais, internacionais e de direito estrangeiro, como os tratados, leis e jurisprudência atinentes à questão da privacidade nas comunicações eletrônicas, a partir da qual se desenvolve uma construção argumentativa, dedutiva e indutiva para uma crítica construtiva. Conclui que a mencionada proteção é desequilibrada e inadequada e propõe alterações interpretativas e legislativas. The paper approaches the protection of the reserved electronic communications privacy in Brazil. Its goal is to present the current situation of this matter in the country and to develop a critical comparative analysis. It conceptualizes privacy, communications, reserved and personal data as requirements to understand the subject. It analyses the law of the United States of America, of the European Union and of the Council of Europe, the bills in the Federal Senate and in the House of Representatives and the current Brazilian legislation. Its methodology consists of examination and interpretation of national, international and foreign sources of law, such as treaties, statutes and case-law related to the electronic communications privacy question, which forms a basis from which it develops an argumentative, deductive and inductive reasoning for a constructive criticism. It concludes that the mentioned protection is imbalanced and inadequate and proposes legislative and interpretative changes.

Page generated in 0.0805 seconds