• Refine Query
  • Source
  • Publication year
  • to
  • Language
  • 8
  • Tagged with
  • 8
  • 8
  • 8
  • 4
  • 3
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • 2
  • About
  • The Global ETD Search service is a free service for researchers to find electronic theses and dissertations. This service is provided by the Networked Digital Library of Theses and Dissertations.
    Our metadata is collected from universities around the world. If you manage a university/consortium/country archive and want to be added, details can be found on the NDLTD website.
1

Modelagem do sistema de avaliação de conhecimento, segundo parâmetros do ENADE, aplicável aos cursos superiores de graduação: uma proposta quanto a forma de avaliação nas IES / MODELLING OF THE SYSTEM OF ASSESSMENT OF KNOWLEDGE BY PARAMETERS OF ENADE, APPLICABLE TO THE TOP OF COURSES GRADUATION: a proposal on how to assess in IES

PEREIRA, Cléber Augusto 09 August 2010 (has links)
Submitted by Rosivalda Pereira (mrs.pereira@ufma.br) on 2017-08-11T20:35:45Z No. of bitstreams: 1 CleberPereira.pdf: 3089056 bytes, checksum: ab85b5af73443dbf91e821cbac7192ab (MD5) / Made available in DSpace on 2017-08-11T20:35:45Z (GMT). No. of bitstreams: 1 CleberPereira.pdf: 3089056 bytes, checksum: ab85b5af73443dbf91e821cbac7192ab (MD5) Previous issue date: 2010-08-09 / The proposed modeling system for assessing undergraduate degree courses, according to the parameters required by ENADE emerges from the need of the IES adjust its methodology and assessment procedures to the terms set by the exam. The proposed solution does not address a specific undergraduate course and may be applied for any knowledge area. The use of software agents is justified on the grounds of a classical computer application not being able to adapt to the reality of each student, delivering the second behavioral questions identified during the evaluation process.The statistics generated from this reasoning will serve both for students and for teachers in order to reevaluate the teaching and learning process. The modeling was performed according to the UML 2.0 TROPOS methodology was used for the modeling of agents and their implementation was done in JADE. / A proposta de modelagem de sistema de avaliação dos cursos superiores de graduação, segundo os parâmetros exigidos pelo ENADE, emerge da necessidade das IES adequarem sua metodologia e procedimentos de avaliação aos moldes estabelecidos pelo exame. A solução proposta não se dirige a um curso específico de graduação, podendo ser utilizada para qualquer área do conhecimento. O uso de agentes de software em seu desenvolvimento justifica-se em razão de uma aplicação computacional clássica não ser capaz de adaptar-se à realidade de cada aluno, entregando quesitos segundo o comportamento identificado durante o processo de avaliação. As estatísticas geradas a partir deste raciocínio servirão tanto para os alunos como para os docentes no sentido de reavaliar o processo de ensino aprendizagem. A modelagem foi efetuada segundo a UML 2.0, foi utilizada a metodologia TROPOS para a modelagem dos agentes e sua implementação foi realizada no JADE.
2

Uma ferramenta acessível de apoio à modelagem de software na Web / An accessible too to support software modelling on the web

Grillo, Filipe Del Nero 25 April 2014 (has links)
Com o aumento do uso das atividades de modelagem em processos de desenvolvimento de software, a participação de pessoas com deficiência visual em tais processos requer esforços dedicados para que os modelos sejam passíveis de entendimento, caso contrário essa participação fica comprometida. Os modelos são em sua maioria visuais e, portanto, seu processo de construção requer o posicionamento de elementos no espaço do documento por meio de um dispositivo de apontar, como o mouse, e sua leitura requer o uso da visão, uma vez que os diagramas são compostos não apenas por textos, mas também por elementos visuais como retângulos e arcos conectando-os. Neste contexto, o objetivo deste projeto foi desenvolver uma técnica textual para representação e interação com diagramas que possibilite que pessoas com deficiência visual sejam capazes de colaborar em projetos de software, tanto utilizando uma abordagem de desenvolvimento orientado a modelos, quanto em uma abordagem de desenvolvimento tradicional. Para atingir o objetivo proposto foi desenvolvido um protótipo de uma ferramenta Web, a AWMo (lê-se letra a letra: A-W-M-O), a partir da qual a edição de modelos pode ser realizada por meio de duas visões equivalentes: uma visão gráfica, na qual o engenheiro de software poderá inserir novos elementos no diagrama, posicioná-los e definir suas propriedades de modo visual; e uma visão textual, na qual o engenheiro de software pode inserir novos elementos, propriedades e relacioná-los utilizando uma gramática textual. Um estudo de caso foi conduzido para avaliar sua eficácia e os resultados mostraram que a linguagem textual desenvolvida não representa uma barreira para a utilização da abordagem proposta pela AWMo. Os resultados sugerem que a AWMo é uma opção viável para facilitar o acesso de deficientes visuais a modelos de software, ajudando a promover a colaboração e comunicação efetiva e de maneira independente entre usuários com e sem visão para atividades de modelagem de software / With the growth of modeling activities in software development processes, the participation of visually impaired users requires dedicated efforts so that the models are capable to be understood, otherwise this participation is compromised. The models are mostly visuals and, therefore, their construction process requires the positioning of elements in the document space with a pointing device, like the mouse, and their reading requires the use of vision, since the diagrams are composed not only by text, but also by visual elements such as rectangles and arcs connecting them. In this context, the goal of this project was to develop a textual technique to represent and interact with diagrams to allow visually disabled people to collaborate in software development projects, either using an model driven development approach or a tradicional development approach. To achieve the proposed goal, a prototype Web tool called AWMo was developed. The prototype allows the edition of models to be done in two distinct views: a graphical view, where the software engineer is able to insert new elements and define their position in a visual and traditional way; and a textual view, where the software engineer is able to insert new elements, their properties and relationships using a textual grammar. A case study was conducted to evaluate the efficacy of the approach and the results show that the textual language developed did not posed itself as a barrier to the use of the AWMo. The results suggest that AWMo is a viable option to allow the access of the visually impaired to software models, promoting collaboration and effective communication between sighted and blind users in software modeling activities, but most importantly, in an independent way
3

Ambiente de apoio ao ensino de modelagem de software com máquina de estados: uma extensão para o editor de programação Bluej

Gaspar, Luciano 10 May 2012 (has links)
Made available in DSpace on 2016-04-29T14:23:06Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Luciano Gaspar.pdf: 1342989 bytes, checksum: 2adb8081f31a71914dc0e2627497482b (MD5) Previous issue date: 2012-05-10 / The aspects that affect the complexity in the development of systems are, also, barriers to the teaching and learning process of software modeling. Many techniques, tools and processes are adopted in this specific kind of teaching, although, one of the greatest issues found in this task is to create conditions in order to make the student experiment such a complexity in the classroom. The adoption of criteria for software quality analysis is an option that, into the architectural prospect, can reveal that, even the algorithm with few code lines are fragile and, along their life cycle, may present problems of scalability, maintenance and reuse. In this aspect, the purpose of this research is to evaluate if the codes produced by the student, supported by the concepts and techniques of the State Model, will express the initial characteristics of a modularized structure. A tool which extends the functions of the BlueJ teaching environment was developed and it is presented in this paper. That tool, associated with the BlueJ native resources and the State Machines learning make it possible for the student to accomplish software model descriptions according to the structural and environmental code prospects / Os aspectos que afetam a complexidade no desenvolvimento de sistemas também são barreiras para o processo de ensino-aprendizagem de modelagem de software. Muitas técnicas, ferramentas e processos são adotados nesse tipo específico de ensino, porém, uma das dificuldades encontradas é criar condições para que o aluno vivencie tal complexidade em sala de aula. Como alternativa, a adoção de critérios de análise da qualidade de software, sob a perspectiva arquitetural, pode revelar que mesmo os algorítmos com poucas linhas de código são frágeis e ao longo do seu ciclo de vida apresentam problemas de escalabilidade, manutenção e reuso. Nesse sentido, o propósito desta pesquisa é avaliar se o código produzido pelo aluno, apoiado nos conceitos e técnicas do Modelo de Estados, manifestará características iniciais de uma estrutura modularizada. Uma ferramenta que estende as funcionalidades do ambiente de ensino BlueJ foi desenvolvida e é apresentada neste trabalho. Esta ferramenta, associada aos recursos nativos do BlueJ e aos conhecimentos de Máquina de Estados, permite que o aluno elabore descrições de modelos de software dentro das perspectivas estrutural e comportamental do código
4

Uma ferramenta acessível de apoio à modelagem de software na Web / An accessible too to support software modelling on the web

Filipe Del Nero Grillo 25 April 2014 (has links)
Com o aumento do uso das atividades de modelagem em processos de desenvolvimento de software, a participação de pessoas com deficiência visual em tais processos requer esforços dedicados para que os modelos sejam passíveis de entendimento, caso contrário essa participação fica comprometida. Os modelos são em sua maioria visuais e, portanto, seu processo de construção requer o posicionamento de elementos no espaço do documento por meio de um dispositivo de apontar, como o mouse, e sua leitura requer o uso da visão, uma vez que os diagramas são compostos não apenas por textos, mas também por elementos visuais como retângulos e arcos conectando-os. Neste contexto, o objetivo deste projeto foi desenvolver uma técnica textual para representação e interação com diagramas que possibilite que pessoas com deficiência visual sejam capazes de colaborar em projetos de software, tanto utilizando uma abordagem de desenvolvimento orientado a modelos, quanto em uma abordagem de desenvolvimento tradicional. Para atingir o objetivo proposto foi desenvolvido um protótipo de uma ferramenta Web, a AWMo (lê-se letra a letra: A-W-M-O), a partir da qual a edição de modelos pode ser realizada por meio de duas visões equivalentes: uma visão gráfica, na qual o engenheiro de software poderá inserir novos elementos no diagrama, posicioná-los e definir suas propriedades de modo visual; e uma visão textual, na qual o engenheiro de software pode inserir novos elementos, propriedades e relacioná-los utilizando uma gramática textual. Um estudo de caso foi conduzido para avaliar sua eficácia e os resultados mostraram que a linguagem textual desenvolvida não representa uma barreira para a utilização da abordagem proposta pela AWMo. Os resultados sugerem que a AWMo é uma opção viável para facilitar o acesso de deficientes visuais a modelos de software, ajudando a promover a colaboração e comunicação efetiva e de maneira independente entre usuários com e sem visão para atividades de modelagem de software / With the growth of modeling activities in software development processes, the participation of visually impaired users requires dedicated efforts so that the models are capable to be understood, otherwise this participation is compromised. The models are mostly visuals and, therefore, their construction process requires the positioning of elements in the document space with a pointing device, like the mouse, and their reading requires the use of vision, since the diagrams are composed not only by text, but also by visual elements such as rectangles and arcs connecting them. In this context, the goal of this project was to develop a textual technique to represent and interact with diagrams to allow visually disabled people to collaborate in software development projects, either using an model driven development approach or a tradicional development approach. To achieve the proposed goal, a prototype Web tool called AWMo was developed. The prototype allows the edition of models to be done in two distinct views: a graphical view, where the software engineer is able to insert new elements and define their position in a visual and traditional way; and a textual view, where the software engineer is able to insert new elements, their properties and relationships using a textual grammar. A case study was conducted to evaluate the efficacy of the approach and the results show that the textual language developed did not posed itself as a barrier to the use of the AWMo. The results suggest that AWMo is a viable option to allow the access of the visually impaired to software models, promoting collaboration and effective communication between sighted and blind users in software modeling activities, but most importantly, in an independent way
5

[en] DESIGN AND IMPLEMENTATION OF ADAPTIVE NORMATIVE SOFTWARE AGENTS / [pt] DESIGN E IMPLEMENTAÇÃO DE AGENTES DE SOFTWARE ADAPTATIVOS NORMATIVOS

12 November 2021 (has links)
[pt] Sistemas multiagentes foram introduzidos como um novo paradigma para a conceituação, concepção e implementação de sistemas de software que estão se tornando cada vez mais complexos, abertos, distribuídos, dinâmicos, autônomos e altamente interativos. No entanto, a engenharia de software orientada a agentes não tem sido amplamente adotada, principalmente devido à falta de linguagens de modelagem que não conseguem ser expressivas e abrangentes o suficiente para representar abstrações relacionadas aos agentes de software e apoiar o refinamento dos modelos de projeto em código. A maioria das linguagens de modelagem não define como essas abstrações devem interagir em tempo de execução, mas muitas aplicações de software precisam adaptar o seu comportamento, reagir à mudanças em seus ambientes de forma dinâmica, e alinhar-se com algum tipo de comportamento individual ou coletivo de aplicações normativas (por exemplo, obrigações, proibições e permissões). Neste trabalho, foi proposta uma abordagem de metamodelo e uma arquitetura para o desenvolvimento de agentes adaptativos normativos. Acredita-se que a abordagem proposta vai avançar o estado da arte em sistemas de agentes de modo que tecnologias de software para aplicações dinâmicas, adaptáveis e baseadas em normas possam ser projetadas e implementadas. / [en] Multi-agent systems have been introduced as a new paradigm for conceptualizing, designing and implementing software systems that are becoming increasingly complex, open, distributed, dynamic, autonomous and highly interactive. However, agent-oriented software engineering has not been widely adopted, mainly due to lack of modeling languages that are expressive and comprehensive enough to represent relevant agent-related abstractions and support the refinement of design models into code. Most modeling languages do not define how these abstractions interact at runtime, but many software applications need to adapt their behavior, react to changes in their environments dynamically, and align with some form of individual or collective normative application behavior (e.g., obligations, prohibitions and permissions). In this paper, we propose a metamodel and an architecture approach to developing adaptive normative agents. We believe the proposed approach will advance the state of the art in agent systems so that software technologies for dynamic, adaptive, norm-based applications can be designed and implemented.
6

Um modelo para o desenvolvimento de aplicações baseadas em agentes móveis. / A model for the development of applications based on mobile agents.

GUEDES, Fabiana Paulino. 19 September 2018 (has links)
Submitted by Johnny Rodrigues (johnnyrodrigues@ufcg.edu.br) on 2018-09-19T15:04:01Z No. of bitstreams: 1 FABIANA PAULINO GUEDES - DISSERTAÇÃO PPGCC 2002..pdf: 947432 bytes, checksum: 24473a9b6f3a4b10184a06d21f741243 (MD5) / Made available in DSpace on 2018-09-19T15:04:01Z (GMT). No. of bitstreams: 1 FABIANA PAULINO GUEDES - DISSERTAÇÃO PPGCC 2002..pdf: 947432 bytes, checksum: 24473a9b6f3a4b10184a06d21f741243 (MD5) Previous issue date: 2002-08-30 / Recentemente, um novo paradigma para a construção de aplicações distribuídas em larga escala tem emergido: agentes móveis. Um agente móvel é uma entidade de software autônoma que é capaz de migrar entre localizações físicas da rede e continuar a sua execução do ponto em que parou antes da sua migração. Até o momento, a maioria das aplicações baseadas em agentes móveis tem sido criada de forma ad-hoc, seguindo pouca ou nenhuma metodologia. Isto se deve ao fato de que os modelos de processos atuais não são suficientes para cobrir todos os aspectos de mobilidade na modelagem, projeto e verificação de tais aplicações. Neste trabalho apresentamos um modelo para o desenvolvimento de aplicações baseadas em agentes móveis que combina o processo iterativo e incremental com o uso de padrões de projeto de agentes móveis e aspectos a serem considerados nas atividades das fases de análise e projeto. Artefatos são produzidos usando uma extensão de UML (Unified Modeling Language) que inclui aspectos relativos à mobilidade para a modelagem do sistema. A fim de ilustrar a aplicabilidade do modelo um estudo de caso é apresentado. / More recently, a new paradigm for developing large-scale distributed applications has emerged: mobile agents. A mobile agent is an autonomous software entity that can migrate to different physical locations and continue its execution at the point where it stopped before migration. Up to now, the majority of existing mobile agent-based applications have been created in an ad-hoc way, following little or no methodology. One reason is that current process models do not properly cover requirements and aspects of mobility in the modeling, designing and verification of such applications. We present a model for developing mobile agent-based applications that combines the standard iterative and incremental unified process with the use of mobile agent design patterns and issues that should be considered in the activities of analysis and design. Artifacts are produced using an extension of the Unified Modelling Language (UML) that copes with mobility. To illustrate the applicability of the model a case study is presented.
7

Recuperação de modelos de classes orientados a aspectos a partir de sistemas orientados a objetos usando refatorações de modelos.

Parreira Júnior, Paulo Afonso 27 May 2011 (has links)
Made available in DSpace on 2016-06-02T19:05:51Z (GMT). No. of bitstreams: 1 3771.pdf: 2012363 bytes, checksum: beac2e75d3e67d4b8d96a9b1c3ce98ef (MD5) Previous issue date: 2011-05-27 / Universidade Federal de Sao Carlos / Aspect-Oriented Programming allows encapsulating the so-called "Crosscutting Concerns (CCC) - software requirements whose implementation is tangled and scattered throughout the functional modules - into new abstractions, such as Aspects, Pointcuts, Advices and Inter-type Declarations. The reengineering of an OO software to an AO is not an easy task due to the existence of different abstractions in these technologies. We develop a set of nine refactorings of annotated OO class models to AO class models. In the context of this work, "annotated class models" are UML class diagrams whose elements (classes, interfaces, attributes and methods) are annotated with stereotypes representing the existing CCC in the application source code. The set of refactorings developed is divided into: i) generic refactorings; and ii) specific refactorings. Three generic refactorings and six specific refactorings to the persistence (which is divided into management and connections, transaction and synchronization) and logging concerns and to the Singleton and Observer design patterns were created. The generic refactorings are responsible for transforming an annotated OO model with indications of CCC into a partial AO model. This model is called partial because it is usually not fully modularized, i.e., there are remaining software elements stereotyped with indications of particular concerns. These refactorings are applicable to any kind of CCC; this is possible, because what is taken into consideration is the scenario in which these concerns appear in the class model. The specific refactorings are responsible for transforming partial AO models into final ones, whose CCC have been fully modularized in aspects. For that, each refactoring has a set of specific steps for modularization of a particular kind of concern. An Eclipse plug-in, called MoBRe was developed to assist the software engineer in the tasks of refactoring application. As a major contribution, the refactorings proposed in this paper allow obtaining well designed AO models. This is so because: i) they provide a step-by-step guide to the modularization of certain CCC and can avoid that software engineers choose inappropriate strategies for modularization of these CCC; and ii) they were prepared based on good design practices recommended by the scientific community. Thus, besides, the models the use of refactorings can lead to generation of better-quality code, for example, free of bad smells. A case study was conducted to assess the applicability of the proposed refactorings in order to compare an AO model generated by them with an AO model obtained from the literature. / Orientação a Aspectos (OA) permite encapsular Interesses Transversais (ITs) - requisitos de software cuja implementação encontra-se entrelaçada e espalhada pelos módulos funcionais - em novas abstrações, tais como, Aspectos, Conjuntos de Junção, Adendos e Declarações Inter-tipo. A reengenharia de um software OO para um OA não é uma atividade trivial em consequência da existência de abstrações diferentes entre as tecnologias envolvidas. Neste trabalho é proposto um conjunto de refatorações que pode ser aplicado sobre modelos de classes OO anotados com indícios de ITs para obtenção de modelos de classes OA. Modelos de classes anotados são diagramas de classes da UML cujos elementos (classes, interfaces, atributos e métodos) são anotados com estereótipos referentes aos ITs existentes no software. O conjunto de refatorações desenvolvido é subdivido em: i) refatorações genéricas; e ii) refatorações específicas. As refatorações genéricas são responsáveis por transformar um modelo OO anotado com indícios de ITs em um modelo OA parcial - modelo cujos ITs existentes não são completamente modularizados. Essas refatorações são aplicáveis a qualquer tipo de IT existente no software, considerando o cenário que esses interesses apresentam no modelo de classes. As refatorações específicas são responsáveis por transformar modelos de classes OA parciais em modelos de classes OA finais - modelos nos quais os ITs foram completamente modularizados em aspectos. Para que isso aconteça, cada refatoração possui um conjunto de passos específicos para modularização de um determinado tipo de interesse. Três refatorações genéricas e seis refatorações específicas foram elaboradas para os interesses de persistência (subdividido em: gerenciamento de conexões, de transações e sincronização), de logging e para os padrões de projeto Singleton e Observer. Um plug-in Eclipse, denominado MoBRe, foi desenvolvido para auxiliar o Engenheiro de Software na tarefa de aplicação das refatorações. Como principal contribuição, a utilização das refatorações propostas neste trabalho pode permitir a obtenção de modelos OA que representam bons projetos arquiteturais, pois: i) fornecem um guia para modularização de determinados ITs, podendo evitar que Engenheiros de Software escolham estratégias inadequadas para modularização; e ii) foram elaboradas com base em boas práticas de projeto OA preconizadas pela comunidade científica. Assim, além dos modelos a utilização das refatorações pode levar à geração de códigos de melhor qualidade, por exemplo, livre da presença de bad smells. Um estudo de caso foi conduzido para verificar a aplicabilidade das refatorações propostas e os modelos OA resultantes foram equivalentes aos modelos obtidos na literatura.
8

Arcabouço de software baseado em componentes para desenvolvimento de aplicações de gerenciamento de energia. / Component-based software framework for power management application development

GONDIM, Diógenes Galdino. 04 April 2018 (has links)
Submitted by Johnny Rodrigues (johnnyrodrigues@ufcg.edu.br) on 2018-04-04T21:30:07Z No. of bitstreams: 1 DIÓGENES GALDINO GONDIM - DISSERTAÇÃO PPGCC 2014..pdf: 1586466 bytes, checksum: 3b6e47836d1098cd946a0d8486669b23 (MD5) / Made available in DSpace on 2018-04-04T21:30:07Z (GMT). No. of bitstreams: 1 DIÓGENES GALDINO GONDIM - DISSERTAÇÃO PPGCC 2014..pdf: 1586466 bytes, checksum: 3b6e47836d1098cd946a0d8486669b23 (MD5) Previous issue date: 2014-08-04 / A maioria dos sistemas operacionais oferecem suas próprias estratégias de gerenciamento de energia, mas é muito difícil modificar ou ampliar as políticas de energia sem acesso ao código fonte. Várias arquiteturas em gerenciamento dinâmico de energia já foram propostas na literatura, mas elas não são integradas com o sistema operacional subjacente. Neste trabalho, é proposto um arcabouço de software para o desenvolvimento de aplicações gerenciadoras de energia ao nível de usuário, com a flexibilidade arquitetural de se adaptar a diferentes políticas e de se integrar às políticas de gerenciamento do sistema operacional. Para validar o arcabouço, é descrito um estudo de caso mostrando sua viabilidade, demonstrando que a aplicação resultante oferece redução no consumo de energia. / Most operating systems implement their own power management techniques, but it is hard to modify or hack their power policies without the source code. Many dynamic power management architectures have been proposed in the literature, but they are not integrated with the underlying OS power manager. In this work, we proposed a software framework for user-level power management, with a flexible architecture to be adapted to different policies and integrated with OS power managers and validated its feasibility with a case study.

Page generated in 0.0873 seconds